Page 1


2

História de Ivoti Por milhares de anos, as terras hoje delimitadas como município de Ivoti, pertenceram aos habitantes nativos, sendo que a presença indígena mais antiga no local, remete a 10.500 anos, constituindo o que os arqueólogos chamam de Tradição Umbu. Inserida dentro do processo de colonização do país, Ivoti recebeu em torno de 1826 diversas famílias de origem germânica, vindas em maioria da região do Hunsrück, que se instalaram nos 48 lotes de terra distribuídos ao longo do Arroio Feitoria e nas Colônias de Bom Jardim. Ergueram inicialmente suas choupanas de palha, para mais tarde construírem casas que destoavam totalmente de toda a arquitetura gaúcha, eram as medievais casas enxaimel, montadas através de encaixes de madeira e preenchidas com pedras e barro. Revestidas de uma camada de cal, possuíam geralmente um prédio menor em anexo que abrigava a cozinha com a chapa de fogão, o tradicional, “kochplatt” (chapa para cozinhar). Rapidamente se percebeu a necessidade da construção de uma ponte sobre o Arroio Feitoria, pois o fluxo de pessoas na área já era grande. Entre 1857 e 1864 essa ponte foi construída com verba enviada por Dom Pedro II, daí seu nome, Ponte do Imperador. Em 1867, estas terras eram conhecidas pelo nome de Bom Jardim, na

época ainda distrito de São Leopoldo. Mais tarde, em 1938, finalmente surgia Ivoti, remetendo ao tupi-guarani “ipoti-catu”, que significa flor, identificando a cidade com uma de suas tradições: o plantio de flores em frente às casas, formando jardins multicoloridos. Dentro de uma perspectiva de crescimento econômico e demográfico, Ivoti naturalmente se encaminhou, no início da década de 60, para o processo de emancipação, que após diversos trâmites, veio a se realizar em 1964. Em 1966, os dirigentes municipais destinaram uma área de terras para serem ocupadas por 26 famílias de imigrantes japoneses, surgia assim a Colônia Japonesa, produtora de uvas de mesa, kiwi, hortaliças e flores. Como em quase todos os lugares, a urbanização veio para Ivoti com o desenvolvimento industrial. As primeiras oficinas criadas nos fundos das casas dos imigrantes foram crescendo e se transformando em fábricas de calçados e curtumes, que na década de 70 expandiram suas atividades exportadoras. Em 1992, Ivoti gerou duas novas cidades: Presidente Lucena, antiga localidade de Arroio Veado e Lindolfo Collor, anterior Picada Capivara. Hoje, a cidade possui em torno de 20 mil habitantes e parte deles conserva, mesmo que adaptado, o dialeto que os imigrantes falavam quando aqui chegaram. Sabrina Schuster

Em Ivoti, os festejos são sempre regados com muito chope, as doceiras ainda preparam cucas e roscas, servidas com linguiça cozida, tudo com gostinho de colônia.

Uma cidade cuja marca é a qualidade de vida No dia 19 de outubro, Ivoti comemorará 48 anos. A cidade cresce em torno dos seus 63,14 quilômetros quadrados de área. De quatro mil moradores na década de 1950, a população chega a quase 20 mil habitantes. Ivoti guarda ainda as tradições de cidade pequena, onde se vive com qualidade em meio às

belezas naturais e às obras da força e perseverança de uma comunidade alegre e festeira. A tranquilidade combinada com a proximidade aos grandes centros atraem o interesse de inúmeros gaúchos. Mesmo trabalhando na Região Metropolitana, muitos procuram o município para estabelecer raízes. Divulgação

As flores na cidade O título de Cidade das Flores não é apenas um slogan. As flores, seus aromas e cores estão em toda parte, seja nas ruas e avenidas, nas praças e nas casas dos moradores. Para manter o título, a administração destinou uma equipe com a

tarefa de garantir o plantio e a manutenção do colorido floral de Ivoti. O grupo escolhe as mudas mais apropriadas para cada estação. “As flores embelezam a cidade e contribuem para aumentar a autoestima da população”, destaca a prefeita.

Comércio cresce e indústria se mantém forte EXPEDIENTE

INFORME COMERCIAL Encartado em Zero Hora na circulação regional dos Centros de Distribuição Sinos, Caxias e Grupo 5 POA. RBS JORNAL Vale do Sinos - Rua Bento Gonçalves, 1731 sala 91 | Novo Hamburgo Fone: (51) 3582-4444 Produção e Diagramação: TRCOM - sugestão de pauta (tr@trcomunicacao. com) Jornalista colaboradora: Roselaine Vinciprova (DRT 11043) Colaboração: Camila Schäfer e Gabriela Dilly (prefeitura de Ivoti).

Além das indústrias do calçado e do curtume, Ivoti possui empreendimentos direcionados à distribuição de alimentos e lubrificantes, à produção de sucos, de rações, de bordados e de insumos plásticos, bem como, à construção civil. Ivoti se tornou um centro comercial que recebe moradores das cidades vizinhas, como Lindolfo Collor, Presidente Lucena, São José do Hortêncio e Picada

Café e até Estância Velha. A diversidade de opções de produtos e preços é que atrai tantos consumidores da região. No passado, era o ivotiense que percorria os grandes centros, principalmente Novo Hamburgo. Um indicativo do crescimento é que estão surgindo novos negócios a todo o momento, além da renovação de fachadas e as promoções e ações de marketing.


3

Ivoti realiza a 6ª Feira do Mel, Rosca e Nata Os visitantes de toda região são aguardados para a 6ª Feira do Mel, Rosca e Nata de Ivoti. O evento ocorrerá dias 18, 19 20, 25, 26 e 27 de maio no Núcleo de Casas Enxaimel da Feitoria Nova. A prefeitura e a Cooperativa de Apicultores de Ivoti (Cooapi) promovem a festividade, que marca também a passagem do Dia do Apicultor. A festa terá expositores dos três produtos principais, bem como de outros atrativos. A entrada é franca. Essa será a primeira edição em que o público terá dois finais de semana para adquirir os produtos e visitar o evento. Outra novidade é a atração estadual já no primeiro dia: a Banda Tchê Guri estará animando o público na sexta-feira, dia 18, a partir das 19h30min. A feira contará com a venda de mel e derivados, laticínios, flores, artesanato, produtos agroecológicos e agroindustriais, além de produtos coloniais. Outras atrações são o passeio de trator e brinquedos infláveis, bem como a bandinha típica e a exposição da imigração no Museu Claudio Oscar Becker. Uma oficina de caça enxames será ministrada pelo Instituto de Educação Ivoti e o Projeto Escola Integral do Campo realizará a oficina Sal temperado. Para a prefeita Maria de Lourdes Bauermann, a feira é um reconhecimento à produção do mel, organizada em forma de cooperativa, além da valorização dos produtos feitos nas padarias e comércios.

SERVIÇO:

“A cidade já é reconhecida pelo visitante como um local em que são combinados a beleza das flores com o sabor dos quitutes elaborados pelos moradores. Nessa época do ano, temos ainda o mel para oferecer mais saúde e sabor. Quando misturado com a rosca e à nata, temos um produto único e marcante em que todos podem saborear no local ou levar para suas casas”, destaca. Segundo o presidente da Cooapi, Claudio Waldir Neis, a feira conta com a participação do grupo de artesãos, floricultores, padarias e confeiteiros artesanais cadastrados, bem como de empresas de laticínios que atuam e contam com sua sede no município. “Os participantes são especialmente convidados e têm sempre aprimorado a cada ano. Vale a pena salientar que todos os expositores são do município de Ivoti”. Para Neis, a feira ainda conta com o engajamento do Instituto de Educação Ivoti, que a cada evento tem ampliado culturalmente a comunidade visitante, assim como os alunos da Rede Municipal e Estadual que se deslocam até o evento, com explicações sobre as abelhas e as oficinas ali realizadas. Outro diferencial é que os membros da COOAPI, após obterem em 2007 o Certificado do Ministério da Agricultura do Serviço de Inspeção Federal (SIF), têm se esmerado a cada ano para oferecer um produto diversificado, de qualidade e com preços acessíveis.

6ª Feira do Mel, Rosca e Nata de Ivoti De 18 a 20 e de 25 a 27 de maio de 2012 Núcleo de Casas Enxaimel da Feitoria Nova - IVOTI Entrada franca - Informações: www.ivoti.rs.gov.br ou 3563-7956

Fotos: João Vogel

A feira contará com a venda de mel e derivados, laticínios, flores, artesanato, produtos agroecológicos e agroindustriais, além de produtos coloniais


4

Programação Dia 18 de maio – sexta-feira:

15h – Orquestra de Sopros de Picada Café

9h – Início da Feira 11h – Bandinha Típica Musical Plátanos 11h30min às 13h30min – Almoço: galeto, massa e saladas – R$ 12,00 – Organização: CTG Estância do Cotiporã 19h30min - Cerimônia de Abertura Oficial da 6ª Feira do Mel, Rosca e Nata e Show Banda TCHÊ GURI

Dia 27 de maio – domingo:

16h – Cia Municipal de Dança Raízes da Paz 17h – Teatro Maravilhosas e Grávidas Curto Arte Produções 18h – Encerramento

Dia 25 de maio – sexta-feira: 22h – Encerramento

Dia 19 de maio – sábado: 9h – Início da Feira 11h – Bandinha Típica Banda do Balcão 11h30min às 13h30min – Almoço: Carreteiro de charque e saladas – R$ 12,00 – Organização: CTG Estância do Cotiporã 15h – Danças Alemãs – Schützenfreunde Deutsche Kulturgruppe 15h30min – Espaço de Dança e Cultura Denise Azeredo 16h30min – Danças Japonesas 17h – Orquestra de Sinfônica Juvenil - IEI 18h – Encerramento

ro de charque e saladas – R$ 12,00 – Organização: CTG Estância do Cotiporã 16h – Cia Municipal de Dança Raízes da Paz 17h – Orquestra de Sopros Ivoti 18h - Encerramento

9h – Início da Feira 11h – Bandinha Típica Banda do Balcão 11h30min às 13h30min – Almoço: Churrasco com comida campeira e saladas – R$18,00 - Organização: CTG Estância do Cotiporã 15h – Orquestra de Sopros Winterschneise Blaskapelle

9h – Início da Feira 11h - Bandinha Típica Musical Plátanos 11h30min às 13h30min – Almoço: galeto, massa e saladas – R$ 12,00 – Organização: CTG Estância do Cotiporã 18h – Encerramento

Dia 26 de maio – sábado: 9h – Início da Feira 11h – Bandinha Típica Banda do Balcão 11h30min às 13h30min – Almoço: Carretei-

ENTRADA FRANCA

Dia 20 de maio – domingo:

Local: Núcleo de Casas Enxaimel da Feitoria Nova

9h – Início da Feira 11h – Bandinha Típica Banda do Balcão 11h30min às 13h30min – Almoço: Churrasco com comida campeira e saladas – R$18,00 - Organização: CTG Estância do Cotiporã

Vendas: Mel e derivados, laticínios, flores, artesanato, produtos agroecológicos e agroindustriais, produtos coloniais. Outras atrações: Passeios de trator, brin-

16h30min – Danças Alemãs – Portugieserschneiss Volkstanzgruppe 17h – Teatro Show da Herta – Um Cultural Produções 18h - Encerramento

quedos infláveis, Museu Cláudio Oscar Becker, praça de alimentação. Projetos Institucionais: Sec. Saneamento e Meio Ambiente Instituto de Educação Ivoti “Meio Ambiente: Qualidade de Vida” – Oficina de caça-enxames Escola Integral do Campo – Oficina: Sal temperado


5

Como chegar

Pelo Norte (de Caxias do Sul, Canela, Gramado, etc) ou pelo Sul (de Porto Alegre, Novo Hamburgo, etc), o acesso a Ivoti se dá pela BR 116 ou por estradas intermunicipais que ligam Ivoti a cidades vizinhas. Aeroportos mais próximos: Porto Alegre Caxias Estações rodoviárias interestaduais mais próximas: Novo Hamburgo Porto Alegre São Leopoldo Caxias do Sul

Estrada Federal BR 116 Km 232, Bairro Rincão Gaúcho Estância Velha - RS CEP 93800-000 FONE: (51)3563-1187 / 3551-1111 E-mail: incopel@incopelpedras.com.br


6

Receitas: Divulgação

Pão de mel Ingredientes: 1 kg de farinha de trigo 1 kg de mel ½xícara de leite 2 ovos 1 colher de sopa de sal amoníaco 1 colher de sopa de bicarbonato de sódio 1 colher de chá de cravo moído

Receita de Iraci Berghan

Rosca de polvilho

Modo de preparo: Levar o mel para amornar em banho maria ou no micro-ondas e colocar em um recipiente acrescentando os ovos e o cravo moído. Amornar o leite e adicionar o bicarbonato e o sal amoníaco. Acrescente na mistura anterior misturando bem todos os ingredientes. Coloque a farinha de trigo sempre mexendo com uma colher de pau. Deixar esta mistura descansando de 4 a 5 dias em temperatura ambiente. Depois moldar acrescentando mais farinha. Usar formas untadas, pré aquecer o forno e assar a 160°C (médio).

CURIOSIDADE: PÃO DE MEL

Ingredientes: 3 xícaras de polvilho 1 xícara de azeite 1 xícara de água 1 xícara de leite frio 2 ovos 1 colher pequena de sal 1 colher de azeite

Pão de mel é um doce de origem européia, elaborado à base de mel, farinha de trigo, chocolate, manteiga, especiarias e ovos. Depois de prontos e frios, normalmente, são banhados em chocolate. O pão de mel surgiu quando os europeus descobriram que o pão de especiarias poderia ser coberto com chocolate derretido para prolongar o seu sabor e umidade. Fonte: Wikipedia

Modo de preparo: Aqueça o azeite e a água e coloque em cima do polvilho, acrescentando então os outros ingredientes, amassando bem. Formar as roscas e colocar em forma untada. Levar ao forno por 45 minutos.

CURIOSIDADE: POLVILHO O polvilho, também chamado de fécula de mandioca, carimã ou goma, é o amido da mandioca. O polvilho azedo é um tipo modificado por processo de fermentação e secagem solar, apresentando características bem diversas do polvilho doce. É utilizado para diversos fins culinários, como o preparo da massa para o pão-de-queijo, bolinho típico de Minas Gerais e para a pamonha de carimã. Fonte: Wikipedia

Divulgação

Receita de Iva Sander


7

Cooperativa garante qualidade do mel Há cerca de 25 anos, os apicultores de Ivoti sentiram a necessidade de regularizar a comercialização de mel. O produto era vendido sem rótulo e sem registro, o que contraria as leis. Foi assim que fundaram a Associação de Apicultores de Ivoti. Da associação, surgiu em 2003 a Cooperativa Apícola de Ivoti (COOAPI), que hoje reúne 25 sócios e envasa 800kg de mel por dia. No entreposto do mel, os apicultores podem entregar seu produto, que será avaliado e envasado para comercialização. Depois de certificado, o mel é devolvido ao produtor, que poderá vendê-lo respeitando todas as normas exigidas. De acordo com o presidente da COOAPI, Cláudio Waldir Neis, há seis anos os integrantes da cooperativa viram a necessidade de criar

Prefeitura de Ivoti

um evento para comercializar o mel produzido em Ivoti. Foi em parceria com a Emater, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Ivoti, Associação de Floricultores de Ivoti e Banco do Brasil, que surgiu a Feira do Mel, Rosca e Nata, que teve ainda o apoio da prefeitura do município. “O evento é muito importante para o turismo e renda da cidade, além de podermos divulgar todas as delícias produzidas em Ivoti. Também procuramos reforçar a utilização do mel como alimento, não apenas para fins medicinais”, conta Neis. Não é preciso ser sócio para ter acesso aos serviços oferecidos pela cooperativa. No entanto, o presidente da COOAPI explica que o valor pago pelos sócios é reduzido em relação aos não-sócios. Prefeitura de Ivoti

Sobre o mel O mel sempre foi utilizado como alimento pelo homem, obtido inicialmente de forma extrativa e, muitas vezes, de maneira danosa às colmeias. Com o passar dos séculos, o homem aprendeu a capturar enxames e instalá-los em “colmeias artificiais”. Por meio do desenvolvimento e aprimoramento das técnicas de manejo, conseguiu aumentar a produção de mel e extraí-lo sem danificar a colmeia. Com a “domesticação” das abelhas para a produção de mel, temos então o início da apicultura. Atualmente, além do mel, podemos obter diversos produtos, como o pólen apícola, a geleia real, a apitoxina e a cera. O mel é o único produto doce que contém proteínas e diversos sais minerais e vitaminas essenciais à nossa saúde. Além do alto valor energético, possui conhecidas propriedades medicinais, sendo um alimento de reconhecida ação antibactericida. Além de ser utilizado como adoçante, o mel sempre foi reconhecido devido às suas propriedades terapêuticas. A apiterapia é a utiliza-

ção de produtos derivados de abelhas em tratamentos terapêuticos. Diversos estudos científicos realizados nos últimos anos vêm confirmando os efeitos benéficos destes produtos à saúde humana de tal maneira, que já se utilizam de algumas dessas práticas no sistema de saúde da Alemanha. Fatores físicos, como sua alta osmolaridade e acidez, e os fatores químicos relacionados com a presença de substâncias inibidoras, como o peróxido de hidrogênio, e substâncias voláteis, como flavonoides e ácidos fenólicos, vêm sendo descritos como responsáveis pela atividade antimicrobiana. No Brasil, o mel é mais procurado e utilizado nos meses mais frios do ano, pelas propriedades terapêuticas. Seu consumo no país como forma de alimento ainda é muito baixo (aproximadamente 300 g/habitante/ano), principalmente ao se comprar com países como os Estados Unidos e os da Comunidade Europeia e África, que podem chegar a mais de 1kg/ano por habitante. Fonte: Wikipedia


8

Hidromel é o produto diferenciado da feira Uma das atrações da Feira do Mel, Rosca e Nata de Ivoti é o hidromel, um fermentado de mel, água, aromáticos e levedura cultivada na Suíça especialmente para a produção dessa espécie de “vinho de mel”. O responsável pela produção dessa iguaria é Ivo Ernani, de 81 anos, que já visitou a Europa em busca de maiores conhecimentos sobre o hidromel. De acordo com ele, a bebida era muito apreciada na era medieval, em Roma e na Grécia Antiga e atualmente é bastante consumida na Índia. Em Ivoti, Ivo é o único produtor do hidromel. Ele conta que, depois de se aposentar de sua função de construtor, resolveu se dedicar à apicultura. “Isso coincidiu com o período em que as abelhas africanas invadiram nossa região. Como sempre gostei de ler, procurei maiores informações sobre os insetos. Com isso, acabei conhecendo o

hidromel”, disse. O aposentado viajou para a Alemanha, onde conheceu dois produtores da bebida, e para a França, em busca de maiores conhecimentos. “As pessoas que já provaram em ouWikipedia

tros locais, dizem que o meu hidromel é o melhor do país e isso me deixa muito orgulhoso”, conta Ivo. O produtor já recebeu grandes pedidos de Brasília e Rio de Janeiro, onde participantes de confrarias se reúnem para resgatar costumes medievais. No entanto, segundo Ivo, por sua produção ser pequena (cerca de 1 mil garrafas por ano), ele teve de recusar os pedidos. “Além de o transporte das garrafas ser delicado, eu teria de contratar mais pessoas para me ajudar na produção”, disse. O aposentado participa há cinco anos da Feira do Mel, Rosca e Nata de Ivoti, e da Festa das Flores, também realizada no município. Sua produção é artesanal, caseira e em um local que respeita as normas de higiene. Bebida é preparada com levedura da Suíça

As pessoas que já provaram em outros locais, dizem que o meu hidromel é o melhor do país e isso me deixa muito orgulhoso Ivo Ernani Produtor do hidromel

Caderno Feira do Mel, Rosca e Nata de Ivoti  

18 de maio de 2012

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you