Issuu on Google+

o festival materiais diversos

ĂŠ um grito no topo da serra mas adora o silĂŞncio dos espectĂĄculos Festival Materiais Diversos is a cry at the top of the mountain but loves the silence of performances

2009


Fofinha Campe茫o 路 Alcanena


www.materiaisdiversos.com


Festival materiais diversos dança · teatro · música · performance 

Alcanena · Minde · Torres Novas

19 – 29 NOV 2009


the festival materiais diversos is a performing arts festival that brings together international shows from Germany, Hungary, England and Wales as well as Portuguese pieces, many of them developed in conjunction with local groups.   The festival was put together around the central idea of music as a binding thread that draws together all the other Performing Arts. Music is not a theme in itself, but a link between the different performances, creating a special relationship with what we see on stage. Many different artists will guide us on a journey to discover dance and theatre expressed in different musical notations including Tânia Carvalho’s physical relationship with a piano, Raimund Hoghe’s reinterpretation of a Debussy classic, Jonathan Burrows and Matteo Fargion's use of their bodies as music scores and Karine Décorne’s culinary concerto, to name but some.   From our international selection, pieces produced by two of the most important choreographers of our time, Raimund Hoghe and Eszter Salamon will be presented for the first time in Portugal. As far as home-grown talent is concerned, one of the strong points of the festival is its showcasing of the latest productions of young directors and choreographers, as well as projects involving local societies, such as Terroristas [Terrorists], a play directed by Cláudia Gaiolas for the Boca de Cena theatre group. Children and teenagers have not been forgotten: Tudo Gira [Everything Turns], a piece by Margarida Mestre, will be performed for an audience of junior school children and Só os idiotas querem ser radicais [Only iditots want to be radical] by John Romão will be directed and performed by adolescents.   Alongside these events we have a series of debates, conferences, meetings, the Atelier do Espectador [Audience Workshop] and talks after each performance, in which we invite the audience to immerse themselves in the festival in another way.   Holding a festival in Alcanena district is a challenge at various levels but in my view it is very important considering the times we live in. Here the setting is particularly striking. The past industrial splendour of the textile and leather industries is now just a memory. It is a past perhaps more associated with individualism but which has slowly given way to a collective. This collective is for me a driving force which the festival has tried to accompany by proposing projects to many of these collectivities and associations which we could work on together. These projects are above all an excuse for people to get together, the product of which is a number of performance pieces for the festival.   I believe that the cultural dynamism we already have in our county (theatre groups, philharmonic orchestras, museums, schools of music and dance, jazz festivals etc…) can be maximised and transform itself into a thing of renown; so that culture will become our main attraction and an impetus for tourism, economic and social development.   It is because of this that the festival is destined to become a feature of our region, a second edition is already planned (9th to 19th September 2010) and in the near future we hope to start an International Centre for Artistic Residences—CIRA / Materiais Diversos— that will be open all year round and bring artists to develop their work here, wherever possible with the help and collaboration of local people and associations.   To paraphrase our manifesto, the Festival Materiais Diversos is a cry at the top of the mountain but loves the silence of performances. We want this cry to stimulate people and leave them curious to what we are going to present right outside their houses; never forgetting that the silent ritual of watching a performance is one of those rare times when we can stand outside the daily grind and believe that other worlds are possible… tiago guedes  Artistic director

6 editorial


o festival materiais diversos é um festival de artes performativas que cruza espectáculos internacionais vindos da Alemanha, Hungria, Inglaterra e País de Gales com espectáculos nacionais, muitos deles desenvolvidos com as associações locais.   A programação parte da ideia de que a música, e em particular a relação que estabelece com as outras disciplinas, é o fio condutor que une os espectáculos. Não se trata aqui de tomar a música como tema, mas sim pensar nela como elo de ligação, criando relações particulares com o que vemos em palco. Tânia Carvalho com a sua relação física com o piano, Raimund Hoghe com uma reactualização de um clássico de Debussy, Jonathan Burrows e Matteo Fargion com o corpo como partitura, Karine Décorne com o seu concerto culinário, são apenas alguns exemplos, que nos vão conduzir nesta viagem onde descobriremos a dança e o teatro através de diferentes partituras musicais.   Dos espectáculos internacionais destacam-se as estreias em Portugal das peças de dois dos mais importantes coreógrafos dos nossos dias, Raimund Hoghe e Eszter Salamon. A nível nacional a visibilidade dada às mais recentes peças de jovens encenadores e coreógrafos é um dos pontos fortes da programação, bem como o desenvolvimento de projectos com várias colectividades locais, como é o caso da peça Terroristas encenada por Cláudia Gaiolas para o grupo de teatro Boca de Cena. As crianças e os adolescentes não foram esquecidos: o espectáculo Tudo Gira, de Margarida Mestre, será apresentado às crianças do primeiro ciclo e o espectáculo Só os idiotas querem ser radicais do encenador John Romão é direccionado e feito por adolescentes.   Paralelamente a tudo isto temos debates, conferências, reuniões, o Atelier do Espectador e conversas após cada um dos espectáculos, onde convidaremos o público a mergulhar de uma outra forma na programação do festival.   Montar um festival no concelho de Alcanena é um desafio a vários níveis mas a meu ver de uma importância maior nos dias que correm. O contexto é particular. O antigo esplendor industrial ligado ao têxtil e aos curtumes é memória, um passado porventura mais ligado a um individualismo que aos poucos se foi transformando em colectivo. Esse colectivo é para mim uma força motriz que o festival tentou acompanhar, propondo a muitas dessas colectividades e associações projectos a desenvolver em conjunto. Estes projectos são acima de tudo encontros, traduzidos depois em apresentações no âmbito da programação do festival.   Acredito que a dinâmica cultural já existente no nosso concelho (grupos de teatro, orquestras filarmónicas, museus, conservatório de música e dança, festival de jazz…) pode ser potenciada ao máximo e essa dinâmica pode transformar e dar o mote para que a cultura seja o nosso cartão de visita e motor para um desenvolvimento económico, social e turístico.   É por isso que o festival se quer inscrever na região de uma forma continuada, agora com duas edições previstas (2010—9 a 19 de Setembro) e num futuro próximo através da criação de um Centro Internacional de Residências Artísticas—CIRA / Materiais Diversos— que funcionará durante todo o ano trazendo artistas que aqui desenvolvam os seus trabalhos, sempre que possível com a intervenção e cumplicidade dos habitantes e associações locais.   Parafraseando o nosso manifesto, o Festival Materiais Diversos é um grito no topo da serra mas adora o silêncio dos espectáculos. Queremos que este grito desperte as pessoas e as deixe curiosas para o que vamos apresentar mesmo ao lado das suas casas, nunca esquecendo que o ritual silencioso de ver um espectáculo é dos raros momentos em que nos podemos distanciar da rotina das nossas vidas e acreditar que outros mundos são possíveis... tiago guedes  Director artístico

editorial 7


when tiago guedes came to the new cine-teatro são pedro in Alcanena in May 2008, we had the opportunity to debate the structural role this theatre has on the cultural activity of the council, on the importance of intervening not only with a quality program but most importantly, in finding ways to raise awareness within the audience and bring them closer to the performing arts.   We quickly realized the challenge and enthusiasm we share over the importance of developing a cooperation project. The idea for a festival surfaced in a spark. The Alcanena City Hall understood the consequences of this project on the establishment of its own cultural policies for the region and from the first hour assumed its partnership. The financing from the Ministry of Culture was then a worthy recognition of a highly qualified project conceived by Tiago Guedes—which in a near future may become an international reference.   The profile of this festival is intimately attached to the aesthetical and artistic concerns of Tiago Guedes, structured around memories and spaces of his childhood and youth —where many promising artists of his generation will perform (Martim Pedroso, André Murraças, Tânia Carvalho, John Romão, among others). Materiais Diversos aims to conquer new audiences and establish an international festival within the region, which will sustain new local cultural dynamics. Along with great artists from the European scene like Eszter Salamon (Hungary), Jonathan Burrows (UK) and Raimund Hoghe (Germany), we will share artistic projects with local partners: choirs, philharmonic bands, theatre groups and folk dance groups…   And because we’re dealing with contemporary art—which houses a deep creative freedom—we claim a wider participation from the audience. The integration of the audience in the artistic object and subsequent open public debate on the results of the performances make way for a more affective and effective complicity between audience and artists. This crossroad of languages and recurring dialogue is our proposal for a new, wider and essential audience. This is why Materiais Diversos is a festival of challenges. Deliberate challenges to confront and unsettle… Challenges set by artists that want to seduce and audiences that like to be seduced, propositions out of texts, gestures, images and sounds that want to inhabit and be inhabited. This is why in this festival—and in the crossing of all languages and aesthetical experiences, ways of looking at the world—the sensorial is more important than the code. Emotion is more important than logic. Questions more important than answers.   We know that by joining this project (naturally unstable) with this (provisional) dimension, all risks are at hand. We also know that its time to establish an agenda of contemporary art through this festival, which in the coming years will give us input, feed our souls and make us a bit happier. vítor costa  Alcanena's Cine Teatro São Pedro director

8 editorial


quando o tiago guedes se apresentou em alcanena, no programa inaugural do novo Cine-Teatro São Pedro, em Maio de 2008, tivemos oportunidade de discutir longamente sobre o papel estrutural deste equipamento na actividade cultural do município, sobre a importância de intervir junto do público não apenas com uma programação de qualidade mas, acima de tudo, procurando caminhos para sensibilizar os públicos e aproximá-los das artes performativas contemporâneas.   Rapidamente percebemos o quanto espaço e entusiasmo poderíamos partilhar a partir desses desafios e a importância de desenvolver projectos de cooperação. Daí ao projecto de um festival, foi um passo. A Câmara de Alcanena compreendeu, e bem, o alcance deste projecto na afirmação das suas próprias políticas para o território e, desde a primeira hora, assumiu-se como parceiro estratégico. O financiamento do Ministério da Cultura acabou por ser, assim, o justíssimo reconhecimento de um projecto de enorme qualidade, integralmente desenhado pelo Tiago Guedes que, num futuro próximo, terá condições para se tornar num projecto de referência internacional.   Se o perfil do festival está tão intimamente ligado às preocupações estéticas e artísticas do Tiago Guedes, estruturado em torno de memórias e espaços vivenciais da sua infância e juventude, por onde passarão muitos dos novos e promissores criadores nacionais da sua geração (Martim Pedroso, André Murraças, Tânia Carvalho, John Romão, entre outros). Materiais Diversos também nunca deixou de ser um projecto claramente vocacionado para a conquista de públicos e para o enraizamento na região de um festival internacional que sustente novas dinâmicas culturais locais. A par de grandes nomes da cena europeia, como Eszter Salamon (Hungria), Jonathan Burrows (Reino Unido) e, especialmente, Raimund Hoghe (Alemanha) teremos projectos artísticos partilhados com as estruturas locais: grupos corais, bandas filarmónicas, grupos de teatro, ranchos folclóricos…   E porque estamos no campo da arte contemporânea, no domínio de uma arquitectura performativa de profunda liberdade criativa, reclama-se do público muito mais que o seu papel tradicional. A integração do público no objecto artístico e a discussão pública e aberta sobre os resultados das performances, abrem portas a uma cumplicidade efectiva e afectiva com os criadores. Este cruzamento de linguagens e recorrentes propostas de diálogo são, de novo, propostas para um público novo, maior e imprescindível. Por tudo isto, o Festival Materiais Diversos é um festival de desafios. Desafios deliberados que supõem confrontos, inquietações… Desafios de artistas que querem seduzir e de públicos que se querem deixar seduzir. Desafios propostos a partir de textos, gestos, imagens e sons que querem habitar e ser habitados. Talvez por isso, ou também por isso, neste festival e no cruzamento de tantas linguagens e experiências estéticas e formas de ver o mundo, o sensorial seja mais importante que o código. A emoção mais importante que a lógica. As perguntas mais importantes que as respostas.   Sabemos que quando aderimos a um projecto desta natureza (instável) e deste dimensão (provisória) todos os riscos são possíveis. Mas sabemos que, no nosso espaço, é o tempo de afirmar uma agenda de arte contemporânea que, através deste festival e nos próximos anos, nos dê fôlego, nos preencha a alma e nos faça um pouco mais felizes. vítor costa  Director do Cine Teatro São Pedro, Alcanena

editorial 9


Festival Materiais Diversos is against bullfights but walks into the arena nยบ editorial


Ă­ndice index o festival materiais diversos

ĂŠ contra as touradas mas entra na arena

editorial nÂş


p. 21 ► Eszter Salamon Magyar Tàncok

p. 19 ► Martim Pedroso Purgatório

© Marisa Nunes

p. 23 ► Rancho Folclórico do Covão do Coelho

© Calamosca

p. 25 ► John Romão Só os idiotas querem ser radicais

© John Romão

p. 29 ► Andresa Soares & João Lucas Era uma coisa mesmo muito abstracta

p. 27 ► Raimund Hoghe L’ Après-midi

© Rosa Frank

12 index

© João Costa


p. 31 ► Luís Guerra Homenagem a Cristina de Pina

p. 33 ► Marlene Freitas Primeira Impressão

© Luís Guerra

p. 35 ► Margarida Mestre Tudo Gira

© João Costa

p. 37 ► Joana Barrios & Joana dos Espíritos Fake

© Manuel Ferro

p. 39 ► Cláudia Gaiolas & Boca de Cena Terroristas

© Magda Bizarro

© Marisa Nunes

p. 41 ► Cão Solteiro & Vasco Araújo A Portugueza

© Joana Dilão

índice 13


p. 43 ► Tânia Carvalho De mim não posso fugir, paciência!

© Bruno J D Miguel

p. 47 ► Karine Décorne & Simon Proffitt Bwyd Sonique

© André Murraças

p. 49 ► Jonathan Burrows & Matteo Fargion Both Sitting Duet

© Kara Massie

p. 51 ► Ela não é Francesa Ele não é Espanhol & Xaral’s Band

© Lois Gray

14 index

p. 45 ► André Murraças Um Passeio

© Herman Sorgeloos


p. 6 ► Editorial p. 11 ► Índice Index p. 17 ► Palco Stage p. 53 ► Fora de Palco Off Stage p. 61 ► Projecto Educativo Educational Project p. 67 ► Futuro Future p. 71 ► Infos

índice 15


Festival Materiais Diversos is wowwwww but is also sniff sniff sniff


palco stage o festival materiais diversos

é uauuuuuuuuuu mas também é sniff sniff sniff


Nome (apelido) · Proveniência

José Ferreira dos Anjos (Zé do Joca) · Minde


Martim Pedroso Purgatório

19 NOV 21h Alcanena, Cine Teatro São Pedro 1h45 · M 12

O texto desta peça é um manifesto. A revelação de uma vontade real de que algo relevante e extraordinário aconteça.  Que acontecimento é esse? Talvez um acontecimento teatral ou político. Ou será a mesma coisa? Talvez o acontecimento seja a acção ela própria, pois no mundo actual de uma sociedade tomada pela anestesia e pela inactividade, resta-nos sonhar e propor mecanismos de recuperação de vontade de agir e mudar o sistema. Ao pensar hoje em mudança, é difícil não pensar em actos terroristas, pois tal como diz o romancista americano Don Delilo “Hoje são os terroristas e não os artistas que alteram a nossa consciência do mundo.” Assim, os artistas teorizam, reflectem e sonham com a mudança, os terroristas realizam-na. Tendo como base a afirmação provocatória de Delilo, o texto de Joris Lacoste propõe ele próprio um acto (quase) terrorista: pensar-se que a arte e o terrorismo podem encontrar-se numa mesma vontade, a de mudar efectivamente a ordem do mundo. Purgatório vive na produção de tensão e expectativa de que alguma coisa de importante aconteça e seja determinante. Continuamente nos assalta a sensação de que a qualquer momento uma bomba poderá explodir por baixo da plateia. Personne ne sortira vivant d’ici.

Texto Text

This text is a manifest. The revelation of a concrete will for something relevant and extraordinary to happen.  What can this extraordinary event be? Maybe a theatrical or political event-or is it the same thing? In a world where today's society is taken by apathy and inactivity maybe the event is the action in itself, all we can do is dream and propose mechanisms to regain the will to act and change the system.

Guarda-roupa de época Period costumes

joris lacoste Tradução Translation

andré maranha

Adaptação e encenação Text adaptation and staging

martim pedroso

Interpretação Interpreters vítor d’ andrade Voz-off Voice-over,

estelle franco, luís godinho, martim pedroso, paula diogo, sofia brito Apoio ao movimento e coreografia Colaboration in mouvement and choreography

stefano mazzotta

Apoio à dramaturgia e assistência de ensaios Collaboration in dramaturgy and staging assistance

cláudia gaiolas

Apoio vocal Vocal support

inês nogueira

Concepção de figurinos e espaço cénico Costumes and scenic area

martim pedroso

antónio de oliveira pinto Espaço sonoro Sound space

james uhart

Direcção técnica e desenho de luz Technical direction and light design

mafalda oliveira Vídeo Video

antónio duarte Fotografia Photography

marisa nunes Martim Pedroso PT

Produção Production

Encenador e actor formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa vive e trabalha entre Lisboa e Turim. Tem trabalhado com diversas companhias de teatro e encenadores tais como Teatro Praga, Miguel Loureiro, Tiago Guedes, Teatro da Cornucópia, Projecto Teatral, António Latella entre outros. Purgatório é a sua quinta encenação. É artista associado da Materiais Diversos.

Co-Produção Co-Production Teatro Maria Matos, Lisboa; Galeria ZDB, Lisboa; Devir/Capa, Faro; O Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo

Actor and director graduated at Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa, lives and works between Lisbon and Turin. Worked with several theatre groups and directors like Teatro Praga, Miguel Loureiro, Tiago Guedes, Teatro da Cornucópia, Projecto Teatral, António Latella, among others. Purgatório is his fifth staging. Martim Pedroso is an associated artist of Materiais Diversos.

materiais diversos

Apoio Support Fundação Calouste Gulbenkian, Instituto Franco Português, MPO, Academia, Paulo Vieira Cabeleireiros, TEC, Vidal Tecidos. Espectáculo financiado por MC/ Direcção Geral das Artes Project supplied by MC/Direcção Geral das Artes www. materiaisdiversos.com Transporte gratuito ver página 74. Encontro com os artistas após o espectáculo. Find information about free transport services on page 74. Meet the artists after the performance.

theatre teatro

stage palco 19


Sergio Dadu, Diana Dadu, Doina Dadu 路 Minde


Eszter Salamon Magyar Tàncok

Em Magyar Tàncok, Eszter Salamon, coreógrafa e bailarina húngara, sonda as origens da sua dança. De uma perspectiva actual, ela escrutina as danças tradicionais húngaras que aprendeu enquanto criança, bem como as técnicas de dança clássica e contemporânea que mais tarde adquiriu e, focando-se na sua representação, confronta-as entre si.  A riqueza do repertório húngaro não podia senão incitá-la a desenvolver cada frase coreográfica, até porque esta não era interpretada por mulheres. A performance masculina não a intimida, pelo contrário. Em Portugal, poucos são os artistas contemporâneos que se debruçaram sobre a tradição popular. Contudo, hoje, muitos artistas, quer estes sejam originários de Leste ou de África, colocam a questão da herança, sem opor forçosamente tradição e modernidade—debate estéril. Com origem nos costumes provinciais como nos contemporâneos, este é o caso de Eszter Salamon, cuja conferência dançada, com a sua mãe, o seu irmão e os seus primos músicos, constitui a primeira parte de um díptico sobre a família real e imaginária. In Magyar Tàncok, Eszter Salamon, choreographer and dancer from Hungary, examines the origins of her dance. From today’s perspective she scrutinizes the traditional Hungarian dances that she learned as a child as well as the classical and contemporary dance techniques she later acquired. Focusing on their representation, confronts them with each other.

ESTREIA nacional national PREMIERE

20 NOV 21h

Minde, Blackbox CAORG 1h20 · M 4

Conceito Concept

eszter salamon Conceito musical Musical concept

ferenc salamon

Assitência Assistance

zoltàn gémesi Com With

robert csögör, zoltàn gémesi, endre liber, robert liber, ferenc salamon, erszébet salamon, eszter salamon Música Music Voz de bela bartók Palavras a Cantata Profana, olyat háromfele vágok (canção de dança de cana),

richie hawtin Voice of bela bartók Words to Cantata profana, olyat háromfele vágok (song for cane dance), richie hawtin Direcção técnica Technical manager 

götz dihlmann

Agradecimentos Thanks to

tordasi altàlànos iskola, tibor kouczos, ildiko nemeth, gáspàr salamon, sarolta salamon, soma salamon, edit soskuti, szabò szilàrd, christophe wavelet Organização e produção Organisation and production

alexandra wellensiek Produção Production

eszter sal amon HU Coreógrafa e bailarina húngara vive e trabalha em Berlim. Depois de se formar em dança clássica em Budapeste trabalhou em França com vários coreógrafos tais como Matilde Monnier e Fraçois Verret. Começou a desenvolver as suas próprias criações em 2001 e tem-se revelado uma das mais profícuas coreógrafas mundiais da actualidade.

festival les intranquilles, villa gillet, lyon, hauptstadtkulturfonds, botschaft www.eszter-salamon.com

Hungarian dancer and choreographer, lives and works in Berlin. After her dance degree in Budapest she worked in France with choreographers like Mathilde Monnier and François Verret. In 2001 she started to develop her own work and since then has affirmed herself as one of the most proliferous contemporary choreographers worldwide.

Noite partilhada, bilhete único para Magyar Tàncok e Rancho Folclórico do Covão do Coelho. Encontro com os artistas após o espectáculo. Shared night. Single ticket to Magyar Tàncok and to Rancho Folclórico do Covão do Coelho. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 21


Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

Maria Elisa Freire 路 Riachos


Rancho Folclórico do Covão do Coelho

O Rancho Folclórico do Covão do Coelho tem dedicado as suas danças à tradição folclórica da Lezíria ribatejana desde 1980.  É aqui apresentado em contraponto ao espectáculo de Eszter Salamon que trabalha acerca das memórias da música e danças tradicionais húngaras.  Esta relação entre o folclore de diferentes países, ajuda-nos a relembrar o quanto a geometria e formalidade destas danças têm influenciado uma multiplicidade de coreógrafos actuais.  De que forma se podem rever estas danças e descobrir a sua imensa riqueza coreográfica de enorme precisão? The Rancho Folclórico do Covão do Coelho is a traditional Portuguese dance troupe that has dedicated itself to the folk music and dance traditions of the Ribatejo region since 1980.  Here they perform as a counterpoint to Eszter Salamon’s show, which is inspired by the memories of traditional Hungarian music and dances.  This relationship between the folk traditions of different countries reminds us how the geometry and formality of these dances has greatly influenced much of modern choreography.  How can we see these traditional dances with new eyes; discovering their rich choreographies and enormous precision as if for the first time? Rancho Folclórico do Covão do Coelho PT Fundado em 26 de Agosto de 1980, o Rancho Folclórico do Covão do Coelho é membro da Federação Portuguesa de Folclore e está inscrito no INATEL. O vasto trabalho de recolha histórica efectuado (danças, cantares, trajes, rezas, gastronomia, etnografia agrícola…), permitiu ao grupo traduzir em palco a autenticidade Etno-folclórica dos nossos antepassados. Com predominância nas danças burguesas, as músicas e as danças escolhidas fogem aos ritmos violentos da Lezíria, obedecendo a formas peculiares de auto-criação marcadas pela relação com o quotidiano Ribatejano. Founded in August 1980, the Rancho Folclórico do Covão do Coelho (a traditional folk dance group) is a member of the Portuguese Folk Federation and an associate of INATEL. An enormous amount of historical research into dance, clothing, prayer, cookery and agricultural history makes this group’s stage performances truly authentic. Based mainly on bourgeois dances, the chosen songs and choreographies escape the violent rhythms of the Lezíria and follow a more improvised path through the traditional themes of the Ribatejo region.

20 NOV 21h Minde, Blackbox CAORG 30 min · M 4

Dançarinos Dancers

angélica antunes, alexandra gonzalez neto, ana maria santos neto, andré jesus conceição, andré santos pedro, aurélio gomes vieira carina formiga marques, catarina santos mousinho, cristiano emanuel ribeiro vieira, daniela lapo santos, david nobre vieira, joana aida carreira arantes, jorge filipe vieira, josé manuel jorge bento, juan carlos vieira formiga, lisete maria formiga neto, marilda patrícia vieira baptista, michael santos jorge, olímpia da silva castanheira, paulo xavier castanheiro neto, sílvia correia neto, stephen santos jorge, susana da cruz neto, zélia maria formiga nobre Cantores Singers

carolina carreira arantes, maria adelaide vieira ferreira, maria odete jorge anjos ferreira, rosa maria dias bento, zulmira correia gonçalves neto Músicos Musicians emanuel jorge formiga Reco Güiro, joaquim alexandre vieira jorge Pinhas Pine cones, laurindo bugalho mousinho Canas Reed, manuel dias luís ferreira Bilha Cylinder, tiago nobre vieira Canas Reed, alice, carla Acordeão Accordion Figurantes Extras

patrícia neto anjos, raquel castanheira neto Director técnico Technical director

augustin guerra gonzalez Responsável pelos ensaios Rehearsal direction

sílvia correia neto

Noite partilhada, bilhete único para Rancho Folclórico do Covão do Coelho e Magyar Tàncok. Encontro com os artistas após o espectáculo. Shared night. Single ticket to Rancho Folclórico do Covão do Coelho and to Magyar Tàncok. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 23


Roberto Ferreira 路 Minde


John Romão Só os idiotas querem ser radicais Num mundo em que a cultura pop incorpora a própria noção de risco e a manipula e encena para fins comerciais, Só os idiotas querem ser radicais pretende subverter essa lógica com a encenação de uma imagem pop, jovem e bela e fazer do risco não um objecto de consumo de luxo, mas um objecto que se torne essencial para o nosso fundo de comércio filosófico. O único lucro será o de falar de arte e de beleza através da boca de um jovem modelo e actor, uma imagem confirmada pela sua notoriedade televisiva—Ângelo Rodrigues. Ele ensinará filosofia antiga e pós-moderna, toda a história da arte, afirmará valores sobre o bem e o mal, porque ‟Só duvidam os intelectuais, e eu sou mais do que isso, sou uma coisa que transcende o intelecto, sou músculo e profeta.” In a world where pop culture is part of the risk notion and manipulates it and performs it for commercial purposes, the play Só os idiotas querem ser radicais [Only idiots wanna be radical] aims to subvert such logic with the performance of a pop, young and beautiful image, considering the risk not an object of luxury consumption, but an essential object for our philosophical issues. The only profit will be talking about art and beauty through a mouth of a young model and actor, an image confirmed by his notorious fame—Ângelo Rodrigues. He will be teaching the ancient and postmodern philosophy, the whole history of art, he will be asserting certain values about the good and the evil, because ‟Only the intellectuals have doubts, and I’m more than that, I’m something that goes beyond the intellect, all made of muscle and prophet.”

ANTE-ESTREIA PREVIEW

21, 22 NOV 15h

21 Nov Para escolas For schools Alcanena, Cine Teatro São Pedro 1h · M 14

Direcção Direction

john romão

Texto original Original text

mickael de oliveira

Interpretação Performers

ângelo rodrigues, john romão Desenho de luz Light design

josé álvaro correia Vídeos Video

ivo serra

Colaborações artísticas Artistic collaboration

cláudia dias, diego beyró Produção Production

colectivo 84/penetrarte, murmuriu Apoios Support Câmara Municipal de Almada, ZDB www.colectivo84.blogspot.com

John Romão PT Encenador e actor formado pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Tem trabalhado com diversas companhias de teatro e encenadores tais como Artistas Unidos, Jorge Andrade, Rodrigo Garcia ou Harvey Grossman. Faz assistência à direcção com o encenador argentino Rodrigo Garcia e assina as suas encenações desde 2004. É fundador, com Mickael de Oliveira, do Colectivo 84. Actor and director graduated at Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa. Worked with several theatre groups and directors like Artistas Unidos, Jorge Andrade, Rodrigo Garcia or Harvey Grossman. Worked as assistant director for the Argentinian director Rodrigo Garcia. Been directing his own work since 2004. Together with Mickael de Oliveira founded Colectivo 84.

22 NOV  Tarde partilhada, bilhete único para Só os idiotas querem ser radicais e Era uma coisa mesmo muito abstracta. Encontro com os artistas após o espectáculo. 22 NoV  Shared afternoon. Single ticket to Só os idiotas querem ser radicais and to Era uma coisa mesmo muito abstracta. Meet the artists after the performance.

theatre teatro

stage palco 25


dança dance

Nome (apelido) · Proveniência

António Ruivo Duque · Torres Novas


Raimund Hoghe L’ Après-midi, Um solo para Emmanuel Eggermont L’ Après-midi d’un Faune, poema de Stéphane Mallarmé, inspirou Claude Debussy na criação de uma obra sinfónica, em Dezembro de 1894, da qual Vaslav Nijinski fará uma interpretação coreográfica lendária.  Cerca de um século mais tarde, Raimund Hoghe apropria-se por sua vez deste trecho escolhido, prosseguindo assim—depois de Sacre, The Rite of Spring (2004), Swan Lake, 4 Acts (2005) e Bolero Variations (2007)—o seu apaixonante projecto de reapropriação dos clássicos da história da dança.  Para esta nova peça, intitulada muito simplesmente L’ Après-midi, ele confia ao jovem bailarino francês Emmanuel Eggermont—já presente em Bolero Variations mas também em 36, Avenue Georges Mandel e Young People, Old Voices—o tremendo privilégio de suceder a Nijinski. Daí resulta um solo, cuja vitalidade, verdadeiramente brilhante, não encontra comparação para além da sua singularidade flagrante. L’ Après-midi d’un Faune—the poem by Stéphane Mallarmé—inspired Claude Debussy in the creation of a symphonic piece in 1894, out of which Vaslav Nijinsky made a legendary choreography.  About a century later, Raimund Hoghe picks up this theme, following his exhilarating re-appropriation of some of the history of dance classics like Sacre, The Rite of Spring (2004), Swan Lake, 4 Acts (2005) and Bolero Variations (2007).

ESTREIA nacional national PREMIERE

21 NOV 21h30

Torres Novas, Teatro Virgínia 1h30 · M 12

Concepção e coreografia Conception and choreography

raimund hoghe

Interpretação Interpretation

emmanuel eggermont Colaboração artística Artistic collaboration

luca giacomo schulte Desenho de luz Light design

raimund hoghe Som Sound

frank strätker Música Music

claude debussy

Prélude à l’ Après-midi d’un faune, gustav mahler Lieder Produção Production

cie. raimund hoghe Co-produção Co-Production Festival Montpellier Danse 2008; Théâtre Garonne/Toulouse; Theater im Pumpenhaus Münster; Théâtre de la Cité Internationale/Festival d’ Automne, Paris, France-Nordrhein-Westfalen 2008/2009 Apoio Support Land de Rhénanie du Nord-Westphalie, Centre Chorégraphique National de Franche-Comté de Belfort, artistic residence/Ministère de la culture et de la communication www.raimundhoghe.com

Raimund Hoghe DE Raimund Hoghe nasceu em Wuppertal na Alemanha e trabalhou como dramaturgo com Pina Bausch entre 1980 e 1990. Criou o seu primeiro solo em 1994 e desde essa altura o seu repertório foi apresentado em todo o mundo. Raimund Hoghe recebeu inúmeros prémios entre os quais melhor espectáculo estrangeiro em França para Swan Lake em 2006 e bailarino do ano na Alemanha em 2008. Raimund Hoghe is born in Wuppertal in Germany, worked as a dramaturge with Pina Bausch between 1980 and 1990. He created his first solo in 1994 and since then his repertoire has been presented around the world.  Raimund Hoghe received many awards among which the award for best foreign performance in France with Swan Lake, in 2006 and dancer of the year in Germany, in 2008.

Transporte gratuito ver página 74. Encontro com os artistas após o espectáculo. Find information about free transport services on page 74. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 27


Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

Maria Armanda Teixeira 路 Torres Novas


Andresa Soares & João Lucas Era uma coisa mesmo muito abstracta Era uma coisa mesmo muito abstracta surgiu da vontade de desafiar o estranho mundo da abstracção—seja lá o que isso for ou o que haja para abstrair—refreando o impulso de querer dizer alguma coisa para mergulhar numa espécie de abnegação expressiva.  Assente na convicção de que o movimento contém em si ideias, procurou-se a criação de uma linguagem cujos significados e significantes tivessem a duração do momento em que são criados. Começou-se na casa da partida e desenrolou-se, como um fio que vem de trás para seguir em frente, uma procura de movimentos que se revelam como pensamentos sem passarem, na totalidade, pelo entendimento, mas que conferem à peça uma sensação narrativa.  A música como matéria abstracta vem modelar esta sensação e lançá-la na continuidade, agindo sobre a realidade criada como um espírito transfigurador que abre e conduz possibilidades de interpretação dos acontecimentos nesse momento de construção de presente.

22 NOV 15h Alcanena, Cine Teatro São Pedro 50 min · M 12

Concepção e interpretação Concept and interpretation

andresa soares

Composição Musical Musical Composition

joão lucas

Figurinos Costumes

joão paulo assunção Desenho de luz Light design

élio antunes

Agradecimentos Thanks to Filipa Freitas, Gustavo Sumpta, João Costa, Lígia Soares, Madalena Silva, Maria Carita, Pedro Nuñes, Sérgio Roque, Sílvia Pinto Coelho, Rafael, Vera Mantero Apoios Supports Fundação Calouste Gulbenkian, Escola Superior de Dança, O Rumo do Fumo www.maquinagradavel.blogspot.com

The choreography It was a very abstract thing arose from the will to challenge the strange world of abstraction—whatever that may be, or whatever it is we may want to abstract—restraining the drive of wanting to say something, in order to plunge into an expressive abnegation of sorts. Building on the assumption that movement itself contains ideas, we sought to create a language whose meanings and significants only last for the duration of the moment in which they are created. Andresa Soares PT A sua formação artística divide-se entre a dança, o teatro, as artes plásticas e os audiovisuais. Desde 2000 participa como intérprete e criadora em vários projectos de dança e teatro nos quais colaborou com Sofia Fitas e Alexander Gerner, Lígia Soares, Sara de la Féria e Carlos Monteiro, João Garcia Miguel, Nuno M. Cardoso, Ricardo Aíbéo, Ruben Soares entre outros. Fundou com Lígia Soares a Máquina Agradável. Her artistic education is shared between dance, theatre and visual arts. Since 2000 she works as an interpreter or an author in several dance and theatre projects. She is a co-founder with Lígia Soares of Máquina Agradável. João lucas PT Da sua formação académica destacam-se os estudos com a pianista Tânia Achot e o curso superior de piano do Conservatório Nacional. A sua formação estende-se também ao Jazz, improvisação e composição musical. Colaborou como músico, produtor e director musical em numerosas gravações e espectáculos ao vivo. Desde 1989 dedica-se à composição de música para dança e teatro. From his academic education remarks the studies with the pianist Tânia Achot, the piano superior course of Conservatório Nacional and his Jazz formation. Since 1989 he devotes preferencialy to music composition to dance and theatre.

dance dança

22 NOV  Tarde partilhada, bilhete único para Era uma coisa mesmo muito abstracta e Só os idiotas querem ser radicais. Encontro com os artistas após o espectáculo. 22 NOV  Shared afternoon. Single ticket to Era uma coisa mesmo muito abstracta and to Só os idiotas querem ser radicais. Meet the artists after the performance.

stage palco 29


Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

H茅lia Achega 路 Minde


Luís Guerra Homenagem a Cristina de Pina

Cristina de Pina nasceu a 6 de Junho de 1906 em Macarscloxx— Laocoi e faleceu a 31 de Dezembro de 1999, após tomar cianeto na sua casa de férias na ilha do Pico—Açores. Filha de emigrantes portugueses, Cristina de Pina destacou-se ao longo da sua vida enquanto pintora, escritora, realizadora e criadora de danças. Foi uma das mais relevantes artistas laocoït pertencentes ao movimento destrutivo, a par de: Sulbo Endrac, Zirdon Bergogdat e Tvarya Spolbarda. O seu vasto trabalho criativo impulsionou o surgimento da Geração Final (expressão utilizada para caracterizar um movimento subversivo da década de 80 em Laocoi). Antes do seu suicídio, Cristina realizou uma festa com os seus amigos mais chegados onde apresentou a Dança Final espectáculo reapresentado esta noite pela intérprete e sua amiga Tânia Carvalho. 

ESTREIA MUNDIAL WORLD PREMIERE

22 NOV 21h

Minde, Blackbox CAORG 30 min · M 4

De Created by

luís guerra de laocoi Com With

tânia carvalho Desenho de luz Light design

anatol waschke

Produção Production

bomba suicida

www.luisguerradelaocoi.wordpress.com

Cristina de Pina was born on the 6th of June of 1906 in Macarscloxx— Laocoi and died on the 31st of December of 1999, after taking cyanide at her holiday home in the Pico Island—Azores. Before committing suicide, Cristina gave a party with her closest friends where she presented the Dança Final [Final Dance], represented tonight by the performer and her friend Tânia Carvalho.   Luís Guerra PT Bailarino e coreógrafo formado pela Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa. Tem trabalhado com Tânia Carvalho, Bock & Vincenzi, Emio Greco, Rui Horta, Paulo Ribeiro, Clara Andermatt, entre outros. Assina as suas criações desde 2005 e tem percorrido vários países a apresentá-los. É artista associado da Bomba Suicida. Dancer and choreographer, graduated at Escola de Dança do Conservatório Nacional de Lisboa. As a dancer he performed for Tânia Carvalho, Bock & Vincenzi, Emio Greco, Rui Horta, Paulo Ribeiro, Clara Andermatt, and others. Choreographs his own pieces since 2005 and has presented them in several countries. Is an associated artist of Bomba Suicida.

Noite partilhada, bilhete único para Homenagem a Cristina de Pina e Primeira impressão. Encontro com os artistas após o espectáculo. Shared night. Single ticket to Homenagem a Cristina de Pina and to Primeira impressão. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 31


Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

M贸nica Costa 路 Minde


Marlene Freitas Primeira impressão

Entre actos heróicos, trágicos, artificiais e necessários, faço uma dança de vida e de morte. Primeira Impressão é uma dança do crepúsculo, o momento em que já não se distingue as coisas com clareza, onde tudo se torna turvo e hesitante. Between heroic, tragic, artificial and necessary acts, I make a dance of life and death. Primeira Impressão [First impression] is a dance of twilight, the moment when we can’t distinguish things clearly, where everything becomes murky and hesitant.

22 NOV 21h Minde, Blackbox CAORG 30 min · M 4

Coreografia e interpretação Choreography and performance

marlene freitas

Desenho de luz Light design

josé álvaro correia

Vídeo promocional Promotional video

madalena miranda

www.bsculturalmarlenefreitas. blogspot.com

Marlene Freitas PT Coreógrafa e bailarina formada pela Escola superior de dança de Lisboa e pela parts de Bruxelas. Trabalhou com os coreógrafos Emmanuellle Huynn, Boris Charmatz, Loic Touzé, Tiago Guedes, Tânia Carvalho e António Tavares entre outros. Assina os seus trabalhos desde 2004. É artista associada da Bomba Suicida. Choreographer and dancer graduated at Escola superior de Dança de Lisboa and parts in Brussels. Worked with choreographers Emmanuelle Huynn, Boris Charmatz, Loic Touzé, Tiago Guedes, Tânia Carvalho, António Tavares, and others. Choreographs her own work since 2004. Is an associated artist of Bomba Suicida.

Noite partilhada, bilhete único para Primeira Impressão e Homenagem a Cristina de Pina. Encontro com os artistas após o espectáculo. Shared night. Single ticket to Primeira Impressão and to Homenagem a Cristina de Pina. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 33


performance

Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

Maisa Israel, Antonela Pinto 路 Rio Maior, Santar茅m


Margarida Mestre Tudo Gira

Objecto poético que gira em torno de temas que nos rodeiam como o universo, a terra, a natureza e o ser.  É construído a partir de poemas de Jorge Sousa Braga, re-interpretados vocal e visualmente numa aventura de transformar o seu universo literário em evento performático resultante da procura de um formato alternativo de comunicação da poesia.  Este recital propõe um cenário visualmente mágico que, num jogo lúdico de projecção e metamorfose da imagem, acompanha a agilidade da imaginação; e uma atmosfera sonora que transmite e transforma a palavra falada em melodia e respiração.  Em vivência dos sentidos onde o corpo é convidado a entrar. This recital proposes a visually magical set, a game of projection and metamorphosis of images followed by the agility of the imagination. A sound atmosphere that transmits and transforms the spoken word in melody and breath, an experience of all senses into which our body is invited. Margarida Mestre PT Tem formação em pedagogia, sonoplastia e dança pelo Fórum Dança. Tem desenvolvido trabalho na área do corpo e da voz criando peças multidisciplinares entre dança e poesia sonora. Como intérprete trabalhou com Vera Mantero, Miguel Pereira, Madalena Victorino, Guillermo Gomes Pena entre outros.

23, 25 NOV 10h, 14h Para escolas For schools 23 Nov Alcanena, Cine Teatro São Pedro 25 Nov Minde, Blackbox CAORG 1h · M 4 Textos Texts

jorge sousa braga Selecção de poemas dos livros: Pó de estrelas, Herbário e Poemas com asas Poems selection from the books: Star Dust, Herbarium and Poems with wings Direcção e interpretação de corpo e voz Direction and performance

margarida mestre

Imagem/Animação Image/Animation

joana faria

Composição sonora original e ao vivo Original live sound composition

benjamin brodbeck

Apoio Support Espectáculo construído a convite do serviço educativo do Teatro do Campo Alegre, Novembro de 2006 Performance created by invitation of the Educational Service of Teatro do Campo Alegre, November 2006 Apoio à residência Residency support Centro de Estudo de Novas Tendências Artísticas [Center for the Study of New Artistic Trends] www.margarida-mestre.blogspot.com

Trained in dance in Forum Dança, pedagogy and sound effects. Has developed her work using body and voice, creating multidisciplinary pieces between dance and sound poetry. As performer, she worked with Vera Mantero, Miguel Pereira, Madalena Victorino, Guillermo Gomes Pena among others.

Encontro com os artistas após o espectáculo. Meet the artists after the performance.

performance

stage palco 35


José Nico · Vila Moreira 


Joana Barrios & Joana dos Espíritos Fake Fake é uma história que dança sobre a falsificação da acção.  Fake é um cerco aos movimentos circulares que nos espiralam o aborrecimento num recreio mundial, acalmando e estancando os gestos.  Fake é uma marcha mais ou menos graciosa por cima dos mecanismos que nos iludem e estagnam como pântanos belos e turvos e simulacrais.  Fake é um pontapé rotativo no não-movimento de uma geração que cresceu em pose de Karate Kid mas que nunca termina o golpe da garça. Fake is a story that dances on the forgery of the action.  Fake is an encirclement of the circular movements that curl up our boredom in a worldwide playground, soothing and stoping our moves.  Fake is a kind of graceful march over the mechanisms that delude and stagnate us like gorgeous and cloudy and simulacral swamps.  Fake is a roundhouse kick in the non-movement of a generation that grew up standing like Karate Kid but that never accomplishes the crane kick.

Joana barrios PT

24 NOV 19h Alcanena, Cine Teatro São Pedro 1h · M 12

Direcção artística, performance, espaço cénico e figurinos Artistic direction, performance, scenery and costumes

joana barrios

Objecto cénico Scenic object

carla freire

Dramaturgia Dramaturgy

joana dos espíritos, joana barrios Coaching

rui horta, pedro penin, tiago guedes Direcção técnica e desenho de luz Technical direction and light design

mafalda oliveira

Produção e difusão Production and diffusion

materiais diversos Co-Produção Co-Production Centro Cultural de Belém, Lisboa; ZDB/ Negócio, Lisboa; O Espaço do Tempo, Montemor-o-Novo Financiado por Funded by Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes www.materiaisdiversos.com

Actriz formada pela Escola Superior de Teatro e Cinema de Lisboa sendo também formada em Crítica de Cinema e Música Pop pela Universidade de Barcelona. Tem trabalhado como actriz com o Teatro Praga. Joana Barrios graduated from the Escola Superior de Teatro e Cinema in Lisbon and also has a degree in Cinema and Pop Music Criticism from the University of Barcelona. As an actress she has been working with the Teatro Praga. Joana dos espíritos PT Licenciou-se em Línguas e Literaturas Clássicas na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa. Frequenta o doutoramento em Estudos de Literatura na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. Escreveu António Maria Lisboa, O Eterno Amoroso e Fake. She has a B.A. in Classical Languages and Literatures from Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, where she also studied Scriptwriting for Film. She is a Literary Studies PhD student at Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa. She is the author of António Maria Lisboa, O Eterno Amoroso and Fake.

Encontro com os artistas após o espectáculo. Meet the artists after the performance.

theatre teatro performance

stage palco 37


Nome (apelido) · Proveniência

Rogério Venâncio · Minde


Cláudia Gaiolas & Boca de Cena Terroristas A partir do universo dos irmãos Presniakov

O Festival Materiais Diversos inicia uma relação privilegiada com o Grupo de Teatro Boca de Cena, convidando a cada nova edição um encenador diferente para montar um espectáculo de teatro. A primeira encenadora convidada é Cláudia Gaiolas que ao longo de três meses irá trabalhar in loco com este grupo de teatro.  “O principal não é explodir nada—é que eu tenho de ir, dê lá por onde der tenho de chegar lá... Que horror, que loucura... que tempos estes em que não nos sentimos seguros em lado nenhum, a não ser em casa...” With each new Festival Materiais Diversos we invite a different director to create a play with the Boca de Cena Theater Group. The first stage director invited is Cláudia Gaiolas.  “The main thing it is not to blow anything up—it’s just that I have to go, no matter what. I have to get there… What horror, what madness ... what terrible times when we do not feel safe anywhere, except at home...”

ESTREIA nacional national PREMIERE

24, 25 NOV 22h

Minde, Cine Teatro Rogério Venâncio 1h30 · M 12

Encenação Staging

cláudia gaiolas Interpretação Interpreters

ana fresco, andreia pires, andreia gameiro, antónio carlos alves vedor, antónio inácio, bruno frazão, carolina carreira arantes, catarina almeida, duarte fonseca, elsa nogueira, fábio gorjão, filipe dias, gilberto antónio branco rosa, joaquim pinto, joão gameiro faria, paula pinto, simão pedro, vânia mina www.minde.eu/cpm/cpminde.html

Cl áudia Gaiol as PT Nasceu em 1976. Estudou na Escola Superior de Teatro e Cinema. Participou em espectáculos de Tiago Rodrigues, Teatro da Garagem, André Murraças, Joaquim Horta, António Mercado, Madalena Victorino, Jean-Pierre Larroche, Mala Voadora, Àgnes Limbos e a Truta. É co-fundadora do Teatro Praga e do Grupo SubUrbe. Recentemente, co-encenou com Pedro Carraca o espectáculo A mulher que parou. Cláudia Gaiolas was born in 1976 and studied at the Escola Superior de Teatro e Cinema. She has taken part in the theatrical productions of many groups and individual directors. She is co-founder of the Prague Theater and of the SubUrbe Groups. Recently, she co-staged the show A mulher que parou [The woman that stopped] with Pedro Carraca. Boca de Cena PT Grupo de teatro em actividade desde o início do século XX, tem sido responsável por levar à cena peças de autores portugueses e estrangeiros. A encenação, inicialmente a cargo de Mota Veiga, esteve também a cargo de Rogério Venâncio a partir de 1945 e de Rui Venâncio, Elsa Nogueira, António Inácio, Mário Anjos, Fernando Paulo e Manuel Reis. Está em curso um protocolo com a Escola EB 2.3 de Minde para a formação teatral dos alunos. Actualmente conta com cerca de 50 colaboradores. Boca de Cena has been an active theatre group since the beginning of the twentieth century and has been responsible for bringing to the stage numerous plays by Portuguese and foreign authors. There is currently an arrangement with School EB 2.3 in Minde to provide theatrical training for the students. Today has about 50 members.

Transporte gratuito ver página 74. Encontro com os artistas após o espectáculo. Este espectáculo terá reposição no dia 5 de Dezembro no Cine Teatro São Pedro em Alcanena. Find information about free transport services on page 74. Meet the artists after the performance. The show will then move to Cine Teatro São Pedro in Alcanena on December 5th.

theatre teatro

stage palco 39


Mirco do Ros谩rio 路 Alcanena


Cão Solteiro & Vasco Araújo A Portugueza Com a participação da Banda Filarmónica da Sociedade Musical Mindense

26 NOV 21h Alcanena, Cine Teatro São Pedro 1h30 · M 4

A Portugueza encerra um ciclo de três espectáculos iniciado em 2008. Será a última de três caixas sugestionadas pelo trabalho do artista americano Joseph Cornell (1903-1977). Mais uma vez, e como é prática no grupo, pediu-se a colaboração de um artista plástico. Em A Portugueza são arrumados dentro de uma caixa preta os seguintes elementos: um piano, uma masterclass de canto, um pianista, uma professora, um cantor, quatro actores, um Hino Nacional, algumas dissonâncias e uma incerta apoteose filarmónica. No fim, ficam a caixa e o piano. O Cão Solteiro não põe em cena outra coisa além do lugar. Rien n’aura eu lieu que le lieu.

Um espectáculo construído por A show built by

A Portugueza closes a cycle of three shows launched in 2008. It will be the last one of three boxes based on the work of the American artist Joseph Cornell (1903-1977). Again, and as is customary in the group, the collaboration of a plastic artist was demanded. Cão Solteiro does not call into play anything other than the place. Rien n’aurais eu lieu que le lieu.

Banda Filarmónica da Sociedade Musical Mindense

vasco araújo, paula sá nogueira, mariana sá nogueira, joana dilão, duarte barrilaro ruas, cátia pinheiro, raimundo cosme, andré godinho, andré e. teodósio, miguel manso, lúcia lemos, nicholas mcnair, vinte figurantes, banda filarmónica da sociedade musical mindense, paulo reis, teresa louro, palmira abranches, maria josé baptista, natália ferreira, filipe pereira, nuno tomaz

anabela capaz Requinta luís miguel sequeira fernandes, tânia pedro Clarinetes Clarinets joana dos reis patita Flautas

Flutes

ricardo fonseca Sax-alto Alto sax Cão Solteiro PT

gonçalo frade Sax-tenor Tenor sax

Cão Solteiro é uma casa que habita o lugar interior de uma loja e várias cabeças. Nesta casa fabricam-se ideias, futuros, objectos bonitos, objectos feios, frases, figuras, situações, outras casas imaginadas, segredos públicos, mapas pessoais, espelhos, lentes, lápis, linhas com que nos cosemos, nós cegos, saídas de emergência, dívidas, problemas. Cão Solteiro é essencial na sua absoluta inutilidade pública. We Are Not Amused. E no entanto sorrimos perante a possibilidade de falhar para poder continuar. Cão Solteiro é um casaco que se veste e com que se atravessa o inverno.

joã0 chavinha roque gameiro

Cão Solteiro is a house that inhabits the inner place of a store and several minds. Cão Solteiro is essential in its absolute lack of public usefulness. We Are Not Amused. And nevertheless we smile before the possibility of failure in order to move on. Cão Solteiro is a jacket to be worn while passing through winter. Vasco Araújo PT Licenciado em escultura pela Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e em artes plásticas pela maumaus. Tem participado em diversas exposições individuais e colectivas tanto nacional como internacionalmente. Em 2003 recebeu o Prémio EDP Novos Artistas.

Trompete Trompet

ana beatriz meneses Trompa Horn nuno almeida Trombone Trombone antónio josé crachat carvalho Barítono Baritone

fernando gonçalves Sax-barítono Baritone sax

gilberto rosa Tuba duarte fonseca, antónio santarém, lourenço gomes Percussão Percussion

www.caosolteiro.blogspot.com

Has a degree in sculpture from FBAUL and Visual Arts from maumaus. Participated in many individual and group exhibitions in Portugal and abroad. In 2003 he won the EDP Novos Artistas, an award for young artists. Banda Fil armónica da Sociedade Musical Mindense PT Com mais de 100 anos de existência, a Banda da SMM, realizou concertos a nível regional, nacional e internacional. Mantém uma Escola de Música com ensino gratuito.

Transporte gratuito ver página 74. Encontro com os artistas após o espectáculo.

In existence for over 100 years and has been on several regional, national and international concert. They also manage a music school, which provides free education.

Find information about free transport services on page 74. Meet the artists after the performance.

theatre teatro

stage palco 41


dança dance

Nome (apelido) · Proveniência

Marta Grilate, Pedro Pereira, Daniel Pereira · Mira d’ Aire


Tânia Carvalho De mim não posso fugir, paciência! “O expressionismo é a tendência de um artista para distorcer a realidade de modo a suscitar um efeito emocional: é uma forma de arte subjectiva.”  Sempre que inicio o trabalho numa nova composição para dança, aproprio-me dos elementos interiores que consigo reunir a partir do mundo que me rodeia, e a partir deles começo a compor. Cada um de nós vê e sente de forma diversa os objectos à nossa volta.  Do mesmo modo, sempre que estou envolvida numa composição, cujo fundamento são as minhas sensações e na minha imaginação, estou a criar uma distorção do mundo dirigida aos olhos e sentidos dos outros. É isso que considero ser o expressionismo. As coisas que acontecem em cada um de nós são de forma efectiva expressionismo, reconduzido no sentido do outro—forçamos uma distorção no mundo de acordo com o nosso modo particular de agir. tânia carvalho

“Expressionism is the tendency of an artist to distort reality for an emotional effect; it is a subjective art form.”  When doing a dance piece I take part of what I collect inside me from the world and make a composition with it.  Each one of us sees and feels in different ways the things that are surrounding us and in that sense, when doing a composition with what my sensations and imagination tell me I am distorting the world for the eyes and senses of others.  What ever goes inside each one of us is, in my opinion, a form of expressionism to others. We distort the world in our own way.

27 NOV 21h Minde, Blackbox CAORG 1h · M 4

Coreografia Choreography

tânia carvalho

Intérpretes Performers

tânia carvalho, luís guerra, maria joão rodrigues, marlene freitas, ricardo vidal Música Music

tânia carvalho Texto Text

patrícia caldeira Desenho de luz Light design

anatol waschke Figurinos Costumes

aleksandar protich Produção Production

bomba suicida

Co-produção Co-Production O Espaço do Tempo (Montemor-o-Novo) Apoio Support Fundação Calouste Gulbenkian, TNDM II (Lisboa), TanzWerkstatt (Berlim) Apoio na residência e criação artística Residency and artistic creation support Uzès Danse, festival et centre de développement chorégraphique de l’Uzège, du Gard et du LanguedocRoussillon, França France www.bombasuicida.blogspot.com

tânia carvalho

Tânia Carvalho PT Bailarina e coreógrafa, iniciou a sua formação em artes plásticas na ESAD das Caldas da Rainha, tendo depois passado pelo curso de intérpretes de dança contemporânea do Fórum Dança. Tem-se destacado como coreógrafa assinando os seus espectáculos desde 1997 e apresentando-se em Portugal e no estrangeiro. É co-fundadora da associação Bomba Suicida. Dancer and choreographer, she started studying visual arts at ESAD in Caldas da Rainha. Soon after she shifted her studies to contemporary dance in Fórum Dança. As a choreographer, Tânia Carvalho has been presenting her work in Portugal and abroad since 1998. She is one of the co-founders of the association Bomba Suicida.

Encontro com os artistas após o espectáculo. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 43


espectáculo 14

Nome (apelido) · Proveniência

Mário Gassama · Entroncamento


André Murraças Um Passeio

A partir da obra e da vida do artista Roque Gameiro e no cenário natural do Museu de Aguarela Roque Gameiro em Minde, André Murraças concebeu a performance Um Passeio. Um espectáculo que reflecte sobre as memórias do artista, bem como as do próprio André Murraças, a importância do local que nos rodeia e as referências. Um passeio que questiona a ideia de pertencer a um lugar—aquela velha questão: somos felizes onde estiver o nosso coração.

28 NOV 15h, 16h, 17h, 18h, 19h Minde, Museu de Aguarela Roque Gameiro 30 min · M 12

Texto, concepção e interpretação Text, idea and performance

andré murraças

www.moreallofme.blogspot.com

From Roque Gameiro’s life and work and the natural set of the Roque Gameiro Museum in Minde, André Murraças created the performance Um Passeio. This performance reflects upon the artist’s memories—as well as André’s own memories—on the importance of our surroundings and references. A small journey that questions the idea of belonging to a place. The old motto: home is where the heart is. André Murraças PT Estudou cenografia, frequentou seminários na área da escrita e teve formação na área da performance. Foi encenador, intérprete, cenógrafo e dramaturgo de várias peças, algumas delas publicadas. Trabalhou com os coreógrafos Tiago Guedes, Tânia Carvalho e Inês Jacques, foi dirigido no cinema por João Pedro Rodrigues e assina uma colaboração com o artista plástico Ricardo Jacinto. Teve um programa na rádio Radar intitulado O Rapaz do Calendário. Trabalha ainda como autor, encenador e figurinista e redactor publicitário. Studied scenography, attended writing seminars and performance workshops. André is an actor, director, set and costume designer, dramaturge and play writer. Worked with choreographers like Tiago Guedes, Tânia Carvalho and Inês Jacques, with movie director João Pedro Rodrigues and has an artistic collaboration with visual artist Ricardo Jacinto. Had a radio show in Radar radio called O Rapaz do Calendário [Calendar Boy]. Also works in advertising.

Os bilhetes para a performance Um Passeio dão acesso a uma visita ao Museu de Aguarela Roque Gameiro e ao espectáculo Bwyd Sonique de Karine Décorne e Simon Proffitt. Tickets to Um Passeio performance also provide access to Museu de Aguarela Roque Gameiro and to the Bwyd Sonique show by Karine Décorne and Simon Proffitt.

performance

stage palco 45


Eug茅nia Vieira da Silva 路 Muges


Karine Décorne & Simon Proffitt Bwyd Sonique Num pequeno fogão a gás, Karine irá criar pequenas amostras de deliciosas comidas e bebidas, que nos estimulam as papilas gustativas e o olfacto. Sabores e aromas que provocam e excitam, animam, emocionam e acariciam. Simultaneamente, Simon um segundo artista sonoro irão amplificar e processar os sons, revelando a musicalidade oculta da cozinha—o ritmo constante e insistente do mexer a comida no tacho, os zumbidos e assobios do calor na frigideira, o tagarelar e borbulhar da água a ferver. Observando, cheirando e ouvindo a preparação da comida, o público vê-se envolvido no processo culinário. Apenas alguns felizardos terão a oportunidade de o provar no final da actuação!

28 NOV 15h–19h Minde, Museu de Aguarela Roque Gameiro · M 12 Sessões contínuas de 10 min Continuous sessions of 10 min

Companhia Company

real institute

Conceito e som Concept and sound

karine décorne, simon proffitt Comida Food

karine décorne Apoio Support

wales arts international

Over a small gas stove, Karine will create small samples of delicious, mouth-watering and olfactory-gland-tingling food and drink. Flavours and aromas that will tease, arouse, exhilarate, thrill, caress. While this is happening, Simon a second sound artist will amplify and process the sounds of cooking, uncovering the hidden musicality of the kitchen. Watching, smelling and hearing the food being prepared, the audience members become involved and part of the cooking process. Only a few lucky ones will get to taste it at the end of the performance! K arine Décorne CH/UK Passou os últimos 13 anos a trabalhar nas artes entre Londres, Genebra e o País de Gales. Entre 1999 e 2003 foi co-directora do Théâtre de l’Usine em Geneva. Em 2004 mudou-se para o norte do País de Gales. Co-fundou o Migrations, uma série de eventos de dança contemporânea e performance protagonizados por artistas internacionais de renome. Em 2006 começou a trabalhar com Simon Proffitt. Has been working in the arts for the past 13 years in London, Geneva and Wales. Between 1999 and 2003 she was the co-director of Théâtre de l’Usine in Geneva. In 2004 she moved to North Wales. Co-founded Migrations, a series of contemporary dance and performance events featuring high profile international artists. In 2006, she started to work with Simon Proffitt. Simon Proffit t UK É um artista do som e um improvisador que vive no norte do País de Gales, tem um interesse particular na reapropriação sonora. Começou por ser um guitarrista de rock mas em 2002 afastou-se da música composta e ensaiada e da instrumentação convencional. Desde então dedica-se a trabalhar com sons encontrados, gravações da natureza e objectos não musicais. O seu trabalho é motivado pelo desejo de reavaliar experiências retirando-as do seu contexto. Is an improviser and sound artist based North Wales with a particular interest in re-appropriation. Originally a rock guitarist, he moved away from conventional musical instrumentation in 2002, and has since devoted his time to working with found sound, field recordings and non-musical objects.

performance

Os bilhetes para a performance Bwyd Sonique dão acesso a uma visita ao Museu de Aguarela Roque Gameiro e à performance Um Passeio de André Murraças. Tickets to Bwyd Sonique performance give access to a visit to Museu de Aguarela Roque Gameiro and to Um Passeio performance by André Murraças.

stage palco 47


Tiago Magalh茫es, Ant贸nio Antunes 路 Minde


Jonathan Burrows & Matteo Fargion Both Sitting Duet Both Sitting Duet é uma peça meticulosa e divertida para dois homens sentados, cujos gestos de mãos cuidadosamente colocadas se tornam numa música virtual. Concebida e interpretada pelo coreógrafo Jonathan Burrows e pelo compositor Matteo Fargion, a peça estreou em Bruxelas em 2002 e desde então foi apresentada em 24 países em todo o mundo.

28 NOV 21h Minde, Blackbox CAORG 45 min · M 12

Ficha técnica Credits

jonathan burrows, matteo fargion

Both Sitting Duet is a rigorous and sharply funny performance for two sitting men, whose carefully placed hands and lighting gestures become a virtual music. Made and performed by choreographer Jonathan Burrows and composer Matteo Fargion, the piece opened in Brussels in 2002 and has since been invited to 24 countries around the world. Jonathan Burrows UK Bailarino e coreógrafo começou a sua carreira como solista no Royal Ballet de Londres e fundou a sua própria companhia em 1988 circulando internacionalmente os seus espectáculos. Coreografou para Sylvie Guillem e para o Forsythe Ballet Frankfurt. Desde 2002 colabora com o músico Matteo Fargion ganhando em 2004 o New York Dance e o prémio Bessie Performance. Dancer and choreographer he started his career as a danseur for the Royal Ballet of London. Founded his own company in 1988 showing his work internationally. Choreographed for Sylvie Guillem and for the Forsythe Ballet Frankfurt. Since 2002 works with composer Matteo Fargion winning the 2004 New York Dance and Performance Bessie Award. Mat teo Fargion IT Estudou composição musical em Londres e na África do Sul. Conheceu Jonathan Burrows em 1988 que desde então tem assinado algumas composições para os seus espectáculos. É também professor de música na escola de dança parts de Anne Therese de Keersmacker. Studied music composition in London and South Africa. Met Jonathan Burrows in 1988 and since then has composed music for some of his performances. He is also a music teacher at Anne Teresa de Keersmaeker’s dance school parts.

Encontro com os artistas após o espectáculo. Meet the artists after the performance.

dance dança

stage palco 49


m煤sica music

Nome (apelido) 路 Proveni锚ncia

Marta Patita 路 Minde


Ela não é Francesa Ele não é Espanhol & Xaral’s Band

Ela não é francesa numa festa privada. Maracas, fumo e bonecas antigas de um qualquer destino longínquo improvisam uma decoração exótica. Cocktails servidos por barmans que desafiam a lei da gravidade. Bananas pós-modernas dividem-se, amores sangrentos a um canto. Uma caravana lamenta, com dores. Alguém gargalha—resiste!  Um gelado derrete. Ele não é espanhol encosta-se ao calor da vitrina da sala. Depois de partir, beija-me o mais rapidamente possível. Um insecto pergunta ao gira-discos—achas-me sexy? Uma garrafa— Tonight You Belong To Me— serve o último ljubim. She is not French at a private party. Maracas, smoke and ancient dolls from some far away destination improvise an exotic decoration. Barmen defying gravity serve cocktails. Post-modern bananas split, bloodied passions on a corner. A slow and painful caravan. Someone laughs—resist!  An ice-cream melts. He is not Spanish leans against the warm glass of the room’s window. After breaking it kiss me as fast as you can. A Tonight You Belong To Me bottle serves the last ljubim te.

29 NOV 18h Minde, Blackbox CAORG 1h15 · M 12

Ela não é Francesa Ele não é Espanhol

eduardo raon

Harpa, domra, telemóvel, charango Harp, domra, mobile phone, charango

inês jacques

Voz, melódica, kazoo, passarinho, garrafa, cook-a-doodle-doo, maracas, órgão Voice, melodica, kazoo, little bird, bottle, cook-a-doodle-doo, maraca, organ Xaral’s Band

joão carlos chavinha roque gameiro, pedro miguel morgado guedes félix, joão gameiro faria Trompetes Trumpet marta maria capaz a.c. meneses Clarinete/Sax-alto Clarinet/Alto sax

margarida maria rodrigues de almeida, nelson manuel ferreira inácio Sax-alto Alto sax gonçalo nuno gonçalves pires de oliveira frade, nuno tiago de carvalho simões Sax-tenor Tenor sax

Inês Jacques pt Iniciou os estudos musicais em 1994 e fixou-se na voz depois de ter passado pelo Hot Clube de Portugal. Cantou com músicos de mérito reconhecido e colabora no último disco a solo de I-Wolf (Sofa Surfers). Inês Jacques é também coreógrafa e bailarina. Started her music studies in 1994. Voice was her choice after attending the school at the Hot Club de Portugal. Performed with several musicians. Inês Jacques also her own work in contemporary dance. Eduardo R aon pt Estudou harpa, devido à sua ligação com a música electrónica, o rock, o jazz e a música improvisada. É membro dos Bypass, onde, desde 1997, dá largas a uma guitarra rock alternativa e densa e mais recentemente dos Hipnótica onde toca harpa. Eduardo Raon tem também formação em Artes Plásticas pela FBAUL. Studied harp—due to his connection to electronic music, rock, jazz and improvised music. He’s a member of the band Bypass since 1997 and also a member of Hipnótica. Eduardo has also a degree in Fine Arts from FBAUL.

fernando paulo gomes gonçalves Sax-barítono Bari sax lúcio filipe de brito vilela, nuno miguel castanheira almeida, nelson manuel castanheira almeida, joão pedro castanheira almeida Trombone vara Trombone stick

ângelo manuel martins salvado Baixo eléctrico Electric bass guitar

antónio josé crachat carvalho Bateria Drums duarte nuno cruz fonseca, edgar ferreira enes Teclas Keys tomás pimentel Arranjos musicais Musical arrangements www.zut-site.com www.xaralsband.blogspot.com

X aral’s Band PT A Xaral’s Band é composta por 18 elementos. Executando vários estilos de música de dança como valsas, mambos, boleros, cha-cha-cha, swing, tangos, entre outros, actuaram já em diversos eventos públicos e privados. Xaral’s band has 18 members. They play many types of dance music such as waltzes, mambos, boleros, the cha-cha-cha, swing, and tangos. They are already well established on the public and private circuit.

music música

Encontro com os artistas após o espectáculo. Meet the artists after the performance.

stage palco 51


Festival Materiais Diversos is a pitt-bull but snuggles like a kitten


fora de palco off stage o festival materiais diversos

ĂŠ um pitt-bull mas enrosca-se como um gatinho


Encontro com Raimund Hoghe 23 Nov 18h30  Lisboa, Goethe Institut

O Festival Materiais Diversos inicia já a partir da sua primeira edição uma colaboração com o Goethe Institut Lissabon.  A vinda a Portugal de Raimund Hoghe para apresentação da peça L’ Après-midi, Um Solo para Emmanuel Eggermont, permitiu o encontro na sede do Goethe Institut em Lisboa entre o artista e alunos de artes performativas. Moderado pelo crítico de dança e director da revista Obscena—Revista de artes performativas, Tiago Bartolomeu Costa, neste encontro poderão ainda ser visionados vários filmes acerca do coreógrafo alemão, outrora dramaturgo do Tanztheater Wuppertal de Pina Bausch. raimund hoghe lecture From its very first edition, the Festival Materiais Diversos is working in collaboration with the Goethe Institut Lissabon.  The presence of Raimund Hoghe and his piece L’ Après-midi, A Solo to Emmanuel Eggermont, allowed us to arrange an encounter between the artist and performing arts students, held at the Goethe Institut in Lisbon and hosted by Tiago Bartolomeu Costa—dance critic and Obscena magazine director. Hoghe is a German choreographer who was at one time dramaturge of Pina Bausch’s Tanztheatre Wuppertal. This meeting will showcase several films about his work.

© Rosa Frank

Tiago Bartolomeu Costa recebe o apoio do programa Cultural Leadership International do British Council. Tiago Bartolomeu Costa receives the support of the Cultural Leadership International programme of the British Council.

informações  informations Goethe Institut Campo dos Mártires da Pátria, 37 1169-016 Lisboa T. + 351  218 824 510 F. + 351  218 850 003 info@lissabon.goethe.org www.raimundhoghe.com www.goethe.de/ins/pt/lis/ptindex.htm

off stage fora de palco 55


Encontros profissionais

Encontro ONDA 20–23 Nov  Alcanena, Minde, Torres Novas

Um festival é um local de encontro por excelência. Entre público e artistas mas também entre profissionais do meio como directores de teatro, programadores de festivais, responsáveis culturais de autarquias, entre outros.  Este nomadismo de profissionais é vital quando se trata de conhecer os artistas apresentados mas também quando se trata de partilhar de experiências e projectos futuros.  Sem esquecer a enorme actividade associativa local ligada às artes, convocámos alguns desses grupos para uma discussão com o objectivo de, em conjunto, diagnosticar o que tem sido feito localmente e elaborar estratégias a implementar, com vista ao desenvolvimento cultural e artístico do concelho. professional meetings Festivals are the ultimate meeting points— between artists and audience but also between theatre directors, festival programmers, council cultural representatives, and others.  These meetings are vital in the sharing of experiences for future projects.  Considering the enormous associative activity connected to arts, we have summoned some of these groups for a discussion. The goal is to diagnose what has been done locally and elaborate strategies for a future cultural and artistic development of the region.

56 off stage

O Office National de Diffusion Artistique do Governo Francês, que tem como missão contribuir para a difusão em França de projectos no âmbito da arte contemporânea, convidou alguns programadores a descobrir o Festival Materiais Diversos e os jovens artistas e criadores que aqui se apresentam.  Este encontro tem como objectivo dar a conhecer estes jovens emergentes e as suas obras incentivando a sua apresentação e circulação em teatros e festivais em França.  O grupo de programadores ONDA passará connosco o primeiro fim-de-semana do festival. onda meeting The French Government’s Office National de Diffusion Artistique, which contributes for the spread of contemporary art projects in France, invited a few programmers to come and meet Festival Materiais Diversos and the young artists here presented. This meeting aims to present these emerging artist’s work, encouraging its presentation and circulation in French theatres and festivals.  The onda programmers group will be with us during the first weekend of the festival.


3º Encontro da RIP — Rede Informal de Programadores

Que políticas culturais para a região?

24 Nov 10h–16h30  Alcanena, Carsoscópio—Centro Ciência Viva do Alviela, Olhos de Água Reservado a profissionais Professionals only

28 Nov 10h–13h  Alcanena, Cine Teatro São Pedro Aberto ao público Open to the public

Na sequência da reunião de directores de teatros, realizada na última edição dos Encontros Alcultur em Março de 2009, organizou-se um encontro de programadores culturais nacionais, no Teatro Maria Matos em Lisboa e posteriormente no Teatro Sá da Bandeira em Santarém.  Dando continuidade a estas reuniões informais, o Cine Teatro São Pedro em Alcanena e o Festival Materiais Diversos abrem portas e organizam este terceiro encontro.  A Rede Informal de Programadores tem como finalidade desenvolver um trabalho colaborativo na circulação de informação e partilha de experiências, bem como na discussão de problemas e objectivos comuns. 3rd rip meeting — informal programmers network Following the meeting of theatre directors on the last edition of Encontros Alcultur in March 2009, a meeting of national cultural programmers was organized at Teatro Maria Matos in Lisbon and later on at Teatro Sá da Bandeira in Santarém.  In the follow up of these encounters, Cine Teatro São Pedro in Alcanena and Festival Materiais Diversos organize now a third meeting.  The Informal Programmers Network develops a collaborative work on information exchange and shared experiences, as well as the debate of common goals and problems.

Encontro de Estruturas Associativas Culturais e Ambientais da região O concelho de Alcanena é palco do trabalho desenvolvido por diversas estruturas associativas, muitas delas a operar no terreno há décadas. Formadas com base no trabalho associativo e abrangendo áreas como o teatro, a dança, a música e o meio ambiente, estas estruturas desenvolveram-se como uma verdadeira força, contrariando o declínio que se sentiu após o auge industrial de outros tempos e conferindo uma nova vida e um novo rumo ao concelho. Estratégias comuns ancoradas no Turismo e na Cultura, podem criar sinergias positivas e de afirmação de valores identitários.  Pensado com foco nos diversos cruzamentos artísticos e geográficos, o Festival Materiais Diversos convoca estas organizações para que, em conjunto, pensem e definam estratégias comuns que instiguem a criatividade e a optimização do que já existe.  O lema Alcanena, concelho de cultura é também o nosso lema. which cultural policies for the region? Meeting of cultural and environmental associative structures of the alcanena commune The Alcanena Commune is the common ground for many associative structures, many of them running for decades. Raised as associations— they work in different areas like theatre, dance, music and environment—these structures have developed with strong dynamics against the decline felt after the industrial boom in the past, bringing a new life and goal to the commune. Strategies anchored in Tourism and Culture can create positive synergies establishing identity values.  Focusing on the different artistic and geographic backgrounds, Festival Materiais Diversos invites these organizations to think and define strategies to instigate creativity and optimize what we already have.  The motto Alcanena, cultural commune, is our motto to.

fora de palco 57


Exposição Uma carta coreográfica 19–29 Nov  Alcanena, Galeria, Cine Teatro São Pedro Terça a Sexta 13h00  –  19h00. Sábado, Domingo e Feriados 14h00  –  19h00. Dias de espectáculo 14h00  –  21h30. Encerra à Segunda Tuesday to Friday 13h00  –  19h00 Saturday, Sunday and Holidays 14h00  –  19h00 On show days 14h00  –  21h30. Closes on Monday

Trata-se de uma exposição concebida pela coreógrafa Madalena Victorino em resposta ao desafio que lhe foi lançado pela Direcção-Geral das Artes.  A exposição desenvolve-se em duas estações intituladas O corpo como adivinha e A dança como fábula. A primeira fala do corpo, a segunda do movimento do corpo. O carácter interpelativo da exposição é complementado com uma pequena carta coreográfica, que permite aos mais novos brincar com o movimento da dança, e com um jogo de 52 cartas coreográficas que possibilita cinco jogos diferentes para pessoas de todas as idades. Challenged by Direcção Geral das Artes, the choreographer Madalena Victorino conceived an exhibition in two phases entitled O corpo como adivinha [The body as a riddle] and A dança como fábula [Dance as a fable]. The first one addresses the body and the second addresses the movement of the body. The questions raised by the exhibition are completed by a small choreographic chart that allows children to play with dance movements, and by a set of 52 choreographic cards which create 5 different games to be played by everyone.

58 off stage


Ponto de Encontro 19–29 Nov 12h–4h  Minde, Rua de Santana 6 (antiga Grafiminde)

O Ponto de Encontro do festival terá as portas abertas para quem aí queira comprar bilhetes, recolher informações, visionar dvd’s dos espectáculos, ver exposições, comprar um livro, cear com os artistas e a equipa do festival após os espectáculos ou simplesmente entrar e beber um café. Mas também dançar!  Todas as noites após os espectáculos será servida uma ceia com comida regional e a animação do espaço lounge estará a cargo de trashédia, dj oficial e dos dj’s convidados.  Em pleno mês de Novembro, um local acolhedor e divertido à sua disposição, servindo de extensão aos espectáculos e como plataforma de encontro entre o público e os artistas. meeting point The festival’s Meeting Point will be open for ticket purchases, festival information, viewing dvd performances, to see exhibitions, buy a book, to have supper with the artists and the festival team after the performances or just to have a cup of coffee. Every night after the performances a local cuisine supper will be served. A fun and cosy spot will be available during those November days as a meeting platform between audience and artists, an extension to the performances.

Grafic Nights 19–29 Nov 23h–4h  

Inserido no Ponto de Encontro, este espaço ganha novo fôlego ao longo do festival pela mão de trashédia, dj oficial. Todas as noites teremos convidados surpresa, de hoje e de antigamente… E mais não dizemos! As portas das Grafic Nights estão abertas. An area of the Meeting Point which will be given new life during the Festival at the hands of trashédia, our official dj. Every night we will have surprise guests from the present and from the old days… And that’s all we will say for now! Grafic Nights doors are open. fora de palco 59


Festival Materiais Diversos gets warm with menĂ­zias, dances with terraizinhas, eats carochinhas and drinks babosas but has not yet studied all the Minde jargon


projecto educativo educational project o festival materiais diversos

aquece-se em menízias, dança com as terraizinhas, come carochinhas e bebe babosas mas ainda não estudou todo o calão minderico


Atelier do Espectador Tiago Bartolomeu Costa 30, 31 Out, 6, 7, 13, 14 Nov  Alcanena, Cine Teatro S. Pedro 20, 21, 27, 28 Nov  Minde, Cine Teatro Rogério Venâncio Sextas Friday 18h–20h Sábados Saturday 15h–17h

Lacking a better term, lets call it Atelier do Espectador [Audience Workshop]. A place where we will work together on our different ways of looking and from there, think about what we extract from each piece. Regardless of our personal taste, prejudice or what we think we don’t know.  tiago bartolomeu costa

Os espectáculos dizem-nos o quê? Devem ou querem dizer-nos alguma coisa? É importante saber o que pensar e como pensar sobre eles? E se, por nenhuma outra razão, senão o puro prazer de pensar e discutir em conjunto, nos juntássemos para ver objectos que, à partida, parecem estranhos mas que na verdade, não falam senão de coisas que conhecemos?  À falta de melhor termo, chamemos Atelier do Espectador a um lugar onde trabalharemos em conjunto os nossos diferentes olhares e, a partir deles, pensemos o que retiramos de uma peça. Independentemente dos gostos, dos preconceitos, do que achamos não saber.

During five weeks and ten sessions, the Atelier do Espectador in these sessions you can learn about the history of dance, theatre and performance and acquire a solid knowledge on what the latest century brought us on these matters.  Lead by Tiago Bartolomeu Costa—dance critic and editor of Obscena Magazine—the Atelier do Espectador will offer keys for a better understanding of the performances presented at the festival.  This workshop will start on October 30 2009 —three weeks before the beginning of the festival. The two final sessions will take place during the Festival, so that reflections may be made upon current performances.

tiago bartolomeu costa

Ao longo de cinco semanas e dividido em dez sessões, o Atelier do Espectador é uma proposta aberta a todos. De frequência gratuita, nestas sessões poderá adquirir conhecimentos sobre história da dança, do teatro e da performance e construir assim alicerces acerca do que o último século nos trouxe nestas áreas.  Dirigido por Tiago Bartolomeu Costa, crítico de dança do jornal Público e director da Obscena— Revista de artes performativas, o Atelier do Espectador pretende oferecer as bases deste conhecimento, fornecendo algumas chaves de leitura e enquadramento para os espectáculos apresentados no festival.  As sessões do Atelier têm início três semanas antes da inauguração do festival, no dia 30 de Outubro de 2009. As duas últimas sessões realizam-se já no decorrer do festival, para que as análises possam incidir sobre espectáculos visualizados pelos participantes.

Tiago Bartolomeu Costa recebe o apoio do programa Cultural Leadership International do British Council. Tiago Bartolomeu Costa receives the support of the Cultural Leadership International programme of the British Council.

inscrições  subscriptions T. + 351  938 414 488 festival@materiaisdiversos.com A participação é gratuita. Considera-se contudo essencial assistir aos espectáculos. Limite participantes 10 · M 14 The application is free. It is however essential that you watch the performances. Participation limited to 10 · m 14

What do performances tell us? Do they want to tell us something? Should they? Is it important to know what to think and how to think about them? What if we got together just for the cheer joy of talking and thinking about them? If we got together to see these objects that may seem strange to us but actually talk about things we know? educational project projecto educativo 63


Atelier Tudo Gira* Margarida Mestre 23 Nov 18h–20h  Alcanena, Cine Teatro São Pedro 25 Nov 18h–20h  Minde, Blackbox CAORG

*Transformação de elementos poéticos em materiais de criatividade Do poema para o som, para o ritmo, para a linguagem Das palavras para a imagem, para o corpo, para o sentido Dos sentidos para a experiência física do saber O espectáculo Tudo Gira de Margarida Mestre é um recital de poesia e música que tem por base poemas que possibilitam o trabalho com crianças e adultos, de maneira a que ambos possam desenvolver o seu imaginário. Depois de cada espectáculo haverá um workshop com os professores, para que eles possam continuar a desenvolver o seu trabalho com os seus alunos nas salas de aulas. objectivos O atelier propõe, a partir do recital de poesia Tudo Gira, uma experiência na área do movimento e da voz que ofereça aos educadores ferramentas de acção facilitadoras de criatividade, para si próprios e para a sua prática pedagógica. público alvo Educadores, professores e agentes de acção educativa.

From poem to sound, to rhythm, to language From words to image, to body, to sense From senses to the physical experience of knowledge The performance Tudo Gira [Everything Turns] by Margarida Mestre is a music and poetry recital based on poems, that enables the work with children and adults, in order to stimulate their imagination. After each performance there will be a workshop for teachers where they can develop skills to apply on their work with the pupils in the classroom.

64 educational project

goals From the poetry recital Tudo Gira we’ll experiment voice and movement, giving the teachers some tools to facilitate creativity in their work and teaching methods. target audience Educators, teachers and others within the education field.

inscrições subscriptions T. + 351  938 414 488 festival@materiaisdiversos.com Para professores. A participação é gratuita. Limite participantes 16. For teachers. The apllication is free. Participation limited to 16.


Encontro com Joana Barrios

Conversas após espectáculos

Sessões com os agrupamentos de escolas em Alcanena, Minde e Torres Novas. Sessions with schools in Alcanena, Minde and Torres Novas.

Diariamente após os espectáculos. Everyday after the performances.

Convidámos a jovem encenadora Joana Barrios a encontrar os jovens do concelho que frequentem oficinas de expressão dramática na escola. Neste encontro, a partir das ideias a desenvolver com os alunos, a encenadora colocará em prática alguns dos seus métodos de trabalho.  No final os participantes serão convidados a assistir ao seu espectáculo Fake.

O visionamento de um espectáculo espanta-nos, intriga-nos, choca-nos, provoca-nos interrogações profundas e converte-nos em testemunhas do assombro.  Para que essa experiência se cumpra ainda mais plenamente, após todos os espectáculos haverá lugar a uma conversa informal entre o artista e um espectador convidado, que terá acabado de ver o espectáculo.  Moderadas por Tiago Guedes, director artístico do Festival Materiais Diversos, estas conversas serão alvo para todas as questões e referências que o público possa ter acerca de cada um dos espectáculos. Um momento de encontro enriquecedor e singular.

joana barrios workshop We have invited the young theatre director Joana Barrios to meet some of the young people who attend drama workshops at local schools. Joana will apply some of her working methods, developing ideas defined by the group.  At the end the participants will be invited to see Joana’s play Fake.

talks after the performances Watching a performance often amazes, intrigues, shocks and makes us question deeply within. We are astonished witnesses.  To enrich the experience there will be a casual talk after each performance between the artists and an invited member of the audience.  Conducted by the artistic director of the festival—Tiago Guedes—these talks will be the opportunity for everyone to pose their questions about the performance. A very special and unique moment.

projecto educativo 65


Festival Materiais Diversos loves blazing fireplaces but will be this Winter's sunshine


futuro future o festival materiais diversos

adora lareiras a fumegar mas serรก o sol deste Inverno


in a very conscious way, the festival materiais diversos seeks to evolve step by step with its many collaborators and agents. The festival is a partnership between the Materiais Diversos Cultural Association, Alcanena Town Council, and the Direcção Geral das Artes of the Ministério da Cultura, but it also relies on the support of many national and international organizations that together have made possible a second festival next year.   To whet your appetite: the second Festival Materiais Diversos is going to take place from 9th to 19th of September, 2010. We will make the most of our late summer calendar by holding many activities and performances in the open air, allowing our audiences to fully experience Alcanena’s special ambiance.   Such a wide-ranging initiative will be more relevant if it is not simply limited to festival time. We therefore intend to create CIRA/Materiais Diversos—International Centre for Artistic Residences and breathe new life into one of Minde’s disused textile factories. All year round, CIRA will provide a space where national and international artists can work on their own projects. It will be a multidisciplinary centre, attracting artists from such diverse areas as dançe, theatre, music, performance, fine art, fashion design or the written word. It will be a true creative cauldron, bubbling with artistic verve, with rehearsals and studios open to the public so they can follow every step of the artistic process.   This Centre will also become the home of Materiais Diversos, which has been promoting the work of various artists since 2007 and, of course, the Festival Materiais Diversos. Once the Centre is up and running we will be able to work throughout the year, getting involved in the work of the artists in residence, preparing for the annual festivals and promoting CIRA on the international circuit of artistic residencies.   A project such as this can never be just cultural. It serves a social purpose because of the way in which it brings people together and adds to their quality of life. It promotes tourism because it publicises our region to a wider range of people. Furthermore it stimulates the economy by providing jobs directly (the staff of the Centre will be locally employed) and indirectly (the increasing number of people working in and visiting the centre will require a rethink in certain areas such as restaurants, bars, shops, public transport, etc).   We like to think of Culture as being more than just an end in itself. It can be a driving force that stimulates other areas, bringing better quality of life to people and to the places where cultural projects are developed. So we believe that by harnessing the powerful cultural dynamic we find here we can give our contribute in making the region a place of cultural excellence.   It is nice to think that art treads certain paths, allows us to see further and suggests new directions. We are all aware that the economic power of the past has faded. Why not grasp the vast potential of other powers that can serve as springboards to a new future?   Let's move forward together?

68 future


de forma muito consciente, o festival materiais diversos assume-se como um projecto a desenvolver passo a passo com uma diversidade de agentes. Produzido numa parceria entre a Associação Cultural Materiais Diversos, a Câmara Municipal de Alcanena e o Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes, o Festival Materiais Diversos conta ainda com inúmeros apoios nacionais e internacionais que em conjunto dão como assegurada a sua segunda edição.   Para aguçar o apetite: a segunda edição do Festival Materiais Diversos terá lugar de 9 a 19 de Setembro de 2010. Aproveitando o fim do Verão para desenvolver actividades—e espectáculos—ao ar livre, esta edição possibilitará assim um contacto directo com este meio ambiente privilegiado.   Uma iniciativa desta abrangência, terá tanto mais relevância se não se limitar ao período da sua visibilidade. Por isso, pretendemos criar o CIRA/Materiais Diversos. CIRA é sigla para Centro Internacional de Residências Artísticas e dará nova vida a uma das fábricas têxtil desactivadas em Minde. Ao longo do ano, o CIRA acolherá artistas nacionais e internacionais que aí desenvolverão os seus projectos artísticos. Será um centro pluridisciplinar, com artistas oriundos de áreas tão distintas como a dança, o teatro, a música, a performance, o design, as artes plásticas, a moda ou a escrita. Um verdadeiro viveiro criativo aberto à população, que poderá assistir aos ensaios e acompanhar os processos artísticos.   Este Centro será também a casa da Associação Materiais Diversos, que desde 2007 produz o trabalho de vários artistas bem como, claro está, do Festival Materiais Diversos. Com a concretização deste Centro, poderemos ter uma actividade regular entre as edições anuais do festival em permanente envolvimento com as pessoas, inscrevendo ao mesmo tempo a região no circuito mundial de residências artísticas.   Um projecto como este nunca é só cultural. Através da forma como convoca as pessoas e lhes dá qualidade de vida, é também social. Porque divulga a nossa região a um número alargado de pessoas, é também turístico. E porque cria empregos directos (as pessoas a trabalhar neste Centro serão recrutadas na região) e indirectos (com o aumento de fluxos de pessoas a trabalhar e a visitar o Centro, certas actividades económicas terão de ser repensadas, como a restauração, os transportes, os bares, as lojas, etc), este projecto é também económico.   Mais do que um valor em si, gostamos de pensar na cultura como potenciadora do desenvolvimento de outras áreas, servindo de motor ao desenvolvimento das pessoas e dos locais onde os projectos se inscrevem. Acreditamos assim que, ao associarmo-nos a uma intensa dinâmica cultural já existente, poderemos contribuir para uma realidade cultural de excelência.   Agrada-nos pensar que a arte trilha caminhos, abre horizontes e aponta novos rumos. Todos sabemos que a força económica de outrora já passou. Porque não agarrarmo-nos às outras forças, essas que sempre existiram em potência e que agora podem submergir como alavancas de um novo futuro?   Avancemos em conjunto?

futuro 69


Festival Materiais Diversos loves the theatre of life but loves life in the Theatre


infos o festival materiais diversos

gosta do teatro da vida mas adora vida no Teatro


Covilhã Coimbra

a1

Fátima

minde

torres novas

Fundão

a23

Castelo Branco

alcanena Santarém

a1

Lisboa

n365-4 → n243

Alcanena

minde n243

torres novas

il

CMA

n349

1

18,8 Km

ferreira

8,6 Km

16 Km

como chegar

locais places

Carro A1 ↗ saída Torres Novas ↗ após a portagem seguir as placas indicando Alcanena e/ou Minde. A23 ↗ saída Torres Novas, Alcanena e Minde. Comboio CP ↗ Estação do Entroncamento. Call center 808 208 208 Autocarro Rede Nacional de Expressos ↗ autocarros diários para cada uma das localidades. Call center 707 22 33 44

1 Cine Teatro São Pedro Rua 25 de Abril 2380-042 Alcanena

how to get here By car A1 ↗ exit in Torres Novas ↗ right after the tolls follow the signs saying Alcanena and/or Minde. A23 ↗ Follow exits to Torres Novas, Alcanena and Minde. By train CP ↗ Entroncamento exit station. Call center 808 208 208 By bus Rede Nacional de Expressos ↗ daily buses for each location. Call center 707 22 33 44

72 infos

onde comer where to eat 2 Pastelaria Gena Rua 25 de Abril, 421 2380-042 Alcanena T: + 351  249  882  452

nunes

3

alcanena

av. 25

de

2

abr

ip6

carlos

n365-4

r. dr

n243

3 O Cantinho do Toino Rua Alfredo Keil, 4 2380-157 Alcanena T: + 351  249  882  717


Torres Novas

d’a ire >

Minde → Mir

a d’A

ire

o>

t im a

1P →a

D

de

RÇ AS FO

O

G.

ED

p6

ÓNIO DE

11

CA AL RV

6

INS A ZE V

→i

NT

HO

S ferreira rra Se

7

RT

Lr

ÉA

.J AV

MA

AR

MA

ta Ma

OS

nunes

5 8

O OÃ

9

.J AV

carlos

4

AS

n3 4

r. dr < ser

Mi

nd

e

→n

Fá 24 3

or to

10

to

9 →

ón

43

nt

N2

.A

L A1

io

isb oa 24 lca 3a ne na 1l >a isb oa >

4 Blackbox Caorg Rua Monsenhor Michel 2395-201 Minde

6 Ponto de Encontro Rua de Santana 6 2395-163 Minde

5 Cine Teatro Rogério Venâncio Casa do Povo de Minde Rua das Escolas, 10 2395-157 Minde

7 Museu de Aguarela Roque Gameiro Largo Justino Guedes Casa dos Açores 2395-130 Minde

8 D. Olinda Rua das Escolas Edificio Europa, 19 2395-157 Minde

9 Quinta da Malgueira Rua Francisco Manha, 470 2395-187 Minde T: + 351  249  840  840 + 351  913  465  415 / + 351  964  075  699

10 Teatro Virgínia Largo São José Lopes dos Santos 2350-686 Torres Novas

11 A Tasca Rua da Corrente, 8 2350-760 Torres Novas T: + 351  249  824  876

infos 73


Transporte gratuito Free shuttle Durante o Festival Materiais Diversos, um serviço de transporte gratuito estará à sua disposição. Para assistir a alguns dos espectáculos a decorrer no Cine Teatro São Pedro, Teatro Virgínia e Cine Teatro Rogério Venâncio, um autocarro faz o percurso entre as salas de espectáculo e Minde, Fátima, Torres Novas e Alcanena. A free shuttle service will be operating through Festival Materiais Diversos. So that you can attend the events held at Cine Teatro São Pedro, Teatro Virgínia e Cine Teatro Rogério Venâncio, a bus will be running between the previously mentioned venues and Minde, Fátima, Torres Novas and Alcanena. paragens shuttle stop locations Alcanena Praça 8 de Maio (frente à Câmara Municipal de Alcanena) Fátima Rua Jacinta Marto, 100 (frente ao Hotel Dom Gonçalo) Minde Largo Justino Guedes, Casa dos Açores (frente ao Museu de Aguarela Roque Gameiro) Torres Novas Largo São José Lopes dos Santos (frente ao Teatro Virgínia)

infos 74

horários schedule 19 nov Martim Pedroso Purgatório 20h00 Fátima → Alcanena 20h00 Torres Novas → Alcanena 21 nov Raimund Hoghe L’Après-midi, Um Solo para Emmanuel Eggermont 20h30 Fátima → Torres Novas 20h30 Minde → Torres Novas 20h45 Alcanena → Torres Novas 25 nov Cláudia Gaiolas & Boca de Cena Terroristas 20h00 Fátima → Minde 20h00 Torres Novas → Minde 20h30 Alcanena → Minde 26 nov Cão Solteiro & Vasco Araújo com a participação da Banda Filarmónica da Sociedade Musical Mindense A Portugueza 20h00 Torres Novas → Alcanena 20h00 Fátima → Alcanena ← Os autocarros partem para o mesmo trajecto 45 minutos após o fim do espectáculo. The bus leaves for the same journey 45 minutes after the end of the show.


Bilhetes Tickets Bilhete simples Full price Bilhete desconto With discount Livre Trânsito Full Pass Passe 5 Pass 5

Bilheteiras Ticket sales € 5* € 3* € 50* € 20*

* Excepto L’Après-midi de Raimund Hoghe * Except for L’Aprés-midi by Raimund Hoghe descontos discount Para menores de 18 anos e maiores de 65 anos Under 18 or over 65 years old livre trânsito full pass Acesso a 16 espectáculos Access to 16 performances passe 5 pass 5 Acesso 5 espectáculos Access to 5 performances As receitas do Festival Materiais Diversos revertem inteiramente a favor da reconversão de uma unidade fabril desactivada num centro internacional de residências artísticas. All the profits from the Festival Materiais Diversos will go towards the conversion of a disused factory into an international centre for artistic residencies.

Reservas Reservations T. +351 93 857 54 88 festival@materiaisdiversos.com

minde

Ponto de Encontro, Blackbox CAORG, Cine Teatro Rogério Venâncio T. +351 93 857 54 88 Museu de Aguarela Roque Gameiro T. +351 249 841 292 alcanena

Cine Teatro São Pedro T. +351 249 889 115 torres novas

Teatro Virgínia T. +351 249 839 309

As portas abrem 15 minutos antes do início dos espectáculos. É interdito filmar, fotografar ou gravar durante os espectáculos. É interdito fumar e comer/beber dentro das salas de espectáculos. A entrada nas salas faz-se exclusivamente antes do início dos espectáculos, salvo indicação da equipa do Festival Materiais Diversos. Não se esqueça de desligar o seu telemóvel. Doors are open 15 minutes before the beginning of the performance. All kind of film, photo or sound recording is strictly forbidden during the performances. Smoking, eating and drinking is not allowed inside the theatre halls. Entry on the halls takes place exclusively before the performances, except when indicated otherwise by the festival team members. Please don’t forget to turn off your mobile phone.

infos 75


Financiamento Funding

Parceiros Partners

Apoios Support

Agostinho Feixeira Móveis e Velharias

76 infos

A. Neto Raposo Lda

Associação de Estudantes do Instituto Miguel Torga


Apoios Support

Parceiros Media Media Partners

Apoio à Comunicação Communication Support

O Festival Materiais Diversos agradece a The Festival Materiais Diversos would like to thank

Amadeu Imaginário, Ana Cristina Oliveira, Ana Dinis, Ana Maria Capaz e família, Ana Maria Vaz Neto, Ana Maria Tavares Oliveira, Ana Rita Baptista, Ana Rita Flores, Andreia Gameiro, Andreia Gonçalves, Andreia Pires, Anabela Silva, Anubis, Antonela Pinto, António Alberto Achega e família, António Antunes, António Carlos Alves Vedor, António Exposto, António Manuel Gameiro Capaz e família, António Ruivo Duque, Arminda Anastácio, Baltazar Taful de Oliveira, Bernardo Achega, Carlos Pimenta, Carlos Rema, Casa da Música, Catarina Saraiva, Catarina Medina, Cátia Conde Gomes, Célia Gorjão e família, Célia Mendes, Celma Marques, Cid Manata Pires, Comissão Fabriqueira, Daniel Gorjão, Daniel Pereira, Delfino Fernandes e família, Diana Dadu, Doina Dadu, Elsa Nogueira, Emília Pereira Marques, Eugénia Vieira da Silva, Fátima Camilo, Fatima Gassama, Filipa Carretas, Filipa Gameiro, Fofinha Campeão, Gabriela Capaz, Gilberto Alves Fontes Carvalho e família, Gonçalo Moura, Guilhermina Lopes, Hélder Simões, Hélder Sousa, Hélia Achega, Henrique Lobo, Hugo Dinis, Ibrahim Gassama, Isabel Maria Roque Gameiro, João Aidos, João Carlos Gameiro e família, João Gomes, João Luz, João Ramiro, Joana Nogueira Gameiro Capaz, José Ferreira dos Anjos, José Nico, Lina Maria, Luís Fatério, Luís Paulo Ferreira, Lurdes Lopes, Maísa Israel, Mamadou Gassama, Margarida Mendes Leitão, Margarida Serra, Maria Adelaide Assunção Morgado, Maria Armanda Teixeira, Maria de Lurdes Santos, Maria do Céu Luís, Maria Elisa Freire, Maria Emília Capaz, Maria Emília Costa e família, Maria Fernandes Gameiro, Maria Gameiro Fernandes, Maria Isabel Fatério, Maria José Lídia, Maria Lucília Moita, Mário Gassama, Mário Vigário Pinheiro, Marta Grilate, Marta Patita, Miguel Cruz, Miguel Santarém e família, Milita Raposo, Mirco do Rosário, Mónica Costa, Nádia Conceição, Natália Capaz e família, Nuno Pires, Óscar Pires, Paula Flores, Paulo Cravo, Pedro Costa, Pedro Micaelo, Pedro Pereira, Pedro Salgado, Raquel Pena, Rita Freitas e Cine-Clube de Torres Novas, Rita Raposo, Rodolfo Martins, Roberto Ferreira, Rogério Venâncio, Salomé Tomé Conde,Samuel Roque Gameiro e família, Sandra Alexandre, Sandra Alves Silva, Sandra Lito, São Guedes, Sara Lamúrias, Sara Cura, Sérgio Dadu, Serviços Municipais de Alcanena, [Alcanena municipal services], Silvina, Sociedade Portuguesa de Espeleologia [Portuguese speleological society], Sofia Campos, Tânia Pedro, Tiago Magalhães, Tiago Rodrigues, Vítor Costa, Vitor Francisco, Vítor Silva, Zita Raposo infos 77


Equipa Team materiais diversos festival, produção e difusão de artes performativas A Associação Cultural Materiais Diversos é financiada pelo Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes. Estrutura em residência na ZDB. Membro da REDE—Associação de estruturas para a dança contemporânea. O Festival Materiais Diversos é financiado por MC/DGArtes, Câmara Municipal de Alcanena e REN. Evento integrado no Ano Europeu da Criatividade e Inovação. festival, production and diffusion of performing arts Materiais Diversos Cultural Association is funded by Ministério da Cultura/Direcção Geral das Artes. Its head office is at ZDB/Lisbon and it is a member of REDE/Dança—an association supporting contemporary dance. Festival Materiais Diversos is funded by MC/ DGArtes, Alcanena Town Council and REN.

Direcção artística Artistic direction tiago guedes Direcção de produção Production direction rita faustino Coordenação local Local coordination filipa achega Produção executiva e sponsoring Executive production and sponsoring carla moreira Comunicação Communication marta rema Assessoria de imprensa Press adviser sofia lourenço Assistência de produção Production assistance pietro romani, manuel sá pessoa Contabilidade e gestão financeira Accountant and financial management sílvia guerra Direcção técnica Technical direction mafalda oliveira Assistência direcção técnica Technical assistance afonso pereira francisco, nuno casaca Técnicos de som Sound technicians sérgio milhano, miguel calapêz Técnicos de iluminação Lightning technicians josé pedro, cláudia rodrigues Design gráfico e fotografia Graphic design and photography joana & mariana www.joanaemariana.com Web design alexandre castro Vídeo documentário Documentary film ivo serra Tradução Translation pietro romani, malcolm sewel, gina flor, marta rema Motorista Driver manuel pita de carvalho

materiais diversos Rua da Barroca, 59 1200–047 Lisboa Portugal T. +351 213 466 295 / +351 938 575 488 festival@materiaisdiversos.com

Voluntariado Volunteers andré sequeira, daniela costa, catarina dias, inês correia, isabel almeida, luís pedro almeida, mickael gaspar, nuno ferreira, patrícia bento, rita xavier, são guedes, verónica martins infos 79


Qui 19

sex 20

sáb 21

dom 22

seg 23 Margarida Mestre Tudo Gira Alcanena Cine Teatro São Pedro · 10h ► para escolas

Margarida Mestre Tudo Gira

Atelier do Espectador *

Alcanena Cine Teatro São Pedro · 14h

Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 15h

► para escolas

John Romão John Romão Só os idiotas querem Só os idiotas querem ser radicais ser radicais + Alcanena Cine Teatro Andresa Soares São Pedro · 15h & João Lucas ► para escolas Era uma coisa mesmo muito abstracta Alcanena Cine Teatro São Pedro · 15h

Atelier Tudo Gira Alcanena Cine Teatro São Pedro · 18h ► para professores

Martim Pedroso Purgatório Alcanena Cine Teatro São Pedro · 21h

Atelier do Espectador *

Encontro com Raimund Hoghe

Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 18h

Lisboa Goethe Institut · 18h30

Eszter Salamon Magyar Tàncok + Rancho Folclórico do Covão do Coelho

Luís Guerra Homenagem a Cristina de Pina + Marlene Freitas Primeira impressão

Minde Blackbox CAORG · 21h

Minde Blackbox CAORG · 21h

Raimund Hoghe L’Après-midi Torres Novas Teatro Virgína · 21h30

Festa de abertura!

Ponto de Encontro + Grafic Nights MInde · 12h–4h

Exposição Uma carta coreográfica Madalena Victorino Alcanena · Galeria de exposições, Cine Teatro São Pedro * As sessões do Atelier do Espectador têm início no dia 30 de Outubro de 2009. This workshop will start on October 30, 2009.


ter 24

qua 25

3º Encontro RIP

Margarida Mestre Tudo Gira

Alcanena Carsoscópio 10h–16h30 ► Para profissionais

qui 26

sex 27

sáb 28

dom 29

Encontro: que políticas culturais para a região?

Minde Blackbox CAORG · 10h

Alcanena Cine Teatro São Pedro· 10h–13h

► para escolas

Margarida Mestre Tudo Gira

Atelier do Espectador *

Minde Blackbox CAORG · 14h

Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 15h

► para escolas

André Murraças Um passeio Minde · Museu Aguarela Roque Gameiro 15h · 16h · 17h · 18h · 19h

Karine Décorne & Simon Proffitt Bwyd Sonique

Atelier Tudo Gira Minde Blackbox CAORG · 18h

Minde Mus. Aguarela Roque Gameiro · 15h–19h

► para professores

Joana Barrios & Joana dos Espíritos Fake

Ela não é Francesa Ele não é Espanhol & Xaral’s Band

Atelier do Espectador * Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 18h

Alcanena Cine Teatro São Pedro · 19h

Cláudia Gaiolas & Boca de Cena Terroristas

Cláudia Gaiolas & Boca de Cena Terroristas

Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 22h

Minde Cine Teatro Rogério Venâncio · 22h

Minde Blackbox CAORG · 18h

Cão Solteiro & Vasco Araújo A Portugueza

Tânia Carvalho De mim não posso fugir, paciência!

Jonathan Burrows & Matteo Fargion Both Sitting Duet

Alcanena Cine Teatro São Pedro · 21h

Minde Blackbox CAORG · 21h

Minde Blackbox CAORG · 21h

Ponto de Encontro + Grafic Nights MInde · 12h–4h

Festa de encerramento!

Exposição Uma carta coreográfica Madalena Victorino Alcanena · Galeria de exposições, Cine Teatro São Pedro


O Festival Materiais Diversos ĂŠ is


Rodolfo Martins, Vitor Francisco, Jo茫o Gomes 路 Alcanena, Minde, Torres Novas


Programa / Program