Page 1


A

2

P

R

E

S

E

N

T

A


r e v i s t a

“Minhas fotografias de missões registram o que acontece no campo missionário a fim de mostrar as pessoas que lá não estão, a fidelidade da comunicação do Amor de Deus ao mundo, por meio daqueles amam e obedecem a Deus.”

Massao

3


Sumário 24

MASSAO EM MISSÕES #05 SETEMBRO 2017

06

A Chegada

12 40 64 98

114

Área Saúde

250 Evangelismo

4

120 Odonto

Editorial

Mais uma Missão na Amazônia com Asas de Socorro.

Rumo a Missão

O Caminho da Missão

Treinamento

Quando todas as áreas se reúnem separadamente para a Capacitação

Caminhos de Curuá

Ande pelas ruas e rios de Curuá, PA

Cortando o Cabelo

Voluntárias missionárias usando sua profissão de cabeleireira em Missões

208

Artesanato

280

Infantil

Oficina de artesanato oferecida pelo Projeto IDE para as mulheres de Curuá, PA.

A equipe do Infantil interagindo e ensinando as crianças de Curuá sobre o Evangelho.


Pois o Filho do homem veio buscar e salvar o que estava perdido Lucas 19:10

5


EDITORIAL Se não agora, quando? Se não nós, quem?

M

ais uma edição na Amazônia com a organização Asas de Socorro. E mais uma vez, foi uma maravilhosa experiência servir a Deus nesse projeto, o qual foi realizado no Município de Curuá no Pará. A beleza de servir com o Asas de Socorro dentre muitas coisas é aprender junto com seus missionários como servir em Missões dando sua vida, dando seu máximo, sua excelência, o seu tudo. Isso porque não é fácil ser um projeto missionário diferenciado. Justamente por além de espalhar o Evangelho, leva assistência social na área de saúde aos ribeirinhos. E pra isso, é exigido uma demanda de uma superestrutura, uma equipe de farmácia, de enfermeiros, de médicos. Como também, de remédios, de equipamentos, de uma cozinha, de logística, dentre outros. E tudo isso, traz a necessidade de cada voluntário envolvido fazer um pouco de tudo. É o médico que ajuda na faxina da sala de aula que irá se transformar em consultório, o dentista que carrega caixas pesadas para montar o centro de odonto, o fotógrafo que ajuda carregar malas, o evangelista que faz ronda a noite, o cabeleireiro que ajuda na cozinha, dentre outros. Mas, fazendo assim com que a matriz principal que move o coração desse projeto continuar batendo forte, são nada mais que os voluntários que dão suas vidas! Que servem onde é preciso!

6

É nítido perceber a entrega de todos os voluntários dessa edição do Projeto IDE 2017, era uma equipe muito serva. A qual, conseguiu superar todos os obstáculos e adversidades e ainda assim, voltar com um sorriso largo no rosto e com o sentimento de dever cumprido para com o povo de Curuá, PA, e principalmente para com o Senhor. Nessa hora, imaginar o fim do projeto IDE, vem a mente no mesmo segundo, as inúmeras pessoas que ficariam desamparadas e esquecidas na imensidão da Amazônia. Haja vista, que os órgãos governamentais não conseguem suprir e gerenciar as demandas do país, ainda mais na Amazônia. Um exemplo disso, eu mesmo fui testemunha, quando me deparei com uma menina de 5 anos com alergia em seus pés que não parava de coçar durante um ano. E somente através dos médicos do Asas de Socorro, ela foi curada com um simples antibiótico. Isso porque o médico e o remédio foram de graça. Nessa hora, me vem a pergunta: Se não nós, quem levaria esse remédio? Se não agora, quando ? Sendo assim, nessa edição cada leitor poderá acompanhar bem de perto, todas as etapas do Projeto IDE com Asas de Socorro que ocorreu em Curuá, PA. Podendo enxergar tanto os frutos desse projeto missionário, quanto suas demandas. Portanto, te pergunto: você vai quando pra Missões? E se for, enquanto ir, faça discípulos!!

Massao


“Eu fiz de você luz para os gentios, para que você leve a salvação até aos confins da terra” Atos 13:47

7


Carta do Fotógrafo Setembro 2017

QUANDO MISSÕES e FOTOGRAFIA ANDAM DE MÃOS DADAS MASSAO EM MISSÕES é um Ministério que realizo, o qual visa ir pelo Brasil e Mundo fotografar ações missionárias junto as mais diversas organizações cristãs missionárias e igrejas parceiras. E posteriormente doar todo o material fotográfico para essas mesmas organizações e igrejas, a fim de ajudar, contribuir na comunicação do que é Missões, suas realizações, necessidades, objetivos e propósitos. O objetivo principal desse ministério é diminuir a distância entre Missões e todas as pessoas que desconhecem desse assunto. Como também, aprofundar o conhecimento e envolvimento daqueles que já conhecem Missões, porém de forma superficial. Assim, esse é um dos chamados que Deus me deu, ir pelo mundo fotografar Missões e comunicar isso ao resto do mundo. Mostrando através da fotografia, que podemos levar uma mensagem de Amor e Esperança e ser usados por Deus pra transformar vidas através do testemunho do Cristo Vivo. Muitos perguntam por que fotografia? Simples assim! Porque uma imagem pode comunicar mais que mil palavras!

Sendo assim, para melhorar ainda mais a comunicação sobre Missões, também criei a Revista Missões, no intuito de comunicar sobre o trabalho missionário dessas mesmas organizações missionárias e igrejas, através do Fotojornalismo em um formato simples e claro. (distribuição gratuita) Pois, percebi que somente a doação das fotos não era suficiente para que o excelente trabalho dessas organizações missionárias e igrejas, pudessem ser amplamente divulgado. Tudo isso, porque acredito fielmente que a comunicação clara e eficaz de Missões, diminui a distância entre a Missão e todos aqueles que ainda não estão envolvidos, que não apoiam, que não contribuem e não vão em Missões. Embarque na jornada missionária desta edição. E desde já meu agradecimento pela participação em ler.

Massao

Fotógrafo Voluntário e Editor da Revista Missões

8


“Se Jesus é Deus e morreu por mim, então nenhum sacrifício é grande demais pra que eu o faça por Ele.” Charles Studd

9


10


11


Rota da Missão

N

osso embarque foi do cais de Santarém aproximadamente ás 9:00 da manhã do dia 12 de Julho com destino a Curuá. E depois de mais de seis horas navegando pelo tranquilo rio Amazonas, chegamos ao nosso destino, o pequeno município de Curuá. O que parece simples, não é tão simples assim. Isso pelo fato de que os voluntários que constituem o time do PROJETO IDE 2017 vem de várias partes do Brasil. Tivemos voluntários vindos da Bahia, Paraná, Sorocaba, São Paulo, Rio de Janeiro, Pernambuco, Manaus, Goiânia, Rio Grande do Sul, Minas Gerais e outros Estados. O que acarreta que a grande maioria tinha viajado durante a noite de avião enfrentando escalas pela madrugada até chegar a Santarém. Sendo assim, muitos não dormiram mais de três horas até chegar ao cais de Santárem. Mas, nada disso, tirou o ânimo de todos os voluntários!

12

Curuá


Santarém

Santarém

13


14


Carregar o Navio e Partir !

15


16


O cais de Santarém, Pará. Onde carregamos o Barco e embarcamos rumo a Curuá, o destino da Missão.

17


A distância a ser vencida para carregar o Barco, levando do caminhão atÊ o Barco.

18


Chegando ao Cais de Santarém a missão já começou! Todos os homens iniciaram o carregamento do Barco, transportando todos os suprimentos, bagagens e equipamentos gerais do caminhão até o Barco. As mulheres ajudaram a levar as malas do ônibus até o Barco. Um trabalho que dá pra suar a camisa!

19


20


Missionรกrio Omar do Asas de Socorro, carregando o Barco com mantimentos e equipamentos.

21


Partiu Curuá Foram mais de seis horas de Barco até chegar em Curuá, e até lá, cada um arrumou um jeito para descansar. Alguns em redes, outros no chão. E outros nem descansaram, cantaram até chegar.

22


A voluntária Natália, se arrumou no chão mesmo pra dar aquela descansadinha até chegar em Curuá.

23


Chegada em C

Momento da chegada do Barco com a Equipe do Projeto IDE - Asas de Socorro em Curuรก.

24


Curuรก

25


26


Todos para prancha 27


MULHERES PRIMEIRO As mulheres foram primeiro para a Base, que seria em uma escola estadual do Município de Curuá. A equipe chegou em Curuá, próximo às 15:00hs, e o Sol estava escaldante. Acreditem, dava para fritar um ovo naquele sol... E por grande parte da equipe ser formada por mulheres, elas foram primeiro para a BASE. Já que elas não poderiam nos ajudar com as coisas muito pesadas. Assim, ficando o pesado para os homens que carregaram todas as malas e equipamentos em caminhões.

28


29


Grande parte das mulheres foram em ônibus, porém algumas preferiram ir com mais emoção, e foram na caçamba da pick-up. Era uma distância pequena de apenas dois minutos, mas com um Sol de derreter, todos preferiram uma carona.

30


O Sol derretendo a todos, cada um se protegia como podia. Nessa hora, atĂŠ travesseiro estĂĄ valendo!

31


32


Peso Pesado Na chegada, todos os homens mobilizados para carregar os caminhĂľes com os equipamentos e bagagens.

33


34


35


Todos os homens se mobilizaram para carregar as malas e equipamentos, transportando tudo do barco para o caminhão. A logística foi muito importante, haja vista, que a equipe foi divida em três escolas Estaduais, sendo uma para os homens, a outra seria mulheres e BASE e a última a área da Saúde, onde seria realizado os atendimentos.

36


MissionĂĄrio FĂĄbio, organizando as malas para que fosse para o destino certo.

E foram algumas viagens com o caminhĂŁo carregado, sempre levando quatro homens para descarregar no local.

37


38


39


40


Dias de Treinamento

Antes da Missão, todos os setores: Evangelismo, Saúde, Infantil e Adolescentes, passaram por dois dias de preparação e treinamento. Tempo para se preparar para servir ao Senhor com excelência.

41


MissionĂĄria Ester dando treinamento para equipe SaĂşde.

42


Pastor e Missionário Omar Abdalla, dando explicação para equipe da Saúde.

Voluntária e líder da equipe do Infantil, Roseli, dando o treinamento para toda sua equipe.

43


A equipe do Infantil e dos Adolescentes aprendendo a coreografia e as músicas para ensinas as crianças.

44


45


46


Pastor e MissionĂĄrio Omar dando treinamento para a Equipe da SaĂşde e para Equipe do Evangelismo.

47


Jonatas dando as explicações das ações com os adolescentes e do infantil.

48


A equipe do infantil aprendendo as coreografias das músicas para as crianças.

49


Missionária Rute, dando explicações e instruções para a Equipe do Evangelismo.

50


51


A equipe do Evangelismo divida em duplas, para aplicação de exercício de aprimoramento.

52


A equipe do Infantil em treinamento.

53


ENQUANTO ISSO A EQUIPE DA SAÚDE...

54


....SEM MOLESA, NA ARRUMAÇÃO DE TUDO! Após as instruções durante o treinamento, toda equipe da área de saúde vai para o preparo e arrumação dos postos de atendimento. Uma verdadeira transformação de salas de aula da escola estadual soraia, em consultórios médicos, odontológicos, FARMÁCIA e enfermaria. 55


Dra. DĂŠbora, limpando, lavando e montando as cadeiras de atendimento OdontolĂłgico.

Dra. OlĂ­via separando os insumos para os procedimentos odontolĂłgicos.

56


Josiane, da equipe de Esterilização, limpando a bancada que será usada para limpeza dos resíduos dos instrumentos odontológicos.

A equipe de ODONTO limpando, montando as cadeiras de atendimentos e separando os insumos para os procedimentos. E também, a equipe de ESTERILIZAÇÃO, limpando e arrumando a sala para o processo de esterilização.

57


Mini reuniĂŁo dos Doutores AndrĂŠ, Amanda e Selene referente a montagem das salas

As auxiliares Maria e Rosi, transportando os materiais da Odontologia

58


Dr. André testando a maca provisória, caso necessário durante as consultas.

Os missionários Fábio e Rômulo transportando a autoclave para a Equipe de Esterilização.

Os dentistas Dra. Michelle e Dr. Ismael carregando o compressor que será usado na Odontologia.

59


Dra. Mariana na separação dos insumos usando nos procedimentos Odontológicos.

60


Dr. Amanda com “mão na massa”, montando a sala onde serão realizados os atendimentos.

Os doutores finalizando a montagem da sala onde serão realizados os atendimentos.

61


Aquela pausa, depois de tanto trabalho.

JĂŠssica e Solange da Equipe da FarmĂĄcia separando e catalogando os medicamentos.

62


Dra. Amanda levando as carteiras para sala onde serĂĄ realizado os atendimentos mĂŠdicos.

63


64


65


curuá, Amazônia O pequeno Município no Estado do Pará, com pouco mais de 13 mil habitantes, a seis horas de barco de Santarém, é o alvo do Projeto IDE 2017

66


67


68


Curuá. PA De acordo com o Censo Demográfico de 2010 , a população do município era igual a 12.254 habitantes. E com uma taxa de analfabetismo de 13,7% segundo Censo de 2012.

69


Curuá,PA Possui 47,18% das pessoas residentes na área urbana e 52,82% em área rural. A pesca é uma atividade comum, como fábricas pequenas de gelo e pequenos comércios.

70


71


Moradora de Curuá, retirando a água do barco antes de partir. O transporte de canoa ainda é uma das maneiras principais de transporte da Região Amazônica.

72


73


Na região de Curuá não possui cavalos, sendo muito comum o uso do Boi para auxiliar no transporte.

74


75


76


O rio é muito usado pela população como transporte, seja para fins comerciais ou pessoais. A esquerda temos uma família se locomovendo pelo rio de canoa, e na foto acima os comerciantes usando sua principal via de transporte, o rio Curuá, para o trabalho.

77


Os barcos sempre subindo e descendo o rio Curuá. Sendo eles, de pequeno, médio ou grande porte. Sendo para uso comercial ou pessoal. O rio Curuá, sempre carregando vida.

78


79


Conforme dados do Censo Demográfico 2010, no município, a taxa de extrema pobreza da população é de 73,12%.

80


81


82


Como na cidade de Curuá não possui cavalos, é muito comum o uso do boi para puxar carroças, auxiliando no transporte comercial. Na foto ao lado, os pescadores vendendo peixe pela cidade usando o carro de boi.

83


É muito comum ver diariamente famílias subindo e descendo o rio de canoa, sem nenhum tipo de salva- vidas ou qualquer tipo de proteção.

84


Entre muitas motos e carros nas ruas, tambĂŠm muito comum cruzar a cada momento com carros de boi pelas ruas de CuruĂĄ, PA.

85


A pesca ĂŠ uma das atividades principais de CuruĂĄ. A foto mostra o pescador preparando a canoa para sair no dia seguinte.

86


87


Muito comum ver pelas ruas da pequena Curuรก, PA, o trรกfego de carros de boi usado por comerciantes.

88


89


A região comercial de Curuá, PA, é formada por pequenos pontos comerciais nas ruas adjacentes ao centro e próximo ao cais. O trânsito é mais intenso de motos, do que carros, e sempre presente a circulação dos carros de boi.

90


91


No município, a taxa de extrema pobreza da população era de 73,12% segundo censo de 2012. Sendo fácil perceber seus contrastes tão presente.

92


93


Nossos voluntรกrios cruzando com o carro de boi nas ruas de Curuรก, PA, durante o Evangelismo de casa em casa.

94


95


96


Moradora de Curuรก, PA, lavando sua louรงa pela manhรฃ no quintal de sua casa, em sua pia improvisada.

97


A MissĂŁo

98


Indo e fazendo discĂ­pulos! 99


UMA AÇÃO SOCIAL ONDE TRÊS CABELEIREIRAS VOLUNTÁRIAS CORTARAM O CABELO DE HOMENS, MULHERES E CRIANÇAS, TOTALMENTE DE GRAÇA!

Voluntária Valéria, servindo em mais um Projeto IDE na ação Social de Corte de Cabelo.

100

CORTE C


CABELO 101


Valéria, missionária voluntária, servindo mais uma vez no Projeto IDE através de sua profissão de cabeleireira. Valéria juntamente com o restante da Equipe (Cláudia e Eulina) realizaram no total mais de 310 cortes de cabelo durante todo o Projeto Missionário.

102


Dona Eulina, voluntária missionária, cortando “as pontas” do cabelo da jovem de Curuá, PA.

103


Cláudia, voluntária missionária, cortando o cabelo do pequenino, enquanto dona Eulina se encantava com ele.

Cláudia, voluntária missionária, realizando os cortes masculinos .

104


A Equipe de Cortes de cabelo era formado pelas missionárias voluntárias Valéria, Cláudia e Eulina, todas com vasta experiência como cabeleireira.

105


Cláudia, voluntária missionária, realizando o corte masculino no estilo “UNDERCUT” no pequenino.

106


Clรกudia realizava todos os cortes masculinos, onde em sua maioria preferiam o uso de mรกquina e acabamento com tesoura.

107


TESTEMUNHO VALÉRIA MONTEIRO

É muito MAIS que cortar CABELO

M

eus pais se divorciaram quando eu tinha apenas três anos. E meu Pai estava disposto em ter minha guarda e de minha irmã caçula, deixando minha mãe sozinha. E o fato de sua situação financeira ser melhor, o favorecia para conseguir a guarda. Assim, em meio a tudo isso, uma amiga de minha mãe estava voltando para seu país de origem, o Paraguai. E sabendo ela, do que estava acontecendo conosco, convidou minha mãe para ir junto para o Paraguai por conta do divórcio, onde a princípio seria por curto prazo. Minha mãe não pensou duas vezes e então, partimos para o Paraguai; eu minha mãe e minha irmã caçula. A ideia inicial seria de uma viagem curta ao Paraguai. Contudo, o nosso destino foi bem diferente disso.

Minha mãe sem saber a língua local, a moeda local, com pouquíssimo dinheiro, com duas crianças, longe de casa, longe de sua família e não ter para onde ir, a fez cair em desespero. No meio dessa tempestade, apareceu uma senhora viúva pobre que tinha quatro filhos. Ao nos ver naquela situação ela ficou com muita pena e nos ofereceu um quartinho que tinha nos fundos de sua casa. O quartinho era de madeira e o chão de terra batida, algo muito simples. E naquele momento, não tínhamos absolutamente nada para oferecer, além de nossas roupas e alguns trocados que dariam para no máximo dois dias. Mas, a Senhora teve misericórdia de nós. Nossa vida no Paraguai não foi nenhum pouco fácil. Foram muitas noites que passamos frio, porque nossa cama eram pedaços de papelão. E nosso cobertor, apenas nossas roupas. Foram muitas noites que fomos dormir com a barriga roncando e vazia. E quanto tínhamos o que comer, foram muitas vezes que minha mãe ficava sem comer para nos dar sua parte. Pensando nisso hoje, consigo imaginar o tamanho do desespero e tristeza que tomava o coração de mamãe por não saber o que fazer.

A Virada

Valéria e irmã quando moraram no Paraguai Pouco tempo no Paraguai e já fomos abandonadas pela amiga de minha mãe, e pra piorar descobrimos que ela havia nos enganado na hora de cambiar o dinheiro. Ela pegou várias notas de baixo valor e entregou para minha mãe como se fosse muito dinheiro, era como se fosse um bolo de notas de um real, achando que eram de cem.

108

Passado alguns meses, minha mãe foi gradativamente aprendendo a língua local, se comunicando melhor, conseguindo assim um trabalho para nos sustentar. Como uma guerreira se levantou do tombo e foi a luta! E dessa forma, Deus foi abrindo as portas, sempre colocando anjos em nossas vidas. Lembro quando eu tinha meus 8 a 9 anos, minha mãe chegava do seu trabalho, muito cansada e algumas vezes triste, abria a janela do quarto a noite e ficava olhando pro céu. Naquele momento, eu ficava do seu lado e quando olhava para seus olhos, conseguia ver uma lágrima no canto do olho. Via aquilo e ficava muito triste, porque sabia a saudade que ela sentia de seus pais e do aconchego de sua família. E foram

em dias assim, que eu comecei a falar com Deus de todo meu coração e alma.

Intimidade com Deus Lembro como se fosse ontem, momentos que conversava com Deus daquela janela e olhava para o céu. No entanto, sabia que eu não podia enxergar Deus, mas sabia, que Ele me via e ouvia. Dessa forma, eu sempre pedia pra Deus para que minha mãe realizasse o sonho de estar novamente entre sua família e rever seus pais ainda com vida. Ver minha mãe naquela situação de puro desânimo e desesperança, me deixava muito triste. Todavia, não me restava nada além de orar e pedir a Deus para nos ajudar.

A sede e o Medo O tempo foi passando e fui crescendo, mas dentro do meu coração só aumentava o desejo de conhecer mais sobre Deus. Na escola tinha ganhado parte da Bíblia, o Novo Testamento. Fazia a leitura porém não entendia nada. Queria muito entender, mas não conseguia. Minha única influência, eram de pessoas para que eu frequentasse a igreja católica. Porém, me sentia desconfortável com as imagens e não conseguia me prostrar diante delas. Na verdade, meu desconforto era pelo fato que eu sentia muito medo. E a explicação que me davam, era porque eu não tinha me batizado.

A Volta Em 1998 meus tios foram nos buscar no Paraguai e voltamos ao Brasil. Na época eu tinha 14 anos, e a alegria era tão grande que nem cabia dentro de mim. Eu só dizia em meu coração: Obrigado Deus! Assim, depois de conhecer pela primeira vez toda minha família, ficamos morando na minha cidade natal , São Paulo. E tendo toda a família católica, minhas tias diziam a minha mãe que precisávamos nos batizar, porque se morrêssemos sem o batismo, iríamos para inferno e nossa alma ficaria vagando. Ao ouvir isso, fiquei com medo e fui fazer catequese para poder me batizar e fazer a primeira comunhão. No entanto, eu tinha muitas dúvidas com relação as imagens que eu tinha medo e aos filmes que eu assistia onde Deus


“Participar do Projeto IDE é maravilhoso, principalmente por poder levar as Boas Novas do Senhor. Muito lindo como Deus trabalha com cada um, de uma forma completamente diferente, nos lapidando , restaurando e preenchendo nosso coração com seu Amor inesgotável.” Valéria Monteiro

109


condenava outros deuses. Então, comecei indagar meu orientador de catequese, do por quê somente obedecemos algumas leis e outras não. E a resposta era sempre confusa e não me esclarecia em nada. Após um período em que Deus vinha me incomodando a respeito desse assunto, decidi então não me batizar. E por conseguinte, tive o desejo de conhecer esse Deus da Bíblia mais de perto.

Renascer em Cristo Antes de completar meus 17 anos, já tinha frequentado varias igrejas. Mas, nenhuma delas Deus falava em meu coração, até que no dia 16 de junho de 2002, fui na Igreja Batista de Cidade Ademar onde Deus falou comigo de uma forma singular, direta e clara. Tive uma profunda convicção dos meus pecados e entendi que nada que fizesse para Deus era digno de merecer o céu. Então, pedi perdão e reconheci os meus pecados, e os confessei diante do Senhor, pedi para que Senhor limpasse meu coração. E assim, eu O recebi como único e suficiente Salvador. E no dia 26 de Abril de 2003, fui batizada. Hoje tenho 32 anos, sou casada e fiel ao Senhor! E como serva, meu coração ARDE Valéria, sua irmã e sua Mãe em 2002 já no Brasil

para servir a Deus!

A Missão em Curuá, PA O ano de 2017 é segundo ano que volto a servir no Projeto IDE- Asas de Socorro, na área social: corte de cabelo. E mais uma vez, foi maravilhoso participar desse projeto missionário. Primeiro pelo fato de ser um privilégio espalhar o Evangelho. E segundo, por testemunhar como é lindo ver Deus trabalhar na vida de cada um, de forma ímpar. Onde ELE nos lapida, nos forja, nos restaura, preenchendo nosso coração com Seu Amor inesgotável. A nossa equipe do corte de cabelo era muito especial. Formada por mim e pelas irmãs queridas Eulina, e Cláudia, todas com um coração missionário. Um dos exemplos era o testemunho de vida da irmã Cláudia, que exerce a profissão de cabeleireira, porém destina parte de seus rendimentos para apoiar Missões, por acreditar em seu chamado. Durante todo projeto IDE, nossa equipe antes de iniciar cada dia de trabalho, em oração, clamávamos ao Senhor para que ELE preparasse o coração daqueles que viriam até nós para cortar cabelo e para receber as Boas Novas. E acreditem, nossa oração teve resposta!

O seu José Um senhor chamado José, muito tímido e sério, estava sozinho. Não tinha ninguém com ele na fila de espera. Chegada sua vez, a irmã Cláudia começou a

110

prepará-lo para cortar o cabelo. Como sempre, ela começou a explicar o motivo do por quê estávamos lá, do quanto ele é importante para Deus. E cada palavra dita ao senhor José, era nítido em seu olhar o interesse. Então, peguei minha Bíblia e comecei a mostrar a ele os versículos citados pela Irmã Cláudia. Foi um momento muito emocionante, por enxergar nos olhos daquele homem que ele não tinha apenas escutado, mas tinha compreendido a mensagem do Evangelho, a ponto que aceitou Jesus como Rei e Salvador.

A hora “H” Como de praxe, todos os dias, no final das ações de corte de cabelo, o procedimento era limpar, arrumar e organizar a sala e tudo mais para o dia seguinte. Porém, em um dos dias da missão, durante esse momento de arrumação pra ir embora para a base, adentrou uma senhora chamada Cecília com seus 72 anos e queria cortar o cabelo. E antes que pudesse responder que já havia se encerrado as atividades, Deus tocou meu coração para atendê-la. Então, eu respondi que eu iria fazer o corte. Enquanto cortava, pedia a Deus que


falando e explicando o que dizia o Evangelho sobre o pecado e Salvação. E depois de ouvir minhas palavras, pude ver lágrimas escorrerem de seus olhos. Em seguida, ela me agradeceu e disse que iria pensar em tudo que tinha ouvido e nunca iria esquecer daquelas palavras. Mas, antes dela sair, perguntei se poderíamos orar por ela. E ela instantaneamente sorriu e disse: — Sim! Claro!

me usasse na vida daquela Senhora, me dando sabedoria e as palavras certas. Assim, comecei a conversar, até quando perguntei se ela tinha certeza pra onde iria se morresse naquele exato momento. Ela ficou assustada com a pergunta, ficou pensativa, e respondeu que não sabia pra onde iria. Então, mostrei na Bíblia alguns versículos como (João 1: 1-15, João 3: 16 , Efésios 2: 8-9) E continuei

Assim, eu orei com ela. E ao sair, suas última palavras foram a respeito de filho, que era cristão. Porém, ela nunca tinha ido na igreja com ele. Mas, agora estava disposta a ir e afirmou que no próximo domingo ela iria! Em seguida, dei um abraço bem apertado nela, citei o versículo abaixo e me despedi.

O fim E assim que Deus nos capacitou para estarmos sempre prontos a servir na obra do senhor!! E quando chega o fim do projeto missionário, nunca voltamos a ser os mesmos. Isso porque, ao servir ao Senhor, ELE lapida o nosso íntimo, nos faz crescer espiritualmente. E ao olhar pra trás, desde o primeiro dia da missão, impossível não lembrar de cada pessoa que conheci, de cada rostinho especial, de cada abraço dado, de cada história compartilhada, e do imensurável privilégio em poder refletir o Amor de Jesus a todos os aflitos e desamparados. E nessa hora, já começa o grande desejo em voltar no projeto IDE 2018. Esse é o Deus que sirvo! Um Deus que cuida de mim, que está comigo todo o tempo, seja em tempos de tribulação, como foi no Paraguai, como nas Missões da Amazônia. Onde Ele me usa para refletir seu Amor e Seu Evangelho. Experimente servir a Deus, saia da zona de conforto, se disponha em servir, amar e refletir o seu Amor. E você? Vai quando para Missões?

Valeria de Souza Monteiro, 32 anos São Paulo, SP

Digo-vos que não sabeis o que acontecerá amanhã. Porque, que é a vossa vida? É um vapor que aparece por um pouco e depois se desvanece. Tiago 4: 14

111


112


Eram muitas as crianças que junto com suas mães buscavam o corte de cabelo no Projeto IDE. As meninas ganhavam de nossas cabeleireiras no final do corte, uma presilha de cabelo em forma de flor.

113


Foram mais de 310 cortes de cabelo realizados pela nossa equipe.

114


115


116

Projeto IDE 2018


venha fazer parte desse time

Em breve mais informaçþes

www.asasdesocorro.org.br

117


Equipe Saúde 118


A EQUIPE SAÚDE é formada entre médicos, dentistas, fisioterapeutas e enfermeiras. Mais de quinze profissionais e mais os auxiliares, todos para atender os moradores de Curuá, PA de forma gratuita. É uma carência muito grande no Município o atendimento médico.

119


TRIAGEM

NA ÁREA DA SAÚDE, A TRIAGEM É O MOMENTO ANTES DE PASSAR PELAS CONSULTAS MÉDICAS E/OU ATENDIMENTO ODONTOLÓGICO. ONDE OS DADOS DO PACIENTE SÃO COLETADOS COMO: MEDIÇÃO DA PRESSÃO ARTERIAL, TEMPERATURA, PESO, ALTURA, DENTRE OUTROS.

120


121


122


Acima a estudante de medicina Virgínia servindo na triagem na área da Saúde. Onde ela pesava as crianças, media sua altura e encaminhava para os respectivos atendimentos, ou médico ou odontológico. Enquanto nas fotos à esquerda, as colegas e enfermeiras Raquel, Leila e Heidi coletavam dados, mediam a pressão, a temperatura e verificavam o histórico de saúde. Tudo isso, antes de encaminhar os pacientes para os atendimentos médicos ou odontológicos.

123


C

HISTÓRIA DE FOTÓGRAFO

omo fotógrafo da Missão, do Projeto IDE 2017, tinha atribuição de contar a história da Missão

através do Fotojornalismo. E para conseguir isso, inevitavelmente tenho que percorrer todos os setores da Missão e registrar o que está acontecendo. Pra quem não sabe, é um trabalho muito prazeroso de fazer, contudo extremamente cansativo, ainda mais pelo peso do conjunto câmera + lentes + flash, que ultrapassa os seis quilos. Assim, pra aguentar as mais de dez horas por dia de fotos, aprendi que tenho que fazer algumas pausas de poucos minutos ao longo do dia. Porém, muitas vezes essas pausas de dois ou três minutos, me rende fotos maravilhosas, como a que vou contar abaixo...

Enquanto estou olhando foto por foto, sentado alguns minutos antes de voltar para as fotos. Percebo que a Equipe da Triagem já havia encerrado seu trabalho, haja vista que pelo horário realmente já era para ter encerrado mesmo. Assim, ao meu redor estavam ainda algumas poucas pessoas para serem atendidas pelos médicos e dentistas. Naquele horário a Triagem havia se encerrado, mas de repente, vejo uma das voluntárias da Triagem, Virgínia Manhas, brincando com uma menina pequenina que estava esperando sua mãe, que estava na Farmácia pegando os medicamentos prescritos durante a consulta médica. Inicialmente não me chamou atenção as duas, mas depois pelas risadas comecei a observar a felicidade das duas em interagir uma com a outra. Nessa

“Período da tarde e estou

interação a Virgínia além de brincar,

capturando as fotos da área da

evangelizou através do evangelismo

Saúde, passando pela triagem,

criativo usando a pulseirinha. O

enfermaria, farmácia e atendimentos

que mostra mais uma vez, que é o

médicos e odontológicos. O dia já

Senhor quem faz a obra Dele através

perto de acabar, e ainda um calor de

de nós, quando Ele quer e em quem

derreter, ainda mais pra quem é do

Ele quer.

Sudeste como eu. Passava das 17hs e o calor muito forte . Pouco menos de uma hora para encerrar as atividades da área da Saúde, saí da sala de atendimento da ODONTO e fui arrumar um cantinho para descansar a lombar alguns minutos, porque já estava doendo. Assim, arrumei um lugar para sentar nas áreas de circulação da escola e aproveitei para verificar as fotos recém tiradas, checando se ainda

124

faltava alguma foto pra capturar.

Seguindo o pensamento que Virgínia foi para o projeto IDE para servir na triagem, e de repente, estava alí falando de Jesus para uma menina, é o RETRATO de todo aquele que se dispõe em Servi-LO, seja onde for. Assim, não pude deixar de fazer o retrato desse momento...”

Massao, 41 anos Sorocaba, SP


Pulseirinha, o Evangelismo Criativo Imagine uma história sem palavras... Como? Veja! A cor AZUL representa a criação: Deus criou todas as coisas, inclusive a mim e a você. (Gênesis 1:27) A cor CINZA representa o pecado: o homem pecou e isso nos afastou do Senhor. (Romanos 3:23) A cor VERMELHA representa o sangue de Jesus Cristo: porém o amor de Deus é tão grande que Ele deu seu único Filho para derramar seu sangue por nós. (Romanos 5:8) A cor BRANCA representa a purificação: e é o sangue de Cristo que nos purifica e nos limpa de todo pecado. (Isaías 1:18) A cor VERDE representa o crescimento: crescer na palavra de Deus e em seus mandamentos é fundamental, deixar seus pecados no passado e ter uma nova vida com Jesus também. (Gálatas 5:2223) A cor AMARELA representa a vida eterna: e por fim teremos a nossa vida eterna ao lado de nosso Senhor e Salvador. (1 Tessalonicenses 4:17) “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.” João 3:16 É dessa forma que usamos pulseirinhas, tanto essas trançadas como as de miçangas com as cores do livro sem palavras. É uma maneira criativa de como contar de forma simples e eficaz sobre o Evangelho e sobre a Salvação por meio de Cristo. Voluntária Virgínia que servia na Triagem da área da Saúde, também espalhando o Evangelho entre as pessoas em Curuá, PA.

É muito importante o trabalho voluntário daqueles que ajudam a fabricar e doar as pulseirinhas tanto quanto, aos que vão ao Evangelismo.

125


126


127


O

do

n

O t Servindo ao Senhor através da profissão! EQUIPE ODONTOLOGIA

Dr. OMAR ABDALLA

IARA BELO

Dr. ISMAEL FERNANDES

NÚBIA MEDEIROS

Dra. OLIVIA BORIM

MARIA MONTEIRO

Dra. MARIANA BRAZ

ROSI JOAQUIM

Dra. MICHELLE PARADELA Dra. DÉBORA MALVEIRA

128


o

Dr. Ismael e auxiliar Maria antes de procedimento odontolรณgico na adolescente de Curuรก, PA.

O

129


Acima parte da Equipe de ODONTO durante os atendimentos odontológicos em uma das salas de aula da Escola Estatual Soraia de Curuá, PA, a qual foi transformada em uma verdadeira clínica odontológica.

130


Foram realizados mais de 618 procedimentos odontolรณgicos durante todo o Projeto.

131


132


Dra. Mariana vindo de Goiânia até Curuá, PA para servir pela primeira vez no Projeto IDE 2017 através de sua profissão, a Odontologia. Acima e a esquerda, Dra. Mariana durante atendimento na Missão. Sendo que foram realizados mais de 386 atendimentos por toda equipe da ODONTO.

133


134


Dra. Michelle durante o atendimento odontolĂłgico na MissĂŁo do Projeto IDE - Asas de Socorro.

135


Auxiliar de Odontologia, Maria preparando a bancada para o prรณximo atendimento.

136


Tão importante o papel do dentista nos atendimentos quanto das auxiliares de dentista. São elas que estão sempre atentas para atender as solicitações do dentista e para preparar a bancada a cada novo paciente, limpando esterilizando, trocando os instrumentos, dentre tantos outros procedimentos.

137


138


O lha a f ot o Como fotógrafo eu tenho que estar em todos os setores da Missão, sempre buscando a cena com a maior veracidade possível. Isto é, toda as fotos buscam retratar tudo como aconteceu, realmente como foi, sem nenhuma interferência minha. A cena deve ser legítima, ou seja, a busca do fotojornalismo íntegro. Sendo assim, durante os atendimentos Odontológicos, eu procurava ficar sempre a distância para não atrapalhar. E para isso, fazia as fotos com o uso de uma lente Tele. (zoom) Contudo, mesmo assim, nem sempre consigo ficar desapercebido. Tanto que em um dos atendimentos aconteceu algo tanto que curioso como muito engraçado. Na foto ao lado, estamos vendo a Dra. Débora em atendimento em uma, das muitas crianças que ela atendeu durante o Projeto IDE 2017. Lembrando que, a Dra. Débora tem experiência em atendimento com crianças, tanto que estamos vendo na foto ao lado, a criança tomando anestesia para o procedimento e sem resistência e sem choro. E isso me chamou atenção, a ponto de querer fazer essa foto. Contudo, o melhor estava para vir... Nas próximas fotos da página seguinte, vemos (foto da direita) a Dra. Débora já em pleno procedimento odontológico na criança com a broca. Onde captei a concentração da Dentista e a apreensão da paciente pequenina. Porém, naquele momento, durante o procedimento a criança estava tentando falar alguma coisa. Mas a Dra. Débora imaginando que fosse alguma resistência, respondia que era só mais alguns segundos. Contudo, a pequenina insistia e continuava a tentar dizer alguma coisa. Chegando ao ponto da Dra. Débora parar o procedimento e ouvir o que a pequenina tinha a dizer. Obviamente a dentista imaginava que poderia ser algo sério, alguma dor ou coisa do tipo. No entanto a pequenina disse: na foto!

— Olha a foto! Olha a Foto! Quero sair

Naquele momento a Dra. Débora caiu na gargalhada pois ela havia entendido que a menininha tinha me visto com a câmera em mãos e queria sair na foto. Então, ao meio de risadas a Dra. Débora interrompeu o procedimento para eu fazer a foto da pequenininha. Diante de tanta fofura, tirei a foto da pequenina que fez uma pose de séria. (página seguinte, foto da esquerda). O que eu posso falar sobre isso? É muita fofura!

139


140


141


A VEZ DOS PEQUENINOS

Quando era a vez dos pequeninos, na maioria das vezes, eles entram com medo, mas devido a experiência dos Dentistas, elas saíam sorrindo e satisfeitos. Acima as fotos da Dra. Olívia em atendimento onde no final, mais uma criança feliz.

142


143


Sem as auxiliares da ODONTO nenhum atendimento seria possível! Elas tinham a responsabilidade em preparar a bancada a cada troca de paciente, entregar os instrumentos solicitados, entregar as fichas para do paciente para o dentista, encaminhar o paciente, e preparar alguns insumos para procedimento para os dentistas. Uma função de grande responsabilidade, agilidade e velocidade.

144


145


A Equipe de ODONTOLOGIA ao longo de toda Missรฃo em Curuรก, PA, realizou 386 atendimentos e 618 procedimentos odontolรณgicos!

146


Dra. DĂŠbora e Dra. Michelle (ao fundo) durante atendimento da MissĂŁo do Projeto IDE 2017.

147


Auxílio

E

m média cada dentista atendia 20 pacientes por dia. Um número muito expressivo, haja vista que o horário de atendimento era das oito da manhã até as cinco da tarde, com apenas uma hora e meia de almoço. Ou seja, era muito puxado! Mas, se por um lado era puxado para os dentistas, para suas auxiliares, era muito, mas muito mais, puxado. Isso porque dentro de tantas atribuições, as auxiliares são o “braço direito” do dentista. Onde além de sempre limparem a bancada, trocarem os instrumentos a cada paciente, levar os instrumentos usados para a esterilização, preparar alguns insumos para procedimentos odontológicos, separar as fichas dos pacientes e encaminhar cada novo paciente que adentrava a sala, para o próximo dentista. Sem nossas queridas irmãs que serviram na Odontologia como auxiliares, não seria possível ter realizado mais de 310 atendimentos e mais de 615 procedimentos. Em terra de dentista, quem tem auxiliar é rei!

148


A voluntária Rosi Joaquim realizava a limpeza e preparação da bancada, durante a troca de pacientes.

149


Acima as auxiliares Iara e Núbia, apesar da correria que é servir na área da saúde, especialmente na ODONTO, elas sempre com a Alegria de servir e sorrisão no rosto!

150


Dra. Mariana durante o atendimento Odontolรณgico no Projeto IDE 2017.

151


TESTEMUNHO ISMAEL FERNANDES

C

onheci a organização missionária Asas de Socorro por morar perto da sua base em Anápolis. Eu sempre projetava no meu coração em participar de alguma missão onde pudesse servir com as habilidades profissionais quais Deus me deu dentro da área da Odontologia. Este desejo foi reforçado quando no ano de 2013, fui encorajado pelo Pr. Jeferson Costa (Diretor Executivo de Asas de Socorro) numa conversa informal, para servir como voluntário em Missões. Me apresentaram a proposta do projeto IDE, e fiquei bem interessado, e logo me prontifiquei a ir. A princípio só eu iria. Minha esposa, Júnior e Duda, demonstraram uma imensa vontade de estarem juntos. Então, naquele ano fomos todos juntos pela primeira vez. Sendo que trocamos nossa viagem de descanso em férias com a família, por muuuito serviço voluntário. Mas, foi uma decisão acertada! Tremendamente fomos abençoados e acrescentados em Deus!!! Nunca mais Missões ficou fora de nossas vidas! Naquele mesmo ano, a Igreja Shalom a qual congregamos, decidiu enviar um grupo e, como incentivo para montálo, ofertaria uma inscrição do projeto para uma pessoa. Lançaram uma forma de seleção através de uma carta, onde todos que sentissem vontade de participar deste trabalho missionário, escreveria um texto explicando porque gostaria de concorrer à seleção. O então escolhido seria contemplado com aquela ajuda. Duda, foi presenteada. Fiquei muito feliz com esta escolha, que pai não ficaria? Então, embarcamos em Brasília rumo ao desconhecido, pra nós até então, Pará, cidade de Santarém, parecia um

152

lugar muito distante e misterioso, e como é distante. Porém, a distância passa a ser apenas um detalhe muito pequeno, diante de tudo que vivemos e aprendemos. Somos imensuravelmente acrescentados, porque Deus aproximou nossa família de Seu propósito. Em julho do ano de 2015 retornamos ao Projeto IDE mais uma vez, desta vez sem Ismael Júnior, naquela mesma época ele foi para um trabalho social voluntário em Amambai no Mato Grosso junto com a UniEvangélica, onde cursava Odontologia. No projeto IDE 2016, fomos representados por Duda e Ismael Júnior, que serviu no projeto como cirurgião-dentista. E pela terceira vez esse Ano de 2017, apenas Duda e eu. Eu já havia participado de projetos sociais locais, como em orfanatos, em corrutelas próximas da cidade de Anápolis, no Jequitinhonha e um projeto na África, em Moçambique, Maputo. Entretanto, foi no Projeto IDE que me identifiquei mais. Gosto da dinâmica e organização dos trabalhos de Asas de Socorro e dos resultados obtidos. Quanto ao que diz respeito aos frutos deste trabalho na vida de meus filhos, eu confesso que vai muito mais além do que eu esperava. Vejo Ismael Júnior com um coração missionário, aplicando sua profissão em Missões e tendo amor ao próximo. Quanto a Duda, apaixonada pelo Senhor e pelo trabalho com as crianças. Isso não tem preço! Deus é bom demais!! E você? Vai quando para Missões?z Ismael Fernandes Da Silva, 45 anos Anápolis, GO

Dr. Ismael durante ao atendimento no Projeto IDE 2017


153


Dr. Ismael Fernandes, um veterano no Projeto IDE, que mais uma vez retorna a Missão para servir através de sua profissão, os ribeirinhos de Curuá, PA.

154


Dr. Ismael com vasta experiência no atendimento de crianças. A maior prova disso é o sorrisão do paciente no final.

155


Doutor, Pastor, líder do setor da ODONTO e missionário do Asas de Socorro, Omar Abdalla, sempre nos dando o exemplo como dar nossas vidas a serviço de quem deu tudo por nós, Cristo.

156


Dr. Omar Abdalla em atendimento em um dia no Projeto IDE, excepcionalmente devido ausĂŞncia de uma das dentistas .

157


TESTEMUNHO OLIVIA BORIM

De um desenho numa folha de papel, nasceu uma missionaria

M

inha caminhada com o Senhor começou desde muito pequena. Com sete anos eu me converti, entre oito e nove anos, fiz parte de uma grupo da igreja que se chamava Amigos de Missões, e é desde de então, quando olho para trás vejo Deus colocando em meu coração o amor por missões. Nessa mesma época numa das classes de Amigos de missões, eu escrevi uma cartinha e fiz um desenho para enviar a uma família de missionários, nela eu dizia que seria médica e que iria cuidar dos índios, pois havia recebido as notícias de quem estavam precisando desse tipo de cuidado, no desenho eu estava chegando na tribo dos índios de barco. Em nossa vida fazemos algumas escolhas que desagradam ao Senhor, e foi assim na minha adolescência. Mas ainda assim, o desejo de servir ao Senhor não cessava. Então, sempre me mantive ajudando e servindo na igreja de alguma forma. Quando completei 16 anos tive uma experiência marcante com Deus, dobrei meus joelhos no quarto e ali coloquei minha vida à disposição de servi-lo, seja onde e como fosse. Nesse processo alguns versículos foram marcantes, um deles é:

“Procura apresentar-se diante de Deus aprovado, como obreiro que não tem de se envergonhar, e que maneja bem a palavra da verdade” 2Timóteo 2:15 Sendo assim, o desejo de aprender mais sobre Jesus e poder compartilhar mais do Seu amor só aumentava. Foi nesse

158

período, com 17 anos e no primeiro ano da faculdade de Odontologia, eu fui numa igreja onde um grupo estava falando sobre o Seminário Bíblico Palavra da Vida (SBPV). E naquele mesmo momento, eu desejei trancar meu curso e ir para o seminário aprender mais sobre a Palavra de Deus. De início meus pais não concordaram. Eles colocaram a condição de terminar meu curso de Odontologia e somente depois, poderia ir para o SBPV. Isso trazia um lado positivo. Pois, como dentista, eu teria mais oportunidades para falar de Jesus.

ganhando bem e sentindo que não fazia sentido nenhum apenas trabalhar e ganhar dinheiro. Nós nascemos para adorar e servir o nosso Deus, e porquê não usar nossa profissão para a glória dEle e sair da nossa zona de conforto? Foi então que me inscrevi em Asas de Socorro, onde havia ouvido falar no APV, que era uma agência missionária onde recrutava servos dispostos a servir em comunidades ribeirinhas, porém já era final do ano e só haveriam vagas para o ano seguinte. E assim, decidi me demitir e ir mais uma vez para o APV, lá decidi finalmente ir para o SBPV com a autorização dos meus pais. Olívia e seu noivo Mateus, serviram juntos no Projeto IDE 2017.

Porém, ainda inquieta, por não estar disposta em esperar por tanto tempo, tomei a decisão em me inscrever para servir como equipante do Acampamento Palavra da Vida. Lugar onde aprendi muito sobre o serviço e amor cristão. Foram 5 anos onde pude também amadurecer espiritualmente e ter experiências incríveis com Deus. As coisas não aconteceram bem como combinado, quando me formei senti que era necessário trabalhar pelo menos por um tempo para ganhar experiência como dentista. Mas, no final do primeiro ano de formada, me vi com 21 anos,

Sobre a viagem missionária no Projeto IDE 2017 - Asas de Socorro, sem dúvidas Deus fez grandes coisas. E não se resume apenas pelo aprendizado e experiência adquirida. Mas, sobre o cuidado de Deus.

Isso porque, por se tratar de um trabalho voluntário, os projetistas ficam encarregados de providenciar suas próprias passagens. E tanto eu e Mateus (meu noivo), quanto alguns de nossos amigos, passamos pela mesma dificuldade financeira para comprar as passagem e custear a inscrição do Projeto IDE. No entanto, diante dessa primeira grande dificuldade, pudemos ver e viver o cuidado de Deus em levantar cada centavo. Os recursos vinham, seja de oferta; de um dia de trabalho que rendeu mais do que o normal,v dentre outros. Deus supriu a necessidade! Assim, não alimente essa preocupação quando


Dra. Olivia durante o atendimento no Projeto IDE 2017

de propagar a mensagem de Cristo, mesmo diante das dificuldades de cada um. Seja timidez, dificuldade de se expressar com palavras. Deus nos capacitará para o que Ele nos chamou. Dessa forma, Deus fez no Projeto IDE 2017 em Curuá, PA. Temos muitos testemunhos dos projetistas compartilhamos aqui, e vários deles nos marcaram bastante. Na parte de saúde vemos a carência de assistência e acesso que a cidade tem, levamos escovas de dente, fizemos orientação de higienização e atendimento. Como dentista, o contato é um pouco diferente, não conseguimos ter um tempo bom de conversa, porém a gratidão dos ribeirinhos em terem seus dentes tratados já nos mostra o quanto isso pode ser impactante. O que para nós dentistas era tão pouco no simples fato de exercermos a profissão, para eles ribeirinhos, é um gesto de cuidado. E isso nos abre grandes portas para semear sobre o Amor de Cristo. Cada dia que passamos em Curuá, PA, trazia algo novo, uma história nova, um convívio novo. Em cada dia, um agir de Deus naquela cidade ribeirinha, o tempo em Curuá, PA, me trouxe alguns versículos a mente, e gostaria de compartilhar com você “Todavia, não me importo, nem considero a minha vida de valor algum para mim mesmo, se tão somente puder terminar a corrida e completar o ministério que o Senhor Jesus me confiou, de testemunhar do Evangelho da graça de Deus.” Atos 20:24

diante do mesmo problema. Lembrese que nosso Deus é o Deus da prata e do ouro, e Ele quem nos chamou para servi-Lo e Ele quem faz os milagres. O Senhor nunca falha em sua fidelidade, por isso não se preocupe, apenas se disponha em IR! Por isso, algo que me marcou muito, foi ouvir tantas desculpas das pessoas, antes e depois da viagem. Onde diziam: “se eu fosse jovem eu também iria”, “quando eu era jovem sempre quis ir, mas não fui”, “não tenho como pagar o custo da viagem”, “poxa, sempre quis fazer uma viagem missionária mas...” Desperte e não escolha desculpas para não ir, dê seu pulo de Fé e se lembre que as pessoas precisam conhecer a Cristo como você conhece. E mesmo

que talvez você não chegue a ir ou não, pense em dedicar esse tempo a oração e intercessão por quem vai e por quem está lá em tempo integral, isso é primordial, pense em se dedicar para isso, pense em se dispor a Deus. Nós precisamos nos lembrar do sacrifício de Cristo (Isaías 53) e que isso significa para nós cristãos, as pessoas precisam conhecer nosso Senhor, como a Palavra diz: “Contudo, quando prego o evangelho, não posso me orgulhar, pois me é imposta a necessidade de pregar. Ai de mim se não pregar o evangelho.” 1 Coríntios 9:16,

Olívia Borim, 24 anos São Paulo, SP

Se estamos vivendo verdadeiramente em comunhão com Ele, somos capazes

159


160


Dra. Michelle em sua primeira vez no projeto IDE, durante atendimento da ODONTOLOGIA.

161


Quando o

FOCO

estรก no

Servir

162


M

Qual é o seu foco?

eu coração sempre foi voltado pra Missões e sempre gostei de colocar minha profissão, dentista, como parte de minha doação e contribuição pro Reino de Deus. Sempre entendi que tive o privilégio de fazer universidade pública e que de alguma forma isso deveria voltar pra população, já que Deus me proporciona muito. A minha história com o Asas começou quando recebi uma mensagem do Asas de Socorro pelas redes sociais, onde compartilhavam a necessidade urgente de 3 dentistas voluntários para irem para a Amazônia no Projeto Ide 2017. Quando eu li, eu respondi a mensagem, dizendo que me interessava e gostaria de participar. Então, em seguida, recebi a resposta do Asas de Socorro com todas as instruções e a inscrição. Em seguida, fui abençoada pelos meus pais e meus pastores, pois, minha igreja em Campinas, Igreja da Família Cristã, tem parceria e é apoiadora do Asas de Socorro. E a partir daí, teve início uma das maiores experiências da minha vida. Minha expectativa era bem grande, resolvi ir sozinha porque queria ter uma experiência única com Deus. Então, primeiramente eu fiz uma campanha para arrecadar escovas pra levar, e nessa campanha conseguimos em torno de 1.000 escovas. As pessoas que convivem comigo me motivavam muito, e muita gente, pessoas que eu nem conhecia contribuíram e agora estavam fazendo parte da minha viagem missionária e indo junto comigo devido a doação de cada escova. Sendo assim, parti de São Paulo rumo a Santarém no dia 11 de julho, e já no dia 12 de Julho bem cedo, embarcamos rumo a Curuá, PA. Saímos do cais de Santarém de barco e durante 8 horas navegamos passando pelo Rio Tapajós e subindo o Rio Amazonas. O percurso de barco é lindo, o encontro das águas é algo incrível, é como se víssemos cada detalhe do próprio Criador em cada coisa na natureza. Chegando em Curuá, PA nos instalamos na escola local, o mesmo local onde também aconteceriam os atendimentos da área da Saúde.

Nossa equipe estava em torno de 170 pessoas, entre todas as áreas (saúde, Infantil, Evangelismo, Adolescentes, Cozinha, dentre outros), na quintafeira dia 13 de julho tivemos um treinamento e na sexta começamos a montar as clínicas. Por conseguinte, os atendimentos da área da Saúde começaram no Sábado. A expectativa das pessoas da comunidade era muito grande, tanto que as filas de atendimento começaram no dia anterior de noite, onde pessoas pernoitaram nas filas. Os atendimentos começavam às 8 da manhã e iam até as 18hs, com uma pausa de uma hora e meia para o almoço. E a partir daí, começava o meu choque de realidade por mais que eu já tivesse atendido em comunidades carentes, a situação daquele povo ia mais além. O índice de cárie era tremendo, as crianças eram bem desnutridas a ponto de não terem estatura adequada pra idade. Mas, o que mais me impressionou foi a fala de uma das mães: — O dente do meu filho está doendo e gostaria que extraísse! Mesmo que o dente não tivesse indicação pra extração, as mães gostariam que extraísse, pois não tinham condições de procurar um dentista pra fazer o tratamento. As mães justificavam dizendo: — Não sabemos quando o próximo dentista irá voltar e quero resolver o problema A cidade não tem dentista público e o dentista público mais próximo demora 8 horas de barco e tem um custo financeiro de no mínimo de 100 reais ida e volta, o que pra realidade deles é muito alto, ficando inviável o tratamento e adotando a extração. Deus falava tanto comigo em relação a tratá-los com Amor e dignidade, pois se tratava de um povo que não sabia o que era isso. Todos nós dentistas atendíamos o máximo de pessoas que conseguíamos. Tínhamos uma meta de 20 pessoas por dia, o cansaço era grande. Mas, o porquê estávamos lá, era tão maior, que as nossas forças eram renovadas

diariamente. No último dia eu estava terminando de jantar quando uma menina entrou na escola e veio direto na minha direção e falou: — Tia você sabia que você cuidou do meu dente, você disse que não ia doer e não doeu e o meu dente parou de doer depois que você mexeu. Eu queria te agradecer Aquele relato valeu cada cansaço , valeu cada dor nas costas, valeu cada banho frio às 5:30 da manhã, valeu cada picada de pernilongo, valeu tudo! A minha recompensa tinha chegado. Não que antes, não me sentisse recompensada. Porém, as palavras dessa menina, foi algo que me tocou no fundo da alma, por ela ser tão grata, por algo que pra mim era tão pequeno. Depois dessa viagem meu foco em ver a vida mudou, os meus valores mudaram, as minhas conquistas também!! Levar a Luz de Cristo em um lugar que não há perspectiva de melhora, sem atitudes fica muito difícil. Dessa forma, fui marcada em meu coração pelo prazer de Missões, sei que hoje a minha motivação é o amor pelo próximo. Assim, estou cumprindo o propósito do porquê Deus me criou, que é servi-LO. Exatamente como o fiz em Curuá, PA. Minha decisão é nunca mais ficar sem isso!! Difícil explicar em palavras, afirmo sem dúvida que foram momentos tão incríveis que hoje olho pra trás e vejo o quanto valeu a pena!! Algo tão marcante, que sempre quando perguntada de como foi a viagem missionária, fica difícil as lágrimas não caírem de meus olhos, é algo que toma todo o meu ser... Não tenho palavras pra agradecer a liderança do projeto IDE, ao Asas do Socorro, por toda estrutura proporcionada e toda organização e dedicação com que fazem tudo na maior excelência. Tenho certeza que o Pai Celeste vê e aplaude, cada um dos missionários que dão suas vidas, esperando o tempo certo da recompensa!! E você? Vai quando pra Missões? Michelle Paradela, 35 anos Campinas, SP

163


Projeto ID

Equipe Od 164


DE 201 7

dontologia 165


Para cada paciente atendido na ODONTOLOGIA é usando um jogo de instrumentos. E devido a demanda de mais de sessenta pacientes atendidos em um só dia, é necessário uma central de esterilização para que sempre tenha instrumentos para atendimento. 166


ESTERILIZAÇÃO

167


O Processo... para esterilizar

1° PASSO: Auxiliar da equipe de ODONTO trás conforme o uso, os instrumentos usados em uma bacia.

2° PASSO: As voluntárias Gabrielle e Josi, lavam com detergente e esfregando com a escova para retirar todos os possíveis detritos sólidos.

168


3° PASSO: As voluntárias Gabrielle e Josi, colocam todas as peças lavadas para a secagem.

4° PASSO: Em seguida, Josi vai cortando os envelopes especiais de esterilização.

169


continuando...

5° PASSO: A seguir, Gabrielle vai ensacando os instrumentos por categoria, para serem colocados na AUTOCLAVE

6° PASSO: Abrir a AUTOCLAVE e preparar para colocar os sacos de esterilização.

DETALHE: Em detalhe a selagem a quente de cada saco de esterilização.

170


7° PASSO: Enfim a colocação dos instrumentos na AUTOCLAVE que irá elevar os instrumentos a altíssima temperatura, esterilizando todos os instrumentos odontológicos.

171


TESTEMUNHO

JOSIANE SECUNDINO

infinitamente mais! “Porque não pregamos a nós mesmos, mas a Cristo Jesus como Senhor e a nós mesmos como servos, por amor de Jesus.” 2 Coríntios 4:5 Como amo este versículo, ele revela a verdade de nossa missão no mundo, como cristão e a nossa total dependência de Deus em obedecer ao IDE. Sendo ainda, justificados pelo amor ao nosso Senhor, algo que infelizmente, muitos não entendem e faz-se loucura para o mundo. Escrever um pouco sobre mim mesma não é algo muito fácil, e escrever sobre minha experiência na viagem missionária do Projeto IDE Asas de Socorro 2017 faz com que a dificuldade aumente ainda mais, pois é preciso se ter um tempo para refletir sobre o que foram aqueles dias maravilhosos servindo ao Senhor e vendo o Seu agir. Cresci em um lar cristão e reconheci a Jesus como meu Salvador aos 6 anos de idade. Minha igreja sempre demonstrou amor e envolvimento com missões, e isso, juntamente com vários acampamentos missionários que vim a participar. O que gerou em meu coração, um desejo intenso de me envolver com Missões. Eu me lembro de uma vez em um desses acampamentos, conversando com um seminarista, onde lhe perguntei sobre o seu chamado e, de maneira simples, mas, tão verdadeira, ele me respondeu que apenas estava obedecendo a uma ordem dada por Jesus a todos os seus seguidores, de ir por todo o mundo e pregar o Evangelho e a toda criatura (Marcos 16:15), a ordem é clara, todos somos chamados a obedecê-la. Essa responsabilidade recaiu ainda mais sobre meu coração. Porém, eu ainda não sabia o que Deus esperava de mim quanto a isso. Todavia, eu tinha certeza que eu não poderia ficar

172

indiferente as milhares de almas perdidas sem ouvir falar de Jesus. Em todas as decisões da minha vida, estou tendo o cuidado em buscar a vontade de Deus e viver aquilo que Ele tem para mim. A confirmação vêm acompanhada de uma paz que só Ele pode dar. É tão bom saber que Deus se importa com os nossos sonhos! Ele me deu a oportunidade de cursar Fisioterapia, e mais recentemente, uma pós-

resposta veio dizendo que fui aceita para trabalhar na equipe de saúde. Com o coração temeroso disse Amém a decisão do Senhor, senti que Ele queria e deseja usar meus anos de preparo na Universidade para Sua obra. Então, com as passagens compradas, embarquei rumo a Santarém, PA, com a benção da minha igreja, sem saber o que me esperava, sozinha, sem conhecer ninguém. Mas, convicta de que era naquele lugar e naquele projeto que Deus queria que eu estivesse e que Ele tinha coisas valiosas a me ensinar. Receio e incertezas me sondavam e serviram para revelar mais uma vez o quanto sou dependente deste Deus maravilhoso. O qual, não faz uso só de minha força, ou das minhas mãos ou pelo meu conhecimento. Mas sim, pelo que Ele estava me permitindo viver. Em tudo pude sentir Deus me guiando, em cada detalhe Ele cuidou de mim. O sEu amor me constrangia a cada dia vivido em Curuá,PA. Até nos relacionamentos e na comunhão no dormitório pude ser abençoada, já que sou uma pessoa tímida, mas pedi a Deus amigos verdadeiros para partilhar estes dias comigo e ele foi tão gracioso quanto a isso!

graduação que está se findando. Sendo assim, não foi diferente com a decisão de participar do projeto IDE de Asas de Socorro. Deus colocou em mim uma necessidade imensa em viver um novo tempo, em conhecer uma realidade tão distante da qual tenho vivido, era hora de sair do meu aconchego para amar aqueles que eu nem conhecia, a chamada hora: “sair da zona de conforto”. De início, me escrevi no projeto IDE com o desejo de trabalhar com crianças, porém a

Fui integrada na equipe de esterilização de materiais odontológicos, algo que nunca tive contato e não sabia como realizar os procedimentos, já quase entrando em desespero, veio ao meu coração uma palavra que dizia: — Você está aqui para servir, e servir com alegria, faça o seu melhor em tudo aquilo que for confiado em suas mãos


Outro ponto que me afligia era não ter muito contato com os ribeirinhos de Curuá por estar trabalhando na esterilização. O fato em querer conversar com as pessoas locais, de falar do amor de Deus. Porém, mais uma vez eu fui surpreendida por Deus! Em um dos dias da Missão, apareceu

mais sobre Deus. Pude sentir Deus tão perto, tão presente, que um contentamento invadiu o meu ser. Deus naquele momento, estava me proporcionando infinitamente mais do que eu havia pedido e imaginado. E mais, tive oportunidades de realizar visitas domiciliares na

grata a Deus pelo privilégio em servir na sua obra, a minha igreja que seguraram as cordas em orações, intercessões e aos projetistas que tanto me abençoaram com seus testemunhos e disposição em servir. Desde que voltei de Curuá, PA, digo que todos os cristãos deveriam ter uma experiência como essa, pois não há nada melhor do que servir em Amor e por Amor ao nosso Deus e a quem está mais próximo de nós. “São muitas, Senhor, Deus meu, as maravilhas que tens operado e também os teus desígnios para conosco, ninguém há que se possa igualar contigo. Eu quisera anunciálos e deles falar, mas são mais do que se pode contar.” Salmo 40:5

uma menina na porta da sala em que estávamos. Saí rapidamente com muita alegria, sentei-me no chão, e comecei a conversar com ela e contar a história da salvação. Quando me dei conta estava rodeada de crianças me ouvindo, com os olhinhos atentos, aprendendo versículos, músicas e cada vez querendo saber

comunidade e de conhecer a triste realidade de um povo que perece pela falta de assistência em saúde, e principalmente, pela falta de Jesus. Foram dias de imensa graça, de sentir Deus moldando meu caráter, transformando meus valores, em dar amor e ser amada! Sou imensamente

Josiane Secundino de Souza, 24 anos Nazaré Paulista, SP

173


174


Josi, fisioterapeuta e Gabrielle estudante de medicina, serviram na Equipe saúde na parte de ESTERILIZAÇÃO. Uma parte muito importante que assegura a saúde dos pacientes.

175


TESTEMUNHO

GABRIELLE FRANCO

UM SONHO e um CHAMADO VENCENDO A PROVA DO TEMPO E DA ESPERA. DESDE SEUS 13 ANOS AGUARDANDO O SONHO VIRAR REALIDADE. GABRIELLE FRANCO, ESTUDANTE DE MEDICINA QUE OBEDECE O IDE, O CHAMADO E SERVE EM MISSÕES. Aos meus 13 anos minha família viveu uma situação muito complicada. Foi quando uma tia veio a adoecer seriamente. Na época, ninguém sabia dizer quais eram os motivos. Ela sofria com crises constantes de dores fortes. E pra tentar descobrir o diagnóstico ela veio pra Santarém e ficou hospedada na minha casa. A partir de então, acompanhávamos de perto cada vez que ela chorava e gritava por ajuda devido as fortes dores. Lembro uma vez, quando estava sentada no chão ao lado da cama onde estava minha tia. Eu eu chorava muito por me sentir impotente, queria muito ajudar mas sabia como. Tudo que eu mais queria naquele momento era ajudar minha tia que tanto amava. Porém, a minha pequena maturidade devido meus treze anos, me impedia de entender do porquê dela estar naquela situação.

anos onde muita coisa passou pela minha cabeça. E uma delas, era se essa demora representava o “NÃO” de Deus. Em minhas orações diárias, eu buscava a confirmação de Deus quanto a isso. Mas percebi, que essa “demora”era o tempo que eu estava sendo moldada por ELE. Deus estava me fazendo sair da minha zona de conforto e ter contato com uma realidade que eu tardei em conhecer. Então percebi que essa demora, sempre fez parte do plano dEle pra minha vida.

Pouco tempo depois ela foi diagnosticada com leucemia e foi transferida para Manaus, onde iniciou o tratamento. Mas, infelizmente ela não resistiu, e faleceu. Todavia naquele momento, o Senhor colocou o desejo em meu coração, para eu fazer alguma coisa para pessoas em situação igual de minha tia, para que não sofressem tanto. Com o tempo essa ideia foi amadurecendo e se transformou em um sonho que eu colocava constantemente na presença de Deus. Um sonho que recebeu muito apoio, muitas orações de pessoas próximas como pai, mãe, irmã, família, amigos e até pessoas nem tão próximas, como alguns voluntários do projeto IDE e alguns missionários. Depois que terminei o ensino médio, passei o tempo da “espera” até a vaga chegar... Foram três longos

176

Ester Camilo, missionária Asas de Socorro congregava na minha igreja. E nesse mesmo ano, ela convidou eu e minha Mãe para participar do projeto IDE, aceitamos e partimos rumo a Missão. Sendo assim, o meu primeiro contato com Missões foi em 2012, aos 16 anos. Eu fui à minha primeira Missão com o projeto IDE (Asas de Socorro) na região de Curuai. Até aquele momento, meu conhecimento do trabalho missionário era superficial. Eu não sabia exatamente quais

eram as atribuições, necessidades e responsabilidades de um missionário a fundo e com detalhes. Era simplesmente uma menina cristã que foi alcançada pelo Senhor por meio da EBD (Escola Bíblia de férias) e que agora estava indo para uma Missão. Na Missão era e é tudo muito lindo: ver pessoas entregando suas vidas ao Senhor, sentir o Espirito Santo trabalhando naquele lugar, conviver com pessoas que tinham como único propósito levar o Amor de Deus para os que necessitavam, pregar a mensagem da Salvação que é capaz de transformar vidas. E sem esquecer de mencionar, que eu sentia Deus me transformando através disso tudo. A partir de então, como todo mundo diz: eu fui “picada” por aquele mosquitinho de Missões, meu coração ardia por missões. Nos anos seguintes, tive oportunidade de retornar para servir novamente no Projeto IDE. Como também, de viajar em Missões junto ao Asas de socorro nas clínicas do AMDE, participando do ministério de adolescentes, evangelizando, trabalhando com crianças, dentre outros. Contudo, todas essas oportunidades me mostraram o quanto existe pessoas carentes em ouvir a palavra de Deus, da necessidade de se sentirem cuidadas, de serem amadas, de serem tratadas bem tanto fisicamente quanto espiritualmente. E tudo isso, somente reforçou o sonho que Deus havia colocado em meu coração desde os treze anos de idade. Naquele momento, percebia o quanto poderia


ser muito útil um profissional em medicina no trabalho em missões. Então, em 2016, passei no vestibular para medicina. Naquele momento, tive um intervalo de seis meses aguardando o início das aulas. Não pensei duas vezes e participei de duas clínicas junto ao Asas de Socorro. E mais agora, o projeto IDE. Onde tive oportunidade em servir na área da saúde, fazendo triagem, auxiliando dentistas e onde fosse preciso. Seja qual fosse o lugar onde me colocassem, eu estava sempre disposta a servir com amor. Eu entendi, que tudo que Deus fez em todo esse tempo de espera, foi necessário para que enxergasse como eu poderia usar a minha futura profissão para SUA Honra e Glória em Missões. Como também, em ser usada para evangelizar, servir e amar o meu próximo. Sinto que o Senhor não colocou o sonho pela medicina e o amor por missões em vão no meu coração. Eu creio que Ele tem planos para toda minha vida, dos quais agora, eu não consiga compreender. Contudo, eu tenho certeza que eles são muito maiores do que eu possa imaginar. O prazer em servir a Deus é claro que não se limita apenas a área da saúde. Acho que a oportunidade de passar por alguns ministérios dentro das missões que servi, foi muito importante , pois me fizeram amar a servir seja qual fosse a maneira. Entendi que servir a Deus te leva a estar disposto e comprometido em ajudar onde estiverem precisando, não importa se você tem alguma habilidade específica ou não. Pois, se você foi chamado por Deus, tenha certeza que o Senhor vai te capacitar a fazer o que precisar ser feito. E assim, no final do dia, irá sentir que cumpriu a Missão, sentir que fez o que Ele queria e desejava para sua vida. Além, de perceber que ELE esteva ao seu lado o tempo todo. Dentre todas as Missões que participei, tive uma experiência específica que me impactou bastante. Foi na oficina da comunidade de vila socorro realizada em 2015, onde o trabalho foi com as crianças daquele lugar. Me impactou, acredito eu,

por eu também ter sido alcançada quando era criança, por ações evangelísticas para público infantil. Foi como se tivesse me visto naquelas crianças. E foi naquele momento, que percebi a grande importância em investir na vida delas. As crianças são extremamente sinceras e você pode construir um relacionamento muito forte em pouco tempo. E nessa missão, a equipe levou o ensino de histórias bíblicas, contou a história do livro sem palavras, brincou e levou palestras muito importantes sobre prevenção do abuso infantil e sobre higienização. As crianças ficaram muito próximas e na despedida ver aqueles rostinhos chorando e aqueles braços me segurando e pedindo para não ir embora deixaram meu coração em pedaços e me trazem boas lembranças daquele lugar até hoje. Sempre que tenho a oportunidade estou comentando com amigos e irmãos, do quão lindos são esses projetos missionários e o quanto é maravilhoso poder ver vidas sendo salvas através desse Deus que está pronto para amar. Algumas vezes é contagiante, a ponto que já tive a felicidade de levar alguns amigos comigo em Missões, porém ainda é muito pouco... Espero poder fazer mais em futuro próximo! Minha igreja infelizmente não possui projetos missionários, mas alguns irmãos sempre estão me apoiando em oração quando eu participo de projetos missionários. Alguns deles já viajaram com Asas de socorro também sabem o quanto é importante investir em vidas e orar por elas. Sabem o quanto o Senhor age poderosamente nessas viagens. Hoje, a mensagem que eu deixo para a geração de jovens que nunca serviu em missões, é que não deixem para depois, o que pode se fazer hoje. As vezes, damos muita prioridade em construir patrimônio e montar a felicidade baseada em bens materiais. E assim, deixamos a obra de Deus em segundo plano. Porém, Deus não se contenta em ser o segundo plano. Ele quer e deseja a nós por inteiro, de todo nosso coração... O Senhor quer usar os dons que Ele nos deu para realizar a vontade Dele. Ele nos chama pra IR , pois sua Palavra diz:

“Como invocarão aqueles em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram falar? E como ouvirão se não há quem pregue? E como pregarão se não forem enviados? Assim como está escrito: Quão formosos são os pés dos que anunciam as boas novas “ Romanos 10:14-15. O Senhor nos chama para amar e transmitir o Seu amor, que desde o princípio já existia por nós. Nos chama pra Amar a Ele sobre todas as coisas. Sendo fundamental pra que isso aconteça, estar disposto a abrir mão de muitas coisas, de se sacrificar. Essa é uma luta que eu também me incluo, afinal Deus sempre está nos lapidando. E por mais que isso doa, essa é a melhor forma de Deus nos nos direcionar para dizer: “ Eis-me aqui Senhor!”. Assim, sugiro que, saia do seu comodismo, e IDE, Sirva! Todos nós como cristãos fomos chamados para ir e fazer discípulos. Quanto a mim eu digo que o Senhor me deu um amor especial por isso, um amor que me faz sentir falta de cada irmão das comunidades que acabo conhecendo e me fazer sentir parte desses lugares. Talvez eu não saiba o que estarei fazendo exatamente daqui a dez ou vinte anos, mas oro para que o Senhor continue me dando a oportunidade de sempre cumprir seu IDE. Espero sinceramente que Deus continue me enviando e fazendo meu coração arder cada vez mais por Missões. Para o futuro eu espero que toda a minha futura família sirva a Deus em missões, por que eu vejo Deus sendo honrado através desse projeto de vida. Gabrielle Franco, 20 anos Santarém, PA

177


178


“Mas de nada faço questão, nem tenho a minha vida por preciosa, contanto que cumpra com alegria a minha carreira, e o ministério que recebi do Senhor Jesus, para dar testemunho do Evangelho da graça de Deus.” Atos 20:24

179


ATENDIMENTO

MÉDICO

180


181


EQUIPE MÉDICOS A equipe de médicos foi formada por três médicos de clínica geral, um cardiologista e uma médica ginecologista. Todos de diferentes partes do Brasil, como: Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Sul, Caraguatatuba. Todos serviram com muito amor o povo de Curuá,PA em suas necessidades.

182


183


184


O cardiologista Dr. André de Souza, foi pela primeira vez servir no PROJETO IDE com o Asas de Socorro. E atendeu a população de Curuá, PA, com muito carinho e atenção.

185


Andressa ao lado da mãe e filha, logo após o atendimento médico no projeto IDE 2017 realizado em Curuá, PA. Onde foram realizados mais de 630 consultas médicas por toda equipe de médicos.

186


187


TESTEMUNHO ANDRESSA PAZ

S

O desafio de Confiar e Servir

ou Andressa Paz, tenho 22 anos e participei do Projeto IDE -Asas de Socorro, pela primeira vez nesse ano de 2017. Pra quem não conhece, o Projeto IDE é promovido por Asas de Socorro, uma ONG Cristã que presta serviços humanitários e realiza atividades socioambientais através da logística aérea e fluvial e leva assistência a comunidades de difícil acesso na Amazônia. No momento em que conheci o Projeto, através de Rômulo Rocha, missionário da escola de aviação de Asas e meu namorado, entendi o propósito da ação e a necessidade daquela população específica. Desde então, aguardava ansiosamente a abertura das inscrições. Como acadêmica de Medicina no Rio Grande do Sul, a princípio eu achava que iria à Amazônia para poder contribuir e ajudar com a minha formação acadêmica, mas, posso dizer com certeza que fui muito mais agraciada. Diante de cada experiência, de cada conversa com as pessoas que ali moravam e de cada contato com os participantes do projeto, minha “contribuição” foi tão pequena! A jornada teve início no último dia de fevereiro, quatro dias depois da aprovação de minha inscrição. Foi o dia em que comprei a primeira passagem, de Brasília para Santarém. Só de Ida. Meu coração palpitava de medo porque eu ainda não sabia como conseguiria arcar com todas as passagens saindo de Porto Alegre, RS até Santarém,PA e retornando. Lembro que passei algumas horas de intervalo entre as aulas consultando sites de viagens e tentando encontrar a rota mais econômica. Às vezes, parecia que a euforia que eu tive quando conheci o projeto era tomada pelo desânimo. Conversei com alguns amigos que participavam de viagens missionárias em busca de apoio e recebi um grande incentivo em orações. Inclusive, aprendi uma lição inesquecível de uma amiga. Ela disse: “Você vai conseguir! Algo que aprendi nesses muitos anos de missões é que Jesus convida, chama e paga a conta!” E assim aconteceu porque “Ora, a fé é a certeza daquilo que esperamos e a prova das coisas que não vemos.” Hebreus 11:1 Algum tempo depois, recebi ofertas que me ajudaram muito e fui, pouco a pouco, fechando a questão das passagens.

188

Dia 11 de Julho partimos para Santarém, PA e eu estava bem empolgada. Já no aeroporto encontramos pessoas do Projeto e amizades começaram a ser desenvolvidas. Por coincidência, a primeira pessoa do projeto que encontramos lá também tinha vindo do Rio Grande do Sul. Aliás, muitas pessoas vieram da Região Sul. Isso me deixou feliz, por saber que aqueles irmãos também tiveram êxito em enfrentar a questão da distância em prol de Curuá, PA. Além do Sul, todas as outras regiões estavam representadas, mostrando que o desejo de servir às pessoas não tem limites ou divisas. Todos os participantes do projeto tinham histórias próprias de como foram parar ali. Alguns tinham um desejo antigo (décadas!) em ir à Amazônia, como foi o caso de uma irmã que estava no meu quarto. Outra coisa legal, foi ver que muitos voluntários estavam marcando presença pela segunda, terceira ou quarta vez. Após passarmos por alguns dias em treinamento e montarmos o ambiente para receber as pessoas, nossa equipe iniciou os atendimentos. De certa forma, ficou mais claro compreender o versículo que diz: “De fato a colheita é abundante, mas os trabalhadores são poucos” (Mateus 9:37), Muitas pessoas buscavam ajuda da equipe de saúde. Mulheres, Homens, Crianças, Idosos. A demanda era muito grande e a cada dia aumentava mais. Além disso, tivemos a oportunidade de realizar algumas visitas domiciliares a pessoas com dificuldade de acesso ao local onde estávamos atendendo. E foram nessas visitas que aprendi um pouco mais sobre a importância da escuta. Em resumo, nos 15 dias de projeto vivi coisas maravilhosamente pedagógicas. Penso que todos aqueles que desejam servir como Cristo serviu devem sair em uma aventura de amor como essa. Foi um passo de fé que me aproximou mais de Deus e do grande propósito para o qual Ele me designou: o grande propósito de ir. Para mim foi do Rio Grande do Sul à Amazônia. E para você, onde será? Portanto, e você: vai quando pra Missões? Andressa Paz, 22 anos Lajeado, RS


Andressa ganhando o abraรงo da pequenina paciente.

189


190


Dr. André, cardiologista, em atendimento das crianças de Curuá, PA, no Projeto IDE 2017.

191


Dra. ClĂĄudia durante atendimentos mĂŠdicos no Projeto IDE 2017.

192


Dra. ClĂĄudia em atendimentos de toda uma famĂ­lia no Projeto IDE 2017.

193


Dra. Amanda atendendo a mãe e suas três filhas. Detalhe da caçula que adorou a doutora

194


Dra. Amanda Medeiros, clínica geral, em atendimento ao pequeno João nas clínicas de atendimento médico do Projeto IDE 2017. No total durante todo o Projeto IDE, foram mais de 631 atendimentos médicos realizados.

195


Logo após o atendimento todas meninas quiseram tirar foto com a Dra. Amanda, detalhe especial para a pequenina caçula que adorou a médica, tanto que não tirava os olhinhos da doutora.

196


A pequenina caçula dentre suas irmãs, olhando com admiração para Dra. Amanda. Acho que a Dra ganhou mais uma amiguinha.

197


198


Diga AHHHH Dra. Amanda durante o atendimento do pequenino, junto de sua mĂŁe.

199


200


CRÔNICA POR AMANDA MEDEIROS

P

ara dizer o que foi estar

pouco bonito é muito bonito. Ficar cara

em Curuá não há um

a cara com as limitações, mas fazer com

meio termo. Ou faltam

dedicação o pouco que se pode. Curuá

as palavras ou elas vêm

é desvendar as faces crestadas de Brasis

muitas, abundantes

apenas semidescobertos. E não perder

como as águas do Rio

a esperança obstinada de um só Brasil

Amazonas. Pelas mesmas águas eu

melhor e, quem sabe, mais justo. É uma

cheguei um tanto ressabiada e parti

criança que soluça no seu abraço porque

sentindo já uma incômoda saudade.

você lhe deu em alguns dias ou poucas

Que poder mágico de mudança há

horas apenas um milésimo do amor que

nessas ondas! Curuá foi viver aqueles

você recebeu durante toda sua vida.

momentos de abrupta e oportuna

A sensação clara de não saber o que

descoberta, de reconhecer fragilidades

dizer, fazer ou pensar. E apenas dizer:

e desenterrar fortalezas. Foi ir aos

“A gente se vê! Lembre-se do que lhe

poucos me desprendendo dos receios

falei.” Porque você sente que não fez o

e da estranheza e me render enfim à

suficiente, mas lembra que a mensagem

simplicidade, ao Baré e ao sorvete de

que trouxe basta à vida de qualquer

cupuaçu. E, uma vez rendida, poder então

pequeno ou grande homem. Curuá é

criar uma definição própria, toda minha,

morrer e nascer de novo algumas vezes.

do que é Curuá. Curuá é caminhar à

É achar que estava inteiro e perceber que

noite sobre um chão árido e sob um céu

a gente só é inteiro quando se divide, se

que nunca se viu, tão nítidas, próximas

doa e se deixa partir em pedaços. Curuá

e confidentes parecem as estrelas. É

é deixar a mão de Deus sacolejar sua

sentir em todos os poros o calor que

vida pacata e ouvir-Lhe a voz em sons

se desprende da terra, úmido e denso

outrora indefinidos. Curuá é um encontro

como se fora calor de carne humana.

das águas fora do comum que confunde

Curuá é tomar banho com a lua cheia a

os cursos da vida e tudo mistura. Uma

espiar na ausência de teto do chuveiro

gratidão que dá, uma alegria que

improvisado, enquanto se dá graças a

chora, uma paz que inquieta. Um tchau

Deus por cada gota de água fria que

desajeitado que insiste, teimoso, em

cai. Também é acostumar-se com os

voltar.

sotaques de cada canto do Brasil, chamar biscoito de bolacha e bolacha de biscoito. Conversar até mais tarde quando o corpo manda dormir. E aprender a amar e receber o amor de pessoas tão plurais, tão diferentes, e ainda assim tão unidas num mesmo propósito, sob o olhar do único Cristo. Curuá foi amar a medicina de uma forma nova e nunca antes sentida. Descobrir que hum-hum é sim, pente

Dra. Amanda Medeiros, 25 anos Rio de Janeiro, RJ

é baixo ventre, provocar é vomitar e

201


A Ginecologista Dra. Selene durante o atendimento mĂŠdico no Projeto IDE 2017.

202


203


A Ginecologista Dra. Selene durante o atendimento mĂŠdico no Projeto IDE 2017.

A Ginecologista Dra. Selene durante o atendimento mĂŠdico no Projeto IDE 2017.

204


O consultório médico especialmente montado para a Ginecologia dentro das salas de aula da Escola Estadual Soraia em Curuá, PA. Foram mais de 630 atendimentos médicos realizados.

A Ginecologista Dra. Selene durante o atendimento médico no Projeto IDE 2017.

205


“Servir ao Senhor em Missões é um privilégio árduo, porém imensuralmente prazeroso” 206


Servindo com Amor Pastor e Missionário Omar Abdalla nos ensina que servir a Deus e amar ao próximo, andam de mãos dadas.

COLCHOLARIA O Pastor e Missionário do Asas de Socorro Omar Abdalla tem o mérito de ser o responsável por muitos dormirem com conforto. Isso porque é muito comum as pessoas terem seus colchões infláveis furados. São pequeninos furos, porém suficiente para esvaziar todo o colchão. E a pior coisa é chegar cansado no final do dia na Missão e ter que dormir no chão duro. E com uma equipe com mais de 150 voluntários, consegue imaginar quantos colchões furaram? Sim, isso mesmo, muitos!!! Segundo Omar, foram mais de quarenta colchões furados que ele consertou. E o mais impressionante é o fato que o Pr. Omar era responsável pela equipe de ODONTO, o que por sua vez é muito trabalho. Mas mesmo assim, ele conseguia nos intervalos consertar o colchão dos voluntários “premiados”com furo no colchão. Essa atitude de preocupação, nos deixa o grande exemplo do que é ser servo. Que nada mais é, servir onde for necessário. Independente qual era sua atribuição, ela dava seu máximo para consertar o colchão de todos. E detalhe, existiu casos, que o mesmo colchão furou mais de três vezes ao longo do projeto. Ao Pastor Omar, nosso imenso agradecimento!

207


208


Farmácia

FARMÁCIA é o setor que trabalha em conjunto com o atendimento médico. O Asas de Socorro leva uma Farmácia para doar os medicamentos, que por sua vez são previamente receitados pelos nossos médicos durante as consultas

209


Valdinéia em meio a triagem e separação dos medicamento ainda estocados.

Cada paciente após o atendimento médico, passa na Farmácia do Projeto IDE, para retirar gratuitamente os remédios prescritos pelos médicos e receber todas as instruções de posologia e demais informações necessárias referente ao medicamento.

210


Rômulo e Jéssica repassando metodologia de ensino do uso de medicamentos através de desenhos, para pacientes analfabetos.

Sumara durante orientação aos pacientes após atendimento médico.

211


Acima na foto, a voluntária Jéssica escrevendo e explicando as instruções pertinentes do medicamento para o paciente. Medicamento este que foi prescrito durante a consulta médica.

212


Voluntária Jéssica durante atendimento de paciente, explicando as informações do remédio prescrito pelo médico.

Foram mais de 630 atendimentos médicos no Projeto IDE, o que gerou mais de 630 orientações aos pacientes referente aos medicamentos prescritos.

213


Tão importante quanto os doutores que deram atendimento médico aos ribeirinhos de Curuá, PA, foi o trabalho dos profissionais de saúde da área da FARMÁCIA do Projeto IDE. Após cada consulta médica, o paciente se dirigia para a Farmácia, onde lhe era entregue o medicamento e assim explicado a dosagem e todos os procedimentos e informações importantes em relação ao medicamento prescrito pelo médico. Outro fator relevante era o preparo da equipe para realizar esse mesmo procedimento para os pacientes analfabetos. E para isso, se fez uso da metodologia através de desenhos, a qual o Asas de Socorro usa a muitos anos. A área da Farmácia é um serviço muito importante onde não pode haver erros, pois se trata de dosagem de medicamentos aos pacientes.

Missionário Rômulo atuando na Farmácia.

Solange fazendo a triagem dos remédios da Farmácia.

214


A triagem dos remédios da Farmácia, pela enfermeira da Equipe.

Jéssica e Valdinéia na verificação do medicamento prescrito em atendimento médico.

215


Equipe Farmรกcia 216


(da esquerda pra direita) Célia, Solange, Jéssica, Sumara, Valdinéia e a missionária do Asas de Socorro e líder da área da Saúde, Viviam.

217


Artesanato

A Equipe do Projeto IDE - Asas de Socorro, realizou uma oficina de Artesanato para as mulheres do Município de Curuá, PA, para ensinar como usar a matéria-prima encontrada na própria região de Curuá para confeccionar artesanato.

218


219


O sorriso no rosto mostra a satisfação em ter participado e aprendido na oficina de artesanato.

220


Voluntárias em ação na oficina oferecida pelo Projeto IDE para ensinar artesanato usando a matéria-prima local. O sorriso no rosto mostra o quanto todas gostaram de aprender algo novo.

221


Foram mais de 20 voluntĂĄrias que participaram da oficina oferecida pelo Projeto IDE que ensinou artesanato usando a matĂŠria-prima local.

222


Dona Elza, moradora de Curuá, dona de casa ,mãe de três filhas e grávida do quarto filho, aprendendo artesanato. Dona Elza, também levou todas as filhas no atendimento médico e dentistas do Projeto IDE e trouxe as filhas para participar do Infantil (atividades para crianças).

223


O sorriso largo no rosto sĂł reflete a alegria em 224 aprender, fazendo.


Voluntárias em ação na oficina oferecida pelo Projeto IDE para ensinar artesanato usando a própria matéria-prima local.

225


Casca da paina do cipó santo

Casca da semente de seringueira Tento Folha Moeda Andiroba

Sibipiruna

Castanha do Pará

Coquinho

Casca da semente de seringueira

Tento

Folhas

Na foto acima, algumas das matérias-primas, dentre folhas, sementes, coquinhos e castanhas que foram usadas para ensinar as mulheres de Curuá, a fazer quadros em artesanato durante a oficina oferecida pelo Projeto IDE. Sendo que todas essas matérias-primas são encontradas facilmente em Curuá.

226


Coordenadora do Projeto IDE, Ester Camilo fazendo a visita na oficina de artesanato. da oficina.

Mostruรกrio de artesanato realizado pelas alunas voluntรกrias da oficina do Projeto IDE.

227


A equipe do ARTESANATO formada pelas voluntรกrias: (equerda pra direta): Sheilara, Maria, Talita Protasio, Alzira, Lourdes e Dielma.

228


229


Foi uma experiência única poder conhecer uma realidade tão diferente. Poder passar um pouco de conhecimento através do artesanato, foi algo gratificante. Porém, mostrar o Amor de Deus por meio deste projeto foi transformador. Com absoluta certeza, eu aprendi mais do que ensinei. E ter testemunhado a força dessas mulheres, apesar de suas dificuldades, foi algo inesquecível... Assim como os sorrisos e a contagiante alegria que elas transmitem!

Talita Protasio

230

Talita Protasio, de Goiânia, foi voluntária no Projeto IDE 2017 e serviu no Artesanato.


231


Foto da Equipe e de algumas alunas da oficina de Artesanato.

232


233


Cozinha

O TIME mais importante da Missรฃo!! os responsรกveis por alimentar todos os voluntรกrios 234


235


236


A galera na fila já com o prato na mão, todos prontos para o almoço.

Samuel e Ester servindo o restante da Equipe durante o almoço.

A voluntária Duda fazendo pose pra foto até na fila do almoço.

237


Eram mais de 400 refeições diárias entre almoço, café da manhã e jantar, realizadas pelo time da cozinha.

238


Ester e outros voluntรกrios, servindo durante o almoรงo os projetistas.

Projetista Michel servindo os colegas durante o Almoรงo.

239


As voluntárias servindo na cozinha com muito amor, preparando a salada do almoço.

A equipe de Logística

240


Heraldo da equipe da LogĂ­stica dando apoio na Cozinha.

O sorriso da galera jĂĄ responde se a comida era boa.

241


Todos da equipe da cozinha com muita dedicação nesse trabalho tão árduo.

242


A equipe da cozinha acordava as três da manhã para começar o dia de trabalho. Uma equipe primorosa!

243


244


245


246


Teatro + Filme

P ro g ra ma çã o n a s Praç a s

247


248


Após o término da apresentação teatral, começava a apresentação do filme, com conteúdo cristão em sua mensagem. Os filmes assistidos foram: Milagres do Paraíso e Salvos pela Graça, cada um apresentado em um dia diferente.

249


Momento da apresentação teatral que ocorreu durante a programação nas praças. Onde o conteúdo totalmente cristão e evangelístico.

250


Parte do elenco durante a peça teatral, com conteúdo evangelístico, apresentada na programação na praça a noite em Curuá, PA.

251


Os voluntários Jonatas, Michel e Natália, aproveitaram a programação da Praça, para interagir e falar um pouco mais de Jesus com as crianças e adolescentes que lá estavam.

252


Natália passando interagindo com as crianças de Curuá, PA durante a programação na praça.

253


TESTEMUNHO AMANDA MARADINI

O

Vivendo o Chamado n a s F éri as

ano de 2017 estava sendo bem difícil pra mim, eu estava na vida de cursinho, estudando como nunca. E quando a gente estuda muito, a palavra que vem a mente várias vezes é: “FÉRIAS”. E foi justamente em Abril que fiquei sabendo que minhas férias seriam de 9 a 23 de Julho. Então, planejando o que fazer nas férias, decidi participar de uma

viagem missionária. Assim, comecei a orar ao Senhor pra que ELE me direcionasse a esse respeito. E de forma tanto inesperada, encontrei o Projeto IDE - Asas de Socorro, onde as datas coincidiam com minhas férias, o que era perfeito pra mim. Dessa forma, meio que imediatamente, sem pensar duas vezes, fiz minha inscrição. Porém, fiquei na lista de espera. Algumas semanas depois, o telefone toca e a ligação era a respeito da inscrição, recebia naquele momento a informação que poderia ir! E imediatamente fui compartilhar essa notícia com meus pais toda empolgada. Porém, como um balde de água fria, recebia a notícia que eles não teriam como pagar essa viagem pra mim. E pra piorar, o único dinheiro que eu tinha guardado estava reservado para pagar a matrícula da faculdade quando eu passasse. Porém, eu dei o meu “salto de Fé” e foi com esse dinheiro que paguei a matrícula e as passagens, e assim fui para Missão! Tinha a convicção de Deus, que era isso que tinha que ser feito. E nessas horas, Deus nos ensina quem está no controle. Isso porque, um mês antes do projeto IDE Asas de Socorro, saiu a lista de aprovados da faculdade. E adivinhem,eu estava nela, em 5º lugar para Enfermagem no Albert Einstein! E agora vem o melhor. Tinha direito a bolsa de 100% no primeiro ano e na matrícula. Ou seja, o dinheiro que paguei a matrícula e

254


mais dEle. Vivi em Curuá, PA o lapidamento de Deus em minha vida.

as passagens para o Projeto IDE foram muito bem usados. Então, vendo como Deus estava me guiando desde antes de iniciar o Projeto IDE, foi com muita empolgação que eu embarquei dia 11 de Julho rumo a Santarém. Porém, eu não sabia exatamente quais eram minhas expectativas, pois se tratava de uma viagem diferente de todas as outras viagens missionárias que já havia feito. Eu não conseguia imaginar como seria, estava partindo pra algo que realmente não tinha absoluta ideia do que esperar. Mas, Deus dentro de sua maravilhosa Graça, me levou para um projeto missionário que foi simplesmente incrível, uma das melhores experiências da minha vida!

Durante o projeto, tive o privilégio de aconselhar cinco meninas durante os cindo dias de programação. E uma delas me chamou bastante atenção, ela era de poucas palavras e era impossível arrancar um sorriso do seu rosto. Com o passar dos dias, quanto mais ela ouvia sobre o Amor de Deus, um sorriso ou outro ia aparecendo em seu rostinho. E no penúltimo dia de programação quando eu convidei as meninas a aceitarem Jesus em seus coraçõezinhos, ela abriu um lindo sorriso e fez aquela oração comigo. A noite fomos para programação na praça, onde iria ter teatro e passar um filme. E pra minha surpresa, lá estava ela, ficou o tempo todo do meu lado. Assim, eu aproveitei para entregar a ela a pulseirinha do Evangelismo criativo e pedi para que a usasse com o propósito dela contar a outras pessoas o verdadeiro motivo do seu sorriso. Uma alegria verdadeira, que acaba com toda a tristeza e dura para sempre! Não sei exatamente o que esta menina enfrenta todos os dias e o que a impedia de sorrir, mas creio em um Deus que transforma vidas e coloca sorriso nos rostos, por mais tristes que possam estar.

Posso afirmar com muita certeza que volto transformada do Projeto IDE. Deus me levou para amar, cuidar e abençoar vidas através do espalhar o Evangelho. Mas na verdade, fui eu quem volta se sentindo amada por meninas que nunca tinham me visto antes e abençoada pelo privilégio de servir a Deus no IDE, de conhecer e aprender com aquele povo. Pude desfrutar da Soberania de Deus, SUA Bondade e Graça em cada momento. Também aprendi a murmurar menos e ser mais agradecida por tudo que tenho, principalmente pelas coisas que para mim são básicas e simples. Mas, que estão tão longe de serem alcançadas por outras pessoas. A minha oração hoje é para que a semente plantada em Curuá, PA, continue germinando e dando muitos frutos, e que assim como Paulo em Colossenses “Deus me use poderosamente para que eu possa trabalhar e lutar para anunciar Cristo a todas as pessoas. Com toda sabedoria possível, aconselhar e ensinar cada pessoa, a fim de levar todos à presença de Deus como pessoas espiritualmente adultas e unidas com Cristo.” Colossenses 1:28,29 E você? Vai quando pra Missões?

Amanda Maradini, 17 anos São Caetano do Sul, SP

Tive a oportunidade em conhecer uma nova cultura, estive em comunhão com mais de 100 pessoas que nunca tinha visto antes, abracei crianças que sofreram abuso e vivem em uma realidade muito diferente da minha, e senti medo em algumas situações. Mas tudo isso, serviu para que Deus moldasse diversas áreas da minha vida, pra que eu pudesse crescer e aprender

255


Evangelismo após o FILME

Todos os que optaram não ver o filme, ficaram conversando com o pessoal da Equipe. Muitos foram evangelizados e outros estavam revendo voluntários que haviam conhecido nos dias anteriores, ou durante o Evangelismo ou durante as ações para o público infantil e adolescentes. O qual foi o caso da voluntária Laura e o voluntário Michel, que reencontraram adolescentes que no período da tarde haviam conhecido. E assim, foram geradas mais oportunidades de refletir o Amor de Cristo.

256


Na foto acima o voluntário Marcos Luciano revendo parte da família que havia visitado no dia anterior durante o Evangelismo. E no bate papo descontraído todos os voluntários testemunham o Amor de Cristo através de suas vidas. E na foto ao lado o voluntário Jonatas Abdalla com o pequeno Artur o qual o entregou a pulseirinha de evangelismo criativo e falando um pouco mais de Jesus. Veja na próxima página o testemunho completo do voluntário Jonatas.

257


TESTEMUNHO JONATAS ABDALLA

O rio, a Missão e o Nortista

F

oi em Curuá, PA que tive a honra de participar pela primeira vez de um projeto missionário na região Norte Brasileira. As minhas experiências anteriores foram no Sertão Nordestino. E assim como o sertanejo, o povo nortista é bastante receptivo, amável e humilde. Inicialmente o nortista aparenta ser um pouco reservado: os adultos desconfiados e as crianças envergonhadas. Mas, não tarda para se abrirem e se derramarem num forte vínculo de amizade. A cultura de um povo, também recebe influência da terra em que habita. Em relação ao Brasil como um todo, o povo nortista é ainda mais isolado que o sertanejo. É comum o sertanejo questionar o que aquele povo do Brasil inteiro veio fazer logo em sua cidadezinha. Mas, este espanto é ainda maior entre os nortistas. A região Norte é bastante isolada do restante do país. Quando existentes os acessos por terra, são precários. Basicamente a entrada na região Norte é feita por aviões. Enquanto dentro da região Amazônica, predomina o transporte através de barcos. Assim, o nortista permanece fechado em si mesmo. É comum encontrar pessoas em Curuá, PA que frequentemente se deslocam até Manaus, AM, apesar da distância implicar em três dias de viagem de barco. Por outro lado, é muito pouco comum sair da região Norte, para outro lugar no Brasil. Da mesma forma, é comum os brasileiros fazerem turismo nas praias nordestinas, bem como em locais turísticos do centrosul. Mas, por outro lado, segundo recente pesquisa do Ministério do Turismo, somente 6% dos turistas brasileiros desejam conhecer a Amazônia.

258

O Norte e o Nordeste são as regiões mais carentes do território Brasileiro. Tanto de recursos econômicos, quanto do Evangelho de Jesus Cristo. Apesar, de ainda ser grande a carência, a evangelização tem avançado bem mais rápido no sertão do que na Amazônia. Afinal, a região Norte prossegue em notável isolamento. Ao contrário da típica miscigenação do brasileiro, na Amazônia a etnia permanece bastante homogênea.

e é ultrapassado os últimos limites até a região mais isolada da nação. Esta é justamente a mensagem do Evangelho, a saber, que Deus rompeu com o abismo entre o céu e a terra, além de ultrapassar a barreira de separação que está em nossos pecados. Deus veio até nós na pessoa de Jesus Cristo e se fez pecado por nós para que alcançássemos justificação e herança em seu reino eterno.

Jonatas com Equipe durante o Evangelismo com famílias de Curuá, PA

Elementos culturais permanecem conservados em sua identidade própria, mas, ao mesmo tempo, os nortistas de Curuá, PA já agregaram os principais pecados típicos da cidade grande. Por outro lado, o abismo ainda é grande entre a igreja do centro-sul e a região amazônica. O imenso e fenomenal rio Amazonas une todos os nortistas ao mesmo tempo em que os separa dos demais brasileiros. Mas, enquanto esta regra vigorar, a igreja deve ser a exceção. Não é normal para o nortista receber um grande grupo oriundo principalmente das demais regiões Brasileiras. A visita por si só, é uma demonstração de amor que certamente não passa despercebida. É rompida consideravelmente uma barreira, o cordão de isolamento é ultrapassado. A missão na Amazônia ilustra a mensagem do Evangelho: a barreira do grande rio é rompida

Apesar de acostumado com o isolamento, o nortista não tarda para considerar a visita como um motivo de grande alegria. Claro, que nem todos recebem o Evangelho, mas não são poucos os que recebem alegremente os missionários e,

consequentemente, a Palavra que anunciam. É, portanto, um campo muito fértil para semear a palavra de Deus.

E da mesma fora que a região é naturalmente fértil devido à abundância de rios, o nortista é ávido pela palavra de Deus. Mas, os rios não cessam na Amazônia, enquanto o trabalho de evangelismo e discipulado básico durou somente cinco dias neste projeto. Infelizmente é muito pouco tempo para consolidar e frutificar. É certo, Jonatas indo todos os di porém, que o Evangelismo nas ruas de evangelismo


de impacto tem grande importância na semeadura da palavra e no auxílio ao trabalho das igrejas locais. Não são poucos os voluntários que retornam com o coração partido, desejando permanecer por mais tempo. Mas, cremos que os nossos queridos que ficaram em Curuá, PA haverão de desenvolver até a plenitude a fé que semeamos em seus corações; sustentamos esta Esperança com nossas orações. Quem mais partiu o meu coração foi este menino que está ao meu lado na foto. De maneira surpreendente, apesar do pouco tempo que passei com o Artur, formei um vínculo afetivo tão forte ao ponto de amá-lo como a um filho. Assim como muitas crianças na cidade, Artur é criado pela avó. Toda criança e adolescente anseia por atenção e carinho, ainda mais em situações de carência afetiva na família. Portanto, todo o carinho sincero que os voluntários da missão entregavam aos nortistas era muito estimado por Artur, bem como pelas demais crianças e adolescentes da cidade. Numa noite de programação na praça, sentei-me perto de um grupo de meninos. Foi nesta ocasião que conheci o Artur, que, sendo um menino que aprecia uma boa conversa, não tardou em puxar

ias com sua equipe para o e Curuá, PA.

E naquela noite, conversei bastante com Artur e as demais crianças e adolescentes que estavam ao meu redor. A conversa abrangeu vários assuntos, mas se destaca quando Artur expressou o desejo de que a missão voltasse todos os anos e que ficasse todos os dias do mês de julho. No ano passado, Artur não pode usufruir da missão porque estava em Alenquer, PA, cidade onde mora a sua mãe. O retorno da missão naquele ano fez com que o menino pensasse na possibilidade de um novo retorno consecutivo. Constrangido, eu disse que seria muito difícil. Por fim, naquela noite eu entreguei e contei a história da pulseira com as cores do livro sem palavras para aquelas Jonatas e o garoto Artur na crianças e adolescentes. programação na Praça No fim da tarde do dia seguinte, Artur foi até a escola e me entregou uma assunto. Nesta mesma noite, senti sacola com frutas que ele mesmo que o Artur era um menino muito apanhou: cocos, ingás, laranjas, especial e, apesar de eu não ser castanhas e um mamão gigante. Já muito fotogênico, pedi para o Massao em minha casa, com muito carinho tirar esta foto. Artur e alguns de e saudade, eu pude usufruir de todo seus amigos me acompanharam de este banquete. volta até a escola onde estávamos hospedados. Então, pedi que ele Que privilégio testemunhar a resposta esperasse um pouco para que eu lhe ao Amor de Deus que levamos até os trouxesse uma Bíblia. Continuamos confins do Brasil! aquela conversa agradável enquanto eu escrevia a dedicatória. E você? Vai quando pra Missões? Na noite seguinte, Artur me chamou na praça da cidade e me convidou para beber refrigerante. No caminho do mercado, Artur somava o seu dinheiro com o de seu amigo. Então, eu disse que pagaria pelo refrigerante, contudo Artur não deixou e disse que era uma alegria para ele poder me pagar um refrigerante. De volta à praça, Artur compartilhou do refrigerante com todas as crianças que se aproximavam.

Jônatas Abdalla de Camargo 30 anos Campinas, SP

259


EVANGELISMO NA

260

AMAZÔNIA


261


A Equipe de Evangelismo visitou mais de 200 casas e mais de 1000 pessoas ouviram de Jesus, em Curuá, PA.

A equipe de Evangelismo caminhou pelas ruas de Curuá, PA e visitaram 227 casas, e também, conheceram muitas famílias e falaram de Jesus para 1040 pessoas.

262


263


Acima a sequĂŞncia de fotos mostra a Equipe de Evangelismo chegando em mais uma casa para espalhar o Evangelho.

264


Antes de ir, a Equipe se despedindo e fazendo uma oração pela família da casa visitada.

Uma das equipes do Evangelismo visitando as casas em Curuá, PA.

265


266


Depois da visita, a Equipe orou por todos e os convidou para as diversas ações do Projeto IDE, como ações na Saúde e com crianças. E também, marcou para o dia seguinte, voltar e ter o discipulado Bíblico com todos.

267


Os voluntários missionários Marcos Luciano e Jennifer, da equipe do Evangelismo, se direcionaram para as residências mais distantes e as residências as margens do rio Curuá, para espalhar o Evangelho.

268


269


270


Parte dos materiais que usamos no Evangelismo e discipulado, somada a livretos evangelísticos e Bíblias para doação.

271


Durante o caminho, o voluntário Marcos Luciano da equipe do Evangelismo, foi parando e conversando com as pessoas. A cada conversa, não perdia a oportunidade para espalhar o Evangelho. Como também, entregar folhetos evangelísticos, e entregar o Novo Testamento da Bíblia Sagrada.

272


273


Equipe entregando Bíblia para as pessoas no posto de Saúde.

Equipe entregando Bíblia para os funcionários do posto de Saúde.

A Equipe de Evangelismo com a Dupla Marcos Luciano e Jennifer, foram ao posto de saúde mais afastado do centro de Curuá, PA, para falar da do Evangelho e entregar Bíblias. Toda equipe de enfermeiras, como também os médicos cubanos do plantão, receberam muito bem a Equipe de Evangelismo e aceitaram as Bíblias e os folhetos evangelísticos.

Equipe entregando folhetos evangelísticos para todas as enfermeiras.

274


Equipe entregando Bíblia para os médicos de plantão.

Mais de 246 Bíblias foram distribuídas em Curuá, PA.

Equipe entregando Bíblia para os médicos de plantão.

275


276


No total a Equipe de Evangelismo visitou mais de 220 casas na pequena Curuá, PA, para espalhar o Evangelho e refletir o Amor de Cristo.

O voluntário Marcos Luciano da equipe de Evangelismo, em ação as margens do rio Curuá, entregando folheto evangelístico para a moradora residente próxima do rio Curuá.

277


Marcos Luciano da equipe de Evangelismo entregando folhetos evangelĂ­sticos para dois pescadores que estavam fazendo um novo barco. Foi o Evangelismo nas margens do rio CuruĂĄ, PA.

278


Marcos Luciano evangelismo uma jovem que estava aguardando alguém nas margens do rio Curuá, PA. E também entregou folheto evangelístico.

279


Marcos Luciano da equipe de Evangelismo durante ação de evangelismo entre os pescadores a margem do rio Curuá, PA. Onde foi muito bem recebido por todos os pescadores. E todos aceitaram os folhetos evangelísticos.

Os evangelistas andaram pelas ruas de Curuá e pela margem do rio Curuá e falaram para mais de 1040 pessoas do Evangelho e do Senhor Jesus.

280


281


Voluntário missionário Marcos Luciano fazendo no cabelo da jovem de Curuá, PA, um “Tererê”. Mas, enquanto ele está trançando o “Tererê” ele está evangelizando a jovem. E no final do “Tererê” ele coloca as miçangas com as cores do livro sem palavras que representa a história evangelística do plano de Salvação. É o que chamamos de Evangelismo Criativo.

282


TESTEMUNHO MARCOS LUCIANO

C

onheci o Asas de Socorro através de um Banner quando passava por São José do Vale do Rio Preto - Teresópolis em 2011.

No Banner estava a foto do avião sobrevoando a região Amazônica, uma imagem que me fez pensar. Me lembro que fiquei parado durante alguns segundos olhando aquela imagem e Deus falando no meu coração. Então percebi que era o Chamado de Deus a primeira vista. Então rapidamente me mobilizei para ir no Projeto IDE. Tentei ir no Projeto IDE 2011, porém as inscrições já haviam se encerrado. A partir daquele momento, eu contava os meses e os dias para as inscrições do Projeto IDE 2012. Eu estava ansioso por ter a oportunidade de levar o Evangelho aos ribeirinhos do Rio Amazonas. Irmãos de vários Estados, de vários sotaques, de varias igrejas, todos no mesmo projeto e com um único propósito: Pregar o Evangelho de Jesus Cristo!!! Então enfim, chegou o ano de 2012, onde fiz minha inscrição e parti com o Projeto IDE rumo a Amazônia. Desde então, já são seis anos que participo do Projeto IDE Asas de Socorro, sem faltar nenhum ano! Eu não consigo ficar de fora do Projeto IDE nenhum ano, já faz parte da minha vida. E quando volto, fico pensando a cada dia nas pessoas que visitamos e também nas amizades que criamos neste projeto. O que me motiva para voltar no ano seguinte. O Projeto IDE - Asas de Socorro é algo que já faz parte da minha vida. É minha Missão! E você? Vai quando pra Missões?

Marcos Luciano, 42 anos Nova Iguaçu, RJ 283


Durante o trajeto a beira do rio Curuá, a dupla de evangelismo formada por Marcos Luciano e Jennifer, também pararam neste pequeno Armazém para falar sobre Jesus e o Evangelho. E foram mais de quatro pessoas que ouviram de Jesus e receberam folhetos evangelísticos.

284


285


286


Durante o trajeto a beira do rio Curuá, não diferente encontrar pescadores. E assim, a dupla de Evangelismo Marcos Luciano e Jennifer pararam para falar do Evangelho e entregar folhetos evangelísticos aos pescadores. Todos em Curuá, sempre recebendo os evangelistas com muito carinho e atenção.

287


Em Curuá, PA, foram mais de 1000 pessoas ouviram de Jesus, 271 pessoas que decidiram aceitar em suas vidas ao Senhor Jesus, e 132 pessoas receberam nossa equipe em suas casas e tiveram o discipulado em 4 lições dadas em 4 visitas.

288


Parte da Equipe de Evangelismo partindo em mais uma manhรฃ pelas ruas de Curuรก, PA, para espalhar o Evangelho e refletir o Amor de Cristo.

Em Curuรก foram 271 pessoas que decidiram aceitar em suas vidas ao Senhor Jesus.

289


Equipe Eva 290


Projeto IDE 201 7

angelismo 291


Momento para as

292

CRIANÇAS


293


Parte da Equipe do Infantil no Projeto IDE 2017

294


Os voluntários que ajudaram na recepção das crianças, separando por idade e anotandos os nomes.

Equipe INFANTIL projeto IDE Junto com 27 voluntários formava a equipe que recebeu em média 360 crianças/dia. As crianças foram recebidas com oficinas de louvor, fantoches contanto a história missionária, Claves (um programa voltado para prevenção de abuso sexual) e o DEA (Discipulado Em Ação) e Jogos. Tudo com muita alegria e diversão!!!

295


Voluntรกria Julia brincando com os pequenininhos.

Voluntรกria Amanda durante o D.E.A. com as crianรงas.

296


Voluntária Giovanna auxiliando nas brincadeiras com água

Brincadeira com muita água na piscina

Brincadeira com muita água na piscina

Brincadeira com bexigas pra refrescar no calor

Brincadeira com bexigas de água com a criançada

297


Momento de Louvor e adoração

Crianças indo para o Claves

Equipe dos fantoches

“Passo os meses ansiosa pelas férias de Julho de cada ano, pois participar do Projeto IDE - Asas de Socorro é um privilégio! É um momento em que recebemos muito mais que doamos. Sou grata a Deus por esta oportunidade. Servir a Deus é bom demais.” Roseli Ribeiro

Líder da Equipe do Infantil

298


Dan Camargo contando histórias com contexto evangelístico para criançada.

299


300


TESTEMUNHO JULIA KNAACK

V

er a alegria das crianças e a maneira como elas se importavam com gestos de carinho ou apenas um sorriso foi uma das coisas que mais me impactou durante o Projeto IDE 2017 - Asas de Socorro. Saber que por trás de cada rostinho existia uma história, muitas vezes é bastante difícil. Isso me fez buscar transmitir o Amor de Deus o tempo inteiro. Certa manhã, vi um menino que estava com sua irmãzinha no colo e fui tentar falar com ele para que eu cuidasse dela enquanto ele participasse da programação. Mas ela não queria de forma alguma sair de perto dele. Então, começamos a brincar, até que ela acabou ficando um tempo junto comigo. É a menininha da foto ao lado! E foi um momento especial para mim, onde pude ver que algo pequeno, como um barbante que eu tinha junto comigo, se tornar um brinquedo para ela, o que foi suficiente para fazê-la sorrir por alguns minutos. E assim, minha conexão com ela foi feita e segundos depois a pequenina já estava no meu colo. Deus usou detalhes e algumas situações para me mostrar o quão grande Ele é e, como o Seu cuidado se manifesta de uma maneira única e singular. E isso me fez entender o quanto eu preciso depender Dele e me dispor a transmitir o Seu Amor e seu Evangelho. Para servir a Deus é mais simples do que muitos imaginam. Basta se dispor a sair da zona de conforto e IR para espalhar o Evangelho e refletir o Seu Amor. Julia Knaack, 19 anos Três de Maio, RS

301


302


Eu, Michel Silveira sou, corretor de imóveis e moro em uma cidadezinha do interior de Santa Catarina, e na minha infância, como a maioria das crianças tive sonhos e projetos, entre um deles, de ser um Super Herói. Quando conheci a Jesus, o verdadeiro “Super Herói” descobri que poderia levar sua mensagem para tantas crianças que em sua grande maioria não ousam nem ao menos sonhar!!! Escolhi o Chapolim Colorado, não apenas por gostar de seu personagem, mas pela mensagem maravilhosa que ele nos deixa de que, nossos maiores medos e problemas, somos nós mesmos que os criamos, e que somos sim capazes de lutar contra eles... “TUDO POSSO, NAQUELE QUE ME FORTALECE”... E, sem dúvidas o Senhor usou cada criança deste projeto para me fortalecer, da mesma forma como Ele fortalece a cada uma delas!!!

” 303


304


Foram cinco dias onde toda a Equipe do infantil deu seu máximo, o seu coração para as atividades com as crianças. Onde foram mais de trezentas crianças por dia recebidas pela nossa equipe.

305


306


TESTEMUNHO SAMUEL SILVA

F

alar em IDE é sempre falar no agir de Deus na vida de todos os envolvidos nesse Projeto, tanto os voluntários como os alvos do projeto.

Minha primeira vez no Projeto IDE foi em 2010. Um projeto diferenciado porque foi formado por duas equipes, para atender duas comunidades: Jaquara e Tapara. Fui convidado pelo casal Severino e Ester Camilo, (os quais tenho como pai e mãe) missionários de Asas de Socorro em Santarém. O projeto IDE 2010 começa, e quando olho ao redor, todas as equipes já estão completas, e me faço a pergunta: Onde irei servir nesse projeto? E a resposta veio quando fui falar com a Kazuy, da área do Evangelismo. Naquele momento, fiquei em choque, porque tinha dúvidas se conseguiria evangelizar alguém, pois sabia que minha timidez seria um gigantesco obstáculo. Contudo, em muita sabedoria Kazuy respondeu sobre minha dúvida e insegurança dizendo: — Tenha calma! Se você está aqui é porque Deus quis e desejou assim, Ele sempre está no controle. Assim, o Senhor quem te capacitará para falar de Sua Palavra e de Seu Amor. E assim foi uma maravilhosa temporada do Projeto IDE 2010, onde servi no evangelismo! O Projeto IDE 2012 foi na terra natal de meu pai, Curuai. E além de meu pai, estavam comigo nesse projeto mais 11 irmãos da igreja que sou membro. Foi um projeto fantástico onde atuei na área dos adolescentes com amigos mais chegados que irmãos. Só tenho agradecer a Deus sua Misericórdia e Graça por ter me concedido uma temporada tão maravilhosa, porque foi muitas bençãos e vitórias. No mini Projeto IDE 2014, foi uma grande experiência. Um projeto que ocorreu no período da copa em Cachoeira Porteira. E mais uma vez, Deus me mostra que é Ele quem capacita a todos que Ele quer usar. Foi uma viagem inesquecível pra mim porque foi entre os indígenas e quilombolas. Já no ano de 2015, o Projeto IDE ocorreu em Prainha. O ano de comemoração dos 60 anos de Asas de Socorro. O projeto teve a participação de 202 voluntários. Foi um projeto maravilhoso, pois com uma grande equipe, pudemos atender muitas pessoas.

Em cada projeto IDE que participei, Deus em sua soberania fez superar todas as minhas expectativas. Agora no mais recente, Projeto IDE 2017 eu não iria participar, pois já sabia a meses de antecedênzcia que eu não conseguiria despensa do trabalho para ir no projeto IDE. Contudo, Deus mais uma vez me ensina que é ELE quem nos chama, e quanto chama, tudo Ele supre! Então, faltando apenas cinco dias para começar o projeto, meu chefe disse que não iria ter folga mesmo, contudo eu iria entrar de férias. E horas depois, a Missionária Ester, me liga dizendo que precisava de mim dois dias antes da data inicial do projeto, porque a equipe da Logística estava desfalcada. E assim, parti rumo ao Projeto IDE 2017 para servir na logística, onde veio outros desafios como montar equipamento de som, para os filmes, devocionais, louvor, dentre outros. Além de ter servido junto a Equipe do Infantil + Adolescentes, onde foi um tempo muito abençoado. Chegado ao fim de mais um Projeto IDE, me lembrei das palavras ditas durante o Projeto IDE 2012 pela Kazuy: “Durante o Evangelismo, se cada vida que nós abordamos, ouviu tudo que tínhamos pra dizer, mas mesmo assim, não tomou nenhuma decisão. Isso significa que a semente jogada, não germinou no momento que falamos. Contudo, mais adiante, nossas palavras, todas embasadas na Bíblia, poderão vir a brotar. Levantando Deus, outros irmãos para ajudar essas novas plantinhas a crescer. Assim, a cada Projeto IDE que tive oportunidade em servir, me traz o sentimento de querer voltar no ano seguinte, para viver novas oportunidades para espalhar o Evangelho e refletir o Amor de Deus. Pois eu sei que não sou eu ou você quem convence, mas sim, o Espírito Santo. É ELE quem faz a obra através de nós servos” Portanto, aprendo a cada Projeto IDE que Deus capacita quem Ele quer, como Ele quer e quando Ele quer. E você? Vai quando pra Missões? Quão formosos são os pés daqueles que anunciam as boas novas”. Isaías. 55,7. Samuel Silva, 31 anos Santarém, PA

307


Parte da Equipe do Infantil: Daiale, Rosi e Jonatas

Nossos voluntários Keith e Giovanna e Tâmara no meio da criançada

308


Os voluntรกrios que foram os palhacinhos no Infantil.

Dan Camargo com a crianรงada no infantil.

309


Foram entregues mais de 300 sacolinhas entre as crianรงas. Todas contendo lembranรงas como lรกpis, caderno, livreto, dentre outros.

Abaixo o que vinha dentro de cada sacolinha entregue para as crianรงas e adolescentes.

310


Missionária Aparecida entregando as sacolinhas para cada criança, na saída do último dia.

311


Todos indo pra casa com a sacolinha que ganharam do Projeto IDE no último dia.

Todos indo embora com a sacolinha que ganharam de lembrança do Projeto IDE

A felicidade é tanta que todos foram já com a sacolinha nas costas.

312


No último dia, cada criança ao sair ganhou refrigerante um saquinho de pipoca e um presente! Que era uma sacolinha, com as cores do livro sem palavras, onde estava recheado com: alguns lápis, borracha, caderno, salgadinho, livretos bíblicos infantil, escova de dentes e creme dental. E assim, todos foram embora já com a sacolinha nas costas e com sorriso no rosto!

313


TESTEMUNHO GUINEVER FRAZÃO

D

esde criança, sabia que Missões era muito importante. Sabia que não havia entrado em meu coração por minha conta. Mas sim, porque Deus já estava me mostrando qual era o meu Chamado. Até então, não havia tido a oportunidade de participar tão profundamente de um projeto missionário, como o Projeto IDE - Asas de Socorro. Então, quando conheci o projeto IDE, não hesitei em me inscrever, pois precisava aprender, servir, ensinar, como Jesus ordenou. Confesso que não imaginava aprender tanto em cada aspecto da vida durante o projeto. Principalmente, quanto ao se entregar e depender totalmente de Deus. Como também, a ter mais fé. Foi lindo poder sentir a mão do Senhor cuidando de mim em cada instante, em cada momento que achava que tudo daria errado. Desde o momento do pagamento da primeira parcela das passagens, até o último dia de estadia após o projeto. Sendo o cuidado de Deus notório. Quando eu achava que não daria certo, Deus me mostrava a graça dEle. E assim, me ensinou a amar com pureza, me ensinou a dar alimento com alegria e emoção. Essa criança linda no meu colo, na foto ao lado, já havia aprendido sobre a Palavra de Deus. E enquanto sua jovem mãe aprendia também durante o DEA (Discipulado em Ação), ela descansava no meu colo. Foram dias de muita aprendizagem e brincadeiras para as crianças, adolescentes e jovens. Tudo o que fizemos foi a base de oração. E todo o resultado foi para a glória de Deus! Hoje eu tenho ainda mais certeza de que nós precisamos IR, e pregar o Evangelho. Assim, sugiro a desafiar-se a si mesmo a participar e aprender o que nunca imaginou aprender. “O Espírito do Soberano, o Senhor, está sobre mim, porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros.” Isaías 61:1

Guinever Frazão, 20 anos Sorocaba, SP

314


315


Pai foi buscar a filha de moto no término da programação do Infantil. E a filha, com os olhos, dá um até logo para o fotógrafo.

316


E assim acabou mais um INFANTIL do Projeto IDE 2017, com todos os voluntários com coração partido em ter que partir e deixar os pequeninos de Curuá, PA. Entretanto, todos voluntários felizes, com o sentimento dentro do peito do dever cumprido. Realmente é um privilégio poder servir a Deus e ainda mais quando é servir os pequeninos. Foram mais de trezentas crianças por dia atendida pela Equipe do Infantil.

317


318


MOMENTO COM OS

ADOLESCENTES 319


320


Brincadeira

no calor é com

agua Todos os dias durante as atividades com os adolescentes, as brincadeiras ocorriam no período da tarde, onde o calor é muito mais intenso. E por se tratar em Curuá, PA estávamos falando em mais de 35 °C. Assim, grande parte de nossas brincadeiras se basearam com o uso de água pra refrescar. Tivemos futebol de sabão e brincadeira com bexigas cheia de água.

321


322


Os voluntários Akira e Duda sempre com sorriso largo no rosto, muito alegria e com disposição pra dar e vender, para brincar e interagir com a criançada durante as programações.

323


Os voluntários dando o D.E.A. que é um discipulado com conteúdo cristão.

Os voluntários dando o D.E.A. que é um discipulado com conteúdo cristão. Com mais de 25 voluntários formamos a equipe que recebemos mais de 200 adolescentes/dia. Os adolescentes foram recebidos com Claves (um programa voltado para prevenção de abuso sexual) DEA (Discipulado Em Ação), Jogos e oficinas de louvor, prevenção de drogas, estudos bíblicos. Tudo com muita alegria e diversão!!!

324


Os voluntários dando o D.E.A. que é um discipulado com conteúdo cristão.

325


Com os adolescentes o Claves (um programa voltado para prevenção de abuso sexual) e o DEA (Discipulado Em Ação) foram ferramentas usadas muito importantes e edificantes na vida de cada um deles. Na foto acima, registro do momento do CLAVES e do DEA com os adolescentes.

326


327


328


TESTEMUNHO

GABRIELLE RIBEIRO

R

ecentemente tive a oportunidade em deixar esse testemunho para a minha igreja e apesar de ter sido minha primeira experiência com Missões tão longe de casa, posso afirmar com certeza que essa viagem não trouxe vida e esperança apenas para a cidade de Curuá, PA. Mas, trouxe também, pro meu coração e pra minha igreja.

Cresci em família missionária e desde pequena tive contato direto com o trabalho de Asas de Socorro. Achava que meu coração estava preparado para servir nesse Chamado. Porém, foi nessa viagem missionária do Projeto IDE 2017 que me surpreendi com algumas questões dentro de mim e, refletindo, percebi que Deus estava me preparando para uma experiência muito maior do que podia imaginar. O destino da Missão era um lugar distante, pessoas diferentes, denominações diferentes. Mas, era o mesmo Evangelho, o mesmo Deus. Cristãos unidos em um mesmo propósito! Durante a Missão, a ação que mais me marcou foi no último dia, durante a programação das crianças. Sabendo do problema social de abuso sexual infantil na comunidade, dificilmente eu imaginava na possibilidade real de transformação na vida daquelas crianças, haja vista, a complexidade desse assunto. Eu estava pensando somente no sofrimento que elas continuariam passando. Contudo, os membros de nossa equipe do Infantil, a tia Cida e o Nico, fizeram um trabalho grandioso na Oficina Claves (um programa voltado para prevenção de abuso sexual). Onde eu pude ver e testemunhar o poder de Deus. Vi realmente a mão de Deus fazendo a obra na vida dos pequeninos de Curuá, PA. E foi assim, durante o encerramento do Projeto com as crianças, quando um coral de 400 crianças e 50 projetistas entoavam “O meu corpo é um tesourinho” emocionados com tal diferença que guardar aquela palavra poderia mudar a vida daquela geração. Jesus transformou, deu Salvação, e com isso, deu Esperança. Nunca podemos esquecer que Deus, o Criador, o Rei dos Reis, o Deus do impossível, está agindo. Cabe a nós fazer a nossa parte, saindo da nossa zona de conforto e respondendo ao Chamado de Jesus. Assim, apesar de nós, mas, através de nós, Deus pode alcançar pessoas que nunca tiveram a oportunidade de ouvir da maravilhosa Graça e de aceitar Jesus como Salvador. Então, se você nunca participou de um projeto missionário, a igreja do Senhor precisa de mais obreiros! Ide, Sirva, se disponha em espalhar o Evangelho. E você? Vai quando pra Missões? Gabrielle Ribeiro, 20 anos Goiânia, GO

329


330


O voluntário missionário Michel ensinando na oficina de prevenção contra as drogas. A foto ao lado os jovens aprendendo na oficina que a maior arma contra as drogas é dizer NÃO.

331


No último dia nos adolescentes, antes da despedida, todos os voluntários da Equipe deram as mãos e fizeram um círculo em volta de todos os adolescentes para uma oração, pedindo ao Senhor por cada vida que ali estava, que havia participado e ouvido de Sua Palavra. Clamamos a Deus, que a Palavra do Senhor não voltasse vazia e que cada adolescente ali presente tivesse seus passos guiados em Seus caminhos a cada dia.

332


333


Cada adolescente partia feliz com o presente do Projeto IDE 2017.

O momento de felicidade ao descobrir o que estavam ganhando em cada sacolinha.

334


Cada adolescente recebeu no último dia, a sacolinha com várias lembranças do Projeto IDE 2017.

Todos adolescentes também ganharam a sacolinha com as cores do evangelismo criativo contendo com as lembranças, as quais, eram lápis, caderno, livreto evangelístico, borracha e canetas.

335


A hora de dar tchau... 336


A hora do último

selfie

A voluntária Patrícia tirando uma Selfie com as adolescentes no último dia de programação com adolescentes do Projeto IDE 2017.

337


338


339


340


INSTANTÂNEO Confira aqui, alguns dos clicks dos nossos Missionários Voluntários durante a Missão.

341


342


s e õ s s i m m e o massa É UM MINISTÉRIO ONDE O AMOR PELA FOTOGRAFIA É TÃO GRANDE, QUANTO O PRIVILÉGIO EM SERVIR EM MISSÕES.

“Minhas fotografias de missões registram o que acontece no campo missionário a fim de mostrar as pessoas que lá não estão, a fidelidade da comunicação do Amor de Deus ao mundo, por meio daqueles amam e obedecem a Deus.”

Massao

E VOCÊ? VAI QUANDO SERVIR EM MISSÕES?

343


Colaboração Missionário Keith Dalmom Ferreira

Ajudou no roteiro e pré produção das fotografias capturadas. Como também no pós produção divulgando as imagens.

Talita Protasio

Ajudou na produção da matéria do Artesanato.

CAPA: Luã Filipe; Thiago; Vanilda e Rainara FOTOGRAFIA, SET DESIGN, REPORTAGEM, DIREÇÃO DE ARTE, EDIÇÃO GERAL: Massao Kobayashi

CONTRA- CAPA: Daiale FOTOGRAFIA, SET DESIGN, REPORTAGEM, DIREÇÃO DE ARTE, EDIÇÃO GERAL: Massao Kobayashi

344


Agradecimentos

M

uma

Equipe Projeto IDE 2017, os quais me

criativo os quais levei nessa viagem.

vez, foi com

ajudaram e sempre me apoiaram no

Também quero agradecer a meus

g r a n d e

que fosse preciso para eu conseguir

intercessores: Suianny, Jonatas Abdalla,

satisfação

as melhores fotos. Obrigado a cada

Stephanie, Pr. Valdomiro Junior, Kamilla

que

voluntário do IDE 2017!

Zinezi,

ais

servi

Heloisa,

Pr.

Daniel

Santos,

a Deus em

E fica o meu agradecimento especial

Maria Helena, Pr Rogério, Pr Elias,

mais uma Missão na Amazônia no

aos voluntários desse projeto, que com

toda família IBBN e Natália Zinezi.

Projeto IDE com o Asas de Socorro.

toda dedicação, paciência e esforço

Só tenho a agradecer a todos os missionários pela

do

Asas

confiança

e

de

Socorro,

liberdade

que

tive para exercer meu trabalho em fotografia nessa Missão. grande meu

apoio

por

ministério

Além do

acreditar em

nesse

Fotografia.

meu

eterno

experiências dessa viagem missionária,

Em especial, a minha madrinha e minha

enriquecendo ainda mais essa edição

mãe, que sempre acreditaram em mim

da Revista Missões.

e nesse ministério em Fotografia de

Também meus sinceros agradecimentos ao

Pastor

Elias

Soares

da

Batista Boas Novas Sorocaba que sou Daniela Franco, líderes do Ministério

Rute, Omar e Marco Manzano, sem eles,

de Missões da Igreja Batista Boas

com certeza não teria chegado até onde

Novas de Sorocaba, SP; que desde

estou hoje com esse ministério. E sem

o início sempre acreditaram no meu

esquecer, o missionário Fábio Tavares e

trabalho em

Tiago Marshall que sempre me ajudaram

E não menos importante, agradeço

no que precisava.

aos irmãos Isaías, Tânia, Priscila Kato,

Em Cristo,

fotografia de Missões.

Família Cozer que muito contribuíram com

Missões.

igreja

missionários do Asas de Socorro: Ester,

e paciência de todos os voluntários da

menos,

agradecimento a Deus, a minha família.

membro, e também ao casal Renato e

Também quero agradecer ao carinho

não

contribuíram com testemunhos de suas

aos

Quero agradecer especialmente

E

materiais

do

Evangelismo

Massao

345


346


ON-LINE

Redes Sociais

Quer ficar sabendo de muito mais sobre o universo MISSÕES? Siga a gente, Massao em Missões, pelas principais redes sociais, é apenas um click nos links abaixo! Por lá a gente mostra testemunhos e fotos de missões, dos mais diferentes lugares do Brasil! Do sertão nordestino até o epicentro da Amazônia. Acompanhe! Siga a gente! Se quiser nos apoiar, ore por esse ministério! Contamos com orações!

Facebook

f/massaoemmissoes

@massaoemmissoes

www.flickr.com/massaoemmissoes

massaoemmissoes@gmail.com

347


Vejas as outras Edições da Revista Missões.

Conteúdo de Qualidade para Ver, Aprender e Despertar para Missões! 348


AINDA NÃO VIU? Basta um click!

349


Projeto IDE 2017 Asas de Socorro Revista Missões #5  

Projeto MIssionário IDE 2017- Asas de Socorro, que ocorreu na Amazônia, em Curuá, PA