Page 1

IMPRESSO

CowParade Rio 2007 Págs. 10 e 11

Vaca do Drummond. Autores: Celso da Silva e Alexandre Cardoso

Foto: Mauro Rubinstein

SINDEGTUR / RJ • Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

H. Stern inaugura espaço para guias de turismo

Carioca Tropical: Sightseeing com criatividade

Obrigado, Archilda. O SINDEGTUR / RJ lembra de sua luta

Concerto de Arnaldo Cohen nos 95 anos do Pão de Açúcar

Pág. 3

Pág. 6

Pág. 8

Pág. 9


Editorial

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Um 2007 de altos e baixos no Turismo chegada da Família Real. Parcerias resultaram em ciclo de palestras e a criação de espaço para guias de turismo dotados de modernos equipamentos e conforto nas duas principais joalherias do Rio de Janeiro. Novas diretorias sindicais vem sendo criadas, iniciando pela diretoria de Turismo Étnico com Marcelo Ferreira e a diretoria Social com Fernando Bordalo. Para fechar o último bimestre, participei da Assembléia Geral da FENAGTUR em Rio Branco no Acre que marcou a consolidação do status profissional da categoria e a apresentação das novas candidaturas à presidência da Federação Nacional de Guias de Turismo. Também é época de eleição no SINDEGTUR / RJ para a escolha da nova diretoria para o triênio 2008-2010. Venha participar da renovação do seu órgão representativo, não deixe de votar. Podemos fazer mais ainda com você mais perto. Desejo a todos Boas Festas e que o ano de 2008 traga mais prosperidade para todos.

Pague seu imposto sindical de 2008 a partir de 1º de janeiro até 28 de fevereiro e evite juros e multa Solicite a boleta bancária em www.sindegtur.org.br ou ligue para (0xx21) 3208-1801 ou 3208-1827 no horário comercial, receba por e-mail e pague nas agências lotéricas (somente até o vencimento) ou em qualquer agência da Caixa Econômica Federal. O imposto é obrigatório por lei para todos os guias de turismo, mesmo quando não filiados ao Sindicato. Os recursos arrecadados no Estado do Rio de Janeiro são divididos entre o Ministério do Trabalho, a FENAGTUR e o SINDEGTUR / RJ.

Professor Milton Teixeira recebe honraria da Marinha do Brasil Divulgação

P

elo segundo ano consecutivo vemos o turismo exportativo de vento em popa devido ao câmbio favorável aos brasileiros, que assim têm a oportunidade de viajar cada vez mais. Por outro lado, a relação Real – Dólar traz dificuldades para o turismo receptivo internacional. Compreendemos e valorizamos o esforço das empresas do receptivo para se adaptarem a essa nova realidade, mas apostamos no final próximo deste ciclo adverso de dólar fraco, que tem afetado a economia de diversos países, não só o Brasil. Afinal de contas, já passamos por isso antes e sobrevivemos. Quanto ao sindicato, neste ano iniciamos negociações com a B.I.T.O. que deverá resultar no primeiro Acordo Coletivo de Trabalho da nossa categoria, trabalho de longo fôlego que vem sendo dirigido há anos pelo atual vicepresidente Mauro Rubinstein; demos continuidade às atividades de cunho cultural com as palestras ministradas pelo diretor de capacitação Milton Teixeira, que revelou ainda um notável desempenho artístico na figura de Dom João VI, iniciando a celebração dos 200 anos da

2

Luiz Augusto N. dos Santos Presidente do SINDEGTUR / RJ

PUBLICAÇÃO DO SINDICATO ESTADUAL DOS GUIAS DE TURISMO DO RIO DE JANEIRO Rua Santa Clara, 75 • 13º andar • Cob. 01 • CEP 22041-010 • telefone (0xx21) 3208-1801 • Fo n e / F a x ( 0 x x 2 1 ) 3 2 0 8 - 1 8 2 7 • e - m a i l s i n d e g t u r @ s i n d e g t u r. o r g . b r • Site: www.sindegtur.org.br • Horário de atendimento: de segunda a sexta-feira, das 10h às 13h e 14h às 18h PRESIDENTE: Luiz Augusto Nascimento dos Santos • VICE-PRESIDENTE: Mauro Rubinstein • JORNALISTA: Lídia Freire (Mtb 18.260) • SECRETÁRIA: Marcia Rabello • COLABORARAM NESTA EDIÇÃO: Angelica Monnerat, Gerardo Millione, Luiz Augusto N. dos Santos, Márcia Rabello, Márcia Silveira, Maria Elizabeth de Oliveira, Mauro Rubinstein, Milton Teixeira, Neyla Bontempo • DESIGN GRÁFICO E EDITORAÇÃO ELETRÔNICA: Kátia Regina F o n s e c a • TIRAGEM: 3.000 exemplares • IMPRESSÃO: Jornal do Commercio • PERIODICIDADE: Trimestral • DISTRIBUIÇÃO: Gratuita.

Em cerimônia na Ilha das Cobras, a Marinha do Brasil concedeu a honraria “Amigo da Marinha” ao diretor de capacitação do SINDEGTUR / RJ, professor Milton de Mendonça Teixeira. A medalha foi imposta pelo Almirante Monteiro, comandante do Corpo de Fuzileiros Navais, na presença de autoridades militares e civis, representantes do SINDEGTUR / RJ e colegas guias de turismo.


Trade

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

3

E

m cerimônia singela, com a presença da viúva de Hans Stern, D. Ruth, seu filho Roberto Stern, o diretor comercial Cid Rocha, funcionários da empresa e guias de turismo, foi inaugurada a sala Hans Stern, espaço destinado ao uso dos guias de turismo, dotado de todo o conforto e de facilidades como acesso a Internet e equipamento audiovisual. Em discurso emocionado, Roberto Stern revelou ter sido o espaço para os guias uma das últimas orientações de seu pai, dias antes de falecer. Lembrou também de episódios de sua própria infância, enquanto a empresa ainda se consolidava, da época em que a mãe costumava receber para o almoço, além dos parentes e amigos da família, incontáveis turistas, fascinados pela proximidade com o grande empreendedor. Pediu dos guias de turismo o apoio de sempre para que a empresa-líder do setor continue a missão de excelência traçada por seu fundador. Cid Rocha, o habitual elo de contato entre a empresa e os guias, pessoa muito conhecida e querida pela categoria, também dis-

Fotos: Mauro Rubinstein

Inaugurada a sala Hans Stern para guias de turismo

cursou, agradecendo a presença de todos e enfatizando que o uso da sala não se limitaria às visitas profissionais e que os guias poderiam freqüentá-la sempre que quisessem, dentro do horário de funcionamento. Em seguida, D. Ruth, visivelmente emocionada, descerrou a placa comemorativa, sem a presença do “titio” – como Hans Stern era carinhosamente chama-

D. Ruth, Roberto Stern e Cid Rocha recebem os guias de turismo

do pelos guias –, que certamente lá estaria, sorrindo com a discrição que lhe era tão peculiar, a receber os guias de turismo que, em vida, soube tão bem prestigiar. MIRANTE HANS STERN Decreto publicado no Diário Oficial do Município dá o nome do joalheiro Hans Stern ao Mirante do Leblon, situado na subida da Avenida Niemeyer. O ato é uma homenagem a esse carioca nascido na Alemanha, que através de suas lojas ajudou a divulgar e valorizar as pedras preciosas brasileiras, sobretudo fora do país, além de desenvolver peças com design da mais alta qualidade, sempre associando seu nome ao Brasil e ao Rio de Janeiro. A emoção de Ruth Stern ao descerrar a placa de inauguração do novo espaço

Q

uantas vezes o vimos sorridente na entrada da matriz da H. Stern em Ipanema, observando o incessante entra-e-sai, incógnito. Não faz muito tempo, à noite, em uma rua erma do Leblon, lá estava ele, passeando com a esposa, no seu passinho miúdo – frágil figura – como um cibito, aquele passarinho nordestino tão magrinho. Poucos sabem que Hans Stern, além do sucesso empresarial como o mentor de uma das primeiras multinacionais brasileiras, foi o padrinho de diversas empresas do turismo receptivo carioca. Financiou, estimulou e promoveu dezenas de agências de turismo, inclusive com empréstimos a pagar, a perder de vista, quando aquelas apenas começavam, desde os idos de 1970 e até recentemente. Não foram poucos os guias de

(Fonte: Prefeitura Digital)

turismo auxiliados nas emergências, ou instituições, das mais diversas no país, amparadas pelo benfeitor que sempre exigia o anonimato de seus atos. A discrição e a modéstia eram sua marca. A tradição judaica diz que cada geração possui ao menos 36 pessoas justas, sobre as quais a Divina Providência repousa – os chamados lamed-vav. Se algum dia faltarem, a existência do mundo corre risco. São incógnitos, freqüentemente eles mesmos não têm consciência de pertencer ao grupo. Não se pode afirmar que Hans Stern teria sido um lamed-vav, mas que importa isto agora, Senhor, estamos muito tristes. Rogamos que o receba com carinho e que nos mande logo de volta alguém como ele. Mauro Rubinstein


Trade

Final de ano na H. Stern

4

Fotos: Mauro Rubinstein

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Zé Geraldo e Iraci

A

tradicional festa de confraternização de fim de ano da H. Stern reuniu cerca de 600 guias de turismo, agentes e operadores de turismo no Clube Monte Líbano, na Lagoa. Ainda que o ano de 2007 não tenha sido um ano memorável para o turismo receptivo, não faltou animação. A única nota triste foi a ausência muito sentida do Sr. Hans Stern, que sempre comparecia e participava das premiações e homenagens, desde a criação do evento, nos idos de 1980. Para os guias de turismo, uma alegre ocasião para rever os amigos e descontrair. Gente animada e bonita e o excelente coquetel ajudam a tornar o evento um dos mais aguardados a cada fim de ano. Nossos agradecimentos à direção e staff da H. Stern, carinhosos e profissionais como sempre!

Acima, vista geral da festa no Monte Líbano. Abaixo, Cid Rocha acompanhado de Lúcia e Gerlindes, funcionárias da H. Stern, e Cláudio, guia de turismo

Flagrante de beleza e charme

Acima, operadores e funcionários da Sat Tours. Abaixo, o guia Casariego recebe premiação


Trade

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

6

Mauro Rubinstein

Novos rumos no Turismo Receptivo

I

mplantar uma agência de sightseeing – aquelas que operam excursões turísticas diárias com apanha em hotéis – não é para qualquer um. É preciso ser ousado e ter disposição para trabalhar muito. É este o perfil de Efraim Schvaitzer, que deu uma guinada radical em sua vida no ano de 2000, ao resolver fazer um curso de guia de turismo. Já em 2003 partia para um grande desafio, ao abrir a agência Carioca Tropical para disputar espaço com as grandes empresas de sightseeing que dominam o mercado há décadas. Com um serviço profissional, bem personalizado e muita criatividade na organização de seus roteiros, a Carioca Tropical foi vencendo resistências e já movi-

menta um número considerável de turistas, através da rede hoteleira e das agências de turismo. O segredo do sucesso: ela oferece serviços em segmentos especiais, áreas em que a maioria das agências do receptivo não costuma atuar, como futebol no Maracanã, kabalat shabat (cerimônia judaica da sexta feira) em sinagogas e

tour das instituições judaicas; missa com canto gregoriano na Igreja de São Bento e outros roteiros históricos e temáticos. Mesmo as excursões tradicionais receberam roupa nova: O full-day da Carioca Tropical combina Pão de Açúcar, Corcovado e almoço na Marius com um tour histórico, à tarde. O Rio à noite,

além do Plataforma, tem alternativas como Rio Scenarium, Cidad e d o S a m b a e e n s a i o s das escolas. E tudo em base seatin – com qualquer número de pessoas. Uma mão na roda para agências e guias do receptivo internacional! Agências interessadas devem entrar em contato com Efraim Schvaitzer pelos telefones (21) 2236-4650 ou 2547-6327 ramal 805 – Fax ramal 804; e-mail efraim@cariocatropical.com. Ve j a m a i s d e t a l h e s n o s i t e www.cariocatropical.com. O SINDEGTUR / RJ vem prestando assessoria à Carioca Tropical na elaboração de novos roteiros e, em um futuro próximo, oferecerão, em parceria, treinamentos para os guias de turismo interessados em áreas de especialização com grande demanda.

Números animadores

P

ara consolo dos que sobreviveram à recente crise do Turismo, fruto da infeliz combinação de dólar desvalorizado, problemas na malha aérea e de violência urbana, os números de 2006 até que foram animadores: o anuário da revista Exame, que utiliza fontes diversas, traçam perspectivas bastante positivas para nós. Em 2006, recebemos 7.150.000 visitantes (Secretaria Estadual de Turismo), que gastaram em média R$ 430,00 por pessoa, por dia. O faturamento do setor ultrapassa R$ 16 bi (IBGE), empregando 309.279 pessoas (Rais) e constituindo 3,9% do PIB estadual (Secretaria de Turismo e Planejamento do Estado). É verdade que São Paulo fatura bem mais – 34 bilhões de reais. Acontece que o orçamento para a promoção do Turismo em Sampa é 13 vezes o nosso... Quanto ao perfil do turista em terras fluminenses, 30% são estrangeiros e 66% permanecem mais de quatro dias (Secretaria Estadual de Turismo). Entre os estrangeiros, os americanos lideram, seguidos dos argentinos e portugueses. Os atrativos turísticos mais visitados na cidade do Rio de Janeiro em 2006 foram o Corcovado, com 1.200.000; o Pão de Açúcar, com 750.000; e o Maracanã, com 600.000 visitas (incluindo visitantes do próprio estado, de outros estados e estrangeiros, segundo dados da Secretaria Estadual de Turismo).


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Trade

O Transporte Turístico ameaçado

O

transporte turístico no país é normalmente fiscalizado pelo Ministério do Turismo, através dos seus órgãos delegados nos estados. No Rio de Janeiro, é o DETRO que fiscaliza, abordando veículos de turismo nos acessos ao Aeroporto Internacional Tom Jobim e outros pontos estratégicos. Mesmo quando apresentados todos os documentos exigidos pelo Ministério do Turismo – CRV, apólice de seguro e ordem de serviço com relação de passageiros – o DETRO alega que, sem o seu selo, todo transporte é ilegal e, assim, turistas são retirados do veículo, causando um constrangimento imenso. Mesmo quando os turistas não são retirados do veículo, os atrasos causados por esse tipo de ação geram grande mal-estar aos nossos visitantes, que passam a temer pela perda do vôo ou a concretização do passeio contratado. Essa ação põe em dúvida a lisura de toda operação turística. Tal procedimento fere a legislação ordinária, conforme as leis 6.505/ 77 e 8.081/91, e a própria Constituição Federal, no art. 170 dispõe que as atividades de turismo são livres em todo o país, incluindo-se aí, com a devida licença, o transporte em suas diferentes modalidades. Por outro lado, vale dizer que o mesmo não se trata

de serviço público concedido, conforme previsão constitucional do art. 175, ou, ainda, não se enquadra nas disposições da Lei de nº 8.987/95. Portanto, o transporte turístico não deveria ser fiscalizado pelo DETRO. Com o intuito de buscar um mediador para este lamentável problema, procuramos o deputado federal Edson Santos, que, na condição de membro da Comissão de Turismo da Câmara Federal, convidou os Secretários Estadual e Municipal de Turismo, o DETRO, a SMTR, a ABAV, ATT e o SINDEGTUR/RJ para uma reunião a fim de sanar esse e outros problemas relativos ao transporte turístico. Vale ressaltar que incluímos o tema dos moto-guias na pauta. Essa má interpretação da legislação gerando um grande prejuízo à imagem do nosso setor, pondo em risco milhares de empregos diretos e indiretos. O Turismo merece mais cuidado e incentivo por parte do poder público.

Wagner Medeiros Guia de Turismo Wagner Medeiros foi vice-presidente do SINDEGTUR / RJ no período de 2001 a 2003 e candidato a vereador pelo município do Rio de Janeiro, nas últimas eleições municipais.

7

NOTAS SINDICAIS ESTÁ MELHORANDO Segundo dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), a aviação doméstica cresceu 6,7% no transporte de passageiros e 202,2% na oferta de assentos durante o mês de setembro, comparados com o ano passado. Houve forte alta no tráfego para o exterior com os novos vôos em curso. As linhas internacionais registraram um crescimento de 39,8% no transporte de passageiros por quilômetro e 55,7% em assentos por quilômetro, oferecidos no período. Na participação do mercado doméstico, a TAM mantém a liderança, com 48,15%. A GOL vem em segundo, com 39,05%. No internacional, o primeiro lugar é da TAM, com 69,78%, seguida pela VARIG, com 13,3%, e, na terceira posição, a GOL com 12,7%. Fonte: Brasilturis Jornal

INTEGRAÇÃO METRÔ-ÔNIBUS CHEGA AO CORCOVADO Uma linha especial turística vai fazer a integração metrô-ônibus, a partir da estação Largo do Machado. A nova linha terá veículos com ar condicionado funcionando entre 8h30 e 17h, a intervalos de 30 minutos, e o valor da tarifa será estabelecido em até R$ 12, mais a taxa a ser cobrada pelo Ibama, com direito a utilizar o metrô. De acordo com a Secretaria Municipal de Transportes, o serviço deve começar a funcionar em três meses, com paradas somente na Estação do Trem do Corcovado, no Largo das Paineiras e na Estrada do Corcovado, na base do Monumento do Cristo Redentor, nos dois sentidos. (Fonte: A Prefeitura Digital, 4 de dezembro de 2007)


Social

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

A grande Chaga

Archilda partiu

Editorial publicado no jornal O Globo em 27 de novembro de 1957 Divulgação

Divulgação

8

Archilda recebe o carinho de seu marido Celso na festa de seus 70 anos, em agosto deste ano

do Brasil. Assumiu posteriormente a vice-presidência do SINDEGTUR / RJ na gestão de Mario Caselli. Dedicada lutadora pelos direitos dos guias de turismo e muito querida pelos colegas veteranos que a conheceram, Archilda deixa uma lacuna em uma época em que pessoas como ela vão se tornando cada vez mais raras.

O texto é de 1957, mas a imagem, mais atual do que nunca

“N

uma cidade cheia de mazelas como o Rio, poderia parecer difícil dizer qual a maior de todas elas. No entanto, para quem conhece os problemas cariocas, a dificuldade não existe: a grande chaga da cidade são suas favelas. Com efeito, na favela se reúnem, em escala insuspeitada, todas as falhas do nosso urbanismo. Os chamados barracos, como moradia, são indignos; o aglomerado deles que forma a favela é desumano. As condições de vidas dos favelados são, sem sombra de exagero, infra-humanas. Na realidade, não há, portanto, o que se estranhar se o comportamento dessas populações se revela, por vezes, desajustado ao padrão moral usual”.

“Para enfrentar a calamidade que hoje atinge a mais de meio milhão de habitantes, o que se tem feito de positivo? (...) Será crível esse cruzar de braços das autoridades? A fiscalização municipal tão vigilante em relação a obras de pouco vulto nos prédios construídos, fica ausente do abuso inqualificável. Depois será muito mais difícil enfrentar a situação. A favela, uma vez criada, tem mil e uma vidas. Infelizmente, as autoridades não pensam assim. O resultado, evidentemente, só pode ser um: novas favelas a castigar uma cidade já tão castigada pela inoperância do poder público”. Mauro Rubinstein

N

ossa colega guia de turismo e ex-dirigente sindical Archilda Barroso faleceu no dia 12 de dezembro. Guia desde 1978, foi diretora, vice-presidente e conselheira nacional da AGTURB – Rio de Janeiro, precursora do SINDEGTUR / RJ. Eleita presidente da AGTURB nacional foi uma das fundadoras da FENAGTUR – Federação dos Guias de Turismo


Trade

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

9

Arnaldo Cohen no Morro da Urca Recital marcou o início das comemorações de aniversário de 95 anos dos Bondinhos

O

anfiteatro do Morro da Urca foi palco de uma apresentação inédita do pianista Arnaldo Cohen: um recital para 800 convidados, com temas bem brasileiros. Promovido pela Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar, em parceria com a ProArte, o evento marcou o início das comemorações de aniversário de um dos pontos turísticos mais visitados do Brasil, que completou 95 anos no dia 27 de outubro. “Não poderia haver melhor forma de iniciar as comemorações de aniversário do Bondinho do que com uma apresentação especial do Arnaldo Cohen no Morro da Urca. Mais novidades estão por vir”, antecipa Maria Ercilia Leite de Castro, diretora geral da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar. Em noite inspirada, Cohen encantou a platéia no anfiteatro no

Os jardins e os discos no Morro da Urca receberam uma iluminação especial

Os convidados lotaram o anfiteatro do Morro da Urca

morro da Urca com peças dos brasileiros Alberto Nepomuceno, Luiz Levy e Ernesto Nazareth, além de Bach-Busoni, Schumann e Chopin. Em 2006, o crítico Steve Smith, do New York Times não poupou elogios a Cohen: “Com uma técnica infalível, sua performance foi um modelo de equilíbrio e imaginação”. Yehudi Menuhim, um dos mais importantes músicos do século XX foi mais longe: “Arnaldo Cohen é um dos mais extraordinários pianistas que já ouvi”. Após o recital, um jantar assinado por Monique Benoliel foi servido aos convidados.

Arnaldo Cohen em noite inspirada


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Carioquices

10

Fotos: Mauro Rubinstein

CowParade Rio 2007

Top Múúúodel. Autor: Luís Andensohn

O

Rio de Janeiro recebeu uma das mais curiosas e bem-humoradas exposições de rua do mundo – a CowParade –, mostra de vacas em fibra de vidro pintadas por artistas diversos e que ficam espalhadas pelos pontos mais movimentados de uma cidade. A CowParade já foi vista por mais de 100 milhões de pessoas, em 37 cidades em todo o mundo. No Brasil, já passou por Belo Horizonte, São Paulo e Rio de Janeiro.

Olhar o Brasil - Caras do Brasil. Autor: Chicô Gouveia

a custear o projeto. No final de cada mostra há um leilão, onde a renda arrecadada é revertida em prol de algum projeto social da cidade expositora. No Rio, foi contemplada a obra social da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro. A CowParade já arrecadou desde 1999 US$ 11 milhões para projetos sociais e já virou febre no mundo inteiro. Só o leilão de Chicago vendeu 3 milhões de dólares, sendo que uma das esculturas em tamanho original – a HANDsome – alcançou 110 mil dólares. Em Nova York, a vaca Tiffany conseguiu 60 mil dólares. Miniaturas das vacas são comercializadas nos Estados Unidos, na Europa e na Ásia e colecionadas por milhares de pessoas.

Um comitê especializado é responsável pela escolha de artistas plásticos, designers, arquitetos, estilistas, entre outros profissionais, além da criteriosa seleção por meio da Internet. Renomados artistas e novos talentos dividem a tarefa de pintar as vacas, patrocinados por empresas que ajudam

Locowlize-se! Rio de Janeiro, Brasil

Vaca Praiana. Autora: Christina Murad


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Carioquices

11

Angelart’s Vaca Marítima. Autor: Luís Andensohn

Mauro Rubinstein

A menor loja do Rio

Entrevista com Cowrolina Cornélia Leite Cowrolina Cornélia Leite é a atual presidente do Sindivacas / RJ – Sindicowto das Vacas do Estado do Rio de Janeiro. Com medo dos abatedouros e frigoríficos, a presidente solicitou que não fosse fotografada. Como as vacas receberam a homenagem? Aliás, elas consideraram o evento uma homenagem? Certamente! É preciso esclarecer que, apesar da indiscutível importância da vaca na vida e na economia de qualquer sociedade humana, historicamente a imagem da vaca não é lá das melhores. Diversos outros animais que nada produzem e ainda têm um comportamento destrutivo, como a pantera e a tigresa, são mais admirados por homens e mulheres. Até mesmo a piranha melhorou a imagem, depois de uma novela de sucesso, cuja heroína rodava bolsinha na avenida Atlântica. Ainda hoje, chamar uma mulher de vaca é arrumar confusão na certa. Nossa auto-estima caiu muito. Hoje, nos entregamos inteiras em troca de um pouquinho de pasto, sem reagir. Não será por conta da aparência física da vaca, que não se enquadra nos padrões estéticos do mundo ocidental contemporâneo? Muito bem colocado! Temos o exemplo da Índia, onde somos adoradas e tratadas com o mais profundo respeito. Onde já se viu, no ocidente valorizam o raquitismo, a aparência doentia, que absurdo! As Cowparades têm

mostrado nosso lado belo e sexy, nas mais diversas situações. Observe bem uma de nós: somos esbeltas, saudáveis, tão pacíficas, às vezes pacíficas demais... Compartilhamos com vocês o leite de nossos pequeninos e, como recompensa, somos devoradas, sem dó nem piedade. Mas o homem é carnívoro por natureza e a senhora há de me desculpar, mas a carne da vaca é simplesmente deliciosa. O homem é um imediatista, não pensa no futuro. Onde vão conseguir tanta terra para fornecer carne para toda a Humanidade? Destruindo o meio ambiente ainda mais? O consumo de carne de vaca é um luxo injustificável. Que comam mais peixe ou verduras e conservem o planeta! A senhora está propondo uma moratória na atividade pecuária? Não totalmente. Podemos continuar a fornecer leite, desde que nos deixem pastar nos campos e não nos confinem para a engorda e o abate. Você sabia que durante a sua vida uma vaca fornece 200.000 copos de leite? Dá para fazer muito queijo, manteiga, iogurtes, sorvetes. Não precisamos ser mortas para que vocês vivam. Com o fim do consumo de carne bovina seremos menos numerosas e mais valorizadas, e teremos uma vida (e uma morte) mais decente. Chegará o dia em que chamar uma mulher de vaca será um elogio, um gesto de ternura, abrindo caminho para conquistar seu coração. Quem viver, verá.

A

Angelart’s é forte candidata para o Guiness na categoria de comércio minimalista. Deve ser a menor loja estabelecida do Rio de Janeiro, com cerca de 1 m²! Só entra a proprietária, a artesã Ângela Lopes, e, mesmo assim, de lado, como podemos observar na foto. Ela confecciona bijuterias em osso, pedra, resina, coco, madeira, miçangas e outros materiais. A lojinha fica na rua Barata Ribeiro, 488, quase em frente à galeria Menescal, e está aberta de segunda a sexta, entre 10h e 12h30 e de 14h às 17h. À noite, Ângela, com seu sorriso beatífico, pode ser encontrada na feira noturna de arte na avenida Atlântica, em frente ao restaurante Alcazar. A feira funciona de segunda a sábado, de 18h às 23h30min.


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Turismo

12

O gigante acomodado Mauro Rubinstein

C

Temos tudo que outros países nem sonham ter. Mas, não o suficiente para atrair o turismo internacional, em grande escala

nosso Cristo que sempre aparece abrindo alguma novela é uma das sete maravilhas modernas; o Rio é considerada uma das cidades mais belas do planeta; Ipanema e Bossa Nova ainda entusiasmam legiões. Sem falar no Carnaval, Samba, Forró, Axé Music, Nordeste, Amazônia, Pantanal! Querem mais? A caipirinha é bebida campeã hors-concours em qualquer bar-danceteria que se preze nas grandes cidades, das Américas à África, da Europa à Ásia; as brasileiríssimas havaianas viraram griffe internacional; nossas jóias dispensam apresentaMauro Rubinstein

rise no turismo receptivo não é exatamente uma novidade. Já sobrevivemos a planos econômicos, Guerra do Golfo, World Trade Center, planos econômicos, guerrilha urbana e haveremos de dar um jeito no dólar raquítico e no apagão aéreo. Que as mídias nacionais e estrangeiras continuem a revelar nossas mazelas (qual é a alternativa? Censurar a TV Globo e o YouTube??), enquanto trabalhamos melhor a contra-informação, através da divulgação das nossas maravilhas, afinal somos mesmo campeões do desequilíbrio social, mas também temos muita coisa boa para mostrar. Não existe hoje cidade grande no mundo, por exemplo, que não tenha uma churrascaria brasileira. Na China, só em Shanghai são mais de 40. Fabricantes de produtos de exportação brasileiros como o vinho, a carne, o café e a cachaça já utilizaram as churrascarias no exterior como canal para divulgar em novos mercados, só falta o trade turístico descobri-las. Jogadores de futebol brasileiros são heróis nacionais em dezenas de países mundo afora; nossas novelas são admiradas e assistidas em sabe-se lá quantos países, a maioria produzida aqui no Rio;

Durante décadas, vendemos o País como o paraíso da sensualidade. Hoje, combatemos o turismo sexual...

ções: elas já eram objetos de desejo antes de o leitor nascer; a moda brasileira ganha as passarelas do mundo, com todo o mérito; cosmética da Amazônia; cirurgia plástica, arte, artesanato, culinária. E o Brasil é muito verde, tem muita água e um verão que não termina nunca. Felizmente, a força irradiante e irresistível da cultura brasileira ainda consegue superar a tradicional inércia, a incompetência e a má-fé de boa parte de nossos gestores e políticos, desde a Ve l h a R e p ú b l i c a . Aqueles que sempre falaram muito, mas não fizeram. Prometeram, mas nunca cumpriram. Gente nefasta que, ao dispor de alguns milhões em interesse próprio, impediram que o país ganhasse bilhões. Foram décadas de parcas verbas desperdiçadas com cartazes de mulher pelada, com estandes faraônicos em feiras de turismo, viagens de funcionários públicos com a família às custas do erário, road-shows e fam-tours, verdadeiros trens da alegria de resultados pífios e outras barbaridades. Produtos brasileiros causam admiração lá fora. A marca Brasil é forte, quem não sabe. Se hoje

está difícil vender o Brasil nas feiras de turismo por causa do câmbio, muitos outros destinos têm o mesmíssimo problema. É preciso seduzir o cidadão comum que, em todo o mundo, freqüenta churrascarias, assiste novela e futebol, ama nossa música, lê nossos autores, tem amigos brasileiros, e não vai às feiras de turismo. É ele que insiste em conhecer o Brasil, mesmo com toda a publicidade negativa, mesmo caro e contra a opinião de seu próprio agente de viagens, que, temeroso e sem muita informação, prefere lhe vender outro destino! Aproveitar com criatividade os canais de divulgação disponíveis. Principalmente aqueles criados pela iniciativa privada, pelo empreendedorismo, canais bem mais eficazes que a mesmice dos nossos burocratas. Um agente de viagens vende o Brasil muito melhor que um funcionário do governo, pois trabalha com recursos próprios, não desperdiça o que lhe custou ganhar. Receber melhor o turista – investir em treinamento dos recursos humanos. Proteger mais o turista – para cada vítima de assalto, quantos não deixarão de vir? Como é terrível ver estampado nos principais jornais do mundo, o assassinato de um jovem turista na frente de seus pais, nas areias de Copacabana! Estimular a divulgação boca-a-boca – na hora de decidir onde passar as férias, a palavra favorável de um parente ou amigo vale mil anúncios marqueteiros... Divulgar ainda mais – o Turismo receptivo internacional rendeu mais de R$ 4,2 bilhões de reais em 2006, mas em 2007, a verba da EMBRATUR para divulgação foram míseros R$ 10 milhões. Para despertar o gigante de seu berço esplêndido, cantar o Hino Nacional não basta.


Notas Sindicais

Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

O veterano guia de turismo Bayard Wyse, também dublê de professor de inglês, andou hospitalizado, mas se recupera bem e anuncia a formação de grupos de conversação em inglês com ênfase para o Turismo. Mais informações pelos telefones 2236-2958 e 8102-2357.

• Sempre que entrar no site do banco, verifique se no rodapé da página aparece o ícone de um cadeado; além disso, clique duas vezes sobre esse ícone; uma pequena janela com informações sobre a autenticidade do site deve aparecer. Em alguns sites piratas o cadeado pode até aparecer, mas será apenas uma imagem e ao clicar duas vezes sobre ele, nada irá acontecer.

AVISO AOS NAVEGANTES

INFORMAÇÃO DE GRANDE UTILIDADE PÚBLICA

Não será mais permitida a entrada de visitantes trajando mini-saias, shorts muito curtos ou decotes acentuados na Catedral Metropolitana do Rio de Janeiro o uso de bermudas, calças compridas e saias na altura dos joelhos. Recomendamos, sobretudo, às agências do receptivo que operam cruzeiros marítimos a prevenirem seus clientes com a devida antecedência, pois ainda não há confirmação sobre empréstimo ou aluguel de roupas no local.

A guia de turismo Maria Elizabeth de Oliveira nos enviou a seguinte mensagem: “Acho que grande parte da população não sabe, principalmente por falta de divulgação através da mídia: a Lei 3.051/98 nos dá o direito de gratuidade na emissão da segunda via de documentos, em caso de roubo ou furto, mediante a apresentação do Boletim de Ocorrência. Por exemplo: Habilitação (que custaria R$ 42,97); Identidade (R$ 32,65); Licenciamento Anual de Veículo (R$ 34,11)”. “Para conseguir a gratuidade, basta levar a uma cópia (não precisa ser autenticada) do BO – Boletim de Ocorrência – e o original ao Detran (Habilitação e Licenciamento) e outra cópia a um posto do IFP”.

INGLÊS PARA GUIAS DE TURISMO

XÔ, HACKERS DESCARADOS! A guia Márcia Silveira – sempre com uma boa dica – avisa que testou e comprovou as informações que se seguem. Quando fizer uso dos serviços bancários pela Internet, tome as seguintes precauções para verificar a autenticidade do site e evitar as fraudes virtuais: • Minimize a página. Se o teclado virtual for minimizado também, está correto. Se ele permanecer na tela sem minimizar, é pirata! Não tecle nada. • Sempre que entrar no site do banco, digite SUA SENHA ERRADA na primeira vez. Se aparecer uma mensagem de erro significa que o site é realmente do banco, porque o sistema tem como checar a senha digitada. Mas se digitar a senha errada e não acusar erro é mau sinal. Sites piratas não têm como conferir a informação, o objetivo é apenas capturar a senha.

NÃO USA NEM DEIXA NINGUÉM USAR No Brasil, apenas 5 mil famílias brasileiras controlam 45% do que se produz no país. Os latifúndios, que correspondem a 1% das propriedades agrícolas, ocupam 45% de áreas produtivas. As 20 maiores propriedades equivalem à área ocupada por 3,3 milhões de pequenos agricultores. Enquanto isso, outras 3,5 milhões de famílias aguardam terra para plantar ou acabarão em alguma favela, perto de você. Dizia Ayn Rand, novelista e filósofa norte-americana nascida na Rússia, defensora ardorosa do capitalismo e do American Way of Life: “Quando transações comerciais ocorrem, não por consenti-

mento, mas por compulsão. Quando para produzir, é preciso pedir permissão a quem nada produz. Quando o dinheiro flui para aqueles que não comercializam produtos e sim favores. Quando homens enriquecem de expedientes e não do trabalho e as leis não o protegem deles e que, ao contrário, os defendem de você. Quando a corrupção é recompensada e a honestidade torna-se um sacrifício pessoal, saiba que a sociedade em que você vive está condenada ”.

“QUE SEJA ETERNO ENQUANTO DURE” Já estão funcionando os juizados especiais nos aeroportos de Congonhas e Cumbica, em São Paulo, Santos Dumont e Tom Jobim / Galeão, no Rio de Janeiro, e Juscelino Kubitschek, em Brasília. Os juizados atenderão os problemas com overbooking, atrasos e cancelamentos de vôos; extravio, violação e furto de

13

bagagens; alimentação e hospedagem, entre outros. O atendimento será gratuito e o passageiro não precisará estar acompanhado de um advogado. Esses postos têm caráter emergencial e provisório até o dia 31 de janeiro de 2008, prazo que pode ser prorrogado. Segundo informa a colega guia de turismo Angélica Monnerat, o posto do juizado no Santos Dumont fica no setor de embarque, no saguão do primeiro piso, ao lado da ANAC. O do Galeão está localizado no Terminal 2, 3º andar, atrás do check-in da TAP. O procedimento é o seguinte: em caso de problema, dirigir-se, primeiro, a ANAC, que deverá encaminhar o passageiro, conforme o caso, para o PROCON ou para o Juizado. O número do telefone do Juizado estadual é o 3367-6242.

Fontes: O Dia Online, O Guia Legal, Angélica Monnerat


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Sindical

14

Atividades Sindicais 2007

A

final, para que serve um sindicato de guias de turismo? É uma pergunta bastante comum entre nossos colegas, sobretudo entre aqueles que desconhecem a atividade sindical. Bem, vamos inverter a pergunta. O que aconteceria se não houvesse um sindicato de guias? Você teria sido forçado a abrir uma empresa no papel, somente para emitir notas fiscais de serviços para os verdadeiros empresá-

1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42

rios, arcando com todos os custos da emissão, e seus rendimentos estariam irremediavelmente achatados, por não ter quem negociasse valores por você. Você não teria uma equipe que atuasse na defesa dos interesses da sua categoria profissional, um departamento jurídico para orientá-lo nas situações em que seus direitos fossem atingidos, quando, por exemplo, você prestasse um serviço e não fosse remunerado.

Você não teria representação perante o trade e as autoridades, um intermediador para sanar as dificuldades do cotidiano do seu trabalho, um centro para atividades acadêmicas e sociais, um site informativo na Internet, um jornal. Bem, você poderia viver sem tudo isso, claro. Mas, você, guia de turismo sindicalizado, estaria bem pior. Estes serviços têm lhe custado menos de R$ 30,00 por mês, não chega a R$ 1,00 por dia,

incluindo o imposto anual e as mensalidades sindicais. Para contradizer a mídia nacional que tem batido muito nos sindicatos, tachando-os de inoperantes e generalizando algumas distorções éticas encontradas em alguns deles, nós oferecemos um resumo das atividades realizadas por este sindicato, durante o ano de 2007, lembrando que não existe um único país desenvolvido no mundo que não possua sindicatos fortes e atuantes.

Data

Evento

Tema

Participantes

Local

02/01/07 09/01/07 10/01/07 24/01/07 24/01/07 29/01/07 01/02/07 13/02/07 13/02/07 23/02/07 13/03/07 20/03/07 20/03/07 22/03/07 26/03/07 27/03/07 28/03/07 2/4/2007 10/4/2007 10/4/2007 11/4/2007 11/4/2007 11/4/2007 12/4/2007 12/4/2007 16/4/2007 16/4/2007 17/4/2007 25/4/2007 2/5/2007 3/5/2007 4/5/2007 10/5/2007 15/5/2007 18/5/2007 21/5/2007 25/5/2007 25/5/2007 2/6/2007 04-06/06/2007 06-10/06/2007 12/6/2007

Reunião com Renato Medeiros - Marc Apoio Reunião com Representante da Rede Vale Muito Reunião com Lidia Freire - Jornal Papel Do Guia Entrevista para o RJ TV Entrevista para Rádio Band News Coquetel da ESMAPA Reunião com Vitor Botelho - Amsterdam Sauer Reunião na SESP Reunião de Diretoria Reunião da Representação SEPAN/ME Reunião com Vitor Botelho - Amsterdam Sauer Reuniao do Conselho Estadual de Turismo Reunião de Diretoria Reunião do Conselho Fiscal Reunião com a Diretoria do CCAPA Reunião do Trade Turístico Reunião com Cid Rocha - H. Stern Apresentação da Niteroi Turismo Reunião de Diretoria Coquetel de Lançamento Reunião com Desenvolvedores WEB Reunião com Representante da Lords Seguradora Assembléia Geral do SINDEGTUR / RJ Cerimônia no Esp. Cult. do Trem do Corcovado Reunião do Conselho Editorial Reunião com Representante da Rede Vale Muito Reunião com Tania Miranda / Shopping Rio Sul Palestra na Univercidade Reunião com a Presidência da B.I.T.O. Reunião com a Diretoria do CCAPA Reunião com Representante da Lords Seguradora Reunião com RIO PASS Coquetel de Confraternização Cerimônia de Lançamento United Airlines Festa do CCAPA Depoimento a CPI Cerimonia Militar Reunião de Diretoria Reunião com Representante da Lords Seguradora Reunião do Conselho da Fenagtur CBGTUR 2007 Reunião com Representante da Lords Seguradora

Parcerias em Atividades Acadêmicas Parceria para Redução de Custos de Manutenção Novo Projeto Editorial do Papel do Guia Problemas da Cidade Problemas da Cidade Aresentação de Projeto de Revitalização da Zona Portuária Relacionamento com os Guias de Turismo Implementação do Choque de Ordem Administração Sindical PAN 2007 Relacionamento com os Guias de Turismo Vários Papel do Guia Situação Financeira do Sindicato Relacionamento com os Guias de Turismo Lançamento do Plano de Turismo “Cidade Maravilhosa” Contratação de Guias para Operações Cruzeiros Marítimos Marina da Glória A Fortaleza de Santa Cruz Administração Sindical Recife CVB Nova Versão do Website do Sindicato Seguro de Acidentes para a Categoria Vários Campanha “Vote no Cristo” Edição fe Nº 45 do Jornal Papel do Guia Assinatura de Acordo Relacionamento com os Guias de Turismo O Perfil Profissional do Guia de Turismo Negociação de Futuro Acordo Profissional / Trabalhista Festa do Dia Nacional do Guia de Turismo Seguro de Acidentes para a Categoria Acordo entre Entidades Dia Nacional do Guia de Turismo Vôo Inaugural Washington - Rio de Janeiro Dia Nacional do Guia de Turismo Desordem Urbana Troca de Bandeiras Assuntos Gerais Seguro de Acidentes para a Categoria Desvio de Conduta e Assuntos Gerais O Guia de Turismo no Contexto da Globalização Seguro de Acidentes para a Categoria

Vice-pres. do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Vice-pres. do Sindegtur Presidente do Sindegtur Pres. e Vice Pres. Sind. Diretoria do Sindegtur Pres. e Vice Pres. Sind. Presidente do Sindegtur Vice-pres. do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Vice-pres. do Sindegtur Vice-pres. do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Pres. e Vice Pres. Sind. Presidente do Sindegtur Pres. e Vice Pres. Sind. Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Presidente do Sindegtur Diretoria do Sindegtur Presidente do Sindegtur Pres. e Vice Pres. Sind. Pres. e Vice Pres. Sind. Presidente do Sindegtur

Sede do SINDEGTUR / RJ Sede do SINDEGTUR / RJ Sede do SINDEGTUR / RJ Cais do Porto Cais do Porto Pier Mauá Edifício Sede Amsterdam Sauer Sede da SESP Sede do SINDEGTUR / RJ Bndes Edifício Sede Amsterdam Sauer Sesc/Senac Flamengo Sede do SINDEGTUR / RJ Sede do SINDEGTUR / RJ Sede da CCAPA Marina da Glória Edifício Sede H. Stern Marina da Glória Sede do SINDEGTUR / RJ Sofitel Hotel Guanabara Sede da Lords Seguradora Hotel Savoy Othon Trem do Corcovado Escritório da diagramadora Sede do SINDEGTUR / RJ Sede Administrativa do Rio Sul Campus Bonsucesso Hotel Sofitel Sede da CCAPA Sede do SINDEGTUR / RJ Sede do SINDEGTUR / RJ Rio Sul Shopping Center Parque Guinle Morro da Urca Câmara dos Vereadores Forte Copacabana Sede do SINDEGTUR / RJ Sede do SINDEGTUR / RJ Campina Grande / PB João Pessoa / PB Sede da Lords Seguradora


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Sindical

15

Data

Evento

Tema

Participantes

Local

43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53

19/6/2007 19/6/2007 12/7/2007 27/7/2007 31/7/2007 7/8/2007 10/9/2007 11/9/2007 12/9/2007 17/9/2007 22/10/2007

Reunião com Desenvolvedores WEB Entrevista para a Rede TV Reunião na Amsterdam Sauer Reunião na Sede dos Fuzileiros Navais Reunião com a Diretoria da Seguradora Seminário Viaja Mais Reunião com Diretores da Vitacura Encontro de Gestores Sindicais Reunião do Conselho Editorial Reunião com a B.I.T.O. Cerimônia com Governador do Estado

Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Pres. e Vice Pres. Sind. Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Vice-pres. do SINDEGTUR/ RJ Pres. e Vice Pres. SINDEGTUR/ RJ

Sede do SINDEGTUR / RJ Vários locais Sede da Amsterdam Sauer Ilha das Cobras Lords Seguros Turisrio Sede da Vitacura Brasília Sede do SINDEGTURJ / RJ Potter Advogados Associados

54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65

23/10/2007 25/10/2007 27/10/2007 31/10/2007 10/11/2007 22/11/2007 23/11/2007 28/11/2007 15/12/2007 17/12/2007 18/12/2007 18/12/2007

Reunião do Grupo de Fomento Marítimo Conselho Estadual de Turismo CCAPA Cerimônia Religiosa Comemoração dos 40 Anos da COOTRAMO Reunião com Secretáario Municipal de Turismo FENAGTUR Reunião de Conselho Reunião com a diretoria do CCAPA Audiência pública Reunião com o deputado federal Otávio Leite Evento final de ano

Nova Versão do Website do Sindicato Problemas da Cidade que afetam o Turismo Evento para os Guias Museu da Marinha Definiçaõ do Sistema de Cobrança dos Associados Lançamento do Programa Problemas de Operação no Maracanã Aprimoramento da Gestão dos Sindicatos Edição de Nº 46 do Jornal Papel do Guia Finalização do Acordo Trabalhista Lançamento dos Programas de Capacitação, Pesquisa e Incentivo ao Desenvolvimento do Turismo no Estado do Rio de Janeiro Temporada de Navios 2007/2008 Reunião Extraordinária Apresentação dos Novos Bondinhos Em Memória do Sr. Hans Stern Jantar de Homenagem Lançamento do Guia NOMAD-RIOTUR AGO Análise de Dissertações sobre a Cidade Evento Verão no Morro Revitalização do AIRJ, com o Dep. Est. Paulo Ramos - Adm. AIRJ Prestação de contas da gestão do deputado Confraternização dos guias de turismo sindicalizados

Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Pres. e Vice Pres. SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Presidente do SINDEGTUR/ RJ Diretoria do Sindegtur

Palácio Guanabara Turisrio Sheraton Barra Praia Vermelha Sinagoga da A.R.I. Clube Monte Líbano Riotur Rio Branco - Acre Riotur CCAPA - Pão de Açúcar AIRJ Rio Othon Palace Imperial Café

A

última Assembléia Geral Ordinária – AGO da Federação Nacional de Guias de Turismo de 2007 foi caracterizada pela ausência de representantes de diversos estados, inclusive os anfitriões do próximo Congresso Anual – Foz do Iguaçu. Estiveram presentes os presidentes ou conselheiros de MS, RJ, MG, AC, PB, RN, PE e RO. Com menos representantes, ganhou-se agilidade nos debates. As principais deliberações foram: 1. Abertura das inscrições para as próximas eleições para a diretoria da FENAGTUR. 2. Ficou decidido que se contratará um advogado para a Federação. 3. Será instituído o Conselho de Ética da Federação. 4. O valor do Imposto Sindical deverá ser unificado em todo o país. 5. O cancelamento do Congresso Brasileiro de Guias de Turismo – CBGTUR em 2010 para o estudo de mudanças na organização dos congressos anuais. 6. Solicitar-se-á um parecer sobre a prestação de contas do CBGTUR 2006 de Blumenau, SC. 7. Solicitar-se-ão aos organizadores do CBGTUR 2007, explicações sobre o andamento da organização do evento, assim como a lista de hotéis conveniados, programa e principalmente a definição da data do evento. 8. Será definida através de sugestões a logomarca oficial do CBGTUR, a partir de 2011.

Divulgação

Assembléia Geral Ordinária da Federação Nacional de Guias de Turismo

Os participantes da AGO em Rio Branco, no Acre, posam em Chapuri, terra de Chico Mendes. Em pé: Luiz Augusto (RJ), Wilson (MS), Maria Auxiliadora (RO), Gilson (PE), Creusa (presidente da FENAGTUR). Sentados: Sebastião Mendes (primo de Chico Mendes), Cintua (RO), Gilvan PB), Iacy (RN), Ana Lucia (AC) e Cidneía (MG)


Ano 9 • Nº 48 • Edição dezembro 2007

Sindical

16

Piso de Remuneração por Serviço - PRS 2008

N

a Assembléia Geral Ordinária do SINDEGTUR / RJ, realizada no Hotel Savoy Othon Palace em 11 de abril de 2007, foi votado o novo Piso de Remuneração por Serviço para 2008, com reajuste médio de 5% em relação a 2007, além de reajuste no pagamento de horas extras noturnas, a partir da meia noite, para R$ 45,00 por hora. Estes são valores mínimos para agências de turismo contratantes sediadas no estado do Rio de Janeiro e não servem como base para cobrança a agências de fora do estado ou ao público em geral (cliente-final). Para estes, recomendamos a cobrança por hora à disposição, segundo a natureza do serviço. Guias de turismo que atuam no receptivo das cidades do interior do estado devem adaptar seus tarifários aos valores do PRS 2008, segundo a semelhança e / ou o tempo de duração dos serviços. A Lei determina a emissão de RPAs em cada pagamento por serviços prestados por guias de turismo autônomos e os valores no PRS 2007 incluem os impostos incidentes – INSS e Imposto de Renda, quando aplicáveis. Guias de Turismo da cidade do Rio de Janeiro estão isentos do pagamento do ISS (Imposto sobre Serviços).

Informamos também que está em negociação com as agências filiadas à B.I.T.O., a proposta profissional – trabalhista elaborada e votada pelos guias de turismo do Rio de Janeiro, em sucessivas assembléias abertas, realizadas ao longo deste ano de 2007. Além do pagamento de valores conforme a tabela em anexo, a proposta prevê uma ampla regulamentação na prestação de serviços por guias de turismo do Estado.

1- 4 PAX

5-10 PAX

11- 20 PAX

TRANSFER

75.00

80.00

100.00

116.00

TOUR 4HS

75.00

80.00

100.00

116.00

TOUR 6HS

105.00

121.00

147.00

173.00

TOUR 8HS

142.00

158.00

194.00

236.00

PETROPOLIS (8HS)

142.00

158.00

194.00

236.00

ILHAS (9HS)

158.00

180.00

220.00

263.00

RIO/BUZIOS (7HS)

121.00

137.00

173.00

205.00

RIO/ANGRA (7HS)

121.00

137.00

173.00

205.00

RIO/PARATY (9HS)

158.00

180.00

214.00

263.00

TOUR BUZIOS (12HS)

210.00

236.00

289.00

352.00

TOUR ANGRA (12HS)

210.00

236.00

289.00

352.00

TOUR PARATY (14HS)

242.00

273.00

336.00

410.00

RIO BY NIGHT (5HS)

121.00

137.00

173.00

205.00

75.00

80.00

100.00

116.00

290.00

326.00

390.00

467.00

SÓ JANTAR (3HS) SAMBÓDROMO (12HS)

Os profissionais autônomos não estabelecidos estão dispensados da obrigatoriedade de inscreverse no Cadastro de Atividades Econômicas do Município do Rio de Janeiro e do pagamento do ISS. Entende-se como “não estabelecido” qualquer profissional que não tenha estabelecimento fixo para o exercício de sua atividade. O profissional autônomo nessa situação deve declarar, no verso do recibo de pagamento: “Profissional autônomo não estabelecido, estando isento do ISS e dispensado de inscrição municipal, conforme art. Inciso XIX do artigo 12 da Lei nº 691/84 com as alterações da Lei 3.691/03 e § 2º do art. 153 do Decreto 10.514, de 08 de outubro de 1991”. Fonte: Coordenadoria do ISS – Portal da Prefeitura da Cidade do Rio de Janeiro – http://www.rio.rj.gov.br/

DESK / DISPOSIÇÃO (1) INSPEÇÃO HORA EXTRA NOTURNA COORDENAÇÃO (2) EXC ROD NACIONAL (3) TC AEREO EXC INTERNACIONAL (4) INCENTIVOS (5) (1) (2) (3) (4) (5)

32.00 32.00 45.00 50% 185.00 300.00 300.00 300.00

21 PAX +

Por hora, mínimo 04 horas Por hora, à disposição Após a meia-noite Acréscimo sobre qualquer serviço Por dia + alim. e hospedagem Por dia + alim. e hospedagem Por dia + alim. e hospedagem Por até 12 horas + alim. e transporte

Referente também a qualquer tipo de serviço diurno não estipulado acima. Inclui Carnaval, Grandes Eventos, Incentivos, Congressos e similares. Referente SOMENTE às excursões interestaduais do mercado nacional. Inclui excursões às cidade fronteiriças na América do Sul. Inclui Congressos, Grandes Eventos e similares.

Jornal PAPEL DO GUIA nº 48 - Dezembro de 2007  

Boletim Sindical

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you