Page 1

Prêmio Conilon Especial – Pio Corteletti

SANTA MARIA DE JETIBÁ ANO 7 Nº 35 ......................................

AGOSTO 2015

Inscreva-se até o dia 23 de agosto em uma das lojas Coopeavi e participe do Concurso Estadual de Qualidade de Café Conilon do Espírito Santo

UMA PUBLICAÇÃO DA COOPEAVI AGRONEGÓCIOS

Leia mais na página 5

A IV SEMANA TECNOLÓGICA DO AGRONEGÓCIO SERÁ REALIZADA EM TERESA Leia mais na página 6 e 7

Coopeavi entre as maiores empresas do Brasil

Primeira etapa do Complexo Logístico Coopeavi é inaugurada

O desempenho da Cooperativa Agropecuária Centro Serrana – Coopeavi ganhou destaque no ranking das Maiores & Melhores, da revista Exame, publicado esse mês.

Nesta fase inicial entra em operação o novo Centro de Distribuição da cooperativa em Ibiraçu (ES), há 50 km de Vitória. A parte do armazenamento do café ainda passa por melhorias.

Leia mais na página 12

Leia mais na página 11


2

POR DENTRO DA COOPEAVI

CARO ASSOCIADO. Começamos o ano de 2015 com muitos desafios. Estamos sendo engolidos por uma crise que culmina nestes primeiros seis meses com números nada animadores. Mas esta não é a primeira e nem será a última. Nós que vivemos o agronegócio, devemos erguer a cabeça, estufar o peito a fazer o que sabemos fazer melhor: Trabalhar. Mas não adianta trabalharmos de qualquer maneira, de qualquer jeito. Em épocas difíceis é que aparecem as oportunidades e devemos estar preparados em estrutura e conhecimento. Inauguramos nosso Complexo Logístico em Ibiraçu, uma estrutura que nos dará fôlego para crescermos de forma sustentável ao longo dos próximos cinco anos. Viajamos incansavelmente por todo o globo em busca de mercados que valorizem nossos cafés. A Coopeavi se coloca diante do produtor como incentivadora da produção por qualidade e paga por isso. Então produtor, participe do nosso Concurso Conilon Especial e abrace mais esta oportunidade. O Instituto Coopeavi vem mostrando a que veio, desenvolvendo os núcleos femininos, juntamente com a OCB/Sescoop-ES e liderando nossos processos de certificação, além de apoiar as ações ambientais demandadas pela cooperativa. Na área do conhecimento, a Coopeavi vem fazendo a sua parte realizando, juntamente com seus parceiros, a IV Semana Tecnológicado Agronegócio, desta vez na bela cidade de Santa Teresa. Palestras, entretenimento e claro, excelentes oportunidades de negócios. Veja produtor, tudo isso é para você. Use, participe, faça negócios com sua cooperativa e vamos construir juntos esta corrente de prosperidade. ARNO POTRATZ DENILSON POTRATZ ARGÊO ULIANA Xô crise. PRESIDENTE VICE-PRESIDENTE DIR.ADM.COMERCIAL

Editorial - Informativo Bimestral da Coopeavi Santa Maria do Jetibá- (ES) - Ano VIII - Nº 35 Diretoria Executiva - Arno Potratz (Presidente), Denilson Potratz (Vice-Presidente) e Argêo Uliana (Diretor Administrativo Comercial). Conselho Vogal - Avelino Hell, Claúdio Novelli, Ederson Jacob, Edival Corteletti, Fábio Foesch e Willian Espíndula. Conselho Fiscal - Solimar Plaster, Horário Muller e Sigmar Miertschkink Gerência Executivas- Carlos A. Lima, Daniel Piazzini, Luís C. Brandt e Marcelino Bellardt. Diagramação - Thiara Nascimento Textos -Domicio Faustino Foto de Capa - Weverson Rocio e Felipe Amarelo Revisão - Domicio Faustino, Daniel Piazzini Fale Conosco - (27) 3263 4750 - ramal 4830 imprensa@coopeavi.coop.br

Tiragem: 3.000

Avenida Francisco Schwartz, nº 88, Centro, Santa Maria de Jetibá-ES CEP: 29645-000 www

.Coopeavi.coop.br /CoopeaviAgronegócios /Coopeavi

Uma nova experiência com o cooperativismo no Norte do ES Produtores de Governador Lindenberg, no Norte do Espírito Santo, começam a ter uma nova experiência com o cooperativismo. São diversos produtores envolvidos com a cafeicultura do município em busca de melhorar a qualidade de sua produção e agregar mais valor ao seu café junto à Coopeavi.

O café Conilon é a principal atividade econômica do município. A presença da Coopeavi na região aumenta a possibilidade de ter uma produção mais qualificada e, por consequência, uma renda maior para os mesmos. As comunidades de Córrego Bolívia e Córrego Sapucaia receberam os

profissionais da cooperativa, que os apresentaram a história de tradição e as iniciativas inovadoras realizadas para agregar valor ao Conilon produzido por seus cooperados. Diante da estrutura e forma de trabalhar proativa, os produtores apresentaram interesse em fazer

parte dessa história de sucesso cooperativista capixaba. “Ao final das duas reuniões, aproximadamente 80% dos produtores apresentaram interesse em se cadastrarem para se tornarem sócios da cooperativa”, afirma Egídio Mattedi, gerente Regional Norte da Coopeavi.


POR DENTRO DA COOPEAVI

3

Campanhas recolhe mais 7,7 mil embalagens vazias A Coopeavi promoveu a campanha “Semana Campo Limpo” em Castelo (ES) e Santa Rita do Ituêto (MG). Mais de 7,7 mil embalagens de defensivos agrícolas foram recolhidas, além de produtos vencidos em desuso nas propriedades rurais dos municípios. Em Minas Gerais a ação ocorreu no mês de abril e no Espírito Santo em junho. Para os agricultores de Santa Rita do Ituêto a ação foi uma novidade. “Nunca teve uma iniciativa desta forma aqui na região, e além disso, é uma forma de começar a conscientizar o produtor a fazer a devolução de embalagens vazias”,

A entrega das embalagens vazias dos defensivos é uma Lei e a não devolução pode gerar multa para o produtor e o mesmo ainda pode ser enquadrado na Lei de Crimes Ambientais. Por isso, todas as embalagens de defensivos (como caixa, frasco, saquinhos plásticos, entre outros) devem ser devolvidas a um ponto ou centro de recolhimento autorizado em um prazo máximo de um ano, contando a partir da data da compra. Para mais informações procure uma filial da Coopeavi ou oriente-se com dos nossos consultores em campo.

afirma o produtor e cooperado da Coopeavi Angelo Pazinato Neto (Dedeco). O cooperativismo têm sido uma ferramenta para orientar os produtores do município mineiro e região. A abertura de unidades em Conselheiro Pena, Ipanema e Baixo Guandu contribuiu para aproximar o conhecimento e o produtor. Apesar das intempéries, a ação de responsabilidade ambiental teve um saldo positivo: mais de 1,2 mil embalagens recolhidas. “Apesar das fortes chuvas na véspera e no dia do recolha, que dificultou trânsito nas estradas, a campanha envolveu mais de 30 produtores”, comenta Aristeu Kuhn, agrônomo da Coopeavi, que teve a iniciativa junto com a Secretária de Agricultura da cidade. Já em Castelo (ES), a campanha foi uma iniciativa conjunta entre a Secretaria Municipal de Agricultura, Secretaria Municipal de Meio Ambiente, IDAF (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo), Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), Sindicato Rural, Sindicato dos Trabalhadores Rurais e as demais lojas agropecuárias de Castelo. Nas comunidades de Estrela do Norte, Mundo Novo, Patrimônio do Ouro, Montepio, Pontões, Ponte de São João, Fazenda do Centro, Limoeiro, Forno Grande e Braço do Sul, foram recolhidas cerca de 6,5 mil embalagens e mais de 100 litros de produtos vencidos. “O número de embalagens coletadas foi satisfatório. Agora, tudo que foi

PH.D NO ASSUNTO SE APRESENTARÁ NO ES Esse assunto será um dos temas a serem debatidos durante a IV Semana Tecnológica do Agronegócio. O engenheiro agrônomo e Ph.D. em Entomologia pela Universidade do Estado de Kansas (EUA), Raul Narciso Guedes, que ainda é professor na Universidade Federal de Viçosa (UFV), abordará o tema no segundo dia do evento que ocorrerá em Santa Teresa (ES). Na sua palestra “Mitos e Verdades sobre os Defensivos Agrícolas” os produtores rurais poderão tirar todas as dúvidas sobre os materiais fitossanitários. A quarta edição da Semana Tecnológica do Agronegócio, acontecerá nos dias 12 a 15 de agosto. O evento é aberto para cooperados da Coopeavi e seus familiares, além de convidados. Todos os detalhes do evento podem ser conferidos no site www.sta.coop.br. recolhido será destinado para os postos de recebimento, onde será feita uma avaliação. As embalagens contaminadas vão ser levadas para locais apropriados, para serem

incineradas, e as que estiverem em condições de reaproveitamentos, serão recicladas”, explicou o chefe do escritório local do Incaper de Castelo, Laélio Scolforo.


4

POR DENTRO DA COOPEAVI

Qualificação para o produtor no campo DIAS DE CAMPO LEVAM CONHECIMENTOS À PRODUTORES SOBRE CAFÉ, CEBOLA E TOMATE NO ES E EM MG

Produtores recebem qualificação ao campo, nas propriedades de cooperados e em comunidades de atuação da Coopeavi. A união das forças de produtores possibilita essa transferência conhecimento das boas maneiras na atividade rural de diferentes regiões. Os “Dias de Campo Coopeavi” têm sido ações importantes para qualificar a população da zona rural. O mês de julho deste ano começou com ações em diversas áreas de atuação da cooperativa. Os horticultores de Alto Rio Possmoser, em Santa Maria de Jetibá (ES), participaram da palestra sobre a cultura da cebola e o tratamento especial desenvolvido pela Syngenta junto com a Coopeavi, conhecido como “Base Forte Cebola”. O evento contou com a presença de consultores técnicos da cooperativa e o representante técnico de venda da Syngenta, Flávio Loss, que falou sobre as recomendações para combater as principais pragas e doenças que podem atacar a cebola. O evento também serviu de apresentação do novo gerente da filial de Rio Possmoser, Charles Behrend. O consultor técnico da região, Rômolo Demuner, apresentou os resultados de produtividade da cebola híbrida Atlanta, da Hortec. Em Caldeirão, Santa Teresa (ES), os produtores puderam participaram do Dia de Campo sobre tomate e conheceram as novidades da cultura. Uma delas foi apresentada pelo engenheiro agrônomo, Celso Nasu,

responsável técnico da Coopeavi. Ele falou sobre o tomate Ozone, além das técnicas mais sofisticadas de manejo do tomateiro. Café é tema de Dias de Campo em MG Já os cafeicultores de Santa Rita do Ituêto (MG) marcaram presença da palestra sobre adubação de café. O evento, realizado no Salão Paroquial da cidade, contou com presenças de consultores da Coopeavi e da Fertipar. “Ao final da colheita, os produtores precisam nutrir a lavoura para recuperar sua estrutura e ficar apta para a carga produtiva vindoura”, afirma Aristeu Kuhn, responsável técnico da Coopeavi, que também explicou sobre as condições diferenciadas de um trabalho assistido pela cooperativa e como eles podem evoluir para uma qualidade superior dos grãos. Outro fator importante são os fertilizantes para maior produtividade do cafezal, assim como novas tecnologias. Produtores do Córrego do Lage, em Caratinga (MG) recebeu a equipe da Coopeavi para debater sobre as novas tecnologias na cafeicultura. O primeiro evento ocorreu na propriedade do cooperado Marcelo Soares, no fim da tarde do dia 08 de abril. Além do consultor técnico da Coopeavi, José Ribeiro, a reunião contou com a presença do agrônomo da Litho Plant, Paulo Coutinho, que apresentou as novidades para estruturação do cafeeiro e demais

culturas, como o Sombryt, Litho Cal e Turfa Gel. O encontro fez parte de uma série de eventos na região para transferência de conhecimento aos produtores, por meio da Consultoria Técnica Coopeavi. Outro evento ocorreu no Córrego da Ferrugem, em São Domingos das Dores (MG). No dia 16 de junho, o outro Dia de Campo tratou exatamente sobre como melhorar a eficiência da adubação com técnicas e manejos diferenciados. Também foi realizado na propriedade do cooperado Marcelo Soares, com presença de 18 cafeicultores. Já Victor Aquino, representante da Fertipar, foi o responsável para explicar as novidades sobre fertilizantes e compartilhar as boas práticas para impulsionar a atividade cafeeira da região.

Todos os eventos citados acima têm o objetivo de conscientizar o produtor e contribuir com informações atualizadas de manejo, para que o mesmo possa crescer junto com a cooperativa. Durante os dias 12 a 15 de agosto, a Coopeavi reunirá produtores do Espírito Santo e Minas Gerais em Santa Teresa (ES) para a IV Semana Tecnológica do Agronegócio (STA), o maior evento de capacitação e negócios do cooperativismo capixaba. Na STA haverá profissionais de diversas partes do Brasil, e até de outros países, com informações relevantes para todas as cadeias do agronegócio, ou seja, uma oportunidade essencial para os produtores com visão de fazerem de seus negócios um sucesso.


NUTRIÇÃO ANIMAL

5

Torneios Leiteiro: cooperados entre os primeiros colocados A qualidade da ração Coopeavi fez a diferença em Torneios Leiteiro de Itaguaçu e Afonso Cláudio. As vacas alimentadas com os produtos Coopeavi ficaram nas primeiras colocações em ambas competições. A nutrição animal mais uma vez coloca nossos cooperados em destaque. Produtividade e lucro está fortemente ligado quando o assunto é gado leiteiro. Animais que produzem mais têm um cuidado todo especial, inclusive na alimentação, por isso, a produção maior depende da nutrição animal bem equilibrada. Além do

capim, a correção nutricional acontece com uma ração de qualidade. Este é o caso das vacas que se destacaram nos concursos leiteiros em Itaguaçu e em Afonso Cláudio. O técnico agropecuário, Adilson José Barbosa, acompanha e orienta de perto os principais animais premiados no 38º Concurso Leiteiro de Itaguaçu, de acordo com ele, “a ração Coopeavi e o manejo integrado foram os grandes diferenciais” para os produtores verem suas vacas em destaque na competição. Em Afonso Cláudio não foi diferente. Durante a Festa do Carro de Boi, os

animais que se alimentaram com a ração Coopeavi fizeram a diferença e ficaram entre as melhores do Torneio Leiteiro mais importante da cidade. A rentabilidade da atividade depende da produtividade das vacas leiteiras, aumentar a quantidade de leite é muito importante, principalmente para os pequenos produtores, que tem na produção leiteira sua única fonte de renda. Cooperados da Coopeavi competiram e ganharam os primeiros prêmios da disputa em todas as modalidades na competição em Itaguaçu. Destaque

para os associados: Daniel Berger, Camilo Adolfo Bucher, Gersino Coser, Erivelton Luiz Butker e João Enrique da Costa. Outra grande novidade do evento, voltada para melhorar a qualidade dos animais da região, foi a 1ª Feira Regional de Touros ABCZ, apresentando material genético aprimorado. As rações Coopeavi compuseram a premiação para os animais que sobressaíram no Torneio. Ao todo foram distribuídos 28 sacos de ração para os três primeiros colocados de cada categoria.


6

SEMANA TECNOLÓGICA DO AGRONEGÓCIO

A IV Semana Tecnológica do Agronegócio será realizada em Santa Teresa PALESTRAS GRATUITAS PARA PRODUTORES RURAIS, COM TEMAS COMO HORTICULTURA, CAFEICULTURA, PECUÁRIA LEITEIRA, AVICULTURA DE POSTURA, ENTRE OUTROS

A Semana Tecnológica do Agronegócio (STA), o maior evento de transferências e negócios do cooperativismo capixaba, chega com algumas novidades. Serão quatro dias de evento, no mês de agosto, em Santa Teresa, cidade serrana do Espírito Santo. Em 2014, o evento contou com a presença de autoridades do agronegócio, como ex-ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, e o presidente da Organização das Cooperativas Brasileiras, Márcio Lopes, entre outras. A última edição foi um sucesso de público e negócios. Estiveram na STA mais de 5.000 produtores rurais e os negócios gerados somaram mais de R$10 milhões em três dias, fatos que qualificaram o mesmo com um dos maiores eventos realizados no Espírito Santo, tanto em transferência de conhecimentos, quanto em realização de negócios. Devido a expansão do evento, os expositores comemoraram o êxito da feira e o trabalho realizado. “Me chamou a atenção o comprometimento das pessoas”, afirma Rodrigo Lacerda, gerente comercial da Yara Fertilizantes. Além da mudança do local do evento, de Santa Maria de Jetibá para Santa Teresa, a programação trará diversas

novidades, como a realização do I Painel Internacional de Café, a presença de profissionais referência do setor, como José Luís Tejon, Luiz Carlos Molion, Marcus Magalhães e profissionais da América Central. Serão dois auditórios, com capacidade de 200 pessoas cada, exclusivos para palestras, onde 25 especialistas debaterão junto com os produtores diversos assuntos relacionados ao agronegócio, durante os quatro dias do evento. A primeira palestra da STA 2015 abordará sobre o manejo reprodutivo do rebanho leiteiro. Esse é um desafio dos pecuaristas no campo, melhorar o rebanho leiteiro com genética mais apurada. A palestra mostrará aos produtores presentes que é possível ganhar dinheiro com o gado leiteiro com o controle de qualidade reprodutivo. No mesmo dia, o especialista Marcus Magalhães (#AVOZDOCAFÉ), descontruirá o mercado de café passando para os cafeicultores uma visão mais simples de como acontece a construção dos preços e a volatilidade mercadológica. A questão climatológica tem sido um assunto cada vez mais presente no âmbito rural, principalmente, devido

as mudanças bruscas percebidas nos últimos anos. A irrigação é uma solução em momentos e em regiões com menor disponibilidade hídrica, mas o mau uso da água é um problema. Uma saída é tecnologia das caixas secas nas propriedades e métodos de irrigação mais econômicos, como o gotejamento e o micro spray. O meteorologista, professor e pesquisador da Universidade Federal de Alagoas, PhD em Meteorologia e pós-doutor em Hidrologia de Florestas, Luiz Carlos Molion, será a grande atração do segundo dia do evento, trazendo uma visão diferente sobre as mudanças climáticas: evidências e divergências. Mesmo diante de tantos desafios

enfrentados pelo agronegócio, uma certeza é incontestável: o agronegócio é o Brasil que dá certo. Por isso, nesse momento conturbado da economia nacional, um dos principais pesquisadores sobre o assunto, o doutor José Luiz Tejon, estará na IV Semana Tecnológica do Agronegócio explicando os motivos desse sucesso e os desafios que a agropecuária enfrentará nos próximos anos para continuar crescendo. Outro foco da STA 2015 é o público feminino. Como em alguns sítios elas contribuem para uma produção de qualidade, a programação foi moldada para fomentar ainda mais a inclusão das mulheres na gestão das propriedades.


SEMANA TECNOLÓGICA DO AGRONEGÓCIO

Durante toda a programação haverá espaços dedicados, exclusivamente, para as mulheres. No último dia do evento, o workshop de café para mulheres promete resultados surpreendentes, já que além das produtoras locais, o momento contará com a presença costarriquenha Wendy Barboza, especialista em comercialização da cooperativa CoopeTarrazú, que falará sobre a qualidade da bebida preferida dos brasileiros. Ela também estará junto com cafeicultor Emílio Lopez Diaz, produtor referência em qualidade em El Salvador, e Carlos Brando, membro fundador do Museu do Café e da Associação de Cafés de Qualidade da África, no I Painel Internacional sobre Café no Espírito Santo, que discutirá sobre o mercado de café e os desafios de trabalhar em conjunto com cooperativas ou como empreendedor e a influência das certificações de qualidade no mercado cafeeiro nacional e internacional. Além das palestras gratuitas, a IV Semana

Tecnológica do Agronegócio terá condições especiais para os produtores adquirirem seus insumos e implementos agropecuários. A cada R$500,00 em compras durante a feira, o produtor ganhará um cupom para participar do sorteio de um Fiat Palio Fire e uma moto Honda Bros 160 cc. O evento é aberto para cooperados da Coopeavi e seus familiares, além de convidados. Todos os detalhes do evento pode ser conferido no site www.sta.coop.br.

7

A STA surgiu em 2012 para agregar todos os públicos que fazem parte da Coopeavi: avicultores, cafeicultores, pecuaristas e horticultores. Desde o início o evento ocorreu no mês de setembro, próximo a data de comemoração do aniversário de fundação da cooperativa. Esse ano, pela primeira vez, o evento acontecerá no mês de agosto e serão quatro dias, de 12 a 15/08.

SEMANA TECNOLÓGICA DO AGRONEGÓCIO Local: Parque de Exposições de Santa Teresa-ES Data: 12 a 15 de agosto de 2015 Site: www.sta.coop.br

Não importa o destino. O conceito Econfort oferece a você mais Economia, Conforto e Força. Procure nosso consultor Fabiano: (27) 99905-2218

Rod. BR 101, Km 294 • Trevo Cont. Vitória • Cariacica/ES • VD www.vitoriadiesel.com.br • Tel. (27) 2125-3400 Avance no respeito. Não avance na faixa.


8

INSTITUTO COOPEAVI

Dia C: Mais de 1770 atendimentos em praça pública DOIS DIAS DE CONSCIENTIZAÇÃO SOBRE A SAÚDE DO HOMEM E DE SUA FAMÍLIA NA PRAÇA CENTRAL DE SANTA MARIA DE JETIBÁ O Dia C movimentou a cidade durante dois dias em prol à saúde do homem. O Dia do Cooperativismo foi comemorado com diversas ações de conscientização e atendimento a população. De acordo com dados da Secretaria de Saúde de Santa Maria de Jetibá, foram mais de 1770 atendimentos na área da saúde. Para a gerente de desenvolvimento social do Sescoop, Maria Eugênia Ruiz, o Dia C é uma oportunidade para que as cooperativas percebam como o trabalho voluntário é benéfico tanto para quem recebe, como para quem se dedica a ajudar quem mais precisa. “O voluntariado é uma via de mão dupla; promove o bem-estar de quem recebe e também de quem ajuda. “, afirma. Em todo o Brasil foram realizados mais de 1,2 mil projetos. Em Santa Maria de Jetibá, as quatro cooperativas: Coopeavi, Coopetranserrana, Escola

Cooperação e Sicoob, se uniram e realizaram diversas ações voltadas para a comunidade como um todo, e com foco principal na saúde masculina. “Escolhemos esse tema devido ao grande índice de homens que se envolvem com o alcoolismo, drogas, desenvolvem doenças que podem ser prevenidas, evitando transtornos maiores no futuro, mas hoje ainda existe uma resistência muito grande por parte dos homens se prevenirem”, explica a integrante do Comitê de Jovens Lideranças Cooperativistas, Simone Holz Loose. Além de Simone, mais de 150 pessoas trabalharam voluntariamente para desenvolver as ações do Dia C. Foi disponibilizado para a população serviços como vacinação, agendamento de exames PSA, orientação sobre saúde bucal, aferição de pressão, encaminhamento para nutricionista,

exames de glicemia, atualização do Cartão Nacional do SUS, orientação sobre o uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI), corte de cabelo, entre outros. Ivo Lopes, 52 anos, acompanhou os dois dias das ações e confirmou que “muitos homens não têm o hábito de fazer exames preventivos e só buscam o médico quando já está com algum problema aparente”. Para ele ações dessa natureza “faz o homem se mexer” em busca de ajuda médica e ver a própria situação. “Sempre que assisto palestra, vejo fotos e as dificuldades de um câncer instalado, fico ansioso para fazer alguma, dá vontade de procurar um médico, marcar uma consulta e fazer exames. ”, relata. Internamente as cooperativas realizaram durante o mês de junho uma campanha de doação de agasalhos e livros, que foram doados para a Associação

Casa Bom Samaritano, uma associação sem fins lucrativos, que atua no âmbito de recuperar dependentes químicos e alcoólatras. E nos dois dias de evento, também foram coletados resíduos tecnológicos e doados para a Escola Estadual de Ensino Médio Gomes Cardim (EEEM Gomes Cardim), que utilizará o material para projetos internos.

UM POUCO DE HISTÓRIA… Nascido em 2009, em solo mineiro, o Dia C ganhou o Brasil com a nobre missão de promover e estimular ações de voluntariado, ofertadas à comunidade por todos nós, que sentimos orgulho de ser cooperativistas.

Curso de culinária para produtoras rurais O Instituto Coopeavi promoveu no mês de abril um curso de culinária para mais de 40 mulheres ligadas à Coopeavi. A capacitação ocorreu em datas e locais diferentes: Vila Pontões (Afonso Cláudio-ES), Garrafão e Pousada Paraíso (Santa Maria de Jetibá-ES). Em Ambos encontros contaram com a presença da gastrônoma Mirka Garmendia, que ministrou o curso. A participação ativa das mulheres nas propriedades rurais está cada vez mais evidente, mas ainda necessita de muito fomento para se ver igualdade nas tomadas de decisões dentro da administração das fazendas. O cooperativismo busca capacitar todos os membros da produção agropecuária, inclusive as mulheres. Em busca de desenvolver fontes de rendas alternativas para público feminino e ao mesmo tempo organizar o quadro social de cooperados, o Instituto Coopeavi

levou um curso diferenciado para 40 produtoras no âmbito rural, com noções criativas de trabalhar com produtos oriundos do sítio das mesmas. Em Garrafão, as produtoras de morangos aprenderam receitas com ingredientes especial com sua produção, como creme de morango no copinho e cupcake de morango. Em Vila Pontões, elas descobriram várias receitas de café, como brigadeiro gourmet de café, bolo de chocolate com café e torta doce de café. Já na Pousada Paraíso, as receitas ensinadas foram a base de ovos, como suspiros, quindins e bolo coberto com marshimalow. “Elas aprenderam com o intuito de produzir e comercializar seus produtos durante a Semana Tecnológica. O lucro será investido nas ações futuras dos núcleos.”, afirma Marcela Takiguti, analista de projetos do Instituto Coopeavi.


INSTITUTO COOPEAVI

9

Sucessão ou compartilhamento familiar? Um dos grandes desafios no mundo dos negócios é a continuidade das atividades. Muitos pais conquistam diversas coisas, mas os filhos não querem continuar o trabalho de seus antecessores. No meio rural essa dificuldade de manter as novas gerações nas atividades dos pais é um desafio ainda maior. O Instituto Coopeavi, junto com o Sistema OCB/Sescoop-ES e a Associação de Avicultores do Espírito Santo (Aves), promoveu o evento para fomentar a união da família no

âmbito rural e o desenvolvimento sustentável, visando a qualidade de vida dos produtores no campo e a manutenção das atividades rurais. No Qualificaves do mês de maio, o professor Renato Oliveira, filósofo e especialista em Programação Neolinguística, apresentou um novo conceito sobre o assunto. “Na verdade, não devemos tratar como sucessão familiar e sim compartilhamento familiar, o filho precisa ser inserido nas atividades e nas tomadas de decisões muito antes de suceder os pais”.

Para reforçar o tema, o professor passou todo o dia 05 de maio com diversos produtores para explicar todos os detalhes desse desafio. Ao todo, cerca de 75 pessoas participaram dos momentos de transferência de conhecimento. Os núcleos femininos cooperativistas, ligados à Coopeavi: do Café (Vila Pontões, Afonso Cláudio), do Hortifrúti (Garrafão) e da Avicultura, se reuniram em Santa Maria de Jetibá, na Pousada Paraíso, e participaram do segundo dia do encontro. De acordo com o professor, a união

das famílias nos negócios começa no tratamento dos pais com os filhos, esse é o primeiro ponto a ser mudado. A desistência dos filhos pela atividade rural é consequência da atitude dos pais, ao incentivarem na busca de novas atividades. “Os serviços rurais são passados para os filhos como uma dificuldade, um problema”, afirma. “O professor ensinou diversas técnicas com dinâmicas de demonstração de afeto pelo próximo (família) ”, relata Marcela Takiguti, analista de projetos do Instituto Coopeavi.


10

AVICULTURA

Coopeavi participa de viagem técnica à Ásia AVICULTORES CONHECEM A REALIDADE DA AVICULTURA E SEUS DERIVADOS NOS EMIRADOS ÁRABES E CHINA Os gerentes executivos da Coopeavi, Daniel Piazzini e Luís Carlos Brandt, integraram a comitiva de avicultores, organizada pela Associação de Avicultores do Espírito Santo (AVES), para conhecer a avicultura na China e a comercialização de ovos em Dubai. Junto com eles outros 18 produtores de ovos no Espírito Santo viajaram para Ásia, durante os dias 12 a 25 de maio. Os integrantes da Missão Técnica conheceram uma realidade totalmente diferente na produção, comercialização e no consumo de ovos. De acordo com dados do Instituto Ovos Brasil e a Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) o consumo per capita no Brasil atingiu 185 ovos em 2014, mesmo assim está bem abaixo na média mundial, que é 220 ovos por pessoa/ano. A principal diferença observada na Ásia foi a exposição dos ovos nos supermercados. De acordo com Brandt, os ovos têm

lugares de destaque nas gôndolas, além de embalagens diferenciadas e desenhadas para chamar a atenção do consumidor. “Trouxemos diversas ideias novas para realizar um estudo de viabilidade, uma delas é a forma como eles fazem a disposição dos ovos e o designer das embalagens. Acredito que

possamos agregar muito aos produtos e mostrar para a população a importância do ovo na dieta”, pontua. Santa Maria de Jetibá, o segundo maior município produtor de ovos do Brasil, possui uma estrutura tecnológica muito interessante. A maior parte dos 10 milhões ovos produzidos diariamente

na cidade conta com o auxílio mecânico em granjas automatizadas, ou seja, a coleta dos ovos, o abastecimento de água e rações são realizadas em horários programados, com a mínima mão de obra humana. A classificação dos ovos também é realizada por equipamentos que diferencia os mesmos por peso. Hoje o principal desafio, apontado pelo gerente executivo da cooperativa, é “melhorar a comunicação com o consumidor e mostrar os benefícios de consumir, pelo menos, um ovo por dia”. Aumentar o consumo per capita é o objetivo principal da avicultura brasileira. Box “Percebemos que fora do país o ovo é um alimento essencial na dieta diária. O ovo é um alimento rico em proteína e é uma opção saudável para os brasileiros, independente do momento econômico”, afirma Brandt.

Recorde de público e inovações marcaram a 3ª Favesu TECNOLOGIA JAPONESA PROMETE MENSURAR A QUALIDADE DOS OVOS E CHAMA A ATENÇÃO DURANTE A FEIRA A 3ª edição da Feira da Avicultura e Suinocultura Capixabas (FAVESU), realizada em Venda Nova do Imigrante, registrou presença de 2.588 pessoas, um público recorde. O evento foi marcado por diversas atividades gastronômicas, palestras e inovações expostas por parceiros em estandes. A Coopeavi apresentou ao público suas soluções para nutrição animal e a Digital Test Egg (DET 6000), equipamento capaz de mensurar a qualidade dos ovos. A Favesu, que é realizada pela Associação dos Avicultores do Estado do Espírito Santo (Aves) e Associação de Suinocultores do Espírito Santo (Ases), acontece em períodos bienais e é considerado o maior evento da avicultura e suinocultura capixaba. O encontro fomenta o destaque da importância das duas atividades para a economia capixaba, além de incentivar o desenvolvimento cientifico na área. Estudantes, autoridades, avicultores e suinocultores estiveram presentes nos dois dias da feira. A abertura contou com a presença do governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, presidente da Associação Brasileira

de Proteína Animal, Francisco Turra, entre outras autoridades. Entre as inovações que mais chamaram a atenção do público foi a DET 6000, aparelho com tecnologia japonesa capaz de descrever as características dos ovos. O equipamento adquirido pela Cooperativa Agropecuária Centro Serrana (Coopeavi), em parceria com a Alltech, é o primeiro

do Espírito Santo e visa auxiliar na melhoria contínua da qualidade do ovo entregue ao entreposto da cooperativa. Sob os olhares atento do público presente, profissionais capacitados da Coopeavi fizeram diversos teste durante a Feira. O dispositivo avalia a resistência do ovo e a espessura da casca, assim como, peso, cor da gema e

altura do albume espesso. Com todos esses dados é gerado um índice de qualidade do produto. “Com ele podemos ter maior aparato para melhorar a qualidade dos ovos de nossos cooperados e até mesmo aperfeiçoar o padrão das rações produzidas pela cooperativa”, afirma o gerente executivo de Produção da Coopeavi, Luís Carlos Brandt.


LOGÍSTICA

11

Primeira etapa Complexo Logístico Coopeavi é inaugurada NESTA FASE INICIAL ENTRA EM OPERAÇÃO O NOVO CENTRO DE DISTRIBUIÇÃO DA COOPERATIVA EM IBIRAÇU (ES), HÁ 50 KM DE VITÓRIA A primeira etapa do Complexo Logístico Coopeavi, o Centro de Distribuição, foi inaugurada no primeiro sábado de junho (06/06). O empreendimento de 227 mil m², sendo 20 mil m² de galpões construídos, adquirido no início deste ano pela cooperativa tem localização privilegiada, às margens da BR 101, em Pendanga, município de Ibiraçu. A cerimônia reuniu diversos produtores rurais e autoridades, como o secretário de agricultura Paulo da Ros e prefeito Eduardo Zanotti, ambos de Ibiraçu; o presidente do IDAF (Instituto de Defesa Agropecuária e Florestal do Espírito Santo) José Maria de Abreu Júnior; e o deputado federal Marcus Vicente, além da diretoria da Coopeavi. O investimento de R$ 12 milhões visa contribuir para aumentar a competitividade de aproximadamente 10 mil produtores rurais associados à Coopeavi. Nesse primeiro momento, o local começa a operar com a centralização de todos os produtos, implementos e insumos comercializados nas 18 filiais da cooperativa localizadas no Espírito Santo e no Leste de Minas Gerais. “Atualmente trabalhamos com um mix superior à 7 mil produtos e com cerca de 300 fornecedores”, afirma Denilson Potratz, vice-Presidente da Coopeavi. Devido ao fluxo intenso, houve necessidade de expansão, já que a área em Santa Maria de Jetibá

tornou-se pequena para atender toda a demanda logística da cooperativa. O movimento de aproximadamente 250 caminhões por mês, passa a ser concentrado no novo Complexo Logístico. Além disso, também será a maior unidade de armazenamento de cafés

da Coopeavi, com capacidade superior a 500 mil sacas de café. Essa área destinada para estocagem de café ainda passa por adaptações e tem previsão de entrar em operação no próximo ano. “A nova estrutura nos prepara para atender as necessidades

de crescimento, atuais e futuros, da Coopeavi, podendo assim centralizar em um único local toda a logística de distribuição da cooperativa (café e insumos agropecuários)”, explica Marcelino Bellardt, gerente executivo Corporativo da Coopeavi.


12

NEGÓCIO CAFÉ

Coopeavi entre as maiores empresas do Brasil COOPERATIVA É A 27ª EMPRESA DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO QUE MAIS CRESCEU NO ÚLTIMO ANO O desempenho da Cooperativa Agropecuária Centro Serrana – Coopeavi ganhou destaque no ranking das Maiores & Melhores, da revista Exame, publicado esse mês. A cooperativa foi a única cooperativa capixaba listada entre as 400 Maiores do Agronegócio Brasileiro e ainda foi a 27ª empresa do agronegócio que mais cresceu no país no último ano. O anuário mais esperado no mundo corporativo, lista empresas destaques de vários segmentos da economia e seus resultados. As empresas e cooperativas do agronegócio ficaram em posições de evidência na listagem. Mesmo em período de estagnação econômica, a Coopeavi cresceu 41% no último ano (comparado com 2013) e faturou R$333 milhões. O resultado tornou-se realidade graças ao trabalho empenhado de aproximadamente 10 mil produtores rurais ligados à cooperativa, isso é o que afirma o atual presidente e sócio fundador da Coopeavi, Arno Potratz: “A cooperativa vem crescendo muito nos últimos anos devido

a diversificação nas atividades e o empenho dos produtores rurais que acreditam no trabalho conjunto proporcionado pelo cooperativismo”, comenta. Para ele, o objetivo é continuar crescendo para oferecer condições melhores para o homem do campo permanecer na atividade, principalmente, o agricultor familiar. A estrutura da cooperativa continua a crescer. No primeiro semestre de 2015, foram inauguradas duas unidades: uma filial em João Neiva (ES) e o Complexo Logístico, em Ibiraçu (ES). Para a segunda metade do ano está prevista a abertura de uma filial na cidade de Inhapim (MG) e outra na região Norte do Espírito Santo. “Nosso trabalho está focado para continuar crescendo com sustentabilidade, por isso, temos investido em estruturas para favorecer o pequeno produtor rural, oferecendo a eles mais agilidade na logística, no atendimento em campo e nas filiais” pontua.

POSIÇÕES NO RANKING NOS ÚLTIMOS ANOS: 321

343 349

385 2011

383 2012

2013

2014

2015

A cooperativa vem crescendo muito nos últimos anos devido a diversificação nas atividades e o empenho dos produtores rurais que acreditam no trabalho conjunto proporcionado pelo cooperativismo” (Arno Potratz)

Coope Noticias - Agosto 2015  

Informativo bimestral da Coopeavi