Page 1

50

Edição 50 Ano 9 Maio 2018 Santa Maria de Jetibá - ES

O jornal do cooperado da:

Cooperativas juntas pela redução do ICMS do Conilon pág. 4

Hora de rastrear a sua produção

Coopeavi faz exposição de seus produtos na Exposul pág. 5

pág. 3

Lançado o programa educacional por um futuro mais agro pág. 7

Loja de Rio Possmoser é reformada e agrada associados pág. 9

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 1

17/05/2018 18:39:23


2

Palavra da Diretoria

Conte com sua cooperativa

J

á estamos praticamente na metade de 2018. Para nós é um momento muito importante, pois marca a virada de um ciclo, o fim do ano Safra em junho e início de outro em julho. A maior parte dos nossos cooperados cafeicultores já iniciaram a colheita do café. Graças à Deus este ano teremos uma quantidade de café maior que nas últimas safras. Mesmo em recuperação do longo período de estiagem, as lavouras estão mais carregadas, com mais vigor e promete uma boa safra. As expectativas estão mais otimistas entre os cooperados e isso também nos deixa mais motivados, pois se o cooperado está forte, a cooperativa também se fortalece por consequência. Não é por estar nessa

situação que deixaremos o cuidado de lado, pelo contrário, é um momento de foco total na qualidade. É importante ficar atendo nessa fase do ciclo produtivo, pois boa parte da qualidade do café se perde com práticas não recomendadas de manejo. Se você tem dúvidas sobre como proceder, não hesite em procurar a sua cooperativa. Estamos aqui para oferecer o

melhor suporte possível, temos profissionais capacitados para te orientar sobre as boas práticas de manejo durante todo o ano, inclusive agora na safra. Além disso, estamos disponibilizando nas nossas lojas oportunidades diferenciadas para facilitar o custeio de safra, ou seja, dinheiro rápido para pagamento de diaristas e compra de sacarias, linha de crédito rural direto na coopera-

tiva e opção de venda antecipada de café com taxas atrativas. Também fizemos mudanças na nossa política de de cobrança de fretes do seu café. Oriente-se em nossas Lojas com a nossa equipe, procure os nossos compradores de café mais próximo e faça uso dessas facilidades que estamos oferecendo para facilitar sua colheita. Boa safra para todos!

O maior evento do agronegócio capixaba já tem data marcara. A 7ª Semana Tecnológica do Agronegócio (STA) será realizada entre os dias 15 e 18 de agosto, no Parque de Exposições de Santa Teresa, região serrana do Espírito Santo. Em 2017, a feira atraiu 4.501 pessoas, gerando R$ 21,7 milhões em negócios.

Diretoria Executiva

Arno Potratz PRESIDENTE

Denilson Potratz VICE-PRESIDENTE

Argêo João Uliana DIRETOR ADMINISTRATIVO COMERCIAL

Avelino Hell, Ederson Jacob Edival Corteletti Fábio Fösh Willian Espíndula CONSELHO ADMINISTRATIVO

Carlos Alberto Roldi Filho Josélio Kruger Marco Aurélio Kurt CONSELHO FISCAL

Carlos A. Lima Daniel Piazzini Luís C. Brandt Marcelino Bellardt GERÊNCIA EXECUTIVAS

Faça uso dessas facilidades que estamos oferecendo para facilitar sua colheita.

Domicio Faustino GERENTE DE COMUNICAÇÃO

Fred Colnago PROJETO GRÁFICO E DIAGRAMAÇÃO

Leandro Fidelis TEXTOS

Domicio Faustino REVISÃO

Arquivo Coopeavi Jussara Gumes Domicio Faustino

GIRO RÁPIDO 7ª STA de 15 a 18 de agosto

Informativo Bimestral da Coopeavi Santa Maria de Jetibá - ES Ano IX – Nº 50

Edição especial de café 100% conilon Ainda neste ano, a Coopeavi irá lançar uma edição especial de café 100% conilon com a marca Pronova, que também comercializa pacotes de café 100% arábica. É para posicionar o conilon no patamar do arábica e mostrar qualidade, independente da variedade.

Estudantes tem palestra sobre defensivos

Um grupo de alunos da Escola de Ensino Fundamental de Melgaço visitaou a Loja Coopeavi para conhecer mais sobre defensivos agrícolas. O gerente de unidade, Júnior César Uhlig, recebeu a turma e explicou sobre a importância do uso do Equipamento de Proteção Individual (EPI).

FOTOS

Tiragem 3.000 exemplares Fale Conosco (27) 3263-4750 – ramal 4830 imprensa@coopeavi.coop.br

Rua Francisco Schwartz, 88 - Centro Santa Maria de Jetibá - ES CEP: 29.645-000 Fb.com/coopeaviagronegocios Twitter.com/Coopeavi Instagram.com/Coopeavi WWW.COOPEAVI.COOP.BR

Encontro de Profissionais de Comunicação de MG Com o objetivo de discutir novas proposições para ampliar a visibilidade do cooperativismo, o

20º Encontro Estadual de Profissionais de Comunicação das Cooperativas de Minas Gerais

Colaboradores da Coopeavi junto com Martha Gabriel em BH

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 2

foi realizado em 26 de abril, reunindo mais de 80 comunicadores na Casa do Cooperativismo Mineiro. Na abertura do evento, o presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato, exaltou o trabalho dos colaboradores do setor nas cooperativas. “A comunicação é importante tanto para fora quanto para dentro das instituições. A função de comunicar é fazer com que as pessoas prestem atenção ao que está sendo dito, mesmo em meio a tantas

informações que chegam até nós nos dias de hoje”, frisou o presidente do Sistema Ocemg, Ronaldo Scucato. A Coopeavi contou com a participação de dois profissionais de comunicação, com o obejtivo de se manter alinhada com as demais cooperativas brasileiras. O evento teve em sua programação uma palestra da consultora e especialista em Marketing e Inovação Martha Gabriel, que falou sobre Comunicação e Trans-

formação. A profissional buscou ainda sintetizar a relevância da participação de cada dirigente, cooperado e colaborador nessa grande inciativa de fortalecimento que é o SomosCoop: “Não adianta oferecermos um produto ou serviço maravilhoso, se ninguém tem conhecimento sobre eles. Precisamos achar uma maneira fácil e simples de explicar o que nós fazemos, como trabalhamos, e é isso que o movimento propõe para as cooperativas”, disse.

17/05/2018 18:39:25


Loja Agro

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

3

Prazo para rastreabilidade de oito produtos termina em maio Dia 27 deste mês encerra o período para agricultores enquadrarem frutas e hortaliças na rastreabilidade

rodutoresdemamão, P banana, tomate, repolho, chuchu, pepino,

beterraba e inhame associados à Coopeavi têm até o próximo dia 27 para incluírem suas produções no sistema de rastreabilidade de frutas e hortaliças produzidas ou comercializadas no Espírito Santo. Para os demais produtos, o prazo se encerra em novembro deste ano. Com o sistema, o consumidor capixaba poderá ter acesso a informações sobre as etapas de produção, transporte, armazenamento e comercialização de alimentos produzidos ou comercializados no Estado. A medida visa contribuir para a segurança

Se identificado um problema no supermercado, os órgãos conseguem acessar todas as informações Carlos Alberto Lima, gerente executivo comercial da Coopeavi

alimentar e o controle de qualidade dos produtos. Em novembro passado, o Governo do Estado, por meio das secretarias de Estado de Saúde e da Agricultura assinaram a Portaria 001-R, elaborada após debate realizado pelo Grupo de Trabalho criado pelo Ministério Público Estadual. A identificação é realizada por meio de etiquetas impressas com caracteres alfanuméricos, código de barras, QR Code, ou qualquer outro sistema que permita identificar as frutas e hortaliças frescas de forma única e inequívoca. Na identificação é preciso conter o nome comum da espécie vegetal, e a variedade quando houver; nome do produtor primário (preferencialmente), ou do distribuidor (no caso de lote consolidado), município e estado de origem, quando de origem nacional, e o país, caso o produto seja importado. De acordo com o gerente executivo comercial da Coopeavi, Carlos Alberto Lima, a rastreabilidade vai gerar uma confiança maior do consumidor para os alimen-

A Loja Matriz, em Santa Maria, está oferencendo o serviço FIQUE ATENTO

27 de maio

prazo final para produtores se adequarem ao sistema

tos produzidos pelos cooperados da Coopeavi. “Caso for identificado um problema no supermercado, os órgãos fiscalizadores conseguem localizar o produtor e acessar todas as infor-

mações necessárias”, afirmou. A Coopeavi se antecipou e firmou parceria com uma empresa do sul do país para dar esse suporte na Loja Matriz aos cooperados. Segundo o assistente técnico de crédito da cooperativa, Andrécio Dias, 20 associados já contam com a licença

e estão aptos para imprimirem as etiquetas. “Estamos orientando os produtores a não deixarem para a última hora. Reservamos um espaço especial na Loja Matriz para o atendimento, e a ideia é dentro de alguns dias fornecer a mesma estrutura em cada unidade da Coopeavi”, informa Dias.

Preço melhor com sistema

Possatti recebe etiquetas prontas para rotular os produtos

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 3

Quem se antecipou na inclusão dos produtos vegetais no sistema de rastreabilidade colhe os benefícios. É o caso do agricultor Adolfo Antônio Possatti, de Várzea Alegre, município de Santa Teresa. Produtor de pepino e berinjela, ele foi o primeiro associado à Coopeavi a aderir e está vendendo por R$ 2,00 a mais a caixa dos produtos após a identificação com a etiqueta da cooperativa. Possatti afirma que cobriu todo o investimento logo na primeira carga despachada para Porto Alegre e São Paulo. Desde que passou a

rastrear os produtos,

diversos varejistas de outras regiões do país estão fazendo contato para negociar a compra direta. Com isso, o agricultor já vislumbra novos mercados e, consequentemente, aumento de receita. “Por serem produtos

A rastreabilidade é garantia de segurança. Enquanto todo mundo estava assustado, enxerguei oportunidade Adolfo Antônio Possatti, acooperado de Santa Teresa

com origem e trabalho

diferenciado, têm que ser valorizados. Eu me antecipei justamente para tentar um ganho a mais e fazer meu nome, porque tenho mercadoria boa”, avalia o cooperado. Ele acredita que, ao verem a etiqueta nas caixas de pepino e berinjela, vai haver procura por melhores preços. “O atravessador vai sair fora desse entremeio nas negociações. A rastreabilidade é garantia de segurança. Enquanto todo mundo estava assustado, enxerguei oportunidade”, finaliza Adolfo Possatti.

17/05/2018 18:39:27


4

Negócio Café

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

Estado tem a maior área plantada

Empenho para redução do ICMS para conilon no ES Coopeavi e outras cooperativas do sistema OCB/Sescoop-ES defendem equiparação de alíquota com a cobrada em Minas Coopeavi integra A uma força-tarefa junto a outras coopera-

tivas ligadas ao sistema OCB/Sescoop-ES para reduzir a alíquota do Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) do café conilon de 12% para 7%, equiparando à aplicada no Estado vizinho de Minas Gerais. No último dia 10 de maio, o vice-presidente da Coopeavi, Denilson Potratz, representou a cooperativa em uma audiência pública na Assembleia Legislativa do Espírito Santo na tentativa de somar esforços para diminuir o imposto. Outra instituição também a favor é o Centro do Comércio de Café de Vitória (CCCV). EM NÚMEROS

12% é a atual

alíquota do ICMS cobrada para o conilon no ES

55% do café

percentual capixaba na produção nacional

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 4

Após essa audência na Asembleia, o Governo do Estado anunciou uma proposta de redução da alíquota, mas a decisão precisa ser aprovada pelo Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz). Atualmente, o diferencial da alíquota do café que sai do Espírito Santo para outros estados do Brasil prejudica a competitividade da produção cafeeira do Espírito Santo. “Isso tira a competitividade, por exemplo, da nossa venda lá para o Nordeste, onde o café pode ser distribuído e processado. A região Nordeste é um grande consumidor do nosso café conilon”, explicou o governador, Paulo Hartung. A medida também tem como objetivo injetar renda no produtor rural que sofreu nos últimos três anos com estiagens, perdas e diminuição em sua produção. A redução da alíquota pretende gerar uma recapitalização do setor. Hoje, o Espírito Santo é considerado o 2º maior produtor de café do Brasil, segundo dados da Companhia nacional de Abastecimento (Conab).

Tem muito café do Estado sem imposto algum, com nota de Minas Gerais. Isso prejudica o agro capixaba Denilson Potratz, vice-presidente da Coopeavi

O Estado também se destaca com a maior área plantada de café conilon, com 256,55 mil hectares. No ano de 2017, a produção capixaba representou 55% do café de todo o país. Segundo a Conab a previsão para este ano é que sejam produzidas de 7,7 a 8,7 milhões de sacas de café conilon. Já de arábica, espera-se atingir a marca de 4,7 milhões de sacas colhidas. Potratz defende a redução da alíquota dos atuais 12% para 7% para evitar a atuação de fraudadores. “Mesmo com o forte controle feito pelo Estado, os fraudadores inovam e conseguem burlar a fiscalização, o que prejudica o agro capixaba. Tem muito café

do Estado sem imposto algum, com nota de Minas Gerais”, destacou. Para o deputado federal Evair de Melo (PP-ES), coordenador da Frente Parlamentar da Agropecuária e vice-presidente da Comissão de Agricultura, a redução do ICMS do conilon vai trazer esperança, principalmente para os agricultores que estão se preparando para o início da colheita. “Continuamos na luta para defender a agricultura. É preciso darmos o mesmo tratamento que é dado ao café arábica e fortalecer o nosso agronegócio, garantindo que nossos produtos tenham competitividade com outros estados”.

Medida pode aumentar competitividade do ES

17/05/2018 18:39:31


Negócio Café

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

5

Café e ovos da Coopeavi são sucesso na 2ª Exposul Rural Estande da cooperativa em feira realizada de 11 a 15 de abril, em Cachoeiro, recebeu média de 1.000 pessoas por dia

Noite registrou pico do movimento

Coopeavi fez da 2ª A Exposul Rural, de 11 a 15 de abril, em Cacho-

eiro de Itapemirim, um importante canal com o público do sul do Espírito Santo. Durante a feira agro, o estande da cooperativa recebeu média de 1.000 pessoas por dia, que conheceram s linhas de produtos PRONOVA e LIVA. Segundo a equipe que se revezou no atendimento do espaço, quase todos os ovos da marca Liva foram comercializados, e os cafés Liva e Pronova se esgotaram nos cinco dias. Além disso, foram distribuídos gratuitamente 1.450 copos descartáveis com café espresso ou preparados por um barista e equipe de torrefação a partir de modernos métodos de filtragem. O gerente de comercialização de ovos da Coopeavi, Luciano Damasceno, comemora os contatos e vendas a varejo. “Durante à noite, registramos pico de até 600 pessoas por dia. EM NÚMERO

1.450 copos de café espresso foram servidos durante o evento

FALA

O evento foi bastante proveitoso. Muitos moradores do sul nos procuraram para saber sobre como se associar à cooperativa”, conta. Segundo o barista e analista de mercado de cafés especiais da Coopeavi, Leonardo Machado, a Exposul Rural foi a oportunidade de mostrar ao público as diferenças entre cafés

tradicionais e especiais. “Expusemos o café tradicional Liva e a linha de cafés especiais Pronova com foco em ensinar ao consumidor essas diferenças. A cada copinho servido foram dadas explicações da origem dos grãos”. Um dos destaques foi o microlote do produto “Single Origin” que, nesta edição, contempla

o café arábica premiado do produtor Anilton Meniguite, do Sítio Fruteiras, de Vargem Alta. “As explicações e os sabores apresentados em cada xícara renderam, pois vendemos todos os pacotes de 250g de cafés moídos e alguns em grãos tiveram que ser moídos na hora, sucesso total”, afirma Machado.

O evento foi proveitoso. Muitos moradores do sul nos procuraram para saber como se associar à cooperativa Luciano Damasceno, gerente de comercialização de ovos

Café Pronova é indicado para cafeterias

Estande da Coopeavi na Exposul foi vitrine para os produtos da cooperativa

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 5

Na ocasião da Exposul Rural, a equipe da Coopeavi apresentou os cafés especiais Pronova, que tem torra para espresso e foco em cafeterias, bitrôs e delicatessens. De acordo com Leonardo Machado, a feira foi a oportunidade de indicar o produto às cafeterias capixabas. A embalagem de cor branca pertence a uma linha de grãos selecionados que buscam manter, em suas características sensoriais, a lembrança

das montanhas do Espírito Santo no aroma, fragrância e sabores. “Muitos dos visitantes eram empresários com quem, após a feira, temos mantido contato e realizado

Muitos dos visitantes eram empresários com quem temos mantido contato e realizado vendas Leonardo Machado, analista de mercado de cafés especiais

vendas”, diz. A Coopeavi oferece treinamento especial aos baristas dos empreendimentos parceiros, com técnicas modernas de prensa, como a clássica Prensa Francesa e Hario, e também a utilizada na cafeteira AeroPress. Alguns já estão marcados no sul do estado. A equipe aproveitou também para visitar supermercados da região com interesse em colocar os cafés Pronovas nas suas gôndolas.

17/05/2018 18:39:31


6

Negócio Ovo

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

Presença maciça na primeira palestra do Qualificaves Cerca de 90 participantes, entre associados à Aves e à Coopeavi participaram da abertura do programa em abril

PROGRAMAÇÃO

A discussão do tema “Boas práticas na produção de ovos” abriu a temporada de palestras do Programa Anual de Capacitação de Avicultores.

> 19/07/18 Mycoplasma ou Laringotraqueite

EMPRESA/INSTITUIÇÃO PARCEIRA:

Ceva

edição 2018 do ProA grama de Anual de Capacitação de Avicul-

tores (Qualificaves Postura Comercial) começou de forma positiva. Cerca de 90 produtores, entre filiados à Associação de Avicultores do Espírito Santo (AVES) e associados à Coopeavi, participaram do primeiro módulo no dia 26 de abril, em Santa Maria de Jetibá. A discussão do tema “Boas práticas na produção de ovos” foi comandada pela equipe técnica da Coopeavi e da Embrapa BBP Ovos, no Cerimonial Majeski. Para o diretor executivo da AVES, Nélio Hand, o número expressivo de participantes na primeira das oito palestras previstas reflete a importância do

> 16/08/18 Qualificaves na 7ª STA Comparativo de Linhagens INSTITUIÇÃO PARCEIRA:

Coopeavi

> 20/09/18 Estresse calórico Impactos e medidas de controle EMPRESA PARCEIRA:

Carbonor

tema “que circunda a avicultura”. “A produção margeada com as boas práticas é cada vez mais necessária para o produtor ter produto de maior qualidade e atender as demandas do consumidor. Ele precisa estar mais próximo dessa realidade. Começamos com o

Encontros seguem até novembro

pé direito e esperamos boa participação nos próximos encontros”, avalia Hand. O calendário da Qualificaves segue até o dia 22 de novembro, com temáticas diversas. No último dia 17, os avicultores receberam informações sobre alternativas ao uso de antibióticos, numa parceria entre AVES e Kera Nutrição Animal. Segundo Nélio Hand, o tema ajuda a esclarecer muitas dúvidas para

Os temas são todos de grande relevância, pois foram escolhidos conforme a demanda dos avicultores Nélio Hand, diretor executivo da AVES

Ovos Disponíveis em supermercados do ES, MG e BA

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 6

quem está na atividade. “Qualquer tipo de produto usado na produção animal, seja na ração ou nos cuidados da saúde animal, é regulado por um órgão oficial. Essas informações vão orientar sobre o que pode ser usado e o que não deve ser usado”, disse. Na sequência, os demais temas são todos de grande relevância, pois foram escolhidos conforme a demanda dos avicultores. “São todos temas colocados de acordo com a necessidade do produtor, a demanda dos nossos associados e com a contribuição da Coopeavi. Eles estão presentes no dia a dia e na realidade do produtor avícola e nossa função é procurar esclarecê-los”. As parcerias com em-

> 18/10/18 Rastreabilidade Apresentação do Balanço do Registro de Granjas INSTITUIÇÃO PARCEIRA:

Aves/MAPA/IDAF

> 22/11/18 Encerramento do Qualificaves 2018: Palestra Motivacional INSTITUIÇÃO PARCEIRA:

Coopeavi e OCB-ES

presas privadas são importantes para a conscientização dos avicultores no Qualificaves. O diretor da AVES ressalta a preocupação do programa com temas estritamente técnicos, sem promoção de produtos. “É uma exigência do Qualificaves, em função disso selecionamos bem as empresas participantes”, destaca

Café Disponível nas Lojas Coopeavi

17/05/2018 18:39:58


Instituto Coopeavi

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

7

Lançado programa educacional por um futuro mais agro O público-alvo são alunos da Escola Estadual Fazenda Emílio Schroeder, na zona rural de Santa Maria de Jetibá

Diretoria compareceu ao lançamento do programa

gricultura e coopeA rativismo em sala de aula. É com esse ob-

jetivo que a Coopeavi lançou, no dia 17 de abril, em Santa Maria de Jetibá, o programa “Nosso Futuro Agro”. O público-alvo inicial são alunos da 6ª série ao 3º ano da Escola Estadual de Ensino Fundamental e Médio Fazenda Emílio Schroeder, situada na comunidade de Alto Santa Maria, zona rural do município. Trata-se de um programa de educação continuada que inclui conteúdo técnico-pedagógico voltado à realidade rural de 160 estudantes. Durante este ano, os alunos participarão de atividades diversas, desenvolvidas a partir das demandas da escola e com enfoque motivacional e empreendedor. Noções sobre cultivos, tecnologias agrícolas e cooperativismo farão parte da rotina dos estudantes. E a oportunidade de vivenciar teoria e prática será no próprio ambiente escolar. A instituição de ensino conta com 10,5 hectares de área,

FALA

o que garante espaço suficiente para o experimento de técnicas inovadoras. Já há algum tempo, a Coopeavi discute a questão do compartilhamento familiar entre os associados. O diretor administrativo comercial da cooperativa, Argêo Uliana, acredita que o “Nosso Futuro Agro” é uma solução para frear o êxodo rural. “Apostamos muito no papel dos professores para traçar esse

caminho. Se não nos preocuparmos com a educação no campo, ao longo do tempo produtores vão abandonar a roça e, sem tecnologia para avançar, não vão acompanhar o desenvolvimento do agro”, avalia. As analistas de desenvolvimento humano (ADHs) da Coopeavi Marcela Takiguti e Jociele Fioroti são as coordenadoras do projeto “Nosso Futuro Agro”, que conta com a parce-

ria do Sescoop/ES. Segundo Marcela, a promoção da autoestima dos estudantes vai contribuir para que sintam-se importantes de pertencerem ao agro. “Com motivação e apoio das famílias, os alunos vão transcender a barreira cultural e aplicar os conhecimentos nas propriedades. O maior objetivo do programa é a agregação de valor e informação e a melhoria da qualidade de vida”, pontua.

Apostamos muito no papel dos professores para traçar o caminho do compartilhamento familiar entre os associados Argêo Uliana, diretor administrativo comercial

Inovação tecnológica e desenvolvimento

Leonora Boone comemora a parceria

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 7

Já Jociele afirma que cooperativa vai dar suporte com informações que visem garantir o compartilhamento familiar no futuro. “A cooperativa enxergou um cenário de oportunidades dentro deste projeto. Vamos levar conhecimento diretamente aos filhos de nossos produtores cooperados, apoiando a instituição de ensino principalmente nas atividades de sala de aula e práticas no campo. Seremos

o canal facilitador para que o processo de compartilhamento familiar aconteça”, finaliza. A diretora da Escola Emílio Schroeder, Leonora Boone, enaltece a parceria da cooperativa

Através da capacitação, a cooperativa vai trazer inovações tecnológicas e desenvolvimento

Leonora Boone, diretora da escola

para contribuir com a formação dos jovens. “Através de capacitação técnica, a cooperativa vai trazer inovações tecnológicas e desenvolvimento dos estudantes como sujeitos de transformação do próprio meio”. Para ela, a iniciativa visa a sustentabilidade e a sensibilização dos alunos para eles e suas famílias permanecerem no campo com uma vida mais digna e justa.

17/05/2018 18:40:00


8

Instituto Coopeavi

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

Instituição social com 118 crianças garantiu alimentos e produtos de limpeza para três meses

Casa do Menino de Afonso Cláudio recebe doações da Coopeavi Alimentos e materiais de limpeza foram adquiridos com recursos das vendas de omelete e café na Semana Tecnológica de 2017 ais uma entidade foi M contemplada pela ação social da Coopeavi.

Em março, a Associação Pró-Casa do Menino de Afonso Cláudio, na região serrana capixaba, que atende 118 crianças de baixa renda do município, recebeu doação de alimentos e materiais de limpeza da cooperativa. Os produtos foram ad-

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 8

quiridos com os recursos provenientes das vendas de omelete e café durante a 6ª Semana Tecnológica do Agronegócio (STA), realizada em agosto, em Santa Teresa. Foram vendidos cerca de R$ 3 mil. Com a presença dos colaboradores da Coopeavi em Afonso Cláudio, o carro saiu carregado da unidade comercial da cidade para a instituição social, que fica no bairro São Vicente. O grupo contou com o gerente da loja local, Jorge Tadeu Ronceti Giestas, e do ge-

rente regional, Leandro Marinho Lannes. A entrega foi marcada pela alegria das crianças e profissionais da Casa do Menino. “Sugerimos a entidade devido à necessidade de mais apoio para a manutenção das atividades em dois períodos. Há anos, a instituição dá ocupação para as crianças não ficarem nas ruas”, diz Giestas. A Casa do Menino de Afonso Cláudio não é escola, nem creche, e é mantida com a parceria de 120 associados e do poder público. O

presidente da entidade, Stewand Berger Schultz, explica que a associação oferece atividades recreativas, como oficinas de arte, esporte, curso de informática e apoio escolar para estudantes devidamente matriculados na rede pública de ensino. A maioria dos alunos pertence a famílias de baixa renda. E muitas vezes, a Casa do Menino é a única garantia de uma alimentação mais regular para essas crianças. “Iniciativas como a da Coopeavi são muito

importantes, nossa entidade precisa desse tipo parceria. Ainda estamos usufruindo das doações da cooperativa”, diz Schultz. O presidente da Associação Pró-Casa do Menino destaca ainda a necessidade de novas parcerias para a manutenção das atividades. “Não somente dos setores público e privado, mas de pessoas, entidades. Esse apoio faz muita diferença. Quem dera nós tivéssemos mais parceiros à altura da Coopeavi”.

17/05/2018 18:40:01


Lojas Agro

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

9

Loja de Rio Possmoser é reformada e agrada associados A reinauguração da unidade ocorreu no dia 29 de março com um café para cooperados e presença da Diretoria m espaço mais adeU quado para atender os produtores rurais

da região, associados à Coopeavi. A unidade comercial da cooperativa em Rio Possmoser, no município de Santa Maria de Jetibá, foi toda reformada após 13 anos. A reinauguração ocorreu no último dia 29 de março com um café para cooperados e a presença da Diretoria. O antigo galpão que abriga a loja ganhou rebaixamento em gesso, salas para a gerência e a Consultoria Técnica (CT), além de balcão mais organizado e uma área especial para os associados, com café e bebedouro. A unidade atende as-

Associados admitidos na unidade, em Santa Maria de Jetibá, elogiaram distribuição dos produtos e equipamentos

sociados do interior de Santa Maria de Jetibá, e também do município de Itarana e tem como forte produtos e equipamentos para os setores de hortifruti e cafeicultura.

Unidade tem forte em produtos para cafeicultura e hortifruti

O gerente da loja, Charles Behrend, comemora a reforma. “Ficamos oito anos em um antigo ponto e já temos 13 anos no atual. Além do movimento dos produtores rurais na loja, também realizamos muitos negócios em campo”, disse. O cafeicultor Floriano Grünewaldt, de Alto Jatibocas (Itarana), afirma que os produtos ficaram mais visíveis no espaço renovado. “Melhorou muito. O espaço ficou mais amplo e mais acessível”. Quem também elogia a unidade é o produtor rural Renato Marquardt, morador de Rio Possmoser. “Ficou show de bola, dez vezes melhor do que estava antes.

Antes, não tinha lugar certo das coisas, agora tudo está mais bonito”, ressalta. O presidente da Coopeavi, Arno Potratz, é da mesma opinião dos associados clientes da unidade. “É uma boa loja da cooperativa, que agora oferece visão maior dos produtos. Estão bem melhor distribuídos e organizados”. A Coopeavi conta com 20 unidades comerciais distribuídas entre os Estados do Espírito Santo e Minas Gerais. Em 2017, o faturamento bruto em todas as lojas representou mais da metade do faturamento da cooperativa. Até dezembro deste ano, conforme aprovado na Assembleia Geral,

A loja agora oferece visão maior dos produtos, que estão melhor distribuídos e organizados Arno Potratz, presidente da Coopeavi

os cooperados poderão utilizar 50% das sobras que foram distribuídas proporcionalmente ao seu capital em crédito nas lojas.

CA FÉ

CONECTANDO AMANTES DO

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 9

17/05/2018 18:40:03


10

Por Dentro da Coopeavi

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

O 2º Concurso do Lenhador foi uma das atrações da festa cultural pomerana

Festa Pomerana conta a história da avicultura em Santa Maria Coopeavi participou da programação cultural, com destaque para os desfiles nas ruas onde foi homenageada por escola

valorização da culA tura local faz parte dos princípios da Coopeavi. E não poderia ser diferente com o principal evento de Santa Maria de Jetibá, a Festa Pomerana, em sua 29ª

edição, de 2 a 6 de maio. A cooperativa apoiou a programação cultural e recebeu homenagens nos dias festivos. Na sexta-feira (4), colaboradores da Coopeavi representaram os produtores rurais no tradicional Desfile dos Comércios, que reúne centenas de moradores pelas ruas principais da cidade à noite. Já no domingo (6), o

ponto alto foi o Desfile Histórico Pomerano, pela manhã na avenida Frederico Grulke. Este ano, a cooperativa apoiou a apresentação da Escola Estadual Professor Hermann Berger, que contou a história da avicultura no município, segundo maior produtor de ovos do Brasil. Teve até carro alegórico e alas mostrando desde o desenvolvimen-

Café da manhã oferecido durante o evento

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 10

to das pintainhas até se tornarem aves de postura comercial. Durante o desfile, algumas mulheres ligadas à Coopeavi representaram a cooperativa. Joelma Schultz, Sabina Berger e Teresa Potratz fizeram parte do time. A Coopeavi também apoiou o 2º Concurso do Lenhador, que aconteceu na praça principal da cidade, com a premiação em dinheiro aos vencedores. Para o diretor administrativo comercial da Coopeavi, Argêo Uliana, fomentar as iniciativas culturais locais, como a Festa Pomerana, aproxima a cooperativa da comunidade. “Tudo faz parte do nosso social, dos nossos negócios. O público presente no desfile pôde observar a nossa contribuição à história de Santa Maria”, disse. Para o gerente de Comunicação da Coopeavi, Domício Faustino, a Festa é a celebração máxima da cultura pomerana. “A

Coopeavi esteve presente, contribuindo para a valorização e o fomento da cultura local”. Durante o evento, a cooperativa ofereceu café da manhã nas lojas do município (matriz na Sede, Caramuru, Garrafão e Rio Possmoser), dentro da proposta da campanha comercial e de valorização cultural entre os dias 3 e 5.

O público presente no desfile pôde observar a nossa contribuição à história de Santa Maria

Argêo João Uliana, diretor Administrativo Comercial e sócio-fundador

17/05/2018 18:40:04


Por Dentro da Coopeavi

Informativo Bimestral da Coopeavi • Ano IX • N. 50

11

MOMENTOS DA FESTA POMERANA

As mulheres tiveram vez no Desfile Cultural, algumas representando a Coopeavi

A cultura pomerana tomou as ruas da cidade

A contribuição feminina à história de Santa Maria foi lembrada no evento

A Coopeavi premiou os lenhadores

A Escola Cooperação representou o cooperativismo

Encontro Nacional das Cooperativas Coopeavi recebe alunos do Ifes Itapina A Coopeavi esteve re-

presentada no Encontro Nacional das Cooperativas Agropecuárias, realizado nos dias 16 e 17 de abril, no Hotel Transamérica, em São Paulo (SP). O evento foi organizado pelo Grupo Conecta com apoio da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB). O objetivo do Encontro é envolver as principais lideranças de cooperativas agropecuárias do país para discussões, palestras práticas, tendências do agronegócio, novas tecnologias, networking entre cooperativas e grandes players de mercado. Também visa aprofundar o debate sobre o desenvolvimento do setor. A primeira edição do evento ocorreu em 2017.

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 11

Digerentes das Cooperativas Capixabas Agro reunidos em SP

Participaram em nome da Coopeavi o vice-presidente, Denilson Potratz, e o gerente executivo corporativo, Marcelino Bellardt. Durante o Encontro, foram discutidos diversos temas voltados para inovação, gestão profissionalizada, responsabilidade social e a evolução da intercooperação. “A Coopeavi busca sempre um crescimento sustentável e investe

bastante na sua gestão. O evento nos proporcionou atualização sobre as novas tendências do agronegócio e estimulou um entendimento maior das necessidades dos nossos cooperados”, disse Bellardt. O cooperativismo agropecuário tem importante participação na economia brasileira, sendo responsável por quase 50% do PIB agrícola e envolvendo mais

Treze estudantes do curso Técnico em Agropecuária do Instituto Federal do Espírito Santo (Ifes), campus de Itapina, estiveram em Santa Maria para conhecer a Coopeavi. O grupo foi recepcionado pelo sócio-fundador e diretor admi-

nistrativo comercial da Coopeavi, Argêo João Uliana. Além disso, tiveram a oportunidade de ver de perto como é o funcionamento do Armazém de Café, da Unidade de Beneficiamento de Ovos e Derivados e da Fábrica de Ração.

Estudantes do IFES de Itapina na Coopeavi

17/05/2018 18:40:08


O MAIOR EVENTO DE CAPACITAÇÃO E NEGÓCIOS DO COOPERATIVISMO CAPIXABA.

Feira da

15 A 18 DE AGOSTO DE 2018 PARQUE DE EXPOSIÇÕES DE SANTA TERESA-ES Está chegando o maior evento da sua cooperativa! Mais uma vez estamos trabalhando para trazer condições e preços imperdíveis para você fechar os melhores negócios. Marque esta data em seu calendário e participe com a sua família do maior evento de capacitação e negócios do cooperativismo capixaba www.sta.coop.br

SEMANA TECNOLÓGICA DO AGRONEGÓCIO

28_jornalcoopeavi_50_FINAL.indd 12

17/05/2018 18:40:10

Coope Notícias - Maio 2018 - ED #50  

Informativo bimestral da Coopeavi

Coope Notícias - Maio 2018 - ED #50  

Informativo bimestral da Coopeavi

Advertisement