Issuu on Google+

especial

Crescimento do mercado imobiliário Por Mario Giangrande*

Em julho de 2009, ainda com dúvidas quanto a recuperação do mercado imobiliário, fizemos uma análise e questionamos se os números esperados seriam realmente alcançados. Hoje, como tem acontecido em diversos outros setores da economia brasileira, podemos olhar esses resultados com grande satisfação. Em São Paulo, a expectativa não só foi alcançada como também superada. Enquanto esperávamos o lançamento de 28 mil unidades, foram apresentadas 30,1 mil. Apesar de esse número ainda ser inferior ao obtido em 2008 quando foram lançados 34,5 mil imóveis, a conquista foi motivo de comemoração. No quesito “vendas” os números surpreenderam até mesmo os mais otimistas. Foram vendidas 35,8 mil unidades contra 32,8 mil em 2008 e obtivemos mais um resultado acima do esperado. Em VGV (Valor Geral de Vendas) o crescimento foi ainda mais notável. Foram comercializados 11,6 bilhões, Informativo da BKO valor que representa aumento de 8% no comEdição 09 | Jan/Fev/Mar 2010 parativo com 2008, quando foram vendidos 10,8 bilhões. Todos esses resultados, amplamente positivos, foram impulsionados pelo crédito imobiliário que também foi favorecido: saltou de 40,5 bilhões em 2008 para 49,6 bilhões em 2009. A sequência anual de crescimento do mercado imobiliário brasileiro é fundamentada em alguns fatores. A tendência de crescimento do crédito, a melhoria da renda e a diminuição das taxas de juros, somadas a anos de estagnação do setor, são alguns deles. E, apesar da ampliação da oferta de modo geral, nos próximos anos, alguns empreendimentos localizados em áreas mais nobres das regiões metropolitanas deverão ter considerável valorização de preços. Isso ocorre devido à escassez de terrenos e a consequente dificuldade de formatar novos empreendimentos. A restritiva legislação do atual plano diretor e dificuldades como a de construir no centro expandido de São Paulo e de encontrar mão de obra suficiente para os projetos corroboram para essa tendência. De acordo com esses dados, a BKO prevê crescimento de 100% nas vendas e de 90% no VGV a ser lançado em 2010. O foco dos projetos estará na construção de unidades pequenas e de alto padrão. É o caso do iGLOO, um empreendimento inovador em lançamento que está fundamentado no tripé tecnologia, personalização e sustentabilidade e tem como objetivo atender um público cada vez maior em grandes cidades. Empreendimentos como esse serão primeiramente lançados em localidades nobres do Estado, como é o caso de Alphaville, Panamby e Vila Olímpia. * Mario Giangrande é diretor Superintendente da BKO


editorial

lançamento

Edição 09 Jan/Fev/Mar 2010

iGLOO – A diferença entre morar e viver Não é por acaso que o novo empreendimento da BKO chama-se iGLOO. Construído com base no conceito dos iglus, tradicionais moradias dos esquimós, apresenta a possibilidade de viver bem em um ambiente compacto, feito por você mesmo, com o seu jeito. Com modelos de 43m² ou 62m², ambos em planta aberta, foi fundamentado no tripé: iconnect (tecnologia), isave (sustentabilidade) e idesign (personalização). Desenvolvido para jovens das classes A e B e casais com apenas um filho, contempla o novo estilo de vida, inspirado no iPhone, que diferencia o morar do viver. Começamos o ano de 2010 com muita garra e excelentes projetos em desenvolvimento. O lançamento do iGLOO revoluciona o mercado de construção com o conceito de planta aberta. Fundamentado em três pilares, tecnologia, sustentabilidade e personalização, conta com incorporação e construção da BKO e tende a ser sucesso de vendas. Além disso, apresentamos um modelo totalmente adaptado aos portadores de necessidades especiais. O mercado, aquecido pelas amplas possibilidades de crédito e financiamento imobiliário, promete fazer de 2010 um ano notavelmente melhor do que 2009. Nesta edição do Viver BKO, contamos com a palavra de Mario Giangrande, nosso diretor Superintendente e, também, de Ana Maria Castelo, economista da Fundação Getúlio Vargas e consultora do Sinduscon-SP. Estamos apenas no primeiro trimestre e já podemos apresentar novidades fortalecidas pelo conceito BKO de desenvolvimento de projetos. Durante a leitura você conhecerá, também, quatro novos contratos de construção fechados este ano. E, no quesito sustentabilidade, em parceria com o CTE (Centro de Tecnologia de Edificações), planejamos uma série de ações que promoverão a responsabilidade social e a sustentabilidade dentro e fora da BKO. Boa leitura a todos Joe Yaqub Khzouz

Alphaville, em Barueri, a 90 quilômetros da capital, foi o local escolhido para a construção, pois reúne um público preocupado com a qualidade de vida que a cada dia é inferior nas grandes cidades. Com altos investimentos em residenciais de alto padrão, a região abriga diversas multinacionais que transformaram o local em um centro de negócios que preserva o bem estar. Quem vive em Alphaville encontra tranquilidade, grande incentivo da preservação ambiental e uma infraestrutura complexa, que permite encontrar todas as necessidades a poucos passos de casa. Apesar das grandes oportunidades de carreira na região, muitos ainda atuam profissionalmente em São Paulo. Para esses profissionais, a criação do Rodoanel e das novas marginais facilitou a locomoção incentivando novas famílias a mudarem. O projeto é resultado do trabalho da BKO com a arquitetura da Rocco Arquitetos, decoração de interiores da Patricia Anastassiadis e o paisagismo de Marcelo Faisal, nomes que aliaram as últimas tendências ao empreendimento. Confira, abaixo, alguns destaques do tripé base do iGLOO: Sustentabilidade – isave O empreendimento disponibiliza sistema conjugado de energia solar e gás, vagas com sistema de recarga para carros e bicicletas elétricos, coleta seletiva de lixo, iluminação de LED nas áreas comuns, torneiras que auxiliam na economia de água e janelas mais amplas nos apartamentos para maior iluminação natural e consequente diminuição no consumo de energia. Tecnologia – iconnect Logo na entrada é possível identificar itens tecnológicos. Opcionais como fechaduras biométricas nas portas e sistema de automação em persianas, luz e som fazem parte da infraestrutura do ambiente, assim como o hall térreo que conta com acesso irrestrito à internet por meio de telas touchscreen. Personalização – idesign As possibilidades amplas de personalização do iGLOO promovem maior caracterização, conforto e exclusividade. Tudo sendo acompanhado via internet.


projeto

Edição 09 Jan/Fev/Mar 2010

iGLOO – Acessibilidade e personalização total do ambiente As tendências de arquitetura mudam rapidamente. Mas um ponto é frequente no debate de novos empreendimentos: a acessibilidade.

escolha. A visualização do projeto em 3D faz com que ele se sinta dentro do imóvel mesmo quando o tempo é curto para visitação da obra.

Permitir que os portadores de necessidades especiais circulem tranquilamente, sem impedimentos, tanto pelo apartamento quanto pelas dependências comuns do edifício, é fundamental para promover a inclusão e impor o respeito e igualdade a todos.

São, ao todo, doze opções de layout que incluem, também, a automação de som, luz e das persianas e fechaduras biométricas. Além disso, é possível optar por padrões de acabamentos, pisos, metais, mobiliário, louças e, também, linha branca e ar condicionado.

A BKO, sempre preocupada com o tema, integrou às características do iGLOO, a opção por um apartamento especialmente adaptado, permitindo a total liberdade do morador portador de necessidade especial. Com construção e incorporação BKO, o empreendimento conta com uma planta especial que segue a NBR 9050 – Acessibilidade a edificações, mobiliário, espaços e equipamentos urbanos publicada pela Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT). Todas as dimensões mínimas e os padrões apresentados pela norma foram seguidos para a construção deste modelo. Permanece o conceito de adaptar o espaço a seu morador de modo que ele se sinta totalmente à vontade em sua residência. Dessa forma ele não terá, em casa, as mesmas dificuldades que encontra ao circular pelas ruas ainda deficientes em acessibilidade.

Planta aberta – No mercado imobiliário brasileiro, planta aberta é o nome dado a um espaço livre para a adequação total às necessidades e desejos do morador. “Planta aberta é o que chamamos de ‘folha em branco’. O proprietário recebe a folha e faz absolutamente o que quiser, da maneira que quiser”, comentou Monica Sisti Fiacadori, coordenadora de Projetos da BKO. Outro benefício desse tipo de arquitetura é a eventual redução de entulho após o término da obra. É bastante comum o proprietário, ao receber o imóvel, derrubar paredes para transformar os ambientes. De olho na sustentabilidade e na economia, é muito mais proveitoso construir o que for necessário do que derrubar o desnecessário.

Meu Estilo BKO – O programa “Meu Estilo BKO” integra os três pilares do iGLOO: sustentabilidade, personalização e tecnologia. Por meio dele há uma vasta opção de escolhas em acabamentos, layouts, mobiliário, automação e tecnologia. Para evitar qualquer preocupação, todas as opções de mudanças podem ser acompanhadas online pelo proprietário na hora da novos contratos

BKO apresenta quatro novos empreendimentos A BKO fechou, neste primeiro trimestre, quatro novos contratos. O trabalho, parte do processo de crescimento da marca proposto para o ano de 2010, está em andamento.

projeto de paisagismo e a Brick Decorações por toda a decoração do empreendimento.

Águas de Março - A fundação do Águas de Março será realizada

primeira construtora contratada pela Gafisa para a construção de um empreendimento por eles incorporado. Localizado em Barueri, interior de São Paulo, terá mais de 30 mil m² de área total e contará com duas torres de 26 andares cada. Os 200 apartamentos poderão ter de 79m² a 107m². A obra deverá ser entregue em junho de 2011.

pela BKO e entregue em junho de 2010. O empreendimento conta com incorporação da CCDI (Camargo Corrêa Desenvolvimento Imobiliário) e, ao todo, terá mais de 31 mil m². A construção engloba duas torres de 26 andares cada e duas opções de metragem: 223m² ou 260m². Localizado no Jardim Sul, em São Paulo, conta com arquitetura de Ricardo Julião, paisagismo de Martha Gavião e decoração de Débora Aguiar. Colore Residencial Club - Incorporado pela Fibra Experts e construído pela BKO, o Colore Residencial Club, em Americana, interior de São Paulo, tem entrega prevista para dezembro de 2011. Nos 11.600 m², duas torres de 18 pavimentos cada reunirão 163 apartamentos de 69m². A arquitetura foi assinada por Alcino Dell Aguinese enquanto Martha Gavião responde pelo

London Ville - O London Ville marca a história da BKO como a

Lugano Club - O residencial Lugano Club, na Vila Carrão, São Paulo, conta com incorporação da Yuny Incorporadora e construção da BKO. Com 22.031m² de área total, terá uma única torre de 25 andares além de uma cobertura duplex. Os interessados poderão optar por apartamentos de 97m² ou 136m². A entrega está prevista para fevereiro de 2012 e o empreendimento conta com a atuação do arquiteto Jonas Birger, decoração da ABS Benedetti e paisagismo da Núcleo Arquitetura da Paisagem.


sustentabilidade

negócios

Edição 09 Jan/Fev/Mar 2010

De olho no futuro, BKO participa de Mercado está aquecido programa em prol da Sustentabilidade para adquirir imóveis Trabalhar no presente pensando no futuro é uma das vertentes da BKO. Por esse motivo, no segundo semestre de 2009 a empresa firmou uma parceria com o CTE (Centro de Tecnologia de Edificações) e, ao lado de outras três empresas com grandes nomes no mercado (Eztec, Porte e Scopel), participa do “Programa de Gestão da Sustentabilidade para Empresas Incorporadoras e Construtoras”. O principal objetivo desse programa é promover a sustentabilidade para que os profissionais do futuro tenham as mesmas condições de vivência que temos hoje. Cuidar do meio ambiente é cuidar das próximas gerações, como afirma a carta de compromisso com a sustentabilidade divulgada pela BKO: “é preciso satisfazer as necessidades do presente sem colocar em risco a capacidade das gerações futuras de satisfazer suas próprias necessidades. Isto de forma economicamente saudável, ambientalmente correta e socialmente justa para que a empresa perdure por muitas gerações”. Para acompanhar de perto as ações e garantir o sucesso das mesmas, a BKO criou um Comitê de Sustentabilidade. “Este comitê é o responsável por disseminar a cultura da sustentabilidade em suas três dimensões – social, ambiental e econômica – e revisar e implantar todos os processos necessários”, afirmou Marcelo Fioravante, gerente de Projetos e integrante do comitê ao lado do diretor Superintendente Mario Giangrande e da gerente de Incorporação Elisa Rosenthal. Mensalmente, durante o programa, são realizadas oficinas com palestras e dinâmicas de grupo que proporcionam a troca de experiências. São nove módulos que seguem os seguintes temas: • Sustentabilidade corporativa – Conceitos básicos • Primeiros passos rumo à sustentabilidade • Incorporando a sustentabilidade à gestão da empresa • Sustentabilidade na seleção do terreno, concepção do produto, desenvolvimento do projeto e lançamento do empreendimento • Sustentabilidade na aquisição • Sustentabilidade nas obras • Sustentabilidade na entrega, uso e operação • Monitoramento, controle e comunicação da sustentabilidade • Resultados alcançados e visão de futuro Para tornar essa iniciativa viável e significativa, foram revistos todos os procedimentos internos das áreas de Novos Negócios, Incorporação e Projetos. Dessa forma foi possível resgatar as práticas de sustentabilidade tanto nas dependências da empresa quanto nas obras. A BKO se empenha para que o desenvolvimento sustentável traga resultados efetivos e tenha seu devido alcance na sociedade. Para tal, conta com o engajamento de todos os integrantes e colaboradores.

Em 2009, o crédito imobiliário bateu recordes no país. Alguns especialistas acreditam que estamos vivendo um boom imobiliário. Outros acham que ainda há muita lacuna a ser preenchida, já que o déficit habitacional gira em torno de 8 milhões de unidades. Mas o fato é que nem na década de 80, com o antigo Banco Nacional da Habitação (BNH) financiou-se tantos bens. Só com recursos da poupança foram R$ 34 bilhões, representando 302,7 mil unidades, desde os segmentos mais humildes da economia até a classe A. E este ano deve seguir ainda mais aquecido. “O mercado está favorável para aquisição de imóveis”, comenta a economista Ana Maria Castelo, da Fundação Getúlio Vargas e consultora do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusconSP). A grande diferença é que, no ano passado, quem mais financiou foi a Caixa, já que os bancos, em geral, ainda estavam cautelosos com possíveis respingos da crise financeira mundial que tomou o mercado de sobressalto, em 2008. Por isso, do total de R$ 34 bilhões, Ana Maria calcula que R$ 20 bilhões saíram da Caixa. Este ano, a concorrência promete ser mais acirrada. Segundo Ana Maria, a Caixa promete contratar em financiamentos e crédito imobiliário aproximadamente R$ 50 bilhões. “O que deve prevalecer é o aumento da concorrência no país atrelado aos juros da Selic, já que o Copom (Comitê de Política Monetária) deve aumentar um pouco a taxa ainda este ano”, ressalta. Hoje, a Selic está no menor nível da história do País, girando em 8,75% ao ano. De qualquer forma, quem ganha com estas linhas de crédito é o consumidor. Por isso, quem está procurando adquirir imóveis deve pesquisar muito entre as instituições financeiras para analisar taxas de juros, condições de prazos e percentual de entrada. Há opções que financiam até 100% do seu imóvel. Mas, em geral, para o consumidor BKO – voltado para média e alta rendas – as concessões giram em torno de 80% do valor total do imóvel. “Se você tiver uma poupança prévia, ofereça de contrapartida, porque está valendo a pena adquirir um bem”, esclarece a economista. E, antes de comprar, Ana Maria dá uma dica: pesquise bem as regiões. Aquelas que oferecem áreas com grande número de lançamentos estão mais favoráveis no preço. “Se encontrar o imóvel que deseja, tenha certeza que este é o momento de comprá-lo.” curtas • Retornam à BKO Luis Eduardo Mangini como diretor de Engenharia, Fabio Luis Garbossa como diretor Técnico e Carlos Gustavo Marucio como diretor de Qualidade e Tecnologia. • A BKO assumiu a 32ª posição no ranking ITCnet ao levantar, em 2009, 10 empreendimentos que, juntos, somaram 457.005,56m². Na premiação, que lista as empresas que mais se destacaram no mercado de construção civil, a BKO subiu seis posições com relação ao resultado de 2008 e 14 no comparativo com o ranking de 2007.

Expediente A Viver BKO é uma publicação da empresa BKO, direcionada a clientes e parceiros. Coordenação: Ana Carolina Toledo - Marketing Institucional Projeto Gráfico, diagramação e produção: MarkeThings Comunicação & Eventos (Tel.: 11 5090 6133) / www.markethings.com.br Fotos: Departamento de Marketing Redação: Marcela Marques Revisão: Generoso Visconte Jornalista Responsável: Andrea Fagundes (Mtb. 40.376)


Viver BKO - Edição 9