Page 1

Manaus, Dezembro 2010 – Edição no 50 – Ano 5

NBR 18801 – SISTEMA DE GESTÃO DE SST

N

o dia 01/12/2010 foi aprovada e publicada a Norma NBR 18801 de Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho (SGSST). Esta Norma técnica nacional especifica os requisitos de um Sistema de Gestão de Segurança e Saúde no Trabalho que permitem uma organização controlar os respectivos riscos da Segurança e Saúde no Trabalho e melhorar o respectivo desempenho.

O Inmetro participou das discussões do grupo, o que sugere que a NBR poderá tornar-se, na sequência, certificável. De acordo com o coordenador dos debates da Comissão, o Eng.

`1q

Abstenção do uso de EPI’s

E

studos evidenciam que a atenuação total promovida pelo equipamento de proteção individual é função do tempo que este é usado. Mas, a atenuação não é proporcional ao tempo de abstenção de uso do EPI, por exemplo:

Um protetor auricular com atenuação de 25 dB, se não usando por apenas 10 minutos, pode ter sua atenuação oferecida reduzida para 18 dB; e se o tempo de não uso for de 50%, passa a oferecer atenuação de somente 5 dB(A).

Um respirador com nível de proteção 100, quando não usado por apenas 10 minutos, faz seu nível de proteção cair abaixo de 40; e quando não usado por 20 minutos, o nível cai para 20.

Leonídio Ribeiro Filho, existe a possibilidade da NBR de gestão tornar-se inclusive um item da Norma Regulamentadora 1 (Disposições Gerais) do Ministério do Trabalho e Emprego. A Previdência Social declarou por meio do Assessor da Secretaria de Inspeção do Trabalho Sr. Domingos Lino na comemoração do Dia Nacional do Engenheiro de Segurança do Trabalho e do Técnico de Segurança do Trabalho, no último dia 27/11 que ela será uma ferramenta básica para analise da cultura empresarial e terá impactos na questão do FAP. Alguns dos referenciais da norma são a normativa internacional OHSAS 18001 e as diretrizes sobre Sistema de Gestão da OIT. A norma foi idealizada para ser aplicada pelos diferentes segmentos produtivos: micro, pequena, média e grande empresa e levou também em consideração as diferenças culturais e conhecimentos técnicos relacionadas a SST, como também as dimensões continentais do nosso país. A principal novidade da referida norma é a Gestão de Mudanças, ou seja, dar ênfase a saúde e a segurança toda vez que haja uma nova atividade na empresa.

E

LIVROS RECOMENDADOS

Segurança na Armazenagem, Manuseio e Transporte de Produtos Perigosos Ed. GVC Giovanni de Araújo

Dosímetro na hora do almoço?

is uma questão que não tem uma resposta definitiva. Se o almoço ocorre em refeitório, e o trabalhador tem sua jornada de 8h na área produtiva, efetivamente o almoço não faz parte da jornada, sendo o caso de retirar o dosímetro ou colocá-Io em "pausa". Há pessoas que argumentam que o trabalhador está na empresa, e sua exposição é global, devendo-se deixar o dosímetro. É importante observar que essa postura em favor da segurança é enganosa, pois em um refeitório, "silencioso", isto é, abaixo do limiar de integração do aparelho, em nada ocasionará à dose diária, com o inconveniente sério de reduzir o nível médio que, então, ficará diluído em 9h e não em 8h. Se o nível médio (Lavg) for o parâmetro de avaliação, estaremos agindo contra o trabalhador.

Higiene Ocupacional Ed. SENAC Ézio Revigliero, José Possebon e Robson Spinelli

Quebrou a cafeteira?

Todavia, se o almoço faz parte da jornada, por acordos coletivos, por exemplo, e ainda m ais se a refeição é feita na área industrial ("quentinha"), com certeza o dosímetro deve ficar instalado e operante. Para sugestões ou críticas : Prof. Mário Sobral Jr. sobraljr27@ibest.com.br


JORNAL SEGURITO

RADIAÇÃO IONIZANTE

r

adiação Alfa (): oriunda de emissões do núcleo de átomos instáveis - Alcance: apresentam uma grande quantidade de energia em curtas distâncias, limitado poder de penetração. O alcance no ar é de cerca de 2 cm a 5 cm. - Blindagem: a maior parte dessas partículas não consegue atravessar mais do que alguns poucos centímetros de ar, uma folha de papel ou a camada externa da pele. - Danos biológicos: não é considerada capaz de causar dano por irradiação externa porque é facilmente atenuada pela camada superficial da pele. Alfa

Beta

Gama

Raio X Neutron

Radiação beta (β): relaciona-se com os “elétrons” procedentes do núcleo atômico. - Alcance: o elétron penetra m ais facilmente na matéria em comparação à radiação alfa. seu alcance no ar é de até cerca de 3m. - Blindagem: a maior parte das partículas beta

OMISSÃO DE SOCORRO

S

egundo o Código Penal Brasileiro, qualquer indivíduo, mesmo o leigo na área da saúde (pertencente a qualquer outra área de trabalho, ocupação ou estudo), tem o dever de ajudar um necessitado ou acidentado ou simplesmente chamar ajuda para estes. Do contrário, sofrerá complicações penais.

são blindadas por camadas finas de plástico, vidro ou alumínio. - Danos biológicos: externam ente, as partículas beta podem causar danos ao olho (células do globo ocular) e à pele (células epiteliais) em função de sua maior penetração no tecido exposto Radiação Gama (): O processo de desintegração nuclear, eventualmente resulta num excesso de energia eletromagnética, fazendo com que haja a necessidade de liberação da mesm a, a fim de buscar o estado de equilíbrio. Raios – X: Gerados pela desaceleração de elétrons por colisão com um alvo resulta na emissão de radiação eletromagnética. A maior parte da energia é transformada em calor e uma pequena parte em raios-x. - Alcance: Com o não têm carga ou massa, o poder de penetração é alto e a atenuação depende da energia. Raios X ou gama podem avançar por dezenas de metros de ar. - Blindagem: Raios X ou gama são blindados por materiais densos, como concreto, chumbo ou aço, etc. - Danos biológicos: Os raios X e os raios gama são, principalmente, fontes da exposição externa; pode-se observar que causam danos mais profundos no organismo humano em função de seu poder de penetração. Radiação Nêutrons (N): essas partículas são um subproduto de muitas reações nucleares, como, por exem plo, a fissão do urânio 235 (quebra do núcleo do átomo do urânio).

s luvas protegem as mãos dos trabalhadores de diversos riscos, como abrasão, perfuração, corte, calor, contato com produtos químicos, energia elétrica e riscos biológicos. A escolha da luva de trabalhadores que manipulam agentes químicos deve considerar as substâncias utilizadas e suas propriedades. O uso da luva depende do tempo da exposição de sua concentração e natureza química. Vejamos alguns materiais e suas indicações: Borracha natural (Iátex) – Indicada para o contato de ácidos e álcalis. PVC (Cloreto de Polivinila) – Também indicada para o contato de ácidos e álcalis. PVA (Álcool Polivinílico) – Usada em contato com solventes orgânicos concentrados. Esse tipo de luva é hidrossolúvel. Nitrílica (butadieno) – Usada para proteger as mãos na exposição a ácidos, álcalis e solventes orgânicos. Neoprene (Cloropreno) – Na exposição a ácidos, álcalis e solventes orgânicos. Butílica (iso- butileno) – Para uso específico de acetonas e ésteres. Viton (hexafluor) – Para uso específico de solventes clorados e aromáticos.

^

TOLERANCIA ZERO - O senhor quer o leite no copo? - Não. Bota no chão e vem empurrando com o rodo! Entrando em uma agropecuária. -Tem veneno pra rato? -Tem! Vai levar? – Pergunta o balconista. - Não, vou trazer os ratos pra comer aqui!!! No elevador (no subsolo). Alguém pergunta: - Sobe? - Não, esse elevador anda de lado. O pai dava uma surra no filho e o menino gritava: - Tá bom, pai! Tá bom, pai! Tá bom, pai! - Tá bom? Quando tiver ruim, você me avisa, que eu paro.

"Artigo 135” - Deixar de prestar assistência, quando possível fazê-lo sem risco pessoal, à criança abandonada ou extraviada, ou à pessoa inválida ou ferida, ao desamparo ou em grave e iminente perigo; ou não pedir, nesses casos, o socorro da autoridade pública: Pena. - Detenção, de 1 (um) a 6 (seis) meses, ou multa. - Parágrafo único. “A pena é aumentada de metade, se da omissão resulta lesão corporal de natureza grave, e triplicada, se resulta a morte."

A

Luvas para Produtos Químicos

- Traz uma cerveja e bota o disco de Luiz Gonzaga pra eu ouvir! - Desculpe, não posso botar música hoje… - Mas por quê?? - Meu avô morreu! - E ele levou os discos, foi? Durante a madrugada, a mulher passa mal: - Amor! Ta me dando uma coisa.. - Receba! - Mas é uma coisa ruim! - Então devolva!!

Ao usar luvas de segurança é necessário tomar alguns cuidados. O prim eiro deles é, antes de colocá-Ia, verificar se está em bom estado, se não há rupturas, orifícios ou ressecamentos. O interior da luva deve estar sem resíduos e a mão do trabalhador limpa e seca. Durante o uso prolongado, é recomendável alternar pares de luvas para possibilitar a transpiração das mãos. Já quando se manuseia substâncias químicas, dobrar os punhos das luvas pode evitar o escorrimento de líquido para os braços. Antes de tirar as luvas, é preciso remover o excesso de resíduos. Na hora da retirada, é preferível puxá-Ia pelas pontas dos dedos. Isso evita que se contaminem as mãos. A segunda luva deve ser tirada pelo avesso. Feito isso, as luvas devem ser colocadas para secar em locais arejados, sem umidade, sem fonte de luz e calor. Na hora de guardar as luvas, elas devem estar secas e ser armazenadas em lugares arejados e sem fonte de calor. Aplique um creme hidratante após retirar as luvas no final do dia de trabalho. Isso evita o ressecamento da pele. É importante termos consciência de que todas as luvas são permeáveis. O que varia é o tempo de resistência, ou seja, o tempo decorrido entre o contato inicial com o lado externo da luva e a ocorrência do produto químico no seu interior.



Segurito 50  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you