Page 1


:: Teatro e Marionetas de Mandrágora ::

A companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora reside no Fórum das Artes e da Cultura de Espinho desde 2011 e foi criada em 2002 pela primeira equipa de alunos de Teatro de Formas Animadas formados em Portugal num período de 6 anos. Desenvolve desde a génese seu trabalho no campo do teatro das marionetas e na exploração das suas potencialidades. A Companhia tem direcção artística de Clara Ribeiro e Filipa Mesquita e direcção plástica de enVide neFelibata. A Mandrágora afirma-se como uma companhia de pesquisa e experimentação de linguagens teatrais e plásticas, onde a contemporaneidade artística aparece aliada às raízes culturais, na busca de uma identidade própria. Desde 2002 que a Companhia apresenta como objecto fundamental a criação de produções teatrais. Criou e produziu 23 espectáculos teatrais e co-produziu com outras estruturas teatrais mais de 10 espectáculos. Criou o programa teatro nas instituições, um programa de formação especializada em marionetas, colaborando com os Serviços Educativos de Museus onde produziu cerca de 10 espectáculos. Para além da produção de espectáculos realiza workshop, exposições e promoveu ainda duas edições do Festival “Ponto Pequeno” em 2004 e 2005. Desde 2007 que a companhia promove um programa cultural nas escolas, realizando projectos pedagógicos no âmbito das expressões artísticas, junto dos jardins de infância e das escolas do ensino básico e secundário. Em acção constante, a Companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora, tem encontrado programas diversificados que lhe permitem aproximar o público do teatro de marionetas.

http://casadosventos.marionetasmandragora.com/ fotografia rita rocha


This puppetry play for all publics addresses the issue of jorneys reconciling the affective relationship between a child and an old woman, in the share of experiences and in the construction of an individual and collective identity. It is also an affections jorney through the portuguese traditions, reinventing them in the construction of a world of its own, towards a future that is hoped prosperous. We would like to propose you to include this production in you cultural calendar.

Play features Duration – 60 minutes Target audience – all public / over 4 years-old

Synopsis “house of winds” is a house and it is a journey. It is a house on a journey. How big a house is? Can a person be a house? Does a house need walls? Can a house be a place, a language, a country…? This play tells of a journey of two characters looking to maintain their way of being, their space of affections and emotions in a changing world. In a big city, two characters, Alba and Maria try to cross it carrying a windmill on their back in search of a new hill that will assure a new place to live. But the city breathes, overwhelms and fascinates. The house comes from the search of the integration of personal and collective memories from everyday life, looking for traditional legacies as the possibility to build an image of its own future, full of memories and reinvented traditions. Parallel Initiatives This play may be accompanied by two workshops, an exhibition and an installation Building automata with children – Clara Ribeiro Building automata with adults – enVide neFelibata Photographic exhibition of the creative process – Rita Rocha Installation of windmills – Filipa Mesquita


Credits creation and interpretation Filipa Mesquita initiatives Clara Ribeiro artistic consultant José Rui Martins research support Armando Ferreira puppets enVide neFelibata scenography Marta Fernandes da Silva graphic design Patrícia Costa lighting design Paulo Neto music Fernando Mota leather props José Machado scene photography Rita Rocha production Filipa Mesquita video Zito Marques Support and Partnership Trigo Limpo - Teatro ACERT (artist residency) Theatro Circo Auditório de Espinho Institutional Support Câmara Municipal de Espinho Câmara Municipal de Gondomar Rede Portuguesa de Moinhos Fórum de Arte e Cultura de Espinho Junta de Freguesia de Bom Sucesso Sponsorships Eurospuma, Rebelo - Artes Gráficas


::2 Espectรกculo ::


Contacts Teatro Mandrรกgora Non-profit Association (VAT-exempt) FACE - Fรณrum de Arte e Cultura de Espinho R. 41 / Av. Joรฃo de Deus 4500 Espinho Portugal www.casadosventos.marionetasmandragora.com mandragora@marionetasmandragora.com www.marionetasmandragora.com www.blog.marionetasdemandragora.com www.envide.marionetasmandragora.com Clara Ribeiro 914 514 756 | 934 609 858 Art Direction Filipa Mesquita 963 394 153 Art Direction enVide neFelibata 938 940 122 Art Direction


Ce spectacle de marionnettes, pour tout public, aborde la thÈmatique du voyage par le biais la relation affective entre une enfant et une vieille dame ; dans l'Èchange d'expÈrience et dans la recherche d'une identitÈ individuelle et collective. C'est aussi un voyage au coeur des traditions portugaises, les rÈinventant par la construction d'un monde imaginaire tournÈ vers un futur qui se veut prospËre. Nous aimerions vous proposer d'intÈgrer cette production dans votre programmation culturelle. Informations DurÈe - 60 minutes Public cible - tout public / ‡ partir de 4 ans Synopsis Maison des vents est une maison de voyage. C'est une maison en voyage. Qu'est ce qu'une maison ? Est-ce qu'une personne peut devenir une maison? Une maison nÈcessite t-elle forcÈment de murs ? Une maison peut-elle prendre la forme d'un local, d'une langue, d'un pays ... ? Ce spectacle raconte le voyage de deux personnages souhaitant conserver leur faÁon d'Ítre, leur espace affectif et leurs Èmotions dans un monde en transformation. Alba e Maria tentent de traverser une grande ville, avec un moulin ‡ vent sur leur dos, ‡ la recherche d'une vieille colline qui leur garantira un local pour vivre. Mais cette ville respire, opprime et fascine. La maison symbolise la recherche de l'intÈgration des mÈmoires personnelles et collectives dans la vie quotidienne, en se tournant vers les hÈritages traditionnels comme la possibilitÈ de construire une image de son propre futur, rempli de mÈmoires et de traditions rÈinventÈes. Initiatives parallËles Ce spectacle pourra Ítre accompagnÈ de deux workshops, d'une exposition et d'une installation. Construction de robots avec des enfants - Clara Ribeiro Construction de robots avec des adultes - envide nefelibata Exposition photographique des procÈdÈs de crÈation - Rita Rocha Installation de moulins ‡ vents - Filipa Mesquita


Ficha technique Creation et InterprÈtation Filipa Mesquita Iniciatives Clara Ribeiro Consultant artistique JosÈ Rui Martins Aide ‡ la recherche Armando Ferreira InterprËte Filipa Mesquita marionettes enVide neFelibata ScÈnographie Marta Fernandes da Silva Design graphique PatrÌcia Costa Dessin de lumiËre Paulo Neto Musique de scËne Fernando Mota Costumes et accessoires JosÈ Machado Photographie de scËne Rita Rocha Production Filipa Mesquita VidÈo Zito Marques Soutiens et Partenaires Trigo Limpo - Teatro ACERT (residÍncia artÌstica) Theatro Circo AuditÛrio de Espinho Soutiens Institutionnels C‚mara Municipal de Espinho C‚mara Municipal de Gondomar Rede Portuguesa de Moinhos FÛrum de Arte e Cultura de Espinho Junta de Freguesia de Bom Sucesso Sponsors Eurospuma, Rebelo - Artes Gr·ficas


Contact Teatro Mandr·gora Association sem but lucratif (exemptÈe de IVA/ TVA) FACE - FÛrum de Arte e Cultura de Espinho R. 41 / Av. Jo„o de Deus 4500 Espinho Portugal

www.casadosventos.marionetasmandragora.com mandragora@marionetasmandragora.com

www.marionetasmandragora.com www.blog.marionetasdemandragora.com www.envide.marionetasmandragora.com Clara Ribeiro 914 514 756 | 934 609 858 Direction Artistique Filipa Mesquita 963 394 153 Direction Artistique enVide neFelibata 938 940 122 Direction Plastique


espectáculo

de teatro de

marionetas

viagem a : : r o i r e t sa in

interior

a ca

O Espectáculo “casa dos ventos” lança questões. Que sociedade é aquela em que vivemos, e em que sociedade nos transformamos. São colocados em evidência o espaço rural e o espaço urbano, os saberes e a descoberta, as memórias passadas e as expectativas de futuro, o passado, o presente e o futuro, a desertificação e a sobrepopulação dos espaços, a solidão social e os relacionamentos interpessoais. “casa dos ventos” é uma viagem, é uma identidade que se constrói e que se transporta, é uma construção em constante mutação com perdas e ganhos, crenças e descrenças. Uma velha e uma criança são as personagens centrais, a partir destas figuras colocamos em evidência um conjunto de ideias e símbolos, da velha surgem as memórias, a ideia de pertença a um lugar, as tradições, o pensamento edificado em vivências sociais “passadas”, a vida e a percepção da proximidade da morte, por outro lado temos a criança, com as suas expectativas, ávida de conhecimento, a procura, a sociedade global, a viagem, o pensamento em formação assente em novos acontecimentos e novas aprendizagens, a crença da invencibilidade e da possibilidade de mudar o rumo do seu percurso. Esta ponderação sobre o criador observadores, levou-me à procura de um caminho possível através de distintas gerações e vivências culturais. Um olhar atento faz com que haja a noção de estarmos próximos de um abismo, o homem tem de saber olhar em frente, aliando-se enquanto entidade, enquanto património à construção de uma nova forma de estar. Estão colocados em evidência O isolamento da terceira idade, o abandono infantil, a desertificação das aldeias, a sobrepopulação das cidades, as energias renováveis, o património imaterial, o contacto humano entre os indivíduos, os afectos... A capacidade do ser humano se suplantar a si próprio, o fascínio do desconhecido, a amizade, o crescimento, a aquisição de conhecimentos.

fotografia rita rocha

estudos para cenografia: Marta Fernandes da silva


Ficha Artística e Técnica criação Filipa Mesquita Iniciativas Clara Ribeiro direcção de actores José Rui Martins apoio à pesquisa Armando Ferreira interpretação Filipa Mesquita marionetas enVide neFelibata cenografia Marta Fernandes da Silva máquina voadora Matos Silva design gráfico Patrícia Costa desenho de luz Paulo Neto música de cena Fernando Mota Rui rebelo adereços em couro José Machado fotografia de cena Rita Rocha produção Filipa Mesquita, Clara Ribeiro vídeo Zito Marques Parceria Trigo Limpo - Teatro ACERT espectáculo criado em residência no Novo Ciclo Trigo Limpo Acert Theatro Circo Auditório de Espinho Apoios Institucionais Câmara Municipal de Espinho Câmara Municipal de Gondomar Rede Portuguesa de Moinhos Fórum de Arte e Cultura de Espinho Junta de Freguesia de Bom Sucesso Patrocínios Eurospuma, Rebelo - Artes Gráficas


Sinopse

“casa dos ventos” é uma casa e é uma viagem. É uma casa em viagem. Qual a dimensão de uma casa? pode uma pessoa ser uma casa?, necessita uma casa de paredes? pode uma casa ser um local, uma língua, um país... ? Este espectáculo narra uma viagem de duas personagens em busca de manterem a sua forma de estar, o seu espaço de afectos e emoções num mundo em transformação. Numa grande cidade, uma velha, Alba e Maria tentam atravessá-la carregando um moinho de vento às costas na procura de uma nova colina que lhes garanta um local para viverem. Mas a cidade respira, oprime e fascina. A casa parte da procura da integração das memórias pessoais e colectivas na vida quotidiana, olhando para os legados tradicionais como a possibilidade de construir a imagem de um futuro próprio, repleto de memórias e tradições reinventadas.

fotografia rita rocha


:: Raider Técnico :: Classificação etária Duração do espectáculo Nº recomendado de espectadores Nº de Interpretes Nº de Técnicos

maiores de 4 anos 50 minutos 1 1

Espaço Cénico

mínimo

Cena Negra

sim

Desenho de luz Necessidades técnicas

paginas seguintes paginas seguintes

Montagem Desmontagem

até 12 horas até 2 horas

Pessoal de apoio

Técnico de luz Técnico de som sim

Camarim

7 largura 8 comprimento 5m altura chão linóleo ou outro pano de fundo pernas laterais

Estimativa Estimativa 1 1 1 agua toalhas espelho

:: CONTACTOS :: Associação Cultural e Recreativa Teatro e Marionetas Mito do Homem Plantado (Marionetas de Mandrágora)

FACE - Fórum de Arte e Cultura de Espinho Teatro e Marionetas de Mandrágora Rua 41, Av João de Deus 4500 Espinho email: mandragora@marionetasmandragora.com Clara Ribeiro 914514756 Filipa Alexandre 963394153 Página web: www.marionetasmandragora.com


Associação sem fins lucrativos (isenta de IVA)

NIF

506 322 076

CONTA

2074 0054 8823 0

NIB

0035 2074 0000 5488 2304 9

IBAN

PT50 0035 2074 0000 5488 2304 9

BIC/SWIFT

CGDIPTPL

[para efeitos de faturação - s ede s ocial] Teatro e Marionetas de Mandrágora R. de Quinéu, 75 4510–122 Jovim, Gondomar Portugal


NECESSIDADES TÉCNICAS – Casa dos Ventos ILUMINAÇÃO: Mesa luz DMX 512 programavel com memorias e sub-masters 36 Canais dimmer Protocolo DMX 512 3 Recortes 23/50 4 Recortes 15/32 2 PC 650w 12 PC 1000w 4 Fresnel 1000w 5 Par 64 CP62 2 Par 64 CP 61 1 Par 64 CP60 Circuito dimmado para Florescentes Cidade Luz Publico Controlada por dimmer na Cabine 8 Bases de Chão Ponto de corrente para Video no cenário Todos os projectores devem ter porta filtros Cabelagem para ligação de todo o material Som: P A - Adequado ao espaço + 2 monitores Mesa mistura 1 Leitor de CD com Auto Pause Espaço Cénico: Palco – 8 metros largura, 7 metros profundidade Panejamento preto 1 mesa de apoio à cenografia (50x50cm mínimo, tampo)


:: Historial da Companhia ::

Historial da Companhia 9 anos a criar raízes

a arte das marionetas Mandrágora Com este projecto pretendemos dar a conhecer a companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora e expor as nossas intenções nosentido de possibilitar a parceria cultural com o Concelho de Espinho. Apontamos 2011 e 2012 como um período de consolidação de estratégias de dinâmica cultural. A companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora foi criada em 2002 pela primeira equipa de aluno s de Teatro de Formas Animadas formados em Portugal num período de quase 6 anos, desde a génese desenvolvendo o seu trabalho no campo do teatro das marionetas e na exploração das suas potencialidades. A Companhia tem direcção artística de Clara Ribeiro e Filipa Alexandre e direcção plástica de enVide neFelibata.

Clara Ribeiro: “procuro trabalhar estéticas, explorar novas linguagens e conceitos que possam reunir na cena, o actor e a marioneta resultando numa criação que pretende conferir uma contemporaneidade tanto à cena como ao objecto plástico e às escolhas dramatúrgicas, aliando contemporaneidade a artística às raízes culturais, na busca de uma identidade própria. ” Filipa Alexandre: “ o meu objectivo é o de utilizar a marioneta para comunicar, expressar ideias e conceitos, dar ao ico públa possibilidade de reinventar a sua identidade cultural, aliando o tradicional ao contemporâneo a marioneta é a relação afectiva entre a personagem e a narrativa” enVide neFelibata: “ minha exploração é o aperfeiçoamento técnico descobrindo matérias materiais e que me permitam conjugar conceitos plásticos que eventualmente no final encontram a cena dramática, o acto teatral”


:: Historial da Companhia :: 3

A Marioneta como ponto de partida Muitos

são

as

perceberam

as

diversificadas

estruturas

que

potencialidades

das

marionetas.

Assim construímos a relação com diversas companhias de teatro que

Co-produções Companhias, Programadores, Instituições A Companhia colaborou com diversas estruturas teatrais, onde destacamos:

solicitaram à Mandrágora o seu apoio

para

marionetas

a

construção

de

e

formação

na

manipulação das mesmas.

Teatro do Bolhão,(2003); Lua Cheia Teatro ParaTodos (2005 e 2006);

Outras vertentes como a música clássica

Companhia Nuvem-voadora(2005, 2006, 2007 e 2010);

e

a

experimentações

ópera já

foram

por

nós

Trigo Limpo ACERT (2007, 2008 e 2009);

realizadas no sentido de ampliar a

Quinteto de Sopros, para o Festival de Música de Espinho (2008);

imagética dos espectáculos.

Artemrede (2008); Também a ciência pode usar a

Reitoria do Porto e Centro de Biologia molecular do Porto , integrado no programa Noite dos investigadores (2009 e 2010). Teatro nas instituições Castelos, Museus, Mosteiros A Companhia estabeleceu diversos programas de formação especializada em marionetas, colaborando na formação do Serviço Educativo dos Museus de onde destacamos a implementação do Programa “Teatros nas Instituições”, colaborando com:

marioneta como uma elemento de ensino dos mais novos, utilizando a marioneta como ponto de ligação. Os nossos projectos há muito que se aliaram ao património. Cada vez mais

as

Instituições

culturais

precisa de se tornar num espaço vivo, apelando á criatividade, ao

Museu de Alberto Sampaioem Guimarães desde 2003;

público, chamar a si o visitante,

Mosteiro de S. Martinho de Tibãesem Braga desde 2004;

para

Castro de S. Lourençode Esposende em 2006;

história, e ao património tem se

Biblioteca Camilo Castelo Brancode Famalicão em 2008;

mostrado

Museu Etnográfico da Póvoa do Varzimem 2009; Casa dos Condes de Castelo Melhor em Ansião em 2010; Casa Camilo Castelo Branco em Famalicão em 2010.

tal

a

gratificante.

marioneta

num

aliada

esforço

à

muito


::10 Historial da Companhia :: 4

Uma Companhia em movimento Os nossos projectos há muito que se aliaram ao património. Cada vez mais as Instituições culturais, museus, mosteiros, castelos, etc, precisam de se tornar em espaços vivos, apelando á criatividade, ao público, chamando a si o visitante, para tal a marioneta aliada à história e ao património tem se

Formação para Todos

mostrado num esforço muito gratificante.

Workshops Fantoches

Teatro na escola“ Programa semente” Marionetas de sombra

Marionetas de fios

A Companhia promove um programa cultural nas escolas “Programa semente” , realizando projectos pedagógicos no âmbito das expressões artísticas, junto dos jardins-de-infância e das escolas do ensino básico e secundário. Neste sentido estreia todos os anos uma produção programada para espaços pequenos e intimistas:

Marionetas em esponja

“Contos do Azevinho” (2007) encenação colectiva de Clara Ribeiro e Filipa Alexandre;

Marionetas de vara

Máscaras

“ Memória persistente”com direcção artística de enVide neFelibata (2008); “BZZZoira Moira” com encenação de Filipa Alexandre (2009);

Manipulação

“Benilde BZZZoira” com encenação de Clara Ribeiro (20 09).

Gigantes

Formações Marottes Modelação

Desde 2002 realiza também ateliês, workshops e formações na área da construção e manipulação de marionetas, quer direccionada para crianças, como para público adulto.

Exposições“Palco das Marionetas” A Companhia realiza diversas exposições de onde se destaca m as parcerias com: Festival MarMarionetas em Espinho, Museu da Chapelariaem S. João da Madeira, Casa da Cultura de Ansião , Museu de Alberto Sampaioem Guimarães, Festival de marionetas– Festafife em Viana do Castelo, Auditório Municipal de Gondomar, Ateliê 01 na Póvoa de Varzim.

Festival A Companhia promoveu duas edições do Festival de Marionetas em Vila do Conde “FESTIVAL PONTO PEQUENO” em 2004 e 2005.

casa dos ventos , espectáculo  

Criação 2011 da Companhia Teatro e Marionetas de Mandrágora residente no Fórum da Arte e Cultura de Espinho.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you