Page 1

PROGRAMA DA CELEBRAÇÃO


100 anos - Organização Denominacional UMA FORMOSA HERANÇA "... coube-nos uma formosa herança" (Sl. 16: 6)

N

o começo do século passado, as nossas igrejas pioneiras floresciam admiravelmente e percebiam a imperiosa necessidade de se agregarem, através de laços firmes e sólidos, visando um maior desenvolvimento do trabalho evangélico, iniciado pelo piedoso casal Dr. Robert Reid Kalley e D. Sarah Poulton Kalley, e consolidado pelos seus abnegados sucessores. Em 1910, após algumas articulações indispensáveis, acompanhadas de fervorosas orações a Deus, houve uma importante reunião preparatória, sob a coordenação da Igreja Evangélica Fluminense, com o franco apoio das igrejas já existentes no Estado do Rio de Janeiro, e com a honrosa presença dos Revs. José Augusto dos Santos e Silva, pastor da Igreja Evangélica Lisbonense (autor da versão portuguesa do famoso hino "Glória, Glória, Aleluia!", inserido em nosso "Salmos e Hinos", sob o número 377), e Pedro Rodrigues de Sá Campelo, pastor da Igreja Evangélica Pernambucana. Os seus idealizadores publicaram um projeto de estatuto para a organização embrionária. Há exatamente cem anos decorridos, nos dias 06 a 10 de julho de 1913, reuniu-se uma expressiva Assembleia inaugural, no antigo Salão de Cultos da Igreja Evangélica Fluminense, situado na Rua Marechal Deodoro, 185, no centro da capital carioca, para a formação da nossa entidade representativa, a qual, inicialmente, recebeu a nomenclatura de "Convenção das Igrejas Evangélicas Indenominacionais". Embora essa designação não fosse apropriada, todos os seus participantes estavam plenamente conscientes dos nossos princípios distintivos, consubstanciados nos "Vinte e Oito Artigos da Breve Exposição" - a Confissão de Fé elaborada em 1876. Sem dúvida alguma, o principal mentor deste esforço heroico se tornou o Rev. Francisco Antônio de Souza. A respeito de sua marcante personalidade, assim se expressou o Rev. Erasmo Braga, notável ministro presbiteriano: "Souza era capaz de fazer a transformação de um grupo de igrejas esparsas, numa das mais fortes e futurosas agremiações religiosas deste país...". Com um tirocínio a toda prova, conduziu as sessões plenárias o Rev. Alexander Telford, missionário escocês, atuante em nossa Pátria durante mais de três décadas, inclusive como agente credenciado da Sociedade Bíblica Britânica e Estrangeira. A sua acertada escolha como primeiro presidente da nascente corporação se constituiu numa singela homenagem à memória do eminente desbravador do evangelismo em solo brasileiro, seu conterrâneo, e num preito de gratidão aos demais missionários que operaram em nossa terra. Além destes dois eminentes vultos, tomaram parte ativa nesse conclave os Revs. Leônidas Filadelfo Gomes da Silva, Pedro Rodrigues de Sá Campelo, Manoel Gonçalves Marques e Elias José Tavares, e mais dez líderes, na sua maioria presbíteros, representando as treze igrejas do nosso campo: Fluminense, Encantado, Niterói, Passa Três, Caçador e Paracambi, no Rio de Janeiro; Paulistana e Santista, em São Paulo; Paranaguá, no Paraná; Pernambucana, Jaboatão, Vitória e Monte Alegre, em Pernambuco. Importantes assuntos foram debatidos e aprovados, demonstrando o vivo interesse dos convencionais pelo progresso da seara congregacional: Fundação de um Seminário (matéria prioritária, apresentada com muito vigor pelo Rev. Souza, preocupado com a educação teológica dos nossos obreiros), O Sustento Pastoral e a Publicação de um Órgão Oficial. Numa expressão de liberalidade, o Presbítero José Luiz Fernandes Braga transferiu à Convenção o jornal O CRISTÃO, até então de propriedade particular de sua família, e cedeu um imóvel para o funcionamento da nossa primeira Escola de Profetas, no Rio.

02


100 anos - Organização Denominacional Em 1916, realizou-se a Segunda Assembleia Geral, em Niterói, com o nome de Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais Brasileiras e Portuguesas, destacando-se o comparecimento do Rev. Júlio Leitão de Melo, em nome dos congregacionais pernambucanos. A nossa longa militância denominacional prosseguiu, pontilhada sempre de lutas tremendas e vitórias incontáveis: Organização de esperançosas igrejas e abertura de futurosas congregações; Parceria com as igrejas em Portugal; Ordenação de novos ministros; Licenciatura e Provisionamento de inúmeros candidatos; Criação de Juntas Regionais, Federações Regionais, Confederações Nacionais e Departamentos especializados; Surgimento da segunda Escola de Profetas, no Recife, e Expansão Missionária. Durante mais de vinte anos, laboramos ao lado da Igreja Cristã Evangélica do Brasil e, por um extenso período, recebemos a cooperação da União Evangélica Sul Americana e da Missão Evangelizadora do Brasil e Portugal. Após diversas fases históricas, eclodiu uma nova etapa, a partir da memorável Assembleia Geral de 1969, em Pedra de Guaratiba, quando houve o reagrupamento dos congregacionais do Sudeste e do Nordeste, marcada pela sua firmeza doutrinária, pelo seu espírito integrativo e pela sua visão missionária. Uma galeria de ilustres ministros dignifica e honra a nossa trajetória. Homens de Deus, com temperamentos diferentes e, em alguns momentos, com opiniões divergentes, deixando para as gerações futuras as marcas inapagáveis de sua consagração à causa evangélica. Reverenciamos, comovidamente, a memória de cada um e, numa justa retrospectiva, citamos o valioso concurso dos Revs. Ismael da Silva Júnior, Manoel da Silveira Porto Filho, Salustiano Pereira César e Theodoro José dos Santos, considerados como verdadeiras colunas em momentos significativos. No setor missionário, relembramos dois herois que caíram em pleno campo de batalha: Revs. Gérson Ferreira Costa e Nilson Ferreira Braga. Decorrido todo este tempo, reunimo-nos para louvar a Deus que, em Cristo Jesus, sempre nos conduziu em triunfo, convocando-nos para participar da ingente tarefa da evangelização do mundo; para tributar a nossa reconhecida gratidão a todos quantos, no passado e no presente, ergueram a bandeira tremulante do Congregacionalismo Nacional, nos mais longínquos rincões. E para renovar - como geração contemporânea - os nossos sinceros votos de apreço, consideração e lealdade à nossa União das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil, na passagem festiva do seu Centenário de estabelecimento. Numa sincera manifestação de amor e humildade, estendemos a nossa destra de fraternidade às nossas co-irmãs Aliança das Igrejas Evangélicas Congregacionais do Brasil e Associação das Igrejas Evangélicas Congregacionais Conservadoras do Brasil, constituídas em Campina Grande, em diferentes momentos, respectivamente em 1967 e 1998, sob a direção dos Revs. Raul de Souza Costa e Armando Torres de Vasconcelos, detentoras conosco desta formosa herança. Avante, congregacionais brasileiros, espalhados em todo o território nacional! Prossigamos sempre motivados pelo lema que um dia nos empolgou e nos inspirou: "...Não por força, nem por violência, mas pelo meu Espírito, diz o Senhor dos Exércitos" (Zc. 4: 6).

Júlio Leitão de Melo Neto Pastor da IEC Família Viva-Galante-PB. Presidente-21ª Associação Regional

03


100 anos - Organização Denominacional IGREJA EVANGÉLICA PERNAMBUCANA

IGREJA EVANGÉLICA DE VITÓRIA DE SANTO ANTÃO

N

a primeira Igreja Evangélica organizada na histórica província de Pernambuco e em todo nordeste brasileiro, quase no final do Século XIX. O Sr. Manoel José da Silva Viana chegou a Recife em 1868 e começou um trabalho à Rua dos Caldeireiros Ali alugou uma casa onde reunia algumas pessoas para a leitura das Escrituras Sagradas depois se transferiu para a Rua Augusta, nº 190 no bairro de São José. O Dr. Kalley chegou a Pernambuco em companhia de dona Sarah Poulton Kaley, e organizou a Igreja Evangélica Pernambucana no dia 19 de outubro de 1873, no Teatro Santo Antônio, atual Santa Izabel. Naquela ocasião Dr. Kalley batizou 12 irmãos. De imediato surgiram as primeiras dificuldades. O subdelegado com vários praças impediam a continuidade do culto. Durante quatro meses os trabalhos religiosos ficaram interrompidos. Dentre os filhos ilustres destacaramse os Revs. Dr. Antônio Primo Salustiano Marques, Pedro Rodrigues de Sá Campelo e Leônidas Filadelfo Gomes da Silva, autor de inúmeros hinos inseridos em nossos “Salmos & Hinos”. Seu atual templo foi inaugurado no dia 24 de fevereiro de 1924. O atual pastor é o Rev. Nyelson Mendonça de Souza e Silva. Leia a história da Igreja adquirindo o livro “O Grão de Mostarda” da Dra. Joyce Elizabeth W. Clayton, a venda na secretaria da Igreja.

É

04

4

o início de 1901 o Sr. Manoel Santana ouviu a mensagem do E v a n g e l h o apresentada pelo missionário Mc Call na cidade de Jaboatão. Ao regressar à Vitória começou a divulgar, entre os amigos, o quê havia ouvido; surgiram muitos interessados em conhecer melhor as “boas novas” de salvação. Em setembro daquele ano, o Rev. Charlles Kingston realizou uma série de pregações em Maués, onde residiam duas famílias crentes: Genoveva dos Santos e Antônia Maria da Conceição. Os inimigos do evangelho deram início a uma série de perseguições, impedindo a continuidade do trabalho naquela localidade. Inicialmente, o trabalho era localizado na Rua da Borges, onde Pedro Campello dá assistência ao trabalho na residência do irmão Hermenegildo Florêncio de Moura, com boa aceitação, tornando-se pequeno o salão de cultos. O Rev. Charlles Kingston resolveu residir em Vitória, em um sobrado em frente ao atual templo. O missionário comprou um terreno em frente ao sobrado e deu início a construção da Casa de Orações, inaugurada em 25 de março de 1907, consagrando-se ao presbiterato o irmão Manoel de Santana e ao diaconato o irmão José Maximino do Espírito Santo e empossado em seu pastorado o Rev. Pedro Rodrigues de Sá Campello. Oficialmente a Igreja foi organizada em setembro de 1905 pelo Rev. Charlles Kingston, contando apenas com o irmão Manoel Santana como diácono.


100 anos - Organização Denominacional IGREJA EVANGÉLICA DO JABOATÃO

IGREJA EVANGÉLICA DEMONTE ALEGRE

E

E

fetivamente, o trabalho evangélico em Jaboatão teve início como sr. Antônio José da Costa Araújo, membro da Igreja Pernambucana, que em 1900 comprou dois terrenos com o intuito de construir uma casa de madeira a fim de evangelizar os moradores de Jaboatão. O irmão Antônio da Costa Araújo dominicalmente visitava esse bairro e no local da construção fazia, em voz alta, a leitura de textos bíblicos. O trabalho prosperou e foi grandemente abençoado por Deus. Das primeiras conversões destaca-se a do sr. Amaro Duarte que tempos depois, foi consagrado Presbítero da Igreja, com muita fidelidade e dedicação. Visitaram sistematicamente este trabalho os pastores Fanstone, Call, Kingston e Telford prestando significativa ajuda, fazendo-a prosperar, apesar das muitas ameaças de morte feitas à igreja, pelos inimigos do evangelho, proprietários de engenhos do município. O atual pastor é o Rev. João Muniz Sobrinho. Para se conhecer em detalhes a história desta igreja é bom lê o livro “100 Anos de Proclamação” de autoria da Drª Joyce Clayton, publicado no ano do Centenário da Igreja, em 1905, a venda na secretaria da Igreja.

05

m decorrência de uma queima de Bíblias anunciada para ser efetuada em Recife, pelo Frei Celestino de Pandolf, o Evangelho chegou a Monte Alegre. A fim de fazer aquisição de alguns volumes da Bíblia, o Sr. Vicente Guedes de Araújo Pereira viajou a Recife e comprou 04 exemplares para ele e atender as seguintes pessoas: Júlio Leitão de Melo, José Carlos da Silva Pereira, Tiburtino José Vieira de Melo, através do Rev. Pedro Rodrigues de Sá Campello, ambas batizadas em 1905. Os inimigos do evangelho causaram grandes estragos a causa, destruíram o templo no dia 30 de dezembro de 1906, nada escapando. Mas com um trabalho especial foi organizada do dia 04 de agosto de 1912 a Igreja Evangélica de Monte Alegre, como se registra a seguir: “Ladeado pelo Missionário James Haldene e pelo Rev. Hermenegildo Sena, começou o Rev. Pedro Sá Rodrigues Campello, em outra viagem pelo nordeste, visitando o campo pernambucano, presidiu a cerimônia de organização da Igreja Evangélica de Monte Alegre, a 04 de agosto de 1912, com 105 membros e consagrou ao Santo Ministério da Palavra o Rev. Júlio Leitão de Mello, consagrando os quatro primeiros oficiais da nova Igreja, a saber: Vicente Guedes de Assis Pereira, e João Tavares como presbíteros; Nestor Gomes de Araújo Pereira e José Roberto da Silva como diáconos. Por conta das perseguições e ameaças de mortes os irmãos resolveram transferir o trabalho para a vila Pirauá, limite dos estados de Pernambuco e da Paraíba, onde edificaram um belo templo, inaugurado em novembro de 1923. O seu atual pastor é o Rev. Sérgio Sangiole Falcão. Para maior conhecimento da Igreja, leia “O PENDÃO REAL”, livro de autoria do Rev. José Bonifácio de Sousa e Silva. waybon@ig.com.br


100 anos - Organização Denominacional REV. EDGARD LEITÃO DE ALBUQUERQUE Preletor: 59 Anos Preletor de Ordenação Ministerial

Ó Rei Sublime Salmos & Hinos – 246 1.Ó Rei sublime em majestade e glória Sobre as milícias do celeste Além! Ouve o louvor, os hinos de vitória Dos que de Ti recebem todo o bem! Vinde, ó remidos, filhos de Deus; Dai vossas glórias que enlevam os céus! 2.Nos altos céus, augustos anjos soam Glória eternal ao soberano amor, E em coro os salvos com fervor entoam O nome ilustre de seu Benfeitor. 3.Santo és, ó Deus! Reinando eternamente,

E

dgard Leitão de Albuquerque, paraibano, nascido em 1928, filho de u m d o s p i o n e i r o s d o congregacionalismo, Rev. Júlio Leitão de Melo. Cursou Teologia no Seminário Cristão Congregacional do Norte, hoje STCNE. Eleito pastor e ordenado no dia 17 de janeiro de 1954, qu8ando assumiu o pastorado da Igreja em Caruaru, Pernambuco, sob a presidência do Rev. Porto Filho. Apreciado expositor bíblico o Rev. Edgard Leitão projetou-se como jornalista evangélico, escrevendo para o Jornal O NORTE CRISTÃO. Exerceu o magistério no Seminário Congregacional do Nordeste por mais de 16 anos. Pregador inspirado continua a escrever e proferir Conferências evangélicas. Correspondente da Academia Evangélica de Letras. Publicou 05 livros e há outros ainda inéditos. De seu casamento com a professora Glaura de Almeida Leitão, de saudosa memória, nasceram-lhe três filhos: Rev. Júlio Leitão de Melo Neto, Glaucia e Eneida.

Tens sobre o mundo império sem igual. Teus são a terra, os céus e o mar fremente; Em tudo opera o Teu poder real! 4.Ó Santo Deus! No pó nos vês prostrados, Ante o fulgor da resplendente luz, Junto a Teus pés, os filhos resgatados, Servos inúteis, salvos por Jesus! Sarah P. Kalley

Leitura Bíblica Mateus 9:35-38. 35. E percorria Jesus todas as cidades e aldeias ensinando nas sinagogas, pregando o evangelho do reino e curando todas as enfermidades e moléstias entre o povo. 36. Vendo ele as multidões, tinha grande compaixão delas, porque andavam cansadas e abatidas, como ovelhas que não têm pastor. 37. Então disse aos seus discípulos: A seara é realmente grande, mas os ceifeiros são poucos. 38. Rogai, pois, ao Senhor da seara que envie ceifeiros para a sua seara.

06


100 anos - Organização Denominacional

CULTO DE CELEBRAÇÃO DO CENTENÁRIO DE ORGANIZAÇÃO DENOMINACIONAL DA UIECB 1913 – 2013. . Chamada à Adoração

Instrumentos

Saudação e Boas Vindas

Rev. José Bonifácio de Sousa e Silva

. “Ó Rei Sublime” Louvor Congregacional

Salmos & Hinos 246 Sarah Kalley.

. Devocional: Mateus 9:35-38 . Invocação: Reverendo

Todos

Edilson Rodrigues

Presidente da Koinonia

. Momento de Louvor

Grupo Jovem Regional

. Uma Explicação Necessária –

Rev. Hildebrando Santos Costa Filho

. “Glória a Deus! O Céu O adora” - O. Osler e W.F. Haydn

“ Enquanto Houver

Amor” – L. Russ e Toritff e M. James Hollihan. .“Ofertório” Louvor Congregacional –

Grande Coral

Salmos & Hinos 261 – M. Porto Filho

. Oração Gratulatória -

Rev. Ovídio Pereira da Silva

. Mensagem Bíblica –

Rev. Edgard Leitão de Albuquerque

. “Cristo, Bom Mestre” Claire Cloninger e Gary Rhodes – “Aleluia” Handel - Coral . Homenagens:

Pr. Osvaldo Lopes dos Santos Pres. da Junta Geral

1.Igreja Evangélica Pernambucana 2.Igreja Evangélica de Vitória de Santo Antão 3.Igreja Evangélica do Jaboatão 4.Igreja Evangélica de Monte Alegre Homenagem aos pastores acima de 40 anos de ordenados; Aos demais pastores

Rev. Hildebrando Santos Costa Filho

Encerramento: 1.Agradecimento e encerramento da comemoração dos 100 anos 2.Oração Final -

dirigente

Pr. Osvaldo Lopes dos Santos Pres. da Junta Geral

3.Bênção Aaraônica –

Grande Coral

4.Pastores sentados aguardam a saída.

Recessional

07


100 anos - Organização Denominacional

Ofertório - Salmos & Hinos 261 1.Em tudo as Tuas mãos, Senhor Nos tem enriquecido E as provisões do Teu amor, Bondosas, conduzido.

3.De Ti vivemos, ó Senhor. E em Ti nos alegramos Na comunhão do puro amor Que em Cristo desfrutamos.

2.De Ti nos vem a salvação E as bênçãos incontáveis Que dia a dia, ó Pai nos dão As tuas mãos amáveis.

4.Recebe, pois, a gratidão Da oferta que trazemos, Nascida, ó Deus, da multidão De quanto a Ti devemos. M. Porto Filho.

. Notas e Graças.

1.

2.À Pianista Fernanda Helena de Souza, cujo talento tem dedicado a Deus. 3.À sonoplastia de Jamerson de Souza Moreira. 4.Ao Pr. Abenildo Antônio dos Santos pelo apoio logístico à programação. 5.Ao irmão Milson Marins pela edição do programa. 6.Ao Rev. Edgard Leitão de Albuquerque, o mensageiro da ocasião, bem assim ao Rev. Júlio Leitão de Melo Neto pela confecção na pastoral do programa. 7.À igreja pernambucana pela cessão do templo para este ato de celebração. 8.

9.À equipe introdutória por colaborar com solenidade do ambiente. 10.Às Igrejas que compareceram e prestigiaram esta festa. 11.À Junta Geral e à Comissão Organizadora deste evento por me confiar a condução da celebração em Recife. 12.A Deus por nos ter oportunizado este evento para Sua Glória.

08


Programacao 100 anos  

100 de organização denominacional, da UIECB

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you