Page 1

AMPARE Ano XI | nº 36 | outubro – novembro – dezembro de 2011

3

Editorial

Ampare Recomenda

CDs, DVDs, filmes e livros

4

Homenagem:

Médicos também são anjos

Quando se

RECITAL DE NATAL (Violino & teclado) / coquetel DATA: 06 DE DEZEMBRO HORA: 20:00 LOCAL: AUDITÓRIO DA ASSOCIAÇÃO MÉDICA DE PERNAMBUCO (AMPE) COLABORAÇÃO: 1Kg DE ALIMENTO

vê já é natal...

“A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa. Quando se vê, já são seis horas! Quando de vê, já é sexta-feira! Quando se vê, já é natal... Quando se vê, já terminou o ano... Quando se vê perdemos o amor da nossa vida. Quando se vê passaram 50 anos! Agora é tarde demais para ser reprovado... Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio. Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas... Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo... E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo. Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz. A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.” (Mário Quintana / O TEMPO)

1


Quem somos e o que fazemos... “Faze com alma o que na vida te for dado fazer, mas não te esqueças de integrar-te nos grandes planos de Deus”.

próprios consultórios e com hora marcada, seguindo a nossa proposta eficiente e digna, que respeita os diferentes níveis sócio-econômicos dos pacientes. A AMPARE também dispõe de um “SPPA” (Serviço de Psicologia e Psiquiatria AMPARE) na própria Sede, todos os dias, das 8:00 às 20:00h, com valores compatíveis ao nível sócio-econômico de cada um. Para isso, o sócio passará por uma avaliação com a Diretoria ou com o próprio Psicólogo, que determinará o valor mínimo possível para cada paciente. Com uma taxa simbólica de apenas R$10,00 por mês, você se torna associado da AMPARE e pode usufruir dos serviços prestados por esta associação. Associe-se já! Promovemos palestras em empresas, faculdades, colégios, igrejas etc., para divulgar os transtornos emocionais e o nosso trabalho. Para solicitar uma palestra fale conosco. Nossos contatos: (81)3222-6252 / 8873.7400 Nosso e-mail: ampare_pe@hotmail.com Nosso endereço: Rua Oswaldo Cruz, 393, sala 01, Boa Vista, CEP 50050-220, Recife - PE (Térreo e 1º Andar do Prédio Anexo da Associação Médica de PE). Nosso horário de atendimento: de 2ª à 6ª feira, das 7:30h às 19:30h e aos Sábados das 8:00 as 14:00h.

(D. Hélder Câmara)

Fundada em 23 de Abril de 2001, por um grupo de portadores do transtorno do pânico e idealizada pelo médico pernambucano Wilson Alves de Oliveira Jr., a Ampare existe para “amparar” pessoas como você, que estão precisando de ajuda. E, apesar de criada inicialmente para os pacientes com pânico, hoje a Ampare acolhe também os pacientes com Depressão, TOC, Transtorno Bipolar, Hiperatividade, Déficit de Atenção e outros transtornos de ansiedade e do humor. Trabalhamos por uma Medicina mais humana e eficaz, que se traduza em tratamento digno e adequado, e uma melhor qualidade de vida para quem sofre de transtornos psicossomáticos. Temos um site informativo sobre o nosso trabalho, com artigos de médicos e psicólogos abordando sobre o Pânico, outros transtornos de ansiedade, depressão e seus tratamentos; além de entrevistas e depoimentos de pacientes, dicas de livros, agenda de palestras, cursos para estudantes e profissionais da área... Visite, fique por dentro e indique aos amigos: www.ampare-pe.com.br Temos também um JORNAL de periodicidade trimestral com uma tiragem de 5.000 exemplares, que circula com êxito pelos meios médicos e demais meios sociais, levando a todos uma visão ampla de nossas atividades. Contamos com excelentes Profissionais: Médicos e/ou Psicólogos - que abraçando a causa humanista da AMPARE, prestam atendimento aos sócios dessa Associação, em seus

“Não, não pares. É graça Divina começar bem. Graça maior é persistir na caminhada certa, manter o ritmo... Mas a graça das graças é não desistir. Prosseguir firme... podendo ou não podendo... Caindo embora aos pedaços... Chegar até o fim.” (D. Hélder Câmara)

EXPEDIENTE AMPARE - Associação dos Amigos dos Pacientes de Pânico em Recife. Rua Oswaldo Cruz, 393, Boa Vista, Recife/PE CEP: 50055-220. Fone: (81) 3222.6252 Fundada em 23 de abril de 2001 CNPJ: 10.429.193/0001-54 www.ampare-pe.com.br / ampare_pe@hotmail.com Presidente de Honra: Dr. Wilson de Oliveira Jr. DIRETORIA: Presidente: Socorro Capiberibe Vice-presidente: Wilson de Oliveira Jr. Dir. Administrativo: Jacilene Cansanção Bittencourt Dir. Financeiro: Francisca Cleide Modesto Dir. Técnico: Maria Helena Baltar Dir. Cultural: Wagner Saldanha Maia Assessora: Conceição Catanho CONSELHO FISCAL: Titulares: Ana Paula Hawatt, Alessandra Bacelar e Jaidete Almeida Suplentes: Glaudinete Pessoa, Regina Capiberibe e Edson Rodrigues Jornalista responsável: Maria Cândida Capiberibe (DRT/ PE 3036) Revisão e assessoria de comunicação: Mariana Maia (9204.0773) Fotografias: Wagner Maia e Mariana Maia Impressão: NGE Gráfica Tiragem: 5.000 exemplares

2


MENSAGEM AMPARE

Imagine

Ampare recomenda CDs O REALEJO DOS BLOCOS – Geraldo Azoubel – Frevos de Bloco e Marchas Rancho, sucessos dos nossos carnavais, em arranjos para realejo. Contato: (81) 9182.4962 e azoubeladv@hotmail.com

Imagine que não há paraíso É fácil se você tentar Nenhum inferno abaixo de nós Acima de nós apenas o céu Imagine todas as pessoas Vivendo para o hoje Imagine não existir países Não é difícil de fazê-lo Nada pelo que lutar ou morrer E nenhuma religião também Imagine todas as pessoas Vivendo a vida em paz Você pode dizer Que eu sou um sonhador Mas eu não sou o único Eu tenho a esperança de que um dia Você se juntará a nós E o mundo será como um só Imagine não existir posses Pergunto-me se você consegue Sem necessidade de ganância ou fome Uma irmandade humana Imagine todas as pessoas Compartilhando todo o mundo

MEU PEQUENO REALEJO – Geraldo Azoubel – Cantigas de Ninar e Danças de Roda que fizeram e fazem o encanto da infância em arranjos para realejo. Contato: (81) 9182.4962 e azoubeladv@hotmail.com.

DVDs MÚSICA DE BRINQUEDO – Pato Fu – Sucessos nacionais e internacionais interpretados pela banda Pato Fu, com a utilização de instrumentos de brinquedo ou miniaturas, e a participação especial do grupo de marionetes Giramundo. Gravado no Auditório Ibirapuera – SP.

Filmes COMER REZAR AMAR (Eat Pray Love) – Romance – EUA – 2010 – 140min – Colorido - direção: Regan Murphy – com: Julia Roberts e Javier Barden. Baseado na obra de Elizabeth Gilbert, que passou um ano viajando pela Itália, India e Bali em busca da descoberta pessoal através da boa comida, da meditação e da esperança de encontrar o amor verdadeiro.

Você pode dizer Que eu sou um sonhador Mas eu não sou o único Eu tenho a esperança de que um dia Você se juntará a nós E o mundo será como um só

MEIA NOITE EM PARIS – Comédia Romântica – EUA – 2011 – 95min – Colorido – direção de: Woody Allen- com: Owen Wilson e Rachel McAdams. Estar em Paris faz com que Gil, escritor e roteirista, se questione sobre os rumos de sua vida, desencadeando o velho sonho de se tornar um escritor reconhecido

(John Lennon)

PARA REFLEXÃO:

FUSO HORÁRIO DO AMOR (Jet Lag) – Comédia Romântica – França –2002– 85min - Colorido – direção de Daniéle Thompson– com: Juliette Binoche e Jean Reno. Rose e Felix, tipos completamente diferentes se encontram em um aeroporto. Entre cancelamentos e atrasos de vôos acabam dividindo um quarto de hotel. Aos poucos as barreiras vão caindo e entra em cena a química do amor.

Muito bom! Todos os “PAIS & MÃES” deveriam ler... DEFINIÇÃO DE “FILHO” (JOSÉ SARAMAGO) “FILHO é um ser que nos foi emprestado para um curso intensivo de como amar alguém além de nós mesmos, de como mudar nossos piores defeitos para darmos os melhores exemplos e de aprendermos a ter coragem. Isto mesmo! Ser PAI ou MÃE é o maior ato de coragem que alguém pode ter, porque é se expor a todo tipo de dor, principalmente da incerteza de estar agindo corretamente e do medo de perder algo tão amado. Perder? Como? Não é nosso. Recordam-se? Foi apenas um empréstimo.”

Livros AMPARE – 10 ANOS – Socorro Capiberibe (Organizadora) – Documentário – Fundação – Diretorias – Artigos de Médicos e Psicólogos – Relatos de pacientes – Cartilha do Pânico – Retrospectiva em fotos / Nacional Gráfica & Editora (NGE), Recife, PE, 1ª edição / Locais de venda: AMPARE e Livraria Idéia Fixa. DE GERAÇÃO A GERAÇÃO – Socorro Capiberibe – Poesias & Reflexões – Nacional Gráfica e Editora (NGE) – 2ª edição revista e ampliada – 2011 – Locais de venda: Ampare, Idéia Fixa, Livrarias Imperatriz (Shoppings Recife, Plaza, Tacaruna e Guararapes), Livraria Cultura. PSICOLOGIA NA SALA DE AULA – Luiz Schettini Filho – Álbum contendo cinco DVDs destinados aos Educadores com temas sob EDUCAR COM AFETO, na visão do Psicólogo / Teólogo / Filósofo / Escritor e Professor de Psicologia da Educação e da Aprendizagem: Luiz Schettini Filho. Contatos: persona@ luizschettini.psc.br / www.luizschettini.psc.br.

3


A PALAVRA DE QUEM SENTE

Há algumas coisas na nossa vida que não se explicam elas simplesmente acontecem. A síndrome do Pânico é uma delas. E ela aconteceu comigo. Comigo? A velha e boa pergunta prepotente - por que comigo? As coisas são assim: as boas queremos para nós; as não tão boas às vezes aceitamos e as que pensamos ser ruins queremos que aconteçam com qualquer pessoa, menos conosco. No meu caso essa “coisa ruim” chegou numa sexta – feira, numa dessas manhãs bonitas e ensolaradas. Ao acordar neste dia estranhei o fato de meu marido não ter ido trabalhar. Logo depois soubera o motivo: morte do meu irmão mais velho. No primeiro instante até aceitei com certa resignação a fatídica notícia. Então eu e o meu marido fomos até Olinda para nos reunirmos com os demais parentes para tratarmos da questão do funeral. Até ai tudo parecia transcorrer “normal”. Mas, de repente: um tremor pelo corpo, ondas de frio, mãos suando, tonturas, coração disparando a mil... Meu Deus o que está acontecendo comigo? O que é isto? É claro que todos disseram – me que era a emoção. Afinal, ninguém recebe uma notícia como aquela e fica tranquilo. Todos correram para levar – me ao hospital mais próximo. Diagnóstico: estresse emocional com elevação da pressão arterial (18x14). Remédios, repouso, etc. Não compareci ao enterro. Mas “aquilo” seria apenas o começo de uma saga de idas e vindas às emergências dos hospitais, remédios e tudo mais. A pergunta vinha a toda hora: por que isso está acontecendo comigo? Logo eu, uma mulher tão corajosa. Acostumada a socorrer pessoas. A dirigir para qualquer lugar, enfrentar tantas situações difíceis? Agora acuada... Transtornada pelo pânico... Nem mesmo era um medo racional como esses que costumamos ter: medo de baratas, de assaltos, de lugares escuros, de lugares fechados... Não. Não. Era algo irracional. Numa dessas visitas ao cardiologista meu coração batia tanto que parecia que eu estava à beira da morte. O cardiologista olhou – me nos olhos e disse “O medo está dentro de você. Não é o ambiente, não são as pessoas, é você.” Então com toda a minha “racionalidade” comecei a procurar em sites de internet uma explicação lógica pra tudo aquilo. E foi numa dessas buscas que encontrei a AMPARE. Estava lá o número do telefone de Socorro Capiberibe. Liguei imediatamente. Do outro lado da linha uma voz suave (mas firme) ouvia o meu choro desesperado. Ela perguntou – me “Você está sozinha em casa?” eu respondi que a minha filha esta-

va comigo (uma das minhas “bengalas”. Ela conversou comigo, acalmou – me, perguntou se eu já estava em tratamento psiquiátrico, se eu queria um acompanhamento psicológico. Aquele dia ficaria marcado em minha vida. Alguém que teve um problema igual ao meu (afinal, ela vivera com aquilo durante anos) estava se importando comigo, estava me ouvindo e, além disso, sabia exatamente como eu estava me sentindo. Foi nesse mesmo dia que o telefone tocou. Era a psicóloga. Ela conversou comigo e disse – me que se eu não pudesse ir ao seu consultório que ela iria a minha casa. Eu pensei: Essa AMPARE realmente é atuante, pois vir à casa da paciente era algo que eu jamais ouvira falar. Aquela conversa com Socorro e com a psicóloga me trouxera uma luz no fim do túnel. Reuni os restinhos de coragem que me restavam e fui até Casa Caiada (local do consultório da Psicóloga Carmita). Meu coração batia muito acelerado. Fui recebida com um grande sorriso e um enorme abraço. Estava ali na minha frente uma mulher maravilhosa, muito mais que uma profissional – uma amiga disposta a ouvir – me. Carmita Nigro é o seu nome. Chorei muito. Chorei por mim, pelo meu irmão, pelos meus pais, pela humanidade inteira. Acho que gastei uma caixa de lenços naquele dia. Tudo que eu fazia era chorar e tomar água, chorar e tomar água. As sessões foram marcadas. A princípio as quinta – feiras e depois as quartas. Fazia de tudo para não faltar. Meus filhos e o meu marido foram maravilhosos nessa fase tiveram além de muita paciência muito amor por mim. Desde aquele primeiro telefonema para Socorro já se passaram seis meses. Hoje eu estou escrevendo esse depoimento para que pessoas como eu também sejam alcançadas pela AMPARE e seus profissionais (amigos) e que essas pessoas possam acreditar primeiramente no nosso Mestre Maior Deus e saber que a cura da síndrome do pânico é possível. Ainda estou em tratamento, mas já voltei às atividades cotidianas. Dirigir, trabalhar, ir a shoppings, supermercados, etc. Outro dia na terapia eu estava contando a Carmita sobre a minha felicidade em ficar quase uma hora na fila do supermercado sem sequer ter uma crise de pânico... Isso é ou não é maravilhoso? Obrigada AMPARE... Obrigada Socorro... Obrigada Carmita! Continuem com esse maravilhoso projeto de vida e que Deus continue nos abençoando hoje e sempre! (Maria de Lourdes – Paciente da AMPARE desde abril de 2011.)

4


HOMENAGEM AO MÉDICO

Médicos também são anjos Com quem se parecem os anjos? Com aquela velhinha que devolveu sua carteira outro dia? Com aquele motorista que disse que seus olhos iluminam o mundo quando você sorri? Com aquela criancinha que lhe mostrou a maravilha das coisas simples? Com aquele homem pobre que lhe agradeceu a esmola com o olhar mais grato possível? Com aquele homem rico que lhe mostrou que tudo é possível se você apenas acreditar? Com aquele estranho que apareceu bem na hora em que você estava perdido? Com aquele amigo, que mesmo distante, não nos sai da lembrança? Com aquele amigo que lhe tocou o coração quando você pensava que não tinha amigos para ajudá-lo? Com o sorriso de bom dia dado por algum desconhecido?

“Nada é mais gratificante que a certeza do dever cumprido.” (Socorro Capiberibe)

Após oito anos - referentes a dois mandatos consecutivos 2003 a 2007 e 2007 a 2011 - a atual Diretoria da AMPARE se despede, com a certeza de ter dado o melhor de si em prol da Saúde Mental e qualidade de vida, oferecidas aos seus associados. Em 01 de Janeiro de 2012 estará tomando posse uma nova diretoria a ser eleita no próximo dia 01 de Dezembro.

Os anjos aparecem em todos os tamanhos e formas, todas as idades e tipos de peles. Alguns têm sardas outros têm covinhas... Alguns têm rugas e outros não... Eles aparecem disfarçados como amigos, inimigos, professores, estudantes, amantes, tolos... E, por que não Médicos? Eles não levam a vida seriamente e conseguem ser muito leves... Eles não deixam endereços e nada pedem em retorno. Às vezes usam chinelos, não mostram as asas. Outras vezes pedem para lavar e passar... Eles são difíceis de achar quando seus olhos estão fechados. Mas estão em toda parte quando você escolher vê-los.

Edital de convocação A Diretoria da Ampare – Associação dos Amigos dos Pacientes de Pânico em Recife – no uso de suas atribuições e em cumprimento ao seu Estatuto, convida seus associados, plenamente quites com suas mensalidades, para a Assembléia Geral Ordinária a realizar-se no dia 01 de dezembro de 2011, das 10:00 às 18:00, em sua sede social na rua Oswaldo Cruz, 393, sala 01, Boa Vista, quando será realizada eleição para diretoria e conselho fiscal, para o quadriênio 2012-2015. Os requerimentos para registro de chapas devem ser dirigidos à diretoria da associação até o dia 14 de novembro de 2011, das 08:00 às 18:00 em sua sede.

(Texto veiculado na internet / Autor não mencionado)

A AMPARE homenageia todos os ANJOS DE BATA BRANCA que tratam das nossas feridas, aliviam as nossas dores, cuidam da nossa saúde, guardam a nossa vida. Os Médicos também são ANJOS. 18 DE OUTUBRO – DIA DO MÉDICO – PARABÉNS, DOUTOR!

Recife, 01 de outubro de 2011

Presidente

5


ARTIGO

Vamos assumir a nossa responsabilidade *Por Jurandir Brainer

Estamos todos assustados com os desastres naturais que estão ocorrendo nos últimos tempos. A impressão inicial daqueles, como eu, que são leigos no assunto é de que “A VIDA”, “O MEIO AMBIENTE”, está nos punindo por todo tipo de sujeiras e maus tratos que praticamos no nosso dia-a-dia. Agora, quando o árbitro levanta a placa indicando os minutos finais de prorrogação deste jogo, estamos querendo mudar tudo, queremos deixar de sujar nossas praias e nossos rios, queremos deixar de sujar o nosso ar, queremos deixar de sujar os nossos alimentos com o agrotóxico e os transgênicos, enfim como um passe de mágica queremos mudar o jogo, pois o que está acontecendo é muito assustador e estamos com medo. Menos mal, pelo menos a consciência de nossa responsabilidade já demonstra que pretendemos mudar, apesar de que a maioria dos nossos governantes ignora esse discurso ou utilizam as idéias apenas como material de campanha política. Utilizemos agora esse cenário dos desastres naturais do meio ambiente para o nosso corpo, especificamente para o aparelho digestivo, veremos que da mesma maneira que temos a grande responsabilidade sobre os desastres do meio ambiente, também temos essa mesma responsabilidade sobre as doenças do aparelho digestivo, senão vejamos: – Deixamos de nos alimentarmos para engolirmos, a pressa de comer rápido para não perder tempo faz com que o nosso sistema digestivo não consiga fazer o seu trabalho pois deixamos de mastigar os alimentos, deixamos de fazer dos horários de refeições um momento de nos reunirmos com as pessoas de quem gostamos (sem pressa), passamos a incluir muito líquido nestas refeições (até para empurrar o bolo alimentar), e isso quando achamos que está tudo bem pois uma grande parte ainda prefere substituir essa refeição fast food por um sanduiche, um biscoito, ou coisa pior. – Deixamos de contemplar e conviver para reagirmos, reagimos a tudo, reagimos a todo tipo de stress, desaprendemos a considerar os efeitos naturais das coisas, tudo tem que ter uma explicação, tudo tem que ter um responsável e temos sempre que ser os vitimados, aqueles contra o qual existe uma conspiração universal e sempre estamos em posição de alerta para devolver a agressão. – Deixamos de nos relacionarmos com as pessoas para convivermos, para trocarmos experiências, para sempre esperar algo em troca, de bom ou de ruim. Diante de tudo isso, o nosso sistema digestivo tentou se adaptar a todas as agressões alimentares, químicas, emocionais, etc., mas é difícil, e da mesma maneira que estamos vendo no meio ambiente, passou a ter também os seus sinais de alarme, aos quais podemos chamar de:

– Doença de Refluxo Gastroesofágico, quando não damos a chance do esôfago e estomago de executar as suas funções digestivas devido a forma de como nos alimentamos ou o tipo de alimento que consumimos, e passamos a simplesmente ruminarmos com todos os sintomas próprios dessa síndrome como pigarro, tosse, rouquidão, entalos, engasgos, azia, porque simplesmente não permitimos que o nosso organismo faça o seu trabalho da forma correta. – Dispepsia, quando também influímos no processo digestivo do estomago através dos fatores já mencionados e passamos a apresentar estufamento, dores no estomago, azia, náuseas, etc. – Síndrome do Intestino Irritável, onde a sede principal dos sintomas passa a ser na área intestinal, apesar de que o mecanismo de ação seria semelhante aos outros casos, onde teríamos principalmente três situações, a forma constipante, a forma diarréica e a forma mista. Ao discorrermos sobre estas situações, fazendo a correlação com os desastres do meio ambiente, a mensagem maior que gostaríamos de transmitir é que da mesma maneira que no jogo dos desastres ambientais, com o susto que estamos vivendo, passamos a procurar ter alguns cuidados e assumirmos as nossas responsabilidades, precisamos fazer o mesmo em relação às doenças digestivas mencionadas, temos que assumir as nossas responsabilidades, temos que tratar o nosso organismo como ele merece para que ele deixe de nos punir como vem fazendo, por exemplo: • Comer devagar • Mastigar bem os alimentos • Evitar líquidos nas refeições • Tomar bastante líquido durante o decorrer do dia • Evitar deitar após as refeições • Evitar excesso de frituras, condimentos e conservas • Fazer uma atividade física • Fazer uma atividade de relaxamento mental • Usar bastante frutas e verduras (de preferência orgânicos) • Deixar de ser reativo, passar a ser pró-ativo

Vamos assumir a nossa responsabilidade!!! *Dr. Jurandir Brainer – Médico Gastroenterologista. (Este e outros importantes artigos sobre saúde física e mental, além de uma cartilha completa sobre o Pânico, depoimentos de pacientes e uma retrospectiva desde a sua fundação até os dias atuais, podem ser encontrados no Livro/ Documentário “AMPARE – 10 ANOS” / À venda na AMPARE e na LIVRARIA IDÉIA FIXA - Parnamirim.)

6


ARTIGO

Lembranças da minha infância... Retratos da minha vida. Por Socorro Capiberibe

Não tem coisa que me dê mais saudade que ver pés de manga, caju e goiaba plantados ao longo de uma estrada, ornamentando os quintais das casas simplesinhas com cadeiras de balanço e rede nos terraços, que se espalham pelos campos beirando as colinas ou margeando rios... Desde menina percorro com a minha família a estrada que liga João Pessoa a Recife, capitais de estados vizinhos que guardam pedaços da minha infância e juventude até a minha idade atual, compondo assim o retrato da minha vida. Tenho uma relação muito forte e estreita com essas duas cidades. Em João Pessoa eu nasci e vivi a minha infância, ao lado dos meus pais e de meus irmãos, no bem-aventurado convívio com meus avós, tios e primos maternos. Era a época dos circos, dos cozinhados no quintal, dos veraneios em Tambaú com pescarias, assustados, serenatas e banhos de mar. Era também a época dos cajus, das goiabas e das mangas tirados por nós das próprias árvores e das castanhas assadas com carvão em fogareiro de barro. Ah, João Pessoa querida! Cidade pequenina e amada! João Pessoa do meu “Jardim da infância Nossa Senhora de Lourdes no Instituto Dom Adauto”, da minha primeira professora “tia Herundina”, do meu “curso primário” no Colégio de Nossa Senhora das Neves onde eu recitava de Casimiro de Abreu “Meus oito anos”. João Pessoa da “Lagoa”, da “Bica”, do “Cabo Branco” e da “Festa das Neves”... Como foi triste e saudosa a minha despedida de ti. Chegamos a Recife em fevereiro de 1966, nossos pais, meus irmãos e eu. Recife nos acolheu de braços abertos. Uma nova etapa de nossas vidas iniciava-se ali. Foi amor à primeira vista. Apesar da saudade que trazia no peito quando te vi me encantei! Tua alegria me contagiou. Pareceste-me tão grande e tão bela naquela manhã banhada de sol. Havia tanta gente nas ruas, tantos ônibus enormes que eu não conhecia – “os ônibus elétricos” - Recife de mil encantos, foi aí que me apaixonei. Eu estava completando onze anos de idade... Tudo era novo para mim. Ah, Recife... Recife! Recife dos rios e pontes... Do rio Capiberibe como o meu nome - como constava nos livros de geografia daquela época e como pode ser visto ainda hoje nos mapas antigos da cidade expostos no Museu da cidade do Recife no forte das Cinco pontas – posteriormente mudado para rio Capib(a) ribe, nomenclatura que permanece até os dias atuais. Recife de ruas singelas: da AURORA, do SOL, da AMIZADE, da CONCÓRDIA, da SAUDADE, da UNIÃO... Recife dos cinemas: SÃO LUIS, TRIANON, ART PALÁCIO e MODERNO... Recife da confeitaria CONFIANÇA na Rua da IMPERATRIZ, dos desfiles de sete de setembro na Av.

CONDE DA BOA VISTA... Da CASA-NAVIO, do VELEIRO e do CASTELINHO na praia de BOA VIAGEM. Recife da minha juventude, do meu curso ginasial no Colégio Nossa Senhora do Carmo, do meu baile de debutantes no clube INTERNACIONAL, do namoro, do casamento, da formatura na Universidade Federal, das minhas filhas e do meu neto. Nesse meu meio século de vida, quantas vezes percorri a velha estrada JOÃO PESSOA - RECIFE / RECIFE – JOÃO PESSOA, em companhia da minha família e em diferentes automóveis: inicialmente ÔNIBUS, depois RURAL, KOMBI, OPALA, MARAJÓ, CHEVETTE, BRASILIA e o saudoso “FUSCA BRANCO de placa BX3535”? Aprendemos a conhecer cada curva do caminho, cada ponto pitoresco da estrada: OS PÉS DE EUCALÍPTOS rodeando a IGREJINHA da Usina Nossa Senhora das Maravilhas; a parada em GOIANA para comprar frutas e ir ao banheiro; a FAZENDA RECREIO em Mata Redonda que indicava que estávamos bem perto de João Pessoa. Hoje percorremos a mesma estrada com a família diminuída e ao mesmo tempo aumentada. Diminuída pela ausência de nosso pai, da nossa “Mãe de criação” e de dois dos nossos irmãos. Aumentada, porém, com a presença agora de nossos filhos e dos nossos netos. Nossa família de hoje já não cabe mais num carro só. A estrada de agora está mais larga, mais moderna e mais movimentada, mas ainda conserva um pouco do que compõe as lembranças da nossa infância. É comum vermos ao longo da rodovia barracas de frutas coloridas: abacaxis, cajus, goiabas, abacates, bananas, mamões, laranjas, sapotis, cocos... Ainda podemos encontrar pessoas assando castanhas em fogareiros de barro embaixo das árvores e casas com cadeiras no terraço e roupas coloridas penduradas no quintal. É uma alegria chegar a João Pessoa. É uma felicidade voltar para Recife. As duas cidades se confundem em nossos corações e se entrelaçam em nossas vidas, escrevendo juntas as nossas histórias... E, tal qual os rios Capibaribe – outrora capib(e) ribe – em Pernambuco e o rio Paraíba na Paraíba deságuam juntos no oceano... Também o sangue Paraibano e o sangue Pernambucano correm juntos em nossas veias e desembocam no oceano da nossa família. (Do livro da autora: A ARTE DE CONTAR HISTÓRIAS / 50 MELHORES CONTOS & CRÔNICAS, lançado na última Bienal de São Paulo. O livro foi adotado pela Prefeitura de São Paulo para ser distribuído nas Bibliotecas Municipais. Encontra-se à venda nas livrarias e na AMPARE)

Visite o site: www.socorrocapiberibe.pro.br

7


O PERFIL DO SEU MÉDICO

Paulo Bastos (Médico Psiquiatra)

1 – O que o levou a escolher a profissão de Médico?

5 – Em sua opinião como está o ensino universitário no país?

Pelo dom da empatia que me foi dado. É fácil pra mim me imaginar na situação das pessoas mesmo que eu não a tenha vivido.

A grande discussão é o ensino básico. É a precariedade no ensino básico que leva pessoas não preparadas à universidade e dessa saem profissionais não qualificados para o mercado de trabalho. Como o governo por motivos que todos já sabemos não quer investir em educação o ensino universitário virou um nicho de mercado lucrativo para àqueles que buscam um diploma.

2 – Como deve ser tratado o TP e demais transtornos de ansiedade? Sabe-se hoje em dia que existe medicação eficiente para o transtorno de pânico e demais transtornos psiquiátricos, ansiosos ou não. Nem mesmo Freud, fundador da psicanálise, negou o papel da biologia. É um grande desperdício abrir mão das medicações que dispomos hoje (mais eficientes, entre outros motivos pelo menor perfil de efeitos colaterais) e cair no equívoco do preconceito. Sem dúvida que apenas medicação não é suficiente. A história de vida do sujeito e suas singularidades merecem ser investigadas à luz de um processo psicoterápico. 3 – Na prática médica, o que considera mais importante para a eficácia do tratamento? Uma vez feita a intervenção médica, o fator mais importante é a relação médico paciente estabelecida. Esse é o principal remédio. As demais coisas somam-se a isso. 4 – O TP tem cura ou controle? Essa é uma discussão sem propósito. O que se cura em medicina? Talvez algumas doenças cirúrgicas e infecciosas. O restante se enquadraria nesses moldes como controle. Mas não acho que isso seja importante. O ser humano é muito complexo pra se pensar apenas em ausência de doença como sinônimo de bem-estar e felicidade.

6 – Que sugestões daria para a melhoria da formação acadêmica? Reitero o que respondi anteriormente. Se se busca uma boa formação acadêmica, uma educação básica é pré-requisito. Não há outra alternativa. 7 – Como está o serviço de saúde pública no país? Saúde, educação e segurança pública não estão na lista de prioridade de nossos políticos fora dos períodos eleitorais. O governo, marionete dos ricos, não quer um povo esclarecido, porque um povo com educação não consumiria as mercadorias e serviços inúteis que os grandes empresários de nosso país têm pra oferecer e enriquecer às nossas custas. Tudo isso é importante porque não há saúde sem educação. A assistência à saúde na rede pública é na maioria das vezes não mais que assistencialismo, porque na prática presta-se a jogo eleitoral. 8 – Que sugestões daria para melhorá-lo? O povo brasileiro precisa dar menos valor a carro e desfocar mais sua atenção em adquirir outros bens de consumo e refletir mais em quem vai colocar no poder. Mais

8

não é só isso. Ficar de olho no trabalho de quem for eleito é uma parte importante do processo que a maioria esquece. Não há como melhorar a saúde pública sem nos comprometermos com a vida política do país. Uma palavra amiga: Não somos quem gostaríamos ou quem deveríamos ser, mas graças a Deus não somos quem éramos. Pessoa digna: Clarice Lispector Um hobby: ler. Um Livro: Cem anos de solidão, Gabriel García Márquez Um filme: meia noite em paris Uma música: Every breath you take Um sonho: ver um dia em que as pessoas vão ser menos hipócritas Uma realização: ser mais coerente comigo mesmo a cada dia que se passa. Uma frase...: “ Até cortar os próprios defeitos pode ser perigoso. Nunca se sabe qual é o defeito que sustenta nosso edifício inteiro” Clarice Lispector. Uma mensagem: “Eu fico/ Com a pureza da resposta das crianças/ É a vida, é bonita e é bonita” (Gonzaguinha)

Jornal da AMPARE - XI - Nº 36 - Outubro, Novembro, Dezembro  

Jornal da Associal dos Amigos dos Paciêntes de Pânico em Recife - PE

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you