Page 1

dezembro 2017 Número XXVIII

Jornal Escolar da Escola Básica da Marinheira, Madeira O Marinheiro em versão digital =>

Festa de Natal

O

Pai Natal foi raptado e cabe à BIG (Brigada de Intervenção da Gnomolândia) percorrer os cinco continentes e deslindar o mistério do seu desaparecimento. Este foi o mote da nossa Festa de Natal que, como vem sendo hábito, encerra as atividades letivas deste 1º período. Todas as turmas tiveram a oportunidade de participar através de dramatizações e músicas temáticas e, no final, todos os presentes cantaram o tema “Está a Chegar o Natal”. Por fim, ainda houve tempo para uma aparição surpresa do Pai Natal (muito especial) que distribuiu pequenas lembranças pelas crianças. Foi um momento muito esperado e que encheu a escola de alegria e animação. Terminamos, assim, mais um período letivo com uma bonita festa a celebrar esta época festiva, recheada de alegria, união e paz. Aproveitamos para desejar a toda a comunidade educativa umas Festas Felizes e um próspero Ano Novo. Imagens da Festa de Natal na última página =>

Aconteceu

SRPNE

Trabalhos dos alunos

Festa de Natal

Destacamos as atividades próprias Seguindo a tradição de anos Dedicamos uma secção à O Rapto do Pai Natal... este foi o do 1º período como o Halloween, o anteriores, comemorámos a apresentação de alguns dos mote para mais uma festa de Natal Pão-por-Deus ou o Magusto. Semana Regional da Pessoa com trabalhos das turmas. cheia de música e animação. // p.2 Necessidades Especiais. // p.10 // p.11 // p.18


2

O MARINHEIRO

ACONTECEU...

Prémio de Mérito Escolar

R

ealizou-se no dia 8 de setembro a quarta edição da entrega do Prémio de Mérito Escolar Joaquim Pestana, promovido pela Câmara Municipal de Câmara de Lobos. A cerimónia, que contou com a presença, entre outras individualidades, do Secretário Regional de Educação Jorge Carvalho, decorreu no Museu da Imprensa de Câmara de Lobos e destina-se a reconhecer e distinguir o desempenho escolar dos melhores alunos de cada estabelecimento de ensino do concelho no ano letivo anterior, desde o primeiro ano do 1º Ciclo até ao ensino secundário, incluindo igualmente os cursos CEF e os Percursos Curriculares Alternativos. A escola da Marinheira viu distinguidos os seus alunos David Santos, Lucas Marcelo, Bruno Gonçalves e Guilherme Soeiro que receberam um certificado e uma pequena lembrança na forma de um “cheque ensino”. A todos os vencedores os nossos parabéns!

Dia da Alimentação

N

o dia 16 de Outubro assinalou-se o Dia Mundial da Alimentação. Para comemorar este dia tão importante as crianças do Ensino Pré-Escolar ouviram e conversaram sobre o conto A surpresa de Handa, que explora a temática da alimentação saudável, através do consumo de frutas variadas. Posteriormente e para complementar a ideia de que as frutas são das fontes mais importantes de vitaminas e sais minerais para uma vida saudável, foi confecionada uma apetitosa salada de fruta para saborear após o almoço. A salada foi muito apreciada e as crianças ficaram muito felizes por terem contribuído com várias peças de fruta para a confeção e partilha.


ACONTECEU...

O MARINHEIRO

3

Mediação Familiar: Gestão de Conflitos

N

o dia 20 de outubro, a escola da Marinheira, em parceria com o Instituto Português de Mediação Familiar, fazendo-se representar pelo Dr. Ruben Rodrigues, na área do Direito e pela Drª Carolina na área da Psicologia, promoveram uma ação de sensibilização e esclarecimento sobre Mediação Familiar e a Resolução Positiva de Tensões ou Conflitos Familiares, destinada a toda a Comunidade Escolar. Esta ação integra-se no Plano de Anual de Atividades que a escola se encontra a desenvolver. Os objetivos visaram prevenir ou minimizar os conflitos familiares, evitando a abertura de processos judiciais,

proporcionando uma alternativa legal. Verificou-se uma adesão considerável de pais, tendo os mesmos se mostrado interessados e participativos ao longo de toda a sessão, resultado da dinâmica imposta pelos Oradores e pela pertinência dos temas expostos. Também estiveram presentes os formandos do Ensino Recorrente, com uma participação ativa.

Companhia Insular

N

o dia 23 de outubro, as crianças do Pré-Escolar visitaram a fábrica da Companhia Insular de Moinhos situada na Zona Franca da Madeira, Caniçal. Tiveram a oportunidade de observar a maquinaria utilizada para a produção de massas alimentícias, farinhas e bolachas e presenciar a finalização de alguns produtos, nomeadamente os diversos tipos de massas e bolachas. As crianças puderam ainda observar o processo de acondicionamento e armazenamento dos produtos, bem como a distribuição de tarefas entre as várias secções. No final da visita, foi oferecida uma saborosa lembrança a todas as crianças, concretamente um pacote de bolachinhas a cada uma. Considerando a brevidade da visita, as crianças ainda tiveram a oportunidade de passear na pitoresca cidade de Santa Cruz, mais especificamente no excelente parque infantil até à hora de regresso à escola.

Proteção Civil

N

o dia 27 de outubro, a turma do 4ºA realizou uma visita de estudo ao Centro da Proteção Civil da Madeira. A visita, integrada no Bloco de Estudo do Meio – À Descoberta do seu Corpo (Segurança do seu corpo) teve como objetivos conhecer o papel daquela instituição na sociedade da Região (Madeira e Porto Santo), bem como compreender alguns cuidados a ter na prevenção de incêndios, cheias e sismos. No local da visita, os alunos participaram ativamente no debate que o agente da Proteção Civil promoveu, tendo demonstrado curiosidade e alguns conhecimentos pelos temas abordados. Do mesmo modo, foi visível o entusiasmo na visita à sala de comando de operações, bem como no momento em que um médico e enfermeiro mostraram o interior de um carro da EMIR, bem como os instrumentos de trabalho.


4

ACONTECEU...

O MARINHEIRO

Pão-por-Deus

N

o dia 31 de outubro celebra-se o Pão-por-Deus. Não querendo deixar passar a efeméride, a nossa escola realizou a tradicional partilha de frutos típicos da época. Para tal, foi solicitada a colaboração dos Encarregados de Educação com o envio dos frutos. No final das atividades curriculares, os alunos efetuaram a partilha utilizando para o efeito o cestinho realizado na aula de Expressão Plástica. De realçar a relevância desta celebração na promoção de valores como a partilha e solidariedade.

HALLOWEEN

D

Veja mais fotos visitando

https://goo.gl/WRXQqq

ia 31 de outubro também é sinónimo de Halloween! Por isso, a escola da Marinheira, decidiu assinalar a data, realizando várias atividades interessantes e potencialmente assustadoras! Nos dias 30 e 31 de outubro, a sala de Inglês foi decorada a rigor com diversos trabalhos realizados pelos alunos. Paralelamente à decoração do espaço, foi lançado um concurso denominado “Halloween bags” com o envolvimento das famílias. O Ensino Recorrente também participou com entusiasmo neste concurso, decorando o seu saco de Halloween. Com os trabalhos elaborados, realizou-se na sala uma exposição aberta à apreciação da Comunidade Educativa. De salientar que os trabalhos apresentados a concurso foram em grande quantidade e criatividade, resultando na atribuição de três prémios: Andreia Matilde, Guilherme Micael e Érica Teixeira do 4ºB. Aos alunos João Miguel (3ºA) e Francisco Mateus (4ºB) foram entregues menções honrosas.


ACONTECEU...

O MARINHEIRO

5

Inteligência Emocional: uma ferramenta para o bem-estar

N

o âmbito do Plano Anual de Atividades que a EB1/PE da Marinheira se encontra a desenvolver, realizou­se no dia 9 de novembro, sob a orientação da Drª Verónica Faria, uma Palestra intitulada “Inteligência Emocional: uma ferramenta para o bem-estar”. O evento foi dirigido a toda a comunidade educativa. O enfoque da sessão recaiu sobre o papel das emoções no nosso quotidiano, na importância de reconhecermos diferentes estados emocionais e na necessidade de se desenvolver um autoconhecimento que nos permita lidar com as situações de uma forma mais feliz. Tratou-se de uma pequena viagem ao mundo interior, ao EU de cada presente! Para finalizar, e porque todos somos responsáveis pela felicidade do outro, efetuou-se uma dinâmica de grupo criadora de LAÇOS! Endereçamos à Drª Verónica Faria um especial agradecimento pela sua disponibilidade e colaboração! Ficou plantada a semente!

Hastear da Bandeira Verde

N

o dia 10 de novembro, a nossa escola participou na cerimónia do Hastear da Bandeira Verde do Concelho de Câmara de Visite-nos em: Lobos, que teve lugar na Praça da Autonomia. Nesta cerimónia http://eco.marinheira.info participaram alguns alunos do 4ºano, acompanhados pela Diretora e pelas coordenadoras Eco-Escolas. No decorrer do evento ouviram-se os hinos nacional e regional, recitaram-se frases de homenagem aos Bombeiros Voluntários de Câmara de Lobos, visitou-se a exposição de maquetes sobre o tema “A Floresta” e por fim cada escola hasteou a sua bandeira verde. Este foi mais um marco significativo no trabalho desenvolvido pelas escolas do concelho, no âmbito do Programa Eco-Escolas.

Reciclagem

A

turma do Ensino Recorrente iniciou este ano letivo, colaborando no Projeto Eco Escolas. No âmbito da política dos 3 Rs – Reciclar, Reduzir e Reutilizar - os formandos deitaram mãos à obra criando novas peças, através de materiais como cortiça, garrafas, caixas e bijuteria.

Bases para Tachos

Colares e Pulseiras

Garrafas decoradas e Caixinhas

Guarda-jóias


6

O MARINHEIRO

ACONTECEU...

Magusto

C

omo é hábito, no dia 10 de novembro foi dia de celebrar o São Martinho na escola, com a realização do Magusto. Para esta atividade, contámos com a colaboração dos Encarregados de Educação. Durante a manhã, os auxiliares de ação educativa da escola, apoiados por um encarregado de educação, assaram as castanhas que, depois do almoço, foram distribuídas aos alunos. Saborosas!!

Bombeiros Municipais do Funchal

N

o dia 17 de novembro, as turmas do 1ºA e 2ºA da nossa escola foram a uma visita de estudo aos Bombeiros Municipais do Funchal. Durante a visita de estudo os alunos tiveram oportunidade de manusear as roupas e equipamentos usados no combate aos fogos. Observaram um carro de desencarceramento e os instrumentos usados nesta viatura. Também viram uma ambulância e como funciona o seu equipamento. De seguida, viram um autotanque com escada para o combate aos fogos urbanos e ficaram impressionados com o seu tamanho. O entusiasmo dos alunos aumentou quando tiveram a oportunidade de experimentar uma mangueira de combate aos fogos e observaram uma barreira feita com água. A visita de estudo culminou com uma visita ao quartel, passando pela torre de treinos, pelo ginásio, espaço de lazer e central de comando. Como ainda havia tempo até à chegada do autocarro os alunos foram ao Parque de Santa Catarina, onde lancharam, observaram a beleza do local e brincaram um bocadinho. Foi uma visita de estudo interessante do ponto de vista da aprendizagem e sem dúvida que proporcionou momentos de alegria e diversão aos alunos.


ACONTECEU...

O MARINHEIRO

7

Dia Nacional do Pijama

A

sala do Pré-Escolar juntou-se este ano letivo, pela primeira vez, à 6ª edição do Dia Nacional do Pijama. Esta iniciativa tem como objetivo lembrar ao país a necessidade de se respeitar os direitos das crianças, nomeadamente o direito a crescer numa família. Ao longo do dia, as crianças realizaram as atividades propostas no Kit oferecido à escola e entregaram, logo pela manhã, o pequeno mealheiro “A casa dos Pijamas” com o contributo recolhido junto da família. Foi um dia bem diferente para ajudar uma causa tão nobre e recordou às crianças a importância da solidariedade para com outras crianças menos afortunadas.

Jogos Matemáticos

N

o dia 20 de novembro, os alunos do quarto ano participaram numa apresentação dos jogos matemáticos, no âmbito do segundo Campeonato Regional dos Jogos Matemáticos. Os alunos tiveram oportunidade de jogar o jogo do Semáforo, dos Gatos & Cães e o dos Rastros. A atividade foi dinamizada por dois professores responsáveis pelo projeto. “O jogo é um tipo de atividade que alia raciocínio, estratégia e reflexão com desafio e competição de uma forma muito lúdica.”

A Cigarra e a Formiga

N

o dia 21 de novembro, durante a tarde, as turmas do 4ºano deslocaram-se ao Teatro Experimental do Funchal (TEF) para assistirem à peça de teatro intitulada “A cigarra e a formiga”. Antes do teatro os alunos lancharam e brincaram no jardim dos arredores. Depois de terem lido e trabalhado a tradicional fábula de La Fontaine na sala de aula, na qual se chama à atenção para a preguiça da cigarra e para o trabalho desmedido da formiga, terminando a história com a punição da cigarra que morre ao frio e à fome, e posteriormente terem ouvido e entoado uma adaptação para música de André Sardet, os alunos, desta vez presenciaram uma nova adaptação na qual se assistiu a uma reviravolta desta fábula. Ao longo de toda a peça os alunos manifestaram bastante interesse e estiveram atentos, aplaudindo energicamente o desenrolar da mesma.


8

ACONTECEU...

O MARINHEIRO

Museu da Baleia

N

o dia 22 de novembro, os meninos e as meninas da sala da pré visitaram o Museu da Baleia, situado na freguesia do Caniçal, concelho de Santa Cruz. Aqui puderam observar enormes réplicas suspensas de diversos cetáceos como golfinhos-roazes, cachalotes, baleias de barbas, além de lobos-marinhos existentes nos mares da Madeira. Também tiveram oportunidade de fazer uma viagem submarina virtual aos mares do arquipélago e observar cachalotes, golfinhos, lulas gigantes e outras espécies marinhas que vivem em grandes profundidades. Observaram ainda os ossos do crânio, dentes e o esqueleto de cetáceos e terminaram a visita aprendendo a história da indústria baleeira da vila do Caniçal, indústria que se encontra extinta nos dias de hoje. Mais fotos em http://blog.marinheira.info/museu-da-baleia

Museu de História Natural

N

o dia 23 de novembro, a turma do 3º ano foi a uma visita de estudo ao Museu de História Natural do Funchal. Está instalado no Palácio de São Pedro e é uma das mais significativas obras da arquitetura civil portuguesa de meados do século XVII. De uma forma muito simples os alunos conheceram um pouco da fauna, flora e geologia do Arquipélago da Madeira. À medida que iam observando as espécies animais, mais interessados iam ficando nas explicações do Guia da Visita. É nesta idade que as crianças adquirem motivação e conhecimentos que irão viabilizar o seu interesse pelo estudo. Este Museu tem uma grande tradição na área da Biologia Marinha. O Museu possui uma vasta coleção de insetos, proporcionando aos visitantes uma grande admiração e necessidade de os ver bem de perto. No fim da visita guiada, puderam usufruir do Museu do Aquário, onde estão as mais variadas espécies. Foi um total delírio, mostrando-se ativos durante toda a visita. No jardim do Palácio os alunos lancharam, enquanto apreciavam as espécies vegetais presentes. Visto que estamos próximo da época Natalícia passeámos na baixa funchalense e comemos as tradicionais castanhas assadas. Mais fotos em http://blog.marinheira.info/museu-de-historia-natural

Ida ao Teatro

N

o dia 5 de dezembro, os alunos das turmas do 1ºA e 2ºA deslocaram-se ao Cine Teatro de Santo António para assistirem à peça “A Cigarra e a Formiga”. Todos aguardavam pela história tradicional, em que a Cigarra preguiçosa pede comida à Formiga e esta nega-lhe. Qual não foi o espanto dos alunos quando se aperceberam que a história tinha um desenrolar diferente e bem mais interessante. Foi uma peça de teatro com uma carga emocional muito forte, que apelava aos sentimentos e aos valores. Além disso, os atores mostraram que a diferença só enriquece e torna tudo mais interessante. Os alunos perceberam a moral da história e interiorizaram valores importantíssimos como a verdade, o respeito, o amor e a tolerância.


ACONTECEU...

O MARINHEIRO

9

Desporto Escolar Multiatividades Desportivas No dia 12 de outubro, a nossa escola participou com 8 alunos do 2º ano nas “Multiatividades Desportivas” promovidas pela Direção de Serviços do Desporto Escolar. Estas atividades decorreram no Parque de Santa Catarina e na Baía de S. Lazaro no Funchal. Os nossos alunos usufruíram de várias práticas desportivas ao ar livre: Escalada, Rapel, Orientação, Ultimate (Frisbee), Atletismo Lúdico, BTT, Patinagem e Desportos Náuticos de Vela. Todos os alunos tiveram um excelente empenho e adoraram as novas experiências desportivas.

Atletismo No dia 7 de novembro, a nossa escola participou na atividade “Atletismo Jogado” no Estádio de Câmara de Lobos, também organizado pela Direção de Serviços do Desporto Escolar, com oito alunos, quatro femininos e quatro masculinos. O “Atletismo Jogado” foi constituído por 6 estações: corrida de estafetas com barreiras, lançamento do vortex, lançamento da bola, salto em comprimento, salto em altura e mini corrida escolar. Os nossos alunos tiveram uma boa prestação, e todos adoraram esta experiência numa manhã muito bem passada.

Futebol No dia 6 de dezembro, participámos na atividade de Futebol, Patinagens e Jogos Pré-desportivos que teve lugar no Estádio de Câmara de Lobos. A escola participou com alunos do 3º e 4º ano de escolaridade. Os alunos estiveram bastante motivados para competirem com outras escolas e o seu empenho foi muito bom. O facto de poderem jogar num campo relvado, foi sem dúvida uma alegria para todos.


10

DESTAQUE

O MARINHEIRO

SRPNE2017

Como vem sendo hábito, a escola da Marinheira associou-se às comemorações da Semana Regional da Pessoa com Necessidades Especiais (SRPNE).

Diferença+Equidade=Inclusão No âmbito da Semana Regional da Pessoa com Necessidades Especiais, a turma do 4ºB visualizou uma curta metragem de animação intitulada “Tamara”. Em contexto de sala de aula elaborou o resumo do filme de animação.

Tamara: a menina surda que sonhava ser bailarina

Esta curta metragem de animação, conta-nos a história de uma menina negra e surda chamada Tamara e o seu sonho de ser bailarina. Um sonho que no olhar de muitos parece impossível. Todos os dias, Tamara lia livros e abria a sua caixa de música abraçada ao seu urso. Um dia, a sua mãe ao passar pelo quarto ouviu a melodia que a caixa de música reproduzia e viu Tamara a dançar com o seu ursinho. Ao vê-la a mãe sentiu um grande orgulho e percebeu a paixão que a menina sentia ao dançar, por isso em linguagem gestual disse‑lhe para que ela continuasse a dançar até as estrelas parassem de brilhar. Tamara respondeu-lhe dizendo que a amava mais do que tudo. A animação termina com a mãe e a Tamara a dançarem juntas, mostrando que, apesar das dificuldades devemos perseguir os nossos sonhos, e tudo se torna mais fácil se formos acalentados pelo carinho das pessoas que nos rodeiam.

Tamara

Alunos do 4ºB

Sandra Francisca (2ºA)

A

Tamara era muda, não conseguia falar nem ouvir. Gostava de ver a sua bailarina, dava corda, ela treinava através dela, copiava os movimentos. Quando ela fosse grande queria ser bailarina. Treinava com o ursinho e a mãe estava a ver na porta, ela a treinar, com o ursinho. A Tamara foi para lá a correr e disse: - Amo-te. E a mãe disse: - Podes dançar até as estrelas pararem de brilhar.


OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

11

A

s crianças do 1º ano (Turma A) e 2º ano (Turma A) efetuaram uma Visita de Estudo aos Bombeiros Sapadores do Funchal, no dia 17 de novembro. O Projeto de trabalho/atividade proporcionou a aquisição/aplicação de novas aprendizagens/conhecimentos relativamente à temática da Segurança e outros (profissões, socialização,…).

N

o dia 5 de dezembro, os alunos das turmas do 1º e 2º ano de escolaridade deslocaram-se ao Cine Teatro de Santo António no intuito de assistir à peça “A Cigarra e a Formiga”. A peça cativou crianças e adultos. Momento de emoções e valores que certamente mudou o interior do público. Leitura positiva no que concerne aos objetivos preconizados.

Projeto de Turma “Criança Feliz”

A

s crianças do 1ºA usufruíram de um momento especial inserido no Projeto de Turma “Criança Feliz”. A referida atividade foi dinamizada pela Encarregada de Educação do discente Gonçalo Neves Ferreira. O programa contemplou o conto da história “Os animais escritores” de Alice Cardoso, partilha de mensagens, composição de um cartaz, entre outros. Neste âmbito, e aquando da reflexão de grupo, as crianças demonstraram a necessidade de partilhar algumas aprendizagens e concomitantemente prestar profundo agradecimento à orientadora das atividades pela verdadeira lição de vida. Aos leitores do Jornalinho “Os Marinheiros” deixamos um pequenino registo do momento mágico que a todos marcou pela positiva.


12

OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

N

o dia de São Martinho realizámos uma atividade muito interessante na nossa sala de aula. Conversámos sobre o dia e relembrámos a Lenda de São Martinho. Para além disso, fomos ver como se faz um magusto e explorámos uma poesia sobre a festividade. Aprendemos muito e percebemos que ser bondoso recompensa.

N

o dia 18 de setembro iniciámos mais um ano letivo. Chegámos à escola com muita vontade de aprender e com saudades dos nossos colegas, professores e funcionários. Foi um dia especial e o início de mais uma caminhada no percurso da nossa aprendizagem e crescimento.

É divertido aprender matemática!

M N

o dia 16 de outubro comemoramos o Dia Mundial da Alimentação e não pudemos deixar de falar da importância de uma boa alimentação para termos uma vida saudável. Explorámos a roda dos alimentos e desenhámos alimentos saudáveis.

Pais Contadores de Histórias No dia 13 de novembro recebemos a mãe da nossa colega Diana, na sala, para nos contar uma história. Contou-nos a história “A de Alice” e tivemos a oportunidade de lembrar muitas palavras começadas pela primeira letra do alfabeto. Foi um momento muito especial. Percebemos que os nossos pais também podem fazer parte do nosso processo de ensino/aprendizagem e que são sempre bem-vindos na nossa escola.

uitas vezes pensamos que “a matemática são só números e contas”, mas isso não é verdade. A matemática pode ser muito divertida quando os números e as contas são aprendidos com a ajuda de materiais interessantes como o ábaco e o material multibásico. Na nossa sala usamos muitas vezes estes materiais e a aprendizagem, para além de ser mais divertida, torna-se mais fácil.


OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

13

Pais Contadores de Histórias

O rouxinol (Hans Christian Andersen) Fátima Matilde

E

ra uma vez um imperador que vivia na China e tinha um palácio de porcelana fina. O imperador tinha jardins enormes com campainhas de prata e no bosque cantava um rouxinol com a voz bonita. Vinham visitantes de todo o mundo para ouvi-lo a cantar. O imperador do Japão enviou um livro a falar sobre o rouxinol e depois o imperador da China mandou procurar o rouxinol. A menina da cozinha trouxe-o para a Corte e depois o rouxinol cantou e até viu lágrimas nos olhos do imperador, mas ele não queria ficar preso dentro do palácio. Então, passado algum tempo, chegou um rouxinol artificial e o genuíno fugiu e o artificial estragou-se. O imperador ficou muito doente. Mas o rouxinol genuíno voltou, cantou e salvou a vida do imperador. Eles ficaram amigos para sempre!

Alunos Contadores de Histórias Os alunos do 3º ano foram à sala da Professora Águeda do 2º ano e adoraram a experiência! Foram muito bem recebidos e esperam regressar em breve! Obrigado Professora Águeda.

Boa Sentença (Guerra Junqueiro) Lucas Marcelo

U

m homem rico, mas avarento que perdeu 800 alvíssaras. Um honrado camponês deu um alforge. Então o nosso homem contou o dinheiro e só tinha 700 alvíssaras e o homem rico tinha perdido 800 alvíssaras. Eles foram ter com o Juiz e o Juiz disse ao camponês: -Tu meu caro camponês vai com o teu alforge e tu vai embora até que apareça o indivíduo que te roubou as tuas 800 alvíssaras. O homem rico mas avarento ficou muito triste e o camponês foi com o seu alforge.

O Meu Concelho

O Natal está a chegar e com ele toda a magia! Os pais vieram à escola e construíram um bonito presépio. Obrigado a todos os Pais dos meninos que contribuíram. José Francisco

O

meu concelho é Câmara de Lobos. O meu concelho tem cinco freguesias que são: Curral das Freiras com 2001 habitantes, Quinta Grande com 2099 habitantes, Jardim da Serra com 3311 habitantes, Estreito de Câmara de Lobos com 10.269 habitantes, Câmara de Lobos com 17.986 habitantes. No total, a população do meu concelho é 35.666 habitantes, a área do concelho é de 52,15 km2, a densidade populacional é de 683,91 habitantes por km2. A fundação do município tem a data de 3/9/1835 (182 anos) e é cidade desde 3/9/1996. Eu gosto do meu concelho!


14

OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

Pais Contadores de Histórias

N

o dia 9 de novembro de 2017, A Encarregada de Educação do aluno Rodrigo Neves fez apresentação da história “O incrível Rapaz que devorava livros”, de Oliver Jeffers. Os alunos ouviram atentamente a história e seguiram, através da visualização de gravuras, o desenrolar da mesma. Por fim, o E. E. mostrou um pequeno vídeo alusivo. A E. E. conseguiu passar a mensagem sobre a importância da leitura e o respeito para com os livros. Os alunos mostraram muito interesse e participação pela atividade.

O Pirata das Ilhas da Bruma (reconto escrito do livro digital) Bruno Gonçalves

H

á muitos anos, ao lado das ilhas do arquipélago dos Açores, haviam piratas que atacavam os navios que por ali passavam, roubando-lhes os seus tesouros. Quando não havia navios, esses piratas atacavam e saqueavam as populações daquelas ilhas. Os habitantes viam-se obrigados a fugir para os cumes das montanhas. Devido a estes ataques, eram nomeados vigilantes que avisavam da aproximação dos piratas. Um dia, do meio desse nevoeiro, surgiu um pirata chamado Laplace que, após andar perdido vários dias foi parar a uma daquelas ilhas. Apesar de ser pirata, foi bem-recebido pelas pessoas, já que os outros piratas temiam a força de Laplace. Após a chegada de Laplace, não precisavam de se preocupar com os piratas. Uma vez, ao aproximar-se da igreja, avistou uma rapariga loira, muito bonita. Seguiu-a até casa, bateu à sua porta e perguntou-lhe o seu nome. Ele e Leonor (era assim que a rapariga se chamava) ficaram logo apaixonados. Quando pediu permissão ao seu pai para casar, este discordou e Leonor chorou. Contudo Laplace voltou no dia seguinte à casa de Leonor e ofereceu ao seu pai uma bela cruz de ouro. Ao perceber que o pirata tinha afinal o mesmo Deus que as pessoas da ilha, autorizou-o a casar com a sua filha. Após alguns dias casaram e todas as pessoas da ilha Graciosa foram convidadas. No dia seguinte partiram no seu barco restaurado e bastante iluminado. Há quem diga que em dias de nevoeiro vê-se passar o seu barco iluminado. Teatro “A Cigarra e a Formiga”

Pequenos Artistas

João Pedro

Gracinda

Tiago

Tatiana

“O Príncipe Feliz”, de Oscar Wilde

Tiago


OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

15

Pão-por-Deus

E

Pais Contadores de Histórias

E

m dois dias diferentes os pais tiveram a oportunidade irem contar histórias à sala de aula dos (as) seus (as) filhos(as) e assim, entre outros objetivos, ajudar os professores a incentivar o hábito e gosto pela leitura.

sta tradição teve origem em Lisboa em 1756, um ano após o terramoto que destruiu Lisboa a 1 de novembro de 1755. Nesse evento morreram milhares de pessoas e a população da cidade - na sua maioria pobre - ficou ainda mais pobre. Como a data do terramoto coincidiu com uma data com significado religioso (1 de novembro), de forma espontânea, no dia em que se cumpria o primeiro aniversário do terramoto, a população aproveitou a solenidade do dia para desencadear, por toda a cidade, um peditório, com a intenção de minorar a situação paupérrima em que ficaram. As pessoas percorriam a cidade, batiam às portas e pediam que lhes fosse dada qualquer esmola, mesmo que fosse pão, dado grassar a fome pela cidade. E as pessoas pediam: “Pão por Deus”. Esta tradição perpetuou-se no tempo, sendo sempre comemorada neste dia. Deixamos-vos com um grande poeta português, que dedicou este poema ao Natal! Este é o nosso presente de Natal, para cada um de vós. Apreciem! Chove. É Dia de Natal

Isto é o monstro das três cabeças. Cada vez que tem dores numa das suas cabeças, tem de tomar 4 comprimidos. Hoje sentiu dores nas três cabeças. Mas o frasco já estava no fim e faltaram comprimidos para uma cabeça. Quantos comprimidos havia no frasco? Problema retirado do livro “Ler, escrever e resolver problemas” (Kátia Smole e Maria Diniz)

Chove. É dia de Natal. Lá para o Norte é melhor: Há a neve que faz mal, E o frio que ainda é pior.

Pois apesar de ser esse O Natal da convenção, Quando o corpo me arrefece Tenho o frio e Natal não.

E toda a gente é contente Porque é dia de o ficar. Chove no Natal presente. Antes isso que nevar.

Deixo sentir a quem quadra E o Natal a quem o fez, Pois se escrevo ainda outra quadra Fico gelado dos pés. Fernando Pessoa, in ‘Cancioneiro’


16

OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

Ilha Mágica Dos Livros Dia das Bibliotecas Escolares

http://biblioteca.marinheira.info

E

ste ano, o Dia das Bibliotecas Escolares comemorou-se a 23 de outubro e teve como objetivo destacar a importância das bibliotecas escolares na educação, assim como promover o gosto pela leitura. Para assinalar esta data, alguns alunos do 4ºA e 4ºB dramatizaram a famosa fábula O Leão e o Rato de Ésopo para os alunos do 1ºA e do 3ºA. Foi um momento muito apreciado pelo pequeno público onde aprenderam uma lição muito importante: “Nunca subestimar os mais pequenos porque estes podem revelar-se os melhores e leais aliados“.

A Menina e o Urso Feliz Mágico (fábula) Andreia Henriques (4ºB)

E

ra uma vez uma menina chamada Lucy. Certo dia, quando estava a ajudar a mãe nas limpezas, viu um urso e perguntou à mãe: - Mãe, de que é este urso? - Era meu quando era criança e ele chama-se Urso Feliz. - Posso ficar com ele mãe? - Claro que sim! Um dia, quando foi procurar o Urso Feliz, reparou que ele não estava no lugar onde o tinha colocado. Assim que o viu, deu logo um grito: - Oh, não acredito! Tu falas e andas? - Sou o Urso Feliz Mágico! Eu adoro crianças! Não podes contar a ninguém sobre isto! - Nem à minha mãe? - Nem à tua mãe! Todos os dias ela dizia as seguintes palavras mágicas para que o urso pudesse falar e andar: “Eu adoro o Urso Feliz Mágico!”. Quando ela dizia isto, ele aparecia para falar com ela. Um dia a menina disse à mãe na brincadeira que não gostava do Urso Feliz e foi, toda aos risinhos, para a escola. No final das aulas, quando chegou à casa perguntou: - Mãe, mãe…onde está o Urso Feliz? - Deitei-o fora, como disseste que já não gostavas dele! - Oh não! Eu gosto dele! Estava a brincar contigo! Desesperada, foi ao lixo e o encontrou e proferiu as palavras mágicas. Ele acordou todo sujo e cheirando mal. A Lucy disse-lhe: - Estás a cheirar mal! Devias de tomar um banho! - Ok! Estou mesmo a cheirar mal! A Lucy pediu à mãe para fazer o favor de lavá-lo. Quando o Urso Feliz já estava limpinho, a menina disse as palavras mágicas: - Eu adoro o Urso Feliz Mágico! O urso acordou, viu-se no espelho e exclamou: - Eu já não cheiro mal! Estou limpinho! Obrigado minha melhor amiga! - Achas que te ia deixar sujinho? Eu gosto muito de ti, meu ursinho lindo! - Eu também gosto muito de ti, Lucy!

Moral da história: Devemos ter muito cuidado com as brincadeiras que fazemos.


OS NOSSOS TRABALHOS

O MARINHEIRO

17

Clube APRENDER (3ºA)

A

o longo do primeiro período, trabalhamos no Clube Aprender a obra “Poemas da Mentira e da Verdade” da escritora Luísa Ducla Soares, explorando alguns dos seus poemas, no que se refere à sua estrutura e ao seu conteúdo. Assim, tivemos a oportunidade de realizar diferentes fichas de leitura alusivas aos poemas em estudo e também de fazer atividades de escrita, de forma a procurar desenvolver/criar nos alunos o gosto pela escrita.

U

m dos poemas explorados e que possibilitou a realização de uma atividade de escrita interessante, foi o poema “Rio Douro” que pelas suas caraterísticas cativou o interesse dos alunos, que depois procuraram criar um poema semelhante, a partir de um tema previamente escolhido por cada um dos mesmos. Para iniciar esta atividade, elaboramos um poema conjunto com o tema “A escola”, por forma a facilitar a compreensão do que se pretendia e depois cada um dos alunos escreveu o seu poema.

E

sta foi uma tarefa bem aceite pela grande parte dos alunos, que procuraram fazer o seu melhor, uns com mais dificuldades do que outros, mas ficando alguns deles muito satisfeitos com o resultado final. Uma vez elaborados os poemas os alunos fizeram a ilustração dos mesmos.

Hora do Código

À

semelhança de anos anteriores, a escola da Marinheira participou na iniciativa “Hora do Código”. Nos últimos meses, e em particular na última semana, os alunos, desde o Pré-Escolar ao 4ºano, participaram em várias atividades na aula de TIC relacionadas com as Ciências da Computação. Assim, os alunos exploraram diversos sítios web (code.org, codemove.pt, kodable.com), entre outros, e recursos educativos locais (Kodu), desenvolvendo a capacidade de resolução de problemas e de raciocínio lógico e abstrato através da iniciação à programação visual. Deste modo, contribuíram para um movimento global que, de 4 a 10 de dezembro, colocou alunos de todo o mundo a realizar eventos relacionados com as Ciências da Computação. Com estas atividades, que terão continuidade ao longo do ano letivo, os alunos puderam familiarizar-se com termos como programação, código, linguagem computacional, sequências, comandos, repetições, lógica e muitos outros, contribuindo para a sua literacia digital e aprendendo de forma divertida e colaborativa. Todas estas atividades têm sido do agrado dos alunos e, sem dúvida, contribuem para o desenvolvimento de competências essenciais para o século XXI. Mais fotos em http://blog.marinheira.info/hora-do-codigo-2017


18

ÚLTIMAS

O MARINHEIRO

festa de

NATAL 2017*

* Todas as fotos da Festa de Natal em https://goo.gl/niYPa5

15

DEZ

O MARINHEIRO é um projeto da área TIC da escola da Marinheira.

O Marinheiro XXVIII  
O Marinheiro XXVIII  

Jornal escolar da EB1/PE Marinheira, Madeira, dezembro de 2017

Advertisement