Issuu on Google+


SUMÁRIO p.2

Apresentação PROJETOS

p.5

Projeto Urbano Curicica

p.11

Sede da DreamWorks

p.17 p.22

Loja Swatch

2013

Reforma Apartamento

p.27 p.28 p.33

Edifício Largo do Machado

p.38

Vila Residencial

2011

p.41

Refúgio

2010

p.42

Casa de Campinas Biblioteca de Madureira

2012

DESENHOS


Apresentação

Campineira, 22 anos. Apaixonada pelos diversos campos da arquitetura e do urbanismo. Admiradora dos efeitos que a arquitetura produz no observador, acredita no papel social que o arquiteto desenvolve junto à sociedade e que o projeto de arquitetura acessível e sustentável unido às novas tecnologias construtivas e ao planejamento urbano é o melhor caminho a seguir.


PROJETOS


Curicica é um bairro localizado na Zona Oeste do Rio de Janeiro e que possui diversos problemas urbanísticos, carecendo principalmente de equipamentos públicos. Sendo assim, foi elaborado um projeto desenvolvido pelas alunas Luciana Andrade, Marina Rocha e Viviane Matos na disciplina de Projeto Urbano com a Professora Jacira Saavedra, para melhorias com foco na integração e vitalidade do espaço público. Legenda do Mapa: Novos edifícios e condomínios Favelas Escola de Samba Campos de futebol e praças Escolas, creches e Ciep Hospitais e postos de saúde Riocentro e Parque Olímpico

Projac Áreas verdes Rios TransOlímpica TransCarioca Pontos Críticos

perspectiva 3D

Mapa Síntese da Área


O Projeto - conceituação O conceito do projeto se baseia na integração de equipamentos qualitativos, unidos por áreas verdes repletas de programas de incentivo à qualidade de vida da população e também por ciclovias que complementam o sistema de transporte, otimizando o deslocamento da população para essas áreas de vitalidade.

Perspectiva aérea a partir da área de permanência ao final do deck.

Referência Projetual MIDTOWN DETROIT TECHTOWN DISTRICT PLAN Arquitetos: Sasaki Associados Localização: Detroit, Michigan, EUA Cliente:Midtown Detroit Inc. Tamanho: 603.000 m² Data de conclusão: 02/2013

Integração dos equipamentos com a nova intervenção paisagística Rede de bicicletas integradas

O projeto tem como objetivo acelerar a inovação, promover o empreendedorismo e criar uma comunidade em torno da geração de ideias em um ambiente de uso misto. Uma característica fundamental do projeto é a praça no coração do bairro, a qual contém uma variedade de programas e elementos de design.


Proposta Geral de Ações As edificações que margeiam os rios e encontram-se em área de preservação ambiental, serão removidas para um melhoria das condições ambientais como também de segurança dessas famílias que podem sofrer muitas vezes com enchentes e deslizamentos.

Habitações de interesse Social(HIS) foram propostas em novos loteamentos, implantados especialmente para abrigar os reassentados que passaram pelo processo de remoção. Essas habitações têm como objetivo promover a melhoria das condições de infra-estrutura e também uma maior integração desses habitantes. Novas vias foram propostas, há expansão do comércio ao longo da Estrada dos Bandeirantes, tornando a via mais segura para o pedestre.

Implantação BICICLETÁRIO

HABITAÇÃO

ÁREA DE EXERCICÍO

POSTO

RIO

LE

IC

BIC

IO

ÁR

ET

ICL

BIC BICICLETÁRIO

BIC

IC

LE TÁ RIO

SAÚDE

IO

ÁR

ET

ICL

BIC


Tipologia de Quadras Residencial: As quadras residenciais são abertas, no entanto, os edifícios foram projetados de modo que a privacidade fosse mantida sem que a quadra fosse segregada do entorno. Em alguns tipos o edifício ‘abraça’ a quadra criando um nicho central destinado ao uso comunitário, com áreas de estar e equipamentos infantis. No exemplo acima suas vias de acesso são de caráter local: a de acesso de outras ruas às quadras residenciais (1) e a outro que liga uma quadra a outra, só permitindo o acesso do pedestre (2).

2

1

PISO INTERTRAVADO

Escala 1/1250


FAIXA DE ACESSO

CICLOVIA

FAIXA DE ACESSO

FAIXA DE PASSEIO

CICLOVIA

FAIXA DE SERVIÇO

VIA PRINCIPAL

FAIXA DE SERVIÇO

VIA ARTERIAL

FAIXA DE PASSEIO

FAIXA DE ACESSO

FAIXA DE ACESSO

FAIXA DE PASSEIO

CICLOVIA

FAIXA DE SERVIÇO

VIA PRINCIPAL

VIA PRINCIPAL

FAIXA DE SERVIÇO

CICLOVIA

FAIXA DE PASSEIO

Tipologia de Vias VIA COLETORA


Detalhamento Deck do Parque No projeto o conceito utilizado foi INTEGRAÇÃO. Promover a conexão entre diferentes áreas da região, aproximando a residência dos espaços livres, áreas verdes, e também das intituições como: escola, biblioteca, postos de saúde e comércio. Para isso, conectamos toda a rede por ciclovias e criamos passagens para a travessia dos rios Passarinhos e Pavuninha além de uma passagem subterrânea ligando novas habitações à biblioteca, por baixo da TransOlímpica.

Perspectiva do deck a partir da vista do pedestre.

Planta Baixa

ESPELHO D’ÁGUA

GRAMA PISO DE MADEIRA


1

Perspectiva aérea do projeto a partir da Igreja

1

4 2

3

Planta de Situação

Projeto de um Edifício Empresarial, a sede da DreamWorks Animation, na Zona Portuária do Rio de Janeiro, realizado em dupla com a aluna Giulia Panno na disciplina de Projeto de Arquitetura IV com o Profº Rogério Cardeman. A edificação leva em conta todas as modificações pelas quais a cidade passará, através do projeto do Porto Maravilha, de revitalização dessa área da cidade.


Por meio das seções do projeto é possível observar a divisão dos escritórios em 3 setores: administração, produção e criação, além disso o térreo conta com uma infraestrutura para receber eventos - auditório, foyer, área de exposições, lojas e café.

QUADRO DE ÁREAS ATE = 3816m² - Máximo ATE permitido = 4093m² Taxa de Ocupação = 55% - Taxa máxima de Ocupação permitida = 70% do terreno ATC = 4596m² subsolo=4093m² 1térreo=2254,8m² 1º pavimento=1474,8m² 2º pavimento=866,4m²

1 CORTE AA ESCALA 1:500

2

CORTE BB

ESCALA 1:500

3

CORTE CC

ESCALA 1:500

Legenda Banheiros Circulação Escritórios Lojas

Exposições Serviços Social Estacionamento


Os elementos de sombreamento utilizado no projeto da Sede da Dreamworks foram o Brise horizontal móvel e Painel Metálico Perfurado da Hunter Douglas (Refência Projetual: Nestlé Social Block, arquitetos GH + A Guilhermo Hevia, no Chile, construído em 2009), ambos colocados externamente com a finalidade de produzir sombra pelo maior tempo possível e gerar um equilíbrio e diferenciação estética.

1

FACHADA

ESCALA 1:500

2

FACHADA

4

ESCALA 1:500

FACHADA

ESCALA 1:500

3

FACHADA

ESCALA 1:500


DETALHE COBERTURA VEGERAL

A cobertura ecológica utilizada (extensiva) é típica de laje plana e muito viável para este tipo de laje, uma vez que os custos não são tão altos Ela reduz os gastos energéticos com condicionamento ambiental - redução de calor, e proporciona mais proteção à membrana de impermeabilização da laje. Abriga plantas de pequeno porte, de desenvolvimento horizontal que são abastecidas de água e substâncias nutritivas por processos naturais. Vale destacar que quanto menos denso forem as camadas da cobertura e quanto mais camadas tiver, maior o isolamento térmico, uma vez que impedirá a passagem de calor por condução.

Buscando o equilíbrio com relação à luz natural, foram usados no projeto grandes vãos do piso ao teto, que recebem proteção de dois tipos de elemento de sombreamento: brises horizontais móveis e painéis metálicos perfurados. Através deles, a incidência direta da luz é atenuada, se tornando menos incômoda aos usuários do espaço.

Luz no Interior - Sol Ar


Perspectiva da entrada dos edifícios, sob o ponto de vista do pedestre, a partir da Av. Venezuela. O projeto conta com um estacionamento para cerca de 100 vagas e ainda incentiva o uso de bicicletas, possuindo também um bicicletário.

Perspectiva a partir da via expressa (Projetada), por onde irá passar o Veículo Leve sobre Trilhos (VLT) integrando as zonas do centro do Rio de Janeiro. A imagem mostra o uso dos painéis metálicos e brises.


Perspectiva do térreo, a partir das ruas Antônio Lage e Projetada. Os ventos de maior velocidade vem da direção sul e podem chegar até 6m por segundo. As edificações também sofrem influência do vento vindo do norte, por meio da corrente marítma (lado do Porto).

Detalhe do terraço, mostrando o uso de brises e painéis para garantir a proteção solar. O sol incide diretamente na fachada das 9hs às 14hs da tarde, ou seja, a incidência solar provoca uma iluminação natural com bastante contraste e incide lateralmente no início da manhã e final da tarde, dessa forma, ele incide mais pontualmente no ambiente.


swatch Revolucionando o visão das pessoas sobre o objeto relógio, que possuía apenas a função de mostrar as horas, esta loja da Swatch, fruto da disciplina Projeto de Interiores com o Profº Rogério Cardeman, busca torná-los objetos de moda, destacando as inovações tecnológicas e artísticas dos produtos. O jogo de luzes do mezanino assim como as cores dos painéis trazem vida à loja, enchendo os olhos dos observadores. Mobiliário metálico decorativo inspirado na da loja Swatch em Xangai.

Área de Estar Swatch Infinity

Loja B 69,72m²

Desenho de piso (relógio).

Caixa 4m²

Spring Summer Scuba Libre

planta baixa escala 1/75

Mobiliário de exposição dos relógios.


Iluminação do mezanino (piso) de LED através de painéis que mudam de cor. Inspirado na loja da Nokia em São Paulo.

Mezanino com estrutura metálica de altura igual a 10cm, e revestimento do piso de 2cm.

planta mezanino escala 1/75

Ar Condicionado 10,5m²

Swatch CreArt

Pequenos tanques (aquários) iluminados, com relógios submersos em exposição.


Exposição artística CreArt, na qual os relógios são expostos como obras de arte.

Ar Condicionado

Caixa

corte aa’ escala 1/75

Base e manequim pretos dando destaque aos relógios nele expostos.

Relógios expostos em ’nichos’ na parede, com iluminação.


Instalações aparentes.

Ar Condicionado

Caixa

Mobiliário de exposição dos relógios, metálico e pintado.

corte bb’ escala 1/75


Na fachada, uso de painéis metálicos pintados perfurados e de vermelho que se encaixam no plano de vidro de maneira orgânica, criando um jogo de cheios e vazios além de ressaltar o letreiro da loja, em preto. Propõe-se como mobiliário fixo da vitrine os expositores de relógios com iluminação, representados à esquerda.

entrada da loja - visão geral


Reforma de Apartamento

Projeto de reforma do interior de um apartamento no Edifício Antônio Ceppas no Bairro do Jardim Botânico, Rio de Janeiro, desenvolvido na disciplina de Projeto de Interiores com o Profº Rogério Cardeman. O cliente fictício Paulo é um jornalista aposentado/ colunista, que trabalha em casa. O programa de necessidades, ambientes e equipamentos foram definidos com base nas características do cliente: intelectual, cosmopolita, caseiro e familiar.

Sala de Estar

Sala de Leitura


Reforma de Apartamento

REGISTRADO SOB O NÚMERO DE PRODUÇÃO = 116-001 MARCELO PEREIRA DA CONCEIÇÃO ENDEREÇO: AV. 109 Nº 829 BAIRRO: CIDADE: CAPINÓPOLIS ESTADO: MG CEP: 38360-000 RG - 14664347-1 CNPJ/CPF- 073431568-61 CNPJ INSC. EST. TELEFONE: (34) 32630434 DATA DE AQUISIÇÃO: 28-05-2003

Planta baixa humanizada Escala 1/125


Reforma de Apartamento Corte AA’ Escala 1/125

Corte BB’ Escala 1/125

Perspectiva da Sala de Leitura


Reforma de Apartamento

Perspectivas da Sala de Jantar e Estar


Reforma de Apartamento Planta de Teto Localização dos pontos de iluminação de parede e teto, rebaixo e sanca.

Planta Elétrica - Hidráulica Localização dos pontos de elétrica, interruptores e pontos de água.


Campinas Casa de

Projeto para reforma da casa realizado em 2013/1.

REGISTRADO SOB O NÚMERO DE PRODUÇÃO = 116-001 MARCELO PEREIRA DA CONCEIÇÃO ENDEREÇO: AV. 109 Nº 829 BAIRRO: CIDADE: CAPINÓPOLIS ESTADO: MG CEP: 38360-000 RG - 14664347-1 CNPJ/CPF- 073431568-61 CNPJ INSC. EST. TELEFONE: (34) 32630434 DATA DE AQUISIÇÃO: 28-05-2003

Planta baixa humanizada - Escala 125


Biblioteca de

MADUREIRA

Legenda Sol Poente Principal fluxo de vento Principais acessos

Projeto desenvolvido em dupla, com o aluno Rafael Ludiosa, na disciplina de Projeto de Arquitetura III,com a professora Ivvy Quintella. Localizada no Parque de Madureira na zona norte do Rio de Janeiro - uma vasta área verde criada com intuito de melhorar a qualidade de vida da população local, concentrando atividades esportivas e culturais - a Biblioteca assim como o Parque busca proporcionar lazer e educação aos moradores da região.


“ Despertar, em meio à diversão do parque, a curiosidade para um espaço lúdico e cheio de conhecimento ”

Área Total 7319,17m² Área Total Edificada 2663,42 m² Taxa de Ocupação 36,4% 2 pavimentos

O edifício ressalta a preocupação com a sustentabilidade (teto verde, espelhos d'água e painéis solares)e cria uma solução mais harmônica para o entorno. O programa de necessidades objetiva atingir as metas do Programa Mais Educação - valorizando a importância da arquitetura e de sua espacialidade na educação. Para o paisagismo, tendo em vista a aridez da região, utilizamos algumas árvores que proporcionam mais sombreamento para amenizar a questão, além de espelhos d'água. Mantivemos a pavimentação utilizada no Parque (piso intertravado) nas cores: cinza claro, cinza médio e amarelo, além de grama dando origem a diversos jardins. Também criamos áreas de recreação com um mobiliário interativo, para despertar a curiosidade das crianças acerca deste novo espaço. Corte AA’

Corte BB’


Planta de Cobertura escala 1/500

Planta de Estrutura da Biblioteca escala 1/500 Dimens천es: Espessura das lajes - 10cm Largura das vigas - 15 cm


Há um pátio parcialmente coberto que conecta o bloco do auditório e café ao do acervo. A estrutura constitui-se de concreto armado, utilizando-se de uma estrutura metálica treliçada nos balanços das coberturas dos blocos.

Primeiro Pavimento escala 1/550

Os ambientes são posicionados levando em conta a principal ventilação e incidência solar, visando o melhor conforto térmico. Além disso utilizamos de cobertura verde e painéis solares para tornar a Biblioteca um espaço sustentável.

Segundo Pavimento escala 1/550


Recepção

Café

Acervo Adulto

Informática

Acervo Infantil

Espaço Lúdico


EDIFÍCIO LARGO DO MACHADO Parte edificada - 893,25m² Parte pública - 1300m² TAXA DE OCUPAÇÃO 62,6% - 559,3m² ÁREA TOTAL EDIFICADA 2003,32m²

Projeto desenvolvido no Trabalho Integrado I, que engloba o conjunto de disciplinas do ateliê integrado, sendo a disciplina de projeto arquitetônico cursada com a Professora Adriana Sansão e de projeto paisagístico com o Professor Sergio Fagerlandeas. O objetivo é a criação de um edifício misto - térreo comercial e demais pavimentos residenciais além da proposta para uma praça e intervenções nas ruas de entorno, no bairro Largo do Machado no Rio de Janeiro.

Processo de criação

1

Criou-se um formato de «L» dividido em dois blocos ligados pelo PUC, dandolhe uma bela vista para a praça.

2

Foram feitas varandas e dois PUC, dividindo o espaço de acordo com seus usos.

3

Buscando integrar melhor o edifício com o ambiente, transformou-se os blocos em assimétricos.

4

Partindo de um processo de desprendimento do formato retangular, cria-se mais espaços abertos e varandas.

5

Por fim revestese a fachada com placas metálicas, postas em um plano entre o edifício e as varandas.


Integrando-se ao entorno, criou-se um edifício recuado, mantendo o alinhamento com as outras edificações e possibilitando a ventilação cruzada, dando fluidez à construção, além de manter o gabarito das edificações adjacentes e uma vista para a praça, a qual foi projetada objetivando a conexão entre as partes do bairro, um lugar bem cuidado, de contemplação e que ofereça diversão às crianças. Screenpanel Horizontal Hunter Douglas Referência: Gran Casino y Hotel de Talca, no Chile.


Fachada em Corte

Detalhamento do Jardim Vertical Uso do módulo Greenwall para montagem da parede verde.Destaca-se o sistema de irrigação, por meio de gotejamento.

Vista do restaurante Nanquim e Parede Verde


Planta Baixa Pavimento Tipo 1

O Edifício Largo do Machado constitui-se de 21 unidades habitacionais, sendo 11 apartamentos de 1 quarto, 7 de 2 quartos e 3 de 3 quartos. A solução dada à fachada, o uso do Screenpanel Horizontal Hunter Douglas tem sua fixação por meio de haste metálica fixada numa estrutura auxiliar, segundo calculo, a cada 800mm.Com uma ‘canteria’ de 3mm, horizontal e vertical, em função de dilatação.

Foto da referencia projetual, o Gran Casino y Hotel de Talca, projetado pelos arquitetos Rodrigo Duque Motta / Rafael Hevia García-Huidobro em 2008

Foto da maquete com entorno


Corte AA’

Corte BB’


VILA RESIDENCIAL Na disciplina de Projeto de Arquitetura I com o Professor Silvio Colin elaborou-se de um projeto de uma Vila Residencial na Ilha do Fundão, localizada em um terreno que hoje serve de estacionamento, de frente para a Escola Municipal Tenente Antônio João, perto de uma Vila Militar, e do COPPEAD. Objetivando proporcionar aos possíveis moradores o sossego e descanso dos ares do fundão, preferiu-se criar algo que se difere de seu entorno, sendo assim, pode-se observar num total de 34 casas; 12 casas de 1 quarto, 12 de 2 quartos e 10 de 3 quartos, construções leves e entrecortadas por muitas arvores.

Baía de Guanabara

Baía de Guanabara

N

Baía de Guanabara


Vê-se, na Planta de Situação, que o projeto abrange 1 piscina, localizada mais a esquerda do terreno e 3 praças, dentre as quais há duas maiores, uma com parque para as crianças e outra com bancos e mesas criando uma área contemplativa e uma praça central, pouco acima da quadra poliesportiva com aparelhos de ginástica ao ar livre.

Na entrada há um mini mercado, juntamente com a portaria, onde os moradores da vila poderão se abastecer sem sair do fundão, ao lado do estacionamento.

Todas as habitações são germinadas e espelhadas por lote (de 2 casas) distribuídas de acordo com o eixo da rua, e prezando a ortogonalidade.


Em relação ao conforto visual e térmico a vila é rodeada por muito verde, com muitas árvores, distribuídas entre as casas. O processo de restauração da vegetação nativa (mangue) amplia significativamente este visual, na área de 20m a partir da Baia de Guanabara. E pensando nessa questão ambiental, propõe-se o piso intertravado de concreto ao longo da vila, e nas praças enquanto no estacionamento optou-se por intertravado grama.


Refúgio Através da disciplina de Concepção da Forma Arquitetônica II com a Professora Ana Slade, foi elaborado o projeto de um Refúgio, um local destinado para o relaxamento e reflexão, utilizando o conceito «PESO» em um terreno inclinado, cercado por uma área verde e tranqüila, próximo a uma igreja em uma área militar da Ilha do Fundão, com uma bela vista para a Baía de Guanabara.

Baía de Guanabara

Baía de Guanabara

N

Baía de Guanabara


Por meio da fachada principal de vidro buscou-se a permeabilidade com esse ambiente, trabalhando com a antítese: peso x leveza (para acentuar a sensação do objeto ‘pesado’). Ainda utilizou-se de paredes de pedra - objetos maciços, ‘pesados’ - e brises para proporcionar melhor sombreamento do local.

Planta Baixa escala 1/100


DESENHOS


Desenho de observação dos jardins da FAU - UFRJ

Desenho de observação

Desenho de observação ‘abricó’


Desenho de observação com pessooas

Estudo de texturas dos objetos

Desenho de observação


Desenho de observação e estudo de cores quentes - ‘Quente’

Desenho de observação e estudo de cores frias - ‘Frio’


Estudo de Pranchas Resumo para o Projeto RefĂşgio (2010)


Desenho de observação MASP em São Paulo

Desenho de observação do Circo Voador no Rio de Janeiro

Desenho de observação dos Arcos da Lapa no Rio de Janeiro

Desenho de observação do Museu Oscar Niemeyer em Curitiba


Marina Rocha Oliveira contato: marina.roliveira@hotmail.com br.linkedin.com/in/marinarochaoliveira/


Portfólio Arquitetura e Urbanismo