Page 48

"O quê?" Beth perguntou. Ivy olhou rapidamente para trás. Ninguém estava lá. Philip deu de ombros. "Não importa." Ele suspirou. Eles avançaram para a última entrada, um painel com quatro aquarelas. "Uau!" Beth disse. "Estes são fabulosos! Número trinta e três, quem você é, você é meu vencedor." "Meu também", Ivy concordou. As cores do artista foram quase transparente, e infundido com uma luz própria. Ivy apontou para uma pintura de um jardim. "Desejaria puder sentar lá, por horas e horas. Me faz sentir traquila." "Eu gosto da cobra", observou Philip. Apenas um garoto teria encontrado a cobra, Ivy pensou, pintada em tão astutamente. "Eu quero falar com a mulher na último quadro", disse Beth. A mulher estava sentada debaixo de uma árvore com seu rosto afastado do pintor. Flores estavam caindo sobre ela, luminosas flores de maçã, mas elas fizeram Ivy pensar em neve. Ela olhou para o título: Muito cedo. "Há uma história atrás desse", Beth disse suavemente. Ivy balançou a cabeça. Ela conhecia a história, ou uma parecida, sobre a perda de alguém antes de você ter a chance de... Por um momento os olhos piscaram. Então ela piscou e disse: "Bem, já vimos de tudo na exposição. Vamos gastar o dinheiro." "Yeah!" Philip gritou. "Onde estão os brinquedos? "Não existem brinquedos, não em um festival como este." Philip parou. "Não tem brinquedos?" Ele não podia acreditar. "Não tem brinquedos!" "Eu acho que teremos uma longa tarde", Ivy disse Beth. "Nós vamos continuar a alimentá-lo", respondeu Beth. "Eu quero ir para casa." "Vamos caminhar de volta para a Main Street", sugeriu Ivy ", e ver o que todo mundo está vendendo." "Isso é chato." Seu irmão estava dando aquele olhar de queixo duro que significava problemas. "Eu

Beijada por um anjo vol 2 a força do amor