Page 47

Capítulo 8 "Nós dê mais alguns minutos, Philip", disse Ivy. "Queremos olhar o resto de suas pinturas." "Eu acho que vou encontrar Gregory". Ivy estendeu rapidamente e pegou seu irmão pela parte de trás da sua camiseta. "Hoje não. Você está preso comigo e Beth ." Durante os últimos quatro dias Ivy passou pouco tempo com Gregory, vendo-o apenas nas refeições da família ocasional de passagem no corredor. Quando seus caminhos se cruzam, ela tinha era cuidadosa para não iniciar uma conversa longa com ele. Quando ele a procurou, - e quanto mais ela o evitou mais a procurou, - ela tinha dito que estava a caminhoda sala de música para ensaiar. Gregory olhou surpreso e um pouco irritado com a distância que ela estava colocando entre eles. Mas o que mais ela poderia fazer? Eles haviam crescido muito perto. Sem querer, Ivy tinha ficado dependente dele. Se ela não recuar agora, ela pode perder Suzanne como amiga. Suzanne e Beth tinham se encontrado com Gregory, Philip, Ivy e na cidade, naquela tarde, no final da Main Street, onde começava festival. Suzanne imediatamente colocou seu braço nas costas de Gregory e enfiou a mão no bolso de trás, andando para longe de Ivy e Philip. Ivy tinha respondido dirgindo Philip em outra direção. Beth ficou de pé na esquina da rua. "Venha com a gente", Ivy chamou por ela. "Nós estamos indo ver a arte." A exposição foi colocaada ao longo de uma rua estreita de lojas antigas que ia de volta da rua principal. Uma variedade de moradores, mulheres empurrando carrinhos de bebê, senhoras de idade em chapéus de palha, as crianças com suas caras pintadas, e dois rapazes vestidos como palhaços, caminhavam olhando para os quadros, tentando adivinhar quem eram os artistas. Cada quadro estava intitulado e numerado, mas os nomes dos artistas foram cobertos para o julgamento que ocorreria mais tarde naquele dia. Ivy, Beth, e Philip estavam quase no final da exibição, quando Philip tinha começado a neura de encontrar Gregory. Agora Ivy apontava para uma pintura estranha, tentando distraí-lo. "O que você acha que é?" , perguntou ela. "Coisas". Ele leu o título com cara fechada. " Me parece uma linha de batons", Beth disse, "ou árvores no outono ou velas de Natal ou garrafas de ketchup ou mísseis ao pôr do sol..." Philip franzio seu rosto. "Me parece que ele é estúpido", disse ele em voz alta. "Shh! Philip, fale baixo", advertiu Ivy. "Pelo que sabemos, o artista poderia estar atrás de nós." Philip virou para olhar. De repente, a carranca tinha desaparecido. Seu rosto se iluminou. "Não", ele disse, "mas há um" ele hesitou.

Beijada por um anjo vol 2 a força do amor  
Advertisement