Issuu on Google+

Ano 4 - 2011 - Edição nº 16 - www.healthcarebrazil.com.br

Especial: Hospitais em

expansão Evolução estrutural, tecnológica e arquitetônica na área da saúde faz com que hospitais brasileiros estejam em franca expansão, seguindo todas as tendências mundiais. Hospital Infantil Sabará, Hospital Santa Paula, Hospital Nossa Senhora de Lourdes e Hospital Moinhos de Vento são exemplos de crescimento

Arquitetura hospitalar: Unidades Unimed investem em arquitetura arrojada, moderna e sustentável


2


comercial@grupomidia.com 3


CARTA AO LEITOR

Hospitais em Expansão Os segmentos da construção civil e arquitetura especializados na prestação de serviços para a área da saúde, principalmente em clínicas e hospitais, vivem um excelente momento, tendo em vista a grande quantidade de obras, ampliações e reformas requeridas no setor, cuja evolução tecnológica e de procedimentos faz com que estruturas sejam remodeladas a todo momento. Dessa forma, tendo em vista todo esse processo, a HealthCare Brazil nesta edição, traz matérias especiais sobre hospitais brasileiros de referência nacional, os quais passaram por reformulações estruturais recentes, ainda estão em obras, ou que iniciarão num futuro próximo, construções de novas unidades. Traz também matérias com os engenheiros e arquitetos responsáveis pelos projetos. Recentemente, por exemplo, o Hospital Infantil Sabará, que fica na cidade de São Paulo, trouxe para o Brasil o conceito ‘Children´s Hospital’, concentrando em um único lugar, atendimento de baixa a alta complexidade. Tudo, dentro de uma estrutura inaugurada em setembro de 2010, cujas modernas instalações contam com ambientes lúdicos e áreas verdes ao ar livre, para o conforto das crianças. Já o Hospital Nossa Senhora de Lourdes, também situado em São Paulo, acaba de inaugurar seu novo Centro Cirúrgico, um dos mais modernos do país, e que marca o fim do plano de expansão do hospital, iniciado em 2007. O projeto arquitetônico é inovador, começando pela grande dimensão das salas. Além disso, outro hospital paulistano, o Santa Paula acaba de iniciar as obras do Centro de Oncologia, que concentrará todo o atendimento de pacientes com câncer em um só lugar. O que não existe na Zona Sul da cidade, beneficiando assim sua população. Serão investidos cerca de 12 milhões na realização de todo o projeto. Outros hospitais ainda estão nesta edição como o hospital especializado em cardiologia, S.O.S Cárdio, de Florianópolis, que acaba de inaugurar novas instalações, assim como o novo Complexo Hospitalar Restinga e Extremo Sul, do Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre. Também enriquecem a edição matérias com engenheiros e arquitetos envolvidos em projetos em Hospitais Unimed por todo o Brasil.

Boa Leitura! Equipe HealthCare Brazil 4

DIRETOR PRESIDENTE Edmilson Caparelli diretoria@grupomidia.com ADMINISTRATIVO E FINANCEIRO Lucia Caparelli lucia@grupomidia.com Selma Saragoça administrativo@grupomidia.com

DIRETOR Edmilson Caparelli EDITORA Mariana Nakane mariana@grupomidia.com INTERNACIONAL international@grupomidia.com DEPARTAMENTO DE ARTE Criação - Erica Alves Diagramação - Mariana Siquinelli DEPARTAMENTO COMERCIAL Giovana Teixeira giovana@grupomidia.com Marcelo Novais marcelonovais@grupomidia.com Ruy Troncoso ruy@grupomidia.com

PROJETOS EDITORIAIS Erica Alves projetoseditoriais@grupomidia.com OPERAÇÕES Departamento Jurídico juridico@grupomidia.com Pesquisa - Global Pesquisa Suporte e Atendimento on-line suporte@grupomidia.com

ATENDIMENTO AO LEITOR Grupo Mídia Rua Antonio Manoel Moquenco Pardal, 1027 Ribeirânia - Ribeirão Preto – SP (16)3629.3010 Cep: 14096-290

12.000 exemplares


5


NESTA

edição

Edição nº16 - 2011

Capa especial hospitais em expansão Evolução permanente no setor da saúde tanto estrutural como tecnológica faz com que hospitais necessitem sofrer adequações e expansões constantes, promovendo o crescimento das empresas de arquitetura hospitalar. É o que confirma as matérias especiais sobre o Hospital Infantil Sabará, Santa Paula, Moinhos de Vento e Hospital Nossa Senhora de Lourdes.

6

10 Seções

08 - Gestão Jurídica 66 - Resenha 68 - Guia de Empresas


44 especial Hospital Sabará

Com capacidade para atender 160 mil pacientes por ano, Hospital Sabará oferece num único lugar todo tipo de tratamento em pediatria, desde o atendimento de baixa à alta complexidade. Tudo isso, dentro de uma estrutura inaugurada em Setembro do ano passado, cujas modernas instalações contam com brinquedos, personagens interativos, salas de jogos e área verde ao ar livre.

32

especial hospital santa paula

Hospital acaba de dar início às obras do Centro de Oncologia, que concentrará todo o atendimento de pacientes com cancêr em um só lugar. Serão investidos cerca de 12 milhões de reais na construção do prédio, que será o único da Zona Sul da cidade de São Paulo, fazendo com que o Santa Paula se torne referência em tratamento oncológico.

44 especial moinhos de vento

Novo Complexo de Saúde da Associação Moinhos de Vento, composto por hospital, escola e acompanhamento junto à comunidade para estimular a prevenção da saúde, vai funcionar pelo SUS em parceria com o Ministério da Saúde.

56 pesquisa

Reumatologia do Hospital das Clínicas de São Paulo atesta segurança da vacina contra gripe suína em pacientes com doenças reumáticas autoimunes.

50

56

22 especial nossa senhora de lourdes

edição

NESTA

10

42

32

22

Em entrevista, Nilton Angelo Lorandi, Presidente Executivo do Grupo NSL fala sobre a conclusão do plano de expansão do hospital, depois de mais de quatro anos focado neste processo trabalhoso, porém visionário.

42

especial hospital do olho de assis

Projeto Arquitetônico da C+A Arquitetura e Interiores possibilita que o Hospital acompanhe a evolução tecnológica da oftalmologia pelos próximos 30 anos.

50 especial: grupo vita

Hospital VITA Curitiba investe em aparelhos com tecnologia de última geração, como o Ultrassom “Intravascular ILab”.

58 arquitetura hospitalar

Conheça algumas das empresas que estão por trás da construção de Unidades Unimed por todo o Brasil.

7


gestão jurídica business health|empresa

prejuízo operacional Em 2009, Santas Casas empregaram mais de R$ 12 bi no atendimento gratuito e foram remuneradas com apenas 7,9 bi. Solução passa pela correção da tabela do SUS e pela regulamentação da Emenda Constitucional nº 29

8


H

á vários anos as Santas Casas e Hospitais Beneficentes operam em déficit no atendimento dos pacientes da rede pública. Pelas regras, essas unidades prestam assistência gratuita à população e são ressarcidas posteriormente pelo Governo. O repasse é feito considerando uma tabela de procedimentos do SUS, que estipula o valor de cada intervenção médica. Entretanto, de acordo com as instituições, o déficit atual é de, em média, 40%, ou seja, para cada R$ 100,00 empregados no atendimento gratuito as unidades beneficentes recebem de volta R$ 60,00. É uma distorção que, prolongada e sem solução, tem gerado um prejuízo operacional de R$ 4 bi/ano para as entidades. Em 2009, a rede filantrópica teve um custo de pouco mais de R$12 bilhões para o atendimento aos beneficiários do SUS e recebeu apenas R$ 7,9 bilhões, o que gerou um déficit de R$ 4,1 bilhões. “Esse déficit operacional vem sendo em parte coberto com receitas alternativas que algumas entidades conseguem gerar, mas aquelas que dependem exclusivamente da receita do SUS estão praticamente quebradas. Essa defasagem na tabela produziu uma dívida que os hospitais não conseguem mais suportar. O reajuste da tabela é ponto fundamental para a reabilitação da rede beneficente”, afirma José Reinaldo de Oliveira Júnior, presidente da Confederação das Misericórdias do Brasil (CMB) e da Federação das Santas Casas e Hospitais Beneficentes de São Paulo (Fehosp). A Santa Casa de Misericórdia de Palmital, no interior de São Paulo, por exemplo, que conta com 68 leitos, sendo 44 para a rede pública, atende mensalmente pelo SUS cerca de 2.740 consultas e 130 internações. “Temos capacidade para atender o dobro do que atendemos atualmente, mas é inviável por conta do teto financeiro que nos é estabelecido. Para tudo que for feito acima do teto não há remuneração, aumentando o nosso déficit operacional”, explica Edson Rogatti, presidente da Santa Casa de Palmital. Mesmo operando abaixo de sua capacidade, a instituição soma mais de 800 mil reais em dívidas bancárias. “Apesar da importância estratégica para o SUS, não existe ainda uma política de recursos financeiros que assegure a continuidade dessa prestação com gestão, qualidade e resolutividade”, acrescenta Rogatti.

Já a Fundação Santa Casa de Misericórdia de Franca, que conta com 313 leitos e é o único hospital SUS que atende alta e grande parte da média complexidade para 22 municípios da região (cerca de 700 mil habitantes), convive com um endividamento de mais de quase 55 milhões de reais. O hospital tem 92% da taxa de ocupação pelo SUS, superando a capacidade disponibilizada para o sistema que, por lei, deve ser de no mínimo 60%. Atualmente são mais de 63 mil atendimentos ambulatoriais, 300 partos e 1.575 internações mensais. “Esses dados colocam a Santa Casa de Franca como um dos dez hospitais do estado de São Paulo que mais internam para o SUS”, comenta José Candido Chimionato, presidente da instituição. Segundo o presidente da CMB, para reverter essa situação, a prioridade é mobilizar o Congresso para a regulamentação da Emenda Constitucional 29. Com a indefinição atual em torno da lei, aponta, metade dos Estados deixam investir o montante determinado em saúde e mesmo nas regiões que oficialmente cumprem a regra não há a garantia de que os recursos sejam realmente empregados no atendimento à população. “A regulamentação da Emenda Constitucional 29 é fundamental para a recuperação da saúde, pois fixa os percentuais mínimos a serem investidos anualmente na área pela União, por Estados e Municípios e, o mais importante, caracteriza o que de fato é investimento no setor. Sem a regulamentação da EC 29 não há garantias de que o dinheiro arrecadado seja realmente empregado na área e que os recursos cheguem aos hospitais e pacientes. Essa lacuna permite que dinheiro que deveria ir para hospitais seja utilizado para obras de saneamento básico ou projetos sociais, por exemplo,” finaliza José Reinaldo de Oliveira Júnior. As Santas Casas e Hospitais Beneficentes são importantes parceiros do Estado na oferta de assistência para a população. Atuando no Brasil desde 1543, conta hoje com 2.100 unidades e é responsável por 41% das internações do SUS. Além disso, oferece 175 mil leitos, realizam mais de 185 milhões de atendimentos ambulatoriais em pacientes da rede pública, grande parte deles procedimentos complexos e escassos e empregam um total de 480 mil pessoas, incluindo 140 mil médicos autônomos. O setor ainda administra 104 operadoras filantrópicas de planos de Saúde. 9


especial |sabará

Hospital infantil

sabará Visão de vanguarda do hospital transforma o conceito de Children´s Hospital em realidade no Brasil Com capacidade para atender 160 mil pacientes por ano, Hospital Sabará oferece num único lugar todo tipo de tratamento em pediatria, desde o atendimento de baixa à alta complexidade. Tudo isso, dentro de uma estrutura inaugurada em Setembro do ano passado, cujas modernas instalações contam com brinquedos, personagens interativos, salas de jogos e área verde ao ar livre


11


especial |sabarรก

12


R

eferência em saúde infantil há quase meio século, desde Setembro de 2010, o Hospital Infantil Sabará se tornou um centro pediátrico completo, estando preparado para realizar cirurgias de alta complexidade em cardiologia, oncologia, nefrologia, neurologia, neurocirurgia e ortopedia. Tudo isso possibilitado graças a nova estrutura do hospital que operava em um edifício de cinco andares (três mil m²) e agora funciona em um prédio de 17 andares (15 mil m²), o qual recebeu investimentos de cerca de 90 milhões de reais. Com isso, o hospital, que nos anos 70 foi o primeiro privado a inaugurar uma UTI pediátrica, reafirma sua visão de vanguarda ao transformar o conceito de Children´s Hospital em realidade no Brasil. Assim como acontece nos grandes complexos hospitalares dos Estados Unidos e da Europa, o Sabará oferece num único lugar todo tipo de tratamento em pediatra, desde atendimento básico no Pronto-Socorro a intervenções e procedimentos de última geração. “O hospital ganha status de centro pediátrico completo, capacitado para oferecer atendimento de baixa à alta complexidade, tipo de abrangência que não é comum em instituições pediátricas. O paciente pode realizar desde uma simples inalação a uma neurocirurgia”, diz o pediatra José Luiz Setúbal, presidente do Sabará. Também se transforma em um centro de pesquisa, divulgação e atualização profissional em pediatria e prevê a organização de palestras abertas ao público e promoção de campanhas de conscientização em saúde. Uma das primeiras iniciativas do departamento de educação e estudos do Sabará é o lançamento do livro técnico “Manual de Urgências e Emergências em Pediatria do Hospital Infantil Sabará”, organizado e escrito pelos profissionais da instituição. De acordo com o médico, nos EUA, os hospitais pediátricos são os que mais fazem pesquisa na área. “Queremos estabelecer linhas de estudo que hoje carecem de novidades científicas. Cerca de 70% das drogas usadas em pediatria, por exemplo, não é testada em crianças, índice que chega a quase 90% no período neonatal. Acredito que podemos contribuir nesse segmento também”, afirma. Além do investimento financeiro, no valor de 90 milhões de reais, que resultou no novo edifício, na compra de equipamentos e mobiliário, o Sabará aperfeiçoou uma área que sempre foi prioridade da instituição: o atendimento diferenciado. “Nossos funcionários são treinados e capacitados a utilizar instrumentos lúdicos, como bonecos, histórias 13


especial |sabará

“O número de leitos passou de 45 para 104. A unidade de terapia intensiva, com janelas que aproveitam iluminação natural, ganhou sistema de monitoramento externo” e cenários fictícios para explicar detalhes das doenças e dos procedimentos médicos. Sabemos que informar as crianças e os adolescentes é essencial para controle de estresse, reduz o período de internação e melhora os resultados do tratamento”, complementa. “Para fazer do hospital um ambiente mais acolhedor, pouco amedrontador e menos estressante, é fundamental termos funcionários especializados em atender e compreender as necessidades infantis. Criança não é adulto em miniatura, tem suas particularidades”, ressalta. Além de equipe especializada em saúde e comportamento infantil, os aparelhos, como tomógrafos ou de ressonância, são exclusivos ao paciente pediátrico, garantindo segurança nos procedimentos envolvendo radiação. O radiologista e demais técnicos também estão preparados para suprir as necessidades específi14

cas dessa faixa etária. A reestruturação do Sabará começou em 2005, quando o Dr. José Luiz Setúbal assumiu a gestão do hospital. Com o tempo, a estrutura física do antigo prédio não pode atender à demanda. Em 2009, o novo prédio começou a ser reformado. Se nas instalações antigas, passavam pelo Pronto-Socorro 90 mil pacientes/ano, maior atendimento pediátrico da cidade de São Paulo – superando os serviços públicos na área - agora possui capacidade para atender mais de 160 mil crianças e adolescentes por ano somente no novo PS. O número de leitos passou de 45 (sendo 14 UTI) para 104 (sendo 28 UTI). A unidade de terapia intensiva, com janelas que aproveitam iluminação natural, ganhou sistema de monitoramento externo feito pela equipe de enfermagem que permite portas fechadas, garantindo privacidade e segurança aos pacientes. Também é possível, a partir de agora, realizar 10 mil cirurgias/ano, incluindo em breve a realização de transplantes. Há um andar exclusivamente para a realização dessas intervenções com sete salas equipadas com tecnologia de ponta. Os adolescentes ganharam um andar exclusivo. “Como nem todos se sentem à vontade no ambiente dos pequenos, fizemos algo especial para esses jovens, com espaço com videogames e computador”, destaca Setúbal.


Um pouco de história No início da década de 60, um grupo de nove pediatras, preocupados em atender seus pacientes em situação de emergência, idealizou o Pronto-Socorro Infantil Sabará. Em 14 de abril de 1962, foi inaugurado em um casarão antigo, com 12 quartos, uma enfermaria e três consultórios, em Higienópolis, na esquina das Ruas Alagoas e Sabará. Uma das primeiras medidas do grupo foi uniformizar condutas no atendimento médico. Desde sua inauguração e por anos, os fundadores se revezaram nas atividades médicas e administrativas. Em março de 1972, o Sabará passou a operar em sede própria, com quatro pavimentos, na Rua Dona Antonia de Queiros, a cem metros do endereço original. Dois anos depois, a UTI Pediátrica e Neonatal – um das primeiras no Brasil - entrou em atividade. Os modernos equipamentos de monitoria cardiopulmonar e de ventilação mecânica, a equipe médica conceituada e o apoio constante dos mais renomados pediatras tornaram o serviço do hospital referência no Brasil. Em 2005, parte do Sabará foi comprada pelo pedia-

tra José Luiz Setúbal, atual presidente. Herdeiro do grupo Itaú, é o único que seguiu carreira na área da saúde. Formado pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, com residência médica no Instituto da Criança do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP e pós-graduação em Economia e Gestão de Saúde na Unifesp, foi responsável pela reestruturação técnica e operacional da instituição. Ao assumir, o Dr. José Luiz resolveu transformar o Sabará, que sempre teve um Pronto-Socorro de excelência, em um hospital geral pediátrico. Para tanto trouxe profissionais de peso, como o cirurgião Wagner Marujo. “Temos hoje um centro cirúrgico com um suporte tecnológico extremamente avançado e processos exigidos pelas instituições certificadoras internacionais. O diferencial é que toda a equipe é especialmente dedicada em diagnóstico e tratamento das doenças que acometem o recém-nascido ao adolescente, incluindo anestesistas, enfermagem e cirurgiões especializados”, afirma Marujo. “Montamos um hospital especializado em problemas médicos complexos e contamos com grandes nomes da medicina de São Paulo”, acrescenta.


especial|sabará

PROJETO TRAZ ECOSSISTEMAS DE DIFERENTES CONTINENTES Arquitetos Diana Malzoni, Luciane Vaz e Domingos Fiorentini assinam projeto arquitetônico do Sabará, que alia elementos que vão do bemestar à sustentabilidade Pensando no conforto e bem-estar dos pacientes e seus familiares, o novo Sabará ganhou um projeto inovador com ambientes lúdicos e interativos que leva as assinaturas dos arquitetos Diana Malzoni, Luciane Vaz e Domingos Fiorentini. Usando o conceito de retrofit, cujo objetivo é a revitalização de um edifício aproveitando da melhor maneira a estrutura já existente, o novo Sabará começou a ser construído em 2009. Para adaptar o antigo prédio de escritório dos anos 70, os arquitetos optaram por alternativas sustentáveis. “Fizemos um trabalho de requalificação do espaço. Além de reforço estrutural e outras adaptações, os ambientes possuem iluminação e ventilação natural”, conta Diana Malzoni. Fundamentados na comprovada teoria de que o ambiente interfere no tempo de internação e recuperação do paciente, o projeto mescla elementos artísticos e didáticos para que a criança se identifique com o espaço e esqueça que está em um hospital. “Fizemos um estudo de gestão que englobou aspectos operacionais e psicológicos. Sabemos que até a roupa branca do médico é motivo de estresse. Por isso o hospital se transformou em um projeto temático com agentes acolhedores”, afirma o arquiteto e médico Domingos Fiorentini, responsável pela construção dos principais hospitais brasileiros. 16


“Criamos zonas livres onde os procedimentos médicos não acontecem. São espaços exclusivos para as crianças. Assim como temos salas somente para os acompanhantes, sem a presença dos profissionais do hospital”, complementa. Para não fugir do gosto de seus pacientes, o Sabará fez um concurso com as crianças que puderam escolher por meio de votação a ilustradora do novo prédio. Quem venceu foi a artista Cecilia Esteves. São dela os desenhos dos inúmeros personagens espalhados pelas paredes do edifício. Cores e temas foram devidamente estudados para criar um clima acolhedor e tranquilo. Para acertar no traço, a ilustradora passou um tempo incógnita na sala de espera do antigo hospital na rua Dona Antonia de Queiros, 505. “Quis trazer um ambiente de descobertas e fantasias que se distanciasse do clima hospitalar. Foi um trabalho gratificante, sei que assim estamos melhorando a qualidade de vida desses pacientes”, conta. Cada andar ganhou um tema inspirado em regiões do mundo e cores distintas que servem como referência. São personagens que contam a história do Brasil e sua fauna, da África e do Ártico. A ideia é que as crianças possam ler a história deles nos inúmeros painéis espalhados pelo andar. Os textos estão nas pa-

redes, há mapas de localização e até curiosidades dos diferentes idiomas – criação da escritora Aloma Fernandes de Carvalho, autora de livros didáticos. O térreo faz uma homenagem ao Brasil e brinca com representantes da nossa fauna (macacos, preguiças, pacas, tucanos) e com os peixes dos nossos mares. Além de um jogo com espelho d´água, há um barquinho interativo para as crianças passarem o tempo enquanto esperam atendimento e móbiles gigantes com movimento e som. O céu e o espaço sideral são destaques no 1º e 2º andar, onde estão o Pronto-Socorro, os consultórios e as salas de exames. Já o 3º andar comporta o centro cirúrgico. No 4º, fica a ala de esterilização e conforto médico. Quinto e sexto abrigam as UTIs. Do 7º ao 15º, estão os leitos infantis, com exceção do 12º, onde ficam os adolescentes. Os últimos andares são de área administrativa. De acordo com Domingos Fiorentini, que tem 45 anos de experiência na área, a setorização do hospital segue uma estratégia inteligente que prevê controle de infecção hospitalar, além de escadas rolantes e rampas para deslocamento. “Tudo isso para promover agilidade e vazão”, esclarece. Os andares possuem brinquedotecas e salas de jogos. No sétimo andar, há um solário com brinquedos 17


especial |sabará

gigantes (escorregador em forma de elefante, balança em formato de zebra e uma girafa-régua) e jardim. Um dos destaques desta área ao ar livre, que faz parte do conceito de sustentabilidade, é o chão feito de borracha de pneu reciclado. No mesmo andar estão os quartos da área VIP que incluem salas de visita. O Sabará conta também com cafeteria e estacionamento para conforto das crianças e dos pais. Sobre a Fiorentini Arquitetura A Fiorentini Arquitetura oferece soluções e Projetos em Arquitetura estratégica e gestão hospitalar, com foco principal no planejamento físico de empreendimentos do setor saúde, desenvolvendo projetos arquitetônicos e complementares para clínicas, laboratórios, unidades básicas, hospitais de média a alta complexidade, laboratórios de biossegurança, Centros de Reabilitação, dentre outros. Credibilidade e transparência respaldam a trajetória da Arquitetura Fiorentini, que mantém constante preocupação em proporcionar redução de custos com projetos inteligentes e que se integram ao sistema de gestão hospitalar. Em todas as soluções concebidas está presente o gene da inovação, que evolui constantemente para 18

atender a uma nova realidade, em que a humanização do atendimento e uso sustentável dos recursos naturais são imprescindíveis para o sucesso de um projeto. Sobre o escritório Diana Arquitetura Atender e superar a expectativa do cliente é o objetivo do escritório Diana Malzoni Arquitetura. Pesquisar, descobrir e interpretar o programa requerido, e os diferentes modos de ocupar os espaços, são o ponto de partida para se materializar em arquitetura o sonho de cada parceiro, seja ele uma família, um profissional liberal, uma empresa ou uma instituição. Por isso, cada cliente é um cliente especial e todos os projetos são personalizados a fim de atender os diferentes objetivos. No segmento da saúde, o escritório Diana Arquitetura tem como meta, partindo da premissa de que o complexo hospitalar visa à saúde da comunidade, propor soluções técnicas, estéticas e humanitárias, visando obter soluções compatíveis com as necessidades do ambiente hospitalar, dando ênfase a espaços interativos e quando necessário lúdicos. Unidade na linguagem, clareza formal, coerência nas escolhas de materiais, precisão, conforto e um elemento surpresa são marcantes na arquitetura de Diana Malzoni.


19


especial |sabará

Dollmens Engenharia

Por trás da estrutura pronta

C

om mais de 12 anos de experiência em gerenciamento de Empreendimentos, a Dollmens Engenharia, comandada pelo engenheiro Maurício Duarte, foi responsável pelo gerenciamento do desenvolvimento de projetos e execução das obras do novo Hospital Infantil Sabará. Agora situado na Avenida Angélica, a implantação foi feita em prédio comercial com 17 pavimentos onde, além de todas as adequações necessárias para abrigar um pronto socorro infantil, foram acrescidos 3.531 m² em estrutura metálica. “Além de coordenar o desenvolvimento dessa estrutura em concreto e metálica, coordenamos também as fundações, instalações elétricas e hidráulicas, ar-condicionado, esquadrias de alumínio e a compatibilização entre eles”, explica o engenheiro Maurício sobre as obras que foram realizadas no período de um ano e oito meses. De acordo com ele, foi uma obra complexa para atender setores específicos e muito diferentes entre si, como apartamentos hospitalares, consultórios, salas de cirurgia, UTI, ambientes para Ressonância Mag-

nética, Tomógrafo, Raio-X e Ultrassom. Tem também infraestrutura sofisticada e ambientes administrativos. “Realizar um trabalho perfeito com seriedade é extremamente importante principalmente quando estamos lidando com saúde. Os detalhes da construção de um hospital, desde um simples revestimento até a distribuição de oxigênio em cada leito, passando pelo fornecimento ininterrupto de energia elétrica e assepsia dos ambientes, nos mostra a importância de nosso trabalho”, revela o engenheiro. “Gostamos dos desafios que surgem durante uma obra. Através deles, estudamos e escolhemos a melhor forma de ajudar nossos clientes ao longo da construção do empreendimento”, salienta ele. Além do segmento da saúde, a Dollmens Engenharia também atua em Shopping Centers, prédios comerciais, residenciais e escritórios, faculdades e laboratórios, entre outros. Além da experiência de Maurício Duarte, a Dollmens contou, neste empreendimento, com a atuação do engenheiro Gilberto Maron. Dollmens Engenharia Marquês de Itu, 503 - Vila Buarque • São Paulo CEP: 01223-001 (11) 3333-7329

20


* Ricardo Ramires Lima ĂŠ advogado 21


especial|Hnsl

Hospital

Nossa Senhora de Lourdes NOVO CENTRO CIRÚRGICO DO HOSPITAL É UM DOS MAIS MODERNOS DO PAÍS. Inauguração marca o fim do plano de expansão iniciado em 2007

22


23


Especial|HNSL Recentemente, o Hospital Nossa Senhora de Lourdes cumpriu a última etapa do seu plano de expansão, iniciado em 2007. Em entrevista para a HealthCare Brazil, Nilton Angelo Lorandi, Presidente Executivo do Grupo Nossa Senhora de Lourdes fala sobre a conclusão do plano, depois de mais de quatro anos focado neste processo trabalhoso, porém visionário. Foram mais de quatro anos neste processo. Em quantas etapas o projeto foi dividido e o que foi feito em cada uma delas? A inauguração das novas instalações do Centro Cirúrgico é a última etapa do projeto de expansão do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, que teve início em 2007. A entrega da nova torre do hospital, em dezembro de 2008, marcou o final da primeira etapa. A segunda fase do projeto incluiu novas alas de apartamentos, o Centro Integrado de Oncologia (inaugurados no segundo semestre de 2010) e o novo Centro Cirúrgico. Em paralelo à expansão, entre 2007 a 2010, houve a sedimentação do processo de Governança Corporativa, que teve seu momento mais importante em outubro do ano passado, quando a família do médico fundador, Dr. Cícero Sinisgalli, deixou a direção do Grupo Nossa Senhora de Lourdes e foi substituída por executivos do mercado.

Hoje, quantos pacientes o hospital é capaz de atender entre consultas, internação, emergência, procedimentos, etc? Para facilitar a leitura e responder à pergunta, preparamos uma tabela com os números do movimento do Hospital Nossa senhora de Lourdes e Hospital da Criança. Movimento médio de clientes e público

2006

2010

2011

850

1200

1660

Pacientes - dia

4150

5100

6650

Acompanhantes

2250

3200

4150

Visitas internações

16500

20500

26500

Clientes pronto-socorro

17200

21000

22000

Clientes exames

16000

18000

19500

Consultas

13500

14500

14500

Internações

Que objetivos o hospital pretende alcançar com todos esses investimentos? Nosso objetivo é aumentar a rentabilidade das empresas do grupo, mas principalmente a de nossos dois Hospitais, o Nossa Senhora de Lourdes e o Hospital da Criança. Quanto foi investido? O valor total de investimento em obras, equipamentos e mobiliário, desde seu início em 2007, foi de 92 milhões. Do ano passado até o momento os investimentos totalizaram R$ 23 milhões, sendo R$ 16 milhões destinados à construção do novo Centro Cirúrgico. Dentro de todo o processo de ampliação, o que o senhor diria ser a grande conquista do hospital, seu maior diferencial diante do mercado? Sem dúvida nenhuma é a qualidade, tanto em equipamentos e estrutura quando em serviços. O Hospital Nossa Senhora de Lourdes conta hoje com um dos mais modernos centros cirúrgicos do Brasil, que pode ser equiparado aos melhores do mundo, além do alto padrão de seus apartamentos. 24

Nilton Angelo Lorandi, Presidente Executivo do Grupo Nossa Senhora de Lourdes


Especial|HNSL

Centro Cirúrgico de Ponta

E

m Fevereiro de 2011, o Hospital Nossa Senhora de Lourdes inaugurou seu novo Centro Cirúrgico, um dos mais modernos do país. Com instalações espaçosas para proporcionar maior conforto aos cirurgiões e equipe, o novo Centro Cirúrgico ocupa o terceiro e quarto andares do hospital, e teve investimento total de R$ 16 milhões, incluindo equipamentos e mobiliário. A inauguração marcou a etapa final do projeto de expansão do hospital. Com área construída de cerca de 1.800 metros quadrados, o novo espaço conta com 15 salas, sendo duas inteligentes, todas integradas a uma central de abastecimento cirúrgico (materiais cirúrgicos, medicamentos, instrumentais e equipamentos), e foi construído de acordo com projeto arquitetônico inédito, moderno e funcional. O departamento de engenharia clínica

26

encontra-se física e estrategicamente alocado dentro do Centro Cirúrgico, de forma a abastecer as necessidades cirúrgicas com equipamentos calibrados e revisados, disponibilizados através da central de abastecimento. O investimento total nas obras foi de R$ 16 milhões, incluindo equipamentos e mobiliário. As 15 salas, de cerca de 50 metros quadrados cada uma, foram equipadas com o que há de mais moderno e funcional para cirurgias de todos os tipos, mas especialmente para as de alta complexidade. Duas dessas salas são as chamadas inteligentes, totalmente informatizadas, que permitem aos médicos acesso a todos os dados e exames do paciente a qualquer momento. A tecnologia disponível, fornecida pela Stryker, possibilita comando de voz e realização de cirurgias por meio de teleconferências externas, inclusive internacionais. As salas inteligentes ainda são compostas por mo-


nitores de vídeo com resolução Full HD (a mesma dos vídeos blu-ray), câmeras para a realização de videoconferências, registro de imagens e áudio das cirurgias, dispositivos para transmissão de imagens, tais como laudo de exames (através da tecnologia PACS), entre outras novidades. Todas as salas também são supervisionadas por meio de uma central que monitora a situação de cada uma, através de câmeras instaladas para esse fim. “O projeto arquitetônico do nosso Centro Cirúrgico, feito pelo Dr. Domingos Fiorentini é excepcional em termos de funcionalidade e conforto”, afirma o Dr. Luis Augusto Sinisgalli, ex-diretor técnico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, atual membro do Conselho Consultivo do hospital e idealizador da obra. “Posso garantir que nosso padrão de qualidade equipara-se aos dos melhores centros cirúrgicos do Brasil e mesmo do exterior”, diz o Dr. Luis Augusto. De acordo com o cirurgião, as salas foram especialmente projetadas para realização de procedimentos de alta complexidade, até mesmo transplantes in-

ter vivos, mas podem ser utilizadas para qualquer tipo de cirurgia. Além disso, todos os equipamentos são suspensos, permitindo mobilidade total para os cirurgiões, assistentes, anestesistas e corpo de enfermagem. “Oferecemos o que há de melhor, em termos de infra-estrutura, para médicos e pacientes”, observa o Dr. Luis Augusto.

Conforto médico Uma ampla sala de estar com piso de tábua corrida, sofás e poltronas confortáveis, TV de plasma e decorada com bom gosto está à disposição do corpo clínico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes no quarto andar do prédio novo. Projeto do arquiteto Domingos Fiorentini, o novo conforto médico ocupa uma área de cerca de 300 m² e possui de dois vestiários (masculino e feminino) com armários, sanitários e duchas, sala de estar, dormitório de repouso dos plantonistas, além de uma pequena copa. O espaço reservado aos médicos também tem acesso direto ao novo Centro Cirúrgico. 27


Especial|HNSL

Central de abastecimento cirúrgico O fornecimento de suprimentos também é diferenciado, no novo Centro Cirúrgico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes. Medicamentos, instrumentos cirúrgicos, e materiais utilizados durante as cirurgias agora ficam armazenados em uma central de abastecimento localizada em um corredor central e interligada a todas as salas. Antes de cada procedimento, um carrinho especial é carregado com os instrumentos e materiais necessários para o procedimento e é levado para a sala cirúrgica. Se, durante a cirurgia houver necessidade de mais material ou medicamentos, o pedido é feito para os assistentes de farmácia, que ficam em estações de trabalho na própria central de suprimentos, e atendem os pedidos através de portas-guichê. “Esse sistema inovador de fornecimento de suprimentos evita que um técnico de enfermagem saia da sala cirúrgica apenas para buscar um medicamento e deixe o cirurgião com um auxiliar a menos”, observa o Dr. Domingos. “Isso também agiliza a entrega dos materiais”. De acordo com o arquiteto, o Hospital Nossa Senhora 28

de Lourdes é pioneiro no Brasil no uso de uma central de suprimentos desse tipo. O modelo do novo Centro Cirúrgico baseia-se nos melhores hospitais dos EUA e Canadá. O novo Centro Cirúrgico conta ainda com sala de Recuperação Pós-anestesia, dotada de 17 leitos. “Com o novo Centro Cirúrgico em pleno funcionamento iremos duplicar nossa capacidade de realização de procedimentos de alta complexidade”, afirma o Dr. Sinisgalli. “O espaço amplo, a arquitetura funcional e a tecnologia de ponta que utilizamos em nossas salas fazem do Centro Cirúrgico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes um dos melhores locais para operar no Brasil”, garante o Dr. Cícero.


SALAS INTELIGENTES PERMITEM CIRURGIAS POR VIDEOCONFERÊNCIA O projeto arquitetônico do novo Centro Cirúrgico do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, desenvolvido pelo médico e arquiteto Domingos Fiorentini, é inovador em muitos aspectos como a grande dimensão das salas, os corredores diferenciados para circulação de médicos e pacientes, e a central de materiais e medicamentos, que se interliga a todas as 15 salas e permite o suprimento rápido e adequado a todos os procedimentos. Mas o destaque maior são as salas inteligentes. Destinadas à realização das mais avançadas técnicas de cirurgias por videolaparoscopia, as salas inteligentes são totalmente informatizadas, o que

permite aos médicos acesso digital a todos os dados e exames do paciente a qualquer momento. A tecnologia disponível possibilita até mesmo a realização de cirurgias por meio de teleconferência internacional. As duas salas também apresentam ergonomia, integração e conectividade diferenciadas. Através dos monitores de plasma, com resolução Full HD, o cirurgião pode acompanhar diversos parâmetros importantes para o procedimento ao mesmo tempo, tais como exames diagnósticos, fluxo sanguíneo, condições anestésicas, além da imagem do local que está sendo operado. Os recursos eletrônicos permitem ainda ao cirurgião controlar, através de comando da voz, desde a iluminação, passando pela movimentação da mesa cirúrgica até o sistema de transmissão de videoconferência. O médico também pode fazer os ajustes necessários através de toques na tela. Outra vantagem é a integração dos equipamentos de vídeo com a internet, para que os procedimentos possam ser filmados e transmitidos a especialistas conectados ao sistema, em outros estados ou mesmo outros países, para troca de experiências por videoconferência. “Os recursos de última geração e o layout bem planejado reduzem o tempo da cirurgia, diminuem as chances de contaminação, deixam os pacientes menos expostos a riscos e melhoram os resultados cirúrgicos”, observa o Dr. Domingos. “Tudo foi projetado para criar o ambiente ideal para o trabalho do cirurgião, oferecendo as melhores condições de segurança e bem-estar para o paciente”, garante o arquiteto.

Destaques das salas inteligentes: • Câmera sobre a mesa cirúrgica que possibilita filmagem das cirurgias convencionais e transmissão em tempo real para outros locais, tais como congressos, cursos e videoconferências; • TrêsTelas de TV de plasma com resolução Full HD, com mobilidade de altura e giro de 360 graus, em cada sala; • Sala de suprimentos/farmácia integrada que facilita a reposição de materiais e medicamentos durante a cirurgia; • Som ambiente.

29


especial |Hnsl

Gebara Conde Sinisgalli Arquitetos

Duas décadas de serviços prestados ao HNSL

E

specializada no setor da saúde, no qual desenvolve projetos para clínicas, consultórios e interiores de hospitais, a Gebara Conde Sinisgalli arquitetos participou diretamente do projeto de interiores da expansão do Hospital Nossa Senhora de Lourdes - HNSL. Dessa forma, foi responsável pelos projetos de Interiores do Centro de Diagnóstico, Hospital da Criança e da ampliação do Hospital. Também respondeu pelas reformas internas já ocorridas nas unidades. Todos esses trabalhos estão solidificados na prestação de serviços de arquitetura de interiores que a Gebara Conde Sinisgalli arquitetos , com excelência e qualidade, vem realizando junto ao Grupo Nossa Senhora de Lourdes há mais de duas décadas. Segundo Patrícia Sinisgalli, arquiteta e sócia da Gebara Conde Sinisgalli arquitetos, a confiança que o Hospital deposita na empresa e que é comprovada por esses 20 anos de serviços, está na maneira única e personalizada com que atende cada projeto médico. “Fazemos uma pesquisa com a equipe médica, visando entender o estado emocional do usuário, para então promover o máximo de conforto e funcionalidade a cada projeto”, revela a arquiteta. Isso, tendo em vista que, um espaço bem projetado é um indicador de qualidade e tem potencial para estimular a cura através da redução do estresse e também tem impacto positivo sobre os funcionários, o que gera

mais produtividade, transmitindo sinais positivos aos pacientes. “Procuramos tornar o ambiente hospitalar o mais familiar e menos institucional possível. O que acaba em bons resultados físicos e emocionais para o paciente e econômicos para o hospital”, salienta Patrícia. “Dessa forma, em todos os nossos projetos de interiores não só junto ao Hospital Nossa Senhora de Lourdes, mas também em outras clínicas, consultórios e hospitais que atendemos, utilizamos o poder da cor, das formas, das texturas, dos sons, do tato e do paladar, gerando estímulos, que ajudam o organismo”, conclui a arquiteta. O projeto de interiores realizado para a ampliação do Hospital Nossa Senhora de Lourdes, rendeu à Gebara Conde Sinisgalli arquitetos o 1º lugar, categoria Interiores Saúde, do V Grande Prêmio de Arquitetura Corporativa de 2008. Bela Gebara, Gisele Conde e Patricia Sinisgalli Gebara Conde Sinisgalli Associados Tel/fax: 55 11 38427436 www.gcsa.com.br

30


31


especial |Santa paula

32


Hospital

Santa Paula Hospital acaba de dar início às obras do Centro de Oncologia, que concentrará todo o atendimento de pacientes com cancêr em um só lugar. Serão investidos cerca de 12 milhões de reais na construção do prédio, que será o único da zona sul da cidade de são paulo, tornando o santa paula referência em tratamentos oncológicos


especial |Santa paula

E

m maio deste ano, o Hospital Santa Paula iniciou as obras do Centro de Oncologia, que concentrará em um só lugar, o atendimento ao portador de câncer, tornando o Santa Paula, um centro de referência no tratamento oncológico na Zona Sul de São Paulo. Em entrevista para a HealthCare Brazil, George Schahin, Diretor Presidente do Hospital Santa Paula falou sobre os investimentos ocorridos no hospital nos últimos três anos e discorreu a respeito do Centro de Oncologia que está sendo construído.

Quais as obras e reformulações mais relevantes? As obras mais relevantes foram: No lugar onde era instalado o Day Hospital foi implantada uma UTI com doze leitos, cujo faturamento é nove vezes o faturamento do Day. Outra obra, no último andar do bloco A, onde eram instalados o faturamento e a contabilidade do Hospital e o andar não era servido por elevador, foi feito uma grande intervenção para instalar a UTI neurológica com nove leitos. Mais uma obra relevante foi a saída da Diretoria do 1º andar do Bloco B para a instalação do PET CT.

O Hospital Santa Paula nos últimos anos vem investindo pesado em reformas e reformulações do hospital, correto? Explique. Correto, o HSP realmente investiu em reformas e modernizações de suas instalações, o motivo é que o HSP possui um complexo de três edifícios interligados construídos respectivamente em 1974, 1993 e 2000. O nosso principal objetivo foi ter a mesma linguagem visual implementada nos três blocos de tal forma que as pessoas que circulam por dentro dos blocos vejam sempre o mesmo visual.

Quanto foi investido e de onde vieram os recursos? Todos os recursos foram geração de caixa do próprio Hospital. O total investido foi de R$ 11.000.000,00 nos últimos três anos.

34

Agora, o Hospital se empenha na construção do Centro de Oncologia, correto? As obras já começaram? Correto. O HSP tem como objetivo nesse momento, a construção do centro de oncologia, o projeto passou pela aprovação na SEHAB da PMSP, e os projetos de instalações já estão prontos. Fizemos as cotações de


35


especial |Santa paula

“dentro do planejamento estratégico do hospital, a oncologia será tratada como Centro, ou seja, composta de cirurgia oncológica, oncologia clínica com quimioterapia e radioterapia” construtoras para contratação e recentemente demos início às obras. Como será a estrutura física do Centro? Este edifício terá quatro subsolos, sendo três de garagens e um com dois bankers para instalação de acelerador linear para radioterapia. Terá também um térreo com pé direito triplo, dois andares de quimioterapia, um andar para conforto dos pacientes e acompanhantes e anfiteatro e dois andares de consultórios.

dos três prédios para que tenham a mesma identidade também externa. Qual o público-alvo do Santa Paula? Classe B, uma vez que o Hospital está inserido na vizinhança de Moema, Campo Belo, Vila Nova Conceição e Vila Olímpia e também temos instalações adequadas para atingir classe C oriunda de Santo Amaro, lembrando que a classe que mais cresce em nosso País é a classe C. Em que áreas médicas ele se diferencia dos demais hospitais? O HSP se diferencia nas seguintes especialidades: Oncologia, Neurocirurgia, Cirurgia Cardiovascular e Ortopedia. Atendemos também a maioria das especialidades de cirúrgicas. O HSP não possui maternidade nem pediatria. De quanto foi o faturamento no ano de 2010? R$ 160.000 mi.

Quanto está sendo investido em sua construção? Aproximadamente R$ 12 mi, sendo parte do recurso próprio e parte do BNDES. Será anexado ao prédio do Hospital ou em uma nova unidade? Será uma nova unidade em frente ao Hospital. Por que o hospital decidiu construir um centro de oncologia? Quais seus objetivos? Porque dentro do planejamento estratégico do hospital, a oncologia será tratada como Centro, ou seja, composta de cirurgia oncológica, oncologia clínica com quimioterapia e radioterapia. É da mais relevante importância objetivando atender a população cuja expectativa de vida está aumentando, consequentemente as patologias tumorais devem aumentar sua incidência, sendo que hoje, o câncer não é mais sinônimo de morte, tem tratamentos e por vezes chega-se à cura. Além do mais, na Zona Sul da cidade de São Paulo não existe nenhum centro oncológico conforme o que estamos implantando. Há, ainda, outros investimentos em andamento ou futuros projetos? Sim, com o mesmo objetivo de padronizar o interior do prédio estamos planejando refazer toda a fachada 36

George Schahin, Diretor Presidente do Hospital Santa Paula


37


especial |santa paula

Perspectiva da fachada do Centro de Oncologia do Hospital Santa Paula

Duarte Schahin Projeto de nível internacional Responsável pelo projeto arquitetônico do Centro de Oncologia do Hospital Santa Paula, a Duarte Schahin foi até os Estados Unidos buscar o que há de mais moderno para a construção do edifício 38

O

cupando importante posição na área de Arquitetura Hospitalar em São Paulo, estando entre os cinco melhores escritórios da cidade, a Duarte Schahin respondeu por todo o projeto arquitetônico do Centro de Oncologia do Hospital Santa Paula, que está sendo erguido na Zona Sul da capital paulista. Com mais de 25 anos de mercado e 560 mil metros quadrados de projetos construídos, a Duarte Schahin foi aos Estados Unidos pesquisar seus prin-


cipais Centros Oncológicos, em especial o MD Anderson, na cidade de Houston, a fim de absorver as melhores soluções a serem implantadas no Santa Paula. “Depois dessa pesquisa, nos reunimos com a equipe multiprofissional do Hospital que nos forneceu o programa de necessidades físicas do centro”, explica a arquiteta Celia Duarte Schahin, que comanda a Duarte Schahin. “Assim foi concebido o projeto e por fim foram envolvidos no trabalho os projetistas de instalações e luminotécnica, assim como a decoradora Solange Medina”. Dessa forma, dentro do projeto procurou-se atender a premissa básica determinada pelo Hospital Santa Paula, a qual priorizou que no mesmo edifício houvesse a integração dos três pilares do tratamento para o paciente oncológico, sendo elas a quimioterapia, a radioterapia (acelerador linear com IMRT) e consultórios para cirurgia oncológica e oncologia clínica. De acordo com Celia, o projeto ainda inclui um andar dedicado a um Centro de Convivência para pa-

cientes, familiares e voluntários e também um espaço para reuniões clínicas, treinamentos e pesquisa. Além disso, o centro funcionará de acordo com preocupações sustentáveis. Terá, assim, sistema de reuso de água, luminárias com baixo consumo e alta durabilidade, sistemas de fluxo para coleta e separação de resíduos para reciclagem e utilização de materiais de acabamentos e mobiliário certificados. “Além de tudo isso, vemos que a grande importância deste projeto é que o edifício que esta sendo erguido será voltado ao atendimento dos pacientes oncológicos moradores da Zona Sul de São Paulo, onde não existe, ainda, nenhum centro de oncologia completo como este será”, revela a arquiteta. E para fazer com que o atendimento dentro do hospital ganhe qualidade, a Duarte Schahin procura em todos os seus projetos para a saúde, projetar edifícios que causem diferentes sensações às pessoas que irão frequentá-lo. Dessa forma, para pacientes e acompanhantes, os ambientes hospitalares projetados ajudam a reduzir o nível de estresse. Já para a equipe de profissionais de saúde, esse ambiente auxilia e simplifica o dia-a-dia de trabalho. “Uma característica que norteia a Duarte Schahin é o conhecimento total dos fluxos dentro de uma instituição hospitalar. No momento em que entendo como ele funciona, quando, por exemplo, é feito o abastecimento em roupa limpa, quando é retirada a roupa suja, ou por qual elevador sobe a comida, eu sei qual a solução para aquele projeto e até sugiro uma mudança de processo. Às vezes, o ajuste de um só processo possibilita um desempenho melhor para toda a equipe”, conclui Celia.

A arquiteta Celia Duarte Schahin 39


especial |s.o.s cárdio

S.O.S Cárdio em novas instalações O hospital especializado em cardiologia, S.O.S Cárdio, localizado na região norte da cidade de FlorianópolisSC, abre as portas de suas novas instalações. com o novo prédio atendimento emergencial e de internação deve ser dobrado

E

m 10 mil metros quadrados de área construída, o S.O.S Cárdio apresenta sua nova estrutura, cuja construção teve início no ano de 2007. O edifício de seis andares, conta com 75 leitos, 13 leitos de UTI, quatro salas cirúrgicas e heliponto, além de equipamentos de última geração, como o ecocardiógrafo tridimensional – o único em Florianópolis. Os investimentos na construção do novo prédio do S.O.S Cárdio, cujo foco é a alta complexidade, realizando procedimentos de cardiologia e cirurgia vascular, chegaram aos 60 milhões de reais, incluindo o terreno, o prédio, equipamentos e contratações. Com as instalações próprias, o S.O.S Cárdio terá uma economia anual de 420 mil reais, que eram consumidos com o aluguel do antigo prédio. A viabilização da obra de construção da sede própria da S.O.S Cárdio só foi possível porque os 18 empresários que formam a sociedade definiram pela entrada de quatro novos médicos, que possuem agora 50% do empreendimento. Dessa maneira, a configuração acionária da empresa fica praticamente nas mãos de cinco empresários, tendo em vista que além da entrada desses quatro novos investidores, outro

40

médico aumentou sua presença na sociedade e passou a deter cerca de 30% das ações. Os demais 20% serão distribuídos entre 17 cardiologistas. No novo prédio, a estimativa é que os atendimentos dobrem de volume e alcancem cerca de três mil pacientes por mês, incluindo emergência e internação. Para isso, o aprimoramento da qualidade dos serviços prestados, seguido de hotelaria de primeira estão entre as ações mais significativas do S.O.S Cárdio. Além do mais, com a nova estrutura, o quadro de colaboradores também está sendo ampliado. Dos atuais 220 funcionários, o hospital deve contratar mais 150 pessoas.

Estrutura Física No andar térreo do prédio, ficará todo o atendimento de emergência. Já no primeiro andar estão localizadas as quatro salas de centro cirúrgico, 13 leitos de UTI, que podem ser ampliados para 18, além da hemodinâmica. No mesanino, o hospital disponibiliza salas de exame e laboratório. O segundo andar e átrio abrigam a área de internação com enfermarias, de dois ou três leitos, apartamentos e suítes, com direito a cozinha e quarto conjugado para acompanhante. Alguns quartos ainda têm vista privilegiada para o mar. O novo prédio fica na SC-401, caminho para as praias do Norte de Florianópolis.

Sobre o S.O.S. Cárdio Dispondo hoje de uma equipe de 30 cardiologistas fixos, o S.O.S. Cárdio foi idealizado por um grupo de médicos, com o propósito de oferecer à comunidade um serviço de emergência em cardiologia. Para a concretização deste ideal, foi organizada, há mais de 15 anos, uma sociedade entre doze cardiologistas, que uniram esforços para a operacionalização da nova estrutura hospitalar.


41


especial |hOSPITAL DO oLHO de Assis

Hospital do Olho de Assis

Estrutura preparada para o futuro Projeto Arquitetônico da C+A Arquitetura e Interiores possibilita que o Hospital acompanhe a evolução tecnológica da oftalmologia pelos próximos 30 anos

42

I

naugurado em 2008 na cidade de Assis-SP e idealizado pelo empresário Paulo de Rezende Barbosa e pelo médico Hamilton Leite, o Hospital do Olho foi projetado para acompanhar, nos próximos 30 anos, toda a evolução tecnológica no campo da oftalmologia. Isso porque, a especialidade, cada vez mais, concentra uma série de procedimentos cirúrgicos rápidos em evolução permanente, que tendem a afastar os pacientes dos grandes hospitais, levando-os às clínicas especializadas. Todo o processo que resultou na estrutura moderna e passível de expansão foi fruto do trabalho da C+A


Arquitetura e Interiores, escritório que há mais de dez anos vem se aprimorando quando o assunto é arquitetura hospitalar. A empresa foi responsável por todo o projeto de arquitetura, acompanhamento das obras e ambientação de interiores do Hospital, que tem uma área total construída de quase três mil metros quadrados, das quais 50% foi utilizada desde a inauguração do espaço, ficando o restante preparada para receber as novidades da oftalmologia. De acordo com as arquitetas Ana Paula Naffah Perez e Ana Carolina M. Tabach, à frente da equipe C+A, deixar espaço para expandir não significa que essa expansão será facilitada. É preciso planejar. Isso é feito através de um estudo de ocupação máxima do terreno. “Dentro dessa ocupação, determina-se a primeira etapa da construção, que pode ser metade ou um terço, e assim por diante”, explana Ana Carolina. Segundo elas, todo o projeto foi realizado bem próximo do cliente, seguindo todas as suas solicitações, principalmente quanto à ambientação do interior da clínica. “Assim, primeiro estudamos a viabilidade do local, depois realizamos uma programação do espaço físico, calculando a quantidade de salas necessárias, para então cuidar da estética da obra”, explica a arquiteta Ana Paula. “Além do mais, não podemos esquecer que adequamos todo o projeto à realidade em que se encontra a oftalmologia hoje, quando as clínicas estão tendo que

As arquitetas Ana Carolina M. Tabach e Ana Paula Naffah Perez, da C+A Arquitetura e Interiores transformar seu espaço em um hospital-dia para atender a demanda. “Assim, consideramos vários aspectos como tamanho mínimo e iluminação de cada consultório, planejamento amplo das salas de espera que recebem pacientes com visão limitada, além também de termos a preocupação com o corpo clínico e demais funcionários que precisam de um ambiente de trabalho confortável”, acrescenta a arquiteta Ana Carolina. C+A Arquitetura e Interiores www.caarquitetura.com.br / (11) 3085.2814

43


especial|moinhos de vento

Hospital Moinhos de Vento apresenta novo complexo de saúde O projeto composto de hospital, escola e acompanhamento junto à comunidade para estimular a prevenção da saúde, vai funcionar pelo SUS em parceria com o Ministério da Saúde e engloba critérios de sustentabilidade. A obra deverá estar concluída até 2013, beneficiando mais de 100 mil pessoas da Região

44


ÁREAS DE ATUAÇÃO Ø Projeto e acompanhamento

de Fundações

O

Hospital Moinhos de Vento, juntamente com o ministro da Saúde, José Gomes Temporão, e com a participação da Prefeitura Municipal de Porto Alegre, apresentou em março, o Projeto Social Restinga e Extremo Sul. Trata-se da construção de uma rede de atenção à saúde, com um hospital geral de média complexidade. O terreno na Restinga possui 40 mil metros quadrados. Nessa área será construído o hospital, com 18 mil metros quadrados e que deverá oferecer ao todo 135 leitos pelo SUS, devendo atender os bairros Restinga, Lajeado, Lami, Belém Novo, Ponta Grossa e Chapéu do Sol onde vivem mais de 100 mil habitantes. As obras já foram iniciadas sob o comando da MPD Engenharia. Em fevereiro foi feito o isolamento da área para a implantação do canteiro de obras. E o modelo de construção hospitalar poderá ser acompanhado de perto pela comunidade e por estudantes que tenham interesse. O Hospital deverá estar concluído em dois anos, tendo um investimento total de R$ 68 milhões. O novo hospital inicialmente terá 90 leitos com enfermaria para adultos nas áreas de clínica médica e cirúrgica. Haverá enfermaria pediátrica, além de alojamento conjunto obstétrico e neonatal e centro obstétrico com capacidade cirúrgica, salas de reanimação e estabilização e para procedimentos (curativos, inalações e injetáveis). Integram ainda a estrutura um centro de especialidades com núcleos voltados à saúde da mulher, materno e infanto-juvenil; cirurgias especializadas; medicina interna; odontologia; saúde mental e reabilitação. Também um centro de diagnósticos com serviços de tomografia, radiodiagnóstico, mamografia, ecografia,

Ø Muros de Arrimo e Contenções

Ø Projetos

de Escavações e Terraplanagem

Ø Projetos de Pavimentação

Ø Laudos e Perícias

Ø Controle

Tecnológico de Terraplanagem

Rua Professor Duplan, 55 Porto Alegre - RS • 90420-030 Telefone: 51 3013.8855 Celular: 51 9134.4857 www.mlfgeotecnia.com.br marciano@mlfgeotecnia.com.br 45


especial |mOINHOS DE VENTO

“dentro do planejamento estratégico do hospital, a oncologia será tratada como Centro, ou seja, composta de cirurgia oncológica, oncologia clínica com quimioterapia e radioterapia” laboratório de análises clínicas, eletrocardiografia comum e de esforço, endoscopia digestiva e eletroencefalografia. Uma unidade de Atenção às Urgências e Emergências composta por Pronto-Atendimento que já atua desde 2004 será transferida para a nova estrutura e contará também com atenção em traumato-ortopedia. Além disso, a estrutura ainda abrigará uma Escola de Gestão em Saúde para o desenvolvimento e fortalecimento das políticas do SUS, e para a geração de conhecimento e educação. Além da estrutura do complexo hospitalar haverá também a implementação de seis novas equipes da estratégia saúde da família que estarão integradas às unidades já existentes no território. De acordo com o superintendente executivo do Hospital Moinhos de Vento, João Polanczyk, o prédio será modulado, o que facilita sua ampliação, de acordo com as necessidades. O investimento do Hospital Moinhos de Vento vai criar mais de 250 empregos prioritariamente para moradores do local. O complexo de saúde foi dimensionado para ser abrangente e abrigar a assistência em todas as faixas etárias de uma população que é carente em serviços de prevenção e atendimento à saúde. Vai atender ainda uma demanda histórica por serviços de saúde com foco na redução da mortalidade e no adequado tratamento de enfermidades voltados à promoção da melhoria da qualidade de vida. Segundo Polanczyk, o projeto Restinga e Extremo Sul que está entre os maiores projetos sociais em curso no Brasil, é abrangente porque vai atender cerca de 10% da população de Porto Alegre, gerar empregos e capacitar mão-de-obra. O projeto é resultado de uma das seis parcerias estratégicas que o Ministério da Saúde está promovendo 46

com hospitais de excelência. “O Hospital Moinhos de Vento é o único hospital fora de São Paulo a compor o Sistema Regional Integrado de Atenção à Saúde”, afirma.

Sustentabilidade O projeto foi concebido com o conceito de sustentabilidade. Além de todo empenho em qualificar os serviços, o projeto arquitetônico incorpora conceitos preconizados pelos organismos internacionais de certificação de prédios ambientalmente sustentáveis. O projeto prevê menor consumo energético, aproveitamento de águas, conforto térmico com uso de vegetação, telhado, brises e paisagismo integrado. O processo de construção também será realizado com menos geração de resíduos e participação intensa da mão-de-obra local e maior uso de materiais produzidos na região.

Saiba mais O Hospital Moinhos de Vento assinou em 17 de novembr de 2008 com o Ministério da Saúde, em São Paulo, o convênio que atende a nova legislação sobre os hospitais filantrópicos de excelência. Além do novo projeto na Restinga e Extremo Sul, o Hospital desenvolve outros quatro projetos sociais: Unidade Morro da Cruz, Unidade Ilha da Pintada, Unidade Ilha Grande dos Marinheiros e Núcleo Mama Porto Alegre. Em janeiro de 2010 iniciaram as primeiras turmas para os cursos técnicos em enfermagem, saúde bucal e auxiliar em saúde bucal. São 60 alunos que residem na Restinga e Extremo Sul que, após a conclusão, integrarão o banco de profissionais que poderão ser chamados para trabalhar no complexo de saúde.


47


especial|moinhos de vento

MLF Consultoria Geotécnica

Preparando o solo para a construção Prestadora de assistência técnica para a construção civil através de consultoria, laudos e pareceres na área de engenharia geotécnica, a MLF consultoria Geotécnica participou da elaboração do projeto de terraplanagem e posteriormente da fiscalização dos trabalhos de terraplenagem das obras de construção do Hospital Restinga e Extremo Sul

A

través da experiência de mais de 15 anos na área da geotecnia do engenheiro civil Marciano Lang Fraga, a MLF Consultoria Geotécnica trabalhou, durante a fase de planejamento da construção do Hospital Restinga e Extremo Sul, bem próximo à equipe de engenheiros do Hospital Moinhos de Vento – mantenedor do novo empreendimento, com o objetivo de definir estratégias de otimização de recursos. “Neste empreendimento em específico havia a ocorrência de solos moles (argilas orgânicas) em boa parte da área. Como esse é um material de baixa capacidade de suporte, o prédio e seu estacionamento estavam sujeitos ao fenômeno de recalque”, explica o engenheiro Fraga. “Estudamos várias alternativas técnicas para solucionar o problema levando em conta, sempre a questão de custo e a questão ambiental, optando-se por adotar a solução de remoção e substituição do solo mole por solo trazido de outras regiões”, acrescenta. Além disso, durante a fase das obras de terraplenagem, a MLF fiscalizou os trabalhos de escavação e de aterro, através da instalação de um laboratório de 48

solos no canteiro de obras, tendo permanentemente um laboratorista qualificado supervisionado por um engenheiro civil especialista na área geotécnica. De acordo com Fraga, é sempre muito gratificante participar de projetos para a área de saúde, pois mesmo que indiretamente milhares de cidadãos serão beneficiados. “Assim, a qualidade do trabalho desenvolvido é de extrema importância”, destaca o engenheiro. Sobre a MLF Consultoria Geotécnica - Desde 2008, a MLF se dedica a auxiliar empresas e cliente da construção civil, principalmente residencial, comercial e industrial, tratando dos problemas relativos ao solo, tais como fundações, escavações, contenções, terraplenagem e pavimentação. Tem a missão de cooperar para que as obras civis tenham a qualidade e o desempenho que permitam o bom funcionamento dos prédios e demais instalações civis. Também tem a responsabilidade de colaborar para que os prédios sejam seguros do ponto de vista da engenharia, reduzindo custos de manutenção, pois um bom projeto previne diversos problemas e patologias.


MPD Engenharia

Construindo a Saúde com Sustentabilidade Contratada para executar as obras do Hospital Restinga e Extremo Sul, na cidade de Porto Alegre, a MPD Engenharia atua no mercado da construção civil há quase 30 anos. Realizar obras preocupadas com a sustentabilidade está entre seus principais valores

U

tilizando-se de tecnologia de ponta, a MPD Engenharia atua nos mais diversos segmentos de mercado, tendo no portfólio mais de 1,3 milhão de metros quadrados de áreas construídas e atuação em projetos de alto padrão. Na área da saúde, atualmente, a empresa é responsável pela construção do Hospital Restinga e Extremo Sul, da Associação Hospital Moinhos de Vento, em Porto Alegre, para onde uma equipe bastante experiente foi deslocada e já iniciou as obras das fundações do complexo hospitalar. Além disso, entre as obras mais recentes estão as realizadas no Hospital e Maternidade Santa Helena e na FURP – Fundação para o Remédio Popular. Também está em andamento a construção do Complexo Hospitalar Candido de Moura Campos, em Botucatu-SP. Uma das grandes preocupações da MPD Engenharia, diz respeito à sustentabilidade. “Em 2009, adotamos na construtora a capacidade de planejar e prever os impactos que podem ser provocados antes, durante e depois da construção. Assim, por conceito, as obras são projetadas, construídas e operadas visando a melhoria das performances ambiental e econômica, da saúde ocupacional e da produtividade dos ocupantes”, revela o vicepresidente técnico da MPD, Milton Corrêa Meyer Filho. Dessa forma, a empresa possui o “Guia MPD de

Práticas Sustentáveis”, com suas principais ações voltadas ao meio ambiente. Entre elas estão a criação de processos para o diagnóstico sustentável dos projetos em construção; aproveitamento da estrutura de canteiros de anteriores para novas obras; melhor acondicionamento dos insumos nas obras; redução da utilização de madeira nos canteiros de obras; otimização do uso de água; criação de depósito de materiais para reciclagem; gestão dos resíduos sólidos e líquidos; cuidados especiais com drenagem e erosão e reaproveitamento da capa vegetal para uso no paisagismo. Por essas iniciativas, a MPD Engenharia recebeu o Prêmio ITCnet Sustenta X, que premia as construtoras que mais metros quadrados construíram dentro dos padrões de sustentabilidade. “Um prêmio como esse é de fundamental importância para o setor e para a nossa empresa, num país que ainda está no início dessa evolução. O desafio é disseminar o processo integrado de arquitetura e design, formar profissionais qualificados, além de mostrar o futuro irreversível das construções sustentáveis”, salienta Milton. Uma outra preocupação da construtora está na esfera social, através de programas como o de alfabetização nos canteiros de obras, o ‘Qualificação de mão-de-obra’ e o projeto ‘Educação para o Desenvolvimento Sustentável, voltado para os trabalhadores dos canteiros de obras. 49


ESPECIAL|GRUPO VITA

Hospitais VITA Referência para todo o Brasil

C

om a missão de ser reconhecida internacionalmente por utilizar as melhores práticas e através da melhoria continua alcançar a excelência na qualidade dos serviços prestados aos clientes, o Grupo VITA é a primeira rede de instituições privadas no Brasil não pertencente a fontes pagadoras (Planos de Saúde), formada principalmente por Hospitais gerais e de especialidade. Fazem parte do Grupo, que tem como visão ser a rede de serviços de saúde mais confiável e da mais alta qualidade internacional, os hospitais VITA Curitiba, VITA Batel, VITA Volta Redonda e a Maternidade VITA Volta Redonda. Com qualidade e eficiência nos serviços

50

prestados, seus projetos e iniciativas obtêm reconhecimento nacional. Um exemplo de pioneirismo está na aquisição recente, por parte do Hospital VITA Curitiba, do Ultrassom “Intravascular ILab”, aparelho de última geração para tratamento cardiológico, inédito no Paraná e que será utilizado para atender pacientes cardiopatas, no serviço de hemodinâmica. A finalidade do Ultrassom é a de diagnosticar o diâmetro exato do calibre a artéria coronariana lesionada, na qual o “stent” (prótese para dilatação de artérias) deve ser aplicado. Fabricado nos Estados Unidos, é o modelo mais moderno que há no mercado atualmente. No Brasil, existem cerca de cinco aparelhos com essa tecnolo-


51


especial|Grupo vita gia, um deles no hospital Albert Einstein, em São Paulo. A aplicação é feita por meio de uma pequena punção, na qual é introduzido um cateter com ultrassom na ponta, via femural (perna) ou radial (braço), e varia de acordo com orientação médica. Após a intervenção, que dura entre 30 e 40 minutos, o paciente permanece em observação por um período de quatro a seis horas, podendo ir para casa ou permanecer internado, dependendo do caso. O procedimento do “stent” coronário é uma consequência dos procedimentos de angioplastia e cateterismo. Além disso o Hospital VITA Curitiba é referência em cirurgia de videoartroscopia de quadril no Estado do Paraná, um procedimento relativamente novo quando comparado às demais técnicas cirúrgicas por vídeo. Em 2010 foram realizadas, no Hospital VITA Curitiba, mais de 40 videoartroscopias de quadril, o que faz do hospital um centro de referência no Estado do Paraná, com o maior número de casos operados em todo estado.

O Hospital VITA Curitiba O VITA Curitiba é considerado um dos conjuntos hospitalares de maior qualidade no País e o mais importante do Estado do Paraná, caracterizado pelo atendimento de alta complexidade em cirurgia geral, terapia intensiva, cardiologia, neurologia, ortopedia e pediatria. O Centro Cirúrgico é formado por sete salas. O Hospital conta com 152 leitos no total, sendo 110 apartamentos, 10 leitos de UTI Pediátrica, oito leitos de UTI Cardiológica e 24 de UTI Geral. As UTI’s atendem aos padrões internacionais de qualidade e atendimento. São equipamentos de última geração, infraestrutura e atendimento voltados à humanização hospitalar, e uma equipe formada por diversos profissionais de saúde – médicos especialistas, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas. Já, a unidade de atendimento emergencial do Hospital VITA Curitiba está 24 horas preparada para o pronto atendimento de seus pacientes em clínica e cirurgia geral, cardiologia, neurologia, ortopedia e pediatria. Possui sete consultórios, sala de triagem, sala de emergência, 13 salas de repouso e observação, sala de sutura e pequenas cirurgias, sala de gesso, posto de coleta de exames, farmácia e dois postos administrativos. Além disso, o Centro de Diagnósticos tem uma média de nove mil atendimentos por mês em mais de 16 tipos de exames. 52

Outras Unidades Hospital VITA Batel: é um hospital de atendimento geral, de média e alta complexidade, com foco em traumo-ortopedia, neurocirurgia, cardiologia, cirurgia geral e terapia intensiva. Localizado no bairro Batel em Curitiba, o VITA Batel conta com uma estrutura de cinco andares e 88 leitos, sendo 66 apartamentos, 11 leitos de UTI Geral e 11 de UTI Cardiológica. O Centro Cirúrgico possui seis salas e a unidade de atendimento emergencial está 24 horas preparada para o pronto atendimento de seus pacientes em clínica médica, cardiologia e ortopedia. Já o Centro de Diagnósticos tem uma média de quatro mil atendimentos em mais de 16 tipos de exames. As UTI’s do Hospital VITA Batel atendem aos padrões internacionais de qualidade e atendimento. São equipamentos de última geração, infraestrutura e atendimento voltados à humanização hospitalar e uma equipe formada por diversos profissionais de saúde – médicos especialistas, enfermeiros, fisioterapeutas, psicólogos e nutricionistas. Maternidade VITA Volta Redonda: é destaque por seu atendimento qualificado, humanizado e um corpo clínico de alto nível. Sua moderna infraestrutura, instalada em uma área de 2200 m², possui a Unidade de Terapia Intensiva, a qual reúne recursos tecnológicos de última geração e toda uma equipe multiprofissional de médicos, enfermeiros, nutricionistas, fisioterapeutas, fonoaudiólogos e psicólogos. A Maternidade VITA conta com uma estrutura denominada Núcleo de Gestão e Segurança Assistencial voltada para a qualidade assistencial e segurança de seus pacientes. Possui 36 leitos, sendo 23 apartamentos e 13 leitos de UTI adulto. Além disso, a UTI Neonatal é especializada no cuidado aos recém-nascidos. Possui uma equipe multidisciplinar altamente qualificada e recursos tecnológicos avançados para a monitoração contínua dos bebês sob cuidados especializados. Hospital VITA Volta Redonda: é um hospital de atendimento geral, considerado a principal referência hospitalar do sul fluminense. Conta com uma estrutura denominada Núcleo de Gestão e Segurança Assistencial, voltada para a qualidade assistencial e segurança de seus pacientes. Oferece 104 leitos, sendo 76 apartamentos e 28 leitos de UTI adulto. O Centro Cirúrgico tem seis salas, sendo atendida no pronto-socorro, uma média de sete mil pessoas em mais de 12 tipos de exames. As UTI’s atendem aos padrões internacionais de qualidade e atendimento.


53


especial|grupo vita

Arquitetura de Performance como diferencial na Cadeia de Produção de Serviços

A

mento de projetos arquitetônicos com olhar sensível à alta demanda de hospitais retrofisustentabilidade com um viés educativo. Além disso, a tados por cadeias de operações inTS Arquitetura desenvolveu uma expertise na configuternacionais tem proporcionado a ração de empresas hospitalares em forma de redes entrada de capital estrangeiro na “já de atendimento, desenvolvida pela necessidade de se aquecida” economia brasileira. No criar uma identidade coorporativa, em que os padrões Brasil, os projetos de aquisição e fude qualidade da rede são notados pelo paciente antes são no setor de saúde têm ocorrido de forma intenmesmo de entrar na unidade. Esse ponto se fundasa, tanto na medicina diagnóstica como nas redes menta na medida em que a expansão das redes ocorre de hospitais. Para o renomado economista ameripor meio da aquisição de operações existentes. cano Robert Fogel, Prêmio Nobel em 1993 e direEntre vários cases de sucesso da TS, destacam-se tor do Centro de Economia Populacional da Univeros projetos de reforma e amsidade de Chicago, o setor da saúde será o maior im- “Entre vários cases de sucesso pliação dos hospitais do Grupulsionador da economia no da TS, destacam-se os projetos po VITA em Curitiba (PR) e Volta Redonda (RJ), o retrofit Século XXI, pois a demanda de reforma e ampliação dos do VITA Medicina Diagnóstica de serviços nessa área está seguindo claramente uma hospitais do Grupo VITA em Curi- em Florianópolis (SC), e mais recentemente o projeto VITA linha ascendente. Com o tiba (PR) e Volta Redonda (RJ)” Medical Center – também em objetivo de atender a essa Curitiba. O escritório também demanda, quatro profissiocoordenou a revitalização da Passarela Eusébio Manais com ampla experiência nas áreas de arquitetoso, na capital paulista e a construção do primeiro tura hospitalar, ARQUITETURA DE PERFORMANCE, McDonald’s sustentável do Brasil, em Bertioga, litoral sustentabilidade, gestão de operações e marketing paulista. Há três anos o arquiteto Frank Siciliano funde serviços, se uniram com o objetivo de oferecer dou o CRIS (Centro de Referência e Integração em Susplanos estratégicos e físicos de arquitetura hospitatentabilidade), uma importantíssima rede de parceiros lar que atendam a esse nicho de mercado. nacionais e internacionais, com o intuito de trocar inExecutiva em Gestão de Operações e Marketing formações e obter as melhores práticas sustentáveis. de Serviços, com forte atuação em rede de hospitais O Centro possui mais de 500 membros entre grandes como CEO e Consultora Sênior nos últimos 15 anos, empresas e pequenos fornecedores, participa de enprofessora convidada da Fundação Instituto de Admicontros e grandes feiras em todo mundo. nistração (FIA) e MBA em Marketing de Serviços (na Já o arquiteto Rodrigo de Mello, especialista em área de saúde), Maria Lucia Ramalho Martins conhepesquisa e projetos de arquitetura para instituições ceu os arquitetos Marcelo Todescan e Frank Siciliano, hospitalares, trouxe para a parceria uma vasta expeproprietários do escritório TS Arquitetura, no período riência adquirida em mais de 6 anos de atuação na em que foi Diretora de Operações e gestora da Rede Austrália, país reconhecido por desenvolver iniciatide Negócios e Serviços do Grupo VITA. Formados pela vas de sucesso na área de construção e operação de Universidade Mackenzie na década de 80, os arquitehospitais. Dentre as várias tendências internacionais tos Todescan e Siciliano são pioneiros no desenvolvi54


“O grande diferencial dessa parceria, segundo seus idealizadores, será a possibilidade de desenvolver projetos estruturados com a excelência em ARQUITETURA DE PERFORMANCE, autossustentáveis e que apresentem novas práticas integradas de espaços” visão de arquitetura e gestão hospitalar transforma o paciente em um “agente” que contribui e participa de sua própria recuperação, interagindo com o ambiente hospitalar, adaptado às suas necessidades e perfil de consumo. É fato que tais práticas qualificam e encurtam a recuperação dos pacientes, gerando resultados de alto valor agregado aos clientes, acionistas, parceiros, fornecedores, comunidade médica e colaboradores, em seus respectivos atributos de cadeia de produção de serviços. TS Arquitetura www.tsarq.com

Arthur Calazans

que foram absorvidas durante estes anos, ele destaca algumas soluções para os principais problemas encontrados. São tendências de comprovada eficácia na construção e operacionalização de hospitais, como por exemplo, a alteração dos espaços dedicados aos pacientes, com mais acesso à iluminação e ventilação naturais, valorizando a privacidade e também com mais espaço disponível nos leitos para que se garanta a presença e conforto dos familiares. Com relação à valorização dos recursos humanos em instituições hospitalares, ele destaca a importância de se enxergar médicos, enfermeiros e prestadores de serviços como “usuários permanentes” dos espaços, merecedores dos mesmos padrões e condições de conforto dedicado aos pacientes. O grande diferencial dessa parceria, segundo seus idealizadores, será a possibilidade de desenvolver projetos estruturados com a excelência em ARQUITETURA DE PERFORMANCE, autossustentáveis e que apresentem novas práticas integradas de espaços que resultem em economia de área e colaboradores com ganho de eficiência e sem perda de qualidade. Eles ressaltam a importância de se aplicar conceitos modernos de alto valor agregado para os conceitos de eficiência e de acolhimento, que reproduzam o conceito saúde, e não de tratamento de doentes. Essa

Frank Siciliano, Maria Lucia Ramalho, Rodrigo de Mello e Marcelo Todescan 55


Pesquisa

Vacina contra gripe suína Reumatologia do HC atesta segurança da vacina contra a gripe Suína em pacientes com doenças reumáticas autoimunes

E

studo realizado pelo Serviço de Reumatologia do Hospital das Clínicas, da Faculdade de Medicina da USP, em colaboração com a Unidade de Reumatologia Pediátrica do Instituto da Criança, Divisão de Moléstias Infecciosas, Instituto Adolfo Lutz e Instituto Butantan, revela que pacientes imunossuprimidos com doenças reumáticas autoimunes podem ser vacinados contra a influenza H1N1, sem prejuízos a saúde. O estudo avaliou a eficácia e a segurança da vacina contra o vírus H1N1 A em 1.668 pacientes, em tratamento no Instituto Central do Hospital das Clínicas, no período de 2009 e acaba de ser publicado na Revista ANNALS OF RHEUMATIC DISEASES, de maior impacto da área reumatologia. Participaram da pesquisa pacientes com diagnósticos de artrite reumatóide, espondiloartrites, lúpus eritematoso sistêmico, dermatomiosite, polimiosite, doença mista do tecido conectivo, vasculites sistêmicas, esclerose sistêmica, síndrome de Sjögren, síndrome 56

antifosfolípide primária, seguidos no Ambulatório do Serviço de Reumatologia do HC-FMUSP. Os pacientes foram avaliados quanto à presença de efeitos colaterais antes e 21 dias após a vacinação para dados clínicos e laboratoriais de atividade de doença. Para grupo-controle foram recrutados 234 adultos saudáveis. Todos foram vacinados contra o vírus H1N1 A em 2009. Foram colhidas amostras de sangue para dosagem dos níveis de anticorpos para o vírus H1N1 A por teste de inibição de hemaglutinação e para análise de autoanticorpos antes e 21 dias após a vacinação. Segundo a professora Eloisa Bonfá, titular da Disciplina de Reumatologia do HC, a eficiência da resposta imunológica a vacina dos pacientes foi reduzida em apenas três (Lúpus, Artrite Reumatóide e Artrite Psoriásica), das 13 doenças avaliadas. Não foram relatados efeitos colaterais moderados e graves ou reativação das doenças, reforçando a segurança da vacina em pacientes com doenças autoimunes reumatológicas.


57


arquitetura hospitalar|UNIMED

Atuação de peso junto à Unimed Piracicaba Responsáveis pelo projeto de construção do Hospital Unimed Piracicaba, as empresas Borelli & Merigo e Calder Arquitetura levam excelência ao promissor mercado brasileiro da saúde

O

cupando uma área de 22.000,00 m², o Hospital Unimed Piracicaba foi projetado para aliar tecnologia e humanização, proporcionando bem-estar, conforto e segurança aos seus clientes. Com 202 leitos e 13 salas cirúrgicas, as empresas responsáveis pelo projeto arquitetônico, desde o estudo de viabilidade até o acompanhamento da obra foram os escritórios Borelli & Merigo e Calder Arquitetura, está última atuando como co-autora de

58

todo o projeto. Dessa forma, de acordo com o arquiteto José Borelli Neto, diretor da Borelli & Merigo, as empresas atuaram junto à Unimed em todas as fases do projeto, que englobaram viabilidade econômico-financeira, programa de viabilidade de local, projeto completo de arquitetura, coordenação geral dos projetos complementares, participação na licitação e gerenciamento da obra até a sua entrega. As experientes Borelli & Merigo e Calder Arquite-


tura trabalham em parceria desde 1984 quando participaram da estruturação do Plano Metropolitano de Saúde, na região metropolitana de São Paulo, e que foi financiado pelo Banco Mundial. “Esta experiência, assim como muitas outras, como o planejamento, estruturação e projetos para 70 unidades de hemodiálise para o Grupo Baxter, moldaram nossa metodologia de trabalho junto ao setor, o que nos ajuda em outros trabalhos na área”, revela Douglas Malcolm Calder, diretor da Calder. Diante da Unimed Piracicaba, todo o processo da construção do hospital começou quando a Borelli & Merigo foi convidada para participar do processo de escolha do projetista para a elaboração do novo hospital, que por sua vez, convidou a Calder para ser co-autora. “Fomos escolhidos entre quatro escritórios, depois de elaborar um minucioso estudo preliminar de arquitetura, que exprimia, na forma de desenhos técnicos, artísticos, planilhas e memoriais a concepção do Hospital”, explana Douglas. Dessa forma, as duas empresas deram início ao desenvolvimento do projeto de arquitetura, assim como à montagem da equipe de projetos complementares de estrutura, fundação, instalação elétrica, hidrossanitárias, especiais e arcondicionado. “Ao mesmo tempo, a Unimed formou um comitê de análise e apoio ao projeto, com o qual tínhamos reuniões quase que semanais para discutir e avaliar a evolução do projeto”, explica Borelli. Foi assim, de forma integrada, que o Hospital Unimed Piracicaba foi erguido, dispondo de setores indispensáveis como pronto-atendimento, pronto-atendimento odontológico, ortopedia, imagenologia, pediatria, maternidade, berçário e UTI geral, os quais contam com tecnologia avançada e procedimentos atualizados, comandados por profissionais altamente qualificados.

Sobre a Borelli & Merigo Com ampla atuação nos mercados de saúde, institucional, industrial, de transportes, de habitação, urbanísticos e de cultura, a Borelli & Merigo, fundada em 1979, pelos arquitetos José Borelli Neto e Hercules Merigo, apresenta um leque abrangente de serviços na área de arquitetura. Dessa forma, realiza projetos que englobam diagnóstico do estudo de viabilidade, estudo preliminar, anteprojeto e projeto executivo, memoriais, detalhamentos dos componentes de obra e especificação dos materiais de execução e detalhamento. Além disso, coordena e compatibiliza projetos especializados, elabora planilhas e acompanha obras. No setor da saúde o maior objetivo da Borelli & Merigo é projetar edifícios com ambientes que transmitam ideias de saúde, e não de doença. Uma das principais preocupações é propiciar aos funcionários e corpo clínico ambientes de trabalho de alto nível de qualidade, de maneira a propiciar um bom desempenho daqueles que estão utilizando esses espaços. O grande desafio sentido pelo escritório em nível de política nacional de saúde, de modo geral, é garantir que o sistema de atendimento à saúde mantenha uma rede de unidades, que respeite a hierarquia dos serviços e possa atender com eficiência todas as camadas da sociedade. “Sabe-se, por exemplo, que muitos dos usuários de um Hospital Geral poderiam ser atendidos por uma Unidade Básica de Saúde, o que tornaria os serviços de ambos os estabelecimentos mais eficientes”, opina José Borelli. Sobre a Calder Arquitetura A Calder Arquitetura, no mercado há 15 anos, sob a direção de Douglas Malcolm Calder e Mônica G. Ribeiro Dias, realiza projetos de arquitetura, coordenação e gerenciamento de projetos, estruturação e desenvolvimento de negócios nas áreas da Saúde, Transportes, Logística e Corporativa. Também faz análises setoriais e de viabilidade econômica e financeira. No setor da saúde o escritório tem uma carteira de clientes no Brasil, América Central e EUA, possuindo como tradição, estudar profundamente a área a fim de propor um ambiente seguro, humanizado, amistoso e confortável ao paciente. Esta metodologia se dá através do estudo de aspectos técnicos, econômicos e sociais, de modo a interagir com seus operadores, clientes e funcionários e manter contato com instituições e organizações, nacionais e internacionais que apoiam o desenvolvimento do setor. 59


arquitetura hospitalar|UNIMED

prefaz Por trás das obras de fundação da unimed vale do Aço

D

etentora de soluções em pré-fabricados de concreto armado e protendido entre estacas, postes e estruturas, a PREFAZ foi responsável pelo fornecimento das estacas de concreto utilizadas nas fundações da Unimed Vale do Aço, cujo trabalho, mediante o projeto da obra, foi realizado em 90 dias. Participante de grandes obras, a PREFAZ contribui para o desenvolvimento de cidades e orgulha-se em ser contratada por grandes grupos, em especial vindos do setor da saúde, uma área de grande importância para a sociedade. “Por isso, prezamos pela rapidez na entrega de nossos produtos e por sua qualidade, aspectos que favorecem a segurança da obra, o que posteriormente irá re60

sultar em tranquilidade aos usuários do hospital”, destaca o sócio-proprietário da PREFAZ, Eduardo Palhares Dias. Para ele, os grandes desafios encontrados em obras na área da saúde estão nos quesitos de controle sistemático e gerenciamento integrado, com buscas insistentes de melhorias a cada novo empreendimento fechado. Dessa forma, para atender um mercado em constante evolução e cheio de exigências, a PREFAZ tem em seu quadro de colaboradores, profissionais altamente capacitados. No mercado desde 2003, além do setor da saúde, a PREFAZ está em obras em geral, participando da construção de indústrias, escolas, edificações residenciais e comerciais, estádios, viadutos, passarelas, estradas, entre outros.


61


arquitetura hospitalar|UNIMED

Badermann Arquitetos

Parceria sólida com Unimed Nordeste-RS

Com 25 anos de atuação no mercado da saúde, a Badermann Arquitetos tem como um de seus parceiros mais fortes, a Unimed Nordeste RS, para a qual já desenvolveu inúmeros projetos arquitetônicos, o maior deles relativo ao Hospital em Caxias do Sul, que resultou em uma estrutura moderna e eficiente, se tornando modelo para diversos hospitais da rede em todo o Brasil. Além disso, a Badermann também teve participação no projeto do recém-inaugurado Pronto Atendimento e Hospital-Dia Unimed, na cidade de Farroupilha, assim como esteve envolvida com inúmeras reformas e ampliações de serviços na Unimed. A empresa ainda desenvolveu e auxiliou o planejamento para a Unimed Encosta da Serra em serviços próprios e credenciados da cooperativa. Dentro desta sólida parceria a Badermann participa desde o desenvolvimento do conceito dos serviços implantados e oferecidos aos cooperados e pacientes, como também no suporte à tomada de decisão no âmbito de investimento em estrutura construída, nas fases iniciais de planejamento. “Trabalhamos efetivamente com os profissionais envolvidos na futura operação das edificações e serviços durante a elaboração dos projetos, transmitindo os valores de qualidade e eficiência da cooperativa para os ambientes construídos”, revela o arquiteto Marcos Ratnieks Barbedo, sócio do escritório. “Estamos capacitados para atender, projetando ambientes e edificações que agem favoravelmente ao paciente, possibilitando o bom desenvolvimento da prática médica e a eficiente gestão do negócio da saúde”, salienta o arquiteto. Para isso, a Badermann está sempre atenta quanto à evolução técnica dos procedimentos e tecnologias, sistemas construídos e de engenharia, a fim de responder com projetos eficientes e atualizados. A Badermann Arquitetos é formada pelos sócios Jonas Badermann de Lemos, Marcos Ratnieks Barbedo, Paula Zampiva e Gabriela Letti Flores. 62


Viabile solução em projetos

consultoria para Unimed BH

Com ampla experiência no setor da saúde na área de planejamento e gerenciamento de projetos e consultorias técnicas em arquitetura e engenharia, a Viabile desenvolve trabalhos em consultórios, clínicas e complexos hospitalares. Uma área que, de acordo com a empresa, apresenta desafios por estar em constante evolução, considerando-se por vezes até a completa substituição das tecnologias ora consideradas ‘de ponta’. “Tal característica é definidora de mercado e a Viabile oferece a seus clientes uma visão aberta, sem concepções pré-definidas e imutáveis, buscando sempre a melhor solução para o empreendimento não só para o agora, mas objetivando também sua adaptabilidade para o futuro próximo”, revela o Engenheiro Eletricista Breno de Assis Oliveira, sócio da Viabile. Com este pensamento a empresa já elaborou projetos e consultorias técnicas para a Unimed Belo Horizonte, realizando um trabalho complexo de análise das necessidades das instalações do hospital, além de propor formas de controlar seus recursos elétricos, hidráulicos, climatização, ventilação e de gases medicinais aliadas à segurança de seus usuários. “Todos os recursos implementados por nós no projeto do Hospital da Unimed-BH permitem que a administração do hospital, através da integração das equipes multidisciplinares de manutenção, tenha controle sobre todas as operações, fazendo com que haja um gerenciamento centralizado que organiza a programação de toda a manutenção preventiva do empreendimento e consequentemente a alocação dos recursos humanos”, conclui Breno. Além do setor da saúde, a Viabile atua em áreas diversificadas, tanto na esfera pública quanto privada, quer seja na área industrial ou predial. 63


arquitetura hospitalar|UNIMED

Guimarães Construção Prestação de serviços em construção civil na Unimed Vale do aço

E

specializada na prestação de diversos serviços dentro da construção civil como terraplenagem, fundações, estruturas em concreto armado, edificações, obras de saneamento e drenagem, pisos industriais e manutenção industrial, a empresa mineira Guimarães Construção e Administração executou, recentemente, o trabalho de terraplenagem do Hospital Unimed Vale do Aço. Agora, de acordo com Guilherme Guimarães, sócioproprietário da Guimarães Construção, a empresa participa da execução de toda a parte de Fundação e Estrutura em concreto armado, cobertura, alvenaria, reboco, infraestrutura elétrica e hidráulica do Hospital. Para ele, participar dessa obra é de extrema importância para a Guimarães Construção, já que o mercado de saúde está em franca expansão, dando credibilidade às empresas que atuam junto dele, as quais, por sua vez, precisam

estar preparadas para desafios novos e constantes. Além das obras junto à Unimed Vale do Aço, a Guimarães Construção já prestou serviços na construção da Unidade II do Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga-MG e na construção do Bloco Cirúrgico do Hospital Santa Rita, em Medina-MG. A qualidade dos serviços prestados, agilidade operacional e equipe qualificada fazem parte do dia-a-dia da empresa, que possui um Sistema de Gestão da Qualidade baseado nas normas ISO 9001:2008 e está certificada há quase três anos. Dão suporte aos trabalhos da Guimarães, Engenheiros Civis, de Segurança, de Produção e de Planejamento, Administradores, Economistas, Técnico de Edificação, Técnico em Segurança do Trabalho, Técnica em enfermagem do trabalho, Técnico em Meio Ambiente, Técnico em Planejamento, Encarregado de Obras, Carpinteiros, Armadores, Pedreiros e Ajudantes de Obras.

GUIMARÃES CONSTRUÇÃO e UNIMED VALE DO AÇO parceiras na construção do Hospital Metropolitano de Coronel Fabriciano/ MG.

“Construir com qualidade, segurança e responsabilidade social”

64

Rua Ocara, 20 • Iguaçu • Ipatinga • MG CEP: 35162-099 • Tel/Fax: 31 3801-2025 www.guimaraesconstrucao.com.br


65


resenha

ONCOLOGIA PEDIÁTRICA:

UMA ABORDAGEM MULTIPROFISSIONAL Chega ao mercado editorial a primeira edição do livro Oncologia Pediátrica: uma abordagem multiprofissional, pela Editora Martinari - São Paulo, obra organizada pelo Enfermeiro William Malagutti

Título: Oncologia Pediátrica Organizado por Willian Malagutti Editora Martinari Número de páginas: 357 Preço de capa: R$ 79,00 www.martinari.com.br

66


A

motivação principal desse projeto, segundo o organizador, William Malagutti, é a escassez de publicações nacionais com enfoque multidisciplinar nesta área, tão delicada com uma visão mais abrangente e global e possibilidade de contribuir com informações diversificadas nessa área tão específica da Medicina. Nessa situação específica, em que há um diagnóstico de câncer nessas crianças, gera-se uma grande expectativa em pessoas de seu entorno: pais, familiares, bem como nos profissionais da equipe multiprofissional que convivem com esses pequenos clientes, devido ao prognóstico muitas vezes inconclusivo e/ou terminal e letal que decorrem dessas patologias oncológicas, gerando uma sensação de impotência e desesperança em todos os que estão direta e/ou indiretamente envolvidos com esses pacientes. O objetivo da obra é oferecer informação aos profissionais, cuidadores e familiares que convivem diuturnamente com esse tipo de clientela, oferecendo informações técnicas e práticas, para que o convívio direto com essas crianças seja menos invasivo, mais envolvente com competências técnicas, porém com grande teor humano.

Pelo aspecto multidisciplinar que as abordagens da obra requerem, foram convidados renomados profissionais colaboradores de diferentes categorias do Brasil, Chile, Espanha, Equador e Portugal, que prontamente aceitaram o desafio para contribuir com suas ricas experiências profissionais numa área tão árida, e muitas vezes pouco desvelada. O organizador acredita que com o relato dos colaboradores das diferentes áreas de atuação como: Enfermagem, Medicina, Odontologia, Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Fonoaudiologia, Nutrição, Psicologia, Serviço Social, Musicoterapia, Ludoterapia, Biblioteconomia, Pedagogia, Educadores Físicos, Biólogos, Estatísticos e Farmacêuticos, descritos aqui não por uma ordem sequencial, mas pelo grau de importância que todos possuem, pode-se contribuir com a difusão desse conhecimento disseminado neste livro, na recuperação e/ou qualidade de assistência a pacientes oncológicos infantis nas Unidades de Oncologia Pediátrica, Unidades Ambulatoriais público-privadas, e mesmo em Serviços de Assistência Domiciliária, e que a obra possa ser o grande diferencial de informação junto à graduandos, pós graduandos e especialistas nesta área, além claro de pessoas afins interessadas nessa temática tão fascinante.

67


GUIA DE EMPRESAS Arquitetura Fiorentini www.arquiteturafiorentini.com.br

Pág. 13

Badermann Arquitetos www.badermannarquitetos.com.br

Pág.62

Borelli & Merigo www.borellimerigo.com.br

Pág.65

Calder www.calder.com.br

Pág.65

C+A Arquitetura www.caarquitetura.com.br

4ª Capa

Construtora Baggio www.construtorabaggio.com.br

Pág. 41

Cris Sustentabilidade www.cris.org.br

Pág. 53

Desintec www.desintec.com.br

Pág. 53

Diana Malzoni Arquitetura www.dianamalzoni.com.br

Pág. 19

Dollmens dollmens@terra.com.br

Pág. 15

Duarte Schahin Arquitetura www.duarteschahin.com.br

Pág. 35

Duca www.ducaassessibilidade.com.br

Pág. 51

Emed www.emedproj.com.br

Pág. 67

Gebara Conde Sinisgalli www.gcsa.com.br

Pág. 25

Guimarães Construção www.guimaraesconstrucao.com.br

Pág.64

Help Med www.helpmed.com.br

Pág. 41

Hospitalar www.hospitalar.com.br

Pág. 21

Hospital Minas www.hospitalminas.com.br

Pág. 31

Lafer www.lafer.com.br

Pág.57

MLF Geotecnia www.mlfgeotecnia.com.br

Pág. 45

MPD Engenharia www.mpd.com.br

Pág. 47

O Maná www.omana.com.br

Pág. 05

Prefaz www.prefaz.com.br

Pág.61

Sony www.sonypro.com.br/medical

Pág. 37

Sulbrasil www.sulbrasil.eng.com.br

3ªCapa

Termópolis www.termopolis.com.br

Pág.69

Todescan Siciliano Arquitetura www.tsarq.com.br Viabile www.viabile.com.br

Pág. 51 Pág.63


69


Solução de comunicação e relacionamento da sua empresa com o mercado de saúde Aproveite a oportunidade e divulgue seus produtos. Sabe como? Fazendo contato com nossa área comercial. Para dúvidas ou sugestões sobre o conteúdo da próxima edição, não deixe de falar conosco!

Comercial e Marketing: 16.3629.3010 www.healthcarebrazil.com.br 70


71


72


HealthCare Brazil