Page 1


05

CURRÍCULO

SUMÁRIO PROJETOS DE ARQUITETURA VILA RESIDENCIAL

07

A TERCEIRA MARGEM

15

CENTRO EDUCACIONAL BURITI

25

PROJETOS PRÁTICOS ESTANTE 01

35


(21) 995094779 Nova Iguaçu, Rio de Janeiro /in/marinaernesto marinap.ernesto@gmail.com

....................................................................................................................................................... Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - 6º período FORMAÇÃO Universidade Federal do Rio de Janeiro crA: 9,2 Previsão de conclusão: 2021 Curso de Graduação em Arquitetura e Urbanismo Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Fev. à Jul. - 2016 Ensino Médio integrado ao Técnico de Controle Ambiental Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio de Janeiro Completo

..................................................................................................................................................... Monitoria em Saneamento Predial I EXPERIÊNCIA Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ

Auxílio às professoras com as tarefas de sala de aula e laboratório, e auxílio aos projetos de saneamento dos alunos do Ateliê Integrado I da FAU UFRJ Monitoria em Projeto de Arquitetura I Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ Auxílio à professora junto as tarefas em sala de aula e aos alunos do terceiro período da FAU UFRJ Curso de Extensão em Desenho Imersivo - São Paulo Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ Out. 2016 - Curso oferecido dentro da disciplina de Desenho de Observação I

..................................................................................................................................................... Exposição do Ateliê Integrado I - FAU - UFRJ QUALIFICAÇÕES Trabalho selecionado pelos professores no período de 2018/1 AutoCAD 2D - DRC Treinamentos Fevereiro 2018 - Completo UX Weekend - Introdução ao UX - Design Mergo UX Maio 2017 - Completo Inglês Avançado - Cultura Inglesa 2012 - Completo Cambridge English (KET, PET e FCE) - Universidade de Cambrigde

..................................................................................................................................................... HABILIDADES AutoCAD, Adobe Photoshop, Adobe Illustrator, SketchUp, Vray, Pacote Office, Maquete


vila residencial ipĂŞ dezembro/2017


VILA RESIDENCIAL IPÊ DESENVOLVIDO NA DISCIPLINA PROJETO DE ARQUITETURA I

AUTORIA: CORA LOUISE, MARINA ERNESTO E RAQUEL MAGALHÃES

A Vila Residencial da Ilha do Fundão no Rio de Janeiro é um bairro recente, reconhecido hoje por ser uma opção para muitos estudantes e funcionários da UFRJ por sua proximidade com o Campus. O terreno onde o projeto é proposto se localiza na entrada na Vila, bem próximo do Parque Tecnológico e do Mangue atrás do Prédio da FAU UFRJ. O programa propostoera de uma vila residencial para estudantes e funcionários do Campus. Após análises sobre o bairro, terreno e seu entorno e contexto, o grupo decidiu por propor duas tipologias: coletiva e unifamiliar. Essas foram implantadasde acordo com os estudos primários que levam em consideração os trajetos que já eram realizados no terreno, conforto acústico, confoto térmico, relação com o comércio da vila, acessos etc. No final, totalizamos 5 residencias coletivas e 12 residencias individuais/unifamiliares.

08


ÁREA

UE ARQ IAL (P

ICO)

OLÓG

TECN

STR

INDU

ÁREA RESIDENCIAL E COMERCIAL DA VILA

ÁREA VERDE (MANGUE) E CAMPUS UFRJ

EA

ÁR

R

AL

CI

EN

ID ES

TRAJETOS PRINCIPAIS NO TERRENO

CRIAÇÃO DOS CAMINHOS E LOTES RESIDENCIAIS

09


TIPOLOGIA 1 RESIDÊNCIA COLETIVA DE DOIS PAVIMENTOS

4 5 3

1 - sala de jantar 2 - sala de estar 3 - banheiro 4 - cozinha e área de serviço 5 - pátio interno

2

1

térreo

9

8

7

6 10

6 - hall 7 - quarto 1 8 - banheiro 9 - quarto de estudos 10 - quarto 2 11 - varanda

11

1o pavimento

N

0

4 2

10

8 6

m 10


TIPOLOGIA 2 RESIDÊNCIA INDIVIDUAL/UNIFAMILIAR POR PAVIMENTO

5

4

1 3

2

2

3 1

4

1 - sala de estar 2 - quarto 3 - banheiro 4 - cozinha e área de serviço 5 - pátio interno

5

térreo

5

3 4

2

1

1

2

1 - sala de estar 2 - cozinha e área de serviço 3 - banheiro 4 - quarto 1 5 - quarto 2

4 3

5

1o pavimento N

0

4 2

8 6

10

m

11


13


a terceira margem junho/2018


A TERCEIRA MARGEM DESENVOLVIDO NA DISCIPLINA PROJETO DE ARQUITETURA II AUTORIA: MARINA ERNESTO E RAQUEL MAGALHÃES

O projeto se baseou na intenção de proporcionar um equilíbrio harmonioso entre o “Morar” e o “Trabalhar”. Com isso, trazemos a ideia de ponte como projeto. Ponte tem como função unir dois elementos distintos e é definida por “qualquer estrutura que liga duas partes homólogas”. O filósofo alemão, Heidegger [1954] pontua que a ponte não apenas liga as margens previamente existentes e que é somente na travessia da ponte que as margens surgem como margens. O projeto é, então, a ligação entre as margens Morar e Trabalhar, Tijuca e terreno, fluxos e usos das diferentes ruas de seu entorno e dos diferentes perfis que irão utilizar o edifício. Além disso, a ponte também atua como meio para o surgimento de um lugar e de um novo modo de conviver. De acordo com Norberg Schulz [1976], o conceito de Lugar é quando o homem demarca o espaço, ou seja, o lugar se dá pela manifestação do habitar humano. O terreno onde o projeto se localiza depois de construído e habitado se torna efetivamente um lugar, uma vez que diferentes pessoas possam se orientar nele e se identificar com ele. A proposta, criada pelo projeto, de morar e trabalhar e um novo entendimento das relações entre espaços que ainda não é totalmente difundido na nossa sociedade, é integrar e incorporar os usos e transformar o programa “Habitar e Trabalhar” em um único edifício. Chamamos então, esse convívio e relação entre espaço e pessoas de terceira margem, que é gerada devido às ligações realizadas das margens pré existentes e a efetivação do espaço como lugar. O edifício é formado por 3 blocos: um volume residencial (com fachada principal virada para a rua Alzira Brandão); um volume de coworking que abriga um café no térreo (implantado próximo a esquina entre as ruas Alzira Brandão e Heitor Beltrão); e um volume misto, onde acontece a conexão do morar e trabalhar. Todas unidades neste volume possuem escritórios que permitem a realização do trabalho dentro de casa. No quinto andar, localiza-se o terraço em cima do volume integrador. Essa área é destinada ao uso dos moradores para que esses possam contemplar os diferentes fluxos da redondeza, o maciço da Tijuca, o morro do Salgueiro e o térreo do próprio edifício. O terraço, por ser uma parte do projeto, também funciona como ponte realizando a ligação dos moradores com o entorno, quebrando a delimitação do terreno e expandindo as fronteiras entre quem está “dentro” e quem está “fora”, por conseguinte é um meio que gera interação social entre quem ocupa o espaço.


1 9 4 m2 ( 2 U N I D A D E S )

4 1 6 m2 ( 2 U N I D A D E S E T E R R A ÇO )

4 1 6 m2 ( 5 U N I D A D E S )

4 1 6 m2 ( 5 U N I D A D E S )

4 1 6 m2 ( 5 U N I D A D E S )

1 9 4 m2 ( 2 U N I D A D E S )

1 9 4 m2

1 3 6 m2

17


O térreo possui uma grande área de convívio entre os moradores e quem utiliza o edifício, com uma praça delimitada por pilotis que permite o acesso aos dois volumes, uma área que conta com contêineres quiosques, ou seja, uma área de alimentação. Próximo a Avenida Heitor Beltrão, existe uma área que conta com mobiliário infantil a fim de atender crianças das escolas e que moram no edifício e também um deck para clientes do café, uma área de permanência para quem está de passagem, ou para quem está a esperar ônibus já que próximo ao terreno possuem dois pontos de ônibus. A materialidade do projeto é representada pelo uso interativo do painel camarão, assim, define a estética e dinamismo do edifício, realizando a conexão do interior e exterior.

BARREIRA

R E L A Ç Ã O CO M O P O N TO D E Ô N I B U S

18

S


N

plano de massas 0

1

5

10 m

19


fachada oeste

fachada norte

20

0

0

1

5

10 m

1

5

10 m


fachada oeste

fachada sul

0

0

1

5

1

5

10 m

10 m

21


0

corte longitudinal

0

corte transversal

22

1

5

10 m

1

5

10 m


corte de pele

0

0,5

1m

veja mais em: http://behance.net/marinaernesto


centro educacional buriti dezembro/2018


CENTRO EDUCACIONAL COMPLEMENTAR BURITI E EDIFÍCIO ANEXO DESENVOLVIDO NA DISCIPLINA PROJETO DE ARQUITETURA III

AUTORIA: ANNA BEATRIZ HOPF, MARINA ERNESTO E RAQUEL MAGALHÃES

São João de Meriti é um município no subúrbio do Rio de Janeiro, sendo sua densidade demográfica considerada uma das mais altas do continente americano. O município localiza-se próximo ao Rio Pavuna que faz fronteira com o bairro do Rio de Janeiro, Pavuna. Assim, o rio foi utilizado como uma conexão para os dois objetos arquitetônicos propostos, gerando um diálogo entre eles. Além disso, há a proposta de uma nova orla margeando todo o rio pavuna, gerando uma nova qualidade do espaço marginal. O Centro Educacional Complementar Buriti está implantado em São João, onde seus acessos são através de uma nova travessia sobre o rio e através da praça no qual está localizado. O projeto propõe atender atividades extracurriculares de escolas próximas ao local, tendo assim o objetivo de complementar a educação pública e suprimir possíveis carências de infraestruturas deixadas por estas. Dois quarteirões do outro lado do rio temos o segundo projeto que é um Edifício Anexo, possuindo um caráter mais público sendo aberto para todos que queiram usufruir do espaço proposto pelo edifício. Ele é constituído por um auditório, uma biblioteca, um café e uma midiateca, que completa o programa do centro educacional complementar.


CENTRO EDUCACIONAL COMPLEMENTAR BURITI

27


28


fachada norte

fachada oeste

fachada sul

fachada leste

29


corte de pele

30


EDIFÍCIO ANEXO


planta baixa tĂŠrreo

planta baixa 1Âş pavimento

32


corte transversal

corte longitudinal

33


estante 01 dezembro/2018


ESTANTE 01 DESENVOLVIDO NA DISCIPLINA PROCESSOS CONSTRUTIVOS II AUTORIA: ANNA BEATRIZ HOPF, DANIEL TAVARES, LAURA SOARES, LARISSA LIMA, LETICIA BARBOSA, LUIZA CAROLINA, MARINA ERNESTO, PABLO BARROS, PAMELLA CAMARGO

A disciplina de Processos Construtivos II da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo - UFRJ tem como trabalho final o projeto de um protótipo em escala real feito de concreto. Então o projeto da estante foi desenvolvido em grupo, onde se estudou casos de necessidade de mobiliários pela FAU e trazendo assim, a proposta de uma estante de pequeno porte para ser alocada em salas de matérias de produção de maquete como Concepção da Forma Arquitetônica I e II, e o próprio Centro Acadêmico da Faculdade (CAFAU) podendo servir para exposição e armazenamento de maquetes e etc. O modelo da estante conta com 8 apoios onde podem ser colocados objetos, ela tem 60 cm de altura por 60 cm de largura e espessura de 3 cm. O design da estante permite que sejam colocadas mais estantes ao lado formando uma nova forma com maior comprimento. Além disso, o projeto consistiu desde a forma do objeto até o desenvolvimento da forma e sua construção e finalização do protótipo.

36


PROJETO

vista frontal

vista frontal da forma

projeto 3d da forma

37


PROCESSO CONSTRUTIVO 01

02

03

04

05

38


2018

Profile for Marina Ernesto

CV + Architecture Portfolio (2018)  

New
Advertisement