Page 1


ADEGA CLIMATIZADA

04


9. 1.

9.

5. 3.

6.

2.

3.

1.

4.

5.

6.

7.

8.

9.

10.

MOODBOARD SEM ESCALA

05


LEGENDA

DESCRIÇÃO

SIMBOLO

RESPEITAR MEDIDA!

BANCADA EM PEDRA, SAIA 4cm E FRONTÃO 10cm, H=95cm;

BANCADAS EM GRANITO PRETO ABSOLUTO

AQUECEDOR

LAVA E SECA

NOVO RODAPÉ PARA PAREDE E MÓVEL H = 10cm COM MESMO MATERIAL DA BANCADA

ÁREA DE SERVIÇO PD = 2,70m

MOLHADO

SECO

LAVA-LOUÇA

PROJEÇÃO MEZANINO

SECO

COZINHA PD = 2,27m

MOLHADO SECO

PROJEÇÃO COIFA

DESCER COM PÉ LATERAL ATÉ O PISO; MURETA EM ALVENARIA;

PLANTA - MARMORARIA ESCALA 1:25

RESPEITAR MEDIDA!

06


MICRO-ONDAS

FORNO ELÉTRICO

LAVA E SECA 60x85x60cm

MÁQ. LAVA LOUÇAS 10 SERVIÇOS

VISTA 1 - MARMORARIA

BANCADA EM GRANITO PRETO ABSOLUTO COM FRONTÃO DE 10cm E SAIA DE 4cm, COM ACABAMENTO EM 45º;

ESCALA 1:25

BANCADA EM GRANITO PRETO ABSOLUTO COM FRONTÃO DE 10cm E SAIA DE 4cm, COM ACABAMENTO PEITO DE POMBO;

PERSPECTIVA BALCÃO SEM ESCALA

07


INTERIOR DE ARMÁRIO AMADEIRADO, PADRÃO À DEFINIR;

PAINEL ALMOFADADO EM LACA PRETA SEM BRILHO;

COIFA

GIRO NICHO

PAINEL

GAVETA

ESPELHO

GIRO

CRISTALEIRA EM LACA PRETA SEM BRILHO COM PORTAS DE GIRO ALMOFADADAS (DUAS COM VIDRO) + NICHO COM DUPLO TAMPONAMENTO AMADEIRADO (PADRÃO À DEFINIR) + GAVETA COM CORREDIÇA TELESCÓPICA ALMOFADADA, INTERNAMENTE EM MDF BRANCO OU CINZA, PUXADORES MODELO À DEFINIR;

VISTA 1 - MARCENARIA ESCALA 1:25

PROJEÇÃO MEZANINO

PROJEÇÃO COIFA

COZINHA PD = 2,27m

LAVA-LOUÇA

PLANTA - MARCENARIA ESCALA 1:25

08


ARMÁRIO ALTO EM LACA PRETA SEM BRILHO COM NICHO E FUNDO PARA GELADEIRA;

ARMÁRIO SUPERIOR EM LACA PRETA SEM BRILHO COM PORTAS DE GIRO EM VIDRO REFLETA, INTERNAMENTE EM LACA PRETA COM PRATELEIRAS EM VIDRO INCOLOR + ILUMINAÇÃO EMBUTIDA EM CADA MÓDULO + FITA DE LED ABAIXO DO ARMÁRIO;

AQUECEDOR

GIRO

MICRO-ONDAS

GAVETA INTERNA

LAVA E SECA 60x85x65cm

GIRO

VISTA 2 - MARCENARIA

GAVETÃO

GAVETÃO

GAVETÃO

FORNO ELÉTRICO

GAVETÃO

LAVA LOUÇAS 45x85cm

GABINETE EM LACA PRETA SEM BRILHO COM PORTAS DE GIRO, INTERNAMENTE EM MDF BRANCO OU CINZA, PUXADORES MODELO À DEFINIR;

ESCALA 1:25

BASCULANTE

GABINETE E TORRE DE EQUIPAMENTOS EM LACA PRETA SEM BRILHO COM PORTAS DE GIRO, BASCULANTE E GAVETÕES ALMOFADADOS COM CORREDIÇAS TELESCÓPICAS, INTERNAMENTE EM MDF BRANCO OU CINZA, PUXADORES MODELO À DEFINIR;

ÁREA DE SERVIÇO PD = 2,70m

LAVA E SECA

AQUECEDOR

MEDIDA PARA TRILHO PORTA;

09


10

ESCALA 1:150

DUTO CHAM CHAMINÉ

ÁREA GOURMET

PROJEÇÃO PAV. SUPERIOR SUPERIOR

DECK MOLHADO MOLHADO

PROJEÇÃO PROJ EÇÃO PAV PAV.. SUPERIOR SUPERI SUPERI PERIOR OR

PISCINA PIS PISCIN CINA CINA

CAMPINHO CAMP INHO DE FUTEBOL FUTEBOL PROJEÇÃO SUPERIOR PAV. SUPERIOR

JANTAR CORADO CORADOURO COR ADOURO ADO URO

WC

DIVISÃO DO T DIVISÃO TERRENO TERRE ERRENO ERRE NO COM COM C CERCA ERCA VIVA VIVA + ALAMBRADO, ALAM ALAMBRAD BRADO, H = 1,80m BRADO, 1,80m

SALA DE ESTUDOS DESPENSA

COZINHA

A 12

PLANTA PAV. TÉRREO TÉR QE QE

DIVISÃO DIVI SÃO DO T TERRENO TERRE ERRENO COM ERRENO COM CERCA CERCA VIVA VIVA + ALAMBRADO, ALAM ALAMBRAD BRADO, H = 1,80m BRADO, 1,80m

MLR MSR

LAVABO

QE

HOME THEATER A 12

CALÇADA

D DIVISA DO TERRENO

GARAGEM

PD = 6,00m 6,00m

B 12

LIVING LIV ING B 12

DEPÓSITO

LAVANDERIA

MURO, H = 1,80m

WC PROJEÇÃO PRO JEÇÃO PAV. PAV. SUPERIOR SUPERIO UPERIO


A 12

VARANDA

COBERTURA DE VIDRO

SUÍTE DE HÓSPEDES

VAZIO

COBERTURA DE VIDRO

QE

GUARDA CORPO EM VIDRO - H=1,10m

PROJEÇÃO TORRE CAIXA D'ÁGUA

B 12

VARANDA

CLOSET

B 12

BANHO HO

SUÍTE 2

HO BANHO

CLOSET

ROUPARIA

BANHO HO

CIRCULAÇÃO

SUÍTE SUÍ TE 1

SUÍTE MASTER

VARANDA

VARANDA

PLANTA PAV. SUPERIOR ESCALA 1:150

A 12

BANHO

11


+5.90 (N.A.) +5.65 (N.A.)

NÍVEL DA LAJE COBERTURA BEIRAL EM CONCRETO NÍVEL BEIRAL VARANDA FLOREIRA IMPERMEABILIZADA COM MANTA ASFÁLTICA

+2.75 (N.A.)

+2.85 (N.A.)

NÍVEL DO PISO INTERNO - 1° PAV. NÍVEL DO PISO EXTERNO - VARANDA

-0,45 (N.A.) -1,15 (N.A.)

DIVISA DO TERRENO

BRISE METALICO

-0,30 (N.A.)

NÍVEL DO PISO INTERNO - TÉRREO NÍVEL DO PISO GARAGEM E GOURMET

DES

ÁREA GOURMET

NÍVEL DO PÁTEO PISCINA

PISCINA

MURO DE CONTENÇÃO

ATERRO COMPACTADO

ATERRO COMPACTADO

CORTE A ESCALA 1:150

GARAGEM ATERRO COMPACTADO PERFIL NATURAL DO TERRENO

CORTE B ESCALA 1:150

12

DIVISA DO TERRENO

DIVISA DO TERRENO

CLOSET

DEPÓSITO ATERRO COMPACTADO


SPENSA

DIVISA DO TERRENO

VOLUME REVESTIDO EM MADEIRA TRATADA

BANHO

CLOSET

BANHO

SUÍTE HÓSPEDES

CORREIO

WC SERVIÇO

LAVAND.

DEPÓSITO

TURAL PERFIL NA

GARAGEM

CALÇADA

O DO TERREN

+5.90 (N.A.) +5.65 (N.A.)

NÍVEL DA LAJE COBERTURA NÍVEL BEIRAL VARANDA

+2.85 (N.A.)

NÍVEL DO PISO INTERNO - 1° PAV.

+2.75 (N.A.)

NÍVEL DO PISO EXTERNO - VARANDA

-0,30 (N.A.)

NÍVEL DO PISO INTERNO - TÉRREO NÍVEL DO PISO GARAGEM E GOURMET

-0,45 (N.A.) -1,15 (N.A.)

NÍVEL DO PÁTEO PISCINA

13


VOLUME REVESTIDO EM MADEIRA TRATADA

TEXTURA TIPO GRANFINO COM TEXTURA TIPO GRANFINO COM PINTURA

PINTURA LÁTEX ACRÍLICO (COR A DEFINIR)

LÁTEX ACRÍLICO (COR A DEFINIR)

FRISO DE MASSA, ALINHAR ABAIXO DA FLOREIRA, VIDE DETALHE;

FRISO DE MASSA, ALINHAR INÍCIO PILAR, VIDE DETALHE;

ELEVAÇÃO FRONTAL ESCALA 1:150

14

FRISO DE MASSA, ALINHAR ABAIXO DA FLOREIRA, VIDE DETALHE;


VOLUME REVESTIDO EM MADEIRA TRATADA

TEXTURA TIPO GRANFINO COM PINTURA LÁTEX

TEXTURA TIPO GRANFINO COM PINTURA LÁTEX ACRÍLICO (COR A DEFINIR)

ACRÍLICO (COR A DEFINIR)

FRISO DE MASSA, ALINHAR ABAIXO DA FLOREIRA, VIDE DETALHE;

VOLUME REVESTIDO EM TIJOLO PALHA APARENTE

FRISO DE MASSA, ALINHAR ABAIXO DA FLOREIRA, VIDE DETALHE;

VOLUME REVESTIDO EM TIJOLO PALHA APARENTE

ELEVAÇÃO POSTERIOR ESCALA 1:150

15


Através do poder de transformar espaços, a arquitetura consegue

- Igreja Nossa Senhora do Patrocínio (1819)

criar sensações diferentes nas pessoas, ela consegue valorizar obras ou

- Igreja Nossa Senhora do Carmo (1780)

culturas e gerar vida em lugares que antes estavam degradados,

- Igreja Santa Rita (1728)

subutilizados ou simplesmente esquecidos por todos, podendo chegar até a influenciar a forma como os usuários se relacionam entre si. O projeto a ser relatado a seguir se localiza no interior do estado de São

N

Paulo, na cidade de Itu, mais especificamente em seu centro histórico. Levando em consideração o fato de ser um dos municípios mais antigos da região (datado de 1610), o tema deste projeto trata sobre toda a história de uma cidade e seu envolvimento com a arte, procurando adequar e restaurar espaços: “Praça das artes - intervenção urbana na região do Mercado Municipal de Itu”. O surgimento de uma cidade se deve ao conjunto de diversas arquiteturas, e é com elas que um local pode se tornar interessante, pelo impacto visual que este pode causar nos habitantes da mesma. Pensando desta forma, o projeto proposto procura não somente abrigar e valorizar os ambientes internos, mas criar esta arte diferente através da união de diversos edifícios com arquitetura, histórias e usos variados em um único espaço, valorizando os mesmos e criando constrastes que geram vida a área da intervenção.

MAPA - GABARITO DE USOS 0 20

60

120

CIDADE ENVOLVIDA COM A ARTE Desde o início, Itu se vê caminhar junto com as diversas formas de arte. Desde música, artes plásticas, arte sacra, teatro até arquitetura, a

Comercial

Misto

Residencial

Institucional

Área da intervenção

cidade se encontra envolvida e enraizada com este conhecimento. Ao andar pelas suas ruas encontramos diversos exemplares da bela arquitetura colonial, além de incontáveis igrejas antigas com uma

Fachada Igreja do Bom Jesus.

extraordinária arte sacra. É algo quase que cotidiano na vida dos cidadãos ituanos, a arte se mostra em todos seus aspectos no conjunto da cidade, com uma mistura do passado com o presente que deve se difundir e preservar.

ITU PELAS IGREJAS - ARTE SACRA Com inúmeras igrejas e conventos, Itu possui um grande acervo valioso de arte sacra que transpassa a arquitetura religiosa de diversos movimentos em épocas diferentes. O envolvimento da cidade com esta forma de arte vem entralaçado na história do município. Por ser antiga, a cidade dispõe ao menos 5 igrejas datadas com mais de 200 anos. Dentre os principais edifícios religiosos do município se destacam: - Igreja Nossa Senhora da Candelária (1780) - Igreja do Senhor Bom Jesus e Santuário (1763)

16

Altar restaurado da Igreja nossa senhora da Candelária.


ARQUITETURA DOS TEMPOS DE COLÔNIA Datada de 1610, Itu possui um acervo rico de arquitetura colonial. Ao passear pelas ruas do centro histórico você viaja para o passado, com suas inúmeras casas e sobrados com elementos e detalhes que remontam determinado estilo arquitetônico. Hoje, juntamente com outras edificações (como igrejas e o Mercado Municipal), este centro possui mais de 200 obras tombadas pelo CONDEPHAT.

Centro histórico de Itu.

O URBANISMO DA VELHA CIDADE Por se tratar de um município muito antigo, Itu traz consigo um urbanismo dos tempos de colonia, este é encontrado na área do centro histórico e atual centro comercial da cidade. As primeiras ruas e principais edificações (como igrejas, o

N

mercado municipal, etc) foram mantidas ao longo do tempo. Estes espaços públicos possuem características

da epóca em que se

originaram. Assim, grande parte do que chamamos hoje de centro histórico de Itu é composto por ruas estreitas, com calçadas pequenas, edificações sem recuos frontais e laterais, sem arborização com excessão de algumas praças em locais específicos (principalmente em frente as igrejas). Evidencia-se a importância histórica de Itu, principalmente no ambito artístico, religioso e arquitetônico. Levando esse fato em relevância, nota-se a necessidade de valorizar tais elementos. A falta de MAPA - GABARITO DE ALTURA 0 20

60

um espaço urbano para mostra de tal cultura artística faz com que surja

120

a idéia de um ambiente que de diversas formas "escancare" Itu, esse ambiente seria uma intensa intervenção urbana em uma das regiões do 1

centro histórico da cidade.

2

Neste novo espaço, através de um Museu de Arte Sacra se 3 ou + Área da intervenção

consegue expor esses elementos para todos os cidadãos em um ambiente riquíssimo de cultura.

N

Também com uma Escola de Arte voltada para oficinas como restauro de móveis e assitência para este mesmo tema, se consegue preservar e orientar a população referente as inúmeras edificações tombadas na cidade. Outra oficina interessante será a de fotografia, onde através de aulas ao ar livre os alunos poderão fotografar parte da MAPA - VAZIOS URBANOS 0 20

60

120

história do Brasil no centro histórico do município. Mantendo a tradição, também terá aulas de pintura e desenho e uma biblioteca de arte com um acervo que conta a história de todos os grandes artístas ituanos. Para complementar o projeto, uma biblioteca voltada somente para arte ira aprofundar os conhecimentos sobre a cidade e o envolvimento da mesma com este tema.

17


EM BR O

N

PLANO DE MASSAS

N

SE T

RU A

SA

RU

A

7

CR UZ

PR B A AÇ ND A D EI A RA

A

DE

NT

MERCADO MUNICIPAL JA A RE RIT IG TA N SA

RU

A

ESTACIONAMENTO

SA

NT

A

CR

UZ

RU A

SA

NT

A

RI TA

PLANO DE MASSAS - SUBSOLO 0

10

30

60 N

MAPA - PROPOSTA NOVO MERCADO MUNICIPAL 0

10

30

60

DADOS DA ÁREA DE INTERVENÇÃO LEGISLAÇÃO

ZONA HISTÓRICA

M AR USEU TE SA DE CR A

ZONA DE PRESERVAÇÃO HISTÓRICA

Nº máx. de pavimentos

2

4

Altura máx. da edificação

7,5m

15m

Restrições

Mercado Municipal e Igreja

ES

CO

LA

Santa Rita tombados pelo

----

DE

AR

TE

S

CONDEPHATT ÁREA MERCADO MUNICIPAL

1443m²

ÁREA DE DESAPROPRIAÇÃO

1155m²

ÁREA TOTAL

7772m²

PLANO DE MASSAS - TÉRREO 0

10

30

60 N

Edifício de esquina com o Mercado Municipal. Fachada frontal do Mercado Municipal.

PLANO DE MASSAS - 1º E 2º PAV. 0

10

30

60

Distrito policial ao lado do Mercado Municipal. Estacionamento nos fundos do Mercado Municipal. Área pública

Rua com intenço fluxo comercial

Área administrativa

Passagem da antiga Rua Santa Cruz

Circulação Praça

18

Desapropriação Novo sentido das vias


PRAÇA DAS ARTES A grande praça procura valorizar suas relíquias ali abrigadas,

Igreja Santa Rita, além de se tornar um imenso espaço público aberto

tanto o Mercado Municipal, a Igreja Santa Rita ou aquelas que serão

para a cidade.

apreciadas no novo Museu de Arte Sacra. Não somente voltada para

A paginação do piso e a locação das arvores foram feitas para se

estas obras, ela se envolve na vida cotidiana dos cidadãos, projetada

criar um trajeto onde possam ser realizadas as procissões.

para receber festas e as tradicionais procissões realizadas pelos fiéis da

98.00 99.00

C

B

100.00 B A

MUSEU DE ARTE SACRA

101.00

ES

CO

LA

102.00

DE

AR

TE

S

SA IGR NT E A JA RI TA

CO M

ÉR

CI O

S

103.00

C CO

A RC

IO

S

104.00

105.00

CO

RC

IO

S

IMPLANTAÇÃO - PRAÇA DAS ARTES 0

5

15

30

19


ESCOLA DE ARTES

único em que aqueles que estão no centro da obra possam também

Com o objetivo de criar uma escola de artes no edifício em que

sentir o que esta sendo trabalhado nas oficinas, assim como ocorre na

hoje se abriga o mercado municipal da cidade de Itu, algumas alterações

proposta dos ateliês de Lina Bo Bardi no SESC Pompéia.

foram necessárias. Partindo do pressuposto que o valor arquitetônico aplicado por Ramos de Azevedo na obra deve ser preservado, foram mantidas todas as fachadas externas, com excessão dos fundos (onde se encontram os sanitários), pois este ja sofreu inúmeras alterações referentes ao projeto original. Algumas das paredes internas foram removidas criando espaços mais amplos para atender as oficinas. A proposta de trazer vida novamente para dentro deste edifício é expressada através de uma escola com ambientes totalmente abertos, que se interligam pela convivência gerada entre seus usuários. Um aspecto que fortalece essa relação é mudança dos portões de enrolar existentes nos comércios atuais por grandes janelas, onde aqueles que passam pela praça possam visualizar e participar das atividades que acontecem nas oficinas. Além disso a construção de paredes com meia altura para fechamento das oficinas cria um espaço

N

C

5

6

7

14

2

3 A

A 4

3

1 8

13

9 10

10

11

12

11

C

PLANTA - ESCOLA DE ARTES 0

1

5

LEGENDA 15 01_SECRETARIA 02_MEMORIAL MERCADO MUNICIPAL 03_EXPOSIÇÃO 04_LIVING 05_OFICINA DE DESENHO

20

06_OFICINA DE RESTAURO 07_OFICINA DE FOTOGRAFIA 08_OFICINA DE PINTURA 09_OFICINA DE RESTAURO 10_SANITÁRIO FEMININO

11_SANITÁRIO MASCULINO 12_DEPÓSITO MATERIAIS / LIMPEZA 13_LOJA DE ARTIGOS DE ARTE 14_LIVRARIA


Materiais A adaptação do edifício para abrigar uma escola de oficinas ira intervir em todos seus aspectos, desde sua planta até seus acabamentos através de uma restauração em que se deve preservar o valor e originalidade arquitetõnica da obra. Pelo que se tem conhecimento sobre o mercado quando inaugurado, este é bem diferente daquilo que encontramos atualmente. PLANTA DEMOLIR E CONSTRUIR - MERCADO MUNICIPAL

Em 1905 quando aberto ao público, o acabamento das paredes era

01

5

15

LEGENDA

em tijolinho aparente, foi levado muitos anos para que fosse aplicado ALVENARIA À CONSTRUIR ALVENARIA À DEMOLIR ALVENARIA À MANTER NIVELAR PISO COM RESTANTE DO MERCADO

reboco e por fim uma pintura. Partindo desta informação, é provável que o intuito original deste acabamento

não

era

uma

pintura,

assim uma das intervenções que será realizada no edifício é retornar ao tijolo aparente.

RUA SANTA CRUZ

que esta localizada aos fundos da obra (onde atualmente ficam os banheiros) foi reformulada de forma que esta se destoe do restante da escola. Nesta mesma área terá o reservatório para abastecimento de

ESTACIONAMENTO

chapas metálicas, distinguem o novo do antigo. Assim toda a parte nova

PRAÇA DA BANDEIRA

Utilizando alguns elementos novos, como portas de correr de

água no edifício, facilitando a construção do mesmo conforme a necessidade atual do local.

PLANTA ATUAL - MERCADO MUNICIPAL 01

5

15

VISTA POSTERIOR 0 1

5

15

VISTA LATERAL 0 1

5

15

CORTE A 0

1

5

15

21


MUSEU DE ARTE SACRA Implantado no centro histórico de Itu, em uma praça que se conecta diretamente com o passado através da Igreja Santa Rita e o Mercado Municipal, o novo edifício que abrigará parte desta história propõe N

C

uma relação entre o antigo e o novo, através de uma arquitetura contemporânea. Manipulando materiais, técnicas e volumes (traços retos / ângulos / escada rolante / jardim

17

vertical), a obra trás um aspecto moderno, de forma que esta se distingue do restantes dos edifícios da área de intervenção, respeitando a arquitetura ali presente e criando assim uma unidade.

7

O projeto de uma planta livre para o museu de arte sacra e a biblioteca faz com quem esses

16

B

ambientes consigam expor e trabalhar com espaços e volumes flexiveis. Dessa forma, em um único volume se concentra áreas técnicas, circulações e banheiros, este invade o bloco central (que possui o museu e a

S

biblioteca) e cria uma fusão harmônica pouco perceptível internamente, mas clara e marcante

15

externamente.

6

Com fachadas cegas, o novo prédio projeta um grande painel envidraçado em sua face frontal (fachada sul), este é voltado para a praça e seus edifícios históricos, como forma de apreciar a vista, com uma leve inclinação nesta fachada, o novo edifício acaba fazendo uma reverência em forma de respeito pelo

14

passado ali presente. A escada rolante também ganha destaque e traz um ar de modernidade, esta se enaltece com o imenso jardim vertical, criando um belo espaço nos diversos halls.

B

Como uma maneira convidativa, o térreo possui uma grande praça coberta, que possui uma leve

9

13

9

inclinação para dentro do edifício, nesta área fica localizada a cafeteria com o intuito de gerar interesse para visitar o prédio, além de atender aqueles que somente estão de passagem. A aplicação de certos materiais simples e atuais faz com que esta obra se distingua do restante do conjunto. Nela são utilizados elementos como o concreto aparente (externo), chapas de aço corten, jardim vertical, escada rolante, paredes brancas (interno), grandes áreas com fechamento em vidro, laje nervurada em cubeta aparente, entre outros.

12

C

PLANTA SUBSOLO - MUSEU DE ARTE SACRA C

0

5

1

15

11 D

7

S

B

S

8 6 9

10

5

VISTA LATERAL

4

0 1

5

15

B 3

S

2

VISTA FRONTAL

0 1

15

LEGENDA

1

C

PLANTA TÉRREO - MUSEU DE ARTE SACRA 15

22

5

5

1

0

01_PRAÇA COBERTA 02_CAFETERIA 03_LIVING 04_RECEPÇÃO 05_ACESSO CARGA E DESCARGA 06_ELEVADOR DE CARGA 07_ELEVADOR 08_SANITÁRIO FEMININO

09_SANITÁRIO PNE 10_SANITÁRIO MASCULINO 11_ACESSO ADMINISTRAÇÃO 12_ESTACIONAMENTO 13_ADMINISTRAÇÃO 14_COPA 15_CATALOGAÇÃO / RESTAURAÇÃO 16_DEPÓSITO DE LIMPEZA


C

7

S

7

S

B

B

S

21

8

18

B

C

6

22

10

8

18

9

B

D

10 9

D

19

19

S

6

20 23

C

C

PLANTA 1º PAV. - MUSEU DE ARTE SACRA

PLANTA 2º PAV. - MUSEU DE ARTE SACRA

0

0

1

5

15

1

5

15

17_GERADOR / GÁS / LIXEIRA 18_HALL 19_GUARDA-VOLUMES 20_MUSEU DE ARTE SACRA 21_DEPÓSITO DE OBRAS 22_DEPÓSITO DE LIVROS 23_BIBLIOTECA

CORTE B 0

1

5

15

23


A VISTA DO TRANSEUNTE EM MEIO A PAISAGEM URBANA Ao caminhar pela intervenção, o transeunte passará por sensações diferentes, por exemplo ao passo que ele avança da Rua Sete de Setembro em direção a Igreja Santa Rita como no mapa abaixo, ele irá vivenciar um conjunto de edifícios com seus diversos usos e arquiteturas, como mostrado na sequência das imagens. A primeira se refere a vista em relação a uma arquitetura contemporânea onde irá abirgar o Museu de Arte Sacra, ao chegar na esquina a visão se abre para uma praça e criar certa surpresa ao trausente por conta da Escola de Artes na obra restaurada de Ramos de Azevedo (arquitetura do séc. XX), se ja não bastasse ao continuar caminhando em direção a Igreja, logo após a escola, o trausente possui uma outra surpresa, pois novamente a paisagem muda com os comércios restaurados com a arquitetura colonial encontrada no centro histórico. É através desse conjunto de edifícios que se consegue a "arte diferente" na citada na introdução deste trabalho. É a diferença destas obras junto com a unidade da praça que irão trazer para o pedestre um espaço repleto de cultura, surpresas, pontos focais e vistas variadas.

1 N

2

VISTA 01

3

VISTA 02

VISTA 03

24


MAQUETE ELETRÔNICA - ESCOLA DE ARTES

MAQUETE ELETRÔNICA - MUSEU DE ARTE SACRA

CORTE C 0

1

5

15

25


26


27

Profile for Marielle Ferrari

Portfólio Marielle Ferrari  

Portfólio Marielle Ferrari  

Advertisement