Page 1


“Educar é crescer. E crescer é viver. Educação é, assim, vida no sentido mais autêntico da palavra.” (Anísio Teixeira) O desenvolvimento do projeto “Escola de Educação Profissional e Equipamentos Sociais” garante a qualidade do ensino técnico em construção civil, através da integração entre teoria e prática, potencializada pela estrutura espacial e física do edifício. A implantação de um equipamento educacional, juntamente com equipamentos sociais valoriza o potencial da área em estudo, garante a qualificação do espaço público e enfatiza o caráter central da área como forma de associação comunitária dos próprios moradores.


O projeto “Parque Linear da Lagoa”, desenvolvido pelo grupo PET Arquitetura e Urbanismo, surge a partir de uma demanda da cidade de Campinas, apresentada pela Secretaria Municipal do Verde, Meio ambiente e Desenvolvimento Sustentável (SVDS), da Prefeitura Municipal de Campinas, com base no Convênio estabelecido juntamente com a Pró-reitoria de Graduação da PUC-Campinas. O desenvolvimento do trabalho é uma oportunidade de reflexão crítica sobre as contradições das políticas públicas ambientais que atuam sobre os espaços públicos de nossa cidade. O projeto “Parque Linear da Lagoa” atua como uma estratégia de requalificação da paisagem urbana, contribuindo para a estruturação do sistema de espaços livres na escala do município.


SÍNTESE ANALÍTICA MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA (2016) O planejamento urbano proposto para um município introduz ao estudo possíveis instrumentos e formas de regulação urbana da cidade contemporânea brasileira. O desenvolvimento do projeto em escala urbana leva em consideração aspectos físico-territoriais, potencialidades e conflitos urbanos, formas de valorização imobiliária, o papel da gestão pública e da participação social nas propostas de intervenções urbanas. A cidade de Jaguariúna atualmente convive com o impacto físico-territorial da Rodovia, que atua como um limite de expansão urbana e divide o município ao meio, caracterizando duas áreas completamente divergentes. A proposta de desenvolvimento urbano para a cidade tem como objetivo dissolver a barreira física da Rodovia, fazendo com que sua existência não impeça o crescimento e a integração entre as duas áreas da cidade. Pretende-se garantir o crescimento do município com qualidade, de forma que respeite a constituição da cidade antiga, mas também realce o modelo e a identidade da cidade contemporânea.


ESTRATÉGIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA (2016-2036) O novo desenho urbano, previsto para 2036, será capaz de garantir qualidade de vida para os novos 20.000 moradores da cidade de Jaguariúna (crescimento anual de 2%). Essa nova urbanização surge como uma nova centralidade para a cidade, destacando a riqueza dos contrastes entre a época histórica e a contemporaneidade. O modelo urbano planejado para 2036 é mais contido, devido à verticalização habitacional (maior adensamento), principalmente em áreas próximas a linha férrea, onde há necessidade de maior infraestrutura. A ferrovia existente (subutilizada atualmente) foi considerada como um grande meio de transporte para 2036, devido a sua influência interna ao município e abrangência interurbana. A nova centralidade da cidade surge a partir do entroncamento de relações humanas e de mobilidade urbana, que se fundem em um centro que valoriza o pertencimento e a permanência, integrados a cultura e ao lazer.


INSTRUMENTOS URBANÍSTICOS - ZONEAMENTO URBANO MUNICÍPIO DE JAGUARIÚNA (2036) - ZEIS (Zona Especial de Interesse Social) - As ZEIS são definidas para o cumprimento da função social da cidade, a partir do índice de pobreza do município de Jaguariúna, correspondente a 14,09%. Em 2036 a área habitacional total, destinada a Habitação de Interesse Social possibilita a ocupação de 9.800 pessoas, dentre as 70.000 existentes. - PEUC (Parcelamento, Edificação e Utilização Compulsórios) – O PEUC é aplicado para melhorar e ampliar a oferta de habitação, com intuito de adensamento da área. No caso de Jaguariúna, o instrumento aplica-se em áreas subutilizadas, que não cumprem sua função social na cidade. - Outorga Onerosa de Uso – Compra de perímetro urbano – A Outorga Onerosa de Uso permite o uso/compra de áreas que estão além do perímetro urbano, desde que haja uma justificativa de expansão urbana.


PROPOSTA MACROZONEAMENTO URBANO

PROPOSTA SISTEMA VIÁRIO

PROPOSTA SISTEMA DE ESPAÇOS LIVRES

CENTRALIDADES EXISTENTES E PROPOSTAS

PROPOSTA DE SETORIZAÇÃO

PROPOSTA PERÍMETRO URBANO 2036

O novo Perímetro urbano atua como limite de expansão das ilhas urbanas desassociadas no Município. Dessa maneira, a urbanização centralizada no território garante o investimento urbano concentrado, melhor qualidade de vida, maior aproveitamento dos recursos e contenção de gastos.


B

A

A

B B

A

A

PM B


VMPM

PF

PM

PF

PF

VMPM

PF

PF

PF

VM

VM

VM

PF

PF

PF

PF

VMPM

VF

VF

PF

PF

VM

PF

PF

PF

PF

PF

PF

PF

PF

PF


A

B

C

D

A

B

C

D

1

2

C

ELEVAÇÃO NORTE

D

1 A

B

B

ELEVAÇÃO OESTE

ELEVAÇÃO LESTE

A

2

C

ELEVAÇÃO SUL

D


Conexão resistente a cisalhamento pode ser executada com um T ou 2 cantoneiras, ou com placa de reforço soldada à coluna

Conexão resistente a cisalhamento pode ser executada com um T ou 2 cantoneiras, ou com placa de reforço soldada à coluna

Cantoneira estabilizadora Cantoneira estabilizadora

Conexão resistente a cisalhamento pode ser executada com um T ou 2 cantoneiras, ou com placa de reforço soldada à coluna

Encaixes entre vigas e pilar SEM ESC.

Cantoneira estabilizadora

Cantoneira estabilizadora


EDIFÍCIOS DEMOLIDOS

INTERVENÇÕES

EDIFÍCIO DA ESTAÇÃO ANEXO

CONCEITO APLICADO: MÓDULO


O projeto de intervenção para área da “Estação Cultura” (FEPASA) da cidade de Campinas visa à conservação do Patrimônio e a valorização do complexo, tornando-o mais próximo e coerente com o contexto urbano e social ao seu redor. A proposta do edifício anexo tem como diretriz a modulação e distinguibilidade das formas, a fim de garantir a identidade de cada época, o contraste entre o antigo e o contemporâneo, e a existência, em conjunto e harmonia, de tecnologias, materiais e formas distintas. O edifício anexo abriga o “Centro de Estudo e Biblioteca da Cidade”, incluindo espaços de permanência, contemplação e uma área para o Condepacc e seus acervos. O projeto visa à integração e valorização do Patrimônio à realidade contemporânea, de forma que a população se identifique e pertença ao espaço, garantindo a sua preservação.


Portfólio Maria Stella Angote  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you