Page 1


7ATOS O projeto traz um recorte de sete trabalhos, realizados por nove fotógrafos, onde são abordados diversos temas como intervenções, a cidade e a intimidade. 7 Atos é uma narrativa dividida em pequenos contos, onde não há uma ligação aparente, mas todos transmitem o mesmo momento, o hoje. A ideia de atos tem como base para a exposição o conceito em que cada trabalho é, para cada fotógrafo, uma etapa de um processo criativo que faz parte de algo contínuo, a construção de um mundo particular representado por suas fotos. Fragmentos da cidade, lados de um todo subjetivo, um olhar particular de um todo invisível, o resgate de um momento, de uma lembrança ou de um retrato, a memória reavivada. Um mergulho na intimidade, no mundo fechado e particular dos personagens: os desejos, as vontades, a força que nos motiva e que nos toma, os personagens e sua cidade, uma vez sendo os dois o mesmo e de lá não se distanciam os dois, e sim o personagem se torna parte da cidade e a cidade é ofuscada pelo personagem. Duas visões distintas que tem como base o mesmo referente, o momento, o hoje, o retrato. Tudo o que citamos cria o que vivemos, e o que sentimos. Essa exposição nada mais é do que 7 olhares, 7 sentimentos, 7 vidas e daí não se deve nunca entende-las, mas sim senti-las.


Projeto com interação das pessoas com seus objetos do querer e seus desejos. No presente, passado e futuro. Através de projeções, levado assim aos seus devaneios, lembranças, sonhos, imagens e fantasias. Por parte do observador dessas imagens fica a subjetividade, onde o leva a criar sua própria interpretação, devaneios sobre essas imagens.

DEVANEIOS DO QUERER Sem título, 2012 / 2013 Papel algodão impresso em jato de tinta 20X84cm Letícia Braga e Renatha Sant'anna


Série de retratos feita com projeções de fotografias antigas de álbuns de família ou coleções pessoais, sobre as pessoas retratadas. A ideia é resgatar momentos passados e talvez esquecidos, colocando a pessoa em contato direto, praticamente inserida na projeção da imagem. Como se o registro fosse feito diretamente de suas memórias pessoais. Em alguns casos há uma remontagem da cena

RESGATE DA MEMÓRIA Sem título, 2011 Papel de algodão impresso em jato de tinta 45x50cm Danilo Salfemoser


Nesta série de dípticos retratos são associados com objetos no intúito de criar uma nova relação entre imagens, fazendo com que o resultado dessa relação seja livre para o espectador Ligação entre cores, formatos e outras idéias formais podem se relacionar com sensações, memórias ou mesmo com a própria confusão.

INTERIORIDADE Sem Título, 2013 Papel de algodão impresso em jato de tinta 20x30cm Eugênia Fajardo


Intervenções urbanas foi a maneira escolhida para ressaltar a necessidade do individuo de construir uma nova realidade através de expressões visuais. Este movimento adotado em metrópoles é muitas vezes uma ferramenta de desobediência, neste caso desobedecer é uma forma de atestar a individualidade do ser e trazer à tona a consciência de humanização da cidade.

SUBJETIVO Sem título, 2012. Papel algodão impresso em jato de tinta 20X30cm Ana Caxi


Observador voa sobre o objeto e de sua caminhada reflete sobre o lugar e cria seus personagens que ali se tornam o que podemos dizer de reflexões de um momento. Essa montagem ali exposta de vidas de personagens e de objetos recria o que nos é dado, dali o olhar começa a ser redefinido e dai o mercado se torna pessoas.

FLANAR Sem título, 2013 Papel algodão impresso em jato de tinta 40x90cm Willian Prado


A sociedade da urgência e do consumo deixa as pessoas desatentas às belezas cotidianas da cidade de São Paulo. Fragmentos de espaço da cidade e dos indivíduos escolhidos pelo acaso do instante fotográfico. Esses mesmos indivíduos que passam desatentos às belezas peculiares paulistanas, mal se dão conta que também compõem esteticamente a cidade.


O ensaio é parte da documentação de uma ação performática realizada em 2011. A ação consistiu em observar e documentar um personagem mimeticamente inserido em local de descarte de lixo e intensa passagem. Com a pretensão de trazer para o cotidiano a reflexão sobre o valor do indivíduo que vive em situações precárias, as imagens ressaltam a reação das pessoas com o inusitado, o que foge ao seu cotidiano.

MIMETISMO Sem Título, 2011 Papel de algodão impresso em jato de tinta 45x50cm Tamires Prado e Mariane Lima


Apoio:

7ATOS  

Exposição 7ATOS 31 de Maio a 5 de Junho Abertura 31 de Maio às 20:00 horas