Page 1

Newsletter 速 Ricardo Pinto


!

Sumario! ! 1. Diário de Bordo………………………. 3!

!

1.1 O nosso percurso ………………. 4!

2. Radar Notícias …………………..… 5!

! 3. Opinião ……………………………..15! !

!

4. Curiosidades ………………………21!

! 5. Entidade Parceira……………….…23!

! 6. Agenda……………….……………..24!

! ! Edição Nº1

Associação Regional de Vela da Madeira

Abril 2014

!

!

Complexo Piscinas Olímpicas do Funchal, Beco dos Álamos Santo António 9020-021 Funchal    

! !

Editores Mariana Sousa Francisco Trigo

Colaboração de: Sérgio Jesus João Rodrigues

!

Web: www.arvm.pt       E-mail: arvm@netmadeira.com

!

T: 291 224 970


1.DIÁRIO

DE BORDO SÉRGIO JESUS | PRESIDENTE ARVM

Esta primeira edição da Newsletter VELA MADEIRA, é uma materialização de intenções que cedo esta Direcção manifestou, como uma forma da ARVM poder desempenhar o seu papel de agente inclusivo e agregador de indivíduos e instituições, implicadas com a modalidade da Vela no contexto regional. Desde início, assumimos o compromisso de fazer com que a Vela na Madeira, se desenvolvesse em expressão e qualidade, não obstante estarmos cientes, que o tempo das “vacas gordas” não passava de uma lembrança, e que os recursos ao dispor, no momento presente eram escassos e incertos. Nesse sentido, traçámos um rumo, por forma a permitir amplificar a Vela junto dos potenciais interessados, bem como afirmar a ARVM, como um player capaz de assegurar e defender os interesses da modalidade do ponto de vista desportivo, mas também perspectivar um papel mais abrangente, nomeadamente em áreas de assumida importância para a Região, casos do Turismo e do Ambiente, por acreditarmos que a modalidade que nos é cara, tem características únicas, que lhe conferem, elevado potencial, e que ao contrário das ditas, modalidades “com bola”, não carece de investimento estrutural expressivo, pois o seu principal recurso, o Mar, já há muito foi inaugurado. Pese embora, esta feliz constatação, verificamos que os acessos e os recursos, que nos permitem usufruir desse equipamento desportivo de eleição, são escassos, mal dimensionados, negligenciados pelas autoridades competentes, e sucessivamente são sacrificados, por intenções e motivações que nada têm a ver com o interesse pela prática desportiva náutica, sendo que neste capítulo, só com uma maior comunicação dos executores com as entidades de reputada experiência nestes domínios, é que poderão surgir intervenções realmente proveitosas e eficientes. Esta newsletter, é por isso mais uma expressão prática, da nossa intenção em promover a modalidade, trazendo à discussão, temas pertinentes e de actualidade, convidando à participação

!

de todos, sejam atletas, treinadores,

“Desde o início, assumimos o compromisso de fazer com que a Vela na Madeira, se desenvolvesse em expressão e qualidade”

o fenómeno da Vela, por forma a podermos

dirigentes, árbitros, ou outros implicados com incrementar o intercâmbio e a convivência de experiências, promover o debate, e transmitir ao meio envolvente, o que se passa na Vela Madeira, durante a época, esbatendo pré conceitos e esclarecendo, para que o Mar e a Vela, cada vez mais façam parte da vida de todos os Madeirenses e Porto Santenses. Que seja a primeira de muitas edições! ! 3 de 2 ! 5


1.1. O nosso percurso -Fevereiro 2013 a Março 20141. L e v a n t a m e n t o d a s c a p a c i d a d e s instaladas/ necessidades na RAM 2. Apresentação das linhas programáticas da ARVM 3. Assinatura do protocolo de colaboração entre a ARVM e Clube Naval do Seixal, destinada às embarcações (Raquero/ Optimist) 4. Ativação da Comissão Técnica da ARVM, prevista nos estatutos da ARVM 5. Reintrodução das “Regatas Final de tarde” 2

6. Restruturação do calendário de provas, com aumento do número provas 7. Arranque de obras da nova infraestrutura da ARVM em São Lázaro 8. Demarcação/Pintura das áreas dos Associados em São Lázaro 9. Varagem da Lancha Atlântida 10.Elaboração dos Planos de Acção para a classe J22, Estações náuticas/Turismo Náutico

3

3

11.Elaboração Cartaz para o Congresso de D e s p o r t o d a R A M - “ R e fl e t i r e Perspectivar o Futuro” 12.Dinamização das atividades de verão/ escolas de vela dos Associados 13.A p r e s e n t a ç ã o d e P l a n o d e desenvolvimento de Vela ao Município do Funchal 14.Elaboração das estatísticas (Demografia Federada) e (Participação Regional) 15.Atualização permanente dos resultados das provas e atualização dos rankings de atletas

7

!

9

16.Marketing através de elaboração de press realease enviados à imprensa e colocação nas redes sociais. ! 4 de 2 ! 5


11. Cartaz para o Congresso de Desporto da RAM - “Refletir e Perspectivar o Futuro�

! 5 de 2 ! 5


RADAR

2.

Notícias ! •Atividades Institucionais e Lúdicas •Atividades Desportivas

! 6 de 2 ! 5


Gala Entrega de prémios ARVM-Vela A primeira acção da ARVM na época 2013/2014 aconteceu no dia 3 de Outubro de 2013, com a Gala de entrega de prémios a todos os velejadores das t rê s ú l t i m a s é p o c a s d e s p o r t i v a s . (2011/12/13)

!

A Gare Maritima do Funchal foi o cenário escolhido para o momento. Contando com a presença de cerca de uma centena de velejadores, familiares e aficcionados da modalidade, o espaço encheu-se para reconhecer o esforço e dedicação de todos os que se dedicam à Vela desportiva.

! Segundo as palavras do presidente da ARVM, Sérgio Jesus, haverá sempre mais merecedores do que distinguidos, e assim conta ao longo das próximas épocas poder manter estas distinções, que visam principalmente dar o mérito a quem para além do que lhe compete fazer, o fez com afinco e em prol da Modalidade da VELA.

! de 2 7 ! 5


I Encontro de Natal de jovens velejadores A iniciativa, organizada pela ARVM, juntou no Madeira Magic cerca de oito dezenas de crianças e jovens praticantes da modalidade, num evento que teve como objectivo principal o convívio e a celebração natalícia. Preparado especialmente para agradar os mais jovens, a ARVM criou um programa de actividades repleto de animação. Houve jogos dinâmicos no exterior, brincadeiras nos insufláveis e até mesmo um jogo de futebol e um momento de teatro. O evento animado, que contou com o apoio do Grupo Pestana, Pastelaria da Avó e da BRISA, terminou com um lanche convívio para todos os presentes com muito algodão doce. Depois do sucesso do I Encontro de Natal, a ARVM quer continuar a apostar neste tipo de iniciativa, promovendo momentos de convívio saudável para os praticantes desta modalidade desportiva e comprovando que a Vela é muito mais do que aquilo que acontece no mar.

! 8 de 2 ! 5


Estágio de Natal Numa iniciativa e organização do Iate Clube de Santa

de inúmeras situações complexas com que os

Cruz, a baía do Funchal foi, no último fim-de-semana

velejadores se deparam constantemente em

de 2013, palco de um estágio para vela regional,

competição, como aplicação de regras, largadas,

aberto à classe Optimist Infantil e Juvenil, à classe

rondagens de boia, afinação e tática, repetidas

Laser 4.7, Radial e Standard e ainda às classes de

sucessivamente, supervisionadas e corrigidas

Pranchas à vela RSX, Techno e Raceboard, o qual

diretamente pelo corpo técnico envolvido, no barco

contou com a participação de quatro dezenas de

de júri e nos vários barcos com treinadores. Esta

velejadores oriundos de diversos clubes da RAM,

atividade foi sempre antecedida de um pequeno

nomeadamente ANM, CNF, CTM e ICSC.

briefing com todos os envolvidos, para clarificar os

O ICSC, que, por impossibilidade de utilizar o seu

seus objetivos, e concluída com um debriefing para

campo de regatas, por interdição à navegabilidade

correção e clarificação das situações detetadas.

do porto de abrigo de Santa Cruz devido ao mau

No mar as condições estiveram perfeitas, atendendo

tempo que se fez sentir em Dezembro, teve

à diversidade de vento e ondulação que se fizeram

necessidade de transferir transitoriamente a sua

sentir, permitindo aos envolvidos criar e testar

estrutura e staff de competição para São Lázaro, no

práticas nos mais distintos cenários, contribuindo

Funchal, para as instalações da Associação Náutica da

para o enriquecimento de todos os envolvidos, uma

Madeira e da Associação Regional de Vela da

atividade a repetir.

Madeira, as quais vieram a contribuir e colaborar na

A ARVM regozija-se com os resultados obtidos por

coorganização do estágio.

esta excelente iniciativa do ICSC, com o contributo da

Esta atividade, não obstante do seu agendamento

ANM, do CTM, do Departamento Técnico e do

tardio resultado da supracitada transição, a qual

Conselho Regional de Arbitragem da ARVM, que

contribuiu para um maior entrosamento das partes,

permitiram levar ao mar cerca de 18 velejadores do

foi muito participada ao nível de atletas e permitiu o

ICSC, 10 da ANM, 8 do CTM e 6 do CNF, louvando a

envolvimento de treinadores e juízes das várias

participação de todos os velejadores assim como dos

estruturas regionais, complementadas com a

diversos voluntários, nomeadamente Jorge Pinto,

participação de diversos e consagrados ex atletas,

Ricardo Câmara, Pedro Marques, André Vieira,

que não se coibiram de prescindir de algum do seu

Francisco Trigo, Rosa Ornelas, Duarte Drummond,

período de descanso natalício contribuindo para a

Pedro Vasconcelos, Ricardo Quaresma, Jonh Tavares,

qualificação da vela ligeira regional.

Tiago Leal, João e Rita Pinto, assim como do

O estágio teve duas vertentes específicas, uma de

reconhecidíssimo João Rodrigues.

âmbito teórico e outra de âmbito prático. Na primeira

!

foram abordados temas como Regras Regata 2013-2016, a VELA - Conceitos e realidades (escola, competição e alta competição) e ainda a Condição e Preparação física, com Duarte Drummond, João Rodrigues e Pedro Vasconcelos como preletores, respetivamente. A segunda foi desenvolvida em torno da prática, desde a preparação da embarcação à prática no mar

! 9 de 2 ! 5


Atividades Desportivas Época 2013/14 1! 0 d e 2 ! 5


Torneio de Abertura da Época Associação Nautica da Madeira 12 Outubro 2013

O torneio de abertura da nova época desportiva 2013/2014 foi organizado pela Associação Náutica da Madeira com o apoio da Associação Regional de Vela tendo contado com 69 participantes, a maioria novos velejadores, distribuídos pelas várias classes da modalidade.

Torneio de Outono Centro Treino Mar 26 e 27 Outubro 2013

Foi no fim-de-semana de 26 e 27 de Outubro de 2013 que o Centro Treino Mar em coorganização com a Associação Regional de Vela organizou, na baía do Funchal, o Torneio de Outono de Vela Ligeira da Região. Contou com a presença de cerca de seis dezenas de velejadores, sendo a classe Optimist a maís concorrida.

1ª Prova Campeonato da Madeira Vela Ligeira - BRISA Centro Treino Mar 9 e 10 de Novembro 2013 O Centro Treino Mar e a Associação Regional de Vela, levaram a efeito no fim-de-semana, 9 e 10 de Novembro, a primeira prova do Campeonato da Madeira de Vela Ligeira – BRISA. A prova contou com 72 velejadores inscritos.

1! 1 d e !2 5


Regata São Silvestre

29/12/2013

Cumprindo-se mais uma vez a tradição de uma das Regatas mais importante dos calendário regional, a São Silvestre, realizou-se no dia 29 de Dezembro pelas 16:51 horas na Baía do Funchal e o Ilhéu do lido, num total de 5 milhas náuticas, com 9 embarcações participantes. Organizada pela Associação Náutica da Madeira A prova realizou-se com a colaboração da Empresa de Cervejas da Madeira, e do Bar da Associação Náutica da Madeira.

1ª Regata Final de Tarde 04/01/2014 Seis embarcações marcaram presença, naquela que foi a primeira Regata Final de Tarde da época desportiva 2013/2014. Organizada pelo Centro Treino Mar em colaboração com a Associação Regional de Vela.

24º Festival Náutico Aniversário Centro Treino Mar 19/01/2014 O Centro Treino Mar e a Associação Regional de Vela da Madeira, levaram a efeito no fim-de-semana,19 de Janeiro, o 24º Festival Náutico Aniversário Centro Treino Mar, para as classes de Vela Ligeira. Participaram cerca de seis dezenas de velejadores. O Centro Treino Mar comemorou o 24º aniversário de uma longa atividade no mar.

1! 2 d e !2 5


Torneio Exictos - 3ª Prova do Campeonato da Madeira de Vela Ligeira - BRISA 25 e 26/01/2014 Perto de sete dezenas de velejadores abrilhantaram, nos dias 1 e 2 de Fevereiro, aquela que foi a terceira prova do Campeonato da Madeira de Vela Ligeira/BRISA, a primeira de apuramento regional para os campeonatos nacionais. Num evento organizado pelo Clube naval do Funchal, em coorganização com a Associação Regional de Vela da Madeira e com o patrocínio da marca EXITOS, a baía do Funchal serviu de palco para um bom espetáculo de Vela Ligeira. Nesta terceira prova do Regional assistiu-se a um bom número de participantes, o que demonstra a uma permanente aposta da Vela na Região.

IV Torneio Caixa Geral de Depósitos– 4ª Prova do Campeonato da Madeira de Vela Ligeira - BRISA 15 e 16/2/2014 O Clube Naval do Funchal em coorganização com a Associação Regional de Vela da Madeira, como Autoridade Organizadora, com o patrocínio da CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS e BRISA, realizaram o IV TORNEIO CGD - 4ª PROVA DO CAMPEONATO DA MADEIRA DE VELA LIGEIRA – BRISA, 2ª Prova de Apuramento Regional, nos dias 15 e 16 de Fevereiro, com a participação de sete dezenas de velejadores distribuídos pelas várias classes da Vela Ligeira.

!

1! 3 d e 2 ! 5


Regata Final de Tarde Carnaval CORAL A vela de cruzeiro voltou ao mar, depois de alguns adiamentos devido às condições meteorológicas nos últimos meses, tendo-se realizado, a regata de fim de tarde alusiva ao carnaval! co organizada pela Associação Náutica da Madeira, e Associação Regional de Vela da Madeira, tendo contado com 5 embarcações, e movimentando mais de 40 participantes.

!

MUTUA SEGUROS - 4ª Prova do Campeonato Regional Vela Ligeira - BRISA 15 e 16/03/2014 Depois de cinco meses “ausente” da vela regional, devido ao temporal que assolou a cidade em Novembro de 2013, a baía de Santa Cruz voltou a servir de capital para mais uma prova do Campeonato da Madeira de Vela Ligeira. A competição organizada pelo Iate Clube de Santa Cruz, em colaboração com a Associação de Vela da Madeira, acabou por ser um enorme sucesso, muito devido ao número recorde de inscritos, que ascendeu as sete dezenas, bem como às condições de mar, que proporcionaram bonitos espectáculos ao longo das cinco regatas que foram concluídas nos dois dias de evento. A verdade é que se lutou muito até ao último “apito” dado pela comissão de regatas, nomeadamente na classe Optimist juvenil, onde estava em causa a definição dos oito melhores velejadores que garantiam o acesso ao Campeonato nacional da classe. Se o espectáculo foi garantido no mar, em terra a festa continuou com a cerimónia de entrega de prémios.

Regata SEIÇAL/CORAL - 1ª Prova do Circuito Regional de Vela de Cruzeiros 22/03/2014 Oito embarcações marcaram presença naquela que foi a primeira “largada” da época no que concerne ao Campeonato da Madeira de Vela da classe Cruzeiros. Organizada pelo Clube Naval do Seixal em colaboração com a Associação de Vela da Madeira. Com um percurso de nove milhas náuticas compreendida entre a baía do Funchal e a de Câmara de Lobos. 1! 4 d e !2 5


Os Nossos Velejadores … Lá Fora ! Participações Nacionais e Internacionais

1! 5 d e !2 5


Participações Nacionais Atletas

Clube

Classe

Nome da Prova

Classificação

Alberto Rodrigues

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Alexandre Rebelo

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Alexis dos Santos

CTM

RS:X 8.5

Campeonato Nacional Windsurf

Alivar Cardoso

CNF

Optimist

Campeonato de Portugal de Juvenis

107º

António Castro

CTM

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

António Perestrelo

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Artur Marques

CNF

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

Bruno Fernandes

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

David Santos

CNF

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

Filipe Caires

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Francisco Gouveia

ICSC

Laser 4.7

Campeonato de Portugal de Juniores e Abs

11º

Frederico Rodrigues

CTM

RS:X 8.5

Campeonato Nacional Windsurf

Gil Costa

CTM

RS:X 8.5

Campeonato Nacional Windsurf

Guilherme Marques

CNF

RS:X 8.5

Campeonato Nacional Windsurf

João Rodrigues

CTM

Raceboard e

Campeonato Nacional Windsurf

Joel Figueira

CNF

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

Luis Rodrigues

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Mafalda Freitas

CNF

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

10º

Margarida Rodrigues

CMT

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

1! 6 d e !2 5


Matilde Freitas

CTM

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

Miguel Gomes

CNF

Optimist

Torneio internacional Vilamoura

26º

Campeonato de Portugal de Juvenis

52º

Laser Europa Cup 2012

Torneio Internacional de Vilamoura

10º

Campeonato de Portugal de Juniores e Abs

Prova de Apuramento Nacional - Norte

Pedro Correia

CNF

Laser Radial

Pedro Ideia

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

10º

Ricardo Pinto

CNF

SB20

1ª Prova SB20

Ricardo Silva

CTM

Raceboard

Campeonato Nacional Windsurf

Ricardo Sousa

CNF

Techno 293

Campeonato Nacional Windsurf

Tiago Leal

CNF

F18

Campeonato Nacional da Classe F18

Campeonato Nacional de SB20

18º

Campeonato Nacional Windsurf

Tómas Silva

CTM

Techno 293

1! 7 d e 2 ! 5


Participações Internacionais Atletas

Clube

Classe

Nome da Prova

Classificação

Alexis dos Santos

CTM

RS:X 8.5

Eurosaf Youth Sailing, European Championship

15º

43rd ISAF Youth Sailing World Championship

25º

RS:X Open Youth European Windsurfing Championships

23º

Eurosaf Youth Sailing, European Championship

Semana Olímpica de Andaluzia

10º

RS:X Open Youth European Windsurfing Championships

30º

Eurosaf Youth Sailing, European Championship

13º

Semana Olímpica de Andaluzia

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

BMW Sailing Cup

Frederico Rodrigues

Guilherme Marques

Helder Basílio

CTM

CNF

ANM

RS:X 8.5

RS:X 8.5

Soto 40

1! 8 d e 2 ! 5


Jorge Ferreira

Pedro Correia

Pedro Marques

Pedro Silva

Tiago Leal

Tiago Leal (equipa)

João Rodrigues

John Tavares

ANM

CNF

ANM

ANM

CNF

ANM

CTM

ANM

Soto 40

Laser Radial

Soto 40

Soto 40

Soto 40

Monotipos

RS:X

Soto 40

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

Semana Olímpica de Andaluzia

12º

Eurosaf Youth Sailing, European Championship

18º

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

BMW Sailing Cup

Delta Lloyd Regatta 2013

12º

RS:X World Windsurfing Championship

14º

RS:X European Windsurfing Championships

18º

32 Copa Del Rey Mapfre – Palma Maiorca

40 Trofeo de Vela Conde Godó

1! 9 d e 2 ! 5


OPINIÃO

3.

Vela - um Desporto de Cavalheiros

!

João Rodrigues - Campeão Olímpico de Windsurf

Desde os seus primórdios, enquanto modalidade náutica de lazer e de competição, a vela sempre foi considerada um desporto de cavalheiros. E o que se entende por tal? A vela, enquanto desporto com estrutura competitiva, exige aos seus praticantes um vasto e complexo conjunto de regras, que permitem estabelecer prioridades e regras de segurança quando em regata. O seu conhecimento é preponderante, não só para que a competição seja leal e objectiva, mas também como forma de respeito pelos restantes adversários, que munidos das mesmas ferramentas, podem competir entre si sem ambiguidades. Estas regras estabelecem igualmente penalidades para os infractores, que têm desta forma, possibilidade de se retratarem imediatamente. Naturalmente, em caso de dúvidas, que reconheço serem fáceis de ocorrer, dada a dificuldade natural que há em lidar com todas as regras de regata, sempre há a possibilidade de recorrer a um protesto formal. Mas há algo que está subjacente a toda a estrutura das regras de regata e dos princípios da arte de velejar e de competir: o bom senso e a humildade. Bom senso, porque praticamente todas as situações, quando em regata, podem e devem ser resolvidas fazendo uso desse instrumento. Humildade, porque reconhecendo as próprias falhas, evitamos situações que muitas vezes acabam na sala de protestos. Certa vez, num campeonato do mundo, vi dois velejadores aproximarem-se a grande velocidade de uma bóia do percurso. Era difícil perceber quem tinha prioridade e um deles entendeu que havia sido prejudicado pela manobra do outro. Pararam ambos então, ficando durante alguns segundos a discutir serenamente quem teria razão. No fim, ambos concordaram que seria difícil chegar a uma conclusão. Continuaram então em regata e só em terra, finda a competição desse dia, foram calmamente abordar o incidente entre ambos. Com aquela paragem em regata, perderam algumas posições, mas o respeito que nutriam um pelo outro falou mais alto. Desse respeito mútuo, firmou-se uma amizade que perdura até aos dias de hoje, muito mais importante do que qualquer resultado. Porque no final dos tempos, é isso que realmente conta...

! 0 de 2 2 ! 5


CURIOSIDADES

4.

Classe OPTIMIST O barco Optimist foi desenhado na Flórida em 1947 como uma alternativa aos carrinhos “Caixas de Sabão” nos quais, na altura as crianças colocavam velas afim de fazerem “Regatas” nas ESTRADAS. 
 Um desporto muito perigoso. 

A ideia do criador

destes barcos era arranjar um desporto mais seguro na água.

Rapidamente foi divulgado e alargado nos

Estados Unidos. 
 Em 1954 um Arquitecto Dinamarquês leu um artigo sobre estes barcos e achou que seria o barco ideal para os mais jovens. 
 O ano de 1957 foi de grande crescimento e êxito para a Classe Optimist. 
 Com a ajuda do velejador Paul Elvstrom, Medalha Olímpica, começaram a ser feitos, com grande êxito, cursos de verão e a organizarem-se regatas em toda a Dinamarca.
 Em 1959 deu-se um encontro de Optimists entre a Dinamarca e a Noruega e no ano seguinte os velejadores da Suécia aderiram às Regatas Internacionais. 
 Em 1960 foi criada uma Entidade afim de controlar a Vela de Optimist na Dinamarca.  Nessa altura já existiam naquele País cerca de 2000 Optimists divididos por 44 Clubes. 
 As pessoas  que visitavam a Dinamarca ficavam impressionados com aqueles barcos, e foi assim que a classe foi levada para outros Países além da Escandinávia.  Em 1965 uma regata realizada em 

ABO

na Finlandia foi

particularmente importante pois todos os Team-Leaders participantes na mesma decidiram que tinha chegado a altura para se formar uma Organização Internacional, e assim apareceu a

IODA (INTERNATIONAL OPTIMIST

DINGHY ASSOCIATION). 
 Em 1993 a IYRU  (presentemente ISAF – International Sailing Federation) aprovou os Estatutos da Classe. 
 O Optimist é a única classe “one design”  reconhecida pela ISAF para um velejador nesta classe etária. 
 Em 1966 foi realizada a primeira Regata Internacional fora da Europa, em Miami, Flórida. 
 Presentemente este barco é utilizado por mais de 150.000 jovens, entre os 6 e 15 anos, em mais de 90 Países de todo o Mundo. 
 ! 1 d e !2 5 2


Alguns dados técnicos das embarcação: 
 Peso do Casco  35 kg 
 Peso total já aparelhado    42 Kg. 
 Comprimento  2, 30 M. 
 Comprimento na linha de água  2,15 M. 
 Largura  1,13 M 
 Área Vélica  3,5 M 
   
 A Classe Optimist em Portugal conta com a organização de 3 Campeonatos do Mundo.
 Em 1980 em conjunto com o Clube Naval de Cascais o qual contou com a participação de 24 Países. Este Campeonato foi realizado em Cascais. 
 Em 1990 mais uma vez o Clube Naval de Cascais organizou um Mundial desta vez com a participação de 38 Países. Também este Campeonato foi realizado em Cascais 
 Novamente em 1998, desta vez com a organização da Associação Naval de Lisboa e com a participação de 44 Países , o que é um record para estas organizações.  Desta vez o local escolhido foi a Península de TROIA 
 Presentemente a Classe Optimist conta com cerca de 600 velejadores em todo o País, havendo cerca de 300 a participarem em regatas oficiais no Continente e Ilhas. Na ilha da Madeira são cerca de quatro dezenas em provas oficiais, distribuídos pelos quatro clubes com atividade na Região, como podemos observar no gráfico seguinte.

!

Infantil

Juvenil

Época Desportiva 2013/2014

! 2 de 2 2 ! 5


ENTIDADE PARCEIRA

5.

APRAM - Administração dos Portos da Região Autónoma da Madeira

! A exploração do Porto do Funchal foi estabelecida no ano de 1756 por carta régia emanada por D.José I, na qual se dava “luz verde” ao início das obras para construção de um porto de abrigo. O primeiro cais de embarque do Funchal surgiu, assim, até ao ilhéu do Forte de S.José, obra finalizada em 1762. Só em 1890 o ilhéu do Forte de Nª Srª da Conceição foi ligado à primeira fase, aumentando, desta forma, a área de acostagem. Curiosamente, esta foi uma obra parcialmente destruída por temporais imediatamente a seguir à sua finalização o que obrigou a novas intervenções de reconstrução. O cais até ao Forte de Nª Srª de Conceição e os acessos viários entre a Pontinha e a Alfândega, tornavam preemente a necessidade de criação de um organismo gestor da área portuária. Foi em 1913 criada a Junta Autónoma da Obras do Porto do Funchal.
 Em Maio de 1933 é concluída a construção do molhe da cidade e em 1939 é aumentado em 317m o cais de acostagem do Porto do Funchal. Obras de referência do início do sec.XX foram, igualmente, os diversos pequenos cais construídos à volta da ilha que facilitaram o abastecimento das populações. Mais tarde, em 1955, foi concluída a construção de um cais próximo aos cais do Carvão: o Cais Regional, onde passaram a atracar os serviços de carga e passageiros dos “carreireiros” do Porto Santo. Em 1953 tinha já sido elaborado um projecto de ampliação do Porto do Funchal que consistiria no alargamento do cais em todo o seu comprimento e no seu prolongamento em mais 457m. A intervenção conclui-se em 1961. Ficaram nesta data criadas as estruturas fundamentais para o desenvolvimento daquele que é hoje o Porto do Funchal. No ano de 2004 foi aprovado o Plano Director do Porto do Funchal, pelo qual se define o seu futuro como um porto exclusivamente dedicado ao turismo de cruzeiros e actividades náuticas, libertando a cidade do Funchal da movimentação e transporte de carga. 


!

! 3 de 2 2 ! 5


AGENDA

6.

Calendário Provas

Próxima Edição Newsletter Julho 2014 ! 4 d e !2 5 2


! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! ! !

Newsletter Vela Madeira abril 2014  

Publicação Trimestral

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you