Page 1

Mariana Provazzi Sou aluna do curso de Comunicação Social/Jornalismo da Universidade de Uberaba, mas uma vez recorro às ferramentas da internet para divulgar os meus trabalhos acadêmicos e extracurriculares. O projeto extra-curricular que participo é um jornal mural com o nome de Pôr no Mural. Nosso objetivo é informar docentes e alunos da UNIUBE sobre as notícias mais importantes do campus. Atualmente somos dois repórteres e a diagramadora, orientados pelos professores André Azevedo e Indiara Ferreira. Não deixe de conferir o meu blog http://mariprovazzi.blogspot.com e meu site http://sites.google.com/site/marianaprovazzi.

------------------------------------------------------------------------------


AMOR ALÉM DA VIDA Solange, viúva de sessenta e oito anos diz que o marido foi o seu grande e único amor Por Mariana Provazi Ao entrar na casa de Solange percebi que ela é uma típica senhora da cidade de Uberaba, viúva desde os trinta e oito anos, guarda lembranças sobre sua vida ao lado do marido e diz que nunca conheceu homem que a fizesse tão feliz como Armando a fez. Casou-se com dezenove anos, e logo após teve seu primeiro filho. Mas como foi da vontade de Deus, seis meses após o nascimento de Renato, seu amado ficou doente, teve uma inflamação no baço e por isso foi necessário sua retirada. O inesperado aconteceu, Armando ficou em coma por dois meses e outras complicações vieram, como a trombose, o derrame e o infarto. Para que ele obtivesse melhoras foi preciso vender todos os bens da família para importar medicamentos vindos dos Estados Unidos da América. “Eu chorava muito, pois era muito nova, e parecia que

o

meu

sofrimento

não

teria

fim”,

diz

Solange

emocionada. Quando o amor de sua vida saiu da UTI, e voltou para casa, ela teve que pedir a mãe para que levasse seu filho, afim de que não daria conta de cuidar do marido e de Renato que ainda era um bebê, sofrendo muito com a separação ela tirava forças do seu amor para cuidar de Armando que perdeu a memória, os movimentos e a fala, mas com muito amor foi se recuperando. O

que

aconteciam

ninguém

todos

esses

imaginava,

é

contratempos

grávida, e no futuro veio a perder a criança.

que

enquanto

Solange

estava


Quatro anos antes de falecer Armando teve problemas no coração e se submeteu a cirurgias, ficando melhor. No dia de seu aniversário, Solange teve uma triste impressão ao ver o marido vestido com o terno de casamento, “Perguntei a ele o porquê de estar se vestindo com aquele terno, e ele me disse que iria comemorar, que o Brasil seria campeão na copa e por isso ele iria até levar sua filha para passear, mas sinceramente aquela cena dele com o terno me deixou triste”, conta ela. Mais tarde ao voltar para casa Armando sentiu mal e foi internado na UTI. A senhora de aparência bem cuidada, mas com um coração vazio diz que passou o dia dos namorados ao lado do marido no hospital e no dia seguinte ele veio a falecer. “Hoje, sinto um vazio, o Armando foi meu grande e único amor, o único homem da minha vida, após a morte dele quando algum pretendente se aproximava de mim eu me recordava do meu amor, namoro todos os dias com ele em orações, é um momento único nosso, e isso ninguém pode me tirar”, Solange diz emocionada, o quanto ama o marido, e a falta que ele faz em sua vida. -----------------------------------------------------------------------------QUINZE MINUTOS COM EDMUR Delegado aposentado vive a vida na geração saúde Por Mariana Provazi

Nome: Edmur Galli Idade: 79 anos Cidade: Uberaba Estado civil: Casado Profissão: Delegado aposentado


Delegado aposentado, Edmur vive uma vida saudável, com alimentação balanceada e pratica esportes pela manhã. Apaixonado pela família nos conta um pouco de sua vida pessoal e profissional, sem muitas surpresas. 1. Dr. Edmur qual sua formação profissional? Me formei na primeira turma de Direito da Faculdade de Direito do Triangulo Mineiro, onde hoje é a UNIUBE, aqui na cidade de Uberaba. 2. Como

decidiu

prestar

o

concurso

para

delegado? Primeiramente fui para São Paulo, capital, atuar na área criminal do Direito, logo depois, amigos meus, da época, haviam prestado o concurso e me disseram para fazer, sendo assim logo dei um jeito de engressar no ramo, atuando no interior de SP. 3. Alguma vez o senhor se sentiu ‘encurralado’, sem saber o que fazer? Nunca me senti assim, pois sempre buscava, em meu tempo livre, assistir às audiencias do meu tio que era Juis de Direito e com isso fui adquirindo uma certa pratica.

como

delegado

no

interior,

buscava

orientação com meus colegas para resolucionar algum caso por exemplo. Mas também deve se levar em consideração que naquela época não haviam muitos problemas como hoje. 4. O senhor teve alguma experiência bizarra? Risos. Não, tudo era rotina, mas é claro que os colegas de fora às vezes comentavam algumas de suas experiências. 5. Alguma

vez

o

senhor

foi

ameaçado por algum detendo?

agredido

ou


Nunca fui agredido, e nem ameaçado. As pessoas antigamente tinha medo de delegado, todo mundo respeitava. O problema na atualidade são fatores como as drogas, por exemplo o indivíduo faz uso de entorpecentes e comete abusos, por isso a profissão se tornou perigosa tanto nos grandes centros como interior. 6. Passando um pouco pra sua vida pessoal, como é o modo de vida que o senhor leva, pelo fato de não ser um idoso sedentário? Risos. Sempre tive boa saúde, apesar de ser ex fumante. Mas procuro não ingerir comidas gordurosas, só o básico como arroz, feijão, saladas, verduras, e muita fruta. 7. Como é a história de o senhor ir às missas de bicicleta? Ah, sou católico por influência de amigos, eles sempre iam às missas e assim comecei a ir também. Vou à missa todos os dias de bicicleta o que faz muito bem para a mente e para o corpo, mas Uberaba não é muito bom pra esse tipo de esporte, tem muita subida, mas acaba compensando na descida, risos, mas quando não vou parece que me falta algo, é como se o dia ficasse incompleto. 8. Quais animais o senhor criava em seu quintal? Eu criava coelhos e gansos quando os meus netos eram pequenos, mas hoje eu tenho apenas as minhas plantas, adoro a natureza e gosto de plantar árvores. Aqui no quintal tenho bananeira, romã, pinha, acerola, mas tinha também abacateira e fruta do conde.


9. O senhor e sua esposa já estão de idade, como é morar no centro, um lugar de muito barulho e pouca calma? Tem muitos anos que moramos aqui, então vai indo com o tempo você se acostuma, e a janela do meu quarto dá pro quintal, sendo assim, o barulho não me incomoda tanto. 10.

Como é sua relação com sua esposa, seus

filhos, e netos? Temos uma relação harmônica. Não tem como brigar com minha esposa, e meus filhos já estão todos criados. Agora sinto muita falta dos meus netos que moram fora, a semana que eles passam comigo, é uma alegria só, não consigo nem ficar bravo com eles, risos.

Edmur Galli, delegado aposentado


-----------------------------------------------------------------------------PERFORMANCE Essa foto foi tirada na divulgação da Performance 1 Centavo, Pague se Puder, no qual a turma do 1º período de Comunicação Social do ano de 2009, foram divididas em grupos, sendo que cada um fez uma apresentação diferenciada. O meu grupo (Ana Luíza, Danielle, Fernanda, Mariana (eu), Mayara e Pabliene) representava as ninfas, e cada uma de nós tínhamos a missão de chamar as pessoas para assistirem as demais apresentações, também recebíamos as moedas de 1 centavo.

-----------------------------------------------------------------------------Viola Universitária Alunos do Direito promovem encontro de Viola Caipira Quem participa e ganha créditos no PIAC Mariana Provazzi- 2º período de Jornalismo


O projeto Viola Universitária, criado por alunos do curso de Direito da Uniube e coordenado pelo professor Renè Bernardes, com o intuito de perpetuar a música raiz, agora integra o Piac. As aulas gratuitas acontecem todas as quarta-feiras, entre 17h e 18h30, no bloco P . “A universidade é também um lugar de cultura e não só de intelectualidade acadêmica”, ressalta Renè. As modas de viola retratam bem a realidade brasileira, pois cantam a vida do sertanejo trabalhador nas antigas fazendas, ao contrário do sertanejo moderno tocado nas rádios populares, que são a fusão da cultura brasileira com a norte americana. Os três instrutores foram selecionados conforme o conhecimento musical. Cada um receberá 30 créditos no Piac. Há três alunos inscritos e outras quatro vagas estão à disposição, valendo 15 créditos. Segundo os participantes, além dos benefícios no PIAC e do aprendizado com a viola, o grupo cultiva amizade e companheirismo. O Viola Universitária pretende futuramente fazer apresentações abertas no campus universitário e para a comunidade.

-----------------------------------------------------------------------------Adote um animal Mariana Provazzi – 2º período de Jornalismo


A Feira de Adoção de Animais, promovida pelo projeto Universidade Amiga dos Animais, acontece sempre aos sábados, em dois pontos distintos da cidade, apresentando cães e gatos abandonados. Para adotar um animalzinho, basta ser maior de 18 anos, portar um documento com foto e assinar um termo de adesão. O projeto é coordenado pelo professor de Medicina Veterinária, Cláudio Yudi, conta com 22 alunos da Uniube e com parceria do Centro de Zoonozes e da clínica veterinária Templo dos Anjos. O estudante que participa da feira ganha 30 créditos para o PIAC. Para mais informações, acessse http://universidadeamiga.blogspot.com. Próximas feiras: • 05/09 • Rua Oswaldo Cruz • 8h às 11h • 12/09 - Praça Jorge Frange • 19 às 21h

-----------------------------------------------------------------------------A Sociedade sem Sonhos: Control C / Control V Mariana Provazzi – 2º período de Jornalismo É inacreditável ver uma sociedade sem sonhos, sem idealizações, sem objetivos. O que se tem são cópias. Algumas boas e outras ruins. Esta temática foi abordada na palestra Sociedade do Control C e do Control V, ministrada pelo professor de Sociologia Sávio Santos, no anfiteatro D56, no último mês. Ele afirma que a sociedade Control C / Control V é uma tendência cultural, que atinge todos. “Somos tendenciados a não mais pensar, simplesmente copiar. Estamos em pleno século XXI e


não temos a evolução do ser humano, da pessoa humana e sim a evolução da tecnologia, da preguiça”, disse Sávio. Segundo o professor, não existem mais filósofos como antes, agora são todos apenas hipócritas por acreditar que sobreviver é mais saudável do que se viver. Sávio recomenda que todos coloquem a tecnologia a seu favor, abram a mente para novas idéias, novos conceitos, novos estudos, pois estudar é a melhor saída. “Nos dias atuais vive-se numa obrigação constante de repensar a sociedade, os sistemas, as normas e o próprio ser humano convertido a indivíduo. Desenvolva a dignidade, a liberdade, a justiça, para falar da sociedade como um conjunto de indivíduos, promovendo fenômenos sociais”, finaliza ele. -----------------------------------------------------------------------------Uniube registra aumento de alunos contratados para estágio remunerado Mariana Provazzi – 2º período de Jornalismo A Uniube constatou 356 contratações de alunos para estágios remunerados, no primeiro semestre deste ano. Esse número é praticamente igual ao total de contratações realizadas em 2008, quando 375 universitários ingressaram no mercado de trabalho. Esse aumento, segundo o promotor da área de Comunicação da Uniube, Luiz Carlos de Souza, é devido ao aquecimento da economia, à qualidade dos cursos oferecidos pela instituição e à Feira de Talentos, que favoreceu o contato entre os universitário e as empresas. “A Uniube oferece ainda o PROEST. Este Programa de Estágios faz uma intermediação com as empresas do município, que buscam estudantes para atuar no mercado”, afirma Luiz Carlos. De acordo com Luiz, os alunos dos cursos de Administração, Direito, Engenharias e Psicologia são os mais procurados. O promotor lembra que as atividades extracurriculares, além de aumentar o conhecimento, são diferenciais avaliados pelas empresas que buscam estagiários comunicativos, dominadores da tecnologia e com espírito de trabalho em equipe. “Aconselho aos alunos que não fiquem presos aos conteúdos programados para salas de aula. Busquem outras informações, participem de palestras, seminários, workshops. Faça cursos gratuitos na internet”, ressalta Luiz.


A Fundação Getulio Vargas disponibiliza em seu site cursos gratuitos com ‘diplomas’, acesse www.fgv.br. Para saber mais sobre os estágios disponíveis, procure o PROEST, localizado junto ao PIAC, no bloco I.

Mariana Provazzi  

Direcionado a matéria de Introdução à Linguagem Tecnológica.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you