Issuu on Google+

HISTÓRIA DA INFORMÁTICA EDUCATIVA NO BRASIL Linha do tempo Mariana Rossato Educação Digital Profª Janilse Nunes


Discutiu-se

o uso de computadores no ensino de Física, em seminário promovido pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), com a participação de um especialista da Universidade de Dartmouth dos EUA.

1971

1973

1979

Quanto ao primeiro uso da informática em Universidades, destaca-se as experiências do Laboratório de Estudos Cognitivos do Instituto de Psicologia (LEC) da UFRGS, apoiadas nas teorias de Piaget e Papert, com crianças com dificuldades de aprendizagem de leitura, escrita e cálculo

É criada Secretaria Especial Informática (SEI)

1984

a de

Criação do Programa de Ação Imediata em Informática (Projeto Formar) e a implantação de infraestruturas de suporte nas secretarias estaduais de educação Cied, Ciet e Cies.

1986

Projeto Educom, uma iniciativa conjunta do MEC, Conselho Nacional de Pesquisas (CNPq), Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e Secretaria Especial de Informática da Presidência da República (SEI/PR). Núcleos de pesquisas UFRGS, UFRJ, UFPE, UFMG e Unicamp.

1989

Criação de rubrica específica para ações de informática educativa no orçamento da União

1992

O MEC institui o Programa Nacional de Informática na Educação (Proninfe) com o objetivo de promover o desenvolvimento da informática educativa e seu uso nos sistemas públicos de ensino.

1997

Com base no Censo Escolar, o Estado que apresentou o maior grau de inclusão digital nas escolas foi São Paulo, com 45,6% e o menos incluído é o Tocantins, com 25,4%

2001

O MEC criou o Programa Nacional de Tecnologia Educacional (ProInfo) para promover o uso pedagógico de Tecnologias de Informação e Comunicações (TICs) na rede pública de ensinos Fundamental e Médio.

2005

É criado o projeto BANDA LARGA NAS ESCOLAS, destinado à escolas públicas, em parceria do MEC e Anatel.

2008

O governo brasileiro criou um projeto denominado Um Computador por Aluno (UCA), cujo objetivo é distribuir um computador móvel para estudantes das escolas públicas.


REFERÊNCIAS BRITO, G. Educação e Novas Tecnologias: um re-pensar. Curitiba: Ibpex, 2006. FAGUNDES, L. C. Recursos e oportunidades para o desenvolvimento da inteligência. Revista Pedagógica, Porto Alegre, v. 10, p. 59-61, 2006. MORAES, M. C. Informática educativa no Brasil: um pouco de história.Brasília, ano 12, n. 57, 1993. TAJRA, Sanmya F. Informática na Educação: novas ferramentas pedagógicas para o professor da atualidade. 3. ed. São Paulo: Érica, 2001.


Linha tempo