Page 1

B2

SALVADOR

SALVADOR SEGUNDA-FEIRA 28/1/2013

REGIÃO METROPOLITANA

Escola Viva Doenças Oftalmológicas SAÚDE Problemas de aprendizado, de autoestima e de inserção social podem ser causados falta de óculos

15 milhões de crianças em idade escolar têm problemas de visão Fernando Vivas / Ag. A TARDE / 9.6.2006

MARIA GARCIA

Problemas de aprendizado, de autoestima e de inserção social em crianças podem ser causados por um simples fator: falta de óculos. O novo balanço do Conselho Brasileiro de Oftalmologia (CBO) estima que quase 15 milhões de crianças em idade escolar sofrem com problema de visão como miopia, hipermetropia e o astigmatismo, no Brasil. Ainda de acordo com informações do conselho, a Agência Internacional de Prevenção à Cegueira, ligada à Organização Mundial da Saúde (OMS), aponta que 33 mil crianças brasileiras ficaram cegas devido a doenças oculares evitáveis, caso fossem tratadas de forma precoce. Além disso, pelo menos 100 mil têm alguma deficiência visual. Segundo o oftalmologista Ruy Cunha, a criança com problema visual pode obter um baixo desempenho escolar. Isso porque, cada vez mais, tornam-se mais frequentes as dores de cabeça, lacrimejamento, além de falta de atenção e dificuldades de memorização. “Os casos mais costumeiros são atribuídos a problemas refracionais (miopia, hipermetropia e o astigmatismo). Um caso também comum é o ‘olho preguiçoso’, que afeta normalmente crianças entre a faixa etária de 0 a 9 anos. Neste caso, se a

A Agência Internacional de Prevenção à Cegueira afirma que 33 mil crianças ficaram cegas devido a males evitáveis

“Os casos mais costumeiros são atribuídos a problemas refracionais: a hipermetropia, a miopia, o astigmatismo” RUY CUNHA, oftalmologista

correção por meio de óculos não for adequada, o organismo dá preferência a um dos olhos, prejudicando o desenvolvimento do outro”, explica o médico.

Carência A respeito disso, são várias as cobranças que a subcoordenadoria de assistência ao educando, da Secretaria de Educação do Município, recebe de diretorias das unidades de ensino municipais. A carência de recursos nas famílias para o financiamen-

to de óculos acaba prejudicando o desempenho escolar dos alunos do ensino público da rede. O último programa municipal que prestou assistência oftalmológica a crianças e adolescentes encerrou as atividades em 2010. Durante o projeto, cerca de 1,2 mil óculos foram distribuídos. “O professor descobre logo que os alunos têm dificuldade em aprender por causa da visão, devido a vários sinais como dor de cabeça e desconcentração. Essa é uma das cau-

Governo busca ampliar programa de prevenção Como forma de prestar assistência oftalmológica a crianças adolescentes da Bahia, o governo do Estado propõe ampliar o projeto Saúde em Movimento, para além do programa educacional Todos Pela Escola (Topa). O projeto Saúde em Movimento oferece serviços oftalmológicos gratuitamente (a exemplo de cirurgias de catarata e prescrição de óculos), para alunos cadastrados no Topa. Este programa garante alfabetizar a população adulta, cuja maioria tem mais de 40 anos de idade. A ampliação, que ainda está em fase de planejamento, visa beneficiar crianças em faixa etária escolar (de 4 a 12 anos) matriculadas em escola pública, oferecendo consultas, exames e prescrições de óculos. Espera-se que o texto final seja elaborado até o final deste semestre. O plano é fruto de uma parceria com o projeto Olhar Brasil, do Ministério da Saúde, que se propõe a identificar e corrigir problemas de visão em alunos de todo o País.

sas do desestímulo aos estudos”, comenta a supervisora da subcoordenadoria assistência ao educando, Leida Oliveira. A diretora da sede infantil do Colégio Anchieta, Virgínia Lucas, diz que tais problemas são detectados bem cedo, principalmente na época da alfabetização. “Como pedagogos, não diagnosticamos. Porém, observamos as dificuldades que as crianças desenvolvem e recomendamos aos pais para que façam uma avaliação médica”, explica.

A diretora de projetos estratégicos da Secretaria Estadual de Saúde (Sesab), Cláudia Almeida, recorda o que motivou a criação do projeto Saúde em Movimento. “Verificamos que existia uma grande evasão de alunos do programa Topa. A partir de estudos, concluímos que uma das causas estava atrelada à miopia, que normalmente atinge adultos e idosos”, diz.

Alunos aprendem inglês para a Copa

Vale das Pedrinhas terá sede do Cmei

Cerca de 500 alunos de colégios da rede pública baiana começaram as atividades do curso de extensão em língua inglesa, fruto de uma parceria com a Universidade Federal da Bahia (Ufba). As aulas, que começaram no dia 7 de janeiro, têm como objetivo capacitar os alunos para o turismo receptivo, com noções do idioma para atuação em eventos como a Copa do Mundo 2014 e as Olimpíadas 2016. O curso acontece no Centro Juvenil de Ciência e Cultura, que funciona no Colégio Central, em Nazaré. Segundo os organizadores, até o final deste ano, serão oferecidas mais mil vagas para os estudantes da rede. A carga horária do curso de inglês é de 136 horas/aula. A duração das atividades é de um ano.

A Prefeitura de Salvador vai construir um Centro Municipal de Educação Infantil (Cmei) no bairro do Vale das Pedrinhas. O anúncio foi feito pelo prefeito ACM Neto, durante visita ao bairro na terça-feira. O primeiro Cmei do bairro será construído na Rua do Gás. ACM Neto aproveitou a oportunidade e visitou a Escola Municipal Santo André. O secretário municipal da Educação, João Carlos Bacelar, que acompanhou a visita, comprometeu-se a fazer alguns reparos na escola, antes do início do ano letivo. A unidade foi reformada há dois anos. “Sou filha da comunidade e quero prestar um serviço de qualidade, por isso solicitei algumas mudanças”, disse a gestora da unidade, Cátia Almeida.

O curso de inglês é voltado para formar estudantes da rede pública estadual

O Centro Municipal de Educação Infantil será o primeiro do bairro

Evasão

CURTAS Arestides Baptista / Ag. A TARDE / 9.1.2012

Prazo de vistoria foi prorrogado A Superintendência de Trânsito e Transporte de Salvador (Transalvador) prorrogou até o dia 1º de fevereiro (sexta-feira) o prazo para vistoria em veículos de transporte escolares. Permissionários que ainda não realizaram a vistoria semestral nos veículos devem, até esta data, comparecer à Gerência de Táxi e Transportes Especiais (Getax), nos Barris, das 8 às 13h. A fiscalização permite a renovação da licença e os que não forem aprovados na vistoria terão até 30 dias para retornar à Getax com os problemas corrigidos. De acordo com informações da Transalvador, o prazo foi estendido pelo órgão municipal para contemplar todas as demandas de vistoria, garantindo a fiscalização necessária.

Vistoria é exigida para renovar licença dos veículos de transporte escolar

Veículos de transporte escolar têm que passar por vistoria atá a próxima sexta-feira

Fuvest divulga livros para o vestibular em 2014 A Fundação Universitária para o Vestibular (Fuvest) divulgou a literatura obrigatória para o Vestibular 2014 da instituição. As obras servem para os processos seletivos da Universidade de São Paulo (USP) e Universi-

dade Estadual de Campinas (Unicamp). Os livros são: Viagens na Minha Terra (Almeida Garrett); Til (José de Alencar); Memórias de um Sargento de Milícias (Manuel Antônio de Almeida); Memórias Póstumas de Brás Cubas

(Machado de Assis); O Cortiço (Aluísio Azevedo); A Cidade e as Serras (Eça de Queirós); Vidas Secas (Graciliano Ramos); Capitães da Areia (Jorge Amado); e Sentimento do Mundo (Carlos Drummond de Andrade).


15 milhões de crianças em idade escolar têm problemas de visão  

Editoria: Escola Viva

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you