Page 1


SUMMÁRIO APRESENTAÇÃO..............................................................4 CURRICULUMVITAE........................................................6 DESENHOS......................................................................8 ARQUITECTURA Projectos académicos........................................14 2 Projectos pós-académicos.................................42 CONCURSOS.................................................................44 INVESTIGAÇÃO Tese académica.................................................48 DESIGN Design de logotipos...........................................56 MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO...................................58 REVISÃO DE TESES.......................................................64


APRESENTAÇÃO Nome: Margarida Sofia Rodrigues Ferreira Data de Nascimento: 01-02-1987 Nacionalidade: Portuguese Morada: Rua Ilídio Claro Torre 3140-104 Montemor-o-Velho Portugal E-mail: margaridasofia.arq@gmail.com Telefone: +351 918094201

3


CURICULUM VITAE EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL: • Arquitecta estagiária na empresa “Espaço Obra“. Desde Janeiro até ao presente. • Design de logotipo para Muzzak - Quarteto de Saxofones. Março de 2012. • Professora de música na“Escola de Música Clave de Sol“. Entre Janeiro de 2007 e Julho de 2008.

EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO: • 2011 (entre Julho e Agosto) - Certificado de Aptidão Pedagógica, pela Associação Diogo de Azambuja. Classificação final: 4 (0-5). • 2009-2011 - Mestrado em Arquitectura pela Universidade de Coimbra. Média Final: 14 (0-20). 4 • 2011 (February and March) - 3D Studio Max Workshop. • 2005-2009 - Licenciatura em Arte Edificatória, pela pela Universidade de Coimbra. Mádia final: 14 (0-20). • 2005 (de Outubro a Dezembro) - urso de Formação Profissional em Autocad 2006 - Iniciação, pela Associação Diogo de Azambuja. Classificação final: Good. • 1999-2005 (entre Setembro e Março) - 6º Grau do Conservatório, pelo Conservatório de Música de Coimbra.

APTIDÕES E COMPETÊNCIAS PESSOAIS Língua materna: Portuguese Outras línguas: Inglês - utilizadora independente (B2)* Francês - utilizadora independente (B1)* Alemão - Utilizadora iniciante (A1) *Common European Framework of Reference (CEF) level


Aptidões e Competências Sociais Espírito de Equipa, adquirido sobretudo na prática de orquestra, e nos trabalhos de grupo essenciais à formação académica Capacidade de adaptação a ambientes multiculturais, adquirida pelo intercâmbio entre orquestras, pela residência em famílias de acolhimento aquando das digressões da Orquestra de Sopros de Coimbra Boa capacidade de comunicação Aptidões e competências de organização Boa capacidade de gestão de trabalho, Boa capacidade de liderança e gestão de equipas (actualmente pertenço à Direcção da Orquestra de Sopros de Coimbra)

5 Aptidões e competências técnicas Capacidade de produção dos elementos necessários à realização de um projecto de arquitectura. Competência na modelação de maquetes, com experiência em diferentes materiais. APTIDÕES E COMPETÊNCIAS INFORMÁTICAS Microsoft Office, Autocad, Archicad, Adobe Photoshop,Adobe Sketchup, Adobe Première, Adobe InDesign, Rhinoceros, 3D Studio Max, Corel Draw, Adobe Illustrator.


DESENHOS

6


7


DESENHOS

8


9


DESENHOS

10


11


PROJECTOS ACADÉMICOS 3º ANO ‐ HABITAÇÃO UNIFAMILIAR E ESTÚDIO PARA UM PINTOR. Professores: António Lousa e José Gigante. 2007

12

O projecto pedido para o 3º ano teve um programa misto de habitação unifamiliar e atelier para um pintor, em Coimbra. O terreno situava-se na transição de uma zona residencial para uma zona de grandes equipamentos - o Pólo II da Universidade. A zona, embora descaracterizada, apresenta uma paisagem única, com o terreno situado num declive acentuado, em direcção ao rio Mondego, revelando a paisagem.


13


14


15


PROJECTOS ACADÉMICOS 3º ano ‐ HABITAÇÃO COLECTIVA E ZONA COMERCIAL Professores: António Lousa e José Gigante. 2008

16

Este projecto, em Coimbra, implantava-se num terreno de transição entre a Sona da Solum- cidade completamente estabilizada-, e a Casa Branca, onde ainda permanecem memórias de uma vivência rural, com habitações unifamiliares e pequenos terrenos de cultivo. O programa era misto e previa comércio, habitação colectiva e estacionamento.


17


18


19


PROJECTOS ACADÉMICOS 4º ano - ESCOLA DE ARQUITECTURA ‐ RECUPERAÇÃO E AMPLIAÇÃO DO COLÉGIO DAS ARTES Professores: Armando Rabaça and José Fernando Gonçalves (titular). 2008/2009

20

O projecto do 4º ano desenvolveu-se em Coimbra, num dos edifícios mais antigos e com a história mais variada da cidade: o Colégio das Artes. Neste edificio e num complementar propôs-se a instalação da Escola de Arquitectura. Os temas de maior pesquisa e discussão criativa ao longo deste trabalho prenderam-se, por um lado, com a questão daquilo que leva a uma boa escola de arquitectura; e, por outro, impôs-se o tema da recuperação de um edifício histórico, que passou por diversas adaptações a funções e a tempos diferentes. Juntou-se ainda a descoberta e afirmação da muralha original da cidade.


21


22


23


24


25


PROJECTOS ACADÉMICOS 5º ano ‐ PROJECTO URBANO PARA A COVA DA MOURA Professores: Rui Lobo (assistente) e Gonçalo Byrne (titular). 2009/2010.

26

O projecto do 5º ano foi elaborado em grupo, na fase de projecto urbano, e individualmente, na fase de concretização das propostas decididas em conjunto. Para resolver o problema urbano da Cova da Moura, a turma considerou necessário proceder a uma ligação aos bairros adjacentes, ligar aos transportes colectivos e criar atracções diferentes


que levem o habitante da área metropolitana de Lisboa a procurar este espaço. Deste modo propuseram-se percursos cicláveis e pedonais pelo Parque natural de Monsanto, ancorados a esta área, propôsse uma consolidação urbana da Damaia, a existência de piscinas, campos de jogos, entre outros. Propriamente na Cova da Moura surgiram propostas de alargamento de determinadas ruas, criação de praças, com mobiliário urbano adequado, reformulação das escolas, criação de um mercado formal.

27


28


29


30


31


32


33


34


35


36


37


PROJECTOS PÓS - ACADÉMICOS SHOWROOM. 2012

Este estudo dedica-se a um showroom, que terá que servir simultaneamente como pequena habitação e escritório de vendas/informações. O propósito deste showroom seria mostrar um novo sistema de contrução, mais leve que o tradicional, e altamente rápido e e eficaz, até cerca de 7 pisos. Este sistema LSF (light steel framing), é completamente seguro, e permite ser adaptado 38 a qualquer projecto. Deste modo pretendia-se demonstrar como é perfeitamente possível executar uma habitação confortável e segura com o Light Steel Framing Este projecto seria implantado junto à estrada Nacional 1, no centro do país.


39


CONCURSOS

TRIENAL DE ARQUITECTURA DE LISBOA 2010 “FALEMOS DE CASAS” ELABORADO COM OUTROS ALUNOS: JOANA BARBEDO, JOANA PIMENTA E GUILHERME GIL. 2010

Falemos de Casas era o mote da Trienal de Arquitectura de Lisboa, em 2010. Inspirado num poema de Herberto Hélder, propunha uma reflexão sobre um dos últimos 40 bairros de génese ilegal na cidade de Lisboa - a Cova da Moura. Mais do que atentar às notícias proferidas pelos média, propunha-se um outro olhar, mais atento e empenhado nas verdadeiras pessoas que ali vivem, no preconceitos de que são alvo, pelo seu bairro de orrigem, e na vida criativa, de vizinhança e de comunidade unida.

LEARNING FROM C


EXISTENTE

 

ƝƩƭơƨƙƥƝƦƬƧƫΎƨƪƧƨƧƫƬƧƫ ƠƙƚơƬƙDŽƶƧΎƨƪƧƨƧƫƬƙ

COVA DA MOURA

 

ƛơƪƛƭƤƙDŽƶƧΎƨƝƜƧƦƙƤ ƛơƪƛƭƤƙDŽƶƧΎƙƭƬƧƥǹƮƝƤ



41


Cova da Moura - Damaia: dois bairros, duas formas de habitar, as mesmas pessoas. A relação parece possível. A relação é urgente. Para que a comunicação fosse possível, criou-se um grande espaço público na zona sul da Damaia e da Cova da Moura. Esta praça, que relaciona vários programas diferentes - escola de música, mercado e habitação - será o ponto de confluência de pessoas dos dois bairros. Para que esta intervenção fosse possível, a escola D. João V foi deslocada para a escola Professor Pedro D’Orey da Cunha, situada na Damaia (a 200 metros), sendo a segunda redesenhada de forma a poder acolher um número maior de alunos.vÉ criada uma nova rua, paralela à rua principal da Cova da Moura, que, pelo seu carácter pedonal, permite a existência de mercados informais. Falemos [finalmente] de casas. A habitação desenvolvida nesta zona segue três caminhos diferentes, correspondendo a diferentes formas de ocupação e a espaços com características distintas.

42

_A primeira tipologia des os edifícios existentes, qu Cova da Moura.Estas casa de expansão. _O segundo tipo desenvo ação de espaços comuns mitem que a vida se dese teirões permeáveis. _A terceira tipologia dese postos por módulos adap habitações. As diferentes tipologias re da Cova da Moura, a praça cios da Damaia, dissolven

Em relação aos novos equ jar famílias dos moradore prazo. Na praça, o mercado/café usos diversos durante o d complementar com a esco Cova da Moura. Estes eq paços exteriores e o envo actividades que aqui se de Ao longo do desenvolvim tumes da comunidade p vantes em todos os ponto


senvolve-se em banda, relacionando-se com ue marcam a fronteira entre a Damaia e a as são evolutivas e têm várias possibilidades

lve-se numa estrutura fixa, permitindo a crie de partilha. Os serviços e os quintais perenrole no interior de uma espécie de quar-

nvolve-se num sistema de quarteirões comptáveis, que permitem a criação de várias

esolvem a transição de escala entre as casas a e os equipamentos aí localizados e os edifído os limites.

uipamentos, criou-se uma pousada para aloes do bairro por períodos de curto a médio

concerto serve as zonas próximas e permite dia e a noite. Assume também uma função ola de música, que marca a Sul a entrada da quipamentos permitem a utilização dos esolvimento da comunidade em projectos ou esenvolvam. mento desta proposta, a vivência e os cosermaneceram sempre como factores releos que o projecto aborda.

43


INVESTIGAÇÃO ACADÉMICA - TESE DE FINAL DE CURSO MONTEMOR ‐ VELHO: INTERPRETAR E RECOLOCAR. PENSAMENTO ESTRATÉGICO. 2010/2011

Este trabalho começa por estudar a cidade na arquitectura, abordando os temas que mais 44 se adequam à promoção de uma cidade. Analisa em seguida o caso de estudo, a cidade de Montemor-o-Velho, tentando perceber as suas carências e potencialidades. Para culminar do trabalho apresenta-se uma estratégia global, assente em diversas propostas gerais e em quatro mais específicas, com desenho de nível territorial, que promova a vila e a torne mais atractiva, mais habitada e mais vivida, construindo verdadeiras geografias vivas, que são os produtos sonhados de todas as arquitecturas.


Legenda:

45


46


47

APERFEIÇOAMENTO DAS LIGAÇÕES ENTRE MONTEMOR‐O‐ VELHO E AS ESTAÇÕES FERROVIÁRIAS MAIS PRÓXIMAS POR MEIO DE CICLOVIA E PASSEIO PEDONAL


48


49

USOS ACTUAIS E USOS PROPOSTOS NOVOS EDIFÍCIOS


50


51

IMPLANTAÇÃO DO PARQUE DE NEGÓCIOS DE MONTEMOR‐O‐VELHO . PROPOSDE REORGANIZAÇÃO VIÁRIA, DE ESPAÇOS EXTERIORES E DE IMPLANTAÇÃO DE EDIFÍCIOS NO PARQUE DE NEGÓCIOS.


DESIGN - DESIGN E LOGOTIPOS MUZZAK ‐ QUARTETO DE SAXOFONES OSC ‐ ORQUESTRA DE SOPROS DE COIMBRA . 2010V

52


53

O LOGOTIPO MUZZAKÉ UMA VERSÃO DEFINITIVA E ENCONTRA‐SE EM USO. “OSC” SÃO ESTUDOS PARA UM LOGOTIPO


MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO DE UM BAR NA FIGUEIRA DA FOZ . 2012 MODELAÇÃO E REDERIZAÇÃO DE UNS ANEXOS PARA UMA HABITAÇÃO ‐ FIGUEIRA DA FOZ. 2012

54


55

NOTES: THE DESIGN ARCHITECTURE WAS MADE BY OTHER STUDIO.


MODELAÇÃIO E RENDERIZAÇÃO MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO DE UM CONJUNTO URBANO DE HABITAÇÕES UNIFAMILIARES E MULTI‐ FAMILIARES. 2012

56


57

NOTES: THE DESIGN ARCHITECTURE WAS MADE BY AN ARCHITECTURE STUDENT.


MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO DO MOBILIÁRIO DE UM QUARTO. 2012 MODELAÇÃO E RENDERIZAÇÃO DE UMA HABITAÇÃO UNIFAMILIAR. 2012

58


59


RENDERIZAÇÃO E DESIGN RENDERIZAÇÃO DE UMA PORTAGEM E DESIGN DE POSTERS. 2012

60


61


REVISÃO DE TESES

DISSERTAÇÕES PARA OBTENÇÃO DO GRAU DE MESTRE EM ARQUITECTURA: ESCRUTAR ARQUITECTURA : CONSCIENCIALIZAÇÃO AUDITIVA DO ESPAÇO ARQUITECTÓNICO. CÁTIA SILVA ,2009

ESCOLAS‐TIPO : O PROCESSO DE PRODUÇÃO ESCOLAR DE 1958 A 1968. SOFIA OLIVEIRA‐ 2010

62 HIBRIDISMO : A CASA DOS REGISTOS SIMULTÂNEOS CÉLIA MOREIRA‐ 2012

ARQUITETURA INDUSTRIAL EM COIMBRA NO SÉCULO XX : A ZONA INDUSTRIAL DA PEDRULHA BRUNA FERREIRA‐ 2012


DISSERTAÇÃO PARA OBTENÇÃO DEO GRAU DE MESTRE EM EDUCAÇÃO MUSICAL: RELATÓRIO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO MARGARIDA SILVA‐ 2011

63


Portfólio Margarida Ferreira  

Portfólio de arquitectura e design

Advertisement
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you