Issuu on Google+

HUMBERTO VERÍSSIMO SOARES SANTA

FANTASIA O PENSAR PROSAICO DE PEQUENOS POETAS e

Contos esquecidos

Ilustrações de MARGARIDA AUGUSTA CORREIA PINTO SOARES SANTA


HUMBERTO VERÍSSIMO SOARES SANTA Nasceu numa pequena aldeia do litoral português, Atalaia da Lourinhã, de onde saiu com dois anos. Viveu a maior parte da sua vida na cidade de Setúbal, tendo estado ligado à Administração dos Portos de Setúbal e Sesimbra, onde foi responsável pelo Departamento de Coordenação de Operações, encontrandose hoje na situação de aposentado. É casado com Margarida Augusta Correia Pinto Soares Santa que alia à arte de desenhar uma elevada sensibilidade poética e lhe ilustra todos os poemas com magníficos desenhos a lápis ou a nanquim. OBRA LITERÁRIA POESIA : MUNDO DE QUIMERA – Edição do autor 1999 COLECTÂNEAS : POIESIS V e VI – Editorial Minerva – Lisboa – 2001 TEMPERA(MENTAL) – Editorial Minerva – Lisboa – 2002 PROSA & VERSO II – Projecto Palavras Azuis – Blumenau (BRASIL) – 2003 I ANTOLOGIA DO PORTAL CEN - Edição L.P. Baçan – P. R. – Londrina - BRASIL 2004 TERRA LUSÍADA – Edição Abrali – BRASIL – 2005 LIVROS VIRTUAIS : REDENÇÃO FRASCOS com gotas de poesia SENTIMENTALMENTE FANTASIA NO LAGO DOS SONHOS O BERGANTIM DE CRISTAL O OÁSIS DO AMOR O PENSAR PROSAICO DE PEQUENOS POETAS MUNDO DE QUIMERA I – II – III ALMA PEREGRINA O TEMPO E O VERBO Participação em várias ANTOLOGIAS CONTOS : Contos ESQUECIDOS

3


MARGARIDA AUGUSTA CORREIA PINTO SOARES SANTA Veio ao mundo no dia 15 de Outubro de 1944 na vila piscatória de SESIMBRA, em PORTUGAL, hoje importante centro de férias e veraneio, perto do qual hoje reside com o marido, o poeta Humberto Soares Santa. Trabalhou mais de três dezenas de anos na multinacional de pneus MICHELIN, encontrando-se hoje na situação de aposentada. Desenhou algumas capas e ilustrou algumas páginas de livros para a Editorial Minerva e interpreta sempre, com ilustrações saídas da sua sensibilidade artística, toda a obra poética do seu marido.

4

HUMBERTO VERÍSSIMO SOARES SANTA


FANTASIA

Ilustrações de MARGARIDA AUGUSTA CORREIA PINTO SOARES SANTA


À GUISA DE PREÂMBULO

A PORTA DA FELICIDADE Se no bosque, vês nos ramos das árvores, braços que te acenam e por entre as folhas, as aves são duendes alados que cantam serenatas às flores... E tu sorris. Se à beira do regato, como que em espelho quebrado, vês placas de oiro em movimento, faiscando à luz dourada do Sol... E tu sorris. Se nas nuvens negras só vês castelos, onde nos torreões, belas aias consolam princesas belas que choram em gotas de chuva, a ausência de seus amados príncipes encantados... E tu sorris. Se nos jardins, em vez de flores, só vês pequenas fadas em traje de noite, valsando ao sabor dos sons das folhas das árvores dedilhadas pelo vento... E tu sorris. Se nos bandos de pombos que dançam nos céus, só vês lenços brancos a dizerem-te adeus... E tu sorris. Se te chamam louco, sonhador ou poeta... E tu sorris. Rejubila !... porque encontraste a chave da felicidade que só está acessível aos poetas, aos sonhadores e aos loucos. Abre a porta e entra no salão espelhado do delírio para então, naturalmente... SERES FELIZ. Cotovia, 2001-12-04 Humberto V. Soares Santa 7


O ESPIÃO Em tronco nu, fui pirata. Já fui escravo e fui negreiro. Já fui lenhador na mata, Fui gnomo e até feiticeiro ! Vivi com princesas belas, Fui cigano e trovador, Fui fadista nas vielas, Com sereias fiz amor ! Fui prà Fantasia a nado, Onde com voz de trovão O rei gritou, muito irado : - Guardas !... prendam o espião, Usou a imaginação Pra ficar ao nosso lado !... Cotovia, 2000-12-05

9


AQUÁRIO Mergulhei nuns jardins, de mim perdidos, Acariciando as algas com os dedos, Agucei, com prazer, os meus sentidos, Do mar, quis entender os seus segredos. Belas estrelas do mar e outras estrelas, Matizavam o azul com várias cores. Belos peixes, por entre conchas belas, Na areia cortejavam seus amores. Um mero veio espreitar da sua toca. Um lúcio deu-me um beijo imaginário. Uma lagosta, andava como louca Percorrendo veloz todo o oceanário. Eu !... vou fazendo bolhas com a boca. Não quero sair mais do meu aquário !... Cotovia, 2000-11-25

11


FANTASIA