Issuu on Google+

Uma história em Português de Cláudia Simões


-

Truz Truz !

-Quem bate à porta? - SOU eu! - Eu quem? - A Mãe. - A Mãe?! ... Mãe de Quem? - Da Língua Portuguesa - Euh … euh… a… a… Em que posso ajudar? - Pode ajudar-me, ouvindo a história das minhas viagens pelo mundo! Nos tempos que correm, as pessoas andam tão apressadas que parece que se esqueceram de mim! - Ouvir? … Não precisa de pedir! Entre e conte-me as suas Histórias!


- Tudo se passou há muitos, muitos séculos atrás. Os meus pais são descendentes do Luso que, muito cedo, vieram habitar estes montes, onde construíram as suas casas e fundaram as aldeias que conhecemos por castros. Mais tarde, há cerca de oitocentos anos, nascia eu no Norte de Portugal, depois de os Romanos, no século II aC, terem ensinado o Latim a estas avelaneiras floridas. Alguns anos passaram e foi já no século VIII dC que os meus egrégios avós receberam influências dos árabes, um povo muito interessante e que

me

ensinou

tantas

coisas

e

me

acrescentou

novos

conhecimentos, novos sons, novas semânticas, enfim, novas palavras. Entre os séculos XII e XIV chamaram-me GalegoPortuguês. Mais tarde, já no século XV e XVI tornei-me uma língua com uma identidade muito própria e foi quando os navegadores pegaram em mim, como uma sementinha, e me levaram para os vários cantos do Mundo. Por todos esses lugares floresceram tantos braços, tantos troncos, tantos raminhos, sempre regados por inúmeros

avós

a

contarem

incontáveis

histórias

aos

seus

descendentes, em tantas e tão distantes partes do mundo! Todos humanos, ainda que diferentes! Embora mudem a cor da pele, o cabelo, os olhos, a Língua diz o mesmo. Alguns desses ramos vão minguando à medida que os meninos, ao crescer, vão esquecendo a Língua dos seus avós. Todos devem ter orgulho na sexta Língua mais falada no planeta terra. Quantos morreram, falando e lutando em Português, por palavras como amor, amizade, liberdade, paz e outros direitos humanos que precisamos de continuar a defender. Em muitos lugares do mundo, os nativos aprenderam a minha língua e decidiram “adotar-me”, no seu país. Assim acontecendo em Angola, Guiné-Bissau, Moçambique e São


Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Timor e Macau, Brasil, países onde a Língua Portuguesa é acarinhada e é Língua Oficial. Hoje, milhões de pessoas falam a Língua Portuguesa - E agora, o que vai fazer? - Bem… Agora, vou continuar a divulgar a minha História, pois, afinal, é a Língua Portuguesa que nos permite comunicar em tantas partes do mundo, é o Português a língua que nos une.

Mapa retirado de: http://cvc.instituto-camoes.pt/tempolingua/02.html


Uma história da língua portuguesa