Page 1


Sabe-se que o que mais os jovens e ado- seu celular cai e quebra? Ou a bateria acalescentes de hoje prezam são as tecnologi- ba? nosso mundo acaba também? Pois é, as: ficam horas a fio vidrados em uma tela temos que refletir um pouco mais sobre o de celular, Smartphone, Iphone ou qualquer que é viver e o que é a vida. outro phone por aí. Se puder, passam o dia

A geração de hoje está deixando passar

jogando algum game ou conversando com muitas alternativas boas, e muitos estão vios “amigos” virtuais por alguma rede social. vendo na solidão. Sem

contar

Idas

ao

cinema

que, hoje em

com um grupo de

dia, todo mun-

amigos é raro de se

do é fotógrafo,

ver. Quando querem

graças ao ins-

assistir a um filme,

tagram

vão logo baixando na

e

ao

snapchat. Tudo

internet,

porque

é

bem

mais rápido e poupa

que isso tudo

esforços. Piqueniques

faz

da

em parques já não se

realida-

vê mais. Visitas a mu-

de atual, e que

seus pra quê? É só

parte

nossa

se não soubermos o mínimo para usar essa entrar no site, lá tem tudo o que queremos ferramentas seremos tachados de antiqua- e precisamos ver e saber. Pessoas sentados, caretas, bregas e alienados.

das na grama lendo um bom livro, isso já se

Mas, há de se convir que o mundo é muito tornou utópico. mais do que uma tela limitada a sistemas operacionais que contêm data de validade. E quando esse sistema operacional simplesmente nos deixa na mão? Ou quando o

É uma pena, livro é a melhor forma de “botar” a imaginação e a criatividade para funcionar!


Você está lendo essa frase com muita facilidade, não é? Mas, você já parou para pensar que ler não é tão fácil assim? Ler é uma atividade de total interação entre o texto a ser lido e o leitor e, como toda atividade, a leitura também exige concentração. Tal concentração é necessária para que se assimilem as palavras expressas no contex-

to, dando um significado ao texto. Sabe-se que esse significado não será, necessariamente, o mesmo que o autor almejava ao construir o texto. A criação do significado depende do conhecimento prévio e também do objetivo do leitor ao ler tal obra. Desde os primórdios, a leitura é considerada uma atividade libertadora, pois quem a tinha a seu alcance deixava a ignorância para viver na sabedoria.

Um bom exemplo dessa possibilidade de acesso de um sujeito a um tesouro, como era concebida a leitura na Idade Média, dá-se em uma das principais obras de Umberto Eco, chamada O Nome da Rosa. O livro narra a investigação das mortes de sete monges, que ocorreram a partir da biblioteca do mosteiro italiano. Ao final da obra, o motivo das mortes é desvendado. Essas aconteceram por intoxicação, após os monges pegarem nos livros da biblioteca, pois esse ato era proibido, uma vez que eles acreditavam que os

livros faziam com que as pessoas “enxergassem” e deixassem de viver na ignorância. Dessa forma, os monges poderiam desenvolver suas habilidades críticas e, a partir daí, se oporiam às questões que eles acreditavam não estar de acordo com as leis do mosteiro. O título do romance, “O nome da rosa”, era uma expressão usada na Idade Média para denotar o infinito poder das palavras.


Estamos sempre ouvindo discussões à cerca mento das potencialidades intelectuais e espirituais. desse tema: a leitura.

Lendo, a pessoa amplia o conhecimento de mun-

As pessoas mais velhas estão sempre incenti- do, o cultural, expande o vocabulário, desenvolve o vando os jovens a lerem, e os professores, de mo- poder de argumentação e de persuasão. Entretando geral, rotineiramente tentam fazer com que seus to, para que se tenha o hábito da leitura, é preciso alunos leiam, justificando a importância desse hábi- estímulo e motivação desde cedo. Pesquisadores to em suas vidas.

afirmam que é necessário que todos, desde gover-

Será que temos, de fato, conhecimento do por- nantes até os pais e pedagogos, estejam convenciquê a leitura tem papel fundamental no nosso coti- dos da importância que a leitura tem na vida individiano? Aqui vão algumas respostas para as nossas dual, social e cultural, se quiserem fazer algo para perguntas sem fim.

contribuir para a melhoria dessa situação. Da mes-

Ler é tarefa essencial para a construção do co- ma forma, é preciso transferir essa convicção aos nhecimento de mundo e do

que ainda serão inseridos

autoconhecimento.

no mundo das letras para

Além de um exercício ativo,

que já possam adentrar sa-

que nos faz enxergar com

bendo do significado de tal

olhos críticos, é também refle-

hábito, de modo apropriado

xivo, pois nos faz pensar so-

à fase do seu desenvolvi-

bre o que acabou de ser lido.

mento.

De acordo com Paulo Frei-

Não se pode esquecer

re, o ato de ler não se esgota

que a leitura por si só não é

na decodificação pura da pa-

tão completa como quando

lavra escrita ou da linguagem escrita, mas se ante- unida à escrita. O ler e o escrever são atos complecipa e se alonga na inteligência do mundo.

mentares: o domínio da escrita só acontece quando

A leitura tem também papel fundamental no de- há o hábito da leitura, pois é por meio dela que o senvolvimento crítico do indivíduo, na independên- sujeito absorve todo o conhecimento e o armazena cia e na autoconsciência sobre suas atitudes e pen- na memória em longo prazo. samentos. O ler nos abre portas, as portas do conhecimento, da criatividade e da imaginação.

Por essas razões, a leitura é uma forma exemplar de aprendizagem. Estudos psicológicos revela-

Em tempos remotos, reservava-se a poucos o ram que o aprimoramento da capacidade de ler privilégio da leitura, e mesmo depois de alguns também redunda no da capacidade do aprender avanços da humanidade, o ato de ler continuava como um todo, indo muito além da mera recepção. restrito à elite culta.

E podemos ir além afirmando que a leitura pro-

O acesso à leitura, hoje, é oferecido a todos, po- porciona um “arquivo” de informações que promorém, uma minoria se beneficia dele. Mesmo saben- vem e facilitam nossa argumentação tanto na escrido que é ela, a leitura, quem propicia o desenvolvi- ta quanto na oralidade.


É certo que estamos numa era tecnológi-

Como tudo na vida, o uso da internet tem

ca, e sabemos que os jovens de hoje já seus prós e seus contras. As pessoas que a nasceram nessa era. É certo também que é usam excessivamente, que acham que tudo muito mais fácil e cômodo acessar a inter- é facilmente trocado pela tecnologia, estão net para ver notícias e informações do que utilizando-a de maneira equivocada. pegar um jornal de papel. É muito mais rá-

Para muitos, a internet é uma ferramenta

pido enviar um e-mail do que mandar uma fantástica, que cria infinitas possibilidades carta. É muito menos cansativo conversar de manter o indivíduo conectado com o pelo chat do

mundo.

Entre-

que ter que ir

tanto, é impor-

até a casa de

tante que as cri-

um amigo.

anças não vejam

A relação

a internet como

com os mei-

única fonte para

os tecnológi-

adquirir informa-

cos nos colo-

ções e, para que

cou em uma

isso aconteça, é

zona de con-

preciso que haja

forto da qual

a

não

deseja-

de

mos

sair,

interferência terceiros

quando for ne-

mas é inevitável que saiamos se não qui- cessário. sermos continuar a regredir.

Atualmente, o computador é visto como

A internet é uma ferramenta bastante útil um acessório de grande relevância para o e está ao nosso alcance para ser usada, processo de aprendizagem do indivíduo, porém, deve ser usada com disciplina. Há porém, é preciso que não se deixe os livros de se ter discernimento para saber o que a de lado, valorizando a abundância de inforinternet pode fazer por nós e o que é dis- mações neles contida. pensável a ela.


O incentivo à leitura deve ocorrer desde os dormir: não há melhor forma de incentivo à primeiro anos de vida, mas não basta o incenti- leitura do que essa. Ler para os filhos e com os vo, é preciso que sirvam de exemplo, que as filhos. crianças desejem ser o reflexo dos pais. Para

Comente sobre livros: não deixe de falar

isso, é imprescindível que o ato de ler já esteja sobre aquele livro que você leu e amou! presente na vida e no lar da família, assim a

Não impor quantidades de páginas a se-

criança não verá a leitura como algo obrigatório rem lidas para determinado dia: Para a leitue enfadonho. Como já estará familiarizada, verá ra ser algo agradável, o indivíduo tem que se a leitura como uma ocupação prazerosa.

sentir um personagem da história e não ficar

Se a família tiver conhecimento das vanta- pensando em quantas páginas devem ser lidas. gens de se tornar um leitor, e enxergar a leitura Esse método frequentemente usado nas escocomo uma porta que, ao abri-la encontrará um las pode ser um forte elemento para a redução milhão de possibilidades de crescer socialmen- no número de jovens leitores. te, será muito mais fácil compartilhar esse sen-

Falar sobre filmes baseados em obras li-

timento com a criança e fazer surgir nela um terárias: haverá sempre aquele filme que os gosto sincero pelo ato de ler.

jovens adoram e que foram baseados nos li-

Do mesmo modo, na escola, a leitura não vros, mas que eles desconhecem essa informapode ser vista como um objetivo exclusivo e, ção. Sempre que houver a possibilidade, é intemuitas vezes, descontextualizado. Ela tem que ressante comentar sobre isso com eles e dizer ser mantida como parte integrante do currículo que o livro é sempre muito mais detalhado que escolar.

o filme, instigando assim a curiosidade dos jo-

Não existe uma forma de incentivar o aluno vens pela leitura. Alguns exemplos atuais são: à leitura, mas existem várias estratégias que Harry Potter, Percy Jackson, Jogos Vorazes, fazem com que ele tenha vontade de ler: Ler uma história para os filhos antes de

entre outros.


Cientes de todos esses aspectos que abran- (de livro e de mundo), os professores de Língua gem a leitura e o prazer de ler, os coordenado- Portuguesa do colégio se viram prontos e desares do Ensino Fundamental II do Colégio Polie- fiados a trazerem os alunos para o mundo fandro foram em busca de alternativas para moti- tástico dos contos de fadas, da ficção, dos rovar a leitura, pelo menos dentro do ambiente mances e outras tramas. Com muita interação escolar. Por meio dessas buscas, conheceram e reflexão, cada um tem o seu momento de o projeto Círculos de Leitura.

compartilhar ideias, resgatar memórias e, prin-

O projeto consiste em única e basicamente cipalmente, ouvir. Ouvir o que o outro tem a didesenvolver as práticas de leitura em sala de zer, disponibilizar um momento para interagir aula. Num ambiente em que, cada vez mais, avan-

com o grupo. O objetivo principal é fazer com que o aluno

ça a tecnologia, não podemos deixar que os entenda que, além das vantagens cognitivas, alunos esqueçam o quão maravilhosa pode ser em que o indivíduo, por meio da leitura, expana história de um livro, com suas capas duras e de o seu conhecimento de mundo, a capacidao cheiro das folhas.

de de interpretação, aumenta o vocabulário,

A coordenadora do projeto Círculos de Leitu- desenvolve o poder de argumentação etc., a

ra, a psicanalista Catalina Pagés, esteve várias leitura também proporciona uma autorreflexão. vezes no Colégio, ministrando encontros de ca- Quando o aluno se aproxima do personagem é pacitação para que os professores iniciassem capaz de se reconhecer nele. A partir daí, pasas aulas revigorados pelo poder transformador sa a (re)pensar e questionar seus atos e ideais, das palavras.

podendo mudar sua forma de enxergar os ou-

No decorrer dos encontros com a coordena- tros e o mundo, tornando-se um ser humano dora do projeto, recheados com muita leitura melhor.


COLABORAÇÕES Criação e Conteúdo Miriele Amorim

Revisão Profª Girlayne Faria Editoração e diagramação: aluno Marcus Nakamura

Folheto Feira do Livro - Projeto Miriele  
Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you