Page 1

TECIDOS


SUMÁRIO Introdução

5

Origem das Fibras Têxteis

7

Indústria da ação

10

Classi cação

15

Estrutura dos tecidos planos

19

Estrutura dos tecidos de malha

22

Fibras Naturais

26

Linho

26

Seda

29

Algodão

35

38

Fibras Arti ciais

42

Viscose

44

Acetato

46

Modal

48

Liocel

50

Fibras sintéticas

52

Poliéster

52

Acrílico

53

Elastano

54

Poliamidas

54

Micro bra

55

A lei das etiquetas

57

Símbolos para a conservação dos produtos têxteis

60

Referências

62


introdução


Introdução

introdução Designers de Moda projetam:

www.ecolebrasil.com.br

4


Introdução

Coleções, projetos envolvem questionamentos e escolhas. Para que as coleções de moda possam ser executadas com o máximo de controle possível é necessário que o designer (equipe) leve em conta alguns itens. No que se refere a escolha das fibras, fios e tecidos é importante responder as seguintes perguntas: Qual o destino desse tecido? Qual o consumidor desse tecido? Qual será o modo de produção do tecido? Designers de Moda e Estilistas devem conhecer essas estruturas para saber qual a mais indicada para suas coleções (projetos). Designers de Moda também podem desenvolver projetos de Design Têxtil. Perguntas importantes no desenvolvimento de uma coleção e na hora de escolhermos as peças do nosso guarda roupa. Gênero? Faixa etária? Poder aquisitivo A coleção é de inverno ou verão? Prazo pelo conforto? Sofisticação? Simplicidade? Custo menor? Etc. Que tipo de aparência terão minhas peças?

www.ecolebrasil.com.br

5


origem das fibras tĂŞxteis


Origem das fibras têxteis

origem das fibras têxteis Matéria prima têxtil: fibras

Os tecidos têm diferentes propriedades físicas e químicas, essas estão relacionadas diretamente à matéria-prima dos seus fios. Em relação as fibras elas podem ser classificadas como de origem:

naturais

artificiais

sintéticas

naturais Vegetais:____________________________________________________________________________ Animais:____________________________________________________________________________ Minerais:____________________________________________________________________________

www.ecolebrasil.com.br

7


Origem das fibras têxteis

artificiais Artificiais: ______________________________________________________________________________________________________

sintéticas Sintéticas: ______________________________________________________________________________________________________

As fibras naturais, artificiais ou sintéticas passam por processos que dão origem aos fios têxteis.

classificação fios têxteis

Origem das fibras têxteis

naturais

www.ecolebrasil.com.br

8


indústria da fiação


Indústria de Fiação

indústria da fiação Fios Têxteis: estruturas compostas por fibras naturais ou não naturais ( químicas e sintéticas), apresentando grande comprimento e finura. Essas estruturas se firmam em função de operações de fiação. Os fios se caracterizam pela sua regularidade, diâmetro e peso. A relação entre comprimento e peso define o título do fio. Os fios têxteis devem ter boa resistência (durabilidade) e alta flexibilidade. Resistência: capacidade do fio de resistir a esforços, que sofrerá posteriormente para sua transformação em tecido. Flexibilidade: capacidade do fio de ser submetido a flexões e torções sem alterar suas características. São materiais constituídos por fibras flexíveis, que possam ser utilizadas na confecção de tecidos planos ou malhas, utilizados posteriormente na indústria de confecção e vestuário. INDÚSTRIA DE FIAÇÃO Fiação: Processo realizado na indústria têxtil responsável por transformar as fibras em fios. Fios Cardados:______________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________

Fios Penteados:_____________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________ _____________________________________________________________________________________________________________

www.ecolebrasil.com.br

10


Indústria de Fiação

Fios Singelo (simples): Produzido a partir de fibra natural ou não. Caracteriza-se por ser único, ou seja, formado por um único cabo. Conjunto mais simples de material têxtil. OBS: Pode ser fiado a partir da reciclagem de tecidos.

Fio de algodão singelo penteado Retorcido: União de dois ou mais fios singelos, originando um fio mais forte e resistente. Ex. jeans

Fio de algodão retorcido. Fantasia: Possui efeitos diferenciados através de irregularidades propositais como felpas, cor, laçadas, torção, espessura e etc. Fios com toque, aparência e texturas diferenciados.

www.ecolebrasil.com.br

11


Indústria de Fiação

Fios JASPE: Fio fantasia obtido através da torção de três cabos e cores diferentes.

Fio FLAMÊ: Tipo de fio fantasia característico pela variação da quantidade de fibras na sua extensão, fazendo com que o fio tenha algumas áreas mais grossas que as outras.

Fio METALIZADO: tipod e fio sintético, obtido através de fibras sintéticas (poliéster), laminados com fibras metálicas Fibras não naturais: Passam pelo processo de extrusão. Os polímeros são transformados em pellets, esses mediante aquecimento passam pelos furos fieria. Quando o filamento passa pela fieria ele é imediatamente solidificado filamento assim o filamento sintético.

www.ecolebrasil.com.br

12


Indústria de Fiação

A estrutura têx l. Depois de escolhida a matéria-prima, essa passa por beneficiamentos que resultarão em diferentes pos de fios. Os fios dão origem as estruturas têxteis que conhecemos como tecidos.

www.ecolebrasil.com.br

13


classificação


Classsificação

classificação Esses classificam-se em: _____________________________________ ____________________________________________ _____________________________________

tecelagem Processo pelo qual se produz tecido plano. Desta forma fios de origem natural ou química darão origem a estrutura plana denominada tecido. No tear acontece o cruzamento ortogonal dos fios de urdume e os fios da trama.

www.ecolebrasil.com.br

15


Classsificação

Tecidos Planos

Tecidos planos são caracterizados pelo entrelaçamento dos fios da trama e do urdume, formando um ângulo de 90. Pode haver mistura de fios naturais e sintéticos.

www.ecolebrasil.com.br

16


Classsificação

Tecidos de Malhas:

Tecidos de malha tem a característica de ceder (elaticidade) mais que os tecidos planos. Um tear circular pode se alimentado apenas por 01 fio ou por uma infinidade de fios. Malhas podem ser compostas de fios naturais e sintéticos. Pontos formam______________________________.

Tecidos em malha podem ser criados em teares retilíneos, circulares ou artesanalmente.

Não tecidos: Feltros, TNT.

www.ecolebrasil.com.br

17


estruturas dos tecidos planos


Estruturas dos tecidos planos

estruturas dos tecidos planos Estrutura composta de fios de fibras naturais, artificiais ou sintéticas, ou da mistura dessas, possuindo diferentes propriedades físicas e químicas, relacionadas diretamente à matéria-prima dos seus fios. Os tecidos podem ser usados com diversas finalidades, ex: Cobertura e proteção do corpo; Limpeza; Uso medicinal; Forração de materiais diversos; Criação de acessórios, etc. Classificação dos tecidos planos segundo a padronagem da sua tecelagem: O modo de tecer os fios determina sua estrutura. A tecelagem pode ser feita de inúmeras maneiras, mas a ordem básica do cruzamento dos fios de trama e urdume é: Ligamento ____________________________________. Ligamento ____________________________________. Ligamento ____________________________________. Ligamento ___________________ ou _______________________: Menor base de armação e mais utilizada. O resultado é uma estrutura que lembra um tabu leiro de xadrez. Estima-se que mais de 70% dos têxteis seja confeccionado desta forma.

Pontos em preto são sempre o fio de urdume sobre o fio de trama.

Tecidos com estrutura tipo______________________________ podem ser confeccionados com diferentes fibras. Esses tecidos são comercialmente conhecidos como: - Organza; - Oxford; - Panamá; - Percal; - Cambraia; - Tafetá e etc.

A trama ____________ ou ligamento de __________ é a menor base de amarração têxtil utilizada em tecidos planos. Essa base é encontrada em uma grande quantidade de tecidos, desde os mais leves, finos e transparentes até os mais pesados. São tecidos que praticamente não possuem diferença entre o lado direito e avesso, a não ser em função de acabamentos.

www.ecolebrasil.com.br

19


Estruturas dos tecidos planos

Ligamento __________________: As ____________ se caracterizam pela formação de linhas diagonais. Esse tipo de ligamento ou estrutura resulta em um tecido com lado avesso e lado direito bem nítido. Diagonais apresentam sentido oposto nos diferentes lados. Tecidos de _____________geralmente são tingidos em peça. Exceção: Denin onde o urdume é tinto e a trama é de fio cru. Tecidos com estrutura tipo Sarja podem ser feitos de diferentes materiais e também podem variar sua estrutura. Em comparação com tecidos com estrutura Tafetá são mais fortes, compactos e pesados comercialmente Sarjas são conhecidas como: Tweed; Denim; Gabardine; Espinha de peixe;

Ligamento___________________________: Resulta em um tecido liso, sem qualquer efeito (reflexo do fio flutuante -fios de trama) Característica: lado direito com brilho, lado avesso opaco __________________ mais utilizados são de cinco, sete e oito, pois produzem tecidos mais leves. A estrutura do ______________ é semelhante a da sarja (diagonal), no entanto aqui a estrutura é interrompida para construir uma superfície lisa e lustrosa. Os ____________podem variar na intensidade e no brilho, dependendo da matéria prima. Quanto mais alto o número de passagens da trama sobre os fios de urdume, mais brilho terá o tecido. Fibras com mais brilho também acarretam em tecidos mais brilhantes.

www.ecolebrasil.com.br

20


estrutura dos tecidos de malha


Estruturas dos tecidos de malha

estrutura dos tecidos de malha Não se sabe ao certo quando foi que se descobriu o método manual de se fazer malha. Descobertas mostram que esse método já era utilizado no Egito no século V a.C. As malhas, assim como os tecidos planos, podem ser produzidas manualmente ou por meio de máquinas. É característica das malhas a flexibilidade (enquanto os tecidos planos são estruturas mais rígidas). O tecido de malha advém do entrelaçamento de um ou mais fios. Nos tecidos de malha cada ponto precisa estar apoiado no ponto anterior e também na carreira anterior. A __________ é o elemento principal. A sucessão de pontos no sentido vertical do tecido chamamos de cursos. Já os pontos no sentido vertical das malhas, (no sentido do comprimento do tecido), chamamos de coluna ou fileira.

Os tecidos de malha agregam algumas características tais como: a flexibilidade; a elasticidade; e a porosidade. Os entrelaçamentos dos fios podem obedecer sentidos bem distintos e recebem a seguinte classificação: -Malharia por Trama (MT); -Malharia por Urdume (MU); -Malharia Mista. Denominamos Malharia de Trama (MT), as malhas formadas por um único fio que corre continuamente ao longo da largura do tecido. Essas estão divididas em: Malha de Jersey/ Malha Simples ou Meia-malha. Malha Cotelê/ Rib. Malha de Liga. Desta forma são produzidos tecidos de malharia retilínea e também tecidos tubulares. Malha de Jersey/ Malha Simples ou Meia-malha. Construção simples em que as laçadas ficam no avesso do tecido e estão no sentido horizontal do tecido, formando semi-círculos. O lado direito é liso com pontos no sentido longitudinal. Esse tecido é composto com a estrutura mais simples dos tecidos de malha. Tem como características: Ser elástico tanto na largura como no comprimento. Um lado direito e um avesso diferentes, sendo o avesso mais rugoso.

www.ecolebrasil.com.br

22


Estruturas dos tecidos de malha

Malha Cotelê ou Rib. Construção simples que tem como característica principal os lados avesso e direito com aparência igual, com pontos no sentido longitudinal. Tem como características: Grande elasticidade (maior que anterior); Pouco deformável no sentido transversal. Indicada especialmente em punhos e golas.

Malha de Liga. Construção simples que tem como característica principal os lados avesso e direito com aparência igual, no sentido horizontal. Semi-círculo, ou cursos. Tem como características: Boa elasticidade no sendo transversal e longitudinal. Indicada para roupas de crianças.

Malhas por Urdume (MU)têm como característica: Ser menos elásticas que as malhas por trama. Ser mais brilhante e mais estáveis. Devido a estabilidade, dificilmente se desfazem.

www.ecolebrasil.com.br

23


Estruturas dos tecidos de malha

Sua face direita é semelhante a face direita das malhas de trama, já seu avesso é formado por fios flutuantes geralmente na diagonal. Muito usadas em produtos voltados para a moda praia, roupas íntimas.

Malhas Mistas: São formadas por urdume ou por trama com a inserção periódica de um fio de trama, proporcionando maior estabilidade dimensional ao tecido. Independente da construção da malha por trama (MT) ou por urdume (MU) as estruturas tornam-se mais estabilizadas e firmes. A inserção do fio trama nessas estruturas é fundamental para a classificação do que chamamos de Malha Mista. Na figura abaixo nota-se a inserção do fio de trama na malharia por trama, ou seja, malha por trama com inserção de trama.

www.ecolebrasil.com.br

24


fibras naturais


Fibras Naturais

fibras Naturais As fibras naturais são derivadas de fontes orgânicas. Essas fontes podem ser divididas em origem vegetal (compostas de celulose), origem animas (compostas de proteína) e origem mineral.

Linho Fibras Têxteis Linho O linho é uma fibra têxtil natural, de origem vegetal considerada por muitos como " uma das fibras naturais mais antigas usada no mundo ocidental". Foram descobertos vestígios da fibra na Mesopotâmia e Antigo Egito datando de 8000 a.C. Seu cultivo tem registro de 2500 a.C.

O linho é uma planta que varia em altura de 30cm a 1.20m, com folhas finas e verde e flores que variam de cor conforme a espécie ( + de 100).

www.ecolebrasil.com.br

26


Fibras Naturais

Espécies mais nobres têm flor azul, branca, lilás ou rosada. A planta tem um caule principal do qual brotam ramos, de onde nascem folhas, e flores. No interior do caule da planta estão as células longas, delgadas e com paredes espessas, que dão origem a fibra têxtil.

As fibras do linho podem ser fiadas, torcidas e beneficiadas resultando em diferentes tecidos, planos, malhas, rendas e até cordas grosseiras. Tecidos de linho sempre foram muito apreciados e aplicados nas vestimenta de diferentes povos, mas também são usados por exemplo na decoração, roupa de cama, artigos náuticos etc.

www.ecolebrasil.com.br

27


Fibras Naturais

Morfologia: O corte longitudinal mostra uma fibra mais achatada, o corte transversal mostra claramente o lúmen e a espessa parede externa em um formato poligonal.

Propriedades e características da fibra: Composição química: Cerca de 80% de celulose. 4% de pectina (presente na formação das paredes celulares vegetais). 2% graxa e cera. 4% de substância solúvel em água. 10% água. Características: Resistência: A fibra do linho é bastante resistente, originando tecidos duráveis e fáceis de lavar. Sua resistência aumenta em até 20% quando o tecido é molhado. Absorção e eliminação da umidade: Absorve a umidade rapidamente e também elimina a umidade rapidamente por evaporação. Das fibras naturais é a que elimina a umidade mais rapidamente. Resiliência: A fibra de linho é a menos maleável entre as naturais, sendo uma característica marcante o fato de não possuir uma boa recuperação à dobra ou amarrotamento. Tecidos de linho 100% têm tendência ao rompimento quando dobrados sempre na mesma região. Propriedades biológicas: Tecidos de linho não são afetados por mofo ou por insetos quando armazenados de forma apropriada. Havendo elevada umidade podem ser atacados por fungos. Quando armazenados adequadamente podem ser conservados por muito tempo. Características químicas e físicas: Quando expostos a luz solar por longos períodos ocorre uma gradual perda de resistência. O linho queima rapidamente quando exposto a chamas. Temperaturas altas por períodos prolongados causam sua descoloração. Pode ser passado acima de 250 C desde que o ferro de passar fique em contato com a superfície por pouco tempo.

www.ecolebrasil.com.br

28


Fibras Naturais

Produção: Ainda hoje a fibra de linho se desenvolve melhor quando cultivada na beira de rios, lagos (lugares pantanosos). Os maiores cultivadores de linho estão na Europa Irlanda, Lituânia, França e a Bélgica. Depois Ásia e África. O Brasil também produz linho ( inclusive no RS - Guarani das Missões). Grande parte da plantação serve para a retirada da semente (linhaça) e óleo da mesma. Apenas uma fábrica brasileira beneficia a fibra têxtil do linho: Linifício Leslie, em Jacarepaguá, RJ, desde 1951. Atualmente abastecido com linho vindo da França e da Bélgica. O linho é considerado uma das fibras mais ecológicas, pois, é necessário o uso de pouco fertilizante químico na plantação. Praticamente toda a planta é aproveitada depois da colheita: a camada do caule que envolve a fibra serve de pastagem para cavalos; a semente usada na alimentação_______________, ind. de cosméticos e tintas. Sugestão: vídeo: https://vimeo.com/16474921 ___________________________________________________________________________________________________

seda Fibras Têxteis

www.ecolebrasil.com.br

29


Fibras Naturais

Seda

A seda é uma fibra natural animal. Sua descoberta está associada aos chineses por volta de 2.500 a.C. A cidade de Bizâncio capital do império Bizantino já com o nome de Constantinopla foi uma grande produtora de seda chegou no ocidente através da Rota da Seda, onde era adquirida principalmente por dirigentes religiosos, nobre e posteriormente pela burguesia rica.

A seda chegou na Europa através da rota da seda. Principalmente para o uso de imperadores romanos e suas famílias. Passou a ser produzida na Europa,

principalmente na França a partir do século XV, quando

Lyon passou a ser o maior centro d e tecelagem da seda do ocidente. No Brasil o bicho- da -seda começou a ser criado a pedido de D. Pedro II batizada de Imperial Companhia Seropédica Fluminense. Atualmente a seda brasileira é considerada uma das melhores produzidas no mundo. Os estados do Paraná e São Paulo são os principais produtores de seda no Brasil, atualmente. No Paraná o local de produção é conhecido como Vale da Seda. Lá existem cerca de 1.790 pequenas propriedades espalhadas em 29 municípios que produzem fios de alta qualidade.

Hermès usa a seda brasileira nos seus lenços e gravatas http://lesailes.hermes.com/soie_masqu%C3%A9e

www.ecolebrasil.com.br

30


Fibras Naturais

9000 metros do fio de alta qualidade produzido no Paraná, pesam 20g. O Brasil é responsável por 0.5% dos fios de seda produzidos no mundo. China, índia, Tailândia e Uzbequistão, produzem cerca de 85% de todos os fios de seda do mundo.

Chamamos de Sericicultura a criação Dos bichos-da-seda

Bicho- da-seda. Nasce do tamanho e um grão de arroz. Come folhas de amoreira e chega aos 10cm.

Larva Bombix Mori domesticada. Fibra composta de proteína, a Sericina. A fibra da seda é produzida, principalmente, pela larva do Bambix Mori, larva de mariposa que produz uma seda nobre de qualidade superior, pois os fios são mais uniforme. A alimentação dela é essencialmente de folhas de amoreira. Cada bicho consome uma quantidade grande de folhas diariamente, o que faz com que uma lagarta que nasce com cerca de 0,6mm chegue a um peso de 10gr quando adulta (crisália).

www.ecolebrasil.com.br

31


Fibras Naturais

Mariposa da Bombix Mori São necessários 7 a 10 Kg de casulos vivos para que se produza 1Kg de fio de seda. Diversos filamentos são unidos para formar fios de titulação diferente. Os filamentos da seda são compridos e longos, chegando a medir normalmente entre 920 a 1190 metros. Geralmente têm uma cor que varia de um bege ao branco. Cruzamentos de espécies podem dar origem a fios marrons. Existe também a seda selvagem geralmente mais resistente, mais rústica pelo fato de não ter um fio uniforme, devido a alimentação dos bichos e em função da crisálida romper os fio do casulo. Fases:

Características: Resistência: Nesse caso a resistência da fibra varia bastante em função da umidade, mas diferente do linho a seda úmida perde resistência. Absorção da umidade: De 11 a 35%. Essa absorção relativamente alta facilita a aplicação de corantes. Resiliência: Considerada média. Em comparação com outras fibras naturais é maior que a do algodão e linho e inferior a da lã. Estabilidade dimensional: um dos problemas mais sérios dos tecidos de Seda é a estabilidade dimensional. Cuidados devem ser tomados nos cortes das peças e nas operações de costura. Efeitos da luz, tempo e condições climáticas: Raios ultravioletas tendem a acelerar a decomposição da seda. A fibra

www.ecolebrasil.com.br

32


Fibras Naturais

A seda pode ser atacada por traças e bactérias que podem diminuir a resistência dos tecidos. Em função disso a seda requer cuidados no manuseio e principalmente na sua estocagem. Raios ultravioleta tendem a acelerar a decomposição da seda. Flamabilidade: Queima em contato com chamas mas o fogo apaga rapidamente quando o foco de chama é e extinguido. O resíduo da seda queimada é um pó escuro e levemente endurecido. Usar ferro até no máximo 150°C pois a partir disso pode queimar. A fibra se degrada acima de 177°C. Brilho: Fibra com brilho natural. Entre as naturais é a que tem maior brilho. Cor: Varia entre o branco e o creme. Ocasionalmente cinza e marrom. Morfologia

O corte transversal tem aspecto próximo ao triangular. Isso explica, em parte, o brilho da fibra, pois a mesma reflete a luz, mais que as outras fibras naturais. O Casulo Feliz: A empresa nasceu em 1988, motivado pela ideia de que o fio de seda também deveria ser produzido de forma manual, aproveitando os casulos impróprios para a indústria e também reciclando os subprodutos dessa mesma matéria-prima. A empresa está sediada em Maringa e produz fios de seda e palha de seda (fios mais rústicos) que são usados em coleções de moda, acessórios, mobiliários etc, por empresas diversas. O Casulo Feliz está inserido no bairro Santa Felicidade, o bairro mais carente da cidade de Maringá. Os artesãos e colaboradores são moradores ou ex-moradores do bairro. Dentro da empresa viram a possibilidade de ascender socialmente e melhorar a sua qualidade de vida. Usam técnicas de fiação manual, e também tecem de forma manual. As cores dos produtos são obtidas de forma natural, com tingimento vegetal proveniente de plantas e compostos. Esse processo de tingimento promove a reciclagem e remuneração extra para pequenos empresários e agricultores.

www.ecolebrasil.com.br

33


Fibras Naturais

Fios de seda rústica Jeans desenvolvido na Casulo Feliz: composição Seda/ Algodão/ Poliéster. Em parceria com o Senai por meio do edital de inovação nacional, O Casulo Feliz desenvolveu um tecido totalmente novo no Brasil e no mundo. O PROJETO PROPÕE A TRANSFORMAÇÃO DE UM PRODUTO UNIVERSAL e democrático, a calça jeans, em uma peça mais macia, confortável e sustentável, que promove a reciclagem de garrafas PET. Se destaca pela utilização de seda, uma fibra nobre em um produto simples, agregando elegância e paralelamente promovendo a reciclagem. O tecido reciclado se une à fibra de seda e o resultado é um produto de brilho diferenciado e maior conforto. Em 2013 a Osklen apresentou sua coleção de verão usando fibras e tecidos da Casulo Feliz.

Outras marcas que usam fios da Casulo Feliz: Animale. Carlos Bachi. Cantão. Priscila Darolt Ver em : http://www.ocasulofeliz.com.br/siteModa/portfolio

www.ecolebrasil.com.br

34


Fibras Naturais

algodão Fibras Têxteis Algodão Fibra natural de origem vegetal, procedente do algodoeiro (semente da planta). Composta de celulose (cerca de 94%). Acredita-se que os Incas, no Peru, e outras civilizações antigas, já utilizavam o algodão em 4.500 a.C. Existem inúmeros tipos de algodão, cada um com características típicas do solo e clima onde foram plantados. O certo é que quanto maior a fibra do algodão melhor ele será. As fibras variam de 2 a 5cm. Essa fibra foi importantíssima na revolução industrial, abastecendo a indústria inglesa na produção de tecidos. A Inglaterra fabricava muito tecido com algodão plantado em solo americano e brasileiro. Os EUA, é até hoje um dos maiores produtores de algodão no mundo. O Brasil também produz muito algodão. Aqui os índios já conheciam o algodão e dominavam o seu plantio desde antes do descobrimento do Brasil, sendo capazes de colher, fiar, tecer e tingir tecidos feitos com suas fibras. Eles convertiam o algodão em fios para a utilização na confecção de redes e cobertores, aproveitavam a planta na alimentação (óleo) e usavam suas folhas na cura de doenças de pele. A produção comercial do algodão começou nos estados da Região Nordeste e o primeiro grande produtor foi o Maranhão que, em 1760, praticamente toda a produção era levada para a Europa. Até então, os produtores se dedicavam ao plantio de espécies de algodão não muito produtivas. O plantio do algodão herbáceo, mais produtivo, começou em São Paulo, que se firmou como grande centro produtor por um período. Os altos custos das terras e a concorrência de outras culturas, como a cana-deaçúcar e a soja, entretanto, forçaram a cultura a buscar novas áreas de plantio como Mato Grosso e Goiás.

www.ecolebrasil.com.br

35


Fibras Naturais

Características gerais da fibra: ● Macio; ● Suave e confortável; ● Resistente ao uso, à lavagem; ● Possui boa solidez; ● Amassa facilmente (em tecidos: mais se plano); ● Queima com facilidade; ● Tendência a amarrotar e encolher; ● É atacado por fungos ( mofo p/ ex). Morfologia: A fibra de algodão é composta por uma cutícula externa, uma parede primária, uma parede secundária e um canal central chamado lúmen

A) Fibra

B) Lúmen

Comprimento: Propriedade importante das fibras, pois, o comprimento está relacionado a finura e a resistência do fio. As fibras mais finas são as mais longas, portanto mais adequadas a indústria têxtil, por serem mais resistentes e mais nobres. Resistência: A resistência é uma das principais características da fibra de algodão. A força necessária para romper um fio de algodão varia bastante, porém um fio com fibras mais finas de mesmo título que um fio de fibras mais grossas será mais resistente. Alongamento: (quanto a fibra aumenta de comprimento antes de romper) O alongamento da fibra de algodão varia entre 5 e 10%. Elasticidade: (capacidade que a fibra tem de alongar e voltar a sua forma original) A fibra de algodão é pouco elástica por natureza e a umidade provoca um decréscimo na elasticidade das fibras do algodão. Resiliência: É a capacidade que as fibras possuem de retornar a seu estado normal, tão logo seja retirada uma força de compressão, que as amarrotava ou dobrava. A resiliência das fibras de algodão é relativamente baixa. Flamabilidade: A fibra de algodão queima rápida e completamente. O cheiro lembra papel queimado em função da celulose. www.ecolebrasil.com.br

36


Fibras Naturais

Quando submetido a temperaturas altas por períodos longos pode amarelar. Indicações de uso: Tecido para roupas, roupa de cama, para limpeza, para uso doméstico ou uso em ambientes coorporativos. Muito usado na linha hospitalar. Encontramos tecidos de algodão 100% assim como a sua mistura com outros materiais. No setor têxtil a mistura de materiais se dá com a intensão de beneficiar características não tão nobres de um ( ou mais) materiais componentes na composição. Sobre: O algodão também era usado para mumificar corpos no antigo Egito. A fibra do algodão é hidrofílica, o que significa que tem excelente capacidade de absorção. Roupas feitas de algodão absorvem suor, mantendo, assim, um maior conforto. Algodão pode ser misturado com qualquer outro tipo de fibra melhorando aspectos como resiliência, estabilidade dimensional, custo etc. Tecidos 100% algodão, geralmente têm brilho fosco agradável. Algodão egípcio tem mais brilho naturalmente. É hipoalergênico, o que significa que tem uma baixa tendência para provocar reações alérgicas.

www.ecolebrasil.com.br

37


Fibras Naturais

Ovelha Merino

Cabra Angorá

Vicunha

Fibra natural de origem animal composta por queratina ( proteica). Acredita-se que foi a primeira fibra natural a ser usada pelo ser humano, primeiro junto as peles dos animais, depois enquanto feltro e depois fiada. Matéria prima usada em praticamente todo o mundo, locais como a Mesopotâmia e Egito faziam uso de tecidos de lã datados de + ou - 4.000 a. C Hoje a lã é usada principalmente em áreas onde faz frio. No Brasil também tem importante papel na história da nossa indústria têxtil. É muito usada também em artigos de decoração. O RS é o estado brasileiro que mais produz lã. Muito do nosso produto é exportado para o Uruguai e beneficiado lá. Uruguai é um dos principais produtores de lã merino no mundo. A fibra da lã é macia e ondulada, obtida principalmente do pelo das ovelhas e cabras, mas também é obtida através da tosquia de camelos, alpacas, lhamas, vicunhas etc. A lã se diferencia em função de características típicas de cada espécie. Cada espécie tem espessura e ondulação da fibra diferente. Quanto mais ondulada e fina mais rica e valiosa. De todas as matérias-primas naturais utilizadas na tecelagem a lã apresenta maiores qualidades do ponto de vista têxtil, pois tem uma excepcional fiabilidade devido a sua estrutura ondulada que facilita a fiação. A ondulação da fibra da lã lhe garante grande elasticidade ( cerca de 30%) sem a deformação do pelo, e resistência longitudinal maior que outras fibras naturais, o que impede que, mesmo quando muito finas, as fibras arrebentem ao serem tensionadas na fiação.

www.ecolebrasil.com.br

38


Fibras Naturais

Características gerais da fibra: * Quente. * Macia ( depende da raça do animal) * Resiste a rugas e a grandes desgastes. * Absorve umidade. * Flexível e se adaptada facilmente. * Possui alongamento e elasticidade natural. * Não queima com facilidade. * Se submersa em água quente, pode encolher. * Porosa. * Atacada insetos, lagartas, mofo ... * De fácil tingimento. obs: algumas pessoas têm alergia a lã natural, opção: Acrílico. Morfologia: A maioria das fibras de lã tem secção transversal elíptica, apresentando uma ondulação natural, características que constituem uma boa vantagem para a produção de fios e tecidos. A estrutura da lã lembra muito a estrutura de um fio de cabelo, pois ela apresenta cutícula ( é escamada) como na figura 01 - corte longitudinal da fibra. Quando queimamos a lã sentimos um cheiro de "cabelo queimado".

Comprimento: O comprimento e a largura das fibras de lã variam bastante ( de 3,5 a 30cm de comprimento e de 15 a 40 microns para a largura). Resistência: ( força necessária para romper o fio) A lã é mais fraca que a maioria das outras fibras naturais. No entanto propriedades como o alongamento, a elasticidade e a resiliência compensam a baixa resistência. Alongamento: (quanto a fibra aumenta de comprimento antes de romper) As fibras de lã têm excelente alongamento ( de 20 a 40% - média 30%). Quando úmida pode alongar até 70%. Elasticidade: (capacidade da fibra alongar e voltar a sua forma). Boa e imediata se alongado até 5% - depois a elasticidade cai.

www.ecolebrasil.com.br

39


Fibras Naturais

Resiliência: Muito boa. A lã recupera sua forma logo após a força que causava sua deformação, dobra ou amarrotamento, for interrompida. Flamabiblidade: A lã queima lentamente quando submetida a chama. Se estiver úmida resiste mais ainda a combustão. Ou seja, assim que a chama for removida a combustão da lã acaba. O resíduo é um pó negro com cheiro de cabelo queimado. Queratina. Quando aquecida em água quente por longo tempo, torna-se fraca e rígida. A lã se desintegra em temperaturas superiores a 300 graus. A tosquia da lã: A tosquia consiste em cortar o lã dos animais rente a pele. é um trabalho muito importante pois, se bem feito contribui para a valorização da lã e para o aumento do conforto dos animais. Para se efetuar a tosquia, os animais devem ser abrigados da chuva desde a véspera, porque a tosquia com a lã molhada é difícil de executar. A operação é geralmente realizada duas vezes ao ano, podendo-se obter de 0,5 a 1 kg de lã por ano, por animal, dependendo da raça do mesmo. A qualidade da fibra varia, conforme se extraída de um animal morto ou vivo. A lã "morta"ou "de pelego", obtida por processos químicos ou mecânicos, é mais dura e quebradiça do que a lã "viva" ou "de velo", extraída por tosquia manual. A estabilidade dimensional da lã enquanto tecido plano é melhor do que em malhas.

www.ecolebrasil.com.br

40


fibras artificiais


Fibras Artificiais

fibras artificiais Essas fibras são também conhecidas como fibras celulósicas regeneradas, pois são obtidas através do processamento da celulose ou do linter do algodão- fibra curta que fica presa no caroço da planta ( origem vegetal). A celulose e o línter do algodão após tratamento químico transformam-se em material líquido de consistência pastosa que posteriormente passará por uma fieira originando os fios têxteis. A viscose e o acetato são as fibras celulósicas regeneradas mais usadas no setor têxtil. A viscose principalmente por ter características semelhantes ao algodão e por ter um baixo custo de produção.

www.ecolebrasil.com.br

42


viscose


Viscose

viscose Como já mencionado a fibra de viscose pode se assemelhar muito, esteticamente a fibra do algodão, mas ela pode ser obtida com variações no diâmetro e no brilho. Tais variações se dão devido as diferentes aberturas na fieira, no grau de estiragem das fibras e também nos tamanhos diferentes de corte das fibras. A viscose pode se utilizada em um grande número de produtos têxteis, destacando-se o vestuário, tecidos para forração de mobiliário, linhas de bordados etc. A viscose é altamente versátil pois pode ser combinada com outras fibras naturais ou sintéticas, agregando valores estéticos, funcionais ou financeiros aos tecidos. Os produtos fabricados com a viscose caracterizam-se principalmente pela leveza, toque muito agradável e parecido com o do algodão. Características da fibra: A fibra da viscose perde a resistência quando molhada, por isso não deve ser lavada ou seca em máquinas, em função também da agitação dos equipamentos. As fibras encurtam quando úmidas. Ela tem boa capacidade de absorção de umidade, inclusive maior que do algodão. Tem boa resistência ao calor, porém a exposição prolongada ao calor ( sol ou ferro de passar) tornam os tecidos amarelados, por isso não devem ser passados em temperaturas altas. Perde resistência quando exposta á luz. Por ser uma fibra regenerada tem espessura e comprimento mais regulares que as fibras naturais. A viscose amassa muito facilmente tendo uma resiliência (capacidade que a fibra tem de voltar ao estado normal depois de dobrada, ou amassada) ruim em relação a outras fibras naturais como o algodão e a seda. Sua resiliência é melhor se comparada ao linho, por exemplo. Pode ser atacada por mofo ( se úmida) e também por traças. A viscose é considerada vilã na indústria têxtil em função do uso da soda cáustica, como solvente, no seu processo de produção. Em função do corte das fibras para que essa se assemelhem ao algodão, tecidos de viscose, quando não beneficiados da forma correta, tendem a formar pilling, bolinhas. A fibra de viscose funde a partir de 180°C. A fibra de viscose foi criada para criar tecidos com aspecto semelhantes à seda. Esse produto chegou ao consumidor com o nome de seda javanesa, ou seda artificial. Hj o mesmo produto também é obtido através do poliester.

www.ecolebrasil.com.br

44


acetato


Acetato

acetato O acetato assim como a viscose pode ser obtida da celulose da madeira ou do algodão. Também pode ser produzido em fibras contínuas ou filamentos contínuos. A desvantagem dessa fibra em relação a viscose está em não reagir bem aos processos de tingimento, o que restringe o seu uso na indústria têxtil onde a cor é muito importante, além de ter a capacidade de absorção e umidade inferior a do algodão e da própria viscose. A fibra de acetato também perde a resistência quando molhada. Fibra de rápida secagem, resistência ao calor podendo ser passado sem a necessidade de umidificar o tecido. Tem boa estabilidade dimensional. Em combustão gera um resíduo mais escuro e preto. Fibra com pouca solidez á luz, assim como a viscose. Fibra muito usada no enchimento de estofados, produção de filmes, filtros para cigarros e na indústria têxtil na confecção de rendas. As fibras de poliéster aceitam mudanças termoplásticas, em temperaturas adequadas. Ex: pregas e frisagem.

www.ecolebrasil.com.br

46


modal


Modal

modal Assim como a viscose o modal é uma fibra de celulose regenerada, ou seja uma fibra artificial proveniente de fonte vegetal. Acrescenta características de conforto, maciez e suavidade aos tecidos Características da fibra: Maciez, mesmo após muitas lavagens; Nossa pele respira livremente, pois a fibra absorve 33% mais umidade que o algodão num espaço de tempo mais rápido. Também libera a umidade para o ambiente ( evapora) mais rapidamente. Malhas com aspecto sedoso, devido a superfície lisa da fibra artificial. Absorve os corantes de forma permanente, rápida e profundamente. Os produtos têxteis feitos de modal precisam ser lavados em baixas temperaturas, mas são resistentes a encolhimentos e desbotamentos. Pode ser misturado a outras fibras: Com o algodão, aumenta o brilho, a maciez e o frescor dos tecidos. Com o linho, deixa o tecido mais macio e maleável. Melhora a resiliência da fibra também. Com a lã deixa o tecido mais macio e toque mais aconchegante no contato direto com a pele. Com poliéster alto conforto e durabilidade. Com a poliamida alto conforto de uso e toque macio. Exemplos de tecidos obtidos com a mistura do Modal: Modal algodão: modal 50% + algodão penteado 50% confere ao algodão brilho sedoso, vivacidade de cores e macies. Modal acrílico: modal 70% + acrílico 30% resulta em um tecido propício para o inverno, com aspecto mescla, maleável e deslizante. Modal stretch: modal 65% + poliamida 35% . mistura usada em malhas com stretch suave. Modal cotton: modal 33% + algodão 33% + poliamida 34%. Fio com elasticidade, macio e com visual mais opaco. Modal crepe: modal 45% + poliamida 35% + acrílico 20%. Produto resistente que tem visual mescla e propriedade stretch. Modal linho: modal 40% + algodão 32% + poliamida 20% + linho 8% produto com visual do linho mas com mais flexibilidade. Aumenta também a resiliência.

www.ecolebrasil.com.br

48


liocel


Liocel

liocel Nova fibra têxtil descoberta nos últimos 30 anos que chegou ao mercado. A fibra é produzida a partir de celulose natural retirada da madeira de plantações destinadas para esse fim. A fibra liocel é fabricada considerando questões ambientais atuais e futuras. Os produtos químicos utilizados na decomposição da celulose, solventes, não são tóxicos e são reciclados. As emissões atmosféricas e efluentes são infinitamente menores que nos outros processos de obtenção de fibras químicas. O Tencel 100% é totalmente biodegradavel. As fibras de liocel são altamente resistentes( resistência mecânica) úmidas ou secas. São mais resistente de todas as fibras celulósicas (inclusive o algodão). Sua resistência se aproxima do poliéster. Molhada é a única fibra celulósica mais resistente que o algodão. Também tem grande estabilidade dimensional. A fibra é suave, origina tecidos com bom caimento, tem alta absorção de umidade e muito resistente. A fibra também é de fácil tingimento. Tem uma resiliência média. As fibras podem ser contínuas ou cortadas, retorcidas ou não. Fibras de liocel podem ser adicionadas a outras fibras melhorando características estéticas, ergonômicas e mecânicas dos tecidos. Ex: em tecido plano de algodão melhora a resistência, o caimento, a resiliência.

www.ecolebrasil.com.br

50


fibras sintĂŠticas


Fibras Sintéticas

fibras sintéticas As chamadas Fibras Sintéticas não existem na natureza. O homem através de sínteses químicas as coloca em condições de uso, ou seja, são formadas por macromoléculas criadas (sintetizadas) pelo homem. Ex: Poliéster, Poliamida, Polipropileno, Acrílico, Elastano, etc.

FIBRAS SINTÉTICAS As fibras sintéticas são produzidas a partir de resinas derivadas do petróleo. As de maior interesse têxtil são, em ordem de quantidades consumidas, o poliéster, o polipropileno, o náilon e o acrílico. Existe ainda uma outra classe de fibras, os elastanos, de características bastante peculiares (Romero), 1995. POLIÉSTER Fibra sintética, ou seja de origem petroquímica, produzida a partir de resinas derivadas do petróleo. O poliéster é uma fibra resistente que enruga pouco, ou seja tem uma boa resiliência e foi desenvolvida em 1941, chegando ao mercado em 1945. As fibras sintéticas foram especialmente desenvolvidas a partir da Segunda Guerra mundial, em função da necessidade de uma grande quantidade de tecidos para a manutenção dos exércitos, tornando-se desde então uma forte concorrência para as fibras naturais e artificiais, já que devido ao desenvolvimento tecnológico, foi possível também que essas fibras fosse sendo mais aprimoradas com o passar dos anos. O custo baixo de produção também fez com que as fibras sintéticas conseguissem grande aceitação desde o momento que chegaram ao mercado. Entre as fibras sintéticas o Poliéster é a mais usada na indústria têxtil. Entre as suas principais características está o fato de ser uma fibra bastante elástica, resistente à tração, à fricção, à luz, aos ácidos, solventes e agentes oxidantes (alvejantes). Elasticidade ótima, contudo inferior as poliamidas. Sua combustão origina um resíduo duro e negro. O poliéster é usado em inúmeros artigos têxteis como lençóis, cortinas, roupas - calças, camisas, camisetas, casacos, meias- entretelas, enchimento de edredons e agasalhos, filtros, cobertas de inverno etc. O poliéster é uma das fibras mais usadas em mistura com outras como a viscose, o algodão, a poliamida, o linho, a lã etc, nas quais é usado principalmente para reduzir o aspecto amassado dos tecidos, e adicionar propriedades como dip-dry ( secar sem enrugar Tem baixa capacidade de absorção da umidade e seca rapidamente. Menos que as poliamidas. As fibras de poliéster podem ser encontradas o mercado como filamento contínuo e também cortadas ( essas tem propensão a formar pilling). As fibras de poliéster aceitam mudanças termoplásticas, em temperaturas adequadas. Ex: pregas e frisagem. Tem alta solidez à luz, mais que as poliamidas. Não é atacada por insetos, fungos, e é resistente ao apodrecimento. A produção de poliéster utiliza grande quantidade de água para o resfriamento da massa química que origina os fios têxteis. Contudo o poliéster tem características ecológicas, se não misturado a outras fibras ele pode ser fundido e reciclado. também pode ser fabricado a partir de garrafas plásticas recicladas.

www.ecolebrasil.com.br

52


Fibras Sintéticas

ACRÍLICO Fibra artificial sintética, descoberta na Alemanha em 1948. Sua produção para fins comerciais se iniciou em 1.950, nos EUA. A fibra se constitui de diferentes elementos provenientes do petróleo, carvão e cálcio. Características: leve, macio e quente, macio, semelhante a lã ( mais leve) ou ao algodão . Apresenta brilho quando tingido com excelente solidez. É a fibra menos consumida entre as sintéticas. As fibras de acrílico se sobressaem pela aspecto lanoso e toque do mesmo tipo, pesam pouco, conservam bem o calor, resistem ao amassamento e tem ótima resistência a luz e à intempéries. Em função dessa características a fibra é a substituta sintética da lã. Conservação do calor: Altíssima, excelente isolante térmico. Absorção de umidade: reduzido, a taxa de absorção da água é de 2 - 2,5 %. Os acrílicos são, portanto, hidrófobos ou seja repelem a água, sendo artigos de secagem rápida. Lavabilidade: a sujeira pode ser eliminada a baixa temperatura. A fibra resiste a água quente, mas é preferível lavá-las em água morna, porque em fervuras mais altas o movimento da lavagem pode causar deformação. A limpeza química é possível sem qualquer dificuldade. Comportamento térmico: Firmes até calor contínuo de 140ºC. As fibras acrílicas acumulam facilmente as cargas de eletricidade estática. Temperatura de passar no ferro: Não ultrapassar 150ºC. usar pano úmido para passar a ferro. Teste de combustão: Queimam e carbonizam rapidamente ( espécie de plástico queimado), deixando bolinhas duras e pretas. Comportamento nas intempéries: Excelente solidez contra a luz e intempéries. Não apresentam sintomas de alteração. Possuem resistência à ruptura bastante alta para artigos têxteis. Reduzida absorção de umidade e intumescimento, secam depressa e são resistentes ao calor de irradiação. É um produto "quente" (bom isolante térmico) e leve, muito resistente à ação dos raios solares (radiação ultra-violeta) e aos agentes químicos. Não amassa, de fácil lavagem, não encolhe e seca rapidamente. Apresentam resistência a manchas superior à lã, boa estabilidade e alta resiliência, Por ser não-alergênico, é muito utilizado na produção de artigos para uso infantil. ( algumas crianças têm alergia!) Como todas as fibras sintéticas, as fibras acrílicas são largamente usadas em misturas com outras fibras: lã, viscose, algodão, etc., como também manufaturas das mais variadas espécies de produtos, como: vestimentas de malhas, tecidos planos, carpetes, brinquedos infantis, cobertores etc. Bastante utilizada na imitação de pêlos.

www.ecolebrasil.com.br

53


Fibras Sintéticas

ELASTANO Fibra química sintética obtida através do etano. Fibra reconhecida, geralmente,

pelo seu nome

comercial Lycra (DuPont), ou Spandex ( conhecida nos EUA). Tem alto poder de elasticidade, podendo atingir até 5xs seu tamanho normal sem se romper. Pode ser usada em mistura com outras fibras, naturais ou sintéticas, aumentando o conforto e melhorando o caimento dos tecidos. Quando ocorre essas misturas geralmente o percentual de elastano é bem pequeno, pois já confere as características necessárias aos tecidos, em geral varia de 2 a 20%. Os tecidos com elastano sempre terão a característica da fibra principal, pois o elastano é recoberto com esses fios, em uma mistura íntima como mostra a fig. abaixo.

Tem boa capacidade de transpiração, podendo ser usada tanto no verão quanto no inverno. Tem também grande resistência a abrasão, a deterioração por detergentes, transpiração e produtos químicos.

POLIAMIDAS As poliamidas são também conhecidas como Nylon, quando em tecido plano. Existem diferentes tipos de poliamidas têxteis ( matéria prima que as origina é diferente: PA 6: matéria prima: caprolactama. Filamentos menos rígidos. PA 6.6: Matéria prima: hexametileno diamina + ácido adiptico. Filamentos mais rígidos. Nylon. As poliamidas no geral são filamentos com aspecto vítreo ( podendo usar produtos para opacisar os mesmos). Elasticidade e resiliência: elevadas, maior que qualquer fibra natural. Entre as fibras químicas ocupa o primeiro lugar. Absorve pouca água, por isso seca rápido. Porém absorve mais água que as fibras de poliéster. As fibras de poliamida soltam a sujeira facilmente. Suportam temperaturas próximas a 100C. Não têm boa solidez a luz solar (amarelam). Combustão: ao aproximar uma chama das poliamidas elas se contraem rapidamente formando uma bola de massa fundida. Ela pode ser estirada novamente enquanto estiver quente. As poliamidas têm também elevada resistência à abrasão, a agentes químicos, baixo coeficiente de atrito e alto grau de tingimento. Aceitam mudanças termoplásticas, em temperaturas adequadas. Ex: pregas e frisagem.

www.ecolebrasil.com.br

54


Fibras Sintéticas

MICROFIBRA Nos anos 90 foi desenvolvida uma nova variedade de fibra sintética, a microfibra. Produzida a partir do poliéster, da poliamida e do acrílico, esse tipo de fibra se caracteriza per ter filamentos extremamente finos, sendo utilizada na forma de fios multifilamentos. As características da microfibra permitem a fabricação de tecidos leves e de toque agradável. As microfibras são consideradas a terceira geração de fibras têxteis não naturais e estão revolucionando o setor têxtil. Com essas fibras nasceu um novo conceito de fibras sintéticas: fibras agradáveis ao uso, confortáveis, que atendem as exigência s mais variadas, com grande facilidade na manutenção e alta durabilidade. Tecidos fabricados com microfibra de poliamida ou poliéster oferecem um toque super agradável que alia maciez e suavidade, características que ainda podem ser otimizadas com acabamentos como a lixagem, que resulta em um tecido com o aspecto de pele de pêssego. Por sua baixa resistência a flexão as microfibras conferem aos tecidos excelente caimento.

https://pt.slideshare.net/Ezilen/materiais-e-processos-txteis

www.ecolebrasil.com.br

55


a lei das etiquetas


A lei das Etiquetas

a lei das etiquetas Por meio das etiquetas dos produtos, nós consumidores, recebemos as informações de composição e conservação necessárias para aquele produto específico.

Assim ao vermos produtos similares, podemos guiar nossa escolha através das etiquetas.

De acordo com a etiquetados,

sendo

que

legislação brasileira,

os produtos têxteis devem obrigatoriamente ser

o Instituto de Pesos e Medidas dos Estados da

Federação (IPEMs)

supervisionados pelo IMETRO (Instituto de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial). A fiscalização se dá através da coleta de amostras no comércio. Estas são submetidas a ensaios laboratoriais para certificar a veracidade das infor mações.

As etiquetas são obrigatórias desde 1973 no Brasil (Lei nº 5.956 de 04/12/1973). Última resolução é de 06 de maio 2008, válida também para países do Mercosul.

Responsabilidade das infrações é de quem indicou, ou não, tais informações (fabricante da fibra, fio, tecido, confecção, importador). O comerciante será responsabilizado caso: Não comprove a origem do produto; Troque ou altere informações obrigatórias; O responsável pelas informações contidas na etiqueta não estiver identificado na mesma ou na NF, ou qualquer outro documento. Também são considerados produtos têxteis os produtos que possuem pelo menos 80% de sua massa composta por fibras ou filamentos têxteis, assim como produtos têxteis incorpora dos a outros produtos, dos quais passem a fazer parte integrante e necessária, exceto calçados.

www.ecolebrasil.com.br

57


A lei das Etiquetas

Na elaboração da e queta é obrigatória a u lização de letras e números com no mínimo 2 mm de altura. Isso resulta em indicações ní das, uniformes e legíveis; O idioma a ser u lizado, deverá ser aquele do país de consumo, podendo ser empregado, adicionalmente outros idiomas; As informações poderão constar em uma ou mais e quetas, ou ambos os lados de uma mesma e queta.

Além das informações sobre a composição das fibras do tecido, as etiquetas devem conter, obrigatoriamente os cuidados na conservação dos produtos.

www.ecolebrasil.com.br

58


SÍMBOLOS PARA A CONSERVAÇÃO DOS PRODUTOS TÊXTEIS


Símbolos para a conservação dos produtos têxteis

símbolos para a conservação dos produtos têxteis Segundo a ISO 3758/2005, os símbolos que orientam na manutenção dos produtos têxteis devem aparecer nas etiquetas na seguinte ordem.

Simbologia usada nas etiquetas

www.ecolebrasil.com.br

60


Símbolos para a conservação dos produtos têxteis

www.ecolebrasil.com.br

61


Referências

referências PEZZOLO, Dinah B. Tecidos. História, Tramas, Tipos e Usos. SENAC. São Paulo. ROMERO, Luiz. l. Fibras Artificiais e sintéticas. www.bnds.gov.br UDALE, Jenny. Tecidos e Moda. Fundamentos de Design de Moda. Bookman Editora.Porto Alegre. IPEM. SP . Produtos Têxteis. Disponível em <www.ipem.sp.gov.br>. Acessado em junho 2014; Governo do Estado de São Paulo. https://pt.slideshare.net/Ezilen/materiais-e-processos-txteis https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/4241/1/BS%2001%20Fibras%20Ar tificiais%20e%20Sint%C3%A9ticas_P.pdf

www.ecolebrasil.com.br

62


www.ecolebrasil.com www.ecolesuperieurerelooking.com

Propriedade intelectual EcoleSupérieure de Relooking Todos os direitos reservados. Reprodução proibida.

Apostila Tecidos Ecole Brasil  

Diagramação de apostila, 63 páginas.

Apostila Tecidos Ecole Brasil  

Diagramação de apostila, 63 páginas.

Advertisement