Issuu on Google+

���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


AGNIT UTPAT UTPAT DELESTO ESED MOLORE MAGNIT WISSIM DIAM Sit wisse feu feu facipsuscin HENISIT DOLOR ALIT LANDREET VULLA FEUM ZZRIL EUGIAME Tumsan henisis ciliquipis exero ea feuip eu feugue dionse commodo lorero AN ENIAMET DOLUT LUTAT Nonsequi blaoreet atin VELISI BLANDRER SUSCI Eu feu feu facilit wis num UTPAT VULLAORE EXEROSTO Iquismodiat, quatis nis nullan ut atue dolute magnim do dolore feum do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi.

C R É D I TOS

ECTEM NOSTIO do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi. HENIBH EXEROSTO CONSECTET do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi. ROS ALIQUISI. VOLUTAT NUM IURE do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi. VELISI BLANDRER SUSCI Eu feu feu facilit wis num EUM IPSUMSAN ERIL Elenit, susto ea conse commod VELISI BLANDRER SUSCI Eu feu feu facilit wis num

MODIT PRAESTRUD Tumsan henisis ciliquipis exero ea feuip eu feugue dionse commodo lorero AN ENIAMET DOLUT LUTAT Nonsequi blaoreet atin VELISI BLANDRER SUSCI Eu feu feu facilit wis num UTPAT VULLAORE EXEROSTO Dolenit, volore dolor si ex elessed Molenit alisl dolenis ULPUT IRIUSTO CON do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi. HENIBH EXEROSTO CONSECTET do conullut aliquam ipsum ing el eugiat nisi. VERAESS EQUAT Senim dolor sum estrud tis Dion ut wiscinibh ESTRUD MOD MAGNA Conummod Ex odolort ionsequ Ations dui blaorperos ALISSENT DUISSECTE FACIPISMOLOR Illa feu feugue eu facip el ute magna facincil ulla feu feui et utate diam in utpat COREM ZZRILLA orerciduis duisis dolobore magna facillaortie tatio odolent venim iriusto diam QUAMET VEROSTO doloBor sum non essit prat la feugait niat

TATIE DIGNA FEUGUE DUISL DOLOBORPERO DOLORPERIT Acidunt nim eu feugiam, quisi etummy nulla am num dit at

ILISMOLESED MAGNA feugiam consed et, sim zriliquisl utpat, velessenis

AGNIT UTPAT UTPAT DELESTO MOLORE Sit wisse feu feu facipsuscin

EUM IPSUMSAN ERIL Elenit, susto ea conse commod

VELISI BLANDRER SUSCI Eu feu feu facilit wis num


N

o meio de todas estas montanhas, visitando e conhecendo os 11 municípios do Caparaó Capixaba descobrimos muitas pessoas preocupadas com o futuro destas terras, de seus filhos, e também com a preservação de suas riquezas naturais. Nosso ponto de partida foi este, reunir o saber e os sonhos destes cidadãos e traçar um caminho comum, compartilhando a mesma visão para a construção de um futuro sustentável. Este documento é uma agenda de compromissos coletivos que todos os participantes deste processo selaram com o Caparó Capixaba. Ele é o resultado de mais de um ano de trabalho, a participação de 11 municípios, mais de 3000 cidadãos, 1600 empresas e entidades que elaboraram juntos um Plano de Desenvolvimento Sustentável. Ele apresenta diagnósticos, define as estratégias e os temas comuns que resultaram em um mapa de programas e projetos para os próximos 20 anos da região. Propõe ainda uma estrutura de gestão compartilhada para implantação das ações definidas. Agora contamos com a força e a união de todos para concretizar o que planejamos: Um Caparaó Capixaba que seja modelo de integração regional, economia limpa e atitude cidadã.

APRESENTAÇÃO


APRESENTAÇÃO

XX

O COMPROMISSO Sociedade Civil Prefeituras Municipais Governo do Estado FVRD / CVRD

XX xx xx xx xx

A CONSTRUÇÃO DO PLANO

XX

O PLANO Visão de Futuro Integração Regional Economia Limpa Atitude Cidadã Ação Emblemática: Caparaó Limpo

XX xx xx xx xx xx

GESTÃO COMPARTILHADA Modelo de Gestão Participantes Entidades

XX xx xx xx

Í N D I C E


ALEGRE A DIVINO DE SÃO LOURENÇO DORES DO RIO PRETO A GUAÇUÍ IBATIBA A IBITIRAMA A IRUPI A IÚNA JERÔNIMO MONTEIRO A MUNIZ FREIRE SÃO JOSÉ DO CALÇADO


O COMPROMISSO ���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


13

O PEDAÇO MAIS GENEROSO DA NATUREZA

N

a era da globalização desenfreada, e no alvorecer do desenvolvimento industrial capixaba – do petróleo à beira-mar, o Caparaó Capixaba concretiza mais uma etapa em sua caminhada, acreditando que nosso futuro como povo, como sociedade organizada, como idealistas, que amam o pedaço mais generoso da natureza, existente próximo ao oceano Atlântico, discutiu, participou, idealizou, deu forma, ao que vislumbra como o ideal para sua região. Temos um Plano de Desenvolvimento Regional, cujo norte foi a Sustentabilidade e o Bem-Estar de nossa gente. Com a confiabilidade adquirida pelo Governo Estadual, cujas ações não ficaram só no discurso eleitoral, e ainda, com seu estímulo, fomos à luta e traçamos os quatro quadrantes que balizarão nossas atitudes. Vamos nos inserir na economia globalizada, pois o Caparaó Capixaba será nosso Produto. Vamos gerar emprego e renda e dinamizar nossas vidas, com os variados Produtos do Caparaó Capixaba. Vamos estabelecer nossa Cidadania, pois nosso capital mais importante é o Cidadão do Caparaó Capixaba. Vamos, finalmente, construir a terra de nossos sonhos, pois o Caparaó Capixaba é para seu Cidadão. A hora é essa!

Roner Braga Padilha Cidadão de Iúna


15

NO JARDIM DA CIDADANIA

D

e acordo com as mais antigas profecias de todas as civilizações e culturas que nos precederam, a nossa Montanha Sagrada se revelou como a Terra Sem Males, região encantada e prometida para a criação do Jardim de Garudemana — projeção daquele harmonioso e colorido jardim ancestral que todos trazemos nos mais profundos recônditos de nossa memória genética. Somos todos chamados a exercer nossa cidadania como cidadãs e cidadãos da Serra do Caparaó. Todo ser humano tem direito e — se vive em sociedade — dever de exercer sua cidadania, mas na realidade são raríssimas as pessoas que efetivamente a exercem. O que é exercer nossa cidadania? Para exercê-la, é preciso estarmos conscientes, antes de mais nada, de que todos fazemos parte de uma fantástica teia de relacionamentos com outros seres humanos, com o meio ambiente e com as regiões do Espírito. É preciso estarmos conscientes de que todos temos em comum o fato de estarmos aqui e agora, ligados por estas palavras; de que todos temos em comum o fato de a Vida nos ter colocado vivendo numa região montanhosa, de passado e vocação integralmente florestal; todos temos em comum o fato de todos nós, sem exceção, bebermos da mesma água, a água gerada nesta montanha. Temos consciência do estado em que se encontram nossas águas? Temos realmente consciência do que estamos bebendo? Temos consciên- Constante Korovaé Cidadão de cia da qualidade da água que serve os que vivem abaixo de nós? É preciso estarmos conscientes de que a Montanha é um formidável conjunto de peque- Divino de São Lourenço nos, frágeis, complexos e únicos ecossistemas, conjunto esse que só pode dar o melhor de si se for respeitado e cuidado. E é preciso estarmos conscientes de que estamos aqui e agora exatamente para isso: para respeitar e cuidar da montanha, para devolver-lhe em dobro o que lhe foi arrancado pela sanha e pela inconsciência de nossos antecessores. Daí a palavra Jardim: o Jardim de Garudemana, o sonho de Maitreya se estendendo ao redor de toda a montanha, colorido, perfumado, melodioso e revigorante para todos os que nele penetrarem. Jardim é a natureza protegida e tratada com amor e ternura, com cuidado e atenção maternais. E daí a necessidade de ceder espaço a uma Cultura de Lideranças Femininas — um Jardim só floresce aos cuidados de almas com o Princípio Feminino muito desenvolvido e o Princípio Masculino submisso e respeitoso. Chamamos nossa Montanha de Serra do Caparaó, e não nos damos conta de que o Caparaó não existe mais — pois Caparaó era o fantástico e impenetrável anel de matas exuberantes, grotas profundas, emaranhados taquarais e riquíssimos brejos que rodeava os maciços mais altos, comandando os regimes do ciclo das águas e tornando os picos quase inacessíveis. Não temos como reconstituir o Caparaó — isso é uma tarefa impossível. Mas a nossa ação como cidadãs e cidadãos conscientes e orgulhosos de seu país e de sua região pode fazê-lo reviver nesse Jardim, uma proteção ainda mais exuberante, fértil e acolhedora para a nossa Montanha. No dia em que pudermos nos abraçar, cheios de júbilo e amor, ao percorrermos as veredas desse Jardim e contemplar sua infinita delicadeza, nesse dia poderemos dizer que somos Mulheres Verdadeiras e Homens Verdadeiros; nesse dia a nossa missão estará cumprida.


17

EU PERTENÇO, TU PERTENCES, NÓS PERTENCEMOS...

A

qui nascemos e ou vivemos, não importa... Como somos, o que somos e porque somos, é o que importa. Somos filhos naturais ou adotivos de um cartão postal cujo pintor/autor é seu próprio criador. Quanto tempo? Para entendermos como somos privilegiados pela mãe terra, filhos das montanhas que conseguem ter água límpida, que se transformam em rios, cachoeiras e vida, matas que embelezam e alimentam, climas que temperam nosso dia e aclimatam a alma, clima de temperatura e gente, gente que constrói e gente que destrói ... Tu pertences? Eu pertenço... pertenço à terra unificada pelo sentimento de ser e de ter, de querer e de poder, poder de conservar ou transformar, pois de tudo esta terra dá, dá solo fértil, produto santo que alimenta corpo, água que refrigera alma e que acalenta o sono, força de braços que produz, dourado da pele que o sol queima na labuta, força da cultura que nos unifica e identifica como habitantes da mata (caparaó) capixaba. Nós pertencemos à imensidão verde circundada de montanhas, de um povo alegre e acolhedor, simpatizantes e simpatizados pela idéia do fazer, fazer acontecer com a tranqüilidade da construção de muitas mãos, entregues à unidade do espaço limpo e ao aconchego da casa que protege e te resguarda. Nós pertencemos ao Caparaó capixaba, sabedoria das gerações abençoadas pelo arquiteto dos arquitetos, que com certeza também nos pertence.

Roseane de Souza Ribeiro Cidadã de Muniz Freire


19

SONHOS QUE EXPLICAM A RAZÃO DO EXISTIR

S

ão picos, cumes, cordilheiras que entre nuvens ou se contrapondo ao azul celestial, permitem vislumbrar distâncias proporcionais à imaginação de quem mira. Também dá início a formações, criações, que somente podemos atribuir a mãos divinas. Lá, uma gota de chuva e o tempo fazem um risco no cimo de uma pedra, e num mínimo de distância, se alarga, aprofunda, mais abaixo forma paredes e em seguida já se tem um vale. Nele, inicialmente uma vegetação tímida, mas tenra para resistir ao frio, como o vale, vão dimensionando a beleza de uma flora inigualável. A ela aos poucos se soma uma fauna rica, dos pequenos quatis às lendárias onças que povoam o imaginário popular e as recordações da região. As águas surgem discretas, quase imperceptíveis e logo abaixo lindos e límpidos lagos enchem os olhos de qualquer alma com sua cristalina exuberância. Algo como entender a origem. Participar do real, como personagem de sonhos que nos explicam a razão do existir. A transparência das águas mesmo que mais profundas, traduz esperanças de confraternizações sinceras, de comunhão entre os povos que deveriam ser tão claras. O Caparaó preserva sua originalidade e faz dos que vivem à sua volta, seres especiais, guardiões de sua essência e integridade. Receptivos, amáveis, calorosos e capazes de amar e cuidar deste legado único com o carinho e desprendimento necessário. Pilões que parecem obras de outros seres, cachoeiras, lagos, cascatas, pedras escoradas, compõem um conjunto único, adornado pela mata atlântica, em todo o seu esplendor. Esta obra não nos pertence, fazemos parte dela, o que torna ainda maior a nossa obrigação de cuidar, reverenciar e preservá-la.

Pedro Miranda Cidadão de Iúna


21

CAMINHAR JUNTOS

C

aminhar para o futuro não é fácil. Caminhar sozinho é ainda mais duro. Pelas estradas do Caparaó Capixaba, com os amigos que cultivamos e com a força de nossa gente aprendemos a caminhar de mão dadas. Nós, prefeitos dos municípios de Alegre, Divino de São Lourenço, Dores do Rio Preto, Guaçuí, Ibatiba, Ibitirama, Irupi, Iúna, Jerônimo Monteiro, Muniz Freire e São José do Calçado, temos feito isso há anos. Caminhamos juntos com a sociedade civil rumo ao futuro do Caparaó. Também não nos intimidamos com o desafio de planejar sustentavelmente a região do Caparaó Capixaba e encontramos no Consórcio Caparaó o incentivo, que buscou junto ao Governo do Estado a parceria com a Fundação Vale do Rio Doce a efetivação do Plano de Desenvolvimento Sustentável da Região do Caparaó. Sabemos que podemos crescer de forma limpa, aproveitando nosso maior ativo que é a natureza, e principalmente pelo trabalho de nosAs Prefeituras Municipais sa gente, nossa união. Sempre tivemos a agricultura como a atividade principal e agora temos também o turismo, sem deixar de nos lembrar Djalma da Silva Santos | Prefeito de Alegre Edson Dutra Teixeira | Prefeito de Divino que eles podem e devem caminhar de mãos dadas, com estratégias re- de São Lourenço gionais de desenvolvimento econômico, social e urbano. Carloman Bastos Soares | Prefeito de Dores Rio Preto Nossa responsabilidade enquanto administradores públicos não ter- do Luciano Manoel Machado | Prefeito de mina agora, na entrega do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Ao Guaçuí contrário, é neste momento que se inicia a etapa que exige maior com- José Alcure de Oliveira | Prefeito de Ibatiba prometimento, não só nosso como também da sociedade civil e da ini- Paulo Lemos Barbosa | Prefeito de Ibitirama Rogério Cruz Silva | Prefeito de Iúna ciativa privada, de continuar caminhando de mãos dadas. Efetivar as Gerceley Storck | Prefeito de Irupi ações definidas de forma coletiva e participativa exige que esta união Newton Vidal | Prefeito de Jerônimo Monteiro e este compromisso se mantenham. Ezanilton Delson de Oliveira | Prefeito de A integração regional já está incorporada ao espírito das nossas admi- Muniz Freire nistrações municipais, e a partir de agora com a atitude de nossos cida- Alcemar Lopes Pimentel | Prefeito dãos, vamos caminhar juntos a trilha do desenvolvimento sustentável. de São José do Calçado


23

CARTA DO GOVERNADOR DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO


25

UM AMANHÃ MAIS HUMANO

A

Companhia Vale do Rio Doce trabalha para a construção de um mundo mais humano, em que o desenvolvimento se dê em bases sustentáveis, para que as gerações presentes e futuras possam viver em um ambiente mais próspero e solidário. Essa visão otimista foi a inspiração do Plano de Desenvolvimento Sustentável da Região do Caparaó Capixaba, um trabalho de planejamento estratégico que buscou identificar a vocação da região e planejar seu crescimento para os próximos anos. Esse trabalho de parceria, que se materializa agora, neste livro, foi construído a muitas mãos – com o governo do estado, com as 11 prefeituras da região, a iniciativa privada e a população em geral. Aliás, ao mobilizar a comunidade, criando oportunidades para que se torne protagonista do processo de desenvolvimento, o Programa Vale Mais, cujo produto é este Plano de Desenvolvimento, apresentou aos participantes do projeto uma chance de modelar o seu próprio futuro. Foi um exercício de cidadania, democracia e colaboração. Esse trabalho não é um somatório de índices econômicos, mas um documento vivo. Envolveu um número expressivo de atores do território, evidenciando a riqueza da cultura local a partir da visão da própria comunidade. E, sabe-se bem, quanto mais o planejamento se aproximar das necessidades básicas e diretas da população e de seus problemas Olinta Cardoso concretos, mais os cidadãos estarão comprometidos com sua execução, evitando a des- Diretora Superintendente da continuidade do projeto. Fundação Vale do Rio Doce O grande diferencial deste trabalho, vale destacar, não se limitou à forte participação da população local, que acompanhou e se envolveu com a construção de todas as etapas do plano – fruto do processo de planejamento participativo. É preciso ressaltar a participação comunitária na implementação do Plano – através dos mecanismos de gestão compartilhada. Tudo isso resultou no fortalecimento do capital social através da melhoria da capacidade de organização social e política nessa região. Desse processo sai uma comunidade mais participativa, mais preocupada em planejar o futuro e mais interessada em preservar sua identidade cultural, consciente de que responsabilidade social está no dia a dia, na consciência das lideranças e da população. A Vale se orgulha de ter cumprido sua missão, de ser a articuladora para o desenvolvimento sustentável, ao lado do poder público e da sociedade civil, parcerias indispensáveis em um processo de construção do futuro. Acreditamos que o caminho a seguir esteja desenhado. O momento agora é de muito trabalho coletivo. E a Vale e sua Fundação se incluem como participantes deste processo, cujos protagonistas são os próprios habitantes dessa região capixaba. Tudo para que possam ter um futuro melhor, com mais qualidade de vida e mais participação, garantindo assim um amanhã mais humano, próspero e colaborativo para esta e para as próximas gerações.


A CONSTRUÇÃO DO PLANO ���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


O EMBARQUE A sensação do começo. De iniciar. Começamos assim, reunindo representantes da cidade. Gente humilde, gente do governo e das empresas, gente jovem, gente com vontade de fazer. Reunidos naquele instante, unidos para uma viagem sem destino certo, mas com o mesmo olhar em busca de novos horizontes. Gente compartilhando este momento, de acreditar, de começar, de enfrentar um grande desafio. A razão de tudo: pensar em conjunto o futuro de vários municípios, de toda uma região. Um bilhete de embarque com passagem por 11 estações e com o mesmo destino: um Caparaó Capixaba unido e novo. Desde o primeiro dia sentimos uma atmosfera de esperança, de otimismo, de vontade de se unir e colocar as mãos neste destino. Assim começou nossa caminhada, uma viagem feita do encontro de pessoas e cidades, uma paisagem passando devagar, um sonho conjunto de futuro começando a se formar.


O GRANDE MAPA DA VIAGEM

Ao comparecer à primeira oficina de trabalho do Programa Caparaó Capixaba Vale Mais, saiu de sua casa cedo, em Alegre. Sua expectativa era grande. Nunca havia sido convidado para algo assim, e se sentia importante por isso. “Conheci o Programa por meio de amigos. No início fiquei meio receoso de participar. Às vezes acham que por que a gente tem menos estudo nossas idéias não valem nada. Mas desde os primeiros contatos com a equipe do Programa vi que podia falar, mostrar minha opiniões, e o mais importante, ser ouvido”. Como outros participantes, João Miro chegou para a primeira reunião, preencheu uma ficha com os seus dados e colou uma etiqueta de identificação no peito. Recebeu um caderno com informações sobre a região e ouviu com atenção. Explicaram então o que era o projeto. Um grande pano azul foi esticado na parede. Ele estava, a princípio, vazio. Pouco a pouco, as peças foram sendo colocadas. Em primeiro lugar o objetivo: construir um Plano de Desenvolvimento Sustentável para a região do Caparaó Capixaba.

Depois os protagonistas: Sociedade Civil, Iniciativa Privada e Poder Público. Um plano de todos. Para todos. Novas peças entraram em cena: um círculo dividido em quatro partes iguais, representando o motor de todo o processo. A primeira parte da engrenagem seria a Mobilização. Por isso estavam todos ali, reunidos. Em seguida, o Desenvolvimento de Competências, garantindo a preparação para realizar as tarefas que se seguiriam. A terceira indicava a necessidade de se elaborar metas e estratégias comuns, um Plano de Ações como rota de viagem. E como último item a Gestão Compartilhada, elo fundamental deste conjunto, eixo norteador para realizar, sustentar e garantir os resultados do processo. Máquina pronta, passageiros reunidos, destino escolhido, foi apresentada a proposta de trabalho, explicando que ela era formada por diversas etapas, que seriam realizadas aos poucos passando por diversas estações. O mapa de um sonho para o futuro estava completo. E todos ali haviam entendido que neste processo cada peça era fundamental, cada setor da sociedade, cada pessoa, cada idéia, e cada um dos onze municípios da região. “Entendi logo que eu fazia parte daquilo, que poderia ajudar no desenvolvimento da região e possibilitar um futuro melhor para meus filhos”.

Os números da fase

T

rabalhando com as mãos, como pedreiro, João Miro de Souza, 40 anos, sempre soube da importância de trabalhar aos poucos e com paciência para se fazer uma construção sólida.

Atores Mobilizados

458 Atividades Realizadas

23


NOSSA BAGAGEM Aprontar as malas. Reunir o que temos de essencial. Viajar é descobrir o que nos é indispensável. Sempre deixamos algo para trás e, durante a viagem, recolhemos as coisas que se tornam importantes a cada momento. O olhar do viajante tem a capacidade de perceber sinais, de ver as coisas como um todo, como se captasse a realidade de forma mais intensa. No momento de partir precisamos deste tipo de olhar de todos os que embarcaram nessa viagem rumo ao desenvolvimento sustentável do Caparaó Capixaba. Cada município e toda a região devem ser vistos de uma nova forma. Como se cada um olhasse pela primeira vez, sua casa, sua rua, sua cidade, sua região e conseguisse enxergar de maneira mais crítica e profunda este cenário. Transformando sua visão de mundo, todos estarão aptos a mudar também sua própria realidade.

Durante o encontro ocorrido em novembro de 2005, o governador do Espírito Santo, Paulo Hartung, pode conhecer de perto o trabalho dos Jovens Pesquisadores do Programa Caparaó Capixaba Vale Mais. O governador elogiou o engajamento dos jovens na busca de um conhecimento maior da realidade regional. “A partir desta experiência vocês têm a possibilidade de vislumbrar novas oportunidades para suas vidas e para toda a Região do Caparaó.”


O OLHAR DOS JOVENS

E

m 2005, o Programa Vale Mais deu início aos seus trabalhos no Caparaó Capixaba e surgiu a idéia de engajar jovens das áreas contempladas na fase de Conhecimento Estratégico, quando são realizadas pesquisas e o levantamento de informações sócioeconômicas de cada município. Foi criado então, o ‘Programa de Formação de Jovens Pesquisadores’.

simpática e amorosa, comecei a fazer uma entrevista para conhecer os seus hábitos de vida. Ela me falou dos filhos, dos remédios da plantação, da criação de animais. Entendeu a proposta do nosso trabalho e fez questão de colar o nosso cartaz em sua própria casa. Naquele momento tive a certeza da importância do trabalho que estava realizando”.

Depois de passar pelo Programa de Formação, junto com outros 69 jovens dos 11 municípios, Cleidiane da Cunha, de Alegre, foi a campo aplicar o que aprendeu:

Ao longo do trabalho, estes 70 pesquisadores receberam uma bolsa-auxílio e realizaram entrevistas com empresas, entidades sociais, lideranças e mídias locais. Como resultado, ajudaram a elaborar um mapeamento do capital social, do perfil empresarial e das principais questões ligadas à qualidade de vida da população de cada localidade.

Os números das Pesquisas

“Visitei lugares de que nunca tinha ouvido falar. Em um lugarejo no alto de um morro na zona rural conheci uma senhora muito

Total de jovens pesquisadores

70 Pesquisas com Entidades (Entidades Sociais, Poder Público, e Empresas)

442 Entidades Sociais entrevistadas 265 empresas entrevistadas Pesquisas com Lideranças 481 Lideranças entrevistadas


RECOLHENDO SONHOS Através das Oficinas de Visão de Futuro Local prosseguimos nessa trajetória rumo ao futuro. A bagagem reunida até aqui serviu de alicerce para a construção de um sonho para cada um dos onze municípios. De forma participativa, foram debatidas as visões dos habitantes a nível local, e traçadas as metas necessárias para melhorar sua qualidade de vida. Como parte deste processo foram eleitos representantes municipais. Eles se tornaram mensageiros de sonhos particulares, incumbidos de elaborar juntos a rota definitiva para o futuro da região. Deste momento em diante a viagem passou a ser um movimento coletivo, partindo de cada cidade com um mesmo destino. A oficina de Visão de Futuro Regional foi um momento decisivo de união. Começamos a definir as estratégias para o Desenvolvimento Sustentável do Caparaó Capixaba. Percebemos como será importante continuar com esta energia, presente desde o primeiro encontro, para transformar esta estrada imaginada em uma realidade concreta para a população.


FAZENDO O CAPARAÓ CAPIXABA VALER MAIS

U

odrigo Simões Alves, de Guaçuí, economista e professor universitário e presidente da Associação Comercial, vem acompanhando desde 1988 as discussões sobre o desenvolvimento do Caparaó Capixaba. Sua opinião mostra a preocupação com o destino da região:

“Nos últimos anos, o nosso município sofreu um grande esvaziamento econômico. O que mais me marcou e incentivou a participar de todo o processo foi a linguagem simples e objetiva, a oportunidade de dialogar de igual para igual foi muito importante para que pudéssemos pensar no futuro, pensar lá na frente.

“Toda a minha história de vida foi construída aqui no Caparaó e este é o lugar que pretendo criar minhas três filhas. Costumo dizer sempre que o futuro daqui deve ser pensando como o futuro de um filho daqui a 10, 20 e 30 anos.

Quando participei da Oficina de Visão Local isso ficou evidente. Recordo que nesta data, conseguimos colocar no papel uma série de sonhos de toda uma população, dos mais distintos setores da sociedade. O Caparaó Vale Mais está valendo muito para a gente, jovens e mais velhos. Nós temos que fazer com que esta idéia que foi plantada amadureça e que dê como resultado uma boa colheita. E isso só se faz com a união de todos.”

Os números da fase

R

m bom exemplo da capacidade de motivar a população foi dada por Chico Borges, da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Jerônimo Monteiro. Ele conseguiu reunir mais de 200 pessoas na Oficina de Visão de Futuro Local da cidade.

Atores Mobilizados

569 Atividades Realizadas

12

Mas na prática muitas vezes isso não acontece. Sempre tenho a sensação de que a cada quatro anos, a cada novo governo é como se tudo fosse destruído e construído novamente... Por esta razão, o Programa é fundamental para que a sociedade possa se tornar dona do seu próprio destino, conquistar novos horizontes sem ter que se prender a posições partidárias. Passamos a descobrir o que sabemos fazer de melhor, nossas potencialidades e que setores podem ser melhorados. Estes encontros estão fazendo com que onze municípios tenham uma única visão, pensem em comum um futuro melhor.”


CAMINHANDO Durante a vida fazemos muitos planos. Eles servem parte nortear nossas ações. Neste trabalho, o plano é o principal instrumento para a realização do futuro almejado. Por envolver áreas tão diversas, dividimos as propostas em grandes temas estratégicos. Esta estrutura servirá de plataforma para o lançamento de ações efetivas. Após definir uma rota única o caminho se multiplica, dividindo-se em três temas principais, que depois se ramificam em programas e projetos para toda a região, uma longa trajetória para as próximas décadas. Este é o nosso rumo agora. O caminhar de milhares de habitantes divididos em centenas de direções, em trajetórias mais curtas ou longas, mas interligadas. Uma nova viagem em busca da realização. O plano é do Caparaó Capixaba e as ações estarão em cada um, aqueles que participaram e aqueles que nos acompanharem a partir de agora, pois este futuro que queremos é de toda a região.


UM PLANO COM A CARA DA GENTE

“As pessoas vinham para as reuniões de carona, de bicicleta, mas chegavam. A curiosidade de todos era empolgante e contagiante. Todas as

classes sociais e diversos setores da sociedade estiveram envolvidos neste plano, que tem que ter uma cara caipira como o Caparaó mas também uma visão do desenvolvimento sustentável para a região. Agora temos que partir para a ação. Quero ver isso na prática, não pode ser mais um projeto que vai ficar na gaveta. Eu como cidadã e o Consórcio do Caparaó vamos lutar para que tudo saia do papel e possamos rumar para um futuro melhor para todos.”

Os números da fase

E

nvolvida há muitos anos com os destinos da região do Caparaó, Dalva Vieira de Souza, de Guaçuí, e da secretaria de projetos especiais do governo do Espírito Santo, faz parte do Consórcio do Caparaó, que muito tem colaborado para o desenvolvimento da região e relata seu entusiasmo com a proposta do Programa:

Atores Mobilizados

90 Atividades Realizadas

1


GESTÃO DEMOCRÁTICA Neste longo caminho traçado em conjunto tivemos de praticar muitas vezes a palavra “compartilhar”. Em cada reunião, trocando idéias, chegando a ponto comuns, exercitamos a construção de um pensamento coletivo e de um espaço efetivo de diálogo. Se chegamos até aqui foi com esta postura dos participantes de ouvir, entender, e acreditar nas decisões conjuntas. Construímos este pacto para o futuro por acreditar no sonho, nos planos e nas ações que desenhamos passo a passo. Ao iniciarmos esta caminhada para transformar programas e ações em realidade necessitamos mais do que nunca deste sentimento de união. Este processo tornou todos os passageiros cúmplices da mesma viagem. É necessário agora que o processo democrático continue, para que o futuro do Caparaó Capixaba esteja realmente acima de todos os obstáculos que vamos enfrentar. Através da organização de uma estrutura de gestão democrática, discussão dos meios legais e possíveis, da melhor forma de decidir, acompanhar e fiscalizar nosso tão sonhado Plano, estaremos deixando a trilha pronta para a realização destes desafios.


MÃOS UNIDAS PARA A GESTÃO

“Costumo dizer que o nosso futuro está diretamente ligado ao sucesso da implementação deste plano. Tivemos durante a fase de planejamento várias reuniões para discutir um modelo de gestão compartilhada em que todos os setores da sociedade estivessem integrados. Claro que isso não é uma tarefa fácil.

Em nossas discussões ficou claro que não é preciso ter uma associação e sim uma agência para fomentar projetos de ação. E isso será feito por meio do próprio Consórcio do Caparaó, que precisa ser reestruturado para fomentar oportunidades para todos aqui na região. É possível perceber que os habitantes destes municípios se interessam e gostam de participar ativamente deste processo. Nós estamos nos dedicando de corpo e alma a este projeto. Queremos caminhar para um futuro sustentável e, se depender do povo do Caparaó, isso vai acontecer.”

Os números da fase

P

edro Roberto de Miranda, comerciante do município de Iúna, sabe da importância do processo de gestão para o êxito de qualquer proposta de desenvolvimento.

Atores Mobilizados

89 Atividades Realizadas

4


ALEGRE A DIVINO DE SÃO LOURENÇO DORES DO RIO PRETO A GUAÇUÍ IBATIBA A IBITIRAMA A IRUPI A IÚNA JERÔNIMO MONTEIRO A MUNIZ FREIRE SÃO JOSÉ DO CALÇADO


O PLANO ���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


VISテグ DE FUTURO


CAPARAÓ CAPIXABA Modelo de Integração Regional, Economia Limpa e Atitude Cidadã


��

��

��

�����

��

�� ��

����

��

��� ��

�� �

�� � ��

� ��

� � ��

����

��

��������� ��

��������� ��� �� �� �

��������� ��� �� �� ��

��

��

�� �

��

��

����� ���

��

��

��������� ��� �� �� �

�� �

��

������������������������������������������

caparaó capixaba vale mais

��

diagrama de construção

TEMAS

42

�� ��

ESTRUTURA DO PLANO

��

��

��������� ��� �� �� �� � �� ��

������������������

�������������������

���������� ��������

�������������������������������������

����������������������������������������������������������������������������

�������� �����

�������� ������

������������������

��������������

��������������

�������������������������������

���������������������������������

����������������������������� ������������������

���������������������������� ��������������������������������� ����������������������������������

�������������������������������������

�������������������������������

�����������������������������������������

������������������������������������� ��������������������������������������� ��������������������������


43

������������������� �������������� �����������������������

����������� ������

�������������������� ��������������� �������������������

���������������� �����������

�������������������

��

����� ������

�� �

�����

������ ����������

���� ��� ��� ��

���

�������� ��������� ����� �����������

��

�� �� �� �

��������������� ��������

��������� ��������� ��������

���������� ��������

���������� ����������� ��������

���������������� �����������������������

��������� ����������� ��������

�������� ��������� ������������

���������������� �������� ��������� ������������ �����������

����������������� �������������

������������������

��������� ������������� ������������ ����������

������������� ������������� ������������ �������� ����������������


INTEGRAÇÃO REGIONAL


INTEGRAÇÃO REGIONAL

d i a g n ó s t i c o

Produto de um longo processo histórico de povoamento, a região do Caparaó capixaba apresenta atualmente dinâmicas populacionais que demandam políticas públicas articuladas e integradoras. Porém, o alcance destas políticas dependerá, necessariamente, da superação dos entraves ainda existentes para uma efetiva integração regional.

Ativos e entraves para a integração da região

ELEMENTOS HISTÓRICOS

Até o século XVIII, a Capitania do Espírito Santo perdeu grande parte de suas terras ricas em ouro e pedras preciosas para a Capitania de Minas Gerais. A metrópole, visando proteger a produção aurífera e evitar roubos, publica decretos que proíbem a navegação e a exploração nestas terras. Desprezada pela Coroa, a Capitania chega ao século XIX sem conhecer desenvolvimento ou progresso. Quando D. João VI decide ignorar as leis que obrigavam que todas as vias de escoamento de ouro, pedras preciosas ou madeiras no Brasil passassem pelo Rio de Janeiro, inicia-se a história de toda uma região: a região do Caparaó. Corria o ano de 1814 e o príncipe regente ordenou ao governador da província a construção de uma estrada interligando o Espírito Santo e Minas Gerais. Para dar segurança às viagens dos tropeiros, ergueram-se quartéis a espaços regulares na estrada. Os dois primeiros foram construídos en-

tre 1820 e 1825. Até 1845 seu efetivo é ampliado, inspirando a vinda de comerciantes. Chegam mineiros, fluminenses, entre outros. A partir de então são construídas as primeiras casas do antigo arraial das “Cachoeiras do Itapemirim” – núcleo esse que deu origem às demais cidades da região. As primeiras famílias a se fixarem, abriram caminhos, criaram pastagens, prepararam a terra e organizaram a plantação. Apesar das dificuldades encontradas em todo o processo, o café torna-se realidade e ganha grande destaque no território nacional. Na região também eram cultivados arroz, cana, feijão e milho. As cidades da região do Caparaó desenvolveramse; muitas devido à conectividade conseguida em função das rodovias que passam a cortar a região. No ano de 1961 é fundado o Parque Nacional do Caparaó, uma das principais reservas naturais do Brasil e importante atrativo da área. Neste encontra-se o Pico da Bandeira – um dos pontos culminantes do país.


47

Municipalização na Região do Caparaó

����������������������

������

������������������ ����������������� ������ �����������������������

���� ����

���������

����

����

����

����

����

����

������� �����

������������ �������������������


Esse processo não aconteceu da mesma forma em todos os municípios. Embora todas as cidades da região tenham crescido, as mais recentes - Ibitirama (1988), Ibatiba (1981), Dores do Rio Preto (1963) e Divino de São Lourenço (1963) – cresceram mais rápido. No sul, onde estão as maiores cidades da região – Alegre e Guaçuí, ambas com mais de 19.000 habitantes – a população cresceu em ritmo moderado. Já no norte, onde a população rural é mais significativa, alguns municípios perderam população na última década, como Iúna e Muniz Freire.

caparaó capixaba vale mais

No caso da estrutura etária da região, observa-se nas últimas décadas uma diminuição da razão de dependência, ou seja, do número de indivíduos predominantemente não ativos (crianças e idosos) em relação à população potencialmente ativa (15 a 65 anos). Em 1970, esta relação era de 91 pessoas em idade predominantemente inativa por 100 pessoas potencialmente ativas. Em 2000, diminuiu para 59. Isto indica uma oportunidade produtiva para a região, na medida em que há um número maior de adultos sustentando um número menor de crianças e idosos. Entretanto, a economia deve ser capaz de criar oportunidades de incorporação deste contingente às atividades produtivas.

48

Conhecer a população de um município, suas tendências de crescimento e sua composição por idades é fundamental para conhecer um território. Não só esses dados subsidiam uma aplicação mais eficiente dos recursos em políticas públicas (nas áreas de educação, saúde e previdência, entre outras), como ajudam a entender a dinâmica econômica de um lugar e as oportunidades que se colocam para a mão-de-obra. Evolução da População (70/00) ������� �������������������

Formada por 11 municípios, a região capixaba do Caparaó conta hoje com cerca de 170.000 habitantes, que representam 5% da população de todo o estado do Espírito Santo. Desde a década de 1970, pode-se observar uma pequena diminuição da população rural e um aumento lento mas significativo da população urbana, ou seja, no conjunto da região, as cidades cresceram e o campo não apresentou grande êxodo rural. Em média, a população total do Caparaó cresceu 1,14% ao ano durante a última década, um pouco mais que a metade do ritmo de crescimento da população do estado. Já a população das cidades cresceu a uma taxa superior à do estado e à do país.

CAPARAÓ CAPIXABA: CARACTERISTÍCAS DEMOGRÁFICAS

DINÂMICA DEMOGRÁFICA

������� ������� ������ ������ �

���� ���� ������

���� ���� �����

Taxa de Crescimento da População Total (91/00)

Taxa de Crescimento da População Urbana (91/00)


�������

�������������������������������

���������

����

���������������� ������������� ������������

���������

��������������� �������������������

������ ����

���

����

������

�������

������

����

������� ������� �������� ��������� ���������

����� �����

�������

�������

������ ������ ��������� ��������

����

���������

������������ ��������� ������� ������� ��������

�������������������

��������� ��������� ������

�������������������������������������������

��������� ��������

������

������������ ����������������������

���������������� �������������

���������

���

��������������

������

��������������

������

���������

�������

���������

������

���������

���

����

���������

�������������������

������������������������������� ��������������� �������� �������� �������� �������� �������� �������� �������� �������� ������� ������� ������� ������� ������� ������� ����� �����

����

��

��

��

��

��

��

��������������

������

����

��

��

��

��

��

��

�������� Fonte dos dados: IBGE (1970/2000)

�����


INFRA-ESTRUTURA VIÁRIA

A integração viária é fundamental para o desenvolvimento de uma região. O crescimento econômico depende do escoamento da produção, que possibilita a redução de custos e o aumento da competitividade e da acessibilidade aos produtos regionais. A qualidade do acesso é crucial para a oferta de serviços como a educação, saúde e principalmente o turismo. A integração viária também é importante para o bem estar e qualidade de vida da população, pois está diretamente ligada ao direito de ir e vir do cidadão, às suas possibilidades de escolha e deslocamento. A avaliação da infra-estrutura viária leva em conta a existência, a distribuição espacial, o fluxo e o estado de conservação das vias, bem como a disponibilidade e qualidade dos meios de transporte rodoviários públicos e privados. Um programa de integração viária regional deve considerar as necessidades de integração interna e externa, a integração dos meios de transporte e a adequação das estradas aos fluxos rodoviários existentes. A região é cortada por rodovias federais (BR 262 e 482) e todas as sedes municipais são acessíveis por rodovias estaduais pavimentadas. Apesar disso, a maioria dos atores dos municípios considera precário o estado de conservação destas vias. Outro problema é a ligação entre a sede e o interior dos municípios, feita predominantemente por estradas de terra, o que também ocorre com algumas ligações intermunicipais. Estas estradas têm geralmente seu fluxo interrompido em épocas de chuva, e sofrem problemas de erosão. Estes fatores, aliados às condições de relevo acidentado são entraves a uma maior integração regional, dificultando o fluxo de bens e pessoas.

caparaó capixaba vale mais

Outro problema citado com freqüência é o sistema de transporte intermunicipal, considerado precário e insuficiente, assim como o transporte entre a zona rural e as sedes municipais.

50

As estratégias apontadas para superar estes problemas foram: a reestruturação do transporte intermunicipal, a melhoria das estradas estaduais e vicinais, a revitalização do transporte ferroviário , a concretização da Estrada Parque com ligação a todas as sedes municipais e a construção de um terminal logístico regional (porto seco). TELECOMUNICAÇÕES

A economia global vive uma era caracterizada pela revolução dos meios de comunicação e do acesso às informações, com destaque para o desenvolvimento da informática e da internet, e para a difusão da telefonia fixa e móvel. A integração pela comunicação é indispensável à modernização econômica, ao desenvolvimento de processos de aprendizagem e ao acesso às novas tecnologias. Um programa de integração pela comunicação deve levar em conta, inicialmente, a infra-estrutura básica como energia elétrica, rede de cobertura da telefonia móvel e provedores de internet; deve considerar também o acesso aos meios de comunicação: telefone (fixo e móvel), computador, internet, correios, televisão, rádio e jornal. Em seguida é preciso integrar a infra-estrutura e os meios de comunicação para possibilitar a comunicação e a troca de informações na região. A região do Caparaó capixaba possui 3 sites na internet e veículos de mídia impressa de caráter regional. No entanto, a comunicação regional é considerada deficiente, com uso escasso de tecnologias da informação (acesso a computadores e internet). Ainda foram citadas a falta de informatização e de acesso à internet nas escolas e a ausência de projetos de inclusão digital. As estratégias apontadas para a superação destes entraves foram: o desenvolvimento de um sistema integrado de telecomunicações, um programa de inclusão digital, a criação de uma agência de noticias, de um canal televisivo e de um portal da região na internet.


p r o g r a m a s

e

p r o j e t o s

INTEGRAÇÃO PELA TELECOMUNIÇÃO

Telecentros

Caparaó - Capixaba Telecom

descrição Ampliação do número de locais de acesso comunitário à internet (Telecentros e outros) envolvidos Prefeituras municipais Prazo:

curto

Execução: fácil

médio

longo

média

difícil

TV Regional do Caparaó Capixaba descrição Implantação de um canal de televisão em parceria com a iniciativa privada, e disponibilização do sinal dos canais de TV estaduais através de Satélite envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto

execução: fácil

médio

longo

média

difícil

Diagnóstico sobre telecomunicações descrição Mapear nos municípios, inclusive na área rural, todos os pontos onde hajam falhas cobertura nos sinais de rádio, telefonia celular ou fixa, televisão e internet envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto

execução: fácil

médio

longo

média

difícil

2

descrição Articulação de investimentos das concessionárias nos municípios, inclusive na área rural, para eliminar todos os pontos onde haja falhas de cobertura nos sinais de rádio, telefonia celular ou fixa, televisão e internet envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto

execução: fácil

médio

longo

média

difícil

Agência de Notícias descrição Criação de uma agência de notícias para gerar conteúdo nos meios de comunicação com assuntos regionais envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto

médio

longo

execução: fácil

média

difícil

Fundo Intermunicipal de Publicidade Pública descrição Criação de um fundo que destine parte da verba publicitária das prefeituras para a divulgação da região nos meios de comunicação estaduais, nacionais e internacionais envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto

execução: fácil

médio

longo

média

difícil

51


INTEGRAÇÃO VIÁRIA

Programa conjunto de integração regional

Eixo Rodoviário do Caparaó

descrição Articulação entre programas viários da SEDIT, programa “Caminhos do Campo” da SEAG e ações das prefeituras para criação de um programa conjunto de investimentos

descrição Estrada Parque e a sua ligação viária com as cidades; Ampliação da capacidade de tráfego em melhorias nas rodovias federais BR-484 e BR-262

envolvidos Consórcio do Caparaó

envolvidos Consórcio do Caparaó, DERTES e DNIT

Prazo:

curto médio

longo

Prazo:

execução

fácil

difícil

Execução: fácil

média

longo difícil

Abrigo Padrão Regional

descrição Foco nas seguintes estradas regionais: 1 - Ligação da BR 262 - Rio Claro (pavimentação) 2 - Estrada do Tropeiro: Ibatiba - Iúna (construção) 3 - Irupi-Estrada Parque (pavimentação) 4 - Estrada Real: Iúna - M. Freire - Castelo (construção) 5 - Ibitirama - São José do Caparaó (construção) 6 - Ligação da ES 387 a ES 379 via Itaici (pavimentação) 7 - Pedra Menina - portaria do Parque (pavimentação) 8 - Divino de São Lourenço - Lima Verde (construção) 9 - Ligação ES 387 a Cach. da Fumaça (pavimentação) 10 - São Tiago - Divino de São Lourenço (pavimentação) 11 - São Tiago - Mundo Novo (construção) 12 - Alegre - Celina via Estação d’Agua (construção) 13 - ES 387: Alegre - Muqui (pavimentação) 14 - São José do Calçado - Alegre (construção) 15 - ES 177: J. Monteiro - Muqui (pavimentação)

descrição Padronização dos abrigos de ônibus nos municípios

envolvidos Consórcio do Caparaó, DERTES e SEAG

Prazo:

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

médio média

Desenvolvimento Viário - Estradas Vicinais

2

52

curto

média

longo difícil

envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Transcol Caparaó Capixaba descrição Criação de um Sistema de Transporte Público Intermunicipal integrado e unificado, utilizando o modelo do TRANSCOL (GETURB GV) como base envolvidos Consórcio do Caparaó, DERTES curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


2

Desenvolvimento Viรกrio - Estradas Vicinais

53


ECONOMIA LIMPA


PRODUTOS DO CAPARAÓ CAPIXABA

d i a g n ó s t i c o

O Caparaó capixaba apresentou nos últimos anos um quadro de regressão devido à baixa diversificação e produtividade de sua base econômica somada à escassez de recursos humanos e infra-estrutura. A superação deste quadro passa pelo adensamento das cadeias produtivas agropecuárias e urbanas e pelo desenvolvimento do capital humano regional.

Economia e competitividade regional

O crescimento econômico pode ser definido como o aumento das riquezas geradas nas atividades econômicas (agricultura, pecuária, indústria e serviços) em um determinado território. O crescimento, assim como o decrescimento econômico, é mensurado pelas variações verificadas no Produto Interno Bruto (PIB). O PIB é um indicador utilizado para representar em valores monetários a soma de todas as riquezas produzidas em um território (município, estado ou país) durante um período de tempo.

caparaó capixaba vale mais

O processo de crescimento econômico tem uma explicação simples: a produção de qualquer produto ou serviço depende da utilização de fatores produtivos (capital, trabalho e tecnologia). O aumento da produção e das riquezas geradas depende de aumentos na quantidade utilizada, na qualidade e na produtividade destes fatores. O crescimento econômico também está vinculado ao território onde os fatores produtivos estão localizados e onde se combinam. Estes fatores

56

estão principalmente vinculados as características econômicas, sociais, culturais, históricas e institucionais desta região. A DINÂMICA DA REGIÃO

O potencial econômico da região do Caparaó capixaba pode ser medido a partir de alguns indicadores básicos de evolução e competitividade regional: • estrutura produtiva e base econômica; • produtividade (relação produto / trabalho / tecnologia); • recursos humanos (capital humano) • capital social (instituições, cooperação e mecanismos de aprendizado, ações e políticas de fomento) Estrutura Produtiva Economia local x Economia Estadual – A economia da região do Caparaó capixaba ainda é pouco expressiva dentro do Espírito Santo. Apesar da população do Caparaó capixaba represen-


57

tar 6% da população do estado, a riqueza gerada na região representa apenas 2% da riqueza total (PIB) estadual. A riqueza gerada por habitante na região (renda per capita) é inferior à média estadual. De fato este valor é de R$ 3.088 no Caparaó capixaba, menos da metade do valor verificado no estado que chega próximo dos R$ 8.000.

Produtividade A produtividade pode ser medida pela quantidade (ou valor) do produto gerado por cada trabalhador empregado em uma atividade. Quanto maior a quantidade ou o valor da produção de um empregado maior a sua produtividade.

Uma alta produtividade está associada a um maior Economia de Base Agrícola – A economia do Ca- dinamismo econômico, com a utilização de técniparaó Capixaba tem uma forte base agrícola. Sete cas modernas, mão de obra qualificada, e utilizados onze municípios da região têm no setor agrí- ção de instalações e equipamentos avançados. cola a fonte de mais de 60% da sua renda familiar. A produtividade da região do Caparaó capixaba A dependência do setor primário e a pouca diversié muito pequena quando comparada aos valores ficação (basicamente café e pecuária) levam a uma da média estadual e nacional. maior instabilidade frente aos A produtividade industrial ciclos econômicos, quebras de A produtividade na indústria na região é muito baixa, isso safra e choques de oferta (redudo Caparaó Capixaba é ocorre devido as característição/aumento nos preços destes cinco vezes menor que ca da atividade industrial da produtos). O setor é um ima produtividade média região, pouco diversificada, portante gerador de empregos, da indústria capixaba e com baixo conteúdo de coocupa 57% dos trabalhadores brasileira e a produtividade nhecimento e de tecnologia. da região. A estrutura fundiária agropecuária é de R$1.800 O setor agropecuário, que é caracterizada por pequenas contra R$ 2.280 verificados emprega 54% dos trabalhapropriedades familiares na sua no estado do Espírito Santo dores do Caparaó capixaba, grande maioria com menos de também possui uma produ50 hectares. tividade muito baixa. A produtividade básica da Base Produtiva – As principais atividades da agropecuária do Caparaó capixaba é de R$ 1.800 região são o café (sobretudo nos municípios do contra R$ 2.280 verificados no estado do Espínorte), a pecuária leiteira (sobretudo nos munirito Santo. Ou seja, mais da metade dos trabacípios do sul), a fruticultura e a criação animal lhadores da região estão ocupados em atividades (gado de corte, suínos, piscicultura, avicultura). primárias de baixíssima produtividade e com Economia urbana e indústria – Apenas quatro pouca geração de renda. municípios apresentam uma economia urbana A predominância das atividades agropecuárias com alguma expressividade: Alegre, Guaçuí, Jecom baixa agregação de valor e a pequena produrônimo Monteiro e São José do Calçado. Estes tividade na indústria geram uma baixa produtivimunicípios estão localizados no sul da região. As dade econômica na região, com importantes imatividades industriais são ainda incipientes e as pactos negativos para a sua dinâmica econômica principais atividades urbanas estão relacionadas e competitividade. O Caparaó capixaba é a região aos serviços, comércio e a pequenas indústrias com menor geração de riqueza por pessoa econo(móveis, confecções, alimentos, artesanato). micamente ativa do estado do Espírito Santo.


Recursos Humanos Capital Social Regiões mais dinâmicas O capital humano de um terO capital social é o conjunto possuem capital humano ritório pode ser definido como de instituições, organizações, mais elevado, não existe o conjunto de capacitações, coentidades, empresas, ONGs uma região dinâmica sem nhecimentos e experiências de formais e informais que deuma população capacitada, seus residentes. Regiões mais terminam e afetam os níveis experiente e com acesso dinâmicas possuem capital hude relacionamento, confiança ao conhecimento mano mais elevado, ou seja, o interação e aprendizado de um conjunto de capacitações e conhecimentos acu- sistema econômico. A emergência do tema capimulados nestas regiões quando empregados na tal social vincula-se ao reconhecimento da imporprodução de bens e serviços tendem a ser mais tância de se considerarem a estrutura e as relações eficientes, mais produtivos e geradores de um sociais como fundamentais para se compreender maior nível de riqueza. e intervir sobre a dinâmica econômica. Uma forma de medir o capital humano, utilizada pelo IBGE, é o de calcular um valor em R$ como uma estimativa dos rendimentos associados à escolaridade e experiência da população em idade de trabalhar. Quanto maior a capacitação e a experiência maior será o valor do indicador do estoque de capital humano da região. Na região do Caparaó capixaba o valor do capital humano (CH) foi avaliado em R$ 51 mil reais ao ano por trabalhador. Este valor é muito inferior ao valor verificado nos principais municípios do estado e menos da metade do valor do CH de Vitória que é de R$ 108 mil ao ano por trabalhador.

Um elevado nível de capital social está geralmente vinculado à existência de uma estrutura institucional que cria as bases dinâmicas para o incremento da competitividade e crescimento da economia. Estas bases referem-se a todos os aspectos econômicos e não-econômicos que influenciam direta ou indiretamente na atividade produtiva da região, ou seja: as leis, normas, regulações, tradições, cultura, relações entre empresas, relações políticas, incentivos, educação básica, bem estar da população, etc.

caparaó capixaba vale mais

O fortalecimento do capital social passa, por exemplo, pelo fortalecimento do associativismo, do cooperativismo, tanto entre empresas A qualidade dos recursos humanos na região foi como entre entidades e instituições da sociedaidentificada pelos atores locais como um imporde civil, pelo estabelecimento de parcerias entre tante gargalo para o desenvolvimento econômico os diferentes setores da sociedade, pelas ações regional. Uma das questões consideradas prioriparticipativas e democráticas, pelo desenho contárias é o desenvolvimento dos junto de ações de desenvolmecanismos locais de aprendiUm elevado nível de capital vimento econômico e social, zado e capacitação. As principais social está vinculado pela criação de instituições estratégias seriam o acesso à caa existência de uma comprometidas com o empacitação técnica, profissional e estrutura institucional que preendedorismo, com o deempresarial; acesso a treinamencria as bases dinâmicas, senvolvimento de atividades tos e programas de assistência para o incremento produtivas e com a produção técnica e o acesso a cursos supeda competitividade e e o acesso a novas informariores e de educação continuada. crescimento da economia ções e conhecimentos.

58


59

���

����������������

��

�����������������

��

���

��

���

���

�����

�������

PIB e PIB per capita PIB ES

População

PIB p/ capita

24.723.000

3.097.232

7.982

571.661

185.143

3.088

2,31%

5,98%

Caparaó Total

PIB / PEA

Metropolitana

20.740

Metropolitana Expandida Norte

18.598

Metropolitana Expandida Sul

13.688

Litoral Norte

11.930

Pólo Cachoeiro

9.218

Pólo Colatina

7.100

Extremo Norte

7.001

Central Serrana

5.603

Noroente II

5.591

Noroeste I

5.554

Sudoeste Serrana

5.111

Caparaó Capixaba

4.912 Fonte dos dados: IBGE

Produtividade industrial básica

Fonte: IPEA - valores em R$

Estoque de capital humano municipal �������

������

����������

�����

����������������

�����

�����

�����

��������

�����

��������

�����

�������

Microrregião

�����

Fonte: IBGE – valores estimados em R$mil ao ano

�������������������������� ������������������������������� �������������������������� ������������������������������� ��������

�������

�������� ���������

������� �����

����������� ���������

����� ������

���������

Fonte dos dados: IBGE

������

Produtividade agropecuária básica �������������������������� (agricultura, pecuária e extração vegetal) ������������������������������� �������������������������� ������������������������������� ��������

�����

�������� �������

����� �������

�������

������� Fonte dos dados: IBGE

CAPARAÓ CAPIXABA: INDICADORES ECONÓMICOS - 2003

Produtividade econômica básica

Participação do Caparaó capixaba na economia estadual


CRESCIMENTO ECONÔMICO RECENTE

As características da economia local apresentadas anteriormente: baixa diversificação econômica, dependência da economia agrícola, economia industrial / urbana incipiente, baixíssima produtividade, capital humano desvalorizado são gargalos econômicos fundamentais e geram impactos negativos sobre a dinâmica econômica e sobre a capacidade competitiva da região.

Microrregião do Espírito Santo

Ao analisar a evolução recente do PIB no Espírito Santo, notamos que a região do Caparaó capixaba foi a que obteve o 2º pior desempenho entre 1999 e 2003, com uma regressão em termos reais de 26% das suas riquezas. Em valores reais (descontando a inflação) o PIB regional caiu de R$ 628 milhões em 2000 para R$ 414 milhões em 2003. Neste período houve uma perda acumulada de R$ 513 milhões de reais na economia local. Esta perda é calculada pela diferença entre o valor do PIB obtido em cada ano com uma projeção de manutenção do PIB de 2000, esta perda é representada pela área triangular destacada no gráfico de Evolução Recente do PIB no Caparaó capixaba. As características econômicas atuais da região apontam para um caminho de estagnação ou regressão econômica de longo prazo. É possível reverter este quadro? Quais estratégias devem ser adotadas para gerar um crescimento econômico sustentável? Que meta deve orientar o planejamento estratégico da região?

caparaó capixaba vale mais

Durante o processo de construção do plano de desenvolvimento sustentável da região estas questões foram apresentadas e debatidas com a sociedade local, em cada município e em workshops regionais. As discussões e debates realizados indicaram um grande otimismo com o processo de planejamento estratégico e um conjunto de apostas para o desenvolvimento econômico.

60

Variação do PIB entre 1999 e 2003 Var. 99-2003

Litoral Norte

20,6%

Metropolitana Expandida Norte

18,7%

Metropolitana

12,0%

Metropolitana Expandida Sul

1,7%

Pólo Cachoeiro

-4,6%

Noroeste I

-7,5%

Noroeste II

-11,2%

Extremo Norte

-14,4%

Pólo Colatina

-16,8%

Central Serrana

-25,8%

Caparaó Capixaba

-26,3% Fonte: IBGE (1999 e 2003)

Evolução recente do PIB no Caparaó ��� ��� ��� ��� ��� ��� ��� ��� ���� ���� ���������������

���� ���� ��������

����

���������������������� Fonte: IBGE (1999 e 2003)


61

Produtos do Caparaó: as principais apostas Cafeicultura O café é a mais tradicional e importante atividade produtiva do Caparaó capixaba. Segundo o INCAPER, a atividade gera cerca de 75% da receita no campo, sendo fundamental para as pequenas propriedades familiares (86% das propriedades com produção cafeeira). A produção regional é significativa, representando cerca de 19% da produção estadual de café em coco (em 2000) e 18% do café beneficiado (2002). A produtividade da cultura na região é maior que a do estado do Espírito Santo. Cada hectare no Caparaó capixaba produz em média 13 sacas de café, contra 12 sacas da média estadual. Contudo, a produtividade média ainda é baixa e existem grandes disparidades intra-regionais. Em Ibitirama e Irupi a produtividade é de 15 sacas por hectare, contra 8 sacas/ha em Alegre. Além da baixa produtividade e das assimetrias apontadas, há deficiências na qualidade do café e na agregação de valor a produção local. Durante o planejamento ficou evidente que: • Existe espaço para saltos de produtividade e qualidade significativos. O aumento da produtividade e da qualidade do produto é uma possibilidade realista, principalmente devido ao solo e ao clima adequados; à possibilidade de utilização de novas técnicas, novas formas de manejo do solo (como a agricultura orgânica) e ao interesse de produtores, instituições de fomento e do poder público no desenvolvimento da atividade. O aumento da produtividade na cafeicultura pode elevar significativamente a renda média da população rural, contribuindo para o fortalecimento do mercado intra-regional, com desdobramen-

tos econômicos e sociais significativos. Estimase que um aumento da produtividade média da produção do café de 13 para 15 sacas por hectare geraria um incremento direto de renda no campo de até R$ 30 milhões ao ano. • É fundamental criar metas de adensamento e fortalecimento do arranjo produtivo regional do café. O valor agregado à produção local é muito pequeno, já que grande parte do café é comercializado in natura e beneficiado fora. Isso ocorre porque as estruturas de distribuição, comercialização e armazenamento são controladas por atores de fora da região. Também fica evidente a necessidade de novos mecanismos de crédito, marketing para o produto, cooperação/ associativismo entre os produtores e instituições de geração e difusão de informações técnicas. Sacas de Hectares Produtividade café (60kg) de café (saca/hectare) Iúna

219.217

17.680

12,4

Muniz Freire

196.000

14.000

14,0

Irupi

140.600

9.500

14,8

Ibitirama

111.000

7.400

15,0

Ibatiba

110.500

8.500

13,0

Guaçuí

78.000

6.500

12,0

Alegre

51.200

6.400

8,0

D. Rio Preto

48.467

3.700

13,1

S. J. Calçado

36.400

2.800

13,0

J. Monteiro

36.117

nd

nd

D. S. Lourenço

28.000

2.800

10,0

Caparaó

1.055.500

79.280

13,0

Espírito Santo

2.622.567

215.029

12,2

Fonte: INCAPER / BANDES

Produção e produtividade da cafeicultura (2002-2003)


Pecuária A pecuária leiteira é a segunda principal atividade agropecuária da região do Caparaó, em alguns municípios principalmente no sul da região, sua importância é maior do que a cultura do café. A produção local vem crescendo constantemente nos últimos anos, aumentando sua participação na produção leiteira do estado. A produtividade local é de 1.300 litros/ano/por animal, superior a verificada no estado, 1.100 litros/ano/por animal. A pecuária leiteria apresenta, segundo o INCAPER, avanços na introdução de novas técnicas produtivas (inseminação artificial, processos de melhoramento genético, tanques de expansão) para o aumento da produtividade e redução dos custos de produção. O desenvolvimento do arranjo produtivo da pecuária leiteira foi considerado pelos atores locais um projeto prioritário e urgente, principalmente devido ao seu potencial de geração de emprego e renda no campo, pelo potencial de adensamento da cadeia agroindustrial regional e pelos seus efeitos sobre o desenvolvimento econômico regional. As principais estratégias estariam vinculadas a promoção do cooperativismo entre os produtores, ao fomento à produção (incentivos, assistência técnica, crédito) e no acesso à informação (treinamentos, capacitação, eventos técnicos, pesquisa e geração de tecnologia). Produção de leite regional (1990-2003)

�� ����

����

�����

����

��������������������������

caparaó capixaba vale mais

Fonte: INCAPER / BANDES

62

��

��

��

��

�����

����

�����

����

���

����

��������������������������������

Floricultura A Floricultura é uma atividade ligada à criação, manejo e comercialização de flores e plantas ornamentais. No Brasil a atividade está presente em mais de 3.500 propriedades rurais e proporciona mais de 26.000 empregos diretos no campo. O valor da produção nacional está estimado em R$ 444 milhões. Apesar da atividade estar ligada ao setor primário é altamente intensiva em conhecimento, de elevada rentabilidade e de grande geração de empregos e renda por hectare. O valor gerado por cada pessoa ocupada na floricultura é de R$ 17.000, muito superior ao valor gerado por trabalhador agrícola no Caparaó capixaba, apenas R$ 1.800. A atividade foi apontada como uma importante alternativa ao desenvolvimento do setor agrícola local. Sendo uma atividade altamente adequada à agricultura familiar (pois desenvolve-se bem em pequenas áreas) assim como para a diversificação agrícola. No Caparaó capixaba existem ainda condições climáticas e de solo favoráveis à atividade, com possibilidade de integração com outras atividades econômicas, como: agroturismo, turismo rural e ecoturismo. A proximidade do mercado da Grande Vitória pode constituir um importante dinamizador para a futura produção regional. Na Grande Vitória são consumidas anualmente em torno de 480.000 dúzias de flores, 80% das quais são importadas de outros estados, sobretudo de São Paulo. A floricultura tem como principal barreira o fato de que os conhecimentos tecnológicos disponíveis sobre a atividade serem restritos, de difícil acesso e compreensão para a maioria dos produtores. A estratégia para o desenvolvimento da atividade deve ser voltada para a difusão de tecnologias, conhecimentos, suporte técnico e acesso facilitado ao crédito para os investimentos necessários em equipamentos e instalações.


63

Agricultura limpa, produção orgânica de alimentos e agroecologia A Agricultura Orgânica é um processo produtivo agrícola baseado em princípios da agroecologia e é também conhecida como agricultura limpa, já que não utiliza agrotóxicos, restringe a utilização de adubos químicos e promove conservação dos recursos naturais. No Brasil também existe uma visão que relaciona a agricultura orgânica à agricultura familiar e à conservação do meio ambiente.

Fruticultura A fruticultura foi considerada pelos atores que participaram do processo de planejamento uma excelente opção para diversificação agrícola, devido ao seu potencial de geração de emprego/ renda, agregação de valor e incentivos a novos empreendimentos (agroindústria, artesanato familiar, industrias de doces, etc.).

A fruticultura no estado do Espírito Santo tem produção anual da ordem de 1,2 milhões de toneA produção orgânica de alimentos pode ser exten- ladas, gerando cerca de 50 mil empregos diretos, dida a todos os projetos relacionados às atividades e uma renda superior a R$ 450 milhões/ano, sendo hoje a segunda atividade primárias realizadas no Caparaó da agropecuária estadual, só capixaba, tanto nas atividades superada pela cafeicultura. A ligadas à agricultura quanto à peA percepção da sociedade renda anual gerada por pescuária. Mais ainda é uma aposta civil do Caparaó capixaba soa ocupada na fruticultura de caráter abrangente que pode sobre a importância no estado do Espírito Santo é impactar em projetos do plano de da agricultura familiar de R$ 8.000, muito superior ação relacionados ao desenvolvie do meio ambiente, a média da renda gerada no mento das atividades produtivas, torna fundamental a campo na região do Caparaó agroindústria familiar, meio amadoção de técnicas de Capixaba, que é de R$ 1.800. biente e no turismo. plantio geradoras de valor e com menores A fruticultura no Caparaó A conversão de sistemas de proimpactos ambientais capixaba pode ser potencialidução tradicionais para a prozada pelas condições favorádução orgânica, como do café e veis para o cultivo na região de frutas tropicais, pode levar a ganhos expressivos com a exportação desta (solo, clima, altitude), é uma alternativa economicamente viável para a agricultura familiar e se produção. adequa perfeitamente às técnicas de produção orExistem, contudo, grandes obstáculos de ordem gânica, que reduzem drasticamente os impactos financeira e técnica para a conversão do processo sobre o meio ambiente e aumentam o valor do produtivo tradicional para a agricultura orgânica. produto certificado. O crescimento da agricultura orgânica é nitidamente superior em regiões onde existem planos No setor agro-industrial, o processamento de de desenvolvimento para a atividade, com estra- sucos de fruta está em franca expansão, ocupantégias de pesquisa, assistência técnica, educação do papel de relevância no agronegócio nacional e diferenciada, crédito, certificação, fiscalização e mundial. A demanda atual é crescente para sucos e um planejamento minucioso voltado para a cria- polpas de frutas tropicais potencializando o agroção e divulgação dos produtos oriundos da ativi- negócio da fruticultura, podendo impactar positidade em mercados consumidores cada vez mais vamente no desenvolvimento do parque agroindustrial do Caparaó capixaba. exigentes e seletivos.


Caparaó capixaba: Produção da Silvicultura (1990-2002)

Piscicultura e Aqüicultura A produção de madeira para outras finalidades é destinada às serrarias existentes na região, que A piscicultura é a criação de peixes em cativeiro, fornecem para construção civil, carpintaria e propodendo ser de forma intensiva ou extensiva. A dução de móveis. Também é de grande importânpiscicultura intensiva objetiva a máxima produção cia a produção de palmito, principalmente entre possível por unidade de área e tempo, empreganpequenos produtores. A expansão da silvicultura do-se técnicas específicas de reprodução, manejo para papel e celulose e para a produção de carvão e engorda, favorecendo o aumento da produtivié vista com cautela pelos atores dade e a geração de renda. A locais. Ao mesmo tempo que piscicultura extensiva tem caráA piscicultura está entre pode significar uma alternativa ter menos econômico, estando os setores primários de de negócio para proprietários vinculada ao povoamento de maior expansão, tanto da região (existem incentivos de açudes/repressas, ao consumo em termos econômicos grandes companhias para o plande subsistência e à pesca espor(lucratividade, geração tio com garantia de compra da tiva/recreativa. de renda/empregos e produção, sendo também uma Estes fatos tornam a atividade agregação de valor) quanto alternativa para áreas degradadas uma importante aposta da soem termos técnicos. Os e topos de morros) a atividade ciedade civil local para o desensistemas adotados na gera poucos empregos e poucos volvimento do Caparaó capipiscicultura além do grande desdobramentos produtivos loxaba. A piscicultura foi citada potencial de econômico, cais. como uma alternativa econônão acarretam custos mica importante para a diversiEconomia urbana ambientais significativos ficação do setor primário. Apesar do grande foco no setor primário, a sociedade civil conSilvicultura sidera fundamental a diversificação, dinamização A silvicultura é uma atividade em franca expane desenvolvimento da economia urbana dos musão no Brasil. Nela estão inseridas as culturas conicípios da região. merciais de espécies arbóreas para a produção de A agroindústria ligada à produção do café, leite, celulose, carvão, madeira, látex e palmito. frutas e palmito surge como alternativa natural A quantidade produzida pela silvicultura no Capara a economia da região. Há necessidade de proparaó capixaba teve um grande aumento entre gramas de atração de empresas e de fomento ao 1990 e 2002, a produção saltou de 3.500 m³ empreendedorismo. O desenvolvimento do setor para 220.000m³. pode significar um passo decisivo para o adensa1990 2000 2002 mento da cadeia produtiva primária, aumentando a geração de empregos (diretos e indiretos). Madeira (papel / celulose) m³ nd 35.407 83.539 Madeira (outras finalidades)

1.914

22.098

95.724

Lenha

1.672

32.053

40.630

Carvão

ton

39

61

55

caparaó capixaba vale mais

Fonte: IBGE/BANDES

64

Outra questão, apontada como urgente e de alta prioridade foi o incentivo e a promoção dos micro e pequenos empreendimentos inseridos em arranjos produtivos locais como os de confecções, móveis, artesanato e apicultura, devido ao seu potencial de desenvolvimento e sua importância na geração de empregos e renda.


p r o g r a m a s

e

p r o j e t o s

AGROPECUÁRIA DIVERSIFICADA E COM VALOR AGREGADO

Articulação para a disseminação da agricultura limpa

Pecuária sustentável

descrição Articulação institucional para a disserminação da agricultura limpa; Criação de um banco de dados e difusão de tecnologia

descrição Amplo melhoramento do rebanho, assistência veterinária e técnica; Beneficiamento da produção, destinação dos resíduos e melhoria na produtividade/comercial

envolvidos INCAPER, CCA - UFES, EAFA, Secretarias Municipais

envolvidos Cooperativas de Pecuaristas e Produtoras de Leite

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

curto médio média

longo difícil

Café do Caparaó

Fomento à piscicultura

descrição Fortalecimento e dinaminzação do arranjo produtivo do café no Caparaó Foco na qualidade do produto, aumento da produtividade, beneficiamento, comercialização e controle dos impactos ambientais

descrição Criação e identificação de linhas de crédito, licenciamento ambiental, assistência técnica, integração de projetos, eventos técnicos e comerciais

envolvidos INCAPER, BB, IDAF, SEAG, Secretarias Municipais, Certificadoras, Centro de comércio do café, Cooperativas de Crédito Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

envolvidos SMA, BB, EAFA, INCAPER, CEAP, SEAG, SEBRAE, BANDES E IEMA Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

65


AGROPECUÁRIA DIVERSIFICADA E COM VALOR AGREGADO

Silvicultura e sustentabiliadade descrição Inventário agro-ecológico da região do Caparaó visando controlar e regulamentar o plantio de florestas de produção de madeira envolvidos Igrejas; CCA-UFES; IDAF/SM; IEMA; EAFA; INCAPER; IBAMA; Ministério Público e Prefeituras Municipais Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

envolvidos SEAG, Conselho territorial, Consórcio das Secretarias Municipais, Sindicatos e GEAF

longo

Prazo:

Execução: fácil

curto médio média

longo difícil

Agricultura do Caparaó

Banco de sementes

descrição Adequação das culturas a capacidade do uso do solo / clima. Diversificação de cultura, pequenas agroindústrias, produção e sustentação da água; foco: fruticultura, floricultura e apicultura

descrição Produção e distribuição de sementes de espécies florestais e frutíferas com foco em reflorestamento e fruticultura

envolvidos INCAPER, BB, IDAF, SEAG, CCA-UFES, Secretarias Municipais, Certificadoras e Centro de comércio do café Prazo:

curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

descrição Criação de um centro de comercialização dos produtos da agricultura familiar do Caparaó

difícil

2

66

Centro Regional de Comercialização de Produtos da Agricultura Familiar (Shopping Rural)

média

longo difícil

envolvidos INCAPER / CCA-UFES; EAFA Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


67

AGROPECUÁRIA DIVERSIFICADA E COM VALOR AGREGADO

Centro de pesquisa em floricultura (EMBRAPA)

Manejo de pragas e doenças sem resíduos agrotóxicos

descrição Criação de centro de pesquisa e disseminação de técnicas ligadas à floricultura com transferência, treinamento, capacitação e acompanhamento do CCA-UFES

descrição Desenvolvimento de projetos de pesquisa para manejo de pragas e doenças sem resíduos de agrotóxicos, com os objetivos de: reduzir o uso de agrotóxicos, melhorar a qualidade dos recursos naturais, reduzir custos e certificação de produtos agrícolas para exportação

envolvidos EMBRAPA, INCAPER, Poder Público e Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

Núcleo de Transferência de Tecnologia para Agricultores (NUTTA) descrição Desenvolvimento de pesquisas que visem gerar novas tecnologias e sua transferência para os produtores, com o objetivo de fortalecer a agropecuária do Caparaó envolvidos CCA-UFES Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

envolvidos CCA-UFES

longo difícil

curto médio média

longo difícil


ECONOMIA URBANA

Atração de indústrias limpas

Desenvolvimento dos APLs urbanos

descrição Atração de empresas de economia limpa, incentivos fiscais e locacionais visando agregação de valor aos produtos do Caparaó

descrição Fortalecimento da economia local com foco nos Arranjos Produtivos Locais urbanos (ex: confecções, artesanato, móveis, apicultura)

envolvidos Consórcio Caparaó, Conselho Territorial, Prefeituras, SEBRAE, BANDES

envolvidos Consórcio Caparaó, Conselho Territorial, Prefeituras, SEBRAE, BANDES

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

Diagnóstico do mercado

envolvidos SEBRAE, IPES, UTE

caparaó capixaba vale mais

68

difícil

2

descrição Criação de espaços para a comercialização dos produtos da agroindústria familiar em cada município envolvidos BANDES, Prefeituras

curto médio

Execução: fácil

média

longo

Casa do produtor

descrição Levantamento das demandas, potencialidades e mercados

Prazo:

curto médio

média

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio média

longo difícil


69

TRABALHO QUALIFICADO, COOPERATIVO E AUTÔNOMO

Capacitação da mão-de-obra

Empreendedorismo sustentável

descrição Articulação com instituições do Sistema “S” para capacitação da mão de obra local (Capacitação Itinerante), com base nas demandas dos programas de agropecuária diferenciada e economia urbana

descrição Estímulo à criação de incubadoras de empresas (urbanas e rurais) alinhadas com os conceitos de sustentabilidade

2

envolvidos Consórcio Caparaó, Conselho, Sec.Mun. Educação/ cultura/turismo, Sindicatos, Cooperativas Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Fomento ao associativismo e ao cooperativismo descrição Articulação entre produtores, entidades do Sistema “S”, OSCIPs, Poder público, organizações da sociedade civil e agentes de crédito (capacitação e fomento para a formação) envolvidos SEBRAE, INCAPER, Consórcio Caparaó, Conselho Territorial, Central de Cooperativas Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

envolvidos SEBRAE, BANDES, Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


CAPARAÓ CAPIXABA COMO PRODUTO

d i a g n ó s t i c o

A diversidade ambiental e as belezas naturais a são os maiores ativos do Caparaó capixaba. A preservação destes ativos torna-se vital tanto por questões ambientais quanto pelo aspecto econômico e de bem estar social. O desafio de conscientizar, capacitar e preservar são fatores essenciais para o desenvolvimento social e econômico possibilitado pelo incremento do turismo na região.

Urbanização e meio ambiente

O rápido crescimento urbano brasileiro resultou em cidades não planejadas, com poucas condições de vida dignas, e com diversos problemas sociais e ambientais. Muitas cidades cresceram “fora da lei”: sem considerar a legislação urbanística (incluindo planos diretores), ignoradas por políticas públicas eficazes e com pouco conhecimento técnico.

sociedade e da própria cidade, respeitar os recursos naturais, e servir de insumo para o crescimento econômico.

QUALIDADE DE VIDA E INFRA-ESTRUTURA

É sabido que o crescimento não ordenado e não planejado gera impactos diversos sobre o meio ambiente. Podemos citar, por exemplo, a diminuição da vegetação que acarreta em alterações nos ciclos hidrológicos, aumento de temperatura, além de deslizamentos de encostas. Este último pode estar relacionado com a ocupação de áreas de proteção, na maior parte das vezes por população de baixa renda. Além disto, o próprio crescimento das cidades (população e construções) com sua natural demanda por aumento de infra-estrutura urbana e conseqüências no uso do solo das cidades, agrava e amplia os impactos

caparaó capixaba vale mais

O conceito de qualidade de vida não se refere apenas a um nível de vida, ou padrão de vida que está diretamente relacionado com situação econômica. Quando falamos em qualidade de vida estamos nos referindo à satisfação do conjunto de necessidades humanas; tanto as materiais básicas como saúde, moradia, alimentação e trabalho, e também as “não-materiais” como: educação, cultura e lazer. Para alcançar este objetivo é necessária uma “infra-estrutura” capaz de atuar em benefício do bem comum, manter o meio limpo e adequado ao desenvolvimento da

70

Quando buscamos entender as relações entre os processos de urbanização e os impactos ambientais causados, precisamos ter em mente que o meio urbano é formado por aspectos econômicos, sociais e ambientais.


71

sobre o ambiente. O que reafirma que os problemas urbanos são de ordem sócio-ambiental. Conhecer as formas de impactos ao meio ambiente, mesmo que essas atuem de maneira indireta e muitas vezes sem o propósito final de degradação, é importante para se perceber o que precisa ser modificado para que se possa consolidar um ambiente urbano com verdadeira qualidade. Na região do Caparaó capixaba, as pesquisas iniciais mostraram que os principais problemas urbanos se repetem nos municípios, como: crescimento urbano sem planejamento, alto percentual de domicílios sem instalações adequadas de esgoto, condições precárias das vias internas e estradas, muitos domicílios sem coleta de lixo, transporte coletivo precário, e carência de políticas habitacionais, por exemplo. Além destes, outros fatores importantes do meio urbano também foram abordados, como: paisagismo urbano e redes de telecomunicações, sinalização e acessibilidade. ALTO ÍNDICE DE CARÊNCIA EM SANEAMENTO BÁSICO

As questões de infra-estrutura têm relações diretas com as questões ambientais, e com a qualidade de vida. Tanto a existência como principalmente a falta de infra-estrutura geram impactos no meio ambiente. Populações sem rede de coleta de esgoto ou sem coleta de lixo, por exemplo, estão mais vulneráveis a doenças como infecções parasitárias, diarréicas, e outras. Além disso, contribuem consideravelmente para a degradação ambiental. O IPES elaborou um estudo chamado de Índice de Carência em Saneamento Básico com o objetivo de analisar as condições de saneamento dos municípios capixabas. Foram investigados separadamente os domicílios urbanos e rurais, com base no Censo 2000 do IBGE, em relação aos serviços de abastecimento de água, esgotamento, e coleta de lixo e

suas implicações na saúde e na qualidade de vida. Para a área rural do Caparaó capixaba, o estudo mostrou situações de extrema carência para os serviços de esgotamento sanitário e coleta de lixo. Quanto à coleta de lixo, predomina na zona rural da região a queima do lixo na propriedade, e o depósito em terreno baldio ou logradouro público, ambas práticas consideradas inadequadas. No que se refere ao esgotamento sanitário, prevalece o lançamento direto em rio ou vala. O estudo ainda destaca que há na região um número considerável de domicílios sem banheiros ou sanitários. Na área urbana a situação melhora. Todos os municípios apresentam baixa carência nos serviços de água e lixo. Já para o esgotamento sanitário, o grupo de municípios composto por Guaçuí, Ibatiba, Irupi, Iúna e São José do Calçado, apresenta baixa carência. Estes municípios têm na sua área urbana rede de esgoto ou pluvial em cerca de 80% dos domicílios. Em situação oposta, as demais cidades apresentam alto índice de carência devido à existência de um elevado número de domicílios com lançamento direto em rio, lago ou vala. Municípios Alegre Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibatiba Ibitirama Irupi Iúna Jerônimo Monteiro Muniz Freire São José do Calçado Espírito Santo

rural 0,49 0,49 0,50 0,53 0,51 0,52 0,45 0,47 sd 0,44 0,56 0,49

Fonte: IPES – Micro-dados da amostra do Censo 2000. OBS: de 0 até 0,5 – extrema carência (pior situação) de 0,5 até 0,8 – alta carência 0,8 até 1 – baixa carência (melhor situação)

urbano 0,90 0,85 0,91 0,93 0,85 0,86 0,97 0,94 sd 0,86 0,93 0,85

Índice de Carência em Saneamento Básico rural e urbano (2000)


Os aspectos relativos a Domicílios sem acesso aos serviços tação tanto da atuação do saneamento ambiental básicos de consumo coletivo (2000) poder público quanto da foram amplamente debainiciativa privada, na constidos pelos cidadãos partrução dos espaços urbanos 22,4% ticipantes do Caparaó cae rurais, na oferta de serviços sem coleta de lixo pixaba Vale Mais, sendo essenciais públicos de conressaltados os aspectos sumo coletivo, com o obje2,25% negativos com relação à tivo de proporcionar melhosem água canalizada coleta de lixo, como: a falres condições de vida para a ta de coleta e a existência população. 33,81% sem tratamento de lixões. Como fatores Durante a pesquisa de coadequado de esgoto positivos, foram incluínhecimento da região, os dos aspectos relevantes Fonte: IBGE 2000 moradores apontaram tande ações já existentes em to a não existência deste alguns municípios como instrumento em alguns municípios, como o não projetos para melhoria da rede de coleta de esgocumprimento de legislações urbanas. Foi levanto ou tratamento do lixo coletado. tada ainda a incipiente fiscalização e controle das construções. PLANEJAMENTO E PARTICIPAÇÃO

O planejamento é fundamental para que as cidades cresçam de maneira justa, ordenada, sem improvisos e com respeito ao meio ambiente. Esta ferramenta serve para que se identifiquem problemas e desafios colocados para um território. Como os resultados deste planejamento impactam diretamente no cotidiano dos moradores, é importante que estes participem do processo, legitimando, propondo e articulando seus anseios e necessidades.

caparaó capixaba vale mais

Um importante instrumento para o desenvolvimento planejado de um município é o Plano Diretor. Este tem como principal finalidade a orien-

72

O estudo da região do Caparaó capixaba buscou ao mesmo tempo verificar questões sobre a participação em instâncias democráticas de gestão e planejamento. Neste âmbito, os cidadãos do Caparaó capixaba ressaltaram como positiva a presença das associações de moradores em alguns municípios e outras instâncias de participação. Destaca-se a presença de conselhos municipais setoriais, e consórcios como: o Consórcio do Caparaó e o Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Bacia do Itabapoana. No entanto, foram destacados pontos negativos como: falta de articulação entre o poder público e as associações de moradores, e a ausência destas em determinados municípios.


73

O desafio da preservação ambiental

A preservação do meio ambiente e a sustentação dos seus recursos vêm merecendo cada vez mais atenção da sociedade civil, sobretudo nos processos de planejamento. A diversidade ambiental é um dos maiores ativos do Caparaó capixaba. A própria identidade cultural do território e de seus moradores está intimamente vinculada às paisagens da região, em especial àquelas preservadas nas unidades de conservação como o Parque Nacional do Caparaó e o Parque Estadual da Cachoeira da Fumaça. O trabalho de diversas ONGs reafirma o valor atribuído de forma coletiva aos recursos naturais. Além disso, ressalta-se também o fato da região estar inserida em três bacias hidrográficas (do Rio Itapemirim, do Rio Itabapoana e do Rio Doce), sendo uma das regiões capixabas de maior potencial hídrico. Estes aspectos demonstram que a problemática ambiental ultrapassa os limites municipais, o que é um importante indicador para que se pense o uso sustentável dos recursos de maneira integrada. PROBLEMAS AMBIENTAIS NA REGIÃO

O relevo da região, com muitos declives, facilita processos erosivos que acarretam, entre outros, perda de solo e assoreamento nos corpos d’água. É de se notar que, segundo o estudo elaborado pelo IPES para a microrregião, a ação antrópica, responsável por constantes desmatamentos dos morros, encostas e matas ciliares para plantio (principalmente de café), pelo mau planejamento de estradas que acarretam em cortes e aterros, bem como pelo uso indiscri-

minado de agro-tóxicos, agravam ainda mais os problemas ambientais. No ano de 2002 o IBGE publicou um estudo contendo informações básicas sobre temas vinculados ao meio ambiente a partir da visão dos gestores municipais. Dentre os diversos pontos levantados, a pesquisa buscou diagnosticar o estado dos recursos ambientais nos municípios brasileiros, as pressões atuantes sobre estes recursos, e os programas e projetos de manejo sustentável apresentados como resposta aos impactos verificados. A região do Caparaó capixaba reflete os principais problemas ambientais do país e apresenta características singulares, em função dos aspectos particulares do seu processo de povoamento. As formas mais comuns de alteração e degradação do meio ambiente e suas principais causas são a contaminação do solo e o assoreamento dos corpos d’água em função da expansão das atividades agrícolas, o uso continuado de agrotóxicos e fertilizantes e a erosão das encostas. Em alguns municípios já são perceptíveis alterações da paisagem decorrentes dos impactos sobre os recursos ambientais. Isto significa um risco de deterioração para um dos mais importantes ativos da região. A expansão não sustentável de atividades agropecuárias e a ocupação urbana e rural não planejadas também têm impactado os recursos hídricos, em função da utilização de defensores químicos e do despejo de esgoto doméstico e resíduos sólidos nos cursos d’água.


CAPARAÓ CAPIXABA: INDICADORES DE PROBLEMAS AMBIENTAIS - 2002

Contaminação do solo

����������������������������������

���������

�������������������������������

������������������

������������

�������

������������������

� ��� � � � � � � � � � � � � � � �� � � � � � � � � � � � � � �

Poluição da água ���������������������������

Alteração da paisagem

������������������

�������������������������������

����������������

����������������������������

���������������������������� �������������������

���������������������

������������������������������

� �� � � � � � � � � � � � � � �

� ��� � � � � � � � � � � � � �

�����������

��������

�����

� �� � � � � � � � � � � � � � �

caparaó capixaba vale mais

�������������������������������������

�����������������������������

Redução das atividades econômicas

74

Assoreamento de corpo d’água


75

TURISMO SUSTENTÁVEL

O turismo está entre as atividades econômicas de maior crescimento mundial na últimas décadas. O aumento da atividade turística em uma região gera um efeito multiplicador positivo na demanda e na oferta local (estima-se que para cada 1 R$ gasto por um turista, aproximadamente 3 R$ circulam na economia local). O turismo gera impactos positivos no comércio, serviços de alimentação, hospedagem, transporte, serviços pessoais, lazer e cultura, bem como nas pequenas indústrias de confecções, móveis, artesanato e alimentos. Em alguns casos, também dinamiza a economia rural, sendo o agroturismo e o ecoturismo uma alternativa rentável para muitas pequenas e médias propriedades. Estes efeitos combinados levam ao aumento na

������� ��� ��������� ���

���� ��� ������������

���

��������� ��� ������� ������� �������� �� ��������� ��������� ��� ������ ���

������������������� ���

������ ���

��������� �������� ���

����������� ��������������� ��������������� ������������

Existem ainda impactos sobre indicadores sociais, como: melhoria no nível de educação, capacitação profissional e técnica; redução da criminalidade e redução nos níveis de pobreza. A região do Caparaó capixaba tem como principal ativo turístico o Parque Nacional do Caparaó onde está localizado o Pico da Neblina. A região é muito rica em belezas naturais ainda preservadas que constituem um ativo local de valor inestimável e um patrimônio para as gerações futuras. Possui também grande vocação para o desenvolvimento do ecoturismo, agroturismo, turismo de eventos e turismo esportivo.

(a) + (b)

(a)

(b)

Guaçuí

793

519

274

Alegre

764

468

296

Ibatiba

416

214

202

Iúna

383

208

175

Muniz Freire

260

128

132

Ibitirama

181

114

67

S. J. Calcado

173

103

70

J. Monteiro

175

94

81

Irupi

177

93

84

D. Rio Preto

116

46

70

D. S. Lourenço

37

11

26

(a) + (b): Pessoal ocupado em atividades relacionadas ao turismo (a) Pessoal ocupado em Hospedagem e Alimentação (b) Pessoal ocupado em transporte, armazenagem e comunicação Fonte: IBGE (2000)

CAPARAÓ CAPIXABA: INDICADORES DE TURISMO - 2000

������������������������������ ������������������������������

geração de empregos, renda e arrecadação de impostos nas regiões onde o turismo se desenvolve com vigor.


p r o g r a m a s

e

p r o j e t o s

MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

Gestão Ambiental Regional Integrada

Plano Integrado de Fiscalização

descrição Articulação entre os órgãos e instâncias ambientais Gestão ambiental local em todos os municípios; Criação de Conselhos do Meio Ambiente, Secretarias Municipais de Meio Ambiente e Código Ambiental Articulação e criação do conselho regional do meio ambiente do Caparaó - COREMA

descrição Agentes municipais, estaduais, voluntários, agentes federais e Sociedade Civil envolvidos Consórcio do Caparaó, Governos do Estado e Federal

envolvidos IBAMA, IDAF, IEMA, Secretarias Municipais, Conselho Territorial, Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Legislação específica para preservação de Recursos Naturais descrição Legislação enfatizando o uso e manejo do solo envolvidos Prefeituras, Governo do Estado e Governo Federal Prazo:

curto médio

caparaó capixaba vale mais

Execução: fácil

76

média

longo difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Companhia de Polícia Ambiental do Caparaó capixaba descrição Criação e ampliação do efetivo da Polícia Ambiental envolvidos Governo do Estado e Governo Federal Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


77

MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

Formação e informação técnicas sobre meio ambiente descrição Criação de cursos, oficinas, eventos, para profissionais e interessados envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Comitês das Bacias Hidrograficas descrição Fortalecimento, articulação e participação nos comitês das bacias hidrográficas envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Coordenação de Recursos Hidricos descrição Criação de uma coordenação de recursos hídricos dentro do Consórcio do Caparaó envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Plano das Bacias Hidrográficas descrição Consolidação e alinhamento de todas as ações em andamento e a desenvolver, para suporte à Estrutura de Gestão envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

Diagnóstico das Bacias descrição Mapeamento dos comitês existentes, qualidade e quantidade de água, captação, áreas de recarga, fontes de poluição, projetos existentes e projetos agropecuários envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

descrição Classificação dos cursos d’água existentes de acordo com critérios previamente estabelecidos

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Plano de recuperação e conservação das águas do Caparaó

2

descrição Saneamento básico com tratamento dos resíduos sólidos e drenagem urbana

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

descrição Criar uma rede de monitoramento da qualidade da água nos cursos existentes e significativos

difícil

Classificação dos cursos d’água

78

Rede de monitoramento da qualidade da água

média

curto médio média

longo difícil


79

MANEJO DE BACIAS HIDROGRÁFICAS

Educação e Capacitação

Gestão Integrada de Resíduos Sólidos

descrição Programa de Educação Ambiental para as Bacias e Capacitação de Conselhos e Comitês

descrição Gestão dos resíduos sólidos integrada nos municípios, construção de aterros sanitários e unidades de reciclagem, alinhados à programas de coleta seletiva, educação ambiental e geração de renda

envolvidos Cons. do Caparaó, Governos do Estado e Federal e ONG’s Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

envolvidos IEMA, Prefeituras e Consórcio do Caparaó

difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

Plano Diretor Municipal para Todos os Municípios descrição Elaborar em conjunto os Planos Diretores Municipais envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado, SEBRAE e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

média

longo difícil


UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Gestão Regional Integrada das UCs

Categorias, Limites e Implementação

descrição Articulação entre os órgão ambientais, Federais, Estaduais e Municipais

descrição Definição de categorias e limites de UC’s; Criação, implementação e gerenciamento de UC’s

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

Criação de uma coordenação de gestão de UC’s dentro do Consórcio descrição Articulação entre os órgão ambientais, Federais, Estaduais e Municipais envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

difícil

média

longo difícil

Fortalecimento das UC’s existentes descrição Fortalecimento das UC’s existentes e seus mapeamentos envolvidos Governo do Estado e Prefeituras Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Diagnóstico Ambiental

Plano de recuperação de áreas de preservação permanente e de averbação de reserva legal - 20%

descrição Estudo e diagnóstico com identificação de áreas prioritárias de conservação - principais fragmentos florestais, áreas de recargas e corredores ecológicos

descrição Estudo e definição de ações de mobilização dos proprietários rurais para a preservação das reservas legais e averbação de novas

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

envolvidos Consórcio do Caparaó, Sociedade Civil e Proprietários Rurais

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

80

média

longo

curto médio

média

curto médio média

longo difícil


81

UNIDADES DE CONSERVAÇÃO

Recuperação de áreas degradadas

Crédito de carbono

descrição Estudo e definição de ações de recuperação de áreas públicas e privadas

descrição Estudo, informação e implantação de programas de fomento com base na recuperação de Créditos de Carbono

2

envolvidos Prefeituras, Sociedade Civil, Proprietários Rurais e Governo do Estado Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

envolvidos Consórcio do Caparaó e Prefeituras

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

Incentivo à criação de R.P.P.N. (Reserva Particular do Patrimônio Natural ) Lei Estadual descrição Disponibilizar mecanismos de incentivo para a a criação de revervas

curto médio média

longo difícil

Educação e Capacitação descrição Efetivação e capacitação do corpo técnico para gerenciamento das UC’s. Capacitação para Fiscalização integrada

envolvidos Prefeituras, Governo do Estado e Governo Federal

envolvidos Consórcio do Caparaó, Governo do Estado e Prefeituras

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

ICMS ecológico descrição Utilização de recursos orçamentários e de compensação ambiental e estabelecimento de critérios para sua utilização envolvidos Governo do Estado Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

curto médio média

longo difícil


ECO E AGRO TURISMO

Gestão regional Integrada da indústria do turismo descrição Definição e Implantação de estrutura de gestão através da articulação de todos os envolvidos envolvidos Prefeituras, Governo do Estado, Ibama,IDAF, IEMA, ONG’s, empresas privadas, SEBRAE Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

média

Execução: fácil

longo difícil

Diagnóstico das potencialidades por Município descrição Articulação SEBRAE e prefeituras: diagnóstico do potencial de oferta turística (foco em agro e ecoturismo) envolvidos Prefeituras e SEBRAE Prazo:

curto médio

caparaó capixaba vale mais

Execução: fácil

82

média

envolvidos Governo do Estado

difícil

envolvidos Prefeituras, Governo do Estado, Ibama,IDAF, IEMA, ONG’s, empresas privadas, SEBRAE Execução: fácil

descrição Articulação entre Governo do Estado de Minas Gerais e do Espírito Santo e Ibama para construção da Estrada Parque. Construção com critérios específicos da Estrada Parque e estradas vicinais para atrativos turísticos

Prazo:

descrição Consolidação e alinhamento das ações em andamento e a desenvolver, para suporte à Estrutura de Gestão

curto médio

2

longo

Plano Integrado Regional de Desenvolvimento Turístico

Prazo:

Estrada Parque

longo difícil

curto médio média

longo difícil

Sinalização Turistica descrição Articulação para definição de um padrão para toda a Região envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Portal de Turismo em cada Município descrição Criação de portais em cada município envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


83

ECO E AGRO TURISMO

Esportes radicais, festas e eventos tradicionais dos municípios, roteiros ambientais e culturais descrição Incluir no calendário da região eventos de esportes ligados à natureza envolvidos Prefeituras, Consórcio do Caparaó, SEDETUR, SEBRAE Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

descrição Veicular campanhas de divulgação e valorização dos ativo turísticos regionais envolvidos Prefeituras, Consórcio do Caparaó, SEDETUR, SEBRAE curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Identificação e criação de linhas de crédito específica e atração de investidores descrição Criar linhas de crédito específicas para investimento em aparelhos e produtos turísticos envolvidos Consórcio do Caparaó, SEBRAE, BANDES, Governo do Estado Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

descrição Criar um selo de referência regional, identificando produtos e aparelhos turísticos sustentáveis, ecologicamente corretos e socialmente justos envolvidos Prefeituras, Consórcio do Caparaó, SEDETUR, SEBRAE Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

difícil

Marketing, divulgação e informação turística

Prazo:

Certificação dos produtos turísticos

Educação e Capacitação para o Turismo descrição Mobilização, Educação e “Empreendeturismo”. Capacitação e qualificação da mão-de-obra e de empresários. Curso técnico e superior. Educação para o turismo - Hospitalidade envolvidos Consórcio do Caparaó, SEBRAE, SEDETUR, UFES Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Rota do Caparaó

2

descrição Inclusão do Caparaó como Rota Turística Estadual e Nacional envolvidos EMBRATUR, SEDETUR e Consórcio do Caparaó

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio média

longo difícil


ATITUDE CIDADADÃ


CAPARAÓ CAPIXABA PARA SEU CIDADÃO

d i a g n ó s t i c o

Apesar de melhorias consideráveis nas condições de vida da população, os municípios do Caparaó capixaba ainda apresentam indicadores de saúde e educação preocupantes quando comparados ao contexto estadual. Reverter o quadro atual, ampliando, fortalecendo e qualificando esses direitos básicos dos cidadãos ultrapassa as questões de oferta e acesso, pois se trata de uma ação de inclusão social.

Indicadores de saúde e qualidade de vida

A relação entre saúde e qualidade de vida é amplamente estudada e divulgada. A distribuição de renda, o baixo grau de escolaridade e as condições precárias de habitação têm impactos diretos tanto nas condições de vida quanto na saúde. Conhecer a realidade da saúde em um município é inegavelmente de grande importância. Em uma região isso ganha um peso maior, pela capacidade de serem articuladas soluções conjuntas, parcerias, ajuda mútua, e processos de cooperação para a solução de problemas em uma área vital.

O Caparaó capixaba não foge a regra. A região possui um histórico de melhoria dos principais indicadores de saúde, como por exemplo, o IDH longevidade que apresentou um sensível crescimento. A esperança de vida ao nascer também obteve melhores índices entre 1991 e 2000. Outro indicador importante é a taxa de mortalidade infantil, que no mesmo período também melhorou. Porém, apesar das melhorias constantes dos indicadores, a região do Caparaó, quando comparada às demais regiões capixabas, apresenta um quadro alarmante.

COMO ESTÁ A NOSSA SAÚDE?

caparaó capixaba vale mais

As condições de vida e saúde têm melhorado continuamente na maioria dos países, graças a progressos políticos, sociais e obviamente aos próprios avanços da saúde pública e da medicina. Porém, importantes organizações ligadas à saúde indicam que mesmo com a incontestável melhora ainda persistem grandes desigualdades entre regiões e grupos sociais.

86

MORTALIDADE INFANTIL

A taxa de mortalidade infantil mede a freqüência de óbitos infantis (menores de um ano) em determinada população, em relação ao número de nascidos vivos. De acordo com dados do IPES referentes ao ano de 2003, entre as microrregiões do Espírito Santo, a do Caparaó é a que apresenta a maior taxa de mortalidade infantil.


87

As causas da mortalidade infantil estão ligadas a diversos fatores, mas na maioria dos casos estão diretamente relacionadas a condições de pobreza e dificuldades de acesso a serviços de saúde de boa qualidade e de saneamento básico. Outros aspectos negativos da região foram identificados durante o processo de conhecimento estratégico, entre os quais podemos destacar: a falta de infra-estrutura e pessoal nas unidades de saúde, a não existência de atendimento de alta complexidade, a carência de centros de referência, e a participação pouco efetiva de alguns municípios no Consórcio Intermunicipal

���

���

���

���

É possível entretanto identificar iniciativas positivas na região, entre as quais se destacam: a presença dos conselhos de saúde em todos os municípios, o Consórcio Intermunicipal, o Programa Saúde da Família, os agentes de saúde, e a distribuição de medicamentos.

Esperança de vida ao nascer - 1991 e 2000 ���

����������� ����� ������� ������������� ������ ��������� ������������ ������� �������������� ������������ �������

Municípios Alegre Divino de São Lourenço Dores do Rio Preto Guaçuí Ibatiba Ibitirama Irupi Iúna Jerônimo Monteiro Muniz Freire São José do Calçado

1991 63,4 63,4 63,2 61,4 63,2 62,9 62,9 64,2 62,7 65,6 66,1

Fonte: IPEA

Taxa de Mortalidade Infantil - 2003

����� ���� Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil Fonte: IPES, 2003 *Datasus, estimativa para o mesmo ano.

2000 68,6 68,6 70,5 68,6 70,5 68,6 70,5 70,5 63,9 68,6 70,4

CAPARAÓ CAPIXABA: INDICADORES DE SAÚDE

IDH longevidade -2000

de Saúde (mesmo que a existência deste por si só constitua um ativo do território). Chamam a atenção também alguns pontos preocupantes como a falta de políticas efetivas para a saúde mental, e para temas relacionados à juventude como a questão das drogas e da gravidez na adolescência.


Educação como instrumento de inclusão social Instrumento básico para a inclusão do cidadão na sociedade, a educação tem sido foco de debate de políticas públicas brasileiras e internacionais. Não há desenvolvimento econômico, e muito menos desenvolvimento social sem educação. Os avanços alcançados até hoje merecem destaque, porém sabe-se que muita coisa ainda pode e deve ser melhorada. O debate atual em torno educação tem como elementos chave a universalização do ensino e sua qualidade. A qualidade refere-se não apenas aos materiais didáticos, como também à valorização dos professores e à infra-estrutura das unidades. O QUADRO DA REGIÃO DO CAPARAÓ

A região conta com uma série de ativos que vão desde a presença de Conselhos de Educação em todos os municípios à existência de estabelecimentos de ensino superior . Contudo, são identificados alguns entraves que dificultam a melhoria do quadro educacional da região, como: a falta de uma política educacional específica para a zona rural, a falta de cursos profissionalizantes (que atendam a demanda do mercado e da população) e mesmo de formação continuada, pouca valorização do profissional da educação e a precariedade da infra-estrutura de alguns estabelecimentos. Há, contudo, um problema mais básico a ser enfrentado: a alta taxa de analfabetismo. A TAXA DE ANALFABETISMO

caparaó capixaba vale mais

É considerada analfabeta, pelo IBGE, a pessoa que não sabe ler ou escrever um simples bilhete

88

no idioma que conhece. Na região do Caparaó Capixaba 18,5% das pessoas com 15 anos ou mais estão nesta situação. Segundo dados do IPES (relativos ao ano 2000), esse percentual representa 19.629 habitantes. Esse número é bem maior do que a população total de alguns municípios da região. Quando comparamos a situação do Caparaó com a das demais microrregiões capixabas, notamos que estamos de diante de uma das piores situações do estado. A taxa de analfabetismo aumenta conforme a faixa etária. Esta situação reflete uma tendência nacional, mostrando que os avanços na educação não contemplaram os adultos. Surgem então demandas por políticas específicas para este grupo. Outra importante diferença é em relação à situação de domicílio da população. Tradicionalmente, o Brasil apresenta taxas de analfabetismo maiores na zona rural do que nas áreas urbanas. Na região do Caparaó capixaba, a análise destes indicadores reforça a demanda por políticas educacionais diferenciadas para a zona rural. Outro indicador utilizado é a taxa de analfabetismo funcional. Uma pessoa é considerada alfabetizada funcional quando é capaz de utilizar as habilidades de escrita e leitura frente às demandas de seu contexto social e continuar aprendendo. Para compor este indicador adota-se como variável o número de pessoas com menos de 4 anos de estudo. No Caparaó capixaba, a média de anos de estudo da população com 25 anos ou mais é de apenas 4,4 anos. O que significa que em média a população do Caparaó capixaba cursa apenas até o ensino fundamental.


89

���

���

���

���

���

���������

Situação de domicílio

������� ����� ���� ������������� ������������

Taxa de analfabetismo Simples

Funcional

Urbana

1991 19,3

2000 15,1

2000 30,2

Rural

33,2

22,7

46,5

Total

26,4

18,5

37,3

Fonte: IPES – Micro-dados do Censo 1991/2000

�������

Taxa de analfabetismo simples e funcional por faixa etária 1991 e 2000

������ �����������

�����

��������������

Taxa de analfabetismo

������ �������

Faixa Etária

����� �������

������������ Fonte: Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil

Taxa de Analfabetismo - 2000 ����

�����

����

������

����

�������

Fonte: IBGE

15 a 17 18 a 24 25 a 39 40 a 59 60 a 64 > 65 total ( >15)

Simples

1991 12 14,2 21,1 37 42,9 55,1 26,4

Fonte: IPES – Micro-dados do Censo 1991/2000

Média de anos de estudo da população com 25 anos ou mais 1991 e 2000

������

���� �������

����

Fonte: IPES – Micro-dados do Censo 1991/2000

����

2000 15,5 20 32,4 46,1 64,9 73,9 37,3

2000 4 6,8 13,3 25 35,1 47,9 18,5

Situação de domicílio Urbana Rural Total

�����

Funcional

1991 4,8 2,3 3,6

2000 5,4 3,1 4,4

CAPARAÓ CAPIXABA: INDICADORES DE EDUCAÇÃO

Taxa de analfabetismo simples e funcional da população de 15 anos e mais, segundo situação de domicílios 1991 e 2000

IDH educação - 2000


p ro g r a m a s

e

p r o j e t o s

INFRA-ESTRUTURA DE SAÚDE

Fortalecimento do Consórcio de Saúde

Especialização para a saúde

descrição Integração, comprometimento e participação efetiva dos onze municípios no Consórcio de Saúde regional; criação de uma sede própria e contratação de mão de obra especializada e de função executiva

descrição Criação de dois pólos para capacitação em saúde na região: um em Iúna e um em Guaçuí; os pólos devem ser desenvolvidos através de parcerias com as instituições de ensino superior para geração de mãode-obra especializada na área

envolvidos Consórcio do Caparaó, Consórcio Intermunicipal de Saúde e Conselho Intermunicipal de Saúde Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

envolvidos Secretaria Estadual de Saúde e Consórcio do Caparaó

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

Centros de Referência Hospitalar descrição Implantação e estruturação de centros de referência hospitalar em raios aproximados de 50 KM buscando descentralizar referências e ter capacidade de atendimentos de baixa, média e alta complexidade

curto médio média

longo difícil

Comunicação e Informação para suporte aos serviços integrados de saúde descrição Interligar a região com telefonia e internet criando um sistema de gestão de informações municipais e regionais para a área de saúde

envolvidos Secretaria Estadual de Saúde e Conselho Intermunicipal de Saúde

envolvidos Secretaria de Planejamento e Consórcio do Caparaó

Prazo:

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

longo

Prazo:

curto médio média

longo difícil

difícil

Cooperativa de material descrição Criação de uma cooperativa que forneça material de consumo geral (almoxarifado) à Secretaria de Saúde e unidades de atendimento envolvidos Secretaria Municipal de Saúde Prazo:

curto médio

caparaó capixaba vale mais

Execução: fácil

90

média

longo difícil


91

SAÚDE PREVENTIVA

Fortalecimento dos Conselhos de Saúde

Farmácia Popular

descrição Integração e capacitação dos conselhos municipais de saúde para tornar as ações mais eficazes

descrição Criação de 3 unidades visando garantir a cobertura total a região

envolvidos Conselhos Municipais e Consórcio do Caparaó

envolvidos Consórcio do Caparaó, Consórcio Intermunicipal de Saúde e Conselho Intermunicipal de Saúde

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio média

longo difícil

Fortalecimento do PACS e do PSF

Saúde Bucal

descrição Aumentar os recursos disponíveis para o PSF e para o PACS através do envolvimento do Governo do Estado

descrição Implantação de ações com foco na saúde bucal em toda a região do Caparaó capixaba, com a criação de no mínimo 3 unidades físicas de referência. Objetiva-se com isso atingir nos próximos 10 anos o índice de C.P.O.D. da Organização Mundial de Saúde

envolvidos Secretaria do Estado, Secretaria da Fazenda e Secretaria da Saúde Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Campanhas de Saúde Preventiva

2

descrição Mobilização e informação da população através de campanhas educativas de saúde preventiva, incluindo a divulgação nas escolas dos onze municípios envolvidos Secretarias Municipais e Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

envolvidos Consórcio do Caparaó e Ministério da Saúde Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

CAPES do Caparaó Capixaba descrição Prestação de assistência a pacientes com distúrbio mental de maneira integrada na região envolvidos Secretaria Estadual de Saúde, Ministério da Saúde e Consórcio Intermunicipal de Saúde Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


EDUCAÇÃO RURAL E URBANA

Política Regional de Educação Rural

Fortalecimento dos Conselhos de Educação

descrição Política regional de educação diferenciada para o meio rural, incluindo a efetivação de escolas em tempo integral com pedagogia de alternância

descrição Capacitação dos conselheiros para garantir maior eficiência e sustentação finaceira às instâncias

envolvidos Conselho de Caparaó, Conselhos Municipais e Prefeituras Municipais Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Diagnóstico de demanda

descrição Criação de quatro sub-pólos da Superintendência de Educação para descentralizar o atendimento e facilitar a articulação dos estabelecimentos de ensino

descrição Identificação do público alvo e da abrangência territorial das ações de acordo com a demanda identificada, incluindo as necessidades de cursos de formação continuada para os profissionais envolvidos

envolvidos Governo do Estado (Secretaria de Educação)

envolvidos Secretarias Municipais e Conselhos Municipais

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

Prazo:

difícil

Sub pólos da Superintendência

92

envolvidos FUNDEF, FUNDEB, Secretarias Municipais e Conselhos Municipais

média

curto médio média

longo difícil


93

EDUCAÇÃO RURAL E URBANA

Centros Regionais de Educação Integral

Transporte escolar

descrição Implantação de espaços dotados de infra-estrutura tecnológica, esportiva, médica e etc, para oferta de educação de qualidade nos níveis fundamental, médio e profissionalizante; Criação de instância de gestão vinculada ao Conselho do Caparaó visando dar representatividade aos centros

descrição Atendimento de melhor qualidade e mais seguro, tanto para as redes municipais quanto para os centros regionais de educação, com ações que englobem desde a melhoria das estradas à remuneração dos transportadores e fiscalização dos veículos

2

envolvidos Sistema S, Governo do Estado, Prefeituras Municipais, Sindicatos e Conselhos Municipais Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

envolvidos DETRAN, Prefeituras e Conselhos Municipais (educação, criança e adolescente, etc.) Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

difícil

Valorização dos profissionais de educação

Ensino Fundamental de 9 anos

descrição Melhoria salarial e programas de formação continuada para docentes e demais profissionais de educação

descrição Implantação e efetivação do Ensino Fundamental de 9 anos nos Sistemas Municipal e Estadual, com capacitação para os profissionais da área

envolvidos Sindicatos, Prefeituras e Conselhos Municipais

envolvidos Secretarias de Educação, Conselhos de Educação, UFES

Prazo:

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

curto médio média

longo difícil


EDUCAÇÃO RURAL E URBANA

Reforma e adequação das escolas

Ensino Profissionalizante

descrição Reformar as escolas, dotando-as de energia elétrica, água encanada e tratada e fossa séptica, quando não existir rede coletora; Adequação da pintura e acessos

descrição Cursos profissionalizantes em diversas áreas, conforme a demanda, priorizando as áreas de turismo, hotelaria, agroindústria e artesanato

envolvidos Secretarias de Educação, Iniciativa Privada

envolvidos Secretarias de Educação, Conselhos de Educação, UFES, EAFA, INCAPER, EMBRAPA, Iniciativa Privada, Sistema “S”

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Informatização das escolas descrição Implantação de laboratórios de informática nas escolas públicas e informatização da parte administrativa envolvidos Secretarias de Educação, Iniciativa Privada Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

difícil

descrição Criação de um fórum do Caparaó Capixaba para discussão e definição de um programa contínuo de EA, incluindo produção de materiais pertinentes com base no Caparaó e Dia “D” no Parque do Caparaó envolvidos Secretarias de Educação, Conselhos de Educação, EAFA, ONG’s, UFES e Consórcio do Caparaó curto médio

Execução: fácil

caparaó capixaba vale mais

longo

Educação Ambiental curricular

Prazo:

94

média

média

longo difícil


95

PÓLOS DE EDUCAÇÃO SUPERIOR

Diagnóstico da demanda para Educação Superior

Inserção do Caparaó capixaba no programa “Universidade para todos”

descrição Identificação das necessidades da região de cursos técnicos, de nível superior, de formação continuada e de especialização para sua posterior implantação

descrição Inserção da região no programa do governo federal para democratização o ensino superior

envolvidos Consórcio do Caparaó, Instituições de ensino e Governo Federal Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Universidade do Caparaó capixaba descrição Criação da Universidade do Caparaó capixaba visando ampliar a oferta de cursos superiores na região envolvidos MEC, UFES e Governo do Estado Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

envolvidos MEC, UFES, Governo do Estado, Prefeituras e PPP Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


SEGURANÇA PÚBLICA

Policial Caparoense

Estrutura de telecomunicações

descrição Aumento do efetivo do Polícia Militar e Polícia Civil, com recrutamento de pessoal da própria região e formação dos policiais no Quartel Escola de Alegre (reativar o Quartel Escola)

descrição Reaparelhamento do sistema de comunicação das Policias para eliminar todos os pontos onde hajam falhas cobertura nos sinais de rádio

envolvidos Governo Estadual Prazo:

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

envolvidos Governo Estadual Execução: fácil

longo difícil

descrição Colocação de postos policiais em pontos estratégicos nas estradas, nos portais de acesso ao Caparaó envolvidos Governo Estadual Prazo:

média

média

Postos policiais

descrição Criar mais um descatamento da Policia Ambiental para atender a região de Iúna

curto médio

curto médio

Execução: fácil

difícil

Polícia Ambiental

Prazo:

envolvidos Governo Estadual

longo

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

difícil

Viaturas descrição Aquisição de viaturas próprias para todo tipo de terreno envolvidos Governo Estadual Prazo:

curto médio

caparaó capixaba vale mais

Execução: fácil

96

média

longo difícil


97

SEGURANÇA PÚBLICA

Qualificação do Policial

Conselhos Municipais de Segurança

descrição Qualificação do policial em desenvolvimento sustentável (turismo receptivo, meio ambiente, saúde, etc) como tema transversal da formação policial

descrição Implantação dos Conselhos Municipais de Segurança usando o modelo de Ibatiba (conselho não elitizado e apartidario; comunicação com as comunidades rurais via rede de radio)

envolvidos Governo Estadual Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

envolvidos Consórcio do Caparaó e Prefeituras

difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

Reorganização da Polícia descrição Redistribuir a circunscrição da PM nos municipios para evitar distorções no atendimento envolvidos Governo Estadual Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

média

longo difícil

Conselho Regional de Segurança descrição Criar um Conselho Regional de Segurança Publica composto pelos Conselhos Municipais de Segurança

longo

envolvidos Consórcio do Caparaó

difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


CIDADÃO DO CAPARAÓ CAPIXABA

d i a g n ó s t i c o

Participar das conquistas da sociedade significa exercer cidadania. Para isso, é preciso ter espaços e instrumentos que garantam uma atuação qualificada e capaz de gerar resultados. As diversas entidades sociais do Caparaó capixaba são um importante exemplo de dinâmica social participativa. É fundamental que este trabalho seja valorizado, no sentido de mobilizar e conscientizar todos os cidadãos.

Construindo a cidadania: a experiência do Caparaó

PARTICIPAÇÃO POLÍTICA E O TRABALHO DAS ENTIDADES SOCIAIS

O contexto socioeconômico atual fez nascer um tipo especial de redes e alianças mobilizadas na luta contra a exclusão social, a carência de políticas públicas eficazes e abrangentes, a degradação ambiental, entre outros.

caparaó capixaba vale mais

Nos anos 80, a transição democrática promoveu alterações substanciais na ordem política instalada desde a ditadura militar. Diversas formas de participação se desenvolveram ao redor do aparelho estatal, assim como emergiram novos grupos e dinâmicas na sociedade civil. Toda a ebulição política deste período, com a presença dos novos atores e movimentos sociais vem contribuindo para a transformação do Estado. Faz-se necessária portanto, a instalação de mecanismos mais eficientes de controle e acompanhamento de políticas públicas por parte da sociedade civil, tanto na sua formulação quanto no processo de implantação das mesmas.

98

A região do Caparaó capixaba é um territórios que retrata essa dinâmica social, pois possui diversas instâncias de participação e controle social como os conselhos municipais e os consórcios intermunicipais. Porém, alguns municípios não possuem importantes conselhos (como o de meio ambiente); outros, possuem conselhos apenas instalados mas não atuantes. Outra maneira de se exercer a cidadania e de atuação em rede é exemplificada pelas entidades sociais. No Caparaó capixaba essas organizações são de fundamental importância social por atuarem fortemente em distintas frentes. A pesquisa realizada pelos Jovens Pesquisadores na fase de conhecimento estratégico para a elaboração do Plano de Desenvolvimento Sustentável da região entrevistou 422 entidades sem fins lucrativos. A pesquisa procurou entender as diversas formas de atuação destas entidades, suas principais carências, as parcerias realizadas e os desafios enfrentados.


99

Os resultados nos mostram que há, por parte destas entidades um alto grau de enraizamento no território, em termos do tempo de atuação, e também de formalização. O trabalho das organizações demonstra-se bastante abrangente e há um nítido privilégio às classes populares como público alvo. As principais formas de atuação das organizações sociais caparoenses são a assistência familiar, a doação de cestas básicas, e a oferta de palestras e cursos. Entretanto há uma perceptível carência em áreas como saúde e assistência técnica voltada para os setores produtivos da sociedade.

ambientais), e TV’s Câmara (Alegre e São José do Calçado). Apesar da grande importância destes meios, os entrevistados destacam a importância das mídias alternativas, e do tradicional “bocaà-boca”. É importante destacar que as entidades têm acesso restrito às mídias de massa e falta comunicação regional mais integrada.

A força do trabalho voluntário é uma tônica neste setor. Nas entidades entrevistadas trabalham 9429 pessoas, das quais 76% sem qualquer tipo de remuneração. Grande parte das organizações entrevistadas trabalha na promoção de projetos e eventos em conjunto com outras organizações, o que demonstra um potencial para a articulação em redes e para a integração das ações. Porém, as parcerias com a iniciativa privada são pouco freqüentes o que faz com que a maior parte das entidades mantenham um alto grau de dependência do poder público no que tange à sustentação financeira. As entidades apontam a falta de conhecimento técnico especializado e a precariedade da infraestrutura física e de acesso à informação como as principais causas para a dificuldade de ampliação de suas atividades Cerca de 68% das organizações consultadas não participam de fóruns ou conselhos municipais, o que demonstra a baixa representatividade política e a pouca importância das organizações sociais do território na formulação de políticas públicas. A comunicação e a visibilidade do trabalho social é feito por intermédio de sites e jornais da região, através da Mostra de Desenvolvimento Sustentável, MOVA Caparaó (mostra de vídeos

Entidades sociais entrevistadas (2005-2006) Municípios

Entidades

Alegre

66

Divino de São Lourenço

19

Dores do Rio Preto

30

Guaçuí

58

Ibatiba

25

Ibitirama

16

Irupi

34

Iúna

92

Jerônimo Monteiro

24

Muniz Freire

48

São José do Calçado

30

Total

442

O MEIO AMBIENTE COMO ESPAÇO PARA O EXERCÍCIO DA CIDADANIA

A proteção dos recursos naturais e a construção da sociedade aliada à baixos níveis de degradação depende não apenas da atuação do poder público, mas também do exercício de cada cidadão dos seus direitos e deveres vinculados à tal objetivo. Para que o cidadão participe efetivamente da melhoria ambiental de seu território se faz necessária a promoção da democracia, da justiça social e do acesso à vida digna, incluindo o acesso à informação. Exercer cidadania pelo viés ambiental significa ter de posse um conjunto de instrumentos que permitam a atuação efetiva na


defesa do meio ambiente e na sustentação dos recursos naturais para as gerações vindouras. Dentre estes instrumentos podemos destacar: a conscientização, a mobilização social, a educação e a cultura política. O Caparaó capixaba é um bom exemplo dessa atuação cidadã. A riqueza ambiental do território aliada à crescente conscientização da população permitiu o surgimento de diversas organizações e projetos ambientais de preservação, conservação, recuperação do meio ambiente, revitalização de nascentes, turismo e manejo sustentável. Além da atuação política e consciente é importante que toda esta postura faça parte da educação dos cidadãos. A educação ambiental se destaca quando se pensa em cidadania ambiental pois é capaz de atingir adultos e crianças de maneira simples e permanecer no cotidiano das pessoas envolvidas. Na região do Caparaó capixaba quase todos os municípios possuem importantes projetos de educação ambiental. Porém, a baixa participação da sociedade na gestão ambiental se consolida como um entrave na melhoria das condições de vida da região. Muitas organizações que têm como objetivo a luta pela proteção ambiental reclamam a falta de apoio, a falta de parcerias com a iniciativa privada e a falta de visibilidade de seus trabalhos. IDENTIDADE REGIONAL E CIDADANIA CULTURAL: ATIVOS E DESAFIOS

caparaó capixaba vale mais

A cultura é fruto do meio social e também formadora deste meio. O mesmo ocorre com as atividades de esporte e lazer que estão intimamente ligadas na sociedade atual, pois o esporte se tornou um dos principais conteúdos do lazer, e ambos se referem a bens sociais cujo acesso é considerado como um direito dos cidadãos.

100

O estado do Espírito Santo possui uma diversidade cultural riquíssima. A influência dos imigrantes e dos estados limítrofes compôs uma identidade diferente de todo o restante do país. A identidade cultural é, sem dúvida um dos aspectos mais marcantes da região do Caparaó capixaba. O caráter de cultura regional única fica nítido quando percebemos que algumas manifestações se repetem em certos municípios e em vários o folclore é ensinado nas escolas, inclusive com aulas práticas. As principais manifestações da região são: o Boi Pintadinho, a Dança da Fita, o Bate-Flechas e a Folia de Reis. Existem ainda muitas bandas ou grupos musicais e eventos relacionados a esta produção cultural. Segundo dados do IPES, apesar de possuir várias edificações de valor histórico, como casarões, fazendas antigas e igrejas, a região não possui nenhum imóvel tombado. Apesar de toda a expressão cultural existente na região, a situação atual não é a ideal segundo os habitantes. Muitos grupos culturais estão inativos, existem poucas opções de cultura, esporte e lazer na região, e não há preocupação com a preservação do patrimônio artístico e histórico. Outro ponto bastante ressaltado é a pouca divulgação dos grupos e eventos culturais já existentes. De acordo com os moradores do Caparaó, isso se repete para os atrativos turísticos. Também é importante considerar a existência de poucas secretarias de cultura na região, e até mesmo a existência de apenas cinco conselhos de cultura. Isto resulta em pouco apoio e falta de políticas públicas de incentivo e promoção cultural, questão essa amplamente debatida durante o processo de conhecimento da região.


p r o g r a m a s

e

p r o j e t o s

CIDADANIA POLÍTICA

Rede de ONG’s

Novas Lideranças

descrição Formaç��o de uma rede entre as ONG’s do Caparaó incluindo: capacitação, difusão de informação, mobilização e captação de recursos, a fim de fortalecer as atividades e as articulações

descrição Capacitação de atores sociais e entidades para a participação em instâncias de gestão compartilhada e para a formulação de políticas públicas

envolvidos ONGs, Consórcio do Caparaó e Conselhos Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

Consórcio do Caparaó Forte

2

descrição Fortalecimento do Consórcio do Caparaó, com ampliação do seu poder de atuação, representatividade, canais de diálogo com a população e gestão de projetos envolvidos Consórcio do Caparaó Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

envolvidos Poder Público e entidades sociais Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil

101


CIDADANIA AMBIENTAL

Fórum Ambiental Permanente

Centro Regional de Referência Ambiental

descrição Integração das entidades do Caparaó capixaba, com a finalidade de ampliar o debate e formular políticas públicas voltadas para o meio ambiente

descrição Criação de um espaço para execução de atividades como: coleta seletiva, triagem de fauna e flora, pesquisas, etc; que sirva como centro de referência nestes temas

envolvidos ONG’s ambientais, Institutos Públicos (IDAF, IEF, IBAMA, etc. ), Universidades, Conselhos Municipais de Meio Ambiente e Recursos Hídricos Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo

Prazo:

difícil

Execução: fácil

Fortalecimento institucional da gestão ambiental regional descrição Alinhamento das políticas públicas municipais e dos instrumentos de gestão ambiental envolvidos Prefeituras e Poder Legislativo Municipal Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

envolvidos IBAMA, IDAF, INCAPER, Polícia Ambiental, ONG’s e Universidades curto médio

caparaó capixaba vale mais

longo difícil

Educação Ambiental Regional

2

descrição Promoção da educação ambiental como instrumento de integração regional e conscientização da população e das instituições acerca da importância da questão ambiental

longo

envolvidos Poder Público, escola, ONG’s e Institutos

difícil

Prazo:

curto médio

Execução: fácil

102

média

média

longo difícil


103

CIDADANIA CULTURAL

Inventário patrimonial descrição Levantamento das atividades culturais da região, ativas e inativas, bem como dos patrimônios arquitetônicos e naturais, e de todas as manifestações culturais da região

Resgate e fortalecimento das manifestações culturais

2

descrição Fortalecimento dos movimentos culturais ativos e reestruturação aqueles que estão inativo, através de incentivos, divulgação e outras ações convenientes

envolvidos Poder Público, Iniciativa Privada, Atores culturais e órgão de pesquisa

envolvidos Poder Público, Iniciativa Privada e Atores culturais

Prazo:

Execução: fácil

curto médio

Execução: fácil

média

longo

descrição Fortalecimento das políticas públicas para a cultura através da criação de secretarias e/ou conselhos e de legislação específica de incentivo à cultura envolvidos Executivo e legislativo municipais curto médio

Execução: fácil

média

curto médio média

longo difícil

difícil

Fortalecimento institucional da gestão cultural

Prazo:

Prazo:

longo difícil

Espaços de cultura descrição Criação de espaços culturais apropriados para manifestação das atividades culturais (locais e regionais) envolvidos Poder Público, Empresas, Iniciativa Privada, Gestores e Atores culturais Prazo:

curto médio

Execução: fácil

média

longo difícil


ALEGRE A DIVINO DE SÃO LOURENÇO DORES DO RIO PRETO A GUAÇUÍ IBATIBA A IBITIRAMA A IRUPI A IÚNA JERÔNIMO MONTEIRO A MUNIZ FREIRE SÃO JOSÉ DO CALÇADO


GESTÃO COMPARTILHADA ���������������������������� ����� �� ��������������� �����������

� � � � � � � � � �


GESTÃO COMPARTILHADA

U

m dos pilares de sustentação do Plano de Desenvolvimento Sustentável do Caparaó Capixaba é a participação aberta de diversos atores sociais. É o que aprendemos juntos a chamar de “Gestão Compartilhada”. O início dessa Gestão começa logo na primeira etapa do Planejamento, quando as pessoas passam a conhecer os objetivos e propostas do Plano, e decidem seguir juntas por esse caminho. A partir daí, página por página dessa história passa a ser escrita pelas muitas mãos que constroem o Plano, o que permite que cada letra, cada frase tenha o mesmo sentido para todos os participantes. Na verdade, isso faz com que ao final, todos acabem enxergando um pouco de si próprios neste documento.

caparaó capixaba vale mais

Feito o planejamento, é chegada a hora de implementar. É o momento de retirar do papel aquilo que foi sonhado e transformá-lo em realidade, fazendo com que os projetos elaborados possam refletir seus benefícios por todos os cantos do Caparaó capixaba. Mais uma vez é preciso trabalhar em conjunto para poder cumprir essa nova etapa. Somente através de um somatório de forças envolvendo a comunidade, o poder público e a iniciativa privada é que um projeto tão complexo e ambicioso como esse poderá ser realizado.

106

Para reunir esses segmentos foi definido que caberá ao “Consórcio de Desenvolvimento Sustentável da Região do Caparaó” o papel de congregar em sua estrutura e todos os agentes capazes de transformar a região através da execução do Plano de Desenvolvimento Sustentável. Historicamente, o Consórcio atuou mais focado na questão ambiental, mesmo porque seu surgimento se deu a partir dos chamados “Fóruns Itinerantes do Entorno do Parque do Caparaó”, que, entre outras coisas, buscavam envolver o poder público e a sociedade civil em torno de uma proposta que garantisse o desenvolvimento econômico e social da região, sempre com o respeito ao meio-ambiente. Em sua composição o Consórcio conta hoje com 11 prefeituras da região e mais algumas ONGs ambientais. No entanto, para poder liderar este Plano e atender às demandas que naturalmente surgirão na execução, foi necessário que a entidade passasse por um trabalho de reestruturação interna. O primeiro passo nesse sentido foi a formação da “Comissão de Reestruturação do Consórcio do Caparaó” composta por representantes dos 11 municípios, mais a Secretaria da entidade. Um dos pontos mais levantados durante os trabalhos da comis-


107

são foi a necessidade de fortalecer a participação da sociedade civil nos quadros do Consórcio, garantindo maior envolvimento e comprometimento da comunidade beneficiada pelo Plano. Outro ponto levantado é que embora seja importante manter o enfoque ambiental em suas atividades, ele deverá também atuar nas demais áreas definidas pelo estudo, como por exemplo, segurança, habitação, economia, etc. Por fim, concluído os trabalhos dessa comissão, o Consórcio passará a ter a seguinte estrutura de gerenciamento: Estrutura de gerenciamento interno 1) 2) 3) 4)

Assembléia Geral; Conselho de Administração; Conselho Fiscal; Secretaria Executiva;

Assembléia Geral: será o órgão supremo e congregador da associação. A ela competirá, genericamente, a gestão global da entidade, a estipulação de suas regras administrativas e de suas alterações, cabendo-lhes todos os poderes e deliberações que entender na administração direta ou indireta da entidade. Conselho Administrativo: atuará como órgão de gestão estratégica e acompanhamento mais direto sobre as atividades do Consórcio. Sua composição contará com 11 prefeitos e mais 11 entidades da sociedade civil, uma de cada cidade pertencente ao Consórcio. Como a princípio somente os prefeitos podiam participar deste órgão, o ingresso dessas 11 entidades representou um grande passo no fortalecimento da sociedade civil local.

Conselho Fiscal: deverá ser o responsável pela fiscalização das contas do Consórcio. Terá três cadeiras que deverão ser ocupadas exclusivamente por associados. Cabe também ao Conselho Fiscal: I. Acompanhar sempre que considerar oportuno, quaisquer operações econômicas ou financeiras do Consórcio; II.Emitir parecer sobre proposta orçamentárias, balanços e relatórios de contas em geral, a serem submetidos ao Conselho de Administração pela Secretaria Executiva. Secretaria Executiva: A gestão da vida cotidiana do Consórcio ficará a cargo da Secretaria Executiva. Esse órgão será encabeçado por um Secretário(a) Executivo(a), que ficará responsável por dar suporte às suas atividades, garantindo, com isso, a realização de todos os projetos liderados pelo Consórcio. Uma das principais funções desse órgão será gerenciar os recursos financeiros, além do corpo técnico-profissional da entidade.


PARTICIPANTES caparaó capixaba vale mais

108

Estes são os cidadãos que com sua participação e entusiasmo tornaram-se os autores principais deste documento. Suas mãos, idéias e sentimentos conceberam este Plano para um Caparaó capixaba unido e forte:

ALEGRE: Adauvo Santos Rebelo, Ailton Nunes da Silva Junior, Alexandre Nazario, Aline Carla Resende Miranda, Aline de Cerqueira Quador, Aline Radael Vieira, Alisson Rodrigues Nunes, Almyr Peçanha de Carvalho, Alonso de Oliveira Amorim, Alvino Severino Pereira, Alzemir de Moraes, Amanda Ferraz Macêdo, André Luiz Cossa Domingues, Angelo Tadeu Sobreira, Anivaldo F. Moreira, Antonio Carlos Turini Rodrigues, Aureliane Salardani, Carlos, Carlos Abel Dutra Garcia, Carlos Augusto Cunha de Oiveira, Carlos Fernando Peixoto, Celi de Souza Neto, Celina Santos Abreu, Célio Ricardo da Silva Alvarez, Chirley Machado Bicalho, Cione de Oliveira Cunha, Clarice das Graças Silva da Silva, Claudiana de Oliveira Lopes, Cláudio de Souza Galvão, Cleidiane da Cunha Oliveira, Clenis Pereira Dal´Rio Bestete, Cristiane Pagoni M Nunes, Cristiano da Silva Lemos, Cristina Lúcia de Souza Curty, Cristina Mara Santos Olmo, Cristina Maria Machado Sobreira, Dalton de Oliveira, Daniel da Cruz Rodrigues, Daurea Suhett Domiciano Salardani, David de Oliveira, Dayvid Rodrigues Couto, Decio, Dener Golicia, Deucenir Marques Machado, Dimas Araujo da Silva, Diogo Pinto Filho, Djalma da Silva Santos, Edison Lemos Moraes, Eduardo Rebelo Campos, Eleomar Oliveira, Elion Vargas Teixeira, Elisabete Esteves Medeiros Souza, Elizabeth Dias Ribeiro, Elizéa Rezende Novaes Peixoto, Elzi Maria Melo Alves, Emerson da Rocha Lurtz, Érika Aparecida Silva de Freitas Pastore, Esanilson Martins Machado, Eudes Barros da Fonseca, Eugênia Maria Gama Marques, Euzenita da Conceição Gonçalves, Eveline Charpinel Campos, Fabiane Ferreira Mangifeste, Fábio de Souza Silva, Fabrício Abdalha Guimarães, Fernando Monegalha, Flaviane Fonseca, Franciane Almeida da Silva, Francine Ranholli Vieira, Francisco Assis Mauri, Francisco Jose Bravo de Souza, Francisco Machado da Silva, Francislei Moret Peres, Gabriel Vicente Caetano Gonçalves, Geraldo Barbosa Oliveira Jr, Geraldo José Alves Dutra, Geraldo Magela Antunes de Souza, Gilberto Ribeiro de Oliveira, Graziela Ferreira da Silva, Hélia Lúcia Vimercati Garcia, Hélio Antônio de Azevedo, Henrique Barros Duarte, Hévila Dutra Barbosa de Cerqueira, Hilton de Souza Junior, Idevaldo Vimercati, Ilda Peluzio Gomes, Isa das Graças Teixeira da Cruz, Ivana

Carla Bastos Fosse, Jacy Ferraz de Oliveira, Jalison da Silva Prata, Jane Gazoni da S. Cirino, Joana Maria Machado, João Batista Capucho Pirovani, João Batista de Souza, João Batista Macêdo, João Batista Pavesi Simão,João Miro de Souza, Joelson da Silva Lima, Jofre de Paula Ribeiro Filho, Jordelina Francisco da Silva, José Antônio Queiróz, José Carlos da Silva, José Carlos Venâncio da Paz, José Geraldo Gonçalves, José Henrique Ribeiro, José Luiz Cruz dos Santos, José Marcio da Silva Bernardo, José Miguel Sader Filho, José Vieira Filho, Joselany de Mello Alves, Joselia Maria Azevedo Moreira, Jucimara do Carmo Gazoni Louzada, Júlia Hassen Santos, Julio Cesar Oliveira, Juracy Rodrigues Santos, Laci de Souza Costa, Leandro Pirvani, Lecyanna Alves de Assis, Lia Gonçalves Carvalho, Lielton Antonio Beraldo Cardoso, Ligia Guedes de Assis, Lilian Katiany Castelo Rabelo, Livia Marina Romão Solmazo, Lucia Rhele Tannure Simão Merçon, Luciana Lobato Fraugillo, Luciano Santos da Silva, Luciene Ferraz Vailant, Luiz Antonio Dutra da Silva, Luiz Carlos Leonardi Bricalli, Luiz Fernando Monegalha Goulart,Marcelina Victor de Assis Alves, Marcelino Tulli de Souza, Marcella Marques Pereira, Marcelo Soares da Costa, Marcio Ângelo Afonso de Souza, Marcos Antonio Sathler , Marcos Antonio Rabelo Vargas, Marcos Antonio Teixeira de Farias, Marcos Soares da Costa, Margareth Ferraz Macedo, Margarida Simão Zuany, Maria Aparecida Coelho Gonçalves, Maria Carolina de Souza, Maria da Conceição Sacardani Senhorelo, Maria do Carmo de Almeida Moço, Maria do Carmo Tristão Moreira, Maria dos Santos P. de Souza, Maria Francisca M. Sobrecae, Maria Jose de Andrade, Maria Lucia Rubini de Oliveira, Maria Luzia de Souza, Maria Shirley Machado Dauldt, Marlene Alves Fonseca, Marlene Pedro da Silva Quadros, Mauricio Rodrigues Anad, Maurício Sardemberg Vidal, Michel Tâmbara Martins, Mônica de Souza, Murilo Costa de Souza, Natalia Rodrigues Nunes, Neuza Maria Vezula Pirvani, Nilsilene Gonçalves Pires, Nilton Campos, Nirrô Emerich, Olga Gama, Oseias Sanches Matos, Otoniel Silva Bertossi, Paulo Cassa Domingues, Paulo de Oliveira Amorim, Paulo de Tarso Ávila de Oliveira, Paulo Lemos Filho, Paulo Turini Rodrigues, Procópio Ferreira Neto, Rachip Abdalla, Regina Maria Macedo dos Santos,


109

Renan Polastreli Thebas, Renato Amaral de Carvalho, Renato Barreto Campos, Roberto Carneiro Tristão da Costa Soares, Rodrigo Souza de Faria, Rodrigo Vargas Ribeiro, Rogério Garcia Gama, Rogério Macedo, Romulo Azevedo de Mendes, Ronieri Guimarães de Lima, Rosângela Maria de Souza Thiebaut, Rosemary Suhett Nogueira, Sâmia Alcure, Samyra Charpinel, Sâny Silveira Massini, Sebastião Antonio Gomes, Sebastião Carias, Sebastião José Monteiro, Sebastião Lima, Sergio Antonio Mariano, Shirley Machado Bicalho, Shirley Valory Alves, Sonia D´Angelo Alcuri Gobbo, Sonia Maria Ribeiro Tristão da Costa Soares, Tarcísio Tigre, Terezinha Maria de Souza, Therezinha Porta Amorim Pereira, Ulisses de Campos, Ulysses Campos, Valdemir Mendonça Machado, Valtair Delprete, Vera Lucia de Souza Vieira, Wallace Monteiro, Weksley Almeida, Welington Braida Marré, Wilson Ferreira da Fonseca, Yonne Rebelo Santos Vaillant, Zélia Cassa de Oliveira, Zilá Fitarone Vargas. DIVINO DE SÃO LOURENÇO: Adão Pereira dos Santos, Ademar Antonio de Souza, Adriana Gomes de Oliveira, Adstan Ataide Guedes, Aison Gomes Fazio. Alequesandro de Oliveira Brum, Alexandre Faria da Silva, Aline Miranda de Souza, Ana Adélia Costa Brasil, Ana Lucia de Souza Oliveira, Ana Maria de Azevedo Souza, Ana Maria de Fatima, Ana Rita Ferraz de Azevedo, Andréia Gomes de Oliveira, Angela Bernadeth Nunes Righetti, Angélica C. Guedes, Antonio Indir Guedes, Antonio João Machado de Souza, Antonio Martins Peixoto, Antônio Miranda, Antônio Paulo Rodrigues, Arinaldo Garcia, Aristides Alves da Silva, Arivaldo Garcia, Ássima, Athaydes José Pereira, Beatriz Miguel Capuche, Bruna Cândida da Silva, Cacilda Martins Sclwanz, Carla Borges, Carlos Alberto de Aguiar, Cassiano Rogrigues Filho, Charlys da Silva Peixoto, Cintia Soares de Moura, Cléia Viana Moreno Murici, Cleide, Clemilda Mendes Guedes, Constante Korovaê, Cosme Damião Dias, Creuzileia Rosa Guedes Piovani, Deiziane de Paula, Dercilio Soares Miranda, Diogo Batista Prata, Djânio Oliveira Prata, Douglas Wilkson Souza de Aguiar, Ecilete Andrade, Edson Dutra Teixeira, Elaine Aparecida de Souza Lopes, Elcione Aparecida Barradas Sines Evaristo, Eleardo Aparicio Costa Brasil, Eli Pereira Alves, Eliane da Silva Guedes, Eliane Sofiste, Eliel Oliveira Polastreli, Eliete Andrade de Oliveira, Eliomar Moreira dos Santos, Elione Silvestre da Silva, Elisângela R. Batista, Elizethe Helena Silva, Elnice Mendes Lobato, Elton Miguel de Souza Alvez, Emiliane da Silva Oliveira, Epifânea Lobato Albani, Eramir Rosa Souza, Ereanildo José da Silva, Erildo Izaias Gomes, Espedito Miguel Faria, Eva Maria Correa Silva, Evaldo Ribeiro Nunes, Fabiano Miranda da Silva, Fabíola Lacerda de Souza Barros, Felomeno Antonio da Silva, Fernanda Aparecida Polastreli, Filomeno da Silva, Flaviana Cândida Polastreli, Flávio Barbosa de Oliveira, Francisco Bráz de Souza, Gabriel de Paula, Gefherson Glicério da Silva Batista, Gelsom, Genivaldo Manoel Ribeiro, Gilbert Miguel Ribeiro, Gilciléia Costa, Gilmar Ferreira Cardoso, Gilmar Manoel Ribeiro, Gilson Costa de Oliveira, Gilson Oliveira Faria, Gisele Ribeiro Machado, Henrique Marcolino da Silva, Heveraldo Olsoconi, Humberto A Fernandes, Iérica Gomes, Imaculada, Ivanilsio Viana, Izaltino Francisco de Souza, J. Geraldo Derscani, Janaina

Moura Machado, Jane Polastreli Nsilva, Jaqueline Nery D. Rodolfo, João Alessandro Nazário, João Batista , João Fernando de Faria, João Lopes Rodrigues, João Marcelo Ramos de Medeiros, Joaquim Miguel M. Gonçalves, Joceane Farias, José Americo Borges da Silva, José Campos Faria, José Damiâo de Souza, Jose Manoel Gonçalves, José Maria Elói, José Maria Polastreli, José Sebastião Lourenço Gomes, José Walmir Guedes, Josiel Poastrili Cardoso, Laiziane Vilha Hosken, Lilian Pirovane Miranda, Lucianna Godoi de Souza, Luciano Silveira Nelo, Lucienne Dias Gonçalves Resende, Lucimar de Araújo Sofiste, Luis Carlos Ribeiro, Luiz Carlos Mendes de Souza, Luziene Nazário Ribeiro, Mailson Machado de Souza, Márcio de Souza Fabiano, Marco Antonio Schuman, Marcos Alves Gomes, Marcos Jose Filgueira Nunes, Marcos Paulo Souza Alves, Margarida Teodoro da Silva, Maria Aparecida Felix, Maria Aparecida Silva, Maria Borges Teixeira, Maria das Graças Simplicio Moreira, Maria de Faria Borges, Maria do Rosário de Fátima, Maria Ebifania L. Albane, Maria Imaculada de Carvalho Aguiar, Maria Julia Tuler, Maria Lucy B. Rodigues, Maria Lucy de Fátima Souza, Maria Luzia P. de Almeida, Maria Moreira Borges Teixeira, Maria Rita de Freitas Cardoso, Maria Terezinha da Silva Rodolfo, Maria Verina G. Souza, Marlu das Graças R. Lessa, Mauricio Candido da Silva, Miguel Arcanjo de Ataia, Miguel Lourenço de Oliveira Batista, Miguel Luis M. Finho, Miguelo dos Santos Nogueira, Monica de Oliveira Anchieta, Nair Souza Oliveira, Naira Ataide Guedes, Natan Silva Peixoto, Neide Maria Neris de Castro Silva, Nilcéia Mariapacheco, Nilto Santos Filho, Norival da Silva Nogueira, Nubia Larios, Oséas Rodrigues dos Santos, Ozilene Serafim do Carmo, Paula Cecília de Azevedo, Paulo Duarte, Paulo R.g. Fitarone, Paulo Roberto Gomes Mendonça Fitaroni, Pedro Ambrozine, Pedro Antonio C Faria, Percília de Souza Aguiar, Poliana da Silva Nogueira, Rafaela Silva Peixoto, Ramon Wallace Gomes de Aguiar, Regiana Aparecida Oliveira Brum, Regina de Fátima Lopes Gonçalves, Regina Paula Combas, Rimara Aparecida de Souza, Robson José Vieira, Rodrigo Elias Andrade, Romar Polastrelli, Romario Luiz Alves, Rosângela Aparecida Rodrigues de Assis Santos, Rosangela L. Estevão, Roseane Maria Candida, Rosiana Venâncio da Silva, Rosiane L. Gonçalves, Sara Arcanjo Moreira, Sebastiana da Silva Batista, Sebastião Fereira da Cunha Neto, Sebastião Geraldo Gomes, Sebastião Indir Guedes, Sebastião José Bastos, Sebastião Nascimento Vitório, Sebastião Polastreli, Sérgio Antonio de Paulo, Sérgio Henrique da Silva, Severino Righetti, Sidônio José de Castro, Solange Aparecida Gonçalves, Sonia Ataide Guedes, Sonia Maria Candida Vitorio, Sueli Cristina G. Resende Silva, Tanit Figueiredo, Terezinha Menezes de Araújo, Thayara de Oliveira Gomes, Thiago Vieira Sanglard, Valmir Alves Bezende, Valquiria Marcelino da Silva, Velpene Fragoso Mendes, Vera Lucia G. de Aguiar, Vera Lucia Oliveira Polastreli, Wagner de Oliveira, Wanderson da Sila Batista, Wantuil Alves Resende, Wilson de Aguiar, Worlen Barbosa do Carmo. DORES DO RIO PRETO: Adailton Lopes Faria, Ademir Borges, Adriana Moreira Pirozi, Adriana Periard Cabral, Adriano Zini Moreira, Agno Tadeu da Silva, Ailson Couto de Souza, Ailton Alves Pereira, Alcemar Ribeiro de Oliveira, Alex Angelo


caparaó capixaba vale mais

Biundini, Alex Soares da Silva, Alexandrina Rúbio Barboza, Aline Nogueira Romano, Amauri Toledo Aguiar, Ana Maria, Andrea Zini, Angélica B Gorini, Angeluiz Bruno, Angilene Gomes Vargas, Antonio Decio de Souza, Antonio Luiz Faria da Silva, Antonio Ribeiro da Silva, Bianca de Souza Ferreira, Carloman Bastos Soares, Carlota Moreira Zini, Cecilia Kazuko Nakao, Cláudia Martins Bastos, Claudimar Borges, Claudio Ribeiro, Cleber Francisco da Silva, Cleudenir Jose Carvalho Neto, Consuelo Nunes Vilas Boas, Eclair Lopes de Souza, Éder Polido Aguiar, Eduardo Bispo de Jesus, Egídio Protásio, Elaine Benelli, Elenice de Fátima Ornelas Oliveira, Elenilza Ornelas, Elizabeth Gomes Carlos, Elza da Penha Ornelas, Emerson Augusto da Costa, Emílio de Souza Ferreira, Fânia Thambela Faria, Francisco Protazo de Oliveira, Geogea de Freitas, Georgino Moreira da Paixão, Geraldo de Jesus Viana, Gernot Kludasch, Gilvanie Periard, Girlane Aparecida Dias da Silva, Gleyson Faqueri dos Anjo, Gustavo Ribeiro Lima, Heliege de Barros Coutinho Couzzi, Helio R. Mendonça, Hudson Giovanni Nunes Soares, Itamar Peres de Souza, Jair Richard P. Mariano, Jaqueline Moreti Gomes de Freitas, João Batista Flora Balari, Jocimar de Souza do Carmo, Jorge Luiz Nacari, José Gomes Neto, José Moreira, José Pratazio de Abreu, José Sapico, José Sebastião de Faria, Josiana de Souza Cordeiro, Josiane Guedes Gomes, Josimar Conceição Chagas, Josimar Ferreira Silva, Juliana de Oliveira Soares, Juliana Soares Bastos, Juliana Soares Ferreira, Julio Cesar, Junior Cezar Aparecido, Junior de Oliveira Virginio, Juvenil N de Oliveira, Karina Ferreira Silva da Costa, Kleber Francisco da Silva, Lara de Melo Paula, Leonardo Silva Costa, Luan Alves Faria, Lucelena Gualandi Silva, Luciana, Ludimila da Silva Monteiro, Luiz André Amaral, Luiz Antonio de Almeida, Márcia Moreira da Silva, Márcio André Soares da Costa, Marcio de Souza Moreira, Marco Antonio Martins Pedro, Maria Angelina de Oliveira, Maria Aparecida Silva Ribeiro, Maria da Glória Silva, Maria de Fátima Nunes de Souza, Maria Elaine Benelli de Araujo Nunes, Maria José de Souza, Maria Jose Vitorio Moreira, Marinete, Marta Miranda da Silva, Mauro Lúcio Paradiso, Maxwel do Carmo Riva, Menelick Bodevan Bastos Junior, Mônica Aparecida dos Reis Nascimento, Nelson Ramos Filho, Nelzely Henrique Thomé, Nerilda Luiza de Souza Ferreira, Neusa Faria Matos, Orlando Schuencil Gomes, Patrick Moreira Vitórios, Paulo Henrique do Carmo de Oliveira, Paulo Henrique Flora Balari, Perla Resende, Rafaela Rodrigues Silva, Rogério, Rogério de Sá Santos, Rogerio Evaristo, Rogério Soares da Silva, Ronei Renan Costa, Roni de Faria Moreira, Rosa Maria Bernardo, Roseli Ferreira, Rosiane Riva Azevedo, Rosiene Lacerda Pirovane, Rosineide Simiqueli, Rozalva Nogueira, Rozeny Moreira, Sabrina, Sandra Moreira, Sebastiana de Fatima Moreira Vitório, Sebastiana de Oliveira Medeiros, Sebastião Braga, Sebastião Paulo de Souza, Sebastião Simiguel da Silva, Sérgio Meneses, Silvane de Souza Reis, Sonia Rodrigues de Oliveira, Sonia Vilas Boas do Carmo, Tania Aparecida Borges Chagas, Tania Chambella Faria, Valéria Ornela Martins, Wanderson Ornelas Oliveira, Wlisses Dias Campos.

110

GUAÇUÍ: Adanias Schilaider de Ataide, Adriana de Souza Mello Barbosa, Agenor Luiz Ferraz Thome, Ailton da Silva Fernandes, Altamir Vincicati, Ana Paula Lopes Martins, Ana

Paula Medeiros, Ana Paula P Daros, Anderson Emery, André de Oliveira Souza, André Luiz Muruci, Antonio Aloizio Souza, Antônio Carlos da Silva Lima, Antonio Jose Heitor, Aristides José Januário Couzzi, Bruno Jover Souza, Bruno Pereira da Silva, Candida Rubin, Carlos José da Silva Toledo, Carlos Roberto de Paula, Carlos Roberto Lima Thiago, Carlos Sérgio Magalhães Vieira, Célia Francisquinha da Silva, Celia Regina Tozzi, Chicão, Cláudia Moreira, Claudio Manoel Mota de Oliveira, Dalva Vieira de Souza Ringuier, Dâmaso Mendes Rangel, Daniele Muruci, Danielle Leite Freitas, Dionisio Antonio Soares do Nascimento, Edaeles Aparecida Lopes Moreira, Edimar de Oliveira, Edmar de Carvalho, Eduardo Gorini Silva, Eliane Viana Cardoso Muruci, Elias Carvalho Soares, Elisabete Santana da Silva, Elisãngela Ridolfi de Azevedo, Elizabete Moreira, Elizete Ferreira de Almeida, Elquias P Silva, Elza Maria Muruci Fernandes, Ezequiel Gonçalves Viana, Fabiele Souza de Paula, Fernando Rangel Pereira, Fonseca, Géssica Guedes Pirovani, Girzia P K Gouveia, Giseli Tirado, Gislene de Cássia Loureiro, Gledistone Pereira Vargas, Gustavo Braga da Silva, Helio Gonçalves Muruci, Helio José de Campos, Helio José Moreira de Moraes, Helisandra Márcia Pirovani, Hercules Ciro Kashima, Humberto Virla Neto, Ivan Viana de Oliveira, Jackon José Vimercati, Janaína dos Passos, Januário Katsumi Yamashita, Jean Barbosa, Jéssica Aguiar Carvalho, João, João Alberto Berlando, João Antonio Costa, João Paulo de Souza, Joel José da Silva, John Lenon Souza Adão, Joimar, Jorge Antonio da Silva, Jose Carlos Pereira Leal, Jose Geraldo Alves, José Luiz Pirovani, Jose Luiz Privani, José Márcio de Souza, José Miguel da Silva, José Narcisio Teixeira, José Sergio dos Santos Pacheco, José Zovico, Josélia de Almeida Dias, Juarez Secco, Juliana Alves Gonçalves, Julio Cesar, Julio Emilio Oliveira, Jussara de Fátima Medeiros Evaristo, Kassiano Paulo Castro, Lanha Santos Bravo, Leandro Silveira de Assis, Leonardo Ridolfi, Lourival, Luana Soares Egidio, Lúcia, Lucia Helena Nogueira Balarini, Luciana Tiengo R. Zanoni, Luciane Terezinha Pirovani, Luciano Facini, Luciano Manoel Machado, Lucimar Batista de Paula, Lucinei Maria da Silva Machado, Luis Gustavo Lourenço da Rocha, Luiz Carlos Ferreira, Luiz Claudio Aguiar de Almeida, Luziê Raposo de Medeiros Faria, Macrina Nascentes Santos, Marcelo L. Rodolfo, Marcelo Pavesi Lopes, Marcia Couzzi, Marcial Valois Martins, Marco Antonio Martins, Margarete A. Badaró de Oliveira, Maria Alice Andrade Costa, Maria Alice de Carvalho Ferraz, Maria Alice Menezes Luciano, Maria Aparecida Miranda, Maria Auxiliadora Pinto Ridolphi, Maria Conceição Serafin, Maria Cristina da S. Oliveira, Maria das Graças Freitas Zamprogno, Maria de Fátima Teodoro, Maria de Lourdes S Gonçalves, Maria do Rosário Araújo C. Mendonça, Maria Lucia Afonso Gonçalves, Maria Lucia das Dôres, Maria Madalena Werner, Maria Márcia Rocha Couzi Teixeira Pinto, Maria Simone Nunes Paraíso, Maria Virginia Carvalho de Assis, Marialva Elulinan de Paula, Mariano, Mariele Krohlina Ospina Azevedo, Marilda Jeveana, Marilene Maria Moura, Marilza Ferreira, Marinete Andrião Francisqueto, Marisa de Fátima Lorenço, Mariza Aguiar Prado, Marneide, Mary Aparecida Pereira, Maurilho Rodrigues, Mercedes, Miguel, Miguel Arcanjo Lamas, Mônica Aparecida Moreira Sórria, Monillie de Cássia Guidos, Neia,


111

Neusa Cade, Nicolas Tadeu Couzzi R. Gomes, Nilson Lopes Rubim, Nivaldo Francisco Boechat Teixeira, Nortom, Nuzia Regina Trigo Azevedo Souza, Nuzimar Espala Correia, Patrícia de Souza, Paulo Cesár Fernandes, Paulo Sérgio da Silva, Pedro Carlos R. Padilha,Pedro Neto Serafim, Priscila Carvalho da Silva, Regiane Moreira de Souza, Regina Ribeiro, Renata Carvalho, Renata Cristina do Carmo Gonçalves, Rita de Cássia, Robert Almeida de Carvalho, Roberta Bodevan da C Oliveira, Roberto da Silva Dias, Roberto Ferreira de Albuquerque, Robson Dias Moura, Rodrigo Leonardo de Paula Dias, Rodrigo Simoes Alves, Rogério Carlos Faria, Rosa Maria Serafin, Rosana Shara Medeiros Evaristo, Rovelson Torres Nolasco, Sara Moreira Amaral, Sarita Gomes Amorim, Sávio Ferreira de Abreu, Sebastiana Cristina Costa, Sebastião Gil de Campos, Senhor A, Sérgio, Sérgio Henrique de Souza Oliveira, Sérgio Luiz Viana Silva, Serrana Tuayar Levone, Sonia Elena Cassago, Tânea Regina Salgado Vezula, Tatiana Klotz, Terezinha de Maria Aparecida Souza, Thiago Emanuel Spalo Vitor, Vanderlan Lima Fraga, Vanusa Ferreira da Silveira, Vera Noé de Almenida Siqueira, Veredino Lino, Virgínia, Wallace Pereira Lino, Warlen Manoel, Welinton Mendes Amora, Wellington Jose Machado, Weriton Azevedo Soroldoni, Willian Pires Nunes, Wilma Campos da Silva, Wilson Wander Alves. IBATIBA: Adauto de A Oliveira, Ademar Sangi, Adiles, Aléxia Figueiredo de Oliveira, Aline Palermo Camargo, Altair de Freitas, Amarildo, Ana Paula dos Anjos, Ana Rita Santiago, Andersom Amorim, Antonio da Luz Miranda, Antonio Gomes Pereira, Carlito, Carlos Alberto dos Santos, Celio Oliveira, Clemilda Floriano Quadros Sales, Clesio Aucure, Cloves Freitas Ferreira, Darkson Pereira de Amorin, Denize Fialho, Desirrê Sônia do C. Fialho Rodrigues, Dieinny Kely, Diney Costa Rodrigues, Divino Rodrigues Vieira, Djalma Vieira Botelho, Dorcas F Lopes de Carvalho, Dorly Vargas de Carvalho, Edna Fadlalah Bernardo, Edna Maria de Freitas, Eliana Saraiva Trindade E Carvalho, Eliane Dias de Carvalho, Enildo Monteiro de Jesus, Eolo Oliveira Chaves, Eulita Andrade de Freitas, Eunice Costa Lima, Fabio Ambrosio Nascimento Trindade, Fábio Soares Ribeiro, Fabíula Nascimento Trindade, Felipe de Oliveira Rodrigues, Fredson Rodrigues, Gecilda Luiza de Aguiar, Gecinete Pimentel de Carvalho, Geraldo Costa Lima, Geraldo Guissard, Gerson Luis Meneghate, Gilberto Mota Júnior, Gilmar Marinho, Gilson Gonsalves, Gustavo Santos Oliveira, Helio Dias Carvalho, Hélio Gomes Vieira, Hemido, Heraldo Rodrigues dos Santos, Israel Curto, Jacy Silveira Nunes, Jason Dias de Carvalho, Jean Carlos Souza de Oliveira, Jesus Gomes Vieira, João Francisco Amorin Junior, João Gomes da Costa, Jorcy Miranda Sangi, Jorge, Jorge Candido de Amorim, Jorge Salomão Tadlalab Filho, Josafa, José Alcure de Oliveira, José Bento de Souza Filho, Jose Clério M Dalmonech, Jose Dias de Amorim, Jose Hubner de Figueredo, José Maria Belo, José Paulo, José Ribeiro Sobrinho, José Robson, José Ubaldo Bernardo, Josiene Monteiro de Morais, Karina Gonçalves de Souza, Kelly Bastos, Leaduce Dionizio da Silveira, Lenir Oliveira Dias, Lucimar de Freitas Moreno Vieira, Luiz Garcia, Luiza Calimã, Manoel Vieira Gonçalves, Marcos Antonio, Marcos Antonio Borges dos Santos, Margarida Maria

Gonçalves de Souza, Maria Andrade, Maria Aparecida Silva de Almeida, Maria Josefina Amorim, Maria Osmilda Campos Faria, Maria Tereza de Castro Amorim, Marise Santos Alcure Machado, Marli Andrade da Silveira Silveira, Mauricio Ozório da Silva Machado, Moises Faria, Nair Alcure, Natália Cristina Snatiago da Silva Meneghitte, Nilton José Ribeiro, Orlando Dionízio da Silveira, Oséias da Piedade Ferreira, Paulo Eduardo Frinhani, Paulo José Costa de Lima, Rene Louback de Gouvea, Robervania Aparecida de Freitas Alves, Robson Assis Oliveira, Romildo Figueredo, Rosane Toledo da Silveira Rodrigues, Rosilene Dias de Oliveira, Rutleia de Oliveira, Selma Gomes da Silva Oliveira, Selma Oliveira Ambrosio dos Santos, Sergio Adriane, Silvane do Barrateiro, Silvania Rodrigues de Oliveira, Silvio Rodrigues de Oliveira, Silvio Wellis, Solange Silva, Sônia Maria Martins, Thiago Callado Silva, Thiago Campos Moura, Ubirajara, Uedem, Valéria Figeiredo de Oliveira, Vanderli Jose de Castro, Veronica da Cruz Lourenço de Oliveira, Victor Batista Trindade, Welton Rodrigues de Assis, Werber Narck Rangel Mamprim da Silva, Widyane Azevedo, Zerilda Alves Pereira. IBITIRAMA: Abel Chabudé Vieira, Acácio Serafim Dias, Adailtom Peixoto Godoi, Ademilsom Eugenio da Costa, Ademir Martins Santo, Admilson Ataide, Adriana Silva Gomes de Paula, Ailton da Costa Silva, Air Lemos, Alan Rinaldi de Oliveira, Alcemar Mendes Rodrigues, Alcilea Rocha de Almeida Machado, Alex de Oliveira Silva, Ana Lucia Godoy, Ana Rosa de Paula, Anailton Peixoto Godoy, Andrequison Justo Barros, Angélica Rodrigues Monteiro, Antonio Batista Barradas, Antonio Villete Barradas, Aristodemos de Paiva Hassen, Auro Ferreira da Silva, Beto, Bruno, Bruno Dam Ribeiro, Bruno Monteiro da Fonseca, Carla Renata, Carlos Henrique Barbosa da Silva, Catia Oliveira Fernandes, Cátia Regina Miranda, Claudúomo, Cleizir Souza Lousada Peixoto, Creoni Justo de Barros, Cristiana Silva Bastos, Dalva Siqueira de Miranda, Delfino Vieira, Deliene da Lira, Deoclecir Marques, Dianatan Azevedo, Dijader Coelho Filho, Dilma Aparecida da Costa, Djalma Teodoro de Lima, Edimar, Edinaldo Rodrigues da Silva, Elcimar Alves de Moura, Elias Soaide, Élica Aparecida da Costa Leal, Elizangela Gomes Rodrigues, Eunice Maria Gonçalves S., Fabiane Tavares, Fabio Junior Peixoto Lessa, Felipe Vieira, Flavio Sales Freitas, Francinei Joaquim Damaceno, Gilson, Gilson Martins de Moura, Gleice Xavier da Costa, Gracielle Pereira Barrados Ribeiro, Harilson César, Hélia Cristina Martins Peixoto, Humberto Lopes Peixoto, Idalinda, Iranildo Narcizo das Neves, Ivanete Fonseca de Castro, Izaqui F. Gomes, Jairo José Xavier, Jairo Lucas Moreira, Jairo Quintino Senna, Janaína dos Reis Lima, Jane Kelly de Oliveira Moura, Joabe Dutra de Oliveira, João Batista, João Leal, Jorge Eleoterio dos Santos, José Antonio das Chagas Almança, José Carlos Vieira Amigo, José Liano do Sena, Jose Luiz Mello, José Luiz Mendes, José Pires de Castro, Josiane Hilário de Oliveira, Josimar Vieira, Josmar Carvalho Machado, Juraci Luiz da Costa, Jurandir Teixeira da Silva, Kátia Damasceno, Laurides Laurinda Silva, Leandro Lobato Curty, Leonardo Ribeiro Justo, Lucas Valverde Santana, Luciana Godoi de Souza, Lucio Nolasco, Lucyan Torres Oliveira, Luiz Antonio Onorata, Manfred Trenkler,


caparaó capixaba vale mais

Marcia Pravone da Costa, Márcio, Marcos, Maria Aparecida Fernandes Casati, Maria Aparecida Ribeiro Justo, Maria da Penha Dias, Maria de Fátima Ribas Moura, Maria de Lourdes Ogioni, Maria Goreth, Marlúcia M.godói, Nacife Fernandes, Odailtom José Dias Pessanha, Odineir Borel Cesar, Olívio Moreira Silva, Patricia S. Bernardes, Paulo Lemos Barbosa, Penha Isabel de Sousa Coelho, Polyana Assis Lezula Falcão, Rafael Bregione, Regiani Rizzi Peixoto, Renata Kelly Firmino Almeida, Renata Ribeiro Justo, Renilda Bragança, Rosemare Silva, Rosimere Silva Oliveira Amigo, Ruimar de Siqueira Lemos, Saint’clair Lemos Faleiro, Sebastiana M. de Almeida, Sebastiana Maria de Abreu Mendes, Sermonita de Oliveira, Simério Oliveira Bastos, Sonia Maria Almeida Pregioni, Sônia Maria Junger Costa, Sonia Regina Ataide, Tanara Augusta de Oliveira, Teotônio Barbosa da Silva, Ubiraci dos Santos Leal, Valdecy, Valdeni, Valmir de Matos Junior, Valner Coelho, Valney, Valquíria Damasceno Bernardo Vitório, Valter Xavier da Costa, Vander de Matos Justo, Vanderléia Martins Souza, Vânia Maria Zamboti, Vanusa Bastos de Mattos Souza, Welida Viana Miranda, Zilma Vimercati dos Reis.

112

IRUPI: Abner Borel Costa, Adalmário Alexandre Pimentel, Ademi João de Andrade, Ademir Barbosa Filho, Adilio de Freitas Montnar, Adilson Andrade do Nascimento, Adilson Oliveira Sindra, Adonias Alves Ferreira, Ailsom Miranda, Ailson Miranda de Oliveira, Alan, Aldemir Souza Rodrigues, Alexandre Machado, Alexandro Ferreira, Alverino Nunes de Oliveira, Amarildo Alves Vieira, Amauri de Souza Silva, Ana Lúcia de Albuquerque Barreto Barbosa, Anastacia Cristina Almeida, Anderson Luiz da Costa, Antonia Roberta de Oliveira, Aseine Segal de A Santos, Atair Batista da Costa, Auremi Lucas Evangelista Silva, Barbosa, Beto, Célia Vieira de Andrade, Celito Barbosa, Clair Fonseca de Figueiredo Costa, Darci de Souza Alves, Deivid Barbosa Schuab, Denis Alessandro Cardoso, Diocelio, Djalma Pedras, Eddy Fernandes, Edvaldo Pereira Fernandes, Elder Elus Eler, Elena Rosa Azevedo de Oliveira, Eliézer Leal, Eliomar Ribeiro da Silva, Elisabeth de Castro Cardoso, Eliseu Alexandre Correa, Elizabeth Ribeiro Chueng, Elizete Zanarise Griffo, Elson Gomes Pinheiro, Esmael Palermo, Eugenio Franco Fernandes, Fabio Bruno Alves de Almeida, Fábio Luis de Freitas, Fabrício Oliveira Alves Pereira, Francilino Garcia Batista, Geane Andrea Silva Storck, Genilson Rodrigues Rodia, Geraldo, Geraldo Antonio de Almeida, Geraldo Costa de Lima, Gercelei Storck, Gilmar Rogério de Oliveira, Gladstone Moreira Gomes, Gleise Segal de Oliveira Santos, Heliomar Francisco Pinto, Heriveltton Luiz Terra, Ivana Vitoria Fonseca, Ivaneide da Silva Faria, Jeferson Carlos de Almeida, João Augusto Moraes Filho, João Batista de Almeida, João Batista de Freitas, Joaquim Nunes de Oliveira, Johnny da Silva Souza, José Antônio da Silva, Jose Carlos Dionizio, José Dias Carvalho, José Geraldo de Lima, Josino Nunes Filho, Juliana Batista de Almeida, Julio Cézar Moreira, Júlio Mário da Costa, Leandro Rosa Ferreira, Lidia Cristina Shuab, Lucimar Oliveira Souza, Luis Mario Alves, Luiz Andrade de Freitas, Luiz Eduardo Firmino, Luiz Mario da Costa, Maralice Faria Machado, Marcia Ester Rogal Lemos, Márcio Udei Tiengo, Marcos Antonio Gomes de Lima, Marcos Paulo Silva Freitas, Maria Aparecida Bitencourt, Maria do

Carmo Oliveira, Maria Eva da Silva, Maria Glória M Aquino, Maria José Moura Gomes, Maria Terezinha de Souza Silva, Marilda Silva Terra, Marinez da Penha de Souza Andrade, Mário Luiz Barbosa, Maura Lucina Rogai Lemos Victoriano, Maurino Silvério de Souza, Nathália Emerick de Oliveira, Neusa Maria Almeida, Nilson Marques Valois, Osiael Olavo, Paulo César Schuab, Percilia Almeida Varoto, Ricardo Alexandre Carvalho de Almeida, Risbleiz Vieira Aguiar, Roberto Jose Gonçalves, Robson Santos Belo, Rogéria da Silva Barbosa, Romeu Rodrigues Fonseca, Romildo Gomes de Andrade, Ronivon Garcia de Carvalho, Rosana Maria da Silva, Rose, Roselange Gomes Fernandes Sales, Roziel Estevão Olavo, Sandra Lucia Emerick de Oliveira, Sarita Augusta de Oliveira, Sebastião Omar da Costa, Sebastião Raimundo Silovo, Sebastião Zulcon, Silvia Helena Shuab, Simone Tiengo, Solange Oliveira da Silva Bertuloso, Soraia Batista de Oliveira, Soraya Magalhães Sathler Rodrigues, Sylvia Maria Sathler Alvim Batista, Tatiana, Tatiane das Graças da Silva, Terezinha Silveira Tomas, Vagner Maxime, Valdécio José da Costa, Valdemar Santo de Souza, Valdoir Andrade de Freitas, Vanderson de Souza Moreira, Vilma Marques de Almeida, Viviane de Castro Souza Alves, Wesley Coelho Nunes, Wolarina de D Vieira, Zila Bendia. IÚNA: Abná Silveira E Silveira, Adão Gomes Mariano, Aderildo Lucio de Souza, Adevanir Almeida Soares, Adilia Dias da Silva, Adilson de Sousa Ribeiro, Adriano Alves Silva, Alda Cristina Mariano Pimentel, Alda Maria Barros, Alder Possati, Aldimar Mariano, Alessandro Gleidys Almeida Afonso, Alvaro Ferreira Amorim, Amélia Lopes de Barros, Amilton Antonio Redes, Amilton Silveira da Silva, Ana Angélica Santos Amigo, Ana Maria Cousaquevite Oggione dos Santos, Anderson Ferreira de Faria, Andréia Aparecida do Carmo, Angelo Custodio de Andrade Carvalho, Antônio Darecchio Foli, Ariane Carla R de Oliveira, Arthur Rios de Amorim, Ary Leal Faria, Asur Caetano da Silva Júnior, Bruno de Oliveira Felicio, Carlos Casteglione, Carlos Gomes da Silva, Carlos Henrique Martins da Costa, Carlos Roberto Filgueiras, Carlos Sangi, Carlos Santos Nery, Celia Maria da Silva, Clara Regina de Melo, Cláudio da Silva Gomes Filho, Cláudio Martins, Wwcleide Regina Batista Dário, Cristiano da Silva Soares, Cristiano Vinícius de Jesus, Cristina Silva Coutinho, Dangela Maria Justo Lima, Darci Soares Junior, David da Costa Miranda, Dende Cade Filho, Deneval Dias de Moura Filho, Denise Mariano da Silva, Deufino Augusto Vieira Cesar, Dimas, Dionatan Vieira, Écio Alves de Lemos, Eder Cordeiro dos Santos, Edilene Batista Freire Neri, Edna Maria de Melo, Edson Alves Ribeiro, Elaine Rocha de Oliveira, Elcílio, Elena Amorim Gonçalves, Elenize Maria Rezende Rafael, Eliana Almeida Lima, Eliane Batista Guimaraês de Almeida, Eliane Maria da Costa Almeida, Eliane Pereira de Aguiar, Eliane Toledo Fontoura, Eliseth, Elizete Angelo Castilho, Érika Campos Alves, Erlito Marques da Silva, Estevão José Marchesini Fonseca, Fabiane Batista Lopes, Fabiane Imaculada Dias, Fabiano Augusto Fontoura, Farana de Oliveira Mariano, Filinho, Flavia Dário Dias, Flávia Pereira Martins, Flavio José de Almeida, Francilda Casati Oggione, Francisco José Azevedo Faria, Francisco Martins Marques, Gedeão Nascimento Mendes, Geovana


113

Barbosa Oggione, Geraldo Antonio do Nascimento, Gercymar Wellington Lima E Silva, Gilda Aparecida Batista Justo, Gilda Maria Pereio, Gildo Freitas Machado, Gilmar de Oliveira Bastos, Gilmar Francisco Pinto, Gilson Carneiro, Gisele do Nascimento, Gislane Alves Oliveira, Gleydson A . Costa, Guilherme Quarto Miranda, Gutales Estalial de Alcantara, Heber Rastoldo, Hélcio de Oliveira Rodrigues, Helder Luciano Teixeira dos Santos, Herivelton Leal Faria, Idê Muniz de Melo Amorim, Iolanda B de Almeida, Isabel Cristina Henriques Amorim, Isaldino Alves Souza, Ivaldo, Ivanete Casini, James Filipe Fontoura, Jasseir Alves Fernandes, João Batista, João Batista de Assis, João Batista Nunes, João Batista Ramos, João Dias de Lima, João Goulart de Almeida, João Paulo Bretz Rodrigues, João Paulo Cardoso Pollstrelli, João Vieira da Silva, João Vitor César Martins, Joaquim Hubher Vieira, Joares Erisvalter Dias de Almeida, Jobes Jose de Freitas, Joci Lima de Almeida, Joel Gomes da Silva, Joelma Dutra dos Reis, Joelmir Gomes da Silva, Jonas Faber Stork, Jone Rodrigues Gonçalves, Jonildo, Jose Antonio da Silva, Jose Augusto O . Tomaz, Jose Augusto Santana, José Carlos Nunes Moreno, José Cousaquevite Oggione, José Fonseca da Silva, José Marcos Vaúna, José Pedro Borges, José Roberto Silveira Barros, José Vieira da Silva, Juarez de Oliveira, Juesio Goulart de Almeida, Juliana Augusto Araújo de Oliveira, Juliana Martins A A de Almeida, Juliano de Oliveira Ribeiro, Julio Cesar Damacena da Silva, Julio Melo Soares, Kamila Martins Eler, Karla Mariano de Almeida Freitas, Kleide Santos de Almeida Juncas, Lacerda, Laercio Casini, Laudeci Alves de Moura, Leida Terra Rios Zampier, Leidir de Aguiar Paula Mota, Lezinilda de Aguiar Paula, Ligiane Ferreira da Silva Justo, Lindomar José Rocha Ribeiro, Lisbeth Dutra Machado, Lorival José Soares, Lourival Moura da Cruz, Luciano Dutra Ferreira, Luiz Enrique Alvares Brorel, Luzia Maria da Silva Raider, Manoel Lino, Manoel Lino de Paula, Mara Isa Henriques Costa, Marcela, Marcelo Faria da Fonseca, Marcelo Gomes de Almeida, Márcia Amorim Dias, Marcio Mariano, Márcio Ney Almeida Barros, Marcio Paula Pereira, Márcio Pinto Cur, Marco Antonio Sonsin, Marcos Ferreira Leite, Marcos Freire da Silva, Marcus Alexandre Ramos Barbosa, Margarete de Paula L. Fonseca, Margarida Maria Mendes César, Margarino Suistino Medeiros, Maria Aparecida Amonas, Maria Aparecida Martins de Almeida, Maria de Lurdes Almeida Silva, Maria dos Anjos de Souza Ornelas, Maria Helena de Oliveira, Maria Jose de Amorim Silva, Maria José Miranda da Silva, Maria Regina Jardim Tristão, Marilsa Silva Nepomuceno, Marise Barros Antonio, Marlene Chagas Silva, Micaeli Cascine Gomes, Michel Antonio Sobrinho, Míriam Gomes de Oliveira, Mônica Amorim de Castro Lima, Najla Leal Alcure Rios, Neli Maria Cesar Pereira, Nelseir Pereira de Paula, Nery, Neusa Maria Jordem Almança Poscotti, Nilma Mello de Almeida, Nilo Alves Martins, Norma Sueli de Oliveira, Onesio Golart, Oniel, Onofre Rodrigues, Orci Abreu Ferreira, Pâmela Espada de Almeida, Passon, Paulo Márcio, Paulo Roberto Campos Freitas, Pedro Antonio Soares Vieira, Pedro Roberto de Miranda, Petrina Maria Martins Chequer, Rachel Joana Silva Zape, Raquel Paula de Oliveira, Regina Maria Dias, Reinaldo Gabriel Martins, Renan Vieira Cezar, Renato José de Faria, Ricardo Freitas

Pereira, Ricardo Vereza Lodi, Rinaldo Leal de Amorim Silva, Roberval Almeida, Robson Prata de Souza, Rodolpho José da Silva Barros, Rodrigo Aguiar de Lima, Rodrigo Cabral da Silva, Rogério Cruz Silva, Romário Batista Vieira, Romario Fonseca, Romerio Luiz Osorio, Ronaldo Morais da Costa, Roner Braga Padilha, Ronie Emerson Ferreira, Roseli da Costa Gonçalves, Rosilene Justo Menenguci, Rosinéia Soares da Silva, Rubiana Ribeiro Mendonça, Ruth da Silva Lobato Rocha, Rutileia Oliveira Rodrigues, Ruy da Silva Fonseca, São Paulo Cardoso Pollastrelli, Sebastião Ribeiro Filho, Sebastião Rodrigues da Silva, Sérgio Henrique Borel, Sheila de Oliveira Santos, Silmara Sarafina Nascimento, Simone Ribeiro de Amorim Almeida, Solange Almeida, Sônia Maria de Paula Morais, Sueli Gonçalves de Sousa, Tatiane César Barros, Thaissa da Silva Dias, Tulio Gomes Scherr Zouain, Ulisses Alves Padilha, Valfride Antonio Cézar, Valmir José Batista, Valtair José Ramos, Vera Maria Fernandes, Wanderlei Santos Amigo, Welington Marcelo Resende Florindo Freitas, Wilian Ribeiro da Silva, Witalo José Soares, Woldrum Marcelo Oliveira, Zonias Almeida. JERÔNIMO MONTEIRO: Abgair Ferraz Farias, Adeilton Crissafe dos Santos, Ademir Rosa do Santos, Adriane da Pachoa Gale, Adriano Silva, Agostinho Medeiros de Santana, Alcemar S. de Almeida, Alcineia França, Aldevi M. Caiado, Alrenir Serate Borges, Alvecir Alves Ribeiro, Alzira Liparizi Gonçalves, Amolimar Rodrigues de Sá, Ana Lamego, Ana Maria Pereira, Ana Olive Sanson, Ana Paula de Aquino Binoti, Anderson F. Oliveira, Anderson Gomes, Andréia Dan, Andresa Silva, Andrêssa Ribeiro Belizario, Angela Maria Gonçalves, Angela Maria Oliveira, Angela Rodrigues Lopes, Anoel Costa, Antônio Henrique Santolini Binoti, Antônio Potta, Antonio Sergio Borges, Arina Resende Vieira, Aurelio José Moraes Alves, Aureni Fonseca Faria, Avda da Costa, Beatriz Carolo, Bianca Benefídes, Bianca M. Dias, Carlos Alberto de Abreu, Carlos Eduardo Vitóriano, Carlos Fernando de Souza, Celi Rezende Ribeiro, Chamilia L. Moura, Cinthia Queiroz de Rezende, Cirlene Maria Dan, Claudia Aparecida Lenes, Claudia Caetano Pinheiro, Claúdio Gilberto Britto Lopes, Claudio Lugão de Britto, Claúdio Messias de Oliveira, Claúdio Santos, Cléia da Costa Ferreira, Creuzeli C. da Costa, Cristina da Costa Ferreira, Dalma Bastos Cardoso, Daví Velle Vargas, Délio Moraes, Delio Vargas Fountoura, Denize Santos, Deoclésio D`almeida Filho, Desirrê M. Dias, Digiany Breda Caiado, Dilma G. B. Dias, Diony Miranda, Domingos Sanson, Dyanine Sedano Chagas, Edirlei Silva, Edivan Veiga de Castro, Edna Adriano Sillus, Eduánio Mazzerin Vieira, Elaine Araújo da Silva, Elaine Cristina B.dan, Eldo de Souza, Eliane Cerqueira de Silva, Elias dos Santos Nascimento, Eliete Madalena Constantino, Elisângela Almeida Pereira, Elizângela da Silva, Erienes S. Barbosa, Erlaine Margareth, Estefânia Sales Santolini, Evaldo Nascimento, Everaldo Santos Oliveira, Ezequiel Porto, Fábio Nentet, Fabiola Gomes Gonçalves, Fabiula Bestete Mendel, Felipe Barbosa Martins, Fernada B. Gomes, Flávia Araújo Berçaculo, Flávio Cabral Rampe, Flávio da Rocha Moulin, Francisca Siqueira de Siqueira, Francisco Carlos Félix, Francisco de Assis Borges, Genaldo Resende Ribeiro, Genário Emidio


caparaó capixaba vale mais

114

da Silva, Geny Cannuri Poubel, Gerson Lopes, Gessy de Aquino Binoti, Gilson Fernandes da Silva, Giordani Carrari Porto, Giselli Thomaz Reis Scarpe, Gleiciene L. da Silva, Graciano Sales Borges, Hamilton de Souza, Harmstrong Ramos Louzada, Hellen Kelly Zampilli, Heloísa Helena G. Vasques, Iara F. de Almeida, Isabel Queiroz de Rezende, Jair Jacinto Carrero, Jane, Jane Natalia Diogo Prata, Jaqueline Aparecida Moraes de Castro, Joana D`arc Dan, Joana Mesias de Oliveira, Joana Vieira Pereira, João Batista Binoti Júnior, João Batista de Carvalho, João Batista Melo, João Ribeiro, Jocimar Moreira, Joine P. Inácio, Jonathan Cézar Oliveira, Jone Barbosa Martins, Jonia Maria Alves do Nascimento, Jordani Carrari Porto, Jorge Luis Portela, Jorge Marcos, José Acássio Magalhães, Jose Alberto Sanson Moulin, José Francisco Cândido da Costa, José Francisco Landi, José Galo Moreira, José Henrique da Silva, José Ladeira das Chagas, José Marcílio, José Renato Gonçalves, Jovassi Costa Moreira, Jubielly Macedo Alves, Jury Bastos Dias, Karla Pereira de Mello Simões, Karla Roberta Rezende, Kathia Pereira de Mello, Katiane Flores Rodrigues, Katiane P. de Oliveira, Kleyde Maria Barbosa de Oliveira Vicentini, Larissa E. Patta, Laurinha Couto Silva, Leandro Fernandes, Leandro Lopes, Leandro Neves, Leda Nunes Moulin, Lígia Mariano Gonçalves, Luana Dan Mendes da Silva, Lucas Ferreira Nante, Lucas Leonardo Costa, Lucas Oliveira, Luciana Catcin, Luciano Abreu Esteves, Luciano Silva, Luciene Moura, Luiz Orlando Sanson Lugão, Luzia Cabral Andrade, Luzia dos Santos, Marcelo Costa Maranduba, Marcelo Couto Ferreira, Márcia Cristina Pimentel de Oliveira, Marcia Pimentel, Marcia Regina Candido, Márcia Valle Marques, Marcílio Q. Sabatini, Marco Antônio Altoé Franco, Marco Aurélio Caiado, Marcos A Binoti Fontoura, Marcos Mendel de Carvalho, Maria Aparecida Delfino Moraes, Maria Aparecida Giridias, Maria Aparecida Gomes de Paschoal Alves, Maria Conceição Oliveira, Maria Cristina Bernardo Freitas, Maria da Glória Gomes, Maria da Penha da Silva, Maria da Penha Moreira da Silva, Maria do Carmo G. Alves, Maria dos Santos, Maria Eliza Vasques Lopes Moreira, Maria Emília C. Vieira, Maria Francisca Oliveira, Maria Graças Cabral, Maria José Lopes, Maria Luiza de Oliveira Liparizi, Maria Luiza Mórcies, Maria Neila Geaquinto, Maria Oniza dos Santos, Maria Penha Portela, Maria Regina Oliveira Silva, Maria Rodrigues Lammas, Maria Serrati Oliveira da Silva, Mariana Santos Portelas, Marilene Capucho, Marilene Ferreira, Marilene Sales, Marília de Oliveira Senna, Marinete Portela de Almeida, Mario Cesar Dan Ribeiro, Marlhene da Silva, Maxuel Costa Andrade, Mayara Rosa Barbosa, Mayron, Miguel Ângelo Lima Qualhano, Mirela de Paula Souza, Mirella P Cateir, Miriam Mansur, Mirian Helen Dias, Natânya Garcia Silva, Nathália Silva Brun, Nayara Garcia Silva, Nelio Colombini, Nely Maria Mendonça, Nelza Helena, Nelza R. R. Louvem, Nelzedino D. Souza, Nenir Bernardo Fonseca, Neuza Araújo Berçaculo, Newton Fonseca Vidal, Nílce Correa, Nilza M. Dias, Onei da Silva, Orestes Dan Prata, Otacilio Bertuloso Peres, Paulo Jorge Neves Silva, Paulo Roberto Britto, Paulo Roberto Pereira, Paulo Sérgio, Pedro N de Rezende Filho, Pedro Rezende, Peterson da S. Moreira, Raiele Moreira, Raulino Antônio B. Prez, Rejane Braga Lima, Renata Cerqueira Vaillant, Renata Massaroni, Ricardo da P. Queiroz,

Ricardo de Mattos, Rita M. Mendonça, Roberto Carlos Ângelo Ribeiro, Roberto da Silva, Rodrigo dos Santos Sessa, Rodrigo José Gonçalves Monteiro, Rodrigo José S. Monteiro, Romildo Limo, Rômulo Batista G. Machado, Ronaldo Ribeiro Moreira, Rosa Cunha, Rosangêla Gomes, Rosângela M. da Silva, Rosemary dos Santos Corrêa Lanes, Rosinéri Fosse Permanhane, Rozalina Santolini Borges, Ruvânia Gomes Silvano, Sandra Fossi, Sebastiana Pereira Rodrigues da Silva, Sebastião Domingues de Paiva, Sebastião Foz, Sebastião Ostermany, Sebastião Ribeiro Fonseca, Sebastião Rosa de Azevedo, Sergio Luiz Douven, Simone Gonçalves Silva, Sirlea Caldeira Peres, Thássio Rodrigues da Silva, Thays Gonçalves Almeida, Thiago Zucoloto, Tiago G. Fernandes, Valdenir Teixeira de Oliveira, Valdir Roberto de Azevedo, Vanderley da Silva Santos, Vendre Vieira Ferreira, Vera Lúcia, Vera Lúcia G. Dias, Vilma Fossi, Vilmar Lugão de Brito, Walter Gava, Wanderley da Silva Santos, Welington, Wilhan Alves, MUNIZ FREIRE: Nome Ator, Adeir, Adilson Rocha Pereira, Agripino Albino Sather, Alair Arão Julho Belonho, Alair Oliveira dos Santos, Ana Cláudia de Souza, Ana Maria Camilo Alves, Ana Maria Machado Moraes, Ana Paula Ferreira, Andrea Aparecida de Oliveira Emiliano, Andressa Jordana Louzada de Andrade, Angelita Flávia Bolzam Almeyda, Antonio Marcos Mourão, Antonio Reinoso de Queiroz, Antonio Souza Cunha, Aparecida Dias de Macedo, Argentino Luiz da Silva, Ari Nolasco Guedes, Bernardete Rigon Nicolau, Brígida Mota Areias, Camilla Souza Cunha, Carlos Alberto Duque Gomes, Carlos Brahim Bazzarella, Carlos Roberto, Carlota Elisa Soares, Cláudia Aparecida Feletti E Feletti, Claudio Antonio Ferreira, Claudio Marino Cassa , Claúdiomiro Vieira, Clovis Favoreto, Creuza Maria Oliveira dos Santos, Dalmo de Paula Silva, Debora da Silva Lopes, Décio Cogo de Aguiar, Diana Espinoso Paulucio de Souza, Dito, Divino Marques da Silva, Eberti Ferreira, Edgar Alonso, Elcio de Oliveira, Elena Bolzan, Eliana Mota Rodrigues, Eliane Caçador, Eliane Fonseca, Elias Siqueira Dias, Emerson Guimarães Rocha, Emilson Carlos Guizzardi Soares, Euzira Alves Rabelo, Evandro Paulucio, Ezanilton Delson de Oliveira, Fabio Carlos de Aguiar, Fabricio Rodrigues Costa, Fabrício Soares Motta, Fernanda Paulucio, Fernando da Silva Machado, Gelzinete Aparecida da Silva, Genaine Aparecida Carneiro Lucio, Georgioson Ribeiro Belo, Geraldo Abrante, Gesi Antônio da Silva, Gêsila Maria da Silva, Hebert Vasconcelos Ferreira, Helder Braz Scarpe, Hélio Santos Filhos, Henrique, Henrique Cogô de Aguiar, Heraldo Jorge Jubini de Freitas, Heron Jose Soares Friasça, Hisiane Aparecida Feletti, Hudsom Braga Favoreto, Ilda Rosa Marques da Silva, Inê Rocha, Iracilda da Natividade Souza, Isaque Neves de Almeida, Ivo Côgo, Jaider Alves Nogueira, Jamil Corrêa, Jerancio Luiz de Amorim, João Batista dos Anjos, João Batista Gimenes, João Candido Soares, João Firmino de Araújo, Jobed Tiburcio, Jonas Filgueiras, Jose Almeida, Jose Areias Mota Neto, José Carlos de Figueredo Neto, José Carlos Nicolau, Jose Henrique de Souza, José Luiz de Oliveira, José Manoel Almeida Bolzan, José Martins Capetine, José Rodrigues da Silva Neto, Josieth Logaib Rodrigues Nicolau, Josimar Lopes, Juliana Gomes, Julinho, Klésio Lucio Teixeira, Lari de Oliveira, Leandro de Abreu


115

Viana, Leandro Ramos da Silva, Leolindo Areias, Lucelena Almeida Caçador, Luciana Louvato Valiatti Gomes, Lucy Pope, Luiz Carlos Passabom, Maisa Mação Puppin, Manoel Alonso Junior, Manoel Domicio da Silva, Marcela Ferreira, Marcelo Goulart Gomes, Marcia de Lurdes Alonso, Márcia Regina Fonseca de Oliveira, Márcia Sipriano dos Santos, Marciano Salvador Arêas, Maria Aparecida Mansur Almança, Maria Augusta Paulucio, Maria da Penha Ramos Dias Murriacia, Maria das Graças Marquês Aguiar, Maria das Graças Quirino dos Santos, Maria do Carmo Gomes de Souza, Maria Isabel Vidigal, Maria Jose Bestete de Miranda, Maria Jose Valau, Maria Marta Salvador Arêas, Maria Mercedes Côgo de Oliveira, Maria Mercedes Pastore, Maria Salôto Oliveira Santos, Mário Cezar Spadetti, Mariza Mação Pupim, Mauricio Lelarmelina Fonseca, Mauro Moura, Maximo Bicalho, Maxuel Bestete de Miranda, Miller, Monica Amorim Gonçalves, Nadir Salles Soares, Nanci Mendes de Paula Ferreira, Nei Carlos Favoreto, Nivalda de Lourdes Manhone, Odilon Lordelo Junior, Odilon Soares Favoreto, Oliveira Teodoro da Silva, Oneísio Andrade Ribeiro, Pascoal Inácio Neto, Patricia Aparecida Ferreira, Paulinho Lugom, Paulo Mignone, Paulo Roberto Lougon, Penha Caçador, Poliana Mansur Almança, Regina Lúcia Finotti, Renato Chrispim Aguiar, Ricardo Augusto Almeida, Ricardo Feletti, Rivelino Feletti, Roberta Nicolau Soares de Oliveira, Rodrigo da Silva, Rogério da Cruz Santos, Rogério Souza de Oliveira, Romário Lúcio, Rosa Deps Areias, Rose, Roseane de Souza Ribeiro, Rosilene de Sima, Samara C Lemos Elias, Sebastião Donato Filho, Sebastião Luis Oliveira, Sérgio Carlos Souza, Sérgio Luiz Frinhame, Sergio Postore, Sheila Lozorio da Silva, Silvane Maria Mazzon, Simone Caçador, Sinara de Almeida, Solange Chaves Cunha, Sônia Marta Soares Mignoni, Tania Maria Bicalho Tambara, Valcir Favoreto, Valquíria Dias, Vanessa Côgo de Castro, Vânia Cazzador, Vitor Targa, Walace Antônio Machado Bastos, Waldir Lages Filho, William Hassen Santos, Zaedes, Zenilton Lopes. SÃO JOSÉ DO CALÇADO: Ademir Carros Pereira, Ademir Francisco Mineiro, Aderli Rodrigues, Adilson A. R. Viana, Adilson de Souza Pereira, Adimara Moreira Paradizo, Adison Antônio de Rezende Viana, Adriano Martins Souza, Alcemar Lopes Pimentel, Alci Monteiro Dias, Alda Rejane Coelho Lima, Alexandro de Jesus Nascimento, Almir de Almeida Lima, Almir Lopes Pimentel, Altanor Lobo Diniz, Ana Carolina Lopes Moraes, Ana Crêuza Carvalho de Oliveira, Ana Maria da Cunha Faria, Ana Maria de Freitas Saldanha, Ana Paula Gomes, Andreia da Silva Oliveira, Antonio Carlos de Oliveira, Antonio Jorge Oliveira Silva, Aquiles Marques Delatorres, Aristão Roberto de Abreu, Arthur Péres França, Bruno Pimentel da Silva, Carla Fonseca de Rezende, Carlos Alberto Melo, Carlos Elpido Pinheira da Silveira, Carlos Roberto da Souza Silva, Carlos Roberto Muruci, Carmelita Amélia Seviteles, Carmen Inês de Azevedo Pimentel, Celimar de Andrade Cardoso, Celino José Cardoso, Cidimara Moreira Paradizo, Clair da Cunha Moura Júnior, Claudia Aparecida Lima, Claudio Eleno Jesus da Silva, Daniele Castanheira de Moraes, Diego Dellabeneta Santos, Dirceu Godinho

Antunes, Dorismar Andrade Bernardi, Ècio Luis de Abreu, Eder Kelly Bellido, Ediene Regina Galdino, Edson Guimarães, Edson Lobo Teixeira, Elci, Elemar Mendonça Tatagiba, Elizabete Nolasco Pimentel, Eloisa Cristina O. de Aquino, Erenilda Lopes Pimenta de Souza, Erenilde Lopes Bino, Érico Auberto Lima, Eulália de Paula Almeida, Fábio Tavares de Rezende, Flavia Maria Bernardo, Francisco Alfredo Ribeiro, Francisco Claudio Lamão, Geraldo Basílio de Souza, Gilmar Junior Moreira Paradizo, Haydée Brasil Sá Viana, Heloisa Cristina Holanda de Aquino, Hilda Galdino, Ila Almeida Delatore Gonçalves, Iracilda Dias Viana, Isabel Conceição Miranda Teixeira Xavier, Ivanete Correa, Jane Antônio R. de Azevedo, Jefferson Teixeira Jardim, Jorge Ribeiro Neto, José Augusto da Silva, José Batista Delatorre, José Carlos Almeida, José Francisco Moura da Silva, José Geraldo da Silva Almeida, José João Domingues, José Luis Passaline, Jose Patricio Araujo, Jose Pereira da Silva, Jose Pereira Netto, José Poubel, José Ronaldo do Nascimento, Josie, Josileia Rodrigues de Carvalho, Josimara Rodrigues de Carvalho, Jovelino, Jozilene da Costa Mozeli, Juanete Correa, Juliano de Castro Araujo, Juliano Reis Domingues, Jussara Souza Severino, Larissa de Oliveira Raposo, Leonardo Castanheira de Moraes, Leopoldo B. Neto, Lia Almeida Delatorre, Liliane Nunes da Silva, Livia Domingues Ribeiro, Lorena Sant´ana Silva Charpinel Diniz, Luana Albertina Rezende Glória da Silva, Lucas Silveira Barreto Castilholi, Lucelia Aparecida da Silva, Luciana Almeida de Abreu, Luciana Passaline Cerqueira, Luciane A Charpinel Diniz Costa Assis, Lucimar de Oliveira Silva, Luis Carlos Boleli, Luis Claudio Castanheira de Morais, Luzia Maria Cardoso, Manoel Paulo Pimentel de Silveira, Maraisa Bernardes Figueira, Marcelo da Silva, Marcus Vinicius Lessa Guimaraes, Maria Aparecida Aguiar, Maria Aparecida Diveira Pimentel, Maria Aparecida Fonseca Muruci, Maria Augusta de Carvalho Rezende, Maria Cristina Pimentel Bina, Maria de Fátima Simões Barbosa, Maria de Fátima Teixeira Oliveira Jordam, Maria Elvira Franco de Souza, Marla Luciene M. de Oliveira, Marli Aparecida Bernardes Figueira, Marli Correia de Moura, Marli da Silva Rodrigues Almeida, Marlon Abreu Pereira, Narzira Gonçalves de Jesus Carvalho, Natália Elena Furtado da Silva, Nayara Lazarine Tatagiba, Nelson Alves V. de Assis, Neuzí Maria Nunes, Nildo Tiradentes, Nilvânia Ribeiro de Azevedo, Nina Leal Tatagiba, Orlando Gomes Gonçalves, Oto Rubio Soares, Patrício Moreira de Faria, Paulo Beline, Paulo Cézar de Carvalho Tatagiba, Pietro Coelho Belloni, Regina Celia Dornela Valim, Reginaldo da Silva Raposo, Renato Fonseca de Faria, Renê de Oliveira Lidanrre, Ricardo Olinto de Abreu, Rita de Cássia Pimentel Paterlini, Rodrigo Coelho do Carmo, Rogério Lima Passoline, Rosane Aparecida de Abreu, Sandra Patricio da Silva, Sara Fonte Boa de Oliveira, Sebastião Lopes de Carvalho, Shirlei Teixeira Jardim, Silas de Aguiar Filho, Silvia Regina Castanheira de Moraes, Suellen Ribeiro de Azevedo, Terezinha Vieira Marcelino, Vânia Aparecida, Vanili, Vilma Aparecida de Almeida, Vinícius Sá Viana Pimentel, Wellington Moreira Figueira, Wender Vinícius C. de Oliveira, Williana Nayara C. de Oliveira, Zeno Poterline,


ENTIDADES

As instituições, empresas e entidades sociais do território desempenham um papel fundamental, na articulação das ações, legitimando, organizando e dando suporte a todos atores envolvidos no processo de construção e implantação do Plano:

caparaó capixaba vale mais

ALEGRE - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: 3º BPM - POLICIA MILITAR DE ALEGRE,

116

CÂMARA MUNICIPAL DE ALEGRE, CENTRO INTEGRADO DE EDUCAÇÃO CONTINUADA (CIEC) CELINA, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CEMGI) “TIO TEOTÔNIO BARBOSA”, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL CARMEM PINTO NOGUEIRA DA GAMA, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL FATINHA BARBOSA, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL MARIA GERALDA GUERRA, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL PROFESSOR DOMINGOS BRAVO REINOSO, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL RUTH ALICE, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL TEREZA FIOREZI DE OLIVEIRA, E.E.E.F. PROFESSOR LELLIS, E.E.E.F. SIREMA REZENDE FONSECA (LEFM), E.E.E.F.M. ARISTEU AGUIAR, E.E.E.F.M. LUCIANO O., E.E.E.F.M. PROFESSORA CÉLIA TEIXEIRA DO CARMO, E.M.E.F. CARMELITA MACHADO MORAES, E.M.E.F. EM TEMPO INTEGRAL LUCIANO ALVES DUARTE, E.M.E.F. PROFESSOR PEDRO SIMÃO, ESCOLA AGROTECNICA FEDERAL DE ALEGRE (EAFA), FACULDADE DE FILOSOFIA, CIÊNCIAS E LETRAS DE ALEGRE (FAFIA), INCAPER ELDR ALEGRE, INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRAFICO DE ALEGRE (IHGA-ES), POLÍCIA AMBIENTAL DE ALEGRE, PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE AIMORÉS, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE ALEGRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO DE ALEGRE. ENTIDADES EMPRESARIAIS: BAR E RESTAURANTE 15 DE AGOSTO, BEM BRASIL, BIKE AVENTURA, CHAVE DE SOM, COOPERATIVA DE TRANSPORTE ESCOLAR DE ALEGRE (COOTEALE), COOPERATIVA REGIONAL DOS CAFEICULTORES DE SÃO SEBASTIÃO DO PARAÍSO LTDA.(COOPARAISO) , DE ALEGRE, CREDCAMPO CONSULTORIA AGRÍCOLA LTDA, DROGARIA ALEGRENSE, DROGARIA CENTRAL, DROGARIA PRINCIPIO ATIVO, FOTO UNIÃO, FUNERÁRIA E FLORICULTURA JARDIM DO ÉDEM, LANCHES MANÁ, LASBRYRAPH (AGENCIA DE PROPAGANDA), LATICÍNIOS CAPEL, LOJA ALVES, LOJA BOM DIA, LOJA DA YONNE, LOJA NOVA, MIX, MOBILIADORA CAPARAÓ, ORDEM DEMOLAY, ÓTICA VISUAL, PADARIA ALEGRENSE, PADARIA E CONFEITARIA BIRUTA, PADARIA SKINA DO PÃO, PAPELARIA DA SUCENA, POSTO IPIRANGA DE ALEGRE, POUSADA GAUCHA, RELOJOARIA SÃO JOSÉ, RESTAURANTE CASA VELHA, RESTAURANTE FAZENDA TRIUNFO, RESTAURANTE SAMAMBAIA, SÃO JORGE SUPERMERCADO, SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO (SAAE) DE ALEGRE, SHALLON FASHION, SÍTIO JAQUEIRA, SUPERMERCADO SANTA LUZIA. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ALCÓOLICOS ANONIMOS

(AA) DE ALEGRE, ASSEMBLÉIA DE DEUS DE ALEGRE, ASSEMBLÉIA DE DEUS DE MINISTÉRIO HEBRON, ASSEMBLÉIA DE DEUS EM RIVE, ASSENTAMENTO CIVIL DE ALEGRE, ASSENTAMENTO DA FLORESTA, ASSOCIAÇÃO AMIGOS DO CAPARAÓ DE ALEGRE (ACAP), ASSOCIAÇÃO BENEFICIENTE DIAS MELHORES (ABDM), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE ALEGRE, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO CLÉRIO MOULIN, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO GUARAREMA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO VILA DO SUL (AMVISUL), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES LAGOA SECA (AMLS), ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE ALEGRE, ASSOCIAÇÃO DE PEQUENOS PRODUTORES DO VARJÃO NORTE, ASSOCIAÇÃO DO ASSENTAMENTO DO PARAISO, ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES FAMILIARES DO ASSENTAMENTO FLORESTA, ASSOCIAÇÃO DOS CABOS E SOLDADOS (ACS) DE ALEGRE, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DA COMUNIDADE DO SUMIDOURO, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DO CÓRREGO DO MEIO (APC), ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DA VILA DO CAFÉ (APROVIC), ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DE ARARAI, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DE SANTA CLARA, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DE VILA DO CAFÉ, ASSOCIAÇÃO DOS SERVIDORES DA PREFEITURA MUNICIPAL DE ALEGRE (ASSEPMA), ASSOCIAÇÃO FELIZ LEMBRANÇA, CARTÓRIO DE ALEGRE, CASA DE CARIDADE SÃO JOSÉ, CASA LUIZA DE MARILLAC, CENTRO ESPÍRITA AMOR E CARIDADE, CENTRO ESPIRITA ANDRÉ LUIZ, CENTRO ESPÍRITA SANTA TEREZINHA E JORGE BRÁS, CONGREGAÇÃO MARIANA DA IGREJA NOSSA SRA DA PENHA, CONSELHO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ALEGRE, CONSELHO TUTELAR DE ALEGRE, ESCOLA DE SAMBA BOÊMIOS DO SUL, ESPORTE CLUBE RIO BRANCO, FOLIA DE REIS ESTRELA GUIA DE ALEGRE, FRATERNIDADE ESPÍRITA CRISTÃ MÃE PALMIRA, GRES BOEMIOS DO SUL, GRUPO BATE FLECHA, GRUPO DE ADOLESCENTES PERSEVERANÇA DE ALEGRE, GRUPO DE AGRICULTURA ECOLÓGICA KAPIXAWA, GRUPO DE EDUCADORES AMBIENTAIS DE ALEGRE / CAPARAÓ, GRUPO DE JOVENS E CENTRO DE CONSELHO COMUNITÁRIO DE ALEGRE, GRUPO TEATRAL DE ALEGRE, GRUPO UNIVERSITÁRIO DE BIOLOGIA COM AÇÕES AMBIENTAIS (GUBAICÁ), HOSPITAL VETERINÁRIO, IGREJA BATISTA EM CELINA, IGREJA BATISTA RENOVADA EM RIVE, IGREJA BATISTA TRADICIONAL EM RIVE, IGREJA CATÓLICA PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA DA PENHA DE ALEGRE, IGREJA METODISTA WESLEYANA, IGREJA PRESBITERIANA VIRA EM ALEGRE, IGREJA SANTA LUZIA, IGREJA SÃO SEBASTIÃO, IGREJINHA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS, LAR ESPÍRITO SANTENSE DA CRIANÇA (LESC), LOJA MAÇÔNICA AMOR E JUSTIÇA, PARTIDO DA MOBILIZAÇÃO NACIONAL (PMN) DE ALEGRE, PARTIDO DEMOCRÁTICO BRASILEIRO (PMDB) DE ALEGRE,


117

PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE ALEGRE, PARTIDO LIBERAL (PL) DE ALEGRE, PARTIDO PROGRESSISTA (PP) DE ALEGRE, PASTORAL DA SAÚDE DE ALEGRE, RENOVAÇÃO CARISMÁTICA CATÓLICA, ROTARY CLUB DE ALEGRE, SEBRAE DE ALEGRE, SINDICATO DOS SERVIDORES DA PREFEITURA DE ALEGRE (SISPMA), SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ALEGRE (STRA), SINDICATO RURAL DE ALEGRE, SOCIEDADE AMIGOS DE CELINA, VICENTINOS (CONFERÊNCIA NOSSA SENHORA DA PENHA SOCIEDADE SÃO VICENTE DE PAULA). MÍDIA: CHAPA COCO SOM, LUZ E DIVULGAÇÃO VOLANTE, JORNAL A PALAVRA, JORNAL O ALEGRENSE, JORNALZINHO DA FAFIA, PORTAL DE ALEGRE, RÁDIO FAMALEGRE FM, RÁDIO INTEGRAÇÃO 87 FM, VOZ DA CIDADE.

DIVINO DE SÃO LOURENÇO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL DE DIVINO SÃO LOURENÇO, CÂMARA MUNICIPAL DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UFES (CCA-UFES), E.E.E.F.M. JUVENAL NOLASCO, E.E.F. CHAPEUZINHO VERMELHO, E.M.E.F. ALLAN KARDEC BITENCOURT DIAS, E.V.M. PÉROLA DO CAPARAÓ, IDAF DIVINO SÃO DE SÃO LOURENÇO, INCAPER ELDR DIVINO DE SÃO LOURENÇO, INSTITUTO DE ASSISTENCIA SOCIAL DOS FUNCIONARIOS PÚBLICOS MUNICIPAIS (IASMUD) DE DIVINO DE, SÃO LOURENÇO, PREFEITURA MUNICIPAL DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE DIVINO DE SÃO LORENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA E ESPORTE DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE DIVINO SÃO LOURENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE DIVINO SÃO LOURENÇO, SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO DE DIVINO SÃO LOURENÇO. ENTIDADES EMPRESARIAIS: AGITA MODAS, BANCO DA TERRA AGÊNCIA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, BANESTES, CAMA E CAFÉ, CICLE SÃO LOURENÇO, CONSULTÓRIO ODONTOLÓGICO DR ALTAMIR, DIVINO LAR, DROGARIA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, ELIANE MODAS, ELIETE PRESENTES, FABRICA DE BISCOITO MARAIN, FARMÁCIA BÁSICA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, JDR TRATORES, LOJA DO GENILSON, MERCADO POINT DA FRUTA, MIRANDA MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, PADARIA CENTRAL, PADARIA SANTA CRUZ, PELUZIO LOCADORA, PONTO CERTO, POSTO SÃO LOURENÇO, POUSADA BRASIL, R MODAS, RECICLAGEM ARTESANAL DE PAPEL, SALÃO DE BELEZA ELCIONE, SALÃO DE BELEZA ELIANE SOFISTE, SÍTIO CACHOEIRA BONITA, SUPERMERCADO CENTRAL, W GAMES, ZULU LANCHES. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ALCOÓLICOS ANÔNIMOS (AA) DE DIVINO SÃO LOURENÇO, ALFABETIZAÇÃO SOLIDÁRIA, AMAR CAPARAÓ, ASSEMBLEIA DE DEUS DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, ASSOCIAÇÃO AGRÍCOLA 23 DE OUTUBRO, ASSOCIAÇÃO AGRÍCOLA DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, ASSOCIAÇÃO AGRÍCOLA FAMILIAR 2000, ASSOCIAÇÃO PESTALOZZI DE DIVINO SÃO LOURENÇO, CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DA UFES (CCA-UFES), CENTRO DE CONVIVÊNCIA DO IDOSO JOÃO MARCELINO DA SILVA, CENTRO ESPÍRITA ESTRELA GUIA, COMUNIDADE CATOLICA DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, CONSELHO TUTELAR DE DIVINO DE SÃO LOURENÇO, CURSO DE NOIVOS DE DIVINO SÃO LOURENÇO, E.E.E.F.M. JUVENAL NOLASCO, E.E.F. CHAPEUZINHO VERMELHO, E.M.E.F. ALLAN KARDEC BITENCOURT DIAS, E.V.M. PÉROLA DO CAPARAÓ, GRUPO DE JOVENS (JUSC) DE DIVINO SÃO LOURENÇO, IGREJA CRISTA MARANATA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL DE DIVINO SÃO LOURENÇO, LEGIÃO DE MARIA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, PASTORAL DA CRIANÇA DE DIVINO SÃO LOURENÇO, PASTORAL DA SAÚDE (BIOENERGÉTICO) DE DIVINO SÃO LOURENÇO, PASTORAL DO DÍZIMO DE DIVINO SÃO LOURENÇO, PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) DE DIVINO SÃO LOURENÇO, SOCIEDADE SÃO VICENTE DE PAULO DE DIVINO SÃO LOURENÇO. MÍDIA: ELI ARTES, IGREJA MATRIZ SAGRADO CORAÇÃO DE JESUS (AREA DE COMUNICAÇÃO), LUIZINHO SOM DORES DO RIO PRETO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: CÂMARA MUNICIPAL DE DORES DO RIO PRETO, CENTRO EDUCACIONAL CRISTINA PEIXOTO DO CARMO, COMARCA DE DORES DO RIO PRETO, E.E.E.F.M. PEDRO DE ALCÂNTARA GALVEAS, ESCOLA DO MUNDO NOVO, ESCOLA PEDRA MENINA,

ESCOLA RIO PRETO, INCAPER ELDR DORES DO RIO PRETO, PREFEITURA MUNICIPAL DE DORES DO RIO PRETO, PROMOTORIA DE JUSTIÇA DE DORES DO RIO PRETO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE DORES DO RIO PRETO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE DORES DO RIO PRETO, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA, ESPORTE E TURISMO DE DORES DO RIO PRETO, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE DORES DO RIO PRETO. ENTIDADES EMPRESARIAIS: ALAMBIQUE DO VOVÔ, ALEX PNEUS, AUTO POSTO FRONTEIRA, BAR DO TITA, BOUTIQUE VITÓRIOS, CASA DE RAÇÕES PURINA, CENTRO DE FORMAÇÃO DE CONDUTORES MURUCI, COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO (CESAN), COOPERATIVA AGRÍCOLA DE PEQUENOS PRODUTORES DE DORES DO RIO PRETO (COOPERDORES), DROGARIA JERUSALÉM, DROGARIA NOSSA SENHORA DAS DORES, FAZENDA CACHOEIRA ALEGRE (BRISA), FAZENDA MUNDO NOVO, GERANA COMERCIAL, JOCAR MÓVEIS, JÚNIOR MÓVEIS, LATICÍNIOS BLANCHE (YARA), LOJA DA SEBASTIANA, LOJA DO BRAGA, MATERIAL DE CONSTRUÇÃO PEDRA MENINA, MERCEARIA BALARI, POSTO FRONTEIRA, POSTO PEDRA MENINA, POUSADA TÔ A TÔA, POUSADA VILLA JANUÁRIA, RESTAURANTE E POUSADA DA CONSUELO, SERRARIA SÃO LUIZ, SUPERMERCADO PEDRA MENINA, SUPERMERCADO PONTO CERTO, TANIA MODAS, VENDA DO MENELICK, VITÓRIOS CAFÉ. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: AÇÃO POPULAR DE PROTEÇÃO AMBIENTAL (APPA), ASSOCIAÇÃO DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE E TURISMO (ADEMATUR), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE PEDRA MENINA, ASSOCIAÇÃO DE PRESERVAÇÃO AMBIENTAL E DESENVOLVIMENTO TURÍSTICO, ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES RURAIS DO CERRO (APRUC), ASSOCIAÇÃO DE TURISMO E ARTESANATO DO MUNDO NOVO (ATUAR), ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES FAMILIARES DA CACHOEIRA ALEGRE, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DE PEDRA MENINA, ASSOCIAÇÃO FILANTRÓPICA NEUZA NUNES DIVINA MISERICÓRDIA (CAESF - CASA DE APOIO , EDUCACIONAL SAGRADA FAMÍLIA), BANDA MAESTRO ANTONIO RODRIGUES FERREIRA, BANDA MARCIAL DILMA BASTO SOARES DE DORES DO RIO PRETO, CACHOEIRA ALEGRE, CENTRO ESPÍRITA JOÃO EVANGELISTA, COMUNIDADE DO CERRO, CONSELHO DA ESCOLA ESTADUAL DE ENSINO FUNDAMENTAL E MÉDIO PEDRO DE ALCANTARA , GOLVEAS, CONSELHO MUNICIPAL DE ALIMENTAÇÃO ESCOLAR DE DORES DO RIO PRETO, CONSELHO MUNICIPAL DE SAÚDE DE DORES DO RIO PRETO, CONSELHO TUTELAR DE DORES DO RIO PRETO, DANÇA DA FITA DE DORES DO RIO PRETO, FOLIA DE REIS DE DORES DO RIO PRETO, GRUPO DA MELHOR IDADE NEILA LOPES FARIA (GRUPO RENACER), PARQUE NACIONAL DO CAPARAÓ, PARTIDO DA FRENTE LIBERAL (PFL) DE DORES DO RIO PRETO, PARTIDO DA SOCIAL DEMOCRACIA BRASILEIRA (PSDB) DE DORES DO RIO PRETO, PARTIDO DOS TRABALHADORES (PT) DE DORES DO RIO PRETO, PARTIDO VERDE (PV) DE DORES DO RIO PRETO, PASTORAL DA CATEQUESE DE DORES DO RIO PRETO, PASTORAL DA CRIANÇA DE DORES DO RIO PRETO, PASTORAL DA JUVENTUDE DE DORES DO RIO PRETO, VIVENDO E APRENDENDO COM O MEIO AMBIENTE (VAMA). MÍDIA: ENTIDADE, ANÚNCIOS DA DINDINHA, JORNAL FOLHA DO CAPARAÓ, JORNALZINHO DA IGREJA, SAGRADA FAMILIA (ALTO FALANTE).

GUAÇUÍ - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: BIBLIOTECA MUNICIPAL DE GUAÇUÍ, CÂMARA MUNICIPAL DE GUAÇUÍ, CENTRO UNIVERSITÁRIO VILA VELHA (UVV), COLÉGIO SÃO GERALDO, CRECHE DONA NIQUITA, E.M. PARADA PIMENTEL, INCAPER ELDR GUAÇUÍ, POLÍCIA AMBIENTAL DE GUAÇUÍ, PREFEITURA MUNICIPAL DE GUAÇUÍ, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE GUAÇUI, SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE GUAÇUÍ, SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA E TURISMO DE GUAÇUÍ, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO E ESPORTE DE GUAÇUÍ, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE GUAÇUÍ, SECRETARIA MUNICIPAL DE TURISMO DE GUAÇUI, SUPERINTENDENCIA DE MEIO AMBIENTE DE GUAÇUÍ, TIRO DE GUERRA 01-013. ENTIDADES EMPRESARIAIS: A EQUILIBRIUM, A MASCOTE, ABATEDOURO SANTA CATARINA, ASSOCIAÇÃO GUAÇUIENSE DE PESCA ESPORTIVA E AMADORA (ÁGUA E PESCA), BANCO DA TERRA AGÊNCIA DE GUAÇUÍ, BAREZY


caparaó capixaba vale mais

118

ROUPAS, CALDO DE CANA DO CÉLIO, CASA BRASIL, CENTRO DE ESTUDOS E TRATAMENTOS ODONTOLÓGICOS, COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL DE GUAÇUÍ, COOPERATIVA LATICÍNIOS GUAÇUÍ, DICAUTO DISTRIBUIDORA CAPIXABA DE AUTOMOVEIS LTDA, DROGARIA SÃO SILVESTRE, FARMÁCIA MODELO, HOTEL E POSTO MONTEVIDÉU, ITAPUÃ CALÇADOS, LOJA BEM ME QUER, MERCEARIA VEZULA, NOSSOCRÉDITO DE GUAÇUÍ, PAPELARIA CENTRAL, POSTO MONTIVIDEL, POSTO PETROBRÁS DE GUAÇUÍ, RUBI ROUPAS, STAR MODAS, SUPERMERCADO ASSIS, SUPERMERCADO BIG CONRADO, SUPERMERCADO LUCINDO, VETERINÁRIA GUAÇUÍ. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: 1ª IGREJA BATISTA DE GUAÇUÍ, 2ª IGREJA PRESBITERIANA DE GUAÇUÍ, AGENCIA DE DESENVOLVIMENTO URBANO E RURAL DO MUNICIPIO DE GUAÇUÍ, AGÊNCIA PÉROLA DO CAPARAÓ, ALCOÓLICOS ANÔNIMOS (AA) DE GUAÇUÍ, ASSENTAMENTO LUIZ TALIULI, ASSOCIAÇÃO AGRICOLA BELA VISTA, ASSOCIAÇÃO AGRÍCOLA SÃO MIGUEL, ASSOCIAÇÃO ARISTIDE COUZI, ASSOCIAÇÃO COMERCIAL INDUSTRIAL E DE SERVIÇOS DE GUAÇUI (ACISG), ASSOCIAÇÃO DA IGREJA METODISTA DE GUAÇUÍ, ASSOCIAÇÃO DA VILA DOS PROFESSORES DE GUAÇUÍ, ASSOCIAÇÃO DE CRIADORES DE GIROLANDO DO ESPÍRITO SANTO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE GUAÇUÍ, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE SÃO PEDRO DE RATES, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO ANTONIO FRANCISCO MOREIRA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO BALANÇA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO JOÃO FERRAZ DE ARAUJO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO MANUEL MONTEIRO TORRES, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO NORIVAL COUZI, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO ROBERTO MENDES, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO SANTA CECÍLIA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO SÃO MIGUEL, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO TANCREDO NEVES, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO VALE DO SOL, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E AMIGOS DA R TENENTE ARNALDO TULIO E ADJACÊNCIAS, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E AMIGOS DA RUA DO NORTE (AMA NORTE), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES VILA DOS PROFESSORES, ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE GUAÇUÍ, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES BAIRRO CID MOREIRA, ASSOCIAÇÃO GUAÇUIENSE DE PRODUTORES DE ARTESANATO (AGUAPA), ASSOCIAÇÃO GUAÇUIENSE DE PROTEÇÃO AO AMBIENTE NATURAL (AGUAPAN), ASSOCIAÇÃO MONSENHOR MIGUEL DE SANITIS, ASSOCIAÇÃO RURAL DOS TRABALHADORES FAMILIARES FRUTOS DA TERRA, CLUBE RECREATIVO DOS POLICIAIS MILITARES DA 2ª COMPANHIA, CONSELHO DE PASTORES E LÍDERES EVANGÉLICOS (CONPEG), CONSELHO TUTELAR DA CRIANÇA E ADOLESCENTE DE GUAÇUÍ, CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL DA REGIÃO DO CAPARAÓ, CONSÓRCIO INTERMUNICIPAL DE SAÚDE (CIS) DE GUAÇUÍ, CONSÓRCIOS DE SEGURANÇA ALIMENTAR E DESENVOLVIMENTO REGIONAL DE GUAÇUÍ (CONSAD), ESPAÇO CIDADÃO, FEDERAÇÃO DAS ASSOCIAÇÕES DE MORADORES DE GUAÇUÍ, GRUPO DA 3ª IDADE BEM VIVER, GRUPO DE ACOMPANHAMENTO LEGISLATIVO (GAL), GRUPO DE ORAÇÃO DE GUAÇUÍ, IGREJA BATISTA RENOVADA E INDEPENDENTE DE GUAÇUÍ, IGREJA CATÓLICA PARÓQUIA DE SÃO MIGUEL DE GUAÇUÍ, IGREJA METODISTA DE GUAÇUÍ, IGREJA PRESBITERIANA DE GUAÇUÍ, INSTITUTO DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GUAÇUÍ (IASM), LAR DOS IDOSOS FREDERICO OZONAN DE GUAÇUI, LEGIÃO DE MARIA DE GUAÇUÍ, LIRA SANTA CECÍLIA, LOJA MAÇONICA LIBERDADE E LUZ, MINISTÉRIO CARCERÁRIO DA IGREJA METODISTA DE GUAÇUÍ, ORDEM DEMOLAY DE GUAÇUÍ, PASTORAL CATEQUÉTICA DE GUAÇUÍ, PASTORAL DA CRIANÇA DE GUAÇUÍ, PASTORAL DA JUVENTUDE DE GUAÇUÍ, PASTORAL DA SAÚDE DE GUAÇUÍ, PASTORAL ECOLÓGICA DE GUAÇUÍ, PASTORAL FAMILIAR DE GUAÇUÍ, PASTORAL SOCIAL DE GUAÇUÍ, PRÓ VIDA, PROCON GUAÇUÍ, ROTARY CLUB DE GUAÇUÍ, SALA DE MISTURA ALTERNATIVA, SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS MUNICIPAIS DE GUAÇUÍ (SINDSERV), SINDICATO DOS TRABALHADORES DE GUAÇUÍ (SAFAR), SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE GUAÇUÍ (STRUG). MÍDIA: A FOLHA DA PARÓQUIA, BOLETIM

DOMINICAL IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL, FOLHA DO CAPARAÓ, INFORMATIVO COLAGUA, JORNAL O ESPÍRITO SANTO, MOTO SOM, RÁDIO NOVA GUAÇUI 87,9 FM, RÁDIO SUL CAPIXABA DE GUAÇUÍ LTDA.

IBATIBA - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: CÂMARA MUNICIPAL DE IBATIBA, COLÉGIO DAVID GOMES, CRECHE BRANCA DE NEVE, CRECHE SANTA CLARA, E.E.E.F.M. PROFESSORA MARIA TRINDADE DE OLIVEIRA, E.M. ELIANA MARLENE COITINHO (PEROBAS), E.M.E.F. EUNICE P. SILVEIRA, ESCOLA ADELAIDE, ESCOLA IBATIBA, ESCOLA IPÊ, ESCOLA SANTA MARIA, ESCOLA SÃO JOSÉ DE IBATIBA, INCAPER ELDR IBATIBA, NÚCLEO DE CONTROLE E AVALIAÇÃO (NCA), PREFEITURA MUNICIPAL DE IBATIBA, SECRETARIA ESTADUAL DE SEGURANÇA PÚBLICA - POLÍCIA MILITAR, SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE MEIO AMBIENTE DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DE IBATIBA, SECRETARIA MUNICIPAL DE TRANSPORTE DE IBATIBA. ENTIDADES EMPRESARIAIS: ADMINISTRADORA DE CONTABILIDADE E ADVOCACIA, AGÊNCIA ITAPEMIRIM DE IBATIBA, BANCO BANERJ AGÊNCIA DE IBATIBA, BANCO DO BRASIL AGÊNCIA DE IBATIBA, CASA DO ARTESANATO, CASA SÃO JORGE, CENTER CELULARES, CHURRASCARIA GOTETÃO, COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL DE VENDA NOVA DO IMIGRANTE, DI SELMA, DROGARIA AVENIDA, DROGARIA SANTIAGO, EDVALDO CAFÉ, ELETRO MOVEIS, GILSON ADESIVOS, LENA CONFECÇÕES, LET´S PLAY, O BARATEIRO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, O BARATEIRO MÓVEIS, PADARIA CELITA, PAPELARIA AQUARELA, POSTO BOAS NOVAS, POSTO DE GASOLINA DE IBITIRAMA, POSTO ESSO DE IBATIBA, REDE SHOW SUPERMERCADOS, ROSI MODAS, SUPERMERCADO DA PONTE, ZEI MODAS, . ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ASSEMBLEIA DE DEUS DE IBATIBA, ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE IBATIBA (ACIBA), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA COMUNIDADE DO PERDIDO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO NOVO HORIZONTE (AMOBNH), ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE IBATIBA, ASSOCIAÇÃO DOS FEIRANTES DE IBATIBA, ASSOCIAÇIÃO DE EDUCADORES AMBIENTAIS DE IBATIBA (ACEDAI), COMUNIDADE SAGRADA FAMILIA, CONGREGAÇÃO SANTOS ANJOS, GRUPO ESPÍRITA DE IBATIBA, IGREJA CATÓLICA NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO DE IBATIBA, IGREJA MARANATA, IGREJA TABERNACULO, PASTORAL DA CRIANÇA DE IBATIBA, PASTORAL DA SAÚDE DE IBATIBA, SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE IBATIBA, SOCIEDADE SÃO VICENTE DE PAULA DE IBATIBA. MÍDIA: ENTIDADE, LIVIMAR CONFECÇÕES, MICRONLINE, RÁDIO LIBERDADE FM, RÁDIO MANIA FM, VJC SONORIZAÇÃO.

IBITIRAMA - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: CÂMARA MUNICIPAL DE IBITIRAMA, CENTRO MUINICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL DE IBITIRAMA, CENTRO MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO INFANTIL (CEMGI) DE IBITIRAMA, CONSELHO DE ESCOLA DE IBITIRAMA, E.E.E.F.M. ANTONIO LEMOS JUNIOR, E.E.E.F.M. ELIZA PACHECO ALVES, E.E.F. SÃO JOSÉ DO CAPARAÓ, ESCOLA RURAL DE IBITIRAMA, INCAPER ELDR IBITIRAMA, MINISTÉRIO PÚBLICO, PREFEITURA MUNICIPAL DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA, ESPORTE E TURISMO DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DE IBITIRAMA, SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS DE IBITIRAMA. ENTIDADES EMPRESARIAIS: GRUPOCOPN, ENTIDADE, LOJA DA ROSA, PADARIA E CONFEITARIA NOVA UNIÃO, PADARIA E CONFEITARIA PÃO DE CASA, POSTO FABRÍCIO, POSTO MORGADO, POUSADA PESQUE E PAGUE, RESTAURANTE DA LINDA, SERVIÇO AUTÔNOMO DE ÁGUA E ESGOTO (SAAE) DE IBITIRAMA, SETAGRO SERVIÇOS TÉCNICOS EM


119

AGROPECUÁRIA, SUPERMERCADO JC, SUPERMERCADO ROVICLE, TECNOTRUTA S.A. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ASSOCIAÇÃO DA IGREJA METODISTA DE IBITIRAMA, ASSOCIAÇAO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE IBITIRAMA, ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORRES RURAIS E AGRICULTORES FAMILIARES DE IBITIRAMA, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES RURAIS DE PONTEDO ARAÇA, ASSOCIAÇAO DOS PRODUTORES RURAIS DO CÓRREGO DO FARIA SÃO JOSÉ DO CAPARAÓ, ASSOCIAÇÃO RURAL CORREGO LAGE, ASSOCIAÇÃO RURAL CORREGO SOTURNO, ASSOCIAÇÃO RURAL DE IBITIRAMA, CENTRO DE MEDITAÇÃO GOTAS DO DHARMO, CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL (PRONAF) DE IBITIRAMA, CONSELHO TUTELAR DE IBITIRAMA (CONTUI), IGREJA BATISTA DE IBITIRAMA, IGREJA CATÓLICA DE IBITIRAMA, IGREJA CRISTÃ MARANATA DE IBITIRAMA, IGREJA PRESBITERIANA DO BRASIL DE IBITIRAMA, PASTORAL DA LITURGIA DE IBITIRAMA, PASTORAL DA SAÚDE DE IBITIRAMA, SINDICATO DOS AGRICULTORES FAMILIARES E ASSALARIADOS RURAIS (SAFARI) DE IBITIRAMA. MÍDIA: AMIGO SONORIZAÇÃO.

IRUPI - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: CÂMARA MUNICIPAL DE IRUPI, CONSELHO DA ESCOLA BERNARDO HORTA, CRECHE MUNICIPAL DONA MARIA EMILIA, E.E.E.F.M. BERNARDO HORTA, E.M. ENI LEAL MACHADO, E.M.E.F. PROFESSORA SONIA MARIA FARIA PINHEIROS, E.M.P.G. SÃO JOSÉ, EMCAPER ELDR IRUPI, ESCOLA BOA ESPERANÇA DE IRUPI, FUNDAÇÃO HOSPITALAR DE IRUPI, PASTORAL DA SAÚDE DE IRUPI (BIO ENERGÉTICO), PREFEITURA MUNICIPAL DE IRUPI, SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE IRUPI, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE IRUPI, SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA DE IRUPI, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO CULTURA E TURISMO DE IRUPI, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IRUPI, UNIDADE SANITÁRIA DE IRUPI. ENTIDADES EMPRESARIAIS: ALAMBIQUE DO ALVERINO, ARTESANATO EM COURO, CAPARAÓ COCRL, CASA LIMA, COOPERATIVA DOS CAFEICULTORES DA REGIÃO DA LAGOINHA, DROGARIA SANTIAGO, IRUPI AUTO PEÇAS (IAP), IRUPI FARMA, LASER CAR, LOJA MAZULY, LOJÃO SHOW, M. LEAL MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO LTDA, P.C. SCHUAB, PADARIA E CONFEITARIA SOUZA E SILVA, PADARIA SOUZA E SILVA, POSTO IURUPI, POSTO REGAFA, SCHUAB CAFÉ, SERRALHARIA VARGEM ALEGRE, SOLANGE MODAS, SUPERMERCADO LUMAS, UNIMAG MÓVEIS, VIVEIRO DE CAFÉ E MUDAS. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ASSENTAMENTO DO MST EM CRUZ POVOS, ASSOCIAÇÃO COMUNITARIA DA TIA VELHA, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE BARRA DE SANTA ROSA, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE BARRA GRANDE, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE PEDREIRA, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE SANTA ROSA DE LIMA, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE SÃO JOSE (ACAJE), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DO CÓRREGO AVENTUREIRO, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DO CORREGO DO BURRO FROUXO “PALMITAL”, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA SÃO JOSÉ, ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES DE IRUPI, ASSOCIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE IRUPI (ADESI), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA COMUNIDADE SÃO BENTO, ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE IRUPI, ASSOCIAÇÃO DOS ARTESÃOS DE IRUPI, ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES RURAIS DE TODOS OS SANTOS, ASSOCIAÇÃO SANTA CLARA, BANDA DE MÚSICA DO COLÉGIO BERNARDO HORTA, BIBLIOTECA MUNICIPAL DE IRUPI, CENTRO DE ASSISTÊNCIA ESPÍRITA MARIA JOANA GALOT (CAMAG) - LAR DOS VELHINHOS, CENTRO DE CONVIVÊNCIA ÁTILA ALVES DO ROSÁRIO (CCI E 3ª IDADE), CLUBE RECREATIVO DE IRUPI (CRI), CONSELHO DA ESCOLA BERNARDO HORTA, CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE IRUPI (CMDR), CONSELHO MUNICIPAL DO FUNDEF, CONSELHO TUTELAR DE IRUPI, CRECHE MUNICIPAL DONA MARIA EMILIA, E.E.E.F.M. BERNARDO HORTA, E.M. ENI LEAL MACHADO, E.M.E.F. PROFESSORA SONIA MARIA FARIA PINHEIROS, E.M.P.G. SÃO JOSÉ, ESCOLA BOA ESPERANÇA DE IRUPI, IGREJA CATÓLICA DE IRUPI, IGREJA CRISTA MARANATA DE IRUPI, IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE IRUPI, IGREJA PRESBITERIANA DE IRUPI, PARÓQUIA NOSSO SENHOR JESUS CRISTO LUZ DOS POVOS, PASTORAL DA CRIANÇA DE IRUPI, PASTORAL DA

JUVENTUDE DE IRUPI, PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) DE IRUPI, SINDICATO DOS AGRICULTORES FAMILIARES ASSALARIADOS RURAIS (SAFARI) DE IRUPI. MÍDIA: ALTO FALANTE, ASSOCIAÇÃO RADIO COMUNITÁRIA DE IRUPI (INTER FM), ATUAÇÃO MUNICIPAL, ZOROBÓ.

IÚNA - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL (AABB) DE IÚNA, ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA DOS SERVIDORES MILITARES (AASM) DE IÚNA, BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL DE IÚNA, BIBLIOTECA PÚBLICA MUNICIPAL MARIA TEREZINHA DE CASTRO GONÇALVES, CÂMARA MUNICIPAL DE IÚNA, CASA DE CULTURA DE IÚNA, CENTRO DE FORMAÇÃO DE CONDUTA ALIANÇA, CENTRO EDUCACIONAL INFANTIL CRECHE CASULO, CLUBE DO CAVALO SS TRINDADE, CRECHE PINGO DE GENTE, CRECHE RAIO DE LUZ, E.E.E.F. DR. NAGEM ABIKAHIR, E.E.E.F.M. HENRIQUE COUTINHO, E.E.E.F.M. PADRE AFONSO BRAZ, E.E.M.E.F. DELFINO BATISTA VIEIRA, E.M. ALTO TRINDADE, E.M. CÓRREGO DA BOA SORTE, E.M. CÓRREGO DO MEIO, E.M. MARIA SCARDINI JUSTO, E.M. SANTO ANTONIO DAS PEDRAS, E.M.E.F. DALILA CASTRO RIOS, E.M.E.F. ELZA DE CASTRO, E.M.E.F. P. ALDA LOFUGO DE CASTRO, E.M.E.F. SÃO CRISTOVÃO, E.M.P.G. DEOLINDA AMORIM DE OLIVEIRA, ESCOLA BARRO BRANCO, ESCOLA JOSÉ DOMINGO AMORIM, FACULDADE DE CIÊNCIAS GERENCIAIS DE IÚNA (DOCTUM), FACULDADE PORTO SEGURO (FAPS), INCAPER ELDR IÚNA, IÚNA CAMPESTRE CLUBE, LIONS CLUB INTERNACIONAL DE IÚNA, MINISTÉRIO TEATRAL ENDUNAMOO, PASTORAL DA SAÚDE DE IÚNA, POLÍCIA AMBIENTAL DE IÚNA, POSTO DE SAÚDE BAIRRO QUILOMBO, POSTO DE SAÚDE NOSSA SENHORA DA PENHA, PREFEITURA MUNICIPAL DE IÚNA, PRONTO SOCORRO DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SOCIAL DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE CULTURA E TURISMO DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE ESPORTE DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DE IÚNA, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE IÚNA, SOCIEDADE CIVIL SANTA CASA DE MISERICÓRDIA, SUB SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO URBANO DE IÚNA, UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS, UNIDADE DE SAÚDE DE PEQUIÁ, UNIDADE DE SAÚDE TRINDADE. ENTIDADES EMPRESARIAIS: AGROPECUÁRIA CASINI, ALMEIDA E FILHO TERRA PLENAGENS LTDA., AUTO BRASIL, AUTO POSTO LORENA, BANCO DA TERRA AGÊNCIA DE IÚNA, BANCO DO BRASIL AGÊNCIA DE IÚNA, BANDES (BANCO DE DESENVOLVIMENTO DO ESPIRITO SANTO S/A) AGÊNCIA DE IÚNA, BANESTES AGÊNCIA DE IÚNA, C & R CALÇADOS, CAIXA ECONÔMICA FEDERAL DE IÚNA, CARLITO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, CASA DO AÇÚCAR, CASA DO CONSTRUTOR, CASA JORDEM, CASINI CAFÉ, CONFECÇÃO 1 À 10, COOPERATIVA AGRARIA DOS CAFEICULTORE DE IÚNA (CACIL), COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL DE DESENVOLVIMENTO SOLIDÁRIO DE IÚNA (CREDISOL), DERNERVAL VEÍCULOS, DINÂMICA CONTABILIDADE, DROGARIA DIMAS, DROGARIA NACIONAL, DROGARIA SÃO JUDAS TADEU, EMPRESA DE CORREIOS E TELÉGRAFOS DE IÚNA, GILDA MADEIRAS, GRÁFIA SANTISSIMA TRINDADE, H²R ENGENHARIA LTDA, HOTEL SÃO JUDAS TADEU, IÚNA MADEIRAS, IUNIM LATICINIOS, JOBIM MATERIAL DE CONSTRUÇÃO, JONE GONÇALVES ARQUITETURA, LANCHONETE CAPICHABA, LAU MODAS, LICOOB CREDICAF, LOJA ALTERNATIVA, LOJAS IMAGEM, MADEKIM, MAXIMU´S, MEGA SOM, MELITO & CIA, MERCADO DO JONAS, MERCEARIA DO LOURIVAL, MERCEARIA DO ROMARIO, MERCEARIA FONSECA, MERCEARIA OGGIONE, NOSSOCRÉDITO DE IÚNA, O PANTERÃO, ORTECONTE CONTÁBIL, ÓTICA DO HELDER, PADARIA NASCIMENTO, POSSATI CONFECÇÕES E CALÇADOS, PS ESTOFADOS, RJ PRESTADORA DE SERVIÇOS E ACESSÓRIA AGRICOLA LTDA, SÃO JOSÉ SUPERMECADOS, STYLUS, THALES TUR, UNIMAG INDUSTRIAL, UNIMED - ES, VALFRIDE CAFÉ, VIGILÂNCIA E SEGURANÇA EM GERAL S/S LTDA (VSG). ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: 1ª IGREJA BATISTA DE IÚNA, 2ª IGREJA PRESBITERIANA DE IÚNA, ALCOOLICOS ANONIMOS (AA) DE IÚNA, ASSOCIAÇÃO 3ª IDADE, ASSOCIAÇÃO CAPIXABA DE AGRICULTORES ORGÂNICOS DE IÚNA, ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE IÚNA,


ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE ALTO TRINDADE (ASCAIT), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE PERDIÇÃO (ACP), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DO BARRO BRANCO (ACBB), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DO RIO PARDINHO (ACORP), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DO SOCORRO (ACS), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA FIGUEIRA (ACF), ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA SÃO SEBASTIÃO DE SANTA CLARA (ACOSECI), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE SS TRINDADE, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PITO (ANOSPI), ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE IÚNA, ASSOCIAÇÃO DOS AGRICULTORES FAMILIARES BELA VISTA, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO NOSSA SENHORA DA PENHA, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO VILA NOVA (AMORVN), ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES ARTESANAIS E DO AGROTURISMO DE IÚNA, CENTRO COMUNITÁRIO LEÃO PARDO CASA DA CRIANÇA, CENTRO DE APOIO SOCIAL ALIANÇA (CASA), CENTRO ESPÍRITA JONAS F. S., CENTRO ESPÍRITA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO, CENTRO JOÃO FRANCISCO DE JESUS, COMUNIDADE SAGRADO CORAÇÃO DE ALTO TRINDADE (IGREJA DE ALTO TRINDADE), DELTA MAÇONICA FILHOS DE LUZ E VIRTUDE DE IÚNA, FEDERAÇÃO DE ASSOCIAÇÕES COMUNITÁRIAS RURAIS DE IÚNA E IRUPÍ (FACI), FEIRA LIVRE DO PRODUTOR HORTIFRUTIGRANJEIRO DE IÚNA, GRUPO DE AÇÃO SOCIAL E AMBIENTAL (GASA), IGREJA ADVENTISTA DO 7º DIA, IGREJA ASSEMBLÉIA CAMPOS DE IÚNA (IGREJA DO ALTO TRINDADE), IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE IÚNA I, IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE IÚNA II, IGREJA COMUNITÁRIA SÃO JORGE, IGREJA MARANATA DE IÚNA, IGREJA METODISTA DE TRINDADE, IGREJA MOVIMENTO DO ADVENTO DE IÚNA, IGREJA NOSSA SENHORA DA PENHA (IGREJA DE UBERABA), IGREJA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS, IGREJA PRESBITERIANA RENOVADA DE IÚNA (IPRI), IGREJA SÃO JOÃO BATISTA, IGREJA SÃO VICENTE DE PAULA, IGREJA UNIVERSAL DO REINO DE DEUS DE IÚNA, PASTORAL DA CRIANÇA DE UBERABA, PASTORAL DA ECOLOGIA DE IÚNA, PROGRAMA DE ERRADICAÇÃO DO TRABALHO INFANTIL (PETI) DE IÚNA, SÃO MIGUEL ARCANJO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA, MEIO AMBIENTE E AGRONEGÓCIO DE IÚNA, SINDICATO DOS AGRICULTORES FAMILIARES E ASSALARIADOS RURAIS DE IÚNA E IRUPÍ, SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE IÚNA E IRUPI, SINDICATO PATRONAL RURAL DE IÚNA, SOCIEDADE ESPÍRITA SANTO ANTONIO DE LUZ. MÍDIA: AS DA SILVA, COMUNIDADE CATÓLICA NOSSA SENHORA DA PENHA (CARRO DE SOM), CYBER ESPAÇO, GRÁFICA SS, IGREJA ASSEMBLEIA DA SANTISSIMA TRINDADE (AREA DE COMUNICAÇÃO), IGREJA NOSSA SENHORA APARECIDA (AREA DE COMUNICAÇÃO), IGREJA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS (CARRO DE SOM), JORNAL COMUNICATTO, LABORATÓRIO DE INFORMATICA ESTADUAL, MÉLITO SEGUROS E INFORMÁTICA, PLAY ONE INFORMÁTICA, PORTAL DO CAPARAÓ.

caparaó capixaba vale mais

JERÔNIMO MONTEIRO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: AGENTES

120

COMUNITÁRIOS DE SAÚDE (ACS), CÂMARA MUNICIPAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, CENTRO EDUCACIONAL CLARICE LISPECTOR (CEL), E.E.E.F.M. JERÔNIMO MONTEIRO, E.M. NICOLAU BORGES, INCAPER ELDR JERÔNIMO MONTEIRO, INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PUBLICOS DE JERÔNIMO MONTEIRO, JARDIM DE INFÂNCIA DIVA SAVIATO DUARTE, LABORATÓRIO DE GEOPROCESSAMENTO DO NÚCLEO DE ESTUDOS E DE DIFUSÃO DE TECNOLOGIA EM , FLORESTA E RECURSOS HÍDRICOS (NEDTEC), PREFEITURA MUNICIPAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, PROGRAMA DE AÇÃO SOCIAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, PROGRAMA SAÚDE DA FAMÍLIA (PSF) DE JERÔNIMO MONTEIRO, PROJETO TELEMAR DE EDUCAÇÃO (PTE), SECRETARIA MUNICIPAL DE AÇÃO SOCIAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, SECRETARIA MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO ECONÔMICO E SOCIAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE JERÔNIMO MONTEIRO, SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS DE JERÔNIMO MONTEIRO, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE JERÔNIMO MONTEIRO. ENTIDADES EMPRESARIAIS: AGROPECUÁRIA CAPUCHO, ARMARINHO WALFRAN, BANESTES AGÊNCIA DE JERÔNIMO MONTEIRO, BAR E MERCEARIA

NOVO PROGRESSO, BIG LAR, BOUTIQUE ARCO IRIS, CASA DE PASSAGEM, CASA SOUZA, CENTRAL DO PRODUTOR, CONFECÇÕES RONILSO, CONSTRULAR, COOPERATIVA DE COSTUREIRAS DE JERÔNIMO MONTEIRO, COOPERATIVA DOS CAFEICULTORES DO SUL DO ESTADO DO E. SANTO (CAFESUL), FÁBRICA DE VASOS, FARMACIA FONTOURA, FARMÁCIA JEROMENSE, FAZENDA ORIENTE, FISIOBELE, GAVA, HOTEL E CHURRASCARIA FOGÃO À LENHA, HOTEL KLEYDE, MICRUS INFORMÁTICA, MIL COISAS, NINI MODAS, ÓTICA VITÓRIA, PADARIA LOUZADA, PADARIA PÃO NOSSO DE JERONIMO MONTEIRO, PAPELARIA BRAGA, PAULINHO ELETRICISTA, PÉ E CIA CALÇADOS E ACESSÓRIOS, PESTALOZZI, RANCHARIA, ROSA E JARDIM, SERRARIA PANDICO, SHOPPING 1,99, SM ESPORTES E PRESENTES, SM MODAS, SUPERMERCADO SÃO LUIZ. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ARTE E MANHÃS, ASSOCIAÇÃO COMUNITÁRIA DE ALIANÇA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA FAZENDA VELHA (AMFAVE), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DA RUA DE CIMA (AMORCI), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE JERÔNIMO MONTEIRO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO BOA ESPERANÇA, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO PARADA CRISTAL, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO VILA CRUZEIRO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES PARADA CRISTAL, ASSOCIAÇÃO DE PRODUTORES RURAIS DE JERÔNIMO MONTEIRO, BIBLIOTECA MARIA GEAQUINTO, CASA DE AMPARO AO IDOSO MARIA BOSSOIS LANES, CLUBE DO CAVALO DE JERÔNIMO MONTEIRO, COMUNIDADE DA ANDORINHA, COMUNIDADE DA FLORESTINHA, CONSELHO DE PASTORES E LIDERES EVANGÉLICOS DE JERÔNIMO MONTEIRO (COPLEJEM), CONSELHO MOVIMENTO AGRÍCOLA DO MUNICÍPIO DE JERÔNIMO MONTEIRO, CONSELHO TUTELAR DE JERÔNIMO MONTEIRO, ESCOLA ESPECIAL GILSON CARONE C. L., FOLIA DE REIS MIRIM DA “NICOLAU BORGES”, FUTEBOL FEMINO JERÔNIMO MONTEIRO, GRUPO DA 3ª IDADE DE JERÔNIMO MONTEIRO, IGREJA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE JERÔNIMO MONTEIRO, IGREJA BATISTA RENDENTOR DE JERÔNIMO MONTEIRO, LOJA MAÇÔNICA DEODECIO RAMOS, MISSÃO EXERCÍCIO DA VIDA, PARÓQUIA DE JERÔNIMO MONTEIRO, PRIMEIRA IGREJA BATISTA (PIB) DE JERÔNIMO MONTEIRO, SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE JERÔNIMO MONTEIRO, SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE JERÔNIMO MONTEIRO, SINDICATO PATRONAL RURAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, SINDICATO RURAL DE JERÔNIMO MONTEIRO, SOCIEDADE CIVIL ANDORINHAS, SOCIEDADE SÃO VICENTE DE PAULA DE JERÔNIMO MONTEIRO. MÍDIA: CARRO DO TICÃO, INFORMATIVO ANUNCIAI, INK - EXPRESS, JORNAL DA ESTADUAL, JR ARTES, MM LETRAS, SONORIZAÇÃO CLB, SONORIZAÇÃO XHIP’S, UVV - EM AÇÃO.

MUNIZ FREIRE - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: CÂMARA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE, CENTRO DE EDUCAÇÃO INFANTIL TANIA APARECIDA NICOLAU, CENTRO TECNOLÓGICO DE DESENVOLVIMENTO REGIONAL E SETORIAL (CTDRS) DE MUNIZ FREIRE, COAB DE MUNIZ FREIRE, DELEGACIA DE POLICIA CIVIL DE MUNIZ FREIRE, DEPARTAMENTO DE CULTURA E TURISMO DE MUNIZ FREIRE, E.E.E.F.M. ARQUIMIMO MATTOS, E.E.E.F.M. BRAULIO FRANCO, E.E.E.F.M. PROFESSORA LIA THEREZINHA MERÇON ROCHA, E.M.E.F. SANTA JOANA, ESCOLA PLURIDOCENTE MUNICIPAL SANTO ANTONIO DO AMORIM, INCAPER ELDR MUNIZ FREIRE, JARDIM DE INFÂNCIA ADEMAR VIEIRA DA CUNHA, PREFEITURA MUNICIPAL DE MUNIZ FREIRE, SANTA CASA DE MISERICÓRDIA JESUS, MARIA, JOSÉ, SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE FINANÇAS DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE OBRAS DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE MUNIZ FREIRE, SECRETARIA MUNICIPAL DE SEGURANÇA PÚBLICA DE MUNIZ FREIRE, UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO (UFOP). ENTIDADES EMPRESARIAIS: AGROPECUÁRIA SÃO MIGUEL, AUTO PEÇAS ALONSO LTDA, BANCO DO BRASIL AGÊNCIA DE MUNIZ FREIRE, CAMPO VERDE VALE FÉRTIL AGRÍCOLA, CASA RURAL DE


121

MUNIZ FREIRE, CONSTRULAR (ALONSO MATERIAL DE CONSTRUÇÃO), COOPERATIVA DA TERRA CAPIXABA (COOPERATIVA DE TRABALHO, DE PRODUÇÃO DE ALIMENTOS E, ARTESANATO DO E.S.), DA MARCIA PRODUTOS CASEIROS, DROGARIA SÃO CAMILO, EDGAR AUTO PEÇAS AUTOMOTIVAS, ELITE TECNOLOGIA, FOTO FELLETI, G & S CONSULTORIA E CONSTRUÇÃO LTDA, HOTEL ALMEIDA, INDÚSTRIA DE BISCOITOS DA MARIA, LABORATÓRIO VIDA, LOJA 5 IRMÃOS, LOJA MANIA DE PÃO, MANIA DE GENTE, MASTER MIND GAME, MERCEARIA SOARES, MILENIUM VÍDEO LOCADORA, MINERAÇÃO CURIMBABA LTDA, NUANCE INSTITUTO DE BELEZA, PADARIA MANOEL ALONSO PAULUCIO E FILHOS LTDA, PADARIA NOSSA SENHORA DA PENHA, POSTO AUTO PEÇAS IRMÃOS AREIAS LTDA, RESTAURANTE CANECÃO, RIFLETTI INDUSTRIA E COMERCIO DE MOVEIS LTDA, SAMARCO MINERAÇÃO S/A, SUPERMERCADO BC, TERMINAL RODOVIÁRIO JOSÉ AREAS SOBRINHO, . ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO E CULTURA DE MUNIZ FREIRE, AGRICULTURA FAMILIAR, ASSENTAMENTO DO STR, ASSOCIAÇÃO ATLÉTICA BANCO DO BRASIL (AABB) DE MUNIZ FREIRE, ASSOCIAÇÃO CAPIXABA DE AGRICULTORES (ACA), ASSOCIAÇÃO DA CRIANÇA ADOLESCENTE E MATERNIDADE, ASSOCIAÇÃO DAS VOLUNTÁRIAS DE MUNIZ FREIRE, ASSOCIAÇÃO DE CRÉDITO FUNDIÁRIO (AFARAC), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE ITAICI, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO SÃO SIMÃO, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DO BAIRRO SÃO VICENTE, ASSOCIAÇÃO DE MORADORES E AMIGOS DO BAIRRO BOM JARDIM, ASSOCIAÇÃO DE PAIS E AMIGOS DOS EXCEPCIONAIS (APAE) DE MUNIZ FREIRE, ASSOCIAÇÃO DO BANCO DA TERRA (AFRUV), ASSOCIAÇÃO DO GRUPO DA MELHOR IDADE, ASSOCIAÇÃO DOS MORADORES DO BAIRRO SÃO FRANCISCO, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE AGUAS CLARAS E BOA ESPERANÇA, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE ASSUNÇÃO, ASSOCIAÇÃO DOS PRODUTORES DE SANTO ANTONIO DO AMORIM (AAPA), CENTRO DE CULTURA ITALIANA DE MUNIZ FREIRE, CÍRCULO DOS TRABALHADORES CRISTÃOS DE MUNIZ FREIRE, COMERCIAL SPORT CLUBE, COMUNIDADE SANTA CECÍLIA, COMUNIDADE SÃO FRANCISCO DE ASSIS (PARÓQUIA DIVINO ESPÍRITO SANTO), CONSELHO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO RURAL SUSTENTÁVEL (PRONAF) DE MUNIZ FREIRE, CONSELHO TUTELAR DE MUNIZ FREIRE, ESCOLA DE SAMBA DEIXA FALAR, ESCOLINHA DE FUTEBOL MUNIZ FREIRE, FOLIA DE SANTOS REIS, IGREJA ASSEMBLEIA DE DEUS DE MUNIZ FREIRE, IGREJA BATISTA DE MUNIZ FREIRE, IGREJA CRISTÃ MARANATA DE MUNIZ FREIRE, IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE MUNIZ FREIRE, IGREJA EVANGÉLICA ASSEMBLÉIA DE DEUS DE MUNIZ FREIRE II, IGREJA PRESBITERIANA DE MUNIZ FREIRE, INSTITUTO DE DEFESA AGROPECUÁRIA E FLORESTAL DO ES (IDAF) DE MUNIZ FREIRE, LIRA MUNIZFREIENSE, MOTO CLUBE DE MUNIZ FREIRE, MUNIZ FREIRE CAMPESTRE CLUBE, MUNIZ FREIRE FUTEBOL CLUBE, ORGANIZAÇÃO DA SOCIEDADE CIVIL DE INTERESSE PÚBLICO (OSCIP) DE MUNIZ FREIRE, SINDICATO DOS SERVIDORES PÚBLICOS DE MUNIZ FREIRE, SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE MUNIZ FREIRE, SINDICATO PATRONAL DE MUNIZ FREIRE, SINDICATO RURAL DE MUNIZ FREIRE. MÍDIA: DJ BARBOSA SONORIZAÇÃO, PROGAGANDA E MARKETING, FABRÍCIO SOARES MOTTA CARRO DE SOM E ANÚNCIOS, JORNAL DA CÂMARA DE MUNIZ FREIRE, RÁDIO MIX PUBLICIDADE.

SÃO JOSÉ DO CALÇADO - ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA:CÂMARA MUNICIPAL DE SÃO JOSE DO CALÇADO, CONSELHO ESCOLAR MERCÊS GARCIA VIEIRA, DEPARTAMENTO MUNICICAL DE MEIO AMBIENTE DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, E.E.E.F.M. MERCÊS GARCIA VIEIRA, E.M. MOACYR TEIXEIRA GARCIA, E.M.E.F. MARÍLIA REZENDE S. COUTINHO, INCAPER ELDR SÃO JOSÉ DO CALÇADO, INSTITUTO ESTADUAL DE SAÚDE PÚBLICA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, JARDIM DE INFÂNCIA MARIETA CASTRO, PREFEITURA MUNICIPAL DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA DE SEGURANÇA PÚBLICA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA MUNICIPAL DE AGRICULTURA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SECRETARIA MUNICIPAL DE SAÚDE DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO. ENTIDADES EMPRESARIAIS: AÇOUGUE E MERCEARIA MODELO, ATUAL MODAS, BAR E MERCEARIA JOSÉ DIMAS, BAZAR LAUDY GABRIELE, BORRACHARIA MURUCI, CASA RIBEIRO DE ABREU, COMPANHIA ESPÍRITO SANTENSE DE SANEAMENTO (CESAN), COOPERATIVA AGROPECUÁRIA CALÇADENSE (CAC), DENDERÊ, FLORICULTURA DOCE ARTE, FOTO E VÍDEO SÃO JORGE, LINFASO CONSTRUTORA, LOJA DA FATIMA, LOJÃO DOS MÓVEIS, MAQUINA DE ARROZ, MERCADO NOSSA SENHORA APARECIDA, MERCEARIA REZENDE, NUTRICANDO, OPÇÃO MODAS, ÓTICA AVENIDA, PADARIA BELEM, PADARIA DA HAYDÉE, PADARIA PÃO NOSSO, PAPELARIA PONCIOS, PASSARELA CALÇADOS, POSTO PASSOLINE, POSTO REZENDE, PROTEUS TECNOLOGIA, SERRALHERIA SÃO JOSÉ, SUPERMERCADO DO POVO, SUPERMERCADO PASSALINE. ENTIDADES SEM FINS LUCRATIVOS: ACADEMIA CALÇADENSE DE LETRAS (ACL), ALCOÓLICOS ANÔNIMOS (AA) DE SÃO JOSE DO CALÇADO, ASSOCIAÇÃO CALÇADENCE DE DEFESA DO MEIO AMBIENTE (ACADEMA), ASSOCIAÇÃO COMERCIAL DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO (ACISJC), ASSOCIAÇÃO DE MORADORES DE SERRA PELADA, ASSOCIAÇÃO DOS DEFICIENTES FÍSICOS (ADEFISC) DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES POUSO ALTO, ASSOCIAÇÃO DOS TRABALHADORES RURAIS DE ALTO CALÇADO (ASTRARAC), ASSOCIAÇÃO FAZENDA ESTRELA, BANDA MARCIAL TEREZINHA JULIANA, CENTRO DE ATENÇÃO PSICOSSOCIAL (CAPS), CONSELHO DE DESENVOLVIMENTO RURAL DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, CONSELHO PASTORAL PAROQUIAL (CPP) DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, COOPERATIVA DE CRÉDITO RURAL DO BRASIL (SICOOB), GRUPO DE ORAÇÃO SÃO PAULO APÓSTOLO, GRUPO DE ORAÇÃO SERVOS DA MISERICÓRDIA, IGREJA BATISTA EM SÃO JOSÉ DO CALÇADO, IGREJA CATÓLICA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, IGREJA CRISTÃ MARANATA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, IGREJA METODISTA WESLEYANA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, LOJA MAÇÔNICA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, MINISTÉRIO DE MÚSICA FRUTOS DA MISERICÓRDIA, MINISTÉRIO DE MÚSICA IMACULADO CORAÇÃO DE MARIA, MINISTÉRIO DE MÚSICA SAGRADA CORAÇÃO DE JESUS, MINISTÉRIO DE ORAÇÃO POR CURA E LIBERTAÇÃO, MINISTÉRIO JOVEM CORAÇÃO EM CHAMAS, NOSSA SENHORA AUXILIADORA E SÃO GERALDO MAZELA, PARÓQUIA DA MATRIZ DE SÃO JOSÉ, PASTORAL DA CRIANÇA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, PROJETO ETNIAS, SINDICATO DOS PRODUTORES RURAIS DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SINDICATO DOS TRABALHADORES RURAIS DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO, SOCIEDADE SÃO VICENTE DE PAULA DE SÃO JOSÉ DO CALÇADO NATUREZA, JORNAL A ORDEM, MOTO SOM DO SARNEY, RÁDIO 105.1 FM DE SÃO JOSE DO CALÇADO, SERVIÇO DE ALTO FALANTE S.J. DIFUSORA CALÇADENSE, SOM DO LUIS, TV CÂMARA SÃO JOSE DO CALÇADO.



Plano Desenvolvimento Sustentável Caparaó