Page 98

PARTE 3

A trajetória vitoriosa da Credicitrus

Modo de formação dos fundos - os fundos serão formados mediante a reunião voluntária de quotas de contribuição dos associados, com valores iguais ou múltiplos de 500 BTNs (Bônus do Tesouro Nacional), com as seguintes denominações: a) Fundo Rotativo de Custeio e/ou Investimento Agropastoril (prazo mínimo de retenção de 30 dias); b) Fundo Rotativo de Comercialização Agropastoril (prazo mínimo de retenção de 30 dias); c) Fundo Rotativo de Industrialização Agropastoril (prazo mínimo de retenção de 60 dias).

Aplicação dos recursos: a) em operações de financiamento, custeio e investimento agropecuário, segundo as normas do Banco Central; b) no desconto de legítimos efeitos comerciais para preparo da comercialização e/ou industrialização da produção agrícola e/ou pecuária dos associados; c) em operações de financiamento para industrialização da produção agropastoril do associados. As eventuais disponibilidades não utilizadas nas aplicações citadas serão aplicadas no mercado financeiro, em estabelecimentos de crédito idôneos, preferencialmente oficiais, com o objetivo de assegurar a integridade dos recursos e evitar a corrosão pela inflação.

Remuneração dos fundos – os resultados operacionais, após efetivada a correção monetária das quotas, será devolvido aos investidores e, deduzidas as despesas operacionais, terão a seguinte destinação: a) 10% para o Fundo de Reserva Legal; b) 5% para o FATES; c) mínimo de 20% para capitalização do associado investidor; d) o remanescente será destinado ao associado investidor.

Os Fundos Rotativos foram apresentados, na AGO de 20 de fevereiro de 1991, como a redenção da Credicitrus, contribuindo para amenizar as dificuldades resultantes da extinção do BNCC.

Livro "Credicitrus - Um exemplo da força do cooperativismo de crédito  

Livro de comemoração dos 25 anos da Credicitrus.

Advertisement