Page 140

PARTE 3

A trajetória vitoriosa da Credicitrus

Gestão compartilhada A gestão compartilhada e estruturada por comitês elimina o risco de determinadas decisões se concentrarem nas mãos de apenas uma pessoa, cuja ausência poderia comprometer o andamento normal das atividades da cooperativa e os resultados esperados. Esse estilo administrativo dá maior agilidade às operações, concorre para manter o elevado padrão ético em todas as atividades e ainda contribui para a disseminação a todos os níveis hierárquicos dos valores e princípios que orientam a conduta da Credicitrus perante seus cooperados, as demais instituições financeiras e as comunidades em que está presente.

Responsabilidade corporativa É o fator que completa a governança, significando que é preciso zelar também pela sustentabilidade da organização, incluindo considerações de ordem social, econômica e ambiental. Em outras palavras, entende-se como sustentável a organização cujas atividades forem, ao mesmo tempo, socialmente justas, economicamente viáveis e ambientalmente adequadas. Leopoldo Pinto Uchôa assim justificava as preocupações da Credicitrus no que diz respeito à sustentabilidade: “Não adianta sermos muito eficientes em termos de negócios, gerar bons resultados aos nossos cooperados, se nos esquecermos de nossas responsabilidades perante a sociedade, a começar por nossos recursos humanos e se estendendo às comunidades em que atuamos, e se deixarmos de lado nossas preocupações com a proteção ambiental, seja em nossas próprias atividades, seja no incentivo e no apoio aos cooperados para que façam o mesmo. Se formos negligentes quanto a esses aspectos, ameaçaremos a perenidade de nossa cooperativa”.

Equipe profissional “Qualidade se faz com gente de qualidade” repetia freqüentemente Walter Ribeiro Porto, fundador das cooperativas que compõem o Sistema Coopercitrus. Nesse sentido, a Credicitrus mantém uma estrutura administrativa simplificada, procurando limitar sua equipe ao estritamente necessário, com o objetivo de manter seus custos sob controle também nessa área. Para promover o constante aperfeiçoamento dessa equipe, a cooperativa mantém programas internos de capacitação, bem como convênios com entidades externas, como a OCESP – Organização das Cooperativas do Estado de São Paulo, o SESCOOP – Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo, o SICOOB Central Cocecrer – Cooperativa Central de Crédito Rural do Estado de São Paulo e a FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos. Adicionalmente, criou em 2003 o MBA (mestrado em administração de empresas com foco na gestão do agronegócio e no cooperativismo), destinado não só a funcionários da cooperativa, mas igualmente a cooperados e filhos destes, com o objetivo de criar uma elite gerencial capacitada a assumir funções mais elevadas na Credicitrus no futuro, nos mesmos moldes profissionais que determinaram seu crescimento e sua solidez. Para assegurar que o MBA tivesse o mais alto nível

Livro "Credicitrus - Um exemplo da força do cooperativismo de crédito  

Livro de comemoração dos 25 anos da Credicitrus.