Page 1


Neste estudo, direcionado à aproximação do objeto, é estabelecido como objetivo analisar o comportamento de uma pessoa que mantém ou freqüenta blogs, ou seja, diários virtuais que se proliferam na internet como ferramentas de uma narrativa híbrida, tendo como ponto de partida o contexto social e tecnológico no qual estes estão inseridos. O caráter deste contexto revela-se composto, por um lado, pela livre expressão e interpretação das informações e, por outro, pelas incertezas decorrentes das mesmas. Para tanto, identificou-se as principais características e peculiaridades que envolvem a blogsfera – um meio que representa, simultaneamente, a individualidade e a coletividade, dimensões presentes no imaginário da sociedade pós-moderna. Por fim, considerou-se a blogsfera como sendo um reflexo comportamental da cultura contemporânea e da individualização dentro da sociedade como um todo, cuja principal pretensão é o elogio à subjetividade. Palavras-Chave: Blogsfera, Cultura Digital, Comportamento. Marcos Beccari: Estudante do 4° ano em Bacharelado em Design Gráfico (UFPR) e do 4° ano em Tecnologia em Artes Gráficas (UTFPR). Endereço eletrônico: beccariarts@gmail.com

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 2/12


Jornais, rádio, televisão, etc.

Informação

Narração de todos para todos.

Blogs

Contexto: os meios se sobrepõem às informações e às linguagens. Internet: contexto cultural e artefato midiático ao mesmo tempo, assim como os blogs (HINE, 2005). Objeto de Estudo: Blogs

Artefato Midiático

Objetivo: Incertezas Blogsfera

interpretativas comportamentais

Decisão de se criar um blog motivações individuais individualidade X incertezas coletivas

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 3/12


Contexto histórico: (Friedmann, 2005) • Globalização 1.0 (1942-1800): grande - médio • Globalização 2.0 (1800-2000): médio - pequeno • Globalização 3.0 (2000-...): pequeno - minúsculo mundo construído com foco no indivíduo Cenários da escrita e da leitura: (chartier, 1996) 1. rolo 2. códice manuscrito 3. livro impresso

X

escrita digital - HIPERTEXTO (interação entre interagentes)

Tipos de Hipertexto: (PRIMO, 1998) • Potencial: texto imutável, caminhos e movimentos previstos. • Cooperativo: todos os envolvidos compartilham a invenção de um texto comum. • Colagem: administração, reunião das partes, seleção, deliberação, etc. Blogs c/ comentários “não-lugar” (antropologia)

Hipertexto Cooperativo a cada intervenção, o texto como um todo se mostra diferente aos seus autores.

identidade opaca pela sobreposição exacerbada de modelos interpretativos (AUGÉ, 2006).

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 4/12


Jornalismo / Comunicação Social: (CUNHA, 2008) complemento à produção de informação

Blogs

X excesso de informação equivocadas e plágio Jornalista

Leitor

Atrativos da Blogsfera: leitor tradicional leitor escritor

“narrador independente” espaço p/ livre debate de idéias

não pode alterar nem ameaçar o conteúdo do texto. hábito “hipertextual” de diálogo entre leitores e escritores.

será que de fato há um novo tipo de relacionamento entre escritores e leitores? Estarão os leitores, em seus comentários, críticas e sugestões, participando da produção dos textos on-line? Entrevista com autores de blogs: motivos

Artigo “Escritores de Blogs: interagindo com ou apenas ouvindo Ecos?” (Di Luccio & Nicolaci-da-Costa, 2007)

• liberdade de expressão (sem restrições/regras); • laboratório criativo; • saber as opiniões dos leitores (interação direta).

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 5/12


II Guerra Mundial

transoformações

Incertezas de um mundo sedimentado em estruturas racionais

falência do discurso modernista

Estilo de vida contemporâneo (conceitos presenteístas): culto ao hedonismo, valorização do doméstico, barroquização da existência, vínculo comunitário, imersão no universo das redes tecnológicas de comunicação, prevalência da estética, resgate dos valores dionisíacos, lúdicos, oníricos, etc. Laço Social

o homem não é mais senhor do universo

EMOCIONAL

reconhecimento de si através do outro afetos e interesses compartilhados

INDIVIDUALISMO

“Não é mais a autonomia - eu sou minha lei - que prevalece, mas a heteronomia: a minha lei é o outro.” (MAFFESOLI, 2001) elementos arcaicos +

HETEROGENEIZAÇÃO

elementos contemporâneos Aldeia Global (MCLUHAN, 1969)

} com. oral

~ =

recuperação da unidade de sentido

com. virtual

=

com. escrita

}

contato imediato (LÉVY, 1999) III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 6/12


Sociedade como um jogo de simulações

Imaginário (espírito coletivo da sociedade)

estar-junto baseado na ética da estética

Hedonismo

Personas

prazeres e penas experimentados em comum gênio coletivo

imaginário

imagens e eventos compartilhados coletivamente

mensagens

imagéticas sonoras textuais

intimações

Tecnologia modernidade

contemporaneidade

Instrumento de racionalização e separação

ferramenta convival e comunitária

indivíduo possui uma função BLOGS

persona acima do indivíduo, possuindo um papel efêmero

estar-junto no cyberespaço

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 7/12


BLOGSFERA

expressão apropriação

SOBREMODERNIDADE

}

diálogo

Mercado Ideológico self-service

sensação de pensar por si próprio

coexistência de: particularismos X uniformização SER LÓGICA dos • passividade EXCESSOS • solidão • individualização

OUTRO • sentimentos • idéias • atitudes

informação

história se acelera breviedade da memória; imagens esquecimento individualização passividade (= do individualismo CONTATO CORPO A CORPO conquistador moderno) SOM/IMAGEM

opiniões induzidas

percebidas como pessoais relatos “pessoais”

BLOGS

pontos de vista e percepções (individuais/próprios/particulares)

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 8/12


RAZÃO COLETIVA • • • • •

INDIVIDUALIZAÇÃO

UNIFORMIDADE

ausência de valores sociais

presenteísmo; tribalismo; estar-junto; ideal comunitário; hedonismo.

passividade das massas (baudrillard, 1985) Identidade Contemporânea

Atores Sociais

Lógica dos Excessos

INCERTEZA COLETIVA

(MAFFESOLI, 1998)

(AUGÉ, 2006) Necessidades Emocionais

Hipermodernidade

(lipovetsky, 2004)

vínculos fundados em emoções semelhantes, próximas, de origem comum

excesso de referências espaciais, sociais e históricas (não) compartilhadas

Florescimento Pessoal

Satisfação Imediata

produção individualizada de todos para todos referências (não) compartilhadas

+

valores afetivos imediatistas

=

esvaziamento pessoal

enaltecimento pessoal

E/OU ?

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 9/12


hipertextos

identidade(?)

contexto

ferramenta tecnológica do imaginário coletivo

Blogs

Entrevista (Di Luccio & Nicolaci-da-Costa, 2007) interação com os leitores

motivos

porém

importância implícita à sessão de comentérios só elogios são bem-vindos

não se nota interação blogueiro-leitor

blogueiros apenas ouvem “ecos” de suas próprias palavras

estímulo/incentivo expressão de censura críticas não desejável ausência/silêncio desestímulo/desprezo do leitor visto como interferência desnecessária interação pelos autores (ao florescimento pessoal) elogios

COMENTÁRIOS

fóruns/bate-papo/e-mail

objetivo principal: interação

blogs/redes sociais/twitter

interação: objetivo secundário

Suposições

busca pelo sucesso momentâneo

estigma da cultura impressa

reality-shows/youtube

textos intocáveis/inquestionáveis uma vez prontos

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 10/12


ANTI REFORMISMO subjetivismo social

PESSIMISMO RELATIVISTA

PROBLEMÁTICA CÍCLICA

imaginário coletivo

Possíveis Conclusões: • blogs como meios mais próximos ao indivíduo do que a própria sociedade; • blogs como reflexos de um comportamento individualista que compartilha as “incertezas contemporâneas” de modo coletivo; • a “auto-referencialidade” impede o reconhecimento objetivo de um sujeito, mas lhe confere a singular capacidade de dar sentido a si mesmo e ao que faz; • autori(dade)a do escritor X (relativa) receptividade ao leitor. Especulações: blogueiros leitores de blogs admissão pública não blogueiro PERSONA dos próprios afinidade medos para deles construção de se libertar si mesmo pela vida quotidiana apropriação fragmentária enfoque soluções/resultados/certezas próprios blogueiros liberdade interpretativa círculos de si e para si blogsfera tribos? virtuais restritos III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 11/12


• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

AUGÉ, Marc. Sobremodernidade: do mundo tecnológico de hoje ao desafio essencial do amanhã. In: Moraes, Denis. Sociedade Midiatizada. Rio de Janeiro: Mauad, 2006. BAUDRILLARD, Jean. À sombra das maiorias silenciosas. O fim do social e o surgimento das massas. São Paulo: Brasiliense, 1985. CHARTIER, R.; Paire. A. Práticas da leitura. São Paulo: Estação Liberdade, 1996. ______. A aventura do livro: do leitor ao navegador. São Paulo: Editora UNESP, 1999. CUNHA, M. R. . Blogs: reinvenções em um cenário tecnológico. Interin (Curitiba), v. 5, p. 1, 2008. Di LUCCIO, Flavia e NICOLACI-DA-COSTA, Ana Maria. Escritores de Blogs: Interagindo com os Leitores ou Apenas Ouvindo Ecos?. Periódico “Psicologia, Ciência e Profissão”. Rio de Janeiro: PUC/RJ, 2007. GOSCIOLA, Vicente. Roteiro para novas Mídias. Do game à tv interativa. São Paulo: Senac, 2003. HINE, C.. Virtual Methods and the Sociology of Cyber-Social-Scientific Knowledge. In: HINE, Christine (Org.). Virtual Methods. Issues in Social Research on the Internet. Oxford: Berg, 2005. JUNG ROCHA, Paula. Blogs: sentimentos em rede compartilhados na pós-modernidade. Artigo (Revista FAMECOS n° 22). Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2003. KOZINETS, R. On Netnography: Inicial Reflections on Consumer Research InvestigationsofCyberculture. (1997). Disponível em http://research.bus.wisc.edu/rkozinets/printouts/kozinetsOnNetnography.pdf. Acesso em 8 set. 2009. ______. The Field Behind the Screen: Using Netnography For Marketing Research in Online Communities. (2002). Disponível em http://research.bus.wisc.edu/rkozinets/printouts/kozinetsFieldBehind.pdf. Acesso em 8 set. 2009. LEMOS, A. A arte da vida. Diários pessoais e webcams na Internet. Revista de Comunicação e Linguagem, Lisboa, 2002. ______. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. Porto Alegre: Sulina, 2002. LIPOVETSKY, Gilles. Os tempos hipermodernos. São Paulo: Editora Barcarolla, 2004. MAFFESOLI, Michel. A conquista do presente. Natal: Argos, 2001. ______. A contemplação do mundo. Porto Alegre: Artes e Ofícios, 1995. ______. A violência totalitária. Ensaio de antropologia política. Porto Alegre: Sulina, 2001. ______. No fundo das aparências. Petrópolis: Vozes, 1999. ______. O Conhecimento Comum. Compêndio da Sociologia Compreensiva. São Paulo: Brasiliense, 1988. ______. O tempo das tribos, o declínio do individualismo nas sociedades de massa. Rio de Janeiro: Forense, 1998. MCLUHAN, Marshall. Os Meios de Comunicação como Extensões do Homem. 12. Ed. São Paulo: Cultrix, 2002. MORIN, Edgar. A cabeça bem-feita: Repensar a reforma, reformar o pensamento. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2002. NICOLACI-DA-COSTA, Ana Maria. Sujeito e cotidiano: um estudo da dimensão psicológica do social. Rio de Janeiro: Editora Campus, 1987. PRIMO, A. F. T. Interação Mútua e Interação Reativa: uma proposta de estudo. Intercom 1998 - XXI Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação. Rio de Janeiro, 1998. RECUERO, R. Weblogs, webrings e comunidades virtuais, 2003. Disponível em http://www.pontomidia. com.br/raquel. Acesso em 8 set. 2009. SCHNEIDER, S. FOOT, K. Web Sphere Analysis: An Approach to Studying Online Action. In: HINE, C. (Org.).Virtual Methods. Issues in Social Research on the Internet. Oxford: Berg, 2005. TEIXEIRA PRIMO, Alex Fernando & CUNHA RECUERO, Raquel da. Hipertexto cooperativo: uma análise da escrita coletiva a partir dos Blogs e da Wikipédia. Artigo (Revista FAMECOS n° 22). Porto Alegre: Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, 2003. WITTGENSTEIN, Ludwig. Tratado Lógico-Filosófico. Investigações Filosóficas. São Paulo: Fundação Caloust Gulbenkian, 2002

MARCOS BECCARI beccariarts@gmail.com

“...cada um será, ao mesmo tempo, leitor e escritor, emitindo juízos sobre as instituições de seu tempo, quaisquer que elas sejam, além de refletir sobre os juízos emitidos pelos outros.” - sonho de Kant, citado por CHATIER (1998)

III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade | GT 14: Arte, Tecnologia e Sociedade | Blogs: o reflexo das incertezas coletivas | 12/12

Artigo "Blogs: o reflexo das incertezas coletivas" - Marcos Beccari  

Apresentação do artigo publicado no III Simpósio Nacional de Tecnologia e Sociedade (UTFPR, Curitiba, novembro de 2009), dentro do Grupo Tem...

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you