Issuu on Google+

Fornecedor 05.384.654/0001-80 Contratante 15.963.355/0001-53 Tiragem: 5.000

01


ÍNDICE

02

Transporte de

Qualidade

05

Saúde

08 09 10

Bolsa Valdomiro

Esportes

20 Orçamento

12

Mandatos

combativos

pág.

04

Tapa Buraco

13 16

Esgoto

17

Fiscalização

18

Máfia dos Fiscais

19

CPI Habitação

21

Cidade

Assistência

Expediente

pág.

pág.

Minha Casa, Minha Vida

Perímetro 22 urbano

Revista Pra Falar a Verdade Produção: Noroeste Mídia Assessoria e Publicidade Ltda. Diretor de Criação e Diagramação: Abraão Scatena Fotos: Cleber Fontoura, Fernando Stefanini E-mail: vereadormarcorillo@gmail.com facebook.com/marco.rillo.963 Fornecedor 05.384.654/0001-80 Contratante 15.963.355/0001-53 Tiragem: 5.000

pág.

Secretaria de Serviços Gerais

07 Suspensão

11

pág.

pág.

Cultura

pág.

06

14


EDITORIAL

03

Nem todos são iguais Marco Rillo tem uma história diferente dos demais políticos. Ele não se orienta apenas pelo projeto do partido e por disputas eleitorais. Ele se orienta por aquilo que lhe fez homem: o trabalho, a família, a honestidade, a verdade e a crueza dos fatos. A dura realidade de quem nasceu em uma família de sete irmãos, que perdeu a mãe aos cinco anos de idade e teve como mãe a irmã mais velha de 15 anos. A miséria material e afetiva ensinou-lhe desde cedo que indignação e solidariedade são valores, acima de tudo, de sobrevivência, tão essenciais à vida quanto a comida e o afeto, que tanto lhe faltaram na infância e na adolescência. Ele experimentou a discriminação, as dificuldades, a fome, a ausência da mãe e um mundo cheio de armadilhas. E sobreviveu a tudo isso com extrema força e dignidade. Eu não tenho a intenção de vitimar o vereador Marco Rillo, muito menos justificar a sua conduta. Falo aqui como filho e humanizo o personagem político que eu conheço há 35 anos. Esse breve histórico explica um pouco de onde vem o compromisso com a verdade e a honestidade desse homem. Quem nunca se rendeu à fome, à discriminação e ao preconceito social quando criança e adolescente não se dobra frente à corrupção ou ao jogo cínico, diplomático e coorporativo do poder, especialmente do parlamentar. É tido, por vezes, por alguns, como um parlamentar intransigente e incapaz de compor com seus colegas de vereança. De fato, não faz média, não agrada e não compõe com corruptos, pelo contrário, combate a corrupção frontalmente, sem medo e sem apego ao poder. Marco Rillo é um político incorruptível. Ele já sofreu três pedidos de cassação ao longo dos três mandatos e diversos processos legislativos internos, já respondeu a mais de 20 processos judiciais, sempre por dizer a verdade em relação a velhos esquemas de corrupção. Foi o único vereador na história do legislativo rio-pretense a ser suspenso por dizer o que pensa, da tribuna, onde a palavra do vereador teria que ser inviolável, principalmente no contexto da principal prerrogativa do poder legislativo, que é a fiscalização e a denúncia de indícios e práticas de corrupção. Apesar das inúmeras tentativas de calarem Marco Rillo, ele só cresceu em todas as suas votações. É o reconhecimento da sociedade pelo trabalho e serviços prestados à cidade, seja como secretário municipal de Serviços Gerais, como organizador cultural da igreja católica, como cidadão ativo dos movimentos sociais, como pai de família, ou como político legislador e parlamentar combativo, corajoso e lutador. Lutador das coisas justas, das causas dos mais pobres, dos que não têm vez e voz. Um político sem medo de falar a verdade. Este é Marco Rillo, a nossa certeza de ter na Câmara alguém que trabalha e luta por causas justas.


ÉTICA

04

MANDATOS COMBATIVOS A coerência e a ética são marcas da atuação do vereador Marco Rillo. Desde o primeiro mandato como vereador, em 1993, nas duas outras vezes em que foi eleito e quando assumiu como secretário de Serviços Gerais, sempre honrou os compromissos assumidos com as pessoas. O perfil fiscalizador foi definido na primeira eleição de Marco Rillo. Ele denunciou agressões de loteadores e agentes públicos ao planejamento urbano e expôs o esquema da Máfia da Carne, que resultou em um ressarcimento milionário aos cofres públicos.

Como secretário de Serviços Gerais, participando da administração de Edinho Araújo, manteve a postura crítica. Ele defendeu a criação do Semae, mesmo contra muitas opiniões que preferiam a privatização do serviço. De volta à Câmara em 2008, o parlamentar retoma a fiscalização do dinheiro público e aprofunda o trabalho em defesa dos direitos dos cidadãos. Transporte público, planejamento urbano, saúde, educação, saneamento, entre outros setores da cidade, voltaram a ter o parlamentar como aliado e combativo defensor.

Marco Rillo, sinônimo de seriedade, trabalho, respeito e coração aberto para sentir e atender o apelo da população.

Iolanda Bassitt Empresária


Um jeito

responsável de trabalhar

M

arco Rillo é um vereador conhecido pela sua combatividade, mas é também um experiente gestor. Ele foi funcionário da extinta Telesp, onde chefiava equipes de reparos na linha. Em 2001, assumiu a Secretaria Municipal de Serviços Gerais, responsabilizando-se por diversas ações de impacto no cotidiano da cidade, entre elas as relacionadas à manutenção e instalação de praças e áreas verdes. Ele imprimiu um novo ritmo à Secretaria, buscando competência, economia e profissionalização. Estabeleceu um fluxo de serviços, incentivou a comunicação entre os vários setores e recuperou maquinários e ferramentas. A serralheria, marcenaria e o setor elétrico foram implantados por Marco Rillo na Secretaria para, entre outros serviços, fabricarem bancos e lixeiras com o material sucateado de outros órgãos da administração. Com essas iniciativas e apesar do orçamento inferior a 1,5% do total, ele conseguiu resolver problemas antigos da Secretaria e criar um novo padrão de trabalho para a pasta. Ele criou 14 pontos de apoio espalhados pela cidade, instalou o serviço de call center para atendimento à população, colocou em funcionamento a usina de reciclagem de entulho, recuperou a draga do DAE (Departamento de Água e Esgoto) e desassoreou o lago I da Represa Municipal. A sede da Secretaria foi transferida para um local mais estratégico para o atendimento das demandas de toda a cidade e as equipes foram espalhadas por toda a cidade para que as ferramentas fossem guardadas próximas dos locais onde os funcionários faziam a manutenção das praças, jardins e vias públicas, descentralizando os almoxarifados.

Tenho muito orgulho de ter trabalhado com Marco Rillo. Ele foi um ótimo administrador, todos os problemas da Secretaria eram resolvidos da melhor maneira, ele tirava de letra. Também soube enfrentar as dificuldades financeiras da Secretaria como ninguém.

João Flores

Ex- encarregado Geral da Secretaria de Serviços Gerais

SECRETARIA

05


SUSPENSÃO

06

SUSPENSÃO MARCO RILLo é punido por falar a verdade

E

m uma decisão inédita na Câmara, os vereadores aliados do prefeito Valdomiro Lopes suspenderam o vereador Marco Rillo por sessenta dias, em outubro de 2010. O parlamentar do PT foi punido por ter defendido na tribuna, em 2009, melhorias no transporte urbano e questionado as relações suspeitas entre vereadores e empresas. Os vereadores favoráveis à suspensão desrespeitaram a proteção da Constituição Federal à opinião, palavra e

voto dos parlamentares no exercício do mandato. Rillo se indignou com a rejeição de mais um projeto que traria benefícios aos usuários de ônibus: “Isso é um processo tão livre, se ele fosse transparente e ninguém aqui recebesse dinheiro da Circular Santa Luzia, se alguém aqui não recebesse dinheiro das construtoras, talvez não fosse tão difícil passar um projeto desses”, disse, durante a sessão da Câmara.

“Parabéns pela suspensão que lhe foi imposta pela Câmara de nossa cidade. Ao meu ver, este evento deveria constar de seu currículo como fato altamente positivo de sua vida pública.”

Dr. Wilson Daher Médico Psiquiatra


TRANSPORTE PÚBLICO

DE QUALIDADE VEREADOR LIDERA MOVIMENTO PARA MELHORAR SISTEMA URBANO DE ÔNIBUS

O

debate iniciado pelo vereador Marco Rillo em 2010 pretendia melhorar o transporte público na cidade. Com o fim do prazo de uma longa concessão à empresa Circular Santa Luzia, a expectativa era estabelecer bases contratuais mais justas para a população. O movimento “Quero Transporte de Qualidade” iniciou o debate com a sociedade. Ao final, em junho de 2010, foram encaminhadas à Prefeitura as propostas para um sistema de transporte público mais eficaz e democrático. “Sugerimos a ampliação do número de miniterminais, de veículos da frota e a redução do tempo de espera e do tempo de viagem”, explica o vereador. Um novo contrato foi firmado sem as sugestões apresentadas pela sociedade. A administração do prefeito Valdomiro Lopes passou a oferecer, sem controle e transparência, subsídio para reduzir o preço das passagens para R$ 2. A falta de gestão e controle da Prefeitura levou as empresas a descumprirem o contrato. Dezenas de veículos da frota foram flagrados nas garagens e, embora obrigados a oferecer 100% dos veículos com acessibilidade, poucos são adaptados. Marco Rillo tentou questionar a Prefeitura sobre o problema, mas foi impedido pelos vereadores. O então secretário de Trânsito, Aparecido Capello, acabou perdendo o cargo por conta das denúncias.

Excesso de sinaleiros não combinados, falta de acessos rápidos e o excesso de lombadas deixam o trânsito de Rio Preto lento. Marco Rillo trouxe especialistas que apresentaram modelo do Transporte Coletivo de Uberlândia, para ser aproveitado em Rio Preto, mas houve omissão de interesse pelos representantes do Executivo em clara demonstração de desinteresse por um assunto tão sério.

Jorge Bassitt Engenheiro Civil

TRANSPORTE

07


SAÚDE

08

FRAUDE NOS NÚMEROS DA

DENGUE

O

O vereador Marco Rillo propôs, no início de 2011, a criação de CEI para investigar suposta fraude nos registros de casos de dengue na cidade. Líder no estado em número de casos, em 2010, Rio Preto iniciou 2011 na lista dos 70 municípios do país com

maior risco de infestação no Estado. A Prefeitura entrou na mira do Ministério Público por criar um sistema paralelo de contagem da dengue, com o objetivo de esconder a maior epidemia da doença que a cidade registrou em toda sua história. Testemunhas ouvidas pelo promotor Sérgio Clementino

confirmaram que houve orientação para esconder e estipular um “teto” para as notificações de casos de dengue no município. Para Marco Rillo, os indícios envolvendo o prefeito Valdomiro Lopes e o então consultor de Saúde José Humberto de Aguiar, conhecido como “Junior Baiano”, são fortes.


MARCO RILLo ALERTA E MINISTÉRIO PÚBLICO COMPROVA IRREGULARIDADE As Frentes de Trabalho, que ficaram conhecidas na cidade como “Bolsa Valdomiro”, foram criadas pelo prefeito Valdomiro Lopes logo que assumiu, em 2009. Centenas de pessoas foram contratadas sem cumprir as exigências legais e sem orientação adequada para as atividades que deveriam desempenhar.

O Ministério Público do Trabalho constatou várias irregularidades no programa, entre elas a falta de concurso público, o assistencialismo e o desrespeito aos princípios da legalidade, moralidade e impessoalidade. Valdomiro ainda tentou driblar as exigências legais, remanejando os beneficiados para frentes de com-

BOLSA VALDOMIRO

Bolsa Valdomiro

09

bate à dengue, para o Fundo Social de Solidariedade, entre outras secretarias. “As pessoas não foram orientadas e qualificadas para os setores nos quais foram lotadas. Ele, além de descumprir a lei, expôs trabalhadores a uma situação arriscada. Foi um erro”, comenta o vereador Marco Rillo.

Em defesa dos

professores

A

proposta do prefeito Valdomiro Lopes, aprovada, no início de 2011, pelos vereadores aliados na Câmara criou mecanismo para punir a falta dos professores com penalizações na atribuição de aulas e remanejamento.

Marco Rillo, em conjunto com os vereadores Dinho Alahmar e Pedro Roberto, apresentou emenda ao projeto garantindo as faltas abonadas e as licenças médicas sem punições. “São previsões que constam no Estatuto do Servidor Municipal”, comentou o

vereador do PT. Junto com o Sindicato dos Servidores Municipais, foi realizada manifestação contra a proposta do prefeito que precisou voltar atrás e fazer modificações ao projeto inicial para contemplar a emenda do vereador Marco Rillo.

A atuação do vereador Marco Rillo contribui muito com a nossa luta sindical e, principalmente, com a dos profissionais da educação. A atual administração tentou retirar os direitos dos professores e especialistas da educação e a intervenção do vereador impediu mais esse prejuízo. Ele está ao lado dos trabalhadores, para continuarmos avançando na luta.

Dela Brognaro

Presidente interina do Sindicato dos Servidores Municipais


ESPORTES

10

Justiça obriga Prefeitura a entregar informações para vereador

A

pós diversos requerimentos à Secretária de Esportes de Rio Preto e ao gabinete do prefeito para obter informações sobre o Auxílio Atleta, o vereador Marco Rillo conseguiu na Justiça acesso à lista dos beneficiados. A liberação dos dados ocorreu a partir da entrada em vigor, em 16 de maio de 2012, da Lei do Acesso à Informação, que concedeu a qualquer cidadão brasileiro o direito de obter informações e documentos de interesse pessoal ou coletivo de órgãos governamentais, como prefeituras, câmaras de vereadores e empresas públicas. O benefício para custeio dos atletas amadores e profissionais em competições esportivas, segundo Marco Rillo, vem sendo distribuído de maneira irregular. “Os beneficiados são escolhidos de maneira aleatória, sem critérios”, comenta. Após avaliação dos dados apresentados pela Secretaria de Esportes, o vereador encaminhou o documento para apreciação do Ministério Público e aguarda as providências da Promotoria. Em 2010, os recursos eram destinados para 20 modalidades. Em 2011, véspera de ano eleitoral, o Auxílio Atleta foi estendido a 41 modalidades esportivas e foram gastos mais de R$ 7 milhões com o benefício.

O vereador Marco Rillo lutou por nossos direitos, denunciando as irregularidades que ocorriam no auxílio-atleta. Muitos atletas que antes eram injustiçados passaram a receber o incentivo do esporte. Somos eternamente gratos a este ilustre representante de nossa cidade, que, com muita dignidade e competência, soube fazer justiça ao esporte de Rio Preto.

Cristiane e Osvaldo Ishizava

Membros da Associação Desportiva Ateneu Mansor


CULTURA

11

Debate sobre a Swift mobiliza a cidade

O

O vereador Marco Rillo é um militante da cultura. Desde jovem, esteve envolvido com o teatro, atuando, dirigindo e fazendo a cenografia. Há nove anos, o vereador é responsável pela montagem do cenário do principal e mais tradicional espetáculo ao ar livre de Rio Preto, a encenação da Paixão de Cristo. Essa proximidade com os movimentos culturais tornou o vereador referência para as lideranças do setor. Em 2011, a disposição do prefeito Valdomiro de fazer alterações na gestão da Swift levou o vereador a realizar a Audiência Pública “Swift: projetos e perspectivas”. O encontro reuniu mais de 80 pessoas na Câmara de Rio Preto para discutir a decisão

de transferir a administração da antiga fábrica para a pasta de Educação. Lideranças de várias áreas da Cultura, a coordenação do Centro Cultural Vasco e o deputado estadual João Paulo Rillo participaram do encontro, em junho de 2011. Convidados, o prefeito Valdomiro Lopes e os secretários da Educação e da Cultura não compareceram. Após concordarem com a necessidade de um projeto para a Swift, em seguida, o artista rio-pretense Ricardo Matioli ocupou a Tribuna Livre do Legislativo para falar sobre os equívocos da atual administração no setor de Cultura, entre elas a transformação da Swift em Fundação Cultural.

Marco Rillo vivencia a convicção de que a pronúncia do “não”, em muitos casos, é apanágio dos que se atrelam aos ideais nobres de vivermos num contexto de tantos exclusos e carentes, e que necessitam que se diga “não” com voz capaz de ser ouvida. Ele é assim, leal a seus representados, e amigo do peito.

Romildo Sant’Anna

Escritor, livre-docente e comentarista


ORÇAMENTO

12

Marco Rillo propõe

Orçamento para

solucionar trânsito O vereador Marco Rillo, membro nas Comissões de Direitos Humanos e Permanente em Defesa da Cidadania, apresentou propostas de alteração do Orçamento municipal para solucionar problemas na cidade. As propostas foram subscritas também pelo vereador Pedro Roberto. O vereador também propôs a construção de viadutos ampliando o acesso à Região Norte da cidade, destinando R$ 10 milhões para solucionar

o trânsito em Rio Preto, acabar com os horários de picos e solucionar os diversos pontos de estrangulamento. O vereador sugeriu as mesmas emendas ao Orçamento estadual, por meio de iniciativa do deputado João Paulo Rillo. Entre os anos de 2011 e 2012 foram aproximadamente 10 emendas solicitadas. Cinco já foram liberadas e as entidades já foram beneficiadas com o recurso.

Emendas ao Orçamento Municipal - Fomento à Cultura -- R$ 1,5 mi - Construção de novo Centro de Zoonose -- R$ 400 mil - Para Diagnóstico e Tratamento da Pessoa Autista -- R$ 555 mil - De apoio à Pessoa Idosa e à Pessoa com Deficiência -- R$ 555 mil - Construção de calçada no bairro Rio Preto I – R$ 50 mil - Construção e ampliação do Centro de Zoonoses – R$ 400 mil - Redução de 35% para 15% da autonomia do prefeito na suplementação de recursos de uma pasta para outra. Pela lei o prefeito pode transferir 35% de verba de uma secretaria para outra sem precisar da anuência da Câmara. Os vereadores tentam corrigir a disparidade.


CIDADE Cristo Rei

Desde 1988, quando surgiu o bairro Cristo Rei, Marco Rillo participa da comunidade. Ajudou na construção da capela e da igreja católica, participou dos mutirões ao lado do padre Afonso e esteve ao lado do padre Carlos para erguer o Salão Paroquial. Quando foi secretário de Serviços Gerais, urbanizou a praça da igreja e, junto com o líder comunitário Jair Leite, conseguiu os paralelepípedos com o Departamento de Estradas e Rodagens – DER. “Mas o mais importante mesmo foram as amizades que conquistei no bairro”, revela. No período em que fui pároco da igreja Cristo Rei, Marco Rillo sempre esteve presente participando de trabalhos em prol da comunidade.

Padre Carlos Naldi

Ex-pároco da Igreja Cristo Rei Marco Rillo esteve junto com a gente desde a fundação do bairro Cristo Rei. Com a ajuda dele conquistamos várias melhorias, como iluminação, construção da nova paróquia, das calçadas e vias. Quando precisamos transportar o Cristo Rei para a Igreja, foi ele que nos apoiou. Sempre que precisamos, ele nos atende prontamente, com um carinho e respeito aos moradores.

Jair Leite

Líder comunitário

Marisa Cristina Com o acesso ao bairro Residencial Rio Preto I interrompido, em 2010, pela erosão de uma ponte, os moradores do bairro Marisa Cristina recorreram ao vereador Marco Rillo. Eles eram obrigados a utilizar um desvio de 5 Km pela Vila Elmaz. Junto com líder comunitário Valtemir Cofani Leal, Marco Rillo conseguiu na Secretaria de Serviços Gerais solucionar o problema com a reconstrução da antiga ponte.

CIDADE

Por toda a

13

Alvorada

Em 2010, Marco Rillo participou de reunião no loteamento Alvorada. Os moradores se queixavam da falta d`água. Com um poço insuficiente e limitados ao abastecimento de caminhões pipas duas vezes por semana, as famílias enfrentavam sérios problemas. Marco Rillo solicitou ao Semae a regularização do abastecimento. Após quase dois anos de insistência do vereador, em fevereiro deste ano o problema foi solucionado. Segundo a presidente da Associação de Moradores, Tereza Maria Marques, a intervenção do vereador devolveu dignidade às famílias do loteamento. Marco Rillo colaborou muito com o bairro. Ele nos atendeu rapidamente, veio assim que o problema ocorreu. Trouxe uma técnica do SEMAE que nos orientou, levou o problema para ser discutido na Câmara e, a partir daí, todo mundo se preocupou em ver o Alvorada com outros olhos.

Irmã Hozana Alves de Souza Responsável pelo Projeto


PERÍMETRO URBANO

14

perímetro

SOCIEDADE QUESTION

N

uma demonstração de desrespeito ao planejamento urbano e incentivo à especulação imobiliária, foram incluídos, entre os anos de 2009 e 2011, 5,3milhões de m² no perímetro urbano de Rio Preto. Desse total, a Prefeitura propôs a inclusão de 1,5 milhão de m² e o restante foi incluído pelos vereadores.

Para o vereador Marco Rillo, que foi contrário a todas as propostas, as inclusões são motivadas por interesses privados. Em sessão, ele afirmou, no final de 2011, que “já rolou” dinheiro para votação deste tipo de projeto. No Ministério Público, Marco Rillo reafirmou as suspeitas e apontou falhas na tramitação de projetos de inclusão.


15

perímetrourbano

NA INCLUSÕES SUSPEITAS

O vereador Marco Rillo combateu a irresponsável prática de inclusão de áreas no perímetro urbano, o que compromete o desenvolvimento sustentável da cidade para os próximos anos. Ele denunciou na tribuna os abusos provocados por seus pares e merecendo deles perseguição insidiosa. É ardoroso defensor do respeito ao Plano Diretor, do cidadão, das minorias e da causa ambiental.

Arif Cais

Biólogo e Professor Voluntário na UM


TAPA-BURACOS

16

asfalto

de má qualidade MARCO RILLO MOSTRA PROBLEMAS NA EXECUÇÃO DO SERVIÇO

Queixas e reclamações sobre a má qualidade do serviço de tapa-buracos chegaram no início de 2011 ao gabinete do vereador Marco Rillo que, ao conferir pessoalmente as denúncias, verificou a utilização de massa fria nos remendos, fabricada pela Usina de Asfalto da Prefeitura. A massa quente, segundo especialistas, tem maior durabilidade. “A CBUQ (cimento betuminado usinado a quente) é ideal para lugares onde corre grande volume de água”, explica o vereador. Após a denúncia do vereador, comprovada com imagens e relatos dos moradores, a Prefeitura voltou atrás e passou a utilizar o asfalto quente no serviço de tapa-buracos do município.


NASCENTE DA REPRESA DESPEJO DE ESGOTO É COMPROVADO E VEREADOR EXIGE SOLUÇÃO DO SEMAE

As constantes e sérias reclamações que chegam à Câmara sobre os serviços inadequados do Semae deram origem a uma Comissão Especial de Vereadores, criada em 2010. Marco Rillo centralizou os trabalhos de apuração da Comissão e constatou o despejo de um grande volume de esgoto na nascente da represa, no rio Preto e no córrego dos Macacos. O vereador esteve na estação elevatória, localizada na Vila Toninho com a vicinal do distrito de Engenheiro Schmidt ,e constatou o funcionamento no limite do reservatório nos horários de pico. Para evitar a sobrecarga do emissário que margeia a represa, cuja dimensão é insuficiente para a carga de despejos vindos da Vila Toninho e do distrito de

Engenheiro Schmidt, as bombas são desligadas. Sem o bombeamento, a caixa coletora transborda e compromete a nascente da represa, principal fonte de captação de água para abastecimento da cidade. As outras irregularidades constatadas foram erros nas cobranças de contas, fornecimento de água cortado sem notificação, vazamentos de esgoto e água em vias públicas e, a queixa mais frequente, a falta de atendimento qualificado, sem cronologia para a solução dos problemas. O vereador denunciou também ao Ministério Público o superfaturamento nas aquisições da autarquia. Arquivadas, as denúncias acabaram ganhando às páginas dos jornais no final de julho deste ano.

ESGOTO

17


FISCALIZAÇÃO

18

apoio aos

servidores municipais

A defesa dos servidores municipais e a fiscalização dos contratos das empresas terceirizadas sempre mobilizaram o mandato de Marco Rillo. O vereador defende uma relação de transparência e de valorização do servidor municipal, tendo como requisito principal o ingresso por meio de concurso público. As terceirizações têm sido questionadas pelo vereador. “Há

RIO PRETO PREV

um duplo prejuízo: para o município, que pode ser obrigado a pagar duas vezes pelo serviço contratado, e ao trabalhador, cuja relação de emprego é precarizada”, avalia. Rillo insistiu na fiscalização dos contratos terceirizados da Assistência Social. Uma dessas parcerias, com a Oscip Sorrindo para a Vida, está sendo investigada pela Justiça de Rio Preto após o vereador apontar irregularidades.

Aliados do prefeito impedem esclarecimentos O vereador Marco Rillo tentou obter esclarecimentos sobre a falta de aportes da Prefeitura ao Riopretoprev (Instituto de Previdência Social Municipal de São José do Rio Preto) e os constantes desentendimentos entre os conselheiros e o superintendente, Gaber Lopes. O Instituto também virou alvo de auditores do Ministério da Previdência Social. Eles foram acionados após o secretário executivo do Ministério, Carlos Eduardo Gabas, visitar a cidade em fevereiro de 2009 e ser informado sobre o não cumprimento do Plano de Amortização de Débitos, estabelecido em 2006, para impedir o endividamento do Riopretoprev.

A comunidade de São José do Rio Preto tem muito a agradecer ao Vereador Marco Rillo por sua luta destemida em nossa Câmara Municipal em defesa da justiça e do legítimo interesse público. Eu tenho muito orgulho de ter sido seu eleitor nos últimos 20 anos. A população de nossa cidade precisa de sua presença como Vereador nos próximos 4 anos para continuar defendendo as causas sociais e fiscalizando o uso dos recursos públicos.

Luiz Ferri

Empresário rio-pretense


MÁFIA DOS FISCAIS

19

A

demissão do ex-chefe do Departamento de Fiscalização de Comércio Ambulante da Prefeitura de Rio Preto, Valdir Piacenti, em janeiro de 2011, e o fim da Máfia dos Fiscais foram resultado de trabalho do vereador Marco Rillo. “Chegaram denúncias no meu gabinete de que ocorriam pagamentos em dinheiro, diretos

a um fiscal”, conta o vereador. No Calçadão, flagraram Piacenti recebendo dinheiro de vendedores ambulantes para liberar a atuação deles pelas ruas de Rio Preto e Marco Rillo acionou a Polícia Civil. Outros três fiscais estavam envolvidos. Foram apreendidas guias de autorização cujos respectivos valores não haviam sido depositados na conta da Prefeitura.

Junto com Marco Rillo, descobrimos os pagamentos de taxas efetuadas diretamente para fiscais da Prefeitura e que não eram recolhidos aos cofres públicos. As providências foram tomadas e os responsáveis foram punidos, com a intervenção do vereador.

José Angelo Belão

Associação de moradores de bairro Resgate da Cidadania


MINHA CASA, MINHA VIDA

20

Minha Casa, Minha Vida

Em agosto de 2011, a presidenta Dilma Rousseff entregou em Rio Preto quase 2 mil moradias construídas por meio do “Minha Casa, Minha Vida”. O vereador Marco Rillo recebeu denúncias de desvios e irregularidades ocorridos durante o processo de seleção pela Empresa Municipal de Construções Populares (Emcop). “Foram mais de 100 num intervalo de poucos dias”, comentou sobre as queixas de compra e venda e locação dos imóveis. O vereador questionou a Emcop e a Caixa Econômica Federal e, após levantamento, foram apurados mais de 36 casos de falsidade ideológica e desvio de finalidade dos imóveis. Dessas ocorrências, 15 resultaram na rescisão de contrato e aproximadamente 20 estão sendo investigadas pela Polícia Federal.

Marco Rillo é o vereador dos sonhos do povo e o terror dos governos e políticos corruptos. Fiscaliza - sem medo as ações do Poder Público nas várias áreas. Denunciou o engodo das frentes de trabalho, analisa com seriedade o uso dos recursos públicos e legisla em prol dos mais necessitados.

Matsuel Martins da Silva

Assistente Social e Professor Universitário


CPI

21

CPI da

Habitação FRAUDE EM reforma de casas no João Paulo II

O

vereador Marco Rillo denunciou, em 2009, irregularidade nas reformas das casas no bairro João Paulo II. Segundo o vereador, houve cobrança de duplicidade de itens das planilhas, cobrança de serviços executados por funcionários do município, além de recursos terem sido sacados das contas dos proprietários das casas

sem que as obras fossem executadas. Segundo a denúncia, foram gastos R$ 1,6 milhão e, dos 120 imóveis selecionados pela Secretaria de Habitação, em aproximadamente 60 as reformas não foram concluídas e algumas nem chegaram a ser iniciadas. O processo está sendo apurado pela Justiça Federal.


ASSISTÊNCIA

22

GASTOS DA

ASSISTÊNCIA SOCIAL CONSELHOS TUTELARES À MINGUA Enquanto Secretaria gasta com decoração e carro novo, atendimento de crianças e adolescentes passa por dificuldades A Assistência Social entrou na mira das fiscalizações de Marco Rillo a partir de sucessivas denúncias de gastos desnecessários. Paralelamente, o vereador constatou a difícil situação dos Conselhos Tutelares na cidade,

sem estrutura para realizar o trabalho de atendimento direito das crianças e adolescentes em situação de risco. Rillo apurou que a secretária de Assistência Social, Ivani Vaz de Lima, gastou, ao longo de 2011, aproximadamente R$ 8 milhões com a OSCIP (Organização da Sociedade Civil de Interesse Público) – Instituto Sorrindo para a Vida e com o Asilo Santa Rita. Outros R$ 174 mil foram para alimentos, como pipoca e refrigerante, para festas para usuários dos CRAS. Os aluguéis de imóveis e aquisição de

móveis, aparelhos de ar condicionado e persianas custaram mais de R$ 900 mil. E a compra de quatro veículos novos totalizaram R$ 220 mil. Questionada pelo Ministério Público, em junho deste ano, sobre a situação dos Conselhos Tutelares, a secretária Ivani afirmou que a Secretaria não tinha recursos. Enquanto sobra para pipocas, carros novos e decoração, os únicos dois Conselhos da cidade trabalham com insuficientes cinco conselheiros cada, sem linhas de telefones e privacidade para atender as famílias.

Marco Rillo é um vereador completo, guerreiro e lutador das causas sociais. Tem olhos e ouvidos atentos para os problemas sociais e não abre mão de fiscalizar o Poder Executivo. Na área social, exigiu explicações sobre os convênios especialmente com as OSCIPs “Sorrindo para a Vida” e a “ISDEM”. Sua atuação garante aos rio-pretenses observar melhor onde se aplica o nosso dinheiro.

Maria Aparecida Trazzi Vernucci da Silva – TIDA Assistente Social


23

Álbum

fotose deÉtica

Compromisso

com Rio Preto

O compromisso com as pessoas e a ética na política pautam a atuação de Marco Rillo no Legislativo e no Executivo de Rio Preto. Desde o primeiro mandato de vereador, em 1993, a coerência tem marcado a história deste político incomum. Um político cujo discurso está alinhado com as ações. Os votos em plenário e os debates dos quais participa são exatamente aqueles prometidos aos seus eleitores. Além de sua experiência Legislativa, a cidade se beneficiou também da liderança de Marco Rillo no Executivo. Secretário do governo do ex-prefeito Edinho Araújo, inaugurou um modelo de gestão moderno e transparente na Secretaria de Serviços Gerais. Com competência e extremo cuidado em relação aos gastos públicos, potencializou as ações da pasta e ampliou os serviços prestados pela Secretaria. Marco Rillo é também um representante leal, ao qual os eleitores recorrem em busca de apoio e orientação para os problemas cotidianos e nos bairros. A persistência na solução desses casos é a receita do sucesso dele como interlocutor competente entre as pessoas e os difíceis labirintos dos serviços públicos. A atuação corajosa do vereador no Legislativo evitou enormes prejuízos à cidade. Desde a denúncia de irregularidades na aprovação de loteamentos, passando pela Máfia da Carne, a Máfia dos Fiscais, os gastos excessivos da Assistência Social, as inclusões suspeitas de áreas no perímetro urbano, entre outras, todas iniciativas de Marco Rillo para proteger os interesses públicos.


Nem todos são iguais

“O correr da vida embrulha tudo. A vida é assim: esquenta e esfria, aperta e daí afrouxa, sossega e depois desinquieta. O que ela quer da gente é coragem.” João Guimarães Rosa


Revista Marco Rillo