Page 1

CENTRO UNIVERSITÁRIO IESB COMUNICAÇÃO SOCIAL: JORNALISMO

Projeto Integrador III Economia Criativa

JOÃO GILBERTO TEIXEIRA - 1711022029 MAURÍCIO DA SILVA - 1511022158 MARCO ANTONIO ROCHA - 1711022056


INVADINDO A CENA

Entenda como os canais voltados para o conteúdo do hip-hop tornaram-se empreendedores digitais, inovaram e profissionalizaram-se, e hoje, compõe um novo modelo de economia criativa através do youtube.


Os primeiros canais, no Brasil, surgiram entre 2011 e 2012, trazendo para o grande público, muitos até que nunca tiveram a oportunidade de frequentar pessoalmente uma batalha, uma enorme variedade de conteúdos voltados para o gênero, assim conquistando aos poucos uma diversidade de inscritos nos canais. Porém, o ápice começou durante o ano de 2014, foi aí que o fenômeno das batalhas alcançou outro nível de popularização, e muitos canais surgiram, inclusive canais voltados para as famosas “reacts” das batalhas. Mas no geral, os principais canais desse meio focam na documentação das batalhas de forma profissional, para que o público e os inscritos tenham acesso as inúmeras batalhas que ocorrem em todo o Brasil, que é o caso do grande canal do Distrito Federal, Invadindo a Cena, que cresce bastante a cada cobertura das edições da Batalha do Relógio, e que alcança números altíssimos de visualizações, chegando a ultrapassar o número de mais de 10 milhões de visualizações no canal, e mais de 100 mil inscritos.

Youtube surge como nova fonte de renda para os canais de conteúdo hip-hop

C

om o crescimento e a popularização dos duelos de MC’s, as batalhas de rima ganharam uma força para além do nicho do movimento hip-hop, transitando pelas mais variadas camadas sociais, e este fenômeno surge devido à influência dos canais de Youtube especializados em conteúdos voltados mais especificamente para o rap e as batalhas de rima. Os principais canais surgiram apenas como uma forma de levar entretenimento para o público, sem a intenção de viver financeiramente por meio disso, apenas para documentar as batalhas que surgiam em várias cidades brasileiras. Com o passar dos anos, estes canais perceberam que a demanda de produção de conteúdo necessitava de uma profissionalização, daí enxergaram uma forma de se profissionalizarem, e de utilizarem os canais como uma maneira de obter uma renda, um processo que diversos canais do Youtube passaram, do simples hobby para a profissionalização. O conteúdo produzido foca na documentação das batalhas de forma profissional, para que o público e os inscritos tenham acesso as inúmeras batalhas que ocorrem em todo o Brasil, que é o caso do grande canal do Distrito Federal, Invadindo a Cena, que cresce bastante a cada cobertura das edições da Batalha do Relógio, e que alcança números altíssimos de visualizações, chegando a ultrapassar o número de mais de 10 milhões de visualizações no canal, e mais de 100 mil inscritos.

Choice, revelação da Batalha do Tanque, após do Duelo Nacional de MC’s

Existem também outros grandes canais voltados para a documentação das batalhas, dentre eles, os dois principais, e que disputam o “título” de maior canal brasileiro voltado para esse tipo de conteúdo, são Batalha da Aldeia & Batalha do Tanque, o primeiro, de São Paulo, cobre as edições do evento que leva o nome do próprio canal, e o segundo, do Rio de Janeiro, cobre as edições do evento que também leva o próprio nome, além de produzir entrevistas com os famosos MC’s da Batalha do Tanque.


Porém, esses canais acabam enfrentando muitos problemas para cobrirem os eventos, pois, normalmente, as batalhas não têm o apoio necessário para manterem-se, muitas vezes nem governamentais, que geralmente, limitam-se a apoiarem apenas na questão da liberação do espaço para que ocorra o evento cultural. “Mesmo que as edições fiquem bem gravadas, com um bom áudio e imagem, o canal enfrenta muitos desafios na estrutura, que vão desde dificuldades com a iluminação adequada até dificuldades para a locomoção dos equipamentos. “Relata Juninho, um dos fundadores do canal. Os duelos de rimas movimentam um grande número de espectadores, no Brasil todo, e muitas vezes a falta de apoio acaba limitando o potencial dessas rodas culturais, fazendo com que eventos com grandes perspectivas, para os MC’s que participam e para o grande público, que tem interesse em ver, cada vez mais, novos nomes da cena. Muitas das batalhas ocorrem em lugares peculiares, que não foram feitos e não estão preparados para atender o alto número de espectadores que os frequentam semanalmente, quando ocorrem as batalhas. Porém, ao mesmo tempo acaba criando um perfeito cenário para o que propõe o evento, já que o rap surgiu assim, na rua, e muitos consideram que a rua é a casa do movimento hip-hop, sendo assim, ali é o seu lugar e onde deve ser feito. É fato que há a necessidade de que os locais que abrigam os eventos ganhem uma estrutura que possam acomodar os fiéis seguidores das batalhas, que sempre estão nas rodas culturais, apoiando e fortalecendo os dedicados e incansáveis MC’s – que passam horas e horas treinando e afiando o vocabulário, para que no dia dos duelos, possam mostrar toda a evolução – que sempre estão se esforçando para que os duelos ocorram, assim como o público, que está presente, independentemente da situação, faça chuva ou faça sol. O sócio fundador do canal Invadindo a Cena relata que a falta de infraestrutura adequada para a realização das batalhas atrapalha para que os eventos se desenvolvam, assim como dificulta a cobertura profissional das rodas culturais, “Muitas vezes as edições das batalhas são prejudicadas pela falta de estrutura de cobertura adequada.

‘‘Quando chove nós não podemos continuar com o som devido ao risco de choque e para não quebrarem os equipamentos de som. “ Juninho - CEO (Invadindo a Cena).

Edição 27º da Batalha do Relógio, onde houve bastante chuva. Mas graças a ajuda de colaboradores, a batalha prosseguiu, com o empréstimo das tendas e barracas.


Entenda como funciona a profissionalização dos canais

O

Youtube , se encaixa como uma forma inovadora de profissionalização, através da economia criativa, gerando renda para canais que antes não viam seus conteúdos produzidos como algo rentável financeiramente. Existem duas formas de ganhar dinheiro através do Youtube: com visualizações e curtidas, e por meio das propagandas durante os vídeos. Quem utiliza os meios digitais, nem que seja para assistir um vídeo ou ouvir uma música, já se deparou com propagandas e anúncios breves antes do vídeo começar, e é exatamente isso que gera o lucro para os ”youtubers”. O site tem uma política que, para começar a ganhar dinheiro com as monetizações, precisa ter como requisito, no mínimo 1000 inscritos no canal. O Youtube considera o canal como algo lucrativo; depois que eles visualizam que seu canal existe um potencial. No caso, 1000 inscritos é o suficiente. O canal Invadindo a Cena, vem em menos de 2 anos, tornando-se uns dos maiores canais de batalhas de rap do Brasil, alcançando grandes números de visualizações diárias, semanais e mensais, ao toda as visualizações já chegam a números de 10 milhões de visualizações, tudo isso através de filmagens das batalhas de rima. No caso do canal Invadindo a Cena, o método utilizado é das visualizações. E cada clique que for gerado no canal, também é gerado dinheiro automático via conta Pay Pal. E como isso funciona? Quando é criado o canal, existe a opção de ativar monetização. O Youtube vai avalizar seu canal e ver se existe inscritos o suficiente. Se não tiver, a configuração continua. Mas a monetização apenas poderá iniciar quando chegar a marca de 1000 inscritos.

“Eu nunca imaginei que uma ideia de filmar batalhas, iria ter toda essa repercussão. O segredo de fazer sucesso no Youtube, é nunca imitar ninguém; ter um conteúdo original, algo autentico. E graças a uma iniciativa de filmar, hoje o canal Invadindo a Cena é uns dos maiores do Brasil, em menos de 2 anos. “– Juninho sobre a idealização


uns dos maiores do Brasil, em menos de 2 anos. “

Hoje o canal, Invadindo a Cena, um dos pioneiros na documentação das batalhas, possui a marca de quase 15 milhões de visualizações. Juninho defende que o segredo para o sucesso do canal é a autenticidade, “Eu nunca imaginei que uma ideia de filmar batalhas, iria ter toda essa repercussão. O segredo de fazer sucesso no Youtube, é nunca imitar ninguém, ter um conteúdo original, algo autentico. E graças a uma iniciativa de filmar, hoje o canal Invadindo a Cena é

Foto: @viishmidia

MC SID

A partir do momento que um canal atinge grandes marcas de visualizações, é necessária

Junto com as cenas de São Paulo e Rio de Janeiro, Brasília tem grande influência no cenário das batalhas, com famosas rinhas, como a Batalha do Museu e a Batalha do Relógio, e dessas rodas culturais surgiram muitos MC’s famosos nacionalmente, do DF, através dessas batalhas da região. Recentemente, mais especificamente em 2016, SID, representante do Distrito Federal, ganhou o Duelo Nacional, em Belo Horizonte, e hoje, graças ao destaque obtido com o título, ele é uns dos MC`s de maior destaque no estilo de RAP de ideologia.

Foto: @familiaderua

MC Sid, depois várias tentativas, de vários MC’s, do Distrito Federal. Com muita polêmica e divergências com MC’s do Rio de Janeiro, Sid, se consagrou campeão do Nacional de Mc’s 2017. Vencendo, o Mc Samurai (RJ), na final.


A força do DF nos duelos

I

nicialmente a primeira grande batalha do DF foi a Batalha do Museu, que alcançou um nível muito alto de popularização. A roda cultural ocorre todos os domingos, no Museu Nacional, a partir das 16h, com uma média de 200 a 300 pessoas por edição. A Batalha do Relógio acontece às quintas-feiras na Praça do Relógio, em Taguatinga, com as edições iniciando às 19h30, e com a criação do canal Invadindo a Cena, em parceria com os organizadores do evento, a batalha cresceu de forma abundante. Hoje, pessoas de todo o DF e entorno, tiram um tempinho das quintas-feiras, para comparecer na batalha que acontece todas as quintas 19h, e hoje a Batalha do Relógio, é umas das batalhas mais respeitadas do Brasil. Com o crescimento do canal, hoje MC`s de Brasília, são chamados para participarem de batalhas em inúmeros estados do país, como São Paulo, Rio de Janeiro e Bahia.


Mulheres conquistam espaço nas batalhas de MC’s no DF Dentro da cena, as mulheres vêm se destacando e conseguindo um espaço notório nas batalhas de rima no Distrito Federal, e até mesmo no Brasil inteiro. Apesar de serem minoria em relação aos homens, elas estão se encaixando e batalhando de igual para igual com os diversos MC’s do DF, porém, apesar da diminuição no preconceito nos últimos anos, elas ainda enfrentam, por uma minoria, uma certa resistência da sua inclusão no movimento. A classe feminina vem forte e sem medo para as disputas, enfrentando não só os adversários, mas também o preconceito que era um grande tabu, com a garra e a determinação delas, o preconceito, a cada dia mais esta tornando-se menor e inexpressivo, literalmente sendo deixado de lado. Atualmente, existem vários confrontos entre homens e mulheres que são feitos sem que haja nenhum tipo de situação incomoda pelo fato de se uma batalha “mulher x homem”. No Distrito Federal e em outras regiões brasileiras, como ao exemplo no Rio de Janeiro, São Paulo e Minas Gerais, elas estão conseguindo adquirir um grande espaço em batalhas de rima, e isso seria inimaginável tempos atrás, em que o ambiente dessas rinhas eram quase que em sua totalidade masculino. E em Brasília, temos algumas MC’s que estão crescendo, evoluindo e se destacando, mostrando enorme potencial, e batalhando de igual para igual com os homens e em muitos casos, estão os derrotando.

Um grande exemplo das batalhas que surgiram no Brasil, está aqui no DF, que é um evento batizado de Batalha das Gurias, realizado no Conic, que foi idealizado por Dihéssika Wendy e Camila Rodrigues Oliveira, e foi o segundo evento voltado para a batalha de rima, só para mulheres, criado no Brasil. Esse evento é realizado todo segundo sábado do mês, às 16:00 horas, e já foi tema de algumas matérias para os principais jornais da cidade, como exemplo do DF TV, que fez referência da BDG no seu “espaço cultural”. No Distrito Federal, existem os principais pontos das batalhas, onde se tem mais pessoas assistindo. Além do Conic já citado acima, a Praça do Relógio em Taguatinga, a estação do metrô no Guará e na Batalha do Museu são os lugares que acontecem os mais famosos “combates” entre MC’s. E dentre as mulheres mais conhecidas do Distrito Federal, e no Brasil, nesse meio de duelos de rimas improvisadas, duas chamam muita atenção, e mostram muito potencial nas inúmeras vitórias que colecionam nos últimos anos, a Mc Fugazi e a Mc Aline. E além de participarem das batalhas, elas também se dedicam a carreira cantoras de rap e compositoras. Com a integração das meninas nesse meio cultural, outras meninas começaram a se interessar pelo assunto, e assim, passaram a se dedicar e a querer participar das rinhas de MC’s, portanto, é fato que as popularizações das meninas nas batalhas cada vez mais vêm alcançando potenciais novas MC’s, e as que já estão na luta há muito tempo, surgem como exemplo para as mulheres que as assistem. O que está sendo constatado, e de forma agregadora para o movimento, é que o ambiente das batalhas de rima está alcançando um nível que anos atrás era inimaginável, e a cena esta transitando em um universo sem preconceitos, num local em que os homens e as mulheres, podem conviver e se respeitar, independentemente do seu gênero. E o público das batalhas está abraçando a ideia e dando uma enorme importância para o cenário que as mulheres estão formando, e ganhando, devidamente merecido, pois mostram o progresso e evolução das meninas.


Conhecendo as grandes batalhas no Brasil

O Brasil é muito rico no que diz respeito às rinhas de

MC’s, que apesar do nome, rinha, ter um teor agressivo, as batalhas dão espaço a um cenário com um clima muito amigável e descontraído, embora os duelos sejam bastante disputados, e com um alto nível de competição. A formação da batalha é composta de uma meia roda, ou uma roda completa, feita pelo público – mas não é regra que as batalhas aconteçam sempre neste formato – em que no centro da roda, ficam o apresentador, dividindo o espaço com os MC’s que se enfrentarão. As modalidades variam de acordo com cada finalidade, e se resumem em batalhas normais, um contra um, em batalhas de duplas, dois contra dois, e as batalhas de trio, em que podem duelar três MC’s contra outros três, formando um time, assim como na batalha de duplas, e a batalha de trio pode variar e mudar a finalidade, em que competem três MC’s, um contra o outro, até que sobre apenas um. As batalhas consistem no enfrentamento dos MC’s, que têm entre 30 e 60 segundos para improvisarem rimas, em que se atacam e defendem-se. Normalmente, o primeiro round serve para que o primeiro MC a rimar ataque o seu oponente, que logo em seguida tem a oportunidade de se defender dos ataques disferidos. Após o primeiro round, o público, juntamente com um time de jurados profissionais, vota em quem consideram vencedor do primeiro round. O segundo round inicia-se com o ultimo MC a rimar, que ataca seu adversário, ao final do round, o mesmo sistema de votação, e caso haja um empate, surge o terceiro round, como um round de desempate, onde os adversários intercalam ataques.

Batalha de MC`s Tradicional Comandada pelo canal Família de Rua, é a batalha com mais estrutura no Brasil, tanto que o Nacional de MC`s todo ano é feito por eles, no Viaduto de Santa Teresa (BH) em que todos os anos MC`s de todos os estados do Brasil, fazem batalhas para decidir por forma de eliminatória, quem ira representar o estádio no Nacional, em Belo Horizonte.

Batalha do Tanque Batalha da Aldeia Toda terça-feira na Praça dos Estudantes, localizada em Barueri, próximo uma estação de trem, e a uma feira noturna, próxima ao Senai. Acontece umas das batalhas com mais ascensão no Youtube, atingindo a marca de 500 mil inscritos.

Batalha da Torre Batalha com menos de 2 anos de criação, a Batalha da Torre, também vem sendo reconhecida pelo seu destaque no Youtube. Recentemente aconteceu uma batalha entre Black x Bert, que viralizou e bateu a marca de 130 mil visualizações

Conhecida por ser a batalha com mais visualizações ate hoje, a Batalha do Tanque, em São Gonçalo, que revelou MC`s como Orochi, PK, Buddy Poke e diversos membros da 1Kilo, é a batalha com mais inscritos e visualizações até hoje. Com o sucesso dos MC`s que faziam sucesso na batalha, muitos deixaram de frequentar a batalha como antes devido aos compromissos profissionais, hoje o conteúdo da Batalha do Tanque, não possui a mesmo destaque de antigamente.

Batalha do Santa Cruz Considerada umas das batalhas mais antigas de São Paulo. É conhecida também por revelar nomes como Rashid e Emicida, e tem como principal característica suas batalhas a capela.


Entrevista Fugazzi MC ‘ ‘‘‘Ajuda e atrapalha né, tudo tem seu lado positivo e negativo, porém nem todas as batalhas que acontecem estão no YouTube, esse ano a visibilidade das batalhas anda aumentando e isso é bom pra divulgação dos trabalhos dos mcs.”

1- Como você enxerga o avanço e conquista do espaço das mulheres no rap? ‘‘Cada vez mais as mulheres estão conquistando seu espaço no rap, seja no mundo do freestyle (estilo livre) ou no mundo musical, estão cada vez mais se impondo, e assim inspirando para que mais minas se envolvam no movimento, e isso é um dos pontos principais para o envolvimento feminino no rap.’’ 2- O que você acha do crescimento de eventos específicos para mulheres como a Batalha das Gurias? ‘‘Eu como mina acho legal a intencao das garotas, mas não acho que deveria haver essa diferença no rap ja que estamos lutando por igualdade, eu particularmente ja participei de movimento do tipo, e realmente não

me senti acolhida senti até meio que uma rejeição no meio das minas por não estar realmente envolvida tão frequentemente com o movimento delas, eu cresci batalhando com rapazes e nunca me senti ofendida no meio do rap, e acho muito tranquilo na relacao hip hop.’’ 3- Como você começou a batalhar? ‘‘Eu conheci a batalha aqui na minha cidade, a GUERRA DO FLOW, em abril de 2016, fui primeiro pra assitir a batalha e acabei me identificando com aquilo, além de ser super acolhida pelo movimento, super me apoiaram e hoje em dia são todos meu amigos, muito proximos e amo muito tudo isso.’’ 4- Quais são as suas influencias no cenário? ‘‘Minha influência no freestyle, por ser mina e ser uma das melhores, foi a Clara Lima, assistia sempre as batalhas dela e ela sempre batendo de frente com os rapazes, achei aquilo incrível.’’ 5- Como você enxerga as possibilidades de desenvolvimento da sua carreira no rap e nas batalhas? ‘‘Hoje em dia me vejo com muitas possibilidades, ja tem uma galera que me acompanha e estou começando um ciclo em que estou focando na música, mas sem deixar a batalha de lado, e viver disso é meu sonho então vou correr atrás, e farei de tudo para que de certo. E vai dar!’’ 6- Você acha que o YouTube, e os canais de conteúdo específicos de batalhas ajudam no crescimento do cenário? ‘‘Com certeza, o YouTube é o principal meio de comunicação em que podem se conhecer melhor os mcs, a forma em que batalham, seus pontos fracos e fortes, suas característica que se destacam e assim criar empatia com o público.’ 7- Na sua opinião, para onde as batalhas podem crescer mais? ‘‘As batalhas estão tomando proporçoes imensas e reconhecimento de interesse público, hoje nós vemos batalhas em eventos grandes, dentro de presídios (que eu partuculamente tive o prazer de organizar), em praças, escolas, e etc. Pode se dizer que as batalhas estão pouco a pouco conquistando mais e mais espaço.’’

Projeto Integrador - Economia Criativa  
Projeto Integrador - Economia Criativa  
Advertisement