Issuu on Google+

PROGRAMA

06.07 - Música Contracorrente “Resistir é uma forma de existir” a marcar o início da 13.ª Noites na Nora Homenagem à música de intervenção, resgatando da memória e reivindicando para a atualidade as músicas e as vozes de resistência que marcaram a História do século vinte, como o chileno Victor Jara, o argelino Idir ou o brasileiro Chico Buarque, entre outros. De Portugal à descoberta de múltiplas latitudes, "Contracorrente" é uma volta ao mundo cantada em vários idiomas e um manifesto de que, ainda hoje, resistir é uma forma de existir. Sara Vidal _ voz André Cardoso _ guitarra acústica David Leão _ flauta transversal, harmónico, clarinete Manuel maio _ violino, bandolim Pedro Oliveira _ percussão Rui Ferreira _ baixo elétrico, teclado

Mais em: http://www.dorfeu.pt/criacao/contracorrente

07.07 – Música O Martim Baixista e contrabaixista de B. Fachada, Homens da Luta ou Nilton, no Noites na Nora O Martim vem por inteiro

É possível que já se tenha visto o Martim a arrastar o seu contrabaixo de um lado para o outro do país. Entre Lisboa e Porto, por escolas de Jazz e universidades de música, por palcos ao lado de alguns artistas de renome, ou até mesmo em algum talkshow televisivo… Não quer perder tempo, mas gosta de dormir a sesta. Garante que não é poeta, mas o que é certo é que agora deu em cantautor. Depois de "Um caso perdido", "Em banho Maria" é nome do seu novo disco. Martim - guitarra e voz David Pires - bateria António Quintino – baixo

Mais em: http://martim.bandcamp.com/


08.07 – Teatro Baal17 – “Muito ajuda o que não atrapalha”

Depois

de

digressão

pelo

Alentejo,

a

Companhia apresenta-se em casa "Muito ajuda o que não atrapalha" é a 29.ª produção da Baal17

e

insere-se

no

Projeto

de

Cooperação

Transnacional "Rotas sem Barreiras" que se baseia nos pressupostos de que o turismo é um bem social e que deve estar ao alcance de todos os cidadãos, entre os quais as pessoas portadoras de deficiência. Espetáculo de rua com encenação de Sofia Cabrita, em "Muito ajuda o que não atrapalha" quatro aspirantes a guias turísticos apresentam as melhores experiências que pode imaginar. São autênticos especialistas na matéria e agora querem pôr à prova as suas ideias mirabolantes. Encenação: Sofia Cabrita | Interpretação: Filipe Seixas, Rui Ramos, Sandra Serra e Vânia Silva | Cenografia e figurinos: Bruno Guerra | Desenho de luz e som: Marco Ferreira e Paulo Troncão Duração: 60 mn Classificação: Todas as idades Mais em: www.baal17.com

10.07 – Teatro/música/comédia D’Orfeu – Mal-Empregados Uma critica bem humorada aos especialistas em polivalência.

Mal-Empregados é um espetáculo pseudo-sério, pseudocómico, absurdo qb e tendencialmente minimal. Dois atores-músicos, aparência por decifrar – farão o quê? -, desafiam-se, revezam-se, fartam-se, tentam sempre outra coisa. Tanto pode resultar como não. Uma caricatura irónica dos especialistas em polivalência. Para se chegar a uma conclusão: mal-empregados! Interpretação: Ricardo Falcão e Luís Fernandes | Encenação: Ruy Malheiro e Fernando Mota | Direção técnica: Rui Oliveira

Mais em: http://www.dorfeu.pt/


11.07 – Teatro Jangada Teatro – “Médico à força”, a partir de Molière Esganarelo, ladrão e traficante de 2ª, bate na mulher, o que leva esta a forjar um estratagema para se vingar, denunciando-o como médico. Lucinda, filha de Geronte, sofre de uma estranha deformação, desde que o pai resolveu casá-la contra a sua vontade, com o abastado Horácio. Leandro, namorado de Lucinda, vem dizer a Geronte que recebeu a notícia da morte de seu tio que lhe deixou todos os seus bens. Esganarelo, que começara a desfrutar da sua posição de médico e do dinheiro que esta lhe proporcionara, é descoberto, acabando aqui a sua curta carreira de impostor. A partir de Molière | Encenação: John Mowat | Atores: Bruno Martins; Cláudia Berckley; Luiz Oliveira; Patrícia Ferreira, Vítor Fernandes e Xico Alves | Desenho de Luz: Nuno Tomás Duração: 60 mn Classificação: M/12 anos Mais em: www.jangadateatro.com

12.07 - Teatro Teatro das Beiras – “Farsas per musica”, Carlo Goldini

Uma citação contemporânea do teatro barroco “Farsas per musica” é uma proposta de espetáculo sustentado no perfil de um teatro itinerante de “estrado” e ar livre, numa citação contemporânea do teatro barroco marcado por uma destacada intervenção musical inspirada na tradição do teatro musical burlesco. Este espetáculo é organizado a partir das farsas: Il Matrimónio Discorde e La Cantarina. Amores, ciúmes, seduções, dinheiro e fingimentos, são ingredientes de um teatro que está prestes a deixar cair as máscaras tipo da comédia del’arte para dar lugar a personagens com traços de caráter realista e rosto humano, anunciadores de mudanças sociais que chegariam com a Revolução Francesa. A aristocracia em decadência e a burguesia em ascensão disputando no palco os seus privilégios materiais e éticas morais num tom burlesco e poético capaz de provocar o olhar curioso e complacente do espetador do nosso tempo. Encenação: Gil Salgueiro Nave | Tradução: Luís Nogueira | Cenografia e figurinos: Luís Mouro | Música: Helder Gonçalves | Interpretação: Fernando Landeira, Pedro da Silva, Rui Raposo Costa, Sara Gabriel e Sónia Botelho | Desenho de luz: Jay Collin Classificação: M/12 Mais em: www.teatrodasbeiras.pt


13.07 – Música Osso Vaidoso – “Animal” Depois de Três Tristes Tigres, Ana Deus agarrou o Osso Do projeto Osso vaidoso é elementar fazer referência aos seus mentores Ana Deus e Alexandre Soares e aos grupos que formaram. GNR no caso de Alexandre e Três tristes tigres a que ambos, com Regina Guimarães, deram corpo e alma. Os Três tristes tigres ficaram como um caso incontornável de bom gosto e inovação na música portuguesa. O que há então de novo no Osso? Pode um Osso ser vaidoso? Uma audição atenta do disco Animal leva-nos numa viagem toda ela feita de palavras, escritas por Regina Guimarães, Alberto Pimenta, Valter Hugo Mãe e Ana Deus. Entre pecados e desabafos a voz é clara, mais do que nos TTT, percebemos rapidamente ao que vem e surpreende pelo que deixa como rasto. A guitarra é companheira de si própria, multiplica-se, questiona-se, tropeça e se cai levanta-se. Estas qualidades saltam para os concertos ao vivo e a estrada deu-lhe o resto. Ana Deus _ voz e composição Alexandre Soares – guitarra e composição Mais em: https://www.facebook.com/pages/Osso-vaidoso I http://www.reverbnation.com/ossovaidoso

14.07 – Música JULIE & THE CARJACKERS - "Parasol" “Parasol” contém grandes canções. Sem medo de «sujar» a canção pop perfeita. Grupo de rock-folk com influências musicais que variam entre a música tropical, exótica e o jazz. A mistura resulta numa sonoridade intemporal e idiossincrática, sem nunca denunciar a sua origem do ponto de vista estilístico. Depois de um primeiro EP em que já se pressentia uma beleza tímida e uma mestria no manejar da linguagem indie-pop, os principais culpados do coletivo Julie and the Carjackers – denunciemo-los, para que a história os julgue: os compositores, autores e músicos João Correia e Bruno Pernadas – vão mais longe e assinam uma coleção de temas onde o clássico e o moderno habitam pacificamente e soam bem. Sem medo de «sujar» a canção pop perfeita, Parasol abriga atmosferas que vão de Beck e Bryan Wilson até à mais inesperada exótica, de uma forma absolutamente original. João Correia _ guitarra, voz, percussão I Bruno Pernadas _ guitarra I Inês Sousa _ voz e percussões I Margarida Campelo _ voz, piano e teclados I Pedro Pinto _ baixo e contrabaixo I António V. Dias _ bateria e voz Mais em: https://www.facebook.com/JulieandTheCarJackers e http://www.reverbnation.com/julieandthecarjackers


15.07 – Residência Artística - Teatro/dança

Sou Movimento e Arte e comunidade Serpa – “Oliveira” O acolhimento de residências de criação artística assume, não só no Festival Noites na Nora, mas também nos objetivos da Baal17 (criação do Centro Artístico da Nora, que visa o acolhimento, coprodução, programação e criação de espetáculos e a formação artística) um papel preponderante. Em 2012, Vanda Melo e formandos do Sou Movimento e Arte criam em Serpa, juntamente com 11 elementos da comunidade. E assim, num conjunto de saberes e vontades comuns deste grupo, trazemos para cena um pouco das suas estórias e das dos outros e acrescentamos a imaginação, reunindo imagens que contam, cantam e dançam memórias coletivas. Temos como Ilustração: Carlos Farinha

ponto de partida a Oliveira cuja longevidade é conhecida, e assim como ela, também os contos guardam as memórias dos tempos…guardam episódios antigos cheios de emoções, contradições, uniões, apuros, paixões, solidão e muita alma. Direção e encenação_ Vanda Melo I Interpretação _ formandos do Sou Movimento e Arte: Inês Marques, Gil Dionisiio, Catarina Ribeiro, Daniela Serra e João Edral e Telma Saião, Eduarda Espernega, Maria Manuel Coelho, Fátima Mestre, Antónia Sintra, Carlos Cascalheira, João Cataluna, Lidia Saragaço, Francisco Mira, Rosário Trincalhetas.

17.07 – Teatro La Nave Va – CONNEXIONES.3 De Barcelona chegam-nos três mulheres entre temores e sonhos Um dia como hoje, três atrizes, de três gerações

diferentes,

encarnam

três

personagens, que entre temores e sonhos se atrevem a subir a um barco sem saber qual será o seu destino. Maria tem medo de subir ao barco, Ventura tem segurança suficiente e a Menina sonha em ser uma mulher como Maria. Assim se inicia a viagem neste barco misterioso onde se irão conectar as vidas destas mulheres. Durante a viagem

as

três

personagens

revelam

e

partilham segredos que lhes mudarão as vidas uma vez chegadas ao porto de destino. Ideia Original _ La Nave Va | Encenação _ David Martínez | Interpretação _ Elisa Ballardin, Elisabet Aznar, Carme Val | Fotografia _ Josep Cirera | Figurinos _ La Nave Va (Agradecimentos especiais a Pilar Santamaria e Patricia Aznar)


18 julho – Teatro/música/dança AL-MaSHRAH TEATRO - "Conta-me outros Fados" Silêncio que se vai cantar os fados

Conta-me outros fados conta e canta o fado. Não apenas a canção que todos conhecem como fado português, mas alguma da música que tem influências árabes, africanas ou do mundo de expressão ibérica como o Flamenco, o Samba, a Morna ou o Tango, e que cantam o fado como sinónimo de destino ou como uma história de vida. Pusemos na mala o canto, a música, a dança e o teatro, para partirmos numa viagem pelas músicas do mundo e de todos nós. Por isso, silêncio, que se vai cantar os fados! Criação Coletiva | Ideia original Tela Leão | Direção e Dramaturgia Pedro Ramos e Tela Leão | Interpretação Adriana Castro, Catarina Viegas, Helder Viegas e Pedro Ramos | Produção Pedro Nascimento | Luz, Som e Operação Técnica Valter Alves | Figurino de cantora Bruno Guerra, confeção de Mª Luísa Fernandes. Duração: 60 mn Classificação: Todas as idades Mais em: al-masrahteatro.blogspot.com

19.07 – Teatro Entretanto Teatro – “ A Bailarina vai às compras” Um transexual de meia-idade que afinal vai comprar amor “A Bailarina vai às compras” releva um transexual de meia-idade a fazer um espetáculo performativo nos corredores do supermercado central de Tolaboa, sendo sucessivamente interrompido por telefonemas que o impedem de concretizar o seu objetivo. Com o carrinho repleto de necessidades básicas e impossibilitado de as pagar, ele percorre o supermercado de frente para trás a devolver às prateleiras todos os bens de consumo. A cada objeto que devolve à prateleira ele, a Bailarina, dá mais um passo no caminho incerto…Dança com as palavras num jogo de quem não tem nada a perder. Canta com o corpo em movimento, num jogo de quem não tem nada a ganhar. Da razão ao delírio, do bom senso ao grotesco, do trágico ao cómico, do clássico ao contemporâneo, da mulher ao homem, do sexo ao amor, do social ao íntimo a Bailarina fala, canta e dança pelos corredores do supermercado até se recolher no sonho da arte que lhe permite continuar a viver neste mundo.

Encenação de Rita Lello e interpretação de Júnior Sampaio. Produção executiva _ Amélia Carrapito | design _ Vitor Cardoso | movimento _ Ruben Garcia e Vânia Naia | desenho de luz _ Vasco Letria | voz _ Maria Luís França | figurinos _ Manuela Bronze | cenografia _ Bruno Guerra | música _ Rui Lima e Sérgio Martins | coordenação artística _ Maria do Céu Guerra Duração: 70 mn Classificação: M/16 Mais em: www.entretantoteatro.pt


20 .07 – Música Jazzafari Unit A jovem voz masculina do jazz nacional Jazzafari é um promissor e jovem cantor e uma das poucas vozes masculinas a afirmarem-se presentemente no panorama do jazz nacional. Formado na prestigiada escola Taller des Musics, em Barcelona, tem demonstrado um particular talento para o bebop, partilhando o palco com os versáteis e aclamados músicos Carlos Barreto, Alexandre Frazão e Nuno Ferreira, num concerto eletrizante. Voz - Jazzafari Bateria- Alexandre Frazão Contrabaixo- Carlos Barreto Guitarra- Nuno Ferreira Mais em: https://www.facebook.com/jazzafari http://www.myspace.com/Jazzafari

21.07 – Música Fernando Tordo – “Por este andar” A encerrar o Noites na Nora 47 anos dedicados à música Neste espetáculo intitulado “Por este andar”, Fernando Tordo interpreta alguns novos temas do futuro álbum e clássicos como “Adeus Tristeza”, “Cavalo à solta”, “Tourada”, “Se digo meu amor”, ”Balada para os nossos filhos”, “Estrela da Tarde”, entre outras canções que fazem parte da história musical do nosso país. É um encontro marcado pela relação de proximidade que o cantor estabelece com o seu público através do prazer que revela em cima do palco, fruto de 47 anos ininterruptos de total dedicação ao seu trabalho.


Onde? Espaço da Nora. Rua de Nossa Senhora, Serpa Quando? De 6 a 21 de Julho. Terça a domingo Quanto? Sexta e sábado: 3 euros (adulto) 2 euros (>25 e < 65) Restantes dias: 2 euros (adulto) 1 euro (>25 e <65) Menores 12 anos: Entrada gratuita A que horas? Abertura do espaço: 21h45 Início dos espetáculos: 22h30 E que mais? Bar de apoio, Espaço Vinhos, conversas, música, djs… Entrada condicionada à lotação do espaço

Org: Baal17 – Companhia de Teatro 12 anos a proporcionar-lhe os melhores espetáculos nas “Noites mais agradáveis do Alentejo” Estrutura financiada por:

Noites na Nora 2012 com os apoios:

Espaço Vinhos com os apoios:

subsidiada por:

apoios:


Noites na Nora 2012