Page 1

Fernandópolis, maio/junho de 2009

PESQUISA

DESTAQUE O curso de Letras da Fundação Educacional de Fernandópolis é destaque nesta edição do Jornal da FEF. Dentre os diferenciais do curso estão práticas de ensino e atividades complementares com opções artístico-culturais. Pag 6

DISTRIBUIÇÃO GRATUITA

Os cursos de Engenharia Ambiental e Engenharia de Alimentos estão realizando um estudo conjunto sobre a planta “ora pro nobis”, que possui elementos e vitaminas que fazem bem à saúde. Confira matéria sobre o tema. Pag 7

Confira as novidades da FEF Teen Objetivo! Pag 7

investimento

Jornalismo da FEF inaugura nova estrutura Curso conta com novos laboratórios de televisão, rádio, agência de notícias e redação jornalística

Autoridades participaram do evento e conheceram os laboratórios que são utilizados pelos alunos para trabalhos e aulas práticas do curso

O curso de Jornalismo da Fundação Educacional de Fernandópolis comemorou o Dia do Jornalista com a inauguração de cinco novos laboratórios: Telejornalismo, Radiojornalismo, Fotojornalismo, Redação de Jornal Laboratório e

Agência de Notícias. No total, a FEF investiu R$ 450 mil em infraestrutura e equipamentos para os laboratórios, que são utilizados para aulas práticas dos alunos de Jornalismo. Participaram do evento alunos do

curso, professores, jornalistas e autoridades como o prefeito Luiz Vilar de Siqueira e o presidente da FEF Paulo Nascimento. Os laboratórios foram equipados com o que há de mais moderno na tecPag 4 nologia da comunicação.

FEF em Ação leva Feira Começam as aulas do curso técnico em Eletrotécnica de Saúde à Brasitânia A FEF apresentou mais seguimento.

O projeto FEF em Ação - Responsabilidade Social e Cidadania chegou ao distrito de Brasitânia. Em abril, foi realizada uma audiência pública no distrito e no final do mesmo mês a população

recebeu a Feira de Saúde e Qualidade de Vida, que inaugura as ações intervencionistas na Brasitânia. As atividades foram realizadas pela equipe da FEF e seus parceiros. Pag 3

uma novidade neste semestre: o curso técnico em Eletrotécnica. Este curso tem por finalidade habilitar e formar profissionais nas áreas de eletrotécnica, tanto predial quanto industrial, para qualquer

A duração do curso é de um ano e meio, com carga horária de 1.320 horas aulas, incluindo estágio. Com este certificado em mãos, o técnico em eletrotécnica poderá atuar em diversos setores. Pag 4

O papel da FEF nos 70 anos de Fernandópolis

Leia no artigo de Paulo Nascimento, presidente da FEF, o papel da Fundação no desenvolvimento de Fernandópolis ao longo de seus 70 anos. Pag 2


palavra do presidente

Fernandópolis 70 anos: a Fundação Educacional faz parte dessa história Responsabilidade social e qualidade de ensino. Essas são duas missões que a FEF nunca abandonou desde a sua fundação, há 25 anos. Em maio, quando Fernandópolis comemora seu aniversário de 70 anos, é com orgulho que analisamos a história da FEF e chegamos à conclusão que esta instituição foi peça fundamental no desenvolvimento de Fernandópolis. Do curso pioneiro de Enfermagem à estrutura que a Fundação possui hoje, a preocupação sempre foi a do crescimento sustentável. E o que a população pôde assistir foi a um cenário de constante desenvolvimento, aliado à consolidação de uma instituição séria e comprometida com a qualidade de vida da comunidade à sua volta. Hoje, com cerca de 9 mil alunos, a FEF oferece 29 mil metros quadrados de área construída em quatro câmpus, que possuem 40 la-

Paulo Nascimento, presidente da FEF

boratórios equipados e 114 salas de aula climatizadas e dotadas de recursos multimídia. E toda essa estrutura não atende somente os alunos que ingressam na FEF. A população é beneficia-

da com a estrutura e especialistas da FEF. Um desses exemplos é o atendimento gratuito nas Clínicas Integradas em oito áreas da saúde, além dos serviços oferecidos pelo Laboratório

de Análises Clínicas da Fundação e por projetos de extensão à comunidade como o FEF em Ação, que já passou por diversos bairros de Fernandópolis propondo intervenções para a melhoria da qualidade de vida. Além desse atendimento diferenciado à comunidade acadêmica e à população de Fernandópolis e região, o aumento do número de universitários na cidade promoveu um impacto efetivo na economia local. Do total de alunos da graduação que estudam hoje na Fundação, 62% vêm de 194 municípios de 13 diferentes estados brasileiros para estudar na FEF. Muitos desses universitários mudaram-se para Fernandópolis, possibilitando um crescimento acelerado da construção civil. Esses jovens consomem em nosso comércio e utilizam os serviços oferecidos pelo empresariado local, que precisou contratar mais gente para atender a essa

demanda. Se em termos de conhecimento Fernandópolis já havia ganhado muito com a FEF, em se tratando de economia, o avanço também teve uma boa parcela de colaboração da Fundação. E a equipe que trabalha na instituição também não é pequena. São 492 colaboradores entre professores, coordenadores e servidores da área administrativa que contribuem para movimentar esta verdadeira cidade chamada FEF. Fernandópolis chega aos seus 70 anos e trilha caminhos cada vez mais desafiadores na direção do desenvolvimento. E a Fundação Educacional, que sempre contribuiu nesta caminhada, vai continuar a ser uma das personagens principais dessa história de sucesso. Porque na Fundação, ensino de qualidade e responsabilidade social são missões. E desenvolvimento é nossa vocação.

Expediente O Jornal da FEF é um veículo de comunicação institucional da Fundação Educacional de Fernandópolis, que integra as Faculdades Integradas de Fernandópolis (FIFE), Instituto Superior de Educação (ISE), Centro de Aperfeiçoamento e PósGraduação (CAP-FEF) e Escola Profissionalizante Dr. Alberto Senra (EPDAS). www.fef.br imprensa@fef.br Fundação Educacional de Fernandópolis Campus Universitário I CNPJ 49.678.881/0001-93 Avenida Teotônio Vilela, s/n - Caixa Postal 120 - 15600-000 Fernandópolis SP Telefones: (17) 3465 0000/0800 550 680 Campus Universitário II CNPJ 49.678.881/0002-74 Av. Expedicionários Brasileiros, 392 15600-000 Fernandópolis SP Telefones: (17) 3442 3132

Campus Universitário III CNPJ 49.678.881/0004-36 Av. Litério Grecco, 600 – Shopping Center Fernandópolis 15600-000 Fernandópolis SP Telefone: (17) 3465 0011

ISE - Instituto Superior de Educação

Campus Universitário IV CNPJ 49.678.881/0011-65 Av. Expedicionários Brasileiros, 450 15600-000 Fernandópolis SP Telefone: (17) 3463 2166

Diretor de Extensão à Comunidade, Planejamento Estratégico e Desenvolvimento José Ataides Nunes

Unidade Infantil Av. Manoel Marques Rosa, 3771 15600-000 Fernandópolis SP Telefone: (17) 3462 4914

Administração Geral Presidente Paulo Sérgio do Nascimento Vice-Presidente Aldo José Moscardini Junior

FIFE - Faculdades Integradas de Fernandópolis

2 Fernandópolis, maio/junho de 2009

Diretor Pedagógico Uderlei Doniseti Covissi

Coordenador Geral Durval A. Ramanholi

Coordenadora de PósGraduação Débora Barros Coordenadores de curso

Administração: Marcelo F. Gomes Biomedicina: Elizabete C. A. Rodrigues Ciências Biológicas: Alba R. de A.Catelani Ciências Contábeis: Marcelo F. Gomes Ciências Econômicas: Iracema C. A. Jamal Educação Física: Aldo J. Moscardini Jr Enfermagem: Patrícia M. G. Kawakame Engenharia Ambiental: Ângelo R. Veiga Engenharia de Alimentos: Márcia L. Rizzato

Farmácia: Ocimar Antônio de Castro Fisioterapia: Patrícia M. C. Aureliano Fonoaudiologia: Mara M. Belúcio Buosi Geografia: João Lima História: Humberto Perinelli Neto Jornalismo: Francisco Machado Filho Letras: Durval Aparecido Ramanholi Matemática: Gláucia R P. B de Castro Nutrição: Ângela Maria Buosi Vidotti Pedagogia: Durval Ap. Ramanholi Psicologia: Vilma Beatriz T. C. de Oliveira Química: Francisco José Mininel Serviço Social: Lesliane Caputi Sist. de Informação: Francisco S. dos Santos Tec. em Estética e Cosmética: Valéria Munhoz Terapia Ocupacional: Lisabelle M. Mazaro

Coordenadores de Laboratórios

Anatomia: Nagib Pezati Boer Clínica de Fisioterapia: June Flamarini M. R. Cunha Clínica de Psicologia: Conceição Ap. dos Santos Polleto Laboratório-Escola de Análises Clínicas: Jeferson Leandro de Paiva Informática: Vagner Scamati Línguas: Amadeu Jesus Pessotta

Departamentos

Secretaria Administrativa e de Ensino: Rosimeire B. Oliveira Contabilidade: Sérgio Luís R. Lodetti Recursos Humanos: Sirlene Ap. de Araújo Costa Engenharia e Obras: José Tadeu F. de Almeida Financiamento Estudantil: Selma Cristina Molero Pereira Nogueira

Produção Assessoria de Comunicação da FEF Jornalista Responsável Ana Carolina Araújo DRT/PR 05047 Colaboração Elisandra Monfardini Tiragem: 5 mil exemplares Impressão Editora Ferjal (17) 3442 6644 Fernandópolis SP


EXTENSÃO

FEF em Ação leva evento para Brasitânia Feira de Saúde e Qualidade de Vida atendeu aproximadamente 500 pessoas no distrito em abril O Projeto FEF em Ação – Responsabilidade Social e Cidadania realizou, no dia 26 de abril, a Feira de Saúde e Qualidade de Vida na Brasitânia, distrito de Fernandópolis. O evento contou com a parceria da Prefeitura Municipal de Fernandópolis, Ministério Público, OAB, Unimed, Santa Casa, Secol e Grupo Arakaki. O projeto conta ainda com o apoio da Câmara Municipal de Fernandópolis, do Rotary Club de Fernandópolis “Nova Era”, da Polícia Militar e do Sindicato Rural de Fernandópolis. “O Projeto FEF em Ação surgiu para proporcionar mais qualidade de vida para a população. Agora, com a parceria efetiva da Prefeitura, vamos poder oferecer um número maior de serviços e solucionar os problemas detectados com mais rapidez”, disse Luiz Vilar de Siqueira, prefeito de Fernandópolis, que esteve presente na Feira de Saúde da Brasitânia. Cerca de 500 pessoas foram atendidas nos diversos estandes da feira, divididos em Programa de Qualidade de Vida da Criança, Programa de Qualidade de Vida do Adolescente, Programa de Qualidade de Vida da Mulher, Programa de Qualidade de Vida do Adulto, Programa de Qualidade de Vida do Idoso

e Programa de Saúde Bucal. Exames de sangue para detecção de anemia e diabetes, aferição de pressão, coleta de material para papanicolau (exame preventivo do câncer de colo de útero), orientação nutricional, avaliação auditiva e da voz, orientações sobre primeiros socorros, massagens, orientações quanto à postura, educação sexual e orientações sobre doenças sexualmente transmissíveis para adolescentes, informações sobre financiamento para moradia e atividades lúdicas para crianças foram algumas das diversas atividades oferecidas na Feira de Saúde. “Ficamos muito satisfeitos com a participação da população da Brasitânia, desde a audiência pública. As pessoas vieram para a praça para conhecer o que o FEF em Ação e os parceiros têm a oferecer e estão aproveitando as orientações”, avaliou o promotor Denis Henrique Silva. Para Paulo Nascimento, presidente da FEF, a contribuição social do FEF em Ação é tão grande quanto a experiência proporcionada aos alunos participantes do projeto. “A população ganha com os serviços que prestamos gratuitamente e a equipe da FEF com a prática dos conhecimentos produzidos dentro da esfera acadêmica.”

Além dos serviços na área de Saúde, o evento contou com um estande de artesãs de Brasitânia e com uma unidade móvel da Polícia Militar, que realizou orientações sobre segurança pública. A PM também realizou uma apresentação do canil da Polícia. “Esta idéia de trazer o FEF em Ação aqui para Brasitânia foi muito boa já que é difícil para maioria aqui fazer exames devido à distância de cidades maiores e porque aqui não temos tantos recursos como em Fernandópolis e em cidades vizinhas”, disse Claudinéia Francisca, moradora do distrito. A Feira de Saúde marca o início das atividades no distrito. É a partir daí que a FEF, nas mais diversas áreas, começará os projetos e atendimentos no local com atividades que vão durar o ano todo. Diversas autoridades também passaram pelo evento. Além do prefeito Luiz Vilar, do promotor Denis Silva e de Paulo Nascimento, da FEF, estiveram no evento o médico José Martins (diretor municipal da Saúde), Alessandra Molina (presidente do Rotary Nova Era), Henri Dias (presidente da OAB Fernandópolis), José Sequini Júnior (provedor da Santa Casa e empresário da Secol) e o empresário Luiz Akaki.

A Feira de Saúde contou com diversas atividades, entre elas serviços de tratamento estético e ações lúdicas para crianças

Estrutura da Feira de Saúde e grupo gestor do FEF em Ação

Cursos ganham destaque na pós da Fundação O departamento de Pós-Graduação da FEF vem ganhando destaque com os cursos oferecidos na Instituição. Dentre os cursos mais procurados em 2009 estão Enfermagem do Trabalho, Saúde da Família e Docência no Ensino Médio e Superior. Outro curso que já está em andamento recebendo uma grande procura de alunos foi o curso de Enfermagem de Urgência e Emergência. O curso tem duração de 20 meses e as aulas são quinzenais, aos sábados. O diferencial está nas aulas práticas desenvolvidas desde o primeiro dia de aula do curso. O Aprimoramento em Fonoaudiologia é outra curso que a FEF oferece e que tem despertado o interesse de profissionais da área. Além de graduados em Fono, também podem fazer o curso quem ainda está na graduação. As aulas são mensais e aos sábados. O curso foi idealizado pela coordenadora do curso de Fonoaudiologia da FEF, Mara Buosi e pela professora Fabiana Carla Marcelino. “Queremos informar aos docentes interessados em ministrar aulas que procurem o departamento de PósGraduação da FEF. Nosso objetivo é abranger e dar oportunidade a todos os professores qualificados que desejam trabalhar aqui na pós”, disse Débora Barros, coordenadora de Pós-Graduação da FEF. Inscrições ou mais informações sobre os cursos de pós da FEF podem ser obtidas pelos telefones (17) 3465 0011 e (17) 9179 9740 ou na secretaria do câmpus III da Fundação (no Shopping Center Fernandópolis). Fernandópolis, maio/junho de 2009 3


tecnologia

FEF inaugura cinco novos laboratórios de Jornalismo no campus IV Evento comemorou o Dia do Jornalista junto aos alunos

A FEF (Fundação Educacional de Fernandópolis) comemorou o 7 de abril, Dia do Jornalista, homenageando profissionais e alunos do curso com a inauguração de cinco novos laboratórios: Telejornalismo, Radiojornalismo, Fotojornalismo, Redação de Jornal Laboratório e Agência de Notícias. No total, a FEF investiu R$ 450 mil em infraestrutura e equipamentos para os laboratórios. Paulo Nascimento, presidente da FEF, parabenizou os jornalistas e estudantes presentes e disse que agora, o próximo passo é a instalação da Rádio Educativa FM da FEF, que deverá entrar em funcionamento até o final do ano, operando no prefixo 95,9 megahertz. “Esse será também um espaço muito importante de prática para os alunos de Comunicação”, completou. A inauguração contou ainda com a presença de Luiz Vilar de Siqueira, prefeito de Fernandópolis. Foi na gestão de Vilar como presidente da FEF que o curso de Jornalismo foi implantado na instituição. “O curso de Jornalismo era um sonho que tínhamos e hoje é realidade. Fico muito feliz em ver toda essa estrutura pronta. Mostra que a FEF tinha um plano, o apresentou ao MEC na aprovação do

curso, e tudo foi colocado em prática. Isso demonstra a seriedade desta instituição e a preocupação em proporcionar um curso de qualidade para jovens estudantes e para profissionais que já estavam atuando na área há anos e buscavam mais qualificação com um curso superior”, disse o prefeito. Francisco Machado Filho, coordenador do curso de Jornalismo da FEF, salientou a importância da administração da instituição e da direção pedagógica em apoiar as propostas do curso. “Todo esse apoio resulta no que podemos ver aqui hoje. Dentre as instituições de ensino superior da região, a FEF tem, hoje, os laboratórios mais modernos, com equipamentos de alta definição, um espaço totalmente adaptado às novas tecnologias. São nesses espaços que nossos alunos poderão aplicar toda a teoria de sala de aula, propor produtos novos e linguagens jornalísticas inovadoras”, ressaltou. Dentre os vários equipamentos adquiridos pela FEF, um dos que chama mais a atenção é o Tricaster Broadcast, que além de aplicar diversos cenários virtuais para gravações de programas de televisão, ainda tem a capacidade de transmissão ao vivo, inclusive pela internet.

Autoridades, jornalistas e alunos participaram da inaugur

Novos estúdios de televisão e rádio foram equipados com

Curso de Eletrotécnica começa na FEF Nutrição de A Fundação trouxe mais uma novidade na área de cursos técnicos neste semestre: o curso de Eletrotécnica. Este curso tem por finalidade habilitar e formar profissionais nas áreas de eletrotécnica, tanto predial quanto industrial, para qualquer seguimento. A duração é de um ano e meio, com uma carga horária de 1320 horas aulas, incluindo estágio. “Este curso veio em boa hora para nossa região, pois com a expansão e instalação de indústrias sucro alcooleiras, frigoríficos, moveleiras, granjas, metalúrgicas e muitas ou-

tras, além da expansão da construção civil, cidades como Fernandópolis, Valentim Gentil, Jales, Santa Fé do Sul e muitas outras cidades circunvizinhas estão necessitando dessa mão de obra especializada”, explica Silvio Claret Azol Fernandes, coordenador do curso Técnico em Eletrotécnica da FEF. Podem fazer o curso estudantes ou profissionais de qualquer setor, que atuam ou não na área. Ao final das aulas, o profissional estará qualificado e certificado com diploma reconhecido pelo CREA para assinar projetos de até 800 kVA.

4 Fernandópolis, maio/junho de 2009

“Quem se formar neste curso estará habilitado para assinar projetos de empresas do porte de nossa região como marmorarias, concreteiras, confecções de pequeno e médio porte, estabelecimentos comerciais de grande porte, oficinas, concessionárias de veículos, eletrificações rurais, residenciais, supermercados, tornearias, madeireiras e muitos outros”, exemplifica Fernandes, que é engenheiro elétrico formado pela UEMG (Universidade do Estado de Minas Gerais), com pósgraduação em Automação e Controle pela UFR-

GS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul) e mestre em Energia (Eficiência Energética) pela ULBRA (Universidade Luterana do Brasil). Além do mercado regional, o profissional formado pelo curso da FEF poderá ainda abrir sua própria empresa ou ainda trabalhar em qualquer indústria do mercado nacional. Para inscrições e mais informações sobre este e outros cursos técnicos da FEF, basta entrar em contato pelo telefone (17) 3465 0011, no câmpus III da FEF (no Shopping Center Fernandópolis).

Ao lado, atividade desenvolvida nas Clínicas Integradas da FEF. Abaixo, ação realizada no CADIP


ração dos cinco laboratórios

m tecnologia digital moderna

Hemodiálise recebe projeto de Fisioterapia Pacientes com insuficiência renal crônica (IRC) que estão em tratamento de hemodiálise apresentam, normalmente, várias manifestações sistêmicas, fazendo com que todo o organismo passe a funcionar de ma- Aluna realiza exercícios com paciente atividades da vida diária. neira anormal. “O número de pacientes Para evitar o agravamento do quadro de saúde desses pacientes, com insuficiência renal crônica o curso de Fisioterapia da FEF em situação de hemodiálise vem desenvolve, em parceria com o crescendo substancialmente nos Centro de Hemodiálise da San- últimos tempos. Apesar da heta Casa de Fernandópolis, ações modiálise trazer a extensão da de reabilitação para os pacientes sobrevida de seus participantes, com insuficiência renal crônica a qualidade dessa sobrevida é questionável. Muitas vezes esem situação de hemodiálise. Dentre estas ações, está um ses indivíduos perdem a indeprograma de atividades físicas pendência para a realização de composto por exercícios que po- simples tarefas do dia-a-dia. Por dem reduzir a pressão arterial e isso, a atuação fisioterapêutica é as câimbras que ocorrem duran- essencial à manutenção física e te a hemodiálise, além de facilitar psíquica dos portadores de IRC a eliminação de fluidos. São rea- com complicações decorrentes lizados exercícios de flexibilidade da hemodiálise”, explica a proque aumentam a qualidade e fessora e fisioterapeuta Luciana amplitude dos movimentos e da Marques Barros, supervisora de postura corporal, diminuindo o estágio do curso de Fisioterapia risco de lesões na realização das da FEF.

esenvolve atividades educativas Os alunos do 7º semestre de Nutrição da FEF realizaram diversas atividades de intervenção junto à comunidade. As ações aconteceram por meio do estágio de Nutrição Clínica, com supervisão da professora Carolina Guerra. No CADIP (Centro de Atenção a Doenças InfectoContagiosas e Parasitárias), os alunos realizaram uma palestra sobre alimentação saudável e ofereceram uma cesta de frutas para degustação dos pacientes. Também foram afixados cartazes informativos no local. Já na Santa Casa de Fernandópolis, a equipe promoveu atividades lúdicas de

educação nutricional na Unidade de Pediatria do Hospital. Os futuros nutricionistas confeccionaram máscaras e cartazes ilustrados com figuras de frutas com o objetivo de incentivar as crianças a consumirem o alimento. Ao final da atividade, cada criança recebeu uma maçã de presente. Os usuários das Clínicas Integradas da FEF também participaram das ações da Nutrição. Os alunos ofereceram um desjejum ao público com um cardápio diferente e saudável: sucos de couve com maracujá e laranja com cenoura, patê de soja com ricota e pão integral.

Fono promove atividades na Semana da Voz A ABLV (Academia Brasileira de Laringologia e Voz) promoveu em abril a Campanha Nacional da Voz. No Brasil todo, atividades foram desenvolvidas com o objetivo de promover atendimentos, palestras e orientações quanto aos cuidados com a voz. Em Fernandópolis, as ações foram promovidas pelo curso de Fonoaudiologia da FEF. As atividades desenvolvidas por alunos do curso orientados por professores incluíram a triagem vocal no câmpus I da FEF, além de palestras e orientações na sala dos professores e na sala da OAB no Fórum de Fernandópolis. “Escolhemos as atividades com professores e advogados porque os profissionais que exercem essas duas atividades são considerados profissionais da voz, pois precisam muito dela para o exercício da profissão”, explica Mara Mércia Belúcio Buosi, coordenadora do curso de Fonoaudiologia da FEF. Prevenção Com o objetivo de preservar a saúde vocal dos cantores que se apresentaram em evento comemo-

rativo ao aniversário da cidade de Mira Estrela, a fonoaudióloga da Prefeitura Municipal, Danatiele Pinheiro (formada em 2007 pela FEF), prestou assessoria fonoaudiológica de orientação aos artistas. O trabalho desenvolvido incluiu triagem vocal, com posterior seleção de técnicas visando o programa de aquecimento e desaquecimento vocal. “Esse projeto de Saúde Coletiva leva o nome de ‘Voz Profissional’ e além de artistas, também atende a outros diversos profissionais da voz como advogados, locutores e professores. É um programa interessante que só consegui montar porque a Fundação me ajudou a ter a base pra montar esse projeto de prevenção”, disse Danatiele.

Alunos e profissionais da Fono realizaram palestras durante a semana

Fernandópolis, maio/junho de 2009 5


curso destaque

Mercado para graduado em Letras é amplo

Além da sala de aula, o profissional de Letras hoje pode atuar como tradutor ou até mesmo consultor O profissional graduado em Letras inicialmente é formado para ministrar aulas de Língua Portuguesa e Língua Inglesa, ou seja, tem o magistério como centro de sua formação. Mas por conta de conhecimentos aprofundados adquiridos na faculdade, o profissional formado em Letras tem facilidade em ingressar em diversas outras áreas de atuação, especialmente por meio de concursos. O diferencial deste profissional é o conhecimento do padrão culto da língua e facilidade na redação e interpretação de textos, o que é fator importante – quando não decisivo – para a aprovação em processos seletivos diversos. Na FEF, o aluno conclui o curso em, no mínimo, três anos. A grade conta tanto com disciplinas específicas como Língua Portuguesa, Língua Inglesa, Lingüística e Literatura como também disciplinas gerais, que auxiliam na formação do profissional como Empreendedorismo, Estudos Sócio-Antropológicos, Cultura e Arte. A Fundação ain-

As aulas descontraídas e as práticas de ensino são diferenciais no curso de Letras da FEF, segundo Durval Ramanholi, coordenador (ao lado)

da oferece a habilitação em Espanhol, que o aluno pode cursar como complementação do curso de Letras, podendo, depois, ministrar aulas também nesta área. “Outro diferencial da FEF são todas as atividades extras que a instituição oferece. Os estudantes de Letras realizam estágio supervisionado, práticas de ensino diver-

sas e ainda podem participar de atividades complementares que vão desde projetos de pesquisa até atividades artístico-culturais”, conta Durval Ramanholi, coordenador de Letras da FEF. Como atividades da área cultural, o co-

ordenador destaca o coral da FEF, grupo de teatro, aulas de artesanato, xadrez e um convênio para troca de conhecimento e intercâmbio de estudos com a Universidade de Siena, da Itália, onde hoje está Rafael Sozzi, aluno de Letras da FEF. “Essa formação é imprescindível ao futuro professor, que hoje precisa lidar com as novas tecnologias e ainda ter uma performance que envolva os alunos em sala de aula”, acrescenta Ramanholi. O curso de Letras da Fundação conta com um laboratório de línguas e acesso a todas as ferramentas tecnológicas do Portal FEF Virtual. Também é por meio da internet que um projeto do curso realiza trabalho em parceria com o Conselho Britânico para a capacitação de alunos como futuros professores. No mercado de trabalho, vagas não faltam a esses profissionais. “Às vezes é preciso sair do Estado de São Paulo, mas há notícias constantes de abertura de concursos para professores em todo lugar”, lembra o coordenador. A remuneração do profissional graduado em Letras depende da área de atuação. O salário médio no ensino superior no Brasil (para 20 horas semanais) é de R$ 2.400 para professores de graduação, R$ 3.300 para professores de graduação com título de mestre e R$ 3.800 para aqueles com título de doutor. Um professor do ensino básico com carga horária completa tem salário inicial de aproximadamente R$ 1.600.

vitrine de talentos

Aluna da FEF consegue estágio em multinacional A estudante Francislaine Cristina Carreta, do último ano de Engenharia Ambiental da FEF, foi aprovada como estagiária em uma das maiores usinas do país: a usina Noroeste Paulista, em Sebastianópolis do Sul, que integra o Grupo Noble. Francislaine participou de uma seleção para conseguir a vaga de estágio na usina. “A formação acadêmica que a FEF me proporcionou foi muito importante para que eu conseguisse o estágio. As seletivas foram muito concorridas e  o conhecimento que eu adquiri nesses cinco anos de faculdade contribuiu para

6 Fernandópolis, maio/junho de 2009

que eu conseguisse a vaga e é o que me mantém nela”, disse Francislaine. A aluna comenta sobre a importância do estágio para a formação acadêmica. “O estágio está sendo essencial para a minha formação profissional. Vai muito além de um estágio curricular, é experiência e isso não se aprende na faculdade.” A estudante de Engenharia Ambiental estagiará por seis meses no Grupo Noble. Ela comenta que sempre teve vontade de estagiar em uma multinacional e quando surgiu a oportunidade, não pensou duas vezes, largou

o antigo emprego e não se arrependeu. “No estágio, eu consigo por em prática todo o embasamento teórico que aprendo na faculdade. Consigo ver com outros olhos a carreira que escolhi”, afirma. A usina Noroeste Paulista é a primeira do Grupo Noble no Brasil. O grupo é o maior produtor mundial de açúcar. “A empresa dá todo o suporte para que o estagiário consiga desenvolver atividades compatíveis com sua área e lhe atribui responsabilidades. Não fazem isso por mera obrigação. Isso é responsabilidades social”, disse Francislaine.

Franscislaine, nova estagiária da Noble


pesquisa

Engenharias fazem estudo sobre a “ora pro nobis”

Páscoa e aulas de artes agitam FEF Teen

Cursos querem popularizar a planta, que possui várias vitaminas Em 2006, Ioshiko testes para desenvolver Nobukuni folheava uma produtos diferenciados revista sobre saúde quanenriquecidos com a ora do viu uma matéria que pro nobis. “O primeiro lhe chamou a atenção: produto que estamos deuma planta de fácil cultisenvolvendo é um biscoivo estava sendo utilizada to voltado para alimentaem receitas caseiras como ção de crianças. Além das fonte de vitaminas. Era o propriedades saudáveis da primeiro contato da banora pro nobis, a cor verde cária aposentada com a da planta faz com que o “ora pro nobis”, do latim biscoito também fique “orai por nós”, uma trepaverde, atraindo a atena Márcia Rizzatto, Ioshiko e a prof Ana Carolina deira de folhas verdes que ção das crianças”, explica conseguir ajuda para a divulgação e leva o nome científico de Márcia Rizzatto, coordepopularização da ora pro nobis. E nadora de Engenharia de AlimenPereskia aculeata. “Desde então, comecei a pes- conseguiu muito mais. O curso de tos da FEF. quisar sobre a planta na internet e Engenharia Ambiental vai começar O curso conta com um projeto entrei em contato com vários pes- a reproduzir estacas para a distri- de pesquisa especialmente voltado quisadores que estavam estudando buição gratuita da planta. “Achei para o tema do qual participam três a ora pro nobis. Eles me mandaram muito interessante a pesquisa da alunos do quinto semestre de engemais informações, fotos e estacas de D. Ioshiko fez, com um conteúdo nharia de alimentos orientados pela diferentes tipos da ora pro nobis”, grande de informações apontando professora Ana Carolina da Silva. para as qualidades da planta. Por conta Ioshiko. Ioshikio também já testou diverisso estamos envolvendo alunos da A planta é rica em ferro e utilizasas receitas com as folhas da planta. da no combate à anemia. As folhas Engenharia Ambiental no intuito A mais famosa é o bolo verde de ora de ora pro nobis contêm proteína, de disseminar o cultivo da ora pro pro nobis, que ela enviou para o provitaminas A, B e C, cálcio e fósfo- nobis”, disse Ângelo Veiga, coorde- grama Mais Você (com Ana Maria ro e o plantio é simples e feito por nador de Engenharia Ambiental da Braga), da Rede Globo de TeleviFEF. meio de estacas. são, e foi aceito para ser produzido Já a equipe da Engenharia de no programa. “É um bolo simples e Com tantas vantagens, Ioshiko procurou a FEF no intuito de Alimentos está realizando diversos gostoso”, conta Ioshiko.

Coelho da Páscoa entregou ovos de chocolate

Os alunos do FEF Teen Objetivo têm realizado periodicamente aulas e atividades diferenciadas que auxiliam no aprendizado com muita diversão. Na programação dos últimos eventos se destacam o artesanato dos alunos da 8ª série e o evento da Páscoa do FEF Teen Infantil. Como forma de aprimorar os trabalhos manuais e atrair ainda mais os alunos nas aulas de Artes, a professora Maristela Sanches Rodrigues está desenvolvendo com a 8ª série a “Arte Naïf”, que é uma arte primitiva moderna e que era produzida por artistas sem preparação acadêmica. Os alunos criam esculturas de argila que são expostas no pátio da escola. “Essa atividade está dipertando nos alunos a arte de criar sem precisar de técnicas avançadas, basta ter criatividade e muita dedicação”, disse a professora Maristela Rodrigues. “Estamos aprendendo, durante essas aulas de artes, como interpretar o que queremos expressar nas figuras. São aulas maravilhosas, estamos gostando muito e queremos

que nossos pais tenham a oportunidade de ver os nossos trabalhos”, disse Igor Machado Von Ancher Erdman, aluno da 8ª série do FEF Teen. Além das aulas de artesanato, no mês de abril os alunos do FEF Teen Infantil participaram do evento em comemoração à Pascoa com várias atividades, brincadeiras e distribuição de ovos de chocolate. O evento, que aconteceu no pátio da escola e no parquinho, teve a participação dos pais e presentes do Coelho da Páscoa. Os alunos ganharam uma pintura facial de coelhinho, pintaram desenhos da páscoa, brincaram no parquinho e realizaram atividades recreativas temáticas como “Caça aos ovos de páscoa” e “Corrida dos ovos”. “Todo ano tentamos renovar as datas comemorativas como a Páscoa. Sempre buscamos novidades para que cada ano seja diferente”, disse Elizângela Alves Fachinete, professora do FEF Teen Infantil. As crianças ainda conferiram uma apresentação de teatro com fantoches realizado pelas professoras.

Fernandópolis, maio/junho de 2009 7


Estudantes da FEF participam do 57º CONEG em São Paulo

Os estudantes Nattan Ricardo de Campos e Bárbara das Neves, do curso de História, representaram a FEF em março no 57º CONEG (Conselho Nacional de Entidades Gerais), realizado na sede da Universidade Paulista (UNIP) em São Paulo. O evento foi organizado pela União Nacional dos Estudantes (UNE). O objetivo do evento foi levar ao conhecimento dos Diretórios Centrais dos Estudantes e outras entidades de todo o Brasil os problemas

relacionados à educação e a formulação de propostas para a solução desses problemas. Os alunos da FEF participaram dos estudos de base, votaram as teses e conheceram mais sobre o movimento estudantil. “Agradecemos ao presidente da Fundação, Paulo Nascimento, por ter sido parceiro permitindo aos universitários uma consciência dos direitos estudantis. Fazer parte da historia do movimento estudantil no Brasil é direito adquirido pelo estudante universitário”, disseram os alunos.

Alunos de T.O. visitam a Reatech

Os alunos do curso de Terapia Ocupacional visitaram em abril a VIII REATECH (Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade), que ocorreu no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo. A feira é destinada a pes-

soas com deficiências físicas, mentais, visuais, auditivas e múltiplas, seus familiares e profissionais que prestam serviços a este público. As atrações incluem desde as novas tecnologias nesta área até uma mostra de esportes adaptados e oportunidades de trabalho.

Equipe de Sistemas visita laboratório de TV Digital

Alunos do curso de Sistema de Informação da FEF, acompanhados pelo professor Marcelo Tadeu Boer e pelo coordenador do curso Marcelo Luis Murari, realizaram uma visita técnica no CPQD (Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações), em Campinhas. A viagem aconteceu no final de abril e na ocasião os alunos puderam conhecer o laboratório de pesquisa em softwares para TV Digital do CPQD.

Saúde do idoso é tema de ações de cursos da FEF

Alunos do 5º semestre de Nutrição e de Fisioterapia realizaram nos dias 12 e 19 de março palestras para idosos freqüentadores do Centro de Convivência do Idoso da Vila Regina. O intuito foi levar informação e conscientização de modo dinâmico sobre uma boa alimentação conciliada aos exercícios físicos, demonstrando que esta junção aumenta o desempenho em funções das atividades da vida diária, incluindo os idosos na sociedade e evitando doenças como osteoporose e doenças do coração. Participaram da atividade as alunas Daniella Moreira Sousa Ribeiro e Rosinéia dos Santos Rocha, da Nutrição e as alunas da Fisioterapia Daniele dos Santos da Cunha e Gabriella Franca Andrade. As ações foram orientadas pela professora Eliza de Ungaro Mendonça, com co-orientação de Maria Cristina de Freitas Sgoti.

Jornal da FEF  

Edição de Maio

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you