Issuu on Google+

Nº 23 - Ano IV - Abril/Maio 2012 • SOCIEDADE BRASILEIRA DE ENGENHARIA NAVAL

Navios brasileiros são ‘Significant SSh hiips’


O que vem por aí.... A SOBENA prepara uma série de eventos durante o ano de 2012 para comemorar os 50 anos da entidade. Ao todo serão quatro eventos entre os meses de abril e outubro deste ano, sendo o mais importante destes o SOBENA 2012. Confira abaixo os eventos programados: Lançamento do livro de 50 anos da SOBENA – Outro presente da SOBENA nos seus 50 anos será o lançamento de um livro que vai contar a história da sociedade desde a sua criação em 1962. Toda a história está sendo pesquisada e o relato será publicado em um livro em edição especial, para celebrar a passagem desta data tão marcante. A data de lançamento ainda não está definida.

ENVIE AS SUAS SUGESTÕES OU SOLICITAÇÕES À SOBENA

Jantar de Confraternização do SOBENA 2012 e pelos 50 anos da SOBENA No dia 18 de outubro, durante o SOBENA 2012, será realizado um jantar de confraternização e que também vai ser comemorativo aos 50 anos da SOBENA. Neste mesmo dia, como é tradição, serão homenageados profissionais que se destacaram em suas atividades no ano de 2011.

Espaço do Associado Atenção Associado da SOBENA: Este é um espaço para que você dê sua opinião, crítíca ou sugestão. Escreva para o Fale Conosco no nosso site em www.sobena.org.br

SOBENA Sociedade Brasileira de Engenharia Naval

Presidente Eng. Alceu Mariano de Melo Souza Vice-Presidente Prof. Floriano Carlos Martins Pires Junior Diretor Administrativo Eng. Sergio de Miranda Garcia Diretor Financeiro Eng. Luiz Sergio Ponce Diretor Técnico Prof. Luiz Felipe Assis Diretor Regional - São Paulo Prof. Carlos Daher Padovezi

50

Diretores Adjuntos Eng. Luis de Mattos Eng. Marcos A. Tavares dos Santos Eng. Roberto Silva Jornalista Responsável Marcio Ferreira - JP24514RJ

50 Sociedade Brasileira de Engenharia Naval SOBENA Av. Presidente Vargas, 542 - Gr. 713 CEP: 20071-000 - Centro - Rio de Janeiro - RJ Tel: (21) 2283-2482 - Fax: (21) 2223-3440 sobena@sobena.org.br - www.sobena.org.br

[ 2 ] BOLETIM SOBENA


Congresso SOBENA 2012 recebe 150 resumos para avaliação

O

SOBENA 2012 recebeu 150 resumos para avaliação para o seu 24º Congresso. Agora os

inscritos tem até 31 de julho para fazer a submissão de manuscrito e até o dia 10 de

setembro para a aceitação final. O Congresso é realizado a cada dois anos e é o mais

tradicional e importante foro para apresentação e discussão de pesquisas em andamento e desenvolvimentos técnicos em projeto, construção e operação de navios e estruturas marítimas, assim como em engenharia oceânica para a produção de óleo e gás. Em sua 24ª edição, o congresso ocorrerá no ano em que a SOBENA completa os seus cinquenta anos. Ao longo de sua história, a SOBENA acompanhou a evolução da moderna indústria marítima no Brasil apoiando, como sociedade técnica, o desenvolvimento da Engenharia Naval no Brasil. O SOBENA 2012 inclui sessões técnicas abrangendo os principais tópicos de interesse do setor marítimo; premiação para os melhores trabalhos técnicos elaborados por jovens autores; painéis de debates sobre os temas mais relevantes do cenário atual, com a participação de especialistas; conferências apresentadas por renomados especialistas nacionais e estrangeiros; exposição de produtos e serviços navais e offshore - EXPONAVAL 2012 e eventos de confraternização. O SOBENA 2012 acontece de 15 a 19 de outubro, junto com a EXPONAVAL 2012. O evento será realizado na FIRJAN e mais informações podem ser obtidas pelo e-mail sobena2012@sobena.org.br ou pelo telefone (21) 2283-2482.

[ 3 ] BOLETIM SOBENA


Indústria naval brasileira entregou

56 navios em 2011

F

ruto de um esforço de diversas entidades ligadas ao setor, o desempenho da indústria naval em 2011 pode ser considerado satisfatório. Ao todo, foram entregues 56 navios em 2011e ainda foram contratadas as montagens de 163 embarcações, sendo 46 embarcações de apoio à plataforma e 117 de carga; e a construção de cinco estaleiros no Amazonas, em Pernambuco, no Rio de Janeiro, no Rio Grande do Sul e em São Paulo. A previsão é que até 2014, as ações de Revitalização da Indústria Naval monitoradas pelo PAC totalizem 609 embarcações e 27 estaleiros. Como parte da expansão e modernização da Marinha Mercante, foram lançados ao mar dois cargueiros, 16 embarcações de apoio à navegação e 17 de apoio à plataforma de petróleo. Dentre esses navios, está o primeiro navio do Programa de Modernização e Expansão da Frota (Promef): o petroleiro Celso Furtado, feito no Rio de Janeiro. Os destaques de 2011 foram para a plataforma P-56, que saiu em junho de 2011 da Enseada do [ 4 ] BOLETIM SOBENA

Bananal, na Baía da Ilha Grande, em Angra dos Reis (RJ), rumo ao Campo de Marlim Sul, na Bacia de Campos (RJ), é um exemplo da retomada da indústria naval. De acordo com a Petrobras, o investimento foi de aproximadamente US$ 1,5 bilhão e sua construção gerou 4 mil empregos diretos e 12 mil indiretos no País. A construção da P-56 alcançou o conteúdo nacional de 72,9% relativo aos módulos integrados (topside), e teve seu casco totalmente construído no Brasil, demonstrando o fortalecimento da indústria local a partir das encomendas da Petrobras. O casco da nova plataforma é 100% brasileiro e resultou da união dos blocos de aço com os módulos integrados. Construída de forma modular, a P-56 é composta pela base do convés (deckbox), casco e módulos. O processo chamado de deck mating é uma das atividades mais complexas desenvolvidas por um estaleiro e ocorreu sem qualquer imprevisto, em outubro de 2010.


Navios brasileiros recebem o premio Significant Ships – RINA

O

navio de Produtos Celso Furtado, da Transpetro, projetado e construído no Brasil,

está na lista dos navios mais significativos do mundo entregues em 2011. O prêmio

Significant Ships of 2011, concedido pela Royal Institution of Naval Architects (Rina),

de Londres, é dado às embarcações que mais se destacaram em qualidade, performance e design. Ao todo, 49 navios do mundo inteiro fizeram parte da 20ª edição da lista, que ressaltou o renascimento e o potencial da indústria naval brasileira. Projetado pela Projemar, líder em engenharia naval e offshore no Brasil, o Celso Furtado entrou em operação em novembro de 2011 e é usado para o transporte de derivados de petróleo entre os estados brasileiros. Possui 183 metros de comprimento e capacidade para transportar 56 milhões de litros. Primeira embarcação construída por um estaleiro brasileiro para o Sistema Petrobras em 14 anos, o Celso Furtado é um dos 49 encomendados pelo Programa de Modernização e Expansão da Frota da Transpetro (Promef). A lista da Royal Institution of Naval Architects contempla outro navio brasileiro, o Log-in Jacarandá, construído pelo Estaleiro Ilha S.A. (Eisa). Fundada em 1860, a Rina é uma renomada organização internacional, com sede no Reino Unido, que representa engenheiros navais do mundo inteiro.

[ 5 ] BOLETIM SOBENA


Indústria naval no RJ terá investimento de R$ 15,4 bi até 2014

O

seminário II Balanço da Indústria Naval e Offshore, realizado em abril fez um retrato atual do setor e um prognóstico para os próximos anos. Segundo o presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), Eduardo Eugênio Gouvêa Vieira, a indústria naval do Rio de Janeiro terá investimentos de R$ 15,4 bilhões no período de 2012 a 2014, de acordo com o documento "Decisão Rio", uma compilação de dados anuais sobre investimentos no Estado nos próximos três anos, elaborado pela Firjan. Esse valor é 17% maior do anunciado no ano anterior referente a 2011 - 2013. Segundo Vieira, a previsão é de gerar 27 mil empregos, sendo 11 mil na construção dos novos estaleiros e o restante em postos de trabalho na operação. Já o secretário estadual do Desenvolvimento Econômico, Energia, Indústria e Serviços, Julio Bueno, anunciou a criação de um polo do segmento de navipeças em Duque de Caxias, Rio de Janeiro, numa área inicial disponível de 500 mil metros quadrados. O projeto tem investimentos de R$ 250 milhões do governo estadual e deverá atrair em sua primeira fase empresas que irão gerar o equivalente a R$ 1,5 bilhão em negócios e cerca de 5 mil empregos diretos. Nesse momento, a área do futuro polo passa por conclusão de avaliação técnica e procedimentos ambientais. A partir da criação do novo polo de navipeças, será possibilitado às empresas fornecedoras ter acesso marítimo aos 19 estaleiros instalados na Baia da Guanabara, para levar até eles carga e equipamentos, o que contribuirá para aliviar o tráfego urbano. Luiz Maurício Portela, presidente do Estaleiro Aliança, destacou a falta de mão-de-obra qualificada e a necessidade de investimento na formação de novos oficiais pela Marinha. -Faltam 906 oficiais de marinha mercante no Brasil, as empresas operam porque burlam a lei que determina uma quantidade mínima de oficiais brasileiros. Nós formamos menos engenheiros que a Argentina - diz. Para Sérgio Machado, presidente da Transpetro, criaram-se alguns gargalos no Brasil em razão do rápido crescimento. - Acredito que o grande problema dos estaleiros está na gestão. A marinha está fazendo um esforço de aumentar o número de vagas, teremos mais uns 2 -3 anos de sacrifício - afirma. O executivo alertou ainda que está na hora de focar na produtividade para que a indústria tenha condições de competir mundialmente.

Conselho para discutir Indústria Naval

O

governo federal decidiu instalar 19 conselhos de Competitividade com o objetivo de estimular o setor produtivo, entre eles o discutir a indústria naval nacional. De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), esses conselhos serão compostos por aproximadamente 600 pessoas, entre integrantes do governo, de empresas e representantes dos trabalhadores, e funcionarão como espaço de discussão de temas setoriais. A reinstalação dos conselhos foi anunciada junto com o pacote de medidas de estímulo à indústria apresentado no dia 3 de abril, em Brasília. Os conselhos são espaços de discussão de temas setoriais para a construção de políticas públicas voltadas para cada segmento. A ideia de criação dos conselhos partiu das queixas feitas por empresários sobre a falta de interlocução com o governo. As instâncias serão compostas por aproximadamente 600 representantes do governo, dos empresários e dos trabalhadores. “Talvez, nunca tenha havido uma ferramenta tão poderosa de construção de política industrial. Certamente, algum crítico desavisado chamará a iniciativa de perda de tempo, argumentando que isso poderia ser feito mais rápido dentro de um gabinete”, disse o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Fernando Pimentel. “São críticos saudosos do período autoritário, mas nós vivemos a plenitude democrática, que se faz com a busca do consenso”, completou. O Conselho de Petróleo, Gás e Naval é coordenado por Eloísa Menezes (MDIC), tendo como vicecoordenador, Ricardo Cunha da Costa (BNDES). Estão previstas, no mínimo, quatro reuniões por ano. [ 6 ] BOLETIM SOBENA


ANP discute regulamentação de conteúdo local na SOBENA

A

Agência Nacional de Petróleo realizou na sede da SOBENA a palestra "A regulamentação de Conteúdo Local nos Contratos de Concessão e seu Impacto na Área Naval". A apresentação foi feita por Marcelo Mafra B. de Macedo, Chefe da Coordenadoria de Conteúdo Local e Especialista em Regulação de Petróleo e Derivados. Entre os assuntos abordados, o palestrante falou sobre a cláusula 20 do contrato de concessão que garante aos fornecedores brasileiros condições amplas e equânimes de concorrência em relação aos fornecedores estrangeiros, como incluir fornecedores locais em suas solicitações de propostas comerciais e assegurar aos fornecedores locais tempo adequado para apresentação das propostas de acordo com as boas práticas. A palestra também abordou a Certificação de Conteúdo Local que fala da regulamentação da aferição, baseada na Resolução ANP no 36/2007 e os principais desafios que para a ANP são aumentar o volume de investimentos certificados, a difusão das regras da certificação ao mercado; ampliar a certificação de CL junto aos fornecedores de bens e serviços, expandir o diálogo e interação com a indústria e manutenção do Fórum de Certificação.

Rio Grande do Sul recebeu 2° Seminário da RICINO

A

RICINO fez seu segundo seminário no final do mês de março, em um dos pólos emergentes da construção naval brasileira, na cidade de Rio Grande, durante a Conferência Internacional em Tecnologias Naval e Offshore, organizado pela Universidade Federal de Rio Grande - FURG. Em outubro de 2010, durante o 23º Congresso Brasileiro de Transporte Marítimo, Construção Naval e Offshore, no Rio de Janeiro, foi realizado o 1° Seminário RICINO. Na ocasião, foram aprovados o Plano Estratégico 2010- 2011, e a composição dos Comitês estatutários. No 2° Seminário RICINO foram aprovados o Plano Estratégico 2012-2013 e a nova composição dos comitês. A RICINO discutiu também o Plano Estratégico para o Brasil, em painel comandado pelo diretor da SOBENA, Sérgio Garcia e “Desafios Tecnológicos – Naval e Offshore, em painel com Carlos Tadeu Fraga, do CENPES/Petrobras. A organização da Rede é baseada em Núcleos Temáticos e Regionais que são formados em função da importância tecnológica do tema e da consolidação dos novos Pólos de Construção Naval no Brasil: Núcleo de Tecnologia da Construção e Reparo Naval e Offshore, Núcleo de Projeto Naval e Offshore, Núcleo Regional do Rio Grande do Sul, Núcleo de Desenvolvimento da Cadeia Produtiva da Indústria Naval e Offshore e Núcleo Regional de Pernambuco.

[ 7 ] BOLETIM SOBENA


Parabéns aos aniversariantes

de Junho ALAN KRUCZAN ALESSANDRO PINHEIRO TORRES ALUIZIO SALAZAR PESSOA ANDRÉ ALVES ALMEIDA CASTANHO ANDRÉ FRANCA PIRES DE AMORIM ANDREY DA SILVA LEÃO ANGELO BARONCINI ANTONIO CARLOS DE ARAUJO ALMEIDA ANTONIO SERGIO MONTEIRO DOS SANTOS ARIEL VICTOR DO NASCIMENTO ARNALDO BARRETO ALMEIDA ARNALDO SINÉSIO GUERREIRO DA COSTA ARY BIOLCHINI AUGUSTO ELISIO LESSA VEIGA BENJAMIN MARIOTTI FELDMANN BRAULYO PIMENTEL SIPOLI MARQUES BRUNO AKIO SANTANA ISHIGURO CAROLINA FERNANDES CASTRO FERREIRA CECÍLIA MENDES DE MIRANDA COELHO DANIELA SCARABELLO RIBEIRO DANILO BOULHOSA VIZEU LIMA DEIVIDE JONATHAN RODRIGUES EDGARD MOREIRA ELAINE CRISTINA FERREIRA ALVES ELIZIO MOREIRA DA FONSECA ELOANA MOREIRA COUTINHO ESTEVÃO ESPOSITO FURTADO EVANDRO MACHADO FABIANO DE SOUZA NOVAES FELIPE TEIXEIRA SILVA BEZERRA FERNANDA ROALE BRAGA FERNANDO LEAL FERNANDO LYRA BORGERTH TEIXEIRA FILIPE ARNON BITENCOURTT FILLIPE VITOR DE ANDRADE SILVA GABRIELLE RODRIGUES DOS SANTOS GROSSO GEOVANI PEREIRA SIDONIO GUILHERME DE MOURA PORTO HEMA CARLA RODRIGUES MOREIRA HUGO PEDRO DE FIGUEIREDO JOÃO VICTOR PEREIRA JOSÉ AYRES F. B. FILHO

JOSÉ CARLOS FERREIRA JOSÉ HENRIQUE ERTHAL SANGLARD KAO YUNG HO KARINE DOS SANTOS KEN ITI DOI LEONARDO DA SILVA LUCAS MALINVERNI DE MELO MARCELLO SALLES MACHADO GRILLO MARCO ANTONIO LADISLAU PETKOVIC MARISTELA MANECHINE MAURÍCIO MAURO ROCHA LATADO MAYARA BARRETO SANTOS MICHELE RACANELE F. DE ALBUQUERQUE OSEIAS TELES SILVA PATRICIA QUADRA PAULO ARMANDO NUNES MONTEIRO PEDRO BREZENSKY VILLELA PEDRO IGOR DIAS LAMERA PEDRO JOSE DA SILVA PEDRO LUIZ FURINI FILHO PETER KALEFF PHILIP TOSHIO SHIMADA RAFAEL DE LIMA LEMOS RAFAEL F. DUTRA E MELLO DOS SANTOS RAMON DE SOUSA PINTO RAONI SCHARDIJN FRANCA RENAN SILVA GONÇALVES RENATO DO REGO ROBERTO FERNANDO CHEDID ROBSON DE OLIVEIRA SOARES RODOLPHO RIBEIRO DA SILVA SORAYA DE FARIA RODRIGUES VIEIRA TATIANA DA SILVA MONTE THIAGO SILVERIO FORCATO TIAGO FRANKLIN DE MOURA PINTO VANESSA GUIMARÃES SOARES DE MENEZES VICTOR ALVES DE MEDEIROS VIDAL NEGREIROS DE PAIVA VINÍCIUS RIBEIRO GOMES SILVINO VITOR DE SANTIS TAVARES VITOR LEONARDO GAYA DE MIRA YAN MARTINS FERREIRA GUEDES YURI LOBÃO HOLLUP

A SOBENA dá boas vindas aos novos Associados ADAIRTON SOARES CASSIANO CERQUEIRA SOARES HEMA CARLA RODRIGUES MOREIRA JOÃO GABRIEL MESCHIERI JOSÉ LUIZ DE MOURA NETO LEONARDO TRISSCIUZZI LUCAS EDUARDO DAMMANN

LUCAS MARQUES DE ANDRADE MARCOS THADEU PALMEIRA BAPTISTA MATHEUS SIQUEIRA SILVA PRISCILLA PERUSSOLO CUNICO CONRADO SAMUEL MANGUEIRA COSTA ULYSSES CAYNNÃ DE AZEVEDO FERRAZ

[ 8 ] BOLETIM SOBENA


Coquetel comemora 50 anos de SOBENA Para comemorar os 50 anos de criação da Sociedade Brasileira de Engenharia Naval, a entidade realizou no dia 12 de abril de 2012, um coquetel comemorativo com a presença de associados e personalidades do setor. O evento aconteceu no Museu Naval e reuniu a diretoria da SOBENA, ex-presidentes da entidade, associados e personalidades do setor naval.

O presidente da SOBENA Eng. Alceu Mariano, com os ex-presidentes Eng. Rubens Langer, Eng. Agenor Junqueira e Eng. Armando Bittencourt

Associados da SOBENA em confraternização. No detalhe, o engenheiro Coaracy da Silva, que coordena o Seminário de Heliponto.

Convidados para o Coquetel em comemoração aos 50 anos da SOBENA aplaudem o discurso do presidente da entidade.

Parte da Diretoria da SOBENA em pose para foto de comemoração no coquetel dos 50 anos da SOBENA.

Mais de 100 representantes do setor naval estiveram presentes no Museu Naval para comemorar com a SOBENA os 50 anos da entidade.

O vice-presidente da SOBENA, Eng. Floriano Pires Jr. discursa ao lado de ex-presidentes da entidade.

[ 9 ] BOLETIM SOBENA


Boletim SOBENA - Maio/Junho 2012