Issuu on Google+

Colégio Salesiano Itajaí

s a i s e o P

Como Dom Bosco, presença alegre e fraterna, por uma vida saudável.

Quartos Anos Ens. Fundamental

2012


Colégio Salesiano Itajaí Como Dom Bosco, presença alegre e fraterna, por uma vida saudável.

l a r a v m u e u q Por poesias? de “O objetivo fundamental da poesia é? - Mostrar a perene novidade da vida e do mundo; - Atiçar o poder da imaginação das pessoas”. (José Paulo Paes)

Este foi o convite feito aos alunos para experimentar, de uma forma muito especial, a “brincadeira com as palavras” e as suas rimas. Diante deste importante estudo, envolvemos os alunos para pesquisar as poesias e os poetas preferidos. Todo este trabalho resultou na oportunidade de serem poetas também. E então, surgiu a ideia de lançarmos um livro com as primeiras poesias dos alunos do 4º ano. Prepare-se para conhecer as belas produções... Professoras: Eliane, Camile, Janete e Sandra


s a i s e o P 4ยบ ano A Prof. Eliane

Grupo Best Friends


Aluna: Ana Luíza Rodrigues Spiess

Aluno: Vinícius José M. Cardoso

O Grande Dragão

Ricardão quando nasce Esparrama pelo chão Menino mais lindo do meu coração.

Ricardão

Pobre dragão Tão valentão Minha mãe me ensinou Tão grandão Aluna: Bruna Raimondi da Silva boas maneiras Tão sem noção Eu sei, eu duvido, eu não deixo Tanta solidão Minha mãe me ensinou Nesta escuridão A dar bom dia Sabe o que eu consigo? l e p ip W ra a Com alegria Botar o pé na cabeça! rb Aluna: Ba Sabe o que eu duvido? Me ensinou a ser divertido o Você pular sem para quedas de um ri á E ter grandes amigos Arm A Cama e o prédio Me ensinou a respeitar os Sabe o que eu não deixo? e te n e mais velhos u q é Você comer uma caixa de pimenta Minha cama E a ser muito sincero. a malagueta. s gosto Aluno: Nícolas R. Müller se guarda a Heusi ir e r No armário r e F a r u La luna: Maria A coisas e s o ri á o arm Na cama e n Pai e Mãe troca. o feliz Aluna: Maria Beatriz S. Stellfeld Fiquei muit escrever e Para nadar leto ue i Meu Pai Me Ensinou a Pescar Mexe o esq ha mãe e do meu pa in Gostar da m liz Amanhece o dia É divertido m que ser fe te im s s a r Café quente na mesa Para se Oba! Hoje é dia de pescaria Meu querido Hamster E eu vou junto com certeza Arrumamos as varinhas Meu Hamster é fofinho Não podemos esquecer a isca Cuido dele com muito carinho Sem nada no anzol Mas quando ele está com soninho O peixinho não belisca Ele adora dormir com o seu Chegou a hora de almoçar paninho. Um sanduíche foi o que sobrou Aluno: Hendrel - 4º ano A Acho que preciso aprender a pescar amos R . F Pois nenhum peixinho beliscou. n Eli a l l A : li o P. Vita Alun o car g o o i r D T : e a c d Aluno os tro ndo h a n c o n s i Br dor de horro a c n a o i c c o Cole rdim o gato a j l o e N m uarto o gato ho de uel n q o s o N aq Um orro im R h d o e c r h d a a n j c o No por um ho de dese arto e rolar . u q n o l No ando d Um s de futebo i incar r b c n b i m m e Br por u ho de zum ato s g . n n o o a s E Um o Batm d m u por


Alunas: Isabela Luisa C. dos Santos e Maria Julia

Aluna: Sofia T. Z.

Os Animais

Coisas e Coisas

As borboletas com cor de violeta O cachorrinho com seu latidinho que é mesmo fofinho O leãozinho com sua juba e rugindo

Sabe o que e eu consigo? Fazer malabarismo com figo.

O macaco de galho em galho O passarinho fazendo ninho O elefante com seu nome deslumbrante A zebra com listras pretas O papagaio falando: Me tira desse galho O gato com seu mingau, mingau A onça com sua pele linda e sonsa A girafa com seu pescoço pequeno entre aspas O galo cantando có- córico- có- có A borboleta... Todos eles são fofinhos.

adam

uriel D Aluno: M A Alegria

da Bolha

lha a Olha a ro tro da bolha a em cim g e r r a n c e , d ega Que ta inho carr r a s s a p Que o da folha na boa a A rolha ta olha caiu da folh b Porque a de alegria. a ou atarin E estour C e z i a Mun d r a u d aria E M : s a Alun e a Joli i s e o P s bela as criança o ã t a d onec nhos Uma b ca dos so sou e s A bon ca que pa ção e a A bon ação a ger r De ge is bonita a a. É a m ha favorit in Éam

Sabe o que eu duvido? Que saia leite do seu ouvido. Sabe o que eu não deixo? Ninguém encostar no meu queixo. Aluna: Sofia de Oliveira Dezidério O Classificado Sonho Um sonho de felicidade Por um sonho de coragem Um sonho de valsa Por um sonho qualquer Um sonho de começo Por um sonho de fim Aluna: Lorena Costa Albrecht Duda e Lorena A Duda anda dura A Lorena com a mão na orelha A Duda com a mão na cintura A Lorena com a Helena E por fim a Lorena e a Duda andam juntas. Aluno: Matheus R. Costa A Poesia Estranha No lago a mosca Na folha o sapo No dente a escova de dente Na garrafinha tem gatinha.


Alunos: Caio Enrique e Vinícius C. Bastos

Aluna: Juliane Brum Rossato

Minha Cadela

Aonde Vai

Isla piradona, mas não é dona Assusta crianças e faz lambança Ela tem dentes, mas não morde muita gente Tem jeito de fofinha, mas não é queridinha Se pensar direito é uma boa cadela.

Aonde vai cachorrinha? Que é tão bonitinha? Aonde vai camaleão? Que muda para marrom?

Aluna: Maytê B. Santos Aluno : Le . ona rdo Dra As Diferenças A. gão Doid ão Pob No lago a mosca r e drag Solt Na folha o sapo a f ogã ão tão Dra o d g No lago a iena Mai ão, dra pro me oidão s Na folha o sapo. u co Mai forte q gão raçã s rá o pido ue um E se l u no e q me ue um ão é Le g ona uepard rdo. o

Aonde vai pato? Vai nadar no lago? Aonde vão amigas? Vão ao shopping pra comprar roupinhas? Aonde vai girafa? Com o seu pescoção? Bom cuide muito da sua vida Para não ter uma briga.

Aluno: Leonardo G. Heusi Minha Cachorrinha Ela é bem velhinha E é leve como um ratinho Já mordeu vários dedinhos Seu pelo é bem lisinho Aluno: Lucas Ela é bem velhinha E também rabugentinha Minha Cachorrinha E é a minha cachorrinha. Ela é bem velhinha E é leve como uma ratinha Já mordeu muitos dedinhos Ela é bem bravinha E também rabugentinha E é a cachorra o Leo.

O Sapo, a Mosca, o Cão e o Gato No lago o sapo Na folha a mosca No tapete o cachorro E o gato no sofá E agora no sofá o sapo No tapete a mosca No lago o cão E na folha o gato E na sala a professora e os alunos. Aluno: Jorge Neto - 4º ano A


s a i s e o P 4ยบ ano B Prof. Camile

Grupo Eletromรกtica


Vendas No tapete o gato No sofá o cachorro No prato o pato Na cozinha a galinha Na feira vende prateleiras. E a menina na prateleira viu o vendedor vendendo tudo.

a Troc

to o ga achorro á f o No s pete o c No ta a: Agor ro chor a c ofá o ato ho. N o s p e t e o g a s s ar i n p No ta nela um Aluna: Mayane P. de Oliveira . Na ja a pi que a i o h m rin to ? s O ga por quê o passa Assi o u i e i u b v q Sa alçó e ele u D q a r d r da Po porta Edua m a i o r c a di a ser a: M u Apren o n i Alun e ens m e ã am ler, Escolher um poema a u Minh o ensin cer. e m inho, e t e i u ã e q r i m s d e a Na cama o rato, Minh unca vou arefa t r e z fa Na parede o sapo, isso n ou a n i s n e Na cozinha a mosca, ãe me arinho. inou, m s a n h c e Na água a tartaruga, n i e e M nt ém m u basta g n m No quintal o papagaio, i o n c a mãe isou. n h n Na floresta o macaco, i m c meto I e a r r d e p l r l Na mata a capivara. Gosta e isso nem Smoe a r a L : porqu Aluna Aluna: Luize Coninck O artis

ta

uisito q s e o t i ei mu je acord

O artis Eu ho ta que r pois o o, utro ar ia ser um art comprid o ista me t l chama ista inv e b a C lh d e tupido, o tremendo e n e O artis o “zenour”. ntou um pla or, z i r a n h ta neta do, joel n e algo so se chamav o d é p a Junio do. b E ele d re isso r e que s arden o h l o e ria faze lemas? b o r p só pod senhou pala r om v e estou c dilema? e u q E assim ser Junior” ras. Junior q á r Se ue é Ju lá vai o enas um sei, só deitei e p a a r n e i o Junior r Ou provi m i . a d i v E todo Na dú s tenh Flores . S . V . i am um o e Joã sonh final b Aluno: em fim -junior !!! Aluno: José R oberto G. Neto


Um velho Um velho que era brega, carregou dez formigas na panela.

O meu avô

Meu avô me ensinou a serrar. Meu avô me ensinou a fazer estilingue. Meu avô me ensinou a assobiar. Meu avô me ensinou a pescar Meu avô não me ensinou o pio das aves Um velho Mas gostar do meu avô nem precisou alguém que era chato, me ensinar. arrumou um emprego Aluno: Pedro Steffani Cac e comeu um sapato. hoq uice s U Um velho mc - Eu ac h o que era tagarela, r com quero ro fala queria plantar n v end o umiajar n te diss uma árvore na panela. No oss um ba e: balã ão! lão, Eo o ho Um velho c foi p acho uve u r que era charmoso com arar n ro fala ma ex plos queria comprar um e fic endo a lua nte ão r ou m equ perfume saboroso. aluc eijão ão. Aluno: Lucas Minusculi M. Alu no: Raf ael Mar que a c Em todos os lugares u s o l o e d r n b a c Fe rin bre. Na lâmpada o mosquito. b ava ma le l, t No buraco a cobra. s E u ma re. Na casa o cachorro. com senti m feb o etr Na floresta a pantera. m Me ei co ô erm . No ar o pássaro. fiqu t om mou cola, c i i s d Me le que ara e rou. Aluno: Micael Macaneiro G. Silva e e o fui p ãe pi , lho par, e Nã ha m erm reocu v min do e p lho, r. u t ou ei a m espe redita c i F ec i no i ac m o c lhe segu que curas. u o o L / o , o c o r e m endo / T con ado and h h o Procura/ V c c ã a n a in , por do. rba ro o i c v o o r t e e a s loucura est uado banh cômas Bo ais que m n u o Eu vendo r i u c o E r s o tão, p ais Luc do para , m doidura en o t ri mito bem Pedro ra C. r o loucura. Aluna: Lau c vô era o: era final Alun no


Vó Minha vó me ensinou a bordar, um dom sem saber, minha vó me deu, bordei um pano de prato da minha mãe, foi um presente com todo amor meu. Minha vó me ensinou a fazer bolo de cenoura, com cenoura açúcar e fermento, misture tudo e coloque para assar e deixe comigo que eu experimento! Minha vó me ensinou a fazer colar, uma pecinha atrás da outra é só juntar, colares lindos irão formar e tome cuidado para não derrubar. Aluna: Ana Carolina P. Araujo

Coisas impossíveis de acontecer Sabe o que eu consigo? É brincar de esconde-esconde contigo. Sabe o que eu duvido? É um elefante passar despercebido. Sabe o que eu não deixo? É você tirar da minha calça um fecho.

O lob

oeo

Aluno: Rafael A. Florencio

bolo

Eu co que g nheci um ostav lo a de bo, come Mas r bol pass o. ava o para pode r se a dia a can tar, prese No d n tar. ia A sereia havia da apre s o lob um bolo entação, n o arr A sereia asari a platéia mas , a a Em sua pedra Deu rrasar co com a ca u mob n Na vista pess ma maio olo fo ção, r o c as co i De um mar rrera onfusão, a idéia. m em Com seus longos cabelos O lob qualq o Os homens a encantar uer d no fin todo lam ireçã a b l fico Azul é sua roupa, da cor do mar, o. u env uzado, ergo Linda, linda, linda... salve a princesa nhad o. do mar. Alun a: Ma Aluna: Maria Eduarda Espíndola nuela Klan Pere ira a es par r o v r á a , u Poesi ontro rocurando c n e ão a ap inho n mas um di ba comprid r a s s r O pa eu ninho de ba o h s l e r v faze u um avenida. o havia em teve o r t n o a g enc o num r de rua, al a, então ele d n i m o di dor morad sem mora a r ninho e u e s s a Ele struir m, tod ica comu eia magníf arinho con s d o pas uma i z e f beni . a im o F s h t s l r a e u v E o ittenc rba de B a b e p a i n : Fel Aluno

O sapo e a mosca No lago o sapo, na folha a mosca. Agora: Na folha o sapo, na lagoa a mosca. O sapo comeu a mosca. Aluno: Thiago Vieira Lach


Mundo animal

Mãe

Um certo cachorro, quando era filhote, fazia piu, piu e ninguém o entendeu.

Minh educ a mãe m e en Minh ada. sino a uas boca mãe m er e ensi Minh fechad nou a a co mac a mãe m . mer arro e de Gos nada ensin tar d ou a . ensi a gost nou minha ar de , Por m ã e que ning isso uém nem me prec isou . Alun a: A lice V. W ande Minha mãe rhec Minha mãe me ensinou a ser caprichosa. Minha mãe me ensinou a ser estudiosa. Minha mãe me ensinou a não mentir. Minha mãe me ensinou a ser educada. Minha mãe me ensinou a andar de bicicleta. Minha mãe me ensinou a nadar. Minha mãe me ensinou a não falar palavrão.

Uma anta atravessou a rua para chegar do outro lado. E a galinha de olhos arregalados pergunta: - Ué, tá tudo errado. Do outro lado da rua havia um rato correndo atrás de um gato. E essa tal biodiversidade, Parece que não era mesmo um boato. Aluno: Vitor Pereira Miguel

idas

do isas

Co

e vido o qu ? u o e b u o Sa nsig o do me o c eu entr d a Olh . e vido o qu u e o b ? u Sa vido beije se u d eu você Que meu ue o q e o ? u e Sab o deixo é arranq o ã ntiag eu n o meu p a S o elos Que o. V a x s quei na: Lui u Al

Aluna: Ana Miriã Laurentino Minhoquices Uma minhoca queria ser isca. Que esquisito! Perguntava ao pescador: - Você não vai me iscar para o peixe? Então deixe pra lá... Que eu vou me mandar! Aluno: Gabriel de Almeida Slavov

Colecionador de sonhos troca Um sonho de dor, por um sonho de amor. Um sonho fatal, por um sonho legal. Um sonho horripilante, por um sonho dançante. Aluna: Lorena M. Argoud.


s a i s e o P 4ยบ ano C Prof. Sandra

Grupo Agentes dos Estudos


Ciclopes Coisas

estran

O ciclope só tem um olho E é por isso que é difícil Olhar para os lados.

has

Sabe o Olhar que eu cons dentro i do me go? u umb Sabe o igo q u e eu Você t orcer s duvido? eu um bigo Sabe o Você s que eu não d oltar u m peid eixo? o. Aluno

: João

O Ciclope trabalha dentro de um vulcão, E dele sai fumaça e barulho. O Ciclope é habilidoso e fabrica armas para os deuses.

Vitor.

O Ciclope é um ser mitológico e nos causa muito espanto. Aluno: Luís Gustavo Coisas impossíveis Como é que pode um barco voar E um avião nadar no mar?

Minha professora Minha professora me ensinou as continhas

Como é que pode o peixe espada não saber lutar, Tendo que viver em alto mar?

Minha professora me ensinou a ser poeta por um dia. Minha professora me ensinou a ver os detalhes nos desenhos, fotos e na leitura. Minha professora me ensinou a amar assim como eu a amo.

Como é que pode o mar ser doce E o rio salgado disparado? Aluno: Bernardo Chiminelli Borth

a, rest esta? o l f a io n e vida é ama r ma. á a t r i l l g u o q s de Gostar da minha professora ninguém na Vive amigos banho eitado r me ensinou, Sem a toma o céu, d r Porque isso nem precisou. r, Ado ar para ado t h s l u o s E o as orror, ontado, d Aluna: Isabella Sperber dos Santos. n h r se mo enhum a amed rado. s e M eidt faz n mem fic o exage h o c ã S N anh o ho tavo s u Mas seu tam o: G Alun Com ro O og


O saci Lá vai o saci, Pulando aqui e ali. Lá vai o saci, Procurando por mim. Lá vai o saci, No meio do mato. Lá vai o saci, Atrás do pato. Encontrei o saci, Perto do lago, Encontrou o saci, Brincando com o pato. Aluno: André Martins de Miranda

O gato Um gato sapeca Vestiu uma cueca Saindo de fininho Procurando um ninho. Que gato levado Só não sabia Onde tinha passado Seu próprio rabo. Deitado o gato fofinho, Tirou um soninho dentro do ninho. O tempo passou O gato acordou, Assustado ficou, Com o pássaro que chegou. O gato pulou do ninho, Acenando para os seus visinhos. Aluna: Victória Carolina Costa.

Ogros

idos, os. t r e v i d ir s são eles dão t o r g o ue Os nse q e p o Nã ação, r o c m ros tê e emoção. g o s O u nse q s, e p ó S amigo s o s s ão no rtido! s s o r e in Os og só que div erista B e s a i n r o Pe . H. C G e u riq : Hen o n u l A o u consig e e u q O onsigo? c u e e u Sabe o q pé na cabeça. o Colocar duvido? ua no ouvido. u e e u q g Sabe o que a lín o l o c ê c Que vo o deixo? ã n u e e u . Sabe o q e dar um beijo m Alguém uiggi Aluno: L Meu corpo de maria mole. Sabe o que eu consigo? Lamber meu próprio umbigo Sabe o que eu duvido? Você trocar de lado o seu próprio ouvido. Sabe o que eu não deixo? Meu pé coçar meu queixo. Aluna: Helena Pamplona Ardigó

Curupira

menino sem m u é a ir p u r Pobre Cu a que faz é is o c a ic n ú , amigos s pessoas. a r ta s u s s a e , incomodar ma floresta u n e iv v a ir p Pobre Curu laranja. lo tem o cabe a é solitário e tem os ir Pobre curup os do avesso. a. ad dois pés vir luna: Heloísa Góis Gay A


Meu pai me ensinou a amar o próximo O lobisomem O lobisomem aparece a noite de lua cheia, Nas noites frias E nas noites feias, É o lobisomem. Anda pela floresta Solitário e assustador, Um pouco de lobo e um pouco de homem, É o lobisomem. Olhos e o uivo distante, Patas e garras gigantes, É o lobisomem.

Meu pai me ensinou A amar a Deus e Jesus Em primeiro lugar, Porque eles são a razão de eu estar viva. Meu pai me ensinou A amar os meus amigos E respeitá-los em todos os momentos, Não importa a situação. Meu pai me ensinou Que não preciso ter, Mas que eu preciso ser, Uma pessoa boa, honesta e sincera. Gostar do meu pai ninguém me ensinou, Por que isso nem precisou.

Aluna: Nathalia Eloisa.

Aluna: Nicolle Nascimento

Meu pai

Tia

Meu pai meu ensinou, A andar de bicicleta.

Minha tia me ensinou a jogar uno, Minha tia me ensinou algumas palavras em inglês.

Minha mãe me ensinou, A tomar banho. Meu pai e minha mãe, Me ensinaram a respeitar as pessoas. Eles me ensinaram A comer corretamente E a trocar de roupa. Hoje eu estou educada E tenho aprendido Tudo por causa Do carinho deles. Aluna: Gabriele Moreno Rovigati

Minha tia me ensinou, Algumas brincadeiras, Entre elas fazer bobiça. Minha tia me ensinou, A limpar camarão E a gostar de comer também. Gostar da minha tia ninguém me ensinou, Porque isso nem precisou. Aluna: Julia Nascimento Neves.


Dragão

ssa O pa

ri n h o

Eu queria ter um dragão, O nome dele seria fogão.

o a ri n h v ez s a s a m p Era u lhote de voar i f Um foi tentar e t E ele num po o E cai chão pre. L á n o c r e s c e u a r a s em ç o n p E ele ncalhou olas Lore E lá e luno: Nic A

Sabe o qu

Fogão voa como um jato, Quando eu preciso, ele esta no ato. Fogão é comilão, Come feno e rato de montão. Fogão não é só maldade, É coração de verdade. Caçadores tentam o pegar, Mas ele nunca vai me deixar.

e?

Sabe o qu e Dobrar um eu consigo? pouquinh o o dedo mindinho Sabe o qu e Você ter e eu duvido? ntendido. Sabe o qu e Minha irm eu não deixo? ã machuc ar meu qu eixo. Aluna: Isa dora Pino tti Peruzz o O cachorro colorido Achei dentro de uma panela Um cachorro tagarela Ele era colorido com bolinha Como a primavera. O cachorro colorido (coitado) Vivia apertado, saia da panela, Ele era um amigo que brincava comigo, E ele pensava como uma manivela. Aluna: Letícia G. Afonso

Aluno: Arthur F. Balioli.

Tudo e nad a Sabe o que eu consigo ? Tomar banh o comendo figo. Sabe o que eu duvido? Você enfiar a língua no ouvido Sabe o que eu não deix o? Minha irmã comer meu queijo Aluna: Beti

na Pereira

Heuse

O garoto to louco Um garo ho na chuva, n Toma ba o e elegante, . h É estran asso de elefante p Igual ao e, oto nobr r a g o r t O ou deitado, o ã l o i v Toca lados. caverna Vive na m para todos os o lo E grita s ante Mel c l a v a C o itor Hug Aluno: V


Gela

Maluquices

tina

Eu f So q ui pesc Sabe o que eu consigo? Era ue não ar, gela Fazer carinho em um mico. e tina ra águ a, de a Vou b a cax Sabe o que eu duvido? Delí provar i. c h ia. uum Seu dedo tocar no infinito. m!!! Fui t Sabe o que eu não deixo? Não omar b Um ratinho comer meu queijo. Mai saiu ág anho, s Será saiu g ua, que elatin Aluna: Mariah Werner é bo a m? de lim Vou ão, Ah é provar mu i . . to ru im. Cho v e u Por que , mas e mor u e ang stava não p cho o. r ven estei a do g te elat nção, ina de Alun o: J oão Ped ro D ave O soldado todo atrapalhado l

Estava em casa todo folgado, Quando chegou um soldado, Jogando dado, Todo atrapalhado. O soldado derrubou o dado E me convidou para um passeio no lago, Fomos os dois animados. No lago ele me derrubou, E fiquei todo molhado, Voltei para casa feliz Com o resultado. Aluno: Thiago Lanfranchi Zamuner

Animalegais Era uma vez Um gato xadrez, Pintava o sete, Com o cão francês. Era uma vez, Uma vaca no telhado, Voava melhor, Que um pato quadrado. Era uma vez, Um peixe malandro, O carro do sapo, Saia guiando. Aluna: Ellen Provesi Rampeloti


s a i s e o P 4ยบ ano D Prof. Janete

Grupo 100% Amizades


É gol do Coritiba! A semana passou ocorreu um fato O Coritiba fez um show, e o palmeiras perdeu de 6 x 0 Depois desse jogo sensacional aposto que os jogadores do Palmeiras perderam o placar E é por isso que o Coritiba é o meu timão! Tenho uma missão Tornar o Coritiba campeão brasileiro de 2012 e 2013. Aluno: Felipe G. P.

Brincad e Lá vem ira o Lá vem Pedro com o o sapo p com o p é preto é no sa pa Aluna:

to.

Heloisa

O Lobisomem Toda lua cheia Se transforma no que não quer Toda noite uiva o lobisomem Que era humano Quem será ele? Homem, lobo ou lobisomem. Aluno: Ken

Que go

stoso

A bri

ncad

eira Você Você brinca vo c Se q pinta voc ê corre uiser ê faz Brinc o ar é o u se não qu que s e faz iser . Aluna : Bea triz

A flor

e ol nasc s o o d Uma co Quan isa tão b alegria dia m o c o o Q c i v f u o e u n cresce n onita é uma flo E m u o e d c o calor n s r E traz a cresce Pois na raz energia! s m e r o o l r f t s Quando Ele me gostoso ver a ascendo carro o m d s a n l Essa flo urcha traz fedo É muito o, vendo elas alho nas jane r r v d Quase t da muita alegria Brotan s gotas de or a odo dia! a h s g e i T Vendo ama quentin a A luna: Jú c na Luís lia M. R. Sair da gostosinha. luna: A A Cardoso e u Ah! Q


Plano pessoal

Um certo

Hoje andei no skate profissional foi muito radical. Vi Corinthians ganhar, e Liedson no banco foi sentar. Eu botei minha cabeça pra pensar, e agora vou contar. O plano pessoal eu escrevi, e agora vou dormi.

dia

Um certo dia é com o um cam florido, po sem dizer q Sem falar ue eu amo você. é como vo a como coc orica é igu r, al amar. Como o m ar é igual ac sempre co m esperan olaborar voltar. ça que um dia Aluna: Na talia Sche ad.

Aluno: Leonardo

Minhoca valente o s ap o n do co a t n o se um sa to ac c o a c a M ac a a c o m sa p . m m c m por ato mu vi u Eu tro da rato co um m utra m n D o o e o D tro d co c edr a n P t e : D no um Alu Com

Lá vem a minhoca, tomando coca, na sua toca, comendo torta, jogando bola. Esta minhoca polivante, sem perder tempo, ela é quente. Aluno: Arthur

O sapo O sapo vem e vai, ele pula sem parar, mas quando o sapo dorme, ele faz chum chacha. O sapo brinca e corre sem parar mas quando vai correr sempre vai se preparar. Aluno: Gabriella H. Duarte

O sapo

sapato o d o r t n e sapo d Lá vem o ulé de pato ch Com um tem mato só roi o o t a p a s Dentro do em um bicho que t E no mato cas Aluno: Lu sapato.


Am

izad

e Ten men ha vár Ao fazer uma pesquisa no computador, i são inos e os am o ninjago eu encontrei, brin muita menin igos, como sou um grande sonhador, cam dive as, r o t s este personagem desejei. que idas, Brin é um brin camo a al s Pedi para os meus pais, egr ten camos de pe ia. ho g d Não, não foi a resposta. e bo a-pe ami ten ho ga, Depois pensaram mais, ami gos na la, gos m Se tivesse bom comportamento, Aa na m inha miz Logo teria o que tanto queria. inh rua ela ade a es n nun os trá é mui cola t c s o . a f i um e m v Hoje brinco com alegria, ami amos licidad porta nte go com o brinquedo aspirado, , de v esque e, c o ninjago tráz magia, erd e r , Alu ade e me deixa todo animado. na: . Bia nca de O Aluno: João Pedro Campos . de Lim as Sou eu As Rimas Sou Lá vem o macaco Que um vag a ilum Comendo o cacto ina -lume, o ca Fazendo um trato Sou min Pro sapo ho d Que um pei e qu xe, E o sapo ens em i na q não Está dentro do saco. uem vê. Sou n ã u o sab Que ma es Aluno: Gabriel e na trela fica dar. toda s o as n Sou amig oite p u o e e Sou s no s l m e i i a m n ; a o qu co céu D o o d g e a i a br b v m á a o S cê q ilha eu M m esm r. u m i s o er im c o o C q d o u agin ntin e um Sába os bola u ar. o d m i sen a tu ; joga s TV; a d o eu do is cin so m . Vimo s na pis 3; . ude o y o a m ã l ; , m Fo mos p i e t t A e o l v d u r a n o o g s a: J og Jo emos ana e o j ir, s m ína e o m m C r l o fi Luiz d s s o . a s a Vim is fomo ertido. j e R v i o ê d p De muito : Kau o n i u o l A Ef

Ninjago


Eu gosto, eu não gosto Amo pipoca, Eca minhoca. Amo sorvete, Odeio rabanete. Adoro pinhão, Ai um leão. Amo chiclete, Gosto de omelete. Adoro cenoura, Vou na lavoura. Cada vez tem o seu gosto, qual é o seu? Aluna: Sofia Truppel Alexandre

Final de

Aluna: C

O chocalho faz barulho É de arroz é de feijão Sempre está em sua mão A Barbie é pequenina, Mas por que não pode ter uma mansão? Ou um irmão? Surpresa! Ele ganhou um carrinho É amarelo, que bonitinho

O jogo

Cavalinho de pau Galopa pela casa legal. Boneca de pano De louça, de porcelana Seu nome será Ana? Bola rola pra lá e pra cá Para a trave eu chuto Para um gol marcar.

com sup

er amiga Dessas s amigas eu de sema na nunc vou escrever, e a vou es ste final quecer Dia assi m ningu ém viu, existiu nem na história Foi um d ia gargalha inexplicável, c h das e m uitos ab eio de raços Amigas sã coisa ela o pra vida toda , s sempr e perdoa acontece uma m Uma am ig um prêm a é melhor que um pres io. ente, é

Os brinquedos

Motoca é legal Anda rápido Que radical!

semana

armel de

Mello Pe

gorim

Amor O amor é A flor qu igual a flor e Me dá a a me faz viver leg Se me dã ria na vida o O abraço uma flor é grand Mas se m e dão ch e ocolate Dou tudo pro meu irmão O amor é alegria O am Sem amo or é viver r eu vou morrer Aluna: Is abelle

Quando ligo a TV, E começo a jogar, É tão divertido, Que meu tempo começa voar. Nele me sinto invensível, Pois sou capaz de ser veloz, lutar e voar. E é por tudo isso que eu amo jogar.

Aluna: Luísa Areco Lucato

Aluno: Pedro Henrique Kons.


Ser você mesmo O amor Você anda você vê. Mas o que importa é crescer, Você ajuda ou você reclama. Ajudar é muito bacana. Reclamar... é deixa pra lá! Você é legal, você é leal. Ser legal é genial. Ser leal é... Aluna: Anna Beatriz

O amor está aqui, E em todo lugar, De tanto que eu te vejo, Eu quero te beijar. Beijar é beijar Alguém como pai e mãe, Namorado ou amigo, Irmão e todos se vão.

jardim o n r o A fl Eu te amo , m i E você me ama, o jard iz. A flor n como uma ra Todos nos amamos Cresce E assim sempre será! nca i r b r o l ndo oaf Quand mbra de qua tro da terra, Aluna: Alessandra dos Santos Wan-Dall. le te den esceu. n Ela se e m e cr as Era um o mudou, ela s , Mas is mpleta las e o c a i l ú ta Lá vem a bicharada ma pet rumas as pé u é a r r o a g , a ê l E dança, , a t n a C Lá vem o rato, mais. r e z a f muito e Brincando com o prato. gosta d a mamãe s i a m e etúlia que ela Mas o om o papai P fa. Lá vem o gato, u c é ficar entro da est Se divertindo com o rato. fo d o Greif n a Petúlia i r d A athália N : a n Lá vem um pombo, Alu o Brincando com um ponto. d ssa a p no , s a g Lá vem o gato, nte i e m s e A r p Gritando com um pato. no ser, re. s a e p ig de, Am ate pod ra sem a d i Lá vem um macaco tirando lic Ou gas pa a fe i m Sarro de um lagarto. é u de. Am e d a a d miz a leal a a s Aluna: Júlia Woiciechovski Su nos lta, a f a r z fa Pa ade viajar, tar, z i am vou a uen u g o a S d n go ar. ora H Qua consi e mat a d ina Não que é d r a t a Por a: C n u Al


Colégio Salesiano Itajaí/ 2012 Coordenação Pedagógica: Emília Aparecida Mendes Design Gráfico: Márcia Silva Madeira


Poesias - 4º ano