Page 1

Portfolio 06 projetos seis partes de uma narrativa

Venzon, Marcelo


Marcelo Venzon

Graduando

arquitetura, urbanismo e design

Undergraduate Portfolio

architecture, urban planing and design

2016


Outras Atividades

CV Educação

2014-2015

2011-2016

Professional Experiences

Segundo colocado no Concurso internacional “Uganda LGBT youth Asylum” promovido pelo Instituto Bee Breeders - Hong Kong. Disponível em https://ugandanlgbtyouthasylum.beebreeders.com Equipe: Guilherme Pardini, João Paulo C.Rossi, Júlia Park e Marcelo Venzon

2015

Domaine de Boibuschet, Poitier - França. Workshop conduzido por Bethan Laura Wood e Fernando Laposse. “Lolly Folly” foi projetado como uma estrutura efêmera composta de madeira e açúcar desenvolvida e construída durante 6 dias em Boibuschet.

2012-2013

MUDA_colective, São Paulo - Brasil. Colaborador em atividades desenvolvidas pelo coletivo, fundado com o propósito de aproximar pessoas para participar e pensar ativamente as transformações da cidade, através de atividades lúdicas, debates e intervenções em espaços públicos.

2011

Segundo lugar no “6o Prêmio Nacional de Pré Fabricados de concreto para estudantes de arquitetura” ABCIC . Organizado pelo Instituto de Arquitetos do Brasil - SP, com a temática Habitação. Equipe: Livia Baldini, Guilherme Bravin, Maria Fernanda Basile e Marcelo Venzon.

Português Inglês Espanhol

Nativo Fluente Intermediário

Other activities

Education

Experiência

2016

Academie van Bouwkunst . Amsterdamse Hogeschool voor de Kunsten Amsterdã - Holanda Intercâmbio Acadêmico no programa “Architecture Master”. Associação Escola da Cidade São Paulo, SP - Brasil Processo de transferência para o curso de graduação em Arquitetura e Urbanismo

2008-2011

Universiade Federal do Espírito Santo Vitória, ES - Brazil Graduação em Arquitetura e Urbanismo.

2015-2016

{CURA} - São Paulo, BR www.cursocura.com.br ocupação: professor colaborador atividade: curso na área de design gráfico direcionado à arquitetura, urbanismo e design

Idiomas

2013-2014

Figueroa.Arq - São Paulo, BR www.figueroa.arq.br ocupação: estagiário atividades: pesquisas conduzidas durante concursos de arquitetura, desenvolvimento de projetos, desenhos técnicos e diagramas. projetos: projetos de arquitetura e urbanismo, projetos gráficos e concursos.

Softwares

2012

2009-2010

SIAA - São Paulo, BR www.siaa.arq.br ocupação: estagiário atividade: desenhos técnicos, modelos 3d e render. LPP , Escritório de Planejamentos de Projetos, UFES Vitória - ES. BR position: estagiário | bolsista CNPQ Iniciação científica “A avaliação do ciclo de vida dos materiais para uma edificação mais sustentável”. Orientação: Dra. Cristina Engel de Alvarez.

Extras

***** ***** **** **** ** ** *

Adobe (Photoshop, Indesign, Illustrator) Autocad Sketchup + Vray Microsoft Office Revit Architecture Rhino Arduino

2016. Atualmente em curso de orientação de Projetos com Gerson de Oliveira Co-fundador da empresa OVO, Fotografia Analógica - Retratos e paisagens. 2011 . Workshop com Gui Mohallem na Escola da Cidade


marcelovenzon@gmail.com

2016

#resistanceintension Abrigo para jovens LGBT em Uganda

2016

topo Mobiliário

2015 | 16

Abstrações da Matéria Incidental Matters

2015

Lolly Folly , The witch’s Revenge Workshop

2014

Galeria e floricultura Pavilhão

2014

Infraestrutura Urbana para São Paulo Planejamento Urbano

(+55) 11 98107-6778 Rua Sergipe 102, Consolação São Paulo, SP. Brasil ; Vitória , Espirito Santo . Brasil


#resistanceintension Kampala UGA, 2016

Esta competição foi promovida com o fim de desenvovler um abrigo para jovens LGBT em Kampala, Uganda. O país ainda sofre com uma estrutura e legislação rígida contra os direitos humanos. O projeto foi destacado pelo juri como : “The second place winners for the Ugandan LGBT Youth Asylum architecture competition were selected for the conceptual symbolism of their project. It consists of a tensioned structure that is composed of a series of columns, which are linked by cables and support a wired mesh. The primary structure therefore has an incredibly flexible textile creating a protective membrane from the hostile environment.” Arquitetura área: 2670 m2 equipe: Guilherme Pardini, João Paulo Rossi, Júlia Park e Marcelo Venzon. Disponível em: ugandanlgbtyouthasylum.beebreeders.com

{ imagem ilustrativa da entrada e diagrama de estratégia }


Implantação 0

1

5

10m

Área construída : 2670 m2

Limite terreno

Biblioteca 250m2 Hostel Equipe

I.S.

10m2

7m2

Apoio 25m2

Jardins 7m2

Primeiros socorros 10m2

Jardins | áreas abertas 11m2

Entrada Recepção Área de controle 46m2

I.S. 10m2

I.S. 10m2 Área de lazer e atividades diversas

Hostel 28m2

Hostel 30m2

Jardins | áreas abertas 12m2

Hostel

Refeições

28m2

Jardins

Hostel

6m2

30m2

Kamoga Hassan Hall Cozinha

Área de serviço 2

30m

120m2

Hostel

31m2

Suporte emocional 14m2

cozinha externa

28m2

Suporte emocional 14m2

Área de lazer e atividades diversas

Horta Coletiva

{ Vista geral }


Hall Kamoga Hassan: Área flexível para atividades diversas tais como : performances, atividades físicas, discussões , apresentações e encontros.

Tecido impermeável sobre manta metálica.

Lona impermeável para proteção das áreas cobertas.

Áreas abertas para jardins, espaços de respiros para coleta de águas pluviais. Iluminação natural e captação de energia solar.

Construção feita com materiais locais, técnica de pau a pique.

Horta | jardim coletivo

Colunas metálicas. Fundação em concreto.

Fechamento com cordas feitas em barckclothes (fibras de figueiras) configurando diferentes filtros de luz nos espaços internos.


Áreas de suporte emocional

1

2

3

Bibilioteca e midiateca

1

2

3

A água potável utilizada no abrigo provém de um sistema de poço artesanal. A água coletada passa então por um filtro de carbono, purificando-a e preparando para usos diários como cozinha e banheiros.

A água cinza ( água pós uso de pias e chuveiros ) é agregada às águas pluviais coletadas nos jardins. Estas são enviadas para o tanque de tratamento podendo ser reutilizadas nas instalações sanitárias.

A água residual ( resíduos de esgoto ) de usos sanitários são conduzidas ao tanque séptico, onde passa por processos de filtragem antes de retornar ao solo.

{ sistema de captação de águas pluviais re-uso de águas cinzas }

Áreas de Lazer, cozinha e serviços

{ ilustrações das áreas comúns e gradiente de fechamento de cordas }


estante topo São Paulo BR, 2016

O projeto começou com duas distintas vontades: manipular e reutilizar materiais reinserindo-os ao seu ciclo de vida com outro significado. A fórmica, produto originário da composição de diferentes tipos de papel|madeira com uma película de resina em sua maior parte é aplicada a superfícies com o intuito mimético e estético. O projeto visa potencializar tal mímese que o material possui sobrepondo significados para gerar novas formas de olhar e utilizar. Mobiliário equipe: Guilherme Pardini e Marcelo Venzon


Optamos por trabalhar inicialmente o material sendo aplicado numa superfície simples, uniforme e regular. A fórmica utilizada provém de peças quebradas e/ou fora de padrões do mercado. O desenho das peças foi concebido através do desenho de cortes e veios de madeira. Para execução dos cortes utilizou-se máquinas a laser dos laboratórios municipais de São Paulo - FabLab SP.

{ placas residuais de fórmica com patologias }

{ opções de layout e ilustração de estante proposta }


{ desenho para execução de protótipo }

{ protótipo }


Durante este ensaio, a manipulação direta com o material teve grande importância. O primeiro, açúcar, adquire uma ampla gama de cores após ser aquecido e derretido - amarelos, laranjas, marrons. A cola cria micro estrutura após friccionada. O congelamento da água a transforma fisicamente, tornando a substância numa sólida estrutura comprimida. Todos esses processos químico-físicos são neglegenciados muitas vezes reduzindo nossa experiência projetual.

Incidental Matters Amsterdam NL, 2015

Podemos projetar arquitetura manupulando materiais no nosso cotidiano ? Dentre as diferentes possibilidades de desenhar cidade, assumimos o desenho como a técnica mais adequada para tal. Este meio tornou-se lingua universal que permite a recepção da mensagem correta e eficaz. Entretanto, o processo de tradução do pensamento através do desenho pode carregar mais informações se incorporarmos diferentes experiências a ela. As possibilidades podem envolver atividades do cotidiano, interesses, emoções pessoais, pesquisas, experimentos, entre outros. Arquitetura Marcelo Venzon Orientação Tara Steenvoorden

{ modelo em açúcar após 3 semanas de exposição }


A experiência projetual é normalmente restrita ao desenho podendo reduzir nossas possibilidades de expressão. Apesar da arquitetura ser uma parte da arte a ser erguida, precisamos desenvolver o aprendizado através de outras experiências, aproximando-nos de todos os sentidos.

Lolly Folly Domaine de Boisbuchet FR , 2015

“Lolly Folly, The Witch Revenge” - workshop guiado pelos designers Bethan Laura Wood (Inglaterra) e Fernando Laposse (México). Folly representa uma pequena estrutura que inicialmente não possui uma função exata. A proposta da atividade era desenvolver uma estrutura baseada primordialmente em um material : açúcar. O processo de criação e construção levou cerca de 6 dias, na área do Domaine, executada por todos os participantes do workshop. Disponivel em https://vimeo.com/137809745 https://www.facebook.com/Boisbuchet/videos

{ etapas de um processo: material sob diversas condições }


{ processo - manipulação e construção . fotos : SashaDasha design }

{ foto lolly folly. acervo pessoal }


{ fotos : SashaDasha design }


Flower Shop and Art craft Gallery

Projetado para ser uma galeria de arte e uma floricultura, este pavilhão temporário localizado em frente à Ópera municipal de Amsterdã necessitava ser uma construção que integrasse o espaço do pedestre junto à construção de âmbito privado. Ambas as funções do pavilhão dividiriam o mesmo local, como conectá-las de forma harmônica no espaço público ?

Amsterdam NL, 2014

Este projeto foi desenvolvido na disciplina “Tools” durante o primeiro semestre de vivência externa na Escola de Artes em Amsterdam, 2014. O conceito do projeto é baseado no imaginárido da concepção formal que todos temos da palavra casa. A proposta se desdobra como uma quebra da forma pura, dividindo o pavilhão em duas partes, conectado apensa pela parte superior. Quando dividido, ambas as partes internas se revelam, transparentes, para a cidade. O pedestre só consegue ver o que está dentro da casa se cruza-la, tendo uma sensação de surpresa e descoberta. O restante do edifício se mostra sólido, como uma caixa de madeira. Arquitetura área: 150 m2 Marcelo Venzon Orientação Koosjan van der velden

0

5

10

20

50m

{ locação }


5

4

3

2

6

7

1

Térreo escala 1:100 1- Floricultura 2- Passagem pública 3- Galeria

4- Depósito 5- Instalação Sanitária

Primeiro pavimento escala 1:100

Detalhe de fixação das prateleiras da floricultura junto aos pórticos de madeira.

6- Exposição | Arte 7- Varanda 8- Exposição | Flores

escala 1:100 0

500 1000

2000

5000 mm

{ desenhos iniciais }

B

A


07

06

08

Detalhe escada em estrutura metálica escala 1:20

0

200

500

05

04 03 Secçãp escala 1:25 01- Fundação em concreto 02- Sapatas em concreto 03- Isolamento termo-acústico 04- Vigas pré-fabricadas em concreto 05- Painéis pré-fabricados em madeira 06- Pórticos em madeira com conectores metálicos 07- Deck em madeira para fechamento 08- Núcleo, estrutura metálica

02

01

Isométrica Escada sem escala

Detalhe 01 escala 1:5

1000

2000 mm


{ secção perspectivada }

{ perspectiva interna }


P. Socorro Sta Casa

Infraestrutura Urbana para SP São Paulo BR, 2014

Projeto desenvolvido na disciplina de projeto | exercício único. A intenção da atividade era problematizar a infraestrutura das cidades e como as mesmas são organizadas e distribuidas.

Corte situação existente 1.75 Local de estudo : Rua General Jardim Vila Buarque.

Como parte da proposta, foi executado um elemento em argamassa armada referente a parte do projeto urbano. De forma ampla, o mesmo repensava a infraesturtura na cidade e a relação direta e indireta que temos com esta. Desenho Urbano Equipe : Guilherme Pardini e Marcelo Venzon Orientação Eduardo Gurian, Guilherme Paoliello e Valdemir Rosa 01 . infraestruturas aparentes. dificuldade na manutenção e instalação de novas tecnologias. poluição visual e problemas de acessibilidade.

02 . compactar espaços e entender como poderia ser possível ganhar espaço público, áreas de calçamento e de permanência.

03 . estrutura préfabricada para facilitar implantação de um sistema organizador e facilitador de manutenção.

{ corte situação existente e diagrama estratégico }


“ESTOJO” EM CONCRETO - PERMISSIONÁRIAS Sistema de peças pré fabricadas em concreto com a finalidade de organizar as permissionárias responsáveis pela infraestrutura corrente na cidade (elétrica, hídrica, informacional, entre outras)

Corte proposto 1.75 Local de estudo : Rua General Jardim Vila Buarque.

1

2 3

4

1 - ÁGUA _ Ø 63 mm SABESP 2 - TELECOMUNICAÇÃO_ Ø 34 mm tim, ctbc, gvt, embratel, iqara, metrored, vivo, net, oi, lelvel 3 3 - ELÉTRICA_ Ø 63 mm ELETROPAULO 4 - GÁS_ Ø 63 mm COMGÁS

{ corte situação proposta e perspectiva do projeto de intervenção }

{ estojo em argamassa armada proposto }


Portfolio | marcelo venzon  

portfolio parcial | 2016 arquitetura , urbanismo e design

Portfolio | marcelo venzon  

portfolio parcial | 2016 arquitetura , urbanismo e design

Advertisement