Page 1

Musica Gospel - ORIGEM “... Os Levitas são meus. Eu sou o Senhor.” Nu 3:45b

Se os levitas parassem para meditar neste versículo, com certeza eles não seriam os mesmos. Deus tomou os levitas para si, os separou para dar louvores, ação de graças, sacrifícios de louvor e cuidar da casa do Senhor. O levita tem um papel muito importante no corpo de cristo, mas muitas vezes não conseguem exercer esse papel do jeito que se deve. Neste livro veremos como um Verdadeiro Adorador (Levita) ungido e separado pode exercer sua atividade com êxito e excelência. Deus quer tornar, você Levita em um instrumento poderoso e através do seu louvor, levar verdadeiramente o povo a adorar ao nosso Deus.

Thomas A. Dorsey (1899-1993), compositor de sucesso tipo There Will Be Peace in the Valley, é considerado por muitos, O Pai da Música Gospel. No início de sua carreira ele era um importante pianista de Blues, conhecido aliás por Georgia Tom. Ele começou a escrever Gospel depois que ouviu Charles A. Tindley (1851-1933) numa convenção de músicos na Filadélfia, e depois, abandonando as letras mais agressivas de outras canções, não abandonou, contudo, o ritmo de Jazz tão parecido com o de Tindley. A Igreja inicialmente não gostou do estilo de Dorsey e não achou apropriado para o santuário, na época. Em 1994, após o seu falecimento, a revista Norte-americana, Score, publicou um artigo com o título: The Father of Gospel Music (em português, "O Pai da Música Gospel"); neste artigo a revista declara que quando Dorsey percebeu, no início de sua carreira com o Gospel, que muita gente estava brigando contra a música Gospel, ele estava "determinado para carregar a bandeira" a favor do Gospel, bem entendido. Assim ele fez. Ele investiu em 500 cópias da canção dele, If you See My Saviour (em português, "Se Você Ver o meu Salvador") e enviou para diversas igrejas do país. Levou quase três anos para ele conseguir mais pedidos da música e ele quase retornou a tocar o Blues. Mas Dorsey não desistiu e com ajudas de outros bons músicos ele foi em frente. Trabalhou com as cantoras, Sallie Martin (1896-1988) e Willie Mae Ford Smith (1904-1994), escreveu centenas de músicas Gospel e testemunhou a sua música subir no púlpito das igrejas—aonde, uma vez, recusaram ela de subir! Dorsey fundou a Convenção Nacional de Corais Gospel nos EUA, em 1932, uma

organização que ainda existe até hoje na origem da música gospel.[12] Pr. Marcelo Pereira de Freitas


O Caráter do Adorador 1º - O verdadeiro adorador deve colocar diante de Deus sua condição de homem pecador, deve chorar seu pecado, pedir perdão por tê-los cometido, propor ao Senhor uma vida reta e limpa perante a ele. ( Mateus 5-4 Bem-aventurados os que choram, porque eles serão consolados) 2º - O verdadeiro adorador deve reconhecer que nada do que tenha, sejam capacidades naturais adquiridas, nada disso tem valor no reino de Deus, se não forem usadas através da unção de Deus, não adianta você ser mestre em tocar violão, bateria, teclado e etc., sem unção nada disso adianta, o adorador deve ter seu espírito absolutamente humilde, sabendo que sem Deus ele nada é. (Mateus 5-3 Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus), (João 15-5 Eu sou a videira; vós sois as varas. Quem permanece em mim e eu nele, esse dá muito fruto; porque sem mim nada podeis fazer.) 3º O verdadeiro adorador deve perceber que sua vida só pode ser canal do fluir de Deus, se estiver plenamente preparado para servir aos outros, não deve esperar que os outros façam as coisas para ele, mas ter iniciativa de servir, onde quer que seja solicitado. ( Mates 20- 26 a 28 Não será assim entre vós; antes, qualquer que entre vós quiser tornar-se grande, será esse o que vos sirva; e qualquer que entre vós quiser ser o primeiro, será vosso servo; assim como o Filho do homem não veio para ser servido, mas para servir, e para dar a sua vida em resgate de muitos.)

4º - O verdadeiro adorador deve ser permanente aberto a aprender com todas as pessoas. Seu espírito deve ser maleável, de forma que reconheça que pode aprender com qualquer pessoa que lhe de uma opinião, uma idéia, sugestão ou que lhe faça um critica. ( Provérbios 9-8 a 9 Não repreendas ao escarnecedor, para que não te odeie; repreende ao sábio, e amar-te-á; Instrui ao sábio, e ele se fará mais, sábio; ensina ao justo, e ele crescerá em entendimento ) 5º- O verdadeiro adorador deve ser uma pessoa totalmente quebrantada em sua vontade e força humana, pela ação do Senhor em sua vida, deve ceder, negar-se a si mesmo, tomar sua cruz em todas as circunstancias em que houver situações de disputa com outras pessoas. (Mateus 16-24 Então disse Jesus aos seus discípulos: Se alguém quer vir após mim, negue-se a si mesmo, tome a sua cruz, e siga-me;) Filipenses 2- 5 a 11 Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus; o qual, subsistindo em forma de Deus, não considerou o ser igual a Deus coisa a que se devia aferrar, mas esvaziou-se a si mesmo, tomando a forma de servo, tornando-se semelhante aos homens; e, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, tornando-se obediente até a morte, e morte de cruz, Pelo que também Deus o exaltou soberanamente, e lhe deu o nome que é sobre todo nome; para que ao nome de Jesus se dobre todo joelho dos que estão nos céus, e na terra, e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é Senhor, para glória de Deus Pai).


Vamos falar de Funções LEVITAS: Grupo de pessoas (tribo de Levi) separados para: (A) levar a arca da Aliança do Senhor, para. (b) estar diante do Senhor para o servir e abençoar em seu nome (no nome do Senhor) até o dia de hoje (Deu 10:8). Os levitas são aqueles designados para servir na casa do Senhor. Os levitas não são e uma lenda ou uma ocupação do passado. Coisa do tradicionalismo do Antigo Testamento. A grande parte das igrejas hoje deixa passar a grande importância do papel dos LEVITAS NA CASA DO SENHOR, e por isso muitas vezes não conseguem o comprometimento e a disponibilidade que é necessário a quem serve na casa de Deus. Só quem tem o chamado e a convicção de seu papel de levita pode abraçar a visão e realizar o trabalho que o Senhor estabeleceu para cada um de nós. Dentro da igreja é importante que todos os trabalhadores, levitas, tenham em mente a visão do ministério local. Qual o foco principal. Qual a finalidade específica, o alvo a ser alcançado pelo ministério local. O verdadeiro levita abraça a visão geral do ministério independente dos seus objetivos pessoais. Isso aconteceu quando Davi escolheu os primeiros levitas para servirem na casa do Senhor. A VISÃO DE DAVI: Trazer a Arca da Aliança de volta ao templo. Todos devem abraçar a visão. A visão central dada pelo Senhor é maior do que cada tarefa independente. Existem características que diferenciam os levitas e os tornam especiais para o trabalho na casa do Senhor.

Os LEVITAS são SANTIFICADOS (separados) para levar a arca de Deus (I Cron 15:2): O trabalho reservado para os levitas só poderia ser realizado por eles. Levitas não pode ser qualquer pessoa que apenas tenha um desejo de servir ou fazer algo na casa do Senhor. Levitas são separados (santificados) para isso. Não podemos esperar que outros façam o nosso trabalho nem deixar que outras pessoas, que não foram separadas (santificadas) levem a Arca da Aliança do Senhor (a tarefa que Deus nos confiou e nos separou para fazer). Os LEVITAS não esperam recompensa. A herança dos levitas é o Senhor (Deut 10:8-9): Nenhum dos levitas (os da tribo de Levi) tinham parte na divisão da terra e dos bens. Da mesma forma não podemos esperar recompensa e nem reconhecimento humano pelo nosso serviço na casa do Senhor. Não podemos entrar nesse ministério esperando recompensa natural ou promoção humana. Fomos separados pelo Senhor e Ele será sempre a nossa herança e Ele proverá a nossa recompensa. Há uma tendência natural de relacionar LEVITAS a músicos. Isso não é totalmente errado uma vez que os LEVITAS mais destacados eram os que estavam a frente participando da música. Iniciando por esse grupo de Levitas, vemos que eles tinham características específicas que certamente devem ser evidentes nos levitas de hoje. OS MÚSICOS: Designados para servirem no templo (I Cron 15:16-24) eram: IRMÃOS: Os da mesma família, a família dos levitas, e mesmos interesses. Levitas devem viver em união, em unidade defendendo os mesmos interesses como uma família. Hoje, temos que reconhecer quem são nossos irmãos, aqueles que têm os mesmos interesses (apenas levar a Arca da Aliança do


Senhor), que são parecidos e não podem viver separados, pois pertencem a mesma família; CANTORES: Músicos que tocavam e cantavam com alegria. Devemos sempre expressar a alegria que sentimos em ministrar (servir) na casa do Senhor. Devemos fazê-lo de forma pública e jubilosa. Os levitas músicos sempre são identificados pela alegria em servir ao Senhor; PERITOS: Os que participavam da música, canto e instrumentos, tinham habilidades específicas nos seus ofícios e o faziam sob orientação e organização. Todos eram especialistas (I Cron. 15:22). Não podemos admitir amadorismo no serviço da casa do Senhor. Devemos procurar a perfeição para oferecer sempre o melhor. Se vamos cantar temos que ser peritos em canto. Devemos nos apresentar aprovados (2 Tim 2:15) diante de Deus e dos homens para o serviço na casa do Senhor. Devemos ministrar ao Senhor com arte e perfeição (Sal 33:3). Devemos aperfeiçoar o dom que o Senhor nos deu estudando e nos especializando. O mundo deve reconhecer que os melhores estão servindo na casa de Deus. Além dos cantores, a Bíblia fala de outro grupo de levitas que da mesma forma foram separados para o serviço na casa do Senhor. Os PORTEIROS. PORTEIROS: Foram separados pessoas para guardar e cuidar da arca, não cantavam nem tocavam, apenas cuidavam da arca. Levitas não eram e não são apenas músicos. É necessárias pessoas separadas para outros ofícios que dão suporte e contribuem para se alcançar a VISÃO CENTRAL. Pessoas devem estar envolvidas em manutenção, operação e suporte físico e espiritual. Os porteiros eram os que vigiavam a arca,

tomavam conta da tenda. Hoje, é necessário que pessoas sejam separadas para vigiar pelo ministério, interceder em oração enquanto outros estão voltados para outros ofícios. Todos são levitas. Ser levita é muito mais do que ser um mordomo na casa do Senhor, é fazer parte de um ministério muito especial que se caracteriza ainda por vários fatores: Deus ajuda os levitas: O trabalho dos levitas nunca foi uma tarefa fácil no tem de Davi, e principalmente nos dias de hoje, onde muitos não tem disponibilidade de servir a Deus em tempo integral, mas mesmo assim atendem ao seu chamado. Contudo os levitas tem a grande vantagem de ter o auxílio de Deus (I Cron. 15:26) que está do seu lado e sempre lhes dará o suprimento para realizarem as tarefas para as quais foram designados. Os levitas, também, oferecem sacrifícios ao Senhor: servir ao Senhor não os exclui do direito de oferecer sacrifícios ao Senhor. Devemos Ter o pensamento que ser um levita é ter mais funções sem excluir nada de nossa vida com Deus. Não estamos fazendo troca nem negociando serviços com Deus. Os levitas são ofertantes, dizimistas e oferecem sacrifícios pessoais ao Senhor; Todos os levitas, junto com Davi, estavam vestidos com roupa especial: a roupa especial de linho significava a pureza que devemos ter para nos apresentar para ministrar ao Senhor. Todos estavam prontos. Não podemos esperar que apenas o líder, o pastor, o ministro de louvor, estejam vestidos (prontos) para ministrar. Todos devemos estar preparados e da mesma forma, com o mesmo linho (o mesmo nível de pureza, santidade e unção). Isso é fundamental para que a glória do Senhor esteja presente nas ministrações dos levitas. Guiados por Davi e os levitas, todo o povo com alegria levou a Arca da Aliança do Senhor (I Cron. 15:28). Isso é revelado hoje


como o louvor congregacional que acontece nas igrejas onde todo o povo é guiado a presença de Deus através do louvor e adoração sob a ministração dos levitas. Os levitas ministravam diante da arca (I Cro 16:4) que representa o lugar onde os levita devem sempre servir. Cada um deve se manter fiel ao seu chamado; Depois disso Davi ordenou a estreia dos levitas publicamente (I Cro 16:7): Todos os levitas apresentados já estavam prontos e já haviam ministrado junto com Davi, oferecido sacrifícios e tinham comunhão. Ministrar publicamente é uma consequência, não uma necessidade exclusiva. Levitas não procuram palcos, procuram a presença de Deus. Antes de serem apresentados publicamente os levitas devem já Ter adquirido experiência íntima com Deus, comunhão plenas com os seus irmãos e maturidade espiritual para exercer dignamente o seu ministério; Os levitas eram designados nominalmente para ministrarem na casa do Senhor segundo se ordenara para cada dia (I Cron. 16:37-42) cantando, tocando e cuidando da arca. Os levitas devem estar sempre em sintonia com a casa do Senhor e seus ofícios. Hoje, não vivemos literalmente na casa do Senhor para ministrar, mas nós somos o templo do Senhor e assim podemos continuamente, mesmo não estando na igreja (templo), podemos ministrar ao Senhor e oferecer sempre o nosso sacrifício (Heb 13:15). A prática de escalas e turnos para ministração é bíblica e deve ser obedecida e aceita quando for necessário; Turnos e funções dos levitas (I Cron. 23:1-5): Haviam quatro grupos de levitas: superintendentes, oficiais e juízes, porteiros e músicos. Função dos CANTORES (músicos): profetizar com harpas, alaúdes e címbalos (I Cron. 25:1). Esta prática é pouco ministrada e vista atualmente, mas é a perfeita vontade de Deus que músicos e cantores usem seus instrumentos para

profetizarem com unção e poder para que haja milagres e prodígios sendo liberados durante o louvor e adoração. Todos os CANTORES eram MESTRES (I Cron. 25:7), isso requer estudo dedicação e aperfeiçoamento para ministrar na casa do Senhor. Outra característica importante dos levitas cantores era que havia mestre e discípulo (I Cron. 25:8) e todos trabalhavam juntamente. A prática de formar discípulos é fundamental para que não faltem trabalhadores com habilidade e a mesma visão. Isso requer humildade, disponibilidade e amor pelo trabalho do Senhor. Os PORTEIROS também eram habilitados para cuidar da arca segundo a sua necessidade e pelo que o Senhor fizera (I Cron. 26:5, 6, 7, 8, 10). Havias vários tipos de porteiros. Hoje há muita necessidade de pessoas para assumirem posições de porteiros na casa do Senhor. Profissionais de manutenção, pessoas para trabalharem nos bastidores muitas vezes não são valorizadas como levitas e por isso poucos são discipulados para esses ofícios; Haviam os responsáveis pelo TESOURO (I Cron. 26:20-28), o patrimônio e valores da casa do Senhor eram responsabilidade dos levitas. Haviam pessoas para gerirem os negócios externos a serviço do Senhor e de interesse do rei (I Cron. 26:29-30). Atualmente podemos relacionar as pessoas com habilidade de gerir bem os recursos disponíveis do ministério decidindo o que é o melhor para a casa do Senhor. O trabalho do levita é muito importante e cada vez mais deve ser ensinada tirando à falsa idéia de que apenas músicos são levitas. Os levitas separados por Davi para servirem na caso do Senhor eram quase quarenta mil, contudo, apenas cerca de 3600 eram músicos ou cantores. Isso mostra a imensa deficiência de levitas que temos nas igrejas atuais. Muitos são


levitas e não tem consciência disso, outros não são porque nunca foram ensinados sobre como podem ser e não há nada melhor do que Ter verdadeiros levitas trabalhando na casa do Senhor em todos os departamentos. Os levitas são leais, dispostos, peritos, unidos e abraçam a visão do ministério completamente.

Definição de Adorador O que é ser um adorador? No dicionário brasileiro adorador é O Que adora; apaixonado. Uma pessoa que adora, que no mesmo dicionário quer dizer: (1) Prestar Culto a, (2) Ter muito Amor a. uma pessoa apaixonada: entusiasmada. O Verdadeiro Adorador esta sempre em sintonia com o Pai, procurando um contato, uma experiência, uma comunhão, ele vive vinte e quatro horas do seu dia louvando ao senhor, ao sair de sua casa para o trabalho conversa com Deus pede a sua proteção, passa o dia na dependência Dele, “fica Ligado” e faz tudo para errar o menos possível sendo justo diante dos homens. “O justo é mais excelente do que o seu próximo, mas o caminho dos ímpios faz errar”. Provérbios 12:26 . Verdadeiramente ser um adorador é um dos maiores privilégios que um homem de Deus pode receber, estar perto do Senhor não é para qualquer pessoa.

Vamos conhecer algumas características de um ministro de louvor.

Características de um Ministro de Louvor  Separado para Deus: “Eu mesmo tomei os levitas do meio dos filhos de Israel, em lugar de todo primogênito que abre a madre... os levitas são meus” Num 3: 12.  Humildes: “Deus resiste aos soberbos, mas dá graça aos humildes”. Thiago 4:6b  São Alegres: “Servi ao Senhor com alegria, apresentai a Ele com Canto”. Salmos 100:2  São Prudentes e Simples: “Portanto sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas”. Mateus 10: 16b  Buscam o aperfeiçoamento: “... O entendido adquira habilidade”. Prov. 1:5  São submissos as autoridades: “toda pessoa esteja sujeita as autoridades superiores, pois não há autoridade que não venha de Deus. As autoridades que há foram ordenadas por Deus”. Romanos 13:1  São Fiés no dízimo: “trazei todos os dízimos á casa do tesouro...” Malaquias 3:10


 São zelosos: “A mão dos diligentes dominará, mas os negligentes serão tributários”. Provérbios 12:24  São Tementes a Deus: “E tu dentre todo o povo procura homens capazes, tementes a Deus, homens de verdade, que odeiem a avareza; e põe-nos sobre eles por maiorais de mil, maiorais de cem, maiorais de cinqüenta, e maiorais de dez”. Êxodo 18:21  Não fazem acepção de pessoas: “Que não faça eu acepção de pessoas, nem use de palavras lisonjeiras com o homem!” Jó 32:21. 

Oran e jejuam

São dependentes de Deus

Responsáveis

Sensíveis ao Espírito santo

Possuem unção de Deus para exercer suas atividades

São exemplos na Igreja

Vivem em santidade

São servos e não senhores

Ama a Deus acima de tudo

Algumas formas de se louvar a Deus Levantando as mãos: “Erguei as mãos no santuário e bendizei ao Senhor”. Salmos 134:2 Com palmas: “Aplaudi com as mãos todos os povos; cantai a Deus com Voz de Triunfo”. Salmos 47:1. Com alegria: “Em teu nome se alegrará o dia todo”. Salmos 89:16. Ajoelhando-se: “Óh, vinde adoremos e prostremo-nos, ajoelhando-nos diante do Senhor que nos criou”. Salmos 95:6. Prostrando-se: “Toda congregação se prostrou, quando se entoava o cântico”. 2 Crônicas 6:14. Com danças: “Davi dançava com todas as suas forças diante do Senhor”. 2 Samuel 26:7 Com todo o tipo de instrumentos musicais: “Louvai-o com o som da trombeta, Louvai-o com saltério e com harpa, Louvai-o com adulfes e danças, Louvai-o com címbalos sonoros”. Louvai-o com címbalos altissonantes. Salmos 150: 3-5 Com a Voz: “Proclamando em alta voz o teu louvor...” Sl 26:7


Maravilhas acontecem no Louvor Deus quer ter comunhão com o homem, Ele os ama e para se aproximar de nós Ele usa varias formas, e uma delas e através do louvor. O verdadeiro adorador tem o papel importante de guiar o povo à para esta comunhão, e quando estamos cultuando Deus, a uma liberação de poder e unção que recai sobre nós. Destacamos algumas manifestações de poder que acontece quando estamos louvando ao Senhor.             

Curas; Libertação; Restauração; Perdão; Sinais e maravilhas; Concerto com Deus; Guerras espirituais (demônios são expulsos); Renovo; Paz; Conversões; Comunhão com o corpo; Arrependimento; Preparação para o povo receber a palavra.

Lembramos aos Ministros que se os mesmos não estiverem em bem, (psicológico e emocional) isso pode comprometer todo o andamento do culto.

Comparações Temos aqui um quadro bem humorado de comparações onde colocamos de um lado um Adorador (Levita e ou Ministro) comprometido e do outro lado um descompromissado.

Levita com compromisso Chega sempre adiantado nos ensaios Ajuda a arrumar as cadeiras da igreja Senta na primeira fila para facilitar a subida ao altar. É submisso ao líder.

Jejua Ora em pé e de joelhos. Cumprimenta os irmãos da igreja.

Presta atenção no Culto. Está disposto a aprender a cada dia mais. O verdadeiro Levita, sobe no altar e leva o povo a adorar a Deus.

Levita sem compromisso Chega atrasado e fala que seu relógio estava adiantado Vem de roupas claras para não arrumar as cadeiras, alegando que não pode louvar sujo. Senta no meio ou no final da fila, fica conversando entre si sem prestar atenção no culto. Questiona o líder a todo o momento, causando discórdia entre os levitas. Não jejua e diz que o jejum emagrece. Ora deitado e diz amém só de manhã. Espera os irmãos vir cumprimentá-los, tratando-os com ar de superioridade. Fica disperso o culto inteiro. É o sabe tudo, não quer aprender e se acha o melhor no que faz. O Falso Levita, sobe no altar e faz uma apresentação.


O que impede o fluir no Louvor Muitas pessoas me perguntam por que às vezes parece que um culto foi melhor do que o outro. Um culto a Deus pode ser diferente quando não há sintonia no meio do louvor, quando no meio do louvor os integrantes não estão ligados com o Senhor, estão ligados com o mundo secular, por vários motivos. Vamos ver o que impede o mover em um culto de adoração.           

Murmuração; Cansaço; Orgulho; Estrelismo; Indisposição; Falta de compromisso; Falta de ensaio; Insubmissão ao líder; Problemas Familiares; Problemas no trabalho; Doença.

O levita/ministro tem que estar em perfeita comunhão com Deus, ele não deve subir mal. Ex; Doente, brigas em família, com o (a) esposo (a), com o (a) namorado (a) etc.. Ao subir para ministrar o seu único objetivo é o de levar o povo a adorar a Deus e consequentemente adorar, com sua voz, expressão e alma. Sabendo que o primeiro a receber o poder do Senhor é ele mesmo. O Verdadeiro Adorador adora com o coração e com a razão, peça ao Senhor que a cada ministração Ele possa se aproximar mais ao ponto que haja uma conexão intima entre você e Deus.

Trazendo Unidade ao Ministério Amados irmãos (a), um, ingrediente que nuca deve estar ausente dentro de qualquer ministério é unidade entre as pessoas, observo que em muitos lugares, que grupos têm buscado unção de Deus, procurando ser abençoado, porem deles não prestam atenção a um item essencial. A falta de unidade entre as pessoas é um problema serio dentro de qualquer ministério. Causas A desunião de um grupo pode ser causa de muitos motivos: - Inveja ou ciúmes - Pessoa magoada - Falta de humildade (Soberba), insubmissão - Fofoca (Contendas) - Falta de amor pelos membros do grupo - Irmãos com pensamentos e ideais diferente da visão diferente da visão do ministério - Preguiça, irresponsabilidade Talvez você pudesse, pela sua experiência, acrescentar muito mais problemas a esta lista, mas quero deixar esta parte de lado e seguimos em frente, falando um pouco das soluções para este problema. Solução de Valor - Foi bom ter cantado com você! - Foi uma honra estar ministrando contigo! - Foi uma honra estamos louvando o nome do Senhor juntos!


- É um privilegio tocar com vocês! - Você e realmente um servo de Deus! Isso é honrar sue irmão sua irmã, com palavras! Este tipo de atitude melhora em muito o relacionamento de um grupo de louvor. Isto por que as pessoas começam se sentir valorizadas, amadas, queridas. Infelizmente, há músicos que fazem exatamente o contrario, e é aqui que encontramos um dos motivos da falta de unidade de um grupo. Após o culto evite estes comentários. - Hoje você não deveria ter cantado! - Hoje você estava péssimo! - Parece que você esta desaprendendo! - Você precisa ensaiar mais! - Tua voz nos atrapalha em tal cântico! - Você esta desafinando! - Você errou demais esta noite! Estes comentários não ajudam em nada, e muitas vezes acabam machucando alguém, se você tem algum comentário de exortação a fazer, faça isso depois da reunião de louvor, e mesmo assim com bastante “jeitinho”, faça tudo isso visando à unidade, e para quebrar qualquer motivo de barreira que poderia criar-se entre uma pessoa e outra. Conclusão Para finalizar, eu gostaria de desafiá-lo a levar a unidade ao seu grupo, se você tem sonhos e objetivos com relação a sua equipe seu ministério de qual for, primeiramente observe se a unidade naquele meio. Os músicos devem aprender a honrar sue pastor,

ou líder de louvor sejam quem for honrar respeitar, ser submisso, ter o mesmo sentimento uns para com os outros, e amar ao próximo como a si mesmo, como Jesus varias vezes enfatizou... Concorda comigo? Então o que você esta esperando! Mãos a obra!

Um Pouco de História Tribo de Levi A Tribo de Levi (hebreu: "devoto unido”), é uma das Tribos de Israel que, segundo a Bíblia, foi fundada por Levi, filho de Jacó e de Lea. Teorias acerca da tribo

Aos que crêem nas Escrituras, é inegável que Levi tenha sido uma tribo como as outras, separada, porém por Deus para exercer o sacerdócio. Entretanto, a situação da tribo no momento em que o Pentateuco teria sido escrito, bem como sua posição na sociedade judaica após o exílio na Babilônia geram discussão entre estudiosos. Alguns acreditam que Levi tenha sido uma das tribos que teria fugido do Egito, e ao chegar a Canaã teriam se aliado a outras tribos hebraicas autóctones, e, após a organização destas tribos e sua fusão em uma só nação, os levitas teriam sido designados ao sacerdócio.


Outra corrente acredita que os levitas teriam sido uma casta à parte do sistema tribal existente, uma elite com poderes políticos originados de sua relação de exclusividade com Deus. Essa não era uma postura incomum no Oriente Médio antigo ou em outras regiões, e observava-se a existência de classes sacerdotais rígidas na Mesopotâmia e na Índia fundamentadas no direito exclusivo destas classes em interferir junto a Deus pela ordem de suas sociedades. Levi na era pré-monárquica A tribo de Levi assume grande importância na história de Israel desde seu princípio. Em Êxodo, os personagens de Moisés e Arão são membros desta tribo, e lideram todo o povo de Israel mantido em regime de servidão no Antigo Egito, rumo à terra de Canaã. Moisés se tornou líder espiritual e legislador de toda a nação durante sua peregrinação no deserto, e teria recebido de Deus as tábuas com os Dez Mandamentos, além de instruções acerca das leis e das normas de conduta que norteariam a nação israelita pelos séculos seguintes. Moisés também nomeou seu irmão Arão como sumosacerdote, e designou seus descendentes, e apenas seus descendentes, como aqueles que teriam a permissão de realizar sacrifícios e adentrar o tabernáculo, e entrar em presença àArca da Aliança. Suas funções sacerdotais eram intransferíveis, e, segundo consta, outros que tentaram exercer as funções dos levitas foram punidos por Deus. Quando da conquista de Canaã, a tribo de Levi foi a única a não receber parte da terra, um território específico e delimitado.

Ao contrário, os levitas receberam cidades isoladas, situadas nas regiões de todas as outras tribos. A Arca da Aliança esteve sob os cuidados dos levitas até que um ataque filisteu resultou em sua captura. Os filisteus, entretanto, permitiram que israelitas a levassem de volta, e ficou sob os cuidados dos levitas no tabernáculo da cidade deSiló até que Davi ordenou que a trouxessem para Jerusalém. O livro de Juízes conta como a esposa de um levita fora violentada por homens da tribo de Benjamim. Em face da complacência dos benjamitas, as outras tribos se revoltaram e, após uma guerra civil, quase dizimaram a tribo de Benjamim. As divisões das tribos: As tribos eram divididas em quatro: as tribos de Levi, de Judá, de Benjamin e de Efraim. Período monárquico, intervenção de Davi. Pouco depois, apoiado pelo sacerdote levita e profeta Samuel, Saul ascendeu ao poder como primeiro rei de Israel. Guerras contínuas e derrotas enfraqueceram Saul, e após sua morte, Davi, também com o apoio de Samuel, foi coroado em seu lugar. Davi era da tribo de Judá, e como tal, era proibido de exercer qualquer atividade sacerdotal. Entretanto, Davi aparentemente possuía habilidades proféticas, e Deus lhe teria assegurado o direito de ser rei e sacerdote de seu povo. Seu posto foi confirmado após realizar, com sucesso, um sacrifício a Deus sem a punição esperada pelos levitas. Os judeus, posteriormente, usariam este evento como justificativa para ordenar sacerdotes em meio ao seu próprio povo.


A ascensão de Davi abalou a estrutura existente, e a partir deste evento, não era mais vedado à tribo de Levi os cuidados com sacrifícios, embora tivessem mantido exclusividade nos cuidados com o Tabernáculo e com o Grande Templo. Levi e a divisão do reino Quando Israel tornou-se independente de Judá, dizia-se que o novo reino era representado pelas "10 tribos do norte". As 2 tribos do sul eram Judá e Benjamim (onde ficava Jerusalém), portanto Levi deve ter sido contado como uma das 10 restantes. Entretanto, os levitas continuaram a exercer suas funções junto ao Templo, no reino de Judá. Talvez os levitas não ordenados como sacerdotes tenham se unido às demais tribos na revolta contra Jerusalém. O declínio dos levitas De qualquer forma, é nítida deste ponto em diante no relato bíblico a raridade de menções aos levitas fora do contexto do Templo, o que pode significar que sua influência tenha sido reduzida através da concentração de poder nas mãos dos reis de Judá. Entretanto, os levitas mantiveram importância junto ao povo, e especializaram-se, criando diversas classes internas derivadas de suas funções no Templo. Em relação a Israel, visto como são citados constantemente atos religiosos não relacionados ao culto a Yahueh (em vez disso, cultos semelhantes aos dos povos fenícios, arameus e assírios circundantes de Israel), é possível que os levitas e seus sacerdotes, assim como as leis

mosaicas que defendiam, tivessem perdido muito de sua influência sobre o povo e a nobreza. Quando Nabucodonosor, rei da Babilônia, conquistou Judá, os levitas praticamente desaparecem do relato bíblico, vindo a ser mencionados apenas quando o Templo foi reconstruído, sob o comando de Neemias. Desde o período de exílio, todos os membros da nação escolhida por Deus passaram a ser chamados judeus, devido a serem, nominalmente, membros da tribo de Judá, inclusive qualquer levita que tenha sobrevivido à invasão babilônica. É, portanto incerto se os levitas citados no período do Segundo Templo tivessem sido descendentes de Arão, como seria de se supor, e talvez tenham sido judeus nomeados entre o povo para exercerem funções sacerdotais. A queda dos levitas como classe sacerdotal tornou-se evidente com o surgimento de sinagogas, onde as leis e os costumes, bem como as normas de conduta de um sacerdote, eram ensinados a todos nas comunidades judaicas, e não mais exclusivas àqueles designados para tal pela Lei de Moisés. Jesus Cristo reivindica para si autoridade sacerdotal baseado nos atos de Davi, de quem teria sido descendente. Hoje, qualquer judeu pode ser ordenado rabino após um período de estudos da lei judaica. Símbolo da tribo de Levi


O que você está fazendo aí em cima? Coração puro, mãos limpas e com o propósito de somente adorar a Deus, ofertando a /Ele toda glória, honra e louvor. Estes são os atributos fundamentais para um ministro de louvor, apontados por Don Moen, um dos responsáveis pela atuação do ministério Hosanna Music e reconhecido mundialmente como uma das maiores expressões de louvor. Vamos entender o que Don Moen quis dizer: que, para sermos verdadeiros ministros de louvor, precisamos ter atributos fundamentais, vamos estuda-los.: Primeiro: Don Moen nos diz que o levita deve ter um coração puro, porque ele verá a Deus, se você entrar na presença do Senhor com o coração puro você vai ver a Deus, isso quer dizer que se você pode ver a Deus, também pode escuta-lo, amém! E quando nós escutamos ao Senhor, fica mais fácil de saber o que Ele quer fazer no culto, que direção no louvor ele quer tomar. O ministro deve estar sensível para as mudanças que serão passadas a ele por Deus, com essa sensibilidade o ministro levará verdadeiramente o povo à perfeita adoração, não feita por vontade própria, mais com a direção de Deus. Quando estamos com o nosso coração puro, subimos no altar de Deus, e ao ministrar o louvor a nossa mente esta voltada exclusivamente à adoração e só pensamos em adorar, render honras e glórias, não se preocupando com sua vida secular, mas em fazer com que o povo adore em espirito e em verdade. “Deus é Espírito, e importa que os que o adoram o adorem em espírito e em verdade”. João 4:24. Deus sabe se você esta o adorando ou fazendo uma apresentação, você ministro; levita terá que alcançar as regiões

celestiais (o coração de Deus) como seu louvor, E agradando o coração de Deus ele transformará o seu louvor em unção e poder e o devolverá ao povo e o mesmo receberão cura, paz, libertação e transformação, aleluia! As almas se converterão e Deus através de você será exaltado. Segundo: Mãos limpas imagine um pregador que acabou de ter uma discussão com sua esposa, duas horas mais tarde esse mesmo pregador se encontra em cima do altar pregando sobre amor entre casais. A sua pregação não alcançará o objetivo, pois a lembrança da sua briga o incomodará durante todo o culto, suas mãos estão sujas e por isso a palavra não terá o efeito entendido, haverá um desconforto ao abordar esse tema que para ele foi traumatizante. O ministro/levita deve ministrar ao povo sem nenhum desconforto emocional, não deverá carregar em si lembranças de ações que não foram de acordo com a vontade de Deus (brigas; desentendimento etc..) ele deve ofertar ao Senhor o perfeito louvor e para isso deve estar com suas mãos limpas. “Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta”. Mateus 5:24. É claro que nem todos os dias estamos bem, mas ao subir para ministrar, converse com o Senhor, peça a Ele que ministre em seu coração e arranque qualquer barreira que esta lhe impedindo de dar o perfeito louvor. Lave as suas mãos nas águas do Espirito e depois dê o seu melhor e Deus dará o melhor Dele a você e ao seu povo.


Terceiro: Oferta e Sacrifício. Você ama ao Senhor, Usa o seu don para a glória Dele?, Seria capaz de Abrir mão de tudo para servi-lo?. Perguntas que têm o poder de mudar a sua vida por inteiro, Jesus fez o grande sacrifício de amor por nós, nos amou assim como o seu Pai e a maneira de adora-lo foi se dando de corpo e alma, morreu para honra-lo e ressuscitou para o exalta-lo e livrou a todos nós para que o seu nome fosse adorado para todo o sempre. Jesus tinha um propósito, cumprir a vontade de Deus, porque o amava sobre todas as coisas. Você tem um propósito ensinar o povo a adorar a Deus de maneira consciente mesmo que às vezes padeçamos para que isso aconteça. “Porque é coisa agradável, que alguém, por causa da consciência para com Deus, sofra agravos, padecendo injustamente”. 1 Pedro 2:19. Mas fique firme, pois o dom que há em ti não pode ser tirado e Deus te deu porque viu em você algo especial, sondou o seu coração e achou o desejo de servi-lo verdadeiramente, por isso tenha como objetivo alcançar a Deus com esse presente que é levar as boas novas através do louvor e adoração. E por fim siga o seu coração, se coloque na posição, pois Deus é contigo e estará sempre ao seu lado. “(O SENHOR mandará que a bênção {esteja}) contigo nos teus celeiros, e em tudo o que puseres a tua mão; e te abençoará na terra que te der o SENHOR teu Deus”. Deuteronômio 28:8.

Tentação O maior erro de um levita é de se achar o melhor naquilo que faz e se auto-substimar, quando o levita coloca na cabeça que o que ele sabe esta bom, ele acaba caindo em seus falsos conhecimentos e satanás que espera ansioso para tragar. Não veio sobre vós tentação, senão humana; mas fiel é Deus, que não vos deixará tentar acima do que podeis, antes com a tentação dará também o escape, para que a possais suportar. (1 Coríntios 10.13) Qual é o principal foco de satanás em um jovem levita? Onde ele investe em tentar? Qual é a vulnerabilidade de um ministro, de um pregador ou de apenas um jovem que decidiu seguir a Cristo? Posso afirmar que a santidade começa na mente. Que todo cristão deve aprender a controlar seus pensamentos, e que os sentimentos são por essência a área mais vulnerável de um jovem levita. Se não existir a busca, a renuncia e a dependência que temos do pai podem ter certeza que seremos um alvo fácil de satanás.


Declarações Finais Durante todo o meu tempo no ministério de louvor, primeiro como instrumentista e depois como ministro de louvor, eu aprendi que no meio do louvor há todo tipo de pessoas: as que querem louvar, mas não têm o dom; as que têm o dom de louvar, mas não querem louvar; as que se acham melhores do que as outras e por isso pisam em seus irmãos; as que são humildes sabem muito e ajudam os seus irmãos a crescer no ministério; pessoas invejosas que querem te derrubar para ficar no seu lugar; pessoas que têm o lugar garantido, mas abre mão para o novo que esta chegando. O ministério de louvor é um grande privilégio que poucos sabem dar o devido valor, um presente de Deus, mas poucos sabem abrir esse presente, e são iguais a pessoas que ganham uma fortuna e não sabem gasta-la com sabedoria. Mas aqueles que usam o louvor para, primeiro: Dar honras a Deus, segundo: ensinar o povo a adorar verdadeiramente, esses sim tem um futuro promissor e feliz. O meu desejo é que todos os levitas em potencial usufruam desse dom maravilhoso dado por Deus, usem com sabedoria, pois o seu futuro será de glória em glória e vitória em vitória.

Pr. Marcelo Pereira de Freitas

Bibliografia: Algumas partes deste livro foram retiradas da Internet, as demais partes foram retiradas de experiências vividas pelo Pr. Marcelo Pereira de Freitas. www..Wikpédia http://www.oapocalipse.com/home/estudos/cristao_levitas_na_casa_do _senhor.html http://www.evangelhopleno.com.br/mensagem.asp?id=164


Significados levita s. m. 1. Indivíduo da tribo de Levi, a cujo cargo estava o serviço do templo de Jerusalém. 2. [Figurado] Sacerdote. 3. Diácono. 4. [Popular] Sobrecasaca, labita. adorador |ô| adj. s. m. Que ou o que adora; apaixonado. ministro s. m. 1. Servidor, servo. 2. Ministrante. 3. Executador. 4. Pastor protestante. ministrar - Conjugar v. tr. 1. Prestar, fornecer. 2. Administrar, conferir. 3. Sugerir, inspirar. 4. Dar. 5. Ajudar.

Verdadeiro Adorador  

A vesdade sobre um verdadeiro levita

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you