Page 1

1


- Literatura, 03 - Artes, 32 - Depoimentos, 42 - Paradidรกticos e Teses, 51 - Infanto-juvenil, 93


As Jagunças Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Em as Jagunças, Romulo Nétto abusa do jaguncismo e apresenta ao leitor uma obra jagunça. O autor intensifica sua escrita, na prosa, com muita poética, para tratar de uma história de personagens mulheres – e neste texto elas não são gênero, são sexo – num tempo e num espaço que, mesmo mostrado cronologicamente e espacialmente, remete o leitor a qualquer lugar do mundo, em qualquer tempo, onde o horror, a submissão e resistência têm feito história. A história da in-dignidade humana. As mulheres empreendem uma luta contra a hegemonia do homem. Fazem-se brutas, fazem-se mulheres com os homens e de homens com as mulheres. Fogem de serem mulheres para construírem seu lugar nos desmundos e nos desmandos.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros. Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-65-1 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 104 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

4


Contos dos Gerais Autor: Romulo Nétto Sobre a obra É no Brasil profundo, sertanejo, em que historicamente se forma o povo dos gerais, a gente dos sertões, gente boa, leal, prestimosa, respeitosa, sem medo do ermo das vastidões. Gente lacônica, rústica. Gente de honra, de brio, mas que também não tem problemas em contrariar ou em quebrar regras, em assumir condutas anômicas e quando assumidas, levadas às últimas conseqüências, às raias da dor e da violência. Aí, no coração do sertão é que se enraízam os contos de Romulo Nétto e é essa gente dos gerais que os protagoniza. São contos lacônicos, densos, humanos. São contos que nos afrontam com a face trágica de nossa humanidade. São contos pungentes, mas ainda assim pontuados de lirismo que às vezes neles se incrusta como cristais luminosos ou como bordados singelos das mulheres dos gerais. Os Contos dos Gerais se colocam na rica e fecunda esteira da literatura regional brasileira.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-66-8 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 18,00

5


Filisberto das Âncoras Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Em Filisberto das Âncoras, Romulo Nétto denuncia um sistema político e econômico de herança feudal, comandado por coronéis que se perpetuam no poder manipulando os eleitores, valendo-se de diferentes estratégias: desde bajulação e compra de consciências até o uso da força armada, aquartelando pessoas nos “currais” eleitorais – prática que se perpetua, atualizada, em muitos locais do País. A obra narra um trecho da vida de um sertanejo típico dos Gerais – região de Cerrado que atravessa vários Estados brasileiros, como Bahia, Minas Gerais, Goiás e Mato Grosso. Sujeito forte, corajoso, honesto e humilde, incorpora a alma de uma parcela de cidadãos que quase nada recebem da sociedade. Profundo conhecedor das potencialidades do Cerrado, cujas riquezas naturais sabe explorar como ninguém, sobrevivendo no limite, Filisberto é, antes de tudo, um forte, junto com sua companheira, Hemengarda Epifânia. Apesar das agruras do cotidiano, é feliz (Filisberto), chumbado no chão sertanejo (das Âncoras), quase bicho.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-67-5 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 80 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 16,00

6


Cidades, Ciudades Autor: Romulo Nétto Sobre a obra O autor faz uma viagem por cidades que jamais conheceu, a não ser através da história, dos livros, jornais e revistas. Quase sempre são poemas que denunciam abusos contra seus naturais. Da criança queimada com o napalm em Trangbang, dos desmandos políticos em Brasília, dos horrores de Auschwitz.-Birkenau, entre tantos outros acontecimentos históricos. É na verdade o passeio histórico em que o autor conhece apenas as cidades de Belo Horizonte, Brasília, Cidade do México e San Juan Teotihuacan, mas levado pelas asas da literatura jornalística ou não através do mundo.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-92-7 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 128 Gênero: Poesia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 24,90

7


Bom dia Senhor Presidente Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Neste livro o autor nos põe em contato com as agruras de uma família de retirantes que sai do Polígono das Secas, atravessa dois estados e chega numa imaginária cidade chamada Mimoso – a maior e mais industrializada do também imaginário Pirambeiras. São treze dias de viagem, com narração entre sofrimento e poesia. Para um dos membros da família de Donabrina o destino reservava futuro brilhante: a presidência da República. Após ser engraxate, metalúrgico, deputado federal, três vezes candidato a presidente derrotado em sucessivas eleições, finalmente realiza seu sonho: é eleito presidente. Começa o pesadelo da população. Toma medidas que afetam principalmente os aposentados do serviço público. Dá início a uma roubalheira nunca antes vista no cenário político de Pirambeiras. Finalmente por não desejar apear do poder torna-se ditador. Um dia, porém, tem uma recaída e se olhando no espelho exclama: Bomdia, senhor presidente! Esta inverossímil história é narrada, de pai para filho, pelos cachorros da família – Os Juca.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-91-0 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 80 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 22,90

8


Os Deserdados da Sorte Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Neste livro de poema dividido em três partes sendo que na primeira encontramos um texto sobre a vida e a morte de um rio. Ao tempo em que revela a dor da perda irreparável, da agonia do rio, vai desnudando o percurso de uma geração em seu convívio com as águas e a lida diária com a paisagem. A destruição do rio é ouvida por meio dos sussurros do vento, do silêncio respeitoso do sabiá-laranjeira, dos gestos aflitos daqueles que ainda dele — cada dia menos — retiram pequenas migalhas para sobrevivência. Na segunda apresenta um sobrevivente de um mundo desprovido de sonhos. Mas, mesmo assim, sonha e se define réu confesso de crimes que nunca cometeu. Sujeito definitivo ator de uma história complexa, viva e presente. Aqui, o autor apresenta um personagem sem face, moldado um pouco à sua imagem e semelhança. Mais. As venturas e desventuras deste ser que convive com um cenário mutante entre criador e criatura. Por fim surge Filisberto das Âncoras, personagem de Um chão de quase coisas, um deserdado da sorte. Herdeiro de um pedaço de chão seco e sem riacho. Visualizamos, neste livro três, a relação íntima entre conteúdo e expressão. Homem e a paisagem se imbricam numa intimidade entre eles e a própria lei da vida. Com contornos firmemente delineados a figura de Felisberto das Âncoras capta as dores, os desejos, sua humanidade, em suma com grande singularidade, o autor vai construindo o personagem, não sem apresentá-lo com cores vivas, inserido em uma paisagem árida e tosca. Por meio deste ator, expressa a miséria e a solidão. Enfatizando as emoções, sentimentos e sensibilidade, Rômulo destampa aos nossos olhos, com acurada sagacidade, a natureza e o ser humano.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-94-1 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm

Sobre o autor

Nº de páginas: 168 Gênero: Poesia

Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 26,90

9


Tarenço, o Capanga de Lata Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Tarenço como outros livros do autor são livros que podem ser lidos como contos. Entretanto há uma tênue linha que separa cada conto-capítulo. O leitor mais atento captará o elo assim que adentrar no segundo capítulo. Quem aparentemente seria o vilão de toda a trama acaba sendo o beneficiado. Belarmino B. – no dizer da meninada interiorana de Paracatu – era um verdadeiro pastor das moças, guarda-cabaços. Vivia protegendo a filha do patrão para que os marmanjos não a possuíssem. Repentino surge um mais esperto e descabaça a mocinha. Por sua vez Belarmino B., nutre paixão angustiante pela mulher do patrão sem nada conseguir. Até que um dia, bem isto quem ler o livro verá...

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-93-4 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 88 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 23,60

10


Tatão Malemais, o Capador de Anjos Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Tatão Malemais, matuto mineiro que mora numa encantadora cidadezinha de Mato Grosso tem por predileção capar anjos e fritar seus testículos. Iguaria inimaginável segundo ele. Um dia acorda com um anel no dedo e ao esfregá-lo inicia uma série de viagens ao passado. Mirabolante história. Ao retornar ao presente encontra o caos. Os gananciosos produtores de soja, algodão, milho, girassol, aliados aos criadores de gado acabaram com o cerrado. Apenas seu pedaço de chão sobrevive tornandose alvo de cobiça das multinacionais. Tatão Malemais luta contra tudo e contra todos até que um dia tem seu valor reconhecido.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-95-8 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 120 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 26,90

11


Transitoriedade, Palavra Autor: Romulo Nétto Sobre a obra A mesma preocupação com o meio ambiente demonstrada em Os Deserdados da Sorte é reprisada em Transitoriedade, Palavra, embora o autor mescle o conteúdo com poemas de sua primeira fase poética, um romantismo leve, suave e contagiante. Ele parece buscar conversa com as bichos e árvores, num diálogo incomum, mas frutífero para sua imaginação criadora. Na segunda parte do livro o autor criou o personagem Palavra, um indígena do Alto Xingu que é sequestrado e levado para o Vale do Anhagabaú. Entretanto, menos de um ano depois de acabado o texto eis a surpresa: Palavra, existe. Trabalhando na Superintendência de Política Indígena, órgão da Casa Civil do Governo do Estado de Mato Grosso, conhece Manauaka Yawalapiti, a quem, segundo explicação do Cacique Aritana, desde criança chamavam de Palavra, pois era um índio falador.

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros. Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-96-5 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Poesia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 23,90

12


O Infinito Desespero de Ementério Autor: Romulo Nétto Sobre a obra Ementério fez de tudo na vida até tornar-se assassino cruel. Por outro lado surge uma nesga de bondade em seu caráter. Começa aplicando em seus pagos a agricultura familiar atraindo a atenção de muitos seguidores que viam na prática a possibilidade de melhorar a vida. Depois vê seu povoado invadido por um pastor evangélico que deseja a todo custo escravizar o povo, cobrando dízimos altíssimos. Surge a inevitável luta entre os dois. Após criar a República Socialista de Porto Rico Ementério vê seu povo feliz, produzindo mais que o suficiente para o sustento da família. Mas ele vai aos poucos desfilando seus desesperos, um por um, até que diante do maior não encontra forças e...

Sobre o autor Mais que um texto regional, os livros de Rômulo Nétto são frutos de sua descendência mineira. Mesmo quando coloca os personagens em outros territórios, cada um deles não deixa de carregar marcada e pegajosa mineirice. Como o próprio autor diz: “ser mineiro é antes de tudo um estado de espírito”,revisitando nestas palavras antigos contadores de causos, gente simples do povo e grandes escritores brasileiros.

Autor: Romulo Nétto Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-006-2 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 144 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 28,60

13


Contos do Japim Autor: Ramon Franco Sobre a obra Os textos que formam o livro Contos do Japim podem ser interpretados como o esboço inicial de um trabalho literário. Após a vivência da infância, adolescência e algumas experimentações da vida adulta, me vi formado em Jornalismo e trabalhando diariamente com a notícia, com a reportagem e com as demais experiências proporcionadas pela atividade cotidiana de um repórter. A influência de autores da literatura policial, como o brasileiro Rubem Fonseca e os ingleses Conan Doyle e Agatha Christie, bem como o norte-americano Edgar Allan Poe, a técnica absorvida da crônica de Carlos Heitor Cony, o corte narrativo do norte-americano Ernest Hemingway, a fluência de Marcos Rey e Graham Greene, a inspiração em Gabriel Garcia Marquez e Orígenes Lessa me encorajaram a definir esta primeira etapa de vida literária como a fase japim. Todos os contos aqui redigidos tiveram e têm algo de japim, que é uma ave brasileira que, conforme a lenda indígena, aprende a cantar imitando o canto de outros pássaros, ao passo que também sabe imitar o canto de todas as outras aves. Este pássaro, segundo os índios, vive na companhia dos marimbondos e, coincidentemente, quando me descobri japim morava numa casa rodeada de casinhas de marimbondos. A associação foi de imediato e acredito me mantive nesta fase até 2007 e 2008. A literatura me deixou mais humano e esse fato me basta.

Sobre o autor

Autor: Ramon Franco Edição: 1ª

Ramon Barbosa Franco nasceu em 3 de junho de 1979 na cidade Paraguaçu Paulista - SP, é jornalista formado pela Universidade de Marília (Unimar). Está na imprensa desde os 16 anos, trabalha também como assessor de imprensa e arte-educador. Conquistou prêmios literários nos Estados de São Paulo e Rio de Janeiro. Entre eles o 3º lugar no V Concurso Municipal de Contos Prêmio Prefeitura de Niterói (2007), menção honrosa no concurso de contos, Tragédias Cariocas Hoje, da editora Nova Fronteira (2007) e um dos finalistas estaduais do Mapa Cultural Paulista (20092010), organizado pela Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo.

Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-007-9 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 88 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 23,90

14


Presta Sentido e Põe Reparo Autora: Letícia Lobo Sobre a obra Presta Sentido e Põe Reparo é um livro escrito por Letícia Lobo como amor às coisas de sua infância, sua gente, sua terra e coisas que a rodearam naquele mundo infantil, cor-de-rosa, tomado por plantas e frutas. Ela escreveu, de maneira carinhosa, sobre as coisas ligadas ao seu passado que, de sorte, é o gostoso ontem de todos nós, desta terra do Pantanal. Filha de José Lobo (autor de Lugar e Tempo), não poderia ser outra sua postura com o público leitor, no resguardo do registro de fatos, para, então, sabermos desse ontem. Conheci Calu Bernaz e Adiles Ribeiro Antunes. Estavam bem pertinho de mim. Elas reinavam em seus tronos no Cerrado, cada qual com sua personalidade típica, lá no oco do mundo, no cu do Judas. Deixaram registro de suas passagens por este mundo. Através de uma linguagem suave, Letícia nos faz deleitar nestas páginas, atentos ao significado das expressões de época. Sendo ou não um caboclo do Pantanal, como eu, vale a pena se debruçar sobre esta obra e (re)descobrir o nosso mundinho.

Sobre a autora Eu, Letícia Thommen Lobo Paes de Barros, nasci em 8 de março de 1958 (hoje, Dia Internacional da Mulher), em Cuiabá-MT, num sábado, após Ana, minha mãe, voltar dos comes-e-bebes da festa de casamento de Tita e Zé Ubirajara, este, filho de minha madrinha Carmina, irmã de minha avó paterna, Vó Gusta. Meu nome não foi escolhido assim, numa lista, como de praxe. Acontece que, na ocasião do parto, na maternidade, não havia um médico naquele horário de fim de manhã e início de tarde de sábado. Meu pai fez o parto, juntamente com uma enfermeira. Ao nascer, fui colocada em uma bandeja, olhei todo o derredor meio que assombrada com o lugar, dei uma risada (bem dura!) e coloquei o dedão na boca, acalmando-me novamente. Assim, não chorei, e ri! Meu pai aceitou o fato e me colocou o nome de Letícia, do latim Lætitia (Alegria)!

Autora: Letícia Lobo Paes de Barros Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-004-8 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 176 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 32,00

15


A Japa e outros croni-contos cuiabanos Autor: Silva Freire Sobre a obra A Japa e outros croni-contos reúne 28 textos em prosa, nos quais se apresenta a magnitude da prosa de Silva Freire, um dos grandes nomes da literatura mato-grossense sendo um dos primeiros autores mato-grossenses que voltou sua atenção para o social, a fim de registrar o cotidiano da cuiabania que ele amava, valorizando sua tradição oral. O “dialeto cuiabano” de seus personagens é distinto da linguagem do narrador, o que cria um contraste, realçando a singularidade deste falar. Os experimentalismos levaram o autor a propor um novo gênero híbrido, denominado (por ele) croni-conto-poema, porque muitos de seus textos oscilam entre crônica e conto e aparecem poemas, ora na boca de algum personagem, ora na do próprio narrador.

Sobre o autor Benedito Sant’Ana da Silva Freire nasceu no município de Mimoso, em 20 de setembro de 1928, mas foi registrado em Cuiabá. Graduou-se em Direito pela Faculdade Cândido Mariano, no Rio de Janeiro-RJ, em 1959. Foi contínuo, auxiliar judiciário, escriturário, oficial de diligência substituto da Justiça do Trabalho, em Cuiabá, São Paulo e Rio de Janeiro; conselheiro da Caixa Econômica Federal, em Mato Grosso; delegado regional do SAPS e SENAM (extintos); professor do Departamento de Direito da UFMT; presidente do Tribunal de Justiça Desportiva da FMD (extinta); conselheiro, presidente da Comissão de Exame e vice-presidente do Conselho Seccional da OAB-MT; presidente do Instituto dos Advogados Mato-grossenses. Foi também secretário geral da União Metropolitana dos Estudantes; presidente do Diretório Central dos Estudantes das Faculdades Independentes; diretor de Cultura da UNE; presidente do Teatro Universitário Brasileiro (1956-1959); diretorredator da revista Movimento (1957-1959), da UNE; do jornal O Roteiro, da AME-MT; e da página universitária do jornal O Semanário, no Rio; membro do Clube de Poesia da cidade de Campos-RJ. Fundou o Grêmio Literário Lamartine Mendes, os jornais Arauto da Juvenília, Vanguarda Mato-grossense, Saci (1949) e Sarã (1951), em Cuiabá, e Japa, no Rio. Escreveu para os jornais: Tribuna Liberal, O Social Democrata e Folha Trabalhista, de Campo Grande; O Momento, de Corumbá; Folha Mato-grossense, Correio da Imprensa, O Estado de Mato Grosso e revista Esquema, de Cuiabá. Fundou e dirigiu os suplementos literários: Poemas e Letras, no jornal Equipe; e Proposta, no jornal Folha da Serra, de Campo Grande. Promoveu, com outros parceiros, eventos e peças de teatro, em Cuiabá e no Rio de Janeiro; como advogado, atuou em inúmeras causas sociais.

Autor: Silva Freire Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-54-5 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 176 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 29,80

16


Contos sem pontos Autora: Zélia S. Diniz Sobre a obra Uma coletânea de contos que abordam de uma forma leve histórias vividas que são dignas de notas, tanto pela curiosidade que despertaram como pelo fato de encerrarem, na maioria, o sentido de alguma lição moral, como nas fábulas.

Sobre a autora Zélia S. Diniz Professora aposentada. Nasceu no Estado do Ceará. Aos 10 anos mudou-se para o Estado de São Paulo; aos 20 anos, para o Paraná e aos 30 anos, para Mato Grosso, margens do rio Araguaia, lugar que elegeu para sua morada definitiva. Hoje é naturalmente araguaiana, com um pé em Mato Grosso e outro em Goiás. Após a aposentadoria dedicou-se às lides culturais, pesquisando História, produzindo contos e poemas, criando estórias infanto-juvenis.

Autora: Zélia S. Diniz Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-52-1 Tamanho: 13,8 X 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 19.70

17


Vertiginoso e outros contos Autor: Gabriel de Mattos Sobre a obra Neste segundo livro de contos, Gabriel de Mattos começa a povoar seu universo ficcional com personagens mais maduros, até um pouco desiludidos, que enfrentam a vida com o humor e a resistência que lhes é possível. Um mundo onde o absurdo e o inexplicável não estão excluídos, e às vezes até compõem uma forma de esperança colorida e poética. As histórias são centradas em personagens adultos (às vezes nem tanto pela idade), obrigados a esquecer alguns dos sonhos de infância e a enfrentar escolhas que deveriam levar a algum novo lugar.

Sobre o autor Gabriel de Mattos é escritor, quadrinista, arquiteto e professor universitário. Publicou os álbuns de quadrinhos Quadricrônicas (EdUFMT, 2005) e Destino Oeste (TantaTinta, 2005), este último em parceria com Ricardo Leite, com quem produziu Volcanya Blues, uma obra de ficção científica e fantasia. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, tem participado da discussão e divulgação da história regional com o romance República Transatlântica (Carlini e Caniato, 2005) e o estudo Desmontando os quadrinhos: histórias em quadrinhos, educação e regionalidade (Carlini e Caniato/EdUFMT, 2009). Trabalhou como editor de quadrinhos para jornais e revistas locais, teve contos, artigos e cartuns publicados na imprensa nacional. Seu livro de contos A Geringonça (Via Lettera, 2002) foi selecionado no Programa Nacional de Bibliotecas de Escola do Ministério da Educação. Tem ainda publicados o romance Doce Irresponsabilidade (Carlini e Caniato, 2005) e Cuiabá: duas novelas (TantaTinta, 2003).

Autor: Gabriel de Mattos Ilustrações: Ricardo Leite Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-000-0 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

18


Diário de uma quase Autor: Paulo Sesar Pimentel Sobre a obra Diário de uma quase é o segundo livro de contos de Paulo Sesar. Os contos descrevem personagens contemporâneos com sensações incômodas e, talvez, deslocadas de uma galeria de almas tristes diante das (in)capacidades das relações com as formas estabelecidas de mundo. No entanto, no ponto onde as possíveis experiências ruins e traumáticas ultrapassam o, imaginado, individual e tornam-se coletivas e, de algum modo, belas.

Sobre o autor Paulo Sesar Pimentel é natural de Coronel Sapucaia–MS, mas mora em Mato Grosso há mais de 20 anos. É graduado em Letras (Unemat/ Sinop-MT) e mestre em Estudos de Linguagem (MeEL/UFMT). Publicou as coletâneas de contos Café com Formigas, Ângulo Bi (com outros autores mato-grossenses) e o guia de leitura Dez Modernistas (com Santiago Villela Marques). Atua como professor de literatura no Ensino Médio e Superior em Cuiabá-MT.

Autor: Paulo Sesar Pimentel Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-013-0 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 104 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

19


Madona dos Páramos Autor: Ricardo Guilherme Dicke Sobre a obra Doze foragidos da força policial mato-grossense se embrenham sertão adentro, a cavalo, em busca da terra da Figueira-Mãe – promessa de bem estar e justiça. Como num ritual de iniciação, a jornada pelo sertão do tuaiá é uma travessia de enfrentamentos contra o clima e a geografia daquele espaço inóspito espelhado no sertão interior das personagens. Entre os doze, a Moça Sem Nome - arrebatada do lar e da família à força – é a mulher-símbolo santa e pecadora. Embora se mantenha imaculada, suas curvas serpenteando no andar dos cavalos atraem o desejo de todos.

Sobre o autor Ricardo Guilherme Dicke nasceu em 1936, em Chapada dos GuimarãesMT. Publicou: Caminhos de Sol e Lua (1961); Deus de Caim (Edinova), 4º lugar no Prêmio Walmap (1968); Como o Silêncio, 2º lugar no Prêmio Clube do Livro (São Paulo, 1968); Caieira (Francisco Alves, 1978), Prêmio Remington de Prosa (1977); Madona dos Páramos (Edições Antares, 1981), Prêmio Nacional da Fundação Cultural do Distrito Federal (1979); Último Horizonte (Marco Zero, 1988); A Chave do Abismo (Fundação Cultural de Cuiabá, 1986); Cerimônias do Esquecimento (EdUFMT, 1999), Prêmio Orígenes Lessa da UBE (1995); Rio Abaixo dos Vaqueiros e O Salário dos Poetas (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2001); Conjunctio Oppositorum no Grande Sertão (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2002); Deus de Caim (afabrika, 2006); Toada do Esquecido & Sinfonia Eqüestre (Cathedral/Carlini&Caniato, 2006); Madona dos Páramos (reedição, Cathedral/Carlini&Caniato, 2008). Recebeu da UFMT o título de Doutor Honoris Causa, em 2004. Seu romance O Salário dos Poetas foi adaptado para teatro e apresentado em Lisboa, em 2005. Dicke faleceu em 9 de julho de 2008. Esta obra compõe uma coleção (Carlini & Caniato, 2011) com os títulos: Os Semelhantes, Cerimônias do Sertão, A Proximidade do Mar e O Velho Moço e outros contos.

Autor: Ricardo Guilherme Dicke Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-56-9 (Carlini & Caniato) 978-85-88504-23-3 (Cathedral Publicações) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 474 Gênero: Ficção Brasileira Editoras: Carlini & Caniato Editorial e Cathedral Publicações Preço: R$ 48,90

20


Toada do Esquecido & Sinfonia Eqüestre Autor: Ricardo Guilherme Dicke Sobre a obra Em sua obra, o teor regional reveste-se de camadas que transcendem o nacional, insere-se na literatura latino-americana e dialoga com as grandes narrativas ocidentais. A trama textual torna-o um escritor conectado a uma tradição narrativa que, ao mesmo tempo, o particulariza e o inova. Toada do Esquecido e Sinfonia Eqüestre configuram a densidade de um universo de angústia que se desdobra circular e hipnoticamente em horizontes caleidoscópicos que giram com/sobre personagens atônitos: o capricho da armadilha de um labirinto que, como organismo vivo, tudo devora.

Sobre o autor Ricardo Guilherme Dicke nasceu em 1936, em Chapada dos GuimarãesMT. Publicou: Caminhos de Sol e Lua (1961); Deus de Caim (Edinova), 4º lugar no Prêmio Walmap (1968); Como o Silêncio, 2º lugar no Prêmio Clube do Livro (São Paulo, 1968); Caieira (Francisco Alves, 1978), Prêmio Remington de Prosa (1977); Madona dos Páramos (Edições Antares, 1981), Prêmio Nacional da Fundação Cultural do Distrito Federal (1979); Último Horizonte (Marco Zero, 1988); A Chave do Abismo (Fundação Cultural de Cuiabá, 1986); Cerimônias do Esquecimento (EdUFMT, 1999), Prêmio Orígenes Lessa da UBE (1995); Rio Abaixo dos Vaqueiros e O Salário dos Poetas (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2001); Conjunctio Oppositorum no Grande Sertão (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2002); Deus de Caim (afabrika, 2006); Toada do Esquecido & Sinfonia Eqüestre (Cathedral/Carlini&Caniato, 2006); Madona dos Páramos (reedição, Cathedral/Carlini&Caniato, 2008). Recebeu da UFMT o título de Doutor Honoris Causa, em 2004. Seu romance O Salário dos Poetas foi adaptado para teatro e apresentado em Lisboa, em 2005. Dicke faleceu em 9 de julho de 2008. Esta obra compõe uma coleção (Carlini & Caniato, 2011) com os títulos: Os Semelhantes, Cerimônias do Sertão, A Proximidade do Mar e O Velho Moço e outros contos.

Autor: Ricardo Guilherme Dicke Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-19-X (Carlini & Caniato) 85-88504-18-9 (Cathedral Publicações) Tamanho: 13,5 x 20,8 cm Nº de páginas: 167 Gênero: Contos Editoras: Carlini & Caniato Editorial e Cathedral Publicações Preço: R$ 30,00

21


O Velho Moço e outros contos Autor: Ricardo Guilherme Dicke Sobre a obra O Velho Moço e outros contos reúne três narrativas inéditas de Ricardo Guilherme Dicke, (A perseguição; A noite; O velho moço) produzidas meses antes de seu falecimento. Aparentemente, ele as reuniu ao acaso, mas é bem provável que tenha preparado uma sutil e potente intersecção de histórias em torno do eixo vida-morte, pressentindo, de modo premonitório, a sua partida. Um narrador velho e rabugento que vocifera contra a massificação do gosto e a estupidez dos gestos; a mais funda inquisição sobre a transcendência, no limiar entre a vida e a morte; e o diálogo antitético sobre juventude e velhice são os temas nesta obra que Dicke optou por nos desafiar com suas imagens em avalanche, propondo-nos que reflitamos sobre o caos.

Sobre o autor Ricardo Guilherme Dicke nasceu em 1936, em Chapada dos GuimarãesMT. Publicou: Caminhos de Sol e Lua (1961); Deus de Caim (Edinova), 4º lugar no Prêmio Walmap (1968); Como o Silêncio, 2º lugar no Prêmio Clube do Livro (São Paulo, 1968); Caieira (Francisco Alves, 1978), Prêmio Remington de Prosa (1977); Madona dos Páramos (Edições Antares, 1981), Prêmio Nacional da Fundação Cultural do Distrito Federal (1979); Último Horizonte (Marco Zero, 1988); A Chave do Abismo (Fundação Cultural de Cuiabá, 1986); Cerimônias do Esquecimento (EdUFMT, 1999), Prêmio Orígenes Lessa da UBE (1995); Rio Abaixo dos Vaqueiros e O Salário dos Poetas (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2001); Conjunctio Oppositorum no Grande Sertão (Secretaria de Cultura de Mato Grosso, 2002); Deus de Caim (afabrika, 2006); Toada do Esquecido & Sinfonia Eqüestre (Cathedral/Carlini&Caniato, 2006); Madona dos Páramos (reedição, Cathedral/Carlini&Caniato, 2008). Recebeu da UFMT o título de Doutor Honoris Causa, em 2004. Seu romance O Salário dos Poetas foi adaptado para teatro e apresentado em Lisboa, em 2005. Dicke faleceu em 9 de julho de 2008. Esta obra compõe uma coleção (Carlini & Caniato, 2011) com os títulos: Os Semelhantes, Cerimônias do Sertão, A Proximidade do Mar e O Velho Moço e outros contos.

Autor: Ricardo Guilherme Dicke Edição: 1ª Data de Publicação: 2011 ISBN: 978-85-8009-014-7 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 144 Gênero: Contos Editoras: Carlini & Caniato Editorial

22


O Tártaro Autor: Fabrício Moraes Sobre a obra Obra de ficção ambientada em um mundo dividido entre cientistas e religiosos que, ressentidos e separados pela guerra, constatam a ineficiência do modelo de sociedade adotado. Enquanto as religiões caminham amargamente para o esquecimento, quase reduzidas ao mítico, a ciência se mostra incapaz de substituir a espiritualidade pela crença científica. Diante da perspectiva de um futuro desolador para a fé, o líder da sociedade religiosa propõe aos homens da ciência uma expedição ao inferno, com a esperança de reunificar o mundo e restabelecer na humanidade a crença em Deus através do medo da punição eterna. Sobre o autor Fabrício Moraes, 31, é escritor e professor de informática.

Autor: Fabrício Moraes Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-63-7 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 224 Gênero: Ficção Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 28,00

23


Anônimos Autor: Fabrício Moraes Sobre a obra Um jovem casal endividado é forçado a cometer um crime em troca de alguns milhões de dólares. A aparente ausência de sentido por trás dos assassinatos somada ao anonimato dos autores das chantagens os definha emocionalmente, conduzindo-os a um horror psicológico que jamais haviam experimentado em suas vidas. Paralelamente a esse fato, o mundo assistia, impotente, o renascimento da guerra fria sob uma perspectiva ainda mais perigosa, cujo desenrolar tinha ligação com o resultado das chantagens cometidas contra o casal. Os atormentados jovens jamais reconheceriam o protagonismo que assumiriam nesse cenário de conspirações, tampouco que suas condutas teriam conseqüências globais.

Sobre o autor Fabrício Moraes, 31, é escritor e professor de informática.

Autor: Fabrício Moraes Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-83-5 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 240 Gênero: Ficção Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

24


Kuatrin Autor: Alexandre Tarelow Sobre a obra Kuatrin é uma obra de ficção, cujo personagem principal foi inspirado na “lenda da cobra grande”. Em uma luta ímpar, este personagem faz de tudo para defender seus ideais e a natureza. É um livro cheio de intrigas e ação, algumas se passam na floresta, outras na cidade. Kuatrin, o personagem que empresta seu nome ao título do livro, trava uma luta de vida ou morte, em que coloca à prova todos os seus dons...

Sobre o autor Alexandre Tarelow, 40 anos escritor. Ex-professor da rede estadual de ensino, na área de língua portuguesa, atualmente se dedica exclusivamente à literatura.

Autor: Alexandre Tarelow Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-90-3 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 224 Gênero: Ficção/Aventura Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 35,00

25


O Plano Djbóia Autor: Luís Gonçalves Sobre a obra O Plano Djibóia é um conto que apresenta as peripécias de um sujeito anônimo, cidadão mato-grossense manhoso e ardiloso que “se vira” e se move (serpenteante) pelo interior do Estado, sobretudo Cáceres, em cenas rápidas, cinematográficas. A narrativa se aproxima, intencionalmente, de um “causo” contado, registrando e valorizando traços marcantes da cultura da Baixada Cuiabana, como hábitos, festas, culinária e dialeto, além de denunciar as desigualdades e as injustiças sociais através de uma ironia sutil. O resultado é um texto leve e divertido, perfeito para desestressar o leitor atribulado.

Sobre o autor Sou pantaneiro!!!! Assim Luís Gonçalves se define ao ser perguntado de onde é. Nascido e criado na região de Cáceres, Luís Gonçalves aprendeu desde pequeno a lidar com a vida simples na beira do rio Paraguai e hoje traz para as páginas de seu livro, Plano Djibóia, o retrato da vida do homem pantaneiro no seu dia-a-dia. Em uma linguagem leve, engraçada e própria da região em que se passa a história, o Pantanal mato-grossense.

Autor: Luís Gonsalves Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-50-7 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 128 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 23,90

26


O Fervo da terra Autora: Deborah Goldemberg Sobre a obra A novela da escritora e antropóloga Deborah Goldemberg é uma epopéia sobre os migrantes gaúchos que foram para os estados do norte do Brasil em busca de novas oportunidades e os conflitos que surgiram quando eles se depararam com a “corrida do ouro” nos anos 90, acompanhada da criação de cidades e vilarejos com crescimento desordenado, o que estremeceu o equilíbrio das comunidades rurais e indígenas. Com enredo cheio de tramas que envolvem as relações familiares, a ganância do ganho rápido do dinheiro com o ouro, as paixões, a conquista moral e suas derrotas, o texto ainda tem o cunho ambiental. O prefácio é do renomado Sociólogo José de Souza Martins, Professor Emérito (2008) e Professor Titular do Departamento de Sociologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (FFLCH-USP), que recentemente lançou um livro com o mesmo tema. O texto é baseado na linguagem multiétnica e transbrasileira em que Deborah Goldemberg faz o leitor viajar nas relações sociais, nas tentações que levam até os homens mais dedicados irem à bancarrota, miseráveis conquistarem seu espaço social, brancos, negros e índios trocarem seu papel que tanto uma sociedade insiste em manter como tradição.

Sobre a autora Autora: Deborah Goldemberg

Deborah Goldemberg nasceu em São Paulo, em 1975, é antropóloga e escritora. Atuou na área de desenvolvimento local sustentável no Norte e Nordeste do Brasil durante uma década. Estreou com o livro Ressurgência Icamiaba (Selo Demônio Negro, Ed. Annablume, 2009), após publicar diversas crônicas e poemas em coletâneas. Agitadora da literatura transbrasileira e multiétnica, foi curadora do I Sarau das Poéticas Indígenas da Casa das Rosas (2009), é colunista do projeto internacional de blogueiros Global Voices e da revista eletrônica Oca das Letras. Em outubro de 2009, Deborah venceu o 4º Concurso Literário bem- Gurion na categoria Contos. Visite o blog: http://fervodaterra.blogspot.com/

Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-78-1 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Ficção Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 24,00

27


Buquê de Línguas Autora: Tereza Albues Sobre a obra Buquê de Línguas é uma publicação póstuma com quatorze contos distintos, sobre diferentes povos, lugares e costumes, sendo que o carro-chefe, conto homônimo que dá título à obra, foi premiado com Menção Honrosa no Concurso de Contos Guimarães Rosa, em Paris, 1999. Tereza Albues partiu em 2005, deixando uma herança incomensurável de obras publicadas e tantas outras inéditas, a exemplo desta edição. Aqui, a autora surpreende com amores ardentes, fúrias incontidas e paixões descabidas; assustando, pela sua veracidade, os desavisados leitores.

Sobre a autora Tereza Albues, escritora mato-grossense, graduada pela UFRJ em Direito, Letras e Jornalismo, tem quatro romances publicados no Brasil: Pedra Canga (Philobiblion: Rio de Janeiro, 1987), Chapada da Palma Roxa (Atheneu: Rio de Janeiro, 1991), A Travessia dos Sempre Vivos (Cuiabá: EDUFMT, 1993), O Berro do Cordeiro em Nova York (Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1995), sendo os três últimos lançados na Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro. Tem ainda contos publicados na antologia Na Margem Esquerda do Rio: Contos de Fim de Século (São Paulo: Via Lettera, 2002). Na França, publicou o romance A Dança do Jaguar (Paris: Editions 00h00, 2001), lançado no Salão do Livro. O romance Pedra Canga, traduzido para o inglês por Clifford E. Landers foi publicado pela Green Interger, Press (EUA, 2001). Em 1999, recebeu Menção Honrosa no Concurso de Contos Guimarães Rosa, promovido pela Radio France Internationale, de Paris, com o conto ‘Buquê de Línguas’. Seu nome consta no livro História da Literatura de Mato Grosso – Séc. XX, de Hilda Magalhães (Unicen Publicações, 2001); na Enciclopédia de Literatura Brasileira, direção de Afrânio Coutinho e J. Galante de Souza (Rio de Janeiro: FBN/DNL/Academia Brasileira de Letras, 2001); e no Dicionário Crítico de Escritoras Brasileiras, de Nelly Novaes Coelho (São Paulo: Escrituras, 2002). Faleceu no dia 5 de outubro de 2005 em Nova York, onde residia, deixando vários trabalhos inéditos.

Autora: Tereza Albues Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-58-3 Tamanho: 20,8 x13,8 cm Nº de páginas: 144 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 29,80

28


O Açougueiro Autor: Juliano Moreno Sobre a obra Juliano Moreno escreve desde a fronteira enigmática que separa a tragédia do clichê, a dor da banalização da dor. Night clubs, inferninhos, travestis, lavagem de dinheiro e abatedouros disfarçam sentimentos extremos e vidas agoniadas. Este limite entre o sofrimento e a venalidade produz um mundo de dejetos e de almas descartáveis, em que as diferenças se anulam e a vida se esfria e se banaliza. Por vezes, a dor toma formas ainda mais medonhas, por exemplo, quando Juliano se aproxima dos meninos de rua, presos em um universo sem saída, de suicídios, decadências e overdoses. Margens do Brasil, mas também fronteiras do literário, ali onde o real parece suplantar qualquer possibilidade de imaginação, onde quase se basta. A escrita de Juliano Moreno evoca, ainda, a estética limítrofe de um cineasta valente como Pedro Almodóvar, com seus filmes sobrecarregados de objetos de consumo e de cores berrantes. Ele faz, assim, um jogo esperto com o clichê que, em vez de levar à piada fácil, conduz aos subterrâneos da alma. É o que ocorre no relato sobre o atentado de 11 de setembro. Na fuga, a personagem Carlos do conto “A Sereia?!” tropeça em uma mulher gorda, que poderia ter saído de um filme de Almodóvar, mas na verdade foge da morte. A mudança de sexo também é almodovariana, já que tira da tragédia o imprevisto. Elementos inesperados, que não combinam entre si e que parecem se excluir, se unem na pena de Juliano Moreno, para traçar um retrato paradoxal, mas verdadeiro, do real. Autor: Juliano Moreno

Sobre o autor

Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-29-7

Juliano Moreno é bacharel em direito; professor universitário, mestre em história pela UFMT, escritor, produtor cultural do Projeto Palavra Aberta, e editor da revista de poesia “Fagulha”.

Tamanho: 12 x 18 cm Nº de páginas: 64 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 16,00

29


República Transatlântica ou o Estado livre de Mato Grosso Autor: Gabriel de Mattos Sobre a obra Com narrativa peculiar, o romance tem como panos de fundo acontecimentos que marcaram a história brasileira, como a proclamação da República, em 1889, e as negociações que levaram à criação da Nova República de Tancredo Neves, em 1984. A obra de ficção mostra como personagens heterogêneos interagem em momentos históricos de transformações rápidas, e muitas vezes violentas. Um funcionário público frustrado, que abandonou os estudos para ser pai de família e quer participar do comício das Diretas Já, mas teme retaliações; grupo de teatro Paiaguás Suicidas, que aproveita o momento para apresentar suas irreverências, inclusive a “nova e verídica bandeira brasileira”; a burguesinha ingênua que namora um traficante; policiais que consideram mais relevante a repressão aos comunistas do que a guerra contra o tráfico. Estes são alguns personagens da parte da obra sobre a redemocratização do país, com destaque para a movimentação em torno de dois comícios realizados em 1984, em Cuiabá: o das Diretas Já, e o de Paulo Maluf, candidato indireto à presidente.

Sobre o autor Gabriel de Mattos, é mato-grossense nascido em Minas Gerais, participa desde 1988 de várias revistas, como Vôte!, Verso & Prosa, HQ Express e Canalha!, publicando artigos, contos, histórias em quadrinhos e crônicas; além de ter cartuns editados no antigo O Pasquim e participado como desenhista do Salão Jovem Arte Mato-Grossense. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, é arquiteto, professor universitário e mestre em Educação; tem obras incluídas na coletânea Na margem esquerda do rio: Contos de fim de século (Via Lettera, 2002). Tem publicados os livros A Geringonça (Via Lettera, 2002), República Transatlântica (Carlini & Caniato, 2005) e Quadricrônicas (EdUFMT, 2005). Em parceria com Ricardo Leite, lançou o álbum de histórias em quadrinhos Destino: Oeste (TantaTinta, 2005).

Autor: Gabriel de Mattos Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-02-5 Tamanho: 22 x 21,5 cm Nº de páginas: 220 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 26,00

30


Doce Irresponsabilidade Autor: Gabriel de Mattos Sobre a obra Neste novo romance, Gabriel de Mattos apresenta uma série de personagens enfrentando a barra de crescer, amadurecer e ser feliz, num tempo em que o prazer e o comprometimento social quase entram em conflito. Estudar, curtir, desbundar, pôr o pé na estrada, construir, procurar seu lugar no mundo enquanto o universo muda...

Sobre o autor Gabriel de Mattos, é mato-grossense nascido em Minas Gerais, participa desde 1988 de várias revistas, como Vôte!, Verso & Prosa, HQ Express e Canalha!, publicando artigos, contos, histórias em quadrinhos e crônicas; além de ter cartuns editados no antigo O Pasquim e participado como desenhista do Salão Jovem Arte Mato-Grossense. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, é arquiteto, professor universitário e mestre em Educação; tem obras incluídas na coletânea Na margem esquerda do rio: Contos de fim de século (Via Lettera, 2002). Tem publicados os livros A Geringonça (Via Lettera, 2002), República Transatlântica (Carlini & Caniato, 2005) e Quadricrônicas (EdUFMT, 2005). Em parceria com Ricardo Leite, lançou o álbum de histórias em quadrinhos Destino: Oeste (TantaTinta, 2005). Autor: Gabriel de Mattos Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-12-2 Tamanho: 22 x 215 cm Nº de páginas: 284 Gênero: Romance Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 32,00

31


Remedeia Co Que Tem Autor: Milton Pereira de Pinho (Guapo) Sobre a obra Esta obra é uma pesquisa de 40 anos do cantor e compositor Milton P. Pinho (Guapo) que buscou e levantou toda geologia e antropologia da música mato-grossense de raiz e também das inflluências acontecidas no processo histórico. Em sua visão divisionária em “Autóctone”, “Platina” e “Influência de Outros Estados”, o autor apresenta um quadro panorâmico do mosaico da cultura musical de Mato Grosso, a qual se formou nos quase 300 anos de história. Por outro lado, traz também a origem e o desenvolvimento histórico de cada corrente das grandes expressão musicais como o Jazz, Tango, Rock, Bossa Nova, Hip Hop, Música Sertaneja, entre outras também presentes no desenvolvimento musical atual, com seus respectivos representates. A publicação traz ainda biografias de notáveis compositores que moldaram a trilha musical na formação do Estado, bem como de pequenos musicos que passaram pela história com seu humilde trabalho, e que hoje praticamente estão esquecidos. Um livro pra se conhecer e entender a cultura musical mato-grossense.

Sobre o autor Milton Pereira de Pinho (Guapo) nasceu em Cáceres – MT. É cantor, compositor, pesquisador, produtor, diretor musical e consultor técnico de cultura. Foi o primeiro músico mato-grossense a representar o Estado no evento “Mato Grosso State Cultural” realizado em novembro-2005 em Washington-DC com o show-recital: Searching For The Lost River, fechando a quinzena cultural de Mato Grosso nos Estados Unidos.

Autor: Milton Pereira de Pinho (Guapo) Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-910555-0-0 Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 192 Gênero: História da Música Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 45,00

33


Cuba de Che – 50 anos depois da revolução Autores: Izan Petterle e Frans Glissenaar Sobre a obra Cuba de Che – 50 anos depois da Revolução é o resultado de uma viagem a Cuba pelo fotógrafo Izan Petterle e o jornalista Frans Glissenaar, entre abril e maio de 2008. Juntos, o jornalista holandês e o fotógrafo brasileiro seguiram o percurso da guerrilha de Che Guevara através do país, durante a revolução cubana. Os textos da publicação nos conduzem pelo presente e passado, viajando por Cuba após 50 anos do término da revolução. O texto inclui transcrições históricas e ainda relatos extraídos do Diário que Che escreveu durante a campanha revolucionária. As fotografias transcendem o documental. São arte, texto visual dentro de um contexto. Saciam a curiosidade imediata e instigam o leitor ao prazer da reflexão.

Sobre os autores Izan Petterle (Alegrete-RS, Brasil, 1956) é um dos mais importantes colaboradores da National Geographic Brasil, atuando na revista desde seu lançamento no país, em maio de 2000. O ineditismo e riqueza de seu trabalho já lhe renderam três primeiros lugares do Prêmio Abril de Jornalismo 2000, 2001 e 2007, na categoria Reportagem Fotográfica. O editor da revista, Ronaldo Ribeiro, refere-se ao seu trabalho da seguinte maneira: “Os anos de andanças fizeram dele um documentarista sensível e objetivo. Os personagens que documenta exaltam suas raízes, fé, sentimentos. Eles ostentam a expressão e a vitalidade dos trópicos”.

Autores: Izan Petterle (fotografias) e Frans Glissenaar (textos) Edição: 1ª Data de Publicação: 2008

Frans Glissenaar (Montfoort, Holanda, 1960) é jornalista freelancer há mais de 25 anos. Trabalhou em revistas, jornais e programas de televisão em seu país. Na função de jornalista, viajou várias vezes para a Ásia (Indonésia, Vietnã) e pelo continente latino-americano. Produziu no Brasil, com Izan Petterle, reportagens para a edição holandesa da revista National Geographic.

ISBN: 978-85-99146-62-0 Tamanho: 28 x 18 cm Nº de páginas: 144 Acabamento: Capa dura Gênero: Fotografia/História/Arte/Aventura Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 89,00

34


Ofício e Arte: fotógrafos e fotografia em Mato Grosso – 1860 – 1960 Autor: João Antonio Botelho Lucidio Sobre a obra Oficio e Arte é um estudo sobre alguns dos fotógrafos que passaram ou viveram em Mato Grosso entre 1860 e 1960. Não é um apanhado de pequenas biografias, mas uma reflexão de aspectos e momentos da história mato-grossense a partir das lentes e olhares perspicazes e, às vezes ingênuos, de homens que, enfrentaram o sertão em lombos de burros, navegando rios, em boleias de caminhões, ou em pequenos aviões, e deixaram registros em imagens fotográficas de situações, eventos, pessoas, obras e paisagens.

Sobre o autor João Antonio Botelho Lucidio é professor do Departamento de História da Universidade Federal de Mato Grosso. Graduado em História pela Universidade Federal de Ouro Preto, mestre pela Universidade Federal Fluminense e doutorando pela Universidade Nova de Lisboa. Filho de pai baiano e de mãe maranhense - personagens anônimos, como a maioria dos milhares de migrantes - que vieram tentar a sorte nos garimpos de diamantes do antigo leste mato-grossense, na primeira metade do século XX. Nos últimos cinco anos, João Antonio tem dedicado muito de seu tempo a localizar e organizar acervos fotográficos, tanto de instituições, como coleções privadas (de famílias). Entre os trabalhos de maior vulto, coordenou os seguintes projetos: Conservação e Digitalização do Acervo Iconográfico Lázaro Papazian; Memórias do Saber: Digitalização das Imagens da Comissão Rondon em Mato Grosso; Conservação do Acervo Iconográfico da Casa dos Jesuítas em Mato Grosso; além de ter identificado e digitalizado os acervos das famílias relacionados: João Antonio Neto e Eva Balbino Guimarães; Henrique e Honorina Gaspar Silva; Wivaldo Moreira; João e Iraídes Rezende Carolino; Inocêncio Teixeira; Alice Cavalcante de Almeida; Pedro Ferrer; e Sebastiana Soares Adorno, todos de Guiratinga. O trabalho de João Antonio é fruto de longa pesquisa e de um conjunto de reflexões teóricas e, em certa medida, dialoga com diversos autores que, nos últimos tempos, têm se debruçado sobre o estudo do uso das imagens na produção do conhecimento em História.

Autor: João Antonio Botelho Lucidio Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-59-0 Tamanho: 22 x 31 cm Nº de páginas: 256 Acabamento: Capa dura Gênero: História, Fotografia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 128,00

35


Aldeia de Minas Autores: César Saullo e Regis de Morais Sobre a obra O encontro da fotografia com a poesia. Uma contemplando a outra. Ambas contemplando Minas Gerais e a vida de seus aldeões. Idealizada por dois mineiros apaixonados por suas raízes, a obra traz com simplicidade aquilo que é simples por natureza: os quintais, o cheiro das panelas, os fogões a lenha, a lembrança da infância vivida, a música do carro-de-boi e, principalmente, a gente humilde e hospitaleira.

Sobre os autores César Saullo é mineiro de Passa Quatro, nascido em 1952. Formado em Turismo, fotógrafo e empresário, segue tendo na fotografia algo como um sentido essencial de viver. Tem feito exposições fotográficas, possui vários trabalhos publicados em livros, revistas e jornais. Todo o seu acervo fotográfico encontra-se no Hotel Pousada São Rafael, em Passa Quatro. Regis de Morais é mineiro, nasceu em Passa Quatro, em 1940. Desde então, vive um caso de amor com a beleza de sua terra e adjacências. Não se lembra de quando a poesia estourou pelo seu ser; mas precisou aprender com os grandes mestres a técnica poética. Formado em Filosofia Social, Doutor em Educação e Livre Docente em Filosofia da Educação, trabalhou em três grandes universidades do Estado de São Paulo. Em suas freqüentes visitas a Passa Quatro, iniciou fecunda convivência com César Saullo (o poeta do olhar) e seus familiares.

Autores: César Saullo e Regis de Morais Edição: 3ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-46-0 Tamanho: 21 x 21 cm Nº de páginas: 80 Acabamento: Capa dura Gênero: Fotografia/Poesia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 48,90

36


Chapada dos Guimarães – jardim do cerrado Autor: Wieslaw Jan Syposz Sobre a obra A obra em produção bilíngüe traz em média 210 fotos, proporcionando aos olhos do leitor um passeio pelos detalhes da plasticidade das flores, frutos, sementes, beija-flores, libélulas, paisagens, cachoeiras, borboletas e outras belezas naturais de Chapada do Guimarães, em Mato Grosso. A obra, do gênero – arte/fotografia – ainda apresenta a denominação popular e científica da flora fotografada, podendo servir como informação técnica para pesquisas na área.

Sobre o autor Wieslaw Jan Syposz nasceu na cidade polonesa de Bystrzyca Klodzka e atualmente reside em Cuiabá – Mato Grosso. Pesquisa e registra imagens da natureza há mais de 20 anos. Já viajou o mundo fotografando e se encantou, de maneira especial, com as belezas naturais de Mato Grosso, tendo alguns trabalhos publicados em revistas brasileiras. O fotógrafo chegou ao Brasil, em 1989, interessado em conhecer o Pantanal. Atraído, sobretudo, pela fauna – especialmente as aves, publicou o livro Aves do Pantanal e do Cerrado de Mato Grosso (Cuiabá: Carlini & Caniato, 2005), um sucesso de vendas em nível nacional. Foi para Mato Grosso do Sul e depois para Mato Grosso, onde se encontra atualmente radicado. Em meio a uma pluralidade de cenários possíveis, num estado que ainda possui uma natureza exuberante, seu olhar deteve-se sobre Chapada dos Guimarães, distante 67 km de Cuiabá. Ao perambular pela região, Wieslaw apaixonou-se imediatamente pelo Cerrado, com sua diversidade de plantas e animais, paisagem diferenciada e pelos paredões da Chapada dos Guimarães.

Autor: Wieslaw Jan Syposz Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-34-7 Tamanho: 21x28 cm Nº de páginas: 128 Acabamento: Capa dura Gênero: Fotografia/Arte/Turismo Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 80,00

37


Transpantaneira – passarela de fauna e flora Autor: Marcos Vergueiro Sobre a obra A obra apresenta fotografias inéditas de Marcos Vergueiro em seu ensaio pela rodovia Transpantaneira, uma rodovia singular, que corta em seus 145 km uma planície que permanece submersa à água da “cheia” durante pelo menos quatro meses do ano, período em que, se por um lado a fauna se dispersa, ocorre uma verdadeira “explosão” de cores da flora, principalmente a aquática, regada pela água abundante. Assim como o vai e vem das águas do pantanal estabelecem um ciclo de vida, os olhos do leitor podem apreciar as páginas deste livro nas investigativas de cores, formas e comportamentos. A leitura não é unidirecional, e nem poderia ser, em se tratando de desvendar o pantanal mato-grossense.

Sobre o autor Marcos Vergueiro nascido em Araçatuba–SP, radicado em Cuiabá-MT desde a década de 70. Abandonou uma promissora carreira na área de topografia, para dedicar-se à sua maior paixão – a FOTOGRAFIA, profissão que escolheu com o coração. Seus primeiros trabalhos foram na área do cerrado mato-grossense, na década de 80, com um ensaio fotográfico sobre a Expedição Langsdorff –“Os rochedos da Chapada”. Participou de várias exposições individuais e coletivas no Estado de MT. Participou de uma Exposição em Petrópolis-RJ na ECO-90, apresentando o seu trabalho sobre a Expedição Langsdorff – “Os Rochedos da Chapada”. Conquistou o 1º lugar no Concurso da AMAV em parceria com a Prefeitura Municipal de Cuiabá - “Revelando Cuiabá”. Conquistou o 1º lugar – Categoria Profissional - no I Salão Mato-grossense de Fotografia, realizado pelo SEBRAE-MT. Mais tarde, especializou-se em foto-publicitária, obras, e aéreas. Possui um dos mais completos e requisitados bancos de imagens e de maior quantidade de cromos digitalizados do Estado de Mato Grosso.

Autor: Marcos Vergueiro Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-18-1 Tamanho: 27,5 x 25 cm Nº de páginas: 104 Acabamento: Capa dura Gênero: Fotografia/Arte/Turismo/Fauna/Flora Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 72,00

38


Poconé Terra de um Povo Pantaneiro Autor: Marcos Bergamasco Sobre a obra Cada fotógrafo possui um feeling especial através do qual se singulariza, manifestando seu potencial criativo ao retratar paisagens, objetos, pessoas... O talento de Bergamasco se sobressai na difícil captura do que poderia se denominar “espírito do instante”, revelando-o pictograficamente.

Sobre o autor Marcos Bergamasco começou a trabalhar como repórter fotográfico em Maringá-PR, em 1985, no jornal Diário do Norte do Paraná. Trabalhou na Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Maringá, durante quatro anos. Em 1987, transferiu-se para Cuiabá-MT, onde trabalhou no Diário de Cuiabá por três anos. Em 1994, foi convidado a montar a equipe do jornal Folha do Estado, também em Cuiabá, onde trabalhou durante sete anos como editor, tornando-se o primeiro editor de fotografias de Mato Grosso. Em 2003, integrou a equipe da Secretaria de Estado de Comunicação Social de Mato Grosso (Secom-MT) durante quatro anos. Ingressou no Tribunal de Justiça de Mato Grosso, em 2007, e, desde janeiro de 2008, trabalha no Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso. Em 2001, montou a Agência Phocus, a primeira agência de fotografias do Estado de Mato Grosso. É fotógrafo da agência Folhapress desde 2002. Autor: Marcos Bergamasco Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-88-0 Tamanho: 24 x 17 cm Nº de páginas: 96 Acabamento: Capa dura Gênero: Fotografia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 40,00

39


Um olhar sobre a mulher Nambiquara Organizadores: Anna Maria Ribeiro F. Moreira da Costa José Eduardo F. Moreira da Costa

Sobre a obra Essa delicada caixinha é um recorte temático da passagem da expedição chefiada por Cândido Mariano da Silva Rondon em terras Nambiquara. A obra reproduz uma parte do acervo do Museu do Índio, da Fundação Nacional do Índio, e desenhos a nanquim de artefatos do cotidiano (objetos mágicos, lúdicos, de guarda de alimentos e de transporte), em especial, aqueles destinados ao sexo feminino. As lentes dos fotógrafos-expedicionários Leduc, Thomaz Reis, Benjamin Rondon e José Louro, e os desenhos, registram e enaltecem a beleza étnica da mulher Nambiquara e o modo como os frutos de seu trabalho se manifestam.

Sobre os organizadores Anna Maria Ribeiro F. Moreira da Costa é graduada em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, com especialização e mestrado na mesma área pela universidade Federal de Mato Grosso. Em 1982 chegou a Mato Grosso para trabalhar com os grupos Nambiquara do Cerrado, como professora, onde permaneceu até 1988. Na Fundação Nacional do Índio, em Cuiabá, trabalha em pesquisa etno-históricas e no inventário do conjunto documental da instituição. É membro do Instituto Histórico e Geográfico de mato Grosso e professora do Centro Universitário UNIVAG. Organizadores: Anna Maria Ribeiro F. Moreira da Costa

José Eduardo F. Moreira da Costa é Indigenista da Fundação Nacional do Índio desde 1979. Desse o ano até 1988 morou entre os índios Nambiquara, desenvolvendo atividades direcionadas à auto—sustentação e à garganta territorial. Nos anos seguintes, 1988-1989, conviveu com os índios Potiguara, no Estado da Paraíba, onde realizou estudos sobre cultura material e imaterial. Dessa pesquisa originou-se a obra Potiguara Cultura Material, editada pela Secretaria de Cultura do Estado da Paraíba. Da década de 1990 até a presente data, realiza diversas atividades nas áreas de educação, cultura, meio ambiente e regularização fundiária de diferentes grupos indígenas localizados no Estado de Mato Grosso, dentre eles, o Chiquitano. O trabalho com o povo Chiquitano rendeu a publicação da obra A Coroa do Mundo – religião, território e territorialidade Chiquitano (2006).

e José Eduardo F. Moreira da Costa Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 Tamanho: 10 x 15 x 2 cm Nº de páginas: 32 Gênero: Antropologia e Cultura Indígena Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

40


Iconografia das águas: o rio e suas imagens Autor: José Serafim Bertoloto Sobre a obra A diversidade das relações tecidas entre natureza e homem vão sendo descobertas a partir de material investigado sobre as imagens do rio Cuiabá feitas pelos artistas plásticos da região e de uma bibliografia sobre natureza, paisagem, mimetismo, imaginário, estética, arte e história da arte. As formas de entender esta natureza são várias e configuradas como semiose de pensamento diagramal em fluxão; implicam inexoravelmente na percepção e construção do próprio mundo, – concebe-se aqui o mundo construído com e através das imagens. As imagens catalogadas são elementos iconográficos que estão fortemente inseridos no quadro mimético e na matriz imaginária dos artistas desta região. Mesmo desenhadas com fortes pinceladas regionais, o resultado é um argumento que não se encontra dissociado de uma linha universal de percepção imaginária sobre todas as paisagens, e com especificidade as aquáticas. O que se apresenta aqui é uma discussão em estado de inquietação, que ganhou forma e corpo de tese.

Sobre o autor José Serafim Bertoloto é artista plástico, bacharel e licenciado em História, pela Universidade Federal de Mato Grosso; especialista em Estudos em Museu de Arte, pelo Museu de Arte Contemporânea da USP; mestre em Artes, pela Escola de Comunicação e Artes da Universidade de São Paulo; doutor em Comunicação e Semiótica, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Docente da Universidade de Cuiabá, pesquisador e curador do Museu de Arte e de Cultura Popular da Universidade Federal de Mato Grosso, desde 1983. Participou como júri em vários Salões de Artes; possui diversos textos críticos sobre a produção iconográfica matogrossense e é autor do livro Clóvis Irigaray: arte, memória, corpo (2001).

Autor: José Serafim Bertoloto Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-30-0 (Carlini & Caniato) 85-88504-20-0 (Cathedral Publicações) Tamanho: 21,5 x 28,8 cm Nº de páginas: 168 Gênero: Tese Dissertação Semiótica/Artes Plásticas Editoras: Carlini & Caniato Editorial e Cathedral Publicações Preço: R$ 68,00

41


Enawenê-Nawê primeiros contatos (diário de campo) Autor: Thomaz de Aquino Lisbôa “Jaúka”

Sobre a obra A obra é muito mais do que um relato (diário de campo) do então missonário Thomáz, é um verdadeiro registro histórico sobre o contato e a convivência com os índios Enawenê-Nawê de Mato Grosso e sobretudo pela proposta de uma nova política de atuação missionária pela qual o autor lutou. Em 1962, Thomaz foi escalado para ser mestre por três anos junto à Missão Anchieta, no internato indígena de Utiariti, no noroeste de Mato Grosso, a 600 km de Cuiabá. Thomaz e os jesuítas tinham a missão de cristianizar e civilizar. Responsável por 35 meninos de diferentes etnias, com idades entre sete e doze anos, distanciados de suas famílias por inúmeras razões, ele observou que aquele modelo de missão estava totalmente equivocado e percebeu que deveriam ter a oportunidade de serem criados e educados de acordo com suas culturas, por suas respectivas famílias e em suas próprias terras. A narrativa histórica dos primeiros contatos com o povo Enawenê-Nawê assume relevâncias, por ser uma iniciativa rara de um contato planejado, cauteloso e vivenciado na prática por equipes que sempre se comprometeram com o calendário e a lógica cultural Enawenê. Em 28 julho de 1974, dia oficial do contato pacífico, 97 pessoas compunham aquela sociedade. Hoje, mantendo espetacularmente sua cultura e dignidade, são 600 Enawenê-Nawê. Autor: Thomaz de Aquino Lisbôa “Jaúca” Edição: 1ª

Sobre o autor

Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-010-9

Thomaz de Aquino Lisbôa nasceu em Itapetininga-SP, em 1936, é o 12º filho de uma família de 14 irmãos. Tornou-se jesuíta para trabalhar entre os índios de Mato Grosso. Outros dois irmãos também se tornaram jesuítas: José Pedro e Paulo. Foi vice-presidente do CIMI – Conselho Indigenista Missionário. Atuou junto aos povos Rikba-ktsa, Tapayuna, Nambikwara, Irantxe. Coordenou a equipe da Missão Anchieta que estabeleceu contato com os povos Myky (1971) e Enawenê-Nawê (1974). Em 1987 casou-se com uma jovem Myky, Njãkau. Tem um casal de filhos e três netos. Mora na aldeia Japuíra do povo Myky, a 50 Km de Brasnorte-MT.

Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 112 Gênero: Depoimento histórico e antropológico Editoras: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 24,00

43


Trajetórias de Vidas na História Organizadores: Fernando Tadeu de Miranda Borges, Maria Adenir Peraro e Viviane Gonçalves da Silva Costa

Sobre a obra O livro constitui-se numa coletânea que tem o fito de descrever o cenário histórico através de biografias ou de parcelas da vida de algumas pessoas escolhidas por cada um dos autores, segundo critérios que, com grande probabilidade, dizem sobre a realidade que hoje é circundante e sobre os interesses desses autores. São 24 (vinte e quatro) artigos, mais a apresentação e uma reminiscência.

Sobre o autor Fernando Tadeu de Miranda Borges, nasceu em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Graduado em Economia pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Mestre em Economia e Doutor em História Social pela Universidade de São Paulo (USP). Diretor da Faculdade Economia e Docente do Mestrado em Agronegócios e Desenvolvimento Regional e do Mestrado em História da UFMT. e-mail: ferbormi@uol.com.br. Maria Adenir Peraro, nasceu em Apucarana, Paraná, Brasil. Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre e doutora pela Universidade Federal do Paraná (UFPR). Professora do Departamento de História/UFMT. Coordenadora do Grupo de Pesquisa “Instituições, Famílias e Memória” (UFMT-CNPQ). e-mail: adeperaro@ hotmail.com.

Organizadores: Fernando Tadeu de Miranda Borges, Maria Adenir Peraro e Viviane Gonçalves da Silva Costa Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-61-3 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0308-8 (EdUFMT)

Viviane Gonçalves da Silva Costa, nasceu em Cuiabá, Mato Grosso, Brasil. Graduada em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Mestre pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Colabora no arranjo, organização e catalogação do acervo documental do Arquivo do Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE-MT). e-mail: vivianehis@hotmail.com.

Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 512 Gênero: História Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 28,00

44


Prosas com Governadores de Mato Grosso 1966-2006 Autor: Fernando Tadeu de Miranda Sobre a obra Prosas com governadores de Mato Grosso possibilita que gerações de hoje e do futuro conheçam, pelas teias do mental, aqueles que, por um período, compuseram o poder executivo regional. Aqui, as descontraídas prosas revelam visões pessoais de governadores de osso e tutano, envoltos numa estrutura com profundas heranças do passado colonial, que discorrem, através de um olhar do presente, sobre temas sociais, econômicos e, obviamente, políticos.

Sobre o autor Fernando Tadeu de Miranda Borges nasceu em Cuia¬bá, Mato Grosso, Brasil (1958). Graduado em Economia e Especialista em Economia Agrária pela UFMT. Mestre em Economia pela FEA-USP e Doutor em História Social pela FFLCH-USP. Coordenador da Editora da UFMT (EdUFMT) entre os anos de 1992 a 1998. Professor do Departamento de Economia e nos Mestrados em Economia e História da UFMT. Professor Presencial do Curso de Especialização em Desenvolvimento Regional Sustentável do Banco do Brasil (DRS-BB), na modalidade Educação a Distância. Participa da Linha de Pesquisa - Desenvolvimento Regional do Mestrado em Economia da UFMT e da Linha de Pesquisa - Fronteiras, Identidades e Transculturação do Mestrado em História da UFMT. Coordena o Projeto de Pesquisa “O Estradeiro como pretexto para compreender a Economia, a Política e o Estado Mato-Grossense na atualidade”. Diretor para Assuntos Sócio-Culturais da Associação de Docentes da UFMT (ADUFMAT). Publicações: Do Extrativismo à Pecuária: Algumas Observações sobre a História Econômica de Mato Grosso. 1870-1930 (3ª ed. rev., São Paulo: Scortecci, 2001), Economia Brasileira: Posições Extremas (Cuiabá: Genus, 1992) e Esperando o Trem: Sonhos e Esperanças de Cuiabá (São Paulo: Scortecci, 2005). Organizador das Coletâneas Mulheres e Famílias no Brasil. Cuiabá: Carlini e Caniato Editorial, 2005 e Sonhos e Pesadelos na História. Cuiabá: EdUFMT e Carlini e Caniato Editorial, 2006.

Autor: Fernando Tadeu de Miranda Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-39-2 Tamanho: 15, 8 X 22 cm Nº de páginas: 262 Gênero: História/Política Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 30,00

45


Pronto Socorro - O segundo diagnóstico Autora: Iraci Lukenczuk Said Sobre a obra Uma corajosa, precisa e sensível radiografia de um Pronto Socorro revela as “fraturas”, “tumores” e “infecções generalizadas” da unidade de saúde que é o retrato do caos desse serviço público em todo o Brasil. “Pronto Socorro...” é, portanto, um dos mais corajosos relatos sobre as contradições da relação entre dirigentes, médicos, funcionários e pacientes na saúde pública brasileira. Ele descreve com precisão e sensibilidade o dia-a-dia da doutora Iraci Lukenczuk Said, que ocupou por vários anos o cargo de Direção Clínica em uma instituição pública de Saúde.

Sobre a autora Iraci Lukenczuk Said é médica com residência em Pediatria, pós-graduação em Medicina do Trabalho e especialização em Gestão Pública. Atualmente é major médica da Polícia Militar do Estado de Mato Grosso e membro da Academia Nacional de Saúde das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares do Brasil, onde ocupa a cadeira nº 36. Foi Diretora Clínica do Pronto Socorro Municipal de Cuiabá entre 2003 e 2007.

Autora: Iraci Lukenczuk Said Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-48-7 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 144 Gênero: Depoimento Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 22,00

46


Do Rádio ao Telejornalismo: a trajetória de um aprendiz Autor: Elias Neto Sobre a obra A trajetória de um aprendiz no fascinante mundo da notícia. Realizações e desilusões vividas por quem é parte da história do rádio e da televisão mato-grossenses no fim do século XX e começo do XXI. Um convite à reflexão sobre a prática cotidiana da nobre missão de informar.

“No meio jornalístico, correspondentes em geral costumam viajar de avião, navio, helicóptero,... Eu, o Correspondente Difusora, no entanto, tinha como meio de transporte uma bicicleta...” (ELIAS NETO). A principal característica desta obra são os planos paralelos entre o desenvolvimento do rádio em Mato Grosso e a trajetória do autor, que começou ainda menino. Contando sua caminhada, as informações e suas reflexões mostram que foram organizadas por um jornalista. Os períodos curtos, os tempos verbais, os adjetivos precisos são demonstrativos.

Sobre o autor Elias Neto nasceu em Cáceres-MT, em 1959. Fez faculdade de Jornalismo pelo Instituto de Ensino Superior de Várzea Grande-MT (IVE). Foi aluno de escola pública até o antigo 2º Grau. Ingressou na profissão em 1979, na rádio Difusora de Cáceres, como locutor noticiarista e animador de programas. Mudou-se para a rádio Cultura de Cuiabá, em 1982. Passou também pela rádio Vila Real e TV Brasil Oeste. Foi para a TV Centro América, afiliada à rede Globo, em 1984, como Editor Apresentador e depois Editor Chefe e Apresentador. Entrou para a história como o primeiro apresentador que ultrapassou duas décadas no mesmo telejornal, em Mato Grosso. É pós-graduado em Didática do Ensino Superior; professor universitário e Mestre de Cerimônia. Ministra cursos de Oratória. Já recebeu diversos prêmios, entre eles o Troféu A Crítica Mérito Rondon, por duas vezes, como melhor apresentador de televisão.

Autor: Elias Neto Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-57-6 Tamanho: 20,8 x 13,8 cm Nº de páginas: 160 Gênero: Comunicação/Jornalismo/Biografia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

47


Tempestade no Cerrado Autor: Anton Hubber Sobre a obra Tempestade no Cerrado traz o relato autobiográfico de um trecho da intensa e fascinante vida do suíço Anton Huber, um dos fundadores da cidade de Lucas do Rio Verde-MT. Mostra, com riqueza de detalhes e provas documentais, os deslocamentos, as dificuldades, a tenacidade e a coragem de desbravadores que, em pleno século XX, vivenciaram uma autêntica saga, típica de narrativas lendárias em prol de uma política de (des)envolvimento do Governo Federal.

Sobre o autor Anton Huber nasceu em 1933, como primogênito de um pequeno agricultor suíço. Fez o curso ginasial na escola cantonal da região. Em 1951, sua família de 11 membros imigrou para o Brasil. Trabalhou como agricultor em Itapetininga-SP, na propriedade de seu pai. Convencido da importânica do solidarismo, filiou-se a cooperativas rurais. Em 1965, já casado, transferiu-se para Paranapanema, onde ingressou na Cooperativa de Colonização Holambra, como produtor rural. Lá, dedicou-se ao associativismo, participando ativamente dos assuntos funcionais e culturais da comunidade. Naturalizou-se brasileiro. Como já havia feito em Itapetininga, fundou um coral polifônico misto, ensaiando-o em suas horas vagas e atuando como regente em suas apresentações, até concluir 25 anos de prática regencial. Sua atividade agrícola teve grande expansão produtiva, em meio a altos e baixos. Ligou-se a um grupo de agricultores que pretendia criar um projeto de colonização em Mato Grosso. Em 1981, foi eleito presidente da Cooperlucas e, em 1982, participou ativamente da fundação de Lucas do Rio Verde. Em 1989, as cooperativas de Mato Grosso confiaram-lhe a direção da Organização das Cooperativas (Ocemat), em Cuiabá-MT. Presidiu a entidade por 10 anos. Defendeu, especialmente, os seguimentos de trabalho e de crédito tanto rurais como urbanos, além de todo o cooperativismo. Como representante de Mato Grosso, foi eleito vice-presidente da OCB nacional, em Brasília. Na ausência do titular, ficou por alguns dias no cargo da presidência.

Autor: Anton Huber Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-79-8 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 368 Gênero: História/Narrativas pessoais Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 38,00

48


O vôo nos garimpos na Amazônia Autor: Luiz J. Mendonça Sobre a obra O vôo nos garimpos da Amazônia nos coloca diante da paixão de Luiz J. Mendonça pela aviação, de suas dificuldades e sucessos profissionais. Acima de tudo, o autor narra a saga de um piloto que testemunhou parte da grande degradação que vem ocorrendo através dos últimos 40 anos num dos maiores ecossistemas da terra: a região amazônica. Assim, este vôo, leva em suas asas, a aventura por um capitulo da rica história Brasileira. A obra O vôo nos garimpos da Amazônia pertence a coleção Ipê Roxo direcionada a professores e alunos da educação de jovens e adultos (EJA) e a todos aqueles que se interessam pelo assunto.

Sobre o autor Luiz J. Mendonça nasceu em Taquaritinga-SP. É aviador desde os 25 anos. Com seus 45 anos de carreira e mais de 20.000 horas de vôo como piloto, conheceu vários países sulamericanos e, principalmente, toda a Amazônia brasileira, onde voou por mais de três décadas. Pilotou aviões como o Cessna 182 Skylane, 185 Skywagon, 206 Stationair e o 310 bimotor; Bonanza; Baron; Heron De Havilland (quadrimotor); Piper Aztec, Apache, Sêneca, Minuano; Douglas DC-2 e DC-3, entre outros.

Autor: Luiz J. Mendonça Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-43-9 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 301 Gênero: Narrativas pessoais Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 38,00

49


Aecim Tocantins: da contabilidade à vida pública Autor: Ivan Echeverria Sobre a obra A publicação apresenta a vida e as obras do professor Aecim Tocantins, tendo como fio condutor sua trajetória desde os estudos iniciais em contabilidade e seu intenso percurso pela vida pública. O livro, sobretudo, demonstra o valor desse ilustre cuiabano que, aos 83 anos de idade, continua com o mesmo vigor de moço na contribuição do seu trabalho. É registrada a história por ele contada sobre seus antecedentes e descendentes, parentes colaterais, afilhados e amigos próximos. Ressalta suas atividades de contador trabalhando como autônomo em empresas da iniciativa particular e em instituições: Senac e Sesc. Foi auditor credenciado junto a órgãos públicos, tendo também atuado em auditoria de organizações empresariais. Foi honrado com a sua eleição para a cadeira nº 37, da Academia Brasileira de Ciências Econômicas, Políticas e Sociais. É um lídimo representante da Classe Contábil em Mato Grosso.

Sobre o autor Ivan Echeverria é mestre em Educação, pela Universidade de Cuiabá - UNIC. Pós-graduado em Contabilidade Empresarial. Curso de Aperfeiçoamento em Metodologia e Didática do Ensino Superior. Bacharel em Ciências Contábeis, graduado pela Universidade Federal de Mato Grosso UFMT. Pesquisador cadastrado no CNPq e FAPEMAT. Professor da Faculdade de Administração, Economia e Ciências Contábeis - FAECC, da UFMT. Professor, Coordenador do Curso de Ciências Contábeis e foi diretor da Faculdade de Ciências Contábeis e Econômicas, da Universidade de Cuiabá – UNIC, período de 1993 a 2005. Sócio da Organização Contábil “AP – Auditores e Consultores Associados Ltda.” Possui artigos publicados em jornais, revistas e anais de congressos nas áreas das Ciências Contábeis e Educação. Aposentado como superintendente estadual de Mato Grosso, no Banco do Brasil. Co-autor da obra Coleção Série Monográfica, com o capítulo: “Mercado Financeiro, Aplicações, Produtos e Serviços Bancários”, editada pela EdUNIC, em 1997. Co-autor da obra Agenda Legislativa Sistema Contábil Brasileiro, editada pelo CFC, em 2003. Co-autor da obra Gestão e Políticas da Educação, Biblioteca ANPAE, em 2004. Membro do Instituto Histórico e Geográfico de Várzea Grande, em Mato Grosso

Autor: Ivan Echeverria Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-21-1 Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 160 Gênero: Biografia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 50,00

50


Manuel de Barros O Demiurgo das Terras Encharcadas Educação pela Vivência do Chão Autora: Cristina Campos Sobre a obra O livro é fruto de tese de doutorado, na Usp, defendida em 2007. Apresenta uma leitura das imagens simbólicas presentes na obra do poeta Manoel de Barros e sua ancoragem mítica, exercitando o “abraço solidário” proposto por Edgar Morin, ou seja, uma bricolagem teórica, num exercício transdisciplinar, destacando-se a Antropologia do Imaginário, do francês Gilbert Durand, e o pensamento complexo, de Edgar Morin. No capítulo final considerações acerca da Educação, sugerem algumas técnicas para que o leigo (ou neófito) seja iniciado na obra de Manoel de Barros.

Sobre a autora Cristina Campos é graduada em Letras e mestra em Educação, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT, 1983; 1997); e doutora em Educação, pela Universidade de São Paulo (USP, 2007). Leciona Língua Portuguesa e Literatura no Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Mato Grosso – Campus Cuiabá. Publicou o livro Pantanal Mato-grossense: o Semantismo das Águas Profundas (Entrelinhas, 2004); e Conferência no Cerrado (Tanta Tinta, 2008). É produtora da publicação literativa Dazibao, fruto de um projeto que estimula a criação literária a partir de laboratórios vivenciais, realizado com professores e alunos do IFMT – Campus Cuiabá e outras instituições educacionais; é revisora e organizadora de diversas publicações.

Autora: Cristina Campos Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-008-6 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 320 Gênero: Dissertação Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 40,00

52


Em busca do país do ouro: sonhos & itinerários Autora: Sirlei Silveira Sobre a obra Em Busca do País do Ouro recupera, a partir de pesquisa bibliográfica e documental no campo da Antropologia, da Literatura, da Filosofia, da História e da Sociologia, os sonhos e as agruras que projetaram os homens do Mediterrâneo cristão para fora de seus muros, no período compreendido entre o século XV e XVI desta era. A obra parte da premissa de que as maravilhas que povoavam a mentalidade do homem medieval constituíram-se em importante atrativo para a exploração de outras terras e gentes, especialmente no continente nomeado América e identificado como um mundo novo. A expansão ibérica nessas terras – sobremaneira a espanhola – esteve embebida do maravilhoso. A esperança de um retorno à Idade do Ouro, sem excluir a cobiça e a ambição, determinou a invenção da América, para onde migrou um sem-número de mirabilia, que combinava monstros, amazonas e muitas outras criaturas fantásticas, vivendo em locais de riquezas incomensuráveis. Sobre a autora Sirlei Silveira nasceu em Minas Gerais, em 1956. Licenciada em Pedagogia e em Estudos Sociais, realizou especialização em História e Historiografia na Universidade Federal de Mato Grosso, mestrado e doutorado em Ciências Sociais na Pontifícia Universidade Católica de São Paulo. Trabalhou no ensino fundamental e médio e, também, na área técnico-científica em instituições públicas e privadas. Integra, desde 1992, o quadro de professores do Departamento de Sociologia e Ciência Política/ICHS/UFMT, com atuação nos cursos de graduação e, mais recentemente, no Programa de Pós-Graduação – Mestrado - em Estudos de Linguagem/IL/UFMT. É autora do livro O Brasil de Mário de Andrade, publicado pela Editora UFMS, e de artigos para circulação em periódicos nacionais e estrangeiros.

Autora: Sirlei Silveira Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-72-9 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0327-9 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 176 Gênero: História/Sociologia Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 38,00

53


Nas margens da história: meio ambiente e ruralidade em comunidades “ribeirinhas” do Pantanal Norte Autora: Ana Carolina da Silva Borges Sobre a obra Nas Margens da História discute e analisa a relação dinâmica que se estabeleceu entre os ribeirinhos e a sociedade mato-grossense e a natureza, na região do Pantanal Norte, no período compreendido entre 1870 e 1930. Um longo e lento processo de degradação de rios e matas, fruto das relações de troca e comércio potencializadas por um mercado mundial em expansão acabou alterando significativamente a paisagem pantaneira. Entretanto, a obra procura mostrar que mesmo diante desse mercado mundial e seu séquito de valores, normas e preceitos considerados modernos e civilizados, o cotidiano dos ribeirinhos não sucumbiu a essa pressão externa. Sobre a autora Ana Carolina da Silva Borges nasceu em Cuiabá, 1982. Possui graduação em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (2001-2005). Foi bolsista de iniciação científica durante três anos no Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos (NERU) da UFMT (2002-2005), onde desenvolveu pesquisas em comunidades de agricultores do Pantanal Norte, sob orientação da Prof.ª Drª. Sueli Pereira Castro. Fez mestrado em História na mesma universidade, sob orientação do Prof.º Dr. Oswaldo Machado Filho (2006-2008). Publicou resumos, resumos expandidos e artigos em vários congressos regionais, nacionais e internacionais, além de capítulos de livros em coletâneas. Atua nos seguintes temas: relação sociedade e natureza; história agrária; comunidades ribeirinhas.

Autora: Ana Carolina da Silva Borges Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-011-6 (Carlini & Caniato) 978-978-85-327-0349-1 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 240 Gênero: História/ Sociologia Editoras: Carlini & Caniato Editorial/EdUFMT Preço: R$ 34,00

54


Biologia no cotidiano doméstico: abordagens voltadas à educação básica Organizadores: Edna Lopes Hardoim - Edward Bertholine de Castro - Lúrnio Antônio Dias Ferreira - Rosina Djunko Miyazaki e Maria Saleti Ferraz Dias Ferreira Sobre a obra Voltada aos professores da Educação Básica, a obra tem por objetivo apresentar aos professores e alunos conteúdos que possam contribuir para a construção conjunta do conhecimento da Biologia. Neste caso, porém, a forma escolhida para apresentação traz outra roupagem e abordagem: o lúdico que, certamente, facilitará os procedimentos pedagógicos e potencializará a construção e formação de saberes. A obra faz uso de exemplos, para explicar fenômenos naturais, e ainda, utiliza vários aspectos de uma casa, como cenário para as reflexões pretendidas acerca dos fenômenos estudados. Sobre os organizadores Edna Lopes Hardoim e Lúrnio Antônio Dias Ferreira são professores do depatartamento de Botânica e Ecologia do Instituto de Biociências da UFMT; Edward Bertholine de Castro e Rosina Djunko Miyazaki são profesores do departamento de Biologia e Zoologia do Instituto de Biociências da UFMT; Maria Saleti Ferraz Dias Ferreira é Coordenadora de Ensino de Graduação/Proeg-UFMT. Organizadores: Edna Lopes Hardoim - Edward Bertholine de Castro - Lúrnio Antônio Dias Ferreira - Rosina Djunko Miyazaki e Maria Saleti Ferraz Dias Ferreira Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-005-5 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 80 Gênero: Educação / Biologia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: sob consulta

55


A Coroa do Mundo Autor: José Eduardo Fernandes Moreira da Costa Sobre a obra Sob a perspectiva da Geografia Cultural, o autor buscou analisar e definir a formação do território Chiquitano na fronteira do Brasil e Bolívia, especificamente nas áreas de jurisdição do Estado de Mato Grosso e no Departamento de Santa Cruz. Com esse propósito, o autor mergulhou na história dos povos do oriente boliviano e oeste mato-grossense, com o objetivo de detectar expressões de coesão socioterritorial construídas pela vivência e inter-relações dos grupos locais.

Sobre o autor José Eduardo Fernandes Moreira da Costa é Indigenista da Fundação Nacional do Índio desde 1979. Desse ano até 1988 morou entre os índios Nambiquara, desenvolvendo atividades direcionadas à auto-sustentação e à garantia territorial. Nos anos seguintes, 1988-1989, conviveu com os índios Potiguara, no Estado da Paraíba, onde realizou estudos sobre cultura material e imaterial. Dessa pesquisa originou-se a obra Potiguara Cultura Material, editada pela Secretaria de Cultura do Estado da Paraíba. Da década de 1990 até a presente data, realiza diversas atividades nas áreas de educação, cultura, meio ambiente e regularização fundiária de diferentes grupos indígenas localizados no Estado de Mato Grosso, dentre eles, o Chiquitano. É bacharel em Geografia pela Universidade Federal de Mato Grosso, especialista em Antropologia Social e mestre em Geografia Cultural pela mesma universidade. Atualmente integra o Grupo de Estudos Regionais Sul-Americanos, da Universidade Federal de Mato Grosso.

Autor: José Eduardo Fernandes Moreira da Costa Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-327-0161-2 Tamanho: 15,7 x 22,8 cm Nº de páginas: 223 Gênero: Tese dissertação Editoras: EdUFMT/Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 34,00

56


Fronteiras da Crença - Ocupação do Norte de Mato Grosso após 1970 Autor: Vitale Joanoni Neto Sobre a obra Ludibriados pela propagada do governo, muitas famílias sulistas enfrentaram diversidades inimagináveis em busca da “terra prometida” na Amazônia Mato-grossense na década de 70. Rompido o místico e o fantástico, resta a floresta, a hostilidade do meio físico, a diversidade do cotidiano e o impacto da realidade para os primeiros colonos de Juina. Em busca da superação de muitas carências, eles encontram na fé um espaço de apoio, de convivência e de coesão. Recomendado para estudantes e professores, como para o público interessado pela história recente de Mato Grosso, “Fronteiras da Crença” aborda um importante fato da história recente do Estado e do Brasil, na expansão recente da fronteira amazônica.

Sobre o autor Vitale Joanoni Neto é paulista de Bauru, Graduado em História pela Universidade do Sagrado Coração (USC), Mestre em História pela Unesp de Franca e Doutor em História pela Unesp de Assis. Lecionou entre os anos de 1986 e 1996 no ensino fundamental e médio da rede pública e particular no estado de São Paulo, e em 1997 deslocou-se para Cuiabá onde ingressou, por concurso público, no Departamento de História do Instituto de Ciências Humanas e Sociais da Universidade Federal de Mato Grosso. Atualmente leciona História do Brasil Colônia junto ao Curso de Licenciatura e Bacharelado em História, desenvolve pesquisas sobre a ocupação do estado de Mato Grosso, é Professor Credenciado junto ao Programa de Pós-Graduação em História e Coordena o Núcleo de Estudos Históricos, além de atividades de extensão e encargos administrativos.

Autor: Vitale Joanoni Neto Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-47-7 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0260-9 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 256 Gênero: História/Religião/Sociologia Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 30,00

57


Entre Anarquizadores e Pessoas de Costumesa dinâmica política nas fronteiras do Império (Mato Grosso 1834-1870) Autor: Ernesto Cerveira de Sena Sobre a obra Este é um livro sobre várias modalidades do exercício da política ligada às instituições da província de Mato Grosso, assim como sobre a relação de suas elites partidárias com o centro administrativo do Império. Ao mesmo tempo em que a pesquisa faz perceber as muitas estratégias dos grupos políticos que se formaram na região, são ressaltadas as conexões e as disjunções entre Mato Grosso e o núcleo político do Brasil.

Sobre o autor Ernesto Cerveira de Sena é professor da Universidade Federal de Mato Grosso. Fez doutorado em História Social e das Idéias pela Universidade de Brasília.

Autor: Ernesto Cerveira de Sena Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-64-4 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0323-1 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 288 Gênero: História/Política em Mato Grosso Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 28,00

58


Em busca da pedra que brilha como estrela Garimpos e Garimpeiros do Alto ParaguaiDiamantino Autor: João Carlos Barrozo Sobre a obra O livro narra as trajetórias de homens, mulheres e crianças que se deslocaram para Mato Grosso, atraídos pelas minas de diamante, ou seja, “Em busca da pedra que brilha como estrela”. Uma cartografia dos movimentos migratórios provenientes, sobretudo, do Norte e Nordeste do Brasil. Os itinerários revelam-se complexos ao longo dos problemas e das dificuldades pelas quais passam os personagens dessas histórias, muitos deles deixando mãe, pai, filhos e mulheres para trás, reinventando seus próprios destinos. A obra é uma referência para os estudos sobre as migrações, a mineração em Mato Grosso na primeira metade do século XX e, ainda, o que pode ser seu maior mérito, a formação de novos espaços sociais marcados por relações étnicas e culturais, tema de fundamental importância para a historiografia do Brasil.

Sobre o autor João Carlos Barrozo nasceu em Santo Antônio da Patrulha, no Rio Grande do Sul, onde iniciou o curso fundamental, o qual foi concluído no Colégio Santo Inácio, e o secundário no Colégio Catarinense em Florianópolis. Graduou-se em Ciências Sociais na FASP, em São Paulo. Mestre em Sociologia pela UNICAMP, doutor em Sociologia pela UNESP e professor de Sociologia da UFMT desde 1977, é coordenador do Núcleo de Estudos Rurais e Urbanos (NERU), onde desenvolveu várias pesquisas em parceria com os colegas abordando problemas rurais da Amazônia: colonização, relações sociais de produção, migrações, agricultura familiar, etc. Publicou artigos em periódicos acadêmicos dentro da temática rural. Em parceria com membros do NERU publicou: A Colonização Oficial em Mato Grosso e como autor e organizador, Diamantino: do extrativismo à agricultura moderna.

Autor: João Carlos Barrozo Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-45-3 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0232-6 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 256 Gênero: História/Sociologia Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 30,00

59


Cuyaverá – Cuiabá: a lontra brilhante Autor: Paulo Pitaluga Costa e Silva Sobre a obra Intrigado pelas lendas e estórias que norteiam a origem do nome Cuiabá, o autor mergulha em uma pesquisa histórica e etimológica profunda em busca de fatos, documentos e mapas que comprovem sua origem. Como recompensa pela persistência e dedicação à história, encontra um documento jesuíta do século XVIII referindo-se ao rio Cuiabá como Cuyaverá. Análise etimológica feita por professor de Guarani em Assunção, a palavra Cuyaverá vem de Kyyaverá, significando Lontra Brilhante. Os índios da região observando o pêlo sedoso das lontras refletindo o brilho da luz do sol, denominaram-no de rio da Lontra Brilhante. Posteriormente o autor, através de mapas coloniais dos séculos XVII e XVIII comprova a existência dos índios Cuyaberás, que viviam às margens do rio da Lontra Brilhante. Assim, o rio Kyyaverá, por evolução fonética passou a denominar o rio e os índios Cuyaverás e, posteriormente, em contração fonética surgiu o nome atual do rio, das minas, da vila e da cidade de Cuiabá.

Sobre o autor Paulo Pitaluga Costa e Silva é historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e seu ex-Presidente. Autor de 23 livros já editados acerca da história regional mato-grossense e mais de 60 artigos publicados em revistas especializadas. Desde 1999, vem coordenando a série Publicações Avulsas, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, com 67 títulos publicados, abrangendo re-edições de obras, artigos raros e de difícil obtenção. A sua especialização é na história colonial, em especial, no denominado Mato Grosso espanhol dos séculos XVI e XVII.

Autor: Paulo Pitaluga Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-23-1 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 272 Gênero: História Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 38,00

60


Trilogia Colonial Mato-grossense Autor: Paulo Pitaluga Costa e Silva Sobre a obra As publicações tratam a história de Mato Grosso através do resgate de registros que relatam seus primeiros tempos como arraial; da relação bibliográfia comentada; dos documentos escritos por aqueles que se aventuraram nos rios adentrando o Centro-Oeste, nas chamadas Monções Cuiabanas; e ainda traz breves biografias de personalidades que compuseram a história de Mato Grosso no Período Colonial.

Sobre o autor Paulo Pitaluga Costa e Silva é historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e seu ex-Presidente. Autor de 23 livros já editados acerca da história regional mato-grossense e mais de 60 artigos publicados em revistas especializadas. Desde 1999, vem coordenando a série Publicações Avulsas, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, com 67 títulos publicados, abrangendo re-edições de obras, artigos raros e de difícil obtenção. A sua especialização é na história colonial, em especial, no denominado Mato Grosso espanhol dos séculos XVI e XVII.

Autor: Paulo Pitaluga Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-09-2 - V. 1 ISBN: 85-99146-08-4 - V. 2 ISBN: 85-99146-10-6 - V. 3 Tamanho: 15,5 x 22,3 cm Nº de páginas: V. 1 p. 94, V. 2 p. 158, V. 3 p. 264 Gênero: História Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 25,00 cada (Coleção R$ 75,00)

61


As Engrenagens da Cidade – centralidade e poder em Cuiabá na segunda metade do século XX Autora: Márcia Bomfim de Arruda Sobre a obra Patrimônio, modernização capitalista e técnicas de controle da população são os três eixos sobre os quais se assenta este trabalho. Frequentemente visto apenas como instrumento de valorização da memória e da cultura, o tombamento do Centro Histórico de Cuiabá foi pensado, também, como parte da dinâmica capitalista. Dinâmica que transforma valores simbólicos em mercadoria.

Sobre a autora Graduada e mestre em História pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e doutora em História pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP).

Autora: Márcia Bomfim de Arruda Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-009-3 ( Carlini & Caniato) 978-85-327-0356-9 ( EdUFMT) Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 144 Gênero: História de Mato Grosso Editora: Carlini & Caniato Editorial / EdUFMT

62


São Gonçalo Velho povoação cuiabana pioneira Autor: Paulo Pitaluga Costa e Silva Sobre a obra São Gonçalo Velho é a povoação urbana mais antiga de Mato Grosso e em especial da região do vale do rio Cuiabá, sendo que sua ocupação populacional nunca sofreu qualquer descontinuidade desde 1718. Sua memória histórica e social sempre foi relegada a um segundo plano na historiografia regional, vez que sempre se priorizou as pesquisas e os textos acerca de Cuiabá, as lavras do Sutil por excelência, em detrimento de seus primeiros arranchamentos.

Sobre o autor Paulo Pitaluga Costa e Silva é historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e seu ex-Presidente. Autor de 24 livros já editados acerca da história regional mato-grossense e mais de 60 artigos publicados em revistas especializadas. Desde 1999, vem coordenando a série Publicações Avulsas, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, com 67 títulos publicados, abrangendo re-edições de obras, artigos raros e de difícil obtenção. A sua especialização é na história colonial, em especial, no denominado Mato Grosso espanhol dos séculos XVI e XVII. Autor: Paulo Pitaluga Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-017-8 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 92 Gênero: História de Mato Grosso Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 22,00

63


Índios Xarayés Autor: Paulo Pitaluga Costa e Silva Sobre a obra Os Xaraiés, na etno-historiografia mato-grossense, são índios tipicamente do século XVI. Mencionados nos relatos e memórias produzidas por conquistadores espanhóis, apenas nesse século a história fincou registros confiáveis de contatos efetivos do homem branco, europeu e cristão, com os referidos bárbaros y ynfieles . Doze relatos quinhentistas espanhóis produzidos por adelantados , militares e funcionários burocratas que adentraram pelo pantanal ou tiveram seguras informações sobre os mesmos nesse século, foram mencionando e tratando desse povo indígena. Como apenas eles mantiveram esse contato direto e obtiveram informações privilegiadas, podemos inferir que, por essas particularidades, esses trabalhos possuem a credibilidade suficiente para se conferir veracidade e autenticidade a seus registros etnográficos.

Sobre o autor Paulo Pitaluga Costa e Silva é historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e seu ex-Presidente. Autor de 24 livros já editados acerca da história regional mato-grossense e mais de 60 artigos publicados em revistas especializadas. Desde 1999, vem coordenando a série Publicações Avulsas, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, com 67 títulos publicados, abrangendo re-edições de obras, artigos raros e de difícil obtenção. A sua especialização é na história colonial, em especial, no denominado Mato Grosso espanhol dos séculos XVI e XVII.

Autor: Paulo Pitaluga Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-62124-00-6 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 200 Gênero: História Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 30,00

64


Índios Cuyabás Autor: Paulo Pitaluga Costa e Silva Sobre a obra A historiografia mato-grossense é rica em citações acerca dos índios Cuiabás. Autores vêm afirmando e reafirmando a existência dos mesmos, dando subsídios etnológicos, localização geográfica e vínculos étnicos. O fato é que está razoavelmente bem aceita nos meios intelectuais de Mato Grosso, científicos ou não, a existência dos índios Cuiabás e é disto que trata esta obra.

Sobre o autor Paulo Pitaluga Costa e Silva é historiador, sócio efetivo do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e seu ex-Presidente. Autor de 24 livros já editados acerca da história regional mato-grossense e mais de 60 artigos publicados em revistas especializadas. Desde 1999, vem coordenando a série Publicações Avulsas, do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, com 67 títulos publicados, abrangendo re-edições de obras, artigos raros e de difícil obtenção. A sua especialização é na história colonial, em especial, no denominado Mato Grosso espanhol dos séculos XVI e XVII.

Autor: Paulo Pitaluga Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-8-11 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 80 Gênero: História Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

65


Como Fazer Projetos de Viabilidade Econômica Manual de Elaboração Autor: Carlos Vitor Timo Ribeiro Sobre a obra Este manual é um instrumento auxiliar de trabalho e aprendizado, voltado essencialmente para os aspectos práticos da disciplina de Elaboração de Projetos, repassando ao leitor parte da experiência profissional do autor, na área de Consultoria Empresarial desde agosto/1974. A primeira parte trata dos aspectos conceituais e teóricos relacionados com a disciplina citada, abordando os diversos conteúdos de todo e qualquer projeto de viabilidade. A segunda parte apresenta a elaboração de projetos de viabilidade propriamente dita, tomando como “modelo simulado” o desenvolvimento de um roteiro básico, como geralmente ocorre na prática de atividades relacionadas com o mercado de consultoria privada.

Sobre o autor Carlos Vitor Timo Ribeiro é Bacharel em Ciências Econômicas pela Universidade de Brasília (UnB), com especialização em MBA em Gestão Estratégica Avançada pelo Instituto Euvaldo Lodi (IEL) e Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS). É consultor econômico da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (FIEMT), professor do Curso de Especialização em Elaboração e Análise de Projetos Ambientais e Industriais do Departamento de Economia da FAEC/UFMT, exprofessor da FAEC/UNIC, ex-professor substituto do Departamento de Economia da FAEC/UFMT e economista do quadro técnico da Empresa PR Consultoria e Projetos Ltda., que atua nas áreas de incentivos fiscais, planejamento e captação de recursos para investimento nas instituições oficiais de fomento e de crédito de longo prazo.

Autor: Carlos Vitor Timo Ribeiro Edição: 4ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-77-4 (Carlini & Caniato) 978-85-88421-59-2 (Defanti) Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 313 Gênero: Economia Editoras: Carlini & Caniato Editorial e Defanti Preço: R$ 50,00

66


Conhecimentos tradicionais: uma análise da proteção jurídica no Mercosul Autora: Adriana Koszuoski Sobre a obra A obra, que aborda esse assunto pioneiro e muito pouco tratado em livros, expõe a fragilidade dos instrumentos desses países para proteger o conhecimento produzido pelos povos indígenas e tradicionais, além do grande desnível existente entre as diferentes formas de lidar com o assunto. Enquanto no Brasil o tema é debatido há mais de dez anos, nos demais países do Mercosul é pouco ou nada discutido. No Paraguai, por exemplo, ainda não há arcabouço jurídico especifico para a proteção do conhecimento tradicional associado à biodiversidade. Na Argentina e no Uruguai, o tema já começa a chamar a atenção dos juristas, mas também ainda não foi estudado sob a ótica da proteção do conhecimento tradicional associado aos recursos genéticos. Seriam necessárias negociações sérias para a proteção das minorias e o tratamento multilateral do tema no âmbito das instituições internacionais, aponta a autora. Mas, os países que utilizam os conhecimentos tradicionais e a diversidade biológica como matéria-prima para suas invenções não estão interessados na construção de um regime efetivo de proteção. Se houvesse tal regime efetivo, haveria a necessidade de dividir parte dos seus ganhos com os países de origem dos recursos utilizados e, por conseqüência, diminuição dos seus lucros. Diante disso, as comunidades tradicionais sofrem as conseqüências e a região deixa de valorizar uma fonte importante de recursos. Autora: Adriana Koszuoski

Sobre a autora

Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-20-3

Professora universitária e advogada, Mestre em Relações Internacionais para o Mercosul pela Universidade do Sul de Santa Catarina – UNISUL – Florianópolis - SC, Adriana Koszuoski dá uma importante contribuição, além de um alerta para a importância da conservação do patrimônio nacional.

Tamanho: 20 x 13,5 cm Nº de páginas: 127 Gênero: Direito Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 24,00

67


Educação Infantil uma proposta lúdica Autores: Silvio Aparecido Fidelis e Mônica Tempel

Sobre a obra A proposta contida neste livro reforça a importância das brincadeiras infantis e as coloca no centro da oferta educativa voltada às crianças de 0 a 6 anos de idade. Mas com uma fundamental contribuição: o papel reservado à literatura infantil como fator matricial da ludicidade. Sem abrir mão da direção educativa na relação entre crianças e adultos, os autores buscam, entretanto, revelar aspectos cruciais do cotidiano infantil, colocando-os como marcos instituintes de uma condição interdependente e de dupla via entre aquele que educa e aquele que é educado.

Sobre os autores Silvio Aparecido Fidelis é graduado em Estudos Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Umuarama-PR, mestre em Educação Infantil com projeto de pesquisa intitulado: Brinquedoteca como fator de estímulo à formação, e doutorando em Educação com o projeto de Estudo Comparado na Alemanha, Cuba e Brasil. Proferiu palestras sobre os temas que estuda em países como: Finlândia, Argentina, Holanda, Portugal, Alemanha, Cuba e Brasil. Entre suas publicações destacam-se: Gestão Democrática. Uma proposta para Cuiabá. 1993-Edição Aguapó (FESMAT)-SME; Carta da Terra - Conferência Continental das Américas; Microrregionales (SME-2002) e Cuiabá - Cidade Educadora (SME - 2002)

Autores: Silvio Aparecido Fidelis e Mônica Tempel Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-04-1 Tamanho: 15,5 x 21,5 cm

Mônica Tempel é graduada em Letras - Português e Literaturas da Língua Portuguesa e Inglesa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRES-POA-RS, é especialista em Psicopedagogia pela Universidade de Cuiabá - UNIC. Responsável pela idealização e implantação de 38 Brinquedotecas Públicas no Estado de Mato Grosso. Proferiu palestras enfocando os temas da Psicopedagogia e do Ensino-aprendizagem através de Brinquedotecas. Mônica e Silvio publicaram também Educação Infantil uma Proposta Lúdica (Editora Carlini e Caniato - 2005).

Nº de páginas: 160 Gênero: Paradidático Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: ESGOTADO

68


Bom Senso na Educação Infantil Autores: Silvio Aparecido Fidelis e Mônica Tempel

Sobre a obra Dúvidas cotidianas quanto à educação de seus filhos podem ser facilmente sanadas quando tratadas com clareza e coerência ante o contexto dos dias atuais, as dificuldades dos tempos em que vivemos, os recursos dos quais dispomos, porém de-vemos sempre nos lembrar de que há princípios que se perpetuam apesar de tantas mudanças no modus vivendi do período em que, às vezes quase loucamente, vivemos. Vale ainda salientar que, diante das inúmeras situações conflitantes que surgem ao longo de nossa trajetória, devemos sempre recorrer ao BOM SENSO!

Sobre os autores Silvio Aparecido Fidelis é graduado em Estudos Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Umuarama-PR, mestre em Educação Infantil com projeto de pesquisa intitulado: Brinquedoteca como fator de estímulo à formação, e doutorando em Educação com o projeto de Estudo Comparado na Alemanha, Cuba e Brasil. Proferiu palestras sobre os temas que estuda em países como: Finlândia, Argentina, Holanda, Portugal, Alemanha, Cuba e Brasil. Entre suas publicações destacam-se: Gestão Democrática. Uma proposta para Cuiabá. 1993-Edição Aguapó (FESMAT)-SME; Carta da Terra - Conferência Continental das Américas; Microrregionales (SME-2002) e Cuiabá - Cidade Educadora (SME - 2002)

Autores: Silvio Aparecido Fidelis e Mônica Tempel Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-05-X

Mônica Tempel é graduada em Letras - Português e Literaturas da Língua Portuguesa e Inglesa pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul UFRES-POA-RS, é especialista em Psicopedagogia pela Universidade de Cuiabá - UNIC. Responsável pela idealização e implantação de 38 Brinquedotecas Públicas no Estado de Mato Grosso. Proferiu palestras enfocando os temas da Psicopedagogia e do Ensino-aprendizagem através de Brinquedotecas. Mônica e Silvio publicaram também Educação Infantil uma Proposta Lúdica (Editora Carlini e Caniato - 2005).

Tamanho: 15,5 x 21,5 cm Nº de páginas: 101 Gênero: Tese dissertação educação infantil Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

69


Leitura e Literatura Infanto-juvenil Redes de Sentido Organizador: Rosemar Coenga Sobre a obra Segundo Davi Arrigucci Jr., “a leitura nos leva para o espaço e o tempo sensíveis ao coração, o que é, para não dizer mais, uma forma de felicidade”. Cada vez mais consciente de que ser leitor é possibilidade de construção de um ser humano melhor, mais crítico, mais sensível, alguém capaz de se colocar no lugar do outro, alguém mais imaginativo e sonhador. Por isso, reuni nesta coletânea artigos de pesquisadores de diversas instituições, preocupados com a questão da pesquisa em leitura, formação do leitor e a literatura infantil e juvenil na perspectiva da teoria, da história e da crítica. A obra Leitura e Literatura Infanto-Juvenil: redes de sentido é o resultado desse entusiasmo acadêmico permeado de um quadro rico de reflexões teóricas, alargando esse universo instigante que é a leitura e a literatura infantil e juvenil. Assim, este livro conduz o leitor, pelos caminhos da crítica, a conhecer obras de alta qualidade estética e autores expressivos da literatura infantil brasileira e, ainda, discussões em torno das práticas de leitura e a formação do leitor.

Sobre o organizador Rosemar Coenga é graduado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso, especialista em Ensino-Aprendizagem de Língua Estrangeira e mestre em Educação, também pela mesma instituição. Atualmente é doutorando em Teoria Literária e Literaturas pela Universidade de Brasília (UnB), na linha de pesquisa Recepção e Práticas de Leitura. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Leitura e Letramento (GEPPLL), da UFMT. Autor dos livros Nos labirintos da memória; Leitura e Literatura Infanto-juvenil: redes de sentido; A Leitura em Cena: literatura infantojuvenil, autores e livros. Atua em cursos de graduação e especialização em Letras e Pedagogia. Trabalha como professor de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino Médio. Escreve crítica literária para crianças e jovens no Jornal Circuito Mato Grosso e se dedica à pesquisa na área de leitura, literatura infanto-juvenil, letramento literário e formação do leitor, memória e autobiografia.

Organizador: Rosemar Coenga Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-87-3 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 383 Gênero: Coletanea de artigos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 40,00

70


Leitura e Letramento Literário - Diálogos Autor: Rosemar Coenga Sobre a obra Nesta obra o leitor terá diferentes reflexões sobre o letramento e novas propostas para o ensino da leitura literária, que se destinam a reformar, fortalecer e ampliar a prática da leitura e da leitura literária que se oferece nos ensinos fundamental e médio. Apoiado em vários pesquisadores, em especial, Vera Teixeira Aguiar, Maria da Glória Bordini, Marisa Lajolo, Magda Soares e Rildo Cosson, entre outros, o autor afirma que há uma urgência em repensar as práticas adotadas em sala de aula e, através de estudos e reflexões, propor novas abordagens. Uma aula eficiente de leitura deve ter como objetivos despertar o interesse pela leitura, ajudará o leitor a interpretar aquilo que lê e, assim, capacitá-lo para participar da vida em sociedade.

Sobre o autor Rosemar Coenga é graduado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso, especialista em Ensino-Aprendizagem de Língua Estrangeira e mestre em Educação, também pela mesma instituição. Atualmente é doutorando em Teoria Literária e Literaturas pela Universidade de Brasília (UnB), na linha de pesquisa Recepção e Práticas de Leitura. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Leitura e Letramento (GEPPLL), da UFMT. Autor dos livros Nos labirintos da memória; Leitura e Literatura Infanto-juvenil: redes de sentido; A Leitura em Cena: literatura infantojuvenil, autores e livros. Atua em cursos de graduação e especialização em Letras e Pedagogia. Trabalha como professor de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino Médio. Escreve crítica literária para crianças e jovens no Jornal Circuito Mato Grosso e se dedica à pesquisa na área de leitura, literatura infanto-juvenil, letramento literário e formação do leitor, memória e autobiografia.

Autor: Rosemar Coenga Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-99146-99-6 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 112 Gênero: Estudo sobre Ensino Literário Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

71


A leitura em cena Organizador: Rosemar Coenga Sobre a obra Uma coletânea de artigos a cerca da teoria e crítica literária infanto-juvenil onde o enfoque principal é discutir a análise da produção infanto-juvenil nos diferentes gêneros e suportes; diagnosticar a situação do ensino da leitura e da literatura e propor alternativas metodológicas.

Sobre o autor Rosemar Coenga é graduado em Letras pela Universidade Federal de Mato Grosso, especialista em Ensino-Aprendizagem de Língua Estrangeira e mestre em Educação, também pela mesma instituição. Atualmente é doutorando em Teoria Literária e Literaturas pela Universidade de Brasília (UnB), na linha de pesquisa Recepção e Práticas de Leitura. Integrante do Grupo de Estudos e Pesquisas em Leitura e Letramento (GEPPLL), da UFMT. Autor dos livros Nos labirintos da memória; Leitura e Literatura Infanto-juvenil: redes de sentido; A Leitura em Cena: literatura infantojuvenil, autores e livros. Atua em cursos de graduação e especialização em Letras e Pedagogia. Trabalha como professor de Língua Portuguesa na Rede Estadual de Ensino Médio. Escreve crítica literária para crianças e jovens no Jornal Circuito Mato Grosso e se dedica à pesquisa na área de leitura, literatura infanto-juvenil, letramento literário e formação do leitor, memória e autobiografia. Organizador: Rosemar Coenga Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-8009-001-7 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 224 Gênero: Teoria e crítica literária Infanto-juvenil Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 30,00

72


As Misericórdias das duas margens do Atlântico: Portugal e Brasil (séculos XV-XX) Organizadora: Maria Marta Lobo de Araújo Sobre a obra A historiografia recente, mais a portuguesa que a brasileira, tem dado grande importância às Santas Casas, transformando estas instituições em objeto de estudo, dentro e fora das universidades. O movimento já tinha nascido antes da comemoração do V Centenário da Misericórdia de Lisboa, mas acelerou-se com ele e ultrapassou-o, continuando a ser objeto de estudo de muitos investigadores. No Brasil, a temática tem sido menos trabalhada na historiografia mais recente, embora se mantenha como tema de trabalho de alguns investigadores.

Sobre a organizadora Maria Marta Lobo de Araújo é doutora em História e professora associada com agregação do Departamento de História do Instituto de Ciências Sociais da Universidade do Minho. A sua investigação tem-se desenvolvido nos campos da História Social e da História Religiosa da Época Moderna, sendo autora de vários livros e de um conjunto de artigos que estão publicados em revistas nacionais e estrangeiras.

Organizadora: Maria Marta Lobo de Araújo Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-68-2 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 260 Gênero: História/Coletanea de artigos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 28,00

73


Novas Perspectivas do Direito Ambiental Brasileiro – visões interdisciplinares Organizadores: Valério de Oliveira Mazzuoli e Carlos Teodoro Hugueney Irigaray Sobre a obra O livro é fruto das pesquisas empreendidas pelos docentes da Faculdade de Direito da UFMT no âmbito do Grupo de Pesquisa CNPq Questão Agro ambiental: Direito e Estado. Os trabalhos foram desenvolvidos ao longo dos anos de 2007 e 2008. O propósito principal dessas pesquisas foi entender o direito ambiental (e também o agrário) de maneira interdisciplinar. Daí a variedade de temas apresentados, cada qual versando determinada disciplina jurídica (v.g., o direito internacional, o direito administrativo, o direito do trabalho, etc.) sempre sob o enfoque da ambiência.

Sobre os organizadores Valerio De Oliveira Mazzuoli é Doutor summa cum laude em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Mestre em Direito Internacional pela Faculdade de Direito da Universidade Estadual Paulista (UNESP), campus de Franca. Professor Adjunto de Direito Internacional e Direitos Humanos da Faculdade de Direito da UFMT. Coordenador do Curso de Mestrado em Direito Agroambiental da UFMT. Membro da Sociedade Brasileira de Direito Internacional (SBDI), da Associação Brasileira de Constitucionalistas Democratas (ABCD), coordenador jurídico da Revista de Derecho Internacional y del Mercosur (Buenos Aires, Argentina) e Diretor da Revista Amazônia Legal de Estudos Sócio-Jurídico-Ambientais. Vice-líder do Grupo de Pesquisa CNPq Questão Agroambiental: Direito e Estado (FD/UFMT).

Organizadores: Valério de Oliveira Mazzuoli e Carlos Teodoro José Hugueney Irigaray Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-74-3 (Carlini & Caniato)

Carlos Teodoro José Hugueney Irigaray é Doutor em Direito Ambiental pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-RJ). PósDoutor em Direito Ambiental pela Universidade da Flórida (EUA). Professor Adjunto de Direito Ambiental da Faculdade de Direito da UFMT. Diretor da Revista Amazônia Legal de Estudos Sócio-Jurídico-Ambientais. Membro do Conselho Nacional do Meio Ambiente – CONAMA. Procurador do Estado de Mato Grosso. Integrante do Grupo de Pesquisa CNPq Questão Agroambiental: Direito e Estado (FD/UFMT).

978-85-88504-25-7 (Cathedral Publicações) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 272 Gênero: Direito Editoras: Carlini & Caniato Editorial e Cathedral Publicações Preço: R$ 50,00

74


Títulos de Crédito Doutrina – Legislação 150 questões de concursos Autor: Armindo de Castro Júnior Sobre a obra Esta obra tem o objetivo de servir como um guia para o estudo dos títulos de crédito, através de uma abordagem atual de seus principais instintos. Não há, porém, a pretensão de esgotar o tema, em virtude de sua vastidão. Para um estudo mais aprofundado, a obra remete o leitor a renomados autores, em cujos estudos o autor baseou-se para escrever estas linhas.

Sobre o autor Mestrado em Ciências Jurídico-empresariais pela Universidade de Coimbra. Especialização em Didática Geral pelo Instituto Educacional de Assis. Bacharel em Direito pela Universidade de Marília. Advogado e professor titular da cadeira de Direito Empresarial da Universidade de Cuiabá - UNIC.

Autor: Armindo de Castro Júnior Edição: 3ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-27-9 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 232 Gênero: Direito/Didático Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: 50,00

75


O Cheque no Comércio Autor: Armindo de Castro Júnior Sobre a obra Um guia prático de como trabalhar com cheques no comércio evitando problemas com pagamentos e recebimentos e ainda problemas legais. O livro tem linguagem bastante objetiva e vários exemplos práticos.

Sobre o autor Mestrado em Ciências Jurídico-empresariais pela Universidade de Coimbra. Especialização em Didática Geral pelo Instituto Educacional de Assis. Bacharel em Direito pela Universidade de Marília. Advogado e professor titular da cadeira de Direito Empresarial da Universidade de Cuiabá - UNIC.

Autor: Armindo de Castro Júnior Edição: 3ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-27-9 Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 64 Gênero: Direito/Didático Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 20,00

76


Uma Devassa nas Minas imigração e moralidade na fronteira mais remota da colônia Mato Grosso, 1785 Autora: Maria Amélia Assis Alves Crivelente Sobre a obra O presente texto, na sua brevidade, desvenda-nos um mundo vasto e complexo que se desenvolveu, no século XVIII, em busca do ouro, misturando minhotos, índios e negros. Esse mundo decorre não só em espaços recônditos do sertão brasileiro, gerando aldeias e vilas, mas também numa dimensão outra, ainda mais extensa: o imaginário popular, povoado de miragens ambiciosas mas também de pequenos fantasmas que perseguiam o dia-a-dia daqueles que, direta ou indiretamente, viviam do fascínio de captar o ouro. Como se constituía essa sociedade? Em que âmbito se davam suas relações interpessoais e quais eram as cosmogonias de tão miscigenada população? Um farto e rico acervo documental nos revela o cotidiano mais íntimo das famílias que se constituíram como mato-grossenses e os caminhos que percorreram.

Sobre a autora Mestra em História pela UFMT, com a dissertação: “Casamentos de escravos africanos em Mato Grosso: Chapada dos Guimarães, um estudo de caso. 1798-1830”. Possui artigos sobre Mato Grosso colonial já publicados em Portugal (Universidade de Coimbra) e Espanha (ADEH). Doutoranda pela Universidade do Porto com o projeto de pesquisa sobre o processo emigratório/imigratório da região do alto e baixo Minho, norte de Portugal, para as Minas de Mato Grosso, no século XVIII. A investigação em desenvolvimento percorre trajetórias particulares de imigrantes que, no imbricamento sociocultural que viveram e provocaram na fronteira oeste da colônia lusa, contribuíram para o desvendamento do universo minhoto setecentista, na constituição da cultura e sociedade mato-grossense do período.

Autora: Maria Amélia Assis Alves Crivelente Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-31-9 Tamanho: 13,7 x 20,7 cm Nº de páginas: 80 Gênero: História Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 22,00

77


Anais de Vila Bela (1734-1789) Organizadoras: Janaína Amado e Leny Caselli Anzai Sobre a obra A obra apresenta um extraordinário conjunto de documentos históricos sobre Mato Grosso no século XVIII. Os textos foram escritos anualmente por vereadores da Câmara de Vila Bela, primeira capital, entre 1734 e 1789, desde o início da mineração até o final do governo de Luiz de Albuquerque. Os Anais de Vila Bela fornecem informações e perspectivas novas das 117 folhas manuscritas originais, 108 são inéditas a respeito da vida tensa, cheia de disputas e negociações, na grande área fronteiriça entre a América portuguesa e a América espanhola, tratando também de diversos temas, alguns ainda pouco visitados, como as movimentações indígenas, a organização dos quilombos, a vida cotidiana e a cultura da Capitania. Os Anais de Vila Bela ficaram durante 200 anos em Portugal, até serem vendidos à Newberry Library, nos EUA, onde foram localizados. Cada interessado, cada estudioso fará sua própria interpretação dos Anais de Vila Bela. Esse tesouro histórico é agora oferecido ao público, em transcrição primorosa do original e linguagem atualizada, acompanhada de notas e índice.

Sobre as organizadoras Janaína Amado é professora titular aposentada da Universidade de Brasília, fez três pós-doutorados, nos Estados Unidos e em Portugal. Uma de suas áreas de pesquisa é a história da América portuguesa, com ênfase nas navegações oceânicas e na inter-relação de culturas. Sobre esses assuntos publicou, com Luiz Carlos Figueiredo, Brasil 1500 – 40 documentos (Editora da UnB, 2001), O Brasil no império português (Jorge Zahar Editor, 2000), uma série paradidática destinada às escolas de primeiro e segundo graus e, com Ledonias F. Garcia e Luiz Palacin Gomez, História de Goiás em documentos – Colônia (Editora da UFG, 1995).

Organizadoras: Janaína Amado e Leny Caselli Anzai Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-25-4 (Carlini & Caniato) 85-327-0164-7 (EdUFMT) Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 320 Gênero: Transcrição de documentos históricos

Leny Caselli Anzai é docente da Universidade Federal de Mato Grosso. Doutora pela Universidade de Brasília, sua tese versa sobre a história de Mato Grosso no século XVIII, com ênfase na expedição científica chefiada por Alexandre Rodrigues Ferreira. Autora de diversos artigos publicados em periódicos acadêmicos, especialista no período de Luiz de Albuquerque em Mato Grosso (1772-1789).

Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 40,00

78


Casa e Paisagem Pantaneira – Conhecimento e práticas tradicionais Autoras: Yara Galdino e Carolina Joana da Silva Sobre a obra Este livro nasceu de uma combinação entre a arquitetura e a etnoecologia, para tratar da construção da casa ribeirinha e da percepção da paisagem, através do olhar do homem pantaneiro. Com rigor científico e muita sensibilidade, ele vai desvendando as várias facetas do saber local, que permitem a transformação da madeira, da palha, do barro, enfim, do que existe disponível no ambiente, na morada, no abrigo da família. A construção da casa é uma atividade social e, neste processo, também se atualiza e enriquece o conhecimento. Conhecimento necessário para a seleção de cada elemento constitutivo da estrutura arquitetônica, de acordo com as necessidades de dureza, flexibilidade, durabilidade, etc. – mais adequadas a um desempenho ótimo. Os ambientes de coleta, o modo correto de cortar, serrar, aparar e trançar é descrito em detalhes. O projeto da casa se desenha no chão e a estrutura vai, aos poucos, tomando forma.

Sobre as autoras Yara Galdino é graduada em Arquitetura e Urbanismo (2002) e mestra em Ecologia e Conservação da Biodiversidade (2006), pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Sua dissertação de Mestrado foi laureada com o Prêmio Darrel Posey pela Sociedade Brasileira de Etnobiologia e Etnoecologia, no ano de 2006. É especialista em Reabilitação Ambiental, Arquitetônica e Urbanística (2008), pela Universidade de Brasília.

Autoras: Yara Galdino e Carolina Joana da Silva Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-80-4

Carolina Joana da Silva é graduada em História Natural, pela Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT); mestra em Ecologia, pelo Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Impa); e doutora em Ciências na área de Ecologia e Recursos Naturais, pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar). Realizou Pós-doutoramento no Ins-tituto Max-Planck de Limnologia, na Alemanha. Foi professora no Deptº de Biologia da Universidade Federal de Mato Grosso, de 1974 a 1995, e no Programa de Pós-graduação em Ecologia e Conservação da Biodiversidade da mesma universidade, até 2008.

Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Arquitetura Editora: Carlini & Caniato Editorial

79


Ilegalismos e Jogos de Poder Um crime célebre em Cuiabá (1872) suas verdades jurídicas e outras histórias policiais Autor: Oswaldo Machado Filho Sobre a obra O tema central deste livro de Oswaldo Machado Filho é um crime famoso, ocorrido em Cuiabá, na noite de 19 de março de 1872. Identificada a vítima, o tenente-coronel Lauriano Xavier da Silva, restaria encontrar o assassino, mas isto transformaria a história em mera investigação policial, objetivo que o autor recusa desde o início. Além disso, quando se vive em estado de guerra, não é difícil saber de onde pode vir o tiro, mas, na surda e constante luta cotidiana, a bala pode ser disparada de qualquer direção. Lauriano morreu, é fato, mas a certeza parou aí. Sobre o crime, muito se investigou, crescendo à sua volta perícias e interrogatórios que cobriram páginas e páginas de processos policiais, animando reflexões sobre a própria história da criminalidade cuiabana. Como num conto de Borges, os caminhos se bifurcaram, produzindo versões desencontradas sobre o crime e as personagens, que se movimentavam contra um obscuro e mutável cenário urbano. Mais do que chegar a um veredicto seguro, a narrativa se fez como instigante caleidoscópio, mostrando resultados diversos a cada arranjo documental e textual, aparecendo em cena figurantes evanescentes – apesar da Justiça que se julgou fazer, porque a História, como se sabe, tem “leis” outras e particulares. Autor: Oswaldo Machado Filho Edição: 1ª

Sobre o autor

Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-99146-24-6 (Carlini & Caniato)

Oswaldo Machado Filho, nascido em Ribeirão Preto-SP, é bacharel em Sociologia pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo, mestre em História Social do Trabalho (1985) e doutor em História Cultural (2003), pela Unicamp. Professor adjunto na Universidade Federal de Mato Grosso, onde ingressou em 1982, desenvolve pesquisas sobre criminalidade e repressão policial na Província de Mato Grosso. Atualmente, leciona Historiografia Geral e é Coordenador do Curso de Graduação em História da UFMT.

85-327-0162-0 (EdUFMT) Tamanho: 16 x 22,5 cm Nº de páginas: 416 Gênero: Tese Dissertação/História/Direito Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 38,00

80


Mato Grosso: do Sonho à Utopia da Terra Organizador: João Carlos Barrozo Sobre a obra O foco central desta obra é a (re) ocupação recente da fronteira agrícola de Mato Grosso. A história de migrantes que se deslocaram de áreas de minifúndio do Sul-Sudeste, e de áreas de seca e de latifúndio do Nordeste, sonhando com a terra abundante, generosa e fértil, e uma vida promissora para os seus filhos, mas que, para muitos, foi uma ilusão, um sonho que se transformou em utopia. Cada capítulo foi escrito a partir de pesquisa originalmente destinada à confecção de uma dissertação de mestrado ou tese de doutorado. João Carlos Barrozo reuniu trabalhos de estudiosos que compartilharam de sua experiência, na condição de ex-alunos, e que multiplicaram seus conhecimentos, aplicando-os às diferentes atividades profissionais, ou de professores pesquisadores de universidades do Brasil e do exterior, desenvolvendo estudos correlatos.

Sobre o organizador João Carlos Barrozo nasceu em Santo Antônio da Patrulha-RS. Graduouse em Ciências Sociais na FASP, em São Paulo. É mestre em Sociologia pela UNICAMP e doutor em Sociologia pela UNESP. Leciona Sociologia na UFMT, desde 1977; é coordenador do NERU, onde desenvolve várias pesquisas em parceria com os colegas, abordando problemas rurais da Amazônia: colonização, relações sociais de produção, migrações, agricultura familiar. Publicou artigos em periódicos acadêmicos dentro da temática rural. Em parceria com membros do NERU, publicou A colonização oficial em Mato Grosso (Cuiabá: EdUFMT, 2002). É autor e organizador de Diamantino: do extrativismo à agricultura moderna (Cuiabá: Gráfica e Editora Albert, 2004) e autor do livro Em busca da pedra que brilha como estrela: garimpos e garimpeiros do Alto Paraguai-Diamantino (Cuiabá: EdUFMT/Carlini&Caniato, 2007).

Organizador: João Carlos Barrozo Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-53-8 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0278-4 (EdUFMT) Tamanho: 15,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 336 Gênero: História/Sociologiao Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 38,00

81


Novo Planejamento Estratégico de Marketing Autor: João Batista Epaminondas Malhado Sobre a obra Planos estratégicos de marketing, em geral, oferecem pouca segurança porque são elaborados com base apenas na intuição dos planejadores, que tratam as informações somente no campo qualitativo. Esta obra apresenta um conceito inovador para a realização do planejamento estratégico de marketing, baseado na atribuição de valores numéricos às informações qualitativas, proporcionando rápida visualização de prioridades e maior segurança nas tomadas de decisões. Novo Planejamento Estratégico de Marketing é destinado a empreendedores, planejadores, professores e alunos de graduação e pós-graduação dos cursos de administração, planejamento e gestão de marketing que pretendem produzir instrumentos eficazes de ação mercadológica.

Sobre o autor João Batista Epaminondas Malhado é professor de Planejamento Estratégico de Marketing da Universidade de Cuiabá – UNIC. Especialista em Marketing pela Escola Superior de Propaganda e Marketing do Rio de Janeiro/UNIC. Consultor profissional e acadêmico de Planejamento Estratégico de Marketing. Ex-gerente de Planejamento Comercial da Brasil Telecom. Ex-gerente da Embratel. Graduado em Telecomunicações pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – PUC-RJ. Autor: João Batista Epaminondas Malhado Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-40-8 Tamanho: 15,8 x 28,8 cm Nº de páginas: 326 Gênero: Marketing/Administração Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 48,00

82


O Homem Algodão Uma etno-história Nambiquara Autora: Anna Maria Ribeiro F. Moreira da Costa Sobre a obra A contribuição da obra, extrapolando o recorte analítico, oferece aos não índios um conjunto de conhecimentos e saberes indígenas que, certamente, lhes servirão de parâmetro para um repensar da vivência do homem “branco” em sua relação com a natureza, com os outros homens e com o sobrenatural, pois os valores emanados da vivência Nambiquara apontam para os principais dilemas da sociedade Ocidental.

Sobre a autora Doutora em História pela Universidade Federal de Pernambuco, Mestra em História pela Universidade Federal de Mato Grosso, Graduada em História pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, membro do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso e Pesquisadora da Fundação Nacional do Índio. É contratada pela Fundação Nacional do Índio, em 1982, quando deixa sua cidade natal, Rio de Janeiro, e chega às aldeias dos índios Nambiquara do Cerrado, em Mato Grosso, com o objetivo de implantar um Programa de Educação Escolar Indígena. Nessas terras permanece até 1988. Como Pesquisadora da FUNAI, agora na Paraíba, de 1988 a 1989, convive com os índios Potiguara para estudar sua cultura material e imaterial. Transfere-se para Cuiabá onde passa a realizar pesquisas etno-históricas para a Advocacia Geral da União direcionadas à defesa dos territórios indígenas em Mato Grosso e a trabalhar no Acervo Etnográfico e Documental da instituição. Entre os estudos publicados encontram-se: Potiguara – cultura material, em co-autoria com José Eduardo F. M. Costa (1989), A flauta sagrada e A menina-moça: ritual Nambiquara de puberdade feminina (1991), roteiro para o filme A flauta sagrada (1992), Nambiquara, os do cerrado: cultura material (1993), Senhores da memória: uma história do Nambiquara do Cerrado (2002), Hatisu Nambiquara: lembranças que viraram histórias (2005), Um olhar sobre a mulher Nambiquara, em co-autoria com José Eduardo F. M. da Costa (2007), Além do artefato: cultura material e imaterial Nambiquara (2009).

Autora: Anna Maria Ribeiro F. Moreira da Costa Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-71-2 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0321-7 (EdUFMT) Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 424 Gênero: Antropologia e Cultura Indígena Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 40,00

83


De Criança a Aluno As representações da escolarização da infância em Mato Grosso (1910-1927) Autora: Elizabeth Figueiredo de Sá Sobre a obra A obra entra no universo das crianças, na realidade da sua existência, enquanto ser escolarizado ou afastado da escola, através do trabalho infantil, da pobreza ou do abandono. No varrer do olhar por essa realidade, quer através das estatísticas, das etnias e do seu quotidiano, das brincadeiras infantis, o confronto entre a vida nas grandes cidades e no interior, a contextualização política e social, os currículos com os ritmos que instauram, o elenco dos materiais que equipavam as escolas, a arquitetura na relação que mantém com a organização pedagógica do espaço e os métodos de ensino das aprendizagens básicas está, do nosso ponto de vista, o interesse principal deste trabalho. Abandonando uma visão circunscrita e linear aventura-se na complexidade do real para tecer a urdidura em que escola e criança se encontram e desencontram, ontem como hoje.

Sobre a autora Elizabeth Figueiredo de Sá é Pedagoga, Mestre em Educação pela Universidade Federal de Mato Grosso - UFMT (2000) e Doutora em Educação pela Faculdade de Educação da Universidade de São Paulo - USP. Estagiou na Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade do Porto, Portugal (2004) e atualmente atua como pesquisadora do Grupo Educação & Memória, vinculado à Pós-Graduação em Educação, área da História da Educação - UFMT (GEM) e do Núcleo Interdisciplinar de Estudos e Pesquisas em História da Educação da Faculdade de Educação - USP (NIEPHE-FEUSP). Publicou Escola Normal de Cuiabá: História da Formação de Professores em Mato Grosso (2006), e possui artigos em diversos periódicos na área da História da Educação.

Autora: Elizabeth Figueiredo de Sá Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-37-8 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0223-4 (EdUFMT) Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 232 Gênero: História/Política Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 30,00

84


Lendo Lendas Autora: Lucy Ferreira Azevedo Sobre a obra A obra propõe a reflexão sobre a importância do ensino da leitura das lendas nas escolas do ensino fundamental e do ensino médio. O livro esmiuça a riqueza das lendas, por meio de alguns textos do Roteiro das Lendas Cuiabanas, de autoria de Dunga Rodrigues - Benedita Deschamps Rodrigues, que nasceu em Cuiabá, em 1908. Mais do que uma crítica literária, Lendo Lendas é uma viagem por histórias povoadas por pescadores, ribeirinhos, escravos, sinhás, meninos e lavadeiras. O livro se destina especialmente a leitores que ensinam a outros leitores o gosto pela leitura: os professores. A autora defende que os alunos conheçam os traços culturais, os costumes e a história do Estado por meio de textos que possam ser prazerosamente estudados.

Sobre a autora Lucy Ferreira Azevedo é graduada em Letras, pela Universidade de Mogi das Cruzes (1973); mestra em Educação, pela UFMT (1999); doutora em Língua Portuguesa, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006); pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Comunicação e Cultura (Nucom) – Comunicação Social – Instituto de Linguagens, linha de pesquisa: Comunicação e Cultura, UFMT. Leciona Português e Lingüística na Universidade de Cuiabá – Grupo IUNI Educacional. Publicou o livro Lendo Lendas (Carlini & Caniato Editorial, 2005); é coordenadora do Processo Seletivo e do Curso de Letras da UNIC; integrante e pesquisadora do GEL-USP; revisora e organizadora de diversas publicações; foi orientadora do Mestrado em Educação da UNIC e professora da Pós-graduação da Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro-RJ.

Autora: Lucy Ferreira Azevedo Edição: 1ª Data de Publicação: 2005 ISBN: 85-99146-03-3 Tamanho: 15,5 x 22,3 cm Nº de páginas: 88 Gênero: Contos Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

85


Paixões em Manuel de Barros A importância de ser pantaneiro Autora: Lucy Ferreira Azevedo Sobre a obra Neste livro, a autora analisa as paixões do pantaneiro/bugre na obra de Manoel de Barros, poeta enraizadamente pantaneiro, que ressalta em sua produção poética as cores e a geografia do Pantanal. As paixões, que afloram em sua poética, permitem uma visão privilegiada dos modos de constituição e de construção lingüística dessas paixões.

Sobre a autora Lucy Ferreira Azevedo é graduada em Letras, pela Universidade de Mogi das Cruzes (1973); mestra em Educação, pela UFMT (1999); doutora em Língua Portuguesa, pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (2006); pesquisadora do Núcleo de Pesquisa em Comunicação e Cultura (Nucom) – Comunicação Social – Instituto de Linguagens, linha de pesquisa: Comunicação e Cultura, UFMT. Leciona Português e Lingüística na Universidade de Cuiabá – Grupo IUNI Educacional. Publicou o livro Lendo Lendas (Carlini & Caniato Editorial, 2005); é coordenadora do Processo Seletivo e do Curso de Letras da UNIC; integrante e pesquisadora do GEL-USP; revisora e organizadora de diversas publicações; foi orientadora do Mestrado em Educação da UNIC e professora da Pós-graduação da Universidade Gama Filho, no Rio de Janeiro-RJ. Autora: Lucy Ferreira Azevedo Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-55-2 Tamanho: 13,8x20,8 cm Nº de páginas: 136 Gênero: Tese dissertação Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 25,00

86


Plantas Medicinais de Mato Grosso A Farmacopéia popular dos raizeiros Autora: Mari Gemma De La Cruz Sobre a obra Plantas Medicinais de Mato Grosso: a farmacopéia popular dos raizeiros apresenta o conhecimento dos raizeiros da medicina popular, com o objetivo de reconhecê-lo como tradição, preservá-lo e fomentar seu uso pela sociedade. São 207 espécies medicinais provenientes, principalmente, da flora mato-grossense, relacionadas nesta obra, com seus diversos nomes populares, identificação botânica, partes usadas, indicações, formas de uso, locais e cuidados de coleta, secagem e armazenamento. Preparação de remédios caseiros e reações adversas no uso de plantas medicinais são, também, algumas das informações abordadas pela autora e comentadas pelos raizeiros em Cuiabá.

Sobre a autora Mari Gemma De La Cruz, Mestre em Saúde e Ambiente e Consultora na área de: Plantas Medicinais, Homeopatia, Aromaterapia e Educação Ambiental

Autora: Mari Gemma De La Cruz Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-99146-51-4 Tamanho: 13,8 x 22,8 cm Nº de páginas: 224 Gênero: Farmacologia Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: R$ 30,00

87


Geografia de Mato Grosso Autora: Ivane Inêz Piaia Sobre a obra Buscando contribuir para o preenchimento de um grande vazio existente no campo da literatura didático/geográfica em Mato Grosso, este livro traz importantes subsídios para o conhecimento dos aspectos regionais e oportuniza reflexões sobre a realidade mato-grossense. O livro aborda tema de interesse para a área e destaca as unidades: Formação do Espaço de Mato Grosso, Geografia da Riqueza, Geografia da Pobreza e Questão Ambiental, numa linguagem que analisa a paisagem como resultado das relações que os homens estabelecem entre si e com a natureza ao longo do processo histórico. Como parte da globalização da economia capitalista que busca a aceleração da circulação do capital e sua correspondente acumulação, a construção do espaço no Estado de Mato Grosso está a exigir reflexões sobre a completa relação entre o global e a realidade do lugar, onde a unidade do fenômeno e da essência se realiza.

Sobre a autora Ivane Inêz Piaia, de Palmitinho/RS, graduação: Licenciatura Plena em Geografia pela UNIJUI – Universidade de Ijuí, pós-graduação – Especialização em Geografia Regional- sub área: geografia agrária. Mestrado em Educação – sub área: formação do educador, atualmente coordenadora pedagógica da área de Ciências Humanas do Colégio Coração de Jesus. Publicações: Artigo no Caderno de Educação, EdUNIC, 2001; título: A Educação e o Ensino de Geografia; Artigo na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de MT; título: O Ensino de Geografia de Mato Grosso: Práticas e Reflexões; Conhecendo a Geografia de Mato Grosso pela, TantaTinta (2005).

Autora: Ivane Inêz Piaia Edição: 3ª Data de Publicação: 2003 ISBN: 85-86914-11-8 Tamanho: 26 x 20 cm Nº de páginas: 184 Gênero: Didático Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUNIC Preço: R$ 34,00

88


Matemática Financeira Computacional Autor: Joaquim Eduardo de Moura Nicácio Sobre a obra Voltada para alunos, professores e profissionais do mercado, que buscam rápido conhecimento dos conceitos básicos da Matemática Financeira, a obra é munida de material sobre a história da Matemática, simulação de problemas e estudos de caso prático, tudo isso numa abordagem simples e de fácil compreensão. A metodologia pedagógica propõe o acompanhamento dos estudos pelo programa matemático Maple 10 (ou outra versão dele), apontado pelo autor como uma ferramenta criativa que estimula o aprendizado da disciplina e quebra a frigidez do raciocínio lógico.

Sobre o autor Joaquim Eduardo de Moura Nicácio é Mestre em Agricultura Tropical, Contador, Pesquisador nas áreas de Contabilometria e Custos Empresariais. Professor no Departamento de Ciências Contábeis da FAECC/ UFMT e no Departamento de Matemática da mesma Instituição. Autor de diversas obras na área da Contabilidade, dentre elas “Introdução à Contabilidade de Custos” (obra esgotada).

Autor: Joaquim Eduardo de Moura Nicácio Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-44-6 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0254-8 (EdUFMT) Tamanho: 20,8 x 27,6 cm Nº de páginas: 128 Gênero: Matemática Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 20,00

89


Gestão de Custos Empresariais Autor: Joaquim Eduardo de Moura Nicácio Sobre a obra Destinado principalmente aos alunos dos cursos de Administração, Ciências Contábeis e Engenharia de Produção. No entanto pode e deve ser utilizado em cursos onde há o envolvimento da atividade produção. A utilização de softwares matemáticos e estatísticos permite a reprodução e simulação de vários exercícios. O prompt do Maple 10 é apresentado com o seguinte símbolo ( > ) e o do Matlab 6.5 com o símbolo ( >> ). Como conseqüência os comandos desses softwares vêm precedidos deles. Também foi utilizado o software SPSS 10. A estatística Bootstrap é apresentada simultaneamente pelo Maple 10 e pelo Matlab 6.5 com os recursos gráficos que dão maior confiança ao leitor. Essa estatística é utilizada quando temos um conjunto finito de observações independentes entre si e com a mesma probabilidade de ocorrência mas, com uma dificuldade: esse conjunto não é passível de ser obtido em outra ocasião logo, pelo mecanismo estatístico da reposição, pode-se obter um número elevado de amostras de mesmo tamanho do mesmo conjunto. Foi introduzida a média Bootstrap, que é uma aplicação do teorema do limite central, que demonstra a tendência da distribuição de médias de um número muito grande de amostras apresentar uma distribuição normal onde se pode obter a média populacional, para permitir simular casos reais pois, é uma técnica em franco uso e os comandos estão contidos no próprio livro para permitir o desenvolvimento de pesquisas e facilitar o aprendizado dos pacotes matemáticos. Autor: Joaquim Eduardo de Moura Nicácio Edição: 1ª

Sobre o autor

Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-76-7 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0310-1 (EdUFMT)

Joaquim Eduardo de Moura Nicácio é Mestre em Agricultura Tropical, Contador, Pesquisador nas áreas de Contabilometria e Custos Empresariais. Professor no Departamento de Ciências Contábeis da FAECC/ UFMT e no Departamento de Matemática da mesma Instituição. Autor de diversas obras na área da Contabilidade, dentre elas “Introdução à Contabilidade de Custos” (obra esgotada).

Tamanho: 20,8 x 27,6 cm Nº de páginas: 92 Gênero: Finanças Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 20,00

90


História de Mato Grosso Para Concursos e Exames Vestibulares Autora: Else Dias de Araújo Cavalcante Sobre a obra O livro traz a história de Mato Grosso, desde as narrativas dos primeiros portugueses que chegaram ao Brasil no século XVI, até os fatos que marcam a contemporaneidade mato-grossense. A obra está dividida em três partes: Colônia, República e Nova República, onde ao término de cada uma das partes, há a proposta de auto-avaliação do leitor, através de atividades elaboradas pela própria autora, além daquelas extraídas de vestibulares de universidades públicas e privadas dos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e de outros concursos.

Sobre a autora Else Dias de Araújo Cavalcante, é especialista em História de Mato Grosso e Mestre em História, pela Universidade Federal de Mato Grosso. É professora da rede particular de ensino, na qual ministra aulas no ensino médio e em cursos de pós-graduação. É co-autora do livro Mato Grosso e sua história e autora do livro Imagens de uma epidemia.

Autora: Else Cavalcante Edição: 2ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-99146-36-1 Tamanho: 21 x 28 cm Nº de páginas: 112 Gênero: Didático Editora: Carlini & Caniato Editorial Preço: ESGOTADO

91


Desmontando os Quadrinhos – História em Quadrinhos, Educação e Regionalidade Autor: Gabriel de Mattos Sobre a obra Este livro traz uma série de questões, abordadas de maneira simples e prática, baseadas em análises fundamentadas e uma longa reflexão, produzidas por quem tem experiência dos dois lados da prancheta: como produtor de quadrinhos e como pesquisador desse meio. O autor trafega pelos meandros da teoria sem deixar nunca de perder o grande apelo afetivo, quase militante, de deslindar os caminhos de uma prática profissional que agora encontra seu lugar de destaque tanto na academia quanto nas prateleiras dos livreiros. Partindo da reflexão da sala de aula, resgatando uma história regional dos quadrinhos, desenvolvendo um instrumento de análise dos tipos de desenho utilizados pelo meio, o autor chega a propor uma graphic novel seriada, baseada numa realidade pouco conhecida, da qual apresenta aqui um primeiro volume.

Sobre o autor Gabriel de Mattos é arquiteto, escritor e quadrinista. Tem uma trajetória singular em cada uma dessas atividades, extrapolando limites e participando ora como produtor, ora como agitador cultural-educativo. Atualmente é Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFMT, sendo Mestre em Educação com a dissertação que serviu de base para este livro. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, tem participado da discussão e divulgação da história regional com o romance República Transatlântica (Carlini e Caniato, 2005), e os álbuns de quadrinhos Quadricrônicas (EdUFMT, 2005) e Destino Oeste (TantaTinta, 2005), este último em parceria com Ricardo Leite, com quem acabou de produzir Volcanya Blues. Trabalhou como editor de quadrinhos para jornais e revistas locais, teve contos, artigos e cartuns publicados na imprensa nacional. Seu livro de contos A Geringonça (Via Lettera, 2002) foi selecionado no Programa Nacional de Bibliotecas de Escola do Ministério da Educação. Tem ainda publicados o romance Doce Irresponsabilidade (Carlini e Caniato, 2005) e Cuiabá: Duas Novelas (TantaTinta, 2003).

Autor: Gabriel de Mattos Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-99146-84-2 (Carlini & Caniato) 978-85-327-0307-1(EdUFMT) Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 256 Gênero: História dos Quadrinhos Editoras: Carlini & Caniato Editorial e EdUFMT Preço: R$ 38,00

92


Arco-íris, poemas infantis Autora: Rosana Caldas Sobre a obra A obra contém 27 poemas voltados para o público infanto-juvenil, acompanhados por delicadas e bem humoradas ilustrações exclusivas. Arco-íris é fruto de muita criatividade e sensibilidade da autora, a qual nas páginas deste livro materializa seu desejo em despertar, não somente em suas filhas, mas em todas as crianças o poder de se deixar transportar pela literatura. Os poemas passeiam pelo mundo das cores, dos sonhos e das virtudes, fazendo de sua leitura uma deliciosa brincadeira.

Sobre a autora Rosana Caldas. Nasceu em Cuiabá-MT, é formada em Direito, pelo Instituto Metodista Bennett, no Rio de Janeiro-RJ e juíza do trabalho. Rosana é casada e tem duas filhas, Bárbara, com 9 anos e Luísa, com 6. Publicou em 2009 o livro de poesias “Alma Feminina”, pela Carlini & Caniato Editorial.

Autora: Rosana Caldas Ilustrações: Marcelo Cabral Edição: 1ª Data de Publicação: 2010 ISBN: 978-85-89560-26-9 Tamanho: 21 x 28 cm Nº de páginas: 48 Gênero: Poesia Infanto-juvenil Editora: TantaTinta Preço: R$ 30,00

94


Bichonário do Pantanal Autoras: Iraci C. Romagnolli Dias e Teresinha Helena da S. Ferreira Sobre a obra O Bichonário do Pantanal é um dicionário ilustrado, alegre, divertido e recheado de curiosas informações, que leva a criança a um passeio animado pelo alfabeto. Além de aprender a ler e a escrever, a criança aprende sobre a conservação do meio ambiente, hábitos culturais, fauna e flora do Pantanal, brinca com os passatempos e pinta. Das mesmas autoras do livro Conhecendo a Fauna do Pantanal de A a Z, o Bichonário segue a proposta de que é possível aprender de forma diferente.

Sobre as autoras Iraci C. Romagnolli Dias é natural do interior de São Paulo, formada em Pedagogia Infantil, pela Universidade de Cuiabá e especialista em Educação Infantil, pelo Instituto de Pesquisas Avançadas em Educação, do Rio de Janeiro. Iniciou a profissão na Classe de Alfabetização, em Cuiabá – MT, na qual atua até hoje. Teresinha Helena da S. Ferreira é de Visconde do Rio Branco, interior de Minas Gerais. Ainda na adolescência lecionou na zona rural, seu primeiro contato com a sala de aula, mas foi em Mato Grosso, na década de 1970, que a experiência como professora se tornou significativa, quando passou a alfabetizar crianças da rede pública.

Autoras: Iraci C. Romagnolli Dias e Teresinha Helena da S. Ferreira Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-89560-23-8 Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 56 Gênero: Didático Infantil Editora: TantaTinta Preço: R$ 25,00

95


Conferência no Cerrado Autores: Durval de França e Cristina Campos Sobre a obra Conferência no Cerrado é uma narrativa infanto-juvenil com temática voltada à questão ambiental. A história, escrita originalmente por Durval de França e recriada por Cristina Campos, tem como protagonistas seres encantados que povoam o imaginário de culturas tradicionais da Baixada Cuiabana: Currupira, Pé de Garrafa, Negrinho D’Água, Mãe do Morro, Tibanaré e Boitatá. Sob inspiração de Currupira, essas forças protetoras da natureza, indignadas com a ação predadora do homem sobre o meio ambiente, organizam uma conferência na caverna Aróe-Jari, em Chapada dos Guimarães-MT, para discutir que providências tomar a respeito. Suas estratégias de deslocamento até a caverna são fantásticas. O evento, revestido de magia, dá muito que falar e mobiliza todo o povo da região. Chama atenção a impecável ilustração de Ricardo Leite, que amplia a recepção da obra para um público universal.

Sobre os autores Durval de França graduou-se em Biologia, pela Universidade Federal de Goiás (1970); em Pedagogia, pela Universidade Federal de Mato Grosso (1981) e especializou-se em Didática, pela Faculdade de Educação de Assis-SP (1989). Foi professor da rede pública municipal e estadual. Publicou os livros Quadra do Tempo (1975), Além dos Pântanos (1984), e Pantanal e a Mãe do Morro (1996), além de crônicas e contos em jornais mato-grossenses. Escreveu, também, as peças teatrais Sonhos de Tereza e Quadra do Tempo (1975), adaptada do livro homônimo. Faleceu em Cuiabá-MT, em 1998.

Autores: Durval de França e Cristina Campos Edição: 1ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-89560-22-1 Tamanho: 17 x 24 cm

Cristina Campos é graduada em Letras, pela Universidade Federal de Mato Grosso (1983), e doutora em Educação, pela Universidade de São Paulo (2007). Leciona Português e Literatura no Centro Federal de Educação Tecnológica de Mato Grosso. Publicou o livro Pantanal Mato-grossense: o Semantismo das Águas Profundas (Entrelinhas, 2004); é produtora da publicação literativa Dazibao, fruto de um projeto que estimula a criação literária a partir de laboratórios vivenciais, realizado com professores e alunos do IFMT e outras instituições educacionais; é revisora e organizadora de diversas publicações.

Nº de páginas: 56 Gênero: Conto Infanto-juvenil Editora: TantaTinta Preço: R$ 25,00

96


Destino Oeste Autor: Gabriel de Mattos e Ricardo Leite Sobre a obra Duas histórias em quadrinhos sobre o caminho para Mato Grosso, baseadas em momentos reais da história local, durante a década de 1920. O visual foi desenvolvido após meticulosa pesquisa iconográfica, em inúmeros arquivos e fotos da época. Na primeira história, Janeiro 1927, um velho militar se prontifica, por amor, a ser o guardião do Pantanal contra a Coluna Prestes, que acaba não chegando. Um destino trágico, apaixonado e heróico espera esse personagem. É o momento onde os caminhos para o interior eram os rios, quando as matas e florestas ainda intocadas significavam a solidão e a esperança. A segundo história, Asas, narra as peripécias dos primeiros aviões que chegaram em Mato Grosso, com destaque para a disputa pelo primeiro pouso em Cuiabá, onde está em jogo mais que o prêmio oferecido pelo governador do estado em 1929. Com os espaços aéreos sendo desbravados pela primeira vez, o Coração da América é local de uma disputa geopolítica envolvendo não só dois países, França e Alemanha, mas também duas grandes empresas multinacionais de aviação. Nessa disputa vale tudo, até buscar um famoso ás dos ares, um pioneiro da época romântica dos biplanos sem muita autonomia de vôo.

Sobre os autores Gabriel de Mattos, mato-grossense nascido em Minas Gerais, teve seu primeiro conto publicado em 1978, no jornal Folha de Londrina. De lá pra cá fez um pouco de tudo: foi tecladista do conjunto Peça Original, ilustrador da revista Poetagem(RJ); teve cartuns publicados no Pasquim em 1984, ano em que se formou em Arquitetura pela UFRJ. De volta a Mato Grosso em 1986, inicia intensa atividade na imprensa local, publicando vários contos em jornais e revistas, além de artigos e resenhas.

Autor: Gabriel de Mattos e Ricardo Leite Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-89560-08-2 Tamanho: 21 x 28 cm Nº de páginas: 48 Gênero: História dos Quadrinhos Editora: TantaTinta

Ricardo Leite tem paixão por quadrinhos, tem trabalhos estampados em camisetas no Japão, ilustrações para livros educativos na Austrália, além de várias colaborações em cartilhas, livros infantis, ilustrações publicitárias e animações em 2D para comerciais. Foi o primeiro lugar na categoria História em Quadrinhos no X Salão Nacional de Humor e Quadrinhos de Ribeirão Preto 2001, com a HQ Lhéovis. Participou da primeira fase do Diarinho, do jornal Dário de Cuiabá.

Preço: R$ 27,00

97


Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar Autora: Neusa Baptista Pinto Sobre a obra A descoberta da beleza própria e a auto-aceitação são o assunto central deste livro. A história da amizade entre três meninas negras e pobres, que enfrentam as manifestações preconceituosas com relação ao seu cabelo crespo e vão, aos poucos, aprendendo a aceita-lo, a brincar com ele e amálo do jeito que é. Surgem novos penteados e com eles também novas formas de ver a si e ao outro, coragem e ousadia para fazer e ser diferente.

Sobre a autora Neusa Baptista Pinto, 31 anos, é jornalista formada em Comunicação Social pela Universidade Federal de Mato Grosso. “Cabelo Ruim? A história de três meninas aprendendo a se aceitar” é sua primeira aventura literária publicada. O livro integra seu projeto “Pixaim: Nem bom, nem ruim – Apenas diferente”, cujo objetivo é estimular a valorização do cabelo crespo. Natural de Lençóis Paulista (SP), há 20 anos vive em Cuiabá, Mato Grosso.

Autora: Neusa Baptista Pinto Edição: 2ª Data de Publicação: 2009 ISBN: 978-85-89560-17-7 Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 40 Gênero: Conto Infanto-juvenil Editora: TantaTinta Preço: R$ 20,00

98


As aventuras de Mundinho: O quati curioso Autor: Richard Mason Sobre a obra “Mundinho” é a personagem principal de uma série de cinco aventuras: Mundinho no Cerrado; Mundinho no Pantanal; Mundinho na Floresta; Mundinho na Cidade e Mundinho na Fazenda. O nosso pequeno aventureiro, um quatizinho curioso e assustado, ávido por novas emoções, tem um papel bastante claro e objetivo: divertir e principalmente, ensinar as crianças. Através do “Mundinho”, elas aprendem sobre a fauna e a flora brasileiras, e entram em contato com conceitos básicos de cidadania e preservação ambiental, representados em lúdicas aventuras, próprias do universo infantil. Em meio as suas peripécias Mundinho se depara com animais que habitam os diversos eco-sistemas brasileiros, sua investigação por suas características e hábitos se traduz em conhecimento e valorização de nossa rica fauna. As ilustrações, primorosas em detalhes e de espetacular beleza plástica, transportam nossos pequenos leitores a um mundo de pura fantasia, recheado de plantas, paisagens e animais brasileiros.

Sobre o autor Richard Mason é inglês e vive no Brasil há mais de 40 anos, mais precisamente no Mato Grosso e em sua região pantaneira, o que o inspirou para criar sua personagem principal de muitas aventuras Mundinho. Além de escrever as histórias Richard também as ilustrou, com belíssimas aquarelas que, com riqueza de detalhes apresentam às crianças parte da fauna e da flora brasileira, desconhecida da maioria delas. Ensinar através da sua criação, texto e ilustração é para Richard Mason a expressão de uma preocupação com o aprimoramento da educação infantil.

Autor: Richard Mason Edição: 1ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-89560-15-5 Tamanho: 20,8 x 13,8 cm Nº de páginas: 64 Gênero: Literatura Infantil Editora: TantaTinta Preço: R$ 24,00

99


Conhecendo a Geografia de Mato Grosso Autora: Ivane Inêz Piaia Sobre a obra “A obra para o ensino fundamental, tem a intenção de preencher a lacuna do ensino dirigido ao conhecimento geográfico de nosso Estado. “Conhecendo a Geografia de Mato Grosso” tem o objetivo de fornecer instrumentos para que o professor do Ensino Fundamental possa trabalhar os conteúdos da Geografia Regional de forma prazerosa e atrativa para os alunos. Produzido segundo a linha de pensamento da Geografia Crítica a qual entende que a organização do espaço geográfico é feita através do trabalho humano, ou seja, é através do trabalho que os homens interagem com o meio, criam e organizam as suas condições de sobrevivência , desenvolvimento material, suas referências pessoais e seus sistemas de valores. O livro tem como fio condutor o diálogo e explicações de uma professora e sua turminha de alunos, complementados por textos explicativos específicos do assunto em questão, exercícios, dicionário técnico de palavras novas ao universo infantil, fragmentos de textos publicados em jornais e revistas, sugestões de atividades para a sala, além de fotos e simpáticas ilustrações produzidas exclusivamente para esta publicação.

Sobre a autora Ivane Inêz Piaia, de Palmitinho/RS, graduação: Licenciatura Plena em Geografia pela UNIJUI – Universidade de Ijuí, pós-graduação – Especialização em Geografia Regional- sub área: geografia agrária. Mestrado em Educação – sub área: formação do educador, atualmente coordenadora pedagógica da área de Ciências Humanas do Colégio Coração de Jesus. Publicações: Artigo no Caderno de Educação, EdUNIC, 2001; título: A Educação e o Ensino de Geografia; Artigo na Revista do Instituto Histórico e Geográfico de MT; título: O Ensino de Geografia de Mato Grosso: Práticas e Reflexões; Geografia de Mato Grosso pela EdUNIC, 3ª edição.

Autora: Ivane Inêz Piaia Edição: 2ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 85-89560-07-4 Tamanho: 21 x 28 cm Nº de páginas: 64 Gênero: Didático Ensino Fundamental Editora: TantaTinta Preço: R$ 31,50

100


Dona Treleleca e seu Trelelezinho Autora: Danuza Soares Lenzi Sobre a obra Trelelezinho, um simpático potrinho se perde na floresta e sai em busca de sua querida mãe: Dona treleleca uma potra preta com rabo e crina branca. Em meio a aventura o trava-língua se repete várias vezes podendo ser tema de aprendizado fonético de várias brincadeiras infantis.

Autora: Danuza Soares Lenzi Edição: 1ª Data de Publicação: 2008 ISBN: 978-85-89560-21-4 Tamanho: 13,8 x 20,8 cm Nº de páginas: 32 Gênero: Poemas Editora: TantaTinta Preço: R$ 10,00

101


Uma Inesquecível Viagem Vivenciando o Turismo Rural Autor: Paulo Cesar Prince Ribeiro Sobre a obra Nesta história, Mariana e Manolito aventuram-se numa nova experiência da qual eles nunca mais se esquecerão: vivenciar e conhecer uma outra cultura através do Turismo Rural, que ajuda a manter e resgatar os costumes de um povo, promovendo intercâmbios, despertando a consciência ecológica a fim de estimular a preservação da natureza. Este tipo de turismo procura melhorar a qualidade de vida das comunidades envolvidas, gerando rendas, empregos e diminuindo o êxodo rural, além, é claro, de estimular o prazer de passear por estradinhas de terra, respirar ar puro, ter contato com os animais e com todas as manifestações da natureza e cultura locais, sempre com muito respeito e alegria. Uma viagem inesquecível está dentro das páginas deste livro, dentro de cada cantinho das cidades e vilarejos do interior de nosso país e, mais ainda, dentro dos coraçõezinhos de nossos pequenos viajantes.

Sobre o autor Paulo Cesar Prince Ribeiro graduou-se em Arquitetura e Urbanismo pela Universidade de Mogi das Cruzes (UMC-SP). Pós-graduou-se em Planejamento e Marketing Turístico, e também em Administração Hoteleira, pela Faculdade SENAC de Turismo e Hotelaria de Campos do Jordão-SP. É professor de Turismo e Hotelaria, consultor de Turismo, Planejamento, Marketing turístico e Administração Hoteleira.

Autor: Paulo Cesar Prince Ribeiro Edição: 1ª Data de Publicação: 2007 ISBN: 978-85-89560-19-1 Tamanho: 17 x 24 cm Nº de páginas: 48 Gênero: Literatura Infantojuveni/Turismo Rural Editora: TantaTinta Preço: R$ 24,00

102


Cuiabá: 2 Novelas Autor: Gabriel de Mattos Sobre a obra Cuiabá: 2 Novelas é um livro aparentemente inusitado. Tramas e dramas banais enfim não é isso a própria vida?, – cotidianos miúdos – quanto mais humanas, mais literárias as personagens – elaboram uma Cuiabá diluída num passado recente. Meire, de Tardes Mortas, a 1ª novela, acompanha a lentidão das mudanças no cenário da cidade, pro-vavelmente do início dos anos 1980, nas suas próprias ansiedade, angústia e lentidão calorentas. As transformações modernizantes do espaço interiorizam-se e revelam-se no seu próprio corpo. Verão Azul, a 2ª novela, reúne um grupo de personagens que transita por esta mesma Cuiabá em lento movimento. E se pouco ou nada acontece com elas, há ali, no entanto, numa poética suave, o embrião de um rebojo que transformou o tempo e o espaço da cidade.

Sobre o autor Gabriel de Mattos é arquiteto, escritor e quadrinista. Tem uma trajetória singular em cada uma dessas atividades, extrapolando limites e participando ora como produtor, ora como agitador cultural-educativo. Atualmente é Coordenador do curso de Arquitetura e Urbanismo da UFMT, sendo Mestre em Educação com a dissertação que serviu de base para este livro. Sócio do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso, tem participado da discussão e divulgação da história regional com o romance República Transatlântica (Carlini e Caniato, 2005), e os álbuns de quadrinhos Quadricrônicas (EdUFMT, 2005) e Destino Oeste (TantaTinta, 2005), este último em parceria com Ricardo Leite, com quem acabou de produzir Volcanya Blues. Trabalhou como editor de quadrinhos para jornais e revistas locais, teve contos, artigos e cartuns publicados na imprensa nacional. Seu livro de contos A Geringonça (Via Lettera, 2002) foi selecionado no Programa Nacional de Bibliotecas de Escola do Ministério da Educação. Tem ainda publicados o romance Doce Irresponsabilidade (Carlini e Caniato, 2005) e Cuiabá: Duas Novelas (TantaTinta, 2003).

Autor: Gabriel de Mattos Edição: 2ª Data de Publicação: 2006 ISBN: 85-89560-12-0 Tamanho: 20 x 14 cm Nº de páginas: 96 Gênero: Literatura Juvenil Editora: TantaTinta Preço: R$ 23,00

103


editora-carlini-caniato.blogspot.com/

editora-tantatinta.blogspot.com/

Editora TantaTinta e Carlini&Caniato Rua Nossa Senhora de Santana, 155 - Ed. Acarรก, Goiabeira comercial@tantatinta.com.br

(65) 3023-5714

Carlini e Caniato 2011  

catálogo editora Carlini e Caniato 2011

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you