Issuu on Google+

vniraids

y H I viva ]

ff\รก


Qual a diferença entre Satanás e Diabo? Como é o reino da luz e o reino das trevas? Quais são os Princípios para a batalha espiritual e as áreas de atuação dos principados? Você precisa compreender como funciona o mundo invisível dos seres espirituais. O Autor

B

Es Neste livro sobre batalha espiritual você encontrará mais um capítulo do desenrolar deste enredo do qual eu e você fazemos parte. Um livro completo que contém ensinamentos profundos e importantes para você se preparar para as batalhas espirituais que são enfrentadas diariamente nesta vida.


Batalha Espiritual


Batalha Espiritual Robson Rodovalho

Sara Brasil Edições e Produções


Batalha Espiritual Copyright© 2012 by Sara Brasil Edições e Produções Copyright © 2012 by Robson Rodovalho Publicado sob licença de Sara Brasil Edições Diretora Ana Lia Clerot Coordenação Editorial Fernanda Araújo Revisão Editorial Janaína Meilman Preparação de texto e Revisão: Pr. Luiz Roberto Cascaldi Revisão Ortográfica: Polyane Santos da Hora Capa Gilvando Maciel

Produzido por Sara Brasil Edições e Produções www.sarabrasil.com.br QMSW 4 Lote 7/8 - Setor Sudoeste CEP: 70680-400 - Brasília - DF Telefone: (61) 3535-9000 / 3035-9044 / 3035-9049 Printed in Brazil


Sumário APRESENTAÇÃO

Um dia na eternidade

7

INTRODUÇÃO A Diferença entre Satanás e Diabo

27

PRIMEIRA CAPÍTULO CAPÍTULO CAPÍTULO CAPÍTULO

PARTE 1 O Reino da Luz e o Reino das Trevas 2 Princípios para a Batalha Espiritual 3 As Áreas de Atuação dos Principados 4 A Defesa do Crente contra Satanás

31 33 65 93 137

SEGUNDA CAPÍTULO CAPÍTULO CAPÍTULO CAPÍTULO CAPÍTULO

PARTE 5 A Batalha Espiritual que Vivemos 6 Liberando o Mover de Deus 7 O que Toca uma Geração?. 8 Meios Para Tocar uma Geração 9 Possuindo Nossa Herança

757 153 183 277 257 273

CONCLUSÃO

257

ANEXOS

301

REFERÊNCIAS

BIBLIOGRÁFICAS.

Biografia e Bibliografia de Robson Rodovalho

BATALHA ESPIRITUAL-5

J27 323


APRESENTAÇÃO Um dia na eternidade

BATALHA ESPIRITUAL-7


Ezequiel 28:4-19 "...pela tua sabedoria e pelo teu entendimento, alcançaste o teu poder e adquiriste ouro e prata nos teus tesouros; pela extensão da tua sabedoria no teu comércio, aumentaste as tuas riquezas; e, por causa delas, se eleva o teu coração, assim diz o SENHOR Deus: Visto que estimas o teu coração como se fora o coração de Deus, e/s que eu trarei sobre ti os mais terríveis estrangeiros dentre as nações, os quais desembainharão a espada contra a formosura da tua sabedoria e mancharão o teu resplendor. Eles te farão descer à cova, e morrerás da morte dos traspassados no coração dos mares. Dirás ainda diante daquele que te matar: Eu sou Deus? Pois não passas de homem e não és Deus, no poder do que te traspassa. Da morte de incircuncisos morrerás, por intermédio de estrangeiros, porque eu o falei, diz o SENHOR Deus. Veio a m/m a palavra do SENHOR, dizendo: Filho do hoBATALHA ESPIRITUAL-9


mem, levanta uma lamentação contra o rei de Tiro e dize-lhe: Assim diz o SENHOR Deus: Tu és o sinete da perfeição, cheio de sabedoria e formosura. Estavas no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ônix, o jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engastes e os ornamentos; no dia em que foste criado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e te estabeleci; permanecias no monte santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniquidade em ti. Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei perecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por causa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem. Pela multidão das tuas iniquidades, pela injustiça do teu comércio, profanaste os teus santuários; eu, pois, fiz sair do meio de ti um fogo, que te consumiu, e te reduzi a cinROBSON RODOVALHO -10


Li-ivrumidsavmviva

-IV o LUOD |DiD9ds9 opueBo omn DJDÒ ODÒ Duun DIADLI OJU9LUOLU 9|9nbDN •OpD69Lp-LU9D9J

odoiB ossou j9q9O9J :sossiLuojdujoo snes ap LUn SIDLU 0p OLJUILUDD D DAD|S9 |9|Á9|-| 9 'OLU -|SS]4|V Op SDJAD|Dd SD JD|p8J 'Z8A DLUH SIDLU

'ujsssspnd sojunf snb ojod ujejcjunfo es sodojj sons DADpJDnBo leuqoQ 'ODisnqujoo LU8 LUDIpJD DpUID anb SD|9J|S9 SDLUn6|D JDj -ISIA DJDd 'OSJ9A|Un Op ODÒDUO 9JU9D9J S|DLU DHS 9p

9|JDd DLUn J9JJOOJ9d DJDd OLUISSJUV

O|9d OPDIAU9 DJO.[ |9n6l\A| OfUDOJV O 'S9JU9J S9OÒ9JIP JOd 9H69S S9|9p LUH DPD3

'9pDpi|iqDSuods9J 9P 9 OL)|DqD4 9p

SOJI9L|UDdLUO3 SH9S LUOD

94U9LUD|Unf 'SIDI|S9|9O SOq3DdS9p 9p ODSS9S DOS OPDUILUJ9J DIADLI 9|3 'OUJISSJ4IV Op OIJDn| -UDS

Op //DL/ Op DJO.| 9p OljDd OU DADpJDflBD

o 9nb SOÍUD 9p odm6 ougnb9d op DLU|xojdD 9S SID||S9|93 SIDJOO SOp 9JU969J 9 ODÒDJOpV

op LU|qnj9nç) o DJ9 LU9qLUD| 9nb Dp OfUDDJV O '|9|A9(-| 94UD|SUI 9|9nbDN

,/SDj/js/sqns S/DLUDÍ a OJL/DCÍSS sp ojo/qo JQS o .'/j ap sopoiuodss oojsa SOAOC! só BJ^JS anb só sopoj_ 'LUD/dLuejuoo a^ anb só sopo^ ap SOL//O soo 'DJJBI o ajqos SDZ


tíssimo, um pouco antes da celebração da adoração diária. O grupo de seres espirituais se faz apresentar pelo anjo Mychael, que se aproxima de Heylel dizendo: "Sabemos que vossa Santidade não exigirá nada de nossa pequena e inexpressiva legião, mas não poderíamos deixar de trazer algumas pedras preciosas, o precioso metal ouro e algumas pedras de bdélio e ametista". "De forma alguma", replica Heylel, "não precisavam trazer nada para m/m, apenas celebrem o Altíssimo." "Não se preocupe, que de nossa chusma tem o suficiente para abastecer a ministração ao nosso Adorado YAVEH, mas não poderíamos nos esquecer jamais de uma porção para vossa Santidade, que se apresenta tão solícito quando necessitamos e especialmente quando ministra os coros em louvor e adoração e se volta para nós". Heylel se enche de prazer ao ouvir aquelas palavras. E, naquele momento, ele está mais lindo que sempre. Suas faces brilham, reluzindo em seu tom dourado, coberto por seus cachos de cabelos negros. Suas mantas são de azul claro e estão envolvidas pelas peROBSON RODOVALHO-12


dras mais brilhosas e reluzentes, variando do azul ao carmesim e ao verde ocre. Todas se confundem parecendo um mar de vidro brilhante. Podia-se ver em seu rosto a expressão do prazer e da satisfação ao pegar em sua mão o pacote trazido por Mychael. "Ah, se eu pudesse eu abreviaria este tempo de espera de vocês, tão ocupados em seus afazeres diários. Imagino que tenham uma árdua tarefa a cumprir ainda hoje", disse com voz aveludada. Levantou seu rosto, arrumou seu cabelo e com olhos vagantes disse: "L/m dia mudaremos isto, e conto com vocês quando a hora chegar." Depois se levantou, rumou ao seu aposento e despejou seu mais novo pacote de aquisição sobre seu tesouro. Levantou algumas daquelas pedras e disse: "Vejam, meu tesouro aumenta a cada dia". Arrumou seus quadros e suas estatuetas na parede e disse: "Eu não tenho mais prazer em nada disso. Vocês não têm ideia de como se torna enfadonho e sem motivação ser vencido pela rotina. Os louvores e as adoBATALHA ESPIRITUAL-13


rações já não significam muito para m/m; tenho me sentido muito vazio e solitário". Olhou para fora por meio de uma fresta de seu aposento, viu o azul celeste mesclado ao vermelho que adornava naquele instante o Santuário do Altíssimo e disse: "Talvez esteja chegando a minha hora, em que irei demonstrar como posso fazer mais, fazer melhor por vocês, por todas as estrelas e por todos os universos e suas criaturas". Neste instante ele abriu um suave sorriso a Mychael que claramente estava muito embaraçado. Nos entreolhamos e Hagdy, o segundo na hierarquia da nossa legião, voltou-se a Mychael e disse: 'Temos de ajustar ainda nosso relatório e nossas solicitações. Seria importante gastarmos alguns instantes na antessala do Trono do Santíssimo". Mychael aprovou com um gesto de consentimento e respeitosamente se volta para Heylel e diz: "Com sua permissão". Saímos daquele ambiente pesado, confusos, nos entreolhamos e, sem ninguém dizer palavra alguma, podíamos nos comunicar por nosso silêncio. Pouco tempo depois um ROBSON RODOVALHO -14


dos assessores do guardião Heylel se apresenta e com sua voz de trovão anuncia nossa introdução à presença do Trono do Altíssimo. Como sempre, a presença do Altíssimo era indescritível. Sua face resplandecente, Seus cabelos dourados como rios de ouro, Sua majestade e a doçura de Sua voz nos envolveu a todos. Fomos embalados por um resplendor de glória inimaginável. O Altíssimo nos ouviu e atendeu e, com o poder e impacto de Sua presença, nos envolveu em Sua mais alta glória e majestade. Os momentos que passamos com Heylel nos foram apagados de nossa memória. Voltamos aos afazeres de nossa missão, até o dia em que vimos as sombras passando por todos os planetas e Universos, com gritos e uivos inexplicáveis que ressoavam em ondas sonoras até os confins de todo aquele mundo povoado pelos anjos do Altíssimo. As novas da rebelião de Heylel chegaram na mesma velocidade de sua queda. Parecia inimaginável pensar que um ser que possuía tudo o que todos os demais anjos e Arcanjos almejavam abrisse mão por "nada". BATALHA ESPIRITUAL-15


"Seu prazer era tentar ser semelhante ao Altíssimo. Estava obcecado por receber o louvor e as adorações que pertenciam ao Altíssimo, sentia que poderia ter seu próprio trono acima até mesmo do trono do Altíssimo", dizia o Arcanjo Miguel. Vimos sua sombra passar por sobre nossa base como um relâmpago em direção ao planeta azul, seu antigo quartel-general, transformando-o em um vazio absoluto e sem forma. Uma fumaça mesclada de espuma de enxofre e cloreto de sódio era vista a milhares de anos-luz, e um odor insuportável encheu nossos céus naquele instante. Vimos as faces de Miguel e Gabriel com seus semblantes de bravura e gravidade nunca vistos antes. Em meio ao rolo de fogo e trevas que se estendia, não conseguíamos ver a face de Heylel. Apenas ouvíamos os demais anjos fiéis ao Altíssimo dizerem: "Se/a expulso daqui, você e todos que contigo se amotinaram. A partir de agora o inferno e as trevas serão sua morada! Leve contigo todas as pedras e todos os presentes que você reuniu. Sua morada será nestas trevas a partir de agora, e o tormento será seu habitat", bradava Miguel ROBSON RODOVALHO-16


com sua voz firme e segura. E arrematou: "Seu nome de agora em diante será Satanás e demónio, pela sua natureza de atormentador e perturbador que deixaste entrar em sua alma". A partir daquele instante, o mundo mudou e virou de cabeça para baixo e nunca mais vimos Heylel, que agora se tornou Satanás. Nossas missões passaram a incluir rondas frequentes e lutas terríveis contra seu horrível exército desordeiro e maligno. Ezequiel 31:15-18 (NTLH): "O Senhor Deus d/z o seguinte: No dia em que a árvore descer ao mundo dos mortos, farei com que as águas que estão debaixo da terra a cubram, como sinal de tristeza. Farei com que os rios parem e não deixarei que os muitos ribeirões corram. A árvore morreu, e por isso trarei escuridão sobre os montes Líbanos e farei com que sequem todas as árvores da floresta. Quando eu a lançar no mundo dos mortos o barulho da sua queda, abalará as nações. Todas as árvores do Éden e todas as árvores do Líbano, as mais belas e mais bem regadas e que já BATALHA ESPIRITUAL-17


esfão no mundo lá de baixo, voo ficar conferi f es com a sua queda. E/as irão com e/a ao mundo dos mortos para se juntar com aquelas que já haviam caído. E todos os que viviam na sua sombra serão espalhados entre as nações. A árvore é o rei do Egito e todo o seu povo. Nem mesmo as árvores do Éden eram tão altas e vistosas. Mas agora, como as árvores do Éden, ela descerá ao mundo dos mortos e se juntará aos que não foram circuncidados e aos que forem mortos na guerra. Eu, o Senhor Deus, falei."

Esse texto é uma menção sobre o rei de Tiro e claramente uma simbologia à ação do Arcanjo Lúcifer antes de sua queda, tornando-se Satanás, enquanto ainda era um dos Arcanjos do Arcanjo do Senhor e estava a Seu serviço. Ele ajuntava para si riquezas em forma de pedras preciosas e fazia algum tipo de "comércio", ou seja, talvez ele negociava para ter "acesso ao trono do Altíssimo" de uma forma que não podemos imaginar, uma vez que ele era o querubim da guarda do Senhor. Você pode ver que o conceito de pedras preciosas e de riquezas provindas pelo ROBSON RODOVALHO-18


comércio já havia sido estabelecido naquele universo de seres espirituais. O restante da história todos nós já conhecemos - os impérios que se levantaram, os reinos e as guerras que se sucederam, tanto em nível natural quanto espiritual. Neste livro sobre Batalha Espiritual você encontrará mais um capítulo do desenrolar deste enredo do qual eu e você fazemos parte. Que você tenha paciência e coração para lê- Io e possa refletir profundamente a sua maneira de viver e de contribuir como cristão para esta batalha.

BATALHA ESPIRITUAL-19


INTRODUÇÃO A Diferença entre Satanás e Diabo

BATALHA ESPIRITUAL-21


Antes da vinda de Jesus Cristo o conceito de mundo espiritual já existia,inclusive com inúmeras menções de visões do céu, do trono, dos anjos do Senhor e outras criaturas celestiais. O interessante é que poucas vezes vemos a menção de Satanás no Velho Testamento. A palavra Satanás significa "aquele que resiste, que se opõe, que ataca". Ela aparece no Velho Testamento poucas vezes, como, por exemplo, em 1 Crónicas 21:1 onde diz que "Safanás incitou a Davi..." Mas é apenas uma referência neutra, relatando uma ação de Satanás. Outra citação está em l Samuel 14:14, onde fala que ...

BATALHA ESPIRITUAL-23


"...um espírito maligno da parte do Senhor atormentava Saul...."

Também, em Zacarias 3:1-5, encontramos o episódio que envolveu o sacerdote Zacarias que estava sendo resistido por Satanás, que estava à sua direita. Ainda, encontramos também a ação de Satanás nos primeiros versos do livro de Jó, capítulo l. Como vemos, em quase todos os versículos encontramos menções a Satanás em um contexto de relacionamento direto com o Senhor. Alguns versículos chegam a transparecer que a ação de Satanás era por orientação direta e explícita de Deus, como no caso de Jó e de Saul. Apenas em duas situações vemos Satanás agindo por sua própria iniciativa, como no caso de Davi e do sumo-sacerdote Zacarias, Se formos ainda mais exigentes do ponto de vista exegética, veremos que no livro de Génesis, capítulo 3:1-15, no grande episódio da queda de Adão, em que ele e Eva foram enganados pela serpente, não existe uma menção explícita sobre Satanás. Deduzimos que Satanás possuiu a serpente e agiu por meio de seu corpo, tornando-se o primeiro caso de possessão maligna nas Escrituras Sagradas. ROBSON RODOVALHO - 24


Outra interessante constatação é que não aparece a palavra "diabo" em todo o Velho Testamento. Esta palavra aparece pela primeira vez na tentação de Jesus relatada nos evangelhos (Mateus 4:1-11; Marcos l :13; Lucas 4:1-13). A palavra no grego é "diabolôs" e significa "mau, difamador". Parece que a palavra no grego é um pouco mais forte do que a palavra "Satanás" que aparece no Velho Testamento. Inclusive, apenas no Novo Testamento, com a introdução da palavra "diabolôs" (diabo) é que o conceito do mal é trazido à tona. Consequentemente, um dos motivos da vinda de Jesus Cristo a este mundo foi para revelar claramente a identidade de Satanás como a fonte a origem do mal neste mundo. Todo conceito que temos atualmente sobre o diabo como fonte do mal veio da personificação que Jesus deu a ele na tentação do deserto. Até aquele instante os homens eram bastante confusos sobre a fonte do mal em suas vidas. Parece que as ações malignas e maldosas eram confundidas com as ações sobrenaturais provenientes do Senhor, tanto quanto as boas ações. Foi Jesus Cristo quem separou e definiu as ações do bem e do mal como provenientes de Deus ou de Satanás. Até então elas se mesclavam. BATALHA ESPIRITUAL-25


Lucas 4:7-78: "Jesus, cheio do Espírito Santo, voltou do Jordão e foi guiado pelo mesmo Espírito, no deserto, durante quarenta dias, sendo tentado pelo diabo. Nada comeu naqueles dias, ao fim dos quais teve fome. Disse-lhe, então, o diabo: Se és o Filho de Deus, manda que esta pedra se transforme em pão. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Não só de pão viverá o homem. E, elevando-o, mostrou-lhe, num momento, todos os reinos do mundo. Disse-lhe o diabo: Dar-te-ei toda esta autoridade e a glória destes reinos, porque ela me foi entregue, e a dou a quem eu quiser. Portanto, se prostrado me adorares, toda será tua. Mas Jesus lhe respondeu: Está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a ele darás culto. Então o levou a Jerusalém, e o colocou sobre o. pináculo do templo, e disse: Se és o Filho de Deus, atira-te daqui abaixo; porque está escrito: Aos seus anjos ordenará a teu respeito que te guardem; e: Eles te susterão nas suas mãos, para não tropeçares nalguma pedra. Respondeu-lhe Jesus: Dito está: Não tentarás o Senhor, teu Deus. Passadas que foram as tentações de toda sorte, apartou-se dele o diabo, até momento oportuno. Então, Jesus, no poder do Espírito, regressou para a Galileia, e a sua fama correu por toda a circunvizinhanROBSON RODOVALHO - 26


ca. E ensinava nas sinagogas, sendo glorificado por todos. Indo para Nazaré, onde fora criado, entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume e levantou-se para ler. Então lhe deram o livro do profeta /saías e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre m/m, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimido e apregoar o ano aceitável do Senhor. Tendo fechado o livro, devolveu-o ao assistente e sentou-se; e todos na sinagoga tinham os olhos fitos nele. Então, passou Jesus a dizer-lhes: Hoje, se cumpriu a Escritura que acabais de ouvir."

Lemos nesse texto que a ênfase de Jesus é inteiramente sobre o diabo, algo que não existia no Velho Testamento. Portanto, a personificação do mal veio por Jesus Cristo, por ocasião do seu jejum e tentação no deserto. Quando Jesus ensinou seus discípulos a orar, ele se preocupou em enfatizar a famosa expressão "livra-nos do mal". Ninguém ainda havia dito claramente que o mal deveria ser combatido pelos homens em oração, que não provinha do Senhor a ação do maligno em suas vidas e, portanto, que BATALHA ESPIRITUAL-27


ela deveria ser combatida e rejeitada pelos filhos de Deus. Daí decorre o fato do ministério de Jesus ter sido completamente focado em expulsar os demónios e curar os enfermos e os oprimidos do diabo. Uma rápida leitura de Mateus 4 e Lucas 4 nos mostra o quanto esta ênfase era nova e revolucionária para Jesus e seus discípulos. Inclusive, quando ele envia os setenta, ele enfatiza dizendo: "E/s que vos dou poder paro pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum." (Lucas 10:19). A visão de um mundo espiritual bastante "mapeado" foi trazida a nós como parte do ministério de Jesus Cristo; antes ela não existia. Assim, meu objetivo através deste livro é que você conheça esta realidade espiritual completa na perspectiva que Jesus Cristo trouxe a nós. A retirada do conceito Bem e Mal na Sociedade Ocidental Enquanto Jesus Cristo veio nos mostrar um mundo espiritual formado por esses dois reinos - - reino de Deus e reino das trevas, e trouxe luz à identidade do mal e sua origem, ROBSON RODOVALHO - 28


alguns filósofos esforçaram-se para apagar este conceito. O filósofo alemão Friedrich Nietzsche lançou o conceito da "inexistência do mal", através de seu livro "Além do bem e do mal". No livro, Nietzsche propõe o fim do conceito do mal, como uma identidade definida e uma energia com consciência voltada para produzir a dor entre os homens. Ele propõe que o mal é apenas o outro lado da existência. O mal seria apenas o bem necessário. Como as trevas são a ausência da luz. Ele refugia-se no pensamento oriental como o "Yin-Yang" do Taoísmo. Para este pensamento filosófico, existe uma dualidade de tudonouniverso.Essasduas forças se complementam e se encontram em todas as coisas, e não como duas forças com identidades e projeções de existências totalmente conflitantes como propôs Jesus Cristo. As ideias de Nietzsche propagaram-se no ocidente, dando as bases para uma filosofia "não Cristã" em um sociedade Cristianizada. Essa proposta de uma existência sem o conceito do mal tem atraído muitos de nossos pensadores e filósofos e até mesmo alguns teólogos. Mas a pergunta é: como explicaras atrocidades, as tragédias, os devaneios que ocorreram na história da humanidade e ainda ocorrem em nossa vida, sem este conceito? Trazer a responsabilidade humana apenas BATALHA ESPIRITUAL-29


na escolha de tais atrocidades não é factível. Como explicaríamos episódios como Hitler, Nero e tantas guerras que absolutamente afastaram-se da razoabilidade humana. Parece que essas personalidades que se prestaram a se tornarem fontes do mal, agiram movidos por uma energia e um propósito, além de suas próprias personalidades. Todos temos experiências próprias da força de certos impulsos que nos sobrevêm e às vezes bem acima de nossa capacidade humana de detê-los. O fato é que os conceitos de bem e mal passam a ser questionados em nossa sociedade a partir do advento de Nietzsche. Eapartirdaltorna-semaisfácilparaomalcomo fonte de ação, trabalhar na humanidade. Se o bem e o mal não existem, então posso relativizar todos os demais valores humanos, inclusive os valores maiores como o amor, a verdade, a moral, a ética e assim por diante. Cairemos em um precipício sem fim.


PRIMEIRA PARTE

BATALHA ESPIRITUAL-31


CAPITULO l O Reino da Luz e o Reino das Trevas

BATALHA ESPIRITUAL - 33


A história do médium António, de Palmeiras, GO

Certa ocasião, após o término da pregação da Palavra de Deus, começamos a orar com os enfermos. Rapidamente formou-se uma fila e eu e minha esposa ministramos a cada pessoa. Um homem dirigiu-se a mim, pedindo que orasse por seu irmão que possuía uma enfermidade nos olhos e que pretendia realizar uma cirurgia espiritualista com um "médico espírita" que, por coincidência, residia próximo à cidade em que morávamos. O Espírito Santo falou imediatamente ao meu coração que procurasse mais detalhes sobre aquela situação. Descobrimos que a cidade era bem próxima a Goiânia, quase todos os moradores eram espíritas e praticamente todas as cidades ao redor estavam vivendo sob o impacto daqueles médiuns. Eles operavam tumores, úlceras, olhos, colunas e todos os demais tipos de cirurgias sem anesBATALHA ESPIRITUAL-35


tesias e sem os instrumentos próprios para isto; na maioria das vezes faziam-no com instrumentos como facas, motosserras, formão, etc. de forma bárbara e absurda. Fomos dar um seminário para casais numa cidade próxima àquela e ali oramos com os irmãos e os exortamos para que levantassem suas mãos e trouxessem o reino de Deus àquela cidade. Voltando para Goiânia, paramos e entramos na pequena cidade e procuramos pelo centro espírita onde o referido médium atendia. Ao chegar próximo ao local, vimos ali centenas de pessoas vindas de todas as cidades e regiões brasileiras. Pessoas enfermas, feridas, desesperadas, desenganadas pela medicina estavam ali à espera de atendimento, às vezes por dias e até semanas. Doeu-nos o coração e sentimos a dor daquela multidão como "ovelhas sem pastor". Entramos na fila e fomos orar no lugar mais íntimo, onde o médium estava atendendo. Impusemos as mãos sobre a parede, trouxemos os anjos de Deus e expulsamos os demónios que ali estavam. Cercamos a cidade com o Espírito de Deus e pedimos que ROBSON RODOVALHO - 36


o fogo dos céus caísse sobre as hostes do interno que residiam naquelas bandas. Saímos do centro espírita, rodeamos a rua e a cidade orando com as mãos estendidas e voltamos para casa. A notícia que circulava era que o pacto que aquele médium havia firmado era tão forte que seu "corpo era fechado", isto é, nenhum acidente tocaria sua vida. Levamos a igreja a se envolver naquela guerra. Jejuamos por dez dias com uma equipe de obreiros. Tomamos autoridade no Nome de Jesus Cristo e nos dedicamos à intercessão e à oração. O Espírito de Deus veio sobre nós e gememos com dores de parto espiritual. Um dia, no meio da intercessão, o Senhor levou-me a orar pela salvação daquele homem. Senti, pelo Espírito, que ele estava cansado, amarrado e desejoso de sair de toda aquela prisão espiritual. Fiz então um plano: logo que passasse a nossa Conferência de julho e ele voltasse das férias em que estava, eu iria visitá-lo para levar-lhe o evangelho de Jesus. Chegou até nós uma fita de BATALHA ESPIRITUAL-37


vídeo na qual havia várias demonstrações do poder do tal médium realizando "operações espirituais" sem anestesias e em várias pessoas ao mesmo tempo. Trouxemos a fita à reunião que tivemos com os bispos e coordenadores, três dias antes do encontro. Ali, mais uma vez, oramos e impusemos as mãos sobre o vídeo, amarrando o poder do diabo e liberando o poder de Deus. No dia em que começamos a nossa Conferência, chegamos ao ginásio por volta das quatro horas da tarde. Um dos pastores veio a mim dizendo que recebera um telefonema notificando-o que o "médium" das operações espirituais tinha morrido no dia anterior de uma forma brutal e estúpida (como é o fim de todos os que oferecem seu corpo para serem instrumentos do diabo). Ele estava pescando e, repentinamente, veio um enxame de abelhas africanas que entraram em seus olhos e ouvidos e o mataram instantaneamente. A notícia se espalhou pelos jornais e rádios do Centro-Oeste e todos diziam que não entendiam o porquê daquilo. Mas nós sabíamos! Deus falou ao meu coração que aquele ROBSON RODOVALHO - 38


homem iria se converter. Creio que ele estava cansado e desejoso de sair daquele cativeiro, porém Satanás, ao saber disto, o levou primeiro. O diabo o matou para que ele não pudesse vir a se converter. Dias depois, o assistente e companheiro do falecido médium foi pego em flagrante com tráfico de drogas e preso. Deus limpou a cidade e demonstrou o Seu poder. O diabo ainda tentou fortalecer sua obra, enviando outro médium que fazia as mesmas operações espirituais, para tomar o lugar do primeiro. No mesmo dia em que alguém me contou esse fato, uma senhora me procurou no escritório da igreja. Ela queria marcar um aconselhamento para a esposa deste médium que estava sendo designado a ocupar o lugar do primeiro. Marcamos o aconselhamento e aquela mulher, esposa do médium, abriu seu coração pedindo oração, ajuda e orientação, pois sabia que seu marido estava operando debaixo do poder satânico e queria vê-lo livre. Oramos por ela e nos dispomos a ajudá-la, colocando-a debaixo de um grupo de discipulado e crescimento cristão. Assim como neste caso e milhares de outros, Deus estava desfazendo as BATALHA ESPIRITUAL-39


obras do diabo, e a Igreja estava regendo a história por meio da intercessão.

O reino espiritual Atualmente, uma grande parcela da humanidade vem se contorcendo com os martírios espirituais que decorrem de envolvimentos ou manobras malignas, levando-a a sucumbir às ciladas de Satanás e seus demónios. Alguns questionamentos têm-se levantado, como: Quando nós olhamos o mundo, será que conseguimos vê-lo como ele realmente é? Como podemos, do ponto de vista espiritual, analisar o que ocorre conosco? E o que acontece em nossa volta? Perguntas como estas e muitas outras estão inquietando incontáveis servos de Deus. Vivemos num intenso confronto com as forças das trevas e não há como recuar. Somos desafiados a aceitar e verdadeiramente entrar nesta guerra espiritual que envolve a Igreja do Senhor Jesus e as forças das trevas, pois, de um lado, o entrincheiramento dos ROBSON RODOVALHO - 40


demónios é real e, por outro lado, estamos bem adiantados no tempo no que diz respeito à volta de Jesus - o que, de certa forma, nos preocupa quanto ao incontável número de vidas que ainda estão cativas dos laços do diabo. Nesse sentido, caracterizamos a batalha espiritual como sendo "diversos procedimentos empreendidos pelos guerreiros de Jesus, visando fortalecer e demonstrar a amplitude do poder de Deus e, ao mesmo tempo, buscar com determinação identificar as astúcias do império das trevas e notificá-los aos homens para que não sejam lançados por tais enganos". O grande destaque que, sem dúvida, podemos atribuirás batalhas espirituais é que elas nos permitem conhecer e avaliar quais são as heranças espirituais que afetam toda a estrutura de uma determinada pessoa ou, ainda, de um determinado lugar. A verdade é que uma considerável parte dos membros das igrejas evangélicas desconhecem a origem das próprias lutas que vivem. Tal realidade mostra o quanto preciBATALHA ESPIRITUAL-41


samos avançar no nosso conhecimento sobre a guerra espiritual a que estamos expostos, estudando bíblica e historicamente os fatos que têm ocorrido devido a este poderoso confronto entre o poder de Deus e os poderes das trevas. Jesus diz em Lucas 13:16: "E não convinha soltar desta prisão, no dia de sábado, esta filha de Abraão, a qual há dezoito anos Satanás tinha presa?"

Vemos que este fato confirma a determinação do príncipe das trevas em aprisionar vidas, fazendo vítimas para uma eterna condenação. E hoje, com muito mais intensidade, as ações do reino das trevas têm sido detectadas. Desse modo, precisamos adquirir conhecimento e confiança para, uma vez detectadas as origens de certos fatos em nossas vidas, nos lançarmos na presença de Deus com orações e jejuns para quebrarmos as resistências e os poderes das tropas malignas. Cidades inteiras estão sendo hoje impactadas pela Palavra e por um novo ambiente espiritual. Esta realidade se encaixa ROBSON RODOVALHO - 42


perfeitamente com o texto de Daniel, quando diz: "...mas o povo que conhece ao seu Deus se tomará forte e fará proezas." (Daniel 11:32).

Existem alguns sintomas que caracterizam uma possessão demoníaca, como, por exemplo: dor de cabeça constante, doenças que os médicos não descobrem a causa, insónia, ouvir vozes ou ver vultos, medo em excesso, problemas conjugais (tipo infidelidade), ciúmes, ódio, doenças hereditárias etc. A Bíblia diz que quem aceita a Jesus como único Senhor e Salvador da sua vida, passa de criatura para filho de Deus e quem é filho de Deus tem que herdar aquilo que vem Dele (João 1:12, Efésios 1:18, Colossenses 1:12 e outros). Afos 26:?8 - "Para lhes abrires os oíhos, e das trevas os converteres à luz, e do poder de Satanás a Deus; a fim de que recebam a remissão de pecados, e herança entre os que são santificados pela fé em m/m." BATALHA ESPIRITUAL-43


Problemas hereditários são causados por espíritos imundos que passam de geração em geração até que alguém tenha um encontro de fato e de verdade com Jesus Cristo. Porém, alguns sintomas que continuam maltratando a pessoa mesmo depois de ela ter tido um encontro com Jesus Cristo, denunciam a presença de espíritos malignos. Exemplos: depressão, vícios, medo de ir à igreja ou de participar de um culto de Quebra de Maldições, dúvidas de que foi realmente liberta, timidez em excesso, envolvimentos com espiritismo ou macumbaria, ódio, vida amarrada, sentir que tem algo que não a deixa prosperar em qualquer área da sua vida etc. Esta pessoa dá "um passo para frente e três para trás", às vezes até tem um bom nível intelectual, um átimo currículo, é inteligente, mas não entende por que permanece com um mal em sua vida como dependência química, nervosismo em excesso, desejo de suicídio, desejo de matar ou fazer mal para alguém, inveja etc.

ROBSON RODOVALHO - 44


Às vezes algumas pessoas encontram algum objeto estranho em sua casa ou em sua empresa, ou percebem que lhes sumiram algumas peças de roupas e, a partir de então, suas vidas começam a "andar para trás". Outras pessoas recebem "pragas", palavras de morte, de derrota e, a partir daí, suas vidas se complicam. Estas pessoas não conseguem se firmar em Deus. Começam a frequentar a igreja, mas, como não obtêm respostas, acabam desistindo. Quando vão aos cultos até sentem uma paz, uma tranquilidade, mas, quando chegam lá fora, os problemas voltam, parece que um peso imenso está sobre seus ombros. Infelizmente, atrás desses problemas existem espíritos imundos agindo nestas pessoas. Na maioria dos casos, quando fazemos uma oração com imposição de mãos, manifesta-se na pessoa um espírito imundo e, após ser expulso, a pessoa fica totalmente liberta e é notório que até sua fisionomia, no mesmo instante, muda. Mas, graças a Deus que...

BATALHA ESPIRITUAL-45


"...porá isso se manifestou o filho de Deus, Jesus Cristo, poro desfazer os obras do diabo." (l João 3:8).

Por maior que seja o problema ou a dificuldade, devemos saber que existe um Deus que é maior que tudo. Para Ele não existe nada impossível, pois o que é impossível para o homem é possível para Deus (Marcos 10:27). Para analisarmos com seriedade a questão da batalha espiritual, é importante sabermos que, neste mundo, as pessoas e os fatos estão sujeitos às ações de duas forças poderosíssimas: a de Deus e a de Satanás. Tudo o que é realizado no mundo, em todas as áreas, seja na religião, na ciência, no comércio ou na política, necessariamente haverá a influência de uma ou de outra força. Todos os tipos de relacionamentos que são travados entre as pessoas, famílias, grupos ou nações são influenciados por uma ou outra força. Precisamos conhecer o mundo espiritual que nos rodeia para que possamos ser bons soldados de Cristo e combatermos o bom combate da fé e, assim, sermos "...mais do ROBSON RODOVALHO-46


que vencedores, por aquele que nos amou", Jesus Cristo (Romanos 8:37). "Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, que nos tem abençoado com toda sorte de bênção espiritual nas regiões celestiais em Cristo..." (Efésios 1:3).

O reino espiritual é uma dimensão que não se percebe fisicamente, mas sim no espírito. As conquistas no campo físico recebem uma grande influência do campo espiritual. Podemos afirmar que toda atividade humana pode sofrer o impacto das forças espirituais e a predominância de uma ou de outra dependerá, em parte, em parte, com quem as pessoas estão se relacionando: com Deus ou com o diabo. Isso nos leva a concluir que muitos problemas que pessoas na igreja têm vivenciado resultam de uma ação demoníaca não entendida e, por conseguinte, não tratada adequadamente.

O reino da luz Este Reino é composto pelos seres espirituais criados por Deus, os Anjos. BATALHA ESPIRITUAL-47


1. Foram criados antes da criação do mundo. "Onde esfavas tu, quando eu lançava os fundamentos da terra? Dize-mo se tens entendimento. Quem lhe pôs as medidas, se é que o sabes? Ou quem estendeu sobre ela o cordel? Sobre que estão fundadas as suas bases, ou quem lhe assentou a pedra angular, quando as estrelas da alva juntas alegremente cantavam, e rejubilavam todos os filhos de Deus?" (Jó 38:4-7). 2. Foram criados em santidade. "E os anjos, os que não guardaram o seu estado original, mas abandonaram o seu próprio domicílio, ele tem guardado sob trevas, em algemas eternas, para o juízo do grande Dia." (Judas 6). 3. São seres espirituais. "Não são fodos eles espíritos ministradores enviados para serviço, a favor dos que hão de herdar a salvação?" (Hebreus 1:14).

ROBSON RODOVALHO - 48


4. Não se reproduzem segundo a sua espécie. "Pois, quando ressuscitarem de entre os mortos, nem casarão, nem se darão em casamento; porém são como os anjos nos céus." (Marcos 12:25).

5. Não morrem. "Pois não podem mais morrer, porque são iguais aos anjos, e são filhos de Deus, sendo filhos da ressurreição." (Lucas 20:36).

6. Têm grande poder. "Ao passo que anjos, embora maiores em força e poder, não proferem contra elas juízo infamante na presença do Senhor." (2 Pedro 2:11).

7. São inumeráveis, muitas legiões. "Mas tendes chegado ao monte S/ao e à cidade do Deus vivo, à Jerusalém celestial, e a incontáveis hostes de anjos, e à universal assembleia." (Hebreus 12:22).

BATALHA ESPIRITUAL-49


"Ou pensas tu que eu não poderia agora orar a meu Pai, e que ele não me daria mais de doze legiões de anjos?" (Mateus 26:53). "Disse, pois: o Senhor veio de Sinai, e lhes subiu de Se/r; resplandeceu desde o monte Para, e veio com dez milhares de anjos; à sua direita havia para eles o fogo da lei." (Deuteronômio 33:2). "Os carros de Deus são vinte milhares, milhares de milhares. O Senhor está entre eles, como em Sinai, no lugar santo." (Salmos 68:17). "E olhei, e ouvi a voz de muitos anjos ao redor do trono, e dos animais, e dos anciãos; e era o número deles milhões de milhões, e milhares de milhares." (Apocalipse 5:11).

8. São mensageiros de Deus a serviço da Igreja. "Não são todos eles espíritos ministradores enviados para serviço, a favor dos que hão de herdar a salvação?" (Hebreus 1:14).

ROBSON RODOVALHO - 50


9. São poderosos.

f

"Bendizei ao Senhor, todos os seus anjos, vós que excedeis em força..." (Salmos 103:20). "Pois nele foram criadas todas as coisas, nos céus e sobre a terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos, sejam soberanias, quer principados, quer potestades. Tudo foi criado por meio Dele e para Ele." (Colossenses 1:16). "E houve batalha no céu; Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e os seus anjos." (Apocalipse 12:7). "E vi descer do céu um anjo, que tinha a chave do abismo, e uma grande cadeia na sua mão. Ele prendeu o dragão, a antiga serpente, que é o Diabo e Satanás, e amarrou-o por mil anos. E lançou-o no abismo, e ali o encerrou, e pôs selo sobre ele, para que não mais engane as nações, até que os mil anos se acabem..." (Apocalipse 20:1-3).

BATALHA ESPIRITUAL-51


10. São organizados por uma hierarquia bem definida:

aj Querubins - guardiões ligados à santidade de Deus. • Os querubins receberam a tarefa de guardara entrada do jardim do Éden (Génesis 3:24), e diz-se frequentemente que o próprio Deus está entronizado acima dos querubins, ou viaja com eles em carros (Salmos 18:10; Ezequiel 10:1-22). • Sobre a arca da aliança no Antigo Testamento havia duas imagens de ouro de querubins, com suas asas estendidas por sobre a arca, e era ali que Deus prometia vir habitar no meio do seu povo (Êxodo 25:18-22). bj Serafins - ligados à adoração a Deus. • São mencionados somente em Isaías 6:1-7, onde continuamente adoram ao Senhor.

ROBSON RODOVALHO - 52


cJ Arcanjos - guerreiros que executam tarefas especiais. •

As Escrituras indicam que existe hierarquia e ordem entre os anjos. Um deles, Miguel, é dito "arcanjo" em Judas 9, título que indica soberania ou autoridade sobre outros anjos.

É chamado também de "um dos primeiros príncipes" em Daniel 10:13.

Miguel também parece ser o líder do exército angelical em Apocalipse 12:7,8.

Paulo nos diz que o Senhor, "ouvida a voz do arcanjo, descerá do céu" (l Tessalonicenses 4:16). As Escrituras, porém, não nos dizem se isso significa que Miguel é o único arcanjo ou se há outros.

dj Seres Viventes - circulam o trono de Deus. •

Com os seus semblantes de leão, boi, homem e águia, representam os seBATALHA ESPIRITUAL-53


rés mais poderosos de partes diversas de toda a criação divina (animais selvagens, animais domesticados, seres humanos e pássaros) e adoram a Deus continuamente (Ezequiel 1:5-14; Apocalipse 4:6-8).

O reino das trevas Este reino é dirigido pelo Diabo ou Satanás e composto pelos anjos caídos.

1. Seus privilégios e seu pecado. "Esfava no Éden, jardim de Deus; de todas as pedras preciosas te cobrias: o sárdio, o topázio, o diamante, o berilo, o ôn/x, jaspe, a safira, o carbúnculo e a esmeralda; de ouro se te fizeram os engates e os ornamentos; no dia em que foste achado, foram eles preparados. Tu eras querubim da guarda ungido, e fé esfabelecí; permanecias no monfe santo de Deus, no brilho das pedras andavas. Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado até que se achou iniquidade em ti." (Ezequiel 28:13-15). ROBSON RODOVALHO - 54


"Como caíste do céu, ó estrela da manhã, filho da alva! Como foste lançado por terra, tu que debilitavas as nações! Tu dizias no teu coração: Eu subirei ao céu; acima das estrelas de Deus exaltarei o meu trono e no monte da congregação me assentarei, nas extremidades do Norte; subirei acima das mais altas nuvens e serei semelhante ao Altíssimo." (Isaías 14:12-14). 2. Sua punição. "Na multiplicação do teu comércio, se encheu o teu interior de violência, e pecaste; pelo que te lançarei, profanado, fora do monte de Deus e te farei parecer, ó querubim da guarda, em meio ao brilho das pedras. Elevou-se o teu coração por causa da tua formosura, corrompeste a tua sabedoria por casa do teu resplendor; lancei-te por terra, diante dos reis te pus, para que te contemplem." (Ezequiel28:16,17). 3. Seu exército. "A sua cauda arrastava a terça parte das estrelas do céu, as quais lançou para a terra (...) e foi expulso o grande dragão, BATALHA ESPIRITUAL-55


a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo o mundo, sim, foi atirado para a terra, e, com ele, os seus anjos." (Apocalipse 12:4,9). 4. Seus nomes.

• Satanás - adversário, o que resiste, o que se opõe a Deus, o que faz resistência •

Diabo - difamador, acusador, caluniador

Lúcifer - filho da alva

Belzebu - senhor das moscas

5. Seus títulos. •

Maligno ("Sabemos que somos de Deus e que o mundo inteiro joz no maligno." - João 5:19).

• Tentador ("Foi por isso que, já não me sendo possível continuar esperando, mandei indagar o estado da vossa fé, temendo que o Tentador vos proROBSON RODOVALHO - 56


vc/sse, e se tornasse inútil o nosso labor." - (l Tessalonicenses 3:5). Príncipe deste mundo ("'Chegou o momento de ser julgado neste mundo, e agora o seu príncipe será expulso." - João 12:31). Deus deste século ("Nos quais o deus deste século cegou o entendimento dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus." - 2 Cor/n tios 4:4). Príncipe da potestade do ar ("Nos quais andastes outrora, segundo o curso deste mundo, segundo o príncipe da potestade do ar, do espírito que agora atua nos filhos da desobediência." - Efésios 2:2). Acusador ("Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia BATALHA ESPIRITUAL-57


e de noite, diante do nosso Deus." Apocalipse 12:10). 6. Suas representações. • Serpente ("E foi expulso o grande dragão, a antiga serpente, que se chama diabo e Satanás, o sedutor de todo mundo, sim, foi atirado para a terra, e com ele, os seus anjos." - Apocalipse 12:9). • Dragão ("Viu-se, também, outro sinal no céu, e e/s um dragão, grande, vermelho, com sete cabeças, dez chifres e, nas cabeças, sete diademas." -Apocalipse 12:3). •

Anjo de Luz ("E não é de admirar, porque o próprio Satanás se transforma em anjo de luz." - 2 Cor/h tios 11:14).

7. Sua natureza e caráter. •

Criatura ("Perfeito eras nos teus caminhos, desde o dia em que foste criado, até que se achou iniquidade em ti."-Ezequie!28-14).

ROBSON RODOVALHO - 58


Ser espiritual ("Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." - Efésios 6:11-12): Pertence à ordem dos Querubins ("Tu eras o querubim, ungido para cobrir, e te estabeleci, no monte santo de Deus estavas, no meio das pedras afogueadas andavas." - Ezequiel 28:14). O mais exaltado das criaturas f "Assim diz o Senhor Deus: Tu eras o selo da medida, cheio de sabedoria e perfeito em formosura. Estiveste no Éden, jardim de Deus; de toda a pedra preciosa era a tua cobertura: sardónica, topázio, diamante, turquesa, ônix, jaspe, safira, carbúnculo, esmeralda e ouro, em ti se faziam os teus tambores e os teus pífaros; no dia em que foste BATALHA ESPIRITUAL-59


criado foram preparados." - Ezequiel 28:12-13). 8. Sua personalidade. •

Homicida e mentiroso ("Vós sois do diabo, que é vosso pai, e quereis satisfazer-lhe os desejos. Ele foi homicida desde o princípio e jamais se firmou na verdade, porque nele não há verdade. Quando ele profere mentira, fala só que lhe é próprio e pai da mentira." - João 8:44).

Acusador ("Então, ouvi grande voz do céu, proclamando: Agora, veio a salvação, o poder, o reino do nosso Deus e a autoridade do seu Cristo, pois foi expulso o acusador de nossos irmãos, o mesmo que os acusa de dia e de noite, diante do nosso Deus." Apocalipse 12:10).

Adversário ("Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar." - l Pedro 5:8). ROBSON RODOVALHO - 60


9. Suas limitações.

*

"Filhinhos, sois de Deus, e já os tendes vencido; porque maior é o que está em vós do que o que está no mundo" (l João 4:4). "Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca, mas o que de Deus é gerado conversa-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca" (l João 5:18). "A vida e a morte estão no poder da língua". (Provérbios 18:21). "Falando entre vós com salmos, hinos, cânticos espirituais, cantando e salmodiando ao Senhor, no vosso coração, sempre dando graças a Deus por tudo, em nome do Senhor Jesus" (Efésios 5:19-20). "Sujeitai-vos, portanto, a Deus, mas resisti ao Diabo, e ele fugirá de vós". (Tiago 4:7). "Disse o Senhor a Satanás: E/s que fudo quanto ele tem está em teu poder, somente contra ele não estendas a mão. E Satanás saiu da presença do Senhor." (Jó 1:12).

BATALHA ESPIRITUAL-61


O Diabo não pode ler a nossa mente (Salmos 139). Só Deus é onipresente, onipotente e onisciente. Entretanto, ele ouve tudo o que falamos. Nossas palavras são instrumentos valiosos, tanto para o bem quanto para o mal. O Diabo não pode invadir o sangue de Jesus. Fomos lavados pelo sangue de Jesus e estamos cobertos por ele. Isto faz de nós uma cápsula intransponível. Só nós podemos abrir brecha nessa cápsula. A brecha é aberta quando cometemos pecado. O Diabo não pode causar-nos dano se estivermos usando diariamente toda a armadura de Deus, nem pode impedir que a igreja de Jesus Cristo prevaleça. "Revesti-vos de ioda a armadura de Deus, para poderdes permanecer firmes contra as ciladas do Diabo". (Efésios 6:11). "E/s que vos dei autoridade para pisar serpentes e escorpiões, e toda força do inimigo, e nada vos fará dano algum". (Lucas 10:19).

ROBSON RODOVALHO - 62


"As portos do inferno não prevalecerão contra ela." (Mateus 16:18).

Conclusão Satanás e os demónios são nossos piores inimigos, mas sabemos que eles estão submissos à autoridade do nome de Jesus e à unção que Deus colocou em nossas vidas. Entretanto, não podemos nos distrair ou subestimá-los. Nosso inimigo não tem pressa, não tem prazo para acabar com nossas vidas e ministérios. Entenda que ele anda ao nosso redor esperando uma oportunidade para nos devorar. Na maioria das vezes, o pecado abre esta oportunidade e, como você sabe, "iodos pecaram". Para trabalharmos nesta área de libertação, precisamos saber que temos uma grande responsabilidade de nos mantermos vigilantes e atentos para que não caiamos em ciladas do maligno.

BATALHA ESPIRITUAL - 63


"Orando em fodo o tempo com toda o oração e suplico no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos. (Efésios 6:18).

ROBSON RODOVALHO - 64


CAPÍTULO 2 Princípios para a Batalha Espiritual

BATALHA ESPIRITUAL-65


Para que sejamos guerreiros eficazes e possamos estender o Reino do Senhor Jesus Cristo para onde formos enviados, precisamos conhecer os princípios da batalha espiritual que travamos diariamente contra as trevas. Provérbios 4:5 - "Adquire sabedoria, adquire inteligência, e não te esqueças nem te apartes das palavras da minha boca." Provérbios 4:7 - "Apegue-se à instrução, não a abandone, guarde-a bem, pois dela depende a sua vida." Provérbios 4:13 - "Apega-te à instrução e não a largues; guarda-a, porque ela é a tua vida. Oséias 4:6 - "O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento, porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei..." BATALHA ESPIRITUAL-67


Esta batalha é para aqueles que têm um chamado (uma minoria): Josué 1:2,9 - "Moisés, meu servo, é morto; dispõe-te, agora... Não te mandei eu? Sê forte e corajoso, não temas, nem te espantes, porque o Senhor, teu Deus, é contigo por onde quer que andares."

Pré-requisitos para a batalha espiritual 1. Conhecer o adversário "Enviou-os, pois, Moisés a espiar a terra de Canaã; e disse-lhes: Subi ao Neguebe e penetrai nas montanhas." (Números 13:17).

2. Observar e cumprir a palavra "Se atentamente ouvires a voz do Senhor, teu Deus, fendo cuidado de guardar todos os seus mandamentos que hoje te ordeno, o Senhor, teu Deus, te exaltará sobre todas as nações da terra... o Senhor fará que sejam derrotados na tua presença os inimigos que se levantarem contra ti; por um caminho, sairão contra ti, por sete 'Porque a nossa ROBSON RODOVALHO - 68


luto não é contra o sangue e a carne, e sim contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forcas espirituais do mal, nas regiões celestes." (Deuteronômio 28:1, 7). 3. Conhecer a organização / hierarquia do mundo espiritual "Demónio" é uma palavra de origem grega, "daimon", que significa "espírito maligno ou sombra". Demónios são anjos caídos (Apocalipse 12:3-10). Também encontramos a palavra "demônus" que significa "poderoso, chefe, cabeça", como também a palavra "daomonion" (forma diminutiva) que se refere a "níveis inferiores". Este exército maligno opera organizadamente, obedecendo a uma hierarquia definida: "Porque não temos que lutor contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais." (Efésios 6:12).

BATALHA ESPIRITUAL - 69


a) Principados Do grego "Archei, Archon", esto palavra trás a conotação de alguém designado para uma ação ou de um príncipe que, de momento, ocupa um trono. São príncipes satânicos com designação e poder outorgados por satanás com a finalidade de exercer uma influência maligna em determinado território. O poder delegado por satanás a estes espíritos é de uma maior grandeza. Estes espíritos territoriais possuem uma ampla área de influência no reino satânico. São demónios para áreas e povos específicos. São estruturas de governo satânico, formadas pela "alta cúpula" de demónios ou de príncipes das trevas, designados para controlar certos lugares, cidades e países que interessam ao reino satânico. "Então me disse: Não temas, Daniel, porque, desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e e/s que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudar-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." (Daniel 10:12-13).

ROBSON RODOVALHO - 70


b) Potestades ou Fortalezas í*

São demónios cujas ações são iniciadas e perpetuadas visando legitimar poderes e autoridades que compreendem: regras, legalidades, tradições e sanções de origens satânicas sobre vidas e instituições. Eles estão relacionados com os tipos de males que existem no mundo (morais, físicos e espirituais). Podemos perceber este fato pela passagem abaixo, a qual afirma categoricamente que os judeus, por meio de uma tradição, estavam invalidando a Palavra de Deus, que é o alvo mais visado de Satanás: "E/e, porém, respondendo, disse-lhes: Por que transaredis vós, também, o mandamento de Deus pela vossa tradição? Porque Deus ordenou, dizendo: Honra a teu pai e a tua mãe, e quem maldisser ao pai ou à mãe, certamente morrerá. Mas vós dizeis: qualquer que disse ao pai ou à mãe: é oferta ao Senhor que poderias aproveitar de m/m, esse não precisa honrar nem a seu pai e nem a sua mãe. E assim invalidastes, pela vossa tradição, o mandamento de Deus." (Mateus 15:3-6). BATALHA ESPIRITUAL-71


cj Dominadores Do grego "/Cosmos/erafor", que significa uma autoridade religiosa sobre uma cidade. Traz o entendimento de uma cidade ou ambiente influenciado por uma estrutura de poder. Nesse sentido, podem ser compreendidos como os espíritos designados para exercer uma liderança visando o controle espiritual sobre pessoas e instituições. Passam informações das hierarquias superiores às inferiores, e seu objetivo é mentir e obstruir o avanço da verdade. O apóstolo Paulo fez menção à esfera de ação destes espíritos: "Mas o Espírito expressamente diz que nos últimos tempos alguns apostarão da fé, dando ouvidos a espíritos enganadores e a doutrinas dos demónios". (7 Timóteo 4:1).

d) Forças espirituais do mal Do grego "Pneumatikas", diz respeito aos espíritos imundos, que escravizam e colocam as pessoas sob uma forte influência ou que exercem a completa possessão sobre as pessoas. São demónios que atacam indivíROBSON RODOVALHO - 72


duos, influenciando a conduta das pessoas (mente, coração e lábios), que provocam enfermidades e que levam as pessoas às práticas de pensamentos e ações que ferem a santidade e os propósitos de Deus. No elenco dos procedimentos malignos sugeridos por estes espíritos, temos o uso de drogas, bebidas, mentiras, práticas imorais, violência e todo tipo de mentiras e ludíbrios. Estes demónios têm uma esfera de atividades muito variada e são responsáveis, em primeiro plano, pela formação do ambiente espiritual que venha favorecer a chegada e fortalecimento dos demónios que agem na esfera do ocultismo. É a multiplicidade de ações destes demónios que faz com que os espíritos territoriais sejam favorecidos, no sentido de perpetuar seu controle sobre um território. O ministério de Jesus, dos apóstolos e da Igreja no decorrer dos séculos tem sido marcado por sucessivos confrontos com estas hostes malignas.

BATALHA ESPIRITUAL-73


Níveis de batalhas espirituais Satanás é um estrategista. Ele muda constantemente suas táticas. Deus nos dá espírito de revelação para que, através da Sua Palavra, possamos descobrir seus intentos. "...para que Safanás não leve vantagem sobre nós, porque não ignoramos as suas maquinações" (2 Coríntios 2:Wb, 11). "Para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, vos dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria e de revelação". (Efésios 1:17).

Desse modo, no que se refere à característica e nível de atuação, os demónios seguem procedimentos que devem ser compreendidos por todos aqueles que se envolvem na área de guerra espiritual. O nosso conhecimento sobre as graduações do reino das trevas identificadas anteriormente, bem como os níveis hierárquicos que serão expostos a seguir, nos darão um bom fundamento para compreendermos e combatermos os ataques destes demónios às pessoas, às famílias, às igrejas, às cidades e às nações: ROBSON RODOVALHO - 74


1. Nível "Solo"

A batalha espiritual a nível solo é o primeiro confronto real com as obras das trevas. É o mais comum, é o que mais enfrentamos no nosso dia-a-dia. Este nível é caracterizado por conflitos de Satanás contra o ser humano como indivíduo e contra a família como base e fundamento da humanidade. A esfera de ação dos demónios que atuam neste nível consiste em influenciar e, nos casos mais graves, possuir as pessoas. Também inclui pensamentos, sentimentos, atitudes e estilos de vida e disciplina pessoal. "E estes sinais seguirão aos que crerem: Em meu nome expulsarão os demónios, falarão novas línguas. Pegarão nas serpentes e, se beberem alguma coisa mortífera, não lhes fará dano algum, e porão as mãos sobre os enfermos e os curarão" (Marcos 16:17). "Pois que os espíritos imundos saiam de muitos que os tinham, clamando em alta voz; e muitos paralíticos e coxos eram curados" (Atos 8:7).

BATALHA ESPIRITUAL-75


2. Nível "Ocultismo"

Em 2 Coríntios 10:3-6, Paulo fala que a nossa luta não é segundo a carne e que as armas que temos para lutar também não o são, porque as FORTALEZAS contra as quais lutamos são os RACIOCÍNIOS, que quer dizer SOFISMAS. Sofisma quer dizer "argumento falso, falacioso, fruto da imaginação, da lógica humana, da sabedoria humana". A outra fortaleza que Paulo apresenta como nosso inimigo chama-se BALUARTE, que quer dizer "poder cósmico, que se manifesta de forma variada e resiste à verdade do conhecimento de Deus". Os estudiosos de batalha espiritual são unânimes em afirmar que a prevalência da bruxaria, do satanismo, da Nova Era em todas as suas ramificações, do vodu, do espiritismo, da idolatria, da necromancia, da astrologia e de outros meios satânicos equivalentes caracterizam a atuação dos espíritos ao nível do ocultismo. A penetração e o fortalecimento destes espíritos nos lugares se fazem por meio de fiROBSON RODOVALHO - 76


losofias e tendências sociais que influenciam a cultura e, por conseguinte, toda sociedade. A atuação das forças satânicas neste caso é, portanto, um nível superior àquelas conhecidas como fortalezas pessoais, que caracterizam as ações dos espíritos imundos (drogas, bebidas, prostituição, violência, enfermidades, entre outras). Podemos identificar que os demónios que atuam no nível de ocultismo buscam declaradamente: • Instalar e perpetuar um alto nível de adoração a Satanás; • Causar grandes comoções sociais e políticas; • Incentivar uma perseguição à Igreja usando as autoridades constituídas; •

Projetar instituições e sistemas que controlem a opinião e os desígnios coletivos;

Estabelecer procedimentos pecaminosos a nível coletivo. BATALHA ESPIRITUAL-77


É no nível de ocultismo que os demónios procuram destruir a unidade da Igreja, o ministério de pastores, a eficácia de evangelismos e ainda, por meio de muitos artifícios, manter a cegueira espiritual da população. 3. Nível "Estratégico"

Neste nível a luta é contra principados, potestades, príncipes do mundo que dominam sobre regiões geográficas. O nível estratégico é a guerra frontal contra altas hierarquias satânicas. Está relacionado às mais altas posições malignas, demónios designados por Satanás para influenciar e controlar as nações, estados e comunidades. Tem sua esfera de atuaçao mais ampla e sempre a um nível global. "Enfão me disse: Não temas, Daniel, porque desde o primeiro dia em que aplicaste o teu coração a compreender e a humilhar-te perante o teu Deus, são ouvidas as tuas palavras; e eu vim por causa das tuas palavras. Mas o príncipe do reino da Pérsia me resistiu vinte e um dias, e e/s que Miguel, um dos primeiros príncipes, veio para ajudarROBSON RODOVALHO - 78


-me, e eu fiquei ali com os reis da Pérsia." (Daniel 10:12,13).

Neste texto percebemos que está se tratando de lutas travadas entre principados do bem e do mal, no âmbito das regiões celestiais. "E houve batalha no céu, Miguel e os seus anjos batalhavam contra o dragão, e batalhavam o dragão e seus anjos". (Apocalipse 12:7). Este texto nos permite entender a envergadura do confronto nas regiões celestiais, e tudo isto por causa do controle da vida e do destino dos homens. Desta forma, podemos compreender que este nível de batalha está relacionado a acidentes, violências e distúrbios (revoltas, rebeliões), degeneração moral, violências sexuais, pobreza, todo tipo de doença, sectarismos, racismos, guerras e rumores, suicídios, domínio de autoridade. Podemos chegar à conclusão que Satanás tem procurado desencadear sua reBATALHA ESPIRITUAL-79


belião contra o Deus Altíssimo de forma a adotar estratégias de ação no tempo e no espaço (lugares), assegurando uma cegueira mundial dos que não conhecem a Jesus. Nesse sentido, o discernimento da Igreja deve ser ampliado de modo que saibamos o que exatamente deve ser feito. Para tanto, a batalha nesse nível não pode ser feita de qualquer maneira. É preciso arregimentar bem o exército do Senhor, ter guerreiros bem treinados e prontos a pagar o preço da verdadeira renúncia, horas e horas de oração e intercessão, vida consagrada e santificada ao Senhor, para que o inimigo não encontre brechas e venha "detonar suas bombas." Só podemos entrar neste nível por revelação de Deus, esse é o primeiro aspecto. Segundo, para guerrear nesse nível, é preciso que se conquiste a UNIDADE DO CORPO DE CRISTO NO TERRITÓRIO OU NA CIDADE. Vale destacar que os demónios atuam em concordância e cooperação com os seres humanos. Todos os anjos caídos, de qualquer hierarquia, nada podem fazer a não ser ROBSON RODOVALHO - 80


que o homem coopere com eles. Somente onde o homem concorre para a existência de uma estrutura desumana, pecaminosa, desobediente, abominável, opressora e injusta é que ocorre a abertura para a ação demoníaca, tanto em nível pessoal quanto em nível de igreja e sociedade em geral. Portanto, sabedores desta realidade, cabe a nós buscar em cada lugar o mecanismo e a estratégia mais eficaz no sentido de influenciarmos a população e levarmos o maior número possível de pessoas a terem um conhecimento da bondade de Deus e do poder de Jesus para curar, libertar e salvar dos homens.

Formas de ataque no nível "Solo" 1. Opressão Oprimir significa "apertar". É quando a pessoa sofre forte influência dos demónios, sentindo-se angustiada e com um "aperto" no coração.

BATALHA ESPIRITUAL-81


a) Origem da opressão: •

Perda da comunhão com Deus;

Pecados não confessados;

Falta de perdão;

Brechas no caráter.

bj Como descobrir se uma pessoa está oprimida? • Analisando as origens acima; •

Pelos sintomas relacionados abaixo;

• Com o discernimento do Espírito Santo (dom). c) Principais Sintomas: •

Perda da vitalidade, dores generalizadas, tonturas, calafrios, formigamento nas mãos e nos pés, enjoos e vómitos; ROBSON RODOVALHO - 82


Perda da esperança, da vontade de viver, julgar-se incapaz, letargia física, mental, emocional e espiritual;

• Dificuldade ou impossibilidade de glorificar o nome do Senhor Jesus Cristo, insensibilidade à presença do Espírito Santo ou não expressar qualquer sensibilidade espiritual. d) Como libertar uma pessoa que sofre de opressão? • Conscientizar a pessoa de seu verdadeiro estado; • Levar a pessoa a desejar a libertação; •

Levar a pessoa a orar confessando seus pecados, rejeitando as investidas do inimigo.

Normalmente, na opressão maligna não há manifestação de demónios, mas algumas pessoas podem cair durante o processo.

BATALHA ESPIRITUAL-83


2. Possessão

Ocorre quando os demónios têm controle total da mente e dos comandos físicos da pessoa. Possessão é a concretização da posse de Satanás sobre uma pessoa através de um dos seus demónios e que normalmente é resultado de uma conduta inconveniente, palavras, vontades ou pensamentos que, por si só, geram a permissão. Muitas vezes a possessão é feita de maneira tão sutil que dificilmente pode ser percebida. Nestes casos, torna-se necessário o dom de discernimento espiritual. Uma vez que a porta de um corpo foi quebrada por um demónio, outros demónios poderão receber daquele "demônio-chefe" a permissão para também ocuparem aquele corpo. É nepessário que estejamos cientes de que, quando um cristão assume o risco da prática de pecados, ela se torna tão vulnerável quanto qualquer incrédulo. a) Como ocorre o possessão? •

Com permissão consciente ou por desconhecimento de alguns princíROBSON RODOVALHO - 84


pios e verdades (pecados), passes, pactos e palavras. •

Práticas de bruxaria, magia, ocultismo, candomblé, umbanda, quimbanda, maçonaria, rosacrucianismo, kardecismo, prática de prostituição.

Em toda legião há um demónio líder. A manifestação pode ser identificada, imediatamente ou demorar dias e anos, destruindo as defesas, minando as forças vitais, tocando na saúde e nos sentimentos.

Na possessão o demónio pode vir "solitário" ou em legiões.

b) Principais sintomas: •

Pânico, medo, intriga, insónia, ira, rebeldia, ódio, rancor, desejo de prática sexual ilícita.

Na maioria das vezes, a manifestação por legião é acompanhada de crises violentas, ataques físicos e palavra ofensivas. É necessário ordenar BATALHA ESPIRITUAL-85


várias vezes e dar vários comandos, porque se trata de uma atuação coletiva. •

Desvios de personalidade, perturbações mentais, falar coisas desconexas, lapsos de memória, instintos maldosos, mudanças de hábitos, xingamentos.

cj Como libertar uma pessoa possessa? • O comando de ordem deverá ser dado apenas por uma pessoa. •

Use somente o nome de Jesus Cristo (Marcos 16:17).

No caso de pessoas possessas por legiões, o processo pode ser demorado. Evite chamar o demónio líder da legião no início do processo, porque estará amparado e fortalecido por muitos demónios que o acompanham.

• Gradativamente, mine as resistências do maligno, ministrando o fogo do Senhor, pedindo a Ele que reine sobre ROBSON RODOVALHO - 86


a pessoa, destruindo as forças malignas, fechando as portas de entrada, destruindo os pontos de contato que existem na vida da pessoa. • Se a libertação for demorada, você pode ordenar aos demónios que não se manifestem por algum tempo, para que a pessoa recobre o controle da sua mente. Dê-lhe água, faça-a descansar. •

No processo de libertação você pode ouvir frases como: - "Me largue, estou bem"; "Me solte...você está me machucando". Não confie. Peça para a "pessoa" dizer ou confessar Jesus Cristo.

• A demora na expulsão de demónios pode estar ligada aos seguintes fatores: - Enfeites e adereços (ponto de contato); - Pactos e alianças feitos com demónios; BATALHA ESPIRITUAL - 87


- Falta de perdão: pecados ocultos, não confessados. dj Como perceber se a libertação está acontecendo: • Sinais e sintomas mais comuns: tosse, vómitos, ânsias (enjoo), secreção lateral nos lábios, bocejos, gritos, suspiros, tremores, suores, arrepios. ej A crise histérica é um sinal da influência demoníaca nas emoções de uma pessoa. Alguns sintomas: •

Pálpebras batendo em ritmo acelerado;

Ritmo acelerado da respiração;

• Tremores dos membros; • Consciente a princípio, mas depois pode se tornar inconsciente; •

Não obedece ao comando verbal de sair em nome de Jesus; ROBSON RODOVALHO - 88


Procura chamar a atenção para si.

Em caso de autoemoções provocando histerias, é necessário que o agente da libertação ore repreendendo os demónios que estão oprimindo e atuando nas emoções, mandando-os embora e depois ministrando a paz, o consolo e a chegada do Espírito Santo para que a libertação seja efetivada.

Manifestações demoníacas 1. Características: • Contorções, convulsões, gritos, uivos, gargalhadas, cuspir, falar palavrões e outros; •

Normalmente a pessoa está inconsciente;

• Obedece aos comandos dados em nome de Jesus. Ao perceber que há resistência, citar textos bíblicos, pois normalmente se trata de demónio hierarquicamente superior. BATALHA ESPIRITUAL-89


2. Em caso de endemoninhamento: "E aconteceu que, indo nós à oração, nos saiu ao encontro uma jovem, que tinha espírito de adivinhação, a qual, adivinhando, dava grande lucro aos seus senhores. Esta, seguindo a Paulo e a nós, clamava dizendo: estes homens que nos anunciam o caminho da salvação são servos do Deus Altíssimo. E isto a fez por muitos dias. Mas Paulo, perturbado, voltou-se e disse ao espírito: em nome de Jesus Cristo, te mando que saias dela. E na mesma hora saiu." (Atos 16:16-18).

Não exponha a pessoa; se possível, faça a libertação em lugar reservado.

• Esteja atento à orientação do Espírito Santo. Faça aquilo que Ele ordenar. Não se prenda a uma regra para expulsar demónios. • Amarre o demónio e ordene que saia em nome de Jesus. • Não se intimide por não estar em jejum quando estiver expulsando alROBSON RODOVALHO - 90


gum demónio (Marcos 9:29; Mateus 17:20-21). • Não deixe o demónio machucar a pessoa. • O demónio pode falar usando a voz normal da pessoa, ou não. • Atente, pois você pode estar lidando com falanges: "Então vai e leva consigo outros sete espíritos piores do que ele e, entrando, habitam ali e são os últimos atos desse homem, piores do que os primeiros. Assim acontecerá também a esta geração má." (Mateus 12).

Neste caso, faz-se necessário observar, durante o momento de libertação, que, às vezes, ocorre uma consecutiva libertação, ou seja, ocorre um processo sucessivo no qual vários demónios são expulsos, podendo causar a impressão de que não houve a libertação; porém, a libertação está sendo efetivada.

BATALHA ESPIRITUAL-91


3. Procedimentos após a libertação: •

Levar a pessoa a convidar o Espírito Santo para morar em sua vida;

Orientá-la na palavra;

Fazer acompanhamento (discipulado).

"Mais tarde, Jesus o encontrou no tempo e lhe disse: olha que já estás curado, não peques mais, para que não te suceda coisa pior." (João 5:14).

ROBSON RODOVALHO - 92


CAPÍTULO 3 As Áreas de Atuação dos Principados

BATALHA ESPIRITUAL-93


PRINCIPADOS são espíritos territoriais que compõem o reino das trevas. São seres que possuem uma ampla área de influência no reino satânico que agem em áreas e povos específicos. São formados pela alta cúpula de demónios ou de príncipes das trevas, designados por satanás para controlar certos lugares, cidades e países que interessam ao seu reino.

Principado ligado às Finanças "Ninguém pode servir a dois senhores; porque ou há de odiar um e amar o outro, ou se dedicará a um e desprezará o outro. Não podeis servira Deus e a Mamom." (Mateus 6:24). "Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a BATALHA ESPIRITUAL-95


ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aíesfará fambém o vosso coração." (Mafeus ó: 19-2/J.

A Bíblia fala de Mamom, que no grego significa "deus das riquezas". Mamom é uma entidade espiritual, que está ligada e presente em todos os sistemas financeiros. Ele é legalista - para ele tanto faz milhões como centavos. Ele deseja entrar no coração do homem para que este esteja atrelado ao dinheiro e, assim, roubar o amor de Deus. l Timóteo 6:10 diz que "...o amor ao dinheiro é raiz de todos os moles...". Mamom procura seduzir os homens a amarem o dinheiro. 1. Características de Mamom. • Espírito de iniquidade. • Anti-Deus. Mamon procura competir com Deus, ele é contra o reino de Deus. Ele se junta com outras entidades demoníacas, instituindo uma força contra nós. ROBSON RODOVALHO - 96


• Provê coisas com poder limitado. Os princípios do reino de Deus vêem seus recursos sendo ampliados pelo sistema da multiplicação. Os princípios de Mamom basicamente são comprar e vender, e isso dá um poder limitado. • Seu sistema é diferente do nosso. Através dos princípios do reino de Deus de dar e receber, quebramos todas as cadeias e elos que nos ligam a Mamom e ao seu reino de trevas. Precisamos exercer a função de mordomos. 2. Os sinais da influência de Mamom. •

Preocupação e ansiedade com as finanças - quando você não busca o reino de Deus em primeiro lugar (Mateus 6:33), você irá buscar o dinheiro, e isto gera preocupação e ansiedade.

Estado pessimista - Deus é a fonte geradora dos recursos e possibilidades e uma atitude de lamúria e reclamação revela a influência de Mamom em nossas vidas, levando-nos a miséria. BATALHA ESPIRITUAL-97


Compras impulsivas - Mamam tem grande influência no comércio livre, levando-nos a comprar sem precisar ou até mesmo sem poder pagar. Descontentamento pela vida - cada crente tem que aprender em Deus a viver em duas situações: quando temos muito e quando não temos nada (Filipenses 4:11). Pão-durismo - pessoas que não têm a sensibilidade de Deus para dar, geralmente têm um sentimento de preocupação e instabilidade muito grande. Não confiam em Deus e nas Suas promessas, e não colhem o que a Palavra promete. Avareza - é o desejo ardente de possuir mais do que já se possui, de forma egoísta, nem que isso resulte na desgraça do outro.

ROBSON RODOVALHO - 98


3. Maneiras de destronar a Mamom e seus demónios. •

Fechando todas as brechas de pecados de nossas vidas (relacionamento com Deus, com as pessoas, no caráteretc.).

• Praticar os princípios bíblicos que temos lido e ouvido. • Guerrear, lutar pelo que é nosso em oração e jejum. "Enfão os discípulos, aproximando-se de Jesus em particular, disseram: Por que não pudemos nós expulsá-lo? E Jesus lhes disse: Por causa de vossa pouca fé; porque em verdade vos digo que, se tiverdes fé como um grão de mostarda, direis a este monte: Passa daqui para acolá, e há de passar; e nada vos será impossível. Mas esta casta de demónios não se expulsa senão pela oração e pelo jejum." (Mateus 17:19-21).

• Crer na providência de Deus.

BATALHA ESPIRITUAL-99


"E chamou Abraão o nome daquele lugar: O SENHOR PROVERÁ, donde se diz até ao dia de hoje: no monte do Senhor se proverá." (Génesis 22:1 4)

• Desarraigar toda raiz de avareza e dar liberalmente. "Honra ao Senhor com os teus bens, e com a primeira parte de todos os teus ganhos, e se encherão os teus celeiros, e transbordarão de vinho os teus lagares." (Provérbios 3:9,10). "Ao que distribui mais se lhe acrescenta, e ao que retém mais do que é justo, é para a sua perda. A a/ma generosa prosperará e aquele que atende também será atendido." (Provérbios 11:24-25). "Semeais muito, e recolheis pouco; comeis, porém não vos fartais, bebeis , porém não vos saciais, vesti-vos, porém ninguém se aquece, e o que recebe salário, recebe-o num saco furado." f Age u 7:ój. "Esperastes o muito, mas e/s que veio a ser pouco, e esse pouco, quando o trouxesROBSON RODOVALHO -100


fés para casa eu dissipei com um sopro. Por que causa? Disse o Senhor dos Exércitos. Por causa da minha casa, que está deserta, enquanto cada um de vós corre à sua própria casa." f Age u 1:9). "E digo isto: que o que semeia pouco, pouco também ceifará, e o que semeia em abundância, em abundância ceifara." (2 Cor/n f/os 9:6). "Ora aquele que dá a semente ao que semeia também vos dê pão para comer, e multiplique a vossa sementeira, e aumente os frutos da vossa justiça. Para que em tudo enriqueçais para toda a beneficência, a qual faz que por nós se dêem graças a Deus." (2 Coríntios 9:10-11).

4. Casta de demónios que tem a Mamom como príncipe. "E por causa de vós repreenderei o devorador, e ele não destruirá os frutos da vossa terra; e a vossa vida no campo não será estéril, diz o Senhor dos Exércitos." (Malaquias 3:11).

BATALHA ESPIRITUAL-101


"O que deixou o gafanhoto cortador comeu-o o gafanhoto migrador; o que deixou o migrador comeu-o o gafanhoto devorador; o que deixou o devorador comeu-o o gafanhoto destruidor." (Joel 1:4).

• Devorador - É o responsável pela esterilidade e destruição financeira; devora velozmente, até a raiz. • Cortador - Bloqueia o início dos negócios (o fechamento), fecha as portas, trava as portas financeiras. • Voador ou migrador-Migra, volta de tempos em tempos, ataca as gerações de uma mesma família, ou migra de uma família para outra, ou em várias ocasiões na mesma família. • Destruidor - Tira a alegria de viver, tira a vida das pessoas (suicídio, homicídio) destrói tudo o quedem (pessoas e famílias), até a morte.

ROBSON RODOVALHO -102


Principado ligado à Família 1. Como um espírito familiar pode destruir muitas famílias. Tudo o que o diabo precisa para comprometer uma família por muitas gerações é encontrar uma porta aberta, ainda que seja pequena, para então entrar e estabelecer uma palavra na qual começará um processo de dominação no lar. "Entrando eles, pois, no coso de Mico e tomando a imagem de escultura, a estola sacerdotal, os ídolos do lar e a imagem de fundição, disse-lhes o sacerdote: Que estais fazendo? Eles lhe disseram: Cala-te, e põe a mão na boca, e vem conosco, e sê-nos por pai e sacerdote. Ser-te-á melhor seres sacerdote da casa de um só homem do que seres sacerdote de uma tribo e de uma família em Israel? Então, se alegrou o coração do sacerdote, tomou a estola sacerdotal, os ídolos do lar e a imagem de escultura e entrou no meio do povo. (...) Respondeu-Ihes: Os deuses que eu fiz me tomastes e também o sacerdote e vos fostes; que mais me resta? Como, pois, me perguntais: Que BATALHA ESPIRITUAL-103


é o que tens? (...J Os filhos de Do levantaram para si aquela imagem de escultura; e Jônatas, filho de Gérson, o filho de Manassés, ele e seus filhos foram sacerdotes da tribo dos danitas até ao dia do cativeiro do povo. (...) Assim, pois, a imagem de escultura feita por Mica estabeleceram para si todos os dias que a Casa de Deus esteve em Silo." (Juizes 18:19,20,24,30,31).

Mica recebeu de sua mãe um dinheiro maldito e fez dele um ídolo do lar (Juizes 17:34). Logo após, ele pôs seu filho como sacerdote (Juizes 17:5-6). Posteriormente, o culto ao ídolo começou a tomar proporções maiores e ele pôs um levita como sacerdote, fazendo-lhe uma esfola sacerdotal, o que influenciou mais pessoas (Juizes 17:10-13}. Percebe-se que até aqui ele estava absolutamente certo de estar servindo ao Senhor com tudo isto. Mas o processo não parou por aí, pois o principado influenciava cada vez mais: cinco homens de outra família, de Da, foram envolvidos (Juizes 18:2-5). Na sequência, mais seiscentos homens dessa tribo (Juizes 17:11-16), até que, finalmente, toda a tribo foi envolviROBSON RODOVALHO-104


da (Juizes 18:30-31), permanecendo o espírito familiar até o cativeiro. O envolvimento já havia tomado proporções inesperadas, mas ainda não pararia por aí. Séculos mais tarde, um rei chamado Jeroboão potencializou o espírito familiar que já havia sido habilitado no passado, envolvendo com isso, todo Israel, resultando na destruição de todas as famílias de Israel (2 Reis 17:19-23). As famílias foram destituídas de sua herança, mortas e, na melhor das hipóteses, espalhadas sobre a terra, perdendo sua identidade. Deus prometeu a bênção de Abraão sobre todas as famílias da terra, mas este principado quer destruir todas elas. 2. Como esse principado atua nas famílias.

a j Ele tira o poder e o autoridade de Deus para que Ele não possa intervir por nós, porque há contaminação na família (Génesis 35:1-6). Ele potencializa os espíritos territoriais contra a família. BATALHA ESPIRITUAL-105


Poderíamos dizer que Jacó estava na "lista negra" para ser destruído juntamente com sua família pelos povos cananeus, principalmente pelo que os seus filhos fizeram aos siquenitas, massacrando-os (Génesis 34:2530). Ele já fazia parte dos planos de destruição do diabo, e a existência dos ídolos do lar e espíritos familiares era a porta aberta para que o diabo cumprisse seu plano; porém, Jacó livrou-se a tempo, trazendo a proteção do Senhor sobre si e sobre o seu lar. Este principado quer deixar algo que comprometa a nossa casa, impedindo que Deus traga o livramento e a bênção. b) Ele promove desgraças a todas as famílias que são influenciadas por eles (Jeremias 44). Esta tem sido uma característica dos lares brasileiros. Muitas mulheres insubmissas dominam seus lares, estando à frente de tudo e, muitas vezes, com a anuência de maridos omissos. O principado chamado "Rainha do Céu" promove tudo isso sob o disfarce da emancipação feminina, trazendo uma capa de modernidade e liberdade, mas que, na verdade, resultará na infelicidade e na desROBSON RODOVALHO -106


truiçõo dos lares. Isso quase aconteceu no lar de Abraão quando Sara, sua esposa, numa atitude de incredulidade e rebeldia, colocou-o nas mãos de uma amante, Hagar. "E disse Sara a Abraão: E/s que o Senhor me f em impedido de gerar; entra, pois, à minha serva, porventura, terei filhos dela. E ouviu Abraão a voz de Sara." (Génesis 16:2).

c) Ele acaba com a soberania da geração que vem à frente (Juizes 8:24, 27; 9:4, 5). Gideão destruiu o altar de seu pai, mas não a influência real que os espíritos traziam sobre o seu lar. Depois da vitória que obtivera contra os midianitas, Gideão acabou se deixando levar pela idolatria, fazendo uma esfola sacerdotal que virou motivo de adoração por parte do povo. A ação desse principado é visível, tanto que, num futuro, seufilho Abimeleque começou a remontara idolatria de seu avô, recebendo 70 argolas e matando seus 70 irmãos. O principado quer isso, deixar fragmentos escondidos que venham comprometer o futuro de nossas famílias.

BATALHA ESPIRITUAL-107


dj E/e é reforçado pelos costumes e pelas deformações que vão passando de geração a geração (2 Crónicas 11:21 a 23). Roboao ensinou seus filhos a terem muitas mulheres, que foi o motivo da derrota de Davi (l Crónicas 14:3), que também foi o motivo da derrota de Salomão (l Reis 11:1-3).

Esse principado vê nos ensinamentos errados, passados de geração em geração, a oportunidade de agir e assolar as famílias. Perceba que a história estava se repetindo, pois, com certeza, Davi havia influenciado negativamente o seu filho Salomão, que por sua vez contaminou Roboao, transferindo-lhe suas deformações. Esse principado passou a ter autorização para agir justamente na área vulnerável daqueles homens. Vemos isso acontecer até os dias atuais, onde deformações e costumes são passados de geração a geração e famílias inteiras acabam sendo destruídas pela ação desse principado. Uma coisa naturalmente aceita nas famílias brasileiras hoje é a prostituição entre os hoROBSON RODOVALHO-108


mens. Essa é incentivada pelos próprios pais, que em certa idade levam seus filhos a prostíbulos incentivando-os a terem muitas mulheres. Nada mais é do que demónios agindo desde cedo para minar a futura família. 3. Como vencer o principado que domina as famílias.

o) Derrubara altar: não alimentá-lo mais com os maus costumes do passado (levarão pó aquilo que potencializa o principado) (2 Reis 23:1112,15). Josias vinha de uma linhagem de homens nobres, porém comprometida com as malignidades que traziam todo mau costume dos povos ao redor: Seu tataravô, Acaz, queimou o próprio filho como sacrifício e queimou incenso nos altos (2 Reis 16:2-4). Manassés, seu avô, foi completamente abominável ao Senhor, pois queimou seu próprio filho, reergueu os altares de Baal que Ezequiel havia derrubado, ergueu altares ao exército dos céus, colocou altares dentro da Casa do Senhor e, em seu pecado, conseguiu ser mais ímpio que os BATALHA ESPIRITUAL-109


próprios amorreus que habitavam anteriormente na terra (2 Reis 21: l -7,11. Jeroboão, o rei que colocou o ídolo em Da, descaracterizou o culto verdadeiro ao Senhor, corrompendo com isso a fé e os costumes do povo, que deixou de ir à Jerusalém para adorar. Nessa ocasião, houve uma profecia sobre Josias, o qual nasceria aproximadamente 300 anos depois e quebraria os altares idólatras que haviam sido erguidos nas gerações passadas (l Reis 13:1-6). Você é alguém escolhido por Deus. Antes mesmo que você nascesse, o Senhor já tinha grandes planos para a sua vida, pois Ele olhava a sua família, as gerações passadas, e as estruturas malignas que foram erguidas. Ele quer se levantar contra aqueles que querem destruir sua família, trazendo um novo tempo para os seus! "Naquela noite o Senhor disse a G/deão: Leve o f ouro que pertence a se u pai e outro touro de sete anos e derrube o altar do deus Baal que é do seu pai e também o poste da deusa Aserá que está ao seu lado." (Juizes 6:25). ROBSON RODOVALHO-110


b) Valorizar a Poíovra de Deus e os bons costumes, para promover como exemplo para as próximas gerações (2 Reis 23:1-3, 16-18.) Tudo o que é ligado na terra é ligado nos céus, nos lugares celestiais. Enquanto os antecessores de Josias fizeram tudo que era abominável ao Senhor, deixando um péssimo legado para as gerações de reis que viriam, ele começou a edificar uma nova estrutura, conduzindo o seu povo aos valores de Deus. Josias estava formando novos servos de Deus que veriam seu exemplo, teriam contato profundo com a Palavra e, certamente, não se corromperiam. O Senhor deseja que deixemos um legado fundamentado na Palavra de Deus e uma vida de santidade. "Instrui o menino no cominho em que deve andar; e, afé quando envelhecer, não se desviará dele." (Provérbios 22:6).

c) Repreender, quebrar e batalhar contra a influência do principado na sua família (2 Reis 23:24, 25). BATALHA ESPIRITUAL-111


Josias não só teve um posicionamento pessoal com o Senhor, mas ele foi fundo nos valores de Deus para a sua família e seu povo, quebrando qualquer referencial do passado que pudesse vir e comprometer as gerações futuras. A salvação já aconteceu na sua vida. Deus já se move em você, mas é preciso mais! É preciso um compromisso com a sua família até as últimas consequências para liberá-la completamente. A partir de hoje você vai orar, jejuar, batalhar, para não permitir que demónio algum, habilitado pelo passado, continue tendo legalidade na sua família! E principalmente: dar amor e os referenciais do Senhor para que não só você, mas "você e a sua casa sirvam ao Senhor.'" (Josué 24:15).

ROBSON RODOVALHO -112


Espíritos que agem na vida da mulher - lansã; - Rainha do Céu, todas as Marias (insubmissão); - lemanjá; - Oxum (amante); - Pomba gira; - Maria Mulambo (deixa a mulher feia e relaxada).

Espíritos que Espíritos que agem agem na vida na vida do homem dos filhos

- Xangô - traz a dureza ao homem, que não se dobra; - Ogum - violência.

- Cosme e Damião; - Ibeígi; - Moloque.

Principado ligado aos Vícios "O vinho é escornecedor, e a bebida forte, alvoroçadora; todo aquele que por eles é vencido não é sábio." (Provérbios 20:21).

Vício vem do latim "vitium", que significa "falha" ou "defeito". É um hábito repetitivo que degenera ou causa algum prejuízo ao viciado e aos que com ele convivem. BATALHA ESPIRITUAL-113


Segundo definição em dicionário, o vício é um defeito que torna a pessoa imprópria para aquilo a que se destinava. O vício descaracteriza a pessoa completamente, fazendo com que ela não cumpra com os seus objetivos. Deus havia tirado o povo do Egito depois de um longo tempo de escravidão e lhe feito uma promessa: "Portanto, d/ze aos filhos de Israel: Eu sou o SENHOR, e vos tirarei de debaixo das cargas dos egípcios, vos livrarei da sua servidão e vos resgatarei com braço estendido e com juízos grandes. E eu vos tomarei por meu povo, e serei vosso Deus, e sabereis que eu sou o SENHOR, vosso Deus, que vos tiro de debaixo das cargas dos egípcios." (Êxodo 6:6,7).

Apesar disso, vemos que o Seu povo se corrompeu e se prostituiu perante outros deuses, ou seja, completamente descaracterizado quanto aos propósitos de Deus (Êxodo 32:1-10).

ROBSON RODOVALHO-114


Deus criou o homem para o Seu louvor e adoração, porém, o diabo quer afastar esse homem do propósito do Senhor e fazê-lo lançar mão dos vícios, que tem vencido a muitos, destruindo e assolando famílias inteiras. 1. Sintomas daqueles que estão envolvidos com o principado do vício. Podemos afirmar que existem basicamente dois tipos de vícios: os fisiológicos e os psicológicos. • Vícios fisiológicos - afetam o metabolismo, fazendo com que o corpo necessite de uma certa dose de uma substância tóxica. É algo que preenche o vazio, que relaxa, que acalma. Em suma, que exerce tal domínio que a sua ausência gera à síndrome de abstinência, trazendo consigo reações como a depressão. • Vícios psicológicos - existem casos em que os vícios estão ligados ao comportamento humano. É a dependência ou a mudança de atitudes ou atividades que trazem um sentimento BATALHA ESPIRITUAL-115


de bem-estar e prazer. A depressão, a tristeza, a ansiedade e a angústia são geradas pela falta deles. Podemos incluir neste tipo de vício a dependência do sexo, da pornografia, dos jogos de azar e de comportamentos como a mentira, entre outros. O principal objetivo do principado dos vícios é nos colocar sob a dependência de algo ou alguém que não seja o Senhor. 2. Como age o principado dos vícios?

a) Ele nos faz tomar atitudes impensadas e nos expõe ao ridículo (Génesis 9:2024). Noé, que era um homem justo, ponderado e com total controle das situações, acabou se entregando ao vinho e, embriagado, perdeu completamente a razão, sendo levado a tomar atitudes que arranhariam a sua imagem, expondo-o ao ridículo. Imagine como deve ter-se sentido quando voltou a si. Quantas situações não aconteceriam no dia-a-dia do homem se não fosse a inROBSON RODOVALHO-116


fluência do vício? É comum vermos pessoas maltratando e até matando outras por motivos banais, e isso acontece devido à ação desse principado, que se alimenta e é potencializado pelo vício do homem. Além disso, esse principado age impondo ao homem, na volta à consciência, um sentimento de remorso e frustração pelas atitudes tomadas. Esse principado não terá poder de dominar alguém, a não ser que haja permissão dada pela pessoa. "Ai daquele que dá de beber ao seu companheiro, misturando à bebida o seu furor, e que o embebeda para lhe contemplaras vergonhas!" (Habacuque 2:15). b) Ele promove o dissolução e o desprezo aos valores santos e sadios de Deus (Daniel 5: l-4). O rei Belsazar assumiu uma postura de escárnio em relação aos valores de Deus. Em uma atitude desprezível, ele mandou trazer os utensílios que foram consagrados ao Senhor para usá-los em sua festa regada a muito vinho.

BATALHA ESPIRITUAL-117


Tudo o que o diabo idealiza tem por finalidade impedir que o homem cumpra o seu principal propósito que é louvar a Deus. Por isso, o resultado que vemos acontecendo na vida de quem se deixou controlar pelo vício é o total desprezo em relação àquilo que vem do Senhor. É comum vermos pessoas zombando e blasfemando de Deus quando estão sob o efeito do álcool ou das drogas. Belsazar perdeu a noção de limites e estava agora dando razão às suas extravagâncias, servindo a demónios, bebendo do vinho nos cálices que foram consagrados a Deus. O homem preso ao vício perde os valores primordiais de moral, de santidade e de ética. cj E/e nos leva à derrota, à humilhação e à miséria (Daniel 5:23-28, 30). Aquele que é dominado pelo vício arca com as consequências que invariavelmente são dor, sofrimento e destruição. Belsazar não imaginou que uma noite "alegre" acarretaria em derrota e humilhação. As suas atitudes fizeram com que a justiROBSON RODOVALHO-118


ca de Deus se manifestasse e ele fosse julgado. O resultado foi a divisão do seu reino e a sua morte naquela mesma noite. O fim daqueles que estão presos e assolados por esse principado costuma ser extremamente trágico. Conforme o que a Palavra de Deus nos fala, o diabo vem para roubar, matar e destruir, e é o que percebemos acontecer com estas pessoas. Quando não morrem de maneira violenta, devido a acidentes de trânsitos, assassinatos ou suicídios, suas vidas são ceifadas por enfermidades como cirrose, cânceres, problemas neurológicos e, até mesmo, devido uma overdose. Além da vida física ceifada, há também a destruição em outras áreas, como profissional, sentimental e familiar. "Aça L/f e/a/- vos por vós mesmos, para que nunca vos suceda que o vosso coração fique sobrecarregado com as consequências da orgia, da embriaguez e das preocupações desfe mundo, e para que aquele dia não venha sobre vós repentinamente, como um laço." (Lucas: 21:34).

BATALHA ESPIRITUAL-119


dj E/e usa oufros que estão em seu domínio para nos arrastar para os vícios (l Pedro 4:3,4). Ele age também por intermédio da influência de pessoas importantes. Por isso, muitas vezes temos visto filhos seguindo exemplos dos pais e amigos de escola, influenciando e sendo influenciados. É preciso que entendamos que há um diferencial sobre nós, por isso não deve haver associação com esse tipo de pessoas, para que não incorramos no erro de sermos contaminados por elas. O bom é ser amigo de quem é amigo de Deus, para que esse principado não encontre oportunidade para agir em nossas vidas. "Não estejas entre os bebedores de vinho, nem entre os comilões de corne. Porque o beberrõo e o comilão coem em pobreza." (Provérbios 23:20,2 7 J.

e j Ele faz com que ao invés de herdarmos as bênçãos de Deus, sejamos levados para a falência (Isaías 5:11-14; Provérbios 23:29-35). ROBSON RODOVALHO -120


Deus tem bênçãos para os Seus filhos, porém, esse principado age de maneira que o homem abra mão dessa verdade e caminhe para total destruição e falência. Isso acontece porque, ao invés de olhar para Deus e para aquilo que Ele tem reservado, deixam-se fascinar pelos efeitos aparentes do vício. O profeta Isaías faz essa constatação, mostrando-nos o que espera aqueles que se deixam levar pelo vício. Quantos potenciais mergulham no ostracismo devido à ação desse principado; pessoas que tinham um futuro brilhante pela frente, mas que, de repente, são roubados e vêem toda inteligência e conhecimento tragados por esse principado. 3. Como vencer o principado dos vícios.

aj Jejuar e lutar contra aquilo que quer nos dominar (Daniel 1:5,8,15; 10:2,3). Daniel resolveu se abster de tudo que representasse uma ameaça à sua soberania. Com certeza, tudo que alguém sonha é poder estar um dia na posição em que ele estaBATALHA ESPIRITUAL-121


vá, tendo a possibilidade de comer e beber das iguarias do rei. Daniel, porém, sabia que precisava se preservar de tudo que pudesse destruir seu relacionamento com Deus. O jejum é uma grande bênção não só do ponto de vista espiritual, como também orgânico e emocional, pois o vício nada mais é do que uma dominação que se dá por causa de um hábito que o corpo e a mente adquirem, e que os levam a ficar naturalmente voltados para sua repetição. Além de quebrar a influência no mundo espiritual, o jejum ainda interrompe o hábito que potencializa o vício no mundo natural. Há um ditado popular que diz: "Querer é poder!". Talvez essa informação não seja assim tão carreta, porém uma coisa é certa: "Você pode fudo naquele que lhe fortalece!" (Filipenses4:13). b) Entender que é melhor andar no Espírito (Gaiatas 5:16-18; Efésios 5:18). Não há forma melhor de se ver livre daquilo que nos prende às coisas da carne, do que andando em Espírito, pois não há como vencer as obras da carne estando na carne. ROBSON RODOVALHO -122


Existe uma dimensão em que somos livres das coisas da carne. Essa dimensão é alcançada quando entramos em comunhão profunda com o Espírito Santo de Deus. Aí, então, começamos a sentir, pensar e agir nas coisas do Senhor, e não nas da terra, e isso naturalmente. "Portanto, se fostes ressuscitados juntamente com Cristo, buscai as coisas lá do alto, onde Cristo vive, assentando à direita de Deus. Pensai nas coisas lá do alto, não nas que são aqui da terra." (Colossenses 3:1,2).

Jesus Cristo tem uma vida abundante para você e para a sua família, e essa vida passa pela libertação total de qualquer tipo de vício. "Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres." (João 8:36).

BATALHA ESPIRITUAL-123


Entidades -Baco/ Dionísio: Baco, na mitologia romana, -lê Pilintra: é deus pretos velhos e do vinho, pretas velhas, identificado Exus, Oguns. com Dionísio, o deus grego do vinho. - Pa, Ossaim.

-Caboclos e índios, boiadeiros, Yemanjá.

Principado ligado à Mentira "E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Responderam-lhe: Somos descendência de Abraão, e nunca servimos a ninguém: como dizes tu: Sereis livres? Respondeu-lhes Jesus: Em verdade, em verdade vos digo que todo aquele que comete pecado é servo do pecado. Ora o servo não fica para sempre em casa; o Filho fica para sempre. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. Bem sei que ROBSON RODOVALHO -124


sois descendência de Abraão; contudo, procurais matar-me, porque a minha palavra não entra em vós. Eu falo do que vi junto de meu Pai, e vós fazeis o que também vistes junto de vosso pai. Responderam, e disseram-lhe: Nosso pai é Abraão. Jesus disse-lhes: Se fôsseis filhos de Abraão, faríeis as obras de Abraão. Mas agora procurais matar-me, a m/m, homem que vos fem dito a verdade que de Deus tem ouvido; Abraão não fez isto. Vós f azeis as obras de vosso pai. Disseram-lhe, pois: Nós não somos nascidos de prostituição; temos um Pai, que é Deus. Disse-lhes, pois, Jesus: Se Deus fosse o vosso Pai, certamente me amaríeis, pois que eu saí, e vim de Deus; não vim de m/m mesmo, mas e/e me enviou. Por que não entendeis a minha linguagem? Por não poderdes ouvir a minha palavra. Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira. Mas, porque vos digo a verdade, não me credes. Quem dentre vós me convence de pecado? E se vos digo a verdade, por que não credes? Quem é BATALHA ESPIRITUAL-125


de Deus escufo as palavras de Deus; por /sso vós não as esc ufa/s, porque não sois de Deus." (João 8:32-47).

A Bíblia diz que o mundo jaz no maligno (l João 5:19) e vemos as evidências dessa realidade no dia-a-dia, como também a dificuldade do homem em reconhecer sua total necessidade de Deus. É muito comum ouvir as pessoas dizendo que conhecem a Deus, que são filhos de Deus, porém, como lemos nesse texto, Jesus adverte que esse tipo de pensamento é a maior mentira que o diabo pode insuflar no coração humano na tentativa de afastá-lo da verdade. Os judeus se consideravam filhos de Abraão e, por isso, não podiam aceitar a comparação que Jesus fazia, dizendo-lhes que eram escravos. Na verdade, Jesus queria abrir os seus olhos para que entendessem que não podiam assumir apenas uma condição nominal de filhos de Abraão, mas que precisavam agir como tais. Como explicar o fato de quererem matar a Cristo, de não ouvirem suas palavras e de não reconhecerem quem ele era? ROBSON RODOVALHO -126


A resposta é simples e está no versículo 44:

"Vós tendes por pai ao diabo, e quereis satisfazer os desejos de vosso pai. Ele foi homicida desde o princípio, e não se firmou na verdade, porque não há verdade nele. Quando ele profere mentira, fala do que lhe é próprio, porque é mentiroso, e pai da mentira". Aqueles homens estavam sob ação desse principado que distorce as coisas e impede uma intimidade maior com Deus. Muitas pessoas estão vivendo dessa maneira e escravas da mentira, não conseguem enxergar a real vontade de Deus e permanecem presas. Que Deus abra os nossos olhos e a verdade se manifeste em nossas vidas, libertando-nos por completo de toda escravidão. 1. Como age o principado da mentira?

a) Ele faz com que o homem seja influenciado pela ambição distorcida e não reconheça que a sua suficiência vem de Deus (2 Reis 5:20-27). BATALHA ESPIRITUAL-127


Geazi não entendeu o fato de Eliseu ter desprezado os presentes que foram oferecidos por Naamã, pois a situação dos profetas não era das melhores. Por isso, com a mesma veemência que Eliseu rejeitou os presentes, Geazi se deixou fascinar pela oportunidade de lucro fácil. Logo ele, que andando com seu senhor, o profeta Eliseu, já vira Deus realizar uma série de milagres relacionados com aberturas de portas de suprimentos (a multiplicação de azeite da viúva, a morte tirada da panela, a multiplicação dos pães do homem de Baal-Salisa). Talvez ele visse naquele momento a grande oportunidade de sua vida e não mediu esforços para alcançar seus objetivos. O diabo, que é o pai da mentira, procura através desse principado fazer com que pensemos que a única maneira de vencermos na vida seja o tão famoso "jeitinho". Em um país como o nosso, assolado pela injustiça social, as pessoas preferem buscar o caminho mais curto para atingir seus objetivos. "Disse entoo Pedro: Anonias, por que encheu Satanás o teu coração, para que mentisses ao Espírito Santo, e retivesses parROBSON RODOVALHO -128


fé do preço da herdade? Guardando-a não ficava para ti? E, vendida, não esfava em fé u poder? Por que formaste este desígnio em teu coração? Não mentiste aos homens, mas a Deus." (Atos 5:3,4). b) Ele foz com que o homem só busque vantagens para si, desprezando princípios éticos, morais e espirituais. Geazi estava decidido a correr atrás do lucro e não pensou duas vezes para aplicar um grande golpe em Naamã, agindo em nome de Eliseu. Desprezou, assim, todos os ensinamentos recebidos de Eliseu e abriu mão de princípios que são imprescindíveis para um homem íntegro. A sua postura ética, moral e espiritual foi a pior possível, mas, infelizmente, não se trata do único a se posicionar desse modo. O que mais vemos na sociedade atual são pessoas abrindo mão de todo escrúpulo na busca cega do sucesso. Isso acontece nas famílias, no trabalho e, muitas vezes, até na igreja. "Que problema tem? É só uma mentirinhal". Mente-se e já não se dá conta das consequências, e o pior é que chega um momenBATALHA ESPIRITUAL-129


to em que a mentira começa a convencer seu próprio autor. É o que chamamos de cauterização da mente. Quantas pessoas que conhecemos estão tão mergulhadas na mentira que, para elas, já se trata de uma verdade? Geazi não pensou nas consequências que poderiam ser geradas pela sua atitude, falando mentirosamente em nome de Eliseu. São cada vez mais frequentes os casos de falsificação de documentos, crimes de falsidade ideológica e outros. "Não há de ficar em minha caso o que usa de fraude; o que prefere mentiras não permanecerá ante os meus olhos." (Salmos 101:7). "...pela hipocrisia dos que falam mentiras, e que têm cauterizada a própria consciência" (l Timóteo 4:2).

c) Ele faz com que o homem se esqueça de sua unção e real identidade no Senhor. Jesus disse que o diabo é o pai da mentira. O diabo é um falsário e insiste em nos fazer enxergar uma imagem que não é nossa. ROBSON RODOVALHO -130


Geazi estava sendo preparado por Eliseu e, se entendesse isso, seria um grande instrumento nas mãos de Deus, exatamente como acontecera com o próprio Eliseu em relação a Elias. Porém, esse principado da mentira lhe trouxe deformações sobre a sua realidade. Talvez ele tivesse uma grande preocupação com seu futuro e não conseguisse vislumbrar nenhuma perspectiva favorável - eis aí a razão de dar uma mãozinha. Eliseu lhe perguntou: "Era isto ocasião para tomares prata, e para tomares vestes, olivais e vinhas, ovelhas e bois, servos e servas?" A mentira descaracteriza o homem, fazendo com que ele perca sua identidade e aja fora dos propósitos de Deus. Esse principado age de forma a convencê-lo que você é um fracassado, um derrotado e que, se você não "mascarar" suas deficiências ou não tentar por caminhos escusos, nunca alcançará o sucesso. d) Ele compromete o nosso futuro e marca a nossa descendência, expondo-nos para sempre.

BATALHA ESPIRITUAL-131


A mentira de Geazi lhe trouxe uma verdade: todo seu potencial e também o de sua descendência sucumbiram à ação desse principado. Como consequência de sua mentira, Geazi e sua descendência seriam marcados pela lepra, uma enfermidade que degenera o físico e impunha ao homem naquela época um grande preconceito. Vemos que o mentiroso é uma pessoa marcada para o resto da vida, indigna de confiança e, por isso, muitas vezes marginalizado nos ambientes em que está. Um servo de Deus pode conviver com a falta de dinheiro, mas não com a falta de crédito, e Geazi havia perdido seu crédito. Esse principado quer comprometer o futuro de bênçãos que o Senhor lhe reservou, mas hoje sua ação será denunciada e você entrará em guerra para que ele caia por terra. "A falsa fesfemunha não fica impune, e o que prefere mentiras não escapo." (Provérbios 19:5).


2. Como vencer esse principado? a a) Envolver-se pela verdade absoluta do Senhor, esperando o tempo de Deus, certo de que Ele será a sua justiça (Provérbios 12:19). Não podemos combater uma mentira do diabo contra nós com outra mentira, como fez Geazi, mas precisamos entender que, se nos posicionarmos em verdade, esse principado cairá por terra e a justiça de Deus prevalecerá em nossas vidas. Não faça o jogo do inimigo, mas revista-se da verdade do Senhor. O apóstolo Paulo nos diz em Efésios 6:14 que devemos nos cingir com a verdade. Esta é uma arma de guerra contra principados, potestades e dominadores nas regiões celestiais. "Por isso, deixando o mentira, fale cada um a verdade com o seu próximo, porque somos membros uns dos outros." (Efésios 4:25).

b) Rejeitar veementemente tudo que possa comprometer a verdade, não se deiBATALHA ESPIRITUAL-133


xando fascinar pelas aparências (l João 2:15-17). A diferença entre Eliseu e Geazi era exatamente essa: enquanto Eliseu esmerava-se em fazer a vontade de Deus, mesmo que para isso tivesse que abrir mão de tudo que aparentemente pudesse representar mudanças profundas em sua vida, Geazi se deixou levar pela concupiscência dos olhos e pela soberba da vida. O resultado foi que Eliseu permaneceu vivo e, mesmo depois de morto, continuou a ser usado por Deus (2 Reis 13:21). Geazi, porém, mesmo estando vivo, viu seu ministério morrer. Eliseu recusou muitos presentes de um general siro, enquanto Geazi recebeu a lepra (2 Reis 8:9). cj Deixar-se guiar pelo Espírito Santo que conduz o homem a toda a verdade (João 16:13). A mentira faz com que o homem caminhe em busca daquilo que são valores do mundo: status, poder, fama, dinheiro. Geazi estava correndo atrás desses valores, mas Eliseu era um homem guiado pelo Espírito de Deus. Enquanto o diabo, através desse prinROBSON RODOVALHO-134


cipado, deseja manter o homem na mentira, o Espírito Santo desmascara sua intenção conduzindo este homem para a verdade. A mentira procede do diabo, ele é oseu pai, e sabe melhor do que ninguém como manipulá-la. Aqueles que pensam prevalecer-se por intermédio dela estão, na verdade, sendo usados por um principado maligno e a caminho de serem destruídos. Lutemos contra o principado e suas entidades, não permitindo que permaneça nenhum resquício de mentira em nossas vidas. ENTIDADES:

- Eré (exuns mirins, chamados espíritos zombeteiros); - Exus; - Lúcifer (anjo da luz/ diabo/satanás).

- Ibeiji; - Cosme e Damião; - Oxalá.

Oração destronando principados "Em nome de Jesus eu quebro fodo pacto, toda aliança feita por mim ou que meus familiares fizeram com (nome do príncipe). Eu rejeito, renuncio e quebro todas as suas cadeias, as suas correntes, seus elos e BATALHA ESPIRITUAL-135


ordeno que saiam num só comando e levem toda a sua legião de (citaras legiões), e que os anjos do Senhor os levem acorrentados e amordaçados para o abismo e que fiquem lá. Levanto agora um muro de proteção com o fogo do céu, para me proteger e a todos os meus familiares. Em nome de Jesus. Amém. RECOMENDAÇÃO: Em se tratando de guerra espiritual contra principados, é importante que o ministrador conheça seus limites, pois guerras travadas contra principados devem ser feitas pelo próprio Deus.

ROBSON RODOVALHO -136


CAPITULO 4 A Defesa do Crente contra Satanรกs

BATALHA ESPIRITUAL-137


Princípios para a guerra Nesta guerra espiritual precisamos entender alguns princípios para vivermos em constante defesa e vitória sobre as forças do

mal. 1. A atual obra intercessória de Cristo. "Não peço que os tires do mundo, e sim que os guardes do mal." (João 17:15).

2. Não subestimar a força do inimigo. "Mas o arcanjo Miguei quando contendia com o diabo, e disputava a respeito do corpo de Moisés, não ousou pronunciar juízo de maldição contra ele; mas disse: O Senhor te repreenda." (Judas 9).

BATALHA ESPIRITUAL-139


3. Estar sempre vigilantes. "Sede sóbrios e vigilantes. O diabo, vosso adversário, anda em derredor, como leão que ruge procurando alguém para devorar." (l Pedro 5:8).

4. Resistir sempre aos ataques malignos. "Sujeitai-vos, portanto, a Deus, mas resisti ao diabo, e ele fugirá de vós." (Tiago 4:7).

5. Usar continuamente a armadura espiritual. "Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo. Porque não temos que lutar contra a carne e o sangue, mas, sim, contra os principados, contra as potestades, contra os príncipes das trevas deste século, contra as hostes espirituais da maldade, nos lugares celestiais. Portanto, tomai toda a armadura de Deus, para que possais resistir no dia mau e, havendo feito tudo, ficar firmes. Estai, pois, firmes, tendo ROBSON RODOVALHO- 140


cingidos os vossos lombos com a verdade, e vestida a couraça da justiça; E calçados os pés na preparação do evangelho da paz; Tomando sobretudo o escudo da fé, com o qual podereis apagar todos os dardos inflamados do maligno. Tomai também o capacete da salvação e a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; Orando em todo o tempo com toda a oração e súplica no Espírito, e vigiando nisto com toda a perseverança e súplica por todos os santos." (Efésiosó:ll-18)

Perfil / características de um guerreiro 1. Tem real interesse pelos perdidos, miseráveis e desprezados. "As palavras de Neemias, filho de Hacalias. No mês de quisleu, no ano vigésimo, estando eu na cidadela de Susã, veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá; então, lhes perguntei pelos judeus que escaparam e que não foram levados para o exílio e acerca de Jerusalém. Disseram-me: Os restantes, que não foram levados para o exílio e se acham lá na província, estão em BATALHA ESPIRITUAL-141


grande miséria e desprezo; os muros de Jerusalém esfão derribados, e as suas portas, queimadas." (Neemias 1:1-3).

Todo guerreiro deve ter capacidade de voltar os olhos para fora de si, olhar ao seu redor, ver as condições daqueles que satanás mantém em prisão, cujas almas estão em estado de morte. 2. Jejua quando necessário e ora frequentemente. "Tendo eu ouvido estas palavras, assentei-me, e chorei, e lamentei por alguns dias; e estive jejuando e orando perante o Deus dos céus." (Neemias 1:4).

O jejum é uma atitude que todo cristão deve ter diante de uma dificuldade, e todos os dias deve orar com prazer e motivação. Neemias chorou, lamentou alguns dias em jejum e oração. 3. Confessa seus pecados. "Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos, para acudires à ROBSON RODOVALHO -142


oração do fé u servo, que hoj'e faço à fuá presença, d/a e noite, pelos filhos de Israel, teus servos; e faço confissão pelos pecados dos filhos de Israel, os quais temos cometido contra ti; pois eu e a casa de meu pai temos pecado. Temos procedido de todo corruptamente contra ti, não temos guardado os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos que ordenaste a Moisés, teu servo." (Neemias 1:6,7).

Um guerreiro é sincero diante de Deus, tem sua alma tratada para não ter vergonha de contar a Deus suas fraquezas, seus erros. 4. É uma pessoa que guarda os mandamentos de Deus. "Lembra-fe da palavra que ordenaste a Moisés, teu servo, dizendo: Se transgredirdes, eu vos espalharei por entre os povos; mas, se vos converterdes a m/m e guardardes os meus mandamentos, e os cumprirdes, então, ainda que os vossos rejeitados estejam pelas extremidades do céu, de lá os ajuntarei e os trarei para o lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome. Estes ainda são teus servos e o teu BATALHA ESPIRITUAL-143


povo que resgataste com teu grande poder e com fuá mão poderosa." (Neemias 1:8-10).

Todo guerreiro tem fome da palavra, todos os dias tem prazer em buscar a palavra de Deus, a santificação e a estatura de Cristo. 5. É corajoso e ousado. "Ah! Senhor, estejam, pois, atentos os teus ouvidos à oração do teu servo e à dos teus servos que se agradam de temer o teu nome; concede que seja bem-sucedido hoje o teu servo e dá-lhe mercê perante este homem. Nesse tempo eu era copeiro do rei." (Neemias 1:11).

Neemias era copeiro do rei quando estos coisas aconteceram, era escravo, estava no cativeiro, no entanto, não temeu falar com o rei e pedir o que lhe era necessário. 6. Anda na vontade de Deus. "Sucedeu que, ouvindo-o todos os nossos inimigos, temeram todos os gentios nossos circunvizinhos e decaíram muito no seu próROBSON RODOVALHO -144


prio conceito; porque reconheceram que por intervenção de nosso Deus é que fizemos esta obra." (Neemias 6:16).

Quando um guerreiro faz aquilo que é a vontade do Pai a vitória está garantida. 7. É obediente. Apresentaram-se os três filhos mais velhos de Jessé a Saul e o seguiram à guerra; chamavam-se: Eliabe, o primogénito, o segundo, Abinadabe, e o terceiro, Samá. Davi era o mais moço; só os três maiores seguiram Saul. Davi, porém, ia a Saul e voltava, para apascentar as ovelhas de seu pai, em Belém. Chegava-se, pois, o filisteu pela manhã e à tarde; e apresentou-se por quarenta dias. Disse Jessé a Davi, seu filho: Leva, peço-te, para teus irmãos um efa deste trigo tostado e estes dez pães e corre a levá-los ao acampamento, a teus irmãos. Porém estes dez queijos, leva-os ao comandante de mil; e visitarás teus irmãos, a verse vão bem; e trarás uma prova de como passam. Saul, e eles, e todos os homens de Israel estão no vale de Ela, pelejando com os filisteus. Davi, pois, no dia seguinte, se levantou de madruBATALHA ESPIRITUAL-145


gado, deixou as ovelhas com um guarda, carregou-se e partiu, como Jessé lhe ordenara; e chegou ao acampamento quando já as tropas saíam para formar-se em ordem de batalha e, a gritos, chamavam à peleja." (l Samuel 17:13-20).

O guerreiro sempre obedece ao comando que lhe é dado. 8. Tem na memória as vitórias alcançadas. "Porém Sául disse a Davi: Contra o filisteu não poderás ir para pelejar com ele; pois tu és ainda moço, e ele, guerreiro desde a sua mocidade. Respondeu Davi a Saul: Teu servo apascentava as ovelhas de seu pai; quando veio um leão ou um urso e tomou um cordeiro do rebanho, eu saí após ele, e o feri, e livrei o cordeiro da sua boca; levantando-se ele contra m/m, agarrei-o pela barba, e o feri, e o matei. O teu servo matou tanto o leão como o urso; este incircunciso filisteu será como um deles, porquanto afrontou os exércitos do Deus vivo. Disse mais Davi: O SENHOR me livrou das garras do leão e das do urso; ele me livrará das


mãos desfe filisteu. Entoo, disse Saul o Davi: Vai-te, e o SENHOR seja contigo." (l Samuel 17:33-37).

Devemos guardar em nossa mente as vitórias do passado para nos fortalecer nas lutas de hoje. 9. Levanta proteção em seu favor quando inicia uma guerra. "Então, à noite me levantei, e uns poucos homens, comigo; não declarei a ninguém o que o meu Deus me pusera no coração para eu fazer em Jerusalém. Não havia comigo animal algum, senão o que eu montava. De noite, saí pela Porta do Vale, para o lado da Fonte do Dragão e para a Porta do Monturo e contemplei os muros de Jerusalém, que estavam assolados, cujas portas tinham sido consumidas pelo fogo." (Neemias2:13). 10. Tem cobertura espiritual. Assim trabalhávamos na obra: e metade empunhava as lanças desde o raiar do dia até ao sair das estrelas. Também nesse BATALHA ESPIRITUAL-147


mesmo tempo disse eu ao povo: Coda um com o seu moço fique em Jerusalém, para que de noite nos sirvam de guarda e de dia trabalhem. Nem eu, nem meus irmãos, nem meus moços, nem os homens da guarda que me seguiam largávamos as nossas vestes; cada um se deitava com as armas à sua direita." (Neemias 4:21-23).

Todos os inimigos de Neemias se juntaram para atacar Jerusalém, mas todo o povo orou com Neemias por proteção. 11. Tem consigo um grupo unido no mesmo propósito. "Daquele dia em diante, metade dos meus moços trabalhava na obra, e a outra metade empunhava lanças, escudos, arcos e couraças; e os chefes estavam por detrás de toda a casa de Judá; os carregadores, que por si mesmos tomavam as cargas, cada um com uma das mãos fazia a obra e com a outra segurava a arma. Os edificadores, cada um trazia a sua espada à cinta, e assim edificavam; o que tocava a trombeta estava junto de m/m." (Neemias 4:16-18).


Devemos estar em unidade de espírito e amor uns com os outros. Não estar só. Chame sempre algum guerreiro para estar orando com você e lhe cobrindo em oração.

BATALHA ESPIRITUAL-149


SEGUNDA PARTE

BATALHA ESPIRITUAL-151


CAPÍTULO 5 A Batalha Espiritual que Vivemos

BATALHA ESPIRITUAL-153


"Também contarás sete semanas de anos, sefe vezes sele anos; de maneira que os dias das sete semanas de anos te serão quarenta e nove anos. Então no mês sétimo, aos dez do mês, farás passar a trombeta do jubileu; no dia da expiação fareis passar a trombeta por toda a vossa terra, e santificareis o ano quinquagésimo, e apregoareis liberdade na terra a todos os seus moradores; ano de jubileu vos será, e tornareis, cada um à sua possessão, e cada um à sua família." (Levíticos 25:8-10).

Em Levítico 25:8-17, encontramos Deus dizendo que, a cada cinquenta anos, a trombeta soaria por toda a terra e todos os cativos e escravos sairiam livres. Eles teriam direito à liberdade, pois era o "Jubileu de Deus". Isto não é outra coisa senão a proclamação do avivamento que o Senhor nos prometeu para cada geração.

BATALHA ESPIRITUAL-155


"A cada cinquenta anos" nos fala sobre o período de vida que rege uma geração. O Senhor não quer que passemos nossas vidas em branco, sem uma visitaçao do céu. Ele nos deu promessas, bênçãos e libertação do cativeiro. Se compreendermos os Seus desígnios e Suas promessas, teremos outra atitude ao orarmos para a vinda do mover de Deus. Podemos orar com fé e certeza porque esta promessa é nossa. Não buscamos o que não temos certeza; somente oramos porque temos a total segurança da Sua vontade, pois nos baseamos na Sua palavra. Cada geração tem de Deus uma promessa de avivamento, e isto nos inclui. Não podemos aceitar outra opção, a não ser a de que Deus libere Seu Espírito em toda terra, e que Sua trombeta se faça ouvir em todas as nações! Não apenas alguns países, mas fodos os países e nações têm o direito de ouvir o ressoar da trombeta, que é o ministério profético da Palavra de Deus anunciando que chegou o Jubileu, o Ano Aceitável do Senhor. Portanto, vamos orar sim, porém, respaldados pelas promessas que temos em Deus. ROBSON RODOVALHO-156


"E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito." (Joel 2:28,29).

Nestes versículos o Senhor nos dá uma promessa que começou a se cumprir em Atos 2. Este é um texto extraordinariamente claro: Deus tem derramado Seu Espírito e quer fazê-lo ainda mais. Não apenas em alguns países ou nações, não apenas sobre algumas pessoas, mas sobre toda carne. E isto está se cumprindo hoje! Deus está se movendo em todos os contextos, mesmo os mais difíceis e os mais estranhos. Ele está se movendo entre ciganos, índios, empresários, trabalhadores, estudantes, pessoas com cargos em governos, sobre toda carne, porque esta é a Sua promessa. Foi isto que Ele prometeu, e é isto que Ele fará. O que precisamos fazer? Saber como acompanhar este mover para não ficarmos de fora dele. Precisamos compreender os passos que liberam esta ação sobrenatural BATALHA ESPIRITUAL-157


de Deus sobre as nações e sobre a nossa geração. O que traz o avivamento? Para que o mover de Deus venha sobre nós, necessitamos conhecer os princípios que o liberam. É necessário conhecer quais os aspectos que fazem com que os "céus sejam de bronze e a terra seja de chumbo" (Deuteronômio 28:23). A bênção ou a maldição vêm a nós como consequência da herança espiritual de cada nação (Deuteronômio 30). Esta herança é resultado dos pecados de nossa terra. "Filho do homem, quando uma ferra pecar confra m/m, se rebelando gravemente, entâo estenderei a minha moo contra ela, e lhe quebrarei o sustento do pão, e enviarei contra ela fome, e cortarei dela homens e animais." (Ezequiel 14:13).

Isto nos mostra que a terra pode pecar conjuntamente, ou seja, o conjunto social das pessoas transgride a Deus - a isto chamamos também de "pecado social", ou seja, a sociedade peca por consenso. Não apenas ROBSON RODOVALHO-158


com atos individuais, mas com leis injustas e desigualdades. Foi o caso das leis que operaram, por exemplo, na escravatura do século 19 ou na exploração do proletariado em meados do século 18. Precisamos sempre examinar nossa situação à luz desta realidade. Não podemos consentir que tenhamos leis abusivas, discriminatórias, que oficializam as transgressões contra o Senhor, pois isto traz o juízo de Deus contra nós. 1. Intercessão

Até o presente momento, muita ênfase tem sido posta sobre pecados individuais, e isto é extremamente importante, mas não podemos parar aí. Quando o profeta Daniel orava, confessando o pecado de Israel, pedindo a Deus que trouxesse Seu povo de volta para a terra de Canaã, ele assumiu o pecado da nação. Ele orou: "Perdoe o nosso pecado, que nossos pais pecaram." (Daniel 9:4-12).

BATALHA ESPIRITUAL-159


A ênfase aqui é o "arrependimento nacional". Como intercessor, Daniel não hesitou em assumira culpa e os pecados nacionais. E este é sempre o método de Deus. Antes que Ele se mova. Ele levanta Seus intercessores para que haja arrependimento nacional. É necessário haver confissão e arrependimento dos pecados do país - não somente os pecados atuais, mas também dos pecados passados. Certa vez, um irmão nos contou a respeito de uma experiência acontecida em Portugal. Todos sabemos que Portugalsempre foi um país fechado ao Evangelho. O evangelismo lá não fluía e estava sempre amarrado. Um dia, cinco pastores se encontraram para orar e jejuar pelo mover de Deus naquele país. Deus levou-os a orarem pedindo perdão pelos pecados nacionais. Lembraram-se de que Portugal foi um dos países que votaram contra a formação do Estado de Israel em 1948. Na mesma semana que oraram e jejuaram confessando os pecados, Deus levou o presidente de Portugal a fazer um pedido de perdão aos judeus por aquilo. A partir daquele instante, os céus daquele país começaram a mudar. Pessoas foram ROBSON RODOVALHO -160


para as igrejas, e hoje Deus está renovando aquela nação. Em Ezequiel 22:24-30, lemos que estava havendo uma degradação total na nação, começando pelos profetas e chegando ao povo, envolvendo sacerdotes e príncipes. Por esta causa Deus enviaria Seu juízo contra aquela terra. O pecado estava "instituído"; era mais do que ações - era legislação. Precisamos estudar nossas leis e nossa Constituição com atenção para não permitirmos que o pecado seja legislado, instituído sobre nós. Isto seria um desastre sobre nossa vida, pois traria as maldições de Deus, que são a fome, a espada e a peste (Ezequiel 14:13-20). Não é isto que acontece sobre muitos países e regiões? Enchentes que destroem safras? Ou períodos de seca que matam toda plantação? O que é a fome, a cólera, as epidemias? E as guerras que muitas vezes sofremos, não é a espada? Isto não nos ocorre por causa de maldições espirituais? Será que por trás do natural não está o sobrenatural? Será que isto não é consequência do pecado de várias gerações que a terra tem praticado contra o Senhor? Sim, eu BATALHA ESPIRITUAL-161


creio que as palavras de Deuteronomio ainda são válidas para hoje: "Será, porém, que, se não deres ouvidos à voz do Senhor teu Deus, paro não cuidares em cumprir todos os seus mandamentos e os seus estatutos, que hoje te ordeno, então virão sobre ti todas estas maldições, e te alcançarão..." (Deuteronomio 28:15). "E o Senhor te porá por cabeça, e não por cauda; e só estarás em cima, e não debaixo, se obedeceres aos mandamentos do Senhor teu Deus, que hoje te ordeno, para os guardar e cumprir. (Deuteronomio 28:13).

Esta não é a situação da América Latina que tem suportado o peso de uma dívida externa por décadas? Creio que isto provém dos pecados pela escravidão dos negros, pela exploração dos índios, pelos pactos feitos com demónios trazidos pelo sincretismo religioso afro-católico. Este fardo e herança têm fechado os nossos céus espirituais. Claro que não somos simplórios a ponto de não vermos a ação do imperialismo do primeiro mundo sobre nós. Mas, por detrás ROBSON RODOVALHO -162


desta ação, reflete-se uma situação espiritual. Como um dos nossos preletores dizia a respeito das riquezas do Brasil: "Levaram o ouro e a riqueza do Brasil para os bancos europeus e, se orarmos e quebrarmos esta maldição espiritual, se confessarmos nossos pecados nacionais e de nossa geração, então Deus se compadecerá de nossas vidas e de nosso país e mostrará as saídas naturais e financeiras que, doutra forma, não encontraríamos. Então, toda riqueza que se foi voltará para nós". Precisamos estabelecer oração e intercessão nacionais, precisamos que tanto os líderes quanto o povo se coloquem diante de Deus. Daniel era um intercessor e orava pelo mover de Deus em seu país. Em l Pedro 2:9, o apóstolo nos fala que... "...somos sacerdotes reais, a fim de oferecermos sacrifícios espirituais aceitáveis a Deus".

A igreja é a intercessora de nossa época, somos sacerdotes! Deus aceita as ofertas de libação que oferecemos diante d'Ele BATALHA ESPIRITUAL-163


e podemos mudar a história! Podemos mudar os céus de bronze e a terra de chumbo para que seja uma terra de ribeiros de água, mananciais profundos, terra em que comeremos o pão sem escassez. "Porque o Senhor fé u Deus fé põe numa boa ferra ferra de ribeiros de águas, de fontes, e de mananciais, que saem dos vales e das montanhas; terra de trigo e cevada, e de vides e figueiras, e romeiras; terra de oliveiras, de azeite e mel. Terra em que comerás o pão sem escassez, e nada te faltará nela; terra cujas pedras são ferro, e de cujos montes tu cavarás o cobre. Quando, pois, tiveres comido, e fores farto, louvarás ao Senhor teu Deus pela boa terra que te deu" (Deuteronômio 8:7-10). Este é o projeto de Deus - que tenhamos bênçãos espirituais e também bênçãos naturais. "Arrependei-vos e convertei-vos para que venham tempos de refrigério da parte do Senhor." (Atos3:18).

ROBSON RODOVALHO-164


O que são tempos de refrigério? São tempos de visitação de Deus! São períodos de graça e misericórdia que Ele nos dá nesta vida. Não são apenas bênçãos espirituais, mas são bênçãos que se iniciam na esfera espiritual e fluem para as áreas naturais da vida. Qual a condição para entrar neste refrigério? Arrependimento e conversão! "Porventura não é este o jejum que escolhi, que soltes os ligaduras da impiedade, que desfaças as ataduras do jugo e que deixes livres os oprimidos, e despedaces todo o jugo? (...) Então romperá a tua luz como a alva, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda." (Isaías 58:6,8).

Neste texto o Senhor fala sobre a luz vindo como a alva e a cura vindo apressadamente sobre as nossas vidas. Qual a condição? Soltar a ligação do pecado! Isso nos fala de quebrar ligações, pactos e convivência com o pecado em nossas vidas e sociedade. Não podemos aceitar a prostituição e a infidelidade conjugal como estilo de vida em nosso século. Hoje é tudo muito normal! BATALHA ESPIRITUAL-165


Mas, do ponto de vista de Deus, não é. Precisamos saber que nossos conceitos são medidos pela Palavra de Deus, que é o referencial, e não pelo contexto cultural em que vivemos. "E se abrires a fuá alma ao faminto, e fartares a alma aflita; então a tua luz nascerá nas trevas, e a tua escuridão será como o meio-dia." (/saías 58:10).

Aqui também nos fala de nossas relações sociais. Deus ama o pobre e o necessitado e olha por eles. É por isso que o Senhor disse aos hebreus: "Não oprimirás o diarista pobre e necessitado de teus irmãos, o u de teus estrangeiros, que está na tua terra e nas tuas portas. No seu dia lhe pagarás a sua diária, e o sol não se porá sobre isso; porquanto pobre é, e sua vida depende disso; para que não clame contra ti ao Senhor, e haja em ti pecado." (Deuteronômio 24:14,15).

Deus ouve o clamor do necessitado, angustiado e oprimido, tanto para as bênçãos que ele pede, como seu clamor por justiça. ROBSON RODOVALHO -166


Tivemos em uma Conferência em certa ocasião onde ocorreu um forte mover de Deus sobre arrependimento nacional e sobre a quebra das maldições espirituais. No meio de uma ministração, um dos preletores sentiu de Deus que deveríamos pedir perdão e nos arrepender pela escravidão e abuso aos negros no Brasil. Chamamos, então, um irmão negro para que ele orasse representando a sua raça, livrando-nos daquelas maldições. Que visitação tivemos naquele instante! Sentimos que Deus tirou as maldições lançadas sobre nosso país e quebrou o jugo das cadeias espirituais. "Enfão romperá o tua luz como a alvo, e a tua cura apressadamente brotará, e a tua justiça irá adiante de ti, e a glória do Senhor será a tua retaguarda." (ísaías 58:8).

É isto que o nosso país precisa: cura de Deus! Cura na área financeira, cura na área moral, cura na área espiritual. Porém, isto só é produzido pelo arrependimento de ações que nos levam a interceder diante de Deus. Portanto, a primeira condição para liberar o BATALHA ESPIRITUAL-167

^


mover de Deus é que os intercessores tomem seu lugar diante de Deus em tavor desta Terra!

2. Confronto Espiritual

Em Daniel 10:2-20, vemos um princípio realmente importante. Daniel aplica o seu coração a compreender e a buscar em Deus pela restauração de seu povo. Ele jejuou e orou por vinte e um dias. No final daquele período, o anjo do Senhor, Gabriel, veio a ele e lhe deu uma visão. Ele mostrou o conflito espiritual entre o exército de Deus e o exército maligno. No versículo 20, ele disse que o príncipe do reino da Pérsia o resistira por vinte e um dias até que veio Miguel, o arcanjo, para auxiliá-lo na batalha. Vemos, portanto, que, quando Daniel começou a orar e buscar a Deus, o anjo saiu para falar com ele; porém, foi interceptado pelos principados espirituais da Pérsia, e isto continuou até que veio reforço da parte de Deus para Gabriel. Após isso, Gabriel continuou falando com Daniel sobre sua peleja espiritual, dizendo que confrontaria ainda mais o príncipe da Pérsia, mas que logo depois viria o principado do reino da Grécia. ROBSON RODOVALHO -168


Agora vamos voltar na história e ver o que aconteceu. Nos bastidores do mundo espiritual estava Daniel orando e jejuando, buscando em Deus pela restauração de seu país e de seu povo. Por meio da oração dele, Deus estava liberando Seu exército para operar Seu livramento e trazer juízo sobre as forças das trevas. No contexto histórico foi o período do reinado de Ciro, rei da Pérsia, já que Deus despertou em seu coração o desejo de levar os judeus de volta para Jerusalém e edificar Sua casa (Esdras 1:1-4). Foi neste êxodo que Esdras, Ageu e Zacarias voltaram. Depois o rei Dario, também da Pérsia, ordenou que se continuasse a edificação da Casa de Deus. (Esdras 6:1,7-12). Também nos impérios dos medos e dos persas, Artaxerxes levou os judeus, debaixo da liderança de Neemias, uma geração nova, a subirem de volta para completar a restauração de Israel. Isto tudo aconteceu no plano natural e político. Por quê? Porque o príncipe do reino da Pérsia estava sendo amarrado. Havia intercessão e confrontação! O exército de Deus estava sendo liberado para operar Seu poder. BATALHA ESPIRITUAL-169


Uma declaração muito importante foi a que o Arcanjo Gabriel fez para Daniel no capítulo 10:20: "E saindo eu, e/s que virá o príncipe da Grécia".

Isto nos mostra que os principados da Grécia não foram confrontados! Daniel já estava velho e idoso, já havia dado sua vida para trazer uma visitação de Deus, tocando no império da Babilónia e Medo-Persa. O confronto que ele teve como intercessor liberou este mover para seu povo e nação, mesmo após sua morte. Mas nenhum homem após ele foi levantado para ocupar esta posição intercessória e creio que, por não ter intercessor, por não haver quem se pusesse na brecha, o império grego se tornou mais fechado ao destino do povo de Deus. Nada mais aconteceu de importante na história dos judeus após Daniel. Foram 400 anos de total silêncio profético, e foi também este o período do surgimento da semente de todo humanismo e filosofia que depois cresceu e se ramificou, chegando até os dias modernos. Tanto os filósofos Platão, Socrates ROBSON RODOVALHO-170


como outros surgiram nesta época com suas teorias. Da ótica do mundo espiritual, porque isto aconteceu? Será coincidência? Como não houve intercessor, não houve confronto. O principado da Grécia não foi atado e, por causa disso, o império das trevas prosperou e se estendeu, enquanto o reino de Deus silenciava. Vemos, portanto, como as forças sociais, políticas e naturais são resultados da ação de um mundo invisível. São resultados de confrontação, intercessão, autoridade e poder que norteiam o mundo espiritual. Em Mateus 16:18, Jesus falou que a Igreja seria edificada, e as portas do inferno não prevaleceriam contra ela. Entendo que esta palavra "prevalecer" - no grego "katischuõ" - significa "ficar em pé, firmar, resistir". Quando a Igreja se levanta, as portas do inferno caem. Quando Deus levanta a Igreja, as portas do inferno se abrem, e os cativos que lá estão saem livres para o reino de Deus. Só haverá o mover de Deus quando houver confrontação espiritual. O valente, que é o diabo, guarda com segurança seus bens, BATALHA ESPIRITUAL-171


que são coisas, pessoas, riquezas e dons. Porém, o mais valente veio (Jesus) e, pelo poder da cruz, o amarrou e o despojou (Colossenses 2:15). Agora, nós temos o direito e a fé para usarmos esta autoridade de confronto contra os poderes das trevas. Em Efésios 6:10-12, Paulo fala sobre a luta espiritual e diz que as forças do mal são regionalizadas. Isto é, elas dominam e agem por regiões e, por causa deste domínio, toda aquela região ou nação é escravizada pelos poderes da maldade e do pecado. Cada país, região, estado e cidade têm seus dominadores e príncipes espirituais que operam sobre eles. Foi por isso que os demónios, em Marcos 5:7-10, pediram a Jesus que não os mandassem sair daquela região. Eles moravam, dominavam ali e queriam continuar. Creio que isto explica o porquê de certas regiões ou países se evidenciarem por determinadas condutas pecaminosas. Por exemplo, existem em certas regiões demónios de vícios que agem sobre elas; outras são dominadas por espíritos de prostituição; outras por espíritos de loucura etc. R0BSON RODOVALHO -172


São inúmeros os casos em que estes comportamentos são impregnados sobre as pessoas de geração em geração nestas determinadas regiões. As igrejas desses lugares precisam se levantar em oração e jejum para destruírem estas fortalezas. Precisamos detectar estas forças, estes espíritos e demónios e guerrear contra eles. É necessário conhecermos as raízes de nossos países ou cidades. Como nasceram? Por quem foram fundadas? Sobre que influência espiritual foram lançados seus fundamentos? Descobrimos, por exemplo, que no centro da cidade de Goiânia existe um monumento a um bandeirante. O seu nome é Anhanguera, que quer dizer "diabo velho". Este nome também está em uma das principais avenidas da cidade. O que significa? Significa que o diabo está no centro da cidade e precisamos destroná-lo. As igrejas precisam orar e quebrar as maldições que sobrevêm como decorrência deste fato e retomar o governo da mesma para o Senhor. Deve-se erguer no centro da cidade, não um diabo velho, mas um monumento que a leve a olhar para Deus e buscá-Lo. BATALHA ESPIRITUAL-173


Outro exemplo é o surgimento de Brasília, capital federal. Esta cidade foi planejada por Oscar Niemeyer, sob a orientação de Juscelino Kubitschek, para refletir a realidade espiritual do Egito. Toda sua arquitetura foi inspirada neste fundo histórico; os próprios folhetos explicativos de Brasília falam da inspiração egípcia. Brasília é considerada uma cidade mística, seus pontos esotéricos são claras demonstrações da ação do diabo, dos principados espirituais desde a sua gestação. A igreja ali precisa hastear a bandeira do nome de Jesus e do senhorio de Cristo sobre ela para que o poder do diabo seja quebrado, assim como aconteceu na vida de Daniel - ele amarrou não apenas os principados de uma cidade ou região, mas do império todo. E, porque os amarrou e venceu, o povo de Deus alcançou graça, refrigério e autoridade na ação política e social. Creio que este mesmo princípio explica o porquê do resultado de uma pesquisa feita pelo Seminário Teológico Fuller, dos EUA. Em um dos artigos de Peter Wagner, pesquisador da área de evangelismo, sobre o crescimento das igrejas evangélicas e movimento carismático, ele mostra um fenómeno ROBSON RODOVALHO -174


muito interessante. Segundo suas pesquisas, se um indivíduo se encontrasse na fronteira entre o Brasil e o Uruguai e assistisse a um culto no lado uruguaio, nada aconteceria em sua vida. Uma vez que esse mesmo indivíduo atravessasse a rua e se dirigisse para o lado do Brasil e assistisse a um culto, ele se converteria. Qual é a diferença? O porquê disto é a guerra espiritual, a oração e o confronto que é feito pela Igreja brasileira sobre estes poderes.

Amarrando o valente "Mós vós, perguntou-lhes Jesus, quem dizeis que eu sou? Respondeu-lhe S/mão Pedro: Tu és Cristo, o filho de Deus vivo. Disse-Ihe Jesus: Bem-aventurado és tu. S/mão Barjonas, porque não foi carne e sangue quem te revelou, mas meu pai, que está nos céus. Pois também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela; dar-te-ei as chaves do Reino dos céus; o que ligares, pois na terra será ligado nos céus, e o que desligares na terra será desligado nos céus." (Mateus 16:15-19). BATALHA ESPIRITUAL-175


Aqui, Jesus está estabelecendo o princípio de autoridade e edificação da Igreja. Ele fala de Seu compromisso em "edificar a Igreja" e que, após isto, duas coisas aconteceriam: primeiro, as portas do inferno não prevaleceriam contra ela; segundo, ele poria nas mãos de Pedro e, consequentemente, nas mãos da Igreja as chaves do Reino dos céus. Quando Deus levanta a Igreja, as portas do inferno caem, elas não se sustentam diante do poder e da autoridade da Igreja de Jesus Cristo. Da mesma forma, quando Deus estabelece a Igreja, que é o Seu povo, edificada sobre o fundamento sólido da Palavra e dos ministros, ela toma as chaves do Reino. E então, por meio do uso destas chaves, começamos a fazer a história de nossa geração, começamos a reinar e a traçar o destino de vidas e gerações, porque "o que ligarmos aqui será ligado nos céus, e o que desligarmos aqui será desligado nos céus". "Em meu nome expelirão demónios, orarão com enfermos e os curarão, farão toda a obra de Deus." (Marcos 16:18).

ROBSON RODOVALHO -176


É pelo nome de Jesus que Deus nos transmitiu a autoridade para desenvolvermos Sua obra. Esta chave nos foi dada como elemento de transmissão daquilo que Jesus fez. Quando oramos em nome de Jesus, invocamos a ação do que ele fez. Foi Jesus quem conquistou o direito e a autoridade moral sobre Satanás e as forças do inferno. Lembre-se que, antes da vinda de Cristo, o diabo, embora caído, tinha acesso a Deus. Em Jó l :6 ele se apresentou diante de Deus, e Deus perguntou-lhe: "Vistes o meu servo Jó?"

Também, em l Reis 22:22, lemos que um espírito de mentira teve acesso ao Trono de Deus. Pelo contexto do Velho Testamento, percebemos que, embora o diabo tivesse caído, ele não tinha sido julgado ainda. Seu julgamento aconteceu quando Cristo veio e morreu na cruz. É por isto que em João 12:31 lemos: "Agora é o juízo do príncipe deste mundo, e o seu príncipe será expulso." BATALHA ESPIRITUAL-177


Também, em João 16:11, Jesus nos fala: "...e do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado". Satanás ficou como um malfeitor que transgrediu a lei, e todos sabiam disto. Porém, como não havia um julgamento, não havia condenação moral. Somente depois de instaurado o julgamento é que ele recebeu a sentença, e foi isso o que aconteceu na cruz. Co/ossenses-2:15 - "...e, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo, triunfando deles na cruz. Jesus triunfou sobre Satanás, ele o venceu. Havia uma batalha desde o início entre os dois. Em Mateus 4:9 ele disse a Jesus: 'Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares". Jesus não aceitou sua proposta e termina seu ministério dizendo em João 14:30:

ROBSON RODOVALHO -178


"Aí vem o príncipe deste mundo, e ele nada tem em m/m".

Jesus o venceu! Venceu sua força e seu domínio sobre a humanidade. A partir de Jesus Cristo, os homens não precisavam mais ser escravos das obras de Satanás, nem em relação à natureza pecaminosa no interior, nem em relação aos feitos da natureza exterior. Foi por causa desta vitória que, em Lucas 10:17, os discípulos voltaram exultantes por verem que "afé os demónios se submetiam a e/es". Isto era um fato inédito, nunca tinha acontecido. Todos tinham medo dos demónios no Velho Testamento. Porém, agora Jesus falou que viu... "Safanás caindo do céu, como bola de fogo." (Lucas 10:18).

Ele não teria mais acesso ao trono de Deus como antes. Agora ele foi julgado e condenado, foi exposto publicamente a todas as gerações, nações e raças. Em outra tradução diz: BATALHA ESPIRITUAL-179


"E/e fez destes poderes um espetáculo público, levando-os prisioneiros no desfile de vitória". Este desfile é o desfile das gerações. Jesus anunciou publicamente que o venceu e o derrotou. Mas a vitória não termina aí. No mesmo versículo, Paulo ainda nos fala que Jesus os "despojou". Isto é mais que vencer, é também tirar as armas. Ele não apenas o julgou, como o condenou e o despojou. A partir da cruz, o diabo perdeu suas armas. Ele não tem agora outra arma além do engano, das ciladas (Efésios 6:11) e dos dardos inflamados (Efésios 6:16). Estas são as armas que ainda sobraram para o inimigo, e Deus nos ensina como vencê-las em Efésios 6:10-18. Satanás tinha muitos poderes; ele realmente caíra e trouxera muitas armas que Deus lhe dera antes de sua queda (Isaías 14:6-10, Ezequiel 28:13-19). Porém, tudo isto foi destruído e quebrado. "O valente guardo armado a sua casa, até que sobrevindo outro mais valente do que ele, e vencendo-o, tira-lhe toda armadura e reparte os seus despejos." (Lucas 11:20-22).


Literalmente aconteceu o que Jesus disse. Jesus é o mais valente! Estamos livres do poder do diabo, graças a Deus! Não fui eu nem você quem venceu Satanás, foi Jesus Cristo. Por isto, quando você orar, não precisa pensar que temos de vencê-lo! Ele já foi vencido! Graças a Deus, em Cristo nós sempre temos a vitória porque ela é fato consumado na cruz, é fato passado e histórico. Se você crer ou não, se você entrar ou não nesta luta vitoriosa, isto não a altera. Já aconteceu, e todos os que crêem se apropriam dela para a sua própria vida. Você poderá perguntar: "Mas por que precisamos amarrá-lo? Por que precisamos orar para destruir as suas obras?" A resposta é que Jesus, pela cruz, fez tudo isto: julgou, venceu, despojou, porém não o amarrou. É como um réu julgado, condenado, porém não encarcerado. Agora caberá à polícia a responsabilidade de amarrá-lo. Porém, se a polícia o libera, ele anda solto e apronta novamente. E a polícia é a Igreja. Jesus deixou-nos a responsabilidade de atar e destruir suas obras.

BATALHA ESPIRITUAL-181


A Igreja, em cada geração, é responsável por permitir ou não a maior ou menor ação do diabo. Somos nós quem, por meio da oração, iremos confiná-lo ao seu lugar ou permitir que ele saia e engane os povos. Por isso Paulo nos fala sobre o "enfenebrec/menfo do entendimento". (Efésios 4:18) "O Deus desfe século cegou..." (2 Coríntios 4:4) .

O diabo age por meio da cegueira e da ignorância das pessoas no tocante ao que Deus fez a elas, porque é apenas nesta base que ele pode operar. Mas, graças a Deus, o Evangelho de Cristo resplandeceu, e a luz do entendimento e da revelação entrou em nossas vidas, e enxergamos a herança e a posse do que temos n'Ele. "Porque Deus, que disse que dos trevas resplandecesse a luz, é quem resplandeceu em nossos corações, para iluminação do conhecimento da glória de Deus, na face de Jesus Cristo." (2 Coríntios 4:6).

ROBSON RODOVALHO -182


CAPITULO 6 Liberando o Mover de Deus

BATALHA ESPIRITUAL-183


Vasos preparados / Quebrantamento

Podemos nos perguntar: "O que impede Deus de liberar o Seu mover? Não estamos orando e jejuando? Não estamos pagando o preço diante d'Ele?" A resposta a estas perguntas é simples. Creio que existem vários e diversos fatores que precisam estar alinhados para o mover de Deus vir. E, ainda que em nosso entendimento eles estejam presentes, provavelmente, da ótica de Deus, ainda estará faltando alguma coisa, por isto o Senhor aguarda a hora certa. Fatores como oração, jejum, quebrantamento na vida dos líderes, motivações honestas, ênfase correta ressaltada pela liderança e até mesmo Seu próprio tempo e calendário. Tudo isto são fatores que interferem e influenciam a ação de Deus entre nós. Vemos nas Escrituras que o Senhor sempre está preparando Seus vasos e instrumenBATALHA ESPIRITUAL-185


tos de visitaçõo. Foi assim com Abraão, Moisés, Davi, João Batista, Paulo e até mesmo os discípulos. Antes de Deus começar a usar alguém, Ele primeiro prepara, aperfeiçoa e transforma o interior daquela vida. Primeiro Ele traz o quebrantamento, que é a ação da cruz de Cristo no interior do homem. Ainda que as pessoas sejam salvas e libertas ou saibam operar nos dons, é necessário mais do que isto. É necessário ter a operação da cruz de Cristo para preparar o vaso de barro para o tesouro da unção que Deus depositará em suas vidas. (2 Coríntios 4:7) O quebrantamento vem a nós por meio da ação de Deus usando situações, períodos de dificuldades, de tratamento e até de sofrimentos, nos quais Ele irá imprimir Sua beleza e Seu caráter em nossas vidas. Este princípio é visto como figura em Números 17:8, quando a vara de Arão floresceu. Segundo Watchman Nee, em seu livro "A liberação do Espírito", a vara representa a natureza humana que Deus precisa cortar, podar e, durante a noite, então, ela florescerá. Isso nos fala dos períodos de dificuldades e de escuridão por que passaremos para que Deus nos leve a florescer. Ainda, segundo Nee: ROBSON RODOVALHO-186


"A cruz reduz o homem exterior à morte, rocha a casca humana e a abre. A cruz deve quebrar tudo quanto pertence ao nosso homem exterior, nossas opiniões, nossas vidos, nossa habilidade, nosso amor-próprio, nosso tudo. O caminho está claro; claro mesmo como o cristal." (A liberação do Espírito, pág. 16).

O quebrantamento que Deus traz imprime em nós a beleza de Cristo, retira tudo o que é rude, humano e natural e põe no lugar tudo o que é de Cristo. É este processo que nos livra do orgulho quando somos usados por Ele. Conheço alguns obreiros que dizem: "O que faço para me tornar livre do sentimento e do voz interior me exaltando, quando Deus me usa?". A resposta é simples: não ponha sua atenção neste sentimento ou nesta voz, mas ponha sua atenção na cruz. Certamente, estes irmãos ainda não passaram pelo quebrantamento em suas vidas para se tornarem livres desta possibilidade. Quando Deus trata com nosso caráter, Ele gera em nós um antídoto ao pecado. Paulo disse em l Coríntios 4:12 que... BATALHA ESPIRITUAL-187


"...em nós opera a morte porá que em vós opere o vido".

Creio que todos os que trazem a vida e a visitação genuínas de Deus sabem que antes de a vida e a bênção surgirem, há dores, há contrações espirituais, há gestação pela intercessão, há dores de parto. E, através deste processo, o Senhor nos livra das garras da carne no tocante à exaltação ou orgulho. A bênção de Deus é gestada, e isto prepara o vaso para não se exaltar. Assim aconteceu com o profeta Elias em meio a todos os avivamentos que vivia. Deus visitara a nação com fogo, arrependimento nacional, juízo sobre os falsos deuses e profetas; porém, ele estava debaixo de forte pressão: o conflito com Jezabel (l Reis 18). Ele fugira da rainha Jezabel, estava em depressão e chegou a pedir que Deus levasse sua vida. Havia orgulho naquela situação? Não! Havia dor, sofrimento e graça de Deus, que precisava ser suficiente para ele naquela hora. Deus tem Seus caminhos! Ele sabe como tratar com Seus servos para prepará-los para Sua visitação. ROBSON RODOVALHO -188


Não podemos jamais perder a ênfase no valor e na qualidade de vida do caráter tratado por Deus. Como líderes, precisamos refletir humildade, simplicidade e transparência em nosso viver. Não existe maior dano à obra do Senhor do que um obreiro que, ao mesmo tempo que é usado por Deus, é cheio de orgulho e vaidade, ou é tirano e dominador. Somente a cruz de Cristo tem a capacidade para tratar com nossas vidas e caráter. Temos visto muita ênfase sendo dada a relacionamento e pluralidade de liderança. É fato que só há ajustes em presbitériosquando há quebrantamento em seus membros. E, quando isto acontece, qualquer que seja a estrutura de funcionamento, haverá, provavelmente, respeito, participação e harmonia. Mas não são as estruturas que protegem o mover de Deus. Conhecemos realidades em que a estrutura é a mais forte possível e funciona muito bem, mas porque existe quebrantamento, respeito e consideração dos líderes uns com os outros. Conhecemos também outras estruturas constituídas para se proteger do "domínio do homem", mas que são tão competitivas e conflitantes que mais BATALHA ESPIRITUAL-189


parecem reuniões de partido político. O que nos protege é a vida de Cristo que flui por meio de homens quebrantados e tratados por Deus. O quebrantamento nos livrará do domínio da tirania dos líderes dominadores e do perigo de eles abafarem e inibirem o crescimento ministerial dos demais companheiros. Também nos livrará de reivindicações ilegítimas e impróprias por parte de obreiros que são novos, fortes, que não participaram das "dores da gestação" daquela obra, mas reivindicam o direito de participarem no mesmo grau de decisões ou expressões ministeriais. Somente o quebrantamento poderá limitar nossos direitos e expectativas. Somente a ação do Espírito Santo de Deus em nosso caráter tem a capacidade de gerar em nós esta perspectiva ministerial de humildade, levando-nos a ... "...não pensar de nós mesmos além do que convém." (Romanos 12:3).

O que protege o mover de Deus são homens quebrantados. Não existem estruturas ROBSON RODOVALHO-190


capazes de proteger a vida de Deus. Elas apenas auxiliam em suas expressões, são necessárias e temporariamente mutáveis. Precisamos evitar as expressões ministeriais fortes e isoladas, que chamamos de "estrelas". Deus está levando hoje a Sua Igreja a ocupar seu lugar e seu espaço na sociedade e nas nações. Ele quer que a Igreja flua como Corpo de Cristo, cumprindo o seu papel e a sua função. Por outro lado, também, devemos evitar que expressões ilegítimas sejam manifestadas, ou seja, obreiros novos, que não passaram pelo processo de quebrantamento e formação de Deus, reivindicando autoridade e paternidade. Temos de ser a expressão daquilo que gestamos em Deus. É por meio da bênção e dos resultados do ministério de um irmão que ele será reconhecido, e sua expressão ministerial se tornará legítima. Nadabe e Abiú, quando ofereceram fogo estranho a Deus, morreram; eles reivindicaram uma posição ilegítima ministerial para si (Levítico 10:1,2). O mesmo aconteceu com Core (Números 16). Ele saíra do espaço que Deus lhe constituíra. Sua ação ministerial naquelas circunstâncias se tornou ilegítima, e Deus o puniu. BATALHA ESPIRITUAL-191


A falta de caráter e quebrantamento têm sido responsável por apagar o fogo de Deus e Sua visitação na história da Igreja. Normalmente, os homens que experimentaram a visitação morreram, e as próximas gerações que não participaram das "dores de gestação" começaram a contara glória daquilo que possuíam. A queda se inicia quando começamos a contar as "glórias do passado". E, logo em seguida, vem o período de disputa e contenda por "espaço" na obra e pela autoridade de cada um. Por que existe isto? Porque não estão gestando uma nova visitação de Deus. Se entrassem debaixo do peso de Deus para continuarem o Seu mover, nada disso aconteceria. O caráter e o quebrantamento que temos é que determinam nossas motivações, e Deus só age e opera se elas forem legítimas. Precisamos aprender a mensurar a obra de Deus e o trabalho dos irmãos, que às vezes são diferentes do nosso, pela legitimidade e não pela doutrina ou estrutura que provêm de nossa própria visão. ROBSON RODOVALHO -192


Nossas estruturas variam e mudam; pensamos que elas são absolutas, mas na verdade são relativas. Temos a tendência de julgar todos os outros pelo referencial de nossa visão, mas não é isto que Deus quer. Ele quer que aprendamos que, não obstante sermos claros e termos nossa visão definida, contudo, deve haver um entendimento de que não somos os "donos da verdade". E a "nossa verdade" não deve ser o padrão para medirmos a obra feita pelos outros. Vamos julgar a nós mesmos e Deus julgará a todos nós. Como filhos de Deus, Ele precisa trabalhar em nossas motivações.

Motivações ministeriais A motivação de um líder ou obreiro precisa ser bastante purificada. É muito comum, no início da vida ministerial, haver certas "confusões motivacionais". São os primeiros passos, tudo ainda é "mel" e "cor-de-rosa". Porém, com o passar do tempo, as perseguições e o fogo provarão as obras de cada um. (l Cor. 3:13-15).

BATALHA ESPIRITUAL-193


Deus certamente permitirá que as situações mais adversas possíveis nos sobrevenham a fim de provar as motivações dos corações. Eu não creio que alguém consiga efetuar uma obra com expressão, que não seja para a glória de Deus. O fogo e as pressões purificarão as motivações, e elas se queimarão e desaparecerão; se não foi Deus quem chamou aquele irmão, ele desistirá. Moisés, em Êxodo 19:16-19, subiu o monte e foi envolto em trevas, trovões e relâmpagos ao ponto do povo de Israel dizer: "Não subiremos porque morreremos".

Porém, Moisés entrava e saía da nuvem. Isto nos fala da capacidade de suportar pressões e problemas. Todos nós temos de subir ao monte para edificar algo para Deus, e todos temos de passar e suportar tais situações para nos aperfeiçoar. Outras motivações que são muito comuns encontrarmos nos obreiros, estão relacionadas em l Pedro 5:1-5. Aqui, Pedro nos fala dos riscos e perigos do exercício ministerial. ROBSON RODOVALHO -194


"Rogo, pois, aos presbíteros que há entre vós, eu, presbítero como eles, e testemunha dos sofrimentos de Cristo, e ainda coparticipante da glória que há de ser revelada: pastoreai o rebanho de Deus que há entre vós, não por constrangimento, mas espontaneamente, como Deus quer; nem por sórdida ganância, mas de boa vontade; nem como dominadores dos que vos foram confiados, antes, tornando-vos modelos do rebanho. Ora, logo que o Supremo Pastor se manifestar, recebereis a imarcescível coroa da glória. Rogo igualmente aos jovens: sede submissos aos que são mais velhos; outrossim, no trato de uns com os outros, cingi-vos todos de humildade, porque Deus resiste aos soberbos, contudo, aos humildes concede a sua graça."

1. Desejo de domínio

Primeiramente, ele nos adverte quanto ao cuidado de não sermos "dominadores". A motivação ministerial não pode "dominar" os outros, mas sim guiá-los no conhecimento de Deus. No desejo de exercer o discipulado cristão, às vezes corremos este risco de traBATALHA ESPIRITUAL-195


çar o domínio ao invés de orientação espiritual. O desejo de domínio vem da natureza adâmica e reflete algo da natureza de Lúcifer em nós. Há uma enorme diferença entre líderes com corações pastorais insanos, egoístas e o apaixonado coração pastoral de Paulo, relatado em 2 Coríntios 11:28-30: "Além dos coisas exteriores, me oprime cada d/a o cuidado de todas as igrejas. Quem enfraquece, que eu também não enfraqueça? Quem se escandaliza, que eu me não abrase? Se convém gloriar-me, gloriar-me-ei no que diz respeito à minha fraqueza."

Pastores egoístas jamais conheceram o Bom Pastor que deu a vida pelas ovelhas. Pastores mercenários não conhecem as ovelhas pelo nome, não as conduzem, não vão adiante delas; ao contrário, são daqueles que entregam as ovelhas ao lobo, à morte e à destruição, abandonam as ovelhas na hora do perigo. Não têm cuidado com elas. A decisão deles em relação ao pastoreio é baseada apenas na proposta financeira. ROBSON RODOVALHO-196


São incapazes de espontaneamente darem-se em serviço sacrificial pelas suas ovelhas. Um dos seríssimos problemas atuais é que existem muitos pastores que não pastoreiam nada e nem ninguém. Nada sabem das profundas implicações do pastoreio sério e apaixonado. Dizem que estão decepcionadas com a igreja, com a instituição, com os colegas etc. Deixam o ministério objetivo e passam a viver um pastorado sem nenhuma consequência sobre a vida de ninguém. Há centenas de pastores de si mesmos hoje. Nem suas esposas e filhos eles pastoreiam. Há uma crise de finalidade, de paixão engajada e auto doada na vivência pastoral de grande parte dos pastores atuais. Até aí o problema é apenas existencial, de falta de coragem, positividade, rigidez, maturidade e esperança na vida desses pastores. Mas, daí à encarnação da maligna vivência do pastoreio de si para si acerca do qual Judas nos falou, a distância não é longa. Ao exercermos os nossos ministérios, precisamos estar certos de que o fazemos não pela motivação de dominarmos os outros, BATALHA ESPIRITUAL-197


mas, sim, para guiá-los à maturidade cristã. Temos de fugir do pressuposto de que o reino de Deus somos nós, e o "discipulado" (domínio sobre as pessoas) é o meio de fazer as pessoas entrarem neste reino, justificando, portanto, a "tirania espiritual" que se faz em nome de "ajudá-los" espiritualmente a fazerem a vontade de Deus. A linha entre orientação e cuidado pastoral é muito fina, e Deus precisa ajudar-nos a não quebrá-la. Ser "pastor" não pode ser o caminho mais curto ou mais fácil para uma ascensão social. Não pode ser visto como uma oportunidade que provavelmente alguém jamais teria se legitimasse seu esforço através de um curso universitário, ou de uma profissão ou empresa, podendo substituir tudo isso pelo meio mais rápido e compensador que se chama "ministério". O desastre é que estas pessoas transferem seus complexos e traumas para a obra de Deus e acabam trazendo danos a si mesmas, às ovelhas e ao testemunho do nome de Deus que elas representam. Precisamos sondar os nossos corações à luz do Espírito de Deus e deixá-Lo tratar com nossas motivações. A Igreja evangélica tem ROBSON RODOVALHO -198


estado debaixo de escândalos no meio de suas lideranças, provavelmente porque as motivações não foram purificadas. Vemos que muitos líderes são pessoas que mesclam seus desejos, impressões e orientações espirituais e, quando fazem isto, confundem o rebanho. Existem neuroses, temores, complexos e muitos outros fatores que influenciam as motivações dos líderes e a Igreja do Senhor não está isenta deles. Precisamos, com honestidade e humildade, abrirmos nossas vidas para que Deus nos leve pelo caminho da maturidade. Às vezes o mesmo princípio que rege e motiva a liderança secular, grandes ditadores como Hitler, Napoleão ou Saddam Hussein, pode estar operando na liderança cristã. Suas expressões de governo nada são além de expressões de seu mundo interior complexado, recalcado, ferido e neurótico. Ao nos dedicarmos ao pastoreamento e orientação espiritual, que possamos fazê-lo sabendo que somos instrumentos de Deus para levar nossos irmãos à maturidade.

BATALHA ESPIRITUAL-199


2. Transparência financeira Pedro também nos recomenda que a nossa motivação não deve ser a "ganância financeira". Ainda que os trabalhadores sejam dignos de seu salário, esta não deve ser a base de motivação ministerial, (l Coríntios 9:9-12, l Timóteo 5:17). O homem de Deus precisa ser tratado por Deus como era o apóstolo Paulo. Em Filipenses 4:12 ele nos diz: "Sei passar falta e também sei ter em abundância..."

Aqui está o ponto de equilíbrio. A nossa alegria, vitória e fé não dependem dos aspectos naturais e recursos que possuímos. Todos neste mundo passarão ofensas, provações e desafios. O importante é que, como homens Deus, vivamos em fé sobre estas situações e dificuldades. Tem havido abusos nesta área financeira em alguns segmentos da Igreja, e isto por parte da liderança. Não tanto no sentido de pedir recursos ao povo de Deus, mas sim, em como aplicá-los.

ROBSON RODOVALHO - 200


É necessário ter muita responsabilidade e compromisso por parte da liderança para administrar o dinheiro do povo de Deus na obra de Deus. É certo que os ministérios são os levitas, e eles vivem do "trigo que debulham" (l Coríntios 9:9).Porém, em tudo deve haver ponderação e equilíbrio. Cremos firmemente que o ministério não deve ser fonte de enriquecimento para ninguém. Temos o direito de enriquecimento na vida, mas não pelo ministério. Como Deus fez com Abraão (Génesis 24:35), Ele poderá fazer conosco: tornar-nos ricos. Porém, para isto temos que tomar o caminho aceito pela sociedade, que são as empresas ou negócios, de um modo geral. Como ministros, devemos nos contentar em ter as coisas básicas para uma vida estável e próspera. Portanto, "ambição financeira" não pode de nenhuma forma ser a motivação ministerial.

Autoridades representativas É muito comum encontrarmos líderes espirituais que não conseguem entender que sua autoridade é relativa e não absoluta. Ela BATALHA ESPIRITUAL-201


é relativa pelo fato de as ovelhas aceitarem-na ou não sobre elas. A única autoridade absoluta é a do Senhor, que nos orienta por meio do Espírito Santo e das Escrituras. Não somos absolutos em nossa hermenêutica e, consequentemente, em nossas exegeses. Não somos absolutos em nossas visões de eclesiologia e muito menos em nossas propostas de pastoreamento do rebanho de Deus. Precisamos saber que nossa autoridade é representativa. Como líderes e obreiros, temos autoridade da parte do Senhor (Hebreus 13:17). A Igreja não é uma fraternidade sem cadeia de comando. Não temos um amorfismo estrutural, pelo contrário, Deus colocou com muita clareza as funções, os limites, os direitos e os deveres da liderança, mas toda essa autoridade é representativa. Enquanto como líderes, estamos expressando a Palavra de Deus, Seus princípios e Sua vida e enquanto estamos alinhados com estes princípios, nossa autoridade estará firme. Porém, quando a liderança deixa de expressá-los por algum aspecto, deixamos de ter o apoio e o respaldo da autoridade de Deus em ROBSON RODOVALHO - 202


nós. A única autoridade absoluta no universo é a autoridade de Deus sobre os homens, expressa pelas Escrituras e pelo Espírito de Deus.

Surgimento de novos ministérios Nas gerações passadas, Deus derramou o Seu Espírito sobre inúmeras pessoas, mas, devido a alguns fatores, muitos "vasos se quebraram", não suportaram o peso de glória e o tesouro se perdeu. (2 Coríntios 4:7). Temos visto que o Senhor tem trabalhado hoje de uma forma mais profunda no caráter dos homens em que Ele tem colocado Sua unção, para que não se repita o que aconteceu no passado. Por exemplo, o avivamento da "Chuva Serôdia" nos anos cinquenta, quando Deus derramou Sua glória e poder esplendidamente, muitos "vasos se quebraram". A glória se foi e, pouco tempo depois, nem a Igreja e nem a sociedade respeitavam aquele mover; ele caiu em descrédito. Normalmente, a glória se vai porque os ministérios (os vasos) se rompem. Aconteceu com Ezequiel, que foi levado para ver o que BATALHA ESPIRITUAL-203


havia acontecido dentro do Templo (Ezequiel 8 e 9). Quando a abominação está no santuário, na liderança, a Glória deixa o lugar, a igreja, o movimento e até mesmo uma geração inteira. Em uma das viagens que fizemos fora do Brasil, ministramos em alguns países o princípio do arrependimento nacional. Pude sentir a diferença dos espíritos que aprisionam os países e as diferenças do mundo espiritual de cada um. Quando cheguei a um determinado país, senti o espírito de descrédito que a sociedade tinha para com a Igreja e especialmente com os pastores e líderes. Fizemos algumas reuniões evangelísticas, convidamos pessoas, e sabe qual foi a resposta? "Nós não cremos na Igreja! Não cremos em evangelistas. Eles apenas querem tirar proveito de nós e nos usar." A sociedade estava vacinada contra o Evangelho pelo comportamento dos líderes espirituais daquela nação. Se não mudarem este comportamento, eles não alcançarão respeito e abertura para Deus, e isto pode levar dezenas de anos e neste tempo muitos morrerão sem ouvir a mensagem de salvação. ROBSON RODOVALHO - 204


Temos tido aqui no Brasil, como em muitas partes do mundo, um novo e fresco mover de Deus que tem produzido novos ministérios. Não há como desassociar "novos ministérios" do mover de Deus, porque Deus move através dos homens que Ele levanta. Creio que um dos sintomas da saúde de uma obra é o fato de levantar novos homens, ungidos pelo Espírito Santo. Sempre que houve um mover de Deus na história, ministérios novos surgiram deles. No Novo Testamento temos Timóteo, João Marcos, Barnabé e muitos outros como resultados do mover de Deus nas igrejas daquela região. Se há saúde por parte dos ministérios que já estão operando, então eles irão colher como fruto de seus trabalhos outros ministérios.

Fatores que impedem o crescimento ministerial Alguns aspectos negativos inibem o fator crescimento ministerial e destroem o ambiente próprio para o seu desenvolvimento. Se isto acontecer, certamente toda uma geBATALHA ESPIRITUAL - 205


ração de obreiros que poderia estar progressivamente se desenvolvendo será abafada, mutilada, inibida e terá sua formação ministerial bloqueada. Normalmente, o desenvolvimento ministerial é um termómetro que podemos usar para medir nossa ação ministerial. Se os líderes já estabelecidos têm uma tendência de "domínio excessivo", de abafar os novos líderes não lhes dando espaço, de desenvolver um espírito crítico ou perfeccionista, de achar que as coisas nunca saem a seu contento, de nunca ter palavras de encorajamento ou ânimo, mas somente críticas, exigências, "broncas", isto irá gerar um trauma interior e uma insegurança nos demais líderes e trará paralisia ministerial. O ambiente de desenvolvimento precisa ser de amor, maturidade, aceitação, compreensão e correção. Todos estamos sujeitos a errar, ninguém nasce ministerialmente perfeito, pelo contrário, é necessário um aperfeiçoamento. Porém, quando erramos, o que esperamos é compreensão equilibrada com correção. A compreensão nos anima, revigora e nos dispõe a tentar de novo. ROBSON RODOVALHO - 206


A correção nos ensina objetivamente onde erramos e o que faremos para não cometer a mesma falta. Outro aspecto bastante negativo à formação ministerial é não termos um modelo padrão e paternidade definida. Quando não há clareza nas funções e responsabilidades, então não se sabe a quem olhar e a quem buscar apoio correção, inspiração e desafio. Este ambiente morto ou confuso gera insegurança por parte dos que estão iniciando. Um último aspecto que queremos enfatizar é o "ambiente vazio de verbalização". Precisamos verbalizar o que pensamos ou sentimos aos novos ministérios. Isso traz segurança a eles. Se foi bom ou não, se deixaram a desejar em algo ou se cumpriram de forma correta etc. Isso traz aprendizado e, da próxima vez, ele terá um referencial e, portanto, saberá como direcionar-se. É como uma família cujos filhos nunca ouvem do pai o que ele pensa ou como avalia suas ações, se foram boas ou ruins, se eles devem continuar naquela direção ou mudar radicalmente. Ausência de verbalização é o oposto ao domínio, mas ambas destroem. BATALHA ESPIRITUAL-207


Possuindo o manto É normal que os novos ministérios se inspirem e referenciem-se nos que já estão operando no Senhor. Creio que sempre houve esta "transmissão profética" ou "transmissão do manto", como aconteceu entre Elias e Eliseu (2 Reis 2). Porém, creio que ao sermos inspirados ou desafiados, precisamos agir em nossa unção e no espaço que Deus nos abre. Cada ministério age no espaço que Deus lhe dá. Ao iniciarmos nosso ministério é importante termos o cuidado e a delicadeza de agirmos somente em nossa esfera de fé dada por Deus. É normal que, ao sermos inspirados ou herdarmos o manto de um determinado ministério, queiramos nos mover no mesmo espaço em que ele se movia, mas nem sempre Deus irá permitir isso. O Senhor caminha conosco como Igreja para lugares mais altos. Muitos ministérios mais expressivos no passado vieram de um contexto em que não se tinha "comunhão ministerial", os ministérios eram independentes, o contexto da Igreja ainda não estava amadurecido, ou pode ser que a realidade daquele ministério apontava mais para uma ação isolada. ROBSON RODOVALHO - 208


Muita ênfase tem sido posta sobre a formação ministerial e vários sistemas e propostas têm-se levantado sobre esse tema. Alguns enfatizam a formação mais teórica, outros, mais prática. Porém, o fato é que formamos pessoas quando investimos nelas. Deus nos deu um modelo para a formação ministerial: Ensino, Relacionamentos, Prática, Caráter e Carisma.

1. Ensino Jesus ensinava seus discípulos. Ele gastava tempo, energia e esforço para ensinar, corrigir e reforçar seus ensinamentos. Em Mateus 5, Jesus chama os discípulos à parte para falar com eles. Em João 9 os discípulos abrem um diálogo com o Senhor sobre as questões que eles tinham dúvidas. O Senhor se deu para formar o ministério dos seus discípulos. Ele investiu neles para o treinamento e fez isto por meio do ensino. É necessário haver esta ênfase de ensino para a formação ministerial, embora os seminários de hoje não estejam conseguindo BATALHA ESPIRITUAL - 209


cumprir sua função de formação. Creio que eles não o fazem, não pelo sistema em si, mas pela falta de foco que ali existe. Não precisamos de escolas de teologia, precisamos de escolas de profetas. O fato de separarmos tempo para investir nas pessoas é positivo. O que não produz é quando fazemos desta estrutura um palco para debates vazios, questionando coisas que não têm sentido. Foi Paulo quem, pela primeira vez, separou os discípulos para a escola de Tirano e discorria com eles diariamente (Atos 19). Este foi o primeiro "Instituto Bíblico" ou "Seminário" ou "Escola de Profetas" do Novo Testamento. O importante é que Atos 19:10 diz que toda a Ásia ouviu a Palavra de Deus a partir daquela base. O objetivo daquela escola era formar discípulos. Ainda sobre a ênfase do ensino, não podemos deixar que isto surja de maneira apenas espontânea, mas sistemática. Se ensinarmos apenas assuntos que estiverem "em alta", apenas na espontaneidade da reunião, teremos problemas, pois formaremos pessoas fragmentadas na área teológica. Cremos na necessidade de um ensino total, ROBSON RODOVALHO - 210


amplo e abrangente, e é por isso que cremos numa formação sistemática. Paulo exortou a Timóteo dizendo: "O que de minha parte ouviste através de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis e idóneos, para também instruírem a outros." (2 Timóteo 2:2).

Ele passou seu depósito a Timóteo e o exortou a transmiti-lo a outros homens, e isto de forma completa e sistemática.

2. Relacionamento

Apenas o ensino, porém, tem-se mostrado ineficaz e insuficiente para a formação ministerial. Jesus investiu também no relacionamento com seus discípulos. Ele vivia, andava, conversava e se relacionava com eles. Naqueles instantes é que surgia a oportunidade para corrigi-los e admoestá-los. Era durante o relacionamento que Jesus sentia os hábitos, as motivações e as tendências de seus discípulos. Era por meio daquele "feedback" que eles eram formados. BATALHA ESPIRITUAL-211


Não basta apenas pregar ou ensinar; é necessário ser íntimo, ser próximo dos discípulos e obreiros a quem estamos formando para que possamos, por meio desse relacionamento, influir na formação do caráter deles. Em sociedades como a nossa em que ninguém tem tempo, temos de aprender a priorizar nossos relacionamentos e estabelecer horários semanais que permitam intimidade e aproximação com aqueles que estamos formando. Em nossa situação específica, fazemos isto por meio das células de discipulado. É através do nosso relacionamento com os obreiros que eles serão formados e posteriormente se tornarão ministérios. 3. Prática

O terceiro aspecto da formação ministerial é a prática. Jesus sempre dava tarefas práticas para seus discípulos. Ele os enviava a pregar, pedia-lhes que despedissem as multidões, ensinava-os a expulsar demónios etc. (Lucas 10). Tudo isto era prática ministerial. Os discípulos precisavam deste treinamento prático. Por meio dele é que realmente eles aprendiam. i

ROBSON RODOVALHO - 212


Em nossos púlpitos, infelizmente, poucas pessoas têm a oportunidade de participar ministerialmente. Porém, podemos fazê-lo por meio das células de crescimento, pois elas são próprias para este treinamento. Ali, os futuros obreiros irão crescer em sua prática ministerial. Temos que investir em nossos obreiros para que eles possam, pela prática, crescerem ministerialmente. 4. Caráter A prática, entretanto, só pode ser concedida àqueles que estão sendo transformados em seu caráter. Estamos investindo em pessoas para que sejam bons discípulos e pessoas espirituais? Creio que todos queremos, como fruto do nosso trabalho, que nossos discípulos tenham caráter, pois estamos investindo em homens que vão representar a autoridade de Deus e, por isto, eles precisam ser irrepreensíveis. O cristianismo tem sofrido muito na história pela falha de caráter nos vasos usados por Deus, e isto trouxe descrédito por parte da sociedade secular a respeito de nossas propostas. Por causa do axioma: consagraBATALHA ESPIRITUAL-213


cão - realização - sucesso, quase sempre quem paga o preço também colhe os resultados. O fato é que, ao ter sucesso, com ele também vem a perda, porque se a pessoa não tem caráter suficiente para suportar a glória que provém das bênçãos que está recebendo, a igreja receberá o opróbrio desta situação. Sem dúvida, a formação do caráter é a parte mais delicada e demorada na formação das vidas dos obreiros. Receber autoridade ministerial sem o devido tratamento de caráter é uma lástima, e certamente trará danos ministeriais. 5. Carisma

A outra preocupação na formação dos obreiros diz respeito à área dos carismas (dons). Não teremos uma ação ministerial eficaz enquanto não houver desenvolvimento na área dos dons espirituais. Sem a ação dos carismas do Espírito de Deus, a tendência é que o evangelho se torne mais uma filosofia do que uma ação de Deus na vida dos futuros líderes. ROBSON RODOVALHO - 214


Nossa sociedade hoje está aberta à ação da Palavra de Deus e do Seu poder. É tempo de Deus agir, e Ele só poderá fazer isto através dos carismas do Seu Espírito. O carisma é resultado da ação do Espírito Santo em nós. Ele é insubstituível na vida da Igreja, na vida das células de crescimento e de discipulado. Sem esta ação, nossas reuniões se tornam mais um encontro formal e infrutífero, sem a dinâmica de Deus. Os dons espirituais operam nos cristãos trazendo vida e diversidade, manifestação e graça de Deus e Sua comunicação à Igreja. Especialmente em momentos como o que vivemos, em que nossa sociedade se volta aos aspectos místicos, a ação destes carismas é elemento de valor tanto para atrair as pessoas para Deus, como para levá-las ao crescimento espiritual. É comum vermos obreiros que não se aperfeiçoaram na ação dos dons do Espírito e por isso não contribuem para liberarem a presença de Deus nas reuniões da Igreja. Quantas vezes nossas reuniões se amarram e somente a ação dos dons é eficaz para liberar o poder de Deus e quebrar aquelas BATALHA ESPIRITUAL-215


cadeias? Quanto mais o poder de Deus é liberado nas reuniões por meio dos dons, mais se edifica a Igreja. Hoje há extremos na vida da Igreja: ou ela se abre ao misticismo e, em nome dos dons espirituais, tiram-se o racional e o aceitável, ou ela se fecha em nome do intelectualismo teologizado, perdendo, assim, uma grande contribuição de Deus para nossa geração. Nem o misticismo irresponsável, nem a teologia intelectualizada e tradicional têm trazido contribuição e vida ao povo de Deus. Nossa geração tem provado que o equilíbrio da ação de Deus na forma racional, lógica e aceitável é o que contribui de forma aceitável e duradoura. Como líderes, precisamos ensinar obreiros e discípulos a se moverem com naturalidade e maturidade nos dons do espírito de Deus, pois este é o caminho para levarmos as novas gerações a se moverem debaixo do poder e da unção de Deus.

ROBSON RODOVALHO - 216


CAPITULO 7 O que Toca uma Geração?

BATALHA ESPIRITUAL-217


6Lz--ivniiaidS3vmviva •D3I|S]UJ DUUJOJ DLUn Sp SDUSdD O-OpUDJSdSS 'JDJOADdD SOUJSpOd SOU ODU 'OUJSBUDAS Op

jos|ndojd O4USO o 'ssoq D ofss 8|0 snb op -U|V

'SnSQ DJDd DJJ8JUI ODÓDJ86 DLUn J8ZD4

8 snb 'JSA sp souuDUD;so6 snb o opiznpojd 8|USUJDDUOjSiq LU8| ODU DpD|OSI DLUJOI DLUn 8P SnSQ 8p J8AOLU O SjUSLUOS 'OpD| O4nO

JOd 'U'9 S°4V) noDi|di||nLU ss s nsossjo DJA -D|Dd D 8 'noBodojd ss OLIISÊUDAS o 'OJUDS OjUjdsg op JDLUDjjsp uun SAnoq snb LUS SDD -OdS SD SDpOl 'O4SI DAOjdLUOD DUOjSIU, D g

s/as enb op souetu luaznpcuc/ LUOUJOO oo/4Sj/e6uDA9 oiipqDJi ep souo

9P sooj,, OJAJI nss LUS UOD -UDQ JSLUOH SSSIp OLUOO 'SnSQ Sp JSAOLU OU

sopD4USDuoD Luofsjss soójojss sossou snb ISAjpupssjduui s 'uu y sjss SOUJJDÓUDOID DJDd •soAjisfqns s SOOIJSJLU sopsdso LUS sousdo JDS -usd sotuspod oou 'snsa DJDd D|-szD4 s ODÒ -Djs6 DSSOU JDDOJ sjqos souuD|Dj opuonÇ)


A nossa visão hoje determina o nosso comportamento amanhã. Se tivermos uma visão carreta daquilo que Deus quer fazer e da carreta extensão de Sua operação, então o fluir do Espírito virá para preencher as estruturas. Deus opera de acordo com a nossa fé. É a nossa fé e o entendimento, que provêm da revelação da palavra, que guiarão a atuação de Deus em nossa geração. A ação de Deus na geração de Josué foi dar-lhe vitória sobre seus inimigos (Josué 1). Já, a ação de Deus no tempo de Jeremias foi que ele aceitasse o governo de Nabucodonosor e se entregasse à Babilónia (Jeremias 29). Isto era algo muito delicado, doía muito, mas era a direção que Deus estava dando e era nessa direção que eles deveriam colocar sua fé e obediência. Precisamos da visão profética de Deus para nossa geração. O que Ele quer fazer nestes dias? Em quais estruturas eclesiásticas ou estruturas sociais Ele quer tocar? Percebemos que nós, os evangélicos, nos concentramos na pregação de um evangelho muito "celestial", isto é, nossa mensagem é preparar as pessoas para irem ao céu e lá terem ROBSON RODOVALHO - 220


uma vida de vitória. Descobrimos, porém, que esta mensagem é incompleta. O evangelho não é para o céu, mas para a terra. O céu ou a vida eterna é apenas a consequência do andar com Deus, que começa hoje, agora, e continua pela eternidade. O evangelho de Deus é a proposta, a ação de Deus para este mundo e para a sociedade. Ele é amplo, tem o poder de operar no indivíduo, restaurando-o, transformando-o em uma nova criação de Deus (2 Coríntios 5:17). Mas também age nas estruturas familiares e até sociais de nosso tempo. De acordo com o que cremos, a nossa geração só será tocada através da ação de Deus e do poder do evangelho. Precisamos encontrar a visão profética de Deus para hoje. Vamos pregar um evangelho completo que leve as pessoas a uma restauraçãodiante de Deus hoje.

Ações de Deus na história Deus não age, hoje, apenas no sentido redencionista. Creio que esta é a Sua ênfase principal, porém, não há como negar que existe uma ação da graça de Deus na históBATALHA ESPIRITUAL-221


ria. É inegável que até a cruz de Cristo a lei operante era "olho por olho, dente por dente" (Deuteronômio 19:21). Entretanto, após a vinda de Cristo e a manifestação do Verbo de Deus (João 1:12), a revelação de Deus para com a humanidade mudou. A partir de então, Deus não cobraria mais, aqui e agora, a responsabilidade dos atos dos homens. Ele nos deu um tempo chamado "últimos dias" ou "tempo da graça", em que Sua misericórdia e amor imperam sobre as ações humanas, mesmo as mais pecaminosas. Creio que foi isto que Jesus quis dizer quando falou: "Para que sejais filhos de vosso Pai celeste, que faz com que o sol nasça sobre justo e injustos, e a chuva desça sobre os bons e os maus." (Mateus 5:44,45).

Agora, nesse tempo presente, Ele tem-nos dado graça e oportunidade para vivermos sem o juízo imediato que decorria imediatamente após as nossas ações. Este juízo foi prorrogado para o último dia, o dia final (l Coríntios 15:24, l Tessalonicenses4:16). Portanto, estamos debaixo deste manto de graça. ROBSON RODOVALHO - 222


A humanidade tem alcançado um desenvolvimento científico, social e tecnológico como jamais aconteceu. Nunca houve tanto acúmulo do conhecimento e da ciência, porque o juízo imediato de Deus sobre pessoas, cidades e civilizações no passado abria espaço para a destruição diabólica de todo depósito alcançado em termos de ciência e desenvolvimento. A cada juízo divino perdia-se quase tudo. Porém, após a cruz de Cristo, esta situação mudou, e Deus mesmo concedeu Sua graça à história. Os atributos divinos têm sido derramados na história secular, mesmo com imperfeições e parcialidades. Temos visto liberdade, justiça social e busca da verdadeira fé por parte do homem como nunca antes. Seus atributos estão sendo compartilhados com o homem e com a sociedade, numa demonstração e revelação de Seu caráter. Creio que é importante que entendamos este processo do mover de Deus na história, e entendamos também que esta ação holística não tem outro sentido senão ser um testemunho da Sua graça. Não é verdade, como alguns dizem, que esta operação de BATALHA ESPIRITUAL-223


Deus tem apenas a finalidade de "aperfeiçoamento da humanidade" ou que tem um fim em si mesma. Ela é, na verdade, um agente de demonstração da misericórdia de Deus, como a última oportunidade que o Senhor tem dado à nossa história. 1. Ação na redenção Precisamos pregar um evangelho que restaure o homem completamente. Paulo nos diz que o evangelho é o poder de Deus (Romanos 1:16,17). O desejo de Deus é que o evangelho toque todas as áreas da pessoa humana e não apenas seu espírito. Em l Tessalonicenses 5:23, ele nos exorta para que... "...o nosso espírito, olmo e corpo sejam cons/derados íntegros e irrepreensíveis diante de nosso Deus."

Deus quer agir não apenas no espírito, mas também na alma e no corpo. Nos últimos anos temos experimentado na Igreja um mover especial, trazendo dons e ações ministeriais na área emocional. Isto não existia antes; porém, nos últimos anos, ROBSON RODOVALHO - 224


Deus derramou uma unção neste sentido para abençoar esta geração. A ação do Senhor por meio da cura interior é uma prova que Ele está operando para restaurar o homem em sua plenitude. O que observamos na história da Igreja é que somente em tempos de intenso avivamento aconteciam ações mais intensas e completas nas vidas das pessoas. Depois destes períodos o evangelho voltava à forma "normal", enfocando apenas o espírito do homem. Nos tempos de Finney, Moody e Wesley, a força do evangelho tocou as pessoas com poder para transformar suas vidas e suas índoles; porém, após estes períodos, tudo voltou ao normal. Vivemos em uma sociedade destruída emocionalmente. As famílias estão destruídas, o conceito de aliança está desfeito, os valores pessoais não têm sido formados nos indivíduos. Isto se deve à ausência de seus pais na adolescência, o que aumenta o número de pessoas homossexuais, sem autoestima, sem valores próprios, algo jamais visto. A nossa juventude vagueia entre as drogas, o sexo e o culto ao corpo. BATALHA ESPIRITUAL-225


Tudo isto são expressões vazias de anseio e, para se alcançar uma paz pessoal e presente, para uma formação de estima pessoal, para a construção de uma identidade interior que dará segurança em meio a um mundo tão conturbado e vazio, precisamos enfocar um evangelho que restaure também a alma das pessoas. Nossa visão sobre a ação de Deus na vida do indivíduo precisa ser completa, total, integralizadora. Precisamos edificar pessoas e igrejas com a visão ampla do desafio de um evangelho pleno e total. "Para que a vossa fé não se apoiasse sobre a sabedoria humana, mas, s/m, no poder de Deus." (] Coríntios2:4).

Precisamos gerar uma semente de evangelização integralizadora, total, que traga o poder de Deus hoje atuando no corpo, na alma e no espírito dos homens. Em todo o Novo Testamento a fé e a ação do Espírito de Deus estavam presentes, trazendo o evangelho completo que respondia aos anseios dos homens daquela cultura e sociedade. Isto precisa acontecer hoje. ROBSON RODOVALHO - 226


A sociedade hoje, especialmente no Brasil, é muito mística e voltada para o mundo espiritual. Este fato, talvez, seja herança da influência espírita vinda da África com os escravos. Nosso povo é aberto ao sobrenatural. E mesmo os não convertidos sabem do poder de Deus e o desejam. Temos que aproveitar este aspecto cultural e supri-los com o evangelho, que possui estes traços. Creio que, em nossos cultos, temos de ter momentos próprios para a demonstração do poder de Deus. Basta que aceitemos a ação do Espírito Santo por meio dos dons espirituais e o poder de Deus fluirá em nossas reuniões. Até mesmo nossa sociedade tem cobrado um evangelho total que atue nos corpos dos homens. E nós o possuímos; por isto, queremos que a Igreja se fortaleça cada dia mais na sociedade moderna. Se em nossas comunidades houver a demonstração dos carismasdo Espírito e não permitirmos que, devido à falta de caráter, o testemunho da Igreja vaze, então certamente traremos um grande impacto à nossa geração. BATALHA ESPIRITUAL-227


A Igreja hoje tem comprovado em parte a sua credibilidade, especialmente na América Latina. Em pesquisas recentes, a Igreja está em segundo lugar em credibilidade popular, apenas atrás dos meios de comunicação (Revista Veja). Isto nos fala que, mesmo com a falta de caráter daqueles que se têm proposto a propagar o Evangelho, ainda assim o homem moderno se abre para receber esperança por meio dele. 2. Ação profética

A esta presença da Igreja e do Evangelho na vida pessoal chamamos de ação profética. Nossa visão deve extrapolar a ação redentorista e chegar à função profética. Neste sentido a missão da Igreja é muito mais confrontativa e denunciadora dos desvios e descaminhos que encontramos. A ideia de que nossa missão termina na anunciação e redenção está muito impregnada no povo evangélico. Somos profetas de Deus no meio de uma sociedade corrupta e depravada (l Pedro 2:9). E, mesmo que as ideias de justiça e equidade do reino de Deus não se façam presentes, precisamos ROBSON RODOVALHO - 228


ter a coragem e o poder para anunciá-las. Não podemos nos tornar omissos e alienados com respeito aos aspectos sociais que nos rodeiam. Deus enviou Sua palavra profética ao mundo para combater a exploração do pobre, a injustiça social, a altivez e o orgulho como poder instituído (Isaías 58:6-10). Enfim, Deus nunca se omitiu às injustiças deste mundo. E nós também não podemos nos calar, porque somos Suas testemunhas, somos Seus lábios. A Igreja tem a função de ser a voz profética de Deus nesta geração e fazemos isto anunciando-O através de rádios, jornais, TVs, manifestos, enfim, através dos veículos que Deus nos der nas mãos para fazê-lo. É impressionante como Deus usa o profeta Daniel para ser um proclamador de Sua voz profética. Embora comprometido com seus governantes (ele era ministro), nunca deixou de anunciar a palavra clara e definida do Senhor. "Esta é a interpretação, ó rei: é o decreto do Altíssimo, que é vindo sobre o rei, meu senhor. Serás expulso do meio dos hoBATALHA ESPIRITUAL - 229


mens, e a fuá morada será com os animais do campo, e te farão comer erva como os bois, e serás molhado do orvalho do céu, e passar-se-ão sete tempos por cima de ti até que conheças que o Altíssimo tem domínio sobre o reino dos homens, e o dá a quem quer. E quanto ao que foi dito, que deixassem o tronco com as raízes da árvore, o teu reino voltará para ti, depois que tiveres conhecido que o céu reina. Portanto, ó rei, aceita o meu conselho e põe fim aos feus pecados, praticando a justiça, e às suas iniquidades, usando de misericórdia com os pobre, se porventura, se prolongar a tua tranquilidade." (Daniel 4:24-27). Daniel confrontava Nabucodonosor com muita firmeza, não obstante ser seu servo. Ele falou do orgulho e altivez de Nabucodonosor e do juízo que Deus enviaria sobre ele. Nos versos 28 e 29 diz: "Todas esfas coisas vieram sobre o rei Nabucodonosor. Ao fim de doze meses, quando passeava no palácio real de Babilónia." A profecia de Daniel não se cumpriu imediatamente, e este é o desespero de um proROBSON RODOVALHO - 230


feta. Ele teve que esperar um ano de "fossa", de "expectativa", crendo e orando pela concretização da sua palavra. 3. Ação preservadora

Na ação profética, temos a responsabilidade de proclamar os desígnios de Deus e os desvios dos homens. Mas nossa função também não para aí, mas vai além: temos uma ação preservadora. Em Mateus 5:13, Jesus disse: "Vós sois o sol da terra e o luz do mundo".

Aqui ele estabelece tanto as funções da luz, que é profética, denunciadora e esclarecedora, quanto as do sal, que é ter a capacidade de preservar da decomposição. A luz aponta o caminho, mostra os perigos, traz entendimento e clareza; o sal penetra no âmago dos alimentos, impedindo-os de se deteriorarem e de se corromperem. O sal possui também a capacidade de dar gosto ao paladar, aos alimentos. Sem o sal nada tem gosto, e todos os alimentos terão a mesma característica de insipidez. BATALHA ESPIRITUAL-231


Não somos apenas luz profética, somos sal que preserva. A igreja tem esta característica de preservar as sociedades em que vive e salgá-las. Jesus usa esta simbologia pelo fato de o sal ser um alimento que tanto penetra quanto preserva. E é isto que procuramos fazer: penetrar e preservar. Voltando ao exemplo de Daniel com seu cargo de ministro e sua função de profeta, sua vida estava nas mãos de Deus. Se o rei se voltasse contra ele, seria seu fim. Em Daniel 5:17-27, ele fala bem forte contra Belsazar e o repreende por ele ter visto o que Deus havia feito a seu pai e não ter tido uma atitude diferente. Ele diz: "Esto, pois, é o escrituro que foi troçado: MENE, MENE, TEQUEL, UFASIM. TEQUEL: Pesado fosfe na balança e achado em talta."

Ele tomou a interpretação dizendo: "Teu reino será tirado e dado aos medos e persas."

E o rei gostou da profecia. No verso 29, diz que Belsazar vestiu Daniel de honra e o fez o terceiro em poder no reino. ROBSON RODOVALHO - 232


Este ministério de confronto era a função profética de Daniel na corte. Hoje não temos mais "Danieis" nas cortes e, quando temos, são como o sal insípido, sem uma mensagem e uma visão dos céus. Podemos perceber que aquilo que Deus não conseguiu através de Israel natural, ou seja, abençoar as nações, Ele conseguiu através de Daniel. Em Daniel 4:3437, lemos que Nabucodonosor adorou, sujeitou-se e louvou ao Senhor, e mais ainda, ele ordenou que todos os povos fizessem o mesmo. Não era este o propósito para a nação de Israel? Mas Deus o obteve através de um profeta na Babilónia. Deus não nos quer apenas do lado de fora, profetizando. A Igreja precisa também se envolver no contexto em que está inserida. Não basta apenas comunicarmos "por fora". O sal não age assim; ele penetra no âmago das coisas. Mostramos nossas diferenças quando participamos da sociedade na qual vivemos, representando os valores do reino de Deus. Como cristãos não precisamos esperar que nossa sociedade, regida e organizada por homens ímpios, seja justa, honesta e coerente. Devemos esperar "que a figueira produza azeitonas ou a videira, figos?" (Tiago 3:12). BATALHA ESPIRITUAL-233


Se nos omitirmos em nossa participação política e social, como o temos feito no decorrer da história, ou se nos posicionarmos apenas profeticamente, isto não irá gerar a ação preservadora contra a corrupção inerente a este sistema em que vivemos. Creio que temos que redefinir nossa missão e função social. Não podemos nos alienar dizendo que "cristão não se envolve com este mundo". Fomos deixados aqui para impregná-lo com os valores do reino de Deus, e não há outra forma de fazer isto a não ser nos envolvendo participativamente nos contextos em que vivemos, demonstrando a diferença entre luz e trevas, entre sal e insípido. Se temos homens de Deus chamados e comissionados para estas funções tanto na política quando na participação social, então tal sociedade estará recebendo a ação preservadora dos valores do reino de Deus. 4. Ação política Quanto ao envolvimento em questões políticas, a questão se resume em quem sãos os homens que possuem caráter e carisma suficientes para exercerem esta função. Podemos nos precipitar nos chavões: "Quem enfra ROBSON RODOVALHO - 234


em político se corrompe, e sempre foi assim.'". Ou podemos nos tornar ingénuos e mandar para a política, como representantes do reino de Deus, pessoas fracas de caráter e sem visão do propósito de estarem ali. Isto irá gerar uma ação passiva ou medíocre, como tem acontecido na história dos "representantes evangélicos" na ação política. Lemos a história de José, Davi, Daniel e outros. Estes homens foram preparados por Deus para ocuparem funções públicas. Deus não escolheu os "menos espirituais" para enviá-los à política, já que "não servem para o ministério". Também, Deus não os escolheu porque eram irmãos que "cantavam hinos" na igreja e eram bastante "populares" no meio da irmandade e, assim, tendo a possibilidade de conseguir alguns votos com "outros irmãos". "Po/s ele lhes disse: Ouvi, peco-vos, este sonho que tive: Estávamos nós atando molhos no campo, e e/s que o meu molho o rodeava, e se inclinava ao meu molho. Responderam-lhes seus irmãos: Tu, pois, reinarás sobre nós? Por isso ainda mais odiavam por causa dos seus sonhos e das suas paBATALHA ESPIRITUAL-235


lavras. Teve José outro sonho e o contou a seus irmãos dizendo: tive ainda outro sonho; e e/s que o sol, e a lua, e onze estrelas se inclinavam perante m/m. Quando o contou a seu pai e a seus irmãos, repreendeu-o seu pai, e disse-lhe: Que sonho é esse que tiveste? Porventura viremos, eu e tua mãe e teus irmãos, a inclinar-nos com o rosto em terra diante de ti?" (Génesis 37:6-10).

José teve sonhos que mostraram o chamado de Deus em sua vida para o governo. Desde a sua infância, ele já tinha este chamado, e Deus viria, posteriormente, preparar seu caráter para cumprir esta missão. Da mesma forma, Davi. Em l Samuel 16:1 e 13, Deus diz a Samuel: "...toma o feu chifre de azeite e vem: enviar-te-ei a Jessé, o belemita, porque dentre seus filhos me tenho provido de um para serrei." "Então Samuel tomou o vaso de azeite e o ungiu no meio dos seus irmãos..."

Aqui, Deus é quem deu o chamado. A unção provém d'Ele, assim como a capacitação, a visão e a força para este ministério. ROBSON RODOVALHO - 236


"...jovens sem nenhum defeito, de belo aparência, de sabedoria, de inteligência, de instrução, e que tivessem capacidade para assistirem no palácio do rei." (Daniel 1:4).

Com Daniel não foi diferente. A ênfase no contexto de Daniel era a "capacidade", o "depósito", o potencial, tanto físico quanto cultural. Os pré-requisitos para Daniel e seus amigos eram que fossem pessoas com portes físicos, treinados, formados intelectualmente e capazes naturalmente (inteligência). Estes pré-requisitos são bastante práticos e específicos. Sobre o caráter destes homens, tanto José quanto Daniel não se contaminaram com as impurezas. José preferiu as cadeias a se prostituir com a esposa de Potifar (Génesis 39:10-14). Ele pagou um alto preço pela opção de justiça em sua vida como homem. Deus provou-o muito antes de investir nele Sua autoridade. Ele não se amargurou contra as "injustiças sociais" de sua época. Mesmo não concordando com elas, mantinha seu espírito em fé e ligado com Deus, o que permitiu continuar fluindo e ministrando onde quer que estivesse, mesmo na prisão (Génesis 40:4-7). BATALHA ESPIRITUAL-237


Já Daniel, tomou como a primeira medida nas mordomias de seu novo "status" um jejum de todo o "cardápio babilónico" (Daniel 1:8). O que milhares de pessoas invejam e desejam, ele dispensava. Por quê? Porque não tinha valor algum para ele. Se ele estava ali, seria para outro fim, para representar os valores do reino de Deus e não para tirar "proveito próprio" das coisas do governo a quem servia. Daniel foi chamado pelo anjo de Deus de "homem muito amado" (Daniel 10:11). Ele não se envergonhava de abrir as janelas para sua cidade e orar de joelhos, três vezes ao dia (6:10). E não apenas ajoelhava, mas orava e suplicava diante do Senhor. Os seus inimigos chegaram a dizer que ele era "irrepreensível", não se achava nele nenhum erro nem falta (6:4). O próprio rei pensava em colocá-lo sobre todo o império (6:3). A dieta espiritual de Daniel era: orar três vezes ao dia de joelhos, não se contaminar com os manjares do rei, jejuar vinte e um dias para receber orientação e entendimento de Deus (10:3), confrontar seus chefes e governadores com a palavra e o conselho de Deus, mesmo pondo em risco sua posição (3:15; 4:19-24:5:20,23,24,29). ROBSON RODOVALHO - 238


Portanto, este era o perfil dos homens que foram chamados por Deus para representá-Lo em posições de autoridade. É importante ressaltar que estes homens não estavam no contexto da "nação israelita". Eles estavam sendo bênçãos tanto para o povo de Deus quanto para os incrédulos gentios. Portanto, os critérios relacionados por Deus para escolher Seus representantes sempre foram bem mais refinados do que têm sido os critérios usados pelo povo evangélico hoje.

Nossa perspectiva Creio que estamos impregnados com um "pré-determinismo apocalíptico fatalista". Isto é, "o mundo não é nosso problema, estamos aqui apenas para levarmos as pessoas aos céus, pois o mundo já pertence ao maligno". Com este pensamento, cada vez mais nos afastamos e deixamos o diabo impor seus princípios e conceitos em nossa sociedade. Quando agimos assim estamos omitindo a função de sermos sal e luz e cada vez mais entregando nas mãos do diabo a geração presente e as próximas também. BATALHA ESPIRITUAL-239


Sem entrarmos no mérito das posições escatológicas, creio que temos sido tremendamente influenciados por posições que nos têm imobilizado em nossa ação temporal do reino de Deus. O diabo deve "vibrar" quando adotamos a posição de que "o mundo não é nosso problema", porque ele diz: "S/m, deixe-o para m/m!" Mas Deus tem levantado uma nova visão e uma nova geração. Ele nos tem mostrado que temos de exercer a plenitude de nossa função e missão redentora, profética e preservadora neste mundo. Não pretendo dizer que, ao cumprir estas funções, iremos resolver "todos os problemas do mundo". Creio, porém, que podemos trazer os "fempos de refrigério" (Atos 3:18) ainda nesta geração. Creio que teremos chances de quebrar as maldições herdadas por práticas pecaminosas. Creio que, enquanto estivermos nesse mundo, sem dúvida devemos lutar para que haja justiça, equidade e paz. Não creio que homens que não possuam o Espírito Santo em seus corações e não têm as Escrituras Sagradas como referencial ROBSON RODOVALHO - 240


. - "ivruiy idS3 vmviva OjUOd OD IUDJD69LP 'SOplA|OAU9S9p ODJU8 9|D SODILUOUOO9 SO|9pOLU SOD SDOIJJJO SDHS UU9 'XJDW |JDO 9 S|96U3 OLUO3 SO6O|OpO$

•JD|;S8|80 JOpDjIp,, Op SDJ69J SDp ' '9JA|| :DpDSSDdD4|n DADJS9 'ODI|qjq O^D|9J OU DpO9SDq 'DjSlUOpDUO DIJO9J DpOj 9HÒ OpUDLU -JIJD 'S9ID9dS9 SDp ODÓn|OA9 Dp SDIJO9J SD LUDJ

-uqoosep UIAAJDQ 9 |9pu9\A/ 'opusp

-SOd

SjD; 9p DPUDUOSS9J ODS DpUID S9J.Uin69S

SDPD09P SDp S>jUnd SÓ 9^D 9 Q9 @P DpO39p Dp S9lddlL| SQ 'SOjSIA SIDLUDÍ O|U9LUDjJOdUJOD 9P 9pDpJ9qi| 9p SOJU9LUIAOLU S9JOIDLU SÓ 9S-LUDJD9PD3U9S9P OJSJP DpU9JJO39p OLUOO •J|DD 9p LUDLIUIj 9 SO|n|OSqD LUDJ9 ODU SIDUOp -|PD4 O4U9UUD|JOdLUO3 9p S9OJpDd SÓ 9Hb DIZ

-ip sou pngjj 9p DjBopoisd y 'spopiuDiunu, Dp OJn^nj OD ODÒD|9J UJ9 SDA||Dp9dX9 SDIJDA

jod opDDJDuu IO} XIX O|no9s op opjui o 9|S9 DJD4SIUILU 9P 9pDpl|iqDSUOdS9J D SOLU9J 'SODjSUO OLUOO '9DD OI9JO 'apDpSpOS DU S09Q 9p OUJ9AO6 O JD|U9S9Jd9J JD|U9| '9|U9LU|Dp9dS9 '9 OpUniU 9|S9 9JqOS OUJ9AO6 O J9A|OAU9S9p DJDd SDAIj -D6OJJ9Jd S9JOL||9UJ J9| UJDSSOd SDplA SDDS 9p


de vincularem, com o materialismo dialético, a nova proposta de socialismo e, por isto, concluíram: "A religião é o ópio do povo, e Deus está morto".

Lições da história A história nos tem mostrado que os países que tiveram a participação dos cristãos nas ações sociais e políticas tiveram suas trajetórias económica e social totalmente alteradas em relação aos demais. O exemplo disto é a Inglaterra que, pela participação dos cristãos na Câmara dos Lords, teve uma enorme e avançada transição social, política e económica no século passado, enquanto a França mergulhava na revolução mais sangrenta de sua história. Qual a diferença? Os cristãos que compunham o parlamento! ("O Cristo em uma Sociedade não Cristã", John Scott, pág. 18). A mudança que se deu na Inglaterra durante este período foi muito bem comentada por John Wesley Bready no livro "England Before and After Wesley" (A Inglaterra Antes e Depois de Wesley), cujo título é o "Reav/VaROBSON RODOVALHO - 242


mento Evangélico e a Reforma Social". Suo pesquisa forçou-o a concluir que a verdadeira mãe que conduziu o espírito dos homens de caráter que criaram e sustentaram as instituições livres através do mundo de fala inglesa, ou melhor dizendo, "a linha divisória moral da história anglo-saxônica" foi o reavivamento evangélico, tão negligenciado e tantas vezes rotulado! Breddy descreve que: "...a profundo selvageria, em grande porte no século XVIII, que se caracterizou pela bestialidade no esporte, a bebedeira hostil, o comércio de negros africanos, o sequestro de compatriotas, as exportações e venda de escravos e a mortalidade infantil... são conhecidas universalmente pela brutalidade das penitenciárias e do código penal, e expansão devassadora de imoralidade, e prostituição do teatro, e pela violência cada vez maior de ilegalidade, de superstição e de libertinagem; e o suborno na vida pública, a conivência das autoridades eclesiásticas, as reduzidas pretensões do legislativo, a insensibilidade e a depravação na igreja e no estado. Todas estas manifestações fazem crer que o povo britânico era, na época, talvez tão profunBATALHA ESPIRITUAL - 243


damente depravado e corrupto quanto nenhum povo na cristandade". Mas, então, as coisas começaram a mudar e no século XIX a escravidão e o tráfico de escravos foram abolidos, o sistema penitenciário foi humanizado, melhoraram as condições de vida, nos meios sociais a educação tornou-se acessível ao público, surgiram os sindicatos e assim por diante. Ainda, segundo Breddy: "De onde veio, então, essa acentuada humanidade, a paixão por justiça social e a sensibilidade para com os erros humanos? Só existe uma resposta, e a imutável verdade histórica a continuará. Tal mudança surgiu de uma nova consciência social. E se essa consciência social, convém admitir, teve mais de um progenitor, foi, no entanto, dado à luz e nutrida pelo Reavivamento Evangélico, através de um cristianismo vital e prático, de um reavivamento que iluminara os postulados centrais da ética do novo testamento; tornaram-se reais a paternidade de Deus e a fraternidade dos homens, apontou para a prioridade da personaliROBSON RODOVALHO - 244


SK - ivniididS3 vmviva

D|9d DÒJOJ ons opipjed iu9| IMMJDQ op oiusiu -Opn|OA9 Op DIJO9| V •O|U9UJDJJOdlUOO 8p SOAIJD69U 8 SOAjjISOd SOÓJOJ9J LUDJ.I8OD 9flb SÓ 9J|U9 OUUS8UJ 'SDjSOdOJd SDSJSAIp UJ8 8plA -|P 8S D|6O|OOISd D '8.ÍOH 'SOJ8dS8S8p 8 S8OÓ

-D4sm.[ 'S8pDpi|8pyui SIDLU Luojsxnojj ouoip -nsj.| Diousnyui D|8d sopojueisns SSOÒDJSÕ SD anb SOLUIA siod '..SIDUOIOJPDJI,, sopojapisuco SO|U9LUD|JOdLUOO

DJDd

8ÍOl| 8p 8pDp0pOS V

OpD||OA

9S-LU8J

èSOLUDJIj ODSnpUOD

0nb 'SDJj DJDd OpUDL||O 'LU8JQD 9S OpUnLU 8| -S8p OD|Dd Op SDUIJJ03 SDAOU 8nb LU8 OJU8LU

-ouj 'oinoss OAOU uun sp opjui ou '8.ÍOH •opuniu 84 -S8U 8|U8LUDpDdDJJD.}S8 SOLUJJJSIX8 O|UDnbU8 'OpDZI|DI|S8|8O OLUSIUDIJ.SUO LUH 8p DjSOdOJd D JD|I8DD DJDd SIDUJ Dp OQN 'JI4IUUO 8S 8pOd ODU Df8j6| D 'DpU9jSjX8 D|S9 SOU D J9A|OA9p 9p |DU -OpDJ SIDLU DUJJO^ DLUn 9 DUDLUnL) DpU9|SIX9

D SD|Sods9J Dosnq gpopgpos DSSOU 9nb LU9 'SDDILUOUO39 9 SD3l6O|OpOS 'SDDI^ÇSOiy S9OÓ -IUIJ9P9J JOd SOLUDSSDd 9nb UJ9 SO|U9UJOUJ 'O|nD9S OAOU 9|S9p JIJQD OU 'OjUDjJOd

ou OQPI43J ep ou/ey op OD OULJDJ ajueuj e DLU/D 'o6/suoo d 'Qpopdudojd o ajqos apop


falta de provas e hoje é vista sob muita suspeita pela falta de integridade científica de alguns de seus sustentadores. A nossa "praxe" mostra que Deus não está morto, e a religião não é o "ópio do povo". Hoje, nas universidades, a Bíblia é o segundo livro mais lido e em toda a sociedade moderna ocupa o primeiro lugar na leitura diária. Mesmo nas sociedades comunistas, sobreviveue ressurge com força total. Em todo o mundo e especialmente no leste europeu, o comunismo como opção de governo (em que Deus é tirado de cena) tem sido repudiado. A resposta de nossa "praxe" a todas estas teorias é que Deus e Sua palavra vivem para sempre. O homem de hoje é, por opção, espiritualista, enquanto o homem do início do século estava de mãos dadas com o "materialismo ateísta". A prática das verdades da Palavra em nossa geração tem provado que... "...o mundo passo...mas o que faz a vontade de Deus prevalece." (l João 2:15-17).

ROBSON RODOVALHO - 246


Portanto, a Igreja precisa aproveitar este espaço social em que vivemos. A sociedade contemporânea se abre em busca de novas definições, e a Igreja tem aí uma tremenda oportunidade de trazer a resposta de Deus ao mundo cansado. Porém, vamos fazer isto com coerência, com a postura de homens que não vão destruir com suas ações o que levamos centenas de anos para construir. Precisamos de homens que se adaptem à realidade com uma nova demonstração de vida e conduta, para que possamos ser uma "sociedade alternativa" no mundo de hoje. Do contrário, seremos vistos como manipuladores da boa-fé das pessoas ou tidos como aqueles que se aproveitam da falta de cultura dos sofridos e angustiados, para "manipular nossas opiniões". Creio que chegou a hora em que a Igreja deve ter uma resposta moderna e coerente com o contexto social em que vivemos. E faremos isto por meio de pessoas como Daniel, José, Davi etc. que trouxeram a visitação de Deus à sua sociedade.

BATALHA ESPIRITUAL-247


O contexto histórico da Igreja primitiva Você pode imaginar a surpresa e a reação dos discípulos quando saíram pelas ruas e pelas cidades e descobriram que realmente tinham autoridade sobre todo demónio e enfermidade? Até então, o pavor aos espíritos imundos e o medo dos demónios era total. Na verdade era um terror. A escuridão espiritual da humanidade a respeito de Satanás era absoluta, desde Génesis 3. De repente, Jesus aparece e traz consigo a autoridade e o domínio sobre estas forças do mal. Os discípulos pularam e gritaram de alegria, pois isto nunca tinha antes acontecido. Estavam agora inaugurando um novo tempo, um novo dia. Podemos imaginar as comunidades, os povoados com suas lendas e ignorâncias, vivendo em torno do misticismo que imperava sobre elas. Neste contexto aparece o cristianismo, com um quadro completo de explicações sobre a vida, a existência, o mundo espiritual e o vindouro. Aparece com um código de conduta e ética jamais visto, construindo relações sociais humanas justas e libertas e até então inimaginadas. E não apenas com ROBSON RODOVALHO - 248


um edifício teológico e intelectual organizado, mas também com total demonstração de sinais e maravilhas. Aqueles espíritos que atemorizavam cidades e populações, como em Atos 8:9, agora estavam sob o controle dos chamados "discípulos de Cristo". As enfermidades que assolavam as civilizações, as infecções bacterianas e todo tipo de doenças estavam sendo vencidas e as pessoas curadas. Se hoje, com o todo avanço da medicina, nossa sociedade se volta para Deus como resposta para sua vida, inclusive para a cura de muitas enfermidades, podemos imaginar naquele tempo. Não é de se admirar que o cristianismo em poucas centenas de anos mudou a história. Hoje, quando olhamos para o passado, vemos que foi tremenda a ação de Deus, especialmente quando a compreendemos à luz do contexto social.

BATALHA ESPIRITUAL-249


CAPÍTULO 8

Meios Para Tocar uma Geração

BATALHA ESPIRITUAL-251


Não basta termos apenas a visão; é necessário termos também os meios carretos. Muitas pessoas maduras e bem-intencionadas não conseguem cumprir seu chamado, não porque não têm visão, mas porque não têm os meios para fazer isto. Quais são estes meios? Quais são os elementos necessários para tocar nossa geração?

1. Homens comprometidos

Para alcançar esta visão de tocar a nossa geração, precisamos saber investir com "qualidade" na vida dos homens comprometidos com Deus, com esta visão e com nosso ministério. Vemos pela experiência ministerial de Jesus que ele concentrou seus esforços, formando homens comprometidos. Sem dúvida, quando temos os obreiros preparados, já temos, pelo menos, a metade de nossos alvos alcançados. BATALHA ESPIRITUAL-253


Jesus concentrou seus ensinos e uma grande parte de seu tempo naqueles homens para formá-los e moldá-los para Deus. Em Marcos 3:13-15, Jesus chamou os discípulos para estarem com ele e passou três anos e meio investindo no treinamento deles. Ora, se ele passou este tempo, ele que é o Mestre e Senhor, e nós, então? Creio que hoje há um consenso de que não compensa investir autoridade em homens que não passaram tempo suficiente em treinamento e amadurecimento ministerial. A maneira desta formação ministerial pode ser diferenciada, mas o objetivo central precisa ser alcançado, que é a maturidade ministerial. Jesus investiu nos discípulos com paciência, constância e diligência, esperando que no tempo certo eles frutificassem. Ele investia ora na multidão (Mateus 5:1), ora nos setenta (Lucas 10:1-2), ora nos doze (Mateus 10:1). Sempre havia esta seleção de ênfase ministerial, mesmo no treinamento. Saber formar obreiros é parte essencial da ação ministerial. Nós reproduzimos na medida em que nossa liderança é formada, e este é um dos meios para alcançar saúde e maturidade. Toda obra, missão ou ação evangelística


deve concentrar seus esforços não apenas na extensão, mas na formação ministerial, porque só iremos aonde tivermos liderança formada para respaldar nosso avanço. A mesma ênfase de formação de liderança e distribuição de responsabilidades é encontrada na equipe ministerial de Paulo. Ele possuía uma grande equipe apostólica. Havia Timóteo, Lucas, Tito, Epafras, Filemon e muitos outros. Todos estes homens eram irmãos que aparentemente foram treinados por Paulo e tiveram responsabilidades delegadas para exercerem funções específicas sobre igrejas ou regiões. Deus trouxe esta visão a Paulo, porque havia em seu coração o compromisso para tocar sua geração para Deus, e ele havia de se multiplicar através dos obreiros que militavam em sua obra. 2. Estruturas carretas

Além de homens preparados e moldados pelo Espírito Santo, devemos ter algum tipo de estrutura que possibilite a vida de Deus fluir e não se perder no emocionalismo. A estrutura é o que retém a ação de Deus e tem a capacidade de preservá-la. BATALHA ESPIRITUAL - 255


No Novo Testamento, o reino de Deus fluía com os discípulos por onde iam, a verdade do evangelho era pregada e derramada sobre aquela civilização. E, junto com os irmãos e com o evangelho que levavam, transportavam a visão do reino de Deus. Os irmãos compunham um corpo de membros que formavam a congregação dos santos e, aliançados, eles expressavam o corpo de Cristo, vivo e dinâmico, que revelava e manifestava Cristo ao mundo por meio do testemunho de sua fé e oração, trazendo um novo conceito de Deus e de vida àquele mundo pagão e politeísta. Ainda que tentativas de modelos rígidos de estruturas de Igreja tenham sido feitas ao longo da história, vemos que não existia um dogmatismo sobre elas, e seria uma insensatez fazê-lo. Se Deus não dogmatizou tais estruturas na Sua Palavra, por que o faríamos? Se fosse uma verdade absoluta, Deus a teria estabelecido. Porém, Ele não o fez. As Escrituras nos mostram apenas alguns aspectos sobre as estruturas e creio que seria bom observar apenas estes aspectos. Do contrário, nos tornaremos arrogantes em nossas afirmações e dogmáticos em nossas doutrinas. Colocar ROBSON RODOVALHO - 256


maior ênfase do que a Bíblia coloca sobre qualquer verdade é a semente do desequilíbrio e, certamente, nos levará a repetir a história e erros passados. Basta darmos a correta ênfase, o equilíbrio certo ao que Deus tem mostrado. A estrutura da Igreja do povo do Novo Testamento é balanceada, com ênfases equilibradas entre o contexto local e o universal. A harmonia dos relacionamentos locais com os universais traz a edificação. O objetivo das estruturas é apenas conter a vida do Espírito e não produzir esta vida. Historicamente, o que produziu a vida e o mover de Deus foi a busca provinda de corações ardentes, e as estruturas foram colocadas como "contêineres" deste mover. Foi isto que aconteceu quando os diáconos foram instituídos, em Atos 6:1-10. O mover de Deus trouxe a multidão, que precisava de atenção e cuidados, e apenas os doze apóstolos não eram suficientes para supri-los no âmbito natural. Logo surgiu, pela necessidade, a ideia de se comissionar homens e encarregá-los BATALHA ESPIRITUAL-257


deste serviço. A estrutura estava se estendendo, desafiada pela prática. Logo depois, no capítulo treze, Paulo e Barnabé foram comissionados a saírem e levarem o evangelho a outras regiões. Até então, isto não tinha acontecido. Foi a primeira vez que tal iniciativa fora tomada, embora Jesus os tivesse enviado a todas as nações. Os únicos traços estruturais que vemos nitidamente nas Escrituras são os ministérios investidos de autoridade tanto no âmbito local como no extra local. O governo das igrejas era responsabilidade do ministério local ou dos presbíteros onde havia comissão e ordenação específica dos ministérios apostólicos para isto. 3. Recursos naturais

Outro aspecto sobre o desafio de tocar nossa geração é a questão dos recursos naturais. Vivemos em um mundo físico e estabelecido por valores monetários e financeiros. Tudo neste mundo custa financeiramente porque envolve coisas materiais. Não podemos pensar que basta o poder do Espírito e homens preparados e, milaROBSON RODOVALHO - 258


grosamente, teremos o avanço do reino de Deus. Descobrimos por nossa própria experiência que os aspectos financeiros são mais importantes do que gostaríamos que fossem. Claro que, quando estamos dentro da vontade de Deus, Ele nos dará orientação e sempre trará saídas para o suprimento material. Mas, quando falamos sobre os desafios enormes de tocar cidades ou países não alcançados, então vemos que precisamos de um respaldo financeiro bem maior do que poderíamos imaginar. Jesus nos deixou o princípio de "ir" e não levar bolsas nem alforjes (Lucas 10:4). Ele ensinou seus discípulos que o Pai cuidaria de suas necessidades de cada dia (Mateus 6:8). O apóstolo Paulo nos ensina que... "...o trabalhador é digno do seu salário." (l Timóteo 5:18).

Ele também ensina que não devemos... "...amordaçar a boca do boi que debulha o milho." (l Cor/h tios 9:9).

BATALHA ESPIRITUAL-259


Disse também que... "...aquele que está sendo instruído na palavra faça participante de todas as coisas boas aquele que o instrui." (Gaiatas 6:6).

Por todos estes princípios vemos que a expectativa que o Senhor nos deixou é que a obra deveria ser suficiente para sustentar-se a si mesma e também a seus obreiros. Vemos Paulo trabalhando em Corinto para poder ter condição de sobreviver e, assim, ministrara palavra de Deus (Atos 18). Porém, isto é uma exceção no contexto geral das Escrituras.

Contexto social e cultural Cada época possui um contexto cultural e social, e a Igreja deve-se ajustar a ele. Devemos ser capazes de pegar os princípios do mover de Deus e entender como contextualizá-los. Não é sábio tentar fixar os princípios sem perceber as diferenças culturais e sociais que existem entre nós e as daquele primeiro século.. ROBSON RODOVALHO - 260


O desafio financeiro daquela época era basicamente para sustentar obreiros, visto que a estrutura social em que viviam não demandava outras responsabilidades, como salões, viagens, telecomunicações etc. O contexto cultural e social do primeiro século não demandava qualquer estrutura física propícia para os cristãos, como temos hoje. Nos primeiros anos, a estrutura judaica das sinagogas era a base física da pregação do evangelho, bem como as praças das cidades onde as pessoas se reuniam. Hoje, nossa sociedade demonstra completa mudança nesta estrutura. Para sustentarmos uma obra, temos de investir em obreiros, em prédios e até na comunicação, como jornais, rádio, TV ou Internet. A própria expectativa da sociedade de hoje aponta para esta direção. Quando iniciamos nossa ênfase missionária, estávamos convictos de que bastaria que a equipe de obreiros se mudasse, e ali o Espírito Santo operaria o restante. Mas depois descobrimos que a obra iria demorar muito mais pela falta de estrutura financeira. Podemos e BATALHA ESPIRITUAL-261


até devemos começar as reuniões nas casas das pessoas, porém, o fato é que, com o passar do tempo, vêm as necessidades físicas, como salas para crianças, salões maiores, sustento ministerial e tantas outras. Enquanto nosso século está na mais alta era tecnológica da história, podemos correr o risco de vivermos como se estivéssemos em sociedades de quinhentos anos atrás se não acompanharmos culturalmente ou socialmente o avanço de nosso tempo. Enquanto a Igreja não avança e ocupa os espaços, o diabo o faz. Nas mãos de quem estão, hoje, as telecomunicações? Quem traça o modelo das famílias, dos relacionamentos interpessoais? Isto é feito por meio da mídia, e é o pior possível. E não é apenas porque este é o pensamento da nossa época. Isto acontece porque há um príncipe, uma potestade do ar que, por trás de todo este sistema, o manipula e age sorrateiramente. Fico indignado quando vejo que os comerciais mais veiculados em nosso país, os que ocupam os melhores horários, são sobre ROBSON RODOVALHO - 262


ou bebidas ou vulgaridades. Os patrocinadores dos maiores eventos nacionais são instrumentos de destruição de nossa sociedade e são vistos com muita naturalidade. Por que a Igreja não ocupa estes espaços? Porque ela não tem recursos! O diabo quer nos fazer acreditar que, se abrirmos nossas portas aos domingos e durante duas ou três horas semanais falando sobre a palavra de Deus, estaremos cumprindo nosso papel e tudo, no final, acabará bem. Isto é um absurdo! Enquanto as portas do reino das trevas, que são os bares, as boates, os motéis e tudo mais trabalham dia e noite incansavelmente, nós, com um pequeno espaço e poucas horas, iremos tocar nossa geração? O que o diabo quer fazer é um trabalho subliminar para que a Igreja se ajuste a um bom programa religioso e seja "bem comportada" socialmente. Se tivermos muita força financeira, então podemos nos tornar um risco para ele! Creio que temos de encontrar a saída para quebrarmos este espaço controlado pelo diabo. Lembro-me do texto de Êxodo 10:8-10, onde Faraó disse a Moisés: BATALHA ESPIRITUAL-263


"Tu poderás ir e servir ao Senhor, mós não levarás teus filhos e tuas mulheres e nem teu gado e teus bens".

Moisés não aceitou tal proposta, e disse: "Temos que oferecer sacrifício ao Senhor no deserto, portanto, temos que sair com tudo o que o Senhor nos deu." (Êxodo 10:24-26).

Finalmente, saíram todos, o povo, os filhos, os bens, o gado, o rebanho e, mais ainda, eles saquearam o Egito (Êxodo 12:30-36). Além de levarem tudo a que tinham direito, ainda pediram as jóias e os vestidos dos egípcios. Este é o plano de Deus para a Igreja em cada geração - levar tudo o que tem direito. Não podemos aceitar que nosso espaço seja o que o próprio sistema do mundo nos sugere. Temos de quebrar o domínio de Faraó e dizer: Iremos avante e levaremos tudo o que de direito temos! O desafio de nossa geração para expandir o reino de Deus é bem maior do que em qualquer época passada. Para que a Igreja ocupe o seu espaço social hoje, preciROBSON RODOVALHO - 264


somos de uma forte estrutura financeira. Por exemplo, para levarmos a obra missionária avante, o custo é bastante alto, e normalmente, esta é uma esfera que não tem recursos próprios. Cada igreja local possui seus alvos e suas fontes de suprimento, que são os dízimos e ofertas. Portanto, ela tem com que se sustentar. Porém, a obra apostólica ou missionária não possui esta fonte. Ela tem de se expandir, mas como? Quais são seus recursos? De quem é a responsabilidade de tocar o país? De abrir novas igrejas dentro e fora do próprio país? Da mesma forma, podemos perguntar de quem é a responsabilidade de patrocinar programas de televisão para todo o país? Ou mesmo, revistas que tragam visão e desafio ao nosso povo? Nada disso será possível se as igrejas continuarem pensando que suas responsabilidades terminam em suas localidades ou regiões. No Novo Testamento, Paulo exortava as igrejas a dilatarem suas visões e aplicarem recursos na obra apostólica. Ele não formava outra expectativa de sustento missionário, a não ser desta fonte. BATALHA ESPIRITUAL-265


Tenho visto e crido que precisamos despertar e desafiar nossas igrejas para enxergarem além de nossos muros.

Dados atuais A população do mundo hoje é estimada em 7 bilhões de pessoas. Deste total, apenas 700 milhões são evangélicos e cerca de 2 bilhões considerados cristãos. Portanto, considerando que todos estes cristãos têm uma experiência genuína de salvação, o que não é verdade nem mesmo entre os evangélicos, temos que levar o evangelho a pelo menos 5 bilhões de pessoas. Isto é uma tarefa impossível, a não ser por meio do avivamento de Deus somado ao esforço humano e recursos apropriados. De acordo com a CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) em seu relatório sobre o crescimento das religiões, as estatísticas mostram uma taxa de dezesseis por cento (16%) para o islamismo, treze por cento (13%) para o hinduísmo, dez por cento (10%) para o budismo e um e meio porcento (1,5%) para o cristianismo, incluindo católicos ROBSON RODOVALHO - 266


e protestantes juntos (Folha de São Pau/o, 28/057 / 989-A- 12). Portanto, com base nesta estatística, vemos que há muito o que fazer em nosso século. Considerando que em países considerados cristãos, como Inglaterra, Alemanha, Portugal, Espanha e o restante da Europa, não encontramos mais que três ou quatro por cento (3 ou 4%) de cristãos nascidos de novo, o nosso desafio aumenta muito mais ainda. Normalmente o homem tem quarenta ou cinquenta anos de vida útil e produtiva. Este é o tempo que temos para tocar a nossa geração. Quando olhamos para trás e percebemos que dez anos se passaram, o que fizemos? Qual foi o resultado líquido do seu trabalho nos últimos dez anos? Faça a progressão nesta proporção e veja se você terminará sua vida satisfeito consigo mesmo. Precisamos de um despertamento total na Igreja de Jesus Cristo, inclusive financeiro. Precisamos ver que nosso tempo e nossa força passam, e é agora a hora de trabalhar e tocar nossa geração. Temos de colocar nosBATALHA ESPIRITUAL-267


sos recursos à disposição do reino de Deus. E com isto não estou falando apenas de dízimos, mas de todas as prioridades financeiras.

Tomando os novos montes Cremos que Deus está levantando uma nova geração hoje que tem a fé e a coragem para, como Davi, tomares lugares altos. Em 2 Samuel 5:6-9, o rei Davi fez algo inédito: nunca alguém em Israel tivera coragem para tomar o monte Sião. Desde os Juizes, quando a terra de Israel foi dividida, até o reino de Davi, eles tiveram uma situação muito delicada, com os Jebuseus habitando no centro do país. Eles não tinham tomado seu território, o monte Sião. Quando o rei Davi se fortaleceu e estabeleceu seu reinado em Hebrom, logo em seguida ele se voltou para tomar Sião. Ele não aceitou conviver com as heranças não possuídas em sua geração. Ele creu que Deus poderia dar-lhe aquele monte e o possuiu. Isto é um exemplo, uma figura para nós, hoje. Temos convivido com montes não alROBSON RODOVALHO - 268


cangados em nossa geração. Até hoje a Igreja não tem possuído completamente a herança que Cristo nos deu na cruz, inclusive na área financeira. Não podemos permitir que Satanás controle estes montes financeiros como tem feito até hoje porque, através deles, o diabo direciona a nossa sociedade e a Igreja segundo a sua vontade. Uma nova geração está sendo levantada por Deus que terá fé, fogo e compromisso para dizer: "Subamos e tomemos estes montes, porque Deus nos entregou nas mãos."

Cremos que Deus está dando hoje uma nova visão à Igreja e a empresários para crerem que esta nova realidade poderá vingar em nossa geração. Temos visto muitas igrejas se levantando com uma visão completa de reino e, com espontaneidade, colocando seus recursos sobressalentes em prol desta visão. Da mesma forma, empresários têm sido despertados para se unirem aos projetos da Igreja para, juntos, tomar estes montes. Temos visto que, BATALHA ESPIRITUAL - 269


mais e mais, Deus está operando nesta direção. Hoje há apenas as primícias deste mover, mas elas se juntarão e, no final, nossa expectativa é podermos ver o que o povo disse a Josué: "Tudo quanto nos ordenaste faremos, e aonde quer que nos enviares, iremos." (Josué 1:16).

Esta foi a resposta da nova geração. Estas palavras são extremamente importantes, porque foi aí que a velha geração falhou. Em Deuteronômio 1:26-28, a velha geração disse: "Para onde subiremos?... maior e mais alto é este povo do que nós."

Eles olharam os obstáculos, e os acharam impossíveis, enquanto a nova geração tinha outra fé e outro sentimento em seus corações. Há hoje um grande desafio diante de nós. Você faz parte desta nova geração que irá tomar este monte? Coloque sua vida, seu tempo e seus bens à disposição de Deus ROBSON RODOVALHO - 270


para que Ele os use e, assim, tomemos todos os montes ainda não conquistados! Conheço irmãos que debaixo de uma palavra de Deus têm aberto empresas, e outros, já com grande sucesso empresarial, com a visão de aplicar na obra de Deus, sustentando missionários, pagando salões para igrejas que estão começando ou patrocinando programas de televisão e rádio. Deus tem despertado e chamado homens com esta visão porque faz parte do Seu plano para esta geração. É isto que Ele está fazendo em toda parte do mundo hoje!

BATALHA ESPIRITUAL-271


CAPITULO 9 Possuindo Nossa Heranรงa

BATALHA ESPIRITUAL - 273


Quando Deus criou o homem, Ele o fez para governar (Génesis l :28). Foi Deus quem colocou em nós este espírito de domínio e conquista. Fomos criados para isto! Creio que isto explica porque em todas as nações, os homens têm a ambição do poder. Esta semente foi colocada por Deus em nossas vidas e logo depois deturpada por Satanás através da queda do homem. Hoje, este sentimento é, na maioria das vezes, dominado por forças satânicas e inspiração maligna. O diabo projeta sua vontade e seu governo através do sucesso destes homens. O princípio do governo é divino, ou seja, Deus nos criou para exercê-lo e assim representar Seu reino. "O Senhor Deus formou o homem e o pôs no jardim do Éden, porá o lavrar e guardar." (Génesis 2:15).

BATALHA ESPIRITUAL-275


Deus colocou Adão para dominar o Éden, lavrá-lo, guardar e estender o domínio de Deus sobre toda a Terra. Logo, é de direito o governo do homem sobre a terra, porém, este governo é representativo - fomos chamados para sermos governados por Deus e governarmos em Seu nome a criação. Embora a queda narrada em Génesis 3 tenha alterado todo o projeto de vida do homem, o propósito inicial de Deus para a humanidade não foi alterado. Deus ainda tinha Seu plano firme e em pé e foi com este propósito que Ele chamou Abrão: Génesis 12:1-3: "...sói da tua terra e da tua parentela ... em ti serão benditas todas as famílias da terra".

Deus quis mais uma vez atingir toda a terra, toda a criação através da descendência de Abrão; todas as famílias seriam abençoadas. Esta foi a aliança que Ele fez com Abrão. Quando Deus chamou Israel natural como nação para cumprir e andar nesse chamado, estabeleceu este plano novamente. ROBSON RODOVALHO - 276


"Assim todos os povos da terro verão que és chamado pelo nome do Senhor, e terão temor de ti." (Deuteronômio 28:10). \

"O Senhor te porá por cabeça e não por cauda, e só estará por cima e não por baixo." (Deuteronômio 28:13). "Porém, tão certo como eu vivo, toda terra será cheia de minha Glória, diz o Senhor." (Números 14:21).

Deus tinha uma aliança, um pacto com esse plano de dominar Sua criação. Ele o estabeleceu desde Génesis l, onde dizia que o homem dominaria a criação e faria isto representando o governo de Deus. Logo depois, passou este chamado para Israel natural que, por desobediência, não o cumpriu (Deuteronômio 29:24,25). Porém, o princípio continuou estabelecido, e o chamado passou para os gentios (Atos 28:26-28). Jesus Cristo veio e reconciliou com Deus todas as coisas (Colossenses l :20). A morte de Cristo no âmbito microscópico tinha o poder de redimir a humanidade, mas no aspecto macroscópico, estabelecer a reconciliação BATALHA ESPIRITUAL - 277


com o Universo. E, neste sentido, trouxe ordem e harmonia do sistema com seu Criador, pois, quando o homem caiu, esta relação foi totalmente alterada, visto que ele era Seu representante. Tenho ficado impressionado com o sentido do texto de Colossenses que diz: "Porque nele foram criados todas os coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele. E ele é antes de todas as coisas, e todas as coisas subsistem por ele." (Colossenses 1:16,17).

Isto nos mostra que Cristo possuiu o direito de governo sobre todas as coisas, primeiramente pela criação. Ele foi o agente criacionista. O verso 20 diz: "Portanto, por meio do Filho, Deus resolveu trazer o universo de volta para Si mesmo."

Agora, o direito de posse e governo é de Cristo também pela redenção. ROBSON RODOVALHO - 278


A mesma ideia nos é mostrada em Efésios 1:10. Esse plano é: "...de tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as que estão nos céus como as que estão na terra." Mais uma vez, vemos que Deus determinou unir debaixo da autoridade de Cristo todas as coisas, e isto inclui o universo, os céus e a terra. Logo em seguida, em Efésios 1:18-20, Paulo ora para que Deus abra o entendimento dos santos a fim de que compreendam o que Deus já nos deu no passado, no presente e no futuro. E, logo em seguida, ele estabelece o princípio da autoridade de Cristo sobre todas as coisas. O verso 21 diz: "Ac/ma de iodo o principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo o nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro." Esta declaração é claríssima sobre o atual governo de Jesus em todos os aspecBATALHA ESPIRITUAL-279


tos. Paulo nos fala que este poder é sobre os governos, tanto neste mundo físico e natural, como no mundo espiritual, chamado "mundo que há de vir". Paulo estabelece que o senhorio de Jesus Cristo é sobre tudo e todos. Primeiro ele reinou sobre os governos, forças e poderes. Agora, o senhorio de Jesus Cristo é tanto sobre as funções e os cargos de autoridades que representam os governos, como sobre indivíduos ou seres que tenham intrinsecamente força e poder. Logo, Jesus reina tanto sobre sistemas quanto sobre indivíduos, e estes sistemas de governos, forças e influências tanto podem ser terrenas, quanto celestiais. O verbo no texto está no presente: Ele reina hoje! Ele não reinará amanhã, mas já está reinando. É fato presente e não futuro! Nossa teologia aceita com facilidade que um dia após sua segunda vinda, Jesus reinará sobre todas as coisas. Mas, e hoje? É muito difícil e contraditório aceitar este fato. Se Cristo reina, então tudo o que acontece tem sua permissão, ou seu reinado não o é de fato. Mas, se não o é de fato, não é reinado. ROBSON RODOVALHO - 280


Paulo vai ainda mais longe: ele diz que Cristo está acima de todas as autoridades que existem neste mundo e no mundo que há de vir. Aqui, é estabelecido que o senhorio de Cristo faz com que ele tenha autoridade, e a palavra é "posição legal, estar acima". O fato de Cristo reinar sobre todas as coisas coloca-o acima legalmente de todos os tribunais, poderes e exercícios de autoridade. Mas, se ele está exercendo esta autoridade, por que então ele permitiu todos os absurdos da história? Será que ele foi conivente com tudo o que aconteceu na história, como o genocídio dos judeus, as guerras mundiais, os distúrbios e abusos das autoridades? Bem, sabemos que isto não pode ser! Jesus Cristo jamais teve qualquer conivência com todos estes absurdos. Como, então, explicamos esta questão? O fato é que o reinado de Cristo é "de júri" - ele não é, por enquanto, de "fato", ou seja, ele tem o direito legal do governo, porém o exercício deste governo é feito em partilha com a Igreja. Se a Igreja não tomar posição de participante no desenvolvimento deste exercício de governo, todo poder e autoridade serão inoperantes. BATALHA ESPIRITUAL-281


É a Igreja, o corpo visível de Cristo, que reina. É ela que transforma o governo de "potencial" para "real", de "latente" para "operante", "de júri" para "de fato". É importante vermos o direito moral que Cristo conquistou e que colocou à disposição de sua Igreja militante. A única forma de aceitarmos o governo de Cristo sobre a história sem comprometê-lo com todas as aberrações, é entendê-lo como uma posição legal à disposição de sua Igreja. Paulo continua sua explicação a respeito da posição de governo e autoridade de Cristo no livro de Efésios, dizendo: "...que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e pondo-o à Sua direita nos céus. Acima de todo o principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo o nome que se nomeia, não só neste século, mas também no vindouro; e sujeitou todas as coisas a Seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja, que é o Se u corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos." (Efésios 1:20-23).

ROBSON RODOVALHO - 282


Este texto reforça o governo do Senhor Jesus Cristo sobre todas as coisas. Isto inclui o senhorio absoluto sobre os poderes espirituais, hostes, principados, potestades e também os poderes naturais que são os governos, reinos e todo tipo de delegação e exercício de autoridade. Em seguida, ele diz que toda a autoridade foi dada para Cristo e, juntamente com ele, para a Igreja. Consequentemente, todo o potencial conquistado torna-se agora dependente da ação da Igreja. Este Cristo que possui todo domínio e que reina "acima de todos os governos, forças e poderes" está agora confinado, expressado, dependente da iniciativa e da ação da Igreja. Paulo chega a dizer que "Cristo na Igreja" é o "único Senhor de tudo". Não existe outro senhorio senão o de Jesus Cristo, porém, Ele na Igreja. Creio que se torna claro e absolutamente aceito que Jesus Cristo conquistou o único direito moral de governo e domínio deste mundo pela cruz. Ele foi o único que destronou os poderes e governos espirituais e, porque ele fez isto, ele tem este direito de senhorizar-se sobre nosso século e sistema (Colossenses 2:15). BATALHA ESPIRITUAL - 283


Porém, Deus colocou este direito em dependência da Igreja. É "Cristo na Igreja" que é o Senhor de todas as coisas, e não apenas "Cristo na cruz". O Cristo na cruz tomou a posição moral e latente de governo, porém, o Cristo na Igreja coloca este senhorio e governo na prática deste mundo. Paulo termina este pensamento no verso 23, dizendo que a Igreja ... "...é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos."

Primeiro, a Igreja é o corpo de Cristo e, como tal, expressa toda esta autoridade e poder, pois o corpo é a expressão da vida de uma pessoa. Segundo, é Cristo quem completa todas as coisas em todos os lugares. Por que completa? Porque a queda do homem trouxe um vácuo ao universo e Deus começou a preenchê-lo novamente quando... "...reconciliou consigo mesmo, por meio de Cristo, todas os coisas, inclusive o universo." (2 Coríntios 5:19).

Então, quanto mais esta autoridade de Cristo por meio da Igreja se expressa neste ROBSON RODOVALHO - 284


sistema, mais Cristo preenche o espaço que era seu, por criação. Em João 1:3 temos: "Todas as coisas foram feitas por ele, e sem ele nada do que foi feito se fez."

Logo, Jesus foi o agente criador de todas as coisas. Isto confirma Colossenses 1:16, que diz: "Porque nele foram criadas todas as coisas que há nos céus e na terra, visíveis e invisíveis, sejam tronos, sejam dominações, sejam principados, sejam potestades. Tudo foi criado por ele e para ele."

Todo este sistema tem sua vida derivada do Verbo de Deus. Ele foi o agente criador de todas as coisas neste mundo. E como tudo foi criado por ele, precisa ser por ele também sustentado (Hebreus 11:3). Quando a semente do pecado e da rebelião entrou, formou-se o vácuo, perdeu-se a vida ("Zoe") (João 1:4). O sistema inteiro passou a sobreviver dependente de sua própria eficácia ou vida ("bios" ou "psique"), que novamente precisa ser preenchida. BATALHA ESPIRITUAL-285


Quanto mais autoridade Cristo expressa, mais a "Zoe", a vida, o sistema se renova. Esta obra será concluída quando "Cristo for tudo em todos". Isto se dará na sua segunda vinda. Este ponto culminante da história coincidirá com a total restauração do espaço do Verbo em nossos sistemas. "Então virá o fim. Cristo destruirá todos os governos espirituais, todas as autoridades e poderes e entregará o reino a Deus, o Pai, pois Cristo tem de reinar até que domine todos os inimigos. (...) E, quando todas as coisas lhe estiverem sujeitas, então também o mesmo Filho se sujeitará àquele que todas as coisas lhe sujeitou, para que Deus seja tudo em todos." (l Cor/Mós 15:24,28).

Estes versos reforçam o princípio de que o reino de Cristo é hoje, e não somente no futuro. Pensamos sempre que o reino de Cristo se dará após a sua segunda vinda, mas isto não é verdade. O reino de Cristo é agora, é temporal. Ele se estabelece mesmo neste sistema confuso e inocente. Porquê? Porque ele conquistou pela cruz o direito moral deste reino. Este direito antes pertencia ao homem (Génesis 2:18), mas esse o transferiu a Satanás pelo pecado (Efésios 6:10; Lucas 4:5). ROBSON RODOVALHO - 286


Todos os poderes deste mundo foram entregues a Jesus. Ele tem o poder, o direito moral de governo. É Cristo quem reina hoje. Paulo fala que Cristo reinará até que todos os seus inimigos sejam postos debaixo de seus pés. O reino de Cristo é para trazer os inimigos debaixo de seu senhorio e domínio, como também da Igreja. Enquanto este processo prossegue, Cristo está reinando. O pensamento natural humano é que se ele já reina, então não há mais inimigos. Ou, se há inimigos, é porque ele não reina. Mas nenhum dos dois postulados é verdadeiro. Cristo reina hoje, e seu reino tem poder moral e legal devido à sua vitória na cruz. O dia em que Cristo fizer com que a Igreja também domine sobre seus inimigos, e este reino expressar a sua plenitude neste mundo, então o reino será entregue ao Pai e, então, inaugurar-se-á o "Reino de Deus". Portanto, este "tempo presente" é um tempo excitante, em que o reino de Cristo conquistado na cruz está se tornando prático e evidente a este mundo por meio da Igreja. Portanto, a expectativa que devemos ter em relação à história não deve ser a de BATALHA ESPIRITUAL-287


que Deus está se afastando dela, mas que Cristo está invadindo e dominando a história. Não é uma expectativa "teo-centrífuga", mas "teo-centrípeta". Ele dominará os seus inimigos. Mas ele já não os domina? Sim, porque já os venceu. Então, o que há de dominar no futuro? Ele ainda há de dominar os inimigos da sua Igreja. É neste processo que estamos hoje. O nosso desafio temporal como Igreja é entender a base que temos e nos lançarmos a cumprir a história, dominar a história em nome de Cristo, como seu corpo. Esta é a máxima função da Igreja - a de expressar o reino de Cristo. Cristo reina hoje, mas este reino pode ser inoperante histórica, social ou até politicamente se a Igreja não reivindicar sua autoridade para expressá-lo ao mundo. Entendemos que as gerações passadas do cristianismo falharam em não ocupar seu espaço como agentes da história e aconteceram os maiores abusos de usurpação de governos e autoridades já operados neste mundo. A Igreja faz e rege a história, e este direito é nosso por conquista moral de Cristo, pela cruz. ROBSON RODOVALHO - 288


É como a história da criança que ganha do pai um carrinho. Ele criou o brinquedo, construiu, pintou e o deu ao filho. Era dele por direito de criação. Após recebê-lo, o filho se alegra, se exalta e sai para brincar com os colegas. Logo na esquina, porém, um dos "moleques" da redondeza vê o carrinho com o garoto, espanca a criança e o rouba. Passado algum tempo o pai descobre que o filho não tem mais a posse do carrinho que ele fizera com tanto amor, mas ele descobre o "moleque" que o roubou e agora o exibe a todo mundo. Por amor ao seu filho e por seu caráter, ele se aproxima do "moleque" e compra o carrinho. Ele não teria de pagar por ele, mas o faz para novamente ter o direito moral de posse. Agora o carrinho é novamente do pai, que irá passá-lo aos cuidados do filho. Este pai tem duplo direito moral de propriedade, primeiro por criação, segundo por redenção. Creio que isto ilustra nossa realidade do mundo espiritual. Deus, nosso Pai, criou o universo e todas as coisas para nós, Seus filhos. Tudo que existe, toda energia, vida, inteligência, dons, dinheiro, riquezas, saúde, tudo isto foi criado por nosso Pai para nosso uso e para Seu louBATALHA ESPIRITUAL - 289


vor. Deus criou as coisas para nos pertencer, para serem por nós usadas e com o fim de louvor da sua Glória. Porém, houve a usurpação. O "moleque", que é o diabo, veio, roubou, apoderou-se de todas as coisas que tínhamos recebido do Pai. Por isso ele disse em Lucas 4:5: 'Tudo me foi entregue."

Porém, nosso Pai comprou tudo novamente, pela redenção. Pelo preço da morte de Seu Filho na cruz, Ele estava pagando novamente pelo direito da posse de tudo que Ele mesmo criou. O que você pensaria, porém, se o pai comprasse aquele brinquedo, e ele continuasse sendo usado e usurpado pelo "moleque" que o roubou? Isto traria uma indignação, não é? O pai ficaria perplexo pelo fato de que o seu duplo direito de propriedade estaria sendo usurpado e desrespeitado. Creio que esta é a situação de hoje. Deus criou todas as coisas e no-las deu, mas houve a usurpação, e Ele redimiu, conquistando novamente o direito de posse sobre elas. ROBSON RODOVALHO - 290


Z sssusssopo '&\z\. snsjow) DJJSOW SOU DJAD|Dd D 8nb O 9 OJS| -ODÓDUD D|S8p 8S

-sod sp IDJOLU O-uajjp o OPDJIJ 10.} 8UJ zoio DN •SIDLU 8 ODU SD\A/ 'Opunill 8|S8p SdlDULld O DJ8 8|8 SnbJOd SDS|O3 SDJS8 8JQOS (DJOLU OJ.I8JJP DL|Ulj OBlUJIUI O OdUJ8| LUn6|D 8|UDJnQ •Sn8Q LU8 80U8|J8d SOU 8HÒ 8 OSSOU 8 8nb O OPUD3!PUIAI8J 8 OpUDjqOD SOLUDJS8 OQN jOp

-uijiujjed D|S8 DÍ8J6) D snbjod :Duun sousdo 8 oj.sods8j v éo-opuosn D+S8 8|8 snb jod ODJ -U8 'DpDU 8p IDJOLU O||8Jlp O SIDLU IDSSOd ODU O ÍJ838|UOOD 8pOd ODU O|S| 'SOLUDU I SOU 'SDSOUILUDO8d SDAljDIDIUI 8 SOjSfOJd 8P ODÒ|SOdSlp D SO|U8|D| SH8S LUOO SDOSSSd SD 'SIDU8JDLU SU8Q SÓ 'DjSOB 8S 8flb Dl6j8U8 D

'opunm 8|ssp ojjsquip o SOLUSA opuono OSSOU 8p DUO|O D DJDd D|-DSn 8 DÒUDJ8L) DSSOU Dp SOU-JDUdOjdD 8 SOU-JDJSp -OdD

8pDpl|iqDSUOdS8J DSSOU 8 8 'DJJODO O|SI

8nb DJDd IDJOLU 8SDQ DLUIUJLU D 8+SIX8 ODU

snb soLUDpJoouoo snb QISJO jopjnsqo Lun 8 o|S| •oBiLuiui op jspod o qos opuio ODJSS 'DÓUDJ8L) JOd SOU D 8 IDJ OSSOU OD LUDÓU8J -J8d 8|U8LU|DJOLU 8nb DpUID 'Opnj 'SDOSSSd

'susq 'DiBjsue 'Dzsnbu opoi 'jopodjnsn op '..snbspuj,, op SODUJ sou ODJSS opuio sopiuj -IP8J 8 SDpOIJO SDSIOD SDJS8 SDpOj 'LU8JOd


O valente foi vencido, amarrado e despojado de seus bens, nada lhe pertence mais. Jesus Cristo, o Senhor, o desapropriou. Portanto, temos de entender que isto não tem base moral e, pela oração, pela fé, pelas armas espirituais, temos de tomar de volta o que pertence a nós e ao nosso Pai. Não podemos aceitar que o dinheiro facilite a expansão dos projetos do inferno através dos melhores comerciais da TV, de cigarros, bebidas ou sexo. O patrocínio do inferno é pesado, pois todo recurso que ele possui, ele o usa com este fim, mas isto está terminando. Creio que Deus está nos despertando para tomarmos posse da nossa herança. Creio que esta geração irá dizer como os valentes de Davi: "Vinde e tomemos a S/ao." (l Samuel5:5-10).

É hora de levantar-nos, subirmos e apoderar-nos dos montes ainda não conquistados. É nossa herança, é nosso direito, nós o temos por criação e por redenção. Agora é a nossa vez, Deus já fez a parte dele. Fica por nossa conta a parte da apropriação, pois Deus não poderá fazê-la por nós. ROBSON RODOVALHO - 292


É como Moisés que desafiou a geração do deserto para subir e espiar a terra porque ia toma-la (Números 13:17-20). Ele enviou doze espias escolhidos. Eram os melhores homens, eram príncipes em Israel. Foram, olharam, viram a grandeza da terra, seu fruto e toda riqueza que ela possuía. Ela manava leite e mel. Porém, dez homens olharam o tamanho dos gigantes, as muralhas das cidades e ficaram presos na impossibilidade, porque não confiaram em Deus. Josué e Calebe tinham outro coração e espírito (Deuteronômio l :36). Eles não tinham medo porque sabiam que Deus era com eles. Não tinham dúvida de que Deus entregaria em suas mãos toda aquela terra, seu povo, seus bens e que a possuiriam. Mas a velha geração disse: "Não podemos subir, pois maiores e móis altos do que nós são os nossos adversários." (Números 13:31).

Mas Josué e Calebe disseram: "Subamos, porque o Senhor no-los entregou nas mãos." (Números 13:30). BATALHA ESPIRITUAL - 293


A velha geração pensava na força de sua espada. Josué e Calebe pensavam na força do braço do Senhor. Passaram-se quarenta anos, toda aquela velha geração morreu, e Deus levantou outro povo. Os filhos daqueles homens que recuaram estavam na mesma posição que seus pais estiveram durante 40 anos, mas a resposta deles foi diferente. Em Josué 1:10-11, os encontramos dizendo: "Aonde nos enviarem, iremos; tudo o que nos ordenarem, faremos."

Era essa a disposição que Deus queria que seus pais tivessem. Este era o desafio de Seu coração. Deus queria disposição e obediência para aceitarem o Seu desafio para suas vidas. Eles obedeceram a Josué e possuíram a terra. Passaram pelo meio do rio Jordão, derrubaram as muralhas de Jericó, venceram os exércitos inimigos e se apropriaram da herança que Deus lhes tinha dado. Tomaram posse das promessas que, por muitas gerações, tinham recebido, porém não apropriado. ROBSON RODOVALHO - 294


Da mesma forma acontece hoje conosco. Creio que o caminho não mudou. Estamos de frente ao mesmo desafio. Como vamos responder? Como a velha geração? Iremos dizer: "Não podemos subir, pois maiores e mais altos são do que nós?" Ou diremos como a nova geração: "Aonde nos enviar iremos e tudo o que nos ordenar, faremos"? Que Deus nos dê a fé, a disposição e a obediência para respondermos como a nova geração fez e subirmos e possuirmos a herança que está nos aguardando em Deus. Há muito para a Igreja. Deus tem reservado grandes tesouros para que possamos mudar a nossa geração. Quando a Igreja possuir a sua herança, então tudo o que o nosso Deus e Pai nos deu, todos os recursos, todas as pessoas e todos os meios estarão à nossa disposição. Este é o desafio de Deus para nós e, em nome do Senhor Jesus Cristo, isto é o que a nossa geração fará! BATALHA ESPIRITUAL-295


CONCLUSテグ

BATALHA ESPIRITUAL - 297


"Então responderam a Josué, dizendo: Tudo quanto nos ordenaste faremos, e onde quer que nos enviares iremos." (Josué 1:16). "Ou qual é o rei que, indo à guerra a pelejar contra outro rei, não se assenta primeiro a tomar conselho sobre se com dez mil pode sair ao encontro do que vem contra ele com vinte mil?" (Lucas 14:31).

Nenhum exército, por maior e mais poderoso que seja, irá vencer se não for organizado e disciplinado. A igreja tem perdido batalhas por achar que só basta ser espiritual, que não precisa de bases para esta guerra. No texto acima, vemos que o povo de Israel entendeu bem a necessidade da hierarquia. Eles sabiam que na guerra é preciso confiar na legitimidade daqueles que nos comandam, saber que os líderes nos dão ordens com o conhecimento de Deus. BATALHA ESPIRITUAL - 299


Não se guerreia para morrer, mas para vencer e viver, e para tal é necessário saber que o medo e o excesso de confiança fazem com que o guerreiro não tenha êxito na libertação. Guerreamos por fé e não por emoções, pois na guerra precisamos aprender a controlar nossas emoções para usarmos bem nossas armas. Mesmo o melhor guerreiro precisa de treinamento específico quando vai guerrear numa área diferente daquela habitual, bem como saber quando terá necessidade de usar uma arma específica para aquele inimigo. É muito importante conhecermos o terreno onde se dará o confronto, pois senão qualquer "riacho" irá nos afogar. Um dos pontos em que temos falhado é quando saímos para a guerra sem um planejamento prévio. A Bíblia nos diz que sem planejamento é loucura guerrear. Nunca fazemos um ataque sem segurança da retaguarda. Sem cobertura de orações, não conseguiremos nada. Prepare-se, posicione-se, porque... "A seara é grande, mas os trabalhadores são poucos." (Mateus 9:37).


ANEXOS

BATALHA ESPIRITUAL-301


ANEXO 1 Dúvidas Principais

1) Como uma pessoa pode ficar sob a influência de demónios? R.: Por legalidades, pecados, brechas, maldições hereditárias, envolvimento com o ocultismo etc. 2) Como alguém pode saber se é possuído por um demónio? R.: Quando a pessoa percebe que age de forma contrária à sua natureza e diferente da sua personalidade, às vezes até com seu comportamento, causando estranheza a si mesma e a outras pessoas. 3) Quem pode expulsar demónios? R.: Todo cristão verdadeiramente nascido de novo. Jesus instruiu os doze em Mateus 10:8: "Curai enfermos, ressuscitai mortos, purificai leprosos, expeli demónios, de graça recebestes de graça dai". Em Marcos 16:17, ele disse: "E estes sinais seguirão aos que BATALHA ESPIRITUAL - 303


crerem: Em meu nome expulsarão os demôn/os...". Porém, deve certificar-se de que não há brechas em sua vida e que mantém uma íntima comunhão com o Senhor. 4) Pode um cristão ficar possesso por um demónio? R.: Não acredito que isso possa acontecer com um cristão nascido de novo, que ama o Senhor e faz a Sua vontade. 5) Onde, na Bíblia, encontramos que um cristão pode ter um demónio? R.: Não encontramos na Bíblia nenhuma referência clara a esse respeito. 6) Pode um demónio e o Espírito Santo habitarem na mesma pessoa, na mesma hora? R.: Quando Jesus entra, o diabo tem que sair. Não há como luz e trevas viverem juntas. 7) Como um cristão pode resistir às influências demoníacas que o cercam? R.: Tomando posição. "Sabemos que todo aquele que é nascido de Deus não peca; mas o que de Deus é gerado conserva-se a si mesmo, e o maligno não lhe toca." (} João 5:18). ROBSON RODOVALHO - 304


8) O que alguém pode fazer para não dar lugar ao diabo? R.: Primeiramente, reconhecendo que nada pode sem o Senhor Jesus e, segundo, estando totalmente rendido ao Senhor. 9) Existem demónios que causam doenças? R.: Sim. "...como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com virtude; o qual andou fazendo bem e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele." (Atos 10:38). 10) Se uma pessoa é liberta de um demónio que causava a doença, ela deve parar imediatamente com qualquer medicamento? R.: Mesmo após a libertação, algumas partes do corpo afetadas podem ainda continuar com alguns sintomas visíveis na carne. Porque, então, parar com os remédios, uma vez que eles podem ajudar nesse processo? 11) Existem demónios que causam perturbação emocional, ou tais problemas são meramente psicológicos? R.: Sim, existem. "Porque Deus não nos tem dado espírito de medo, mas de poder, BATALHA ESPIRITUAL-305


de amor e moderação" (2 Timóteo 1:7). Este sentimento de medo tem paralisado muitas pessoas, impedindo-as de caminhar e crescer em todas as áreas da vida. 12) Existem demónios que podem vir até nós por meio de nossos antepassados? R.: Sim, existem anomalias físicas causadas por má combinação de genes ou doenças espirituais e emocionais recebidas por herança. 13) Poderia existir algo como "demónio dormente" que não se manifesta até um determinado tempo na vida de uma pessoa? R.: Sim, alguns ficam dormentes até que o Espírito Santo traga luz e, assim, as trevas sejam manifestas e expulsas. 14) Alguns demónios são mais fortes que outros? R.: A Bíblia ensina que alguns têm mais autoridade que outros. "Porque a nossa luta não é contra carne nem sangue, mas contra os principados e potestades, contra os dominadores deste mundo tenebroso, contra as forças espirituais do mal nas regiões celestes" (Efésios6:12). ROBSON RODOVALHO - 306


15) Por que os demónios precisam sair quando um cristão lhes dá a ordem? R.: Porque os cristãos têm autoridade exercida pelo nome de Jesus. 16) Pessoas inexperientes podem tentar praticar o ministério de libertação? R.: É aconselhável que a pessoa passe por um período de observação e aprendizado. 17) Qualquer cristão pode expulsar demónios de outros, mesmo antes de serem batizados no Espírito Santo? R.: O expelir demónios não está restrito a poucos, mas aberto a todos os que têm vida ativa no corpo de Cristo e que estejam em comunhão com o Senhor. 18) O jejum é necessário para que haja uma libertação bem sucedida? R.: Não é necessário, mas em algumas situações ele pode ser muito importante, como forma de preparo, "...e nada vos será impossível, mas esta casta não se expele senão por meio da oração e jejum" (Mateus 17:20,21). 19) Os cristãos têm autoridade para enviar os demónios para o abismo ou inferno? BATALHA ESPIRITUAL-307


R.: Nenhuma passagem na Bíblia nos orienta a enviar demónios ao inferno. Na passagem do gadareno, os demónios pediram para entrar numa manada de porcos (Mateus 8:31). 20) É necessário gastar horas tentando libertar uma pessoa de demónios? R.: Não é necessário, porém, pode acontecer por falia de experiência em lidar com a astúcia de alguns deles, ou porque a pessoa endemoninhada não deseja a libertação de fato, ou pela falta de preparo do obreiro. Enfim, inúmeras questões podem existir. 21) Os demónios são sempre expelidos pela boca? R.: Não. Geralmente saem pela boca os demónios que agem diretamente nas emoções ou ligados a sentimentos como raiva, amargura, medo etc. 22) Se um cristão for liberto, existe alguma garantia de que o demónio não retornará? R.: A garantia é o fechamento das brechas, "...vai e não peques mais" (João 8:11). 23) O ministério de libertação não magnifica o diabo ao invés de Jesus Cristo?


R.: Não, o nome de Jesus é glorificado porque todos irão saber que é só pelo nome Dele que os demónios obedecem. 24) Por que culpar os demónios pelas obras da carne? R.: As tentações da carne são diferentes das opressões de demónios, mas as pessoas que tiverem dificuldades em vencer a carne, devem suspeitar que podem estar influenciadas por atividades demoníacas. A solução para vencer a carne é: "Andai no Espírito e jamais satisfareis a concupiscência ou desejo da carne" (Gaiatas 5:16).

BATALHA ESPIRITUAL-309


ANEXO 2 ANALISANDO SONHOS E PESADELOS

Frequentemente, sonhos e pesadelos podem afligir algumas pessoas que se encontram em fragilidade espiritual ou emocional. Observe a classificação feita no quadro abaixo e a utilize no momento da libertação, para que a pessoa afligida possa renunciara demónio que atuou por intermédio do sonho ou pesadelo. Perceba que os sonhos nem sempre são indicativos da presença ou atuação maligna de demónio que, muitas vezes, atua na vida da pessoa.

Sonhos/Pesadelos Sendo perseguido por alguém

Representação

Sonhos/ Pesadelos

Representação

Tortura

Parentes mortos

Espíritos familiares

Correntes arrastando Homem de capa

Maldições hereditárias, espíritos familiares Capa preta, espírito de morte

Aranhas

lansã, tramas, ciladas

Pantera, Tigre

lansã

BATALHA ESPIRITUAL-311


Cavalo marinho Cachorro, Lobo Lagarto (cinza, mancha vermelha) Lesma, Ameba Gato Macaco Sapo Bichos Cobras e Serpentes Praticando sexo ilícito

Crianças Precipício, caindo

SaintEspírito de des-Germain, Acidentes truição, espírito Oxossi (na de morte umbanda) Falsa proAlguém fecia, falso vem ma- espírito de morte mestre, faltá-lo sos pastores Ogum Homossexualismo, Amoram, Minotauro Asilon (bronquite) Belzebu

Morrendo

espírito de morte

Cemitério

espírito de morte

Mulher negra Homem negro

Vudu, esMulher pírito de azul morte Demónios Água diversos Santos do Área de sexo impu- sincretisro, pomba mo religiogira so Área de sexo impuPadre ro, pomba gira Gordo Exus mirins, com rouCosme e pas orienDamião tais Espírito destruidor, Voando roubador

ROBSON RODOVALHO - 312

Preta velha Preto velho lemanjá lemanjá Demónios conforme o sincretismo Nosferatus, contendas

Bonzo, Buda Viagem astral, encantamento


ANEXO 3 VERSÍCULOS PARA GUERRA

"Ou pode alguém entrar na casa do valente e roubar-lhe os bens sem primeiro amarrá-lo? E então lhe saqueará a casa." Mateus 12:29. "Então o Senhor fez chover enxofre e fogo da parte do Senhor sobre Sodoma e Gomorra." Génesis 19:24. "O Senhor é homem de guerra, Senhor é o seu nome." Êxodo 15:3. "Pisarás o leão e a áspide, calçaras aos pés o leãozinho e a serpente" Salmos 91:13. "Fazes a teus anjos ventos e a teus ministros labaredas de fogo." Salmos 104:4. "Bendito seja o Senhor, rocha minha, que me adestra as mãos para a batalha, e os dedos para a guerra." Salmos 144:1. BATALHA ESPIRITUAL-313


"O Espírito do Senhor Deus está sobre m/m, porque o Senhor me ungiu para pregar boas novas aos quebrantados, enviou-me a curar os quebrantados de coração, a proclamar libertação aos cativos, a por em liberdade os algemados, e apregoar o ano aceitável do Senhor e o dia da vingança do nosso Deus, e a consolar todos os que choram." Isaías 61:1 e 2. "Ou pode alguém entrar na casa do valente e roubar-lhe os bem sem primeiro amarrá-lo? E então lhe saqueará a casa." Mateus 12:29. "Jesus, aproximando-se, falou-lhes, dizendo: toda autoridade me foi dada no céu e na terra." Mateus 28:18. "Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome expelirão demónios, falarão novas línguas, pegarão em serpentes, e, se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal, se impuserem as mãos sobre os enfermos, eles ficarão curados." Marcos 16:17-18. "Em verdade, em verdade vos digo que aquele que crê em m/m fará também as ROBSON RODOVALHO - 314


obras que eu faço e oufras maiores fará, porque eu vou para junto do Pai. E tudo quanto pedirdes em meu nome, isto farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho." João 14:12-13. "Porque as armas da nossa milícia não são carnais e, sim, poderosas em Deus, para destruir fortalezas, anulando sofismas e toda altivez que se levante contra o conhecimento de Deus, levando cativo todo o pensamento à obediência de Cristo." 2 Coríntios 10:4-5. "E, despojando os principados e as potestades, publicamente os expôs ao desprezo triunfando deles na cruz." Colossenses 2:15.

BATALHA ESPIRITUAL-315


ANEXO 4 DIAGNÓSTICO PRELIMINAR DE ACOMPANHAMENTO ESPIRITUAL

Nome completo: Data de Nascimento: Naturalidade: Filiação: Quantos irmãos: (_ Nomes:

Sua situação entre os irmãos: ( ) primogénito ( ) caçula Descreva como com seus pais:

(

) outro:

é seu relacionamento

Descreva como é seu relacionamento com seu cônjuge e filhos:

BATALHA ESPIRITUAL-317


Acontecimentos ligados à área Sexual Quando criança (citar o acontecimento):

Com quem aconteceu: Tinha relação de parentesco: ( ) sim ( ) não Grau de parentesco: _ Se foi sozinho, como foi a 1a. relação sexual: Hábitos ligadas à área sexual que ainda acontecem: Envolvimentos com homens/mulheres. Relacione o nome de cada um(a) e desligue o vínculo com ele(a):

Tem hábito de masturbação e fornicação? Renunciar e colocar o sangue de Jesus.

ROBSON RODOVALHO - 318


Acontecimentos ligados à áreafinanceiraMamon Falência: Como começou (citar o nome completo da pessoa): Roubo - diga o nome da pessoa que foi vítima, peça perdão e desligue:

Acontecimentos ligados a vícios em geral Tem algum envolvimento com vício? Qual? Qual a frequência e o grau do envolvimento?

Traumas que influenciaram ou influenciam sua vida Relacionado ao: ( ) seu parto ( ) infância ( ) medo ( ) gestação ( ) perdão não liberado Descreva-os:

BATALHA ESPIRITUAL-319


Acontecimentos ligados a envolvimento com seitas e religiões

Já teve algum envolvimento com práticas religiosas? Cite quais: Que tipo de envolvimento? Já teve algum envolvimento com práticas de seitas? Cite quais: Que tipo de envolvimento?

ROBSON RODOVALHO - 320


REFERENCIAS BIBLIOGRÁFICAS

ANTUNES, lone de Morais. Conhecendo para Guerrear. Ed. Renascer, 2001. ARAÚJO, Sirlene. Seminário de Batalha Espiritual - Fundamentos e Estratégias. Jornada, 1997. BROWN, Rebeca. Ele veio para libertar os cativos. Ed. Editorial, 1992. BUBECK, Mark I. Vencendo o adversário. Ed. Vida Nova, 1993. COELHO, Jonas; COELHO, Vera. Seminário de Batalha Espiritual. SNTSobradinho/DF, s/data. ITIOKA, Neuza. A Igreja e a Batalha Espiritual Você em guerra. Ed. Sepal, 1994. ITIOKA, Neuza. Apostila do Curso Intensivo de Libertadores II. s/data. BATALHA ESPIRITUAL-321


WAGNER, C. Peter. Oração de guerra. Ed. Unilit, 1992. WAGNER, C. Peter. Derrubando as Fortalezas. Ed. Unilit, 1995. WAGNER, C. Peter; PENNOYER, Douglas. As lutas contra os anjos do mal. Ed. Unilit, 1996. MINISTÉRIO SARA NOSSA TERRA. Núcleo de Guerra Espiritual e Quebra de Maldições, s/data. MINISTÉRIO SARA NOSSA TERRA. Curso de Treinamento Avançado - Mod. 2. s/data. RIBEIRO, Ricardo. Seminário de Batalha Espiritual Nível Solo. SNT/Sobradinho -DF, 2010. ROBSON, James. Vencendo a guerra real. Ed. Abba, 1991. RODOVALHO, Robson. Quebrando as maldições hereditárias. Ed. Sara Brasil, 2007.

ROBSON RODOVALHO - 322


Biografia e Bibliografia de Robson Rodovalho

• Presidente e fundador do ministério Sara Nossa Terra; • Presidente e fundador da rede Génesis de televisão. Com geradora em Brasília e presente em quase todo território nacional; • Presidente da rede de rádio Sara Brasil FM, com 10 transmissoras nas principais cidades do país; • Presidente da Editora Sara Brasil; • Escritor e conferencista nacional e internacional; • Cantor, com vários CDS e DVDS gravados; • Ex- deputado federal pelo Distrito Federal; • Professor de Física, Colégio Estadual Pedro Gomes, Goiânia, GO, 1975; BATALHA ESPIRITUAL-323


• Professor de Cálculo Comercial, Serviço Nacional do Comércio — SENAC, Goiânia, GO, 1975; • Pastor-Presidente, Comunidade Evangélica de Goiânia, GO, desde 1976; • Professor de Matemática, Colégio Assis Chateaubriand, Goiânia, GO, 1977; • Professor Colaborador na Disciplina "Estágio Supervisionado de Física", Departamento de Física — Práticas Educacionais da Universidade Federal de Goiás — Goiânia, GO, 1980a 1983; • Professor Universitário de Física, Departamento de Física da Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, por um período de 15 anos; • Professor Assistente, Universidade Federal de Goiás, Goiânia, GO, de 1979 a 1991; • Diretor-Presidente, Instituto Bíblico Comunidade Evangélica de Goiânia, GO, de 1980 a 1999; • Diretor-Presidente, Editora Sara Brasil Ltda., desde 1998; • Diretor-Presidente, Fundação Sara Nossa Terra, Brasília, DF, desde 1992; • Editor Chefe, Jornal Sara Nossa Terra com Circulação Nacional, Brasília, DF, desde 1994; ROBSON RODOVALHO - 324


Apresentador e Produtor Executivo, Programa Nacional de televisão Sara Nossa Terra, desde 1994; Cantor premiado em 2010;

Estudos e Graus Universitários • Licenciatura em Física, Universidade Federal de Goiás,Goiânia, GO, 1979; • Bacharel em Teologia, Universidade Fundamentalista de São Paulo, São Paulo, SP, 1984; • Especialização em Fundamentos de Ressonância Nuclear Magnética, Universidade Federal de Goiás - CNPq, Goiânia, GO, 1980; • Graduado em Filosofia, Faculdade de Educação Teológica,Brasília, DF, 1996; • Bacharelado em Ciência de Saúde Natural, Faculdade The Clayton School Of Natural Healing (The American Holistic College Of Nutrition),Estados Unidos, 1998.

Seminários, Conferências e Congressos • Participante: l Seminário de Estudos Integrados, Tema "Abordagem Centralizada na Pessoa e Educação"; BATALHA ESPIRITUAL-325


• Fundação Projeto Rondon e Universidade Federal de Goiás, 24a 25 de Abril de 1980; • l Seminário sobre Licenciatura da UFG, Goiânia, GO, de 23 a25 de junho de 1980; • VIII Conferência Pastoral, Caseta, Itália, 1994; • International Covenant Ministries, Atlanta, USA, 2004; • Preletor: Das conferências "Quebrando as Maldições Hereditárias", que ocorrem anualmente em Brasília; • Conferências de Líderes em São Paulo, Curitiba, Rio deJaneiro, Brasília e todo Brasil; • Conferência "Líderes que Transformam", Brasília, DF, Junho de 2006; • Conferência Regional da Sara Nossa Terra, Atlanta, USA, Outubro de 2006; • Organizador e Preletor: do Seminário "A Dieta de um Sábio" — Saúde Total emBrasília, São Paulo e Rio de Janeiro, 1999; • Seminário "Por um Brasil melhor", Seminário para Empresários e Profissionais Liberais em Brasília, DF, 1998; • Conferencista no "National Prayer Breakfast Seminar", Washington, USA, 2000; • Organizador e Conferencista das Celebrações de Verão e Inverno, Brasília, DF, desde 1992. ROBSON RODOVALHO - 326


Mandatos Eletivos • Deputado Federal, 2007-2011, DF, peloPFL. Atividades Parlamentares • Câmara dos Deputados: Comissões Permanentes • Constituição e Justiça e de Cidadania: Suplente, 28/2/2008; • Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável: Titular, 14/2/2007-6/2/2008,4/3/2008; • Minas e Energia: Suplente, 14/2/20076/2/2008; • Constituição e Justiça e de Cidadania: 2° vice-presidente; Conselhos • Conselheiro da Companhia Urbaniza da Nova Capital do Brasil, Novacap, 2002 a 2006; Vice-presidente; • Conselho de Pastores Evangélicos do DF, COPEV/DF; Vice-presidente; • Conselho de Pastores e Igrejas do DF, CIPE/DF; Vice-presidente; • Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil, CIMEB.

BATALHA ESPIRITUAL - 327


Condecorações • Membro da Academia Internacional da Cultura, concedido pela Academia Internacional de Cultura — AIC, Brasília, DF, 1997; • Honra ao Mérito — Medalha Comemorativa dos 500 anos do Descobrimento do Brasil, concedida pelo Instituto Internacional de Incentivo às Ciências e à Cultura em 1998; • Medalha de Honra ao Mérito ao Pioneiro de Brasília,concedido pelo Clube de Pioneiros de Brasília, em 1998; • Cidadão Honorário de Brasília, concedido pela Câmara Legislativa do Distrito Federal, em 1998; • "Doutor Honoris Causa" em Filosofia, concedido pela Federação Nacional dos Teólogos e Filósofos do Brasil, em 2000; • Comendador da Ordem do Mérito Cultural — "CarlosGomes", concedido pela Sociedade Brasileira de Artes, Cultura e Ensino de Campinas, SP, em 2000; • Personalidade Brasileira dos 500 anos em 2001, concedida pelo Centro de Integração Cultural e Empresarial do Estado de São Paulo, em2001; • Personalidade Evangélica, concedido pela Editora Verbete do Rio de Janeiro, RJ, em 2001; ROBSON RODOVALHO - 328


Cidadão do Mundo pela Paz, concedido pela Academia Internacional de Cultura - AIC, Brasília, DF, em 2001; Cidadão Honorário de Belo Horizonte, MG, concedido pela Câmara Municipal de Belo Horizonte, MG, em 2002; Título de Comendador, concedido pela Ordem do Mérito Brasília, DF em 2002; Medalha Tiradentes concedida pela Assembleia Legislativa do Estado do Rio de Janeiro em 2002; Cidadão Honorário de Itajubá MG, concedido pela Câmara Municipal de Itajubá, MG, em 2003; Moção de Aplausos concedida pela Câmara de Vereadores de Piracicaba, São Paulo pela criação do FENASP, em 2003; Moção de Congratulações, concedida pela Câmara Municipal de Dourados, MS, em 2003; Condecoração de Distinção pelo Conselho da Ordem do Mérito Judiciário Militar, Brasília, DF em 2004; Prémio Destaque Nacional, da Frente Parlamentar Evangélica,concedido pela Frente Parlamentar Evangélica, Brasília, DF em 2004; Título de Cidadão Honorário de Maceió, concedido pela Câmara de Vereadores de Maceió, AL, em 2005; BATALHA ESPIRITUAL - 329


• Título de Distinção da Ordem, concedido pelo Superior Tribunal Militar, Brasília, DF em 2005; • Prémio "Top of Mind", Brasília, DF em 2005; • Patrono do curso de Administração e Letras da Faculdade Evangélica, Brasília, DF em 2009; • Certificado de Moção de Louvor dado aos relevantes serviços prestados, ao estado de Israel, concedido pelo Embaixador de Israel Giora Becher, Brasília, DF em 2011; • Prémio Quality Social, Brasília, DF em 2011; • Diploma de Deferência Policial Federal, em razão do mérito daqueles que fazem e fizeram pelo Policial Federal e pela Polícia Federal com aprovação dos Conselhos de Honrarias e Méritos, Brasília, DF em 2011. É Autor de diversas obras, entre elas: • 21 Leis para Ser Competente; • A Arte da Liderança; • A Beleza de Cristo e o Caráter do Cristão; • A Nova Ordem Mundial; • A Oração de um Intercessor; • Alimento Diário; • Anatomia do Milagre; ROBSON RODOVALHO - 330


• As Portas da Alma; • Assentando-se Entre os Príncipes; • Avivamento hoje (O Desafio de uma Geração); Bênçãos ou Maldições; Bíblia, Verdade ou Ficção; Brasil Antes que Seja Tarde; • Conhecendo a Glória de Deus; • Construindo Sistemas que Vencem; • De Onde Vem a Sua Força?; • Destruindo Gigantes; • Deus ou Darwin; • Do Princípio ao Fim; • Edificando a Casa de Deus; • Ensina-nos a Andar em seus Caminhos; • Favor ou Competência ; • Formando Líderes Irrepreensíveis; • Formando Líderes Vencedores; • Gotas de Sabedoria; • Igreja Vencedora; • Maximizando Sua Existência; • Meditações 1; • Menos Trabalho, Mais Resultado; • O Bom Samaritano; • O Caminho do Sucesso; • O Elo Perdido; • O Líder que Faz a Diferença; • O Milagre Aconteceu; BATALHA ESPIRITUAL-331


• • • • • • • • • • • • • • • • • • • • •

O Propósito de Deus e a Família Cristã; Os l O Mandamentos Para Vencer na Vida; Olhos da Alma; Pode um Cristão entrar em Maldição?; Porque Não Somos Católicos?; Porque Não Somos Espíritas?; Porque Sofremos?; Por Trás das Bênçãos e Maldições; Quando seus Problemas irão acabar?; Quebrando as Maldições hereditárias; Regendo a História da Nossa Geração; Seguindo a Inspiração de Deus; Senhor, ajuda-me a Crer; Sociedade, Política e a Igreja; Sonhos e Destinos; Sua Vida, Sua Família, Seu Propósito; Terminar Bem é Melhor que Começar Bem; Vencendo as Crises da Vida; Vencendo Conflitos; Vencendo a Obesidade; Você Nasceu Para Reinar.

ROBSON RODOVALHO - 332


Sara Brasil Edições e Produções PEDIDOS PELOTELEVENDAS (61) 3535-9000 | 3035-9044 | 3035-9049

WWW.SARABRASIL.COM.BR


saq ap sjed OES 3 E||isE.ig aia UJEJOUU ou,|EAopoy epnn Esodsa sns a 3|3 -sjEd o EJEd SBIUEABJBJ ia| ap so}aícud OPUEUD 'OIQZ E Z.OOZ aJ^ua (EJapaj opEindag OUUOD non}E oq|EAOpoy uosqoy •ods|g OUUOD En}E uuaquuE^ apuo 'EJJBI ESSO|\| EJES a E3|;]|0d a |epos OED\/ ap |EUOpE|\| ODI|aãUEA3 LUnJOJ '|/\|J

apay :sE3!;sEjsap3 a SjEpos sagbEzmEãjo ssp a^uapjsajj 3 •snag ap EJAE|Ed EU sopjluoD ap sua§Esuauj opuEAaj 'sagjãaj SEUEA uua sspuaja-juoD EZj|Eay •SEOssad ap sajELmuu Ejsd aiuaujEUEjp opiijuusuEJ} a anb s!)UEjads3 LJUOD EPJA oEsmaiai a OJPEJ ap EUJEjSojd o E^uasajd\/ •Epuaiaduuo3 no JOAEJ lo^sodojd nas 'E!|]UJEJ sns 'EPIA Ens .'SEuçijpajaH sao5jp|E|/\| SE opuEjqant) 'sa|a aj^ua 'SOJAJJ ap SEuazap ap jo^n\/ 'Ejãoioai uua |3JEipEg ujaqujEi 3 •jEapn|\| ED!iau§Ei/\| Epusuossay ma OEDEZj|Epadsa LJUOD 'EDJSJJ ap jossapjd 3 OL||EAopoy uosqoy


As novas da rebelião de Heylel chegaram na mesma velocidade de sua queda. Parecia inimaginável pensar que um ser que possuía tudo o que todos os demais anjos e Arcanjos almejavam abrisse mão por "nada". Em meio ao rolo de fogo e trevas que se estendia, não conseguíamos ver a face de Heylel. Apenas ouvíamos os demais anjos fiéis ao Altíssimo dizerem: "Seja expulso daqui, você e todos que contigo se amotinaram. A partir de agora o inferno e as trevas serão sua morada! Leve contigo todas as pedras e todos os presentes que você reuniu. Sua morada será nestas trevas a partir de agora, e o tormento será seu habitat", bradava Miguel com sua voz firme e segura. E arrematou: "Seu nome de agora em diante será Satanás e demónio, pela sua natureza de atormentador e perturbador que deixaste entrar em sua alma". Trecho Batalha Espiritual

B A T A L H AT

Sara Brasil


Batalha espiritual rodovalho