Issuu on Google+

Distribuição Gratuita

Ano 6 / Edição nº 34 / 2013

CASA COR 2013 E

SIG BERGAMIN

O ARQUITETO DA NOSSA REGIÃO GESSO ACARTONADO I REVESTIMENTO HD I PROJETO DE ILUMINAÇÃO

1


2


3


4


5


“QUE NÃO É O QUE NÃO PODE SER QUE...”

D

Titãs

o mesmo modo como é impressionante ver os números que as feiras do setor da construção civil movimentam todo ano, é gratificante ver como os empresários da nossa região participam ativamente delas. Não só como expositores, mas como visitantes, nossos conterrâneos estiveram lá, sempre no intuito de se atualizarem e trazer à nossa região o que há de mais recente em lançamentos e tecnologia. Fazem e fizeram bonito, e a coluna de Ilda Vilela, que inauguramos com muita satisfação, mostra um pouco dos inúmeros amigos presentes na FEICON e REVESTIR. E, para quem achava que gesso é sinônimo só de forro, a coluna ESTRUTURA traz seus diversos usos, de fechamentos internos à áreas externas e expostas ao tempo. Depende sempre do projeto, claro, assim como a iluminação de uma casa, sempre iniciada com um arquiteto. Isso pode ser mostrado melhor em PAPO DE OBRA, onde especialistas no setor de iluminação mostram que é possível modificar ambientes através de recursos simples, mexendo somente com a luz. Mercado imobiliário em alta, um projeto da doce arquiteta Danielle Fazini, novos lançamentos em revestimentos, dicas do SEBRAE para o sucesso das empresas e prêmio Pritzker de arquitetura, são algumas matérias que nos informam e estimulam. Já a entrevista com Sig Bergamin precisaria de uma edição inteira! Nada é o que parece ser, nesta entrevista em que o arquiteto revela pouco, do grande trabalho que desenvolve , desde que saiu da vizinha Mirassol. Não se enganem: lacônico e aparentemente simplista, Sig esconde o grande e talentoso profissional que é. Boa leitura

Denise Farina Diretora Editorial

denisefarina@obrasedicas.com.br

Maio - Junho / 2013 Nº 34 - Ano 6

Diretor-Geral: Donizeti Batista Diretora Editorial: Arquiteta Denise Farina Executivo de Vendas: Rodrigo Rocha Jornalistas responsáveis: Stella Coeli – Mtb: 61.460 Foto: Tuca Reinés Carol Soler – Mtb: 32.583 Local: São Paulo Editor de Arte/Diagramação: Marcelo Arede Estágiaria: Ester Paula Aquiteto: Sig Bergamin Sugestões: redacao@obrasedicas.com.br Had Captações e Propaganda Ltda-ME 17 3033-3030 - 3353-2556 revistaobrasedicas@hotmail.com contato@obrasedicas.com.br www.obrasedicas.com.br revistaobras&dicas Distribuição Gratuita. Dirigida a profissionais da área e obras de S. J. do Rio Preto e região.

6


7


8


9


ESTRUTURA

A FLEXIBILIDADE DO

GESSO ACARTONADO

G

esso acartonado é uma placa produzida industrialmente com rigoroso controle de qualidade, pronta para o uso na obra. Produzida a partir do gesso e do papel cartão, possui resistência à compressão e à maleabilidade, oferecendo também praticidade, rapidez e versatilidade na elaboração e execução dos projetos, além de proporcionar poucos resíduos ao final da instalação. Suas características permitem uma grande diversidade de usos e um ótimo resultado estético; há superfícies lisas e texturizadas, as emendas são homogêneas e permitem um bom acabamento.

Onde pode ser utilizado?

O gesso acartonado vem sendo muito utilizado pelos profissionais da construção civil, arquitetura e interiores, sendo seu usos mais comuns, a substituição das paredes de alvenaria, a criação de panéis e paredes divisórias, forros rebaixados e sancas e até fabricação de móveis.

Quais as vantagens de uso?

O gesso acartonado traz muitas vantagens tanto para construir, reformar, como para decorar: E em alguns casos é possível reduzir o custo da obra ao utilizá-lo, pois é um material leve, rápido e fácil de ser instalado, adaptável a diversos tipos estrutura como aço, concreto ou madeira; além de permitir a redução de cargas nas fundações e estruturas, quando utilizado como paredes e forros.

E quanto à resistência?

Resistente, o gesso acartonado permite instalações elétricas, hidráulicas e de telefone no interior das paredes, além de isolantes térmicos e acústicos, e a sua superficie externa pode receber a instalação de televisores, prateleiras e outros objetos em sua superfície.

Como pode ser o acabamento?

Além de possibilitar a criação e execução de projetos ousados, o gesso acartonado aceita sobre sua superfície outros materiais de revestimento como cerâmica, pastilha de vidro, papel de parede, tecidos, tinta acrílica, tinta PVA e texturas. 10


PROTEJA SEU PATRIMÔNIO: PROLONGUE A VIDA ÚTIL DOS SEUS EQUIPAMENTOS.

Filtros de Entrada Olavo e Pedro Quirino proprietários da Quirino Gesso

Escolha o modelo conforme a necessidade de uso É possível encontrar placas de gesso acartonado em diferentes tamanhos e espessuras, que atendem às diferentes necessidades de uso. Chapa Standard - ST (cor cinza) Para uso geral, utilizada em paredes, tetos e revestimentos de áreas secas. (Indicada para ambientes internos, não deve ficar exposta ao relento e ação do tempo). Chapa Resistente à Umidade - RU (cor verde) Utilizada em áreas molhadas, como banheiros, cozinhas, áreas de serviços e lavanderias. (As chapas de gesso apresentam silicone na composição, o que trará maior resistência à umidade. Mas as chapas não podem entrar em contato com a água, pois infiltrações danificarão o gesso). Chapa Resistente ao Fogo - RF (cor rosa) Utilizada em saídas de emergência e em áreas enclausuradas, como escadas e corredores. (O gesso é um material que naturalmente resiste ao fogo e para garantir mais eficiência, as chapas RF apresentam na composição retardantes de chama).

• Retêm sedimentos, lodo, limo, grãos de areia e resíduos de encanamentos, evitando entupimento das tubulações, corrosão em máquinas e equipamentos, amarelicimento em tecido, papéis e outros, aumentando a vida útil das maquinas de lavar roupas, maquinas de lavar louças, chuveiros, etc. • Indicados para indústrias, hotéis, lavanderias, residências, condomínios, bares, restaurantes, escolas...

Parcele em até 60 meses no Construcard. Excelentes condições de pagamento.

Chapa para Áreas Externas Chapa Cimentícia Externa. (A junção das placas deve ser feita com material compatível, isto é, que seja resistente à umidade e à chuva. Desta forma, nunca utilizar juntas de uso interno para áreas externas). Chapa Flexível Para obter superfícies curvas. Chapa Perfurada Para absorção acústica. Fonte: Quirino Gesso Pedro Marcos Quirino Dias – sócio proprietário

Europa São José Do Rio Preto Vendas e Assistência Técnica Tel.: (17)

4009-3850

europasjrp@terra.com.br

Atenção: não nos responsabilizamos por eventuais danos que possam ser causados por peças não originais de fábrica que sejam utilizadas nos produtos. Para a sua segurança consulte sempre um Distribuidor Autorizado Europa através do site www.europa.com.br

11


12


13


PAPO DE OBRA

MEU PROJETO DE ILUMINAÇÃO

O

projeto de iluminação valoriza todo o espaço criado pelo arquiteto. Além disso, atua diretamente no humor e no comportamento das pessoas. Uma boa iluminação é indispensável para uma boa qualidade de vida.

Iluminar é como vestir o ambiente, é dotar de valorização todo o seu projeto arquitetônico. “Somente com a iluminação você valoriza toda a arquitetura, todo o paisagismo, todo o espaço que foi criado e pensado com o maior carinho pelo profissional e idealizado pelo futuro morador. Mas, não se restringe somente à valorização, mas também em conservação de energia e não gera gastos extras na obra depois de acabada devido ao quebra-quebra por conta de pontos mal colocados ou, propriamente, a ausência deles”, explica Carla Cocenza, Gerente Comercial Via Light Iluminação. A empresária da NR Iluminação, Rosane Cattozatto, explica que o projeto de iluminação tem duas funções básicas: oferecer conforto visual e valorizar a decoração, assim como sua arquitetura. “Sua importância quanto ao primeiro garante o melhor uso das áreas da residência, ou seja, cada ambiente, como por exemplo a cozinha, receberá a iluminação que lhe convém (intensa e fria no fogão e pia, quente e de foco para a mesa de refeições). Já o closet deve ter uma iluminação que não modifique as cores das roupas e que não aqueça o ambiente que normalmente não possui janela. Já o segundo, além de valorizar o projeto, valoriza também detalhes e peças que o cliente possui e que o caracteriza”, afirma. Tudo começa com o arquiteto. É ele quem faz o projeto de iluminação. Depois, é preciso procurar um profissional qualificado que entenda do assunto. Em São José do Rio Preto existem diversas empresas do segmento, com equipes competentes e qualificadas. “Sempre orientamos o cliente leigo a buscar informação. Somente com informação o cliente é capaz de distinguir um produto bom de um regular, uma iluminação que visa qualidade, de uma iluminação que visa ou proporciona acuidade visual”, comenta Cocenza. De acordo com Cattozatto, um projeto normalmente não determina as peças e, sim, o local e tipo de iluminação adequados. “Mas aconselho a ter o acompanhamento do arquiteto também na escolha das peças para não destoar do idealizado”, explica. Influência direta

14

A iluminação é tão importante que pode influenciar, inclusive, na qualidade de vida das pessoas e até mesmo arruinar vendas em lojas. “Algumas pessoas tendem a desejar muita claridade e pedem luz branca. Na verdade, a luz branca fria oferece uma falsa ideia de claridade e seu uso indiscriminado torna o ambiente desagradável, principalmente para longos períodos. Você já não teve vontade de sair de uma loja, pois se sentia incomodada? As luzes de cores mais quentes já permitem um maior conforto quanto à permanência no espaço”, explica Cattozatto. O conforto visual e o jogo de luz e sombra O conforto visual é a qualidade com que a luz é transmitida e sentida no ambiente. Para isso existem técnicas que são aplicadas e projetadas para não agredir os olhos com ofuscamentos diretos, com abundância ou ausência de luz. “Quando o projeto é desenvolvido por profissionais qualificados, agrega-se uma qualidade onde o objetivo é provocar em alguns ambientes, sensações, pois tal resposta emocional é sentida pelo observador”, explica Carla Cosenza. Mas, é inevitável: quando se cria a luz, também se cria a sombra. E minimizá-las, muitas vezes, torna-se necessário. A iluminação indireta é uma das maneiras de se conseguir isso, rebatendo a luz em uma parede ou no teto, ou também utilizando fontes de luz naturalmente difusas, como luminárias de mesa e arandelas. Carla Cosenza explica que a interferência deste jogo é grande e, por meio dele, é também possível evidenciar móveis, paredes, texturas, cores. “Com o contraste proporcionado por este jogo de luz e sombra, cria-se um cenário incrível no qual o cliente vai poder desfrutar do ambiente com o maior conforto possível”, afirma. Mas, é preciso cuidado. Esse jogo pode, muitas vezes, incomodar. Isso pode acontecer por conta do uso mal projetado ou mal pensado. “Hoje é necessário um grau maior de conhecimento para ter sensibilidade suficiente para equilibrar o que se deseja iluminar e da maneira correta, evitando ofuscamentos diretos e contrastes ex-


cessivos. O ideal é procurar empresas com histórico e profissionais qualificados para melhor orientação”, comenta Cosenza. O contraste é sempre delicado de se tratar. São dois momentos: cada vez que o olho muda de uma área clara para uma escura, ou vice-versa, ele tem que se readaptar a nova situação. Se existe uma readaptação constante, isso causa uma espécie de fadiga visual. Porém, o contrário também é ruim. Ambientes com pouco contraste também são monótonos demais e ficam cansativos, chatos e tristes. O ideal nem precisa dizer, não é? Nada como o equilíbrio! Desenhando com a luz O lighting designer belga Koert Vermeulen, durante passagem pelo Brasil para participar do evento Phillips Lights On, revelou em entrevista ao site Living Design (www.livingdesign. net.br) que, ao iluminar espaços, cria-se um ambiente que influencia diretamente o comportamento das pessoas. “A luz é um grande transformador de humor. Se você entra numa sala mal iluminada, ela vai alterar seu humor instantaneamente, você vai se sentir estranho. Mas se você entra num quarto com uma iluminação agradável, vai se sentir bem. Então, a iluminação é um influenciador do humor por excelência. Depois que você sabe disso, pode aplicar esse conhecimento de várias maneiras. Escolas bem iluminadas têm melhor desempenho, e uma boa iluminação em hospitais realmente ajuda as pessoas porque quando elas se sentem melhor, saram mais rápido e liberam o leito para outros pacientes. Em escritórios é a mesma coisa: se você cria um bom ambiente, as pessoas não se estressam tanto, os funcionários não precisam forçar a visão e conseguem se concentrar melhor em suas tarefas, aumentando a produtividade. As pessoas não podem ser colocadas em ambientes ruins, que só possuam iluminação artificial, porque a luz do dia é a coisa mais importante, a artificial é apenas um complemento. Até poucos anos, os escritórios eram pensados como ambientes meramente funcionais. Pensava-se que os funcionários deviam ser eficientes ao máximo, e esquecia-se completamente do que um ser humano precisa para produzir”, explica. Com mais de 20 anos de experiência na área, Vermeulen já assinou projetos como a 15


Igreja Sainte Marie, um dos cartões postais de Bruxelas, e a iluminação de Natal da avenida Champs-Élysées, em Paris. Quando perguntado pelo site sobre a ordem de importância na iluminação de uma casa, o lighting designer explicou que cada caso é uma necessidade diferente. “Isso depende de quem vai utilizar a casa. Eu dou mais atenção ao quarto porque acho que é o espaço que mais utilizo, mas para outras pessoas pode ser a cozinha. Uma mulher com uma família grande, que se reúne em volta da cozinha, precisa de quatro níveis de iluminação diferentes. A diurna, que aproveita a luz natural; a social, para tomar um café com os amigos; um módulo de trabalho, porque ela precisa cozinhar para mais de dez pessoas; e um de iluminação baixa, para quando as crianças já tiverem ido dormir e ela quiser tomar um vinho enquanto lava as louças e termina as tarefas do dia. Para outras pessoas, pode ser a sala de estar. Então, como um lighting designer, você tem que entender como a pessoa vive para criar em cima disso”. Fontes: http://www.livingdesign.net.br/2012/12/koert-vermeulen-destaca-a-funcao-social-da-iluminacao.html http://www.tokstok.com.br/app?page=PaginaS implesMenu&service=page&ps=41,51292,51295

Koert Vermeulen, e sua participação na Amsterdam Light Festival Foto: Janus van den Eijnden 16

Como iluminar? A aplicação de cada tipo de lâmpada implica em ter um bom conhecimento sobre as propriedades de cada uma. São basicamente três tipos de lâmpadas utilizados em iluminação residencial: incandescentes, halógenas, fluorescentes, e LED´s. De baixo custo, as incandescentes são bem utilizadas. Porém, são antieconômicas, já que possuem alto consumo e vida útil reduzida. As halógenas são mais econômicas, menores e luz mais branca. É bastante utilizada em residências, para destacar objetos. A fluorescente é a preferida nas cozinhas e escritórios, onde é necessário maior quantidade de luz. Tem alta eficiência e é bem econômica, mas só se ficar acesa por longos períodos. Se for submetida a constantes “liga-desliga”, tem sua vida útil bastante reduzida. Já as lâmpadas de LED são mais modernas. Apresentam um baixo consumo de energia e uma vida longa. Cada vez mais os apelos ecológicos nos levam a substituir as lâmpadas incandecentes pelas de menor consumo, como as fluorescentes eletrônicas e atualmente as LED, que são a tecnologia de ponta. Essas lâmpadas merecem um capítulo a parte pela sua diversidade tanto no produto quanto no uso”, explica Rosane Cattozatto. A iluminação adquire importância imensurável a cada dia. Segundo Koert Vermeulen, durante entrevista à Living Design, tudo o que vemos é a luz refletida. “Estamos sempre cercados de cor”, garante. “Só vemos que uma parede é marrom porque a luz está refletindo essa cor no nosso olho. Então, toda luz é sempre influenciada e colorida pelos seus arredores. Se você anda numa floresta, a cor da luz vai ser diferente da que viu na neve. Nós estamos cercados por essas metáforas desde o início dos tempos. O Sol muda as cores todos os dias. Então, os humanos estão muito mais acostumados às mudanças de cores que aos ambientes monocromáticos e estáticos, é mais saudável. Agora que podemos controlar nosso ambiente, gostar de uma iluminação quente ou fria tem a ver com as preferências das pessoas e acho bom que seja assim. Isso depende de como é o ambiente social de cada um. O que mais importante em iluminação é ter uma boa consistência de cor e produtos de qualidade que garantam isso. Tenho que pensar em como o marrom da parede será reproduzido pela minha iluminação artificial. Poder ver as cores como elas realmente são é o mais importante”.


17


18


19


PAINEL DE NEGÓCIOS Fotos: Divulgação

EMPRESÁRIOS APOSTAM EM FEIRAS E PLANEJAM 2014

A

nualmente, ocorrem centenas e centenas de feiras, exposições e mostras por todo Brasil e o SEBRAE reconhece a importância desses eventos como uma forma genuína de oportunidades de negócios. Até dezembro de 2013 havera mais de 900 eventos; e o mais prestigiado na região noroeste foi a Feicon Batimat, que aconteceu recentemente e já está nos calendários de 2014 de empresários da região.

20

Para Renata P. Lima Girardi - Superintendente de Vendas da Ullian, as expectativas da Feicon foram as melhores possíveis e participar de feiras para ela é uma ótima estratégia de marketing: “além da oportunidade de proximidade com nossos clientes e o fechamento de novos negócios, também estabelecemos contato com todos os profissionais da área - engenheiros, arquitetos, construtores, instaladores – e com o publico consumidor”, afirma Renata. O Grupo Ullian vê a Feicon como um grande centro de inovações voltado para a construção. Por esta razão, ele sempre apresenta seus principais lançamentos e inovações através da participação na feira. Neste ano foi apresentado o mix completo de portas e janelas de alumínio da marca Lumini para todo o varejo e também estiveram em exposição a Lucasa Inova, primeira linha de esquadrias com sete anos de garantia, 100% fabricada em aço galvanizado, com pintura de acabamento e vidros que geram economia e qualidade na mão de obra, além de atender a norma ABNT NBR 10821, garante o grupo. A empresa Kelly Metais também esteve presente na Feicon e Keyla Polizello, gerente de MKT, garante que é uma forma de consolidar a marca nacional e internacionalmente e também uma estratégia de marketing da empresa. “Estar em Feiras é também uma maneira de aproximar nossos produtos de compradores e nosso departamento comercial dos clientes que já compram e os novos clientes. Todos ganham”, diz Keyla, que continua: “A empresa está sempre preocupada com as novas tendências do mercado e sempre traz lançamentos de novas linhas acompanhando a evolução do design e da tecnologia. Essas características propiciam perfeita harmonia com os demais elementos de decoração do ambiente, agregando valor estético, charme ao projeto e a satisfação do consumidor final”.


É sempre bom prestar atenção no relato de empresas de sucessos como a Kelly e a Ullian, garante o SEBRAE, pois suas opiniões são muito importantes para outros empresários. Além desta dicas o SEBRAE recomenda mais algumas. Veja no box se você se enquadra neste perfil.

1 - Capacidade de assumir riscos É a disposição de enfrentar desafios; saber enfrentar riscos é a característica numero um do empresário. 2 - Senso de oportunidade Enxergar oportunidades onde muitos só veem ameaças, eis a chave do sucesso. 3 - Liderança Delegar responsabilidades, valorizar o empregado, formar uma cultura na empresa para alcançar o objetivo principal - a satisfação dos clientes. 4 - Jogo de cintura Ser flexível. No processo de negociação todos devem ganhar. 5 - Persistência Definir e manter o direcionamento de suas energias rumo a uma visão de sucesso. 6 - Visão global da organização Visão global requer perfeito entrosamento com fornecedores e uma “política de boa vizinhança” com a comunidade. 7 - Atualização Aprender tudo que for relacionado com negócio: clientes, fornecedores, parceiros, concorrentes, colaboradores, etc. A convivência com outros empresários, o relato de suas experiências e opiniões, tudo isso importa. 8 - Organização Compreender que só se obtém resultados positivos com a aplicação dos recursos disponíveis de forma lógica, racional e organizada. 9 - Inovação Cultivar ideias novas; algumas fases de estudos, outras em vias de execução, são fundamentais para o empreendedor de sucesso. 10 - Disposição de trabalho Não basta simplesmente ser o dono. É preciso dedicação total. Brincar de ser empresário pode custar muito caro. Ser empreendedor é aceitar que o negócio faz parte de sua vida, é um jogo a se realizar. 21


22


23


PRAZER EM CONHECER

IGUALZINHO AO NATURAL A moda agora é Revestimento em HD. Delicie-se com acabamentos diferenciados, iguais a materiais naturais. Além de proporcionar um visual moderno, é totalmente sustentável.

P

arece ladrilho hidráulico, mas não é. A nova moda que aquece o mercado atende agora pelo nome de impressão em alta definição (HD), uma grande conquista do segmento de porcelanatos e cerâmicas nos últimos anos. O acabamento igual ao de materiais naturais é uma das grandes tendências mostradas na 11ª Expo Revestir, a feira que é considerada a Fashion Week da arquitetura e construção da América Latina. “O revestimento HD é um produto novo, que possui uma riqueza maior de detalhes devido a sua forma de produção”, explica a gerente da Casa dos Construtores, Monique B. Shiota. Além de sustentável, a impressão em HD possui a grande vantagem de unir o visual nobre

à facilidade de instalação e manutenção. Isso sem contar o custo, que é bem competitivo em comparação ao material natural. “O que difere do revestimento comum é a aparência, que se torna mais fiel ao material natural, com texturas e efeitos iguais a madeira, mármore e cimento queimado, por exemplo. Hoje temos produtos com esta qualidade para atender a todos os casos”, explica Shiota. A procura é grande. Segundo Monique, as pessoas buscam materiais que tenham pouco ou nenhuma manutenção, e querem utilizar cópias perfeitas de materiais naturais. “As cores mais utilizadas são as réplicas de madeira, cimento queimado, mármore, pedras e tijolo”, comenta.

REVESTIMENTO

Linha Petra - Concreto - CEUSA Revestimentos 24


EM HD

Brick HD - Portinari

Antique HD NO - Portinari

Piso HD Ref. 44524 - LEF Cer창mica 25


26


27


ENTREVISTA Fotos: Divulgação

Sig Bergamin: um eterno viajante

A

humildade pela estrada da vida foi o que levou José Antonio Sig Bergamin para além de todos os horizontes. O arquiteto, que incorporou o nome Sig pelo seu jeito de falar com a língua presa, é da vizinha Mirassol. Da infância tranquila na cidade com pouco mais de 50 mil habitantes, o filho de sitiantes, que lá brincava em paz, lembra com saudades dos amigos e da terra natal. Tudo ainda continua no mesmo lugar que Sig deixou para trás: o Museu Municipal Jesualdo D´ Oliveira, a Grota, que é uma área de cinco alqueires com 60% de matas e fica a menos de 500 metros da pracinha central, o antigo Cine São Pedro, que hoje é a Casa de Cultura e as tradicionais Festas Santas: São Pedro, São José e Santa Rita. Certamente, todo o colorido de seus trabalhos tem, no fundo, inspiração da região e fez diferença na vida dele, que hoje é conhecido apenas por Sig Bergamin. O arquiteto, que se diz uma soma de ecletismo, diversidade étnica, humor e versatilidade, tem uma casa repleta de objetos de antiquários; gosta de tudo, pois são peças que adquiriu durante suas andanças de eterno viajante. O arquiteto escreveu uma autobiografia para mostrar que, alem do sofisticado, profissional, existe uma história simples que deveria ser contada. No livro, ele fornece dicas de como, com pouca coisa, se pode fazer uma casa. ADORO é o nome do livro. Sua edição está esgotada.

28

Igreja de São Pedro - Mirassol - SP


Foto: Assessoria de Imprensa de Mirassol

ADORO Por Denise Farina Arquitetos, em sua grande maioria, torcem o nariz quando o assunto é decoração de interiores. A preocupação com a urbe e seus problemas, a relação do homem com os espaços habitados ou a procura de um modo de viver mais sustentável, estão entre alguns dos cuidados que habitam nossas mentes. Não somos, nos 5 anos de formação universitária, levados a pensar em quadros, sofás ou abajures. Antes, somos conduzidos enfaticamente a pensar no homem e no meio em que ele vive; a nos deparar com problemas urbanísticos e suas soluções - “o arquiteto, aquele que se abre para o homem” - já dizia o poeta João Cabral. Pois Sig Bergamin é arquiteto de formação, mas voltou-se, quase que exclusivamente, à decoração de interiores. Sua habilidade excepcional em mesclar estilos, cores, texturas e objetos de memória tornaram-no único e seu estilo, quase impossível de ser copiado. Mais do que a preocupação com o espaço de proteção ao homem, Sig consegue, nesses espaços, acolhê-lo de forma calorosa e de uma maneira escandalosamente simples, de tão sofisticada. Não é à toa que seu livro ADORO está esgotado. Ao lê-lo, o leitor é tomado de uma incontrolável vontade de colocar flores num vaso, de pegar a poltrona da avó e dar-lhe novo uso, de sair deixando tudo limpo e cheiroso... escandalosamente simples, como eu disse e extremamente sofisticado, como o simples deve ser. E isto não é privilégio do abastado; é privilégio do sensível... Não se enganem com o pouco que vocês lerão a seguir, e que Sig revelou nessa entrevista à Obras e Dicas. Por trás das poucas (e por vezes irônicas) palavras, há um artista brincalhão, de capacidade imensurável e, sem sombra de dúvida, inquestionável. Virei fã!

29


Foto: Tuca Reinés

Acompanhe o bate papo com Sig Tem amigos por aqui? Muitos amigos que vejo mais em São Paulo. Tem algum trabalho aqui na região para que seja citada na matéria? “Santo de casa não faz milagres” (RISOS) O que mais gosta daqui? As pessoas. São sempre simpáticas e felizes Uma saudade... Da minha Infância e adolescência. Brincava nas ruas sem medo e sem violência e também me lembro do Carnaval do Automóvel Clube em Rio Preto. Visita sempre a região? Não muito. Encontro mais as pessoas em São Paulo. Sua volta a Casa Cor vai arrasar? Pretendo! Qual sua relação com as cores, elas lhe encantam? Sim, me deixam feliz, principalmente os azuis. Alguma novidade para a Casa Cor deste ano? Não sigo tendências, novidades. Crio propostas minhas. Acha importante para o aquecimento do mercado a participação de empresas na mostra? Sim. É a maneira de divulgar, de conhecermos outros trabalhos; é lá que as empresas “endossam” os decoradores e arquitetos. Acima de tantas belezas, a Casa Cor é negócio? Sim! Claro. Ninguém vai pra brincar. Aonde o Sig quer chegar que ele ainda não chegou? Estou muito feliz onde cheguei. Por onde anda Sig Bergamin, no momento? Trabalhando muito. Qual o melhor horário para criar? De manhã. Preciso dormir bem.

Curtas e rápidas Amor: TUDO Fé: SEMPRE Beleza: DEPENDE… Lazer: NECESSÁRIO Ética: IMPRESCINDÍVEL Deus: ETERNO Sofisticação: COM HUMILDADE Simplicidade: COM SOFISTICAÇÃO Um herói: JESUS O cara: “ESSE CARA SOU EU…” (RISOS). 30


31


CAPA

Fotos: Divulgação

CASA COR 2013

Dá o tom de bons negócios com o conceito do “Morar”

C

ASA COR, o mais completo evento de arquitetura, decoração e paisagismo das Américas, volta às suas origens e apresenta ao público projetos focados 100% no conceito morar bem. Seguindo a tradição de sempre inovar, a cada ano, a mostra se consolida para trazer novidades que se materializam em ambientes reais e, principalmente, funcionais. Considerada a vitrine da decoração brasileira, a CASA COR São Paulo traz espaços assinados por renomados profissionais que surpreendem e apresentam as últimas tendências. A atração de 2013 é a campanha “Um Olhar Muda Tudo”, que traduz e retrata seu novo posicionamento e sua nova identidade. Sua 27ª edição acontece em um dos endereços mais badalados da cidade: o Jockey Club, de 28 de maio a 21 de julho. Criada em 1987, CASA COR é uma empresa do Grupo Abril, além do tradicional e conhecido evento em São Paulo, o Grupo CASA COR reúne hoje 18 franquias nacionais (Amazonas, Bahia, Brasília, Campinas, Ceará, Espírito Santo, Goiás,

32

Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pará, Paraná, Pernambuco, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul e Santa Catarina) e cinco internacionais (Chile, Panamá, Peru, Punta Del Este e Bolívia). Outra novidade segundo os organizadores do evento é o time de estrelas, que formam o Comitê Curador da CASA COR. Os arquitetos, paisagistas, designers e decoradores serão selecionados por Cláudia Moreira Salles, designer; Cristina Ferraz, diretora de relacionamento da CASA COR; Tuca Reinés, fotógrafo; Roberto Dimbério, consultor no segmento de arquitetura e decoração; Waldik Jatobá, empresário e curador de arte. Este time vai avaliar os profissionais participantes da mostra, garantindo harmonia no conjunto total do evento, além de contribuir para a conceituação. Entre os participantes deste ano estão, entre outros, Dado Castello Branco, arquiteto e urbanista, conhecido por seu profundo apuro estético e um trabalho com linhas puras e contemporâneas, e


Marina Linhares, arquiteta, com um pouco de suas inspirações em viagens pelo mundo. De volta- Após sete anos de ausência, o renomado arquiteto Sig Bergamin, premiado internacionalmente e mestre em combinar peças de decoração de diversas origens, padrões e texturas, assina um espaço. David Bastos, Murilo Lomas, Roberto Migotto, Camila Klein, Marina Linhares, Francisca Reis, Marília Caetano, Bruno Gonçalves, Arkitito e Chantal, Andrea Teixeira e Fernanda Meirelles, Patricia Hagobian, Gerson Dutra, Luis Carlos Orsini, Vanessa de Barros, Maria Alice e Agnes Manso, Marina Albuquerque e Guilherme Ommundsen, Selma Tammaro, Denise Barreto participam da mostra e presenteiam o público com ambientes exclusivamente voltados ao “Morar Bem”. O arquiteto Sig Bergamin, que diz que não segue tendências, novidades e que cria proposta própria, acha muito importante para o aquecimento do mercado a participação de empresas na CASA COR. “É a maneira de divulgar, de conhecermos outros trabalhos é lá

que as empresas endossam os decoradores e arquitetos”. Afirma Sig Bergamin. Interessante: A Campanha de Marketing da CASA COR 2013, “Um Olhar Muda Tudo”, criada pela agência DPTO traduz o novo posicionamento e a nova identidade do evento. As peças publicitárias trazem uma seleção de objetos, que se transformaram em clássicos do design, concebidos sob um novo olhar. Entre eles figuram a Cadeira Ant e a Poltrona Egg – de Arne Jacobsen, a Poltrona Diamante – de Harry Bertoia, a luminária Amy – do designer português Diogo Carvalho criada em homenagem à cantora Amy Winehouse, a Poltrona Anêmona – dos irmãos Fernando e Humberto Campana, a Chaise Longue Rio – criada por Oscar Niemeyer e sua filha Anna Maria Niemeyer, o Banco Pão de Açúcar – do brasileiro Gilson Martins, e a Cadeira Squeleto – de Pedro Paulo Franco.

33


34


35


Social

Feiras

É

com muita honra que inauguro, a partir desta edição de Obras e Dicas, a coluna social. Por ela passarão empresários, arquitetos, engenheiros, colaboradores, autoridades; enfim, as pessoas ligadas ao setor da construção civil e arquitetura. Eventos, feiras, cursos, festas, todos os que fazem, direta ou indiretamente, nossa região mais próspera e bonita e alavancam o setor imobiliário e do comércio, estarão presentes aqui. Espero que vocês gostem, pois mais do que tudo, são grandes amigos! 1. Ricardo, Helena e Marcelo Fonseca da Casa dos Construtores. 2. Keyla e Mariza Polizello no stand da Kelly Metais. 3. Flávia e Paulo Borges. 4. Andreia Colares, da Decolares 1

2

5 8. Faiza Marques, Camila de Oliveira e Reinaldo Monteiro da Silva&Silva Materiais para construção. 9. Luiz Eduardo, Branno Tintas. 10. Marcelo Junqueira da Ecori Pisos. 11. Marcelo e Thiago Campos da Pedregal. 12. Oswaldo Francisco, Edílson e Luís Henrique Forti da Soletrol.

13 36

6

8

9

14

15

16

10


Ilda Vilela Por

3

4

5. Equipe Constru-Sol. 6. Equipe Ornamentare. 7. Geovair de Oliveira e Junior Mechiori, Marmoraria São Jorge.

7

11

12 13. Alexandre e Gustavo Casseb, São Geraldo Tintas. 14. Maria Inês F. Mussa, Priscilla Liossi e Donizeti Batista. 15. Eli Bazzetti Junior. 16. Geovanna Scrivante e Anne Catharine, da Art Con. 17. Erica Sartor Albano e Letícia P. Martins.

17 37


CAPA Fotos divulgação: Daici Ano

Toyo Ito Toyo Ito - Museu da Arquitetura, 2006-2011, Imabari-shi, Ehime, Japão

38


Foto: Hiroshi Ueda

Foto: Daici Ano

1 - Serpentine Gallery Pavilion, Inglaterra 2 - Museu da Arquitetura, Japão 3 - Matsumoto Performing Arts Centre, Japão

1

2

Foto: Yoshiaki Tsutsui

2

Pritzker 2013 premia arquiteto japonês O prêmio mais importante da arquitetura mundial, em sua edição 2013, foi para o japonês Toyo Ito, 71. O anúncio foi feito no dia 17 de março, por Thomas J. Pritzker, diretor da fundação Hyatt, mas a cerimônia de entrega do prêmio – uma medalha de bronze e 100 mil dólares – será no dia 29 de maio, na biblioteca e museu John F. Kennedy, em Boston. De acordo com o júri, Ito foi escolhido por seu “design criativo e prédios atemporais”. Ele é o sexto japonês a receber o prêmio que é considerado “Nobel da Arquitetura”. Logo após o anúncio, Ito afirmou: “A arquitetura está limitada por diversas restrições sociais. Desenhei projetos pensando em conseguir espaços mais cômodos e muito além das restrições”. O arquiteto é conhecido por sua criatividade e ousadia nas formas. Considera com um de seus trabalhos preferidos a estrutura semitransparente da Sendai Mediatheque, no Japão. Ito também é afamado pela concepção do prédio Tod’s Omotesando, em Tóquio.

*Pritzker O prêmio Pritzker é anual. Criado em 1979 pela Fundação Hyatt, gerida pela família Pritzker, tem como objetivo agraciar um arquiteto vivo, por um grande trabalho. Durante todo esse tempo apenas dois brasileiros conquistaram a premiação: Oscar Niemeyer, em 1988, e Paulo Mendes da Rocha, em 2006. 39


40


41


PROJETO Danielle Fazzini

Pequena e funcional Residência em São José do Rio Preto -SP

1

42


C 1 - Fachada posterior 2 - Vista interna 3 - Fachada frontal

ompacta, funcional e completa : este foi o desejo do cliente. O uso de portas deslizantes permite boa comunicação entre os ambientes. A sala de jantar, com abertura para o jardim lateral, e a varanda com pérgolas e churrasqueira, garantem envolvimento entre a área externa e interna. A área íntima ficas isolada da área social e recebe o sol da manhã.

2

3

43


Corte longitudinal

Corte transversal

Planta Baixa 44

1 - GARAGEM 2 - BANHO 01 3 - DORMITÓRIO 01 4 - LAVABO 5 - SALA DE ESTAR 6 - SALA DE JANTAR 7 - COZINHA 8 - CIRCUL. 9 - DORMITÓRIO 02 10 - BANHO 02 11 - DORMITÓRIO 03 12 - DESPENSA 13 - AREA DE SERVIÇO 14 - BANHO 03 15 - VARANDA

DADOS DA OBRA

ÁREA DO TERRENO 264,08 m² ÁREA DE CONSTRUÇÃO 138,00 m² ARQUITETURA Danielle Fazzini


45


MERCADO IMOBILIÁRIO

APOSTANDO ALTO Apostar no mercado imobiliário é uma excelente decisão para quem quer fazer render seu dinheiro.

E

lisa Soler comprou um terreno num condomínio fechado em São José do Rio Preto (SP), num bairro nobre da cidade, há cerca de 8 anos. A pedagoga, que já possui casa própria, sempre quis morar em condomínio fechado e aproveitou a abertura de lotes para venda para garantir o seu. Soler ainda não construiu, mas recebe propostas com bastante frequência de compradores interessados em seu terreno. “Meu lote é lindo. Fica em frente a uma praça de meditação. É um terreno de esquina, e acredito que isso tenha ajudado a valorização”, afirma. O Brasil vive momentos assim. E está cheio de histórias como a de Elisa Soler. Hoje, investir no mercado imobiliário é uma grande oportunidade para ganhar dinheiro. Seja para morar, seja para construir, comprar um terreno é sinônimo de valorização. Isso porque o mercado da construção civil segue aquecido, e cheio de gás. Programas do Governo, como o Minha Casa Minha Vida, e a baixa dos juros para financiamento, ajudaram a alavancar este cenário. Para se ter uma ideia, somente no período de janeiro a outubro de 2012, a superintendência da Caixa Econômica Federal liberou R$ 1,2 bilhão em créditos imobiliários na região de São José do Rio Preto, compreendendo 136 municípios. Este valor já superou todo o ano de 2011. A Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF) – IBGE, divulgada no ano passado, mostrou que 35% do salário dos brasileiros tem destino certo: habitação. Para se ter uma ideia, isso é o dobro do que é gasto com alimentação e transporte, e quase 5 vezes mais o que se gasta com saúde. O administrador de empresas e corretor Hamilton Ferreira explica que Rio Preto ainda tem muito espaço para construções de casas. “O mercado imobiliário de terrenos é grande por aqui”, afirma. Segundo o corretor, 30% das pessoas que compram terrenos, o fazem para morar. Os outros 70% compram para investimento. “Isso dependendo do padrão e a localização do empreendimento”, comenta Ferreira. O analista de sistemas Adriano de Moraes veio de São Paulo (SP) para morar em Rio Pre-

46

to com toda a família. O motivo? Qualidade de vida. Moraes está construindo uma casa no Bairro Jardim Universitário, num terreno que comprou há cerca de um ano. A escolha em construir veio da experiência com outros imóveis prontos. “Já comprei dois imóveis prontos, mas não eram totalmente do meu gosto”. Mas, construir não é fácil. Segundo o analista de sistemas, a experiência está sendo boa e um tanto inusitada. “Sempre atuei na construção de softwares, liderando projetos. Portanto, é um grande desafio liderar um projeto de construção civil. Gosto de desafios. Estou na obra todos os dias e sempre alternando horários. Temos duas grandes dificuldades, as chuvas e a velocidade dos profissionais alocados na obra. Isto está trazendo alguns aborrecimentos, em virtude de termos um cronograma da Caixa Econômica Federal para seguir”, comenta.

Excelente negócio

Os antigos já devem ter ouvido a famosa frase “Quem compra terra, não erra”. Além da rentabilidade, investir em imóveis é também um negócio seguro. Com a experiência de quem está no ramo há bastante tempo, Ferreira explica que quem aposta no mercado imobiliário, não perde. “Principalmente se levarmos em conta a pouca rentabilidade das aplicações financeiras, bem como o risco de queda na bolsa de valores e mercados futuros. Exemplificando: quem adquiriu um terreno no lançamento do Condomínio Quinta do Golfe, em quatro anos dobrou o valor investido sem riscos e com segurança patrimonial”. Economistas são unânimes ao afirmar que, seja em médio ou longo prazo, o investimento em um terreno supera qualquer tipo de aplicação. “Investir em terrenos, sejam eles populares ou de alto padrão, sempre foi um excelente investimento, afinal, com crise ou sem crise, ele está ali, sempre valorizando e aumentado o seu patrimônio. Lembrando ainda que é uma excelente moeda de troca para qualquer negociação”, afirma Ferreira. Que o diga Adriano Moraes. “Sempre tive lucros com venda de imóveis,


pois sempre há valorização”. Elisa Soler também sentiu na própria pele a valorização. Segundo ela, as propostas para vender seu terreno são numerosas, e tentadoras. “Já me ofereceram o quádruplo do valor que comprei”, comenta. Mesmo assim, não vai vender. Pretende iniciar a construção no próximo ano. “Não posso negar que fiquei na dúvida. A valorização foi enorme. Eu sabia que o terreno estava valorizando, mas não tinha noção do tamanho! Mas, meu projeto já está pronto. Minha arquiteta Denise Farina fez a casa dos meus sonhos. Não abrirei mão. O condomínio me dá toda a segurança e o lazer de que preciso, e toda a facilidade lá fora”, conta ela.

Preste atenção

Antes de efetuar a compra, existem fatores que devem ser levados em conta para não transformar uma ótima oportunidade numa bela dor de cabeça. Seja para morar, seja para investir, é preciso alguns cuidados. A localização é um item muito importante a ser observado. Alguns dizem que as características mais importantes de um imóvel são a localização. localização e localização. Em grande parte, a afirmativa é correta. É sempre bom observar no momento da compra fatores como segurança, facilidade de acesso, escola para os filhos, trabalho da família etc. A infraestrutura é importantíssima para que se tenha qualidade de vida no local escolhido para construir. É bom verificar o local durante o dia e também durante a noite, pois as condições de trânsito e barulho mudam muito. Elisa Soler sabe bem porque escolheu seu terreno. “Pesquisei a área. Andei de carro por toda a região do condomínio, visibilizei o que poderia haver de construções ao redor e senti que estava num ótimo local. Perto daqui tenho tudo de

que preciso: supermercado, escola, salão de beleza, restaurantes, pet shop, enfim, é uma mordomia deliciosa. Além, é claro, de ser perto do meu trabalho”. Ferreira afirma que o primeiro fator preponderante é o padrão e a localização do empreendimento. “Nos loteamentos populares, em terrenos de 200 m², na zona norte, o metro quadrado é comercializado acima de R$ 350,00, lembrando ainda a facilidade de pagamento que as Incorporadoras propiciam, com parcelamento direto acima de 120 meses. Este investimento cabe em qualquer bolso, desde que haja um planejamento familiar para evitar dores de cabeças futuras, ou seja, comprometer a sua qualidade de vida assumindo mais despesas do que a suportaria a sua receita”. Quem for construir, já pode utilizar o FGTS para comprar material de construção. Desde o ano passado, já entraram em vigor as novas regras para este tipo de financiamento utilizando recursos do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS). O prazo para pagamento é de 10 anos, com taxas de juros de 10,66% ao ano.

47


CIDADES

Novo acesso à zona leste

Solução de um dos gargalos do trânsito na Zona leste da cidade concluída em 730 dias

D

esafogar o trânsito, facilitar acessos, mínimo impacto ao meio ambiente, agentes da Guarda Municipal organizando o tráfego, desenvolvimento, uma cidade mais bonita e ainda outras palavras resumem a obra, que deverá ficar pronta em menos de 1000 dias e esta estimada em R$ 18 milhões. Segundo o secretário de obras da Prefeitura, Luis Carlos Calças, a obra de duplicação da avenida vai beneficiar 40 mil pessoas residentes nos bairros São Deocleciano, Parque São Miguel, Marambaia, Parques da Liberdade, região dos Dahmas, Gaivotas e todos os bairros localizados na região leste da cidade, além de facilitar acesso ao distrito de Engenheiro Schimitt. Luis Carlos diz que a obra foi dividida em duas etapas: a primeira fase começa no viaduto Luis Abreu Sodré, na Avenida Alberto Andaló, região central, e segue pelas margens da represa, passando em frente à Swift e sob o viaduto da Avenida Murchid Homsi, que será refeito. A extensão da via é de 2,5 mil metros e o valor da primeira etapa da obra custará aos cofres públicos R$7.650 milhões. O objetivo é desafogar o trânsito na região e, caso a obra seja entregue no prazo, a prefeitura pretende abrir nova licitação para segunda etapa da reestruturação do local, que irá até o Viveiro Municipal, na região do Lago três da represa. Há também a previsão da construção de um pontilhão que passará por cima da BR-153. A duplicação da avenida pretende desafogar o trânsito no local que, principalmente em horários de pico, fica congestionado. Atualmente, os motoristas que deixam a região central da cidade com destino à região leste têm que fazer percurso apenas por uma margem ao longo da represa, o que gera congestionamentos. Passam por locais como Hospital do Lago e o trevo da BR-153. Após o término da obra, a Avenida Lino José Seixas, que hoje tem tráfego de veículos nos dois sentidos, será de mão única no sentido bairro-Centro. Já a Avenida Duque de Caixas, onde fica a Swift e o SESI, terá sentido oposto. O custo maior da obra será na construção de dois viadutos, que passarão pela BR-153 e o lago.

48


Foto: Donizeti Batista

49


ASSENTADORES DE PEDRAS DECORATIVAS Celso 9775-0945 Luiz (Bico) 9613-8613 Vitor Malta 9617-8300 Sebastião Carlos 9147-1685

GUIA DE PROFISSIONAIS

*Os profissionais citados neste guia são indicados por Empresas, Arquitetos e Engenheiros e não pagam por esta divulgação.

ASSENTADORES DE PISOS E REVESTIMENTOS Acir 9158-6994 Berto 9175-8575 José M. Da Silva Filho 9132-8968 José Roberto 9615-4549 Luiz 9116-3111 Luis Antonio 9614-6600 José Ferreira Jr. 3219-1922 Moisés 9614-5585 Osmar Donizeti 9107-9204 Roberto 9201-2110 Sigmar 9156-4957

50

ASSENTADORES DE PORTAS José Maria 9603-7312 Joãozinho 9722-9628 Luiz Leoral 9722-9628 Luiz Roberto 3222-2495 Laércio Rodr. Da Silva 9165-5342 Marcelo 3013-3234 CARPINTEIROS Claudinho 9701-9702 Clóvis 3224-7542 Jair 3012-9560 José Bigode 3219-2892 Lupércio 3237-3387 Rubão 9712-9405 Rubens 9703-7744 Samuel 3011-4637 Sebastião 9608-5645 Zequinha 3206-5351 CONSTRUTORES Ademir O. Colombo 9112-4237 Adriano Ap. Ferreira 9751-4939 Alcindo Batista Santos 9135-0134 Alipio F. Rodello 9175-3072 Amilton Vieira 9117-4001 Antonio A. Bonil 3016-8907 Antônio C. Scrignoli 9112-5264 Arnando Lois 8811 2423 Carlos Jorge Galdino 9187-8048 Celio Campanhole 9157 - 4785 Claudemir Rodrigues 3216-7377 Djalma Ap. Troestrof 9739-1954 Djalma Dias 9103-5644 Ednaldo A. Silva 9166-7396 Ernesto R. Neto 9755-3711 Genilton Gomes 9703-1291 Gilberto M. Sales 9182-8167 Ildo Borges Leal 9124-4296 João C. Piovani 9115-6167 José Campanhola 9619-1835 José Carlos Gagliardi 9702-2110

José Felício 8816-7148 José Roberto Pessoa 9771 -3501 Leonilda S. Roberto 9601-8819 Leonildo José (Zé) 9607-9538 Luis Antônio 9614-6600 Luis Ant. De Lima 3012-1527 Luis C. Fr. Gonçalves 9774-7124 Marcelo Roberto de Assis 9106-7696 Marcio Renato C. da Silva 9722-0040 Miguel E. Vetorasso 3224-7070 Nilvaldo Antonio Calbo 9100-2764 Oderdam P. da Silva 9160-3744 Paulo Manoel Da Silva 9103-6073 Roberto D. Oliveira 3013-1265 Roberto R. De Moura 9161-6713 Roberto Pereira Joles 9201-2110 Santana Construções 9106-0267 Sebastião Venancio 9118-2352 Walter Dos Santos 9791-3024 ELETRICISTAS Antônio D. Marques 9128-4595 Anderson 9726-5729 Chicão 9791-3464 Delmondes 3011-9897 Eletromaser 3013-0434 Eletrificação Regiane 9107-7292 Jair Delamura 3014-0729 H-luz 3222-3631 Leandro P. Da Silva 3014-6320 Nei 9154-1189 Elletrisa (Ricardo) 9232-4507 Toninho 9716-2235 Valdir Lino 9722-1191 Volts (Davi) 9196-9137 ENCANADORES Antônio A Da Silva 9114-4273 Carlos Alberto 3011-1338 Ismael R Da Silva 3014-7105 Joaquim R. Da Silva 9784-6546 Luciano A. Ferreira 9167-0716 Pedro Osmar 9605-1927 PINTORES Adão M. de Moraes Augusto Benedito Dito Edilson Edmar Elson (Branco) Januário (Gê) Jamil João Candido Lúcio Ol. Silva Moisés Antoniassi Marcos R. da Silva Marcos Márcio Carvalho Mister Solução Nicão Reis

9104-0121 9713-4718 9164-2102 9100-2700 9736-7639 9101-4610 97282686 3224-2016 9113-8278 9702-8467 9116-0487 9112-3869 9117-7019 9706-4839 9101-8280 8106-5039 9791-2299 9116-9780


51


52


Revista Obras & Dicas - Edição 34