Page 26

26

TERÇA-FEIRA, 17.4.2012 I O DIA

país ENTREVISTA

ROMÁRIO DE SOUZA FARIA, DEPUTADO FEDERAL

‘A política me fez mui HUMBERTO TZIOLAS htziolas@odianet.com.br

ROZANE MONTEIRO rozane.monteiro@odianet.com.br

>DEPUTADO FEDERAL eleito com mais de 146 mil votos, o ex-craque Romário não é um homem de meias palavras. Em entrevista ao DIA, o Baixinho dá vários chutes certeiros, como sempre fez: bate na organização da Copa de 2014, critica a reforma do Maracanã, reclama do presidente do próprio partido (PSB) e, após avisar que continua falando palavrão, diz que o Brasil, hoje, seria eliminado na primeira fase do Mundial, já que o time, segundo ele, “está uma m...”. Magoado porque a presidenta Dilma não o recebeu até hoje, Romário admite que até sente falta da política quando está de folga. ■ ODIA: Depois que você foi eleito deputado federal pelo PSB, em 2010, sua rotina mudou radicalmente? Você já se acostumou? ● ROMÁRIO: – Ela mudou no começo do ano passado. Agora, já me sinto bem tranquilo. Essa coisa de sair toda terçafeira de manhã daqui e voltar na quinta-feira realmente, no começo, foi meio complicado e entediante. Mas, depois do primeiro ano de mandato e no começo deste ano agora, já até me acostumei. Sinto meio que falta. Eu gostei de estar na política, me fez muito bem. ■ Por quê? ● Porque eu estou conseguindo, através das minhas bandeiras, que são as pessoas com deficiência; as crianças e jovens, principalmente, de comunidade, que estão aí metidos com crack; e essa coisa da Copa, tenho podido esclarecer muitas coisas pro povo não só do Rio como do Brasil. Tenho dado muito depoimento em cracolândias, em centros de tratamento para essas pessoas. A minha rotina na política tem sido bem positiva, tenho gostado bastante.

ter: na política ou no futebol?

“O Romário político é o mesmo Romário, que fala palavrão igual, não vai mudar nunca” vem elogios porque você trabalha e não falta...

● Espero que tenha sempre. A partir do momento que você se torna unanimidade, não é bom.

tem tido tanta crítica, mas sempre tem algumas coisas. Eu tenho aprendido bastante. Vou te dar um exemplo. Eu jogo futevôlei aqui (na Barra da Tijuca). Então, sai uma foto minha jogando futevôlei aqui. Por mais que seja domingo. Aí: “Pô, Romário, em vez de estar trabalhando, está jogando futevôlei.” É uma crítica. Por exemplo, eu já não jogo mais futevôlei terça, quarta e quinta. Quinta-feira, depois das quatro, eu não tenho mais meu compromisso com política em Brasília. Eu poderia jogar aqui, mas já evito. Eu estou dentro do meu direito, mas eu já evito pra não ter problema, entendeu?

■ Como deputado, só se ou-

■ Onde tem mais mau cará-

■ Do Romário craque, tinha sempre alguém para falar mal...

● Não

● Cara, essa pergunta é difícil. Hoje em dia, o mau caratismo está generalizado. Está no jornalista, no médico, no advogado, no dono de construtora, na política, no esporte... Está reinando o mau caratismo. O pior é que é tanta coisa ruim que a gente vê que a gente imagina assim: “P..., cara, essa p...não vai ter fim?” A gente espera que tenha fim. Mas está f... Está difícil pra caramba. Por exemplo, corrupção. Acredito que na política tenha muito mais corrupção do que futebol. Não sei se vocês reparam, o Romário político é o mesmo Romário, que fala palavrão igual, não vai mudar nunca. ■ Como você está vendo o caso do envolvimento do senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) com o bicheiro Carlos Augusto Ramos, o Carlinhos Cachoeira? ● Eu conheço o Demóstenes apenas como senador. Ele foi um cara que sempre pregou uma coisa que hoje a gente sabe que não era verdade. Então, isso é meio que uma decepção, principalmente prum político novo, como eu. Eu tinha o cara como um dos ídolos da política. Claro, pô: o cara sempre foi um cara firme nas palavras, que sempre brigou pelo seu ideal. Foi uma decepção. ■ Em quem você nunca votaria ?

Romário não joga mais futevôlei na praia no Rio às quintas-feiras para evitar que alguém fale mal: ‘Eu estou dentro do meu direito, mas eu já evito pra não ter problema, entendeu?’

Jornal O Dia 17/04/2012  

Jornal O Dia 17/04/2012

Advertisement