Page 62

PLACE pet

Agulhas do bem Já familiares entre as pessoas, as técnicas milenares da medicina oriental também são eficientes em tratamentos para animais

placecuritiba • set/2012

c

62

onhecida anteriormente como uma prática de medicina alternativa, a acupuntura, de acordo com OMS (Organização por LíviaaZeferino Mundial da Saúde), é agora considerada um método de tratamento complementar. Dentro da medicina veterinária o reconhecimento é o mesmo e a prática é comprovadamente eficiente no tratamento de patologias diversas, desde simples alergias até problemas ortopédicos de cães, gatos e grandes animais, como cavalos e vacas. Baseado na medicina tradicional chinesa, o tratamento consiste na aplicação de agulhas em pontos determinados do corpo, os acupontos, estabelecidos a partir do diagnóstico e das necessidades de cada paciente. Outras técnicas complementam a terapia, é o caso da eletroacupuntura, em que as agulhas são ligadas a um eletrodo, ou da moxabustão, aplicação de calor nos pontos no corpo com bastões de ervas secas. “O calor da moxa passa através das agulhas de aço inoxidável

e percorre o corpo do paciente, proporciona uma sensação muito agradável e alivia as dores”, explica a veterinária e acupunturista Claudia Coeli, que, para tratar seus pacientes, também utiliza stipers, pastilhas flexíveis de algodão com fragmentos de cristal, que são fixadas em alguns pontos do corpo e agem até caírem naturalmente.

Qualidade de vida De acordo com Cláudia, a procura pela acupuntura veterinária é cada vez mais comum, pois as pessoas querem dar qualidade de vida a seus animais com doenças terminais, como câncer, ou mesmo em casos de recomendação de cirurgia. “Algumas pessoas preferem tentar um tratamento complementar antes de realizar um procedimento cirúrgico. Em alguns casos a cirurgia é realmente necessária, mas também temos sucesso em vários outros apenas com acupuntura”, conta. Para os animais idosos a terapia também traz alívio. “Para os pacientes geriátricos o tra-

O golden retriever Bill faz acupuntura para aliviar as dores da artrose e da displasia.

tamento tem efeito energético, traz equilíbrio, conforto e restaura o organismo”, afirma Coeli. É o caso de Bill, cão da raça golden retriever, que tem 12 anos e sofre de displasia e artrose há três. “Ele fez uma cirurgia em uma das patas de trás, ficou sem dor por um período, mas o problema voltou, então ele manca com as patas da frente por causa da artrose e nas de trás o problema é a displasia, o que causa alguns tombos”, conta sua dona, a bancária Laura Adão, que optou por levar o cão às sessões de acupuntura para amenizar as dores. “Agora ninguém diz que ele sente dor, ele corre, pula e sobe escadas”, completa.

“Para os pacientes geriátricos o tratamento tem efeito energético, traz equilíbrio, conforto e restaura o organismo.” Cláudia Coeli, veterinária e acupunturista

Revista Place Edição de Setembro com Jéssika Alves  
Revista Place Edição de Setembro com Jéssika Alves  

Confira a Edição de Setembro da Revista Place, com Jéssika Alves. Revista Place seu lugar é aqui! @revistaplaceCWB | https://www.facebook.co...

Advertisement