Page 1

O RECIFENSE VAI DE CARRO ATÉ À ESQUINA

Fotos e Texto: Marcela Pereira

No calor da manhã de uma quinta-feira de verão, vemos enfileirados pelas ruas incontáveis carros com os vidros fumê fechados. Nas calçadas, não vemos filas de nada. Poucos são os pedestres e andarilhos. O sinal fecha, mas a faixa atravessar a rua está deserta.

para


Na pista de cooper sob o sol escaldante, ninguĂŠm se exercita.


Em outra rua, uma moça que acaba de descer do ônibus aperta o botão de fechar o sinal para os carros. Obrigados a parar, os motoristas irritam-se com aquela única e inconveniente pedestre.

O recifense vai de carro até à esquina. Este é um costume que representa muito a capital pernambucana.

Vivemos na ilusão de que moramos numa cidade enorme. "Demoro mais de uma hora para chegar em casa do trabalho todos os dias", afirma Fernanda Pessoa, moradora de Boa Viagem. Ela trabalha no Cais do Apolo, a apenas 13km de casa, e faz parte do clã mundial de pessoas que andam sozinha em carros de passeio com cinco assentos.


Imersos num mundo em que a velocidade média de um carro é inferior a de uma bicicleta, é fácil vivermos na ilusão de que Recife é uma grande cidade. Sempre demoramos demais para chegar ao nosso destino, seja no ônibus, seja de carro, seja de táxi.

Filas de carros nos sinais e calçadas desertas

Quando se tem recursos suficientes para manter um automóvel e ser periodicamente assaltado n o s p o s t o s d e combustível, por que se dar o desprazer de apertar-se nas latas de sardinha apelidadas de transporte público?

É mais cômodo curtir o engarrafamento no conforto do seu carro.


O problema é que levamos esse hábito tão a que ficamos presos às quatro rodas como possuíssemos pés. Padarias, farmácias e diria - até academias precisam de estacionamentos,

sério, se não - quem amplos

pois o costume de caminhar até locais perto de casa está se perdendo nos tempos modernos.

Calçadas livres, asfalto congestionado

O recifense vai de carro até à esquina  

Matéria para a disciplina de Fotojornalismo do curso de Jornalismo da UFPE.

Read more
Read more
Similar to
Popular now
Just for you