Issuu on Google+

Maranduba, Fevereiro 2017

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 8 - Edição 93

Foto: Antonio de Oliveira “Titio” - PROMATA

Aves da nossa rica Mata Atlântica: Colhereiro


Página 2

Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Guias do IPTU 2017 já podem ser emitidas pela internet

A Prefeitura de Ubatuba, por meio da Secretaria de Fazenda, informa que as guias para o pagamento do IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano) 2017 já estão disponíveis no site www.ubatuba.sp.gov.br. O tributo pode ser quitado à vista ou em até 10 parcelas somente na Caixa Econômica Federal ou casas lotéricas. A cota única e a primeira parcela vencem no dia 10 de fevereiro.

O atraso na entrega dos carnês deve-se a problemas no edital de chamamento para seleção do banco credenciado, lançado em dezembro. O banco vencedor originalmente não ofertou condições para pagamentos nos correspondentes bancários. Os pagamentos só seriam permitidos pela internet ou diretamente nos caixas eletrônicos. “Com isso estaríamos prejudicando quem não fosse cliente do res-

pectivo banco. O ato foi cancelado e a atual administração realizou um novo chamamento, onde ofertamos outros canais para o contribuinte realizar seu pagamento”, explicou Solange Toledo, secretária municipal de Fazenda. A Prefeitura distribuirá, via Correios, 58.800 carnês. A estimativa de arrecadação é de R$ 77.881.754,80. Para 2017 o reajuste foi de 8,79%, segundo variação do IGPM.

TODO MUNDO LÊ. ANUNCIE: (12) 3849.5784 - (12) 99714.5678

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3849.5784 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Editora de Variedades: Adelina Fernandes Rodrigues Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Consultor de Marketing - Luiz Henrique dos Santos - Publicitario Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo


Fevereiro 2017

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Exame confirma caso importado de febre amarela em Ubatuba Doença foi contraída durante viagem a Minas Gerais; paciente está bem e viajantes devem vacinar-se

SECOM/PMU A Vigilância Epidemiológica (Viep) da secretaria de Saúde de Ubatuba recebeu na manhã desta terça-feira, 31, a confirmação de um caso importado de febre amarela silvestre. Trata-se de um jovem de 16 anos, morador do bairro da Figueira, que viajou a Ladainha, Minas Gerais, no dia 2 de janeiro, onde a partir do dia 7 começou a apresentar sintomas como febre, cefaleia e mal-estar geral. Ele retornou a Ubatuba no dia 9, foi internado dias depois, mas teve alta no dia 20 e passa bem. O município tem ainda um caso suspeito, também importado, um homem de 40 anos, morador do Taquaral, que esteve em Setubinha, Minas Gerais, e não chegou a ficar hospitalizado. Ele passou por um médico particular apresentando febre, dor no corpo, sem icterícia. Foi feita a coleta para o exame e, em seguida, liberado. O paciente também está

bem e aguarda o resultado do exame. Vacinação preventiva Como os dois pacientes – confirmado e suspeito – circularam pelas regiões Centro, Taquaral, Figueira e Saco da Ribeira durante o período de transmissão da doença, a orientação da Vigilância Epidemiológica estadual é que todos os moradores desses bairros sejam imunizados contra a febre amarela. O município recebeu um total de 10 mil doses da vacina, distribuídas pelas unidades de saúde referentes aos bairros indicados, além das escolas municipais Professor José de Souza Simeão, no Taquaral, e Maestro Pedro Alves de Souza, na Figueira. Porém, devido à alta procura, o estoque das unidades Figueira, Sumaré e Taquaral (escola) para a vacinação de moradores já se esgotou e o atendimento nessas unidades voltará ao normal em meados da próxima

semana, com a chegada de nova remessa de 7 mil doses. A partir desta quarta-feira, 1 de fevereiro, somente os postos de Umuarama, Saco da Ribeira e Taquaral atenderão moradores desses bairros no horário até as 19 horas. A Vigilância de Ubatuba informa ainda que, na sexta-feira, 27, foi feita a vacinação na Marina Voga, no saco da Ribeira, bem como no posto de saúde do bairro e agora a aplicação da vacina continua apenas na unidade. Vacinação para viajantes “A vacinação para quem vai viajar a áreas endêmicas de febre amarela continua normalmente em dias e horários já divulgados anteriormente para cada posto de saúde”, explica Patricia Machado Sanches, do Viep. “Temos um estoque reservado para atender a essa demanda e a vacinação deve ser feita com 10 dias de antecedência da viagem”, completa. Ações preventivas

“Ubatuba vem se empenhando em manter as rotinas preventivas, ou seja, vigilância de casos suspeitos, vacinação pela equipe de endemias e eliminação de criadouros do mosquito Aedes aegypti”, explica o secretário de Saúde de Ubatuba, dr. Alessandro Cacciatore. Ele tranquiliza a população e informa que há muitos anos não há surto da doença em meio urbano. “A transmissão acontece caso o mosquito pi-

que alguém que está contaminado e em fase de transmissão da doença e, em seguida, pique alguém que nunca teve a doença ou não tenha sido vacinado”, acrescenta. Outra ação feita pela Vigilância de Ubatuba foi o contato com todos os órgãos ambientais para que estejam atentos a casos de morte de primatas na mata. Os mosquitos transmissores da febre amarela silvestre são o Haemagogus e Sabethes.


Página 4

Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Frango Frito no Balde agora na Maranduba Reunião marca indefinição sobre Mais uma opção gastronômica acaba de chegar a Maranduba: Frango frito no balde preparado no sistema americano, levemente empanado, crocante por fora e suculento por dentro. E você ainda escolhe o acompanhamento. A iniciativa é do casal Paulo e Marcela que lançaram a marca Surfrango e Cia que abriram sua primeira loja no shopping do Auto Posto Canto da Sereia, na Maranduba. Entre as opções tem o Frango Americano (cortes: peito, coxinha e tulipa empanados + 1 acompanhamento. Também oferece a opção da Tulipa empanada e frita + 1 acompanhamento e a Costelinha de Porco empanada e frita + 1 acompanhamento. Os preços para 2 pessoas fica em R$ 19,90 e para 5 pessoas fica em R$ 49,90. Há também as porções de coração e moela empanados e fritos, além de outras deliciosas porções de fritas, mandioca, polenta, anéis de cebola, nuggets e mista, tudo acompanhado com uma variedade de molhos: agridoce, madeira, barbecue, mostarda, mostarda e mel, ketchup, maionese, cheddar, catupiry e maionese temperada. Delivery Além do atendimento no local a Surfrango e Cia também tem a opção de entrega onde atende desde a Tabatinga até a Lagoinha. Os telefones da Surfrango são 3849.5215 e 99171.7283 (whatsapp). Você também pode acompanhar os produtos da Surfrango e Cia pelo Facebook: www.facebook.com/ surfrango

projeto “escolinha de futebol” da região

Na tarde do último dia de janeiro, cerca de 50 moradores participaram de uma reunião com representantes da Secretaria Municipal de Esporte para tratar do futuro do projeto “escolinha de futebol” da região. De iniciativa do professor Pérsio Jordano, o projeto existe há 15 anos e rendeu bons frutos ao esporte, a educação e a comunidade. A conversa aconteceu no campo de futebol do Sertão da Quina e foi convocado, por meio de mídias sociais, pelo vereador Osmar de Souza. Sensibilizado com a situação das crianças o vereador chamou a responsabilidade na tentativa de resolver a situação, que infelizmente, segundo moradores, ainda ficou indefinida. O secretario adjunto de esporte, Richard Ricardo e o Coordenador Técnico, responsável pelos professores Sr. Luiz esclareceram que a situação da secretaria é complicada.

Richard declarou que “conhece o projeto e que se houvesse como manter o professor Pérsio Jordano o manteria de imediato, porém existe uma série de complicadores que ainda precisam ser resolvidos, uma delas são as chamadas do pessoal do concurso”, comenta o adjunto. Toda a situação passam pelo jurídico da prefeitura que recomenda a não contratação pelos motivos explicados a comunidade, mesmo assim, moradores insistiram na resolução da situação já que quem sai perdendo são as crianças e a comunidade. Osmar se propôs a acompanhar a situação de perto e estudar uma forma de manter o projeto, mesmo que provisoriamente, até que os trabalhos sejam implantados em definitivo novamente, com isso “conta com apoio de moradores”, reitera o vereador. Enquanto isso a comunidade aguarda atenciosa.


Fevereiro 2017

Página 5

Jornal MARANDUBA News

TAMAR e Parques Estaduais de Ilhabela e Ilha Anchieta recebem títulos de Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica Evento gratuito contou com a apresentação do grupo Concertada com participação especial de Luís Perequê.

No último dia 13 de janeiro, às 20:00, o Projeto TAMAR Ubatuba-SP recebeu a certificação de Posto Avançado da Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – PARBMA. O evento contou a presença de representantes dos Parques Estaduais de Ilhabela e Ilha Anchieta, que também receberão a certificação. O público foi presenteado com a primeira apresentação de 2017 do grupo Concertada, com canções regionais e da MPB, com a participação especial do músico e compositor representante da cultura caiçara, Luís Perequê. O evento aconteceu no espaço cultural do TAMAR e a entrada foi gratuita. O título foi anunciado durante a 26ª Reunião do Conselho Nacional-RBMA, realizada na cidade de Maceió, Alagoas. Com a missão de contribuir com o estabelecimento de uma relação harmônica entre as sociedades humanas e o ambiente na área da Mata Atlântica, a Reserva da Biosfera da Mata Atlântica – RBMA foi a primeira unidade da Rede Mundial de Reservas da Biosfera declarada pela UNESCO no Brasil. É a maior reserva da biosfera do planeta, ocupando áreas nos 17 estados brasileiros onde ocorre a Mata Atlântica. ‘Roteiros da Biosfera’ As Reservas da Biosfera da UNESCO têm 3 Funções básicas - a conservação da Biodiversidade, a geração e difusão do Conhecimento tradicional e científico e a promoção do Desenvolvimento Sustentável. “Os Postos Avançados são as vitrines da Reserva onde a Sociedade pode ver estas funções acontecerem de forma perma-

Foto: Ezequiel dos Santos

nente e integrada. O título vale por 4 anos, podendo ser renovado indefinidas vezes caso a instituição mantenha suas atividades com a mesma qualidade. Com o reconhecimento do TAMAR Ubatuba e das sedes dos Parques Estaduais de Ilha Bela e Ilha Anchieta, o Litoral Norte de São Paulo passa a incorporar os ‘Roteiros da Biosfera’ com excelentes exemplos de ações efetivas no campo da sustentabilidade”, conta Clayton Lino, Presidente do Conselho Nacional da RBMA. Tamar Com 26 anos de atuação no litoral de Ubatuba em prol da conservação e proteção das tartarugas marinhas, o TAMAR Ubatuba recebe anualmente 120 mil visitantes, dentre

os quais muitos estudantes e professores da rede pública de ensino. “Sempre nos preocupamos em oferecer ao visitante um olhar integrado entre a natureza e a cultura, entre a floresta e o mar. Exemplos disso são os painéis informativos sobre a fauna e flora da Mata Atlântica e os eventos que ajudamos a realizar, como o Festival da Mata Atlântica, ou que realizamos anualmente, como o Mês da Cultura Popular Caiçara”, conta a coordenadora TAMAR Ubatuba, a oceanóloga Berenice Maria Gomes. A conquista do título de Posto Avançado da Reserva da Biosfera beneficiará não apenas a própria instituição, mas os moradores e turistas de Ubatuba, já que os Postos Avançados

são centros de divulgação de idéias, conceitos, programas e projetos desenvolvidos pela Reserva, além de receberem coleção de publicações e comunicação que ficarão disponíveis para pesquisa pública. O TAMAR começou nos anos 80 a proteger as tartarugas marinhas no Brasil. Com o patrocínio da Petrobras, por meio do programa Petrobras Socioambiental, hoje o projeto é a soma de esforços entre a Fundação Pró-TAMAR e o Centro Tamar/ICMBio. Trabalha na pesquisa, proteção e manejo das cinco espécies de tartarugas marinhas que ocorrem no Brasil, todas ameaçadas de extinção: tartaruga-cabeçuda (Caretta caretta), tartaruga-de-pente (Eretmochelys im-

bricata), tartaruga-verde (Chelonia mydas), tartaruga-oliva (Lepidochelys olivacea) e tartaruga-de-couro (Dermochelys coriacea). Protege cerca de 1.100 quilômetros de praias e está presente em 25 localidades, em áreas de alimentação, desova, crescimento e descanso das tartarugas marinhas, no litoral e ilhas oceânicas dos estados da Bahia, Sergipe, Pernambuco, Rio Grande do Norte, Ceará, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo e Santa Catarina. Em Ubatuba, recebe o apoio da Prefeitura Municipal e da Arcor do Brasil. Indicado pelo colaborar Zico, morador de Ubatuba, graduando em Geografia e colaborador das causas regionais


Página 6

Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Prefeitura de Ubatuba faz reunião com DNIT para acertar duplicação da BR 101 Projeto inclui 9,5 quilômetros de pista

SECOM/PMU Representantes do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), da Prodec (empresa no ramo de consultoria em engenharia) e da construtora Ferreira Guedes se reuniram com o prefeito Délcio José Sato (PSD) e representantes da Prefeitura na manhã de terça-feira, 24, para discutir o processo de duplicação da BR 101 – Rodovia RioSantos – trecho que pertence à cidade de Ubatuba. Serão 9.5 quilômetros de pista duplicada, com previsão para seis faixas – incluindo pista de acesso às marginais e pista principal de ambos os lados, além de ciclofaixas e calçadas. A pista se transformará em uma via contínua, com proposta de velocidade máxima de 80 km/h na via expressa e 40 km/h na marginal.

“O projeto vai trazer mais segurança e conforto para os usuários, além de desafogar o tráfego. Esperamos que os trâmites sejam rápidos para iniciar as obras o quanto antes”, declarou Sato. Uma das vantagens é a separação do tráfego urbano da rodovia. “A ideia é tirar qualquer tipo de característica urbana da BR 101”, apontou Lúcia Oliveira, representante do DNIT. Outro fator relevante é o aumento da capacidade de tráfego da cidade em época de temporada. Trâmites A principal necessidade para o andamento da duplicação é o diálogo em busca de recursos para a contratação da obra, cujo projeto está sendo finalizado. Com seis meses, foram feitos a topografia e desenvolvimento do projeto

básico, que é mais detalhado que o anteprojeto apresentado na fase de licitação. “Estamos consolidando o projeto básico para partir para o projeo executivo”, explicou Marcelo Marotta, representante da Prodec. “Nesse momento, independente da questão de verba a qual acontecerá brevemente, temos que elaborar essa fase bem feita. O DNIT solicitou essa reunião justamente para aproximar do corpo técnico da Prefeitura e nós ainda vamos elencar Elektro, Sabep, DER, todos os atores desta obra vão estar envolvidos na discussão para fechar esse conceito de projeto base. Aí passaremos para o projeto executivo e inicia-se as obras”, acrescentou o secretário de Serviços de Infraestrutura Pública, Pedro Tuzino.

Promata realiza Café Caiçara na Escola Simeão no Taquaral

No primeiro dia de fevereiro, a PROMATA realizou uma conversa com o corpo docente da EM Profº José Souza Simeão no bairro do Taquaral. A solicitação da direção da escola foi realizada em 2016 e a visita faz parte do inicio dos trabalhos para este ano. O intuito é estreitar os laços com a educação e melhor apresentar os projetos que visa resgatar parte do patrimônio cultural, ambiental e histórico do litoral norte. Foi realizada uma breve palestra sobre a vivencia caiçara na pesca, na agricultura, na caça e na produção de co-

nhecimento. Também sobre o projeto “Cantos da Mata” ao qual traz a floresta, a observação de aves e o conhecimento para dentro da sala de aula e os alunos para a floresta como forma de adquirir vivencia com os patrimônios que os rodeiam. Foi uma manhã proveitosa e contou com a ilustre presença do professor Carlos Rizzo. Também, ainda sem data definida, uma conversa com a direção da escola Nativa Fernandes no Sertão da Quina para tratar da continuidade dos trabalhos iniciados em 2016 com as crianças.

Foto Legenda Nas redes sociais esta bela imagem de pescadores artesanais de Toque Toque Pequeno de São Sebastião que trazem boas recordações as comunidades tradicionais - pesca sustentavel.


Fevereiro 2017

Página 7

Jornal MARANDUBA News

Ubatuba lança operação de combate ao mosquito da dengue Prefeitura convoca população a eliminar criadouros do Aedes aegypti

SECOM/PMU Cerca de 400 pessoas participaram do mutirão contra o mosquito Aedes aegypti, realizado no sábado, 28 de janeiro. No total, foram vistoriados 3.635 imóveis localizados nos bairros Ipiranguinha, Jardim Ipiranga, Vale do Sol, Taquaral, além da região Centro. O objetivo foi eliminar o máximo de criadouros do mosquito, que transmite a dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Todas as secretarias e autarquias municipais, além de voluntários das empresas Sanepav e LK Manutenção, envolveram-se na ação. A força tarefa ainda teve o reforço de duas patrolas, duas retroescavadeiras, um bobcat, duas carregadeiras, três caminhões e cinco vans. A ação contou ainda com a participação da Sabesp e da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen). Ações A frente de combate ao mosquito é integrada por uma equipe de mais de 100 pessoas, entre agentes comunitários de saúde, agentes de controle de endemias, funcionários das diversas autarquias e secretarias municipais, além de moradores de diferentes bairros. O mutirão fará vistorias nas residências, estabelecimentos comerciais e públicos, além de retirar criadouros das vias urbanas. Também serão distribuídos panfletos de orientação a moradores, veranistas, comerciantes e motoristas, além de cartazes. Somente os agentes públicos estão autorizados a entrar nas moradias e estabeleci-

mentos privados. Os bairros escolhidos para começar a operação são os que apresentam os maiores índices de densidade larvária e números de casos suspeitos de dengue. A ação intensiva com a participação da população continuará nos próximos meses. “Entrei nesse jogo e vesti a camisa contra o mosquito junto à secretaria de Saúde e à Prefeitura de Ubatuba para que a população possa se conscientizar e ajude a prevenir todas as doenças trans-

mitidas pelo Aedes aegypti”, conta o secretário municipal de Esportes e Lazer, Marcelinho Carioca, que cedeu gentilmente sua imagem à campanha. Para o prefeito Delcio Sato, a participação da população é imprescindível e o combate ao mosquito deve ser uma ação diária. “Tenho certeza de que com essa postura e a educação cotidiana, vamos vencer essa luta contra a dengue e outras doenças”, destaca. Faça parte deste combate

– Elimine todo recipiente que possa acumular água ou mantenha-o cobertos ou com a boca para baixo - Nas praias ou em casa, embale o lixo adequadamente e jogue nas lixeiras – Limpe semanalmente ralos externos, calhas, caixas d’água, reservatório de água pluvial (chuva) e reservatório de degelo da geladeira – Em caso de suspeita da dengue, beba muito líquido, procure a unidade de saúde mais próxima à sua casa e faça o retorno para realização

do exame laboratorial, conforme a orientação médica. “Foi uma excelente ação, que resultou da união e apoio dos servidores, bem como da mobilização realizada pelo prefeito Sato”, destacou Jorge Ribeiro, coordenador da Vigilância em Saúde. A atividade inaugurou a operação “Guerra total ao mosquito Aedes aegypti” e se repetirá até o mês de maio. A próxima ação acontece no sábado, 4 de fevereiro, nos bairros Cachoeira, Morro das Moças e Figueira.


Página 8

Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Festa de São Sebastião do Bonete atrai público em final de semana SECOM/PMU A tradicional Festa de São Sebastião do Bonete de Ubatuba aconteceu no último dia 21, na praia Grande do Bonete, na região sul de Ubatuba. Neste ano, a festividade, em sua 169º edição, inclui diferentes atrações musicais e culturais em sua programação. Considerada uma das antigas do município, a festa, em que a comunidade celebra o dia de seu padroeiro, São Sebastião, é organizada pela Associação Catifó, que reúne os moradores caiçaras da comunidade. O evento também conta com o apoio da Prefeitura de Ubatuba por meio da Companhia Municipal de Turismo (Comtur), do Projeto Tamar e da RunnerSP. Na programação constaram atrações como a corrida de canoa caiçara – a primeira do ano e que reúne remadores da região em categorias masculino e feminina, além de diversas atrações musicais e culturais para o público. O evento Segundo Claudinéia de Jesus, conhecida como Claudinha e atual presidente da Catifó, a festa é uma oportunidade de conhecer a cultura caiçara e se divertir em uma das mais belas praias da cidade. “Temos muito prazer em celebrar o nosso padroeiro, mas também de manter viva e pulsante a cultura caiçara em nossa região, para que as novas gerações não percam a essência do nosso povo. Aproveito para convidar a todos para se divertirem conosco

vindo participar da festa”, sugere Claudineia. O projeto Tamar realiza com uma soltura de tartaruga e a empresa Runner SP, organizadora da prova Desafio das 28 Praias, promove uma corrida na areia para crianças com idade até 12 anos. Local A praia Grande do Bonete está situada na região da Lagoinha e o acesso se faz por trilha ou via mar, ambas opções saindo a partir da praia da Lagoinha. Por trilha, recomenda-se a contratação de um guia de turismo para o seu passeio ficar mais rico e diver-

tido. Já o traslado via mar é feito pelos barqueiros do Bonete. A viagem leva em média 15 minutos e custa R$ 50,00 para até 6 pessoas em média por embarcação. A programação contou com Edinho Abdusom Eletroacustico, Soltura de Tartaruga com o Projeto Tamar, 3ª Corrida Kids na Areia, 15ª Corrida de Canoa Caiçara do Bonete (Categorias: 1 remo masculino, 2 remos masculino, 2 remos feminino),Encerramento da Novena, Cantoria de Reis e por fim o Grupo Concertada. * * *

Ong Ubatuba em Foco abre inscrições para cursos gratuitos A Organização Não Governamental “Ubatuba Em Foco Região Sul” abriu inscrições para cursos gratuitos a moradores da região. A Ong fica no bairro do Sertão da Quina, próximo a padaria na Rua da Cachoeira – Benedito Antonio Elói esquina com a Rua Roberto Antonio do Prado. Por enquanto são oferecidos cursos de auxiliar administrativo, cuidador de idosos, corte&costura, violão, fotografia e vídeo, inglês, manicure, eletricista,tae Kwondo, capoeira, artesanato, bordado no chinelo, confecção de bonecas e bijuterias.

Os interessados devem trazer cópia de RG e CPF e comprovante de residência. Já o menor de idade deverá apresentar, além de seus documentos pessoais e comprovante de residência, cópia de documento dos pais, declaração escolar, assinatura de termo responsabilidade. Atestado médico é necessário apenas para os cursos de tae Kwondo e capoeira. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 9 ao meio dia e das 14 as 17 horas. Todos são bem vindos.


Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Sitio Recanto da Paz é palco de importante projeto sobre as Ciências da Terra da Universidade Federal do Rio de Janeiro O bairro do Araribá, através do Sitio Recanto da Paz-Gengibre de Ubatuba, recebeu importante projeto sobre Geoturismo, Geoconservação e Geodiversidade da UFRJ em sua propriedade. Os idealizadores do projeto-especialistas em geografia Maria do Carmo Oliveira Jorge e Antonio José Teixeira Guerra – são moradores do Araribá e conhecidos pelo importante trato dado ao conhecimento cientifico conjugados aos saberes nativos, ao território do litoral norte paulista e as ciências tradicionais regionais. O projeto é parte de um elaborado estudo que relaciona os conceitos e a importância da geodiversidade, do patrimônio geológico, do patrimônio geomorfológico, do geoturismo e da geoconservação na manutenção da real qualidade de vida de todas as espécies (incluindo o ser humano) no planeta, assim como também levar à compreen¬são da origem e evolução deste planeta e a respeitabilidade sobre o espaço vivido e construído. Popularizar as Ciências da Terra Por outro lado os especialistas dizem que o trabalho é importante para a popularização das Ciências da Terra, promover seus valores e reconhecimento – seja cientifico ou popular - também mostrar que o conjunto destas geoformas representa o patrimônio de uma determinada área, patrimônio este reconhecido pelos acadêmicos nos últimos anos através de seus trabalhos e estudos na região. Palavras como respeito e sustentabilidade são encontrados no distinto estudo que

aponta vários caminhos para seu entendimento, uso e até aplicação de políticas públicas regionais. Os autores descrevem que as bases conceituais têm como ponto de partida a discussão a respeito da geodiversidade, patrimônio geológico-geomorfológico e o papel do geoturismo como um novo segmento do turismo sustentável e, por fim, a importância da geoconservação seja na escala global ou local, como um novo paradigma voltado à sustentabilidade. Trabalhos de cunho acadêmico, no campo das Geociências, têm se tornado a contrapartida para a divulgação da geodiversidade e sua geoconservação, bem como o geoturismo a atividade aliada à conservação dos ambientes naturais. Conteúdo para escolas locais O trabalho apresenta dados e informações que já deveriam estar no conteúdo curricular das escolas de toda região, principalmente no que diz respeito a como identificar e conservar estas geodiversidades. Para as comunidades tradicionais, amantes da natureza, profissionais ligados a conservação de patrimônios, são informações preciosíssimas, já que agrega abordagens técnicas aliadas a vivencia regional e que trata de uma estratégia de desenvolvimento econômico aliado a sustentabilidade. O estudo se dá como porta nova de uma área do turismo muito rico em Ubatuba e ainda não experimentado. O trabalho, de fácil leitura e entendimento, possui 24 paginas recheadas de muito conhecimento. Ao final os

autores concluem que “esse olhar sobre a geodiversidade se faz presente, onde valores lhes são atribuídos, bem como mostram sua vulnerabilidade diante das atividades antrópicas. Em termos mundiais, e no caso específico brasileiro, essa pode ser uma forma de gerar empregos e renda, combinando os conhecimentos gerados nas universidades, em conjunto com prefeituras e órgãos particulares, preocupados com a sustentabilidade, mas também com a geração de renda, principalmente a população local. P ara tal, é fundamental que pesquisas continuem a ser realizadas, no sentido de compreender bem não só as características geomorfológicas e geológicas, mas também os seus valores e riscos envolvidos”. Nesse caso, o de auxiliar nas pesquisas de campo, o Sitio Recanto da Paz é o campeão em parceria.

Página 9


Página 10

Jornal MARANDUBA News

Foto recordação: Serra de Caraguatatuba Acompanhando os caminhos do processo civilizatório nacional, era sabido por todos que os acessos ao planalto era via “carreiros” que ligavam Cunha a Parati, Ubatuba a São Luiz do Paraitinga e Caraguatatuba a Paraibuna. Pequenos trechos de acesso que na maioria ainda eram através de muares ou cavalos, isto é caminhos estreitos, íngremes e acidentados, de existência muito antiga com trânsito só para pedestres, cavaleiros e cargueiros, com trânsito muito difícil, com erosões contínuas pelo efeito das chuvas, e quase sempre obstruídas por árvores e pedras desbarrancadas. Então um militar da Força Pública (Policia Militar) de férias no litoral paulista – dezembro de 1931- partiu de Santos a São Sebastião dentro do vapor Iraty. Lá conheceu o ex deputado estadual Manoel Hipólito do Rego, foi ai que começou a conversa para ligar o litoral ao planalto por uma estrada possível e transitável. Os esforços foram muitos, a revolução reduziu a empreitada, faltou verba. Enfim, mesmo construída mais da metade por militares ela foi inaugurada em 1938 como “obra civil” com a denominação “Rodovia dos Tamoios” dada através da Lei 1.796, de 18/10/1978, constituída como referência histórica ao nome de uma tribo indígena que habitava o litoral norte do estado e o litoral fluminense. O DER atribui a ela o feito, porém a história conta que teria de haver digno crédito aos homens da antiga Força Pública. Muita gente ainda se lembra da aventura que era transpor estes obstáculos. Era cada “carrão” movido a gasolina azul ou a diesel... Fonte: http://www.coroneloscarpinheiro.com.br

Fevereiro 2017

Bar do Pedro agora com Self-Service

Visando um melhor atendimoento, o tradicional restaurante Bar do Pedro oferece diariamente a opção self-service com cerca de 30 opções de alimentos diversos, além das deliciosas sobremesas. O sistema funciona diariamente das 11:30h até as 15:30h. O ambiente já é conhecido pelos pratos executivos, a la carte, pizzas, lanches e porções. O Bar do pedro está localizado na Av. Marginal 1261 Maranduba. Fone: 3849.5745.


Fevereiro 2017

Regional Sul executa serviços de infraestrutura urbana na região

A equipe responsável pela Regional Sul, que desenvolve os trabalhos supervisionados pela secretaria municipal de Serviços de Infraestrutura Pública em Ubatuba, realiza desde o dia 1º, diversas melhorias no local. Após a limpeza da praia da Maranduba, os trabalhadores estão se dedicando na limpeza de valas, ruas e ciclovias, além do emprego de máquinas e aplicação de material para melhorar o trânsito de veículos. Cerca de 10 trabalhadores participam da operação com a coordenação do administrador da Regional Sul, Josué Lou-

Página 11

Jornal MARANDUBA News

renço dos Santos (D’Menor). Alguns trechos, como a região da Estrada da Fortaleza e a entrada da rua Geraldo Berti na Maranduba, já receberam a operação tapa buraco. Essa operação continua no Sertão da Quina (que vai sentido à rua da Cachoeira). “Muitos serviços dependem das condições climáticas. A equipe pretende iniciar os trabalhos na estrada da Caçandoca. De qualquer forma, a operação tapa buraco continuará”, disse D’menor Também nesta semana acontece um mutirão na escola municipal e no posto de saúde do bairro Araribá. A re-

alização é uma parceria entre a Regional Sul e a equipe de manutenção da secretaria de Educação, pois vários funcionários da pasta devem colaborar com a iniciativa. Ações previstas Na programação, diversos serviços já estão elencados com o objetivo de deixar a região sul da cidade em melhores condições. “Devido aos trabalhos que serão executados e demandam mais tempo, como desentupimento de tubos e valetas, semana que vem estaremos nos bairros Folha Seca e Lagoinha”, explicou o administrador da Regional Sul.

Parceria Público-Privado ameniza situação do acesso a Caçandoca

Na segunda quinzena de janeiro, uma parceria entre moradores, comerciantes e Associação Quilombos da Caçandoca, Associação dos Proprietários da Praia do Pulso, Organização Arautos do Evangelho e Regional Sul realizaram importante reparo e manutenção da Estrada Municipal da Caçandoca (UBT 388).

Segundo populares, as entidades citadas conseguiram doação, de pelo menos, 200 toneladas de bica corrida para o trabalho. O esforço e o trabalho foi bastante elogiado. Mesmo com as fortes chuvas o acesso permaneceu em boas condições. Como diz um morador local ”não adianta reclamar, tem que colaborar”.


Página 12

Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Curiosidades sobre a época de Dom Pedro II

Quando D. Pedro II do Brasil subiu ao trono em 1840, 92% da população brasileira era analfabeta, em seu último ano de reinado em 1889, essa porcentagem era de 56%, devido ao seu grande incentivo a educação, a construção de Faculdades e principalmente de inúmeras Escolas que tinham como modelo o excelente Colégio Pedro II. Em 1887, a média da temperatura na cidade do Rio de Janeiro era 24° no ano. No mesmo ano a máxima no verão carioca no mês de janeiro foi de 29°. A Imperatriz Teresa Cristina cozinhava as próprias refeições diárias da família imperial apenas com a ajuda de uma empregada (paga com o salário de Pedro II). Em 1871, a Imperatriz Teresa Cristina doou todas as suas joias pessoais para a causa abolicionista, deixando a elite furiosa com tal ousadia. No mesmo ano A Lei do Ventre Livre entrou em vigor, assinada por sua filha a Princesa Imperial Dona Isabel. (1880) O Brasil era a 4º Economia do Mundo e o 9º Maior Império da História. (1860-1889) A Média do Crescimento Econômico era de 8,81% ao Ano. (1880) Eram 14 Impostos, atualmente são 98. (1850-1889) A Média da Inflação era de 1,08% ao Ano. (1880) A Moeda Brasileira tinha o mesmo valor do Dólar e da Libra Esterlina. (1880) O Brasil tinha a Segunda Maior e Melhor Marinha do Mundo. Perdendo apenas para Inglaterra. (1860-1889) O Brasil foi o primeiro país da América Latina e o segundo no Mundo a ter ensino especial para deficientes auditivos e deficientes visuais. (1880) O Brasil foi o maior construtor de estradas de Ferro

do Mundo, com mais de 26 mil Km. A imprensa era livre tanto para pregar o ideal republicano quanto para falar mal do nosso Imperador. “Diplomatas europeus e outros observadores estranhavam a liberdade dos jornais brasileiros” conta o historiador José Murilo de Carvalho. “Schreiner, ministro da Áustria, afirmou que o Imperador era atacado pessoalmente na imprensa de modo que ‘causaria ao autor de tais artigos, em toda a Europa, até mesmo na Inglaterra, onde se tolera uma dose bastante forte de liberdade, um processo de alta traição’.” Mesmo diante desses ataques, D. Pedro II se colocava contra a censura. “Imprensa se combate com imprensa”, dizia. “Quanto às minhas opiniões políticas, tenho duas, uma impossível, outra realizada. A impossível é a república de Platão. A realizada é o sistema representativo [a Monarquia]. É sobretudo como brasileiro que me agrada esta última opinião, e eu peço aos deuses (também creio nos deuses) que afastem do Brasil o sistema republicano, porque esse dia seria o do nascimento da mais insolente aristocracia que o sol jamais alumiou” MACHADO DE ASSIS ESCRITOR E FUNDADOR DA ACADEMIA BRASILEIRA DE LETRAS 1. A média nacional do salário dos professores estaduais de Ensino Fundamental em (1880) era de R$ 8.958,00 em valores atualizados. 2. Entre 1850 e 1890, o Rio de Janeiro era conhecido na Europa como “A Cidade Dos Pianos” devido ao enorme número de pianos em quase todos ambientes comerciais e domésticos. 3. O bairro mais caro do Rio de Janeiro, o Leblon, era um

quilombo que cultivava camélias, flor símbolo da abolição, sendo sustentado pela Princesa Isabel. 4. O Maestro e Compositor Carlos Gomes, de “O Guarani” foi sustentado por Pedro II até atingir grande sucesso mundial. 5. Pedro II tinha o projeto da construção de um trem que ligasse diretamente a cidade do Rio de Janeiro a cidade de Niterói. O projeto em tramito até hoje nunca saiu do papel. 6. Pedro II mandou acabar com a guarda chamada Dragões da Independência por achar desperdício de dinheiro público. Com a república a guarda voltou a existir. 7. Em 1887, Pedro II recebeu os diplomas honorários de Botânica e Astronomia pela Universidade de Cambridge. 8. Descontruindo boatos, D. Pedro II e o Barão/Visconde de Mauá eram amigos e planejaram juntos o futuro dos escravos pós-abolição. Infelizmente com o golpe militar de 1889 os planos foram interrompidos. 9. Oficialmente, a primeira grande favela na cidade do Rio de Janeiro, data de 1893, 4 anos e meio após a Proclamação da República e cancelamento de ajuda aos ex-cativos. 10. D. Pedro II tinha 1,91m de altura, quando a média dos homens brasileiros era de 1,70m e mulheres 1,60m. 11. Na época do golpe militar de 1889, D. Pedro II tinha 90% de aprovação da população em geral. Por isso o golpe não teve participação popular. 12. José do Patrocínio organizou uma guarda especialmente para a proteção da Princesa Isabel, chamada “A Guarda Negra”. Devido a abolição e até mesmo antes na Lei do Ventre Livre , a princesa recebia diariamente ameaças contra sua vida e de

seus filhos. As ameaças eram financiadas pelos grandes cafeicultores escravocratas. 1. O Paço Leopoldina localizava-se onde atualmente é o Jardim Zoológico 2. O Terreno onde fica o Estádio do Maracanã pertencia ao Duque de Saxe, esposo da Princesa Leopoldina. 3. Santos Dumont almoçava 3 vezes por semana na casa da Princesa Isabel em Paris. 4. A ideia do Cristo na montanha do corcovado partiu da Princesa Isabel. 5. A família imperial não tinha escravos. Todos os negros eram alforriados e assalariados, em todos imóveis da família. 6. D. Pedro II tentou ao parlamento a abolição da escravatura desde 1848. Uma luta contra os poderosos fazendeiros por 40 anos. 7. D. Pedro II falava 23 idiomas, sendo que 17 era fluente. 8. A primeira tradução do clássico árabe “Mil e uma noites” foi feita por D. Pedro II, do árabe arcaico para o português do Brasil. 9. D. Pedro II doava 50% de sua dotação anual para instituições de caridade e incentivos para educação com ênfase nas ciências e artes. 10. D. Pedro Augusto Saxe-Coburgo era fã assumido de Chiquinha Gonzaga. 11. Princesa Isabel recebia com bastante frequência amigos negros em seu palácio em Laranjeiras para saraus e pequenas festas. Um verdadeiro escândalo para época. 12. Na casa de veraneio em Petrópolis, Princesa Isabel ajudava a esconder escravos fugidos e arrecadava numerários para alforriá-los. 13. Os pequenos filhos da Princesa Isabel possuíam um jornalzinho que circulava em

Petrópolis, um jornal totalmente abolicionista. 14. D. Pedro II recebeu 14 mil votos na Filadélfia para a eleição Presidencial, devido sua popularidade, na época os eleitores podiam votar em qualquer pessoa nas eleições. 15. Uma senhora milionária do sul, inconformada com a derrota na guerra civil americana, propôs a Pedro II anexar o sul dos Estados Unidos ao Brasil, ele respondeu literalmente com dois “Never!” bem enfáticos. 16. Pedro II fez um empréstimo pessoal há um banco europeu para comprar a fazenda que abrange hoje o Parque Nacional da Tijuca. Em uma época que ninguém pensava em ecologia ou desmatamento, Pedro II mandou reflorestar toda a grande fazenda de café com mata atlântica nativa. 17. A mídia ridicularizava a figura de Pedro II por usar roupas extremamente simples, e o descaso no cuidado e manutenção dos palácios da Quinta da Boa Vista e Petrópolis. Pedro II não admitia tirar dinheiro do governo para tais futilidades. Alvo de charges quase diárias nos jornais, mantinha a total liberdade de expressão e nenhuma censura. 18. Thomas Edison, Pasteur e Graham Bell fizeram teses em homenagem a Pedro II. 19. Pedro II acreditava em Allan Kardec e Dr. Freud, confiando o tratamento de seu neto Pedro Augusto. Os resultados foram excelentes deixando Pedro Augusto sem nenhum surto por anos. 20. D. Pedro II andava pelas ruas de Paris em seu exilio sempre com um saco de veludo ao bolso com um pouco de areia da praia de Copacabana. Foi enterrado com ele. * * *


Fevereiro 2017

Página 13

Jornal MARANDUBA News

Aves da nossa rica Mata Atlântica: Colhereiro

Vivendo entre 10 e 15 anos, medindo entre 68,5 e 86,5 centímetros de comprimento e pesando até 1,5 kg gramas esta bela ave parece sempre estar dentro de um quadro, de uma pintura. Leve, ágil e bela o colhereiro (Platalea ajaja) é uma ave indicadora de ambiente sadio, bom, protegido, limpo, habitável. O nome se deve ao formato de colher que o bico dessas aves possui. Com ele, peneira a água, sacudindo e mergulhando o bico à procura de alimento. A presença de algumas substâncias nestes ítens alimentares, chamadas carotenóides, dá uma coloração rosada ao colhereiro, que se torna mais intensa na época reprodutiva. Batimento de bicos Seu nome científico significa: do (latim) platalea = bico em forma de colher (origem do grego platea = largo); e do (tupi) ayayá ou ajajá Colhereiro rosado. Ave rosada com bico em forma de colher ou colhereiro rosado. Habita ambientes aquáticos, como praias lamacentas e manguezais, e realiza migrações sazonais. O colhereiro é também conhecido por ser um animal gregário, ou seja, que vive em bandos. Machos e fêmeas são similares, mas possuem algum dimorfismo sexual, ou seja, machos são maiores e adquirem muda nupcial, apresentando tons fortes de rosa nas asas durante o período de acasalamento. Têm uma parada nupcial elaborada, que inclui batimentos de bico e ofertas mútuas de galhinhos. Ele nidifica em colônias e constrói o ninho com gravetos e talos secos de gramíneas em árvores. As colônias costumam ser mistas, englobando outras espécies de aves, como biguás e garças.

Foto: Antonio de Oliveira “Titio” - PROMATA

A fêmea geralmente realiza a postura de 2 a 3 ovos que são incubados por cerca de 22 dias. Após 6 semanas o juvenil começa a voar e aos 3 anos de idade atinge a maturidade sexual e apresenta a plumagem adulta. Sociáveis, procuram não apenas a companhia de seus iguais como, muitas vezes, se juntam a outras aves aquáticas (íbis e garças). Cor-de-rosa Como os Flamingos-americanos, a cor-de-rosa é derivado de dieta, que consiste no

carotenóide pigmento cantaxantina. Outro carotenóide, astaxantina, também pode ser encontrado. As cores podem variar entre rosa pálido ao brilhante magenta, dependendo da idade e localização. No período reprodutivo, exibe ainda mais bela sua plumagem cor-de-rosa: quanto maior a ingestão de crustáceos, mais rosadas ficam essas penas, o que é um indicador da boa qualidade ambiental, pois é extremamente sensível à poluição, não resistindo

muito tempo quando esta está presente. Alimentam-se em bandos ou solitariamente de peixes, crustáceos, camarões, insetos e moluscos. Os juvenis apresentam a plumagem da cabeça branca e o resto do corpo com penas na cor rosa mais claro que no indivíduo adulto. Na verdade, ele nasce branco, mas por volta dos três anos de idade adquirem o tom rosa - brilhante tão cobiçado pelos comerciantes de plumas. Vive em pequenos bandos e é uma ave pernalta de pes-

coço longo. Ao contrário das Garças, colhereiros voam com seus pescoços esticados, em bandos exibem um balé de cores e movimentos que causam inveja. Só que vê uma de perto sabe quão bela também é esta ave. Fique atento! Fonte: Promata, Ubatubabirds, Wikiaves, avesderapinadobrasil.com, casados pássaros.net, avescatarineneses, infoescola.com, biton.uspnet. usp.br, Wikipédia, http://zoologia2013.blogspot.com.br., http://passarinhando.com.br.


Página 14

Jornal MARANDUBA News

Fevereiro 2017

“Chacina na Ilha Anchieta - Tiroteio na invasão e retomada da Ilha” Parte 33

Jornais da época enviaram seus melhores repórteres para descrever a maior rebelião do planeta que aconteceu em nossa região, sobreviventes ajudam a contar a história.

Ezequiel dos Santos “Lendas & Outras Histórias - Seu Filhinho. A partir da pagina 106 deste livro o autor – Washington de Oliveira – Após o término da Segunda Guerra Mundial para a ilha foram levados e lá permaneceram por algum tempo os amotinados da Shindo Rem-mei, japoneses que não acreditavam ou não se conformavam com a derrota de seu país. Até que chegou o sangrento dia da rebelião – 20 de junho de 1952- quando o detento João Pereira Lima encabeçou a maior evento da época. Interessante saber que outro facínora, conta o livro, Francisco Faria Júnior, arvorou-se “comandante” por 24 horas do Instituto. Inteligente, observador, Faria Junior recrutou e armou detentos da sua confiança, reuniu funcionários dispersos e amedrontados dando-lhes garantia de vida. Também foi o responsável por abrigar a professora, seus alunos e todas as famílias que lá estavam assegurando-lhes amparo e respeito. Também foi responsável por liberar a cozinha para que todos pudessem se alimentar em meio ao caos. No quebra-mar da ilha, já ao amanhecer do dia seguinte, Faria Junior – fardado- recebeu o Coronel Benedito Hidalgo da Força Pública (Polícia Militar) que para a ilha se dirigiu com a missão de restabelecer a ordem. Perfilado Faria Junior fez continência ao coronel e pronunciou mais ou menos as seguintes palavras: “Francisco Faria Junior, até agora comandante interino,

neste momento transmito a V. EXª o comando efetivo do Instituto Correcional da Ilha Anchieta”. Este papel, por 24 horas, foi fundamental na revisão de suas pesadas penas que a ele eram impostas, acabando por ser colocado em liberdade condicional. Extinto o presídio, voltou a ilha como serviçal, casou-se na Enseada com uma caiçara e, finalmente, já idoso, encontrou abrigo no Lar Vicentino de Ubatuba, ali prestando pequenos serviços até seus últimos dias. O ICIA – Instituto Correcional da Ilha Anchieta foi desativado dois anos após a rebelião. Muitos morado-

res da época acharam ser a melhor medida: fechar o dito malfadado instituto correcional. Desocupado, abandonado, foram vários os palpites sobre o que fazer agora com este próprio do Estado. O que fazer?


Fevereiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Coluna da Adelina Fernandes

Carnaval vem ai... O carnaval, ah o CARNAVAL. Para muitos uma festa popular brasileira. A maior festa popular brasileira. Para outros a oportunidade de um dia de contos fadas, dia de colocar suas emoções guardadas durante um ano todo na avenida, dias em que a alma dança, o coração se enche de euforia e que as lágrimas podem brotar livremente sem que se precise segurá-las na garganta e no apertar dos olhos. O que está por trás de tanta emoção na avenida? Para quem simplesmente assiste um desfile de carnaval, parece ser apenas muito trabalho braçal de confecção de fantasias, carros alegóricos, ensaios de batuqueiros e só. Para quem desfila em sua fantasia de destaque, alem da confecção da fantasia parece que falta entender algo quando na concentração do desfile, o coração pulsa e as lagrimas começam a querer brotar ao toque da sirene sinalizando que em minutos a escola estará na avenida. A energia da massa que forma a escola toma conta do corpo, bambeia as pernas, enche o peito de coragem, determinação e a garra imediatamente toma conta de tudo na ânsia de fazer o melhor desfile. Entender estas sensações custa tempo e convivência com a comunidade, que forma a massa de uma escola de samba. Mas o desejo de

entender estas sensações vai além de pensar em custos. O respeito pela escola em si, uma vez que você se dispõe a representá-la na avenida, já existe. A admiração também, mas o que será que faz a alma desabrochar em lágrimas e se doa as emoções de uma forma tão pura e inteira? Talvez as pessoas não se dão conta que um desfile de carnaval não tem distinção de classe, cor e religião. O desfile na avenida é feito de IGUAIS. Mas só na avenida são iguais. E quando tudo acaba: Os espectadores voltam para suas rotinas de trabalho, seguros dos seus bons salários que os garantirão apreciar o espetáculo do próximo ano. Parte dos componentes voltarão a pensar em carnaval só nos 2 meses que antecedem a festa do próximo ano, outra parte dos componentes da escola volta para seus trabalhos dignos que de sol a sol lutam para ter dias de alegrias no próximo carnaval. Alguns passarão o ano todo voltando a escola regularmente em busca dos preparativos para sonharem com o próximo desfile, como forma de distração e alento da vida dura que vivem. Alguns já começam a trabalhar para o próximo car-

naval, pesquisando enredo, criando fantasias e ensaiando os versos que caberão no samba enredo. Viver de carnaval? Não exatamente, apenas encontrar na arte popular uma maneira de expor amor, dedicando-se à comunidade com alento de realização dos sonhos. Convivendo e se dedicando às pessoas que encontram na escola o colo para suas dificuldades, seus sofrimentos... proporcionando estrutura emocional para que a massa viva com um mínimo de esperança e que saibam que por mais difícil que a vida se torne ao longo do ano, existe uma grande família que não desampara. Isso é viver em comunidade. Mas claro que toda comunidade tem seus líderes natos, aqueles que não precisam ser nomeados. Que se dispõe a enfrentar tudo e todos em função da realização dos sonhos de uma maioria. Estes líderes são guerreiros, acolhedores e idolatrados, mesmo sem serem nomeados líderes. São estes líderes que conhecem a vida de cada um da comunidade e sem distinção trata todos, todos os tipos de componentes da escola, com amor, paciência e acolhimento e dedicação. Ao se vivenciar tudo isso eis a resposta de onde vem tanta emoção e tanta energia ao se pisar na avenida.

Página 15



Jornal Maranduba News #93