Issuu on Google+

Maranduba, Janeiro 2017

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 8 - Edição 92

Em cerimônia de posse Sato e Palé afirmam compromissos de uma cidade melhor


Página 2

Jornal MARANDUBA News

Janeiro 2017

Crianças recebem presentes no natal Aguinaldo José Na manhã do último dia 25, um grupo de empresários, amigos e simpatizantes distribuiu presentes ao lado da igreja Nossa Senhora das Graças no Sertão da Quina. O grupo vem há anos e costumeiramente realizando o sonho de quem, por vezes, não tem expectativa nenhuma de receber algum presente nesta data. Como sempre as crianças encheram os olhos com os brinquedos. Muitos até se importaram mais com o ato do que com o fato, queriam mesmo era experimentar a sensação de que alguém lembrou deles, receber um feliz natal e dizer simplesmente um muito obrigado.

Nota de Agradecimento:

Os gestores da equipe “em Nativa Fernandes de Faria” e “emei Thereza dos Santos” após estes quatro anos de desafios e grandes conquistas, pudemos perceber que o segredo do sucesso está (além da força do nosso trabalho e na vontade que estivemos cultivando a cada dia para fazer sempre o melhor), também no apoio de professores, pais, alunos e tantos outros colaboradores que fizeram com que estes quatro anos de gestão fossem muito bem sucedidos. A todos, nossa gratidão! Rosanea e Magali Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3849.5784

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3849.5784 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Editora de Variedades: Adelina Fernandes Rodrigues Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Consultor de Marketing - Luiz Henrique dos Santos - Publicitario Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo


Janeiro 2017

Página 3

Jornal MARANDUBA News

Primeiro dia do novo governo de Ubatuba

ASCOM-PMU O primeiro dia da nova equipe administrativa que assumiu o comando de Ubatuba começou pontualmente às 7h com uma reunião convocada pelo prefeito Délcio Sato (PSD). Vice-prefeito, secretários, adjuntos, assessores, administradores regionais, presidentes de empresas e autarquias estiveram reunidos por cerca de 2 horas na sala de reuniões do Gabinete. Liderada pelo prefeito, a reunião abordou assuntos como um diagnóstico que deverá ser apresentado pelos titulares das pastas em uma semana. Discutiram ainda rotinas administrativas, plano de 100 dias e o orça-

mento para este ano . “Começamos efetivamente hoje uma nova história em Ubatuba. Vamos trabalhar muito e sabemos que será um ano difícil, mas com criatividade e a união de todos venceremos, por uma Ubatuba melhor”, declarou Sato. Após a reunião, o prefeito Sato recebeu em seu gabinete a visita de Mário Sérgio, assessor da Casa Civil, que veio especialmente a pedido de Samuel Moreira, titular da pasta no Governo do Estado de São Paulo, parabenizar Sato e discutir ações e projetos para a cidade. Já no período da tarde, até o início da noite, Sato despachou com vários secretários.

Em cerimônia de posse Sato e Pelé afirmam compromissos de uma cidade melhor ASCOM-PMU No primeiro dia do ano de 2017, as 17 hs, a Câmara Municipal de Ubatuba protagonizou mais uma cerimônia de posse de prefeito, vice e vereadores. Na Egrégia Casa de Leis todos fizeram seu juramento de posse. Após a solenidade no Legislativo foi a vez do Paço Municipal protagonizar mais uma transmissão de cargo do Executivo. Segundo a assessoria de imprensa da prefeitura cerca de mil pessoas prestigiaram a solenidade. Desta vez, um palco foi montado no estacionamento da prefeitura onde se apresentaram bandas locais. Houve ainda a fala de um religioso e a apresentação de um vídeo motivacional. No palco prefeito e vice discursaram aos presentes. No discurso Sato afirma estar emociona-

do e destaca seu compromisso “de trabalharem por uma cidade melhor”. O novo staff de secretariado foi convocado para a primeira reunião de trabalho a partir das 7 horas da segunda feira do segundo dia do ano. Cita parte de um texto do jornalista, psicanalista e professor, Rubens Alves, com

título: Sobre Política e Jardinagem ao qual se propõe a ser o grande jardineiro de Ubatuba. Agradece a Deus, família, aos presentes e seus colaboradores. Finaliza o discurso dizendo - “Agora somos todos Ubatuba e a nossa campanha é pela sua recuperação. Juntos, vamos fazer acontecer!”.

Silvinho Brandão é o novo presidente da Câmara

Apenas três veredores ocupam uma cadeira na Câmara pela primeira vez, Sidnei ‘Rochinha’ (PTB), Welington Moura (PMDB) e José Roberto Jr (PTN). O legislativo contará ainda com os veteranos Claudnei Xavier (PSDB), Adão Pereira (PCdoB), Manuel Marques (PT) Reginaldo ‘Bibi’ (PMDB), Ricardo Cortes (PSC), Osmar Prado (PSD) e Silvinho Brandão

(PSDB), que foi escolhido por seus pares para presidir a casa de leis. Reginaldo ‘Bibi’ (PMDB), que tomou posse para seu segundo mandato, foi o único a se opor à escolha de Brandão para a presidência da Câmara. Após a posse, os eleitos se dirigiram ao Paço Anchieta onde aconteceram apresentações musicais em comemoração à posse do novo governo.


Página 4

Janeiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Prefeitura intensificará fiscalização de ambulantes nas praias de Ubatuba ASCOM-PMU A partir do dia 2 de janeiro, o setor de Fiscalização da Prefeitura de Ubatuba intensificará a fiscalização de ambulantes nas praias mais movimentadas de Ubatuba. A Operação Praia Legal contará com 30 fiscais que terão apoios da Guarda Civil Municipal e Polícia Militar nas praias Grande, Tenório, Toninhas e Maranduba. Esta ação visa coibir o comércio ilegal e oferecer mais garantia e qualidade de serviço para o turista. A fiscalização também ocorrerá à noite na Avenida Iperoig, no centro. Diariamente, a operação terá início às 6 horas. Na Praia Grande são cinco rampas de acesso para os ambulantes. Nestes acessos serão instalados correntes e cada ponto terá um fiscal uniformizado. Só será permita a entrada dos ambulantes com suas credenciais regularizadas. Ambulantes irregulares serão orienta-

Foi anunciada a criação de uma comissão de estudo para alterar a lei de comércio ambulante e aumentar o número de licenças

dos a se deslocar ao órgão de fiscalização da Prefeitura para regularizar a sua licença. Nas quatro praias a fiscalização ocorrerá também na areia. Atualmente Ubatuba possui 736 licenças para ambulantes. Por alteração de lei, o município precisa reduzir em 20% o número de licenças. Na praia Grande é necessário chegar ao número de 108 e hoje são 109. No entanto, na alta temporada ultrapassa 400 ambulantes, somando-se aos

irregulares. A praia do Tenório conta com 56, Toninhas e Maranduba cerca de 50 cada. O futuro diretor de Fiscalização da Prefeitura, Rubens Umberto Donato, adianta que a primeira semana será educativa. “Após este prazo daremos início às apreensões das mercadorias dos ambulantes irregulares e reincidentes. Mercadorias apreendidas e não reclamadas em 30 dias, seguem para o Fundo Social de Solidariedade”, afirma Donato.

Ambulantes ilegais protestam contra fiscalização em Ubatuba Do G1 Vale do Paraíba e Região Ambulantes ilegais fizeram um protesto após a prefeitura impedir que eles trabalhassem nas praias de Ubatuba, na manhã desta segunda-feira (2). A fiscalização realizada pela nova administração impediu que cerca de 300 ambulantes irregulares trabalhassem nas areias. Derca de 60 pessoas participaram do protesto e fecharam a rodovia Rio Santos, no trecho da Praia Grande – um dos mais movimentados da cidade -- por cerca de 30 minutos.

Ubatuba mantém ações da Operação Praia Legal

Foto: Raell Nunes / Tamoios News

A prefeitura informou que estuda abrir vagas para novas 300 licenças.

Mas, enquanto isso, diz que não vai permitir o trabalho dos ilegais.

Reperesentantes da Prefeitura, Guarda Municipal e Policia Militar durante reunião com ambulantes

ASCOM-PMU Secretários e Assessores da Prefeitura de Ubatuba receberam na manhã desta segunda, 2, uma comissão de ambulantes irregulares que protestaram quanto fiscalização na Praia Grande. A abordagem ocorreu na manhã de hoje dentro da Operação Praia Legal, uma ação que visa coibir o comércio ilegal e oferecer mais garantia e qualidade de serviço para o turista. Participaram da ação 30 fiscais, com os apoios da Guarda Civil Municipal e Polícia Militar. A comissão de ambulantes revindicou que a Prefeitura aumentasse o número de licenças e cancelasse a operação. “Estamos atendendo a legalidade. Temos que trabalhar na lei e procurar o que seja melhor para todos. Se não houver fiscalização estaremos prevaricando”, afirmou

Anthero Mendes, Assessor Jurídico Legislativo. A Operação Praia Legal foi mantida e foi anunciada a criação de uma comissão de estudo para alterar a lei de comércio ambulante e aumentar o número de licenças, que hoje é de 720 vagas para todo o município. Por alteração de lei, o município precisa reduzir em 20% o número de licenças. Na praia Grande é necessário chegar ao número de 108 e hoje são 109. No entanto, na alta temporada ultrapassa 400 ambulantes, somando-se aos irregulares, segundo dados da Divisão de Tributos Mobiliários da Prefeitura de Ubatuba. A praia do Tenório conta com 56, Toninhas e Maranduba cerca de 50 cada. A operação ocorrerá diariamente às 6h nas praias Grande, Tenório, Toninhas e Maranduba.

ANUNCIE (12) 3849.5784 / 99714-5678


Janeiro 2017

Página 5

Jornal MARANDUBA News

Nomes de secretários e administradores indicados da nova gestão que interessa diretamente a região

Bombeiros apagam incêndio na rua da cachoeira Ação é suspeita de ser criminosa

Foto: Radar Litoral

No último dia 02 de dezembro, o prefeito de Ubatuba Délcio José Sato (PSD) divulgou os nomes do seu corpo de secretariados. Num total de 37 nomes, dentre eles os que interessam diretamente a região sul de Ubatuba por conta das demandas a esta população, principalmente as emergenciais relacionadas a temporada. Na oportunidade Sato transmite sua opinião de como foi a escolha - “reunimos em nossa equipe profissionais competentes. Em sintonia com a Câmara Municipal faremos uma cidade melhor, diferente. O momento é de unir todas as forças por Ubatuba”, comenta o prefeito da gestão 2017 a 2020. Ao término do evento o prefeito ainda faz uma última fala: “Daqui a quatro anos quero ver uma cidade melhor e poder dizer que nós contribuímos para isso”, finaliza Sato otimista com o momento. Alguns dos anunciados Ronaldo Dias Junior (Nuno) / Chefe de Gabinete Adilson Lopes / Superintendente de Gestão de Políticas Sociais José Pinto de Souza Americano / Secretário Superintendente de Gestão de Desenvolvimento Sustentável

Luciana Machado Resende / Assessora de Desenvolvimento Social Elizeu Alves Correa / Ouvidor Hélio José de Paula / Secretário de Educação Marcelo Pereira Surcin - Marcelinho Carioca / Secretário de Esportes e Lazer Wilber Schmidt Cardozo / Secretário de Habitação e Planejamento Urbano Pedro Vicente Tuzino Leite / Secretário de Serviço de Infraestrutura Pública Virgilio Barroso / Secretário de Meio Ambiente Claudio dos Santos / Secretário Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento Dr. Alessandro Cacciatore / Secretário de Saúde Luiz Antonio Bischof / Secretário de Turismo Valdemir Fernandes Pedroso / Presidente da Empresa Municipal de Desenvolvimento Urbano - EMDURB Pedro Paulo Teixeira Pinto / Presidente da Fundação de Arte e Cultura de Ubatuba FUNDART Andrade Henrique dos Santos / Presidente da Companhia Municipal de Turismo Josué Lourenço dos Santos / Administrador da Regional Sul James Ricardo Guimarães / Administrador da Regional Centro Sul

No último dia 28, uma residência na rua da cachoeira foi atendida por uma guarnição do Corpo de Bombeiros – combate a incêndio - para apagar as chamas que consumiu um veículo, plantas, paredes, vários objetos e janelas do lado de fora da casa. A moradora foi acionada por vizinhos e amigos que se espantaram com o volume das chamas. Dentro da residência uma cadela foi resgatada ainda com vida e muita assustada com a fumaça e o calor das chamas. Próximo ao veiculo em chamas estava um botijão de gás que abastece a residência, felizmente foi retirado a tempo

pelos bombeiros. Foram dezenove ligações ao 193, ao final eram três viaturas no atendimento a ocorrência. O caso aconteceu pouco antes das 9 da manhã e as chamas puderam ser vistas ao longe. Na ocasião os moradores haviam saído para trabalhar. Segundo populares, tudo indica que algo foi atirado pelos fundos por cima do muro e jogado sob o carro, num período em que o provável socorro e atendimento pode ser difícil por conta do fluxo de veículos nas estradas na temporada. O proprietário do veículo queimado informa que toda rede elétrica estava desligada, não havia combustível no car-

ro e a bateria foi retirada há tempos - quando foi guardado no local. O casal agradece a equipe dos bombeiros que, felizmente, estavam passando pela região e receberam o chamado. São eles o 3º Sargento Caetano e os soldados Willians e J. Alves. Também aos vizinhos e amigos que se solidarizaram com o casal pela rapidez em acionar a equipe, localizar o morador e socorrer os objetos e animais que estavam literalmente na linha de fogo. O caso já foi encaminhado às autoridades técnicas e policiais e as imagens de vídeo internas ajudarão no caso.


Página 6

Janeiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Plano permite casa e comércio em área de mata atlântica de Ubatuba EDUARDO GERAQUE Enviado Especial a Ubatuba FOLHA VERÃO (SP)

As praias do norte de Ubatuba, como Itamambuca, Félix e Ubatumirim, vão ganhar mais construções de casas e comércios nos próximos anos. É o que prevê um novo plano estadual, chamado de ZEE (zoneamento ecológico-econômico), criado em 2004 e agora em reformulação. Ao determinar que algumas áreas hoje classificadas como Z2, mais preservadas, virem Z4, mais urbanizadas, abre-se o caminho para que condomínios se instalem na região. A tendência é que novas casas sejam erguidas em áreas onde atualmente existe apenas mata atlântica. Em praias do sul do município, como a Domingas Dias, também existe a possibilidade de construções brotarem em meio à mata. Na prática, com a mudança, novas construções poderão desmatar até 40% dos terrenos –hoje o limite é de 20%, e os condomínios são vetados. A mudança vale para todo o litoral norte do Estado, mas tem seu ponto mais polêmico em Ubatuba. Um passo importante pode ocorrer nesta quinta (22), no Consema (Conselho Estadual de Meio Ambiente). Se aprovado, será enviado para sanção ou veto do governador Geraldo Alckmin (PSDB). Estimativas da prefeitura e da sociedade civil organizada divergem, mas preveem que, com o novo zoneamento, a parte norte do município, próxima a Paraty (RJ), pode ter um aumento de construções em cerca de 50%. Nas praias do Félix e Itamambuca, hoje há casas de alto padrão em algumas áreas. Como nos dois locais haverá mais Z4 do que já existe, a tendência é que novas obras surjam por ali. O mesmo ocorre em Ubatumirim,

onde há casas de pescadores e pequenos restaurantes, além de campings, perto da orla. “É uma mudança que vai começar a incentivar a urbanização do litoral norte de Ubatuba. A tendência é que esse processo apenas aumente. O primeiro passo foi dado. Se em vez da Z4 [mais urbanizada] fosse mantida a Z2 [mais preservada], a preservação seria muito maior no futuro”, diz Tami Albuquerque, oceanógrafa e ambientalista. Verticalização Ambientalistas contrários à proposta temem que esse seja o primeiro passo para a verticalização de algumas áreas. O novo governo municipal terá, em 2017, logo no início da gestão, que revisar o plano diretor e a lei de uso e ocupação do solo, que poderá permitir prédios em regiões onde hoje é proibido. Outro desdobramento de uma maior urbanização das praias ao norte de Ubatuba poderá ser a favelização de algumas regiões, como ocorreu, nas últimas décadas, em São Sebastião, ao lado de áreas como Maresias e Juquehy. “Eu, praticamente sozinha, levantei mais de 3.000 assinaturas na fila de lotérica contra esse zoneamento”, afirma Carmen Turini. Moradora de Itamabuca, ela teme que a construção de novas casas na praia, sem infraestrutura adequada, prejudique a qualidade ambiental. “Esse processo todo foi muito pouco transparente.” Os movimentos ambientais reclamam que apenas representantes do setor imobiliário estiveram nas comissões que discutiram o tema com o governo estadual. Os grupos favoráveis à mudança, que incluem a prefeitura, dizem que estão apenas urbanizando regiões ocupadas e com loteamentos já previstos. Segun-

Moacyr Lopes Junior/Folhapress

do eles, essas áreas correm mais risco se nada for feito, como no caso de parte de Ubatumirim, onde os turistas estacionam centenas de carros na praia durante a alta temporada. As mudanças dividem os moradores de comunidades tradicionais da região. Alguns querem mais urbanização, principalmente os donos de campings, e outros pedem que nada mude. O poder público também defende a tese de que condomínios em xeque na cidade foram feitos antes de 2004, quando passou a vigorar o zoneamento agora sob discussão. “Se eles conseguirem resolver os problemas que eles têm na Justiça, eles vão sair independentemente do zoneamento, que é posterior”, diz Juan Blanco, secretário local de Meio Ambiente. Essa versão é rebatida. Para ambientalistas, se as zonas restritivas ficassem registradas nos mapas da parte norte de Ubatuba, seria mais fácil preservar a mata atlântica e impedir os novos condomínios. Urbanização x Verticalização O pesquisador Marcel Fantin, especialista em gestão regional e professor da USP/São Carlos, critica os impactos do novo plano estadual de zoneamento ecológico-econômico em Ubatuba. Para ele, trata-se de uma disputa complexa entre interesses coletiJornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3849.5784

vos e individuais. “A possibilidade de expandir ‘ocupação para fins urbanos’ e ‘unidades comerciais e de serviços’ em setores anteriormente proibidos reflete a necessidade do mercado imobiliário de se apropriar de áreas ambientalmente relevantes para garantir a expansão de sua atividade principal, a produção de unidades residenciais voltadas ao turismo de segunda residência”, diz. Para Fantin, enquanto as praias do norte de Ubatuba deveriam ter zoneamento restritivo, porque possuem ambientes naturais raros e bem preservados, há outras áreas do município bastante urbanizadas que poderiam receber novos empreendimentos. SANEAMENTO O prefeito de Ubatuba, Maurício Moromizato (PT), rebate. “A urbanização destas áreas é que vai garantir a preservação delas. Não é o zoneamento que vai mudar as praias de Ubatuba. O grande problema que precisa ser resolvido é a falta de saneamento básico, inclusive nestas praias preservadas”, diz. Há um edital aberto na cidade, que deverá ser levado adiante pelo futuro prefeito de Ubatuba, Delcio Sato (PSD), com a intenção de contratar uma empresa para a universalização do saneamento. Atualmente, a cobertura do tratamento de esgoto atinge

30% das moradias. A Sabesp é prestadora de serviço na região, mas não investe em saneamento. “Ninguém vai querer construir em praias poluídas. É isso que vai ocorrer se as praias não cuidarem do seu esgoto”, afirma Maurício Moromizato. Para Juan Blanco, secretário de Meio Ambiente de Ubatuba, não haverá nenhuma grande mudança radical com a alteração. A exceção está, de acordo com ele, no extremo sul do município, na já urbanizada praia de Maranduba, localizada perto da cidade de Caraguatatuba. As estimativas são de que, na próxima década, de 20 mil a 40 mil pessoas passem a morar nessa região –o que, no cenário de maior adensamento, poderia duplicar a população da praia. A Sabesp afirma que investiu R$ 103,7 milhões nos últimos cinco anos em Ubatuba e que o índice de tratamento de esgoto na área formal da cidade é de 52%. A empresa também diz que “a inércia administrativa” da administração municipal “impediu que a Sabesp fizesse mais investimentos no município.” Fonte: http://m.folha.uol.com.br/ cotidiano/2016/12/1843632-plano-permite-casa-e-comercio-em-area-de-mata-atlantica-de-ubatuba.shtml


Janeiro 2017

Casal renova votos de 67 anos de matrimônio

No último dia 10, o casal de moradores tradicionais Sebastião Pedro de Oliveira e Maria Gaspar, renovaram os votos de mais um ano de matrimônio. A festa aconteceu na residência do casal e contou com familiares, amigos e convidados. Foram renovados os votos de 67 anos de convivência matrimonial, o que lhes garante um dos raros títulos alcançados por casais ainda juntos neste país. Numa lista que alcança um século de matrimonio, o casal Tião Pedro e Dona Maria alcançaram desta vez a “Bo-

Página 7

Jornal MARANDUBA News

das de Neve”. Comes e bebes a vontade, muita música, descontração e alegria. A emoção nas homenagens também se fez presente. O padre Daniel realizou a celebração de renovação de votos e alianças - que emocionou muita gente. Firme e forte Tião Pedro passou por cirurgias e Dona Maria por cuidados médicos sob a supervisão carinhosa de filhos e netos. O casal continua firme e forte a vida ao lado dos familiares e amigos. Parabéns ao casal e que esta experiência de vida sirva de exemplo para muitos.

Chuva da tarde no último dia do ano cai com raios e trovoadas

Na tarde do último dia do ano de 2016, turistas que estavam nas praias da região sul foram pegos de surpresa por uma chuva de grande porte. Ela veio acompanhada de raios e trovoada, o que fez muita gente correr da praia. Poucos foram os que se arriscaram na água e na areia. Em alguns lugares, as ruas laterais pareciam pequenos rios de água levados a praia, tamanho volume de

água em tão pouco tempo de chuva. O que mais assustou as pessoas foram os raios e trovoadas que ecoavam ao longe. Muita gente se abrigou em barracas e guarda-sóis, que agora se faziam de guarda-chuva. Com muita gente indo embora o transito também ficou comprometido, onde da Lagoinha a Maranduba eram percorridos em quase uma

hora. Mesmo com a forte chuva o calor continuou intenso. Em alguns lugares pessoas ate passaram mal. Embora com chuva, muita gente aproveitou a tarde e a água fria para se refrescar, também serviu para reforçar o abastecimento dos sistemas de água e rios da região. O perigo mesmo é a incidência de raios em campo aberto e a praia é um local atrativo para este perigo.


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Janeiro 2017

Maranduba recebe milhares de turistas na virada de ano novo No último dia do ano para o primeiro de 2017 a praia da Maranduba recebeu milhares de pessoas para a passagem de ano. Os fogos na orla foram realizados na totalidade pelos esforços da iniciativa privada e foram vistos em toda a orla divididas em três partes: uma mais ao sul da Praia da Maranduba, outra ao centro próximo ao Camping CCB e na Praia da Lagoinha. Diferente dos anos anteriores esta edição não surpreendeu o grande público. Muitos que haviam participado anteriormente reclamaram do pouco volume e intensidade inferior aos fogos desta vez. Algumas

Feliz

2 0 1 7


Janeiro 2017

Jornal MARANDUBA News

Página 9

Iniciativa privada mantém o mínimo de fogos na praia praias, como a do Pulso e Bonete, no entorno da grande orla não se manifestaram nesta virada de ano. O som ficou por conta de veículos estacionados na areia e barracas que ainda permaneciam abertas para atender o mar de gente. O transito como sempre ficou caótico com a travessia de pessoas que chegavam e saiam da praia. Felizmente não houve nenhum registro de acidente ou outro acontecimento de maior gravidade. Agora é saber se as pessoas, que se cumprimentaram no ano passado, irão cumprir as promessas para este novo ano. E como eco da noite da virada “Que venha 2017!”

Feliz

2 0 1 7


Página 10

Jornal MARANDUBA News

Janeiro 2017

Foto recordação: Escola da Caçandoca em 1950

Um dos povoados mais recheados de história, também á época um dos mais populosos. A imagem da primeira escola da Caçandoca traz muitas recordações a seu povo, muitas alegres outras dolorosas. Ao que parece a escola está onde se encontra a atual. Não havia a estrada, era pelo “carrero” que as pessoas iam aprender. A barra do Rio da Caçandoca passava por traz da escola, ainda passa, porém com um volume de água e vegetação muito superior ao que existe hoje. Muitas vezes a maré enchia e ficava difícil chegar a escola. No entorno, no campo aberto, havia material das construções antigas, da época da fazenda que fora utilizado como aterro quando a especulação imobiliária abriu a estrada, contam os mais experientes do local. Na foto, em futura pesquisa quem sabe descobriremos quem pousou para o “retratista” registrar esta imagem épica.


Janeiro 2017

O que a temporada não faz com um camarada Por aqui, houve uma época em que o tempo era o indicador de toda e qualquer atividade exercida pelo homem e pela natureza. Tinha tempo pra tudo, pra casar, pra fornear, pra caçar, pra pescar, pra plantar e agora, depois de décadas de vida as pessoas descobriram o tempo do verão e também do surfe. Foi o que aconteceu com o morador do Araribá Xerses Lopes Lima, que com o sol literalmente “esquentando” as costas do povo resolveu se enveredar também nas “ondas” do verão. Na tentativa de sair na surdina com sua “bike” e uma prancha a tira-colo foi flagrado por Roberto Pituí na fuga desesperada a praia. O único problema nesta história é que o surfista da vez ou o suposto surfista não sabe nadar.

Página 11

Jornal MARANDUBA News

Com anos dedicado ao escotismo, Xerses sabe de tudo e mais um pouco, mas se falar em entrar na água pra ele, só se for até a canela. Na reali-

dade ele aproveitou a viagem para levar a prancha a um conhecido e foi flagrado no meio do caminho. Mas que ele estava feliz com a prancha tava.

Praia da Figueira

Esta praia quase selvagem está localizada em frente da Ilha do Tamandua e é muito apreciada para náutica e mergulho. Acesso por trilha pelo morro da Caçandoca, Caçandoquinha, Saco das Bananas ou pelo lado sul, via praia da Tabatinga. Por este acesso também é possível conhecer as praias da Ponta Aguda e da Lagoa. Foto: Adelina Fernandes

Praia da Raposa - Quilombo

Grupo nas ruas do Sertão levando a alegria do Papai Noel as crianças Na madrugada do último dia 25, amigos voluntários e simpatizantes liderados pelo “Grupo É Preciso Amar” caminhou pelas ruas do bairro do Sertão da Quina para distribuir alegria às crianças e até adultos na data deste natal. Foi utilizada uma tração animal e personagens conhecidos das crianças para chamar a atenção. Também foram distribuídos brinquedos, realizados fotos e distribuição de sorrisos e muita descontração. O grupo de voluntários é o mesmo que realiza o dia das crianças a alguns anos no campo do Sertão da Quina. Foi pelo menos uma semana de preparação e o resultado agradou a todos. Não sobraram presentes, mas sobraram disposição e alegria. Oh!Oh!Oh!Oh!

Belo promissor e aconchegante - foto: Marlene da Caçandoca


Página 12

Turismo nas cachoeiras da Região Celeste Aguilera O ano de 2016 termina com tudo, o verão começa com festa e os reencontros, são os começos e também os finais. Depois do dia 26/12 a galera do interior e das capitais chegaram com tudo nas nossas cachoeiras. O Sertão da Quina conta com varias cachoeiras, umas próximas, outras há horas de caminhada. A primeira delas é a famosa “cachoeira do Correia”, agora também conhecida como a “do Guardião”. Seu diferencial é seu ponto de abertura em meio à mata que permite a entrada do sol de um “jeitinho” único. Acima segue a “Cachoeira Dois”, delas a menos concorrida. Esta se encontra subindo o morro próximo a bica. A próxima e mais calorosa por sua integração familiar é a cachoeira da Renata. Conhecida por ter o amplo escorregador e a pedra para pular no poço abaixo. Mais um pouco na trilha de nossa mata chegamos a Poço Verde, onde nos encontramos com águas que fazem massagem sobre nós e é a mais funda. Esta cachoeira permite ter atividades como bóia cross. Para quem quer aventura-se na floresta ombrófila densa e explorar as escarpas da Serra Mar, podem fazer com guias locais, caiçara, que trabalham com turismo aventura e tradições. Vem para Ca todo tipo de turista: jovens, amigos, famílias completas, avós, netos, pais e filhos em busca de “matar o calor”, de

Janeiro 2017

Jornal MARANDUBA News

observar as aves da região e as exuberantes cobras. Também refrescar a mente e tomar banho nas nossas águas frias e limpas. O famoso banho depois da praia, para se recuperar e renovar as forças. O banho da cachoeira transmite a sensação de purificar a vida. Mais infelizmente muitos turistas vêm para cá, digamos “sem juízo”, desorganizados e deixam expostos a sua falta de sensibilização. O lixo segue

sendo jogado em qualquer lugar a qualquer hora, vira nosso problema depois que o turista vai embora. A falta de políticas educacionais e responsabilidade surtem tais resultados. Deixando de lado isso o turista curte feliz o dia todo e algum vem só passar um tempo para conhecer a beleza que tem no interior dos bairros como as cachoeiras do Sertão da Quina mostrando que o Litoral não é só praia.

1ª quinzena de dezembro bate recorde de calor

Na primeira quinzena de dezembro de 2016 foi registrada a maior onda de calor no litoral norte paulista, ou pelo menos uma sensação térmica que parecia beirar os 50 graus. Literalmente dava para fritar um ovo no asfalto. Porém alguns termômetros públicos registraram a sensação térmica, ou melhor, o calor escaldante que afetava a população. Na Avenida da praia em Caraguatatuba um termômetro chegou a registrar 49 graus, o que espantou muita gente. A imagem circula pelas mídias sociais e é alvo de espanto de todos. Há tempos não se registrava um calor tão devastador como este. Até houve uma má inter-

pretação de dados apontando uma possível catástrofe pela região, porém nada aconteceu. A praia, ao que se costumava observar, não lotou desta vez, a não ser pela manhã e a tardezinha. Durante o horário de pico eram poucos os que se arriscavam neste sol escaldante. Neste período as pessoas que fugiam da agitação para a praia, preferiam fugir do sol para uma sombra. Esta é uma das poucas situações em que as pessoas, até as que moram na praia reclamam do sol pelo menos do excesso de calor provocado por ele, o que, de certa forma, contribuiu com a diminuição do volume de lixo costumeiramente jogado nas praias.


Janeiro 2017

Página 13

Jornal MARANDUBA News

Aves da nossa rica Mata Atlântica: Tucano-de-bico-verde

Os tucanos são aquelas espécies de aves mais conhecidas pela presença marcante de um bico bem leve e resistente. Dentre elas o Tucano-de-bico-verde (Ramphastos dicolorus) que é uma espécie endêmica da Mata Atlântica. Não possui papo proeminente e seus pés são bipartidos dois dedos para frente e dois pra trás – ajudando assim a trepar melhor em árvores. Características Tem cerca de 42 a 48 centímetros, boa parte correspondem ao bico. Pesa em torno de 265 g a 400 g. Apresenta papo amarelo e bico verde. O serrilhado do bico é bem desenvolvido e realçado pela cor vermelha sangüínea. É o único Ramphastos a apresentar um ângulo acentuado na base da mandíbula inferior. São perseguidos por traficantes de aves pela sua beleza e valor comercial. Sua vocalização caracteriza-se por uma sequência de “äk”, “rrät”, “rräit”. Vivem aproximadamente 40 anos. Botam nos ocos das arvores de 2 a 4 ovos, cuja incubação dura em media 18 dias. São monogâmicos territorialistas - vivem e se reproduzem em casal isolado. Não se sabe quem é o macho ou a fêmea senão por exame de DNA. Alimenta-se de frutos de palmitos Euterpes edulis (Palmito da Mata Atlântica), fruto da embaúba, pitanga, artrópodes e pequenos vertebrados, sendo que com frequência alimenta-se de filhotes e ovos em ninhos de outras aves. Ao nascerem seus filhotes são alimentados com larvas, insetos e frutas macias. “Não meta o bico onde não é chamado”

Fotos: Antonio de Oliveira “Titio” - PROMATA

O bico participa também da dispersão de calor, por ser muito vascularizado. Apesar do grande tamanho e da aparência robusta, o bico dos tucanos é extremamente leve e sem condições anatômicas para “cortar” alimento ou escavar madeira duras. O bico duro, geralmente com colorido vivo e excepcionalmente longo, podendo ultrapassar o comprimento do corpo, é a principal característica dessas aves. Seu comprimento favorece a colheita de frutos inacessíveis a outras aves frugívoras e a predar ovos e filhotes em ninhos em ocos de árvore. Estas são fontes importantes de proteí-

na e nutrientes para tucanos e seus “aninhados” na época reprodutiva. O tamanho descomunal afugenta outras aves agressoras ou competidoras que estejam em uma mesma árvore em frutificação. Do tucano o bico é sua melhor arma. Curiosidades Recentemente foi desenvolvido um estudo por TATTERSALL et al. (2009) com Tucano-toco que comprovou a capacidade da espécie de regular a distribuição de calor através de modificações no fluxo de sangue do corpo para o bico e vice-versa. Tal descoberta colocou o bico do tucano como um radiador tér-

mico tão eficiente quanto às orelhas dos elefantes. Ao dormirem, nos ocos das árvores, nessa hora, apresentam uma pose curiosa – dobram a cauda por cima do dorso, viram a cabeça para trás e enfiam o bico debaixo da asa. No Brasil, a maior diversidade de tucanos é encontrada primeiramente no bioma Floresta Amazônica e em seguida na Mata Atlântica, esta ultima detentora da maior biodiversidade do planeta e com 93% de sua cobertura vegetal destruída pela ocupação humana e pelos impactos que ela acarreta (SOSMA, 2011). Perigosamente ameaçada, a Mata

Atlântica, com 83% das espécies de aves ameaçadas do Brasil (SAVE BR., 2011), abriga sete dos tucanos brasileiros, dentre eles Ramphastos dicolorus (SIGRIST, 2009) – nosso Tucano-de-bico-verde. Lembrar que os tucanos são muito importantes para a dinâmica florestal, pois dispersam as sementes para longe da planta-mãe, conseguindo assim revegetar a floresta e até mesmo os espaços já degradados. Fonte: Promata, Ubatubabirds, WikiAves, avesderapinadobrasil.com, casados pássaros. net, avescatarineneses, saudeanimal.com.br, infoescola. com, biton.uspnet.usp.br/


Página 14

Jornal MARANDUBA News

Janeiro 2017

“Chacina na Ilha Anchieta - Tiroteio na invasão e retomada da Ilha” Parte 32

Jornais da época enviaram seus melhores repórteres para descrever a maior rebelião do planeta que aconteceu em nossa região, sobreviventes ajudam a contar a história.

Ezequiel dos Santos “Lendas & Outras Histórias - Seu Filhinho. A partir da pagina 106 deste livro o autor – Washington de Oliveira – Já em 1932, por ocasião da Revolução Constitucionalista, uma “nave” da Marinha de Guerra, ancorada em frente ao presídio, causou pânico na administração e um princípio de anarquia entre os detentos aos quais depredaram o local. Com esta bagunça seus autores foram transferidos a Taubaté, fazendo em quatro dias, a pé, o percurso de cem quilômetros. Já finalizando a revolução e depois de algum tempo, o presídio voltou a funcionar normalmente mantendo a denominação de Presídio Político da Ilha dos Porcos. Ilha dos Porcos Para Ilha Anchieta Em 1934 dois deputados interviram para que o governo do estado mudasse o nome do presídio. Eram os representantes estaduais Manoel Hypólito do Rego e Cincinato Braga. A solicitação dos deputados era para que de Ilha dos Porcos o local passasse a se chamar de Ilha Anchieta, cuja justificativa se baseava na homenagem ao “taumaturgo do Brasil”, cujo aniversario de seu 4º centenário de nascimento se daria no dia 19 de março daquele ano. O governo aceitou a sugestão e não só mudou o nome da Ilha como também o nome do presídio que passou assim a se chamar Instituto Correcional da Ilha Anchieta – ICIA. Os políticos de Ubatuba da época mantiveram por anos o documento dos deputados datado 9 de março de 1934 (dez

dias antes da mudança) que por décadas e por sorte Seu Filhinho transcreveu seu teor. Telegrama histórico: “Washington de Oliveira – UBATUBA Em homenagem a Anchieta apóstolo imortal nossa civilização, cujo quarto centenário transcorre data 19 corrente mês, pedimos vosso patriótico concurso para que seja dirigido desta cidade, com pronunciamento escolas, povo e autoridades, representação urgente Interventor Estado,

sentido mudança Ilha dos Porcos para Ilha Anchieta, notando-se circunstancia que além de justo preito, ocorre-se achar-se o lindo pedaço encantador litoral paulista, em frente praias de Ubatuba, onde grande Santo traçou versos à Virgem Maria e onde se ultimou memorável armistício Tamoios, salvação integridade nossa pátria. Cordiais saudações. (aa) Cincinato Braga Hypólito do Rego.” Assim finaliza a solicitação épica.


Janeiro 2017

Página 15

Jornal MARANDUBA News

Coluna da Adelina Fernandes

Consumo de água aumenta nesta temporada, preocupação com uso também

Mensagem de Ano Novo Pensando bem, no ano que está acabando, nem tudo foi como sonhamos; mas isso não significa que temos que avaliá-lo como um ano ruim. Quem crê num Poder Superior sabe que tudo o que aconteceu, e tudo o que ainda vai acontecer no ano que vem chegando, seja bom ou ruim, vai contribuir para o nosso bem maior, mesmo que não pareça à princípio. Chico Xavier escreveu uma vez que “podemos ter um governo mais ou menos, morar numa rua mais ou menos, numa casa mais ou menos e dentro de uma cidade mais ou menos. Podemos também comer mais ou menos bem, dormir numa cama mais ou menos, e até acreditar mais ou menos no ano novo que vem chegando. Podemos, enfim, olhar em volta e sentir que tudo está mais ou menos. Mas o que não se pode, de jeito nenhum, nem nesse ano que está aí pertinho nem nos outros, é ter fé mais ou menos, acreditar mais ou menos, ser ético e honesto mais ou menos, ser amigo mais ou menos, namorar mais ou menos, e, o pior, não podemos, em nenhuma hipótese, sonhar mais ou menos ou amar mais ou menos. Se fizermos isso, vamos nos tornar uma pessoa mais ou menos, que é o pior que nos pode acontecer. Tenho certeza de que as pessoas valorizam a festa de Ano Novo pelo desejo de re-

novação que esse “ritual de passagem” traz em seu bojo. As comunidades antigas expressavam isso jogando fora roupas e objetos que já não usavam, simbolizando assim a eliminação de tudo o que, em suas vidas, estivesse “envelhecido”. Também se cultiva, até hoje, o hábito de “pular as sete ondas”, entrar no mar, em cachoeiras, enfim, lavar-se como um rito de purificação para despojar-se de tudo o

que foi ruim no ano que passou, preparando-se para receber o Ano Novo. Não importa quanto tempo vamos viver, se trinta, setenta ou oitenta e poucos anos, nunca saberemos completamente os segredos da vida. Por isso, neste ano que chega, que todos possamos viver intensamente, sem rancor nem ódio algum, e que possamos cantar um só hino de paz, fraternidade e Amor. Falta muito pouco tempo para que os fogos de artifício se façam ver no céu, enquanto brindes irão se cruzar anunciando o Ano Novo que está chegando. Neste momento mágico, muitas pessoas vão se abraçar, os amantes se beijarão, e todos, num só pensamento, vão exprimir um único desejo: haja paz e amor suficientes para que atravessemos mais um ano em nossas vidas. Nesse dia, independentemente da nação, da cidade em que estamos, da nossa cor, classe social, orientação sexual, origem ou língua, é importante que sintamos que somos filhos de um único Pai, independente do nome que damos a Ele. E, sendo filhos desse Pai amoroso, nos lembraremos de um único verbo, o mais importante para Ele: Amar. Maria Rita Lemos http://www.cronicadodia. com.br/2007/12/mensagem-de-ano-novo-maria-rita-lemos.html

Moradores e turistas conscientes estão preocupados com o aumento exponencial do uso da água nesta temporada. Mais do que a preocupação do uso é o mau uso e desperdício deste bem finito. Já é detectável em pequenos rios e canais o mau cheiro exalado pela descarga de material não tratado de casas, chalés, pousadas e afins como o Rio do Boi que corta os fundos da Maranduba e desemboca no rio de mesmo nome. O volume de pessoas buscando refrescar-se nas cachoeiras aumentou junto com ele a degradação velada do espaço natural, o lixo em seu entorno, o uso de material como xampus e outros produtos que alteram a vida nos rios. Esta temporada o uso de água foi mais intenso por conta do aumento do calor e em muitos lugares ela acabou antes do previsto. Em locais que nunca havia acabado enfim aconteceu.

Ainda é possível observar pessoas lavando calçadas e tirando o pó de frente a casa com o uso da água boa para consumo, por exemplo. “Outro fator é o lixo, grande ou pequeno, que é atirado no chão e que com as chuvas de verão são levados aos rios e consequentemente ao mar. Este lixo que também somados ao volume que é deixado na praia “emporcalham” o ambiente”, comentam os entrevistados. Enquanto a água fluir pelos canos ninguém vai lembrar dela, mas a hora que ela acabar todos saberão que alguma coisa esta errada. De quem é a culpa? Não precisa ser especialista para saber que não existe uma fabrica de água, existem sim fatores, principalmente os naturais, que se unem para que a água exista, portanto todos devem respeitar o meio e evitar o desperdício. Simples assim.



Jornal Maranduba News #92