Issuu on Google+

Maranduba, Dezembro 2016

-

Disponível na Internet no site www.jornalmaranduba.com.br

-

Ano 7 - Edição 91 Foto: Aguinaldo José - PROMATA

16ª Romaria a Pé para Aparecida Fé e perseverança em meio ao paraíso


Página 2

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

FESTA DA APASU, VENHAM PARTICIPAR! SHOW DE PREMIOS APASU DIA 10/12/2016 – 19 as 24hs Bar do Nivaldo - Rua Padre João Bayle, nº. 1472 JD Beira Rio

1º. PREMIO: R$ 500,00 2º. PREMIO: 1 BICICLETA 3º. PRÊMIO: 1 VENTILADOR 4º. PRÊMIO: : R$ 250,00 5º.PRÊMIO: 1 VENTILADOR VALOR R$ 10,00

Renda em benefício da Associação Protetora dos Animais da Região Sul de Ubatuba

CONVOCAÇÃO

REUNIÃO DA MESA DE REGULARIZAÇÃO FUNDIÁRIA DO INCRA/SP Dia 15 de Dezembro 2016 as 14 horas Na sede do INCRA na Capital As comunidades que irão ser pauta desta mesa serão: CAMBURI, SERTÃO DE ITAMABUCA, FAZENDA DA CAIXA E CAÇANDOCA. Haverá transporte e alimentação para 12 Quilombolas, ou seja, 3 pessoas de cada quilombo indicado pela liderança de suas respectiva comunidade. Caso outros quilombolas ou parceiros tenham meios de custear sua alimentação e transporte, serão bem vindos a participar da reunião para contribuir e somar com a luta quilombola. MAIORES INFORMAÇÕES COM NEIMAR – (12)3882-1653 – (12) 99634-9040 - CONAQ

Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3849.5784

Editado por: Litoral Virtual Produção e Publicidade Ltda. Fones: (12) 3849.5784 (12) 99714.5678 e-mail: jornal@maranduba.com.br Tiragem: 3.000 exemplares - Periodicidade: mensal Editor: Emilio Campi Jornalista Responsável: Ezequiel dos Santos - MTB 76477/SP Editora de Variedades: Adelina Fernandes Rodrigues Colaborador: Pedro dos Santos Raymundo - MTB 0063810/SP Consultor Jurídico - Dr. Robson Ennes Virgílio - OAB/SP 169.801 Consultor Ambiental - Fernando Novais - Engº Florestal CREA/SP 5062880961 Consultor de Marketing - Luiz Henrique dos Santos - Publicitario Os artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores e não refletem a opinião da direção deste informativo


Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Página 3

Moradores protestam contra aumento de salário de vereadores em Ubatuba Comunidade lotou a Câmara da cidade na noite desta terça-feira (6). Após aprovação, salário do legislativo passou de R$ 8 mil para R$ 10 mil. G1 Globo.com Moradores protestaram contra o aumento do salário dos vereadores na noite desta terça-feira (6) na Câmara de Ubatuba (SP). Os vereadores votaram aumento de cerca de R$ 2 mil nos próprios salários durante uma sessão extraordinária realizada no último sábado (3). Com o reajuste, a remuneração dos parlamentares passou de R$ 8.016, 93 para R$ 10.128, 80. Revoltados com o reajuste, moradores foram até a Câmara durante a sessão extraordinária que aconteceria por volta das 20h. Com o tumulto, a sessão foi cancelada. Os moradores dizem que cerca de mil pessoas participaram da manifestação. A Polícia Militar não informou o número, mas acompanhou do lado de fora da Câmara. “Estamos pedindo a redução do salário. Outras cidades maiores da região pagam menos para os vereadores. Aqui a saúde está ruim, as estradas precisam de manutenção. Tem coisas muito mais importantes para se fazer. Não é justo com a população que paga os im-

postos”, reclamou a professora aposentada Yara Muzsa. O corretor de imóveis Benedito Pereira também protestou contra a medida. “Queremos reduzir o salário deles, não aumentar. É injusto um vereador ganhar mais de R$ 10 mil enquanto um professor, que é muito mais importante e de fato ajuda a população, receber R$ 2 mil”, questionou. O presidente da Câmara, Claudinei Bastos Xavier (DEM), foi procurado pelo G1 para se posicionar sobre o protesto, mas não foi encontrado. Reajuste O valor passa a valer a partir de 2017 e é maior que a inflação acumulada de 2016, cerca de 5,77% com base no Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA). O acumulado de janeiro de 2013 a outubro de 2016 foi de 31,93 %. A proposta votada pelos vereadores no sábado pedia a mudança nos salários que havia sido reajustado no final da última gestão, em 2012. Segundo a justificativa, o reajuste seria correspondente à remuneração dos deputados

estaduais. O projeto foi aprovado por cinco votos a quatro. Aprovaram a proposta de reajuste os vereadores Pastora Daniele (DEM), Silvinho Brandão (PSDB), Adão (PCdoB), Manoel Marques (PT) e Benedito Julião (PSL). Votaram contra a proposta os vereadores Flávia Pascoal (PSB), Bibi (PMDB), Xibiu (PSDB) e Ivanil Ferretti (PMDB).


Página 4

Polícia Militar faz treinamento no Massaguaçu

No último dia 30, o transito da SP-55 parou para que populares pudessem admirar o treinamento do Grupamento Aéreo e equipes de Guarda-Vidas (GVs) da Polícia Militar/SP. Foram realizadas manobras de socorro a vítimas de afogamento, entres as praias da Cocanha e Massaguaçu na região norte de Caraguatatuba, próximo ao quiosque Ninho da Coruja. As ações tem como objetivo afinar o treinamento para a Operação Verão (2016/2017) que se aproxima. Esta operação conta com a presença de todas as unidades operacionais envolvidas da Polícia Militar (Policiamento Urbano, Ambiental e Rodoviária; Corpo de Bombeiros e Grupamento Aéreo), das autoridades civis e políticas da região para atender as quatro cidades do litoral norte paulista. As aeronaves, equipadas com o máximo de material de socorro e prevenção, é composta por piloto e co-piloto e dois Guarda-Vidas, devida-

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Sarau cultural na escola do Araribá pelo dia da Consciência Negra

Texto e foto: Maria Celeste Aguilera No ultimo dia 19, na escola Sebastiana Luiza no Araribá, realizou-se um Sarau Cultural em comemoração ao dia da Consciência Negra. Apresentando projetos como balé realizado por meninas e meninos e aula de música com objetivo de que as crianças possam perder o medo de exposição ao público. Praticaram cantigas de rodas e parlendas, onde como brincadeira as crianças possam aprender histórias regionais. Também receberam mestres de diferentes lugares da Capoeira para fazer palestras e batismo desta arte cultural aos alunos. O grupo de Aprendizes da Capoeira Guelé foram os que mente treinados por meio de padronização anual, realizada em Praia Grande, no Guarujá e em Ubatuba. Durante a padronização todos os GVs selecionados realizam os treinamentos em solo e na prática de vôo, simulando situações de salvamento. Os aspectos mais frisados são relativos à Segurança Operacional e a execução dos POPs (Procedimentos Operacionais Padrão), que além de

eliminar possíveis erros na operação possam oferecer um serviço de excelência a população. Neste treinamento participaram vinte oficiais, quinze GVs, dois helicópteros, um caminhão tanque (combustível), várias viaturas e muita adrenalina e coragem. A chuva não interferiu na realização das manobras, ao contrario, ofereceu o máximo de realismo as atividades.

levaram adiante o encontro a cargo do Mestre Zé Portes. Foram convidados também mestres de diferentes grupos para o batizado. Palestrou no evento o mestre do Quilombo da Cacandoça Mario “Pezão” que disse:” o racismo hoje é parte integrante do Brasil e do mundo. A cor da pele não quer dizer nada, porque no quilombo descendem de portugueses e escravos; então ha quilombolas brancos. As pessoas podem ter a pele mais clara, porém a identidade negra está nos traços: na orelha, no nariz e no cabelo. E quando o berimbau toca e dá uma arrepiadinha em você é porque você é negro, o sangue negro está em você”, finalizou.


Dezembro 2016

Hip hop na Maranduba com artistas locais e de São Paulo

Texto e foto: Maria Celeste Aguilera No último dia 25, o Aloha pizza-bar apresentou como convidado especial da noite o MC Nocivo Shomon, que além do dom da música é conhecido como um dos maiores grafiteiros de São Paulo. Participaram também artistas locais: Mano Fael, Mano Rubens, RO12, Joãzinho Beat Box e DJ Beea. Todos desfrutaram de uma boa apresentação dos convidados que dançaram ao ritmo da DJ Beea. A sensação transmitida foi de honestidade e respeito - duas palavras fortes dentro da cena hip hop. A apresentação dos músicos locais encheu o público de orgulho. Com apoio do público cada MC deu o melhor de si. A abertura do encontro foi através do convite de Mano Rubens para um Freestyle no palco, ou seja, estilo livre de rap, com isso a possibilidade de sentir novamente o poder da expressão no corpo. O hip hop é um movimento artístico e cultural que surgiu entre 60 e 70 em comunidades de americanos, latinos-americanos e africanos em bairros pobres como o Bronx, Queen e Brooklyn. Onde, desde o inicio, enfatizaram como

Página 5

Jornal MARANDUBA News

manifestação a dança, grafite e a união de dois elementos: MC ( mestre de cerimônia) e DJ que são os quatro elementos do estilo musical. Os primeiros países a desenvolver a cultura foram Chile, Brasil e Argentina. Formaram grupos de renome como Tiro de Gracia, Actitud Maria Marta, Sindicato Argentino de hip hop, Sabotage e Racionais Mc’s. Em busca do bom hip hop como o apresentado, se fala de qualidade nas letras, estilo em que se canta, como é transmitido no palco e a escolha de uma boa pista, sem importar a idade e o sexo. Quando há criação de música existe arte, seja homem ou mulher, assim são incorporados sentidos de respeito, amizade e conduta. O rap expressa os sentimentos de cada um sobre suas vivências. Para resumir, pode-se dizer que o hip hop ao contrário de outros gêneros é em si um conjunto de expressões artísticas que devem ser usadas para um propósito digno, como a integração cultural. Consciência, humildade e ações de boa fé contribuem para que esta pequena ferramenta disponível possa ser usada para integração.

Atividade no Quilombo da Caçandoca marca Semana da Agricultura Orgânica

Comunicação PMU Fomentar e estimular a produção de alimentos orgânicos, livres de agrotóxicos e produzidos com técnicas agroecológicas é o objetivo da Semana de Agricultura Orgânica de Ubatuba, prevista na Lei Municipal nº 3123 de 2008. Como parte das iniciativas deste ano, a associação de moradores do Quilombo da Caçandoca fez a montagem na última segunda-feira, 28 de novembro, de uma estufa para a produção de frutas, vegetais e legumes, como tomate cereja, berinjela, salsa, cebolinha, alface crespa, coentro e rúcula. O quilombo recebeu o apoio técnico da CATI e da APTA, que forneceu o bambu, do Incra, responsável pelas mudas, e do ITESP, para o sistema de irrigação. Já a Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento (SMAPA) da Prefeitura de Ubatuba fez uma apresen-

tação aos quilombolas sobre os programas que estão disponíveis no município para os agricultores familiares. O principal deles é a venda direta de hortifrutigranjeiros para a merenda escolar municipal. Mas há também a feira Espaço Saudável, na qual os produtores orgânicos podem comercializar seus produtos diretamente ao consumidor final. Outro programa que existe no município é o de apoio à produção, com empréstimo de

implementos agrícolas, como mini-trator e roçadeira, que agilizam a produção agrícola. A SMAPA também forneceu orientações adicionais sobre o plano de manejo orgânico. As políticas públicas voltadas tanto para os agricultores familiares quanto para a agricultura orgânica e agroecológica foram o tema de uma segunda atividade, realizada junto aos estudantes da ETEC de Ubatuba, realizada na terça-feira, 29 de novembro.


Página 6

Menina caiçara participa de publicidade de produto da Basílica de Aparecida

A menina Maria Eduarda Monteiro Putrino, de apenas 10 anos, participou no último dia 24 de ensaio publicitário para propaganda de água em garrafa da Basílica de Aparecida do Norte, interior de São Paulo. Na publicidade ela, a filha de um casal de dois filhos, compartilha momentos comuns, simples, porém felizes do cotidiano, onde o produto – água da Basílica- faz parte da famí-

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

lia brasileira. Ao que tudo indica haverá imagens internas e externas mostrando o produto. A publicidade é dirigida a folders e ao sítio da internet da empresa responsável pelo produto. O lançamento da publicidade esta previsto para fevereiro ou março de 2017. Maria Eduarda, “Duda” como é conhecida, é agenciada pela Fox Model de São José dos Campos. Os pais e avós não

escondem tanta corujice pelo feito e satisfação pelo esforço realizado nos últimos meses para conseguir esta participação. Os pais não perderam um momento da gravação, a mãe comenta que a filha está realizando o sonho dela e que toda correria e trabalho valem a pena.

Jornal Maranduba News

ANUNCIE AQUI

(12) 99714-5678 (12) 3849.5784

Cantinho Caiçara: um pouco de antigamente na gastronomia e no ambiente

No último dia 12/11, a gestora ambiental, Técnica em Turismo Rural e membro fundador da PROMATA Isaura Monteiro, inaugurou o Cantinho Caiçara, um mix das boas recordações da cultura gastronômica e tradições da região do litoral paulista. Trata-se de um local diferenciado, aconchegante, com aspecto de boas recordações que pretende atender as varias famílias em seus laços históricos, culturais e ambientais enraizados nesta porção de terra. Com uma cara de “venda” mais moderna, o espaço serve varias gostosuras como

caldo de cana, sucos naturais de vários sabores, produtos de gengibre orgânico, doces, tapiocas, lanches, açaí, pastéis, entre outros. Também, a combinar, o espaço poderá servir café caiçara e comidas típicas locais e regionais, basta procurar a proprietária e fazer a “combinação”. O espaço fica a beira da estrada ao lado da Sabesp no caminho para Maranduba na Avenida Fujio Iwai. Em breve também água e carvão. Para quem busca sossego e tranquilidade, boa comida e lugar aconchegante é uma boa pedida.


Dezembro 2016

Agricultor se orgulha da profissão e de fazer o que gosta

“Da roça ao consumidor” é o que diz o agricultor familiar José Garcia, 51, quando mostra sua produção natural próximo a estação de tratamento de água da Sabesp no Sertão da Quina. Todos que passam pela avenida principal ou por sua travessa vem Garcia se dedicando a plantação como se fossem seus filhos. Com chuva ou com sol ele cultiva um pouco de cada: vagem, berinjela, maracujá, jiló, tomate, cebola de cabeça, almeirão, pimentas, batata doce, cana, limão, cebolinha, alface, dentre outras culturas. Umas em ponto de colheita e outras ainda a serem realocadas as leiras. Muitos já conhecem o som da “tobata” passando a porta a oferecer os melhores produtos frutos de seu esforço. Cada produto em sua caixa, devidamente separado e acondicionado. O diferencial que todos procuram é a forma de plantar – o mais natural possível – cujo resultado está no sabor

Página 7

Jornal MARANDUBA News

e na qualidade dos produtos. Garcia diz que “seus produtos não são para mostrar em uma vitrine e sim para levar saúde e bom paladar às pessoas. Antigamente era tudo natural, era tudo gostoso, todo mundo tinha alguma coisa plantada perto da casa e porque não pode ser agora?”, comenta o agricultor referindo-se ao trato cultural da produção local. Uma novidade apresentado por Garcia foi uma folhagem chamada por ele de Lambari, rasteira e de folhas brilhantes diz o agricultor que é só quebrar uns ovos como se fosse fazer uma omelete, passar as folhas nos ovos já mexidos e fritar. Segundo ele o sabor parece mesmo com o peixe Lambari, uma iguaria consumida por moradores locais quando o rio da região era limpo e cuidado. Garcia ao sair da roça, passa pelo portão e antes de ir pra casa sempre olha para traz em sinal de respeito e orgulho por aquilo que faz.

Pesquisadores da UFRJ, moradores do Araribá, são elogiados em revista da Universidade de Wolverhampton - Inglaterra O “Newsletter da Universidade de Wolverhampton” publicou recentemente um artigo intitulado “Brasil em nosso meio ambiente – do Rio para Wolverhampton” que trata-se de uma matéria de reconhecimento e agradecimento aos especialistas em geografia Antonio Guerra e Maria Jorge da UFRJ, moradores do bairro do Araribá, pela importante participação em pesquisa extensiva e projetos de ciência ambiental desenvolvida naquela universidade. A notícia circula nas redes sociais nacionais desde o último dia 26 recebendo elogios dos mais renomados cientistas, colegas de profissão, professores, profissionais liberais e conhecidos. Os pesquisadores caiçaras comenta a matéria - “vêm trabalhando em projetos e pesquisas com o professor Mike Fullen. Esses projetos incluíram trabalhos sobre “Erosão do Solo e Movimentos de Massa” e realização de seminários para o grupo “Construindo Meio Ambiente e Estudos de Engenharia” (BEERS) sobre temas como Geoturismo e Geoconservação no município de Ubatuba e degradação da terra no Brasil: causas e conseqüências”. Eles também apoiaram o projeto do Professor Fullen sobre cuidados com o solo chamado Projeto de Organização de Link de Hanover e Wolverhampton. Mike Fullen, importante professor e pesquisador inglês diz: “tive o prazer de quatro visitas ao Brasil, que achei extremamente interessantes, informativas e agradáveis. Desenvolvemos uma plataforma muito sólida para co-

laboração futura, com base em investigações tanto no campo como no laboratório, e estamos muito “parceiros em andamento”. Até o momento, a Universidade de Wolverhampton teve relativamente pouco envolvimento com a América do Sul. Espero que nossa colaboração produtiva contribua para o desenvolvimento de fortes laços entre a Universidade e a América do Sul em geral e a Universidade Federal do Rio de Janeiro em particular”.

O casal comenta que o calor humano na universidade inglesa ajudou muito na adaptação para os trabalhos e que desde 2011 tem trabalhado com Fullen, que é um grande parceiro. Os pesquisadores brasileiros não escondem a vontade de trazer para o Brasil um projeto de pesquisa em parceria com a Wolverhampton, esforços não tem faltado para que esse dia chegue, principalmente que venha para nossa região.


Página 8

Jornal MARANDUBA News

Dezembro 2016

16ª Romaria a Pé para Aparecida – fé e perseverança

Texto e foto: Aguinaldo José/PROMATA Nos últimos dias 23 a 27 de novembro aconteceu mais uma etapa da antiga caminha caiçara rumo a Aparecida do Norte. Como de costume alguns moradores partiram do Morro do Emaús (São Cruzeiro) no bairro do Sertão da Quina numa caminhada até o Itaguá, de lá se juntaram a equipe. Intitulada “Do mar pelas montanhas, louvaremos a Rainha”, a caminha mostrou toda sua potencialidade na fé e na perseverança dos povos que a realizam. Cada vez mais aumenta o número de fiéis que fazem o trajeto pela primeira vez. Além de ser uma atividade de turismo, a união das pessoas e a fraternidade na caminhada estreita cada vez mais a fé dos participantes.

Fotos: Aguinaldo José - PROMATA


Dezembro 2016

Fotos: Aguinaldo José - PROMATA

Página 9

Jornal MARANDUBA News

Nada se compara a emoção da chegada

Muito cansaço, suor e até lagrimas, cada um com seu pedido particular ou comunitário, mas nada se compara a emoção da chegada, dizem os participantes. A beleza no caminho, a prontidão dos moradores e a solidariedade das pessoas ajudam a transformar a caminhada em um evento especial, isso desde quando não havia estradas por estas paragens, apenas os “carreros” para alcançar tais lugares. Também não faltou alegria no pós-caminhada, que aconteceu no Centro da cidade.


Página 10

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Aluna da Escola Indígena Renascer é semifinalista nacional da Olimpíada de Língua Portuguesa “Escrevendo o Futuro 2016” A aluna da EEI Penha Mintãngwe Nimboea, na aldeia Renascer no Corcovado, sul de Ubatuba, comemora importante conquista dentro das 5ª Olimpíadas Nacional de Língua Portuguesa edição 2016. A Aluna Sabrina Guaciana – representando o Estado de São Paulo - figurou entre os 152 semifinalistas dentre os milhares participantes em todo território nacional, onde apenas 38 trabalhos de cada categoria foram selecionados. Infelizmente ela não foi selecionada para a grande final que aconteceu em Brasília/DF. A escola indígena do Corcovado se orgulha do feito de Guaciana durante sua conquista – semifinal - ocorrida em Salvador/BA entre os últimos dias 22, 23 e 24/11. As olimpíadas são divididas em quatro categorias: artigos de opinião, crônica, memórias literárias e poema ao qual concorria Guaciana. Os méritos foram atribuídos a sua professora Queila M. Cecílio que realiza importante trabalho na escola indígena local. Olimpíadas A Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é um concurso de produção de textos para alunos de escolas públicas de todo o país, do 5º ano do Ensino Fundamental ao 3º ano do Ensino Médio. Iniciativa do Ministério da Educação e da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec), em 2016 promove sua 5ª edição. O tema escolhido é “O lugar onde vivo”, que propicia aos alunos estreitar vínculos com

a comunidade e aprofundar o conhecimento sobre a realidade, contribuindo para o desenvolvimento de sua cidadania. Premiação 500 alunos semifinalistas e seus professores: medalha, livros e participação em oficinas culturais e de formação. 152 alunos finalistas e seus

professores: medalha e 1 tablet. Escolas dos 152 finalistas: placa de homenagem. 28 professores semifinalistas, vencedores na categoria Relato de Prática: 1 notebook. 20 alunos vencedores e seus professores: medalha, 1 notebook e 1 impressora.

Escolas dos 20 vencedores: 10 computadores, 1 impressora, 1 projetor, 1 telão para projeção e livros. O Programa O Programa é uma iniciativa da Fundação Itaú Social, com coordenação técnica do Cenpec - Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cul-

tura e Ação Comunitária, desenvolvida em parceria com o Ministério da Educação. Também são parceiros do programa na execução das ações o Conselho Nacional dos Secretários de Educação (Consed), a União Nacional dos Dirigentes Municipais de Educação (Undime) e o Canal Futura.


Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Página 11

Aldeia Renascer recebe o III Encontro de Avaliação da Educação Escolar Indígena Nos últimos dias 12, 13 e 14/11, a aldeia Renascer (Ywyty Guaçu) foi palco de um importante debate estadual sobre a educação escolar indígena. Estes povos trataram do III Encontro de Avaliação da Educação Escolar Indígena promovido pela FUNAI. O evento contou com a participação de professores indígenas e lideranças dos quatro cantos do estado de SP para avaliar como anda a educação indígena no estado Foi constatada uma grande disparidade entre as aldeias, não só no aspecto educacional, mas também na infraestrutura. Algumas escolas faltam desde merenda até materiais básicos em sala de aula, outras já possuem uma estrutura satisfatória. O evento contou com Caciques e Lideranças de algumas Aldeias: Cacique Awá, Darã, Sergio Popygua, Timóteo, Fabio e Marcio Terena, promovido pelos funcionários da FUNAI Milena e Marcos Cantuária. Educação Estadual Indígena O portal oficial da Secretaria da Educação/SP (http:// www.educacao.sp.gov.br/ educacao-escolar-indigena) informa que são atendidos mais 1,8 mil alunos de comunidades indígenas. São 40 unidades escolares com Educação Infantil, Ensino Fundamental Anos Iniciais e Anos Finais, Ensino Médio e Educação de Jovens e Adultos (EJA), voltadas a estudantes das etnias Guarani Nhandewa, Guarani Mbya, Terena, Krenak e Kaingang. O conteúdo aplicado nas

salas de aula segue as diretrizes do Currículo do Estado de São Paulo com um diferencial, as disciplinas são trabalhadas de acordo com os conhecimentos de cada etnia e os educadores são indígenas que pertencem às aldeias em que as escolas estão locadas. Uma pauta de reivindicações foi criada no encontro e será entregue ao Núcleo de Inclusão Educacional (NINC) no próximo dia 15 a Secretaria Estadual de Educação. O Núcleo de Educação Indígena (NEI- um conselho composto de metade de integrantes indígenas e outra metade de não indígenas) também será acionado sobre a pauta proposta no evento. Fonte: http://aldeiarenascer. blogspot.com.br/


Página 12

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Pescadores recebem a draga para desassorear o leito do Rio Maranduba No último dia 21, pescadores da região sul, empresários do ramo náutico, moradores, convidados, Prefeitura de Ubatuba, pesquisadores, Fundespa e PETROBRAS participaram do recebimento oficial do equipamento que fará o desassoreamento do Rio Maranduba. A solicitação caminha há pelos menos uma década e estava desacreditada pela comunidade local. O equipamento recebido através do Programa PAPP (Programa de Ação Participativa da Pesca) da PETROBRAS é parte de um programa de compensação ambiental exigido pelo IBAMA. O equipamento já foi testado, agora é colocar em pratica para realizar o sonho dos usuários que utilizam constantemente a saída do rio para o mar. Foram varias as idas e vindas para que este dia pudesse chegar, comentam os pescadores, que por outro lado não escondem a satisfação do recebimento. A PETROBRAS através de seu representante quis saber se de fato é que o os pescadores precisam, se estão de

acordo e manifestou a importância do cuidado e manejo do equipamento. A draga trabalhará em parceria com a prefeitura de Ubatuba que, conforme tratativas com a associação dos pescadores da Maranduba e o órgão licenciador, poderá, depois de resolver a situação local, utilizar em outros rios para o mesmo objetivo. Todo material coletado ficará acondicionado na regional sul e será utilizado pela prefeitura para manutenção dos acessos públicos, por exemplo.

O prefeito Mauricio Moromizato veio pessoalmente participar da inauguração, com ele os secretários e adjuntos da pesca e agricultura e representante da colônia Z-10. Parece que desta vez não haverá problemas de socorro a embarcações ou barcos virados na extensão da foz do Rio Maranduba por excesso de material em seu leito impedindo o trafego no local para as diversas finalidades. Muita gente não acreditou, mas enfim o equipamento chegou.

Observador de aves da PROMATA é homenageado em Caragua O observador de aves da PROMATA Antonio de Oliveira, o “tio”, foi homenageado no último dia 24 no 2º Evento Fotográfico “Fotografando os Manguezais de Caraguatatuba” realizado na Fundação de Arte e Cultura daquela cidade. “Tio” contribuiu substancialmente com registros de aves dos mangues remanescentes

em Caraguatatuba. O evento foi realizado por Pedro Caetano entusiasta da causa ambiental e cultural do litoral paulista e contou com importantes personagens locais e regionais. A equipe de parceiros do projeto Manguezal em Ubatuba também participaram do evento e foram homenageados.

Escola do Tinga recebe palestra de Observação de Aves

No último dia 7, alunos de uma escola do Tinga em Caraguatatuba, receberam palestrante da PROMATA Antonio de Oliveira-“Tio”, para falar da iniciação de Observação de Aves. A iniciativa faz

parte do projeto “Cantos da Mata”. No dia 9 as crianças fazem uma saída de campo dentro do Parque Estadual Núcleo Caraguatatuba para praticar o que aprenderam em sala de aula.

Caiçara Criativo da Fortaleza recebe Infância Missionária do S. da Quina

No último dia 26, o projeto Caiçara Criativo da Praia da Fortaleza recebeu as crianças da Infância Missionária do bairro Sertão da Quina para participarem de um evento relacionado ao Patrimônio Histórico e Arquitetônico de Ubatuba, especificamente sobre o Casarão do Porto. O evento começou pelas 10 da manhã e terminou por volta das 13 horas da tarde. Tiveram ainda atividades como contação de história, teatro de marionete, palestra, pintura e atividade lúdica. O projeto ofereceu café da manhã e lanche na saída. As crianças receberam também um kit ecológico pensa-

do no tema do evento. Enquanto rolava o evento, os organizadores conversaram sobre a possibilidade de trocar suas experiências nas comunidades a fim de promover um intercambio mais abrangente dos projetos. Além das crianças alguns pais também acompanharam as atividades. Para o evento o projeto disponibilizou um ônibus para o transporte de ida e volta das crianças. Centenas de fotos foram tiradas e colocadas nas redes sociais o que agradou muita gente, principalmente os pais que não puderam acompanhar seus filhos ao evento.


Dezembro 2016

Página 13

Jornal MARANDUBA News

Aves da nossa rica Mata Atlântica: Urubu-de-cabeça-vermelha

Perseguidos por causa de uma má fama, contribuiu para isso talvez as palavras de Charles Darwin quando encontrou o urubu-de-cabeça-vermelha (Cathartes aura) em visita a América do Sul em 1832 no estreito de Beagle (estreito separando as ilhas do arquipélago da Terra do Fogo, no extremo sul da América do Sul) onde fez o seguinte comentário: “São aves nojentas, que se divertem na podridão”. Assim é conhecida pela maioria das pessoas como verdadeiros faxineiros alados, porém sabemos que são aves de beleza exótica, únicas e incompreendidas apenas, seus hábitos e sua importância na natureza são pouco conhecidos, porém primordiais para o ecossistema cada vez mais danificado. Das sete espécies de urubus conhecidas, cinco ocorrem no Brasil. Planador e antibacteriano Passam a maior parte do dia sobrevoando as paisagens longe das cidades, com isso gastam a menor quantidade de energia possível, conseguem cobrir dezenas de quilômetros atrás de um alimento. Com visão espetacular e um olfato extraordinário – considerados um dos mais apurados do mundo da aves - são os primeiros a encontrar alimento. Os urubus não passam mal quando comem carne em putrefação, seu estômago secreta um suco gástrico que neutraliza as bactérias e toxinas presentes na carne podre. Além disso, acredita-se que os anticorpos de seu sistema imunológico fazem com que eles sejam imunes a doenças que atingiriam outros animais. Outra característica marcan-

Fotos: Roberto Pituí - PROMATA

te dessas aves é a cabeça e o pescoço nus, que dificultam o acúmulo de restos alimentares nas penas durante a alimentação. Muitos pesquisadores o consideram um “tipo” de ave de rapina necrófoga. Como sou... Medindo entre 62-81 cm de comprimento, com peso entre 850 gramas a 2 kg, sua envergadura impressiona com seus até 1,82 de asas. O adulto apresenta a pele nua da cabeça e do pescoço vermelhas, além de um escudo nucal branco, visível em boas condições de luz. A plumagem

é predominantemente preta, com dorso marrom-escuro quase preto, além das longas penas das asas (primárias e secundárias) de coloração cinza-escuro. Esse contraste entre as penas da asa e o corpo, facilmente visível em vôo, é bem característico do gênero. O jovem é igual o adulto, exceto a cabeça, que é toda escura, quase preta. Nidifica no solo ou, mais raramente, em ocos de árvores. Em qualquer caso, locais bem cobertos por vegetação e protegidos. Coloca dois ovos e a incubação dura de 38 a 41 dias. Quan-

do nascem os filhotes, são alimentados de alimento regurgitado pelos pais. A partir dos 70 dias de vida, inicia seus vôos. Sou importante sim! Importante frisar que os urubus têm uma importância fundamental na natureza, mantém o ambiente em que vivem limpo, eliminando desde carcaças até ossos, sendo responsáveis pela eliminação de 95% das carcaças de animais mortos na natureza. Com isso, eles ajudam a prevenir a propagação de doenças, eliminando bactérias que poderiam

adoecer ou matar muitos animais selvagens e domésticos. Estudos demonstraram que em áreas onde não há urubus, as carcaças levam até três ou quatro vezes mais tempo para se decompor. Em nosso território a maioria destas aves, principalmente o urubu-de-cabeça-preta acostumou a buscar alimento no lixo que é jogado por um ser que se diz o mais inteligente de todos – o ser humano. Fonte: Promata, Ubatubabirds, WikiAves, avesderapinadobrasil.com, casados pássaros. net, avescatarineneses.


Página 14

Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Na trilha da Leitura Já no dia 22 foi a vez dos alunos da escola Nativa Fernandes que foi conferir de perto como é uma vida simples em meio a natureza ao sopé da floresta. A trilha desta vez exigiu um pouco mais de esforços das crianças, porém ao chegarem se vislumbraram com o que viram: de peixes a frutíferas, de roça plantada a roça natural. Muitos se espantaram ao experimentar água limpa, próximo a nascente. Alguns alunos diziam que ela – a água- era até doce e bem saborosa, que matava a sede de verdade. Puderam ver como é uma roça de transição e o porque ela existe. A quantidade de sombra e de alimentos também foi tema do passeio. Ao final experimentaram cacau e fizeram uma bela foto de recordação com o casal.

Alunos da região central da cidade visita Sitio Lama Mole No último dia 5, alunos do 5º ano e professores da escola municipal Professora Maria Josefina Giglio Silva do bairro Estufa II realizaram uma tarde de caminhada com integrantes da PROMATA para uma aula de campo. A caminhada aconteceu no Sitio Lama Mole no bairro do Araribá. Segundo professores, alguns alunos sequer haviam andado de ônibus, quanto mais entrado em uma floresta. A caminhada foi tranqüila e proveitosa. Alunos puderam interagir com a natureza, conhecer plantas, flores, sons de aves, árvores sua importância no meio ambiente. O tema água também fez parte do dia. No sitio puderam se deliciar com cacau, muitos até levaram

para casa para mostrar aos pais. Os alunos, que estavam mais do que interessados aproveitaram a oportunidade e fizeram varias perguntas. Depois de uma boa caminhada pude-

ram se deliciar e refrescar num banho no rio do Araribá. Participaram da caminhada as professoras Klébia, Adriana e Ana Silvia, que ao que tudo indica pretendem voltar mais vezes.

Leia o Jornal Maranduba News na Internet:

www.jornalmaranduba.com.br

Moradores tradicionais recebem visitas de crianças

O casal de octogenários e moradores tradicionais da região, Clarice da Silva e Antonio Fernandes, que no passado sofreu graves conseqüências por conta da má interpretação e excessos da legislação ambiental por parte do Ministério Público e da Fundação Florestal recebeu neste último mês a visita inesperada de grupos de crianças. Para ela que sempre gostou de receber visitas foi uma grata surpresa e espera receber mais vezes. Seu quintal serve como escola em defesa do patrimônio ambiental, mas da forma simples, aplicável ao lugar e do jeito tradicional. Infância Missionária No último dia 19, o Padre local, paroquianos, ministros, músicos e crianças da Infância Missionária fizeram uma cami-

nhada considerável para levar a alegria cristã a sua residência. Muitos destas crianças são parentes diretos do casal, outros tantos têm pais que conhecem a luta do casal para manter-se na terra. Ela que é do Apostolado coração de Jesus e da Legião de Maria, embora a idade a impeça de participar ativamente, ainda é vista como membro pelos demais. As crianças se divertiram como sempre. O padre fez questão de realizar no local uma celebração de campo. Ao que parece as pessoas que foram visitá-los é que se sentiram renovadas, mas também deixaram como marca registrada o belo sorriso estampado no rosto do casal pela visita. Uma foto marcou o registro da visita.


Dezembro 2016

Jornal MARANDUBA News

Coluna da Adelina Fernandes

O Natal daquele ano Francisco frequentava o terceiro ano de escolaridade com muito bom aproveitamento. Era um miúdo admirável! Já vivera razoavelmente mas, actualmente, sofria as consequências da quase indigência do pai por, no início daquele ano, ter perdido o emprego. Era um bom trabalhador, mas a oficina fechara. Andava o miudinho muito triste e amargurado porque a fome, o frio e a tristeza eram o pão-nosso de cada dia naquela casa. Como habitualmente, ao aproximarem-se as férias do Natal, a professora mandou que os alunos fizessem uma redacção sobre essa quadra festiva. Francisco debruça-se sobre o papel e, numa letra mais adulta que infantil, intitula a sua composição de APELO e escreve: “Menino Jesus: não acredito no que tenho ouvido dizer a teu respeito, ou seja, que só dás a quem já tem, e nada dás a quem nada tem! Explico-te porquê: eu sei que são os pais a darem essas prendas e não tu, que tens mais que fazer; se fosses tu, de certeza que davas a todos e, se calhar, em primeiro lugar aos mais pobres. Sim, eu tenho certeza que davas a todos e, se calhar, em primeiro lugar aos mais pobres. Sim, eu tenho a certeza que seria assim, pois nunca te

esqueces que também nasceste pobre e pobre morreste. Não venho pedir nada para mim. Quero lembrar-me que o meu pai está há um ano sem trabalho e precisa de ganhar dinheiro para nos sustentar. Por isso, não te esqueças de lhe arranjar um emprego. Eu sei que Natal quer dizer nascimento e, olha, nós também nascemos e, com certeza, não foi para que morrêssemos já, sem dar testemunho sobre a terra. Se assim fosse, como é que poderíamos dar os parabéns pelo teu aniversário?! Já agora podes ficar a saber que eu nasci no mesmo dia: nasci no Natal”. Pouco antes de as férias começarem, a professora cha-

mou Francisco e disse-lhe que tinha arranjado trabalho para o seu pai e, que já poderia começar a trabalhar no princípio de Janeiro do próximo ano. Foi tal a alegria dele que chorou copiosamente e, então, passou a andar tão contente, que os pais não sabiam que dizer. No entanto ele não disse porque é que andava assim. Na véspera de Natal todos se deitaram cedo, pois a consoada consistiria em sopa e pão, por o dono da mercearia, atendendo ao dia que era, ter condescendido em acrescentar ao rol do livro da dívidas. Francisco não adormeceu logo. Depois de ter verificado que toda a gente estava a dormir, foi colocar o seu sapatinho à porta do quarto dos pais, com um bilhete dentro. No dia de Natal, a mãe, que era sempre a primeira a levantar-se, ao sair do quarto tropeçou no sapato do filho. Baixou-se, pegou nele, e leu o bilhete: “Pai, a partir de Janeiro vai ter trabalho. Foi a minha professora que lho arranjou, por causa da minha redação ao Menino Jesus. É a nossa prenda de Natal”. Com as lágrimas nos olhos, de contentamento já se vê, aquele casal entrou, pé ante pé, no quarto do filho. Ao vê-lo profundamente adormecido e a sorrir, ambos disseram: eis aqui o nosso Menino Jesus!

Página 15



Jornal Maranduba News #91